3 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA"

Transcrição

1 3 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

2 4 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA CONVOCAÇÃO CONVOCO todos os Magistrados Titulares ou em exercício nos Juizados Especiais Cíveis de todas as Entrâncias, bem como os integrantes das Turmas Recursais, para comparecerem na sala de sessões do andar térreo deste Egrégio Tribunal de Justiça no dia 05/10/2007, às 9 horas. Vitória, 1º de outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE DO TJES TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO NORMATIVO 100 /2007 O Excelentíssimo Senhor Desembargador JORGE GOES COUTINHO, Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO os termos do Ofício SJ nº2079/07, datado de 27 de setembro de 2007, da lavra da Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito Diretor do Fórum de Vila Velha, protocolizado neste Tribunal de Justiça sob o número ; CONSIDERANDO o disposto no Art. 58 da Resolução nº 15/95 - Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, que atribui ao Presidente do Tribunal de Justiça a competência geral para exercer a superintendência de todo o serviço judiciário, na qualidade de Chefe da Magistratura do Estado; RESOLVE: AUTORIZAR o fechamento dos prédios do Fórum Desembargador Afonso Cláudio, Fórum anexo, 8ª Vara Criminal Privativa das Execuções Penais e Vara da Infância e Juventude de Vila Velha, no dia 19/10/2007(sexta-feira), para realização de combate aos mosquitos da dengue e detetização, quando, por este motivo, os prazos processuais ficarão suspensos. DETERMINO que afixe-se em local visível e de acesso ao público, mesmo estando o Fórum fechado, o Juiz de Direito Diretor do Fórum e o servidor por ele designado, onde possam ser encontrados, inclusive com telefones, para apreciação de causas urgentes. Publique-se. Vitória, 02 outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO NORMATIVO 101 /2007 O Excelentíssimo Senhor Desembargador JORGE GOES COUTINHO, Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO os termos do Ofício nº388/06, datado de 01 de outubro de 2007, da lavra da Excelentíssimo Senhor Juiz de Direito Diretor do Fórum de Marilândia, protocolizado neste Tribunal de Justiça sob o número ; CONSIDERANDO o disposto no Art. 58 da Resolução nº 15/95 - Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, que atribui ao Presidente do Tribunal de Justiça a competência geral para exercer a superintendência de todo o serviço judiciário, na qualidade de Chefe da Magistratura do Estado; RESOLVE: AUTORIZAR o fechamento do prédio do Fórum da Comarca de Marilândia, no dia 08/10/2007(segunda-feira), para realização dos serviços de dedetização, desratização, descupinização, limpeza de calhas e caixas d águas, quando, por este motivo, os prazos processuais ficarão suspensos. DETERMINO que afixe-se em local visível e de acesso ao público, mesmo estando o Fórum fechado, o Juiz de Direito Diretor do Fórum e o servidor por ele designado, onde possam ser encontrados, inclusive com telefones, para apreciação de causas urgentes. Publique-se. Vitória, 02 outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO ESPECIAL ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO E Nº 1049/ CONSIDERAR LICENCIADA a Exmª. Srª. Drª. ANA FLÁVIA MELO VELLO MIGUEL, MM. Juíza Substituta, por 15(quinze) dias, para tratamento de saúde de natureza gravídica, de acordo com o artigo 69, inciso I, da Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman), c/c artigo 109, 5º, da Lei Compelementar 46/94, a partir de 17/09/07. P U B L I Q U E - S E Vitória, 02 de outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATOS ESPECIAIS ASSINADOS PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO E Nº 1050/ CONSIDERAR LICENCIADA a Exmª. Srª. Drª. ANA FLÁVIA MELO VELLO MIGUEL, MM. Juíza Substituta, por 02(dois) dias, para tratamento de saúde, de acordo com o artigo 69, inciso I, da Lei Orgânica da Magistratura Nacional(Loman), a partir de 13/09/07. ATO E Nº 1051/ CONSIDERAR LICENCIADA a Exmª. Srª. Drª. CLAUDIA COPOLILLO AYRES, MM. Juíza Substituta, por 07(sete) dias, para tratamento de saúde, de acordo com o artigo 69, inciso I, da Lei Orgânica da Magistratura Nacional(Loman), a partir de 20/09/07. P U B L I Q U E - S E Vitória, 02 de outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente

3 5 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 864/2007 O Exmº Sr. Desembargador JORGE GOES COUTINHO, Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que dispõe o art. 73, inciso I, alínea "b" da Lei nº 8.666/93 e suas alterações, RESOLVE: CONSTITUIR a Comissão de recebimento Definitivo da conclusão da Obra de reforma do Fórum da Comarca de Linhares, de 3ª Entrância (Processo nº TJ-1353), composta pelo Exmº Sr. Dr. WESLEY SANDRO CAMPANA DOS SANTOS, MM. Juiz de Direito Diretor do Fórum da Comarca de Linhares e pelos Srs. FERNANDO ANTONIO GIANORDOLI TEIXEIRA, Engenheiro Civil, e CARLOS ALBERTO DOS SANTOS LIRA, Engenheiro Civil, sob a Presidência do segundo e como Relator o terceiro, para no prazo de 30 (trinta) dias, procederem ao relatório, visando o recebimento definitivo da obra e a emissão do respectivo Termo. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 02 de outubro de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO Presidente TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 865/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E TENDO EM VISTA O QUE CONSTA NOS TERMOS DO ART.35, INC.II DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº 46/94. RESOLVE: LOCALIZAR provisoriamente o Sr. AFONSO GARCIA MARVILLA, Oficial de Justiça da Comarca de Colatina, de 3ª Entrância, na Comarca de Anchieta, de 1ª Entrância. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 02 de outubro de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 866/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E TENDO EM VISTA O QUE CONSTA NOS TERMOS DO ART.35, INC.II DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº46/94. RESOLVE: LOCALIZAR provisoriamente o Sr. PLÍNIO FERREIRA DE ARAÚJO, Oficial de Justiça da Comarca de Água Doce do Norte, na Comarca de Águia Branca, ambas de 1ª Entrância, no período de 18/09/07 a 10/10/07. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 02 de outubro de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 867/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E TENDO EM VISTA O QUE CONSTA NOS TERMOS DO ART.35, INC.II DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº46/94. RESOLVE: LOCALIZAR provisoriamente a Sra. ANA MARCIA ELESBON GOUVEA, Escrivã Judiciária da Comarca de Pancas, de 2ª Entrância, na 1ª Vara de Órfãos e Sucessões da Comarca de Colatina, de 3ª Entrância. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 02 de outubro de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO Nº 868/07 O EXMº SR. DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, USANDO DE ATRIBUIÇÃO LEGAL E CUMPRINDO DETERMINAÇÃO DEFERIDA NO PROCESSO Nº DO EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA. RESOLVE: PERMUTAR entre si, o Sr. LUCIANO MOTTA NUNES LOPES, Oficial de Justiça, matrícula nº , lotado na Diretoria do Fórum da Comarca de Iúna, e a Sra. GILCÉIA MARTINS MARCELINO, Oficial de Justiça, matrícula nº , lotada na Diretoria do Fórum da Comarca de Conceição da Barra, ambas de 2ª Entrância. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 02 de outubro de DESEMBARGADOR JORGE GOES COUTINHO PRESIDENTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATO ASSINADO PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. ATO Nº 869/07 EXONERAR o Sr. GUSTAVO VARGAS QUINAMO do exercício do cargo em comissão de Assessor Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça.

4 6 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ATO Nº 870/07 NOMEAR o Sr. GUSTAVO VARGAS QUINAMO para o exercício do cargo em comissão de Assessor de Nível Superior para Assuntos Jurídicos deste Egrégio Tribunal de Justiça. P U B L I Q U E - S E Vitória-ES, 03 de outubro de Desembargador JORGE GOES COUTINHO Presidente ATOS E DESPACHOS DO DIRETOR-GERAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA ATOS ADMINISTRATIVOS ASSINADOS PELO ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ATO A Nº 544/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. WALMÉA CARVALHO, Assessor de Nível Superior para Assuntos Jurídicos deste Egrégio Tribunal de Justiça, nos dias 13/09/07 e 14/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 545/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MÁRCIA CRISTINA PATROCÍNIO, Assessor Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 13/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 546/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. DANIELA ALMEIDA DE FARIA, Oficial Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 02 (dois) dias a partir de 24/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 547/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MARIA DE FÁTIMA MELO JUSTINIANO, Servidora Estável deste Egrégio Tribunal de Justiça, no dia 24/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 548/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para tratamento de saúde, o Sr. ROBSON ANTONIO CITTY, Agente Judiciário Função Administrativa deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 05 (cinco) dias a partir de 17/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 549/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. MEIRENICE AZEVEDO DE OLIVEIRA, Agente de Serviços Função Serviços Gerais deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 04 (quatro) dias a partir de 18/09/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 550/07 - AUTORIZAR A AUSÊNCIA por motivo de óbito de pessoa da família, da Sra. ONIVALDA MOTA DAMASCENO, Servidora Estável deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 05 (cinco) dias a partir de 12/09/07, na forma do art. 30 inciso IV da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 551/07 - CONSIDERAR LICENCIADA para tratamento de saúde, a Sra. ANGELA REGINA VIEIRA, Servidora Estável deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 05 (cinco) dias a partir de 27/08/07, na forma do art. 129 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 552/07 - CONSIDERAR LICENCIADO para paternidade, o Sr. HUDSON NUNES BORGES, Assessor de Nível Superior de Gabinete deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 05 (cinco) dias a partir de 19/09/07, na forma do art. 148 da Lei Complementar nº 46/94. ATO A Nº 553/07 - AUTORIZAR A AUSÊNCIA por motivo de casamento, da Sra. PRISCILA CARNEIRO DE SOUSA, Assistente Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, por 08 (oito) dias a partir de 11/08/07, na forma do art. 30 inciso III da Lei Complementar nº 46/94. P U B L I Q U E - SE Vitória-ES, 01 de outubro de JOSÉ DAS GRAÇAS PEREIRA DIRETOR-GERAL COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO (REABERTURA) CARTA CONVITE N.º 016/ FUNEPJ091 OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para supervisionar e acompanhar a execução de serviços, objetivando auxiliar a Diretoria Judiciária de Engenharia e Projetos do TJES no controle e fiscalização dos contratos de modernização dos elevadores dos Fóruns Cível e Criminal de Vitória. ABERTURA: 23/10/2007 às 14:00 horas. LOCAL: Rua Desembargador Homero Mafra s/nº, Enseada do Suá, na Sede do Tribunal de Justiça, no Mini-Auditório, TJES - Vitória/ES. INFORMAÇÕES: Tel/ fax: (27) ou , ou pessoalmente. DOCUMENTAÇÃO: No endereço acima ou mediante fornecimento de disquete formatado tipo 3½ ou pelo site Vitória, 03 de outubro de PAULO CARVALHO JORGE Presidente da CPL TRIBUNAL DE JUSTIÇA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL N.º 116/ FUNEPJ 097 OBJETO: Fornecimento de piso para o Fórum de Vitória e piso emborrachado para o Fórum de Linhares. ABERTURA: 18/10/2007 às 14:00 horas LOCAL: Rua Desembargador Homero Mafra s/nº, Enseada do Suá, Sala n 01 do Mini-Auditório, Sede do Tribunal de Justiça - Vitória/ES. INFORMAÇÕES: Tel: (27) , Fax: (27) ou pessoalmente. DOCUMENTAÇÃO: No endereço acima ou mediante fornecimento de disquete formatado tipo 3½ ou pelo site Vitória/ES, 03 de outubro de LUDMILA FRANKLIN MENDES DE ANDRADE Pregoeira TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA AVISO DE RESULTADO DE JULGAMENTO DE LICITAÇÃO Edital de Pregão por registro de Preços Nº 008/07 Processo Nº TJ -1210/07 TJES 055

5 7 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO Objeto: Registro de Preços para eventual locação de microcomputadores, com manutenção preventiva e corretiva. O Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, HOMOLOGA, na conformidade do disposto no inciso XXII do art. 4º da Lei /02, o resultado do pregão de que tratam os autos do processo em referência: ITEM ÚNICO - SPASSU SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA. - ME, pelo valor unitário mensal de R$ 96,00 (noventa e seis reais). Vitória/ES, 01 de outubro de Des. JORGE GOES COUTINHO Presidente SECRETARIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA INTIMAÇÃO - DJRPD INTIMO UPES - UNIÃO DOS PROFESSORES DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO E OUTROS, POR SEUS ADVOGADOS ALEXANDRE ZAMPROGNO E OUTROS, PARA TOMAREM CIÊNCIA DO RESPEITÁVEL DESPACHO PRESIDENCIAL EXARADO NO EXPEDIENTE , ACERCA DO PEDIDO DE RETIFICAÇÃO DO NOME DA SRA. MARIA DA CONCEIÇÃO GAMA PIMENTEL NOS AUTOS DO PRECATÓRIO VITÓRIA, 02 DE OUTUBRO DE ROSAINES RICHA DIRETORA JUD. REG. PREP. E DISTRIBUIÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SECRETARIA INTIMAÇÃO-DJRPD INTIMO OS ADVOGADOS MARIA DA CONCEIÇÃO SARLO B. CHAMOUN E OUTROS PARA TOMAREM CIÊNCIA DO TEOR DO RESPEITÁVEL OF. GP Nº 597/2007, DE FLS. 66 DOS AUTOS DO PRECATÓRIO , EM QUE É BENEFICIÁRIA TEREZA RAIMUNDO DA SILVA E DEVEDOR O INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. VITÓRIA, 02 DE OUTUBRO DE ROSAINES RICHA DIRETORA JUD.REG. PREP. E DISTRIBUIÇÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SECRETARIA INTIMAÇÃO - DJRPD INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 10/12 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 07/09 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 10/12 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 07/09 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 07/09 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 07/09 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 10/12 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 10/12 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SEU PROCURADOR GERAL, PARA TOMAR CIÊNCIA DA RESPEITÁVEL DECISÃO PRESIDENCIAL EXARADA A FLS. 10/12 DOS AUTOS DO EXPEDIENTE , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO INTIMO O ADVOGADO EDNO PAVIOTTI DO NASCIMENTO PARA TOMAR CIÊNCIA DAS RESPEITÁVEIS DECISÕES PRESIDENCIAIS EXARADAS NOS AUTOS DOS EXPEDIENTES , , , , , , , E , ACERCA DE PEDIDO DE HABILITAÇÃO NOS AUTOS DO PRECATÓRIO , EM QUE É DEVEDOR ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. VITÓRIA, 03 DE OUTUBRO DE ROSAINES RICHA DIRETORA JUD.REG. PREP. E DISTRIBUIÇÃO SECRETARIA DO PLENO PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL PLENO INTIMAÇÕES INTIMO 1 NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA ALEXANDRE LAPORT DE CARVALHO, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS RS OSCAR MARTINS PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR E OUTRO.DE FOS. 57/59, NO PRAZO DE 10 (DEZ) DIAS. 2 NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA SEBASTIAO JOSE MACHADO FILHO, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS ES VALDIR LOUREIRO

6 8 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO BA ALCIDES JOSÉ GIACOMIN JÚNIOR PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR DE FLS. 48/50. 3 NO PROCESSO Nº MANDADO DE SEGURANÇA VANESSA PINTO RIBEIRO, ONDE É REQUERENTE POR SEUS ADVS. DRS ES ANTONIO JUSTINO COSTA ES ELIEZER NEGRI LIMA PARA TOMAR CIÊNCIA DO R. DESPACHO/DECISÃO DO DESEMB. RELATOR DE FLS. 47/49. 4 NO PROCESSO IPAJM POR SEU ADVOGADO DR. RODRIGO ANTÔNIO GIACOMELLI NA PETIÇÃO DE Nº VITÓRIA, 02 DE OUTUBRO DE 2007 LUCIENE VERVLOET FEU ROSA SECRETÁRIA DE CÂMARA TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL PLENO CONCLUSÃO DE ACÓRDÃOS PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO. 1 MANDADO DE SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO REQTE.: PRUDENTE REFEIÇÕES LTDA ADVOGADO(A): CHRISTIANO MACHADO DE CASTRO A. COATORA: SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAUDE DO ESP SANTO ADVOGADO(A): PEDRO SOBRINO PORTO VIRGOLINO RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 ADMINISTRATIVO - MANDADO DE SEGURANÇA - LICITAÇÃO - DESCLASSIFICAÇÃO DE LICITANTE - DECISÃO SUFICIENTEMENTE FUNDAMENTADA - SEGURANÇA DENEGADA. NÃO PADECE DE NULIDADE O ATO ADMINISTRATIVO QUE DESCLASSIFICA EMPRESA LICITANTE EM RELAÇÃO A UM DETERMINADO CERTAME, DESDE QUE TAL ATO ADMINISTRATIVO ENCONTRE-SE SUFICIENTEMENTE FUNDAMENTADO E DEMONSTRADO O RESGUARDO DO INTERESSE PÚBLICO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, REJEITAR A PRELIMINAR ARGUIDA E POR IGUAL VOTAÇÃO NO MÉRITO, DENEGAR A SEGURANÇA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 2 MANDADO DE SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO REQTE.: CONSELHO ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS ADVOGADO(A): ANDRE LUIZ MOREIRA ADVOGADO(A): FRANCISMARA PEREIRA RIBEIRO FIUZA A. COATORA: SECRETÁRIO DE ESTADO DA JUSTIÇA ADVOGADO(A): PERICLES FERREIRA DE ALMEIDA RELATOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 MANDADO DE SEGURANÇA. PRELIMINAR DE INEXISTÊNCIA DE INTERESSE DE AGIR - DIREITO DE INGRESSO A CASA DE CUSTÓDIA - PRIORIDADE NA PRESERVAÇÃO DA INTEGRIDADE DOS VISITANTES - RAZOABILIDADE - PRERROGATIVA DO CONSELHO RESGUARDADA. IMPROCEDENTE A ALEGAÇÃO PELA AUTORIDADE COATORA DA NECESSIDADE DE DILAÇÃO PROBATÓRIA, VEZ QUE CIRCUNSTANCIADA PETIÇÃO DO IMPETRANTE DEIXA EVIDENTE A NATURAL DIFICULDADE DE ACESSO À PENITENCIÁRIA, DADAS AS MEDIDAS ADOTADAS E RECONHECIDAS PELO IMPETRADO, O QUE RETIRA O CARÁTER CONTROVERSO. PRELIMINAR REJEITADA. NÃO HOUVE UMA PROIBIÇÃO DO INGRESSO DE MEMBROS DO CONSELHO NA CASA DE CUSTÓDIA PELA AUTORIDADE RESPONSÁVEL, O SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DO ESTADO QUE, INDUZIDO PELA PREOCUPAÇÃO COM A SEGURANÇA, APENAS ESTABELECEU ALGUMA REGRAS QUE MITIGASSEM A SUJEIÇÃO DOS CONSELHEIROS AO RISCO DE TEREM AFETADA A SUA INTEGRIDADE FÍSICA. CONDUZIU-SE O IMPETRADO PELOS DITAMES DA PRUDÊNCIA E DO BOM SENSO, MOTIVANDO, DE FORMA CLARA, O SEU ATO, SEM FERIR A PRERROGATIVA DO CONSELHO DE AUSCULTAR, IN LOCO, AS PRETENSAS PRÁTICAS DE IRREGULARIDADES NA ADMINISTRAÇÃO DA UNIDADE PRISIONAL. O NECESSÁRIO CUIDADO COM A SEGURANÇA DOS CIDADÃOS, UMA OBRIGAÇÃO DO ESTADO, PORTANTO, NÃO CONFIGURA UMA AFRONTA AO DIREITO INVOCADO PELO IMPETRANTE, QUANDO O QUE SE PONTIFICA NO ATO DA AUTORIDADE RESPONSÁVEL É UMA COMPREENSÍVEL PREOCUPAÇÃO EM RESGUARDAR A INTEGRIDADE DAS PESSOAS EXPOSTAS ÀS PERIGOSAS CONSEQÜÊNCIAS DE UM POSSÍVEL INCIDENTE CRIMINOSO. REGISTRE-SE, ADEMAIS, QUE O MESMO ART. 4º DA LEI 5.165/95 CONTEMPLA OUTROS MEIOS DE OS CONSELHEIROS EXERCEREM SUAS ATRIBUIÇÕES. PRIVILEGIOU-SE A SEGURANÇA SEM VIOLAR O DISPOSITIVO LEGAL AO SER APRESENTADO AO IMPETRANTE UMA FORMA ALTERNATIVA QUE TAMBÉM LHE PERMITIRÁ ALCANÇAR O OBJETIVO A QUE SE PROPÕE. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, REJEITAR A PRELIMINAR ARGUIDA, E NO MÉRITO, POR IGUAL VOTAÇÃO, DENEGAR A SEGURANÇA. 3 RECURSOS DO CONSELHO Nº COMARCA DE GUARAPARI RECTE.: MARCUS CARLOS DE SOUZA ADVOGADO(A): RICARDO BERMUDES MEDINA GUIMARAES RECDO.: EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 RECURSO DO CONSELHO - FALTAS AO SERVIÇO POR SUSPENSÃO DISCIPLINAR - RETARDAMENTO NA CONCESSÃO DA GRATIFICAÇÃO DE ASSIDUIDADE - ART. 110 DA LC 46/94 - CONTAGEM NA PROPORÇÃO DE SESSENTA DIAS A CADA DIA DE FALTA AO SERVIÇO - EXCLUSÃO DOS FINAIS DE SEMANA E FERIADOS - RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. 1. A PENALIDADE DISCIPLINAR DE SUSPENSÃO ACARRETA O RETARDAMENTO NA CONCESSÃO DA GRATIFICAÇÃO DE ASSIDUIDADE EM SESSENTA DIAS POR CADA DIA DE FALTA AO SERVIÇO, NOS TERMOS DO ARTIGO 110 DA LEI COMPLEMENTAR Nº 46/ AFASTADA A INTERPRETAÇÃO SEGUNDO A QUAL A PRORROGAÇÃO DE SESSENTA DIAS SERIA ESTABELECIDA EM FUNÇÃO DE CADA PENALIDADE DISCIPLINAR, ABSTRAINDO-SE O MONTANTE DE DIAS DE AUSÊNCIA AO TRABALHO DO SERVIDOR PUNIDO. 3. EXCLUEM-SE OS FINAIS DE SEMANA E EVENTUAIS FERIADOS DURANTE O PERÍODO DE SUSPENSÃO DISCIPLINAR DO CÔMPUTO DA PRORROGAÇÃO, POIS NESTES DIAS NÃO SE PODE FALAR EM FALTA AO SERVIÇO. 4. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO. 4 RECURSOS DO CONSELHO Nº LINHARES - 1ª VARA DA INFÂNCIA E JUVENTUDE RECTE.: JOSE CAROLINO COSTA ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECDO.: EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: ALEMER FERRAZ MOULIN JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 RECURSO DO CONSELHO. COMISSÁRIO DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE. ATRIBUIÇÕES. EXEGESE DOS ARTS. 535 E 542 DO CÓDIGO DE NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA. HORÁRIO NÃO ESTANQUE. DILIGÊNCIAS EM PERÍODO NOTURNO.

7 9 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO PLEITO DE PAGAMENTO DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS. IMPOSSIBILIDADE. ATIVIDADES INERENTES AO EXERCÍCIO DA FUNÇÃO. INAPLICABILIDADE DO ART. 104 DA LC Nº 46/94. RECURSO IMPROVIDO. 1. INEXISTE UM HORÁRIO ESTANQUE PARA QUE O COMISSÁRIO DA INFÂNCIA E JUVENTUDE CUMPRA AS DILIGÊNCIAS E INSPEÇÕES DETERMINADAS PELO JUIZ. ISTO PORQUE, A FUNÇÃO FISCALIZADORA DO COMISSÁRIO DA INFÂNCIA E JUVENTUDE, MALGRADO EM PERÍODO NOTURNO, É INERENTE AO CARGO, DESCABENDO-LHE IMPUTAR A PECHA DE MEDIDA EXCEPCIONAL E/OU TEMPORÁRIA. 2. A INAPLICABILIDADE DO ART. 101, DA LC Nº 46/94 DEPREENDE-SE NA MEDIDA EM QUE APENAS PODE SER CONSIDERADO SERVIÇO EXTRAORDINÁRIO, PASSÍVEL, POIS, DE GRATIFICAÇÃO, AQUELE SERVIÇO IMPRESCINDÍVEL PARA ATENDER A SITUAÇÕES EXCEPCIONAIS E TEMPORÁRIAS, O QUE NÃO É, EVIDENTEMENTE, A HIPÓTESE DOS AUTOS. 3. TAMBÉM INAPLICÁVEL A RESOLUÇÃO Nº 034/2005, UMA VEZ QUE OS SERVIÇOS AQUI PRESTADOS, NOVAMENTE, NÃO PODEM SER CONSIDERADOS EXCEPCIONAIS E TEMPORÁRIOS, PORQUANTO ÍNSITOS AO PRÓPRIO CARGO PARA O QUAL O SERVIDOR, ORA RECORRENTE, PRESTOU CONCURSO PÚBLICO. 4. RECURSO IMPROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECER DO RECURSO PARA NEGAR-LHE PROVIMENTO. 5 RECURSOS DO CONSELHO Nº COMARCA DE COLATINA RECTE.: GERALDA TONON DA COSTA DONDONE ADVOGADO(A): REQUERIDO EM CAUSA PRÓPRIA RECDO.: EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: ALEMER FERRAZ MOULIN JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 RECURSO DO CONSELHO - OFICIAL DE JUSTIÇA - PLEITO DE PROMOÇÃO - IMPOSSIBILIDADE - SERVIDORA EM CUMPRIMENTO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO - VEDAÇÃO DA LEI Nº 78/54/04. RECURSO IMPROVIDO. TRATANDO-SE DE CARREIRAS DISTINTAS, NÃO HÁ O SISTEMA DE PROMOÇÃO DO CARGO DE OFICIAL DE JUSTIÇA DE UMA DETERMINADA ENTRÂNCIA PARA OUTRA MAIS ELEVADA, SENDO IMPERIOSA A NECESSIDADE DO CUMPRIMENTO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PELO SERVIDOR, EM CASO DE APROVAÇÃO EM NOVO CONCURSO PÚBLICO, COMO SÓI OCORRER NA HIPÓTESE EM APRECIAÇÃO. ASSIM, CONSIDERANDO QUE DURANTE O PROCESSO DE PROMOÇÃO A RECORRENTE ENCONTRAVA-SE EM CUMPRIMENTO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, VERIFICA-SE INCABÍVEL A SUA PARTICIPAÇÃO NAQUELE PROCESSO, VEZ QUE, NOS TERMOS DO ART. 38, 4º DA LEI Nº 7.854/04, FICA ASSEGURADO AO SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO VENCIMENTO INTEGRAL E DEMAIS DIREITOS DOS SERVIDORES EFETIVOS, EXCETO PROMOÇÃO NA CARREIRA. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECER DO RECURSO PARA NERGAR-LHE PROVIMENTO. 6 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL REC SENTIDO ESTRITO Nº COMARCA DE BOA ESPERANÇA AGVTE.: ERMELANDO PIPPER ADVOGADO(A): FERNANDO BRASIL OLIVEIRA AGVDO.: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 7 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL AP CRIMINAL Nº COMARCA DE BOM JESUS DO NORTE AGVTE.: REGINALDO RAMOS DO NASCIMENTO ADVOGADO(A): DIRCEU AMIL DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): MARCUS VINICIUS SILVEIRA JUNGER AGVDO.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 8 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL EMB DECLARAÇÃO AGV RÉ Nº INSTRUMENTO CARIACICA - 3ª VARA CÍVEL AGVTE.: DUCOURO INDUSTRIAL E COMERCIAL S/A ADVOGADO(A): ANDRE SCHAEFFER XAVIER ADVOGADO(A): CLAUDIO FERREIRA FERRAZ ADVOGADO(A): JOSIANE VASSOLER FAVARATO ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO AGVDO.: BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO(A): FRANCISCO A S SOARES ADVOGADO(A): GILMAR GERALDO B CARNEIRO ADVOGADO(A): JOAO OTAVIO DE NORONHA ADVOGADO(A): WILLES ALAN RANGEL NUNES RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOSTERMOS DO VOTO DO RELATOR. 9 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL EMB DECLARAÇÃO AP CIV Nº COLATINA - 1ª VARA CÍVEL AGVTE.: MARCOS CASTELAN ADVOGADO(A): ANDRE SCHAEFFER XAVIER

8 10 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): JOSE MARIA DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO ADVOGADO(A): VIVIANE CALVACANTI CARNEIRO AGVDO.: CUSTODIO FORZA ADVOGADO(A): IDIVALDO LOPES DE OLIVEIRA RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TEMOS DO VOTO DO RELATOR. 10 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO EXTRAORDINÁRIO AP CRIMINAL Nº GUARAPARI - 1ª VARA CRIMINAL AGVTE.: ELIEL SALVADOR ADVOGADO(A): HENRIQUE HUDSON P DA COSTA ADVOGADO(A): JOSE LAURO LIRA BARBOSA AGVTE.: FABRICIO ITALO VERIDIANO ADVOGADO(A): HENRIQUE HUDSON P DA COSTA AGVDO.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 11 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL EMB DECLARAÇÃO AP CIV Nº VITÓRIA - 2ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: KIEX COMERCIO IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): JOSÉ RICARDO DE ABREU JUDICE RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 12 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL AP CRIMINAL Nº COMARCA DE ATILIO VIVACQUA AGVTE.: LEONARDO DE ALMEIDA DUARTE ADVOGADO(A): CARLOS ANTONIO MISSE ADVOGADO(A): GIUSEPPE PAULO V D'ETTORRES ADVOGADO(A): LUIZ LOPES DE CARVALHO NETO AGVTE.: ANDERSON PEREIRA ADVOGADO(A): CARLOS ANTONIO MISSE ADVOGADO(A): LUIZ LOPES DE CARVALHO NETO AGVDO.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 13 AGRAVO REGIMENTAL RECURSO ESPECIAL EMB DECLARAÇÃO AP CIV Nº COMARCA DE MARILÂNDIA AGVTE.: MARILANDIA IND E COMERCIO DE CAFE LTDA ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO AGVTE.: NADIR THOMAZ CATELAN ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO AGVTE.: MARIO CATELAN ADVOGADO(A): NOEMAR SEYDEL LYRIO AGVDO.: BANESTES BANCO DO ESTADO DO ESPÍRITO S/A ADVOGADO(A): FRANCISCO DOMINGOS VIEIRA RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 14 AGRAVO REGIMENTAL MAND SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO AGVTE.: CACILDA MARIA TREVEZAM BAPTISTA CRUZ ADVOGADO(A): VERONICA FELIX CORDEIRO AGVTE.: VANDERLEI GONCALVES ADVOGADO(A): VERONICA FELIX CORDEIRO AGVTE.: FABIANO VIOLA MAIO ADVOGADO(A): VERONICA FELIX CORDEIRO AGVTE.: HUDSON BARCELOS BRITO ADVOGADO(A): VERONICA FELIX CORDEIRO AGVDO.: 0 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): PROCURADOR GERAL DO ESTADO

9 11 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO RELATOR: ALEMER FERRAZ MOULIN JULGADO EM 27/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 AGRAVO REGIMENTAL. MEDIDA LIMINAR INDEFERIDA EM MANDADO DE SEGURANÇA. RETIFICAÇÃO DO RELATOR. PRESENÇA DOS REQUISITOS AUTORIZATIVOS. LIMINAR CONCEDIDA. RECURSO PREJUDICADO. INOBSTANTE O INDEFERIMENTO INICIAL DA LIMINAR, O RELATOR RETIFICOU OS ARGUMENTOS ANTERIORMENTE EXPOSTOS, A FIM DE RECONHECER PRESENTE NÃO SÓ O PERICULUM IN MORA, MAS TAMBÉM O FUMUS BONI IURIS NECESSÁRIO PARA A CONCESSÃO DA LIMINAR NOS AUTOS DO MANDADO DE SEGURANÇA EM APENSO. ISTO PORQUE, NÃO HAVENDO PREVISÃO EXPRESSA, NA LEI QUE REGULAMENTA A MATÉRIA, ACERCA DE PROVAS DE ESFORÇO FÍSICO, NÃO É PERMITIDO AO EDITAL INOVAR NO MUNDO JURÍDICO, CRIANDO RESTRIÇÕES NÃO PREVISTAS NA LEGISLAÇÃO PERTINENTE. RECURSO PREJUDICADO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, POR MAIORIA DE VOTOS, JULGAR PREJUDICADO O AGRAVO. 15 AGRAVO REGIMENTAL MAND SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO AGVTE.: I G (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ANDRE SANTOS ROHR ADVOGADO(A): ANDRESSA POZES TIRADENTES RIBEIRO ADVOGADO(A): ARTHUR FRANKLIN MENDES ADVOGADO(A): MAURA RUBERTH GOBBI ADVOGADO(A): PAULO DE SIQUEIRA VIANA JUNIOR AGVTE.: MARIA DA PENHA GOMES GARCIA ADVOGADO(A): ANDRE SANTOS ROHR ADVOGADO(A): ANDRESSA POZES TIRADENTES RIBEIRO ADVOGADO(A): ARTHUR FRANKLIN MENDES ADVOGADO(A): MAURA RUBERTH GOBBI ADVOGADO(A): PAULO DE SIQUEIRA VIANA JUNIOR AGVDO.: 0 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): PROCURADOR GERAL DO ESTADO RELATOR: DESIG. ADALTO DIAS TRISTÃO JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 AGRAVO REGIMENTAL EM MANDADO DE SEGURANÇA - PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO DA DECISÃO QUE INDEFERIU A INICIAL DO MANDAMUS COM JUNTADA DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA - AGRAVO PROVIDO, A FIM DE QUE O MANDADO DE SEGURANÇA SEJA CONHECIDO. HÁ NOS AUTOS PROVAS SUFICIENTES DO DIREITO LÍQUIDO E CERTO ALEGADO PELA REQUERENTE, NÃO HAVENDO, POIS, FUNDAMENTO A DECISÃO QUE INDEFERIU A INICIAL DO MANDADO DE SEGURANÇA POR AUSÊNCIA DE DOCUMENTAÇÃO HÁBIL A COMPROVAR VIOLAÇÃO DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO DO AGRAVANTE. AGRAVO PROVIDO, A FIM DE QUE SEJA CONHECIDO O MANDADO DE SEGURANÇA. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, POR MAIORIA DE VOTOS, DAR PROVIMENTO AO AGRAVO NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 16 AGRAVO REGIMENTAL EMB EXECUÇÃO MAND SEGURANÇA Nº TRIBUNAL PLENO AGVTE.: ALTAMIR BARBOSA ALCANTARA ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVTE.: FLAVIO MURILO FAGUNDES ALVES ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVTE.: FABIO MURILO FAGUNDES ALVES ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVTE.: JACKSON RODRIGUES PINTO ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVTE.: REGINA MARIA FURTADO ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVTE.: RONALDO PEREIRA FERNANDES ADVOGADO(A): ALEX NASCIMENTO FERREIRA ADVOGADO(A): RAFAEL ROLDI DE FREITAS RIBEIRO AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANT0 ADVOGADO(A): FLAVIO AUGUSTO CRUZ NOGUEIRA RELATOR: VICE-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES JULGADO EM 09/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO REGIMENTAL - DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL - AUSÊNCIA DE INTERESSE RECURSAL. 1 - O AGRAVO REGIMENTAL SE APRESENTA COMO RECURSO INADEQUADO A DESAFIAR DECISÃO QUE INADMITE RECURSO ESPECIAL, À LUZ DO DISPOSTO NO ART. 544, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, CONFIGURANDO A AUSÊNCIA DO INTERESSE RECURSAL, NA MODALIDADE ADEQUAÇÃO, A SUA INTERPOSIÇÃO (DO AGRAVO REGIMENTAL) EM SUBSTITUIÇÃO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. 2 - AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 17 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO MAND SEGURANÇA Nº PEDRO CANÁRIO - JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL EMGTE.: 0 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LUIS FERNANDO NOGUEIRA MOREIRA EMGDO.: JOSE MONTEIRO NUNES FILHO ADVOGADO(A): JEANINE NUNES ROMANO ADVOGADO(A): PATRICIA NUNES ROMANO RELATOR: PEDRO VALLS FEU ROSA JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. CAUSA. REDISCUSSÃO. 1. É VEDADA A REDISCUSSÃO DE CAUSA ATRAVÉS DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. 2. EMBARGOS REJEITADOS. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NEGAR PROVIMENTO AOS EMBARGOS. 18 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO MAND SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO EMGTE.: 0 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): PAULO SERGIO AVALLONE MARSCHALL EMGDO.: ELY RABELLO DE CARVALHO GUZZO ADVOGADO(A): CHRISCIANA DE OLIVEIRA MELO ADVOGADO(A): FABIANA CID SILVA ADVOGADO(A): FABRICIANO LEITE DE ALMEIDA ADVOGADO(A): FABRICIO MEMELLI MACHADO ADVOGADO(A): JANAINA BARCELOS ADVOGADO(A): MARCELLO GONÇALVES FREIRE ADVOGADO(A): MARIANA MARTINS BARROS ADVOGADO(A): RODRIGO CARLOS DE SOUZA ADVOGADO(A): RODRIGO SILVA MELLO ADVOGADO(A): SAULO BERMUDES MACHADO ADVOGADO(A): SERGIO CARLOS DE SOUZA RELATOR: CARLOS ROBERTO MIGNONE JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - OMISSÃO - MATÉRIA AMPLAMENTE ABORDADA PELO ACÓRDÃO EMBARGADO - REDISCUSSÃO DO JULGADO IMPOSSIBILIDADE - EMBARGOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. 1. NÃO HÁ QUE SE FALAR EM OMISSÃO QUANDO O ACÓRDÃO EMBARGADO AMPLAMENTE ABORDA A QUESTÃO. PRETENSÃO DE REDISCUSSÃO DA MATÉRIA. IMPOSSIBILIDADE EM SEDE DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. 2. EMBARGOS DECLARATÓRIOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECER DOS EMBARGOS MAS NEGAR-LHE PROVIMENTO. 19 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO MAND SEGURANÇA Nº

10 12 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO EMGTE.: O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): FRANCISCO AUGUSTO TEIXEIRA DE CARVALHO EMGDO.: ADELPHIA COMUNICAÇOES LTDA ADVOGADO(A): GRASIELE MARCHESI BIANCHI ADVOGADO(A): PATRIK CAMARGO NEVES ADVOGADO(A): ROZELY FERREIRA POZZIRELATOR: SUBS.: ROBSON LUIZ ALBANEZ JULGADO EM 30/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - MANDADO DE SEGURANÇA - OMISSÃO - OCORRÊNCIA - SECRETÁRIO DE ESTADO - ILEGITIMIDADE PASSIVA - REJEITADA - TRATO SUCESSIVO - DECADÊNCIA - REJEITADA - EMBARGOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. I- NÃO HÁ QUE SE FALAR EM ILEGITIMIDADE PASSIVA DA AUTORIDADE APONTADA COMO COATORA QUANDO A ORDEM DE SERVIÇO QUE DETERMINA A SUSPENSÃO DA INSCRIÇÃO ESTADUAL EMANA DE ATO DO PRÓPRIO SECRETÁRIO DA RECEITA. PRELIMINAR REJEITADA. II- A RELAÇÃO TRIBUTÁRIA, EM TESE, PODE TER VÁRIOS PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS LESIVOS AO DIREITO DO CONTRIBUINTE, OPORTUNIZANDO A IMPETRAÇÃO DE SEGURANÇA, CRIANDO MOMENTOS DIFERENCIADOS PARA O INÍCIO DO PRAZO DECADENCIAL. PRELIMINAR REJEITADA. III- EMBARGOS CONHECIDOS E IMPROVIDOS. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, REJEITAR AS PRELIMINARES ARGUIDAS E POR IGUAL VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AOS EMBARGOS, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 20 RECURSO Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO RECTE.: MARIZA LOYOLA COSTA ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: ROSIANE DOS SANTOS CARDOSO ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: SONIA MARA ZIMMER CORRÊA ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: RAQUEL VELLO CORRÊA NETTO ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: TANIA DE ALMEIDA COLNAGO ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: DULCE MARIA OLIVEIRA DOMINGUES CANALI ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RECTE.: GLORIA VIEIRA GOBBI ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA ADVOGADO(A): SIMONE PAGOTTO RIGO RELATOR: FREDERICO GUILHERME PIMENTEL JULGADO EM 30/08/2007 E LIDO EM 20/09/2007 ADMINISTRATIVO - SERVIDOR PÚBLICO - DESVIO DE FUNÇÃO - DIFERENÇAS SALARIAIS - DEVIDAS - PRESCRIÇÃO - QUINQUÊNIO ANTERIOR A DATA DA PROPOSITURA DA AÇÃO - REMESSA CONHECIDA. 1) RECONHECIDO O DESVIO DE FUNÇÃO, O SERVIDOR FAZ JUZ AO PAGAMENTO DAS DIFERENÇAS SALARIAIS DELE DECORRENTE, SOB PENA DE LOCUPLEMENTO INDEVIDO POR PARTE DA ADMINISTRAÇÃO, SENDO VEDADO SEU REENQUADRAMENTO. 2) CUIDANDO-SE DE OBRIGAÇÕES DE TRATO SUCESSIVO, NÃO OCORRE A PRESCRIÇÃO DO FUNDO DE DIREITO, MAS TÃO-SOMENTE DAS PARCELAS ANTERIORES AO QÜINQÜÊNIO QUE PRECEDEU A PROPOSITURA DA AÇÃO, CONFORME SÚMULA Nº 85 DA DO STJ. 3) REMESSA CONHECIDA. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, MANTER A DECISÃO DO EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 21 RECURSO Nº COMARCA DA CAPITAL - JUÍZO DE VITÓRIA RECTE.: JAQUELINE SCHWAMBACH CARREIRO MERÍSIO ADVOGADO(A): MONICA PERIN ROCHA RECDO.: EGRÉGIO CONSELHO DA MAGISTRATURA ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: ALEMER FERRAZ MOULIN JULGADO EM 06/09/2007 E LIDO EM 20/09/2007 RECURSO ADMINISTRATIVO. PAGAMENTO DE DIFERENÇA SALARIAL EM VISTA DE SUBSTITUIÇÃO DE CARGO DE ESCRIVÃO. APLICAÇÃO DA RESOLUÇÃO N 001/04. PERÍODO DE SUBSTITUIÇÃO INFERIOR AOS TRINTA DIAS EXIGIDOS PELA RESOLUÇÃO. IMPROVIMENTO DO RECURSO. 1. A RECORRENTE REALIZOU A SUBSTITUIÇÃO DO CARGO DE TITULAR DO CARTÓRIO DA CONTADORIA DO JUÍZO DA COMARCA DE DOMINGOS MARTINS, POR PERÍODO INFERIOR A 30 (TRINTA) DIAS, O QUE NÃO ENSEJA O PAGAMENTO DA DIFERENÇA SALARIAL PLEITEADA, NOS MOLDES DA RESOLUÇÃO N 001/2004, DESTE E. TRIBUNAL DE JUSTIÇA. 2. RECURSO CONHECIDO E, NO MÉRITO, IMPROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, CONHECER DO RECURSO E NEGAR-LHE PROVIMENTO. VITÓRIA, 02/10/2007 LUCIENE VERVLOET FEU ROSA SECRETÁRIA DE CÂMARA TERCEIRA CÂMARA CÍVEL PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TERCEIRA CÂMARA CÍVEL DECISÕES MONOCRÁTICAS - PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO 1 REMESSA EX-OFFICIO Nº REMTE.: JUIZ DE DIREITO DA 4ª VARA CÍVEL DE SÃO MATEUS PARTE: LAUDENIR BATISTA DE SOUZA ADVOGADA: AGUIDA CELESTE CREMASCO SCARDINI ADVOGADA: CARLA RENATA MARVILA DE SOUZA PARTE: SECRETÁRIO DE ADM DA PREFEITURA MUN SÃO MATEUS RELATOR: RÔMULO TADDEI REMTE.: MM. JUIZ DA 4ª VARA CÍVEL DE SÃO MATEUS PARTE: LAUDENIR BATISTA DE SOUZA PARTE: MUNICÍPIO DE SÃO MATEUS RELATOR: DESEMBARGADOR ROMULO TADDEI DECISÃO CUIDAM OS AUTOS DE REMESSA EX OFFICIO, DECORRENTE DA R. SENTENÇA DE FLS. 104/111, DO JUÍZO DA 4º VARA CÍVEL DE SÃO MATEUS QUE, EM SEDE DE MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRADO POR LAUDENIR BATISTA DE SOUZA, JULGARA PROCEDENTE EM PARTE O PEDIDO, CONCEDENDO A ORDEM INICIALMENTE ALMEJADA PARA QUE SE INCLUA NOS VENCIMENTOS DA IMPETRANTE O PERCENTUAL A TÍTULO DE GRATIFICAÇÃO POR ASSIDUIDADE, BEM COMO LHE SEJAM PAGAS AS PRESTAÇÕES VENCIDAS A CONTAR DA DATA DA IMPETRAÇÃO. PARECER DA D. PROCURADORIA DE JUSTIÇA ÀS FLS. 122/123, OPINANDO PELO CONHECIMENTO E IMPROVIMENTO DA REMESSA NECESSÁRIA. NA OPORTUNIDADE, TRATANDO-SE DE REMESSA MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, PROFIRO A PRESENTE DECISÃO UNIPESSOAL, COM FULCRO NO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. VEJAMOS. DE UMA INTERPRETAÇÃO SISTEMÁTICA DAS NORMAS MUNICIPAIS DE REGÊNCIA, EDITADAS PELO ORA APELADO (LEI Nº 237/92 - ARTS. 72 E 138; LEI Nº 01/90 - ARTS. 77 E 116), COLHE-SE QUE SOMENTE O

11 13 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO SERVIDOR EFETIVO FARÁ JUS À DENOMINADA GRATIFICAÇÃO POR ASSIDUIDADE. TODAVIA, E O MAIS O IMPORTANTE AO DESLINDE DA PRESENTE QUAESTIO IURIS, É QUE NÃO APENAS O SERVIDOR EFETIVO FARÁ JUS À DENOMINADA LICENÇA-PRÊMIO OU FÉRIAS-PRÊMIO, QUE PODERÁ SER SUBSTITUÍDA, A CRITÉRIO DO SERVIDOR, PELA REFERIDA GRATIFICAÇÃO (ART. 116, 18, DA LEI Nº 01/90). COM EFEITO, PARA ADQUIRIR O DIREITO ÀS FÉRIAS-PRÊMIOS, BASTA QUE O SERVIDOR PRESTE EFETIVOS SERVIÇOS À MUNICIPALIDADE, AINDA QUE NÃO SEJA EFETIVO NO CARGO, OU SEJA, APROVADO APÓS REGULAR CONCURSO PÚBLICO. DESTA FEITA, TENDO EM VISTA QUE A IMPETRANTE LOGRARA ÊXITO EM DEMONSTRAR QUE HÁ MAIS DE DEZ PRESTA EFETIVOS SERVIÇOS AO RECORRIDO - AINDA QUE PARTE DESSE PERÍODO NA QUALIDADE DE COMISSIONADA -, E QUE ATUALMENTE É SERVIDORA EFETIVADA EM CARGO PÚBLICO, HÁ DE SER-LHE ASSEGURADO O DIREITO AO RECEBIMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ASSIDUIDADE. O QUE IMPORTA, TORNO A INSISTIR, É QUE NA DATA DO REQUERIMENTO ADMINISTRATIVO DA GRATIFICAÇÃO, ESTEJA O SERVIDOR REGULARMENTE EMPOSSADO EM CARGO PÚBLICO, NA QUALIDADE DE EFETIVO. A CONTAGEM PRETÉRITA, PARA TOTALIZAR OS DEZ ANOS DE ATIVIDADE PÚBLICA, PODE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO PERÍODOS COMISSIONADOS. POR DERRADEIRO, VERIFICO QUE COM ACERTO AGIRA A MAGISTRADA DE ORIGEM AO CONCEBER O PAGAMENTO DOS VALORES ATRASADOS A PARTIR DO AJUIZAMENTO DO MANDAMUS, EIS QUE ACOBERTADO O DECISUM PELA REDAÇÃO DO ART. 1º, CAPUT, IN FINE, DA LEI 5.021/66: ART. 1º. O PAGAMENTO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS PECUNIÁRIAS ASSEGURADAS, EM SENTENÇA CONCESSIVA DE MANDADO DE SEGURANÇA, A SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL, DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA OU AUTÁRQUICA, E A SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL E MUNICIPAL, SOMENTE SERÁ EFETUADO RELATIVAMENTE ÀS PRESTAÇÕES QUE SE VENCEREM A CONTAR DA DATA DO AJUIZAMENTO DA INICIAL. ANTE O EXPOSTO, CONHEÇO DA PRESENTE REMESSA NECESSÁRIA E, NO MÉRITO, VERIFICANDO TRATAR-SE DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, MANTENHO A SENTENÇA, COM FULCRO NO ART. 557, CAPUT, DA LEI DE RITOS. INTIMEM-SE AS PARTES. VITÓRIA, 28 DE SETEMBRO DE DESEMBARGADOR ROMULO TADDEI RELATOR 2 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: ANA AMÉLIA DE SOUZA ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: ANA PAULA RODRIGUES COSTA ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: ANTONIO DA SILVA NETO ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: GILSA APARECIDA PIMENTA RODRIGUES ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: GUSTAVO TEIXEIRA OLIVEIRA ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: IVANA SILVEIRA DE CASTRO ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: LINCOLN CARLOS MACEDO GOMES ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: LUCIMAR VENTORIN HAMSI ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: MARIA DA CONCEIÇÃO AREAS ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: PAULO SERGIO FERRAÇO ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APTE.: VERA LUCIA PASCHOAL BRITES ROCHA ADVOGADO: ANGELO RICARDO LATORRACA ADVOGADA: ISABELLE LYSIANE CICATELLI SILVA ADVOGADO: JOAQUIM FERREIRA SILVA FILHO ADVOGADO: JOSE TORRES DAS NEVES ADVOGADA: RENATA SCHIMIDT GASPARINI ADVOGADA: SANDRA MARCIA C. T. DAS NEVES APDO.: O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: PAULO SERGIO AVALLONE MARSCHALL RELATOR: RÔMULO TADDEI APTES.: ANA AMÉLIA DE SOUZA E OUTROS APDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO RELATOR: DESEMBARGADOR ROMULO TADDEI DECISÃO CUIDA-SE DE APELAÇÃO CÍVEL INTERPOSTA POR ANA AMÉLIA DE SOUZA E OUTROS, CONTRA A R. SENTENÇA PROFERIDA PELO JUÍZO DA 1º VARA DA FAZENDA PÚBLICA DE VITÓRIA QUE, NOS AUTOS DA AÇÃO ORDINÁRIA COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA, RECONHECERA A VALIDADE DA LEI ESTADUAL Nº 5.859/99, QUE SUPRIMIU O DIREITO A AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO DAQUELES SERVIDORES QUE RECEBEM VENCIMENTO ABAIXO DE R$ 1.000,00 (HUM MIL REAIS). SUSTENTAM OS APELANTES QUE DITA VERBA POSSUI CARÁTER ALIMENTAR E NATUREZA SALARIAL, INTEGRANDO SEU PATRIMÔNIO JURÍDICO, RAZÃO PELA QUAL A SUPRESSÃO ERIGIDA PELA NORMA EM TESTILHA FERE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. CONTRA-RAZÕES EM FLS. 75/85, DEFENDENDO, INICIALMENTE, A PERDA DO OBJETO DA AÇÃO, EIS QUE NORMA SUPERVENIENTE (LEI ESTADUAL Nº 8.287/2006) RESTABELECEU O PAGAMENTO DO ALUDIDO AUXÍLIO. PARECER DA D. PROCURADORIA DE JUSTIÇA EM FLS. 89/93, OPINANDO PELA PRESCINDIBILIDADE DA INTERVENÇÃO MINISTERIAL.

12 14 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO A MEU SENTIR, RAZÃO NÃO ASSISTE AO SUPLICANTE. NA OPORTUNIDADE, VERIFICANDO TRATAR-SE DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, PROFIRO A SEGUINTE DECISÃO MONOCRÁTICA, COM ESPEQUE NO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. NO QUE TANGE À PERDA DO OBJETO DA AÇÃO, MELHOR SORTE NÃO ASSISTE AO ENTE PÚBLICO, NA MEDIDA EM QUE O PEDIDO INICIAL NÃO SE RESTRINGE AO RESTABELECIMENTO DO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO, MAS TAMBÉM AO PAGAMENTO DAS PARCELAS VENCIDAS. DESTA FEITA, O PROVIMENTO DO RECURSO QUE SE CUIDA INTERESSA AOS DEMANDANTES, EIS QUE PODERÃO EXECUTAR EM FACE DA FAZENDA PÚBLICA OS VALORES ATRASADOS. ADENTRANDO AO MÉRITO PROPRIAMENTE DITO, SALIENTO QUE ESTE RELATOR, PARTICULARMENTE, JÁ ENFRENTARA A MATÉRIA SUB EXAMINE, NA ESTEIRA DO QUE FUNDAMENTADO PELO JUÍZO ORIGINÁRIO, O QUAL, INCLUSIVE, MENCIONARA DECISÕES DESTE ÓRGÃO FRACIONÁRIO. DECERTO, CONFORME MELHOR ENTENDIMENTO JURISPRUDENCIAL E DOUTRINÁRIO ACERCA DO TEMA, O AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO CONFIGURA-SE COMO VERBA INDENIZATÓRIA - A DEPENDER DE OUTRAS CIRCUNSTÂNCIAS PRESENTES NO CONTRATO DE TRABALHO -, NÃO SE AGLUTINANDO, EM DEFINITIVO, AO VENCIMENTO DO SERVIDOR, PODENDO, DESTA MONTA, SER DIMINUÍDO OU, QUIÇÁ, REVOGADO, NOS MOLDES DA LEGISLAÇÃO COMPETENTE. EIS O PERTINENTE JULGADO, DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO: NÃO SE CONSTITUINDO A VERBA AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO FORNECIDA PELA RECLAMADA EM VERBA SALARIAL, ELA DEVE SER EXCLUÍDA DA BASE DE CÁLCULO DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE (TST RR ª T. REL. JUIZ CONV. JOSÉ ANTÔNIO PANCOTTI DJU ). TAMBÉM O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA JÁ ASSENTARA O ENTENDIMENTO DE QUE O AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO POSSUI NATUREZA INDENIZATÓRIA E NÃO SALARIAL, COMO REQUEREM OS APELANTES, NESTES TERMOS: A AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO É VERBA INDENIZATÓRIA, E NÃO DEVE SER COMPUTADA PARA CÁLCULO DO 13º SALÁRIO. SEGURANÇA DENEGADA. (STJ-3º SEÇÃO - MS DF - DJ , P ). SE NÃO BASTASSE, E A FIM DE CORROBORAR A DECISÃO UNIPESSOAL EM APREÇO, COM ESPEQUE NA PARTE FINAL DO CAPUT DO ART. 557, DO CPC (RECURSO EM DESCONFORMIDADE COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL), RESSALTO QUE O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO DESTE SODALÍCIO PACIFICARA SEU ATINO NO SENTIDO QUE SE DEFENDE, OU SEJA, QUE É LEGAL A SUPRESSÃO DA VERBA INDENIZATÓRIA ALMEJADA PELOS RECORRENTES, NÃO HAVENDO INVALIDADE NA CONDUTA ESTATAL. VEJAMOS: AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO. VERBA INDENIZATÓRIA QUE NÃO INCORPORA AO PATRIMÔNIO DO FUNCIONÁRIO. CRIAÇÃO DA LEI Nº 5.859/99, DEIXANDO ASSENTE QUE SOMENTE OS SERVIDORES QUE RECEBESSEM ATÉ O TETO DE MIL REAIS TINHAM DIREITO A REFERIDA INDENIZAÇÃO. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A AMPARAR A PRESENTE IMPETRAÇÃO. SEGURANÇA DENEGADA. (PROCESSO Nº TRIBUNAL PLENO DJ: 04/03/ RELATOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU). A ANTE O EXPOSTO, CONHEÇO DO PRESENTE RECURSO DE APELAÇÃO E, NO MÉRITO, NEGO-LHE PROVIMENTO EM DECISÃO UNIPESSOAL, COM FULCRO NO ART. 557, CAPUT, DO CPC, TRADUTOR DO NOBRE E CONSTITUCIONAL PRINCÍPIO DA RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO (ART. 5º, LXXVIII, CF/88). INTIMEM-SE AS PARTES. VITÓRIA, 27 DE SETEMBRO DE DESEMBARGADOR ROMULO TADDEI RELATOR 3 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: HAILSON GONÇALVES ADVOGADA: GERTRUDES DA CONCEIÇÃO M M AMARAL ADVOGADO: SAMUEL ANHOLETE AGVDA.: BRADESCO SEGUROS S/A RELATOR: ALINALDO FARIA DE SOUZA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: HAILSON GONÇALVES AGVDA.: BRADESCO SEGUROS S.A. RELATORA: DESª. SUB. ELISABETH LORDES DECISÃO TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, INTERPOSTO POR HAILSON GONÇALVES, CONTRA A R. DECISÃO PROFERIDA PELO MM. JUIZ DA COMARCA DE CASTELO/ES, QUE NOS AUTOS DA AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA, PROCESSO SOB O Nº , MOVIDA EM FACE DE BRADESCO SEGUROS S.A., DETERMINOU QUE A INDENIZAÇÃO FOSSE UTILIZADA PARA FINS DE QUITAÇÃO DO CONTRATO DE SEGURO. A DECISÃO TEVE O SEGUINTE FUNDAMENTO [...] EM HIPÓTESES SIMILARES À PRESENTE, EM QUE O BEM OBJETO DO CONTRATO DE SEGURO ENCONTRA-SE GRAVADO COM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA, DE HÁ MUITO A JURISPRUDÊNCIA BEM ENTENDENDO DE QUE A INDENIZAÇÃO DEVE SER UTILIZADA PARA FINS DE QUITAÇÃO DO CONTRATO, ENTREGANDO-SE AO CONSUMIDOR O SALDO REMANESCENTE.. ATRAVÉS DA DECISÃO DE FLS. 51, ESTA RELATORIA DEIXOU PARA SE MANIFESTAR QUANTO AO PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO APÓS AS INFORMAÇÕES DO MAGISTRADO DE PRIMEIRO GRAU. SEM CONTRA-RAZÕES. AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS AO JUÍZO MONOCRÁTICO FORAM APRESENTADAS ÀS FLS. 154/156. É O RELATÓRIO. DECIDO. AS INFORMAÇÕES TRAZIDAS PELA MAGISTRADA DE PISO SÃO ESCLARECEDORAS NO SENTIDO DE QUE NÃO EXISTE RAZÃO PARA REFORMA DA DECISÃO ATACADA. SE NÃO VEJAMOS: NOTA-SE, AINDA QUE FOI EFETUADA AUDIÊNCIA CONJUNTA A AMBOS OS FEITOS, OPORTUNIDADE EM QUE, EM RAZÃO DO DEPÓSITO DOS VALORES DEVIDOS PELO EXECUTADO, FOI PROFERIDA SENTENÇA EXTINTIVA DA EXECUÇÃO DE SENTENÇA DOS AUTOS DA AÇÃO ORDINÁRIA. EM DESFAVOR DESTA SENTENÇA, NÃO FOI APRESENTADO QUALQUER RECURSO. ASSIM, CASO ENTENDA O AUTOR PELA EXISTÊNCIA DE EVENTUAL VALOR REMANESCENTE, A SI DEVIDO EM RAZÃO DA SENTENÇA PROFERIDA NOS AUTOS DA AÇÃO DE COBRANÇA, DEVERIA APRESENTAR REGULAR RECURSO DE APELAÇÃO EM FACE DA SENTENÇA EXTINTIVA, O QUE NÃO OCORREU. ALÉM DISSO, CONFORME SE VÊ DOS AUTOS, O AGRAVANTE NÃO CUMPRIU COM O DISPOSTO NO ARTIGO 526 DO CPC. SE NÃO VEJAMOS OUTRO TRECHO DAS MESMAS INFORMAÇÕES: POR OPORTUNO, INFORMO A V. EXCIA. QUE O RECORRENTE, APESAR DE INFORMAR, EM 11/06/2007, A INTERPOSIÇÃO DO PRESENTE RECURSO, NAQUELA OPORTUNIDADE NÃO TROUXE AOS AUTOS A CÓPIA DO APELO A QUE SE REFEREM AS PRESENTES INFORMAÇÕES, SOMENTE TOMANDO CIÊNCIA DAS RAZÕES DE RECURSO QUANDO INSTADA A APRESENTAR AS PRESENTES INFORMAÇÕES. (GRIFO ORIGINAL) O ARTIGO 526 DO CPC É CLARO QUANDO DIZ QUE O AGRAVANTE, NO PRAZO DE TRÊS DIAS, DEVERÁ REQUERER A JUNTADA, AOS AUTOS DO PROCESSO, DE CÓPIA DA PETIÇÃO DO AGRAVO DE INSTRUMENTO. OU SEJA, A AUSÊNCIA DESTE COMUNICADO CARACTERIZA, POIS, IRREGULARIDADE FORMAL INSANÁVEL, DANDO ENSEJO AO NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO. ISTO, PORQUE O OBJETIVO DESTE DISPOSITIVO É OPORTUNIZAR AO JUIZ PROLATOR DO DECISUM O JUÍZO DE RETRATAÇÃO. ADEMAIS, ESTE É O POSICIONAMENTO DESTE E. TRIBUNAL. VEJAMOS ALGUMAS DECISÕES QUE CORROBORAM TAL ENTENDIMENTO: NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO: AGRAVO DE INSTRUMENTO ÓRGÃO JULGADOR: PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DATA DE JULGAMENTO: 04/10/2005 DATA DE LEITURA: 08/11/2005 DATA DA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO: 02/12/2005 RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA VARA DE ORIGEM: VITÓRIA - 11ª VARA CÍVEL ACÓRDÃO: EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO. DESATENDIMENTO, PELO AGRAVANTE, DO ART. 526, CAPUT, DO CPC. AUSÊNCIA DE PRESSUPOSTO EXTRÍNSECO DE ADMISSIBILIDADE DO RECURSO. AGRAVO NÃO CONHECIDO. NÃO SE CONHECE DO RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, POR AUSÊNCIA DE PRESSUPOSTO EXTRÍNSECO DE

13 15 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ADMISSIBILIDADE RECURSAL, QUANDO O AGRAVANTE DESCUMPRE O PRECEITO DO ART. 526, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. CONCLUSÃO: POR UNANIMIDADE E PRELIMINARMENTE, NÃO CONHECER DO AGRAVO. (GRIFO MEU) NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO: AGRAVO DE INSTRUMENTO ÓRGÃO JULGADOR: SEGUNDA CÂMARA CÍVEL RELATOR: ÁLVARO MANOEL ROSINDO BOURGUIGNON VARA DE ORIGEM: SERRA - 2ª VARA CÍVEL EMENTA: PROCESSO CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - AUSÊNCIA DE JUNTADA DA CÓPIA DA PETIÇÃO RECURSAL NO JUÍZO A QUO (CPC, ART. 526, PAR. ÚNICO) - NÃO CONHECIMENTO. 1. NÃO TENDO A PARTE RECORRENTE SE DESINCUMBIDO DO ÔNUS PROCESSUAL QUE LHE ATRIBUI A CABEÇA DO ART. 526 DO CPC, CONSOANTE ALEGADO E COMPROVADO PELO RECORRIDO, IMPERATIVA A INCIDÊNCIA DO PARÁGRAFO ÚNICO DO DISPOSITIVO. 2. RECURSO A QUE SE NÃO CONHECE. ACÓRDÃO: VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS ESTES AUTOS EM QUE SÃO PARTES AS ACIMA INDICADAS, ACORDA, A EGRÉGIA 2ª CÂMARA CÍVEL, NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS QUE INTEGRAM O JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, NÃO CONHECER DO AGRAVO DE INSTRUMENTO. CONCLUSÃO: À UNANIMIDADE, EM NÃO CONHECER DO RECURSO, PRELIMINARMENTE. (GRIFO MEU) NOTE-SE QUE ESTE AGRAVO PADECE DE VÁRIOS VICIOS. AINDA QUE AFASTADA A EXIGÊNCIA DO ARTIGO 526 DO CPC, NÃO TERIA MELHOR SORTE O PRESENTE RECURSO, UMA VEZ QUE JÁ EXISTE SENTENÇA EXTINTIVA PROLATADA NOS AUTOS DA QUAL NÃO FOI INTERPOSTO O DEVIDO RECURSO DE APELAÇÃO. ISTO POSTO, COM OS PODERES CONFERIDOS PELO CAPUT DO ART. 557, DO CPC NEGO SEGUIMENTO AO AGRAVO, POR AUSÊNCIA DE PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL. PUBLIQUE-SE E INTIME-SE. VITÓRIA/ES, 28 DE SETEMBRO DE DESª. SUB. ELISABETH LORDES RELATORA 4 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: RUBENS PIMENTEL FILHO ADVOGADO: ARILDO GERALDO FANCHIOTTI ADVOGADO: GUILHERME LOUREIRO OLIVEIRA ADVOGADO: JOSE PERES DE ARAUJO ADVOGADA: MARGARIDA MARIA FURIERI PIMENTEL AGVDA.: FUNDAÇÃO SÃO JOÃO BATISTA ADVOGADO: ALECIO JOCIMAR FAVARO ADVOGADO: BRIAN CERRI GUZZO ADVOGADO: HILARIO ANTONIO FRASSON RELATOR: ALINALDO FARIA DE SOUZA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGRAVANTE: RUBENS PIMENTEL FILHO AGRAVADA: FUNDAÇÃO SÃO JOÃO BATISTA RELATORA: DESª. SUB. ELISABETH LORDES DECISÃO TRATA-SE DE ANÁLISE PRELIMINAR DE RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO POR RUBENS PIMENTEL FILHO, EIS QUE IRRESIGNADO COM A R. DECISÃO PROFERIDA PELO H. JUÍZO DA PRIMEIRA VARA CÍVEL DE ARACRUZ/ES QUE, NOS AUTOS DO PROCESSO , NEGOU SEGUIMENTO AO RECURSO DE APELAÇÃO. ÀS FLS. 02/04, SUSTENTA O AGRAVANTE, EM SÍNTESE, QUE A RAZÃO PRINCIPAL PELA QUAL DEVE SER SUSPENSA A R. DECISÃO RECORRIDA RESIDE NO FATO DE QUE FORA INTIMADO NO PERÍODO DE FÉRIAS FORENSES, MOTIVO PELO QUAL A APELAÇÃO SERIA TEMPESTIVA. ASSIM, REQUER SEJA CONHECIDO E PROVIDO O PRESENTE RECURSO, BEM COMO SEJA DEFERIDO EFEITO SUSPENSIVO AO MESMO. É O BREVE RELATÓRIO. PASSO A DECIDIR. INICIALMENTE, EXERCENDO JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL MEDIANTE A ANÁLISE DO PROCESSO FACE AS DISPOSIÇÕES DOS ARTIGOS 525 E 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, VERIFICO QUE O RECORRENTE INSTRUIU O AGRAVO COM CÓPIAS DOS DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS, EXIGIDOS PELO INCISO I, DO ART. 525, DO MESMO DIPLOMA LEGAL. É VÁLIDO RESSALTAR QUE HOJE, O CRITÉRIO PARA A CONCESSÃO DE EFEITO SUSPENSIVO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO É O PERIGO DE QUE DA EFICÁCIA DA DECISÃO OBJURGADA DECORRAM DANOS GRAVES E DE DIFÍCIL REPARAÇÃO PARA O RECORRENTE, SENDO, O FUNDAMENTO DO RECURSO, RELEVANTE (WAMBIER, TERESA ARRUDA ALVIM. OS AGRAVOS NO CPC BRASILEIRO. 3ª ED., SÃO PAULO: ED. RT, 2000, P. 229.). A DECISÃO TEVE O SEGUINTE FUNDAMENTO [...] COM EFEITO, O AUTOR FOI INTIMADO DA DECISÃO QUE JULGOU OS EMBARGOS EM 20 DE JUNHO DO CORRENTE ANO (FL. 534), PROTOCOLANDO O RECURSO APENAS NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2007, A DESTEMPO PORTANTO [...]. COMPULSANDO-SE ATENTAMENTE AOS AUTOS, MORMENTE AS RAZÕES DO AGRAVO, VERIFICA-SE QUE O DOUTO MAGISTRADO DE PRIMEIRO GRAU AGIU COM ACERTO NA SUA DECISÃO, ESPECIFICAMENTE NO QUE TANGE À INTEMPESTIVIDADE DA APELAÇÃO. O PRAZO PARA INTERPOSIÇÃO DO RECURSO EXPIROU-SE FATALMENTE NO DIA 05 DE JULHO DE 2007 (QUINTA-FEIRA), PORÉM A APELAÇÃO SOMENTE FOI PROTOCOLIZADA NO DIA 06 DE AGOSTO DE 2007 (SEGUNDA-FEIRA), O QUE DEMONSTRA QUE A INTERPOSIÇÃO FOI SERÔDIA, UMA VEZ QUE A DECISÃO TEVE O SEGUINTE FUNDAMENTO [...] RECEBO OS EMBARGOS, OS QUAIS, CONTUDO, NÃO TERÃO EFEITO SUSPENSIVO, NOS TERMOS DO ART. 739-A, CAPUT, DO CPC, VISTO QUE NÃO HÁ MAIS SUSPENSÃO DOS PRAZOS PROCESSUAIS NO MÊS DE JULHO, DIANTE DA EXTINÇÃO DAS FÉRIAS FORENSES NAQUELE MÊS. NESTA ESTEIRA, VISLUMBRO QUE O PRESENTE RECURSO ENCONTRA-SE MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, MOTIVO PELO QUAL DE ACORDO COM O REQUISITO INSERTO NO COMANDO NORMATIVO DO ART. 557, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, NEGO PROVIMENTO AO AGRAVO. INTIMEM-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA/ES, 28 DE SETEMBRO DE DESª. SUB. ELISABETH LORDES RELATORA 5 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: PMN - PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL. ADVOGADO: MARCOS GIOVANI CORREA FELIX ADVOGADO: SERGIO CARLOS GUANANDY AGVDO.: DJACIR GREGORIO CAVERSAN ADVOGADO: JOÃO CARLOS BATISTA ADVOGADO: JULIANO SOUZA DE SA RELATOR: ALINALDO FARIA DE SOUZA DECISÃO O PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL - PMN E DANIEL LOUREIRO FELIPE, IRRESIGNADOS COM A R. DECISÃO PROFERIDA PELO MM. JUIZ DA COMARCA DE MARILÂNDIA, QUE NOS AUTOS DA AÇÃO CIVIL PÚBLICA POR ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA MANEJADA EM FACE DE DJACIR GREGÓRIO CAVERSAN, REVOGOU A LIMINAR ANTERIORMENTE CONCEDIDA, INTERPUSERAM O PRESENTE AGRAVO POR INSTRUMENTO. ADUZEM OS AGRAVANTES EM SUMA, QUE O R. DECISUM HOSTILIZADO AO REVOGAR A LIMINAR GEROU INSEGURANÇA JURÍDICA, NÃO SENDO JURIDICAMENTE ACEITÁVEL POR NÃO DEMONSTRAR O AFASTAMENTO DOS MOTIVOS ENSEJADORES DE SUA CONCESSÃO. É O NECESSÁRIO RELATÓRIO. PASSO A DECIDIR. PARA MELHOR VISLUMBRAR A QUAESTIO, TRANSCREVO A DECISÃO ABJURGADA, IN VERBIS: DECISÃO VISTOS, ETC. ANALISANDO A DECISÃO ANULADA TENHO DE CONCORDAR PLENAMENTE COM OS ARGUMENTOS DO AGRAVANTE E, MAIS AINDA, COM A EMINENTE DESEMBARGADORA EM SUA PRECISA DECISÃO DE ANULAR A MINHA DECISÃO DE FLS. 144, POIS REALMENTE FALTOU NELA A NECESSÁRIA FUNDAMENTAÇÃO, O QUE É CONDIÇÃO SINE QUA NON PARA A VALIDADE DE QUALQUER DECISÃO, NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO EM VIGOR. [...] ORA, POR UM DESCUIDO DESTE MAGISTRADO POR OCASIÃO DO DESPACHO INICIAL, NÃO FOI O RÉU NOTIFICADO, CONFORME

14 16 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO DETERMINA O 7º, DO ARTIGO 17, DA SUPRA CITADA LEI, PARA OFERECER MANIFESTAÇÃO E NEM FOI O PARQUET NOTIFICADO PARA INGRESSAR NA AÇÃO COMO FISCAL DA LEI. BASTARIAM ESTES DOIS FATOS PARA FAZER-ME ANALISAR COM MAIOR ACUIDADE A LIMINAR ANTERIORMENTE CONCEDIDA E REVOGÁ-LA, POR SENTIR QUE TAL DECISÃO FERIU DIREITO CERTO DO RÉU. ASSIM DISPÕE O ART. 93, IX DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA, IN VERBIS: ART. 93. LEI COMPLEMENTAR, DE INICIATIVA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, DISPORÁ SOBRE O ESTATUTO DA MAGISTRATURA, OBSERVADOS OS SEGUINTES PRINCÍPIOS. (...) IX- TODOS OS JULGAMENTOS DOS ÓRGÃOS DO PODER JUDICIÁRIO SERÃO PÚBLICOS, E FUNDAMENTADAS TODAS AS DECISÕES, SOB PENA DE NULIDADE, PODENDO A LEI LIMITAR A PRESENÇA, EM DETERMINADOS ATOS, ÀS PRÓPRIAS PARTES E AS SEUS ADVOGADOS, OU SOMENTE A ESTES, EM CASOS NOS QUAIS A PRESERVAÇÃO DO DIREITO À INTIMIDADE DO INTERESSADO NO SIGILO NÃO PREJUDIQUE O INTERESSE PÚBLICO À INFORMAÇÃO; (DESTAQUEI) POIS BEM, É DE CONHECIMENTO QUE POR FORÇA DA NORMA CONSTITUCIONAL ACIMA COLACIONADA, TODAS DECISÕES, SEJAM ELAS JURISDICIONAIS OU ADMINISTRATIVAS, NECESSITAM SER FUNDAMENTADAS, MESMO QUE DE FORMA CONCISA, NOS MOLDES DO ART. 165 DO CPC. NESSE SENTIDO, AO SE ANALISAR O DECISUM GUERREADO, MORMENTE O TRECHO TRANSCRITO, NÃO SE OBSERVA A INDICAÇÃO DE QUALQUER REFERÊNCIA AOS MOTIVOS QUE ENSEJARIAM A REVOGAÇÃO DA LIMINAR ANTERIORMENTE CONCEDIDA, E MAIS, NEM MESMO HÁ REFERÊNCIA AOS ELEMENTOS LEGAIS NECESSÁRIOS E IMPRESCINDÍVEIS QUE POSSIBILITARIAM A CONCESSÃO DA REFERIDA MEDIDA. AO CONTRÁRIO, NA NOVA DECISÃO, ORA ATACADA, O MAGISTRADO LIMITOU-SE A TRANSCREVER PRECEITOS DA LEI 8.429/92 E ARESTOS DE ALGUNS TRIBUNAIS, MAS NÃO FOI SATISFATIVO AO CORRELACIONAR SEUS FUNDAMENTOS COM OS FATOS. EM OUTRAS PALAVRAS, AINDA QUE SANADAS AS AUSÊNCIAS DE NOTIFICAÇÃO DO RÉU E DO MINISTÉRIO PÚBLICO, A DECISÃO MANTEVE-SE DESPROVIDA DE FUNDAMENTAÇÃO SATISFATIVA QUE JUSTIFIQUE A REVOGAÇÃO DA LIMINAR, MORMENTE NO QUE SE REFERE À AUSÊNCIA DE SEUS REQUISITOS ENSEJADORES. COM EFEITO, EM QUE PESE POSSA O PROLATOR DE UMA DECISÃO FAZÊ-LA COM BASE EM SEU LIVRE CONVENCIMENTO E DE FORMA CONCISA, NÃO PODE ESTE FAZÊ-LO DE MANEIRA DESMOTIVADA, DEVENDO ELENCAR OU INDICAR OS FATORES QUE SUSTENTAM SEU RACIOCÍNIO, E ISTO, COMO ALHURES SALIENTADO, NÃO SE VERIFICA DO DECISUM HOSTILIZADO. EM CASOS ANÁLOGOS, ESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TEM DECIDIDO DE FORMA DOMINANTE QUE: AGRAVO DE INSTRUMENTO - TRIBUTÁRIO E PROCESSUAL CIVIL - AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL - TUTELA ANTECIPADA - ACOLHIMENTO DE PRELIMINAR POR FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO - RECURSO PROVIDO. AINDA QUE DE FORMA CONCISA, DEVE A DECISÃO INTERLOCUTÓRIA REVESTIR-SE DE FUNDAMENTAÇÃO, NÃO ATENDENDO ESSA EXIGÊNCIA DECISÃO QUE SE RESTRINGE A MENCIONAR QUE ESTÃO PRESENTES OS REQUISITOS PARA CONCESSÃO DA TUTELA ANTECIPADA. DECISÃO QUE PADECE DE NULIDADE. INTELIGÊNCIA DO ART. 93, INC. IX, DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA, E DO ART. 165, DO CPC. NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO: AGRAVO DE INSTRUMENTO ÓRGÃO JULGADOR: TERCEIRA CÂMARA CÍVEL DATA DE JULGAMENTO: 24/10/2005 DATA DE LEITURA: 25/10/2005 DATA DA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO: 07/11/2005 RELATOR: CARLOS ROBERTO MIGNONE VARA DE ORIGEM: CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - 1ª VARA FEITOS FAZENDA PÚBLICA. (DESTAQUEI) EMENTA: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO DE ALIMENTOS. FIXAÇÃO DE ALIMENTOS PROVISIONAIS. PRELIMINAR DE NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO REJEITADA. PRELIMINAR DE NULIDADE DA DECISÃO PELA FALTA DE MOTIVAÇÃO ACOLHIDA. 1. NO CASO DOS AUTOS, A NÃO JUNTADA DA CÓPIA DA EXORDIAL DA AÇÃO DE ALIMENTOS NÃO TEM O CONDÃO DE ACARRETAR O NÃO CONHECIMENTO DO AGRAVO, TENDO EM VISTA QUE NA PETIÇÃO DO RECURSO A AGRAVANTE EXPÔS A CAUSA DE PEDIR E O PEDIDO FORMULADO PELOS AGRAVADOS NOS AUTOS DA MENCIONADA AÇÃO. 2. DE ACORDO COM O ARTIGO 93, IX, DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA, AS DECISÕES JUDICIAIS DEVEM SER FUNDAMENTADAS. ASSIM, NÃO PODE O JULGADOR SIMPLESMENTE FIXAR ALIMENTOS PROVISIONAIS EM DETERMINADO VALOR, SEM SEQUER EXPOR AS RAZÕES DO SEU CONVENCIMENTO. 3. PRELIMINAR DE NULIDADE DA DECISÃO POR FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO ACOLHIDA. NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO: AGRAVO DE INSTRUMENTO ÓRGÃO JULGADOR: PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DATA DE JULGAMENTO: 15/03/2005 DATA DE LEITURA: 19/04/2005 DATA DA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO: 16/05/2005 RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA VARA DE ORIGEM: VITÓRIA - 5ª VARA CÍVEL. (DESTAQUEI) EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO. PRELIMINAR DE NULIDADE DA DECISÃO INTERLOCUTÓRIA POR FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO. LIMINAR CONCEDIDA NA AÇÃO CAUTELAR DE ARRESTO DESPROVIDA DA NECESSÁRIA MOTIVAÇÃO. INTERPRETAÇÃO DOS ARTS. 93, INCISO IX, DA CARTA MAGNA E DO 165 DO CPC. NULIDADE RECONHECIDA. RECURSO PROVIDO. I. AS DECISÕES RELATIVAS A LIMINAR, POR SEREM INTERLOCUTÓRIAS, PODEM SER FUNDAMENTADAS DE MODO CONCISO, CONFORME APONTA O ART. 165 DO CPC. II. CONCISÃO, ENTRETANTO, NÃO SIGNIFICA DISPENSA DE FUNDAMENTAÇÃO, RAZÃO PELA QUAL UMA DECISÃO CONCISA É AQUELA QUE TEM UMA FUNDAMENTAÇÃO BREVE, COM OS ELEMENTOS IMPRESCINDÍVEIS PARA O SEU EMBASAMENTO. III. SE O PRONUNCIAMENTO JUDICIAL NÃO SE MANIFESTOU SOBRE OS PRESSUPOSTOS DE DEFERIMENTO DA MEDIDA CAUTELAR (FUMUS BONI IURIS E PERICULUM IN MORA), VIOLOU AS REGRAS-MATRIZES ESTABELECIDAS NOS ARTS. 93, INCISO IX, DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E NO ART. 165 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. VI. RECURSO PROVIDO. NÚMERO DO PROCESSO: AÇÃO: AGRAVO DE INSTRUMENTO ÓRGÃO JULGADOR: QUARTA CÂMARA CÍVEL DATA DE JULGAMENTO: 31/05/2005 DATA DE LEITURA: 12/07/2005 DATA DA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO: 10/08/2005 RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS VARA DE ORIGEM: COMARCA DE AGUA DOCE DO NORTE. DESTA FEITA, ESTANDO PRESENTES OS REQUISITOS LEGAIS, EM CONFORMIDADE COM O ART. 557, 1º-A DO CPC, DOU PROVIMENTO AO PRESENTE AGRAVO POR INSTRUMENTO PARA ANULAR A R. DECISÃO OBJURGADA. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. REGISTRE-SE E INTIME-SE. VITÓRIA, ES, 28 DE SETEMBRO DE DESEMBARGADORA SUBSTª. ELISABETH LORDES RELATORA 6 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: WILSON ZON ADVOGADO: VLADIMIR CAPUA DALLAPICULA APDO.: DEOLINDO VIEIRA ADVOGADA: LUCIANA ROCHA NASCIMENTO * APELAÇÃO ADESIVA Nº APTE.: DEOLINDO VIEIRA APDO.: WILSON ZON RELATOR: RONALDO GONÇALVES DE SOUSA REVISORA SUBSª.: JANETE VARGAS SIMÕES DECISÃO MONOCRÁTICA CUIDAM OS AUTOS DE RECURSO DE APELAÇÃO E DE APELAÇÃO ADESIVA INTERPOSTOS POR WILSON ZON E DEOLINDO VIEIRA. AS PARTES PETICIONAM ÀS FLS. 80/84 DO CADERNO PROCESSUAL, REQUERENDO A DESISTÊNCIA DOS RECURSOS, TENDO EM VISTA QUE TRANSACIONARAM E QUE POR ISSO REQUEREM A DEVOLUÇÃO DO FEITO PARA A VARA DE ORIGEM - A 3º VARA CÍVEL DE GUARAPARI, A FIM DE QUE O REFERIDO ACORDO JÁ PAGO, SEJA HOMOLOGADO E QUE SE ENCERRE A PRESENTE AÇÃO. ANTE O EXPOSTO, MONOCRATICAMENTE, NOS MOLDES DO ART. 557 DO CPC, NÃO CONHEÇO DOS RECURSOS DE APELAÇÃO INTERPOSTOS, PELA PERDA SUPERVENIENTE DO INTERESSE RECURSAL, REMETENDO ESTES AUTOS À VARA DE ORIGEM PARA QUE PROMOVA A HOMOLOGAÇÃO DA TRANSAÇÃO. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. VITÓRIA, 28 DE SETEMBRO DE DESEMBARGADOR RONALDO GONÇALVES DE SOUSA RELATOR 7 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: ANTONIO ASTOLFO ADVOGADO: NAIR DIAS BRAGANÇA

15 17 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO APDA.: SUELI MARIA DA PENHA RELATOR: RONALDO GONÇALVES DE SOUSA DECISÃO MONOCRÁTICA O PRESENTE RECURSO DE APELAÇÃO, INTERPOSTO PELO ANTÔNIO ASTOLFO, É INADMISSÍVEL, VISTO QUE FALTA-LHE O REQUISITO DO INTERESSE RECURSAL, COMO PASSO A DEMONSTRAR. SEGUNDO A CLÁSSICA LIÇÃO DE JOSÉ CARLOS BARBOSA MOREIRA, RETIRADA DE SUA OBRA O JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE NO SISTEMA DOS RECURSOS CÍVEIS, DE 1968, O INTERESSE RECURSAL SE IDENTIFICA COM A FIGURA DA SUCUMBÊNCIA MATERIAL. ESTA, POR SEU TURNO, REPRESENTA A POSSIBILIDADE QUE O RECURSO PROPICIA AO RECORRENTE DE OBTER UMA DECISÃO QUE LHE SEJA MAIS ÚTIL, SOB O PONTO DE VISTA PRÁTICO. A SUCUMBÊNCIA MATERIAL É UM CONCEITO MUITO MAIS AMPLO DO QUE O DE SUCUMBÊNCIA FORMAL, VISTO QUE ATÉ MESMO AQUELE QUE NÃO FOI DERROTADO EM PRIMEIRO GRAU TERIA INTERESSE EM RECORRER, CASO VISLUMBRASSE QUE, COM A INTERPOSIÇÃO DA PEÇA DE APELO, PUDESSE OBTER RESULTADO MAIS PROVEITOSO. NO CASO EM TELA, É IMPOSSÍVEL QUE SE OBTENHA, SOB O PONTO DE VISTA PRÁTICO, RESULTADO MAIS PROVEITOSO PARA O APELANTE, MOTIVO PELO QUAL FALECE O INTERESSE RECURSAL, O QUE DEVE MOTIVAR O NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO. COMO SE AFERE DOS AUTOS, O APELANTE AJUIZOU DEMANDA DE USUCAPIÃO EM FACE DA APELADA, REQUERENDO A DECLARAÇÃO JUDICIAL DO DOMÍNIO DO APARTAMENTO 302 DO EDIFÍCIO LAZER PACK S, SITUADO NA AV. LEBLON, Nº 76, PRAIA DO MORRO, GUARAPARI/ES. NA R. SENTENÇA DE FLS. 111/113, O D. JUIZ DE PISO TROUXE À BAILA QUE O IMÓVEL IDENTIFICADO COMO OBJETO DA PRESCRIÇÃO AQUISITIVA ENCONTRA-SE GRAVADO PELA INSCRIÇÃO DE SEQÜESTRO DE BEM POR ORDEM DO JUÍZO DA 12º VARA CRIMINAL DA COMARCA DE BELO HORIZONTE/MG, ORIGINÁRIA DOS AUTOS DO PROCESSO Nº , CONFORME DEMONSTRA CERTIDÃO DE FLS. 30/31-V EXPEDIDA PELO CARTÓRIO DE REGISTRO IMOBILIÁRIO DA COMARCA DE GUARAPARI/ES. TAL RESTRIÇÃO INSCRITA NO IMÓVEL USUCAPIENTE DECORRE DOS INDÍCIOS DE SUA ORIGEM ILÍCITA, POIS SUPOSTAMENTE PERTENCE AO CONHECIDO MELIANTE JUIZ FERNANDO DA COSTA, VULGO, FERNANDINHO BEIRA-MAR. POR CONTA DESSA CONSTATAÇÃO, O EMÉRITO MAGISTRADO JULGOU O AUTOR CARECEDOR PARA O EXERCÍCIO DO DIREITO DE AÇÃO, FACE A EVIDENTE IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DA CAUSA DE PEDIR E EXTINGUIU O PROCESSO, COM BASE NO ART. 269, I DO CPC. O APELANTE ALEGA QUE EXISTIU A COMPETENTE AÇÃO DE JUSTIFICAÇÃO, CUJA SENTENÇA FOI FAVORÁVEL EM QUE A POSSE LHE FOI JUSTIFICADA. E AINDA QUE CUMPRIU TODOS OS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA USUCAPIR TAL IMÓVEL, COMO TERCEIRO DE BOA FÉ. EM QUE PESE AS AFIRMAÇÕES DO APELANTE, NÃO HÁ COMO AGASALHAR O QUE DESEJA, PELOS FUNDAMENTOS QUE PASSO A EXPOR: A USUCAPIÃO É A AQUISIÇÃO DO DOMÍNIO PELA POSSE PROLONGADA, NA FORMA DA LEI, TENDO COMO OBJETIVO DE ACABAR COM A INCERTEZA DA PROPRIEDADE, ASSIM COMO ASSEGURAR A PAZ SOCIAL PELO RECONHECIMENTO DA PROPRIEDADE COM RELAÇÃO ÀQUELA PESSOA QUE DE LONGA DATA É O SEU POSSUIDOR. A POSSE DA COISA, TANTO MÓVEL COMO IMÓVEL, DEVE SER MANSA, OU SEJA PACÍFICA; CONTINUADA; DURANTE CERTO LAPSO TEMPORAL; SEM OPOSIÇÃO DE OUTREM; COM TÍTULO LEGAL OU NÃO; MAS DESDE QUE CONFIGURADO A NECESSIDADE PARA A MORADIA SINGULAR OU FAMILIAR, OU MESMO PARA A SUBSISTÊNCIA DA PESSOA INTERESSADA. MUITO SE DISCUTIU SOBRE A POSSIBILIDADE DE USUCAPIR-SE BENS PÚBLICOS, HAVENDO MUITOS ADEPTOS A TAL TESE. DURANTE ALGUM TEMPO, PERMITIU-SE A USUCAPIÃO SOBRE OS BENS PÚBLICOS PATRIMONIAIS E AS TERRAS DEVOLUTAS. COM A LEI 6969/81, PERMITIU-SE A USUCAPIÃO RURAL SOBRE AS TERRAS DEVOLUTAS, POSTERIORMENTE TENDO A DOUTRINA E A JURISPRUDÊNCIA, AO ENCONTRO DA LEGISLAÇÃO, PRINCIPALMENTE COM O ADVENTO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988, FECHADO QUESTÃO SOBRE A IMPOSSIBILIDADE DE AQUISIÇÃO DE BENS PÚBLICOS PELA USUCAPIÃO. ALIÁS, AINDA QUE TAL VEDAÇÃO JÁ ESTIVESSE EXPRESSA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 E ANTES DISSO PELO CÓDIGO CIVIL DE 1916, O NOVO CÓDIGO CIVIL PASSOU A DISPOR: "ART OS BENS PÚBLICOS NÃO ESTÃO SUJEITOS À USUCAPIÃO." TAMBÉM OS BENS FORA DO COMÉRCIO, OS BENS NATURALMENTE E JURIDICAMENTE INSUSCETÍVEIS DE USUCAPIÃO E OS DIREITOS PESSOAIS NÃO PODEM SER USUCAPIDOS, UMA VEZ QUE A SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA DAS AÇÕES DE USUCAPIÃO É DE NATUREZA DECLARATÓRIA, UMA VEZ QUE A PROPRIEDADE NÃO SE CONSTITUI PELA SENTENÇA, QUE APENAS DECLARA QUE O FATO (POSSE) FOI TRANSFORMADO EM DIREITO PELO DECURSO DO TEMPO. A AQUISIÇÃO DA PROPRIEDADE PELA USUCAPIÃO SE DÁ NO MOMENTO EM QUE O USUCAPIENTE REÚNE TODOS OS REQUISITOS LEGAIS PARA USUCAPIR, POSSUINDO SEMPRE EFEITOS EX TUNC, JÁ QUE DECLARA DIREITO PREEXISTENTE. A SENTENÇA QUE DECLARA O DIREITO À USUCAPIÃO NÃO É TÍTULO CONSTITUTIVO DO DIREITO, MAS CONSTITUI TÍTULO HÁBIL PARA SER REGISTRADO NO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS, CONFERINDO-SE, ASSIM, A PROPRIEDADE AO USUCAPIENTE. NO CASO EM TELA, O BEM USUCAPIENTE É UM BEM QUE ESTÁ SOB O CRIVO DE SEQÜESTRO JUDICIAL, QUE CONSISTE NA DECISÃO JUDICIAL COM A CONSEQÜENTE RETENÇÃO DA COISA, QUE TERIA SIDO ADQUIRIDA COMO PROVENTO DE INFRAÇÕES (ARTIGOS 125 E 132 DO CPP). REZA O ARTIGO 128 DO CPP: REALIZADO O SEQÜESTRO, O JUIZ ORDENARÁ A SUA INSCRIÇÃO NO REGISTRO DE IMÓVEIS. DESTE MODO, O SEQÜESTRO IMPLICA NECESSARIAMENTE EM DESAPOSSAMENTO, DE MODO QUE A CONSTRIÇÃO IMPORTA RESTRIÇÃO DOMINIAL, MESMO PORQUE A QUESTÃO RELACIONADA À PROPRIEDADE ESTÁ OU ESTARÁ PENDENTE DE APRECIAÇÃO JUDICIAL NA AÇÃO PRINCIPAL. O D. JUIZ A QUO, ÀS FLS. 113, ASSIM SE MANIFESTOU, IN VERBIS; ASSIM, O ÔNUS DO SEQÜESTRO CRIMINAL TORNA O IMÓVEL INÁBIL A PRESCRIÇÃO AQUISITIVA, NÃO SÓ PELO ESPECIAL RELEVO DO GRAVAME, MAS SOBRETUDO PELO ASPECTO DA MORALIDADE, ALÉM DE MACULAR A BOA-FÉ OBJETIVA DO PROESCRIBENTE, NA MEDIDA EM QUE HÁ VÍCIOS EVIDENTES E INCONTESTE QUE MACULAM A AQUISIÇÃO NA SUA ORIGEM, NÃO OBSTANTE PRESCINDIR A USUCAPIÃO URBANA OU PRO MORARE DE TAL REQUISITO. DESTARTE, O APELANTE É CARECEDOR DE AÇÃO, VISTO QUE CONSTITUI FALTA DE INTERESSE RECURSAL, O QUE DETERMINA O NÃO CONHECIMENTO DO RECURSO, QUE PODE SER MONOCRATICAMENTE DECRETADO, NOS TERMOS DO ART. 557 DO CPC. PELO EXPOSTO, NÃO CONHEÇO O PRESENTE RECURSO DE APELAÇÃO, POR FALTA DE INTERESSE RECURSAL. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. INTIMEM-SE AS PARTES. VITÓRIA, 26 DE SETEMBRO DE 2006 DESEMBARGADOR RONALDO GONÇALVES DE SOUSA RELATOR VITÓRIA, 02/10/2007 MARCELA BARCELLOS TAVARES MARCHESCHI SECRETÁRIA DE CÂMARA QUARTA CÂMARA CÍVEL PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUARTA CÂMARA CÍVEL PAUTA DE JULGAMENTO DA 38ª SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 09/10/2007, TERÇA-FEIRA, QUE TERÁ INÍCIO ÀS 09:00 HORAS, PODENDO, ENTRETANTO, NESSA SESSÃO OU EM SESSÕES SUBSEQÜENTES, PROCEDER-SE AO JULGAMENTO DE PROCESSOS ADIADOS OU CONSTANTES DE PAUTAS JÁ PUBLICADAS. 1 - HABEAS CORPUS Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO CLASSE 1º GRAU: EXECUÇÃO DE PRESTAÇÃO ALIMENTÍCIA

16 18 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO PACTE.: FABIO HENRIQUE ZAMPROGNO MENDES IMPETRANTE BRUNO OLIVEIRA CARDOSO IMPETRANTE: FABIANO CARVALHO DE BRITO IMPETRANTE: LEONNY MIGUEL DALMASO SILVA IMPETRANTE: LUCIANO VIANA NASSAR A COATORA: JUIZ DE DIREITO DA 4ª VARA DE FAMÍLIA DE VITORIA RELATOR: DES. MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU 2 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 4ª VARA DE FAMÍLIA CLASSE 1º GRAU: EXECUÇÃO JUDICIAL/CUMPRIMENTO DE SENTENÇA AGVTE.: ALFA PARTICIPAÇÕES S A ADVOGADO(A): DIOGO PAIVA FARIA AGVDO.: ANTONIO CEZAR NUNES NEMER ADVOGADO(A): DAYVSON FACCIN AZEVEDO ADVOGADO(A): LUCIANO TADEU MACHADO CAMPOREZ RELATOR: DES. CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS 3 - APELAÇÃO CÍVEL Nº LINHARES - 2ª VARA CÍVEL E COMERCIAL CLASSE 1º GRAU: COBRANÇA CIVIL APTE.: CAIXA SEGURADORA S/A ADVOGADO(A): ALBERTO EUSTÁQUIO PINTO SOARES ADVOGADO(A): ANDRE SILVA ARAUJO ADVOGADO(A): FREDERICO JOSÉ LOBATO PIRES APDO.: NILDA PIAO COSTA ADVOGADO(A): CLEMAR CHAVES ADVOGADO(A): FRANCISCO G. M. APOLONIO COMETTI ADVOGADO(A): LUCIANO PALASSI RELATOR: DES. CARLOS ROBERTO MIGNONE REVISORA: DES. CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS 4 - APELAÇÃO CÍVEL Nº LINHARES - 2ª VARA CÍVEL E COMERCIAL CLASSE 1º GRAU: OPOSIÇÃO CIVIL APTE.: CAIXA SEGURADORA S/A ADVOGADO(A): ALBERTO EUSTÁQUIO PINTO SOARES ADVOGADO(A): ALEXANDRE FREITAS SILVA ADVOGADO(A): ANDRE SILVA ARAUJO ADVOGADO(A): EULER DE MOURA SOARES FILHO ADVOGADO(A): RITA ALCYONE SOARES NAVARRO ADVOGADO(A): RIVELINO CESAR GUIMARÃES APDA.: NILDA PIAO COSTA ADVOGADO(A): FRANCISCO G. M. APOLONIO COMETTI APDA.: JANDIRA RIBEIRO ROSA ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES APDO.: JULIANO RIBEIRO ROSA ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES APDO.: L R R (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES APDO.: D R R (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES APDO.: C A R R (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES APDO.: LU R R (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ODILIO CANDIDO FRANCA GUEDES RELATOR: DES. CARLOS ROBERTO MIGNONE REVISORA: DES. CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS 5 - REMESSA EX-OFFICIO Nº VITÓRIA - CARTÓRIO FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL CLASSE 1º GRAU: ORDINÁRIA CIVIL REMTE.: JUIZ DE DIREITO VARA FAZ PUB MUN VITORIA PARTE: MUNICÍPIO DE VITORIA ADVOGADO(A): EVANDRO DE CASTRO BASTOS PARTE: TELEMAR NORTE LESTE S/A ADVOGADO(A): MARCELO PAGANI DEVENS ADVOGADO(A): MARIA DAS GRAÇAS SOBREIRA DA SILVA ADVOGADO(A): SACHA CALMON NAVARRO COELHO APELAÇÃO VOLUNTÁRIA Nº APTE.: MUNICÍPIO DE VITORIA ADVOGADO : EVANDRO DE CASTRO BASTOS APDO.: TELEMAR NORTE LESTE S/A ADVOGADO : MARCELO PAGANI DEVENS RELATOR DES. MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU REVISOR: DES. CARLOS ROBERTO MIGNONE 6 - AGRAVO INTERNO - (ARTS 557/527, II CPC) Nº VILA VELHA - 4ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU: INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: WELLITON PIMENTEL COUTINHO ADVOGADO(A): MARCOS ANTONIO VIEIRA ADVOGADO(A): WELLITON PIMENTEL COUTINHO AGVDO.: ENCOMENDAS E TRANSPORTES DE CARGAS PONTUAL LTDA ADVOGADO(A): DORACI CABRAL ADVOGADO(A): MARCOS ANTONIO VIEIRA ADVOGADO(A): WELLITON PIMENTEL COUTINHO AGVDO.: VARIG S/A VIAÇÃO AÉREA RIO GRANDENSE ADVOGADO(A): ANA PAULA SILVA TAUCEDA ADVOGADO(A): ANDRA MARA VALLADARES SARMENTO ADVOGADO(A): CELIO ALEXANDRE P DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): CRISTINA MARIA M DE SA ADVOGADO(A): ORONDINO JOSE MARTINS NETO RELATORA: DES. CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS VITÓRIA, 02/10/2007. LARISSA SCHAIDER PIMENTEL CORTES SECRETÁRIA DE CÂMARA TRIBUNAL DE JUSTIÇA QUARTA CÂMARA CÍVEL CONCLUSÃO DE ACÓRDÃOS PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO. 1 HABEAS CORPUS Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO PACTE.: ILMAR KIEEFER IMPETRANTE: LEONARDO RODRIGUES LACERDA A. COATORA: JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL DA COMARCA DA SERRA RELATOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 04/09/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: HABEAS CORPUS. DEPOSITÁRIO INFIEL. BENS NÃO APRESENTADOS. SUBSTITUIÇÃO EM DINHEIRO INSUFICIENTE. CONDIÇÃO DE INFIDELIDADE RENOVADA. DESCUMPRIMENTO DE MUNUS PÚBLICO. ORDEM DENEGADA. I- LEGÍTIMO O DECRETO DE PRISÃO QUANDO DESCUMPRIDO DE FORMA VOLUNTÁRIA, O DEVER DE GUARDA E CONSERVAÇÃO DOS BENS; II- PREVALECE NO STJ, O ENTENDIMENTO DE QUE O PACTO DE SÃO JOSÉ DA COSTA RICA NÃO REVOGOU A POSSIBILIDADE DE SE DECRETAR A PRISÃO CIVIL DO DEPOSITÁRIO INFIEL; III- A SUBSTITUIÇÃO DA ENTREGA DO BEM POR DEPÓSITO EM DINHEIRO SOMENTE SERÁ ACEITA, QUANDO COMPROVADAMENTE O REFERIDO DEPÓSITO REPRESENTAR O EQUIVALENTE DO VALOR DO BEM DESTINADO À GUARDA; IV- SEM A COMPROVAÇÃO DE QUE O DEPÓSITO EM DINHEIRO EQÜIVALE AO VALOR DO BEM PENHORADO, RENOVA-SE A CONDIÇÃO DE INFIDELIDADE DO DEPOSITÁRIO. CARACTERIZADA POIS A INFIDELIDADE POR DESCUMPRIMENTO DO MUNUS PÚBLICO, LEGÍTIMA A DECRETAÇÃO DA PRISÃO CIVIL IV- ORDEM DENEGADA. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DENEGAR A ORDEM DE HABEAS CORPUS, A TEOR DO VOTO PROFERIDO PELO RELATOR. 2 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: SINDIPUBLICOS ADVOGADO(A): ANA IZABEL VIANA GONCALVES ADVOGADO(A): CELIO ALEXANDRE PICORELLI DE OLIVEIRA

17 19 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): DANIELLE PINA DYNA ADVOGADO(A): LUIS CLAUDIO DIAS DA SILVA ADVOGADO(A): NEUSA ARAUJO DE CASTRO AGVDO.: DIRETOR DO DETRAN ADVOGADO(A): AUGUSTA GOMES AMORIM ADVOGADO(A): VANESSA VIANA TIRADENTES RELATOR: CARLOS ROBERTO MIGNONE JULGADO EM 26/06/2007 E LIDO EM 25/09/2007 ACÓRDÃO EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO- ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL - EXECUÇÃO - IMPENHORABILIDADE DE BEM DE FAMÍLIA - INAPLICABILIDADE DO INC. V, ART. 3º, DA L /90 AO CASO CONCRETO - AGRAVO PROVIDO 1 - EM HOMENAGEM AO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE, PERMITIDO NO ÂMBITO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, VEDAÇÃO EXPRESSA DE ARTIGO DE LEI NÃO TORNA PEDIDO JURIDICAMENTE IMPOSSÍVEL, QUANDO A CAUSA DE PEDIR RESIDE JUSTAMENTE NA INCONSTITUCIONALIDADE DE REFERIDO DISPOSITIVO LEGAL,. 2 -ALEGAÇÃO DE LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ DEVE SER AVALIADA NO MÉRITO DO RECURSO. PRELIMINAR DE IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO PEDIDO E DE LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ REJEITADA. 3 -POSSÍVEL A CONCESSÃO DE LIMINAR CONTRA O PODER PÚBLICO QUANDO SE TRATA DE RESTABELECER VANTAGEM PARA PRESERVAR A IRREDUTIBILIDADE DE VENCIMENTO. 4 - ASPECTOS TEMPORAIS CUMPRIDOS SOB O REGIME CELETISTA NÃO PODEM SER DESCONSIDERADOS EM VIRTUDE DA TRANSPOSIÇÃO PARA REGIME ESTATUTÁRIO, CONFORME JURISPRUDÊNCIA DO STF. 5 - RECONHECIDA A PERTINÊNCIA DA PRETENSÃO RECURSAL, REJEITA-SE A POSTULAÇÃO DE MÁ-FÉ DOS MESMOS. 6 - AGRAVO DE INSTRUMENTO CONHECIDO E PROVIDO, PARA REFORMAR A DECISÃO AGRAVADA, E DE CONSEGUINTE - DEFERIR A LIMINAR POSTULADA NO MANDADO DE SEGURANÇA E DETERMINAR A AUTORIDADE INDIGITADA COATORA QUE RESTABELEÇA O PAGAMENTO DO ADICIONAL DE ASSIDUIDADE, FAZENDO INCLUIR NOS VENCIMENTOS DOS SERVIDORES AQUI SUBSTITUÍDOS PROCESSUALMENTE PELO AGRAVANTE; MANTENDO-SE EM DEFINITIVO A DECISÃO CONCESSIVA DE EFEITO ATIVO AO AGRAVO. 7 - PREJUDICADO O AGRAVO REGIMENTAL INTERPOSTO DEFRONTE DECISÃO QUE ATRIBUÍA EFEITO ATIVO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO ORA JULGADO. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR ARGUÍDA, E NO MÉRITO, POR IGUAL VOTAÇÃO, DAR PROVIMENTO A RECURSO, A TEOR DO VOTO PROFERIDO PELO RELATOR. 3 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 11ª VARA CÍVEL AGVTE.: PATRICIA KARLA DE ARAUJO BAZELATTO ADVOGADO(A): ADRIANA TURINO ADVOGADO(A): ELIANE MARIA TARDIN ADVOGADO(A): GIULIANE MOREIRA ADVOGADO(A): MARIA LUCILA S. DE C. FRANCEZ AGVTE.: GERALDO DIMAS BAZELATTO ADVOGADO(A): ADRIANA TURINO ADVOGADO(A): ELIANE MARIA TARDIN ADVOGADO(A): GIULIANE MOREIRA ADVOGADO(A): MARIA LUCILA S. DE C. FRANCEZ AGVDO.: CONCASA CONSTRUTORA CALIL SALIM LTDA ADVOGADO(A): ROSANE APARECIDA TAVARES DOS SANTOS ADVOGADO(A): VALESCA R B MOSCHEN RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS JULGADO EM 04/09/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO. CONTRATO DE COMPRA E VENDA FIRMADO COM CONSTRUTORA. AQUISIÇÃO DE PEQUENO IMÓVEL COMERCIAL. RELAÇÃO DE CONSUMO. EXISTÊNCIA. ABRANDAMENTO DA INTERPRETAÇÃO FINALISTA. RECURSO PROVIDO. I- ADMITE-SE, EXCEPCIONALMENTE, A APLICAÇÃO DAS NORMAS DO CDC A DETERMINADOS CONSUMIDORES PROFISSIONAIS, DESDE QUE DEMONSTRADA, IN CONCRETO, A VULNERABILIDADE TÉCNICA, JURÍDICA OU ECONÔMICA. PRECEDENTES DO STJ. II- SE NA SITUAÇÃO VERTENTE ESTÁ PRESENTE A VULNERABILIDADE NOS PLANOS TÉCNICO E ECONÔMICO, HÁ RESPALDO PARA A INCIDÊNCIA DA LEGISLAÇÃO CONSUMERISTA, O QUE ATRAI A COMPETÊNCIA DA VARA ESPECIALIZADA. III- RECURSO PROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO AO RECURSO, A ATEOR DO VOTO PROFERIDO PELA EMINENTE RELATORA. 4 APELAÇÃO CÍVEL Nº ARACRUZ - 2ª VARA CÍVEL APTE.: SERVICO AUTONOMO DE AGUA ESGOTO-SAAE ADVOGADO(A): ANDREA COUTINHO MUSSO DA SILVA ADVOGADO(A): LUCIANA FAVALESSA DE MARCHI APDO.: MARIA ANGELICA MORO NASCIMENTO ADVOGADO(A): JOSE LOUREIRO OLIVEIRA RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS REVISOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - RESPONSABILIDADE CIVIL POR OMISSÃO DO PODER PÚBLICO - VAZAMENTO NA REDE DE ESGOTO - FALTA DO SERVIÇO - RESPONSABILIDADE SUBJETIVA - DANOS MATERIAIS E MORAIS CARACTERIZADOS - CULPA CONCORRENTE - PROPORCIONALIDADE E RAZOABILIDADE - REDUÇÃO DA INDENIZAÇÃO - RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. 1. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS E MORAIS RESULTANTES DE VAZAMENTO NA REDE DE ESGOTO E INUNDAÇÃO DA RESIDÊNCIA DA AUTORA/APELADA. 2. HIPÓTESE DE RESPONSABILIDADE CIVIL POR OMISSÃO ADMINISTRATIVA, A CUJO RESPEITO SE EXIGE A CONFIGURAÇÃO DA CULPA ESTATAL NO EVENTO DANOSO, COM FULCRO NOS ARTIGOS 186 E 927 DO ATUAL CÓDIGO CIVIL (RESPONSABILIDADE SUBJETIVA). NESSE CASO, A ENTIDADE DE DIREITO PÚBLICO SOMENTE SERÁ OBRIGADA A INDENIZAR QUANDO OMITIR-SE DIANTE DO DEVER LEGAL DE IMPEDIR A OCORRÊNCIA DO DANO, E DESDE QUE ESTE SEJA DECORRENTE DA SUA CONDUTA OMISSIVA (NEXO DE CAUSALIDADE). A CULPA, POIS, ORIGINA-SE DO DESCUMPRIMENTO DO DEVER ATRIBUÍDO AO PODER PÚBLICO DE IMPEDIR A CONSUMAÇÃO DO RESULTADO LESIVO. 3. É INEGÁVEL A RESPONSABILIDADE DA AUTARQUIA APELANTE PELOS DANOS CAUSADOS À APELADA, TENDO EM VISTA A FALHA OBJETIVA NO SERVIÇO PÚBLICO, SEJA NA AUSÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO DA REDE DE ESGOTO, SEJA NA INEFICIÊNCIA DA SUA PRESTAÇÃO (DEMORA). 4. NA ESPÉCIE, PORÉM, NÃO SE PODE DEIXAR DE CONSIDERAR A PARCELA DE CULPA DA APELADA PARA A ECLOSÃO DO EVENTO LESIVO, AO DESPEJAR AS ÁGUAS PLUVIAIS NO SEU RAMAL DE ESGOTO, O QUE É EXPRESSAMENTE VEDADO POR DECRETO MUNICIPAL, CONTRIBUINDO PARA O AUMENTO DO VOLUME DEPOSITADO NA REDE COLETORA E A CONSEQÜENTE INUNDAÇÃO DA SUA PRÓPRIA RESIDÊNCIA. 5. COM ESSA CONDUTA CULPOSA, PORTANTO, A APELADA CONCORREU PARA A CONSUMAÇÃO DO FATO LESIVO, O QUE IMPÕE A REDUÇÃO DA INDENIZAÇÃO DEVIDA EM 1/3 (UM TERÇO), SEGUNDO O CRITÉRIO DA PROPORCIONALIDADE, LEVANDO-SE EM CONSIDERAÇÃO A MENOR GRAVIDADE DA SUA CULPA EM CONFRONTO COM A DA AUTARQUIA APELANTE (ART. 945 DO CC). 6. É EVIDENTE A OFENSA MORAL SOFRIDA PELA APELADA, CONSUBSTANCIADA PELA PERTURBAÇÃO DO SOSSEGO E PELA SENSAÇÃO EXTREMAMENTE DESAGRADÁVEL DE TER A SUA RESIDÊNCIA INVADIDA POR DEJETOS DE ESGOTO, VINDO A PERDER VÁRIOS BENS MÓVEIS E A FICAR MOMENTANEAMENTE DESABRIGADA, COMPROMETENDO A SUA DIGNIDADE. 7. O JUIZ DEVE ARBITRAR A INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL COM PRUDÊNCIA E MODERAÇÃO, OBSERVANDO OS PRINCÍPIOS DA PROPORCIONALIDADE E DA RAZOABILIDADE, A FIM DE QUE A COMPENSAÇÃO PECUNIÁRIA JAMAIS SE CONVERTA EM FONTE DE ENRIQUECIMENTO E NEM SEJA INEXPRESSIVA, ATENDENDO A SUA DUPLA FINALIDADE COMPENSATÓRIA E PEDAGÓGICA. 8. SOPESADAS AS CIRCUNSTÂNCIAS DOS AUTOS - CONDIÇÃO SÓCIO-ECONÔMICA DA APELADA (PESSOA HUMILDE) ; CAPACIDADE

18 20 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO ECONÔMICA DA APELANTE, CONSIDERANDO A NOTÓRIA ESCASSEZ DOS RECURSOS PÚBLICOS; CONDUTA DA ENTIDADE PÚBLICA APÓS O FATO DANOSO, AO PROCURAR AMENIZAR O SOFRIMENTO DA OFENDIDA, PROVIDENCIANDO A IMEDIATA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DO SEU IMÓVEL; EXTENSÃO DA LESÃO MORAL E CONCORRÊNCIA DE CULPAS -, FICA REDUZIDA A INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS DE R$ ,00 PARA R$ 5.000,00, SUFICIENTE PARA ASSEGURAR UMA JUSTA COMPENSAÇÃO, SEM INCORRER EM ENRIQUECIMENTO INDEVIDO, SERVINDO DE DESESTÍMULO À REINCIDÊNCIA. 9. SÃO DEVIDOS HONORÁRIOS DE ADVOGADO SEMPRE QUE FOR VENCEDOR O BENEFICIÁRIO DA JUSTIÇA GRATUITA (ART. 11 LEI Nº 1.060/50; SÚMULA 450 STF). 10. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO, A FIM DE REDUZIR EM 1/3 (UM TERÇO) A INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS (CULPA CONCORRENTE) E DIMINUIR A INDENIZAÇÃO A TÍTULO DE DANOS MORAIS PARA R$ 5.000,00, VALORES A SEREM CORRIGIDOS MONETARIAMENTE E ACRESCIDOS DE JUROS MORATÓRIOS LEGAIS, DESDE A DATA DO EVENTO DANOSO (SÚMULA 54 STJ) ; CUSTAS PROCESSUAIS PRO RATA, SOBRESTADA A COBRANÇA EM RELAÇÃO À APELADA (ART. 12 LEI 1.060/50) ; HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS, RECÍPROCA E PROPORCIONALMENTE DISTRIBUÍDOS E COMPENSADOS (ART. 21 DO CPC). CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO. 5 APELAÇÃO CÍVEL Nº CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - 3ª VARA CÍVEL APTE.: UNIBANCO UNIÃO DE BANCOS BRASILEIROS S/A ADVOGADO(A): SEVERINA MARIA SOARES APDO.: RONALD SINGUI CADE ADVOGADO(A): JACY FERNANDES APDO.: ELIANA RIBEIRO DA SILVA CADE ADVOGADO(A): JACY FERNANDES RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS REVISOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. PROCESSO CIVIL. AÇÃO DE EXECUÇÃO. SUSPENSÃO DO PROCESSO (ART. 791, III, CPC). EXTINÇÃO DO FEITO EM RAZÃO DA DECLARAÇÃO DE INSOLVÊNCIA, DE OFÍCIO, PELO JUIZ. IMPOSSIBILIDADE. NECESSIDADE DE PRÉVIA INTIMAÇÃO DO CREDOR PARA INFORMAR ACERCA DA EXISTÊNCIA OU NÃO DE BENS PENHORÁVEIS. SENTENÇA ANULADA. RECURSO PROVIDO. I. A DECLARAÇÃO DE INSOLVÊNCIA DO DEVEDOR DEVE SER REQUERIDA PELO CREDOR, NÃO PODENDO SER PROMOVIDA DE OFÍCIO PELO JUIZ. II. O SIMPLES FATO DE O CREDOR NÃO TER SE MANIFESTADO NOS AUTOS SOBRE A EXISTÊNCIA DE BENS PENHORÁVEIS DOS DEVEDORES NÃO QUER NECESSARIAMENTE DIZER QUE AQUELES NÃO EXISTEM, NÃO HAVENDO QUE SE FALAR EM PRESUNÇÃO DE INSOLVÊNCIA. III. RECURSO PROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO AO RECURSO. 6 APELAÇÃO CÍVEL Nº CARIACICA - 3ª VARA CÍVEL APTE.: PORTO SEGURO CIA DE SEGUROS GERAIS ADVOGADO(A): LEANDRO FIGUEIRA VAN DE KOKEN ADVOGADO(A): MARIO SAMPAIO FERNANDES APDO.: ROGERIO COSTA ADVOGADO(A): SOLANGE DE OLIVEIRA NASCIMENTO RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS REVISOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS - DÍVIDA CONTRAÍDA POR SOCIEDADE - INSCRIÇÃO DE SÓCIA EM CADASTRO DE DEVEDORES INADIMPLENTES - IMPOSSIBILIDADE - DISTINÇÃO ENTRE AS OBRIGAÇÕES DA PESSOA JURÍDICA E DOS SÓCIOS - BENEFÍCIO DE ORDEM - RESTRIÇÃO INDEVIDA - DANOS MORAIS CARACTERIZADOS - ARBITRAMENTO DA REPARAÇÃO - PRUDÊNCIA E RAZOABILIDADE - VÍTIMA DE BOA CONDIÇÃO SOCIAL, ADVOGADA - EMBARAÇOS NAS RELAÇÕES PROFISSIONAIS - LONGO TEMPO DE PERMANÊNCIA DA INSCRIÇÃO - POSSIBILIDADE DE REDUÇÃO - ADEQUAÇÃO AOS PARÂMETROS JURISPRUDENCIAIS - RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. 1) NÃO HÁ NENHUMA PROVA DE QUE A REQUERENTE TENHA OUTORGADO PODERES DE REPRESENTAÇÃO À TERCEIRO, A FIM DE QUE ESTE PUDESSE FIRMAR ADITIVO CONTRATUAL ASSUMINDO RESPONSABILIDADE PESSOAL, EM NOME DA OFENDIDA, PELAS OBRIGAÇÕES CONTRAÍDAS PELA PESSOA JURÍDICA. 2) O ADITIVO CONTRATUAL, ENQUANTO NEGÓCIO JURÍDICO, CARECE DE REQUISITO DE EXISTÊNCIA, SIMPLESMENTE PORQUE NÃO HOUVE MANIFESTAÇÃO DA VONTADE DA PARTE ENVOLVIDA. CELEBRADO POR TERCEIRO, SEM PODERES DE REPRESENTAÇÃO, O ADITIVO É INEFICAZ, AO MENOS NO QUE TOCA À REQUERENTE. 3) AS PESSOAS JURÍDICAS TÊM EXISTÊNCIA DISTINTA DA DOS SEUS MEMBROS. A RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS É SUBSIDIÁRIA, OU SEJA, AS DÍVIDAS DA SOCIEDADE SÓ LHE PODEM SER EXIGIDAS, PESSOALMENTE, QUANDO A PESSOA JURÍDICA NÃO TIVER CONDIÇÕES DE PAGÁ-LAS. ISSO, OBVIAMENTE, PRESSUPÕE QUE A SOCIEDADE SEJA COBRADA EM PRIMEIRO LUGAR, O QUE NÃO FICOU DEMONSTRADOS NOS AUTOS. 4) PATENTE O ATO ILÍCITO, A CONSEQÜÊNCIA É O DEVER DE INDENIZAR PELOS DANOS MORAIS CAUSADOS, QUE, IN CASU, NÃO DEPENDEM DE PROVA. 5) O QUANTUM INDENIZATÓRIO FIXADO NA SENTENÇA, R$ ,00, ESTÁ BASTANTE ALÉM DOS VALORES PRATICADOS PELA JURISPRUDÊNCIA EM HIPÓTESES ANÁLOGAS. 6) O ADVOGADO, ASSIM COMO BOA PARTE DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, É RECONHECIDO NA SOCIEDADE POR SEU BOM NOME, QUE NO CASO DA REQUERENTE, RESTOU ABALADO PELA PECHA DE MAU PAGADORA QUE LHE FOI, INJUSTAMENTE, ATRIBUÍDA. 7) CONSIDERANDO A POSIÇÃO SOCIAL DAS PARTES, OS EMBARAÇOS CAUSADOS A ATIVIDADE PROFISSIONAL DA REQUERENTE, O LONGO TEMPO DE PERMANÊNCIA DA INSCRIÇÃO E O CARÁTER REPRESSIVO E PEDAGÓGICO DA REPARAÇÃO, RESTOU FIXADA EM R$ 7.000,00. 8) RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO, APENAS PARA MINORAR O VALOR DA CONDENAÇÃO. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO, A TEOR DO VOTO PROFERIDO PELA RELATORA. 7 APELAÇÃO CÍVEL Nº CARIACICA - 3ª VARA DE FAMÍLIA APTE.: CLARA PILONI DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): ALLAN ESCORCIO BARBOSA ADVOGADO(A): MARCIO GARCIA DOS SANTOS APDO.: LUCIENE DE SOUZA SODRE ADVOGADO(A): MARIA LUZIA AMARAL BARBIERI ADVOGADO(A): SANTIAGO BARBIERI RELATOR: CARLOS ROBERTO MIGNONE REVISOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: CLARA PILONI DE OLIVEIRA. APELADO: LUCIENE DE SOUZA SODRÉ. RELATOR: DES. CARLOS ROBERTO MIGNONE ACÓRDÃO EMENTA: CIVIL E PROCESSUAL CIVIL - AÇÃO DE RECONHECIMENTO DE UNIÃO ESTÁVEL - AUSÊNCIA DOS ELEMENTOS CONFIGURADORES - APELAÇÃO CONHECIDA E IMPROVIDA. 1. AUSÊNCIA DE ELEMENTOS SUFICIENTES PARA A COMPROVAÇÃO DA UNIÃO ESTÁVEL ENTRE AS PARTES, HAJA VISTA QUE AS VIAGENS, OS EVENTUAIS ENCONTROS DANÇANTES NÃO TRAZEM À TONA A COMPROVAÇÃO DE VIDA COMUM COM APARÊNCIA DE CASAMENTO, A PUBLICIDADE DA UNIÃO COMO SE CASADOS FOSSEM E A AJUDA MÚTUA, ELEMENTOS QUE CARACTERIZAM A UNIÃO ESTÁVEL.- 2. AUSÊNCIA DE COABITAÇÃO ENTRE A APELANTE E O DE CUJUS, QUE APESAR DE NÃO SER IMPRESCINDÍVEL, CONFORME SÚMULA DO 382 DO STF É CONDIÇÃO IMPORTANTE PARA CARACTERIZAR A

19 21 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO RELAÇÃO DE UNIÃO ESTÁVEL ENTRE O HOMEM E A MULHER, HAJA VISTA A CONSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA, GERALMENTE, DÁ-SE COM A CONVIVÊNCIA EM UM SÓ DOMICÍLIO.- 3. APELAÇÃO CÍVEL CONHECIDA E IMPROVIDA.- VITÓRIA/ES, 28 DE AGOSTO DE CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. 8 APELAÇÃO CÍVEL Nº COMARCA DE MIMOSO DO SUL APTE.: JU UNGARO AGROPASTORIL LTDA ADVOGADO(A): JOSE HENRIQUE FRASCA ADVOGADO(A): JOSE LUIZ BASILIO ADVOGADO(A): MICHELLE ALVES MOREIRA APTE.: BRADESCO SEGUROS S/A ADVOGADO(A): AROLDO LIMONGE ADVOGADO(A): BIANCA V. LIMONGE RAMOS APDO.: LUZIA VICENTE DE ARAUJO ADVOGADO(A): JONATHAS LUCAS WANDERMUREN ADVOGADO(A): ROGERIO TORRES RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS JULGADO EM 04/09/2007 E LIDO EM 25/09/2007 APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR ACIDENTE AUTOMOBILÍSTICO - MORTE DE FILHO MAIOR - 1) LAUDO ELABORADO PELO DEPARTAMENTO DE CRIMINALÍSTICA DA POLÍCIA CIVIL - DOCUMENTO PÚBLICO, ALICERÇADO EM OBSERVAÇÕES EMPÍRICAS - CAMINHÃO QUE INGRESSA NA CONTRAMÃO DE DIREÇÃO E COLIDE FRONTALMENTE COM O AUTOMÓVEL DA VÍTIMA - IMPRUDÊNCIA E IMPERÍCIA - PONTO DE COLISÃO LOCALIZADO NA PISTA DE ROLAMENTO EM QUE SEGUIA A VÍTIMA - PREVALÊNCIA DO REFERIDO LAUDO SOBRE CONTEÚDO DE BOLETIM DE OCORRÊNCIA, QUE NADA INFORMA SOBRE A DINÂMICA DO ACIDENTE - CULPA DO PREPOSTO DA REQUERIDA SOBEJAMENTE DEMONSTRADA - DEVER DE INDENIZAR CARACTERIZADO - 2) INDENIZAÇÃO PELA PERDA TOTAL DO VEÍCULO ABALROADO - FATO NOTÓRIO - QUESTIONAMENTO QUANTO AO VALOR ATRIBUÍDO AO BEM - PONTO NÃO CONTROVERTIDO NO MOMENTO ADEQUADO - PRECLUSÃO - ÔNUS DA IMPUGNAÇÃO ESPECIFICADA - 3) CONDENAÇÃO AO PAGAMENTO DAS DESPESAS DE FUNERAL - CERTEZA DA REALIZAÇÃO DOS GASTOS - PRECEDENTES DO STJ - 4) PENSIONAMENTO MENSAL INSTITUÍDO EM FAVOR DA MÃE DA VÍTIMA, VIÚVA DE POUCAS POSSES - FILHO MAIOR, QUE EXERCIA ATIVIDADE ECONÔMICA E CONTRIBUÍA PARA A MANUTENÇÃO DO LAR - RECIPROCIDADE DO DEVER DE PRESTAR ALIMENTOS - EXISTÊNCIA DE OUTROS FILHOS - IRRELEVÂNCIA - VALOR DA PENSÃO - 2/3 (DOIS TERÇOS) DO SALÁRIO MÍNIMO - DIMINUIÇÃO - POSSIBILIDADE - PRESUNÇÃO DE QUE O DE CUJUS CONSTITUIRIA NOVO NÚCLEO FAMILIAR - FIXAÇÃO DA VERBA MENSAL NA TERÇA PARTE DO SALÁRIO MÍNIMO - TERMO FINAL DA PENSÃO - DATA EM QUE A VÍTIMA ATINGIRIA SESSENTA E CINCO ANOS, SE A TANTO SOBREVIVER A BENEFICIÁRIA - 5) INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS - GRAVIDADE DO DANO - CONDENAÇÃO FIXADA EM DUZENTOS SALÁRIOS MÍNIMOS - RAZOABILIDADE - VALOR AQUÉM DOS REGULARMENTE PRATICADOS PELA JURISPRUDÊNCIA DO STJ - MANUTENÇÃO DA QUANTIA - 6) DEDUÇÃO, DO TOTAL DA CONDENAÇÃO, DA INDENIZAÇÃO PAGA PELO SEGURO OBRIGATÓRIO - POSSIBILIDADE - SÚMULA 246, STJ - 7) DANOS MORAIS - CORREÇÃO MONETÁRIA A PARTIR DA DATA DO ARBITRAMENTO DO QUANTUM - 8) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - REQUERENTE BENEFICIADA PELA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA - LIMITAÇÃO DA VERBA A 15% DA CONDENAÇÃO - ART. 11, 1º, LEI 1.060/50 - IMPOSSIBILIDADE - REGRA DO 3º, ART. 20, CPC - HONORÁRIOS MANTIDOS NO PATAMAR DE 20%, CONSIDERANDO, NO TOCANTE ÀS PRESTAÇÕES PERIÓDICAS DA CONDENAÇÃO, AS PARCELAS VENCIDAS E DOZE DAS VINCENDAS - 9) RECURSO DA REQUERIDA PARCIALMENTE PROVIDO - 10) RECURSO DA SEGURADORA - LIMITAÇÃO DA CONDENAÇÃO REGRESSIVA À COBERTURA DA APÓLICE - ABRANGÊNCIA DOS DANOS MORAIS PELA COBERTURA PREVISTA A TÍTULO DE DANOS PESSOAIS - EXPRESSA EXCLUSÃO DE COBERTURA PARA DANOS MORAIS - PRECEDENTES DO STJ - RECURSO DA SEGURADORA PARCIALMENTE PROVIDO - 11) SUCUMBÊNCIA RECÍPROCA - DISTRIBUIÇÃO PROPORCIONAL DAS CUSTAS E HONORÁRIOS. I - O LAUDO DE EXAME DE ACIDENTE DE TRÂNSITO ELABORADO POR PERITOS DO DEPARTAMENTO DE CRIMINALÍSTICA DA POLÍCIA CIVIL DEIXA CABALMENTE DEMONSTRADO QUE O PONTO DE COLISÃO ENTRE OS VEÍCULOS DA REQUERIDA E DA VÍTIMA, ESTÁ SITUADO SOBRE A FAIXA DE DIREÇÃO DESTA ÚLTIMA, O QUE, INCLUSIVE, PODE SER AFERIDO ATRAVÉS DAS FOTOGRAFIAS QUE INSTRUEM O LAUDO. II - O BOLETIM DE ACIDENTE DE TRÂNSITO (BAT), QUE TOMOU APENAS AS DECLARAÇÕES DO PREPOSTO DA REQUERIDA, NADA ELUCIDA A RESPEITO DA DINÂMICA DO ACIDENTE, E EM NENHUM MOMENTO APONTA QUE A VÍTIMA DEU CAUSA AO SINISTRO. III - O FATO DO LAUDO PERICIAL SER FRUTO DE OBSERVAÇÕES FEITAS CERCA DE QUATRO HORAS APÓS O ACIDENTE, NÃO COMPROMETE AS CONCLUSÕES LÁ REGISTRADAS, UMA VEZ QUE AS FOTOGRAFIAS QUE O ILUSTRAM EVIDENCIAM QUE A CENA ESTAVA PRESERVADA. IV - AS DECLARAÇÕES PRESTADAS PELO CONDUTOR DO CAMINHÃO EM JUÍZO NÃO TEM FORÇA PARA SE SOBREPOR AO LAUDO PERICIAL, DO QUAL ESTÃO COMPLETAMENTE DISSOCIADAS. TRATA-SE DE DEPOIMENTO DE PESSOA QUE TEM EVIDENTE INTERESSE NO RESULTADO DA DEMANDA, E QUE, PORTANTO, NÃO PODE INFIRMAR AS CONCLUSÕES LANÇADAS EM DOCUMENTO PÚBLICO, QUE GOZA DE PRESUNÇÃO DE VERACIDADE. V - SOBEJAMENTE DEMONSTRADA A CULPA DO PREPOSTO DA REQUERIDA, QUE, AGINDO COM IMPRUDÊNCIA E IMPERÍCIA, INGRESSOU NA CONTRAMÃO E ATINGIU O AUTOMÓVEL CONDUZIDO PELA VÍTIMA, CAUSANDO-LHE INSTANTANEAMENTE A MORTE. EVIDENTE, PORTANTO, TAMBÉM O NEXO ETIOLÓGICO E O GRAVÍSSIMO DANO. VI - A PERDA TOTAL DO VEÍCULO DA VÍTIMA É FATO NOTÓRIO, HAJA VISTA AS FOTOGRAFIAS QUE INSTRUEM O LAUDO PERICIAL. NO TOCANTE AO VALOR ATRIBUÍDO AO CARRO, NÃO PODEM A REQUERIDA E A SEGURADORA AGORA, EM GRAU DE RECURSO, CONTESTÁ-LO, JÁ QUE SUPERADO O MOMENTO ADEQUADO, SENDO CERTO QUE COMPETE AO DEMANDADO O ÔNUS DA IMPUGNAÇÃO ESPECIFICADA, SOB PENA DE PRESUNÇÃO DE VERACIDADE DO ALEGADO PELO DEMANDANTE, A TEOR DO ARTIGO 302, DO CPC. VII - COMO JÁ ASSENTADO PELA JURISPRUDÊNCIA, AS DESPESAS COM FUNERAL NÃO NECESSITAM DE COMPROVAÇÃO, EM RAZÃO DA CERTEZA DO FATO E DA REALIZAÇÃO DO GASTO. VIII - A PROVA TESTEMUNHAL PRODUZIDA DEIXOU DEMONSTRADO QUE A VÍTIMA EXERCIA ATIVIDADE ECONÔMICA QUE LHE PROPORCIONAVA RENDIMENTOS, UTILIZANDO SEU VEÍCULO COMO UMA ESPÉCIE DE TÁXI. FICOU PROVADO TAMBÉM QUE A REQUERENTE, MÃE DO DE CUJUS, RECEBIA DO MESMO AUXÍLIO MATERIAL. IX - SENDO A REQUERENTE PESSOA HUMILDE, QUE PERCEBE MENSALMENTE APENAS UM SALÁRIO MÍNIMO, É PLENAMENTE PLAUSÍVEL PRESUMIR QUE O FILHO MAIOR, QUE QUANDO EM VIDA, CONTRIBUÍA PARA A MANUTENÇÃO DO LAR MATERNO, O FIZESSE DURANTE TODA A VIDA. O DEVER DE PRESTAR ALIMENTOS É RECÍPROCO ENTRE PAIS E FILHOS (ART , CC). PRECEDENTES DO STJ. X - O FATO DA REQUERIDA TER OUTROS DOIS FILHOS MAIORES E CAPAZES NÃO TORNA DESNECESSÁRIO O PENSIONAMENTO. UMA VEZ CONHECIDO DE QUE SE TRATA DE FAMÍLIA DE POUCAS POSSES, TUDO O QUE ACRESCE É VALIOSO. XI - SE AUTORIZADA A PRESUNÇÃO DE QUE A VÍTIMA SEMPRE PRESTARIA AUXÍLIO À SUA MÃE, É TAMBÉM ADMISSÍVEL QUE SE PRESUMA QUE O FALECIDO, COM VINTE E SEIS ANOS DE IDADE, JÁ SE PREPARAVA PARA A CONSTITUIR UM NOVO NÚCLEO FAMILIAR, ASSUMINDO NOVAS DESPESAS. DEVE SER REDUZIDO O VALOR DA PENSÃO, PASSANDO-O PARA A TERÇA PARTE DO SALÁRIO MÍNIMO. XII - O TERMO FINAL DO PENSIONAMENTO É A DATA EM QUE O DE CUJUS VIRIA A COMPLETAR SESSENTA E CINCO ANOS DE IDADE, SE A TANTO SOBREVIVER A BENEFICIÁRIA. XIII - A INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS, ARBITRADA EM DUZENTOS SALÁRIOS-MÍNIMOS, NÃO É ELEVADA, CONSIDERANDO A GRAVIDADE DO DANO E O CARÁTER PUNITIVO E PEDAGÓGICO DA CONDENAÇÃO. A QUANTIA ESTABELECIDA ESTÁ BASTANTE AQUÉM DOS VALORES RECOMENDADOS PELA JURISPRUDÊNCIA DO STJ EM HIPÓTESES SEMELHANTES.

20 22 Quinta-Feira 04 de Outubro de 2007 Edição nº 3171 D.J. ESPÍRITO SANTO XIV - O VALOR DO SEGURO OBRIGATÓRIO DEVE SER DEDUZIDO DA INDENIZAÇÃO JUDICIALMENTE FIXADA. (SÚMULA 246, STJ). XV - NO TOCANTE À CONDENAÇÃO AO PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS, A CORREÇÃO MONETÁRIA DEVE SER COMPUTADA A PARTIR DA DATA DA DECISÃO QUE A FIXOU. XVI - OS HONORÁRIOS DEVIDOS EM FAVOR DO PROCURADOR DA PARTE QUE LITIGA SOB O PÁLIO DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA, NÃO ESTÃO LIMITADOS AO PERCENTUAL DE 15% ESTABELECIDO NO 1º, DO ARTIGO 11, DA LEI N.º 1.060/50. PRECEDENTES DO STJ. XVII - ENVOLVENDO A CONDENAÇÃO O PAGAMENTO DE PRESTAÇÕES PERIÓDICAS, O VALOR DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS DEVE CONSIDERAR APENAS AS PARCELAS VENCIDAS E DOZE DAS VINCENDAS, ALÉM É CLARO, DAS CONDENAÇÕES A TÍTULO DE DANOS MORAIS, PELA PERDA TOTAL DO VEÍCULO ABALROADO E DESPESAS DE FUNERAL. XVIII - RECURSO DA REQUERIDA PARCIALMENTE PROVIDO. XIX - A RESPONSABILIDADE DA SEGURADORA ESTÁ LIMITADA À COBERTURA ESTIPULADA NO CONTRATO, QUE EXCLUI EXPRESSAMENTE COBERTURA POR DANOS MORAIS, QUE NÃO FOI CONTRATADA PELA EMPRESA SEGURADA. HAVENDO NAS CONDIÇÕES GERAIS EXPRESSA DISTINÇÃO ENTRE COBERTURA POR DANOS PESSOAIS E DANOS MORAIS, NÃO SE SUSTENTA A TESE DE QUE ESTES SÃO ABRANGIDOS POR AQUELES. PRECEDENTES. XX - RECURSO DA SEGURADORA PARCIALMENTE PROVIDO, PARA DEIXAR DE CONDENÁ-LA REGRESSIVAMENTE AO PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. XXI - CONSIDERANDO QUE CADA LITIGANTE DECAIU EM PARTE DE SUA PRETENSÃO, AS VERBAS DE SUCUMBÊNCIA DEVEM SER DISTRIBUÍDAS NA BASE DE 25%, PARA A REQUERENTE, E 75% PARA A REQUERIDA. DEVE A SEGURADORA REEMBOLSAR A SEGURADA PELAS DESPESAS DE SUCUMBÊNCIA, DEIXANDO DE ACRESCENTAR, NO CÁLCULO DOS HONORÁRIOS, O VALOR DA CONDENAÇÃO A TÍTULO DE REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO, A TEOR DO VOTO PROFERIDO PELA RELATORA. 9 APELAÇÃO CÍVEL Nº VILA VELHA - 6ª VARA CÍVEL APTE.: BRAIS CAMPOS ADVOGADO(A): MARCELO MARIANELLI LOSS APDO.: VITÓRIA DIESEL LTDA ADVOGADO(A): FLAVIA MIRANDA OLEARE RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS REVISOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - RESPONSABILIDADE CIVIL - TRANSAÇÃO COMERCIAL HABITUAL - NEGATIVA DE CONCESSÃO DE CRÉDITO MOTIVADA POR RECLAMAÇÃO NO PROCON E DEMANDA JUDICIAL - ABUSO DE DIREITO (ART. 160, I, CC/1916; ART. 187 DO CC/2002) - DANO MORAL INDENIZÁVEL - PEDIDO PROCEDENTE - RECURSO PROVIDO. 1. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL EM CONSEQÜÊNCIA DE TRATAMENTO DISCRIMINATÓRIO SOFRIDO PELO AUTOR AO TER RECUSADA A CONCESSÃO DE CRÉDITO EM TRANSAÇÃO COMERCIAL COSTUMEIRA, REFERENTE À AQUISIÇÃO DE PEÇAS PARA REPAROS MECÂNICOS EM SEU VEÍCULO, EXCLUSIVAMENTE EM VIRTUDE DE ANTERIOR RECLAMAÇÃO CONTRA A CONCESSIONÁRIA RÉ PERANTE O PROCON E PROPOSITURA DE DEMANDA JUDICIAL. 2. É INCONTROVERSO QUE A RECUSA NA CONCESSÃO DO CRÉDITO AO APELANTE FOI MOVIDA ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE POR RETALIAÇÃO DA CONCESSIONÁRIA APELADA À RECLAMAÇÃO FORMULADA PERANTE O PROCON E AO AFORAMENTO DE DEMANDA JUDICIAL, COMO MEIO EXTREMAMENTE REPROVÁVEL DE PENALIZAR AQUELE QUE EXERCEU O SEU LEGÍTIMO DIREITO DE CIDADANIA, FRUSTRANDO-LHE A EXPECTATIVA EM TORNO DA REALIZAÇÃO DE TRANSAÇÃO COMERCIAL HABITUAL, CUJA CONCRETIZAÇÃO SOMENTE OCORREU PELA INTERMEDIAÇÃO DE TERCEIRO, QUE USOU O SEU NOME PARA EFETUAR A ALMEJADA COMPRA A PRAZO. 3. NESSAS CIRCUNSTÂNCIAS, É MANIFESTO O ABUSO NO EXERCÍCIO DE DIREITO PELA APELADA, AO DISPENSAR TRATAMENTO DISCRIMINATÓRIO REPUGNANTE E INACEITÁVEL A UM CLIENTE QUE SEMPRE HONROU PONTUALMENTE OS COMPROMISSOS ASSUMIDOS. 4. ALÉM DA INJUSTA DISCRIMINAÇÃO, É INEGÁVEL O TRANSTORNO E A AFLIÇÃO CAUSADOS PELA NEGATIVA INJUSTIFICADA DE CRÉDITO AO APELANTE, QUE DEPENDIA ESSENCIALMENTE DAS PEÇAS FORNECIDAS PELA APELADA PARA REPARAR O SEU VEÍCULO E DAR PROSSEGUIMENTO À EXECUÇÃO DE SUAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS, O QUE CONFIGURA DANO EXTRAPATRIMONIAL PASSÍVEL DE COMPENSAÇÃO PECUNIÁRIA. 5. SOPESANDO AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO (INTENSIDADE DA CULPA, REPERCUSSÃO DA OFENSA MORAL, CONDIÇÃO SOCIAL DO OFENDIDO E CAPACIDADE ECONÔMICA DA OFENSORA), CONSIDERANDO O FATO DE O APELANTE TER CONSEGUIDO CONCRETIZAR A TRANSAÇÃO COMERCIAL PRETENDIDA, É RAZOÁVEL E PROPORCIONAL FIXAR A INDENIZAÇÃO EM R$ 2.000,00 (DOIS MIL REAIS), ATUALIZADOS MONETARIAMENTE E ACRESCIDOS DE JUROS MORATÓRIOS DESDE O EVENTO DANOSO (SÚMULA Nº 54 DO STJ), ASSEGURANDO UMA JUSTA COMPENSAÇÃO PELO ABALO MORAL SOFRIDO, SEM IMPORTAR NO SEU ENRIQUECIMENTO INDEVIDO, SENDO TAMBÉM O BASTANTE PARA SERVIR DE DESESTÍMULO À REINCIDÊNCIA. 7. RECURSO PROVIDO, PARA JULGAR PROCEDENTE A PRETENSÃO AUTORAL. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO AO RECURSO, A TEOR DO VOTO PROFERIDO PELA RELATORA. 10 APELAÇÃO CÍVEL Nº VILA VELHA - 2ª VARA CÍVEL APTE.: TANGARA IMPORTADORA E EXPORTADORA LTDA ADVOGADO(A): ANGELO GIUSEPPE J DUARTE APDO.: MARUBA DO BRASIL AG MARITIMA LTDA ADVOGADO(A): HUDSON DE LIMA PEREIRA APDO.: MARUBA S C A ADVOGADO(A): DÉBORA FONSECA CUNHA RELATOR: CATHARINA MARIA NOVAES BARCELLOS REVISOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU JULGADO EM 28/08/2007 E LIDO EM 25/09/2007 EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. PRELIMINAR DE CERCEAMENTO DE DEFESA. ACOLHIDA. DESCABIMENTO DO JULGAMENTO ANTECIPADO DA LIDE. NECESSIDADE DE OPORTUNIZAR À RÉ A PRODUÇÃO DE PROVAS EM AUDIÊNCIA PARA PROVA DE SUAS ALEGAÇÕES. NULIDADE DA SENTENÇA. I. CONFIGURA CERCEAMENTO DE DEFESA O JULGAMENTO ANTECIPADO DA LIDE, A DESPEITO DA VISÍVEL NECESSIDADE DA PARTE RÉ DE PRODUÇÃO DE PROVAS EM AUDIÊNCIA. II. PRELIMINAR DE CERCEAMENTO ACOLHIDA. SENTENÇA ANULADA. CONCLUSÃO: ACORDA A EGRÉGIA QUARTA CÂMARA CÍVEL NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE, ACOLHER A PRELIMINAR, PARA DE CONSEQUÊNCIA, ANULAR A SENTENÇA. 11 AGRAVO INOMINADO EMB DECLARAÇÃO AGV INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 1ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL AGVTE.: LUIZ CARLOS MONJARDIM AYRES ADVOGADO(A): JANAINA BARBOSA DE SOUZA BOLZAN LESSA ADVOGADO(A): MARIA PAULA MENDES DE MATTOS MOURA LOUREIRO ADVOGADO(A): PAULO ROBERTO DA COSTA MATTOS AGVDO.: ANGELA MARIA NICOLETTI SALAZAR DA VEIGA ADVOGADO(A): EDUARDO THIEBAUT PEREIRA ADVOGADO(A): JAQUES MARQUES PEREIRA AGVDO.: KATIA FIRME NICOLETTI ADVOGADO(A): EDUARDO THIEBAUT PEREIRA ADVOGADO(A): JAQUES MARQUES PEREIRA AGVDO.: MARIA THEREZA SEIDL NICOLETTI ADVOGADO(A): EDUARDO THIEBAUT PEREIRA ADVOGADO(A): JAQUES MARQUES PEREIRA

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 REEXAME NECESSÁRIO Nº 0031154-87.2008.8.08.0024 (024080311541) - VITÓRIA

Leia mais

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 5ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020148016AGI Agravante(s) SINDICATO DOS ODONTOLOGISTAS DO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 781.703 - RS (2005/0152790-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : UNIÃO : MARCOS ROBERTO SILVA DE ALMEIDA E OUTROS : WALDEMAR MARQUES E OUTRO EMENTA

Leia mais

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ).,, JI WrIlei ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 041.2007.001993-4/001 RELATOR: Eduardo José de Carvalho Soares

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO A C Ó R D Ã O 3ª T U R M A PODER JUDICIÁRIO FEDERAL MEMBRO DE CONSELHO CONSULTIVO. ESTABILIDADE. DESCABIMENTO. Não faz jus à estabilidade sindical o empregado eleito pelo órgão consultivo da entidade,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

ACÓRDÃO. oes i n'ítiu v.5

ACÓRDÃO. oes i n'ítiu v.5 o AI no 037.2010.002.240-1/001, oes i n'ítiu v.5 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO AGRAVO INTERNO No

Leia mais

Resumo Ata da 30ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013

Resumo Ata da 30ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013 Resumo Ata da 30ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013 Aos vinte e um dias do mês de outubro do ano dois mil e treze, às dez horas, no Auditório da Procuradoria-Geral de Justiça,

Leia mais

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual AC no 200.2010.039908-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2 010.039908-4/001

Leia mais

Resumo Ata da 21ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013

Resumo Ata da 21ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013 Resumo Ata da 21ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2013 Aos cinco dias do mês de agosto do ano dois mil e treze, às dez horas e cinquenta minutos, no Auditório da Procuradoria-Geral

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA 1 Agravo de instrumento. Mandado de segurança. Suspensão de exigibilidade de tributo. ICMS. Desembaraço aduaneiro. Contrato de afretamento de embarcação em regime de admissão temporária. REPETRO. Decisão

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 APELAÇÃO CIVEL Nº 0020860-15.2004.8.08.0024 (024040208605) - VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N. 048.2009.000261-8/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva APELANTE : Sérgio Pia

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior DECISÃO APELAÇÃO CIVEL N 048.2003.001021-8/001 CUITEGI RELATOR: Juíza Maria das Neves do Egito

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO APTE : ESTADO DE PERNAMBUCO ADV/PROC : LUCIANA ROFFE DE VASCONCELOS E OUTROS APDO : ECT EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ADV/PROC : CASSIANO RICARDO DIAS DE MORAES CAVALCANTI E OUTROS REMTE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS SENTENÇA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS SENTENÇA Sentença tipo A Impetrante: ISABELA FONTES DE ARAÚJO Impetrado: REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS SENTENÇA Tratam os autos de mandado de segurança, com pedido de liminar, impetrado por ISABELA FONTES

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EDcl no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 694.688 - SP (2005/0121691-5) RELATOR : MINISTRO FELIX FISCHER AGRAVANTE : ANELINO ANTONIO RODRIGUES ADVOGADO : HERTZ JACINTO COSTA AGRAVADO : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) COMARCA IMPETRANTE IMPETRADO ÓRGÃO JULGADOR DESEMBARGADOR RELATOR SUBPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS

Leia mais

Athayde Filho e outros) Vistos etc.

Athayde Filho e outros) Vistos etc. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N2 107.2009.000348-7/001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Apelante: Município de Lagoa

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos os autos acima referenciados.

VISTOS, relatados e discutidos os autos acima referenciados. 4* 'L, Á `4'INI ~nu Pd Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça Gabinete do Des. Marcos Antônio Souto Maior ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 001.2008.001148-7/001 - CAMPINA GRANDE RELATOR : Juiz

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 23/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 30/08/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 684.169 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.383 - RS (2012/0041009-1) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : ANTONIO CHAGAS DE ANDRADE ADVOGADOS : MARCELO LIPERT E OUTRO(S) ROBERTO DE FIGUEIREDO

Leia mais

ACÓRDÃO. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D.

ACÓRDÃO. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. AC no 001.2011.003557-1/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO REMESSA OFICIAL No 001.2011.003557-1/001

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.11.062985-4/001 Númeração 0629854- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Armando Freire Des.(a) Armando Freire 28/10/2014 10/11/2014 EMENTA:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO RELATÓRIO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO RELATÓRIO 8 0 1 0 PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO Trata-se de apelação interposta por RONILSON DE ASSIS FERRARI contra sentença que julgou improcedente o pedido em ação ordinária objetivando a condenação da União ao

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. DECADÊNCIA. PRESCRIÇÃO. PRAZO INICIAL. O processo do trabalho guarda perfeita simetria ao processo administrativo tributário posto

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO APELAÇÃO CÍVEL (AC) Nº 296203/AL (2000.80.00.003296-1) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC : NATHALIE PAIVA TEIXEIRA CAMBUY SODRE VALENTIM E OUTROS APTE : PREVI - CAIXA PREVIDENCIARIA

Leia mais

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA.

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA. 1 Brasília (DF), 7 de maio de 2012. Ilustríssimo Senhor Professor LUIZ HENRIQUE SCHUCH, 1º Vice-Presidente do SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR- ANDES-SINDICATO NACIONAL.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.015.473 - RS (2007/0299452-2) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : SIMONE DAI PRA ZAMIN ADVOGADO : FELIPE NÉRI DRESCH DA SILVEIRA E OUTRO(S) AGRAVADO :

Leia mais

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator):

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): APELAÇÃO CÍVEL Nº 511146/AL (0002840-14.2010.4.05.8000) APTE : CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS DA 6ª REGIÃO (AL/PE/PB/RN/CE/PI/MA) ADV/PROC : ALINE JANISZEWSKI LINS APDO : SHBRS/AL - SINDICATO DOS

Leia mais

*00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS, em

*00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS, em / TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO h ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N *00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS,

Leia mais

D E C I S Ã O. Vistos.

D E C I S Ã O. Vistos. D E C I S Ã O Vistos Trata-se de mandado de segurança impetrado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ECT pretendendo a concessão de liminar nas modalidades initio litis e inaudita altera pars

Leia mais

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O Agravo Regimental em Agravo Regimental em Apelação Cível 437320-59.2008.8.09.0051 (200894373200) Comarca de Goiânia Agravante : Pienge Construtora Ltda Agravada : Agência Municipal do Meio Ambiente Amma

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): À conta de Remessa Oficial, examina-se a sentença proferida pelo MM. Juiz Federal da 2ª Vara da Seção Judiciária do Ceará, que, nos autos da

Leia mais

Boa Vista, 1 de abril de 2015 ANO XVIII - EDIÇÃO 5481 Disponibilizado às 20:00 de 31/03/2015

Boa Vista, 1 de abril de 2015 ANO XVIII - EDIÇÃO 5481 Disponibilizado às 20:00 de 31/03/2015 Boa Vista, 1 de abril de 2015 ANO XVIII - EDIÇÃO 5481 Disponibilizado às 20:00 de 31/03/2015 Boa Vista, 1 de abril de 2015 Diário da Justiça Eletrônico ANO XVIII - EDIÇÃO 5481 002/150 Boa Vista, 1 de abril

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG Agravo Interno na APELAÇÃO N.º 0001126-86.2007.8.19.0050 Apelante: ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Apelado:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL RELATOR: JUIZ FEDERAL RELATÓRIO Cuida-se de pedido de uniformização de jurisprudência que tem por objeto divergência entre julgado da 2ª Turma Recursal do Rio de Janeiro e acórdão proferido pela Turma

Leia mais

COORDENADORIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA CONVOCAÇÃO

COORDENADORIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA CONVOCAÇÃO 3 Segunda-Feira 01 de setembro de 2008 Edição nº 3386 D.J. ESPÍRITO SANTO COORDENADORIA DOS JUIZADOS ESPECIAIS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DA PRESIDÊNCIA CONVOCAÇÃO

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Registro: 2013.0000791055 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0024907-79.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante CRIA SIM PRODUTOS DE HIGIENE

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO APELAÇÃO CÍVEL Nº 553789/CE (0004204-41.2012.4.05.8100) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : FACULDADE CATÓLICA DE FORTALEZA - FCF E OUTRO ADV/PROC : CARMEN ANDREIA PEIXOTO GURGEL ORIGEM : 4ª VARA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA. DECISÃO MONOCRÁTICA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA REMESSA OFICIAL N. 200.2010.034-761-21001. ORIGEM : 2.a Vara da Fazenda Pública da Comarca da

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão DJe 01/03/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 MANDADO DE SEGURANÇA 30.604 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) : MIN. GILMAR MENDES :MARCELINA MARIA FERREIRA

Leia mais

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Órgão: TURMA REGIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA N. Processo: 0500029-74.2008.4.05.8103 Origem: Primeira Turma Recursal do Estado do Ceará Recorrente: João Ferreira

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no MANDADO DE SEGURANÇA Nº 14.450 - DF (2009/0121835-8) RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA AGRAVANTE : VERA LÚCIA DE ARAÚJO COSTA ADVOGADO : PEDRO ULISSES COELHO TEIXEIRA AGRAVADO : MINISTRO

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná TRIBUNAL DE JUSTIÇA Relator : Desembargador Frederico Martinho da NObrega Coutinho

Leia mais

1-9N8 Jtk"iitE. tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

1-9N8 JtkiitE. tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO , 1-9N8 Jtk"iitE tsr 'ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO MONOCRÁTICA RECURSO EX OFFICIO N. 032.2009.000.034-3/001 RELATOR : Des.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 864.760 - GO (2006/0145586-0) RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG) RECORRENTE : UNIÃO RECORRIDO : SALVADOR LAUREANO DE ASSUNÇÃO ADVOGADO : LÁZARO SOBRINHO

Leia mais

ACÓRDÃO. VISTOS, relatados e discutidos estes autos.

ACÓRDÃO. VISTOS, relatados e discutidos estes autos. AC no 200.2010.014.406-8/001 1 jn:idá-j Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2010.014.406-8/001

Leia mais

Resumo Ata da 12ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2014

Resumo Ata da 12ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2014 Resumo Ata da 12ª sessão do Conselho Superior do Ministério Público no ano de 2014 Aos quatro dias do mês de agosto do ano dois mil e catorze, às doze horas e trinta e cinco minutos, no Auditório da Procuradoria-Geral

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO REMESSA EX OFFICIO EM AÇÃO CÍVEL Nº 526414/CE (2009.81.00.014498-7) PARTE A : BERCHRIS MOURA REQUIÃO NETO ADV/PROC : MARCUS CLAUDIUS SABOIA RATTACASO E OUTROS PARTE R : UNIÃO FEDERAL REMTE : JUÍZO FEDERAL

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 18/11/2014 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 804.674 SÃO PAULO RELATOR : MIN. ROBERTO BARROSO AGTE.(S) :MUNICÍPIO DE SANTOS PROC.(A/S)(ES)

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 200 Registro: 2014.0000390320 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2044896-12.2014.8.26.0000, da Comarca de Franca, em que é agravante MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc *AMS 99.905-CE (2003.81.00.025197-2) APTE: INSS-INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC: PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO: LAR ANTÔNIO DE PÁDUA ADV/PROC: LEONARDO AZEVEDO PINHEIRO BORGES

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro 63 4ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS PROCESSO Nº 0000798-11.2011.4.02.5164/01 (2011.51.64.000798-0/01) RECORRENTE: ALEXANDRE ANDERSON DE SOUZA RECORRIDA: UNIAO FEDERAL RELATORA: JUÍZA FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS PROCESSO: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL Nº 183923/RN (99.05.45463-2) APTE : POTY REFRIGERANTES LTDA ADV/PROC : MANUEL LUÍS DA ROCHA NETO E OUTROS APDO : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 26472-PB (0001656-68.2011.4.05.8200). RELATÓRIO

APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 26472-PB (0001656-68.2011.4.05.8200). RELATÓRIO APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 26472-PB (0001656-68.2011.4.05.8200). ADV/PROC REPTE APELADO : JOSE MAURO DE SOUZA E OUTROS : FLAVIANO SALES CUNHA MEDEIROS E OUTROS : UFPB - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO 111 AGRAVO DE INSTRUMENTO N 2 001.2008.016272-8 /002 - Capital RELATOR: Carlos Antônio Sarmento, Juiz

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CONSULTA DE PROCESSOS DO 2º GRAU - INTERNET

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CONSULTA DE PROCESSOS DO 2º GRAU - INTERNET DADOS DO PROCESSO Nº Processo: 201230036853 Situação: TRANSITADO EM JULGADO Data da Distribuição: 24/02/12 00:00 Secretaria: Vara: 5ª CAMARA CIVEL Relator: LUZIA NADJA GUIMARAES Fundamentação Legal: Ação

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Gen ésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001.2011.015750-81001 RELATOR : Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz Convocado para

Leia mais

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO)

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) RELATÓRIO O EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR FEDERAL

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme97404 RgA-ER Diário da Justiça de 06/11/2006 10/10/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR : MIN. CEZAR PELUSO AGRAVANTE(S) : AXA SEGUROS BRASIL S/A ADVOGADO(A/S) : FRANCISCO CARLOS ROSAS GIARDINA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 200.2009.038547-3/001 1 7a Vara Cível da Capital RELATOR: Des. Genésio Gomes

Leia mais

VOTO. ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA

VOTO. ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAI[BA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 018.2010.000261-9/001 ORIGEM : zr Vara da Comarca de Guarabira. RELATOR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS APELAÇÃO CÍVEL Nº 466770/PE (2008.83.00.003630-3) APTE : UNIÃO APDO : MARCELO FERNANDES PIRES DOS SANTOS ADV/PROC : CAMILA AMBLARD ORIGEM: 2ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 31.648 - MT (2010/0037619-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : AMAGGI EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA : EUCLIDES RIBEIRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 14ª Câmara Cível

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 14ª Câmara Cível 1 Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 14ª Câmara Cível MANDADO DE SEGURANÇA Nº 0007946-67.2013.8.19.0000 IMPETRANTE: CAROLINA HENNIG GOMES/ASSISTIDA/P/S/MÃE ISABEL REGINA DE SOUZA LOBO HENNIG

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR , )4w.;.,, I I 1 r.,,:,,,,..:.,l, 1,111,4, lallifr.\ IWO. yno'á. s'a,,,,..,..'\,...r 1 '':. 1 411b0S TO eó Ne, ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MARCOS A. SOUTO MAIOR ACÓRDÃO

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 919.527 - SP (2007/0014498-9) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES AGRAVANTE : FAZENDA NACIONAL REPDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS AGRAVADO : TRANS-TERRALHEIRO

Leia mais

OPERADOR DE TELEMARKETING INTELIGÊNCIA DA SÚMULA 29 DESTE TRIBUNAL REGIONAL

OPERADOR DE TELEMARKETING INTELIGÊNCIA DA SÚMULA 29 DESTE TRIBUNAL REGIONAL Acórdão 9ª Turma OPERADOR DE TELEMARKETING INTELIGÊNCIA DA SÚMULA 29 DESTE TRIBUNAL REGIONAL Reconheço o pedido do autor como operador de telemarketing, afastando o argumento da CONTAX de que o autor era

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme86242 DE-SM Diário da Justiça de 09/06/2006 03/05/2006 TRIBUNAL PLENO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES EMBARGANTE(S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO EMBARGADO(A/S) : FERNANDA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno fls. 1 ACÓRDÃO Classe : Direta de Inconstitucionalidade n.º 001628-1.201.8.05.0000 Foro de Origem : Foro de comarca Ubaitaba Órgão : Relator(a) : Desembargador Jatahy Júnior Requerente : Prefeito do Município

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO MEDIDA CAUTELAR EM MANDADO DE SEGURANÇA 32.299 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO TOCANTINS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO TOCANTINS Classe 2200 : MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO Impetrante : SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA - SINAENCO Impetrado : SUPERINTENDENTE REGIONAL DO DNIT/TO e outro Sentença

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO COMPETÊNCIA AÇÃO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE DE FATO PEDIDO DE INDENIZAÇÃO.

AGRAVO DE INSTRUMENTO COMPETÊNCIA AÇÃO DE RECONHECIMENTO E DISSOLUÇÃO DE SOCIEDADE DE FATO PEDIDO DE INDENIZAÇÃO. Órgão : Quinta Turma Cível Classe : AGI Agravo de Instrumento N. Processo : 2007 00 2 003404-3 Agravante : E. C. R. Agravado : J. G. DA S. J. Relatora : Desembargadora HAYDEVALDA SAMPAIO EMENTA AGRAVO

Leia mais

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA 4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA AGRAVANTE MAFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A AGRAVADA MARIA FRANCISCA DE OLIVEIRA RELATOR Juiz GILMAR LUIZ COELHO RELATÓRIO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS EMENTA: AÇÃO DE COBRANÇA - DPVAT - AUSÊNCIA DE PROCURAÇÃO - INTIMAÇÃO PARA REGULARIZAÇÃO PROCESSUAL - INTELIGÊNCIA DO ART. 13 DO CPC - NÃO ATENDIMENTO - PRELIMINAR SUSCITADA DE OFÍCIO - POSSIBILIDADE -

Leia mais

Ricardo Roesler RELATOR E PRESIDENTE

Ricardo Roesler RELATOR E PRESIDENTE Apelação Cível em Mandado de Segurança n.º 2013.035539-0, de Lages Relator: Desembargador Ricardo Roesler APELAÇÃO CÍVEL EM MANDADO DE SEGURANÇA. VESTIBULAR. INDEFERIMENTO DE MATRÍCULA EM CURSO SUPERIOR.

Leia mais

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias.

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias. ESTADO rj'à PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Ga6inete d Desembargador José Lorenzo Seipa APELAÇÃO CÍVEL N 055.2005.000.156-3/002 Relator Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz Convocado em substituição ao Des. José

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc.

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc. 'a?/) ool -l botr4 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS IMPETRANTE ADVOGADOS IMPETRADO MANDADO DIE RELATO!' SEGURANÇA N 200.2008.024236-1/002 : Dr. Alexandre

Leia mais

04/09/2014 PLENÁRIO : MIN. TEORI ZAVASCKI

04/09/2014 PLENÁRIO : MIN. TEORI ZAVASCKI Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 16 04/09/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 745.901 PARANÁ RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 35.825 - MG (2011/0218191-2) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : BIANCA REIS DE SOUZA E OUTROS ADVOGADO : ALICE NETO F DE ALMEIDA E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça MANDADO DE SEGURANÇA Nº 17.583 - DF (2011/0225182-8) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO IMPETRANTE : CESÁRIO AUGUSTO ALCÂNTARA FERREIRA ADVOGADO : RICARDO DANTAS ESCOBAR E OUTRO(S) IMPETRADO

Leia mais

altig MOLA. nu, zmarr,,tni

altig MOLA. nu, zmarr,,tni , 1;11!If,, 11'11.., 'i N 1T rrigirg ii I J, APELAÇÃO CÍVEL N 200.2009.027.042-8/001 RELATOR: Des. José Aurélio da Cruz APELANTE: Estado da Paraíba, repersentado pelo Procurador Solon henriques de Sá e

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 29/11/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 692.186 PARAÍBA RELATOR RECTE.(S) RECTE.(S) RECTE.(S)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000216806 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0196471-72.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante SOCIORTHO COMERCIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 972.075 - SC (2007/0178356-6) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : DANTE AGUIAR AREND E OUTRO(S) EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. VIOLAÇÃO AO ART.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : S B : JASON SOARES DE ALBERGARIA FILHO E OUTRO : T C DA C : EBER CARVALHO DE MELO E OUTRO EMENTA Direito civil e processual civil.

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides. Vistos, etc.

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides. Vistos, etc. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides APELAÇÃO CÍVEL n 2 073.2003.012900-8/001 Comarca de Cabedelo RELATOR: João Benedito da Silva Juiz Convocado

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

PROCESSO N.º 1629/12 PROTOCOLO N.º 5.674.146-1 PARECER CEE/CP N.º 03/12 APROVADO EM 05/10/12

PROCESSO N.º 1629/12 PROTOCOLO N.º 5.674.146-1 PARECER CEE/CP N.º 03/12 APROVADO EM 05/10/12 PROTOCOLO N.º 5.674.146-1 PARECER CEE/CP N.º 03/12 APROVADO EM 05/10/12 CONSELHO PLENO INTERESSADA: UNIÃO NACIONAL DOS DIRIGENTES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO - UNDIME/PR MUNICÍPIO: CURITIBA ASSUNTO: Consulta

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001.

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA, Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 2 200.2006.058.165-51001. Relator :Dr. Marcos William de Oliveira, Juiz de Direito convocado em substituição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO / - juurrilis P. ' PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2009.017147-7/ 001 RELATOR: Des. Manoel Soares Monteiro APELANTE: PREVI

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 116320/PB (0008159-67.2011.4.05.0000) AGRTE : MÁRIO CÉSAR CALIMAN ADV/PROC : LUCIANA PEREIRA ALMEIDA DINIZ AGRDO : CEF - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ADV/PROC : AURÉLIO HENRIQUE FERREIRA

Leia mais