Introdução. 1 Ten Ideas Changing the World Right Now, 12 de março de 2009.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução. 1 Ten Ideas Changing the World Right Now, 12 de março de 2009."

Transcrição

1 Introdução Quem apostaria que em nossa cultura pós-moderna assunto austero como o calvinismo poderia ser coisa da moda? À parte o 500º aniversário do nascimento de João Calvino em 2009, nos últimos anos o que é descrito como novo calvinismo tem gerado crescente interesse e mais devotos o que está melhor exposto no texto de Collin Hansen, Young, Restless, Reformed: A Journalist s Journey with the New Calvinists [Jovens, inquietos, reformados: A jornada de um jornalista com os novos calvinistas]. Associada a pastores conhecidos como John Piper e Mark Driscoll além de acadêmicos como Al Mohler e D. A. Carson a atenção ao novo calvinismo atingiu um crescendo quando a revista Time, em curiosa afirmação, elegeu-o uma das dez ideias que estão mudando o mundo agora. 1 Experimentei parte desse novo interesse no calvinismo num lugar pouco provável: uma igreja Assembleia de Deus no centro de Los Angeles. Enquanto eu e minha esposa dirigíamos o colégio de formação de ministros na Assembleia de Deus Del Aire, em Hawthrone, Califórnia (que está bem longe de Bel Air, só pra constar!), testemunhei um aumento na busca por uma reflexão teológica mais rigorosa entre os 1 Ten Ideas Changing the World Right Now, 12 de março de

2 C A R TA S A UM JOV E M C A LV I N I STA jovens de vinte e poucos anos do nosso grupo (jovens em sua maioria latinos). Procurando desenvolver mentes cristãs com profundidade teológica e alicerçadas numa tradição intelectual que eles não conseguiram encontrar em sua herança pentecostal, esses jovens foram, de modo surpreendente, atraídos para as riquezas da tradição reformada. O curioso é que essa parece ser uma trajetória comum para muitos evangélicos. Aliás, essa é a minha própria história. Converti-me e me formei ao longo de uma tradição evangelical marcada por uma estranha atmosfera biblista e, contudo, antiteológica, a qual gerava um ethos anti-intelectual. Porém, naquela altura, enquanto cursava a Faculdade Bíblica, descobri a tradição reformada da Old Princeton a rica herança teológica do Seminário Teológico de Princeton no século XIX (delineada de forma excelente na antologia de Mark Noll, The Princeton Theology). Ainda consigo me lembrar de ter passado uma noite em claro, imerso nas obras de Charles Hodge, B. B. Warfield e William G. T. Shedd. Bebi da sabedoria e da erudição desses homens com um senso quase vertiginoso de emoção e renovo, sussurrando constantemente para mim mesmo: Onde vocês estiveram durante toda a minha vida?. Foi como se eu tivesse descoberto o por quê de eu ter um cérebro. Tendo mergulhado nesse rio profundo de reflexão teológica, não levou muito tempo para que eu começasse a devorar o trabalho de autores mais contemporâneos como Francis Schaeffer, J. I. Packer e John Piper, os quais, por sua vez, fizeram-me voltar ao passado, para gigantes como Agostinho, João Calvino, John Owen e Jonathan Edwards. Na tradição reformada encontrei um lar do qual nunca saí, mesmo que agora eu gaste a maior parte do meu tempo em outros lugares desta extensa propriedade que é o calvinismo. 16

3 I N T R O D U Ç Ã O Porém, olhando para trás no entusiasmo de me ter tornado um novo e jovem calvinista, também me assustei com as ásperas arestas de minha arrogância espiritual um vício sobretudo desagradável. A devoção simples de meus irmãos e irmãs tornou-se ocasião para menosprezo e gastei muito tempo apontando os erros de suas maneiras arminianas. Foi bem estranho descobrir que as doutrinas da graça poderiam ser transformadas numa autoconfiante arrogância e notável falta de caridade. Eu me tornara uma caricatura do servo impiedoso na parábola de Jesus (Mt ). Às vezes, identificava versões assustadoras do mesmo orgulho naqueles jovens com os quais passei um tempo em Los Angeles arrogância que eu entendia mas também abominava. E nesse caso em particular, parecia existir um traço em seu calvinismo que lhes dava satisfação para mais amplas noções culturais de machismo, as quais não refletiam a graça e a misericórdia radicais do evangelho. O calvinismo tornou-se uma sofisticada justificativa teológica para atitudes e práticas patriarcais. A forma coletiva de calvinismo que eles encontraram não era bela e certamente não era uma testemunha atraente do vindouro Reino de Deus. Às vezes, identifico do mesmo nesses novos calvinistas que encontro por aí. Olhando para trás em minha entusiasmada chegada ao calvinismo, posso ver outro aspecto lamentável que parece com frequência caracterizar o novo calvinismo : minha fascinação pela tradição reformada era largamente incompleta, fixada nas questões da eleição e predestinação e na análise de aspectos dos chamados cinco pontos do calvinismo: depravação total, eleição incondicional, expiação limitada, graça irresistível e a perseverança (ou preservação) dos santos. E enquanto parecia vir com presunção e com a confiança de 17

4 C A R TA S A UM JOV E M C A LV I N I STA que era fácil descartar outras tradições cristãs, essa fixação também falhou em sondar as profundezas da própria tradição reformada. Se imaginarmos a tradição reformada como uma enorme mansão, é como se eu tivesse entrado, através da porta do calvinismo, num hall todo ornamentado, mas ficasse tão fascinado com aquele lugar em particular, que nunca me aventurasse a entrar nos outros cômodos. Quando se gasta tempo vagando pelas maravilhas de Biltmore Estate, 2 o deslumbramento com o hall de entrada é posto em seu contexto. (O título da coleção de histórias de Daniyal Mueenuddin, In Other Rooms, Other Wonders [Em outras salas, outras maravilhas], parece sugestivo a esse respeito). Somente depois fui convidado (ou melhor, empurrado!) para as outras salas, onde comecei a apreciar toda a riqueza, não somente do calvinismo, mas de uma tradição reformada mais ampla. Estas cartas pretendem ser apenas um convite. O Jesse a quem são endereçadas é uma mistura daqueles jovens, homens e mulheres, de Los Angeles, que deram nova energia a meu interesse e apreciação por Calvino, Edwards e Kuyper. Mas Jesse também é um pouco do meu eu mais jovem e, de certa forma, essa é uma coleção de cartas para mim mesmo não só o que eu gostaria de ter sabido, mas também o conselho que eu gostaria que alguém me tivesse dado. Espero que sejam, em primeiro lugar e acima de tudo, pastorais. Pelo menos esta é sua origem a preocupação e o conselho de um amigo e mentor a um jovem que começa a entrar nas águas desse rio profundo. 2 Maior mansão dos EUA, de estilo Château localizada em Asheville, Carolina do Norte. Possui 250 quartos e tem uma área total ,80m². [N. do T.] 18

5 I N T R O D U Ç Ã O As cartas não têm a menor pretensão de ser uma introdução à tradição reformada, porém espero que proporcionem certa educação no mesmo sentido das cartas de Friedrich Schiller em Letters on the Aesthetic Education of Man [Cartas sobre a educação estética do homem]: o processo de convidar e introduzir alguém à tradição, encontrando-o onde está, e então passar a caminhar ao seu lado. Usando nossa metáfora da mansão, espero que essas sejam as palavras de um apaixonado guia turístico ou até mesmo as palavras de um antigo residente dessa grande propriedade que é o calvinismo ansioso por mostrar ao recém-chegado visitante as riquezas da mansão que de alguma forma ficaram escondidas e desvalorizadas. Porém, o interesse e a preocupação destas cartas não é apenas a informação teológica; é também a formação espiritual. Espero que as cartas reflitam um processo pedagógico de crescimento, pouco a pouco conduzindo o leitor, de sala em sala, sem se apressar. Como tal, é importante que a leitura das cartas seja feita na ordem em que se apresentam, pois cada uma pressupõe um contexto e o curso de um diálogo. Imagino o leitor num determinado lugar e num determinado ponto de partida. Dessa forma, estas cartas não oferecem uma defesa apologética do calvinismo, tentando defendê-lo de todos os lados; antes, assumo que o destinatário destas cartas é alguém já interessado nessa tradição e procurando por uma direção num território que não lhe é familiar. Aliás, imagino que esse destinatário pode ser alguém muito entusiasmado com sua recente descoberta do calvinismo; então as cartas assumem esse interesse (apesar de eu acreditar que elas também sejam úteis para outros leitores que talvez estejam em situações diferentes). Porém, acima de tudo, imagino 19

6 C A R TA S A UM JOV E M C A LV I N I STA esta correspondência como um tipo de discipulado à distância, entre dois amigos. Esse nível de amizade é crucial para o contexto em que estas cartas são trocadas. E também, algumas vezes, a preocupação pastoral das cartas vai requerer um amor resoluto e uma crítica honesta, palavras de precaução e até admoestação. No entanto espero que o leitor se lembre de que, nesses momentos, eu me imagino escrevendo para um amigo. De fato, também estou escrevendo para mim mesmo mais do que para qualquer outro. Aqui reside uma crítica ao meu eu mais jovem (e até ao mais velho). Por fim, enquanto estas cartas são escritas como um convite para a tradição reformada, esse convite é somente instrumental. A fonte e o fim da tradição reformada é Deus em si mesmo, revelado a nós por meio de Jesus Cristo e presente conosco na pessoa do Espírito Santo. Em outras palavras, estas cartas são um convite à tradição reformada, somente porque a tradição reformada é um convite para a vida de Deus. Em seu manual para pregadores do século V, De doctrina christiana [A doutrina cristã], Agostinho percebe quão estranho seria um viajante de um país distante tornar- -se tão encantado por seu meio de transporte, que nunca saísse do barco, mesmo que o propósito do barco fosse apenas transportá-lo para o próximo porto. A tradição reformada é um caminho, não um destino; é um meio, não um fim; é um caminho para o Caminho que é a estrada com Jesus. É um barco que nos conduz ao porto do reino de Deus e nos impulsiona a nos encontrarmos com a Palavra que se tornou carne. Estas cartas são pequenos e meros panfletos dando as notícias a respeito dessa jornada. 20

Igreja Amiga da criança. Para pastores

Igreja Amiga da criança. Para pastores Igreja Amiga da criança Para pastores Teste "Igreja Amiga da Criança" O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isso, os discípulos repreendiam aqueles que as tinham

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

CRENÇAS FUNDAMENTAIS. Não Podemos ser Estáticos

CRENÇAS FUNDAMENTAIS. Não Podemos ser Estáticos CRENÇAS FUNDAMENTAIS NÚMERO 11 Assim Como Todas as Coisas Vıvas Há crescimento quando permanecemos em Cristo Por Victor A. Schulz Uma das memórias de minha infância aconteceu no campo missionário. Um dia,

Leia mais

NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO

NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil: Art.8º - O governo e a administração de uma Igreja local competem ao Conselho, que se compõe de pastor ou pastores

Leia mais

(Tutorial do site) 1

(Tutorial do site) 1 (Tutorial do site) 1 Por que um novo site? Ao pensar em criar um novo site, nos concentramos nas faltas que sentíamos e em como poderíamos melhorar o que já estava funcionando. Quatro palavras foram essenciais

Leia mais

O QUE ACONTECE COM OS BEBÊS QUE MORREM? A G L Ó R I A D A T E O L O G I A R E F O R M A D A

O QUE ACONTECE COM OS BEBÊS QUE MORREM? A G L Ó R I A D A T E O L O G I A R E F O R M A D A O QUE ACONTECE COM OS BEBÊS QUE MORREM? A G L Ó R I A D A T E O L O G I A R E F O R M A D A Mera Curiosidade? Este assunto é fundamental para a nossa fé. Está muito longe de ser uma mera curiosidade. Batismo

Leia mais

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco Notícias de Família Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida 06 JUNHO 2014 Permanece conosco Vivemos dias de graça, verdadeiro Kairós com a Celebração

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA 1 40 dias vivendo para Jesus 12/05/2013 At 1 4 Um dia, quando estava com os apóstolos, Jesus deu esta ordem: Fiquem em Jerusalém e esperem até que o Pai

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

A letra mata? Por: Elvis Brassaroto Aleixo. Postado em 26 de fevereiro de 2012 http://www.saberefe.com/blog/a-letra-mata

A letra mata? Por: Elvis Brassaroto Aleixo. Postado em 26 de fevereiro de 2012 http://www.saberefe.com/blog/a-letra-mata ! A letra mata? Por: Elvis Brassaroto Aleixo " #$% Postado em 26 de fevereiro de 2012 http://www.saberefe.com/blog/a-letra-mata 789:;

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Carta Pastoral dirigida às igrejas da diocese de Rotemburgo-Estugarda na Quaresma Pascal de 2015 Bispo Sr. Dr.

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

6ª Aula A Vontade de Deus

6ª Aula A Vontade de Deus 6ª Aula A Vontade de Deus Objetivo do curso: Ajudar cada cristão a orar mais! Ajudar cada cristão a entender que a oração é o meio pelo qual Deus é CONVIDADO a fazer parte de nossas vidas (não há outra

Leia mais

Mas isso irá requerer uma abordagem pessoal, persistente, muita oração e uma ferramenta poderosa para nos ajudar a fazer isso!

Mas isso irá requerer uma abordagem pessoal, persistente, muita oração e uma ferramenta poderosa para nos ajudar a fazer isso! 2015 NOSSO CONTEXTO GLOBAL: Quase 3 bilhões de pessoas online Quase 2 bilhões de smartphones 33% de toda a atividade online é assistindo a vídeos BRAZIL: Mais de 78% dos jovens (15-29) usam internet. São

Leia mais

OS QUATRO EVANGELHOS E AS PARÁBOLAS DE JESUS M.DIRCE LUNARDI MAIO 2015

OS QUATRO EVANGELHOS E AS PARÁBOLAS DE JESUS M.DIRCE LUNARDI MAIO 2015 OS QUATRO EVANGELHOS E AS PARÁBOLAS DE JESUS M.DIRCE LUNARDI MAIO 2015 OS QUATRO EVANGELHOS E AS PARÁBOLAS DE JESUS Estudando as fontes mais aceitas e u@lizadas na composição dos EVANGELHOS ü O que significa

Leia mais

Estudos na Palavra de Deus. Jovens

Estudos na Palavra de Deus. Jovens Estudos na Palavra de Deus Jovens Grandes Santos de Deus Jovens programação Jovens Sirvo a um Deus preciso Richard Roger (1550-1618) Jovens Família Igreja Sociedade Jovens CTB Os Puritanos Juliano Heyse

Leia mais

Essa é nossa visão, que será levada a cabo por. TESTE 1Pedro 4:10 INTERCERDER DAR EDUCAR NUTRIR TRANSMITIR INVESTIGAR DISTRIBUIR ALCANZAR COM AMOR

Essa é nossa visão, que será levada a cabo por. TESTE 1Pedro 4:10 INTERCERDER DAR EDUCAR NUTRIR TRANSMITIR INVESTIGAR DISTRIBUIR ALCANZAR COM AMOR Igreja de Deus Descubra sua área de Ministério!!! Entendendo seu propósito Cada um exerça o dom que Dignificar, Capacitar e Transformar recebeu para servir os Essa é nossa visão, que será levada a cabo

Leia mais

em 2012, em Aveiro; em 2013, em Coimbra; e em 2014, na cidade do Porto, numa organização conjunta com o departamento de jovens da UPASD.

em 2012, em Aveiro; em 2013, em Coimbra; e em 2014, na cidade do Porto, numa organização conjunta com o departamento de jovens da UPASD. CONVENÇÃO GAM 2016 O QUE É O GAM? O projeto "Geração Adventista em Missão" (GAM) é um movimento organizado e executado por jovens e jovens adultos que se reveem nos valores, princípios e doutrinas da Igreja

Leia mais

LIDERANÇA ESPIRITUAL

LIDERANÇA ESPIRITUAL LIDERANÇA ESPIRITUAL Líder é uma pessoa que Deus usa para influenciar outras pessoas... Líderes são pessoas comuns, mas usadas por Deus... (Richard Blackaby) O sucesso da liderança espiritual depende da

Leia mais

Projeto de Plantação da Congregação da Segunda Igreja Presbiteriana de Porto Alegre

Projeto de Plantação da Congregação da Segunda Igreja Presbiteriana de Porto Alegre Projeto de Plantação da Congregação da Segunda Igreja Presbiteriana de Porto Alegre É o meu Rio Grande do Sul, céu, sol, sul, terra e cor, Onde tudo o que se planta cresce E o que mais floresce é o amor

Leia mais

Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva

Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva Comunicação Espiritual J. C. P. Novembro de 2009 Marlon (Espírito) Psicofonia compilada por Maria José Gontijo Revisão Filipe Alex da Silva Resumo: Trata-se de uma comunicação pessoal de um amigo do grupo

Leia mais

Implantar o Seu Reino na Terra

Implantar o Seu Reino na Terra CHAMADOS PARA RESPLANDECER A LUZ DO SENHOR ENTRE TODOS OS POVOS Disse Jesus: Venham a mim todos que estão cansados e oprimidos e eu darei alivio para vocês Mat. 11.28 VISÃO DO MDA MÉTODO DE DISCIPULADO

Leia mais

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana 93 ISSN - 1517-7807 9!BLF@FB:VWOOUWoYdZh outubro 2013 Que a saúde se difunda sobre a terra Escatologia e Exercícios Espirituais Pedro Arrupe, homem de Deus 1

Leia mais

Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen

Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen Síntese Informativo Mensal do Movimento Pólen Como o Pai me enviou, também Eu vos envio (Jo 20,21) Outubro de 2011 / Ano MMXI 1 EDITORIAL Queridos Amigos, Com grande alegria que terminamos mais um mês

Leia mais

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa Celebrar os 50 anos da abertura do Concílio no Ano da Fé 1. Na Carta apostólica A Porta da Fé, assim se exprime

Leia mais

HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA

HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA HUMILDADE- A VERDADEIRA GRANDEZA Ministério de Mulheres Aulas: 1 - Abertura - Tudo começa na Mente 2- Considerações gerais sobre a humildade 3- Manifestações Orgulho 4- Orgulho - personagens bíblicos 5-

Leia mais

EVANGELHO Mt 22,1-14 «.Na verdade, muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.».

EVANGELHO Mt 22,1-14 «.Na verdade, muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.». «.Na verdade, muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.». Ambiente: Continuamos em Jerusalém, nos dias que antecedem a Páscoa. Os dirigentes religiosos judeus aumentam a pressão sobre Jesus. Instalados

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte 8º Capítulo Petros Os Dons Pilares 1ª Parte O texto de I Co 12:7-11 fala sobre os dons espirituais, aqui chamados de carismáticos; O texto de Ef 4:11 fala sobre os dons ministeriais, aqui chamados de dons

Leia mais

Módulo II Quem é o Catequista?

Módulo II Quem é o Catequista? Módulo II Quem é o Catequista? Diocese de Aveiro Objectivos Descobrir a imagem de catequista que existe na nossa comunidade. Aprofundar a vocação e o ministério do catequista a partir da Bíblia. Com base

Leia mais

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4

Atribuam ao Senhor glória e força (...) A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é majestosa. Salmos 29.1 e 4 Precisa-se de Pais Espirituais Objetivo do Senhor: - Glorificar o nome de Deus, revelar Seu poder e beleza e atribuir a Ele toda glória. - Provocar o desejo de marcar significativamente a sua descendência/

Leia mais

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN "Pr. Williams Costa Jr.- Pastor Bullón, por que uma pessoa precisa se batizar? Pr. Alejandro Bullón - O Evangelho de São Marcos 16:16 diz assim: "Quem crer e for batizado,

Leia mais

Deus está implantando o Seu Reino aqui na Terra e Ele tem deixado bem claro qual é a visão dele para nós:

Deus está implantando o Seu Reino aqui na Terra e Ele tem deixado bem claro qual é a visão dele para nós: Visão do MDa Na visão do MDA, é possível à Igreja Local ganhar multidões para Jesus sem deixar de cuidar bem de cada cristão é o modelo de discipulado um a um em ação. O MDA abrange diversos fatores desenvolvidos

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

Dentre os poucos textos bíblicos que se pode aplicar em uma ocasião como esta este é o mais apropriado, penso eu.

Dentre os poucos textos bíblicos que se pode aplicar em uma ocasião como esta este é o mais apropriado, penso eu. As qualificações essenciais da esposa do líder cristão 1 Timóteo 3.11 Pr. Fernando Fernandes PIB Penápolis, 01/03/2009 (Por ocasião do Dia Batista da Esposa de Pastor) Dentre os poucos textos bíblicos

Leia mais

Nós esperamos que esta pequena seleção de notícias e comentários o encoraje a orar e dar graças.

Nós esperamos que esta pequena seleção de notícias e comentários o encoraje a orar e dar graças. Seminário a Distancia a Todas as Nações Muito obrigado pelo seu contínuo apoio e parceria neste ministério. Este mês celebramos o 44 aniversário da missão. No dia 14 de Julho, teremos mais um dia global

Leia mais

Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização

Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização Ambiência escolar Marista: desafios da educação popular na evangelização Adriano de Souza Viana 1 A práxis pastoral no ambiente educativo é sempre desafiante. Melhor dizendo, toda ação educativa é sempre

Leia mais

EQUIPAS DE JOVENS DE NOSSA SENHORA O PAPEL DO CASAL ASSISTENTE

EQUIPAS DE JOVENS DE NOSSA SENHORA O PAPEL DO CASAL ASSISTENTE EQUIPAS DE JOVENS DE NOSSA SENHORA O PAPEL DO CASAL ASSISTENTE A experiência de um casal cristão que acompanha a equipa traz aos seus membros uma riqueza complementar à que caracteriza a presença do padre.

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

AUXILIADORA DO URUAPIARA AMAZONAS

AUXILIADORA DO URUAPIARA AMAZONAS AUXILIADORA DO URUAPIARA AMAZONAS A Província Brasil Sul, da Congregação das Irmãs de Santa Doroteias da Frassinetti, assume o trabalho de evangelização em Auxiliadora do Uruapiara, Amazonas. Em 2015 passaram

Leia mais

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868).

Dons Espirituais. A maior causa de nossa fraqueza espiritual como um povo é a falta de fé real nos dons espirituais. (Review and Herald 14/08/1868). Dons Espirituais Por que é importante conhecer o tema? Somos admoestados a conhecê-los. (I Corintios 12:1). Somos motivados a usá-los. (I Timóteo 4:10). Somos responsáveis pelo uso. (I Pedro 4:10). A maior

Leia mais

Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como estudar

Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como estudar Atividades de Aprendizado Atividades para as aulas da Escola Dominical APRENDIZADO do EVANGELHO Um de seus principais objetivos como professor(a) da Escola Dominical é incentivar os jovens a aprender como

Leia mais

ESBOÇO AMPLIADO DE ESTUDO BÍBLICO INDUTIVO

ESBOÇO AMPLIADO DE ESTUDO BÍBLICO INDUTIVO ESBOÇO AMPLIADO DE ESTUDO BÍBLICO INDUTIVO Título: Firmeza na doutrina em tempos de fraqueza na fé. Texto: Por esta razão te lembro que despertes o dom de Deus, que há em ti pela imposição das minhas mãos.

Leia mais

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot Viver com atenção O c a m i n h o d e f r a n c i s c o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot 2 Viver com atenção Conteúdo 1 O caminho de Francisco 9 2 O estabelecimento

Leia mais

Visão MDA. Sidnei Souza Hewlett-Packard 01/01/2014

Visão MDA. Sidnei Souza Hewlett-Packard 01/01/2014 2014 Visão MDA [Digite o subtítulo do documento] VI [Digite o resumo do documento aqui. Em geral, um resumo é um apanhado geral do conteúdo do documento. Digite o resumo do documento aqui. Em geral, um

Leia mais

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução 23 4 MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR Introdução Chegamos ao último encontro de nossa série de 11 anos. Ao longo dessas semanas, conversamos, sob a luz do texto de Mateus 28.19-20a, a respeito dos olhares

Leia mais

Deus chama você para orar

Deus chama você para orar 1 Deus chama você para orar Deus tem um plano maravilhoso por meio do qual você pode ter uma influência de alcance mundial. Este plano não é apenas para alguns poucos escolhidos. É para você e para mim.

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

AGUAS PROFUNDAS. Lc 5

AGUAS PROFUNDAS. Lc 5 1 Lc 5 AGUAS PROFUNDAS 1 Certo dia Jesus estava perto do lago de Genesaré, e uma multidão o comprimia de todos os lados para ouvir a palavra de Deus. 2 Viu à beira do lago dois barcos, deixados ali pelos

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

Tema: Quatro Pecados Contaminantes

Tema: Quatro Pecados Contaminantes Tema: Quatro Pecados Contaminantes Data: 01.11.14 Culto: Sábado Pr. Leandro Hoje o mundo está à mercê do vírus ebola que é um vírus extremamente contaminante, porém há algo mais contaminante que este vírus

Leia mais

Quão Longe é Muito Longe?

Quão Longe é Muito Longe? 1 Quão Longe é Muito Longe? Tim Challies Num momento ou outro, todo mundo já fez ou precisou responder as seguintes perguntas: Quando se trata do componente físico de um relacionamento de namoro, quão

Leia mais

SER LIVRE E SER FELIZ Encontros com adolescentes e jovens

SER LIVRE E SER FELIZ Encontros com adolescentes e jovens SER LIVRE E SER FELIZ Encontros com adolescentes e jovens Coleção Catequese Permanente Roteiros para encontros PRÉ-EVANGELIZAÇÃO com crianças de 5 a 7 anos Volume 1: Conhecendo Jesus Volume 2: Seguindo

Leia mais

Educador Cristão: identidade, carisma e vocação. Por Igor Miguel

Educador Cristão: identidade, carisma e vocação. Por Igor Miguel Educador Cristão: identidade, carisma e vocação Por Igor Miguel Fundamento da Identidade Fundamento da Identidade Vida Cristocêntrica e Teorreferente Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei,

Leia mais

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO Processo de Iniciação na RCC Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL Conceito Por Iniciação Cristã se entende o processo pelo qual alguém é incorporado ao mistério de

Leia mais

Igreja "em saída" missionária

Igreja em saída missionária Mês das Missões O mês de outubro é, para a Igreja, o período no qual são intensificadas as iniciativas de animação e cooperação em prol das Missões em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Alliance for Childhood Movimento Internacional

Alliance for Childhood Movimento Internacional Alliance for Childhood Movimento Internacional Palestrante: Christopher Clouder Presidente do Fellowship das escolas Waldorf para o reino Unido e Irlanda e o CEO do Conselho Europeu para a Educação Waldorf

Leia mais

MONTEIRO, Eduardo...[et al.]. Ensino Religioso Ensino Médio. A Vida é Mais educação e valores. Belo Horizonte: PAX Editora, 2010. p. 158.

MONTEIRO, Eduardo...[et al.]. Ensino Religioso Ensino Médio. A Vida é Mais educação e valores. Belo Horizonte: PAX Editora, 2010. p. 158. SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: / / 03 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA.º ANO/EM PROFESSOR(A): VALOR: MÉDIA: RESULTADO: %

Leia mais

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES A RESPONSABILIDADE É PESSOAL A CEEN é uma igreja que tem a responsabilidade de informar e ensinar os valores e princípios de Deus,

Leia mais

A pedagogia do discipulado

A pedagogia do discipulado A pedagogia do discipulado Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo. Para isso eu me esforço, lutando conforme a

Leia mais

LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B

LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B LECTIO DIVINA Domingo V da Páscoa Ano B Autor: Ricardo Grzona e Cristian Buiani, frpo Tradução: Adriano Israel (PASCOM) PRIMEIR LEITURA: Atos dos Apóstolos 9, 26-31 SALMO RESPONSORIAL: Salmo 21 SEGUNDA

Leia mais

Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do SECATAB

Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do SECATAB Programa semipresencial do Curso Bacharel em Teologia do O pauta suas ações partindo de um princípio interconfessional preparando ministros para a pregação do evangelho. ESTRUTURA DO CURSO O curso conta

Leia mais

PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA?

PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA? PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA? Franklin Ferreira CONCEITUAÇÕES Fundamentalismo evangélico: literalismo bíblico, dispensacionalismo, cismático, rejeição do diálogo acadêmico. Liberalismo teológico:

Leia mais

Sal da TERRA e luz do MUNDO

Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da terra e luz do mundo - jovens - 1 Apresentação pessoal e CMV Centro Missionário Providência Canto: vós sois o sal da terra e luz do mundo... MOTIVAÇÃO: Há pouco tempo

Leia mais

Sempre Abundantes. IDE Curso E1 - Células. Lição 6 Multiplicando a sua célula

Sempre Abundantes. IDE Curso E1 - Células. Lição 6 Multiplicando a sua célula Sempre Abundantes IDE Curso E1 - Células Multiplicando a sua célula Vídeo: não desista agora! 2 Que lições aprendemos com este vídeo? Grupos de 4 a 6 pessoas Conversem sobre o vídeo e formulem duas lições

Leia mais

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização OBJETIVOS DA AULA Oferecer aos estudantes a construção de um conhecimento consistente e crítico sobre Evangelização,

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai Cláudio Ribeiro Objetivos Avaliar a doutrina de Trindade suas raízes, premissas fundamentais, ênfases e mudanças no contexto global da história da Igreja e as

Leia mais

Fruto do Espírito: Amabilidade e Mansidão

Fruto do Espírito: Amabilidade e Mansidão Fruto do Espírito: Amabilidade e Mansidão O Trigo Humilde Um lavrador e seu jovem filho foram para os campos colher trigo. Ao olharem os campos de grãos dourados bailando ao sabor do vento, o garoto exclamou,

Leia mais

Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade. Excursionista. Desbravador Unidade 1

Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade. Excursionista. Desbravador Unidade 1 Excursionista Nome: Unidade: Geral 1. Ter no mínimo 14 anos de idade. Cole aqui sua copia de identidade 2. Ser membro ativo do Clube de Desbravadores. Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez R

Leia mais

EBA- IBCU Out e Nov 12 Wagner Fonseca João Mengaldo

EBA- IBCU Out e Nov 12 Wagner Fonseca João Mengaldo EBA- IBCU Out e Nov 12 Wagner Fonseca João Mengaldo Origem do Pentecostalismo Credo do Montanismo, 170 d.c.: Porta-vozes do Espírito Santo Fim do mundo próximo Nova Jerusalém, na Frígia Ascetismo rigoroso

Leia mais

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO ORIENTAÇÕES BÁSICAS JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO JPEG é Jovens em Pequenos Grupos. A nova identidade dos pequenos grupos para jovens. NECESSIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA PEQUENOS GRUPOS Pequenos grupos

Leia mais

SANTIDADE E VIDA COTIDIANA. Lewis S. Fiorelli OSFS

SANTIDADE E VIDA COTIDIANA. Lewis S. Fiorelli OSFS SANTIDADE E VIDA COTIDIANA Lewis S. Fiorelli OSFS O Concílio Vaticano II foi um momento significativo na vida da Igreja contemporânea. Entre suas muitas contribuições encontra-se a promoção dos leigos

Leia mais

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO?

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? A palavra Concílio significa assembleia reunida por convocação e, na Igreja, um concílio sempre teve como objetivo discutir, definir e deliberar sobre questões de

Leia mais

R. Rutschka. R. Rutschka. P. Rull Gomes

R. Rutschka. R. Rutschka. P. Rull Gomes Primeira Edição R. Rutschka Ilustrações de: R. Rutschka Revisão de texto: P. Rull Gomes São Paulo, 2012 3 R. Rutschka 2012 by R. Rutschka Ilustrações R. Rutschka Publicação PerSe Editora Ltda. ISBN 978-85-8196-024-1

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER INTRODUÇÃO: Qualquer que seja meu objetivo, ler é a atividade básica do aprendizado. Alguém já disse: Quem sabe ler, pode aprender qualquer coisa. Se quisermos estudar a Bíblia,

Leia mais

Casas de Paz Uma estratégia para levar famílias a experimentar a paz que só Jesus pode oferecer.

Casas de Paz Uma estratégia para levar famílias a experimentar a paz que só Jesus pode oferecer. Casas de Paz Uma estratégia para levar famílias a experimentar a paz que só Jesus pode oferecer. 1) Introdução. Pouco antes da sua morte Jesus declarou aos seus discípulos: Deixo com vocês a paz. É a minha

Leia mais

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO Estudo Bíblico Bispo Luiz Vergílio / Caxias do Sul/RS Abril de 2009 Ministerial de Pastores e Pastoras 1 MISSÃO DA IGREJA E CRESCIMENTO I. IGREJA

Leia mais

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Ficha 1 1 Formação Integral (I) A com juventude para todo trabalho de evangelização A, como fundante (falando- se em, com atenção também

Leia mais

Obrigado irmã Denyszczuk. O papel de mãe: que coisa maravilhosa! Caros irmãos e irmãs. É um privilégio dirigir algumas palavras a vocês nesta noite.

Obrigado irmã Denyszczuk. O papel de mãe: que coisa maravilhosa! Caros irmãos e irmãs. É um privilégio dirigir algumas palavras a vocês nesta noite. ÉLDER MAZZAGARDI Primeiro Conselheiro na Presidência da Área Brasil Certifiquem-se que o Sacerdócio de Melquisedeque esteja funcionando adequadamente nas Alas. Quando os Quóruns de Élderes e do Grupo de

Leia mais

TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS

TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS TESTEMUNHOS HOSPITALEIROS Feliz por gastar a vida servindo Emília da Conceição Nogueira Irmã Hospitaleira do Sagrado Coração de Jesus 1. Dados biográficos e vocação 2. Jesus continua a fascinar-me 3. Cem

Leia mais

Cristãos e impostos pesados e injustos: oportunidade para ação ou acomodação

Cristãos e impostos pesados e injustos: oportunidade para ação ou acomodação Cristãos e impostos pesados e injustos: oportunidade para ação ou acomodação 1 ESTADOS UNIDOS, SÉCULO 18 Havia muito pecado na sociedade americana e no governo inglês que a controlava, mas Deus teve misericórdia.

Leia mais

Minha história. Mais_que_um_carpinteiro.indd 11 18/4/2012 12:04:38

Minha história. Mais_que_um_carpinteiro.indd 11 18/4/2012 12:04:38 1 Minha história Tomás de Aquino, filósofo do século XII, escreve: Dentro de cada alma há uma sede de felicidade e significado. Comecei a sentir essa sede quando adolescente. Eu queria ser feliz. Desejava

Leia mais

"Ajuntai tesouros no céu" - 3

Ajuntai tesouros no céu - 3 "Ajuntai tesouros no céu" - 3 Mt 6:19-21 Como já vimos nas mensagens anteriores, Jesus queria que os seus discípulos tivessem seus valores alinhados aos valores do seu Reino, ou seja, os discípulos de

Leia mais

Estudantes da Escola por Princípios (EP) Andreia Rodrigues

Estudantes da Escola por Princípios (EP) Andreia Rodrigues Estudantes da Escola por Princípios (EP) Andreia Rodrigues Resumo da Aula Definições acerca da palavra criança e suas necessidades Visão Cristã de Criança X realidade da criança Guineense Objetivos Gerais

Leia mais

6. Pergunta de Transição: Quem é o meu próximo? 7. Frase de Transição: Quando usamos de misericórdia estamos agindo para a salvação.

6. Pergunta de Transição: Quem é o meu próximo? 7. Frase de Transição: Quando usamos de misericórdia estamos agindo para a salvação. 1 SERMÃO EXPOSITIVO TITULO: UM MINISTÉRIO DE COMPAIXÃO Lucas 10:25-37. INTRODUÇÃO 1. Saudações: Saúdo a todos os irmãos e amigos desta igreja com a paz do Senhor Jesus e a certeza na esperança de sua breve

Leia mais

A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro

A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro CONSIDERAÇÕES FINAIS A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro de Andrade foi uma mulher bastante conhecida na sociedade brasileira, pelo menos entre a imprensa e

Leia mais

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9 Os Legados da Reforma Protestante Sobre o Indivíduo 2/9 Criado por Pedro Siena Neto em 03/2015 O legado da reforma sobre o indivíduo o trabalho a comunidade a intervenção divina a educação a economia o

Leia mais

Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira

Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira 1. Celebrar e (Re) Pensar Ensina-nos a contar os nossos dias, para que venhamos a ter um coração sábio (Sl 90,12). As palavras do salmista

Leia mais

III Domingo da Quaresma de 2015. Ano A

III Domingo da Quaresma de 2015. Ano A III Domingo da Quaresma de 2015. Ano A Caríssimos Irmãos e Irmãs: Neste ano, em nosso M osteiro, estamos celebrando o Tempo da Quaresma do Ano A, porque na Noite Santa da Páscoa, vamos ministrar os Sacramentos

Leia mais

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ANOTAÇÕES Como Planejar Um Culto Sensível Aos Não-crentes INTRODUÇÃO Uma das características do ministério de Jesus é que ele atraía muitas pessoas A Bíblia diz que "Numerosas

Leia mais