I. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE A EXPERIÊNCIA. 1. Uma questão prévia: por que Arte, Humanismo e Espiritualidade? 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE A EXPERIÊNCIA. 1. Uma questão prévia: por que Arte, Humanismo e Espiritualidade? 2"

Transcrição

1 I ENCONTRO INTERNACIONAL DE JOVENS: Arte, Humanismo e Espiritualidade M.Luz Sarabia Lavín odn e Equipe Coordenadora 1 Um dos objetivos da celebração, em nível universal, dos Quatrocentos anos de presença como Companhia de Maria no mundo, foi Impulsionar o trabalho com os jovens, oferecer-lhes espaços para o conhecimento da vida e missão da Companhia e envolvê-los na celebração. Este objetivo pretendeu ser uma resposta ao desafio, também aprofundado no referido marco: adentrarmo-nos no mundo dos jovens, acolhendo seus valores e carências, explicitando com linguagem nova, inteligível e sugestiva, a mensagem de Jesus. Arte, Humanismo e Espiritualidade quis e quer continuar fazendo parte deste diálogo com os jovens de hoje. Oferecer meios que propiciem aos jovens a possibilidade de se expressarem a partir do que eles são e vivem; celebrar como grupo internacional 400 anos de vida, projetando juntos o futuro a construir É muito difícil contar em algumas páginas o que foi a experiência, seria como encerrar num frasco de cristal o perfume que se desprende de um prado cheio de flores ou encontrar a cor precisa que possa descrever uma vivência ou um sonho. O que expressamos nesta exposição, são apenas uns traços que formam um humilde esboço cheio de pinceladas que vão e vêm em todas as direções. Esperamos que sirva para contagiar algo do que nos deixou a experiência vivida. I. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE A EXPERIÊNCIA 1. Uma questão prévia: por que Arte, Humanismo e Espiritualidade? 2 Humanismo e Espiritualidade são dois aspectos nucleares do Projeto educativo de Juana de Lestonnac: O humanismo coloca a pessoa em primeiro plano, cada uma é única e irrepetível, é um projeto de capacidades que deverá conseguir desenvolver em seu grau máximo. Trata-se de converter cada ser humano em alguém capaz de conviver e comprometido com sua época e com um futuro melhor. A espiritualidade é o que há de mais profundo no nosso próprio ser: crenças, ideais, utopias, paixões é o que redimensiona a nossa humanidade, faz-nos tomar consciência do nosso ser de criaturas de Deus, abre-nos a viver intensamente de seus desejos, a nos deixarmos conduzir por seu Espírito, a oferecer as nossas mãos para a construção de seu Reino. A arte é esse veículo essencial de comunicação humana, especialmente valorizado hoje pelos e pelas jovens, em que tudo o que a pessoa é se integra sem encontrar fronteiras, que põe em contato culturas e línguas diferentes e torna possível dialogar sem palavras, expressarmo-nos em gratuidade, comunicarmo-nos com uma linguagem universal Humanismo e espiritualidade, na tradição da Companhia de Maria, é a arte de viver e de expressar Deus na vida, este é o sentido profundo do encontro. O conteúdo de cada uma destas palavras, foi o da motivação para começar o caminho. Um caminho para ser percorrido, para ser peregrinado. Nas nossas costas carregamos as nossas biografias e, como acontece com todo caminhante, só nos importava saber que estávamos orientados, dispor de alguns pontos de apoio que 1 Formamos a equipe Coordenadora do I Encontro Internacional de jovens, Arte, Humanismo e Espiritualidade : Liliana Franco odn (Colômbia), Leticia Salazar odn (USA), Paula Lascala odn (Argentina), Veronique-Marie Hervé odn (França) e M. Luz Sarabia odn (Espanha). 2 Projeto Arte, Humanismo e Espiritualidade. Encontro Internacional de jovens 400 anos. 11 de maio de 2006.

2 com o tempo e através dos distintos cenários que íamos pisando foram dando firmeza aos nossos passos. 2. Traços de identidade Arte, Humanismo e Espiritualidade (AHE) é uma peregrinação pelo coração humano, que na caminhada como grupo e através de diferentes experiências, foi modelando-o e possibilitou que as vivências profundas se expressassem em obras de arte. A abertura dos jovens à Boa Notícia que o Evangelho nos traz e aos traços da espiritualidade da Companhia, foram um sinal da necessidade que eles têm de espaços para fazer crescer e explicitar os valores autenticamente cristãos. AHE quer continuar sendo caminho, possibilidade de encontro com o Senhor da Vida, que recreia cada coração, nos irmana entre nós, une culturas e línguas diferentes e nos impulsiona a seguir estendendo a mão aos mais desfavorecidos. A herança de Joana de Lestonnac, renovada através dos séculos, é agora mais universal, multilíngüe, pluri-cultural; o rosto jovem da Companhia de Maria, fiel às raízes que nos identificam e unem, deseja manter a amizade iniciada neste primeiro encontro internacional e fazê-la crescer percorrendo novos caminhos de paixão evangelizadora. 3. Preparação prévia Equipe coordenadora Composta por cinco religiosas da Companhia de Maria de diferentes contextos, foi desde o início uma comunidade virtual. Internet foi o meio de comunicação fundamental para a preparação do encontro. Foi necessária uma única reunião presencial para possibilitar um maior conhecimento da Equipe, retomar juntas o que havia sido preparado até o momento e concretizar aspectos fundamentais do encontro. A primeira tarefa da Equipe foi redesenhar o Projeto, a partir da contribuição que os diferentes contextos da Companhia haviam feito a partir de uma proposta apresentada pela Equipe Geral. O Projeto continha: objetivos do encontro, características dos/das participantes, conteúdo, etapas a percorrer em cada lugar e, em nível internacional, níveis de coordenação, orçamento e busca de financiamento 3. Posteriormente, procedeu-se à sua divulgação, uma campanha de visualização do projeto, através de cartazes e folders informativos. Para a preparação do encontro foi elaborado um plano de formação. O conteúdo foi o seguinte: Destinado às pessoas responsáveis pelo acompanhamento dos jovens: ACOMPANHAMENTO: Tema 0. Para acompanhar caminhantes Destinado aos jovens participantes no encontro: HUMANISMO: Tema 1. Joana de Lestonnac em diálogo com sua época Tema 2. Todos os nomes de minha vida, por Joana de Lestonnac Tema 3. Presença e companhia de Maria ESPIRITUALIDADE: Tema 4. Comunidade de Taizé Tema 5. Chamados/as a ser... uma espiritualidade antiga, para um coração jovem 3 Ibídem.

3 Tema 6. Como amigos/as no Senhor, queremos construir espaços de vida e solidariedade ARTE: Tema 7. A bela Orvieto Os diferentes temas foram elaborados pela equipe coordenadora e por outras irmãs de distintos paises. Inter-relação com os diferentes contextos A relação entre a Equipe Coordenadora e cada contexto foi um aspecto fundamental para a organização e preparação prévia ao encontro. Destacamos a interrelação com as/os Responsáveis pela Pastoral ou Departamentos de Pastoral, que levaram adiante o plano de formação. Em cada lugar havia uma pessoa de referência, o que permitiu uma comunicação e constante intercâmbio, numa dinâmica de ida e volta, que foi incidindo na elaboração dos temas e inclusive na própria preparação e organização do encontro. Também foram utilizados como meios para a informação e inter-relação: - As cartas mensais - Os boletins informativos, bimestrais ou trimestrais, difundidos através da Web 4. A tradução dos documentos nas diferentes línguas (espanhol, inglês, francês, português) foi imprescindível para conseguir uma comunicação fluida e, ao mesmo tempo, para marcar o caráter universal do encontro. Constatamos que o envolvimento de cada realidade foi diversa e isto teve sua influência na motivação dos jovens e em sua participação no encontro. Grupo de responsáveis pelas oficinas Na última fase do desenvolvimento do encontro, um grupo de pessoas especialistas em diferentes expressões artísticas foram os responsáveis, não só pela coordenação da dinâmica das oficinas, como também ajudaram a moldar em arte a experiência vivida. Este grupo foi formado por uma religiosa e sete leigos. Como preparação prévia foram realizada duas reuniões com o grupo de responsáveis pelas oficinas: Na primeira esboçou-se o que poderia ser o enfoque e conteúdo global das oficinas e de cada uma em particular: conceito de beleza, de arte, de evangelização... Chegouse à constatação de que o caminho da arte e da beleza estão pouco trabalhados nos processos de evangelização dos jovens 5. O belo não é um conceito, senão um sentimento de profunda emoção. As expressões artísticas, antes de serem palavra explícita, foram vivência, sentimentos, história pessoal, encontro, gritos, sussurros, confissões... São palavras de Deus em palavras humanas; a palavra de Deus também se faz canção, pintura, teatro, escultura, poesia... obras de arte. Isto é o que queríamos plasmar em Orvieto. A segunda reunião girou fundamentalmente em torno à figura do acompanhante espiritual. Foram aprofundados alguns traços da vida cristã, quatro pilares sobre os quais se desejava sustentar a vivência da peregrinação e, portanto das oficinas 6 : - A prática de um estilo de vida pessoal evangélico; - A dimensão social; - O progresso na interiorização do Evangelho, de maneira que seja cada vez mais assumido e experimentado; 4 Todo este material ficou recolhido nos Arquivos Provinciais e Geral. 5 Revista Testimonio: La belleza salvará al mundo. Nº 215 mayo-junio 2006 Santiago de Chile. 6 No anticiparse al Espíritu, variaciones sobre el acompañamiento espiritual, de José Mª Rambla s.j.

4 - A referência comunitária, para que a vida pessoal se expresse eclesialmente e seja contextualizada, interpretada e interpelada comunitariamente. Nesta segunda reunião, cada responsável pelas oficinas apresentou aos demais sua proposta de oficina. Num diálogo fecundo e entusiasta foram vistas as possíveis interações entre as diferentes oficinas. II. NARRAÇÃO DA EXPERIÊNCIA: ETAPAS NO CAMINHO 1. A acolhida: 6-8 de julho de 2007 BARCELONA cheia de luz e de mar, cheia de arte e de vida, foi a cidade da acolhida. Pouco a pouco os rostos com os quais compartilhávamos o pão e o jogo, a noite e o dia, foram tomando vida e nome. Esses companheiros de viagem que Arte, Humanismo e Espiritualidade havia colocado ao nosso lado, seriam os que nos ajudariam a encarnar os desejos e expectativas de todos: Descobrir outras culturas e lugares que ajudem no crescimento pessoal e em comunidade, conhecer outras realidades, redescobrir o magnífico da arte e sentir que uma mesma espiritualidade pode unir gente muito diferente. Descobrir a missão de cada um, de cada uma no mundo, conhecendo distintas realidades sociais, culturais, espirituais, econômicas... vivendo o espírito universal de Joana e de sua Companhia. Conhecer mais o Projeto da Companhia no mundo: novas culturas, novos amigos em Cristo; crescer espiritualmente, continuar alimentando essa chama que há tempo Joana acendeu em meu coração. 7 O concerto de Nico Montero e os trovadores 8, preparado com antecedência para este momento, aproximou a figura de Joana de Lestonnac aos jovens. Com uma linguagem próxima, emotiva, plena de força e paixão, ofereceu a possibilidade de estar com a santa de outro jeito : nos quefazeres cotidianos, nas decisões, nas penas, nas alegrias... talvez, do jeito que ela preferiria. Ajudou também a tornar o Evangelho mais próximo e a vislumbrar algumas maneiras de assumir o compromisso com a realidade, a partir do canto e da música. O concerto foi também uma simples, mas emocionante homenagem, a outros jovens de Colômbia, Peru e da República Democrática do Congo que, tendo-se preparado para o encontro, devido a problemas de visto, não puderam participar. Mesmo não estando fisicamente presentes, de outra maneira fizeram parte do grupo ao longo do encontro. Esta primeira etapa terminou com a celebração da Eucaristia. O texto do Evangelho do domingo, dia 8, confirmava o envio do grupo a viver uma importante missão designou o Senhor a outros 72, e os enviou de dois em dois à sua frente... (Lc 10). Eram 72 jovens... A coincidência com o número e outras palavras que chegavam de fora foram caindo no grupo como chuva mansa, preparada para empapar a terra e fazer crescer o que cada um levava dentro, em forma de semente: Desejamos que no final deste encontro, pessoalmente e como grupo, possam chegar a descobrir, com maior profundidade, a arte de viver humanamente o ar do Espírito do ressuscitado Avaliação do encontro, expectativas de algumas jovens da Argentina. 8 Nico, tiende tu mano. Canções do musical sobre Santa Joana de Lestonnac, fundadora da Companhia de Maria Nossa Senhora. TR 39 CD M CD. Nico Montero é um autor-cantor cristão espanhol que, assessorado por algumas das irmãs da Companhia, uniu-se à festa dos 400 anos da Companhia, presenteando-nos com um CD sobre a vida de Santa Joana. 9 Carta/saudações da Superiora Geral e equipe ao grupo de AHE. Livro do peregrino, pág.6.

5 Partimos para Bordeaux os setenta e dois jovens e vinte e três acompanhantes 10. Noventa e cinco pessoas dos seguintes países: Albânia, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Espanha, Egito, França, Itália, Líbano, México, R.D do Congo e Paraguai. 2. O humanismo: 9-12 de julho de 2007 BURDEAUX, berço do Humanismo, onde Joana de Lestonnac embalou seus sonhos, lugar onde foi buscando o querer de Deus através dos diferentes nomes que a vida lhe ia outorgando, converteu-se por uns dias no porto onde ancoraria AHE, a segunda etapa da peregrinação. O Humanismo, acompanhar para abraçar o humano, foi o objetivo desta etapa 11 y os temas preparados para dar resposta a este objetivo, foram se desenvolvendo pouco a pouco: sê minha luz, quem sou eu para ti?, a bondade do Senhor me acompanha, ser para os outros. No primeiro dia, diante do sepulcro de Santa Joana, recriando a noite de Cister 12, os jovens compartilharam com toda simplicidade suas noites atuais. À medida que as iam nomeando, o apelo a partir do sem-sentido da história, ia se transformando numa chama, nessa luz que possibilita dar um passo existencial e vital. A dança ajudou a manter a esperança e, como num espelho, a noite de Joana deu sentido às buscas dos jovens do século XXI. Seus corações viram-se dilatados pelo gozo de se reconhecerem e verem nos rostos que Joana contemplou em sua noite. Na manhã seguinte, junto às águas tranqüilas da Mothe, vimos refletidas as palavras que o Pai sussurrou a Jesus no Jordão: tu és meu Filho amado, meu predileto (Lc. 3) e com certeza, as mesmas que um dia Joana de Lestonnac escutou também, quando foi para lá em busca de que suas intuições assumissem forma concreta. A peregrinação geográfica que o grupo havia começado apenas uns dias atrás, ia se tornando expressão do itinerário de uma peregrinação interior, ainda muito no seu início. A corrente de água carregou consigo, em forma de flor, os desejos de todos, os desejos que confirmavam a nossa identidade. Ao mesmo tempo em que contemplávamos o céu que se abria sobre nós, proclamávamos: Senhor da história, em Vós surgem os caminhos e os caminhantes, e para Vós convergem nossos passos. Somos semente espalhada pelos quatro continentes, somos fogo jovem que arde apesar dos ventos contrários. Somos mão estendida pronta para levantar e compartilhar, somos nomes novos, promessa de tempos melhores. Senhor Jesus, vossa voz ressoou e aconteceu o encontro, a intuição de Joana reavivou e impulsionou o nosso entusiasmo e, em Companhia de Maria, nossos sonhos tornaram-se fecundos. Abri nosso ouvido às melodias que anunciam a vida 10 Destas vinte e três pessoas, oito tinham a responsabilidade de reunir-se cada noite com o seu respectivo grupo para fazer uma revisão do vivenciado ao longo do dia. Cada grupo-vida contava com um diário do grupo. Cada dia, um membro do grupo anotava suas impressões do dia e as lia aos demais do grupo. 11Tema 0 - Para acompañar caminantes, elaborado por Liliana Franco odn. Formación de los acompañantes de AHE. 12 Esse momento de impotência e desconcerto, em que Joana descobre que o seu lugar não é o Cister, que Deus tem outros planos para ela: viu um grande número de jovens a ponto de cair no abismo e compreendeu que era ela quem devia estender-lhes a mão.... História da Ordem p

6 e a justiça para os nossos povos. Ensinai-nos a moldar projetos acreditáveis e solidários, a optar sempre pelo bem do ser humano. E que o nosso coração tenda para Vós, para que a nossa dança cotidiana contagie o mundo de arte, humanismo e espiritualidade. 13 Depois do retiro em La Mothe, andamos pelas ruas de Bordeaux, percorrendo os lugares mais significativos da vida de Joana. A intuição que havia serenado o coração de Joana, aquela luz que lhe possibilitou situar o seu fracasso, ia tomando carne, tornava-se aos poucos visível aos nossos olhos; e nossos desejos se confundiram novamente com os dela; perguntas que vão e vêm; cicatrizes que denotam que em algum momento, aí houve uma ferida; sonhos ainda muito incipientes rondavam pelas mentes dos jovens, agradecidos e ao mesmo tempo agraciados, por terem pontos de encontro e de apoio, por poderem ver-se refletidos mais uma vez na experiência de Joana de Lestonnac. Diante da Virgem de Berço, essa imagem que Joana nos deixou há 400 anos, mais do que nunca, Maria fez-se companhia, uma Companhia Universal. Numa infinidade de cantos, a partir de culturas bem distintas, as vozes dos jovens se uniram para expressar a Nossa Senhora que nos ajudasse a conhecer internamente o Filho que levava nos braços, para mais amá-lo e segui-lo. Joana nos convidou novamente a olhar para Maria; e a olhar, com os olhos dela, o mundo e outros jovens... interpelou-nos e nos urgiu ao compromisso com os mais necessitados de nossas sociedades; definitivamente, animou-nos a globalizar seus desejos, a que fizéssemos nossos os desejos dela de percorrer caminhos de justiça e solidariedade:... pintai os rincões escuros das cidades com cores de vida e esperança, amai gratuitamente, dançai, convertei as nostalgias e as tristezas em melodias harmônicas e afinadas, modelai e construí com vossas mãos (como o Deus ceramista) vasos belos que tornem nossa terra habitável. Ao terminar esta etapa ficaram ressoando em nós algumas CERTEZAS PARA O CAMINHO, que nos acompanhariam durante toda a peregrinação: O eco de uma voz, de uma presença nos convoca. Uma mulher, Joana de Lestonnac, permite-nos que ouçamos sua voz, revela-nos seu rosto, possibilita vernos a nós mesmos em seus olhos, como se fôssemos sua opção mais antiga ou talvez seu sonho mais recente. Estamos na Europa, muito perto de sua primeira intuição. Chegamos de diferentes geografias e com consciência de peregrinos/as, queremos entrar pelos caminhos de nossa identidade, sentirmo-nos em COMPANHIA, atualizar a experiência de estender a mão para ser e crescer, para transformar, e inclusive voar. Queremos celebrar 400 anos de opções e presenças. Somos cidadãos/ãs de um mundo com tendências individualistas e, ao mesmo tempo, cada vez mais interrelacionado e plural. Em Joana encontramos um vínculo, um projeto, uma opção: LA UNIDADE. Por isso nos arriscamos a sair de nossos contextos para viver a revolução da fraternidade, da mesa comum, do pão compartilhado, da linguagem universal do amor, do único projeto vivido a partir de dimensões diferentes, e em diálogo intercultural. São evidentes e reais nossas diferenças - não podemos negá-lo-, mas são tangíveis e vitais nossos traços comuns e é preciso celebrar isto. Enfim, aqui estamos simplesmente porque Joana não foi indiferente diante da dor, da crise, do vazio dos jovens de seu tempo. Um grito quebrou seu silêncio e ela soube transpassar a noite, caminhar com outros/as, abraçar um desafio. Joana empenhou-se em acreditar e em criar. Apostou na novidade e correu atrás, inclusive contra a corrente, de uma intuição simples e profundamente 13 Oração do encontro: Arte, Humanismo e Espiritualidade. Livro do peregrino, p. 5.

7 comunitária. Ela nos deixou uma obra cheia de novidade e de Espírito. Passaram-se 400 anos. Cada século marcou umas características especiais, a ação de Deus nos acontecimentos cotidianos continuou enriquecendo esta obra com pinceladas de renovação e de graça. Hoje cada um/a de nós é o/a protagonista. A nós corresponde prolongar com nossa vida este projeto, recriá-lo e contagiá-lo. Somos os jovens que Joana contemplou nessa noite eterna de sua opção e de seu compromisso. Somos a mão estendida que se prolonga no tempo para tornar acreditável esta esperança. Optemos, nestes dias de encontro e de peregrinação, por viver o projeto de Joana de Lestonnac nos seus diferentes matizes: Façamos a caminhada exercitando-nos em ser contemplativos/as na ação, unamo-nos a Deus, sintonizemos com o seu olhar e os seus sentimentos. Estendamos a mão uns aos outros, acompanhemo-nos até vermos surgir o melhor de cada um. Optemos por manter-nos sempre numa atitude de discernimento; por amar e servir; busquemos sempre a Maior Glória de Deus, abramo-nos a esse mais que nos desacomoda e que faz com que surjam desejos mais profundos de intensidade e plenitude. Que o humanismo seja o norte de todas as nossas ações e que, com pinceladas de arte, adornemos o hoje de nossa COMPANHIA. Maria, Nossa Senhora, nos anima e acompanha. 14. De novo, a noite nos surpreendeu viajando. A caminho de Taizé fomos recordando, passando pelo coração o vivido em Bordeaux, e, ao mesmo tempo, dando espaço ao novo que nos esperava. 3. A espiritualidade de julho de 2007 TAIZÉ abriu o passo à terceira etapa da peregrinação, foi a porta que Deus escolheu para que nos reconciliássemos com Ele, com a nossa vida cotidiana... Abriunos os olhos a mil formas de viver e de ser feliz, a milhares de jovens vindos de todos os pontos do planeta. Como todos eles, descobrimos que a grandeza está nas pequenas coisas, que as coisas mais simples podem dar-nos a alegria de que necessitamos. Impressionou-nos ver como alguns jovens serviam os outros. Taizé foi um tempo para pedir por todos os companheiros de AHE e pela família de cada um; de pedir mais amor pelo gênero humano, por toda a criação de Deus. Nunca havíamos sentido um silêncio tão eloqüente como o que encontramos em Taizé. A oração, que nos chamava três vezes por dia à capela da Reconciliação, ajudou-nos a fazer silêncio interior, a constatar que, de maneira humilde, mas certa, o silêncio conduz a amar. O Evangelho do domingo, dia 15 (Lc.10,25-37) foi a pura encarnação do vivido nesses dias em Taizé: quem serve a seu irmão, serve o próprio Cristo. Essa chama recebida na noite do sábado e que tão pausadamente ia chegando a todos, removeu as cinzas de nossas comodismos e ajudou-nos a reavivar o desejo de levar essa luz aos demais, à nossa vida de cada dia; o desejo de servir onde o Senhor nos mostrar que mais nos necessita. Pela cruz à luz, esta foi a experiência que a Fraternidade de Taizé nos possibilitou viver naqueles dias, resposta ao objetivo colocado para esta etapa: A Espiritualidade, acompanhar para ele cara a cara e para a fração do pão. Numa explosão de alegria, a noite do sábado vestiu-se de festa e de luzes e num só canto uniram-se as vozes de AHE com as de outros muitos jovens: o chão retumbava com o hino do encontro... Espírito Santo, que habitas cada ser humano, tu vens e depositas em nós essas realidades do Evangelho tão essenciais: a bondade do coração e o perdão. 14 Prólogo da Equipe Coordenadora. Livro do peregrino, p.7.

8 Amar e expressar isto coma nossa vida, amar com a bondade do coração e perdoar: aí tu nos concedes encontrar uma das fontes da paz e da alegria. Com estas palavras do irmão Roger de Taizé, descemos a colina a caminho de Orvieto. No mais profundo de cada um ficava um agradecimento grande por tudo o que vivemos e a certeza de uma Presença 4. A arte: de julho de 2007 ORVIETO foi a quarta e última etapa do encontro. Da espiritualidade à arte: E aparecemos nós, co-criadores, chamados/as a colorir o bem e a beleza, a construir a justiça e a paz, a cantarolar canções que anunciem novos tempos. 15 Para dar resposta ao objetivo para esta etapa: Arte, acompanhar para decifrar a beleza e ficar com o bom. Foram trabalhados os seguintes temas: expressar-te em tudo, creio em ti para..., somos a novidade com que nos presenteias, tua palavra se dá, teu amor nos modela, convite a sair, Para que dê testemunho de ti... Orvieto nos contagiou o clima de beleza e paixão que se sentia em sua paisagem tão inquietadora como pitoresca. Através da vivência das oficinas, instaladas na Casa da Companhia, os jovens puderam expressar e desenhar, de múltiplas formas, o que haviam vivido nas etapas anteriores. A fotografia, a pintura, o barro, as novas tecnologias, a dança, o hip-hop, a música, o canto, o teatro... foram os meios para, de mãos dadas com os grandes profissionais que acompanhavam cada oficina, retirar do interior de cada um o que Deus, com sua infinita ternura, havia ido preparando previamente. Com Ele descemos à sua oficina e com Ele modelamos as nossas vontades à imagem do que sentíamos ser sua Vontade. Poder-se-ia dizer que ambas vontades trabalharam juntas para a mesma empresa: expressar a vida para poder levá-la lá onde está mais ameaçada. Em Orvieto ficaram alguns dos frutos das oficinas: uma patena e um cálice feitos na oficina de cerâmica, símbolos desse compromisso que os jovens intuíam como próprio: dar a vida até as últimas conseqüências; um mural dividido em dez histórias, tantas quantos foram os jovens participantes na oficina de pintura, cores da alma e da vida futura, de uma quinta etapa: a vida cotidiana As oficinas, juntamente com os grupos de reflexão das noites e a exposição que cada país fez de sua realidade, foram preparando uma festa que, no final de nossa estadia, concretizou-se num ramalhete de atuações, belas em sua essência e fiéis ao que havíamos vivido em Barcelona, Bordeaux e Taizé. Este festival encerrou oficialmente este Primeiro Encontro Internacional de Jovens. Estiveram presentes alguns membros da Equipe Geral e irmãs das comunidades de Orvieto, Roma e Nápoles. Cantando, deixamos esta maravilhosa cidade: 16 Joana companheira guarda nosso sonho de entregar a vida para os demais 15 Oração 17 de julho de 2007 (Orvieto). Monólogo, al comienzo.... Livro do peregrino, p Hino do encontro AHE.

9 III. UMA EXPERIÊNCIA QUE ABRE NOVOS CAMINHOS DE FUTURO Ao terminar a experiência, perguntamos aos/às participantes: como manter a chama do que vivenciamos neste encontro? Responderam que ao primeira coisa a ser feita era comunicá-la, transmitir o vivenciado às famílias, aos amigos, a outros jovens Algumas contribuições indicavam que se havia reavivado o desejo de entrega aos demais: levar a cabo encontros com jovens dos colégios; participar em missões; trabalhar com crianças, ajudá-las a crescer na fé. Outras expressavam a necessidade de seguir aprofundando na arte como caminho de humanização e de encontro com Deus: potencializar a arte como expressão de diálogo com Deus, com a vida; criar uma ONG sobre AHE para trabalhar na cidade; refletir sobre a arte como espaço de evangelização. E outras manifestavam a necessidade de seguir potencializando a comunicação e o encontro entre os jovens e a pertença a uma Companhia Universal: potencializar a comunicação virtual, realizar fóruns onde se possa falar de temas de interesse comum; fortalecer a pertença à Companhia de Maria; criar uma rede de jovens Lestonnac em nível universal... Também se sublinhava o desejo de ter um segundo encontro internacional de jovens, mais adiante, envolvendo mais os próprios jovens em sua realização. Sem dúvida, AHE removeu as bases de muitos dos participantes, tanto de jovens como dos nem tão jovens, provocando, a partir da experiência vivida durante o encontro, um re-planejamento de vida e dos projetos que cada um leva entre mãos. Os jovens pedem referentes, acompanhantes que estejam próximos, dando testemunho com a vida. AHE penetrou em todos como um diálogo necessário e urgente com a vida cotidiana. Através da experiência descobrimos um tesouro, mas ele só terá valor se passar a fazer parte do cotidiano, como um amigo, como um irrenunciável. As experiências que nos marcam na vida são aquelas que se mantêm vivas e crescem com o passar do tempo e em diálogo com os espaços habitados que nos rodeiam. A Companhia de Maria nasceu para o compromisso e para a alegria de todos. Os jovens de AHE reafirmaram-se nesta identidade, neste chamado. AHE foi uma provocação para viver a vida como vocação: ir sempre ao encontro dos mais necessitados, buscar também espaços para a relação pessoal com o Senhor da vida. IV. PALAVRAS PARA DIZER OBRIGADO 17 Quando em março de 2006, a Equipe Coordenadora começou a dar forma ao projeto AHE, ninguém imaginava que íamos viver o que vivemos. Projetar, organizar, coordenar esta história foi um desafio contínuo. Como Grupo ajudou-nos a estreitar laços entre nós e nos aproximou do coração do carisma da Companhia: a opção pelos jovens. Optar pela juventude significa acompanhar uma etapa da vida na qual tudo está por acontecer; um tempo que vislumbra projetos de futuro, onde as perguntas surgem aos borbotões; um momento da vida que necessita de acompanhamento, de escuta, de compartilhar intuições, de ir encarnando o sonho de Deus para cada um. AHE pretendeu ser esse espaço de encontro e celebração de que os jovens necessitavam. E atrevemos-nos a dizer que conseguimos entrar no mundo dos jovens, acolhendo seus valores e carências, explicitando com linguagens novas, compreensíveis e sugestivas a mensagem de Jesus. OBRIGADO a todas as comunidades da Companhia de Maria que acolheram com tanto afeto e generosidade o grupo de AHE em Barcelona, Bordeaux e Orvieto. OBRIGADO à comunidade dos irmãos de Taizé, porque nos ajudaram a entender o que significa acolher e rezar em silêncio. OBRIGADO aos responsáveis pelas oficinas, 17 Discurso de despedida da equipe coordenadora de AHE (adaptação). Orvieto, 21de julho de 2007.

10 alma das criações levadas a cabo em Orvieto. Obrigado a todos/as acompanhantes, obrigado por sua entrega e testemunho. OBRIGADO à Equipe Geral por nos haver confiado suas intuições. OBRIGADO à Fundação Internacional de Solidariedade Companhia de Maria (FISC) e ao governo provincial de Espanha. AHE foi possível graças ao apoio e colaboração de outras muitas pessoas. OBRIGADO a todas e OBRIGADO aos/às jovens por suas respostas plenas de paixão e frescor. V. UMA MENSAGEM PARA NÓS EDUCADORES "Viu um grande número de jovens a ponto de cair no inferno, e compreendeu que era ela quem devia estender-lhes a mão..." 18 Estas palavras ressonam atualmente com maior força em nós, que nos sentimos convocados a estender a mão educativamente à juventude. Com assombro e perplexidade, vemos passar diante de nossos olhos centenas de rostos jovens que nos interpelam, desafiam e convidam a entrar em seu misterioso mundo, para adquirir códigos de compreensão que façam mais pertinente e válido o nosso acompanhamento educativo pastoral. No atual momento da nossa história, urge fazer uma opção decidida e radical pelos jovens. Uma opção que nos permita aproximar-nos do seu tecido cotidiano vital sem medos, nem preconceitos. Uma opção que nos torne capazes de descobrir potencialidades e oportunidades onde outros somente conseguem ver desordem e caos. Uma opção que faça de nós educadores na vida e para a vida e que nos impulsione a caminhar ombro a ombro com os jovens em busca de caminhos de realização e de sentido da existência. Uma opção que nos motive a criar constantemente alternativas de organização e participação acreditáveis. Uma opção carregada de afetividade, capaz de acompanhar cada solidão e de ser presença oportuna e amiga. Uma opção que, definitivamente, nos permita conhecer em profundidade a complexidade do mundo juvenil e nos impulsione ao compromisso. Hoje como ontem, esta empresa requer trabalho conjunto, de busca; requer a iluminação de outras pessoas; processos contínuos de oração, reflexão, planejamento... Em outras palavras, a realidade da juventude tem que levar-nos a sonhar, a nos tornarmos obstinados na convicção de que é possível criar novas alternativas que respondam mais assertivamente às necessidades dos jovens. Abriu-se um caminho e nasceu uma intuição: arte, humanismo e espiritualidade. Um fio condutor de nossa maneira específica de acompanhar os jovens em suas buscas e realizações. É essencial não deixar apagar a chama que se acendeu em tantos corações. De todos depende o tornar uma realidade este sonho de Joana de Lestonnac, neste século XXI. 18 Historia de la Orden de la Compañía de María Nuestra Señora. Edic. Lestonnac San Sebastián 1964, p. 63.

Arte, Humanismo e Espiritualidade

Arte, Humanismo e Espiritualidade Arte, Humanismo e Espiritualidade Uma linha transversal da formação e evangelização que a Companhia de Maria oferece aos jovens 1 Desde sua origem, a Companhia de Maria priorizou a opção pelos jovens e,

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

PROJETO solidário nacional em costa canal

PROJETO solidário nacional em costa canal PROJETO solidário nacional em costa canal Nelda Venturín, odn Rede de Coordenação Pastoral Colégios Companhia de Maria Argentina A experiência se desenvolve nos seis Colégios da Companhia de María na Argentina

Leia mais

Plano Pedagógico do Catecismo 6

Plano Pedagógico do Catecismo 6 Plano Pedagógico do Catecismo 6 Cat Objetivos Experiência Humana Palavra Expressão de Fé Compromisso PLANIFICAÇÃO de ATIVIDADES BLOCO I JESUS, O FILHO DE DEUS QUE VEIO AO NOSSO ENCONTRO 1 Ligar a temática

Leia mais

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento).

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). O Caminho de Emaús Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). Leitura: Lc 24, 13-35 Todos nós percorremos frequentemente o

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono O ESPÍRITO FAZ BATER NOSSOS CORAÇÕES EM UNÍSSONO (Ir. Henri Vergès) Espiritualidade enraizada no Deus de Jesus, encarnada nas realidades

Leia mais

Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014

Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014 Vozes do fogo Mensagem da II Assembleia Internacional da Missão Marista Nairóbi, 16-27 de setembro de 2014 Preambulo Há cerca de 150.000 anos, por obra de Deus Pai, surgiu nesta terra africana o primeiro

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Introdução: Educar na fé, para a paz, a justiça e a caridade Este ano a Igreja no Brasil está envolvida em dois projetos interligados: a lembrança

Leia mais

Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista

Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista Tema 6: Vocação - nova relação Deus nos brindou com um coração marista DEUS NOS BRINDOU COM UM CORAÇÃO MARISTA Herdeiros do carisma marista A vocação como memória do carisma. Dom para acolher e fazer crescer.

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano 1 SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano assumiu o compromisso de fazer memória da vida singular

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral Advento 2014 (Campanha de Preparação para o Natal) A ALEGRIA E A BELEZA DE VIVER EM FAMÍLIA. O tempo do Advento, que devido ao calendário escolar

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 ORAÇÃO DE ABERTURA CANTO (REPOUSAR EM TI) Música de Tânia Pelegrino baseada na obra Confissões, de

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE

A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações I. O CONVITE A Regra daterceira Ordem da Sociedade de São Francisco iii) Ordem para Admissões e Renovações como ordenado pelo Capítulo Interprovincial da Terceira Ordem na Revisão Constitucional de 1993, e subseqüentemente

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

PARÓQUIA DE SÃO PEDRO DO PRIOR VELHO. Procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima

PARÓQUIA DE SÃO PEDRO DO PRIOR VELHO. Procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima PARÓQUIA DE SÃO PEDRO DO PRIOR VELHO Procissão em honra de Nossa Senhora de Fátima PRIOR VELHO 12-05-2007 Cântico de Entrada: 1. A treze de Maio, na Cova da Iria, apareceu brilhando a Virgem Maria. Ave,

Leia mais

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco Notícias de Família Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida 06 JUNHO 2014 Permanece conosco Vivemos dias de graça, verdadeiro Kairós com a Celebração

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Aos dezanove dias do mês de Setembro de dois mil e quinze realizou-se em Fátima, na Casa Nossa Senhora do Carmo, o encontro de apresentação

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011

Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 Vivendo a Liturgia - ano A / outubro 2011 27ºDOMINGO DO TEMPO COMUM (02/10/11) Parábola dos Vinhateiros Poderia ser feito um mural específico para esta celebração com uma das frases: Construir a Igreja

Leia mais

A Pedagogia do cuidado

A Pedagogia do cuidado Roteiro de Oração na Vida Diária nº 23 A Pedagogia do cuidado Tempo forte na Igreja, inicia-se hoje nossa caminhada de preparação para a Páscoa, no rico tempo da quaresma. Como nos ciclos da natureza,

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando.

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando. Celebração de Encerramento PREPARAR 1. Bíblia e velas para a Procissão de Entrada da Palavra 2. Sementes de girassóis para cada catequista depositar num prato com terra diante do altar durante a homilia

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE Espiritualidade Apostólica Marista Ir. José Milson de Mélo Souza Ano de Deus Pai LADAINHA DE SÃO MARCELINO CHAMPAGNAT (Ir. José Milson) V. Senhor, tende piedade de nós.

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

Sal da TERRA e luz do MUNDO

Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da terra e luz do mundo - jovens - 1 Apresentação pessoal e CMV Centro Missionário Providência Canto: vós sois o sal da terra e luz do mundo... MOTIVAÇÃO: Há pouco tempo

Leia mais

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. NOVENA DE NATAL 2015 O Natal e a nossa realidade A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. (Is 7,14) APRESENTAÇÃO O Natal se aproxima. Enquanto renovamos a esperança de

Leia mais

1915-2015 SUBSÍDIOS E HORA SANTA. Por ocasião dos 100 anos do MEJ MEJ BRASIL. 1º ROTEIRO PAZ Dom e compromisso para viver melhor!

1915-2015 SUBSÍDIOS E HORA SANTA. Por ocasião dos 100 anos do MEJ MEJ BRASIL. 1º ROTEIRO PAZ Dom e compromisso para viver melhor! 1º ROTEIRO PAZ Dom e compromisso para viver melhor! 2º ROTEIRO EUCARISTIA Mistério Pascal celebrado na comunidade de fé! 3º ENCONTRO EVANGELHO Amor para anunciar e transformar o mundo! 1915-2015 SUBSÍDIOS

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10.

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Vigília Jubilar Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Material: Uma Bíblia Vela da missão Velas para todas as pessoas ou pedir que cada pessoa

Leia mais

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE A Novena de Natal deste ano está unida à Campanha da Fraternidade de 2013. O tema Fraternidade e Juventude e o lema Eis-me aqui, envia-me, nos leva para o caminho da JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE Faça a

Leia mais

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós.

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós. Lausperene Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos

Leia mais

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA

NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA NOVENA À SAGRADA FAMÍLIA Introdução: A devoção à Sagrada Família alcançou grande popularidade no século XVII, propagando-se rapidamente não só na Europa, mas também nos países da América. A festa, instituída

Leia mais

20ª Hora Santa Missionária

20ª Hora Santa Missionária 20ª Hora Santa Missionária Tema: Missão é Servir Lema: Quem quiser ser o primeiro seja servo de todos Preparação do ambiente: cartaz do Mês missionário, Bíblia e fitas nas cores dos continentes, cruz e

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista?

Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? Tema 5: Vocação - um novo relacionamento Você também é Marista? VOCÊ TAMBÉM É MARISTA? Um novo jeito de ser Marista: Na emergência de um novo tempo para o carisma Marista INTRODUÇÃO O relacionamento entre

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Oração Pai Nosso Ave Maria Chave Harmonia Hinos da ORAÇÃO Consagração do Aposento Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Pai Nosso - Ave Maria Prece

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8)

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8) Janeiro e Fevereiro 2015 Editorial Esta é a Síntese dos meses de Janeiro e Fevereiro, assim como a Palavra de Vida, em que o nosso diretor espiritual, Pe. Pedro, fala sobre Felizes os puros de coração

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante.

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante. Aula 25 Creio na Igreja Católica.1 Frei Hipólito Martendal, OFM. 1. Leitura de At 2, 1-15. Ler e explicar... Dia de Pentecostes (=Quinquagésima) é o 50º dia depois da Páscoa. Os judeus celebravam a Aliança

Leia mais

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015]

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] 1 Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] Página 9 Na ilustração, Jesus está sob a árvore. Página 10 Rezar/orar. Página 11 Amizade, humildade, fé, solidariedade,

Leia mais

Tens Palavras de Vida Eterna

Tens Palavras de Vida Eterna Catequese 40ano Tens Palavras de Vida Eterna Agenda da Palavra de Deus pela minha vida fora ANO A Durante as férias, mantenho-me em contato! CONTATOS DA PARÓQUIA Morada: Telefone: Correio eletrónico: Sítio:

Leia mais

BOM DIA DIÁRIO. Guia: Em nome do Pai

BOM DIA DIÁRIO. Guia: Em nome do Pai BOM DIA DIÁRIO Segunda-feira (04.05.2015) Maria, mãe de Jesus e nossa mãe Guia: 2.º Ciclo: Padre Luís Almeida 3.º Ciclo: Padre Aníbal Afonso Mi+ Si+ Uma entre todas foi a escolhida, Do#- Sol#+ Foste tu,

Leia mais

Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede

Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede 18º DOMINGO DO TEMPO COMUM 02 de agosto de 2015 Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede Leituras: Êxodo 16, 2-4.12-15; Salmo 77 (78), 3.4bc.23-24.25.54; Carta de São Paulo

Leia mais

Cântico: Dá-nos um coração

Cântico: Dá-nos um coração Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos que vivem

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Oração ao finalizar o Ano 2015

Oração ao finalizar o Ano 2015 Oração ao finalizar o Ano 2015 QUE SEU AMOR SE EXTENDA POR TODA A TERRA Reunimos em oração no último dia do Ano para dar graças a Deus por tantos dons recebidos pessoalmente, na família, na comunidade,

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária Caro jovem,, Que alegria saber que como você muitos jovens estão encontrando um caminho para a oração pessoal e diária. Continue animado com a busca de um relacionamento mais pessoal

Leia mais

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014 Adoração ao Santíssimo Sacramento Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa 4 de Março de 2014 Leitor: Quando nós, cristãos, confessamos a Trindade de Deus, queremos afirmar que Deus não é um ser solitário,

Leia mais

A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria

A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria Ano Novo 2013 Carta Pastoral do Bispo D. Paulo Otsuka Yoshinao Diocese de Kyoto A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria Fiquem sempre alegres no Senhor! Fl.4,4. O maior presente do cristianismo é

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO ORIENTAÇÕES BÁSICAS JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO JPEG é Jovens em Pequenos Grupos. A nova identidade dos pequenos grupos para jovens. NECESSIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA PEQUENOS GRUPOS Pequenos grupos

Leia mais

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria 2 www.aciportugal.org 11 ORAÇÃO FINAL Senhor Jesus Cristo, hoje sentimos a Tua paixão por cada um de nós e pelo mundo. O

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP-

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- 1 ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- DIA 15.06.2010 MOMENTO ORANTE ECUMÊNICO PELA PASSAGEM DO 59º ANIVERSÁRIO DA ACHUAP (para propiciar momento de silêncio e

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana

ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana ITAICI Revista de Espiritualidade Inaciana 93 ISSN - 1517-7807 9!BLF@FB:VWOOUWoYdZh outubro 2013 Que a saúde se difunda sobre a terra Escatologia e Exercícios Espirituais Pedro Arrupe, homem de Deus 1

Leia mais

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e I João 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida 2 (pois a vida foi manifestada, e nós

Leia mais

Nova revolução para pequenas empresas. O nascimento de uma nova estratégia de negócios

Nova revolução para pequenas empresas. O nascimento de uma nova estratégia de negócios O DADO DAS EMPRESAS Nova revolução para pequenas empresas O trabalho é uma parte necessária e importante em nossas vidas. Ele pode ser o caminho para que cada trabalhador consiga atingir seu potencial

Leia mais

Preparar o ambiente com Bíblia, Cruz, velas, fotos e símbolos missionários. 1. ACOLHIDA

Preparar o ambiente com Bíblia, Cruz, velas, fotos e símbolos missionários. 1. ACOLHIDA Preparar o ambiente com Bíblia, Cruz, velas, fotos e símbolos missionários. 1. ACOLHIDA Animador(a): Neste ano, em preparação para as comemorações de seu Centenário, a Diocese de Guaxupé iniciou, na quinta-feira

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Por isso antes de propriamente entrares na meditação dos textos, proponho um pequeno percurso para te ajudar a fazer silêncio interior

Por isso antes de propriamente entrares na meditação dos textos, proponho um pequeno percurso para te ajudar a fazer silêncio interior Para rezar na Semana Santa Estamos em plena Semana Santa. Ao longo destes dias somos convidados a reflectir no mistério da Paixão-Morte e Ressurreição de Jesus. A tradição popular quis recordar os últimos

Leia mais

Banda Marcial faz alas, na escadaria, tocando para acolher a todos até a entrada do salão.

Banda Marcial faz alas, na escadaria, tocando para acolher a todos até a entrada do salão. Dia 21 de novembro uma homenagem especial pelos 150 anos de nascimento de Madre Clélia. Madre Clélia, festeja na eternidade o dom dos 150 anos de vida. Celebrando o dia 21 de novembro Quero que minhas

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D.

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D. Perguntas para a reflexão pessoal Perante as necessidades com que me deparo, predisponho-me a dar da minha pobreza, a pôr generosamente à disposição o que sou e o que tenho? Acredito no potencial dos outros,

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real Alencastro e Patrícia CD: Ao Sentir 1- Ao Sentir Jairinho Ao sentir o mundo ao meu redor Nada vi que pudesse ser real Percebi que todos buscam paz porém em vão Pois naquilo que procuram, não há solução,

Leia mais

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus NA DENSIDADE DO HUMANO EMERGE A VIDA DE DEUS, Nossa espiritualidade marista, aberta ao diálogo interreligioso, a quem está em busca

Leia mais

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão:

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão: SESSÃO 3 'Eis a tua mãe' Ambiente Em uma mesa pequena, coloque uma Bíblia, abriu para a passagem do Evangelho leia nesta sessão. Também coloca na mesa uma pequena estátua ou uma imagem de Maria e uma vela

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos.

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos. Músicas para Páscoa AO PARTIRMOS O PÃO E C#m #m B7 E7 A C#M Refr.: Ao partirmos o pão reconhecemos/ Jesus Cristo por nós ressuscitado./ Sua paz B7 E A B7 E recebemos e levamos,/ Ao nosso irmão que está

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

Tirado do website: www.spiritlessons.com

Tirado do website: www.spiritlessons.com Tirado do website: www.spiritlessons.com A artista foi levada para o inferno pelo proprio senhor Jesus. Essa artista vinha atendendo as reuniões de oração desde Abril de 2009 e continua a faze-lo. Nisso

Leia mais

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO Pai nosso que estais nos céus Santificado seja o vosso nome Venha a nós o vosso reino Seja feita a vossa vontade Assim na Terra como no Céu O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA PARÓQUIA DE SANTA MARIA DE BORBA CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA Feliz o homem que ama a Palavra do Senhor e Nela medita dia e noite (Sl 1, 1-2) 4º ANO da CATEQUESE 17 de Janeiro de 09 ENTRADA PROCESSIONAL

Leia mais

Conselho Amplo de 2013. Discurso de Abertura de Ir. Sally. Queridas Irmãs,

Conselho Amplo de 2013. Discurso de Abertura de Ir. Sally. Queridas Irmãs, Conselho Amplo de 2013 Discurso de Abertura de Ir. Sally Queridas Irmãs, Uma vez mais, Bem Vindas ao Conselho Amplo de 2013 é maravilhoso para nós estar com vocês neste momento. É realmente emocionante

Leia mais

Apresentação. 8-11 de Abril 2015: Seminário para Formadores/ as. 23-26 de Setembro 2015: Congresso para jovens consagrados/as

Apresentação. 8-11 de Abril 2015: Seminário para Formadores/ as. 23-26 de Setembro 2015: Congresso para jovens consagrados/as Nota pastoral da Conferência Episcopal sobre o Ano da Vida Consagrada Chamados a levar a todos o abraço de Deus ) Para além da abertura (30 de Novembro de 2014 e do encerramento (2 de Fevereiro de 2016,

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais