Efeitos do drenagem Linfática na celulite avaliada por ressonância magnética

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Efeitos do drenagem Linfática na celulite avaliada por ressonância magnética"

Transcrição

1 Arco de Braz.. biol. technol. vol.51 no.spe em Dezembro de 2008 Curitiba. destacamento: , S INVESTIGAÇÃO E APLICAÇÕES DO NÃO-RADIAÇÕES IONIZANTES Efeitos do drenagem Linfática na celulite avaliada por ressonância magnética Patrícia Froes Meyer * ; Nara Mendes Martins, Flávia Mendes Martins, Rosimary Araújo Monteiro; Karla Morganna Pereira Pinto de Mendonça Centro de Ciências da Saúde; Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Av. General Gustavo Cordeiro de Farias, s/n; ; Natal, RN - Brasil RESUMO O objectivo deste estudo foi avaliar o uso de ressonância magnética como um novo método para avaliar a técnica de drenagem linfática manual no tratamento de celulite. Celulite é um dos principais problemas estéticas que levam as mulheres em direção a busca de orientação e tratamentos específicos. Existem várias abordagens terapêuticas, devido à natureza multi-factorial do seu agente patogénico, embora a eficácia da maioria não foi definitivamente provou, dado que os métodos de avaliação utilizados na sua maioria são subjetivas ou não fornecem informações suficientes sobre tecido subcutâneo. A introdução de ressonância magnética, como forma de avaliar uma técnica de drenagem linfática no tratamento de celulite faz a avaliação mais precisos, já que permite que um estudo detalhado da arquitetura subcutânea. palavras-chave: celulite, drenagem linfática, ressonância magnética

2 RESUMO Objetivo: Este estudo objetiva avaliar o uso da Magnética de Ressonância como uma nova técnica de avaliação de uma técnica de drenagem linfática nenhum tratamento fazer Gelóide de Edema de Fibro (FEG). O FEG, popularmente conhecido como "celulite" é um dos principais problemas de estética corporal que leva como mulheres um procurar orientações e tratamentos específicos. Devido à natureza multifatorial da sua patogenia, existem várias abordagens terapêuticas, mas a maioria desses não has sua eficácia comprovada de maneira acurada, pois os métodos de avaliação utilizados, em sua maioria, são subjetivos ou não provêem informações suficientes para o estudo tecido subcutâneo. Uma introdução da ressonância magnética como meio de avaliação de uma técnica de drenagem linfática nenhum tratamento do FEG uma acurada torna de mais, uma vez que uma mesma possibilita o estudo detalhado da arquitetura do subcutâneo. INTRODUÇÃO Celulite é um anti-esthetic de propagação da infecção bacteriana logo abaixo da superfície da pele. Ele desenvolve principalmente a partir de uma alteração em circulação do sangue e da linfa que provoca mudanças estruturais no tecido adiposo subcutâneo, colágeno e proteoglycans adjacentes (Lucassen et al., 1997). Aí é um vasto leque de tratamentos para esta patologia, tais como ionophoresis, ultra-som, Termoterapia, pressotherapy, electrolipophoresis, Lipoaspiração, carboxytherapy e drenagem linfática (Rossi & Vergnanini, 2000; Smalls et al., 2006; Brandi et al., 2001). O problema reside no facto de que a maioria dos tratamentos de celulite não provaram ser eficazes, desde que os métodos de avaliação utilizados são principalmente subjetivas, ou não fornecem informações suficientes para o estudo do tecido subcutâneo (Hexsel & Mazzuco, 2000; Piérard, Nizet & Piérard-Franchimont, 2000). Atualmente, ressonância magnética (MR) é considerada um dos métodos mais objectivos para avaliar a resposta para o tratamento de celulite, dado que permite a um estudo detalhado do tecido subcutâneo, fazendo a observação do efeito celulite na estrutura de pele possível (Avram & David, 2004). Um microimage MR alta resolução permite visualizar a arquitetura de camadas dérmicos e epidérmica, a espessura e modificações estruturais do tecido conjuntivo na derme e de células de gordura subcutâneos em hypodermis, correlacionados com Anormalidades da pele assim torná-lo mais fiáveis, uma vez que ele prevê um estudo mais detalhado do tecido subcutâneo. Isso traz forth comentários sobre as alterações que podem ocorrer dentro deste tecido após terapia (Avram & David, 2004, Mirrashed et al., 2006).

3 O objectivo deste estudo era avaliar o uso de ressonância magnética como uma nova técnica de avaliação objectiva terapêuticas, analisando os efeitos da drenagem linfática manual sobre o tratamento da celulite. MATERIAIS E MÉTODOS Seleção de tema Três mulheres que foram submetidos a tratamento em uma clínica de fisioterapia funcional Dermatologia foram seleccionadas aleatoriamente. Os critérios de inclusão foram os seguintes: idade entre 18 e 30 anos; índice de massa corporal (BMI) entre 18.2 e 24.9 kg/cm 2, peso normal, de acordo com a Associação Brasileira das orientações de estudo do Obesity e Síndrome Metabólicas (ABESO); peso constante durante o ano anterior; ciclo menstrual regular (sendo no período premenstrual); celulite moderado avançadas, de acordo com classificação da Ulrich; não-fumador; nenhum histórico de diabetes; nonuse de contraceptivos hormonais, sedentárias. Os critérios de exclusão foram as seguintes: gravidez; presença de clipes de aneurism cerebral, a presença de um pacemaker ou a colocação de um stent menos de 3 meses. Avaliação de post-selection Os pacientes foram apresentados a uma avaliação post-selection na seguinte seqüência: 1. Medição do peso e altura numa escala não digital. Estas medições foram controladas novamente para confirmar os dados recolhidos na entrevista inicial. Peso também foi medido na sessão décima e vigésimo ao controle BMI durante o estudo. 2. Exame de o ressonância magnética em um dispositivo Toshiba Exelart 1.5T. Análise técnica: rotação axial e Sagittal, eco a seqüência ponderados T1 (SE), (tempo de repetição (RT) = ms 630; eco tempo (ET) = 15 ms, matriz de 192 x 384). Recuperação de inversão sagittal spin-echo rápida seqüência ponderados T2 (RT = ms 7000, ET = 80 ms, tempo de inversão (IT) = 140 ms, matriz de 256 x 192). As seqüências foram obtidas antes e após tratamento durante o período de postmenstrual. Recorreu-se uma bobina de circular de 50 cm com FOV pequena (10 x 10 cm) e espessura de corte 3,0 mm (Mirrashed, et al., 2006; Gensanne et al., 2006). Os pacientes foram apresentados ao exame de uma semana antes do início do tratamento. Fases de exame de ressonância magnética A posição orthostatic, a localização da bobina de circular a 50 cm foi marcada com uma caneta permanente abaixo da dobra direita glútea; o anel de bobina foi localizado na região direito

4 subgluteal. A marcação foi refeita a cada sessão de tratamento para que nenhum erro de posicionamento ocorreria durante a sua colocação no exame post-treatment. Após a marcação, os pacientes foram posicionados no decubitus ventral a bordo magnético e a Bobina foi posicionada na região anteriormente marcados e realizada em local com fita adesiva, sem pressão de bobina na pele. O exame de ressonância, em seguida, foi iniciado, uma duração de 30 minutos em média. Intervenção Os procedimentos a seguir foram executados, após avaliação post-selection: Tratamento de drenagem linfática realizou mais de 20 sessões, três vezes por semana em dias alternativos, entre 01/2007 e 03/2007. Cada sessão ocorreu a seguinte: drenagem linfática manual das extremidades inferiores para 60 minutos, executadas na região da anterior e posterior da coxa e perna. Reavaliação Reavaliação foi executada no final destas sessões de 20, seguindo o padrão da primeira avaliação. RESULTADOS E DISCUSSÃO O relatório médico comparativo entre pre e exames de posttreatment ressonância magnética mostrou o seguinte: 1. As três pacientes expostos espessamento de tecido celular subcutâneo, relacionado com a presença de extrusões intradérmica, caracterizam a celulite. Resultados semelhantes foram encontrados por Rosembaum et al. (1998), que, num estudo sobre a morfologia e Bioquímica da celulite usando ultrasonography, reportou um padrão de extrusão difusas do tecido adiposo evoluindo em direção a derme reticular em indivíduos com celulite. Em 2006, Mirrashed et al., utilizando a ressonância magnética, constatou-se de que a percentagem de gordura contida na derme eram significativamente mais elevada em mulheres com mais avançado de celulite ( Figura 1 ). 2. Os três pacientes não revelou nenhuma alteração importante no grau de extrusão intradérmica de subdermal tecido adiposo no exame post-treatment. Pacientes 1 e 2 não apresentavam nenhuma alteração significativa em tecidos de gordura subcutânea pré e post-treatment. Paciente 3, no entanto, revelou um aumento de pequena espessura nessa camada, provavelmente devido ao peso ganho gravada no final do tratamento ( Figura 2 ). 3. O paciente 1 exibidos um contorno de pele menos ondulado no exame post-treatment. DRENAGEM LINFÁTICA promovida a

5 eliminação do excesso líquido presente nos espaços intersticial, contribuir para uma melhoria no processo de fibrose, que, segundo Lucassen et al. (1997), contabiliza o aspecto wrinkly da pele. Pode ter sido a melhor aparência do contorno de pele, associado a este aspecto, especialmente com esse paciente, devido ao facto de ela tinha a BMI mais baixa no final do tratamento, um resultado que corrobora Smalls et al. (2006), que analisou o efeito da perda de peso na celulite. Neste estudo, a perda de peso melhorar o aspecto cellulitic da pele na maioria dos pacientes ( Figura 3 ). 4. Os pacientes 2 e 3 mostraram sinais de menos de estruturas vasculares subdermal no exame post-treatment do que no exame lignite, sugerindo reduzida ingurgitation venosa, isto é mais evidente no paciente 3. Não havia nenhum alterações significativas vasculares no paciente 1. Esta conclusão se provavelmente ao facto de pacientes 2 e 3 apresentados com perturbações microcirculatory (microempresas varizes) ( Figura 4 2. Os três pacientes não mostrou nenhuma importante subcutâneo gordura. Paciente 3, no entanto, alteração no grau de extrusão intradérmica de revelou um aumento de pequena espessura nessa camada, subdermal tecido adiposo no póstratamento, provavelmente devido ao ganho de peso gravado no ofexamination de final. Pacientes 1 e 2 não exhibida a.significant de tratamento ( Figura 2 ) mudar na pré- e posttreatment O exame de ressonância magnética permitiu uma avaliação mais precisa do tecido subcutâneo de pacientes apresentadas à terapia de drenagem linfática manual para tratar a celulite. A vantagem deste método sobre outros, tais como ultrasonography, reside na possibilidade de visualizar a arquitetura das camadas dérmicos e epidérmica sem perigo de erro de operador. Além disso, a MR permite a visualização de líquidos de tecido (na seqüência T2), torná-lo um instrumento de avaliação objectiva celulite mais fiável.

6 REFERÊNCIAS Avram M.M., David G. (2004), celulite: uma revisão da sua Fisiologia e tratamento Tro de laser de Cosmet de J.., 6, [ links ] C. Brandi, D'Aniello C., Grimaldi l., B. Bosi, dei i., p. Lattarulo (2001), terapia de dióxido de carbono no tratamento de localizada Adiposities: estudo clínico e correlações Histopathological. Aesth Plast Surg., 25, [ links ] Gensanne, Josse, g., D.; Lagarde, j. M.; Vincensini, D. (2006), imagens de MR quantitativas de alta resolução espacial: um estudo experimental de rolos de superfície dedicados. phys MED de Biol., 51, [ links ] Hexsel, M. D.; Mazzuco, r. (2000), Subcision: um tratamento para celulite. int J Dermatol., 39, [ links ] Lucassen, w. g. van der Sluys, w. l. N.; Van Herk, j. j.; Nuijs, M. A.; Wierenga, e. p.; Barej, A. O. (1997), A eficácia da massage de tratamento de celulite, controlada por imagens de ultra-som. pele res technol., 3, [ links ] Mirrashed, f.; Sharp, j. C.; Krause, V.; Morgan, j.; Tomanek, B. (2006),-piloto de estudo das dérmicos e subcutâneos estruturas gordura pela MRI nos indivíduos que diferem em gênero, BMI e classificação de celulite. Int J Cosmet Sci., 28, 207. [ links ] Piérard GE, Nizet JL, Piérard-Franchimont. (2000), Celulite: from permanente FAT Herniation Hypodermal de alongamento de marcas. am J Dermatopa., 22, [ links ] Rosenbaum, M.; Prieto, V.; Hellmer, j.; Boschmann, M.; Krueger, j.; Leibel, r. l.; (1998), uma investigação exploratória da morphology e Bioquímica da celulite. am SOC Plast Surg., 101, [ links ] Rossi, A. B. r.; Vergnanini, A. l. (2000), celulite: Uma revisão. J Eur Acad Dermatol Venereol., 14, [ links ] Smalls, k. l.; Hicks, M. p. D.; Gersin, k.; Kitzmiller, j. w.; Bakhsh, A.; Wickett, r. r. (2006), efeito da perda de peso na celulite: Ginóide Lypodystrophy. am SOC Plast Surg., 118, [ links ] Recebeu: 21 de Agosto de 2008; Revista: 15 de Setembro de 2008; Aceites: 17 de Setembro de 2008

7 * Autor para correspondência 2009 Tecpar R. Prof. Algacyr Munhoz Mader, CIC Curitiba PR Brasil Tel.: / Fax:

Slimspec TM. Descubra sua Beleza com. Tecnologia Médica, agora na Estética

Slimspec TM. Descubra sua Beleza com. Tecnologia Médica, agora na Estética SlimCatalog5.indd 1 07/03/2010 14:50:46 Descubra sua Beleza com Slimspec TM Sistema Profissional de tratamento para celulite e firmeza corporal baseado em Terapia de Onda Radial (RWT) Tecnologia Médica,

Leia mais

EFICÁCIA DA DRENAGEM LINFÁTICA NO LINFEDEMA PÓS-TRAUMÁTICO DE MEMBROS INFERIORES ESTUDO DE CASO

EFICÁCIA DA DRENAGEM LINFÁTICA NO LINFEDEMA PÓS-TRAUMÁTICO DE MEMBROS INFERIORES ESTUDO DE CASO EFICÁCIA DA DRENAGEM LINFÁTICA NO LINFEDEMA PÓS-TRAUMÁTICO DE MEMBROS INFERIORES ESTUDO DE CASO Carolina Teles da Costa 1 João Vitaliano de Carvalho Rocha 2 Estética e Cosmética ISSN IMPRESSO 1980-1769

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico

Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico 25 Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico Existem diversos tipos de aplicações já desenvolvidas envolvendo o uso de processamento de imagens médicas, a fim de auxiliar o

Leia mais

Localização da Celulite

Localização da Celulite Localização da Celulite A celulite pode localizar-se em várias regiões do corpo. Existe uma predilecção pela região glútea, a região lateral da coxa, a face interna e posterior da coxa, o abdómen, a nuca,

Leia mais

ANÁLISE DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM UMA CRECHE PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA

ANÁLISE DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM UMA CRECHE PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA ANÁLISE DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM UMA CRECHE PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA Andreza Miranda Guzman, UFPB, E-mail: andrezamguzman@gmail.com; Ana Beatriz de Andrade Rangel, UFPB, E-mail:

Leia mais

TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM PROF.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA

TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM PROF.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM PROF.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA Segundo o grande filósofo e cientista árabe Avicena (980 1037), o

Leia mais

Vacinação segura: Administração de imunobiologicos via intramuscular, subcutânea e via oral Divep/Cei/Covedi Outubro/2014

Vacinação segura: Administração de imunobiologicos via intramuscular, subcutânea e via oral Divep/Cei/Covedi Outubro/2014 Reunião extraordinária com Coordenadores de Imunização, Comissão de Implantação da Vacina dtp(a)e Campanha com as vacinas Tríplice Viral e poliomielite 1,2,3 (atenuada) no SUS - Bahia Vacinação segura:

Leia mais

TÍTULO: PSORÍASE: PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA

TÍTULO: PSORÍASE: PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA TÍTULO: PSORÍASE: PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO AUTOR(ES): JULIANA CICELINI ORIENTADOR(ES):

Leia mais

PROGRAMA da Certificação Internacional em Integração Sensorial

PROGRAMA da Certificação Internacional em Integração Sensorial PROGRAMA da Certificação Internacional em Integração Sensorial A University of Southern California Divisão de Ciência Ocupacional e Terapia Ocupacional, juntamente com a Western Psychological Services

Leia mais

Profa. Raquel Simões. Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2

Profa. Raquel Simões. Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2 IMC/Idade Profa. Raquel Simões O que é IMC? Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2 IMC é efetivo como ferramenta de triagem e não de diagnóstico (identificar indivíduos com baixo o excesso

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM 10-10-2015 / 13-10-2015. HORARIO Manhã - 09:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 19:00 INVESTIMENTO FORMADOR

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM 10-10-2015 / 13-10-2015. HORARIO Manhã - 09:00 às 13:00 Tarde - 14:00 às 19:00 INVESTIMENTO FORMADOR FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL COM PATRICIA FROES (OUT 2015) - LISBOA Esta é uma formação bastante completa na área de corporal e facial que está estruturada sob uma perspetiva de revolução de conceitos

Leia mais

EVOLUÇÃO CLÍNICA FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTE COM CAPSULITE ADESIVA DE OMBRO.

EVOLUÇÃO CLÍNICA FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTE COM CAPSULITE ADESIVA DE OMBRO. EVOLUÇÃO CLÍNICA FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTE COM CAPSULITE ADESIVA DE OMBRO. Jordano Leite Cavalcante de Macedo* NOVAFAPI Karla Cristina Fianco* NOVAFAPI Klaus Avelino Santos e Silva* NOVAFAPI Ana Vannise

Leia mais

COMPONENTES DA MASSAGEM

COMPONENTES DA MASSAGEM UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA UNIDADE DE APRENDIZAGEM: PRINCIPIOS DE MASSAGEM TERAPÊUTICA PROF.ª: DANIELLA KOCH DE CARVALHO COMPONENTES DA MASSAGEM COMPONENTES

Leia mais

USO DA ALOE VERA NA PROFILAXIA DAS RADIODERMITES EM PACIENTES PORTADORAS DE CÂNCER DE MAMA SUBMETIDAS À CIRURGIA E TRATADAS COM RADIOTERAPIA ADJUVANTE

USO DA ALOE VERA NA PROFILAXIA DAS RADIODERMITES EM PACIENTES PORTADORAS DE CÂNCER DE MAMA SUBMETIDAS À CIRURGIA E TRATADAS COM RADIOTERAPIA ADJUVANTE USO DA ALOE VERA NA PROFILAXIA DAS RADIODERMITES EM PACIENTES PORTADORAS DE CÂNCER DE MAMA SUBMETIDAS À CIRURGIA E TRATADAS COM RADIOTERAPIA ADJUVANTE Orientado por: Prof. Dr. Fernando Augusto Soares Prof.

Leia mais

O PAPEL DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO PÓS-OPERATÓRIO A ESTETICISTA COMO TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO

O PAPEL DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO PÓS-OPERATÓRIO A ESTETICISTA COMO TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO O PAPEL DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO PÓS-OPERATÓRIO A ESTETICISTA COMO TÉCNICA DE RECUPERAÇÃO A DLM Desenvolvida por Emil e Estrid Vodder na década de 30. Trabalho experimental que serviu para o desenvolvimento

Leia mais

ABORDAGEM PRECOCE COM EQUOTERAPIA NO TRATAMENTO COADJUVANTE DA ENCEFALOPATIA CRONICA NÃO PROGRESSIVA

ABORDAGEM PRECOCE COM EQUOTERAPIA NO TRATAMENTO COADJUVANTE DA ENCEFALOPATIA CRONICA NÃO PROGRESSIVA ABORDAGEM PRECOCE COM EQUOTERAPIA NO TRATAMENTO COADJUVANTE DA ENCEFALOPATIA CRONICA NÃO PROGRESSIVA Os métodos terapêuticos que visam a reabilitação física e mental das pessoas com deficiências ou com

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ-PROJETO MESTRADO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ-PROJETO MESTRADO INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ-PROJETO MESTRADO O pré-projeto deve conter no máximo 15 laudas (considerando da introdução a resultados esperados), digitadas em fonte Times New Roman 12, espaço 1,5,

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO Este documento tem por objetivo orientar a estruturação e formatação do relatório de estágio. O texto está dividido em duas partes: 1) Normas de formatação,

Leia mais

Introdução à patologia. Profª. Thais de A. Almeida 06/05/13

Introdução à patologia. Profª. Thais de A. Almeida 06/05/13 Introdução à patologia Profª. Thais de A. Almeida 06/05/13 Patologia Definição: Pathos: doença. Logos: estudo. Estudo das alterações estruturais e funcionais nas células, tecidos e órgãos visando explicar

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: BR-116/RS E BR-392/RS 457,30 KM PELOTAS RS ECOSUL POLO RODOVIÁRIO DE PELOTAS

RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: BR-116/RS E BR-392/RS 457,30 KM PELOTAS RS ECOSUL POLO RODOVIÁRIO DE PELOTAS RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: EXTENSÃO: ECOSUL BR-116/RS E BR-392/RS POLO RODOVIÁRIO DE PELOTAS 457,30 KM PELOTAS RS ABRIL DE 2016 ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO PÁGINA 1. Introdução... 2 1.1.

Leia mais

Protocolos para tórax. Profº Claudio Souza

Protocolos para tórax. Profº Claudio Souza Protocolos para tórax Profº Claudio Souza Indicações Quando falamos em tomografia computadorizada para o tórax temos uma grande variedade de protocolos para estudos diversos, como por exemplo: estudo vascular

Leia mais

Vanessa da Silva 1 ; Jessica Mayara da Silva 2; Lilian Rosana dos Santos Moraes 3 ; Priscilla Hellen Martinez Blanco 4

Vanessa da Silva 1 ; Jessica Mayara da Silva 2; Lilian Rosana dos Santos Moraes 3 ; Priscilla Hellen Martinez Blanco 4 ANÁLISE DO CONHECIMENTO DA RADIO FREQUÊNCIA E ABORDAGEM AO PACIENTE Vanessa da Silva 1 ; Jessica Mayara da Silva 2; Lilian Rosana dos Santos Moraes 3 ; Priscilla Hellen Martinez Blanco 4 RESUMO: Na estética

Leia mais

PREVENÇÃO DE QUEDAS NO ATENDIMENTO DOMICILIAR UNIMED LIMEIRA FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL.

PREVENÇÃO DE QUEDAS NO ATENDIMENTO DOMICILIAR UNIMED LIMEIRA FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL. PREVENÇÃO DE QUEDAS NO ATENDIMENTO DOMICILIAR UNIMED LIMEIRA FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL. CARDOSO, ECA OLIVEIRA, RCP FERREIRA, DF UNIMED LIMEIRA SP INTRODUÇÃO A assistência domiciliar da Unimed

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA AGILIDADE ENTRE CRIANÇAS DE DIFERENTES AMBIENTES

ESTUDO COMPARATIVO DA AGILIDADE ENTRE CRIANÇAS DE DIFERENTES AMBIENTES ESTUDO COMPARATIVO DA AGILIDADE ENTRE CRIANÇAS DE DIFERENTES AMBIENTES Karen Cristine Moreira* Carlos Alberto Afonso** RESUMO Agilidade é a habilidade de alterar a direção do corpo, rápida e precisamente;

Leia mais

RELATÓRIO DE TESTE DE CONFORMIDADE DE FUNCIONALIDADE DE LEITURA AVANÇADA DE DIGITAL

RELATÓRIO DE TESTE DE CONFORMIDADE DE FUNCIONALIDADE DE LEITURA AVANÇADA DE DIGITAL RELATÓRIO DE TESTE DE CONFORMIDADE DE FUNCIONALIDADE DE LEITURA AVANÇADA DE DIGITAL Data do Teste 15/05/2013 Identificação do servidor do DPF responsável Nome Elias Henrique Hamu Matrícula 12.870 Cargo

Leia mais

Apresentação da disciplina

Apresentação da disciplina FEUP MIEIG & MIEM Ano letivo 2013/14 Disciplina: Gestão da Qualidade Total Apresentação da disciplina (v1 em 2 de setembro) José A. Faria, jfaria@fe.up.pt Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR O Núcleo de Projetos comunitários (NPC) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR),

Leia mais

História. O Tratamento. Taping na Atenção às mulheres com Câncer de mama: Moda ou Nova Possibilidade Terapêutica?

História. O Tratamento. Taping na Atenção às mulheres com Câncer de mama: Moda ou Nova Possibilidade Terapêutica? GOIANIA BREAST CANCER SYMPOSIUM 2016 WORKSHOP FISIOTERAPIA Taping na Atenção às mulheres com Câncer de mama: Moda ou Nova Possibilidade Terapêutica? Erica Fabro Especializada em fisioterapia em oncologia-

Leia mais

Sistema Cardiovascular. Prof. Dr. Valcinir Aloisio Scalla Vulcani Medicina Veterinária Universidade Federal de Goiás Regional Jataí

Sistema Cardiovascular. Prof. Dr. Valcinir Aloisio Scalla Vulcani Medicina Veterinária Universidade Federal de Goiás Regional Jataí Sistema Cardiovascular Prof. Dr. Valcinir Aloisio Scalla Vulcani Medicina Veterinária Universidade Federal de Goiás Regional Jataí SISTEMA CARDIOVASCULAR Introdução Componentes: - sistema vascular sanguíneo,

Leia mais

A DÚVIDA É O INÍCIO DA SABEDORIA. ARISTÓTELES

A DÚVIDA É O INÍCIO DA SABEDORIA. ARISTÓTELES A DÚVIDA É O INÍCIO DA SABEDORIA. ARISTÓTELES Fertilidade Natural: Acupuntura CAPÍTULO 9 Acupuntura A Medicina Tradicional Chinesa tem mais de 3000 anos de história. Tem o objetivo de harmonizar e equilibrar

Leia mais

número 17 - março/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 17 - março/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 17 - março/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida

Leia mais

ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 REVISÃO DA LITERATURA 5

ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 REVISÃO DA LITERATURA 5 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 1.1. APRESENTAÇÃO DO PROBLEMA 1 1.2. OBJECTIVOS E PERTINÊNCIA DO ESTUDO 2 REVISÃO DA LITERATURA 5 2.1. METABOLISMO ENERGÉTICO 5 2.1.1. CONCEITO DE ENERGIA 5 2.1.2. VIAS ENERGÉTICAS

Leia mais

Rejuvenescimento da Pele com Laser

Rejuvenescimento da Pele com Laser Rejuvenescimento da Pele com Laser O resurfacing a laser, também conhecido como peeling a laser, é uma técnica de rejuvenescimento facial eficaz, que pode produzir resultados duradouros. Com o tempo, fatores

Leia mais

AS DIMENSÕES ANTROPOMÉTRICAS 2 O COMPRIMENTO DOS SEGMENTOS ANATÔMICOS

AS DIMENSÕES ANTROPOMÉTRICAS 2 O COMPRIMENTO DOS SEGMENTOS ANATÔMICOS AS DIMENSÕES ANTROPOMÉTRICAS José Miquel Cabeças 1 INTRODUÇÃO Antropometria é a ciência que opera variáveis como dimensões lineares, massa, forma e propriedades inerciais do corpo humano. A sua natureza

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL Instituição Certificadora: FALC Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001/ 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01

Leia mais

FACULDADE DE FARMÁCIA UNIVERSIDADE DE LISBOA

FACULDADE DE FARMÁCIA UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE FARMÁCIA UNIVERSIDADE DE LISBOA MESTRADO CURSO PÓS-GRADUADO DE ESPECIALIZAÇÃO CIÊNCIAS BIOFARMACÊUTICAS Acreditado pela A3ES 5 ª Edição 2014/2016 Colaboração Research Institute for Medicines

Leia mais

Medidas Antropométricas em crianças

Medidas Antropométricas em crianças Medidas Antropométricas em crianças Prof a Raquel Simões A. Nutricional Profa. Raquel Simões 1 Medidas Antropométricas - crianças Peso Estatura / Comprimento Perímetro cefálico Perímetro Torácico Perímetro

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO N O RT0112/12 Isolação sonora de parede Drywall e mantas de fibra plástica

RELATÓRIO TÉCNICO N O RT0112/12 Isolação sonora de parede Drywall e mantas de fibra plástica UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Depto. de Engenharia Mecânica Laboratório de Vibrações e Acústica Campus universitário, Trindade, CP 476 CEP 88.040-900, Florianópolis-SC Fone: 55 48 3721 7716 /

Leia mais

Especialização em Fisiologia do Exercício - NOVO

Especialização em Fisiologia do Exercício - NOVO Especialização em Fisiologia do Exercício - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O objetivo do curso é prover o profissional de conhecimentos atualizados

Leia mais

Relatório de Ensaio PD.33.10.61A.0886A/RE-01-AC. Ensaios e Medição de Pressão Sonora no Operador Sentado

Relatório de Ensaio PD.33.10.61A.0886A/RE-01-AC. Ensaios e Medição de Pressão Sonora no Operador Sentado Ensaios e Medição de Pressão Sonora no Operador Sentado Modelo: Positivo Master D550 Fabricante: Positivo Informática S.A. Cotação: 29982/12 OS: 67631 Cliente: Positivo Informática S.A. Contato: Laerte

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA Unidade: Nº /

ANÁLISE ERGONÔMICA Unidade: Nº / FORMULÁRIO PARA OBJETIVA E PARTICIPATIVA (UA14/2/2011) Data: Célula: Time: Título da tarefa/atividade: MONTAGEM DE COAF E FORRO 1 Demanda: ( ) Prioridade a partir do Panorama Ergonômico ( ) Informe de

Leia mais

MANUAL COLHEITA E REMESSA DE MATERIAL

MANUAL COLHEITA E REMESSA DE MATERIAL MANUAL COLHEITA E REMESSA DE MATERIAL CITOPATOLOGIA O exame citológico oferece inúmeras vantagens, sendo atualmente um método que auxilia o médico veterinário no diagnóstico, prognóstico e procedimentos

Leia mais

Qual é a função do cólon e do reto?

Qual é a função do cólon e do reto? Câncer de Cólon Qual é a função do cólon e do reto? O cólon e o reto constituem o intestino grosso, que possui um importante papel na capacidade do organismo de processar os alimentos. O intestino grosso

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006 Avaliando a Validade do Diagnóstico e de Testes de triagem Introdução

Leia mais

Como Elaborar um Relatório

Como Elaborar um Relatório AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANAS DE SENHORIM E s c o l a E B 2, 3 / S E n g º D i o n í s i o A u g u s t o C u n h a B I B L I O T E C A E S C O L A R C E N T R O D E R E C U R S O S E D U C A T I V O

Leia mais

ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa, norteador da investigação científica, deve contemplar, com base na ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006, os elementos: Título da pesquisa:

Leia mais

Comparar o efeito analgésico da Acupuntura Sistêmica e da Acupuntura Auricular em voluntários com lombalgia e lombociatalgia.

Comparar o efeito analgésico da Acupuntura Sistêmica e da Acupuntura Auricular em voluntários com lombalgia e lombociatalgia. LOMBALGIA E LOMBOCIATALGIA ESTUDO COMPARATIVO DA ANALGESIA COM ACUPUNTURA SISTÊMICA E AURICULAR INTRODUÇÃO ELISANGELA SILVA, SANDRA SILVÉRIO- LOPES, Programa de Pós Graduação em Acupuntura Instituto Brasileiro

Leia mais

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Em vigor a partir de 01 de abril 2012 RINA Via Corsica, 12 16128 Genova - Itália Tel. +39 01053851 Fax: +39 0105351000

Leia mais

CONTEÚDO Efetuadores Projeto 01 Motor de Passo

CONTEÚDO Efetuadores Projeto 01 Motor de Passo EFETUADORES Introdução; Definição e Objetivo; Acionamento; Medição; Classificação. CONTEÚDO Efetuadores Projeto 01 Motor de Passo INTRODUÇÃO O objetivo dos robôs manipuladores é interagir com seu meio

Leia mais

Não jogue este impresso em via pública. Preserve o meio ambiente. Universidade Federal do Espírito Santo. Medicina. Centro de Ciências da Saúde

Não jogue este impresso em via pública. Preserve o meio ambiente. Universidade Federal do Espírito Santo. Medicina. Centro de Ciências da Saúde Não jogue este impresso em via pública. Preserve o meio ambiente. Universidade Federal do Espírito Santo Medicina Centro de Ciências da Saúde Medicina O Curso de Medicina da Ufes começou a funcionar efetivamente,

Leia mais

Hospital Exemplo 11/08/2008 a 13/04/2010

Hospital Exemplo 11/08/2008 a 13/04/2010 www.profilaxiadetev.org. Relatório sobre profilaxia de tromboembolismo venoso (TEV).......... Hospital Exemplo 11/08/2008 a 13/04/2010 Autor Dr. Eduardo Emmanoel Médico (CRM/SP 76933), FFM, HC-FMUSP, Residência

Leia mais

Sistema Circulatório. rio

Sistema Circulatório. rio Sistema Circulatório rio Sistema cardiovascular - Transporte de sangue: coração tecidos (bidirecional) Sistema vascular linfático - Transporte de linfa: tecidos coração (unidirecional) Sistema Cardiovascular

Leia mais

Meta-análise: aplicações em fisioterapia

Meta-análise: aplicações em fisioterapia Meta-análise: aplicações em fisioterapia Arminda Lucia Siqueira 1 George Schayer Sabino 1 Pollyanna Vieira Gomes da Silva 1 1 Introdução A junção de resultados de vários estudos recebe o nome de meta-análise

Leia mais

Efeito Da Mobilização De Tecidos Moles Nas Concentrações de Ácido Láctico, Após Exercício Intensivo

Efeito Da Mobilização De Tecidos Moles Nas Concentrações de Ácido Láctico, Após Exercício Intensivo Efeito Da Mobilização De Tecidos Moles Nas Concentrações de Ácido Láctico, Após Exercício Intensivo Juliana Alves Brito Pedro Harry Leite Manuel Paquete ESS-JP-VNGAIA INTRODUÇÃO Porquê a escolha da MTM?

Leia mais

Efeito do exercício no ritmo cardíaco

Efeito do exercício no ritmo cardíaco Efeito do exercício no ritmo cardíaco Objectivos Demonstrar competências na interpretação de fenómenos científicos Realizar experiências controladas executando, coleccionando, registando dados. Explicar

Leia mais

TESTE DE INTOLERÂNCIA ALIMENTAR DIETA MEDITERRÂNICA

TESTE DE INTOLERÂNCIA ALIMENTAR DIETA MEDITERRÂNICA TESTE DE INTOLERÂNCIA ALIMENTAR DIETA MEDITERRÂNICA PONTOS-CHAVE Permite determinar a presença e os níveis de anticorpos IgG a mais de 200 alimentos. A análise é realizada em duplicado a cada um dos alimentos,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA DISCIPLINA: TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM AVALIAÇÃO PRÁTICA

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA DISCIPLINA: TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM AVALIAÇÃO PRÁTICA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE COSMETOLOGIA E ESTÉTICA DISCIPLINA: TEORIAS E TÉCNICAS DE MASSAGEM AVALIAÇÃO PRÁTICA A avaliação prática conforme programa de disciplina, envolve duas avaliações

Leia mais

Highlights 2016. Edição do 1 trimestre de 2016. Imagem por fluorescência

Highlights 2016. Edição do 1 trimestre de 2016. Imagem por fluorescência Highlights 2016 Edição do 1 trimestre de 2016 Imagem por fluorescência KARL STORZ Infravermelho próximo (NIR/ICV) Descubra novas facetas da luz! O sistema infravermelho próximo (NIR/ICV) KARL STORZ proporciona

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Prova 02 2015 2.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 10585 (51) Classificação Internacional: A41D 1/06 (2006) A41D 27/00 (2006) (12) FASCÍCULO DE MODELO DE UTILIDADE (22) Data de pedido: 2010.06.07 (30) Prioridade(s): (43) Data

Leia mais

Livros Espaços Confinados

Livros Espaços Confinados Livros Espaços Confinados Bibliografia http://www.jfrekus.com/ http://www.amazon.com/complete-confined-spaces-handbook-rekus/dp/0873714873 http://www.nwohs.com/index.htm Segurança e Saúde em espaços confinados

Leia mais

RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995

RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995 RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995 Disciplina a assistência psicológica aos beneficiários do Programa de Assistência aos Servidores do Tribunal Regional Federal da Primeira Região Pro-Social. O JUIZ-PRESIDENTE

Leia mais

O ENFERMEIRO E O PORTADOR DE FERIDAS CRÔNICAS: CUIDADO AO PACIENTE COM ERISIPELA

O ENFERMEIRO E O PORTADOR DE FERIDAS CRÔNICAS: CUIDADO AO PACIENTE COM ERISIPELA 1 O ENFERMEIRO E O PORTADOR DE FERIDAS CRÔNICAS: CUIDADO AO PACIENTE COM ERISIPELA Daisy Cristina Rodrigues 1 Luciana Magnani Fernandes 2 Aluana Moraes 3 Jolana Cristina cavalheiri 4 Terezinha Campos 5

Leia mais

OLÍMPIA SPA PREPARA PACOTES PARA O VERÃO

OLÍMPIA SPA PREPARA PACOTES PARA O VERÃO OLÍMPIA SPA PREPARA PACOTES PARA O VERÃO Pensando na chegada do verão, o Olímpia Spa preparou pacotes especiais para homens e mulheres entrarem com o corpo em dia na estação mais quente do ano. Banho de

Leia mais

PEC em Radiologia Básca. Acad. José Gomes da Rocha Filho

PEC em Radiologia Básca. Acad. José Gomes da Rocha Filho PEC em Radiologia Básca Acad. José Gomes da Rocha Filho Diagnóstico Acompanhamento evolutivo da doença renal O que é? É um exame que demonstra todo o trato urinário através da injeção endovenosa de uma

Leia mais

ORIENTAÇÃO: SUBSÍDIO BÁSICO PARA A MOBILIDADE DE PESSOAS CEGAS

ORIENTAÇÃO: SUBSÍDIO BÁSICO PARA A MOBILIDADE DE PESSOAS CEGAS ORIENTAÇÃO: SUBSÍDIO BÁSICO PARA A MOBILIDADE DE PESSOAS CEGAS Loiane Maria Zengo FFC Unesp, Campus de Marília Manoel Osmar Seabra Junior FCT Unesp, Campus de Presidente Prudente Eduardo José Mazini FFC

Leia mais

Glossário de Aprendizagem Motora

Glossário de Aprendizagem Motora Glossário de Aprendizagem Motora Prof. Dr. Luciano Basso Lacom_EEFE 1. Ação: a descrição da ação é feita com base na intenção e no objetivo que se pretende alcançar. Ela é identificada pela meta à qual

Leia mais

Faculdade de Odontologia Mestrado em Odontologia - Ortodontia. Projeto de Pesquisa. Titulo. Pesquisador:

Faculdade de Odontologia Mestrado em Odontologia - Ortodontia. Projeto de Pesquisa. Titulo. Pesquisador: Faculdade de Odontologia Mestrado em Odontologia - Ortodontia Projeto de Pesquisa Titulo Pesquisador: Niterói 2014 1 PROJETO DE PESQUISA 1-Titulo: 2- Resumo Objetivos: Aquilo que se quer descobrir com

Leia mais

Ciência e prática. Catarina Martinho. Introdução

Ciência e prática. Catarina Martinho. Introdução Aumento de mucosa queratinizada em implante mal posicionado (Premiado como melhor caso clínico do concurso de pósteres da reunião anual da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes, com o patrocínio

Leia mais

PROTOCOLO PARA PREVENÇÃO DE RISCOS DE LESÕES POSICIONAMENTO CIRÚRGICO E PROCEDIMENTOS ELETROCIRÚRGICOS OSVALDO CARLOS PEREIRA BARBOSA

PROTOCOLO PARA PREVENÇÃO DE RISCOS DE LESÕES POSICIONAMENTO CIRÚRGICO E PROCEDIMENTOS ELETROCIRÚRGICOS OSVALDO CARLOS PEREIRA BARBOSA PROTOCOLO PARA PREVENÇÃO DE RISCOS DE LESÕES POSICIONAMENTO CIRÚRGICO E PROCEDIMENTOS ELETROCIRÚRGICOS OSVALDO CARLOS PEREIRA BARBOSA Orientador: Prof. Dr. Gilberto Tadeu Reis da Silva Coorientadora: Prof

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia. Manual de Orientações Básicas

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia. Manual de Orientações Básicas Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia Manual de Orientações Básicas Tema do concurso A tarefa proposta é a construção e o teste de carga de uma ponte treliçada, utilizando papel-cartão

Leia mais

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR EM EDUCAÇÃO QUÌMICA: Em busca de uma nova visão

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR EM EDUCAÇÃO QUÌMICA: Em busca de uma nova visão PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR EM EDUCAÇÃO QUÌMICA: Em busca de uma nova visão Ranniery Felix dos Santos (IC) 1 ; Diego Robson das Chagas (IC) 1 ; Maria da Conceição Maciany de Lima (IC) 1

Leia mais

TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS. Capacidade cardiorrespiratória

TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS. Capacidade cardiorrespiratória TESTE DE ESFORÇO E CÁLCULOS DE AUXILIO PARA O PLANEJAMENTO E PRESCRIÇÀO DE EXERCICIOS FÍSICOS Luiz Antônio Domingues Filho O treinamento aeróbio é um dos mais importantes componentes de um programa de

Leia mais

E-QP-EIF-076 REV. B 14/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL -

E-QP-EIF-076 REV. B 14/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL - ENGENHARIA PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL - Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando

Leia mais

LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA

LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA LICENCIATURA EM BIOLOGIA MARINHA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CIENTÍFICO Conteúdos e objectivos 1. O estágio da licenciatura em Biologia Marinha funciona como uma disciplina para todos os efeitos académicos

Leia mais

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA LUMÍNICA NATURAL DE UMA SALA DE AULA COM JANELAS VOLTADAS AO SUDESTE 1

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA LUMÍNICA NATURAL DE UMA SALA DE AULA COM JANELAS VOLTADAS AO SUDESTE 1 ANÁLISE DA INFLUÊNCIA LUMÍNICA NATURAL DE UMA SALA DE AULA COM JANELAS VOLTADAS AO SUDESTE 1 Elói Bedendo Júnior 2, Lucas Diego Riske 3, Rodrigo Henrique Puhl 4, Marcelo Antonio De Conti 5, Fabio Pisoni

Leia mais

Considerações e análise pessoal sobre o Programa Fonoaudiológico para Formação de Locutores

Considerações e análise pessoal sobre o Programa Fonoaudiológico para Formação de Locutores Considerações e análise pessoal sobre o Programa Fonoaudiológico para Formação de Locutores 111 Após a análise dos resultados do estudo aqui realizado, foi possível concluir e apresentar sugestões e modificações

Leia mais

Calor Específico. 1. Introdução

Calor Específico. 1. Introdução Calor Específico 1. Introdução Nesta experiência, serão estudados os efeitos do calor sobre os corpos, e a relação entre quantidade de calor, variação da temperatura e calor específico. Vamos supor que

Leia mais

Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar. GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009

Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar. GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009 Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009 Tecnologias em saúde: considerações iniciais O que é tecnologia em saúde? Medicamentos,

Leia mais

Realidade virtual em cirurgia

Realidade virtual em cirurgia Realidade virtual em cirurgia Avanços tecnológicos Anteriormente: Elevado número de operações não eram realizadas devido ao seu risco. Avanços tecnológicos Actualmente: Novas tecnologias permitem a redução

Leia mais

Graduandos Eng. Florestal UTFPR Campus Dois Vizinhos- PR (felipe_speltz@hotmail.com, carlosmezzalira89@hotmail.com, taci_frigotto27@hotmail.

Graduandos Eng. Florestal UTFPR Campus Dois Vizinhos- PR (felipe_speltz@hotmail.com, carlosmezzalira89@hotmail.com, taci_frigotto27@hotmail. Sobrevivência de clones e hídridos de Eucalyptus sp. em testes de adaptação na região de Dois Vizinhos- Paraná Raquel Rossi Ribeiro 1 ; Felipe Ribeiro Speltz 2 ; Carlos Cesar Mezzalira 2 ; Taciana Frigotto

Leia mais

Microsoft Powerpoint 2003

Microsoft Powerpoint 2003 Microsoft Powerpoint 2003 O Microsoft PowerPoint é um programa que integra o pacote Office da Microsoft e é utilizado para efetuar apresentações gráficas atrativas e eficazes, no sistema operacional Windows.

Leia mais

O QUE É? O RETINOBLASTOMA

O QUE É? O RETINOBLASTOMA O QUE É? O RETINOBLASTOMA Retina O RETINOBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O RETINOBLASTOMA? O Retinoblastoma é um tumor que se desenvolve numa zona do olho chamada retina. A retina é uma fina

Leia mais

PILATES COM EQUIPAMENTOS (DEZ 2016) PORTO

PILATES COM EQUIPAMENTOS (DEZ 2016) PORTO PILATES COM EQUIPAMENTOS (DEZ 2016) PORTO Estruturado para quem já teve o seu primeiro contato com Pilates e pretendem aumentar as suas ferramentas nesta área, este curso introduz os exercícios de Pilates

Leia mais

Qualidade de Produto. Maria Cláudia F. P. Emer

Qualidade de Produto. Maria Cláudia F. P. Emer Qualidade de Produto Maria Cláudia F. P. Emer Introdução Qualidade diretamente ligada ao produto final Controle de qualidade Adequação do produto nas fases finais no processo de produção Software Atividades

Leia mais

O professor orientador tem, entre outros, os seguintes deveres específicos:

O professor orientador tem, entre outros, os seguintes deveres específicos: REGULAMENTO DA MONOGRAFIA - TCC A Monografia Final consiste em pesquisa individual orientada, em qualquer área do conhecimento no âmbito do Curso de Graduação, constituindo atividade obrigatória para a

Leia mais

Como as provas discursivas são corrigidas

Como as provas discursivas são corrigidas Como as provas discursivas são corrigidas O método de correção das provas aplicadas pelo Cespe/UnB busca diminuir a subjetividade na avaliação dos textos dos candidatos [Ciléia Pontes] Da Assessoria Técnica

Leia mais

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014 USO E OCUPAÇÃO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX- BA Ivonice Sena de Souza 1, Jocimara Souza Britto Lobão 2 1 Geografia, Estudante de Graduação, UEFS, Feira de Santana -BA, vonisouza@yahoo.com.br 2

Leia mais

e a parcela não linear ser a resposta do sistema não linear com memória finita. Isto é, a

e a parcela não linear ser a resposta do sistema não linear com memória finita. Isto é, a 189 Comparando-se as figuras anteriores, Figura 5.15 a Figura 5.18, nota-se que existe uma correlação entre os valores das funções auto densidade espectrais lineares e não lineares. Esta correlação é devida

Leia mais

5910170 Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula 14

5910170 Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula 14 Ondas 5910170 Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Introdução: elementos básicos sobre ondas De maneira geral, uma onda é qualquer sinal que se transmite de um ponto a outro

Leia mais

Guia de Início Rápido Invisalign. Revisão do setup de ClinCheck. Dedicado a ajudar você a tratar com mais segurança.

Guia de Início Rápido Invisalign. Revisão do setup de ClinCheck. Dedicado a ajudar você a tratar com mais segurança. Guia de Início Rápido Invisalign. Revisão do setup de ClinCheck. Dedicado a ajudar você a tratar com mais segurança. 1 Revisão do plano de tratamento. Dicas. O programa ClinCheck é requerido para revisar

Leia mais

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Pacientes com carcinoma de celulas escamosas (CEC) comumente se apresentam com massa cervical O primario geralmente é revelado após avaliação clínica O primário pode ser desconhecido

Leia mais

Biomateriais II. Ética e Regulamentação A - Ética B Regulamentação novos produtos e normas. Fátima Vaz

Biomateriais II. Ética e Regulamentação A - Ética B Regulamentação novos produtos e normas. Fátima Vaz Biomateriais II Ética e Regulamentação A - Ética B Regulamentação novos produtos e normas Fátima Vaz A- ÉTICA Exemplo da utilização de tecidos em implantes Engª de tecidos Questões primordiais: Qualidade

Leia mais

MODELO PRÉ-PROJETO TCC DIREITO 2011.2

MODELO PRÉ-PROJETO TCC DIREITO 2011.2 MODELO PRÉ-PROJETO TCC DIREITO 2011.2 Margem superior 3 cm NOME DO ACADÊMICO (Times 12, sem negrito, maiúsculo, centralizado) Margem Esquerda 3 cm Margem Direita 2 cm TEMA (Times 12, em negrito, maiúsculo,

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 09- setembro/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é

Leia mais

A organização defensiva no modelo de jogo

A organização defensiva no modelo de jogo Valter Donaciano Correia Tudo sobre Futebol, os métodos, os conceitos, os princípios, os processos e a teoria tática A organização defensiva no modelo de jogo www. teoriadofutebol.com; nembriss@hotmail.com

Leia mais

ULTRASSOM TERAPÊUTICO DE 3 MHZ NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

ULTRASSOM TERAPÊUTICO DE 3 MHZ NO TRATAMENTO DO FIBRO EDEMA GELÓIDE: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS E FORMAÇÃO INTEGRADA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA DERMATO FUNCIONAL JAMYLA BARREIRA BARBOSA ULTRASSOM TERAPÊUTICO DE 3 MHZ NO TRATAMENTO

Leia mais

Contribuir para a evolução do conhecimento humano em todos os setores. Deve seguir normas metodológicas consagradas

Contribuir para a evolução do conhecimento humano em todos os setores. Deve seguir normas metodológicas consagradas TID TRABALHO INTERDISCIPLINAR DIRIGIDO Pesquisa Científica Objetivo principal Contribuir para a evolução do conhecimento humano em todos os setores Deve seguir normas metodológicas consagradas pela Ciência

Leia mais