PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO Secretaria dos Transportes Metropolitanos Coordenadoria de Planejamento e Gestão CPG Rio de Janeiro - nov/14

2 Estrutura da Apresentação: - Território (caracterização - desafios) - Atuação da STM ( estrutura diretrizes articulações ) - Rede de transporte atual ( extensão dados operacionais ) - Rede de transporte em expansão ( extensão - investimentos resultados) - Processo do planejamento estratégico ( fluxograma instrumentos resultados ) - Financiamento ( fontes agentes - modos valores ) - Politicas complementares ( preços trânsito - uso do solo )

3 Macrometrópole Paulista 173 municípios 27% dos municípios paulistas 30,1 milhões de habitantes (2010) 73% da população do Estado PIB de R$ 897,3 bilhões (2009) 83% do PIB do Estado e 27% do Brasil

4 Região Metropolitana de São Paulo - RMSP 39 municípios km 2 20,2 milhões de habitantes 1 em cada 10 brasileiros mora na RMSP Renda per capita de R$ ,00 29,7 milhões são viagens realizadas por modo motorizado

5 Desafios?? - Aumento em 18% no numero de deslocamentos motorizados (29,7 milhões) sendo 21% no individual e 18% no coletivo ( )*; - Aumento da frota de carros particulares em 18% e consequente aumento dos congestionamentos ( )*; - perdas econômicas e ambientais; - espraiamento mancha urbana exigindo maior investimento em infraestrutura. * Pesquisa de Mobilidade 2012

6 Agravamento dos congestionamentos impactando sobre o meio ambiente e a qualidade de vida. Fonte: Veja S.Paulo, 6/4/11. Foto: Antonio Milena AE.

7 Beneficios sociais e ambienais: com a existência da rede de metrô - resultado em milhões de horas em tempo de viagem 290 milhões de km em operação de ônibus R$ 7,2 bi 488 milhões de litros de combustível 1,449 bilhão de km em operação de autos t de emissão de poluentes acidentes R$ 54 milhões em custo de manutenção do sistema viário

8 R$ bi Benefícios sociais da rede metroviária , ,44 18,35 18,48 19,39 21,49 23, ,95 13,01 13, O que a sociedade deixa de gastar com a existência da rede de metrô entre 2014 e 2030

9 Diretrizes da Secretaria dos Transportes Metropolitanos Dar mobilidade sustentável às cidades Integrar modos motorizados públicos e nãomotorizados, municipais e metropolitanos. Terminar obras iniciadas, melhorar a eficiência do que já está em operação. Atender os novos conglomerados, como a macrometrópole paulista. Buscar novas soluções tecnológicas, novos recursos para investimento.

10 Responsabilidades Governo do Estado Governos municipais Serviços de ônibus intermunicipais Serviços de ônibus municipais Serviços sobre trilhos A STM apoia e desenvolve ações e planos de transportes junto aos municípios visando a integração e compatibilização dos planos locais com os planos de caráter metropolitano previstos ou em implantação.

11 Estrutura da Secretaria dos Transportes Metropolitanos - STM

12 Mapa do Transporte Metropolitano - RMSP

13 Rede metroferroviária atual 11 Linhas 335 km de extensão 154 Estações 7,2 Milhões de Passageiros / Dia Útil 22 Municípios Atendidos

14 Rede metropolitana em andamento

15 Rede metroferroviária em andamento 10 Linhas (5 novas e 5 expansões) +127,5 km de extensão +100 Novas estações +4 Milhões de Passageiros / Dia Útil +2 Municípios Atendidos

16

17 Como Planejamos? CONSTRUÇÃO DA ESTRATÉGIA VISÃO DE FUTURO DA METRÓPOLE OBJETIVOS DA POLÍTICA DE TRANSPORTES SELEÇÃO DE INDICADORES FORMULAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PESQUISA ORIGEM-DESTINO RESULTADOS MODELOS DE DEMANDA CENÁRIOS SÓCIO- ECONÕMICOS MODELO ESTRATÉGICO PROPOSTAS Infraestrutura Gestão Preços Políticas

18 Visão de Futuro da Metrópole

19 Formulação de Estratégias REDE ABERTA REDE CENTRAL Rede de Alta Capacidade REDE DENSA Rede de Média Capacidade Sistema Viário Metropolitano Sistema Viário Municipal

20 Como Planejamos? MODELAGEM DE TRANSPORTE VISÃO DE FUTURO DA METRÓPOLE OBJETIVOS DA POLÍTICA DE TRANSPORTES SELEÇÃO DE INDICADORES FORMULAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PESQUISA ORIGEM-DESTINO RESULTADOS MODELOS DE DEMANDA CENÁRIOS SÓCIO- ECONÕMICOS MODELO ESTRATÉGICO PROPOSTAS Infraestrutura Gestão Preços Políticas

21 Rede Futura RMSP

22 Características da Rede Futura 2030 Linhas circulares

23 Características da Rede Futura 2030 Serviços expressos

24 Rede Futura RMSP

25 Evolução da Rede Futura RMSP

26 Mecanismos de Financiamento Tesouro do Estado e municípios Empréstimos internacionais e nacionais Bancos e agências financiadoras Empreendimentos associados Parceria Público-Privada - PPP

27 Agências de financiamento

28 Conceito das PPP s no GESP Necessidade de uma expressiva mudança de escala na implantação de novas linhas de transporte público de passageiros no Estado de São Paulo; Abrange projeto, construção, material rodante, sistemas e operação (PPP integral); O projeto pode ser da iniciativa privada (MIP) ou do Estado; Prevê a bonificação por antecipação de operação (parcial ou plena) Desapropriações das áreas públicas pelo setor público e das propriedades privadas realizadas pelo Privado e Licenças ambientais prévias, sob responsabilidade do Estado e as demais licenças pelo privado. Divisão de Riscos Público - Privado 28

29 PPP s no GESP O Governo de São Paulo, por meio da da Secretaria de Transportes Metropolitanos STM contratou em 2013 e 2014 duas PPP s Integrais: PPP da Linha 6 Laranja Brasilândia / São Joaquim - investimentos de R$ 9,6 bilhões; e PPP da Linha 18 Bronze - Tamanduateí / Djalma Dutra - investimentos de R$ 4,2 bilhões. E Em licitação a PPP Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista SIM Os três projetos totalizam investimentos de mais de R$ 16 bilhões.

30 Evolução dos Indicadores Indicador Passageiros Transportados (Mil Pax)* 2,553 3,293 3,647 3,889 4,163 Trilhos 654 1,129 1,556 1,770 2,232 Pneus 1,899 2,164 2,091 2,119 1,931 Divisão Modal (% TC) 53.9% 58.7% 58.3% 57.7% 56.4% Velocidade Média TC Tempo Médio TC (min) Extensão da Rede (km) Rede Trilhos (metrô+trem metropol.) Corredores * Hora pico da manhã

31 Como Planejamos? Politicas Associadas VISÃO DE FUTURO DA METRÓPOLE OBJETIVOS DA POLÍTICA DE TRANSPORTES SELEÇÃO DE INDICADORES FORMULAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PESQUISA ORIGEM-DESTINO RESULTADOS MODELOS DE DEMANDA CENÁRIOS SÓCIO- ECONÕMICOS MODELO ESTRATÉGICO PROPOSTAS Infraestrutura Gestão Preços Políticas

32 Políticas públicas associadas ao transporte Aumento da oferta com atuação sobre a demanda; Proposição de políticas públicas conjugadas à de transporte: Uso do Solo, Habitação, Logística Urbana de Cargas, Desenvolvimento e Financiamento (base fundiária); Diretrizes 1. Balanceamento empregos / habitações 2. Adensamento seletivo centralidades 3. Contenção da área urbanizada 4. Subsídio habitacional para os grupos de baixa renda

33 Cenário Tendencial Baseado em projeções que tem como referência as tendências históricas de desenvolvimento urbano Cenário Equilibrado 1. Balanceamento empregos / habitações Uso misto Tratamentos específicos para centro e periferia 2. Subsídio habitacional para os grupos de baixa renda 3. Contenção da área urbanizada 4. Adensamento seletivo centralidades AIUs : polares e lineares em torno dos eixos de transporte Operações Urbanas

34 Política de Transporte e Uso do Solo AIU ao longo dos eixos de transporte

35 Política de Transporte e Uso do Solo Melhor aproveitamento do solo ao longo dos eixos e/ou terminais da rede estrutural de transportes Liverpool Street Station - Londres

36 Política de Transporte e Uso do Solo Melhor aproveitamento do solo ao longo dos eixos e/ou terminais da rede estrutural de transportes Hong Kong Londres

37 Secretaria dos Transportes Metropolitanos Coordenadoria de Planejamento e Gestão - CPG Saulo Pereira Vieira Coordenador de Planejamento e Gestão

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos SOLUÇÕES PARA A MOBILIDADE URBANA NO BRASIL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos 17 de setembro/2015 Estrutura

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO PDTU SETRANS DEZEMBRO / 2015

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO PDTU SETRANS DEZEMBRO / 2015 PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO PDTU SETRANS DEZEMBRO / 2015 CONTRATO Nº 002/ASJUR/11 Contratante: Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística

Leia mais

Secretaria dos Transportes Metropolitanos. 16ª Semana de Tecnologia Metroviária: AEAMESP. Setembro 2010 1

Secretaria dos Transportes Metropolitanos. 16ª Semana de Tecnologia Metroviária: AEAMESP. Setembro 2010 1 Construção e avaliação de um cenário de desenvolvimento urbano para uma cidade mais sustentável através de uma estratégia integrada de transporte e uso do solo. Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO A RMRJ NO CONTEXTO NACIONAL: ATUALMENTE EXISTEM 41 REGIÕES METROPOLITANAS NO BRASIL, SENDO QUE 21 POSSUEM MAIS DE 1 MILHÃO DE HABITANTES,

Leia mais

Corredor Urbanístico de Transporte Nordeste Sudeste da RMSP Eixo de transporte público de média capacidade Guarulhos - Grande ABC

Corredor Urbanístico de Transporte Nordeste Sudeste da RMSP Eixo de transporte público de média capacidade Guarulhos - Grande ABC Corredor Urbanístico de Transporte Nordeste Sudeste da RMSP Eixo de transporte público de média capacidade Guarulhos - Grande ABC AEAMESP 16ª Semana de Tecnologia Metroferrovária Data: SET/2010 Eng. Rui

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB

Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB Revisão do Plano Diretor Estratégico Mobilidade Urbana SMDU DEURB 2013 Características da Mobilidade em São Paulo 25,2 milhões de viagens diárias motorizadas na RMSP; 18,0 milhões de viagens diárias motorizadas

Leia mais

1ª PESQUISA OD NA BAIXADA. Estudo sobre a mobilidade da população:

1ª PESQUISA OD NA BAIXADA. Estudo sobre a mobilidade da população: 1 1ª PESQUISA OD NA BAIXADA Estudo sobre a mobilidade da população: 2 PESQUISA OD VIAGEM MODO MOTIVO Informações adicionais: Tempo de viagem Características socioeconômicas Localização dos pólos de produção

Leia mais

Introdução TRANSOESTE. Ilustração 3D

Introdução TRANSOESTE. Ilustração 3D Cidade Integrada Introdução A cidade do Rio de Janeiro passa por uma mudança de paradigma na mobilidade, com um grande ciclo de investimentos em transporte de alta capacidade. O processo envolve obras

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA

SECRETARIA EXECUTIVA SECRETARIA EXECUTIVA Organização do Estado de São Paulo Estruturação e aprovação dos Projetos de PPP Secretaria Executiva Núcleo Técnico Unidade de PPP Companhia Paulista de Parcerias CPP Análise de propostas

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO. Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015

INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO. Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015 INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015 ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Mobilidade na RMSP 2. Integração

Leia mais

Relatório 4 Planejamento e Execução das Pesquisas: Parte 3: Diagnóstico da Situação Atual

Relatório 4 Planejamento e Execução das Pesquisas: Parte 3: Diagnóstico da Situação Atual Será apresentado a seguir um conjunto de figuras (figura 4.5.5 até 4.5.48) que representam as linhas de desejo da população, considerando o somatório dos motivos casa trabalho, casa escola, casa outros,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barreto de Carvalho Secretário do PAC

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barreto de Carvalho Secretário do PAC MOBILIDADE URBANA Mauricio Muniz Barreto de Carvalho Secretário do PAC O QUE O GOVERNO FEDERAL JÁ FEZ Sanção da Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) Desoneração das tarifas do transporte

Leia mais

VLT: oportunidades de implantação

VLT: oportunidades de implantação b VLT: oportunidades de implantação 12 de novembro de 2009 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Coordenador de Planejamento e Gestão Secretaria dos Transportes Metropolitanos PITU: Regiões Metropolitanas Região

Leia mais

Área de atuação do BNB

Área de atuação do BNB Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semiárido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território do NE) Semiárido BNB Área de atuação: 1.775,4 mil Km 2 Municípios atendidos: 1.989 (11 Estados) Quantidade

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO Estratégias de Desenvolvimento em Minas Gerais Raphael Guimarães Andrade Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Belo Horizonte, 09 de outubro

Leia mais

PLANEJAMENTO INTEGRADO E PARTICIPATIVO OFICINAS PÚBLICAS. Ciclo B SUSTENTABILIDADE FASE DE PROPOSIÇÕES. Loca e Data aqui

PLANEJAMENTO INTEGRADO E PARTICIPATIVO OFICINAS PÚBLICAS. Ciclo B SUSTENTABILIDADE FASE DE PROPOSIÇÕES. Loca e Data aqui Região Metropolitana de Belo Horizonte. Maio de 2010 PLANEJAMENTO INTEGRADO E PARTICIPATIVO OFICINAS PÚBLICAS Ciclo B SUSTENTABILIDADE FASE DE PROPOSIÇÕES Uma RMBH melhor hoje e no futuro Qual é a metrópole

Leia mais

Escrito por Nahiene Machado Alves Qua, 07 de outubro de 2015 00:40 - Última atualização Qua, 07 de outubro de 2015 08:08

Escrito por Nahiene Machado Alves Qua, 07 de outubro de 2015 00:40 - Última atualização Qua, 07 de outubro de 2015 08:08 Quanto custa ficar parado no trânsito em São Paulo? Esta pergunta foi respondida com precisão Hoje, pessoas que trabalham fora de casa gastam em média 100 minutos do dia na ida e volta entre os locais

Leia mais

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados.

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados. Fundada em agosto de 1975, por 13 empresas, a ADEMI-BA completa em 2015, 40 anos de existência sempre optando por projetos alinhados às necessidades da população, colocando em primeiro plano as exigências

Leia mais

Planejamento integrado como ferramenta para a eficácia da gestão pública

Planejamento integrado como ferramenta para a eficácia da gestão pública Planejamento integrado como ferramenta para a eficácia da gestão pública Por Eduarda La Rocque* Depois de três anos e meio à frente da Secretaria de Fazenda do Município do Rio de Janeiro (SMF), fui convidada

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Malha Rodoviária do Estado de São Paulo Data Base: outubro/2010 Rodovias Concedidas no Estado de São Paulo Extensão de Rodovias Estaduais Concedidas 4.988 km + 1162 km de acessos e dispositivos Associação

Leia mais

Modelo de Transporte por Ônibus

Modelo de Transporte por Ônibus Modelo de Transporte por Ônibus Porto Alegre Janeiro / 2003 Dados Gerais das Populações dos Sistemas de Transporte Rede Metropolitana de Porto Alegre População de Porto Alegre População: 1.360.033 hab

Leia mais

PROGRAMA MOBILIDADE URBANA DE BAIXO CARBONO EM GRANDES CIDADES

PROGRAMA MOBILIDADE URBANA DE BAIXO CARBONO EM GRANDES CIDADES PROGRAMA MOBILIDADE URBANA DE BAIXO CARBONO EM GRANDES CIDADES OBJETIVO DO PROGRAMA Desenvolvimento de conhecimento e ferramentas que promovam a inclusão da redução de GEEs nos projetos de transporte urbano

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos. Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013

Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos. Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013 Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013 AS REGIÕES METROPOLITANAS Proximidade e ocorrência de conurbação Compartilhamento

Leia mais

TRÁFEGO DE CARGA E PASSAGEIROS NA MALHA FERROVIÁRIA DA RMSP: TEM SOLUÇÃO?

TRÁFEGO DE CARGA E PASSAGEIROS NA MALHA FERROVIÁRIA DA RMSP: TEM SOLUÇÃO? TRÁFEGO DE CARGA E PASSAGEIROS NA MALHA FERROVIÁRIA DA RMSP: TEM SOLUÇÃO? 1 2 Urbanização progressiva Formação de Megalópoles Luta por espaço (solo, subsolo e troposfera) 3 Trânsito x Transporte Transporte

Leia mais

12ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Trabalho Técnico. Modernização dos Sistemas de Transporte sobre Trilhos de Passageiros de Natal,

12ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Trabalho Técnico. Modernização dos Sistemas de Transporte sobre Trilhos de Passageiros de Natal, 12ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Trabalho Técnico TEMA Modernização dos Sistemas de Transporte sobre Trilhos de Passageiros de Natal, João Pessoa e Maceió. RESUMO O trabalho analisa as influências

Leia mais

Pré-Diagnóstico do Município de São Paulo

Pré-Diagnóstico do Município de São Paulo Programa Urb-Al rede 7 projeto comum R7-A3-03 O Acesso ao Solo e a Habitação Social em Cidades Grandes de Regiões Metropolitanas da América Latina e Europa Pré-Diagnóstico do Município de São Paulo CONTEÚDO

Leia mais

o shopping 2 Shopping Guararapes

o shopping 2 Shopping Guararapes FOLDER CONGRESSO SG.indd 1 06/09/13 19:14 o shopping Com uma localização estratégica, o Shopping Guararapes está situado em uma das áreas de maior crescimento da Região Metropolitana do Recife. Recebe

Leia mais

Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo.

Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo. Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo. Leonardo Hideyoshi Ueda (1) (1) Companhia do Metropolitano e São Paulo Gerência de Operações Departamento de Controle Centralizado e Tráfego

Leia mais

Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas

Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas São Paulo, 26 de Junho de 2015 1 Emissões de GEE do Setor Energia, (2013) 2 Milhões de toneladas de CO2e 250 200 150 100 50 Transportes Industrial Geração de

Leia mais

A Política e a Estratégia Nacional do Ar em Portugal

A Política e a Estratégia Nacional do Ar em Portugal A Política e a Estratégia Nacional do Ar em Portugal Qualidade do Ar: um caso de jurisprudência para Portugal Filomena Boavida 19 maio 2015 Regulamentação da política do ar Recuperação do vapor da gasolina,

Leia mais

Jaboatão dos Guararapes no contexto regional. Tania Bacelar Professora da UFPE Sócia da Ceplan- Consultoria econômica e planejamento

Jaboatão dos Guararapes no contexto regional. Tania Bacelar Professora da UFPE Sócia da Ceplan- Consultoria econômica e planejamento Jaboatão dos Guararapes no contexto regional Tania Bacelar Professora da UFPE Sócia da Ceplan- Consultoria econômica e planejamento Jaboatão dos Guararapes, setembro de 2012 ROTEIRO Um olhar no contexto

Leia mais

Resultado dos trabalhos dos Eixos Temáticos da 6ª Conferência Nacional das Cidades etapa municipal de Belo Horizonte

Resultado dos trabalhos dos Eixos Temáticos da 6ª Conferência Nacional das Cidades etapa municipal de Belo Horizonte Resultado dos trabalhos dos Eixos Temáticos da 6ª Conferência Nacional das Cidades etapa municipal de Belo Horizonte Este relatório consolida as propostas debatidas, votadas e aprovadas em cada um dos

Leia mais

ATENÇÃO. www.bndes.gov.br 1

ATENÇÃO. www.bndes.gov.br 1 ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

Rede de transportes sobre trilhos avançou só 10,4 km no Brasil em 2015. Globo.com - Rio de Janeiro/RJ - NOTÍCIAS - 09/06/2016-05:07:47

Rede de transportes sobre trilhos avançou só 10,4 km no Brasil em 2015. Globo.com - Rio de Janeiro/RJ - NOTÍCIAS - 09/06/2016-05:07:47 Rede de transportes sobre trilhos avançou só 10,4 km no Brasil em 2015 Globo.com - Rio de Janeiro/RJ - NOTÍCIAS - 09/06/2016-05:07:47 EXPANSÃO DA REDE Em números de km de novas linhas Dado de 2016 é estimativa

Leia mais

Os grandes balizamentos estabelecidos para condução dos negócios estão descritos a seguir:

Os grandes balizamentos estabelecidos para condução dos negócios estão descritos a seguir: O Plano Estratégico 2015-2030 Em setembro de 2012, a Medida Provisória 579/12, convertida na Lei 12.783, de 11/01/2013, estabeleceu a forma de prorrogação dos contratos de concessão de geração, transmissão

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL. Agosto/2007

GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL. Agosto/2007 GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL Agosto/2007 Quantidade de Resíduos Sólidos Urbanos Gerada e Coletada em 2005 (ton/dia) Macroregião RSU gerado (ton/dia) Ìndice de Coleta (%) RSU coletado (ton/dia)

Leia mais

SITUAÇÃO ATUAL DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ

SITUAÇÃO ATUAL DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS SITUAÇÃO ATUAL DA HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ JOSÉ RENATO RIBAS FIALHO Gerente de Desenvolvimento e Regulação da Navegação Interior A ANTAQ A ANTAQ Criada pela Lei

Leia mais

7º Encontro de Logística e Transportes

7º Encontro de Logística e Transportes 7º Encontro de Logística e Transportes Transportes Metropolitanos na RMSP Roberto Arantes Filho Coordenador de Relações Institucionais da STM Fiesp-SP,21/05/2012 Módulo 1 Contexto de Atuação Regiões metropolitanas

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 9127, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011. Altera dispositivos da Lei n 8.824, de 16 de Julho de 2009 Plano Plurianual, quadriênio 2010/2013. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA APROVA E

Leia mais

Experiência de Pernambuco na atração de investimentos

Experiência de Pernambuco na atração de investimentos Experiência de Pernambuco na atração de investimentos O que é Pernambuco? Um dos estados que mais cresce e gera empregos no País Em 2012, o PIB estadual teve crescimento de 2,3% e o nacional 0,9%. Entre

Leia mais

A PESQUISA ORIGEM E DESTINO NA LINHA DE CONTORNO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, E O PLANEJAMENTO E GESTÃO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO.

A PESQUISA ORIGEM E DESTINO NA LINHA DE CONTORNO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, E O PLANEJAMENTO E GESTÃO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO. A PESQUISA ORIGEM E DESTINO NA LINHA DE CONTORNO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO, E O PLANEJAMENTO E GESTÃO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO. Apresentação A pesquisa Origem e Destino O/D, é tradicionalmente

Leia mais

- Rodovias Brasileiras: Gargalos, Investimentos, Concessões e Preocupações com o Futuro

- Rodovias Brasileiras: Gargalos, Investimentos, Concessões e Preocupações com o Futuro Infraestrutura Econômica no Brasil - Rodovias Brasileiras: Gargalos, Investimentos, Concessões e Preocupações com o Futuro Ricardo Pereira Soares ricardo.soares@ipea.gov.br Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO SABÁUDIA CONTINUA

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO SABÁUDIA CONTINUA PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO SABÁUDIA CONTINUA 14 EIXOS PARA A CONTINUIDADE DA TRANSFORMAÇÃO DE SABÁUDIA 1º EIXO RELIGIÃO Apoio a todas as denominações religiosas Incentivo ao crescimento e estrutural.

Leia mais

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL José Antonio da Motta Ribeiro Coordenação Geral de Engenharia Sanitária Salvador, 18 de Setembro de 2015 Fundação Nacional

Leia mais

6 O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes e o Transporte Ferroviário de Combustíveis

6 O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes e o Transporte Ferroviário de Combustíveis 6 O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes e o Transporte Ferroviário de Combustíveis O setor ferroviário participou com 20,86% na matriz de transporte de carga geral do Brasil no ano de 2000, considerando

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO: Maio/2016. Produtividade e Infraestrutura PESQUISA DE PRODUTIVIDADE

RELATÓRIO TÉCNICO: Maio/2016. Produtividade e Infraestrutura PESQUISA DE PRODUTIVIDADE RELATÓRIO TÉCNICO: Maio/2016 Produtividade e Infraestrutura PESQUISA DE PRODUTIVIDADE SOBRE A EQUIPE TÉCNICA DA FUNDAÇÃO DOM CABRAL (FDC) COORDENAÇÃO TÉCNICA DA PESQUISA DE PRODUTIVIDADE: Hugo Ferreira

Leia mais

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise PROJETO PPPS EM INFRAESTRUTURA SOCIAL NO NORDESTE DO BRASIL SEMINÁRIO PPPS, BANDA LARGA E INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS APLICADAS AOS SERVIÇOS PÚBLICOS: EXPERIÊNCIAS

Leia mais

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Gerência de Gestão Ambiental Urbana e Territorial AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Cidades Sustentáveis são pautadas em três

Leia mais

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia A SIT Secretaria da Informação e Tecnologia Restabelecer a Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação na Administração Municipal

Leia mais

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017 Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Crédito Pronaf R$ 30 bilhões para financiamento da produção de Alimentos Saudáveis Juros mais baixos, redução de

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

Companhia São Paulo de Parcerias. Principais Projetos 2010-2011

Companhia São Paulo de Parcerias. Principais Projetos 2010-2011 Companhia São Paulo de Parcerias Principais Projetos 2010-2011 Índice dos Projetos: PPP da Saúde Expo 2020 Terminal de Cargas Fernão Dias Arena de Itaquera Circuito de Compras Novas vagas de Estacionamento

Leia mais

Painel: Reuso de Água como Instrumento de Gestão

Painel: Reuso de Água como Instrumento de Gestão Seminário Gestão da Água: a Crise ainda não Acabou São Paulo, 23 de Março de 2016 Painel: Reuso de Água como Instrumento de Gestão Eng. Américo de Oliveira Sampaio Coordenador de Saneamento da Secretaria

Leia mais

Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência; - Reestruturação de Corredores; (Avenida Bernardo Vieira e Hermes

Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência; - Reestruturação de Corredores; (Avenida Bernardo Vieira e Hermes Consolidação da Rede Cooperativa de Pesquisa Cidades Interativas: Mobilidade Urbana, Acessibilidade e Governo Eletrônico. Melhorias alcançadas (Ações): -Terminal de Integração; -Estações de Transferência;

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Estado de São Paulo ANTP Rio de Janeiro, 12/03/2014 Rede metropolitana em andamento

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara 19/06/2012 Roberta Marchesi Gerente Executiva Apoio: ANPTrilhos Objetivo Promover

Leia mais

SÍNTESE PARA INTERNET

SÍNTESE PARA INTERNET PNIA / Síntese para Internet Indicador TSO 3.1-1/8 MMA Ministério do Meio Ambiente PNIA PAINEL NACIONAL DE INDICADORES AMBIENTAIS Indicadores Nacionais SÍNTESE PARA INTERNET Indicador: TSO 3.1 Terras e

Leia mais

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS 1 ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS Ernesto Friedrich de Lima Amaral 21 de setembro de 2011 Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia Departamento de Sociologia e Antropologia

Leia mais

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO 1

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO 1 OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO 1 Estratégicos Expresso Bandeirantes - São Paulo Patrocinador: Secretaria de Transportes Metropolitanos - STM Valor: US$ 1.5 Bilhões Localização: Ligação

Leia mais

Glossário Indicadores PPA 2010-2013

Glossário Indicadores PPA 2010-2013 Glossário Indicadores PPA 2010-2013 CIDADE DE DIREITOS 1111 1112 1113 1114 1121 1122 1127 1128 Acesso à saúde e qualidade no atendimento - Integralidade da atenção Acesso à saúde e qualidade no atendimento

Leia mais

Planejamento para o Desenvolvimento Urbano Sustentável.

Planejamento para o Desenvolvimento Urbano Sustentável. Planejamento para o Desenvolvimento Urbano Sustentável. UNESP/Campus de Rio claro rbraga@rc.unesp.br SUSTENTABILIDADE São finitos: Estoque dos recursos naturais Capacidade do meio em absorver os impactos

Leia mais

VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL

VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL Prof.º Msc. Mario Pascarelli Filho Graduado em Engenharia Mecânica pela FEI. Pós-Graduado em Administração de Empresas pela FAAP. Mestre em Educação,

Leia mais

Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos

Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Elaboração do PPA 2016-2019 DIMENSÃO ESTRATÉGICA O Planejamento não pode prescindir de reflexões sobre quais as estratégias para o desenvolvimento

Leia mais

Campus UFSCar de Sorocaba Experiências em Sustentabilidade

Campus UFSCar de Sorocaba Experiências em Sustentabilidade Colóquio Sustentabilidade, Educação Ambiental e Eficiência Energética: um desafio para as instituições de ensino e para a sociedade. CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL Secretaria Especial do

Leia mais

Seminário Internacional de Mobilidade Urbana e Meio Ambiente. Aplicação de tecnologia na análise da qualidade do ar

Seminário Internacional de Mobilidade Urbana e Meio Ambiente. Aplicação de tecnologia na análise da qualidade do ar Seminário Internacional de Mobilidade Urbana e Meio Ambiente Aplicação de tecnologia na análise da qualidade do ar Aplicação de tecnologia na análise da qualidade do ar Modelagem da dispersão atmosférica

Leia mais

Audiência Pública. Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA) Novembro de 2015

Audiência Pública. Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA) Novembro de 2015 Audiência Pública Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA) Novembro de 2015 OBJETIVO No Brasil as empresas do Grupo AMX estão prontas para atender as necessidades

Leia mais

Linha: Nova Friburgo (RJ) - Belo Horizonte (MG)

Linha: Nova Friburgo (RJ) - Belo Horizonte (MG) Linha: Nova Friburgo (RJ) - Belo Horizonte (MG) 1. Objeto Este projeto refere-se ao transporte rodoviário interestadual de passageiros, na ligação Nova Friburgo (RJ) - Belo Horizonte (MG). A ligação, representada

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Plano de Ação Municipal em Mudanças Climáticas e Monitoramento dos Resultados Florence Karine Laloë Gerente

Leia mais

Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Cenário do Saneamento Básico e suas Oportunidades 08.07.2015

Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Cenário do Saneamento Básico e suas Oportunidades 08.07.2015 Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Cenário do Saneamento Básico e suas Oportunidades 08.07.2015 O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população

Leia mais

Mecanismos Financeiros Ações em andamento no MMA. Secretaria de Biodiversidade e Florestas - SBF

Mecanismos Financeiros Ações em andamento no MMA. Secretaria de Biodiversidade e Florestas - SBF Mecanismos Financeiros Ações em andamento no MMA Secretaria de Biodiversidade e Florestas - SBF Iniciativas em andamento A Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade TEEB Brasil Compensação por significativo

Leia mais

Estacionamento e Politicas de Redução de Congestionamento na América Latina

Estacionamento e Politicas de Redução de Congestionamento na América Latina Estacionamento e Politicas de Redução de Congestionamento na América Latina 3 de Setembro de 2014 Vera Lucia Vicentini Transporte Regional Sustentável Divisão de Transporte Banco Interamericano de Desenvolvimento

Leia mais

Inauguração do VLT é transferida para 5 de junho

Inauguração do VLT é transferida para 5 de junho Inauguração do VLT é transferida para 5 de junho De olho na segurança da população, a Prefeitura do Rio por meio da Secretaria Municipal de Transportes e da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio SANEPAR OBJETIVO DA PRÁTICA Sensibilizar os atores sociais para questões e práticas socioambientais que promovam a sustentabilidade por

Leia mais

Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas. Ministério do Planejamento

Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas. Ministério do Planejamento Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas PPA 2012-2015 Agenda 1. O PPA 2012-2015 2. Princípios 3. Dimensões do Plano 4. Principais Mudanças 5. Estrutura e Conceitos 6. Elaboração do PPA 1. O PPA

Leia mais

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005 O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY A Importância de Serviço Civil Estruturado Bens e Serviços Públicos Governança Reforma da Política Econômica Gasto Público Sustentabilidade Fiscal Fonte:

Leia mais

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria C, T & I e a Defesa Nacional: A visão da indústria C,T&I e a Defesa: a visão da indústria A indústria e a Defesa Nacional Os desafios de C,T&I no País e a visão da CNI para a Política de Inovação Os desafios

Leia mais

Oportunidade. para quem mais precisa

Oportunidade. para quem mais precisa Oportunidade para quem mais precisa 1.1 Estratégia de atuação 1 O que é o Programa Vida Melhor? Até 2015, um conjunto de ações será trabalhado com 120 mil famílias na área urbana e 280 mil famílias no

Leia mais

ALENQUER NO QUADRO DO PORTUGAL 2020. 7 de Setembro de 2015

ALENQUER NO QUADRO DO PORTUGAL 2020. 7 de Setembro de 2015 ALENQUER NO QUADRO DO PORTUGAL 2020 7 de Setembro de 2015 ALENQUER PORTUGAL 2020 INSTRUMENTOS FINANCEIROS ITI Instrumentos Territoriais Integrados (concretizáveis através de Pactos para o Desenvolvimento

Leia mais

Seminário Universalização do saneamento: Desafios e metas para o setor

Seminário Universalização do saneamento: Desafios e metas para o setor Seminário Universalização do saneamento: Desafios e metas para o setor A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento ASSEMAE É uma organização nãogovernamental, sem fins lucrativos, fundada

Leia mais

APLICAÇÃO DO ESTATUTO DA CIDADE E DOS PLANOS DIRETORES E A EFETIVAÇÃO DA FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE DO SOLO URBANO. Eng. Agro. MSc.

APLICAÇÃO DO ESTATUTO DA CIDADE E DOS PLANOS DIRETORES E A EFETIVAÇÃO DA FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE DO SOLO URBANO. Eng. Agro. MSc. APLICAÇÃO DO ESTATUTO DA CIDADE E DOS PLANOS DIRETORES E A EFETIVAÇÃO DA FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE DO SOLO URBANO Eng. Agro. MSc. Leonardo Tinôco Implementação da Política Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social Centro de Imprensa. Índice Futuridade

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social Centro de Imprensa. Índice Futuridade Índice Futuridade Plano Futuridade O FUTURIDADE: Plano Estadual para a Pessoa Idosa é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social - Seads que objetiva fortalecer a rede

Leia mais

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE Jilmar Tatto Secretário municipal de transportes GERENCIAMENTO DA DEMANDA DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE URBANA E TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO SÃO PAULO

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

INTRODUÇÃO E CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA INTRODUÇÃO E CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes

Leia mais

REFORMA TRIBUTÁRIA Desoneração da Folha de Pagamentos: Novos Setores

REFORMA TRIBUTÁRIA Desoneração da Folha de Pagamentos: Novos Setores REFORMA TRIBUTÁRIA Desoneração da Folha de Pagamentos: Novos Setores Guido Mantega Ministro da Fazenda Brasília, 04 de abril de 2013 1 Redução de tributos sobre a folha de pagamentos Estamos anunciando

Leia mais

To make progress in understanding all of this, we probably need to begin with simplified models and ignore the critics that the real world is more

To make progress in understanding all of this, we probably need to begin with simplified models and ignore the critics that the real world is more To make progress in understanding all of this, we probably need to begin with simplified models and ignore the critics that the real world is more complex. The world is always more complex, what has the

Leia mais

3.7 Estratégia de implantação de Pólos Multifuncionais

3.7 Estratégia de implantação de Pólos Multifuncionais 3.7 Estratégia de implantação de Pólos Multifuncionais A criação de Pólos Multifuncionais constitui uma tentativa de ofertar atividades comerciais de bens e serviços, de lazer, cultura e habitação ligados

Leia mais

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO Ministério do Meio Ambiente O Projeto de Elaboração do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável Socioambientais Prioritários/Vale do

Leia mais

Forum Tubos de Aço como Elemento Estrutural

Forum Tubos de Aço como Elemento Estrutural Forum Tubos de Aço como Elemento Estrutural Desenvolvimento Estratégico e o Crescimento Sustentável do Município do Rio de Janeiro Maio de 2010 Agenda Economia da Cidade e sua vantagem comparativa Setores

Leia mais

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP.

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. SÃO PAULO, 25 DE AGOSTO DE 2015 INTRODUÇÃO Há três iniciativas simultâneas

Leia mais

SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012

SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012 SENADO FEDERAL (*)PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 388, DE 2012 Altera a Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Extensão Esterina Placco Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

MUNICÍPIO DE BELÉM PROJETO DELEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS ANEXO DE METAS E PRIORIDADES 2008

MUNICÍPIO DE BELÉM PROJETO DELEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS ANEXO DE METAS E PRIORIDADES 2008 Gestão do Poder Legislativo Aquisição de Veículos para o Legislativo 1 Unid. Construção do Anexo do Prédio da Cãmara Municipal Aquisição de Equipamentos e Mobiliário Informatização e Modernização Tecnológica

Leia mais

Tema: Alternativas de Financiamento para o Saneamento. A Experiência da Sabesp. Dalmo Nogueira Filho Presidente da SABESP

Tema: Alternativas de Financiamento para o Saneamento. A Experiência da Sabesp. Dalmo Nogueira Filho Presidente da SABESP Tema: Alternativas de Financiamento para o Saneamento A Experiência da Sabesp Dalmo Nogueira Filho Presidente da SABESP A SABESP Maior empresa de saneamento da América Latina, estando entre as maiores

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 Política Nacional de Atenção Básica Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 A ATENÇÃO BÁSICA A AB é o nível de atenção mais próximo das pessoas e deve ser, integral, resolutiva, inserida no território e a

Leia mais

Transformando uma tecnologia convencional em tecnologia social*

Transformando uma tecnologia convencional em tecnologia social* Transformando uma tecnologia convencional em tecnologia social* Autores: Adriano Borges & Kate Abreu Este artigo é parte do livro: COSTA, Adriano Borges, (Org.) Tecnologia Social e Políticas Públicas.

Leia mais

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO INVESTIMENTOS - GRANDES EVENTOS ESPORTIVOS PÓLOS INDUSTRIAIS ESTRUTURANTES POTENCIAL DE CONSERVAÇÃO ESPAÇO PARA EXPANSÃO ESPAÇO PARA EXPANSÃO População (em mil) 7.482

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Balanço do Mercado Imobiliário 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP ECONOMIA ANvidade Econômica Crescimento Real (%) PIB e Construção Civil 13,3 10,6 5,8 9,2 6,9 6,1 4,95,1 4,0 3,2 0,2 8,3

Leia mais

Sistema Integrado Moinhos

Sistema Integrado Moinhos Sistema Integrado Moinhos A experiência do Hospital Moinhos de Vento no desenvolvimento de um modelo de gestão integrado Sandra de Mattos Analista de Gestão e Desenvolvimento Organizacional Hospital Moinhos

Leia mais