Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas"

Transcrição

1 1 Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas RESUMO A empresa vivia um cenário claro de desequilíbrio na gestão empresarial e na realização de projetos. A prestação de serviços não eficiente, prazos perdidos e clientes insatisfeitos já incorporavam-se ao cotidiano da empresa; os membros estavam desmotivados para desempenhar seu papel e não acreditavam que a situação era reversível. Buscando saída imediata naquele cenário atual, foram feitas uma série de alterações no painel estratégico, tático e operacional da empresa. A estrutura estava pronta e em funcionamento, porém os resultados obtidos ainda não eram satisfatórios. Faltava um ponto crucial e viabilizador: as pessoas. Foi estabelecido então um programa que visava o fortalecimento de vínculos membro-membro, membro-empresa e empresa-cliente, sendo este o grande resultado esperado. Sob uma cultura organizacional renovada e fortalecida, o programa ELOS teve suma importância no alavancamento de resultados e, enfim, na consolidação dos caminhos da empresa em direção ao mercado.

2 2 INTRODUÇÃO O cliente sempre em primeiro lugar. Uma frase bastante conhecida, mas que deve ser mote de qualquer organização que queira alcançar o sucesso e ser reconhecida no mercado. No âmbito de Empresa Júnior não é diferente: é necessário oferecer suporte para tornar os colaboradores aptos e motivados a atender e servir, com excelência, aos clientes. Mais do que capacitação técnica dos serviços e inteligência de mercado - no que se refere a relacionamento efetivo com esses -, é necessário ainda envolvimento e trabalho focado. No entanto, toda essa percepção não ocorreu de imediato na empresa. Há dois anos, a realização do primeiro Planejamento Estratégico Participativo (P.E.P.), com validação trienal e foco claro no cliente, simbolizou a primeira mudança na percepção de resolução no quadro vivido até então: atraso de projetos; insatisfação dos clientes; membros desmotivados e não promotores; e desequilíbrio em sua gestão. Eram necessárias medidas urgentes para atingirmos a nova visão (definida no P.E.P. e com foco claro na satisfação de nossos clientes). Os clientes, dessa forma, se tornaram objetos de importância inigualável dentro de nossa organização. A empresa começou, então, a se estruturar para comportar, com excelência, todos os objetivos estratégicos definidos. Em um ano, tornou a estrutura organizacional muito mais enxuta, coerente e pautada em aumento de produtividade pelas atribuições dos cargos rearranjados ou criados. Logo após, mudanças ocorreram no gerenciamento de projetos e, em paralelo, nos processos de CRM (Gestão do Relacionamento com o Cliente), buscando-se, assim, todas as condições necessárias para se prestar serviço com qualidade. No entanto, mesmo em face a tantas mudanças, os resultados não estavam sendo satisfatórios. A empresa teve um aumento no índice de satisfação dos clientes, os projetos já não atrasavam tanto, os membros estavam mais motivados e os processos estavam, todos, focados na visão. O que estávamos fazendo de errado, então? Através de constantes pesquisas de clima e avaliações pessoais e gerenciais dos membros chegamos à conclusão: éramos uma empresa com processos focados no cliente, mas sem colaboradores com esse foco.

3 3 Ao estudar melhor este fenômeno pudemos perceber que não capacitávamos os membros da forma que nos possibilitava atingir a visão. Eram membros que se destacavam na realização e na qualidade de projetos, mas não enxergavam quem estava por trás desses, não procuravam exceder suas expectativas. Precisávamos, então, alinhar todos os colaboradores para que internalizassem os valores, missão e visão da empresa e visualizassem-os como suas próprias metas. Com esse objetivo foi criado o Programa ELOS: plantar o sentimento de unicidade, senso de pertencimento e fortalecimento da responsabilidade na geração conjunta de resultados; tudo em prol do alcance da nossa visão, tudo em prol dos clientes. DESENVOLVIMENTO O projeto foi uma iniciativa da Diretoria de Marketing e nos propôs uma analogia entre os membros da empresa e os elos de uma corrente. Sob o lema de Uma corrente é tão forte quanto seu elo mais fraco, a ideia era que se todos tiverem a mesma força, a corrente se manterá forte. No entanto, era preciso apenas um elo mais fraco para a corrente partir. A grande ideia foi trabalhar esse elo, fazendo os membros enxergarem que dar importância e voz ao cliente, dentro da empresa, é o caminho para o sucesso. Com isso, é possível saber exatamente o que o cliente quer e espera do serviço, nos dando oportunidade, inclusive, de superar as suas expectativas. O Programa teve duração de quatro meses. Em cada mês houve implantação de ações que respeitaram uma progressão linear até o objetivo esperado ser alcançado. Estrategicamente, quatro elos foram pensados - estes que estão interligados e funcionaram respeitando ações dentro de cada ciclo. São quatro estágios de fortalecimento que foram repassados para a empresa através do endomarketing, treinamentos e capacitações progressivos. A fim de guiar nosso trabalho, no início de cada elo era elaborada uma pesquisa que visava mensurar o clima da empresa em relação a cada novo ciclo, antes de começarem a ser trabalhados, gerando insumos e nos mostrando quais aspectos deveriam ser melhor trabalhados no próximo. Enfim, ao final dos

4 4 ciclos, foi aplicada a última pesquisa, na qual pôde ser estabelecido um quadro comparativo entre o clima da empresa antes e depois do programa. 1º MÊS - ELO DO DESCOBRIMENTO: Sendo o primeiro dos elos, o objetivo era fazer com que cada colaborador entendesse o seu papel e sua função dentro da empresa e o impacto do trabalho desenvolvido por cada um na satisfação dos clientes. Não por coincidência, o programa iniciava-se com o ingresso de trainees. Como o contato com a empresa era recente, ainda não conheciam o seu funcionamento, seus ideais e o modo com que tratávamos nossos clientes, então era extremamente importante que programa já estivesse elaborado com ações e abordagem pautadas nestes. Esse ciclo inicial tinha forte cunho reflexivo e isso foi explorado em atividades e projetos executados já anteriormente, só que agora sob um novo foco. Por exemplo, um grande evento estadual da área de atuação da empresa (cuja participação já tinha certa tradição), viabilizava o contato direto dos membros com os potenciais clientes. Buscando explorar essa oportunidade, inserimos o elo no planejamento da inserção da empresa nele. Toda a logística e alocação de membros nesse evento foi baseada no perfil e particularidade de cada um, de forma que o papel que cada membro possui e que cujo descobrimento era incentivado nesse ciclo foram essenciais nessa oportunidade. Foi realizada também uma ação no Dia do Cliente, em que uma campanha interna buscou a conscientização do papel de cada um em relação a ele. E, então, a última ação do ciclo, um evento interno que possibilitou não só a reflexão de cada membro, como também o compartilhamento de conquistas e experiências pessoais através de dinâmicas, dando início, oficialmente, ao elo seguinte. O resultado esperado para esse ciclo era que todos os colaboradores tivessem consciência da importância do papel de cada um para o alcance da visão e, com isso, estivessem dispostos a se aproximar dos ideais da empresa. 2º MÊS - ELO DE APROXIMAÇÃO: No elo de aproximação, o sentimento de união entre colaboradores e entre colaborador-empresa era o objetivo. Precisávamos que eles interagissem como um corpo só, buscando o mesmo e querendo o mesmo. Para isso, foram realizados e incentivados

5 5 eventos de integração e alinhamento, estabelecendo aproximação entre membros e trainees. Usamos o dia da abelha para fazer analogias sobre a importância do trabalho cooperativo, no qual cada cargo tem funções interligadas e impactam em outros cargos. Era o exemplo vivo da interação que precisávamos ter entre pessoas. Para a interação pessoas-empresa, no entanto, fizemos uma campanha para o dia do Empresário, buscando deixar claro todos os benefícios que a nossa Empresa Júnior e o MEJ traziam para o crescimento de cada um. Além disso, tínhamos como objetivo outro tipo de aproximação, essencial para a empresa: a aproximação colaborador-cliente. Todos foram incentivados a saber quem eram os nossos clientes, o que cada um queria da empresa e qual o nível de satisfação de cada um. Dessa forma, todos conheceram a realidade dos nossos clientes, possibilitando um atendimento diferenciado a cada um deles. O resultado esperado nesse ciclo era a criação da cultura de cuidado e atenção com o cliente, além de uma aproximação e conhecimento maior dos valores da empresa. 3º MÊS - ELO DE IDENTIFICAÇÃO: Ao passo do êxito dos dois elos anteriores, entende-se que todos tinham consciência de que seus papéis eram essenciais para o bom funcionamento da empresa e para os clientes e se sintam motivados, assim, a continuar com o trabalho. O objetivo desse elo era que as pessoas, aproximadas e se sentindo parte da empresa, se identificassem com a visão, trazendo para si a responsabilidade da satisfação de cada cliente. É a fase em que foram realizados os treinamentos, focados em capacitar a empresa para surpreendê-lo com o bom atendimento. O lema desses treinamentos era Vista a camisa, em que expusemos qual a postura e posicionamento adequados de cada membro da empresa perante o cliente e os stakeholders. Também foi realizada uma ação interna, uma espécie de competição entre as diretorias - em que participaram membros, ex-membros e trainees -, a fim de integrá-las e possibilitar a troca de conhecimento e experiências. Dessa forma, pudemos potencializar os resultados de cada uma, guiando-as para a execução de ações específicas e essenciais para o alcance da visão.

6 6 A última ação do ciclo foi a inserção em um grande evento regional com a finalidade de realizar benchmarkings com outras empresas juniores e trocar tecnologias focadas em satisfação de clientes. Isso nos possibilitou fechar o ciclo e, ao mesmo tempo, iniciar o próximo, em que disseminaríamos a marca da empresa. 4º MÊS - ELO DO SEMEIO: Este foi o elo final do programa, hora de colher os resultados e disseminar a empresa para os stakeholders. O mês do semeio nos indicou a força dos elos, e, consequentemente, da corrente. O ciclo foi pautado em como os membros deveriam disseminar a empresa enquanto colaboradores e o que esperávamos que eles ainda disseminassem, no futuro, perpetuando o que foi desenvolvido no programa. Toda a preparação que a empresa teve durante o ELOS foi posta em prática nesse ciclo e a relação com o cliente se consolidou, de forma que, agora, a empresa tinha todas as condições para o alcance de sua visão. Para fechar o ciclo e o programa, visualizamos algumas ações consideradas essenciais para a perpetuação do Programa. Foi realizada a festa de aniversário da empresa, em que estiveram presentes muitos exmembros e todos os colaboradores atuantes da época. Ressaltamos a importância de continuar com o trabalho desenvolvido e expusemos os resultados do programa. Além disso, também para fechar o ciclo, premiamos os membros que tiveram destaque nos resultados da empresa. CONCLUSÃO O Programa Elos trouxe uma mudança de percepção e atitude dos membros em relação a empresa, sobretudo no que se refere ao entendimento da dinâmica clientexempresa. Tê-la focada no mercado, desde sua estrutura até sua cultura organizacional, propiciou uma vivência empresarial mais próxima da realidade e, por consequência, maior capacitação para os colaboradores. Com a ideia de que o MEJ (que tem como objetivo formar profissionais capazes e aptos a transformar o país) é um movimento de impacto e que essa transformação vem por meio das pessoas, o Programa ELOS foi apenas uma abordagem de utilização inteligente destas como peças fundamentais para alcance de resultados mercadológicos.

7 7 Além disso, este Programa é altamente aplicável a realidades distintas, já que envolve peças comuns a todas as EJ s, sendo elas, principalmente, pessoas e ferramentas de endomarketing. Utilizando-as sob uma nova ótica e abordagem clara da realidade de sua empresa, bem como da mudança esperada, é possível alinhar os membros e motivá-los a trabalhar pensando no todo. Os resultados obtidos como consequência direta e indireta da aplicação do programa foram: o 90% de Satisfação dos Clientes; o 13 projetos finalizados durante o período de aplicação do Programa; o Aumento de 600% no número de projetos realizados no ano de aplicação do Programa ELOS, se comparado ao ano anterior; o 100% dos membros aptos a atender qualquer cliente da empresa; o 100% dos membros motivados após o Programa; o 53% dos projetos em andamento depois dos ELOS foram indicados e/ou fidelizados, o que revela a consolidação do foco da empresa em satisfação dos clientes. O maior resultado da implementação do Programa ELOS, porém, provém não apenas de indicadores estratégicos e táticos, mas de uma cultura organizacional fortalecida e pautada em resultados de mercado, cuja perpetuidade vai além do ciclo estratégico vigente. COMENTÁRIOS Uma das ações mais importantes desta prática é a constante mensuração de resultados. A pesquisa, a cada ciclo, que mensura o clima organizacional da empresa, é fundamental para o alcance dos resultados finais, uma vez que dá insumos suficientes para nortear o que deve ser trabalho no próximo ciclo. Além disso, vale ressaltar a importância da cultura organizacional dentro de uma empresa. Esta diz aos membros como devem se portar ao vestir a camisa da empresa, além de motivá-los a vestí-la. É o clima organizacional que define o que é a empresa, e é fundamental que uma empresa tenha um clima bem trabalho para que alcance sua visão.

8 mar/yy abr/yy mai/yy jun/yy jul/yy ago/yy set/yy out/yy nov/yy dez/yy jan/yy fev/yy mar/yy 8 ANEXOS 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Satisfação de Clientes Satisfação de Clientes Número de Projetos Finalizados Número de Projetos Finalizados 1905ral 1905ral 1905ral

9 9 Elo de Descobrimento Entender seu papel e sua importância para a empresa. Elo de Aproximação Aproximar-se do seu papel, da empresa, dos clientes e dos outros colaboradores. Sentir-se "parte do todo". Elo de Identificação Identificar-se com a empresa, responsabilizando-se por seus resultados. Elo de Semeio Com o sentimento de pertencimento, converter todo o aprendizado adquirido em foco no mercado, gerando valor ao cliente e à empresa.

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico 1. Definições 1) Missão: Define o quê uma empresa ou organização se propõe a fazer, para quem será feito, e o por quê. Em suma, é a razão de existência da organização. 2) Visão:

Leia mais

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL Versão 2.0 Setembro de 2014 Agosto de 2008 Índice ÍNDICE...2 1. CONTEXTO...3 2. VISÃO, ESCOPO E ATIVIDADES DESTE PROJETO...5

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico)

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO São habilidades e competências gerais trabalhadas no projeto pedagógico: Visão Holística e Cultural:

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA REDE

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA REDE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA REDE 2013-2015 O Movimento Empresa Júnior encontra-se em um momento em que há a necessidade de seus atores e associados entenderem como ele se posiciona estrategicamente dentro

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a:

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a: CURSO: Graduação em Marketing ( graduação) Missão O Curso de Graduação em Marketing tem como missão formar profissionais com capacidade de criar, planejar, executar e controlar processos de marketing que

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil Planejamento estratégico pode ser o grande diferencial para a empresado ramo da construção civil, imobiliário e arquitetura que deseja obter mais sucesso

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

apresenta a Copyright 2009 Inrise Consultoria www.inriseconsultoria.com.br

apresenta a Copyright 2009 Inrise Consultoria www.inriseconsultoria.com.br apresenta a 1 Marketing Jurídico 2 O que o Marketing Vende? 3 O que essa imagem vende? 4 O que o Marketing Vende? Imagem Benefício 5 O que essa imagem vende? 6 O que essa imagem vende? 7 Mundos Diferentes

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER

FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER FUTURAS LINHAS DE INVESTIGAÇÃO EM CALL CENTER A partir de um novo modelo de Negócio A idéia de que a qualidade de serviço afeta a conduta de compra do cliente e, mais amplamente, seu valor na Organização

Leia mais

COORDENADORES CARTILHA

COORDENADORES CARTILHA 2016 COORDENADORES CARTILHA 1.1 Coordenador de Negócios Liderar a equipe de negócios da FEJESC, prezar pela excelência na prestação do serviço aos parceiros e buscar novas oportunidades de patrocínio e

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados.

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados. Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA Reduza suas perdas e melhore seus resultados. INSTITUCIONAL A Consustec é uma empresa com menos de um ano de mercado, com espírito jovem e um time extremamente

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização:

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização: AGENDA 5ª Edição D? 06 de Maio de 2015 Hotel Staybridge Realização: w w w.c o r p b us i n e s s.c o m.b r Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO C GESTÃO DE PESSOAS: DESAFIOS

Leia mais

Lançamento. 25/agosto/2009

Lançamento. 25/agosto/2009 Lançamento Programa de Voluntariado Empresarial Sabesp 25/agosto/2009 Cenário externo Modelo de desenvolvimento insustentável; Desequilíbrio ambiental e escassez de recursos naturais; Aumento da pobreza,

Leia mais

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 INDICADORES ETHOS De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 Instrumento de avaliação e planejamento para empresas que buscam excelência e sustentabilidade em seus negócios Abril/2000

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

Programa Gestão Viva

Programa Gestão Viva Programa Gestão Viva Subprograma: Gestão de Gente Título: Gestão de Pessoas Objetivo: Proporcionar alternativas que levem os profissionais a atingirem o ápice de seu desempenho profissional, visando, que

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Gestão de Pessoas. Liderança e oratória. Segurança no trabalho. Treinamento na área de Engenharia de Alimentos

Gestão de Pessoas. Liderança e oratória. Segurança no trabalho. Treinamento na área de Engenharia de Alimentos Newsletter Maio de 2013 Gestão de Pessoas Treinamentos: Não há uma maneira de nos desenvolvermos, sem aumentarmos nossas habilidades, sejam elas intelectuais ou técnicas. Treinar é o ato intencional de

Leia mais

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015 SELEÇÃO PARA ENSINO PROFISSIONAL INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO, EM REGIME INTEGRAL COM DURAÇÃO DE 3 ANOS, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015 INFORMAÇÕES

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção.

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção. Processo Seletivo O que é? O Processo Seletivo é um conjunto de técnicas e instrumentos, empregados para avaliação de materiais, técnicas ou candidatos visando identificar as habilidades, tendências e

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

CollaborativeBook. número 1. Gestão. Processos. por

CollaborativeBook. número 1. Gestão. Processos. por CollaborativeBook número 1 Gestão por Processos Gestão por Processos 2 www.apoenarh.com.br Transformar conhecimento em ação e resultado com o desenvolvimento e aplicação de soluções de aprendizagem diferenciadas

Leia mais

11. A importância da produtividade e eficiência no Pós-Venda

11. A importância da produtividade e eficiência no Pós-Venda CURSOS FENABRAVE 1. Bem vindo ao setor automotivo 2. Relacionamento Interpessoal e Equipes de Trabalho 3. Qualidade no Atendimento ao cliente no Pós-Venda 4. Qualidade no Atendimento ao cliente em Vendas

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

PRO PERFORMANCE EMPRESAS

PRO PERFORMANCE EMPRESAS Uma proposta cultural única aprimore o seu potencial Crie um versão melhor de is mesmo Conheça, pratique, supere-se, aprimore-se PRO PERFORMANCE EMPRESAS Programa de Excelência e Alta Performance para

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos)

Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) Experiência: Sistema PIER e Gestão por Resultados (Painel de Indicadores Estratégicos) SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados Ministério da Fazenda Responsável: Adinilson Martins da Silva Técnico

Leia mais

1 REFLEXÃO. 1 PERRENOUD, Philippe. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000, p.81.

1 REFLEXÃO. 1 PERRENOUD, Philippe. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000, p.81. UNIDADE DE GESTÃO TECNOLÓGICA (GETEC) PIC PLANEJAMENTO INTERDISCIPLINAR POR CURSO Curso: TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA Período: 2º e 4º Ano: 2011/2 Coordenador (a): Jackson Eduardo Gonçalves Professores a cooperação

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

1.1.1.2. clima organizacional: Para Luz (2003, p. 13) é a atmosfera psicológica que envolve, num dado momento, a relação entre a empresa e seus

1.1.1.2. clima organizacional: Para Luz (2003, p. 13) é a atmosfera psicológica que envolve, num dado momento, a relação entre a empresa e seus AULAS 11, 12 e 13 1. implantação do Mkt interno: implantar o marketing interno em uma empresa é fazer um ajuste na cultura, baseado no uso adequado da sistema de comunicação, alinhado à estratégia da empresa

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CEPE/UNICENTRO, DE 3 DE JANEIRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Estratégica e da Inovação, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O

Leia mais

Plataforma da Informação. Gestão Estratégica

Plataforma da Informação. Gestão Estratégica 1 Plataforma da Informação Gestão Estratégica Motivação Principais Motivações: Criar um Planejamento Estratégico; Reformular o PE; Definir novas diretrizes para a empresa; Melhorar o Planejamento estratégico

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

PLANO DE CAPACITAÇÃO DO

PLANO DE CAPACITAÇÃO DO www.unp.br PLANO DE CAPACITAÇÃO do Corpo Técnico-Administrativo 2015 Plano de Capacitação do Corpo Técnico-Administrativo 2015 Natal/RN 2015 DIRIGENTES DA UNIVERSIDADE POTIGUAR PRESIDENTE Prof. Marcus

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Apresentação Em uma economia globalizada e extremamente competitiva, torna-se cada vez mais imprescindível a visão estratégica

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail. PORTFÓLIO MARCA CONSULTORIA & TREINAMENTOS RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.com SUMÁRIO 1 QUEM

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA E DESBUROCRATIZAÇÃO GESPÚBLICA

PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA E DESBUROCRATIZAÇÃO GESPÚBLICA Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN 6º ENCONTRO NACIONAL DOS OBSERVATÓRIOS SOCIAIS PAINEL 1 EFICIÊNCIA DA GESTÃO MUNICIPAL PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Presidente. Diretoria Executiva Luiz Barretto Diretor-Presidente

Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Presidente. Diretoria Executiva Luiz Barretto Diretor-Presidente SISTEMA SEBRAE DIRECIONAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2022 1 2 2012 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Aula Nº 9 Treinamento - Atendimento em Call Center

Aula Nº 9 Treinamento - Atendimento em Call Center Aula Nº 9 Treinamento - Atendimento em Call Center Objetivos da aula: Ao final desta aula, você poderá compreender a importância de um treinamento adequado, que possui, como ferramentas competitivas, a

Leia mais

PESSOAS ORGANIZACIONAL

PESSOAS ORGANIZACIONAL #7 #8 CULTURA GESTÃO DE PESSOAS ORGANIZACIONAL ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição de cultura 3. A cultura organizacional 4. Níveis da cultura organizacional 5. Elementos da cultura organizacional 6. Dicas

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

Guia para Gestão de Pessoas 2008

Guia para Gestão de Pessoas 2008 Guia para Gestão de Pessoas 2008 Gerente responsável: Alberto Shinoda Apoio: 1 Revisão técnica FELLIPELLI Instrumentos de Diagnóstico e Desenvolvimento Organizacional 2 Índice Assunto Página Processo de

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Como facilitar sua Gestão Empresarial

Como facilitar sua Gestão Empresarial Divulgação Portal METROCAMP Como facilitar sua Gestão Empresarial Aplique o CANVAS - montando o seu(!) Modelo de Gestão Empresarial de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br Por que empresas precisam de

Leia mais

Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES

Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO E-LEARNING MECÂNICA PARA MULHERES Versão 1.0 Outubro de 2011 2 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 HISTÓRICO 1.2 DEFINIÇÃO 2 OBJETIVOS 5 2.1 - OBJETIVO GERAL 2.2

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão. MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O.

A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão. MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O. A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O. Junior Quem somos Uma associação sem fins econômicos voltada

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás Polo: Petrobras Programa do Módulo I Módulo I: Planejamento Estratégico

Leia mais

A relevância do marketing de relacionamento como diferencial estratégico. Célia Dugaich. marketing de relacionamento

A relevância do marketing de relacionamento como diferencial estratégico. Célia Dugaich. marketing de relacionamento A relevância do como diferencial estratégico Célia Dugaich Definição "Marketing de Relacionamento é o processo contínuo de identificação e criação de novos valores com clientes e o compartilhamento de

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores.

Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores. Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores. Período: Março 2010 a junho 2011 Categoria: Adesão dos Colaboradores Sumário: O trabalho relata

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional CENÁRIO A comunicação nas empresas, num mercado impactado por fusões, aquisições, reposicionamentos etc., tem procurado ferramentas de comunicação interna, capazes de integrar

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento

Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Modelos, Métodos e Técnicas de Planejamento Profa. Marta Valentim Marília 2014 Modelos,

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 CAMPUS CARAGUATUBA CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 PROFESSOR: ANDRESSA MATTOS SALGADO-SAMPAIO ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS PARA A PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

MARKETING l COMUNICAÇÃO

MARKETING l COMUNICAÇÃO MARKETING l COMUNICAÇÃO A MMNIETO A MM NIETO é uma empresa especializada no desenvolvimento projetos voltados para a área de marketing e comunicação. Cada projeto é realizado conforme a oportunidade do

Leia mais

Faça amizades no trabalho

Faça amizades no trabalho 1 Faça amizades no trabalho Amigos verdadeiros ajudam a melhorar a saúde, tornam a vida melhor e aumentam a satisfação profissional. Você tem um grande amigo no local em que trabalha? A resposta para essa

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais