Aula 5 Projetos elétricos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 5 Projetos elétricos"

Transcrição

1 Aula 5 Projetos elétricos

2 Um projeto elétrico é um conjunto de símbolos desenhados sobre uma planta baixa interligados de tal forma para mostrar com deve ser executada a obra. Todo projeto elétrico residencial, comercial ou industrial é feito sobre uma planta baixa civil (arquitetônica). Caso seja necessário pode-se realizar o levantamento da planta baixa do local da instalação.

3 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 1 Limpar a planta baixa civil ou desenhá-la em CAD através de levantamento em campo. Planta baixa

4 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 2- Desenhar (Locar) os pontos de tomadas tugs e tues, luminárias, interruptores e o quadro de medição.

5 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 3- Desenhar a infra-estrutura Interligando o quadro de distribuição de energia às luminárias e tomadas.

6 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 4- Desenhar a legenda com a simbologia e sua respectiva especificação técnica.

7 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 5 - Relação de material

8 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 6 - Diagrama unifilar ou multifilar do quadro de distribuição de energia mostrando o numero dos circuitos, a bitola dos cabos elétricos e o tipo do circuito: monofásico, bifásico e trifásico.

9 Etapas de um projeto elétrico: Etapa 7 - Detalhe do padrão de entrada de energia, do medidor e do aterramento elétrico.

10 PROJETO ELÉTRICO Exemplo resolvido: Desenhar o projeto elétricos da planta baixa ao lado. Etapa 1 - Limpar a planta baixa civil ou desenhá-la em CAD através de levantamento em campo.

11 Etapa 2 - Desenho (locação) das luminárias, interruptores, tomadas, quadros e demais equipamentos elétricos.

12 Locação do quadros: Neste detalhe vemos a locação dos quadros de medição e de distribuição

13 Etapa 3 - Desenho da infra-estrutura (interligação) das tomadas, luminárias, interruptores e quadros elétricos. Neste detalhe vemos em três dimensões os quadros de distribuição e medição da planta.

14 Neste detalhe vemos além dos quadros de distribuição e medição todo o lado direito da planta interligado pela infraestrutura. Quadro de distribuição Exemplo: Do quadro de distribuição sobe um eletroduto embutido na parede até a laje que vai até o ponto de luz da copa e, desta vai para o ponto de luz da cozinha daí, para os interruptores e tomadas.

15 Etapa 4 - Desenhar a legenda com a simbologia e sua respectiva especificação técnica.

16 Etapa 5 Relação de material Para realizar a execução (construção) de um projeto elétrico deve-se realizar o levantamento do material que será utilizado em seus menores detalhes. Para fazer isso devemos quantificar os materiais necessários relacionando-os pelo seu tipo, dimensão, características específicas, para isso deve-se medir, contar e somar todos de acordo com sua unidade de fornecimento comercial, metro (m), peça (pç), barra (br) etc.

17 Para a maioria dos materiais uma soma simples basta para realizar a quantificação; assim, suas quantidades podem ser estimadas visualizando e somando seus símbolos na planta baixa. No entanto a quantificação dos eletrodutos e cabos elétricos merece maior atenção visto que suas quantidades não podem ser vistas diretamente na planta baixa (horizontal), devendo ser considerada sua metragem vertical referente às subidas e descidas da laje, as curvas a serem realizadas e as folgas de segurança, em torno de 10 % do total, para que não falte material.

18 Etapa 6 Diagrama unifilar O diagrama unifilar descreve os equipamentos elétricos instalados na obra, os cabos utilizados e os disjuntores de proteção do circuito

19 Etapa 6 Diagrama unifilar

20 Etapa 7 - Detalhe do padrão de entrada de energia, do medidor e do aterramento elétrico.

21 Projeto elétrico completo Um projeto é um conjunto de símbolos desenhados sobre uma planta baixa interligados de tal forma para mostrar com deve ser executada a obra. Margem do desenho Partes obrigatórias de uma planta: Limite da folha 1- Margem conforme norma; 2- Etiqueta com todas as identificações do proprietário, projetista e demais informações básicas; 3- Legenda com a simbologia e especificação técnica básica do material. Legenda Etiqueta Desenho técnico Projeto elétrico

Apostila de Instalações Elétricas

Apostila de Instalações Elétricas 12.1 Eletrodutos Para se determinar a medida dos eletrodutos deve-se: medir, diretamente na planta, os eletrodutos representados no plano horizontal e somar, quando for o caso, os eletrodutos que descem

Leia mais

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão 15 4 Esquemas elétricos 4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão Os projetos elétricos em baixa tensão devem ser utilizados, conforme esquemas de ligação, onde as ligações são desenvolvidas através de

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O M E M O R A L D E S C R T V O N S T A L A Ç Õ E S E L É T R C A S CONSELHO REGONAL DE ENFERMAGEM DE SERGPE-COREN Endereço : Rua Duque de Caxias nº 389, Bairro São José, cidade de Aracaju/SE. Proprietário

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNCIA FOLHA 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de

Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de Pois é turma, agora que já foram estudados, os conceitos sobre eletricidade, o como se realiza o levantamento das potências e os dispositivos de proteção que alimentam os circuitos terminais, pode-se dizer

Leia mais

Projetos Elétricos. Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos. Evandro Junior Rodrigues. Novembro /07/ / 49

Projetos Elétricos. Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos. Evandro Junior Rodrigues. Novembro /07/ / 49 Projetos Elétricos Divisão dos Circuitos, Quadro Geral e Eletrodutos Novembro 2016 01/07/2016 1 / 49 Introdução Simbologia; Desenho das iluminações e tomadas em uma planta baixa; Quadro Geral Critérios

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 3: ATERRAMENTOS 1. FINALIDADE O sistema de equipotencialização principal da edificação consiste na interligação de elementos especificados visando obter a equipotencialidade necessária para os

Leia mais

O USO DOS DISPOSITIVOS DR

O USO DOS DISPOSITIVOS DR O USO DOS DISPOSITIVOS DR Como vimos anteriormente, o dispositivo DR é um interruptor automático que desliga correntes elétricas de pequena intensidade (da ordem de centésimos de ampère), que um disjuntor

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 Página 1 de 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 CAIXA DE MEDIÇÃO INSTALADA NA DIVISA COM O PASSEIO PÚBLICO PARA ATENDIMENTO INDIVIDUAL EM BAIXA TENSÃO ATRAVÉS DA NORMA CEMIG ND- 5.1 1.OBJETIVO Visando a redução

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 0136 Município: TUPÃ Área de conhecimento: INFRAESTRUTURA Componente Curricular: PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS CLIENTE: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - ELETROTÉCNICA FOLHA: SEP: RLAM: ÍNDICE DE REVISÕES 1 de 18 Emissão original. DESCRIÇÃO

Leia mais

ANEXO III 1. ITENS PARA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO

ANEXO III 1. ITENS PARA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ANEXO III Os modelos abaixo servem de orientação e exemplo para elaboração dos projetos contemplados pelo financiamento do Escritório de Projetos da Secretaria Executiva de Apoio aos Municípios SEAM/PE

Leia mais

Sequência para projeto de instalações 1. Determinar as áreas dos cômodos, com base na planta baixa arquitetônica 2. A partir da entrada de energia,

Sequência para projeto de instalações 1. Determinar as áreas dos cômodos, com base na planta baixa arquitetônica 2. A partir da entrada de energia, Projeto de instalações residenciais Um projeto de instalações elétricas possui, basicamente, 4 partes: Memorial técnico projetista justifica e descreve sua solução Conjunto de plantas, esquemas e detalhes

Leia mais

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Código da Ficha FICHA DE CURSO Revisão 01 Data: 2014 Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Eixo Tecnológico: Infraestrutura Nº de Participantes: Mínimo: 15 Máximo: 20 Modalidade: Qualificação

Leia mais

Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II. Sistemas de força e energia. Aula 02

Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II. Sistemas de força e energia. Aula 02 Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II Sistemas de força e energia Aula 02 Consumo pro região Usina Hidrelétrica Usina Nuclear Estrutura do setor elétrico Distribuição - A conexão e atendimento

Leia mais

Divisão da instalação em circuitos

Divisão da instalação em circuitos Divisão da instalação em circuitos 285 Tipo de proteção a ser empregada Vamos optar pela instalação do DR nos circuitos terminais e DTM na entrada + demais terminais. 286 Página 143 Tipo de proteção a

Leia mais

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v DESENHO 1: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do mesmo lado da rede e na divisa com o passeio público.

Leia mais

OBJETIVO: APLICAÇÃO:

OBJETIVO: APLICAÇÃO: OBJETIVO: Este manual tem por objetivo sugerir os procedimentos, do ponto de vista técnico, para execução da infra-estrutura interna das unidades usuárias dos serviços em fibra óptica da Copel Telecomunicações.

Leia mais

Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL. Brasília, 28 de Fevereiro de 2002. Ilmo(a). Senhor(a)

Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL. Brasília, 28 de Fevereiro de 2002. Ilmo(a). Senhor(a) Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL Brasília, 28 de Fevereiro de 2002 Ilmo(a). Senhor(a) Em resposta a consulta formulada por empresa interessada em participar da licitação de que trata o PREGÃO AMPLO

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-22/07/2014 05/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Laboratório 07 Esquemas de ligação de eletrodutos Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Lab07: Eletrodutos Tarefa: Desenhar na planta de residência

Leia mais

Aula 9 Desenho de instalações elétricas: simbologias e convenções

Aula 9 Desenho de instalações elétricas: simbologias e convenções Aula 9 Desenho de instalações elétricas: simbologias e convenções 1. INTRODUÇÃO Quando vamos executar uma instalação elétrica qualquer, necessitamos de vários dados como: localização dos elementos, percursos

Leia mais

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel DADOS CADASTRAIS CLIENTE PROPRIETÁRIO Pref. Municipal de Lucas do Rio Verde OBRA Escola Municipal Caminho para o Futuro LOCAL DA OBRA Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Projeto arquitetônico: Cortes Professora Valéria Peixoto Borges

Projeto arquitetônico: Cortes Professora Valéria Peixoto Borges Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Projeto arquitetônico: Cortes Professora Valéria Peixoto Borges DEFINIÇÃO Os CORTES são representações de vistas ortográficas

Leia mais

LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS CURSOS: ENGENHARIA CIVIL, MECÂNICA E PRODUÇÃO LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Título da Experiência: Instalações elétricas prediais I Prof. Oswaldo Tadami

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 05 Circuito de distribuição e Circuitos terminais Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuitos elétricos Em uma

Leia mais

MANUAL DO USÚARIO MOTORES PARA PORTA DE ENROLAR Modelos : Zatek-RD2000 Modelos : Zatek-RD3000 Modelos : Zatek-RD5000

MANUAL DO USÚARIO MOTORES PARA PORTA DE ENROLAR Modelos : Zatek-RD2000 Modelos : Zatek-RD3000 Modelos : Zatek-RD5000 MANUAL DO USÚARIO MOTORES PARA PORTA DE ENROLAR Modelos : Zatek-RD2000 Modelos : Zatek-RD3000 Modelos : Zatek-RD5000 Imagem Meramente Ilustrativo SAC: (11) 3333-6690 CARACTERISTICAS DOS ES PARA PORTA DE

Leia mais

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio 1. IDENTIFICAÇÃO Prefeitura Municipal De Veranópolis Posto de Saúde Central. Av. Pinheiro Machado, 581 Centro Veranópolis RS CEP: 95330-000 CNPJ: 98671597/0001-09

Leia mais

INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS

INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS LOTE 2 Versão: 001 Vigência: 01/2016 Última atualização:

Leia mais

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO Reproduzir as plantas baixa, de cobertura e de localização, cortes e fachada frontal da residência apresentada abaixo. O projeto pode sofrer mudanças,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D Sumário:

Leia mais

Curso de Engenharia Civil

Curso de Engenharia Civil Curso de Engenharia Civil Disciplina: Período: 4º semestre Professor: Luiz Antonio do Nascimento Email: ladnascimento@gmail.com Existem diversos tipos de desenhos utilizados nos projetos de Construção

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL APRESENTAÇÃO Agradecemos pela preferência na escolha de produtos International Refrigeração. Este documento foi elaborado cuidadosamente para orientar

Leia mais

Disjuntores 5SX, 5SP e 5SY

Disjuntores 5SX, 5SP e 5SY Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis es SX, SP e SY Proteção para instalações elétricas de baixa tensão Fabricado no Brasil es SX, SP, SY Os es Siemens são equipamentos de alta tecnologia que

Leia mais

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8553 Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetros no Município de Porto Alegre e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que

Leia mais

1 - MEMORIAL DESCRITIVO

1 - MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE SPDA ESTRUTURAL AMPLIAÇÃO DA TELECOMUNICAÇÕES 1 - MEMORIAL DESCRITIVO 2 MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA - SPDA 1.0 - DADOS BÁSICOS:

Leia mais

Materiais necessários

Materiais necessários Aula 3 -Escalas PROJETO ELÉTRICO Materiais necessários 1- Escalímetro com as escalas 1:125, 1:100, 1:75, 1:50, 1:25 e 1:20 2- Papel sulfite A4 3- Trena de no mínimo 3m 4- Software CAD alguns softwares

Leia mais

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em:

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: Previsão e dimensionamento das cargas elétricas (Máquinas, tomadas Tug s, tomadas Tue s e iluminação) no local desejado; Dimensionar e especificar

Leia mais

Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03. Eletricista. Eletricista

Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03. Eletricista. Eletricista 1/8 Seguir regras básicas do POPD 001.01.03 Diretriz do eletricista. Passo 01: Executar os passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03 - Diretriz do eletricista Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03 Igual

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 17 - Projetos de Instalações Telefônicas Porto Alegre - 2012 Tópicos Projetos de instalações telefônicas Simbologia Caixas de

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA 1 INTRODUÇÃO Este Caderno de Especificações estabelece as características gerais

Leia mais

Aula 3 Simbologia e anotação na planta

Aula 3 Simbologia e anotação na planta Aula 3 Simbologia e anotação na planta Prof. Dr. Gustavo Della Colletta Universidade federal de Itajubá-UNIFEI 1 / 43 Agenda 1 Introdução Definição Normas 2 Divisão das instalações O circuito elétrico

Leia mais

AutomAtizAção de PersiAnAs externas

AutomAtizAção de PersiAnAs externas Automatização de Persianas Externas Índice Motores... 3 Motor para Tubo Octogonal 40 mm... 4 Motor para Tubo Octogonal 60 mm... 6 Fixação da Esteira... 8 Controles Remotos... 9 Transmissores Portáteis...

Leia mais

Instalações Elétricas. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas Odailson Cavalcante de Oliveira Exemplo de projeto Considerações: Ar condicionado no quarto Chuveiro elétrico Máquina de lavar Geladeira Sala e cozinha sem divisão na planta: Foi

Leia mais

Norma Técnica Interna SABESP NTS 023

Norma Técnica Interna SABESP NTS 023 Norma Técnica Interna SABESP NTS 023 RESERVATÓRIOS Elaboração de Projetos Procedimento São Paulo Maio - 1999 NTS 023 : 1999 Norma Técnica Interna SABESP S U M Á R I O 1 RECOMENDAÇÕES DE PROJETO...1 2 DIMENSIONAMENTO

Leia mais

EXPERIÊNCIA 9 DIODOS SEMICONDUTORES E CURVAS CARACTERÍSTICAS

EXPERIÊNCIA 9 DIODOS SEMICONDUTORES E CURVAS CARACTERÍSTICAS EXPERIÊNCIA 9 DIODOS SEMICONDUTORES E CURVAS CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO Existem diversos tipos de diodos, muitos deles projetados e construídos com finalidades específicas. Os diodos semicondutores

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS Este resumo foi preparado listando as informações mais importantes para que se desenvolvam desenhos de arquitetura com clareza, critério e precisão.

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB DITEC Reforma das instalações Código do Projeto: 1564-12 Pág. 2 Índice Sumário 1. Memorial Descritivo

Leia mais

Disciplina: Instalações Elétricas Residenciais e Prediais

Disciplina: Instalações Elétricas Residenciais e Prediais Disciplina: Instalações Elétricas Residenciais e Prediais UNIDADE II: CIRCUITOS RESIDENCIAIS E PREDIAIS 2.1. FUNDAMENTOS DE PROJETO ELÉTRICO. 2.1.1.Simbolos e Normas de Referência 2.1.2. Roteiros para

Leia mais

Disjuntores Caixa Moldada Disparadores Térmico e Magnético Fixo SD

Disjuntores Caixa Moldada Disparadores Térmico e Magnético Fixo SD . Aplicação São usados principalmente em circuitos Hz, tensão de trabalho nominal até V, tripolares, disparadores térmico e magnético fixos e corrente de trabalho nominal de A até 0 A.. Características

Leia mais

Lista de exercícios Linhas de transmissão

Lista de exercícios Linhas de transmissão Lista de exercícios Linhas de transmissão 1. Qual é a função de uma linha de transmissão? 2. Quais as normas que regem o projeto e implantação das linhas de transmissão? 3. Quais são os componentes básicos

Leia mais

Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis

Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis Fabricado no Brasil Disjuntores SX, SP e SY Proteção para instalações elétricas de baixa tensão Disjuntores SX, SP, SY Os Disjuntores Siemens são equipamentos

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Botoeira / Acionador Manual Resetável - Acionamento Direto, Controle de Acesso, Combate e Alarme de Incêndio Código: AFAM3AM Os Acionadores Manuais ou Botoeiras de Acionamento Direto Para Combate de Incêndio,

Leia mais

CONSUMO DE MATERIAIS MADEIRAS E FERROS

CONSUMO DE MATERIAIS MADEIRAS E FERROS CONSUMO DE MATERIAIS MADEIRAS E FERROS ROTEIRO Prof. Marco Pádua É NECESSÁRIO DEFINIR O TIPO DE CONCRETAGEM. A seguir vamos fornecer os passos necessários para planejar a execução das formas e escoramentos,

Leia mais

lectra Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional

lectra Material Didático  INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional lectra Centro de Formação Profissional Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS WWW.ESCOLAELECTRA.COM.BR ÍNDICE 1 Introdução - 5 Definição de eletricidade. Causas e efeitos da eletricidade. Geração, transmissão

Leia mais

Noções básicas de instalações elétricas residenciais

Noções básicas de instalações elétricas residenciais elétricas residenciais Alimentação Rede alta tensão 23KV Entrada de energia; Disjuntores; Quadros de distribuição; Condutores (cores, bitolas, isolação, capacidade) Interruptores e tomadas Dispositivos

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador.

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador. Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Fortaleza/CE 1. Serviços Preliminares Antes do início de quaisquer serviços

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3.

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1 Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. 1 Parte integrante do Projeto de pesquisa Análise, Modelagem e Desenvolvimento

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

Conjuntos mecânicos II

Conjuntos mecânicos II A UU L AL A Conjuntos mecânicos II Nesta aula trataremos de outro assunto também relacionado a conjuntos mecânicos: o desenho de conjunto. Introdução Desenho de conjunto Desenho de conjunto é o desenho

Leia mais

Conjuntos mecânicos I

Conjuntos mecânicos I A UU L AL A Conjuntos mecânicos I O pessoal de uma pequena empresa tem todo o conhecimento necessário sobre elementos de máquinas no que se refere à transmissão, apoio e elementos elásticos. Entretanto,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 233aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S SUBGRUPO: 180400 CERCA / MURO FOLHA: SUMÁRIO 1. CERCA COM TELA DE ARAME GALVANIZADO E ESTACAS DE CONCRETO...1 1.1 OBJETIVO E DEFINIÇÕES...1 1.2 MATERIAIS...1 1.3 EQUIPAMENTOS...2 1.4 EXECUÇÃO...2 1.5 CONTROLE...2

Leia mais

ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES PROJETO DE INSTALAÇÕES DE REDE LOCAL DE COMPUTADORES E DE SPDA (SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS) DO ESCRITÓRIO REGIONAL ER-8 - SALVADOR-BA

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS ANIL / RENASCENÇA Professor Leonardo Gonsioroski O que é uma Instalação Elétrica? Uma instalação elétrica é definida pelo conjunto de materiais

Leia mais

Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente.

Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente. PROJETO BÁSICO: Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do

Leia mais

Canaletas PVC DLP & Acessórios

Canaletas PVC DLP & Acessórios Centro de Suporte Técnico T 0800-11 11-8008 servmercado@piallegrand.com.br Canaletas PVC DLP & Acessórios CONTEÚDOS PÁGINAS 1.Linha 1 a 2 2.Acessórios de acabamento 3 a 5 3.Acessórios complementares 6

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA SUBESTAÇÕES DE ENERGIA ELÉTRICA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Uma subestação pode ser definida

Leia mais

FSP FACULDADE SUDOESTE PAULISTA. Curso: Engenharia Civil. Prof.ª Amansleone da S. Temóteo APONTAMENTO DA AULA

FSP FACULDADE SUDOESTE PAULISTA. Curso: Engenharia Civil. Prof.ª Amansleone da S. Temóteo APONTAMENTO DA AULA FSP FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Curso: Engenharia Civil Prof.ª Amansleone da S. Temóteo APONTAMENTO DA AULA INTRODUÇÃO À TOPOGRAFIA APLICADA CONSIDERAÇÕES Historicamente há relatos de que as práticas topográficas

Leia mais

Especificação Disjuntores Baixa Tensão

Especificação Disjuntores Baixa Tensão Especificação Disjuntores Baixa Tensão Descrição: DISJUNTOR MICROPROCESSADO Local de Aplicação: QGBT Modelo: Fabricante: Fabricante Alternativo: Normas NBR-5361 / 8176, IEC-947-2 Aplicáveis Critério de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Civil 8ª Série Instalações Elétricas, Telefônicas e de Lógica A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

Unid. Quant. Unid. Quant.

Unid. Quant. Unid. Quant. LUMINÁRIAS Material unid. Quant. Interruptor Simples de 1 seção(10a - 250V) embutido na parede pç 112 Interruptor Simples de 2 seções(10a - 250V) embutido na parede pç 142 Interruptor Simples de 3 seções(10a

Leia mais

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DA REDE ELÉTRICA E LÓGICA - 2016 1. OBJETO Serviços de instalação de rede elétrica e lógica para os postos policiais do São João 2016. 2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os parâmetros

Leia mais

PLOTTER CNC PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO RESUMO

PLOTTER CNC PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO RESUMO PLOTTER CNC PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO Clecio Jung1; Ricardo Kerschbaummer2 RESUMO O tema principal deste projeto consiste em construir um Plotter CNC capaz de desenhar em placas de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UESPI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE OEIRAS 1 FAZENDA TALHADA, S/N OEIRAS-PI ÍNDICE 1.0 DADOS GERAIS...4 2.0 OBJETIVO...4

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC

INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC Instrução Normativa a partir de 01 de Junho de 2014 INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC Passo 1 Certifique a disponibilidade do serviço de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Secretaria Municipal de Administração LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Secretaria Municipal de Administração LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008. LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas e destinadas à proteção de perímetros no Município de Sant Ana do Livramento e da outras providências. WAINER VIANA

Leia mais

Desenho de Instalações Elétricas CVT- MESQUITA ELÉTRICA PROFª DAGMAR

Desenho de Instalações Elétricas CVT- MESQUITA ELÉTRICA PROFª DAGMAR Desenho de Instalações Elétricas CVT- MESQUITA ELÉTRICA PROFª DAGMAR 1- INTRODUÇÃO No desenho de um projeto de instalação elétrica de uma residência, devemos proceder do seguinte modo: a) possuir um jogo

Leia mais

Norma Técnica Interna SABESP NTS 100

Norma Técnica Interna SABESP NTS 100 Norma Técnica Interna SABESP NTS 100 LOCAÇÃO DE LINHAS Especificação São Paulo Agosto - 2000 NTS 100 : 2000 Norma Técnica Interna SABESP S U M Á R I O 1. OBJETIVO...1 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...1 3. ABRANGÊNCIA...1

Leia mais

007/2007 NORMA TÉCNICA NT-007/2007 R-02 ILUMINAÇÃO PÚBLICA DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT

007/2007 NORMA TÉCNICA NT-007/2007 R-02 ILUMINAÇÃO PÚBLICA DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT 007/2007 NORMA TÉCNICA NT-007/2007 R-02 DEPARTAMENTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DOCUMENTO NORMATIVO NORMA TÉCNICA Código Página Revisão

Leia mais

NORMA TÉCNICA 34/2014

NORMA TÉCNICA 34/2014 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 34/2014 Hidrante Urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5

Leia mais

PROC IBR EDIF 01.02.014/2014

PROC IBR EDIF 01.02.014/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.014/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

GUIA GERAL DO PIX-DSX

GUIA GERAL DO PIX-DSX ADCP-80-354 GUIA GERAL DO PIX-DSX Sumário Página 1. TERMINAÇÕES COM WIRE WRAP...3 2. ENERGIA...4 3. ELEMENTO DE REDE (EQUIPAMENTO)...5 4. ROTEAMENTO DE JUMPER DE CONEXÃO CRUZADA...8 1390027 Rev A Página

Leia mais

MEMORIAL DE CALCULO - QUANTITATIVOS

MEMORIAL DE CALCULO - QUANTITATIVOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES Preparo do terreno será considerado uma área de : área: 22,76 m² Container escritório com 1 sanitário - mínimo 9,20 m² será utilizado container, no espaço destinado á estacionamento

Leia mais

GESEC Grupo de Estudos de Segurança e Medicina do Trabalho na Construção Civil

GESEC Grupo de Estudos de Segurança e Medicina do Trabalho na Construção Civil GESEC Grupo de Estudos de Segurança e Medicina do Trabalho na Construção Civil I. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes mínimas para assegurar a execução e especificação do PEEPC - Projeto de Execução e Especificação

Leia mais

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS Reguladores de fluxo luminoso Especificação funcional Elaboração: DTI Homologação: conforme despacho de novembro de 2011 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Dispositivos de Proteção Dimensionamento dos Condutores do Circuito Uma vez feita a divisão dos circuitos... Chega a hora de dimensionar a proteção e os condutores! 2 Dispositivos

Leia mais

Funções para limitação de velocidade do veículo

Funções para limitação de velocidade do veículo Informações gerais sobre as funções Informações gerais sobre as funções A Scania oferece três funções para a limitação de velocidade. As funções são usadas para atender a requisitos de clientes e estatutários,

Leia mais

Projeto de Cabeamento Estruturado

Projeto de Cabeamento Estruturado Projeto de Cabeamento Estruturado! Levantamento das necessidades e demandas da empresa/organização de acordo com os preceitos do projeto estruturado de redes! Levantamento da situação atual! Especificação

Leia mais

Instalações alimentadas diretamente por um ramal de baixa tensão, a partir de uma rede de distribuição 4% 4% pública de baixa tensão.

Instalações alimentadas diretamente por um ramal de baixa tensão, a partir de uma rede de distribuição 4% 4% pública de baixa tensão. 7.3. Queda de tensão (conforme NBR 5410/97, item 6.2.7) a) A queda de tensão entre a origem da instalação e qualquer ponto de utilização não deve ser superior aos valores da Tabela 18, dados em relação

Leia mais

AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI

AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual

Leia mais

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 1,62 mm Factor de redução r Cu 0,2

Dados técnicos. Polaridade de saída Intervalo seguro de comutação s a 0... 1,62 mm Factor de redução r Cu 0,2 0102 Designação para encomenda Características 2 mm nivelado Pode ser aplicado até SIL 2 conforme IEC 61508 Dados técnicos Dados gerais Função do elemento de comutação Contacto de ruptura NAMUR Intervalo

Leia mais

Cabeamento Estruturado e Infraestrutura Profº Luiz Cláudio Buzeti. Práticas de Gerenciamento do Cabeamento Instalado

Cabeamento Estruturado e Infraestrutura Profº Luiz Cláudio Buzeti. Práticas de Gerenciamento do Cabeamento Instalado 1 Práticas de Gerenciamento do Cabeamento Instalado Devem ser baseados em normas da indústria Há quatro classes de gerenciamento Essas normas definem: procedimentos e classes de gerenciamento para a manutenção

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 C U R S O D E A R Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU Nº 166 de 30/08/10 Componente Curricular: DESENHO ARQUITETÔNICO II Código: ARQ021 Pré-requisito:

Leia mais

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011 ANEXO X Especificações Técnicas Concorrência nº. 003/2011 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA COM MÃO-DE-OBRA ESPECIALIZADA, VISANDO À EXECUÇÃO INDIRETA, POR PREÇO UNITÁRIO, DE SERVIÇOS TÉCNICOS ENVOLVENDO O MANEJO

Leia mais

Energia e Demanda Ativa e Reativa

Energia e Demanda Ativa e Reativa Energia e Ativa e Reativa de potência medida TUSD TUST CUSD Rede trifásica Corrente Calibração contratada de ultrapassagem Carga instalada Consumo de energia Energia demandada Energia fornecida Potência

Leia mais

ABNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS

ABNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS ABNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR NORMA BRASILEIRA REGISTRADA NO INMETRO A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é reconhecida como único Foro Nacional de Normalização, responsável

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA.

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA. TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA. 1. Objeto Contratação de serviço especializado de topografia plani-altimétrica

Leia mais

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 Módulo Disjuntor Introdução O seu Módulo Disjuntor reúne o que há de mais recente em tecnologia para valorizar ainda mais o seu empreendimento. Para maximizar a performance

Leia mais

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 23 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 24 Exemplo de aplicação 4.4(3.7): 4(3 Calcular a seção

Leia mais