Leite para adultos: mitos e realidades. Adriane E. Antunes de Moraes Profa. Dra. FCA/UNICAMP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Leite para adultos: mitos e realidades. Adriane E. Antunes de Moraes Profa. Dra. FCA/UNICAMP"

Transcrição

1 Leite para adultos: mitos e realidades Adriane E. Antunes de Moraes Profa. Dra. FCA/UNICAMP

2 Arqueólogos encontraram evidências de ordenha de vacas para obtenção de leite, datadas de 9000 anos antes de Cristo.

3 O homem adulto deve beber leite?

4 Contra o leite...

5 Questões éticas...

6 A favor o leite...

7 Leite para bebês, na mesma espécie, tudo bem...

8 Considerando o fato de pertencermos à classe dos mamíferos o leite é essencial à vida humana na primeira infância.

9 e para adultos??

10 Leite x Filosofia popular

11 O homem é um único mamífero adulto que continua bebendo leite após o desmame.

12 O leite é, arquetipicamente, o alimento da primeira infância. Muitos mamíferos adultos de outras espécies apreciam o leite. Sendo o leite considerado um alimento nobre não costuma ser destinado à alimentação de animais adultos.

13 O desmame feito pelas fêmeas das diversas espécies ocorre não porque o leite deixou de ser adequado para a cria, mas sim para que a cria passe a ingerir outros alimentos. Poupar energia para novo processo de gestação.

14 O homem é um único mamífero adulto que continua bebendo leite após o desmame.

15 O homem, assim como qualquer outro animal, pode obter todo o cálcio de que necessita unicamente por ingestão de vegetais.

16 Organismos herbívoros e onívoros são fisiologicamente diferentes Ex: girafas passam quase 20 horas por dia se alimentando!

17 Aproximadamente 70% de cálcio dietético provém do leite. Presença de fitatos (farelo de cereais), oxalatos (espinafre, nozes) e taninos (chás) diminui a biodisponibilidade de Ca, pricipalmente em ditas ricas em fibras. No leite presença de caseinofosfopeptídeos, lactose e proteínas facilitam absorção de Ca.

18 O homem, assim como qualquer outro animal, pode obter todo o cálcio de que necessita unicamente por ingestão de vegetais.

19 O único leite adequado para o consumo humano é o leite materno, visto que cada leite é específico para sua espécie.

20 O leite que chamamos materno é realmente o mais adequado nutricionalmente para o ser humano. No entanto, o consumo de leite de outras espécies é possível, porque o ser humano é adaptável.

21 O único leite adequado para o consumo humano é o leite materno, visto que cada leite é específico para sua espécie.

22 Ingerir leite com manga faz mal para a saúde.

23 Essa afirmação tem origem histórica quando, na época da escravatura os senhores queriam que os escravos comecem mangas (havia abundância de mangueiras nas fazendas) mas deixassem o leite (para sobrar mais para a casa grande).

24 Ingerir leite com manga faz mal para a saúde.

25 A maioria da população mundial é intolerante à lactose.

26 Prevalência de intolerância à lactose 80% 15-80% 2-60% 80% 80% 80% 25% 6% 9%

27 Estima-se que cerca de dois terços da população mundial sejam intolerantes à lactose. Em vista de sua alta prevalência a intolerância à lactose é considerada por alguns como uma característica fisiológica normal.

28 A maioria da população mundial é intolerante à lactose. Verdade!

29 Leite UHT tem formol.

30 O leite UHT apresenta maior período de conservação devido ao tratamento térmico chamado ultrapasteurização (135 C por 3 a 5 segundos) seguido de envase asséptico.

31 Leite UHT tem formol.

32 O leite pode causar alergia.

33 A incidência de alergia ao leite de vaca no primeiro ano de vida pode variar entre 2 e 3%. A prevalência de hipersensibilidade às proteínas do leite declina na fase adulta para 0,1 a 0,5%.

34 O leite pode causar alergia. Verdade!

35 Gestantes devem tomar leite.

36 Quantidade de cálcio secretado no leite materno é elevada. A nutriz que não faz ingestão adequada desse mineral, retira cálcio dos seus ossos. Cerca de 45% das mulheres que são intolerantes à lactose recuperam habilidade de digerir o açúcar do leite durante a gravidez.

37 Gestantes devem tomar leite. Verdade!

38 Leite pode causar catarata.

39 Na ocorrência de desordens do metabolismo da galactose (galactosemia e deficiência do galactoquinase) ocorre acúmulo de subtâncias que podem levar à formação de cataratas.

40 Leite pode causar catarata. Verdade na presença de determinadas doença Verdade! genéticas.

41 Apenas crianças precisam tomar leite.

42 Nas fases de infância, adolescência, gestação, lactação (amamentação) e na terceira idade o consumo de leite (quando tolerado) é muito importante. Na infância e adolescência para propiciar adequado crescimento e densidade óssea e saúde dos dentes. Na gestação e lactação para que não ocorra intensa reabsorção óssea da mãe (retirada de cálcio dos ossos) com prejuízo especialmente nas gestações múltiplas. Na terceira idade porque a absorção de cálcio tende a ser menor.

43 Apenas crianças precisam tomar leite.

44 Um copo de leite a noite aumenta o sono.

45 Algumas proteínas do leite, quando digeridas, podem liberar peptídios bioativos que são calmantes naturais do sistema nervoso central. A presença de melatonina no leite também ajuda a pegar no sono.

46 Um copo de leite a noite ajuda a dar sono. Verdade!

47 O leite pode causar intoxicação alimentar.

48 Síndrome do queijo pela presença de aminas biogênicas. Eventual presença de contaminantes. Fraudes. Contaminação por falhas no armazenamento.

49 O leite pode causar intoxicação alimentar. Verdade!

50 Leite é bom para gastrite.

51 Na verdade, em algumas pessoas o leite pode piorar gastrite porque seu consumo leva a efeito rebote (primeiramente diminui acidez gástrica e depois eleva).

52 Leite é bom para gastrite.

53 Sol e vitamina D

54 Há aproximadamente 400 milhões de anos os vertebrados deixaram o ambiente aquático, rico em cálcio e passaram a viver fora dos oceanos. No novo ambiente a quantidade de cálcio disponível nos alimentos era pequena. A vitamina D passou a desempenhar importante papel aumentando a absorção do cálcio dietético. Nossa sociedade está se expondo cada vez menos ao sol devido aos danos na camada de ozônio e aumento do risco de câncer de pele. Paralelamente passamos a utilizar filtros solares.

55 Leite x Ciência

56 Fatores impeditivos ou limitantes Hipolactasia/alactasia Hipersensibilidade às proteínas do leite Hipersensibilidade às aminas biogênicas Desordens do metabolismo da galactose Galactosemia Deficiência de galactoquinase

57 Hipolactasia / alactasia Decorrente da deficiência ou ausência da enzima -galactosidase (EC ).

58 Tipos Deficiência primária de lactase Deficiência secundária de lactase Deficiência congênita de lactase

59 Deficiência primária A deficiência primária da lactase se caracteriza por diminuição de quantidade produzida de lactase após o desmame. As manifestações dessa deficiência costumam ser evidentes por volta dos 2 aos 15 anos de idade (DUMOND et al, 2006).

60 Deficiência primária Alguns dos sintomas são distensão abdominal, flatulência e cólica abdominal do tipo recorrente, em cólica espasmódica, periumbical ou difusa no abdome, de intensidade variável (FARIAS, FAGUNDES NETO, 2004).

61 Deficiência secundária Decorrente de condições patológicas que afetem a integridade da mucosa gastrointestinal, sejam elas permanentes (ex. esprú celíaco, galactosemia, doença de Crohn, retrocolite ulcerativa, fibrose cística, grandes ressecções intestinais) ou transitórias (ex. parasitoses, gastroenterites). Outro exemplo: desnutrição protéico-calórica.

62 Deficiência congênita Disfunção rara resultante de herança autossômica recessiva (SHUKLA, 1997). Poucos casos documentados no mundo, quase todos na Finlândia (VESA et al., 2000). O diagnóstico deve ser precoce devido ao elevado risco de desidratação e morte.

63 Alergia O leite de vaca constitui um dos grandes alérgenos alimentares. A hipersensibilidade ao leite é uma doença quase que exclusiva dos lactentes e da infância, normalmente desaparece entre os 3 a 4 anos de idade, porém, pode prevalecer até mesmo em adultos (HOST, HALKEN, 1990).

64 Desordens do metabolismo da galactose Há dois distúrbios do metabolismo da galactose representados por doenças de deficiência enzimática, ambas com herança autossômica recessiva.

65 Deficiência de galactoquinase A deficiência de galactoquinase, mais rara que a galactosemia, é menos agressiva clinicamente, e é evidenciada principalmente por cataratas que se desenvolvem precocemente.

66 Galactosemia Patologia caracterizada por inabilidade em converter galactose em glicose, pela ausência de três enzimas ocorrendo formação de catarata, retardo mental, falência ovariana antes dos 30 anos de idade (OKANO et al., 2001).

67 Aminas biogênicas Alguns alimentos induzem reações semelhantes a alergias, como manifestações na pele e sistema respiratório, mas na realidade não correspondem a respostas imunológicas, mas ao efeito provocado por substâncias biogênicas (ANGELIS, 2006).

68 Aminas biogênicas A histamina tem sido implicada como causadora de vários episódios de intoxicação alimentar (também conhecida como síndrome do queijo ), enquanto a tiramina e a feniletilamina tem sido propostas como iniciadoras de crises hipertensivas.

69 Recomendações Hipolactasia/alactasia Hipersensibilidade às proteínas do leite Hipersensibilidade às aminas biogênicas Desordens do metabolismo da galactose Galactosemia Deficiência de galactoquinase

70 e quando não existe fator impeditivo?

71

72

73

74

75

76 Referências AGGETT, P. J., AGOSTINI, C., AXELSSON, I., EDWARDS, C. A., GOULET, O., HERNELL, O., KOLETZO, B., LAFEBER, H. N., MICHELI, J. L. Nondigestible carbohydrates in the diets of infants and young children: a commentary by the ESPGHAN committee on nutrition. Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition, v. 36, p , ANGELIS, R. C. Alergias Alimentares, São Paulo, Atheneu. 123p. CAMARGO, L. A última evolução. Revista Veja, edição 1987 de 20 de dezembro de CRITTENDEN, R. G., BENNETT, L. E. Cow s milk allergy: a complex disorder. Journal of the American College of Nutrition, v. 24, n. 6, p.582s- 591S, Supplement. DUMOND, P., MORISSET, M., SERGEANT, P., KANNY, G. Allergie alimentaire au lait de vache ou intolerance au lactose? Journal de pédiatrie et de puériculture, v. 19, n. 7, p , FARIAS, F. F., FAGUNDES NETO, U. Intolerância aos carboidratos. The Eletronic Journal of Pediatric, v. 8, Disponível em: Acesso em: 24/03/2007. HOST, A., HALKEN, S. A prospective study of cow milk allergy in Danish infants during the first 3 years of life. Clinical course in relation to clinical and immunological type of hypersensitivity reaction. Allergy, v. 45, n. 8, p , HOST, A. Frequency of cow s milk allergy in childhood. Annals of Allergy, Asthma and Immunology, v. 89, p. S33-S37, Supplement. HOST A., HALKEN, S., JACOBSEN, H. P., CHRISTENSEN, A. E., HERSKIND, A. M., PLESNER, K. Clinical course of cow s milk protein allergy/intolerance and atopic diseases in childhood. Pediatric Allergy and Immunology, v.13, p. S23-S28, Supplement. KUNZ, C., RUDLOFF, S., BAIE, W., KLEIN, N., STROBEL, S. Oligosaccharides in human milk: structural, functional, and metabolic aspects. Annual Review of Nutrition, v. 20, p , PRAY, W. S. Lactose intolerance: the norm among the world s people. American Journal of Pharmaceutical Education, v. 64, p , RUSYNYK, R. A., STILL, C. D. Lactose intolerance. The Journal of the American Osteopathic Association, v. 101, p. S10-S12, Supplement OKANO, Y., ASADA, M., FUJIMOTO, A., OHTAKE, A., MURAYAMA, K., HSIAO, K. J., CHOEH, K., YANGLIN, Y., CAO, Q., REICHARDT, J. K. V., NIIHIRA, S., IMAMURA, T., YAMANO, T. A genetic factor for age-related cataract: identification and characterization of a novel galactokinase variant, osaka in Asians. American Journal of Human Genetics, v. 68, p , SIMOONS, F. J. The geographic hypothesis and lactose malabsortion. Digestive Diseases and Sciences, v. 23, n. 11, SGARBIERI V. C., RANGEL, H. A., ZINSLY, P. F., PACHECO, M. T. B., DIAS, N. F. G. P. (2000). Novel nutritional and physiological function of milk proteins. In: Proceedings of 4th International Conference of Food Science and Technology, China: Publisher Wuxi; SHUKLA, H. Lactose intolerance in health and disease. Nutrition and Food Science, n. 2, p , TISHKOFF, S. A. et al. Convergent adaptation of human lactase persistence in Africa and Europe. Nature Genetics, v. 39, n. 1, p , VESA, T. H., MARTEAU, P., KORPELA, R. Lactose intolerance. Journal of the American College of Nutrition, v. 19, n. 2, p. 165s-175s, Suplemento.

77 OBRIGADA!

DESVENDANDO 8 MITOS SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE

DESVENDANDO 8 MITOS SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE 1 DESVENDANDO 8 S SOBRE A INTOLERÂNCIA À LACTOSE 2 3 Conhecendo a INTOLERÂNCIA À LACTOSE DESVENDANDO S Contém lactose A lactose, encontrada no leite e seus derivados é um carboidrato, e é conhecida popularmente

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

Intolerância à lactose: conduta nutricional no cuidado de crianças na primeira infância

Intolerância à lactose: conduta nutricional no cuidado de crianças na primeira infância UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DCSA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA VIDA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM NUTRIÇÃO CLÍNICA 3ª EDIÇÃO CAMPUS IJUÍ TRABALHO DE CONCLUSÃO DE

Leia mais

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Alergias alimentares Intolerâncias metabólicas Reações farmacológicas Erros congênitos do metabolismo Alergia alimentar Mediada

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA Jamile Batista Rocha Graduanda em Nutrição Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Rafaela Ribeiro de

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 SISTEMA IMUNE E ALERGIA Por alergia, entendem-se as repostas imunes indesejadas contra substâncias que venceram as barreiras como, os epitélios, as mucosas e as enzimas.

Leia mais

INTOLERÂNCIA À LACTOSE E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO METABOLISMO DO CÁLCIO

INTOLERÂNCIA À LACTOSE E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO METABOLISMO DO CÁLCIO 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 INTOLERÂNCIA À LACTOSE E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO METABOLISMO DO CÁLCIO Cristiane Rickli Barbosa 1 ; Marcia Aparecida Andreazzi 2 RESUMO: A lactose é um dissacarídeo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Nelson Marchezan Junior) Torna obrigatória a informação sobre a presença de lactose nas embalagens ou rótulos de alimentos, bebidas e medicamentos. O Congresso Nacional

Leia mais

Intolerância à Lactose

Intolerância à Lactose Intolerância à Lactose A intolerância à lactose é a condição que se refere aos sintomas decorrentes da má digestão da lactose. Esta situação ocorre quando o organismo não produz lactase suficiente, uma

Leia mais

Trato Digestivo do Suíno

Trato Digestivo do Suíno Trato Digestivo do Suíno Monogástrico onívoro com limitada fermentação pós-gástrica Estômago simples, incapaz de utilizar dietas ricas em forragem Incapaz de digerir algumas substâncias presentes em grãos,

Leia mais

Duphalac lactulose MODELO DE BULA. DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida.

Duphalac lactulose MODELO DE BULA. DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida. MODELO DE BULA Duphalac lactulose FORMA FARM ACÊUTICA E APRESENTAÇ ÃO DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida. VIA ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG

INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG INCIDENCE OF FOOD ALLERGIES IN SCHOOL OF PUBLIC AND PRIVATE NETWORK OF THE MUNICIPALITY OF CATAGUASES/MG

Leia mais

Prevalência de intolerância à lactose em função da faixa etária e do sexo: experiência do Laboratório Dona Francisca, Joinville (SC)

Prevalência de intolerância à lactose em função da faixa etária e do sexo: experiência do Laboratório Dona Francisca, Joinville (SC) Prevalência de intolerância à lactose em função da faixa etária e do sexo: experiência do Laboratório Dona Francisca, Joinville (SC) PEREIRA FILHO, D.; *FURLAN, S. A. Programa de Mestrado em Saúde e Meio

Leia mais

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0 NOTA TÉCNICA 75/2013 Solicitante Juiz de Direito Dr.Alexsander Antenor Penna Silva Comarca de João Monlevade Processo Número 0024 13 023060-0 Data: 23/05/2013 Medicamento/ x dieta Material Procedimento

Leia mais

Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG

Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG Sintomas Dor na região do estômago Estômago estufado Empanzinamento Azia Arrotos frequentes Cólica na barriga Vômitos e náusea

Leia mais

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Texto elaborado pelos Drs Pérsio Roxo Júnior e Tatiana Lawrence 1. O que é imunodeficiência? 2. Estas alterações do sistema imunológico são hereditárias?

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

INTOLERÂNCIA À LACTOSE INTOLERÂNCIA À LACTOSE e produtos lácteos com baixo teor de lactose A lactose (galactose β-1,4 glucose) é um tipo de glicídio que possui ligação glisídica. É o açúcar presente no leite e seus derivados.

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA "Deus seja Louvado"

Estado do Espírito Santo CÂMARA MUNICIPAL DE VILA VELHA Deus seja Louvado PROJETO DE LEI Nº /2015 EMENTA: DISPÕE SOBRE CRIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO DIFERENCIADA PARA ALUNOS ALÉRGICOS NA REDE DE ENSINO MUNICIPAL DE VILA VELHA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008 Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É Completa Fornece energia e todos os nutrientes essenciais

Leia mais

Alergia as proteínas do leite de vaca

Alergia as proteínas do leite de vaca Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-graduação em Ciência dos Alimentos Centro de Ciências Agrárias Alergia as proteínas do leite de vaca Profa Marilde T. Bordignon Luiz bordign@cca.ufsc.br

Leia mais

O ATLETA VEGETARIANO Priscila Di Ciero - Nutricionista

O ATLETA VEGETARIANO Priscila Di Ciero - Nutricionista O ATLETA VEGETARIANO Priscila Di Ciero - Nutricionista O consumo de dietas vegetarianas tem sido associado a muitos benefícios à saúde, incluindo menores taxas de mortes por doenças cardiovasculares, diabetes

Leia mais

Módulo 4: NUTRIÇÃO. Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Como monitorar o crescimento dos recém-nascidos?

Módulo 4: NUTRIÇÃO. Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Como monitorar o crescimento dos recém-nascidos? Atenção à saúde do Recém-nascido de Risco Superando pontos críticos Módulo 4: NUTRIÇÃO Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Q Quais uais são são as as necessidades

Leia mais

TESTE DO PEZINHO. Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho:

TESTE DO PEZINHO. Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho: TESTE DO PEZINHO Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho: 1) FENILCETONÚRIA Doença causada por falta de uma substância (enzima) que transforma a fenilalanina (aminoácido) em tirosina.

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS ALEXANDRE DA SILVA SECHINATO Médico veterinário Pesquisador Tortuga Cia Zootecnica Agrária INTRODUÇÃO Ovo é um excelente alimento Alimento completo

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde

ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde Direcção-Geral da Saúde Ministério da Saúde 12 Outubro 2007 Objectivo da sessão Abordar/relembrar os principais benefícios do aleitamento materno Lactente

Leia mais

Se é verdade que se morre pela boca, o leite de vaca é a maior prova.

Se é verdade que se morre pela boca, o leite de vaca é a maior prova. CLÍNICA INFANTIL INDIANÓPOLIS CENTRO DE PREVENÇÃO DA ASMA E DOENÇAS CRÔNICAS NA INFÂNCIA * Alergia - Asma - Bronquite - Dermatite Atópica - Eczema - Estrófulo (picada de insetos) - Rinite - Urticária *

Leia mais

3ªsérie B I O L O G I A

3ªsérie B I O L O G I A 3.1 QUESTÃO 1 Três consumidores, A, B e C, compraram, cada um deles, uma bebida em embalagem longa vida, adequada às suas respectivas dietas. As tabelas abaixo trazem informações nutricionais sobre cada

Leia mais

Conduta dietética na intolerância à lactose

Conduta dietética na intolerância à lactose UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA DISCIPLINA DE GASTROENTEROLOGIA PEDIÁTRICA Conduta dietética na intolerância à lactose Karina Akemi Yamasaki Nutricionista Especializanda Disciplina

Leia mais

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV)

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV) NOTA TÉCNICA 24/2014 Solicitante Regina Célia Silva Neves Juizado Fazenda Pública de Itaúna Processo Número 0338.13.012.595-2 Data: 07/02/2014 Medicamento/ dieta x Material Procedimento Cobertura TEMA:

Leia mais

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino Função orgânica nossa de cada dia Profa. Kátia Aquino Vamos analisar! Funções Carboidratros (ou Glicídios) Energética: eles são os maiores fornecedores de energia para os seres vivos, principalmente a

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

Serviço Especial de Genética Ambulatório de Fenilcetonúria - HC Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico - NUPAD Faculdade de Medicina / UFMG

Serviço Especial de Genética Ambulatório de Fenilcetonúria - HC Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico - NUPAD Faculdade de Medicina / UFMG Serviço Especial de Genética Ambulatório de Fenilcetonúria - HC Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico - NUPAD Faculdade de Medicina / UFMG FENILCETONÚRIA HIPERFENILALANINEMIAS Níveis sangüíneos

Leia mais

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 É preciso dosar e repor vitamina D no pré-natal? A dosagem de vitamina D pelos métodos mais amplamente disponíveis é confiável?

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

OSTEOPENIA NAS DOENÇAS METABÓLICAS HEREDITÁRIAS

OSTEOPENIA NAS DOENÇAS METABÓLICAS HEREDITÁRIAS OSTEOPENIA NAS DOENÇAS METABÓLICAS HEREDITÁRIAS O QUE É A OSTEOPENIA? É a diminuição da massa óssea abaixo dos limites normais. OSTEOPENIA E OSTEOPOROSE SÃO A MESMA COISA? Na osteopenia a massa óssea é

Leia mais

Meu filho tem: ANEMIA

Meu filho tem: ANEMIA Meu filho tem: ANEMIA 08 de abril de 2014 Para que serve o sangue? Quais as funções de cada tipo de célula encontrada no sangue? GLÓBULOS BRANCOS (Leucócitos) GLÓBULOS VERMELHOS (Hemácias, eritrócitos)

Leia mais

Dra Adriana de O Marinho Reumatologia e Clínica Médica Fone 3223-3830

Dra Adriana de O Marinho Reumatologia e Clínica Médica Fone 3223-3830 Dra Adriana de O Marinho Reumatologia e Clínica Médica Fone 3223-3830 O que é Osteoporose? A osteoporose é uma doença freqüente que é definida como diminuição absoluta da quantidade de osso e desestruturação

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra Reações Adversas a Alimentos Imunomediadas: Alergia alimentar IgE mediada

Leia mais

Dulcolax bisacodil. LAXANTE DE AÇÃO PREVISÍVEL Estimula o movimento intestinal Alivia a prisão de ventre

Dulcolax bisacodil. LAXANTE DE AÇÃO PREVISÍVEL Estimula o movimento intestinal Alivia a prisão de ventre Dulcolax bisacodil LAXANTE DE AÇÃO PREVISÍVEL Estimula o movimento intestinal Alivia a prisão de ventre Esta bula é atualizada continuamente. Por favor, proceda à sua leitura antes de utilizar o medicamento.

Leia mais

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento.

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento. Necessidade nutricional da criança e do adolescente atleta Francisco Leal Kobielski Giuseppe Potrick Stefani Introdução Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético

Leia mais

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 A Secretária de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações

Leia mais

Kelly Chaves - Nutricionista

Kelly Chaves - Nutricionista Kelly Chaves - Nutricionista Alimentos Saudáveis e Funcionais Substâncias consideradas funcionais Alimentos mais consumidos Boas fontes alimentares de cálcio A Importância do Cálcio na Nutrição O que são

Leia mais

Multi Star Adulto 15kg e 5kg

Multi Star Adulto 15kg e 5kg Multi Star Adulto 15kg e 5kg Proteína Bruta Extrato Etéreo (Mín.) 21% (Mín.) 8% Matéria Mineral Matéria Fibrosa (Máx.) 8% (Máx.) 4% Cálcio (Máx.) 1,8% Fósforo (Mín.) 0,8% Carne de Frango e Arroz Extrato

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno

Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno 1 Ter uma política de aleitamento materno escrita, que seja rotineiramente transmitida a toda a equipe de cuidados da saúde. 2 Capacitar toda equipe de

Leia mais

CONCEITOS DE ALIMENTAÇÃO AO LONGO DA VIDA DE CÃES E GATOS

CONCEITOS DE ALIMENTAÇÃO AO LONGO DA VIDA DE CÃES E GATOS CONCEITOS DE ALIMENTAÇÃO AO LONGO DA VIDA DE CÃES E GATOS Prof. Roberto de Andrade Bordin DMV, M.Sc. Setor de Nutrição e Metabolismo Animal Medicina Veterinária Universidade Anhembi Morumbi São Paulo,

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015 Cartilha de Prevenção 1 ANS - nº31763-2 Diabetes Fevereiro/2015 Apresentação Uma das missões da Amafresp é prezar pela qualidade de vida de seus filiados e pela prevenção através da informação, pois esta

Leia mais

Departamento do Agronegócio. AgroLegis. Federal. Acompanhamento de Legislações. 24 de junho de 2014 Edição 137. Documento Interno

Departamento do Agronegócio. AgroLegis. Federal. Acompanhamento de Legislações. 24 de junho de 2014 Edição 137. Documento Interno Departamento do Agronegócio AgroLegis Acompanhamento de Legislações 24 de junho de 2014 Edição 137 Documento Interno Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Presidente: Paulo Skaf Departamento

Leia mais

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826 PARECER COREN-SP 021/2013 CT PRCI n 100.555 Ticket nº 249.826 Ementa: Indicação e prescrição pelo Enfermeiro de leite artificial e outras fórmulas. 1. Do fato Enfermeira informa que colabora na formulação

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?...

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?... A U A UL LA Fazendo a digestão Atenção De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis? Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia para viver? Um corpo

Leia mais

Fibrose Cística. Triagem Neonatal

Fibrose Cística. Triagem Neonatal Fibrose Cística Triagem Neonatal Fibrose cística Doença hereditária autossômica e recessiva, mais frequente na população branca; Distúrbio funcional das glândulas exócrinas acometendo principalmente os

Leia mais

Saiba mais sobre: Uso de drogas e Aleitamento Materno

Saiba mais sobre: Uso de drogas e Aleitamento Materno Saiba mais sobre: Uso de drogas e Aleitamento Materno Roberto Gomes Chaves*, Joel Alves Lamounier** * Mestre em Ciências da Saúde / Saúde da criança e do adolescente pela Universidade Federal de Minas

Leia mais

Importância da Nutrição na Qualidade de Vida. Aline T. Carrera CRN3 21498 Nutricionista Clinica Funcional

Importância da Nutrição na Qualidade de Vida. Aline T. Carrera CRN3 21498 Nutricionista Clinica Funcional Importância da Nutrição na Qualidade de Vida Aline T. Carrera CRN3 21498 Nutricionista Clinica Funcional Repensar Mudanças (constante); Adaptações (necessárias); Escolhas (depende de você) o que você

Leia mais

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar Características gerais glicoproteínas resistência térmica resistente à proteólise

Leia mais

A Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, levando em consideração:

A Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, levando em consideração: A Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, levando em consideração: o valor nutricional de leites e derivados lácteos; a alta recomendação de ingestão diária de cálcio para a aquisição e manutenção

Leia mais

Intolerância à LACTOSE: Mitos e Realidade Ulysses Fagundes-Neto MD, PhD*

Intolerância à LACTOSE: Mitos e Realidade Ulysses Fagundes-Neto MD, PhD* Intolerância à LACTOSE: Mitos e Realidade Ulysses Fagundes-Neto MD, PhD* *Professor Titular da Disciplina de Gastroenterologia Pediátrica, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo

Leia mais

OMS complementary feeding

OMS complementary feeding Ricardo Ferreira OMS complementary feeding the period during which other foods or liquids are provided along with breast milk. any nutrient-containing foods or liquids other than breast milk given to young

Leia mais

Sugestão de Editorial

Sugestão de Editorial Sugestão de Editorial Cresce a demanda por produtos vegetais alternativos ao leite Este movimento de substituição já é global As bebidas vegetais, uma alternativa aos produtos lácteos, estão entre os itens

Leia mais

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos I Mostra Estadual de Atenção Primária em Saúde Curitiba - PR OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos Gisele Ane Bortolini Helen Duar Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição

Leia mais

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Apesar de ainda não existir cura definitiva para esse problema de saúde crônico, uma diferenciação entre essa patologia e a sensibilidade ao glúten

Leia mais

Forma farmacêutica e apresentação: Comprimido revestido. Display contendo 25 blísteres com 6 comprimidos revestidos.

Forma farmacêutica e apresentação: Comprimido revestido. Display contendo 25 blísteres com 6 comprimidos revestidos. LACTO-PURGA bisacodil 5mg Forma farmacêutica e apresentação: Comprimido revestido. Display contendo 25 blísteres com 6 comprimidos revestidos. USO ADULTO E PEDIÁTRICO (crianças acima de 4 anos) USO ORAL

Leia mais

O PAPEL DO ZINCO PARA A NUTRIÇÃO HUMANA

O PAPEL DO ZINCO PARA A NUTRIÇÃO HUMANA O PAPEL DO ZINCO PARA A NUTRIÇÃO HUMANA Introdução Os minerais, assim como as vitaminas que o organismo humano necessita para seu bom funcionamento, desempenham uma função metabólica de alta especificidade,

Leia mais

A Deficiência de Vitamina A

A Deficiência de Vitamina A Oficina de trabalho: Carências Nutricionais: Desafios para a Saúde Pública A Deficiência de Vitamina A O QUE É VITAMINA A A vitamina A é um micronutriente que pode ser encontrado no leite materno, alimentos

Leia mais

ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS

ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA VERSUS INTOLERÂNCIA À LACTOSE: AS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS Fabiana Silva Rodrigues Gasparin Docente Mestre do Departamento de Farmácia e Nutrição do Centro Universitário

Leia mais

ENEMAPLEX fosfato de sódio monobásico monoidratado + fosfato de sódio dibásico heptaidratado. Forma farmacêutica: Solução de enema

ENEMAPLEX fosfato de sódio monobásico monoidratado + fosfato de sódio dibásico heptaidratado. Forma farmacêutica: Solução de enema ENEMAPLEX fosfato de sódio monobásico monoidratado + fosfato de sódio dibásico heptaidratado Forma farmacêutica: Solução de enema 1 MODELO DE BULA ENEMAPLEX fosfato de sódio monobásico monoidratado + fosfato

Leia mais

ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE. Profª MSc Monyke Lucena

ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE. Profª MSc Monyke Lucena ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE Profª MSc Monyke Lucena Para podermos praticar esportes, estudar ou realizar qualquer outra atividade, devemos ter energia no nosso organismo; Essa energia é fornecida pelos

Leia mais

Saúde da Mulher. Rede Mundo Verde - Ano 1 Livro 1

Saúde da Mulher. Rede Mundo Verde - Ano 1 Livro 1 Guia Saúde da Mulher Uma queixa constante de mulheres é a prisão de ventre, flatulência, distensão abdominal. Muitas se habituam ao problema como se fosse normal e convivem com essa situação, muitas vezes

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE BIOQUÍMICA II

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE BIOQUÍMICA II UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE BIOQUÍMICA II VITAMINA B6 Márcio Ribeiro Friederich Carlos Renato Boelter Wilson Junior Weschenfelder Santa Cruz do Sul,

Leia mais

Parte 1 LEITE MATERNO X LEITE DE VACA

Parte 1 LEITE MATERNO X LEITE DE VACA Parte 1 LEITE MATERNO X LEITE DE VACA O leite materno é o alimento mais perfeito que existe no mundo. Sua composição é específica e sutilmente modificada de acordo com a necessidade e individualidade de

Leia mais

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA No dia-a-dia de um consultório de alergia é muito comum o cliente chegar achando que seu problema alérgico está relacionado à alergia alimentar, principalmente quando

Leia mais

Capilarema. Laboratórios Baldacci Ltda. Comprimidos. 75 mg

Capilarema. Laboratórios Baldacci Ltda. Comprimidos. 75 mg Capilarema Laboratórios Baldacci Ltda. Comprimidos 75 mg CAPILAREMA aminaftona APRESENTAÇÕES Comprimidos simples de 75 mg cartucho contendo 30 ou 60 comprimidos. VIA ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido

Leia mais

MODELO BULA PARA O PROFISSIONAL DA SAÚDE. Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento.

MODELO BULA PARA O PROFISSIONAL DA SAÚDE. Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. MODELO BULA PARA O PROFISSIONAL DA SAÚDE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Folonin ácido fólico FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: Comprimidos

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Sandra e Sofia. Fundamentação teórica Dor abdominal crônica na criança e no adolescente

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Sandra e Sofia. Fundamentação teórica Dor abdominal crônica na criança e no adolescente Caso complexo Sandra e Sofia Especialização em Fundamentação teórica DOR ABDOMINAL CRÔNICA NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE Soraia Tahan É comum nos atendimentos pediátricos a associação da queixa de dor abdominal

Leia mais

O PAPEL DO FERRO SOBRE A NUTRIÇÃO E A SAÚDE

O PAPEL DO FERRO SOBRE A NUTRIÇÃO E A SAÚDE O PAPEL DO FERRO SOBRE A NUTRIÇÃO E A SAÚDE Introdução O ferro é um nutriente mineral encontrado em alimentos de origem vegetal e animal, e de grande importância para a saúde por seu papel como constituinte

Leia mais

24 Alimentos para Combater a CELULITE

24 Alimentos para Combater a CELULITE 24 Alimentos para Combater a CELULITE Agradecimento e Informações Muito obrigado por baixar nosso guia com orientações sobre a prevenção e combate a celulite. Nosso objetivo é colaborar com a divulgação

Leia mais

Menopausa x Gordura abdominal. Nutricionista Fernanda Machado Soares

Menopausa x Gordura abdominal. Nutricionista Fernanda Machado Soares Menopausa x Gordura abdominal Nutricionista Fernanda Machado Soares Menopausa É o período que marca o fim da última menstruação de uma mulher. O tempo dessa transição é chamado de climatério. Marca o fim

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN: 1679 7353. Ano VI Número 10 Janeiro de 2008 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN: 1679 7353. Ano VI Número 10 Janeiro de 2008 Periódicos Semestral OSTEODISTROFIA FIBROSA EM EQUINOS DECORRENTE DA DEFICIENCIA NUTRICIONAL DE CALCIO E FOSFORO RELATO DE CASO FURIAN, Mariana PAES, Camila A. MENEGHETTI, Monique M. PARRA, Bruno C. AMARAL, Getulio A. Alunos

Leia mais

E OS SEUS BENEFÍCIOS

E OS SEUS BENEFÍCIOS E OS SEUS BENEFÍCIOS A principal função do leite é nutrir (alimentar). Além disso, cumpre as funções de proteger o estômago das toxinas e inflamações e contribui para a saúde metabólica, regulando os processos

Leia mais

FISIOLOGIA RENAL EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM

FISIOLOGIA RENAL EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM FISIOLOGIA RENAL 01. A sudorese (produção de suor) é um processo fisiológico que ajuda a baixar a temperatura do corpo quando está muito calor ou quando realizamos uma atividade

Leia mais

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca Comprometida com a busca constante por soluções e inovações tecnológicas em nutrição animal que melhorem produção e rentabilidade nas produções rurais, a Socil anuncia uma grande novidade. uma marca A

Leia mais

Condições justificáveis. para complementar ou. substituir o leite materno

Condições justificáveis. para complementar ou. substituir o leite materno Instituto de Saúde, 23 de março de 2009 Condições justificáveis para complementar ou substituir o leite materno Encontro Amamentando às Segundas Iniciativa Hospital Amigo da Criança PASSO 6 Não oferecer

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

A Importância do Sono

A Importância do Sono 1 A Importância do Sono Dra. Regeane Trabulsi Cronfli É um total contra-senso o fato de que, num mundo em que cerca de 16 a 40% das pessoas em geral sofrem de insônia, haja aquelas que, iludidas pelos

Leia mais

PLESONAX. (bisacodil)

PLESONAX. (bisacodil) PLESONAX (bisacodil) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Revestido 5mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: PLESONAX bisacodil APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos Embalagem contendo

Leia mais

BULA. Mylicon. Gotas IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Suspensão oral: Frascos gotejadores contendo 15 ml. USO ORAL

BULA. Mylicon. Gotas IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Suspensão oral: Frascos gotejadores contendo 15 ml. USO ORAL BULA Mylicon Gotas simeticona IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Suspensão oral: Frascos gotejadores contendo 15 ml. USO ADULTO E PEDIÁTRICO USO ORAL COMPOSIÇÃO Cada ml (11 a 12 gotas) contém 75

Leia mais

FABA ALERGIA ALIMENTAR

FABA ALERGIA ALIMENTAR FABA ALERGIA ALIMENTAR Intolerância Alimentar Aversão Alimentar Reações Imediatas e Tardias ALERGIA ALIMENTAR FABA ALERGIA ALIMENTAR - Reação adversa ao componente protéico do alimento e envolve mecanismo

Leia mais

Alergia Alimentar Uma abordagem prática

Alergia Alimentar Uma abordagem prática Alergia Alimentar Uma abordagem prática Wellington Borges Departamento de Alergia e Imunologia Sociedade Brasileira de Pediatria Conceito Alergia alimentar é uma entidade clínica resultante de reações

Leia mais

Hidratos de Carbono. Monossacarídeo (Glicose) Polissacarídeo (Glicogénio) Dissacarídeo (Frutose + Glicose = Sacarose)

Hidratos de Carbono. Monossacarídeo (Glicose) Polissacarídeo (Glicogénio) Dissacarídeo (Frutose + Glicose = Sacarose) Hidratos de Carbono Os hidratos de carbono são compostos orgânicos, constituídos por carbono (C), hidrogénio (H) e oxigénio (O). São a principal fonte de energia para o movimento, trabalho e realização

Leia mais