Manutenção Full Service. Um modelo para melhor aproveitamento da estrutura existente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manutenção Full Service. Um modelo para melhor aproveitamento da estrutura existente"

Transcrição

1

2 Manutenção Full Service Um modelo para melhor aproveitamento da estrutura existente

3 Um mundo de soluções espalhadas por todo o mundo. Composta por um +me com mais de colaboradores em mais de 100 localidades entre os Estados Unidos, Canadá, México e Brasil, a Progress Rail é a mais integrada e diversificada fornecedora de produtos e serviços de via permanente e material rodante da América do Norte. Cada vez mais, vem expandindo sua cobertura para atender à demanda nos 5 con+nentes. A líder por trás da líder. A Progress Rail é a divisão ferroviária da Caterpillar, líder mundial na produção de equipamentos de construção e mineração, máquinas à diesel e gás natural, além de turbinas industriais.

4 Rail Division

5 Uma grande estrutura à disposição do mercado. Diadema I SP Fabricação e Serviços Hortolândia 1 I SP Fabricação e Serviços Hortolândia 2 I SP Fabricação e Serviços CuriIba I PR Fabricação Sete Lagoas I MG Fabricação de Locomo+vas A estrutura da Progress Rail garante que seus clientes sejam atendidos em qualquer localidade do Brasil. Toda a nossa equipe técnica qualificada está pronta para oferecer a melhor solução, seja em uma de nossas plantas industriais, seja na instalação do próprio cliente.

6 Soluções integradas para todo o setor ferroviário Transit A Progress Rail destaca- se nos serviços de reforma, modernização e rejuvenecimento de trens de passageiros, além dos serviços de manutenção full service. LocomoIves A Progress Rail fornece locomo+vas novas EMD, atua na venda e locação de locomo+vas reformadas, assim como na manutenção e revisão geral. TracIon Motors Fabricação, reforma e revisão geral em motores de tração e geradores para os segmentos Transit e Locomo+ves, em todas as bitolas, com tecnologia AC / DC. Rail Equipment Além do fornecimento de equipamentos para via permanente, também atua em sinalização, componentes de via e sistemas de inspeção de material rodante.

7 Transit Para quem fazemos:

8 Metrô - DF! Brasília 92 à 98.! Extensão para Conservação e manutenção à 2001.! Conservação e manutenção 2001 à 2005.! Externalidades! Estratégia: Contratação Integral ou full service da manutenção dos sistemas com aferição por índices de desempenho de DISPONIBILIDADE e CONFIABILIDADE.! Serviços de Manutenção dos equipamentos do SISTEMA METROVIÁRIO (Material Rodante, Via Permanente, Sinalização, Controle e Telecomunicações, Energia e Auxiliares, Edificações e Instalações Prediais e Bilhetagem).

9 ObjeIvos! Assegurar a disponibilidade operacional dos SISTEMAS mantendo as condições de segurança, conforto e higiene para atender a demanda de transporte prevista, assegurando a vida ú+l de projeto dos equipamentos.! Garan+r a prestação dos serviços dentro dos padrões de desempenho e disponibilidade indicados nas normas técnicas nacionais e internacionais, sem inibir a CONTRATADA de aportar sua experiência e tecnologia em beneficio da qualidade dos serviços oferecidos pelo METRÔ- DF.

10 Pontos relevantes! Fornecimento de equipamentos de infra- estrutura e instalações de apoio à execução dos serviços, veículos auxiliares, locotrator, ferramentas, instrumentos, disposi+vos e materiais sobressalentes e de consumo ao METRÔ- DF.! Obrigatoriedade de apresentação de estudos, através da Engenharia de Manutenção, para o+mização da vida ú+l e desempenho dos equipamentos e SISTEMAS em conformidade com a concepção original dos mesmos, estabelecida em projeto.

11 Pontos relevantes! É do METRÔ- DF toda a propriedade sobre os documentos, tecnologia e sojware específicos que venham a ser elaborados ou u+lizados para execução do escopo do Contrato.! A Engenharia deve estudar obsolescências, propondo modernizações nos diversos SISTEMAS que deverão ser implementadas via Plano de Inves+mentos do METRÔ- DF.! A contratada deve propor intervenções do +po predi+va e planos alterna+vos de amostragem estals+ca visando maior aproveitamento da vida ú+l dos componentes do SISTEMA.

12 Pontos relevantes! A Fiscalização do METRÔ- DF sobre a Manutenção Preven+va se dá tanto pelo cumprimento da programação mensal quanto pela execução integral das a+vidades previstas nos roteiros.! A princípio toda e qualquer a+vidade constante dos roteiros que não tenha sido cumprida integralmente permite ao METRÔ- DF o não encerramento da Ordem de Serviço (OS) original da preven+va em questão, gerando penalidades à CONTRATADA.

13 Material Rodante! Frota: Trens - 4 carros.! 20 Fabricados em 1992 Mafersa.! 12 Fabricados em 2010 Alstom.! Motores C.C. e Motores A.C. (4 por carro)! Sistema de tração por chopper e Inversor VVVF.! Sistema de freio eletro- pneumá+co.! Suspensão pneumá+ca.! Bitola 1600 mm.! Alimentação elétrica por 3º trilho.

14 Índices Contratuais Série 1000! DISPONIBILIDADE: 16 Trens nos picos e 10 nos vales.! Para cada hora ou fração com 1 trem a menos que o valor contratual = 0,1% do valor da fatura mensal do MR.! Para cada hora ou fração com 2 trens a menos que o valor contratual = 0,3% do valor da fatura mensal do MR.! A multa será acrescida de 0,3% para cada trem indisponível a par+r do terceiro.

15 Índices Contratuais Série 1000! TEMPO MÉDIO DE LIBERAÇÃO - TML: TML A : Menor ou igual a 3h. Para cada hora ou fração até a segunda hora = 0,2% do valor da fatura mensal do MR. Para cada hora ou fração excedente = 0,3% do valor da fatura mensal do MR. TML B : Menor ou igual a 6h. Para cada hora ou fração até a terceira hora = 0,1% do valor da fatura mensal do MR. Para cada hora ou fração excedente = 0,2% do valor da fatura mensal do MR. TML C : Menor ou igual a 24h. Para cada hora ou fração até a décima segunda hora = 0,1% do valor da fatura mensal. Para cada hora ou fração excedente = 0,2% do valor da fatura mensal.

16 Índices Contratuais Série 1000! Média de km entre falhas - MKBF: MKBF DA FROTA: Maior que 700 km por falha. Penalidade (%) = (700 MKBF frota) / 200 onde: (%) do valor da fatura mensal do MR MKBF POR TREM: Maior que 400 km por falha. Penalidade (%) = (400 MKBF trem) / 4000 onde: (%) do valor da fatura mensal do MR

17 Índices Contratuais Série 1000! ATENDIMENTO A PREVENTIVA (APP) Penalidade (%) = (95 APP) x 0,1 Sendo APP igual ao número de preven+vas realizadas dividido pelo número de preven+vas necessárias - onde: (%) do valor da fatura mensal do MR.! O.S. COM MAIS DE 60 DIAS Para cada O.S. não concluída dentro do prazo es+pulado será aplicada uma multa de 0,0008% (oito décimos de milésimos por cento) por dia excedente, sobre o valor da fatura mensal do MR até o 90º (nonagésimo) dia da abertura da O.S., quando a multa passará a ser de 0,002% (dois milésimos por cento) sobre o valor da fatura mensal do MR, por dia excedente, até seu encerramento defini+vo.

18 Qualidade Total aplicada aos indicadores Disponibilidade de trens OS Oficina maior que 60 dias TML MKBF APP Entrega Qualidade Intrínseca Custo Segurança Valor contratual

19 Estratégia Qualidade: mais que um diferencial, um compromisso. Como superar as expectaivas? Já faz tempo que a CerIficação ISO 9001 deixou de ser um diferencial. Na Progress Rail ela é uma obrigação. Mais do que isso, essa visão de qualidade superior está presente em todos os processos e ro+nas. É a missão da Progress Rail buscar a melhoria conlnua em quaisquer tarefas que agreguem valor. Esse compromisso está assumido com você. > Treinamento e qualificação de pessoas > Melhoria da infraestrutura > Indicadores de desempenho e sa+sfação > Acompanhamento e rastreabilidade

20 Estratégia PrevenIva Mat. Rod.! Foco na Confiabilidade.! Níveis de intervenções: km (Leve), km (Média), km (Pesada), km (Bienal) e km (Trienal).! Ações baseadas em ciclo de vida, núm. de operações, periodicidade e quilometragem percorrida.! Intervenções diárias entre 21h e 6h.! Definição de indicadores de desempenho.

21 Estratégia CorreIva Mat. Rod.! Foco na disponibilidade.! Ações direcionadas à detecção, diagnós+co e restabelecimento de falhas.! Validação do sistema após a subs+tuição do equipamento defeituoso.! Disponível 24h dias.! Equipe mul+disciplinar Técnicos CREA.! Definição de indicadores de desempenho.

22 Estratégia Oficinas Mat. Rod.! Foco balanceado na disponibilidade e confiabilidade.! Ações direcionadas à reparação de acordo com o manual do fabricante.! Padronização de processos! Elétrica, Mecânica e Eletrônica.! Índices de efe+vidade e produ+vidade.! Usinagem de rodas em 2 turnos.

23 Estratégia Qualidade Total Indicadores internos OS Oficina maior que 30 dias Trens no pico e vale. Entrega Qualidade Intrínseca MKBF frota MKBF 700 trem Ocorrências resolvidas na 1ª atuação 95% Eficiência de oficinas 97% - 1 mês Eficiência de laboratório Falhas após 30 dias de PRV Preenchimento de documentação Absenteísmo (faltas, atrasos, atestados). Disciplina Custo Segurança Copese 5S Falha Nível A RIF (CAT)

24 Resultados Série 1000! Recordes de disponibilidade.! Ausência de penalidades.! Foco na operação do sistema pelo Metrô- DF.! RIF recorde no Brasil 763 dias sem acidentes.! Evitada a obsolescência dos inversores auxiliares.! Redução de 42,7% das falhas de Inversores mod.! Compressor extensão de vida ú+l.

25 Desenvolvemos soluções com o obje+vo de gerar bene cios para sociedade, oferecendo toda nossa exper+se e o nosso comprome+mento com os resultados esperados pelos nossos clientes. Essa é a força do progresso. Essa é a Progress Rail. Obrigado! Engº Marcus Vinicius R. Leal

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO AN EXO II I DE SCRI ÇÃO DOS CARGOS 1. DF - DIRETORIA FERROVIÁRIA 1.1 Analista Ferroviário (Expediente / Assistência Jurídica) Atividades de nível superior relacionadas com a preparação de correspondência

Leia mais

ANEXO 8. Quadro de Indicadores de Desempenho

ANEXO 8. Quadro de Indicadores de Desempenho ANEXO 8 Quadro de Indicadores de Desempenho 1 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE O Sistema de Gestão da Qualidade a ser implantado tem por finalidades: 1. Estimular a melhoria contínua da qualidade dos

Leia mais

Otimizar e automatizar o processo de solicitação de fornecimento de energia elétrica pela FECOERGS na COPREL

Otimizar e automatizar o processo de solicitação de fornecimento de energia elétrica pela FECOERGS na COPREL Otimizar e automatizar o processo de solicitação de fornecimento de energia elétrica pela FECOERGS na COPREL Área de atuação das 23 coopera1vas de distribuição e geração do sistema Fecoergs 48.704 Nº

Leia mais

Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade

Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade A PARTICIPAÇÃO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA E A NECESSIDADE DE MÃO DE OBRA ESPECIALIZADA Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 18 de abril de 2011 APRESENTAÇÃO

Leia mais

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. ITEM Código ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL UN QUANT

TERMO DE REFERÊNCIA. ITEM Código ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL UN QUANT GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO, PLANEJAMENTO E FINANÇAS GERÊNCIA DE APOIO LOGÍSTICO E DE SUPRIMENTOS TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa

Leia mais

Programas de Manutenção Scania.

Programas de Manutenção Scania. . Melhor performance, maior economia. SCAN1112_0857_Folheto_210x297mm.indd 1 A alta produtividade que somente um Scania pode apresentar é potencializada com os Programas de Manutenção Scania. Para oferecer

Leia mais

Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles S/A

Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles S/A Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles S/A História Origens há 150 anos 1860 Fundada na Espanha a Fabrica de Hierros Sán Martin 1892 Nasce também na Espanha, La Maquinista Guipuzcoana 1905 Esta constrói

Leia mais

ESTRATÉGICO DO SP2040

ESTRATÉGICO DO SP2040 MOBILIDADE URBANA NO CONTEXTO DO PLANO ESTRATÉGICO DO SP2040 A Implantação de Veículo Leve sobre Trilhos e sua Contribuição para a Mobilidade e Revitalização Urbana Vicente Abate - Presidente da ABIFER

Leia mais

Plano de con*ngência. @lucianodoll

Plano de con*ngência. @lucianodoll Plano de con*ngência @lucianodoll O que é um plano de con*ngência? É um conjunto de procedimentos definido formalmente para: Manter a integridade de dados Manter operacionais os serviços Prover, se necessário,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por objetivo, estabelecer as especificações técnicas para a contratação de empresa

Leia mais

Ver também Túnel do Canal da Mancha.

Ver também Túnel do Canal da Mancha. Estrada de ferro, Sistema de transporte sobre trilhos, que compreende a via permanente e outras instalações fixas, o material rodante e o equipamento de tráfego. É também chamado ferrovia ou via férrea.

Leia mais

case centro de controle operacional da supervia [ 60 ] OFFICE STYLE

case centro de controle operacional da supervia [ 60 ] OFFICE STYLE [ 60 ] OFFICE STYLE Centro de Controle Operacional da Supervia Trens Urbanos G&A Arquitetura adota recursos de última geração aplicados aos conceitos de ergonomia OFFICE STYLE [ 61 ] A concessão do transporte

Leia mais

COMITÊ DE MANUTENÇÃO

COMITÊ DE MANUTENÇÃO ASOCIACIÓN LATINOAMERICANA DE METROS Y SUBTERRÁNEOS XXV ASSEMBLÉIA GERAL DA ALAMYS GUADALAJARA, 20 24 DE NOVEMBRO 2011 COMITÊ DE MANUTENÇÃO JOSÉ LUIZ LAVORENTE Coordenador do Comitê de Manutenção APRESENTAÇÕES

Leia mais

Necessidade de Equipamentos para MRS baseada em Estudos e Análise da Engenharia de Manutenção. Gerência Corporativa de Engenharia de Manutenção

Necessidade de Equipamentos para MRS baseada em Estudos e Análise da Engenharia de Manutenção. Gerência Corporativa de Engenharia de Manutenção Necessidade de Equipamentos para MRS baseada em Estudos e Análise da Engenharia de Manutenção Gerência Corporativa de Engenharia de Manutenção Seminário Negócio nos Trilhos 2009 - São Paulo - 11.nov.2009

Leia mais

COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros)

COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros) COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros) HENRY MUNHOZ Gerente de Engenharia de Manutenção da CPTM DADOS

Leia mais

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO Por que a HEAVYLOAD? Possibilidade garantida de contratar um único fornecedor com foco em: Gerenciamento dos Ativos; Desenvolvimento e implementação de novas tecnologias; Centro de Treinamento Próprio

Leia mais

Ordem de Serviço do TJPB nº 01/09, de 31 de agosto de 2009 (Dispõe sobre a responsabilidade do motorista em infrações de trânsito).

Ordem de Serviço do TJPB nº 01/09, de 31 de agosto de 2009 (Dispõe sobre a responsabilidade do motorista em infrações de trânsito). Código: MAN-SADM-007 Versão: 00 Data de Aprovação: 10/06/2010 Elaborado por: Coordenadoria de Transporte Aprovado por: Secretaria Administrativa 1 Objetivo Estabelecer os critérios e os procedimentos para

Leia mais

Em atenção ao pedido de esclarecimento formulado por licitante à Concorrência nº 01/2015, informamos o que se segue:

Em atenção ao pedido de esclarecimento formulado por licitante à Concorrência nº 01/2015, informamos o que se segue: CIRCULAR Nº 28/2015 CEL Brasília, 28 de dezembro de 2015. Prezados Senhores, Em atenção ao pedido de esclarecimento formulado por licitante à Concorrência nº 01/2015, informamos o que se segue: QUESTIONAMENTO

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

O QUE É SOUTH AMERICAN PROJECT?

O QUE É SOUTH AMERICAN PROJECT? MÍDIA 2014 KIT WEB SITE APRESENTAÇÃO Aqui você conhecerá a variedade de formatos publicitários que o site SAProject sugere. Como a internet possibilita uma série de recursos, também oferecemos projetos

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

Imprensa Press Imprensa Press

Imprensa Press Imprensa Press Imprensa Press Imprensa Press Industry Sector Divisão de Mobilidade Viena, Áustria, 24 fevereiro de 2011 UITP 2011 Relatório de Pré-feira O futuro do transporte urbano está na mobilidade elétrica A Siemens

Leia mais

Volvo Buses Volvo Buses

Volvo Buses Volvo Buses O Grupo Volvo é um dos líderes mundiais na fabricação de caminhões, ônibus, equipamentos de construção, motores marítimos e industriais. Volvo na América dos Sul Volvo Colômbia Bogotá Volvo Peru Lima Mack

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM LOCAÇÃO DE ÔNIBUS (SRP)

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM LOCAÇÃO DE ÔNIBUS (SRP) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de MG Câmpus São João del-rei Diretoria de Administração e Planejamento ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: CONTRATAÇÃO DE

Leia mais

People. Passion. Performance.

People. Passion. Performance. People. Passion. Performance. Apresentando Chicago Pneumatic É simples assim. Você tem trabalho a fazer e clientes a atender. A CP está aqui para ajudá-lo a realizar seu trabalho, sem compromisso. Nosso

Leia mais

Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização de veículos para deslocamento de pessoas e materiais no âmbito do PJAC.

Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização de veículos para deslocamento de pessoas e materiais no âmbito do PJAC. Código: MAP-DILOG-006 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Instalações Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade POLÍTICA DE TRANSPORTE QUALIFICAR O Serviço de Transporte por Ônibus Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos Serviço em Rede Flexibilidade de Trajetos Racionalidade de Caminhos Operação Controlada Regularidade

Leia mais

Excelência. locações e transporte Ltda. www.excelenciaguindastes.com.br

Excelência. locações e transporte Ltda. www.excelenciaguindastes.com.br www.excelenciaguindastes.com.br A Guindastes e uma empresa de Goiânia Goiás QUEM SOMOS que presta serviço em todo território nacional no segmento de Locação de Guindastes, Locação de Munck, Grupo Geradores,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM N.º 003, DE 16 DE AGOSTO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM N.º 003, DE 16 DE AGOSTO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM N.º 003, DE 16 DE AGOSTO DE 2010 Estabelece normas e procedimentos para o Transportes e Frota Municipal. SETORES ENVOLVIDOS: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL DIRETA E INDIRETA. 1

Leia mais

BKM MONTAGENS ELÉTRICAS LTDA

BKM MONTAGENS ELÉTRICAS LTDA A Empresa. A BKM Montagens Elétricas é uma empresa que combina capacidade e experiência para oferecer com uma nova postura serviços de projetos, montagens, teste e administração de equipamentos eletro-eletrônicos

Leia mais

AUTOMAÇÃO PARA OPERAÇÃO EM TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Apresentação : Marcelo Zugaiar

AUTOMAÇÃO PARA OPERAÇÃO EM TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Apresentação : Marcelo Zugaiar AUTOMAÇÃO PARA OPERAÇÃO EM TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Apresentação : Marcelo Zugaiar 1 Automação para Operação em Transporte de Passageiros Condução automática dos trens Estações inteligentes Sistema de

Leia mais

SILISE SISTEMA LIMITE SEGURO

SILISE SISTEMA LIMITE SEGURO SILISE SISTEMA LIMITE SEGURO Resumo 2 Nós, alunos dos cursos Técnico em Sistemas Eletroeletrônicos de Transportes sobre Trilhos e Técnico em Sistemas Mecânicos de Transporte sobre Trilhos do Centro de

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

Programas de Manutenção Scania.

Programas de Manutenção Scania. Respeite os limites de velocidade. Programas de Manutenção. Melhor performance, maior economia. Para mais informações sobre os produtos e serviços, entre em contato com a Casa mais próxima ou acesse http://www.scania.com.br/pecas-e-servicos

Leia mais

Caminhões A Experiência de São Paulo

Caminhões A Experiência de São Paulo TURBLOG Workshop Belo Horizonte, Setembro de 2011 Caminhões A Experiência de São Paulo Arq. Daphne Savoy A CET no Governo Municipal Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Transportes

Leia mais

Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia

Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia 2 de 9 Resumo do Trabalho O principal insumo (e o principal custo) para a operação do transporte ferroviário de passageiros é a energia

Leia mais

SUB-TÍTULO TRENSURB HOJE CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA

SUB-TÍTULO TRENSURB HOJE CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA 1 TRENSURB SUB-TÍTULO HOJE CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA Extensão da Linha: 38,8 km em operação e 4,8 km em construção; Número de Estações: 19 em operação e 3 em construção; Demanda Atual: 180.000pass/dia

Leia mais

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar.

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. Serviços Scania Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS SCANIA Serviços Scania. Máxima disponibilidade do seu veículo para o melhor desempenho

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O permite efetuar o controle sobre o consumo de combustível de cada veículo ou máquina permitindo o seu total monitoramento no

Leia mais

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO 1. DO OBJETO 1.1. Constitui objeto deste Pregão a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de manutenção e recuperação

Leia mais

Auditoria em Gestão da Frota

Auditoria em Gestão da Frota em Marcos Rabello Mundeleski Auditor Interno de Especial Sr. 8º Setrel Seminário Nacional de Transporte das Empresas do Setor Energético 16 de Junho de 2015 Interna Agenda Nossa Empresa e Nossa Programa

Leia mais

Soluções Integradas de Serviços para Turbomáquinas no Mercado Sucroalcooleiro

Soluções Integradas de Serviços para Turbomáquinas no Mercado Sucroalcooleiro Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 Energy Service Division ( E S SO) Soluções Integradas de Serviços para Turbomáquinas no Mercado Sucroalcooleiro Soluções em Manutenção Preventiva e Corretiva de

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 O setor se reúne para divulgar seus números, que refletem a importância dos trilhos para a mobilidade dos brasileiros Aumento de 8% no número de passageiros

Leia mais

VIA PERMANENTE. Manipulador de TLS

VIA PERMANENTE. Manipulador de TLS VIA PERMANENTE Manipulador de TLS Ualace Ventura da Silva¹, Antônio Dirceu de Oliveira Ribeiro² 1 Engenharia Ferroviária Vale S.A. - EFVM, Av. Dante Michelini, 5500 29090-900 Vitória, ES Brasil 2 Logística

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças Código de Classificação: 13.02.02.39 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para a prestação de serviço de locação de veículos, com rastreador de frota, pelo prazo de 12 (doze)

Leia mais

Reestruturação do Sistema de Bondes de Santa Teresa

Reestruturação do Sistema de Bondes de Santa Teresa Reestruturação do Sistema de Bondes de Santa Teresa Reestruturação do Sistema de Bondes de Santa Teresa Estudos Técnicos Projeto CENTRAL Elaborado a partir de: Consultoria Carris Lisboa PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO. Documento RT. Relatório Técnico APRESENTAÇÃO + PROCEDIMENTOS FROTA. OPERAÇÃO URBANA www.webonibus.com.

SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO. Documento RT. Relatório Técnico APRESENTAÇÃO + PROCEDIMENTOS FROTA. OPERAÇÃO URBANA www.webonibus.com. Documento RT Relatório Técnico APRESENTAÇÃO + PROCEDIMENTOS FROTA OPERAÇÃO URBANA Apresentação Re la tório Técnico - RT Nº Setor Em presa D ata Assunto : C a rro nº C ha ssis C a rroceria Ano KM C om ponente

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA

ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA O INSTITUTO QUALIDADE MINAS - IQM, pessoa jurídica de Direito privado sem fins lucrativos,

Leia mais

Projeto de estágio on the job Câmpus Santos Dumont do IF Sudeste MG 3ª Edição 2013/2014

Projeto de estágio on the job Câmpus Santos Dumont do IF Sudeste MG 3ª Edição 2013/2014 Projeto de estágio on the job Câmpus Santos Dumont do IF Sudeste MG 3ª Edição 2013/2014 1) Introdução Uma vez que o Câmpus Ssantos Dumont se dispõe a ser referência no ensino e desenvolvimento de tecnologias

Leia mais

REMANUFATURADOS, A VEZ DO BRASIL

REMANUFATURADOS, A VEZ DO BRASIL REMANUFATURADOS, A VEZ DO BRASIL Agenda ANRAP Remanufaturados no Mundo Remanufaturados no Brasil Conceito: O que é um Produto Remanufaturado? Vantagens do Produto Remanufaturado Ajudando a Preservar o

Leia mais

Nosso Negócio. Tintas líquidas e em pó e vernizes eletroisolantes. Serviços. Variação de Velocidade. Geração De Energia. Subestações.

Nosso Negócio. Tintas líquidas e em pó e vernizes eletroisolantes. Serviços. Variação de Velocidade. Geração De Energia. Subestações. 1. INSTITUCIONAL Nosso Negócio Serviços Geração De Energia Variação de Velocidade Subestações Motores Transformadores Componentes elétricos Geradores Quadros Elétricos Automação Industrial Tintas líquidas

Leia mais

SOLUÇÕES DE BOMBAS PARA A INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

SOLUÇÕES DE BOMBAS PARA A INDÚSTRIA AUTOMOTIVA GRUNDFOS SOLUÇÕES INDUSTRIAS AUTOMOTIVAS SOLUÇÕES DE BOMBAS PARA A INDÚSTRIA AUTOMOTIVA FAÇA A SUA PRODUÇÃO OPERAR SEM PROBLEMAS be think innovate ATINJA UMA VELOCIDADE MAIOR COM A N 1 EM BOMBAS NO MUNDO

Leia mais

Bateria MRX de Ni-Cd A bateria compacta para reserva de alta energia ferroviária

Bateria MRX de Ni-Cd A bateria compacta para reserva de alta energia ferroviária Bateria MRX de Ni-Cd A bateria compacta para reserva de alta energia ferroviária Dezembro de 2009 Saft: fornecendo a energia para avançar o setor ferroviário A Saft é uma parceira de confiança das maiores

Leia mais

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE 1. REFERÊNCIAS [1] - Bases Gerais para a Implementação de Sistemas de Gestão da Manutenção de Material Circulante, Instrução Técnica 5, INCFA

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

4. VEICULOS A DISPOSIÇÃO EXCLUSIVOS DAS AREAS (LOGISTICA/PCP/MANUTENÇÃO)

4. VEICULOS A DISPOSIÇÃO EXCLUSIVOS DAS AREAS (LOGISTICA/PCP/MANUTENÇÃO) 1 de 5 1. OBJETIVO Estabelecer a política e procedimento geral a serem seguidos por toda a companhia em relação a veículos pessoais,, carros fornecidos pela companhia e de despesas com quilometragem a

Leia mais

Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação

Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação Área Profissional: Indústria Segmento Tecnológico: Eletroeletrônica Qualificação ou Habilitação Profissional: Técnico em Instrumentação

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Superação dos resultados Inovação Integridade Valorização Humana Melhoria Continua

APRESENTAÇÃO. Superação dos resultados Inovação Integridade Valorização Humana Melhoria Continua APRESENTAÇÃO EMPRESA A LHS Engenharia tem como principal objetivo a prestação de serviços e apoio adequado que garantem soluções eficazes com resultado garantido, durabilidade e excelente relação custo/benefício.

Leia mais

MUNICÍPIO DE JARAGUÁ DO SUL SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS VIAÇÃO CANARINHO LTDA

MUNICÍPIO DE JARAGUÁ DO SUL SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO DE PASSAGEIROS VIAÇÃO CANARINHO LTDA 1. Histórico da Empresa O Serviço Público de Transporte Coletivo de Passageiros em Jaraguá do Sul teve seu início em 1968, sendo prestado por uma empresa da cidade de Blumenau. Em meados de 1970 é fundada

Leia mais

Sistema de Rastreamento e Monitoramento

Sistema de Rastreamento e Monitoramento Sistema de Rastreamento e Monitoramento APRESENTAÇÃO 1. Infra- estrutura; 2. Fuso Horário e idiomas; 3. Perfis de acesso e usuários; 4. Divisão de Grupos; 5. Cadastros; 6. Cercas e Regras; 7. Check list

Leia mais

História NHP SERVICE.

História NHP SERVICE. História NHP SERVICE. No ano de 2007 era fundada a NHP SERVICE com o objetivo específico de ajudar a preservação do patrimônio, meio ambiente de seus clientes executando serviços diversificados para as

Leia mais

Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC

Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC Paulo Sergio Costa 1 *, Giovanni Augusto Ferreira Dias 1, Diego Freitas 1, Fábio Assunção 1,

Leia mais

Alstom Transporte 2013

Alstom Transporte 2013 Alstom Transporte 2013 Agenda 1. Grupo Alstom 2. Alstom Transporte Grupo Alstom A Visão do Grupo Acreditando que tecnologia e novos modelos de negócios contribuam para solucionar questões sociais e ambientais,

Leia mais

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação Departamento de Eng. Produção Operação Ferroviária Circulação Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Introdução A operação ferroviária diz respeito à circulação

Leia mais

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE Manual de Assistência 24 horas Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE I. Assistência 24 Horas 1. Descrição da Assistência 24 Horas Prestação de atendimento ao cliente/usuário através da administração de rede

Leia mais

COPASA Águas Minerais de Minas S/A

COPASA Águas Minerais de Minas S/A ANEXO I EDITAL 001/2009 CÓDIGOS/DETALHES DE ESPECIALIDADE DO CARGO DE AGENTE INDUSTRIAL Código: 01 Detalhe de Especialidade: Ajudante de Serviços Faixa Salarial: 1 Salário Base (R$): 465,00 Requisitos

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS 2012/2013 Apoio: QUEM SOMOS ANPTrilhos é uma Associação Civil, sem fins

Leia mais

ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR

ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR DEFINIÇÕES Beneficiário Entende-se por Beneficiário, todo o condutor de veículo Assistido, devidamente habilitado e autorizado, assim como, toda pessoa transportadora

Leia mais

DIFERENTES ALTERNATIVAS, PARA DIFERENTES NECESSIDADES.

DIFERENTES ALTERNATIVAS, PARA DIFERENTES NECESSIDADES. Trabalhamos para que você não Pare. Instalação de Tubulação Industrial, Ar Comprimido, Sistema de hidrantes, Efluentes industriais, Montagem de Estruturas, Montagem de Máquinas e Equipamentos, Mudanças

Leia mais

São Paulo Linha 4 - Amarela

São Paulo Linha 4 - Amarela São Paulo Linha 4 - Amarela ViaQuatro Composição Acionária 10% Mitsui 58% 30% Montgomery 1% BRT 1% RATP Assistência Técnica Assistência Técnica Linha 4 Projeto 30 anos de concessão operacional 1 Milhão

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

LÍDER MUNDIAL EM ABSORÇÃO DE ENERGIA BARREIRAS FINAIS BARREIRAS FINAIS

LÍDER MUNDIAL EM ABSORÇÃO DE ENERGIA BARREIRAS FINAIS BARREIRAS FINAIS LÍDER MUNDIAL EM ABSORÇÃO DE ENERGIA BARREIRAS FINAIS BARREIRAS FINAIS OLEO INTERNATIONAL A Oleo é uma empresa líder, especialista em tecnologia de absorção de energia, que presta serviços para os setores

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DE ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO. Referência: Ofício nº 5457/00/SDE/GAB, de 10 de outubro de 2000.

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DE ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO. Referência: Ofício nº 5457/00/SDE/GAB, de 10 de outubro de 2000. MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DE ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO Parecer n.º 353 COGSI\SEAE\MF Brasília, 04 de setembro de 2001 Referência: Ofício nº 5457/00/SDE/GAB, de 10 de outubro de 2000. Assunto: ATO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE XXXXXXXXXXXXXXX

PREFEITURA MUNICIPAL DE XXXXXXXXXXXXXXX Ref.: Solicitação de Compras nº. 000XXX/20XX. 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa especializada em prestação de serviços automotivos em geral, para manutenção preventiva e corretiva (elétrica e mecânica),

Leia mais

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS Roberta Thees* Artur Furtado A MRS LOGÍSTICA A MRS atua no transporte ferroviário de cargas desde 1996, operando e monitorando a malha sudeste da Rede Ferroviária Federal.

Leia mais

ATUALIZAÇÃO NO PROCESSO DE GESTÃO DO DELIAMENTO DOS SERVIÇOS EXECUTADOS PELO ARSENAL DE MARINHA DO RIO DE JANEIRO

ATUALIZAÇÃO NO PROCESSO DE GESTÃO DO DELIAMENTO DOS SERVIÇOS EXECUTADOS PELO ARSENAL DE MARINHA DO RIO DE JANEIRO ATUALIZAÇÃO NO PROCESSO DE GESTÃO DO DELIAMENTO DOS SERVIÇOS EXECUTADOS PELO ARSENAL DE MARINHA DO RIO DE JANEIRO CF(EN) Marcus Vinicius de Noronha Chefe do Departamento de Planejamento e Controle Industrial

Leia mais

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG Gestão da engenharia de manutenção Otimização no uso de equipamentos Gestão de custos e mão de obra Aumente a confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos

Leia mais

Programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados PLR 2014. Engenheiros - Metroviários 23/01/2014. Página 1

Programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados PLR 2014. Engenheiros - Metroviários 23/01/2014. Página 1 Programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados PLR 2014 Engenheiros - Metroviários Página 1 Programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados PLR 2014 HISTÓRICO A Companhia do Metrô vem mantendo

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

ThyssenKrupp Elevadores

ThyssenKrupp Elevadores ThyssenKrupp Elevadores ,, Temos à sua disposição uma rede de delegações que nos permite estar próximos dos nossos clientes. Todos os nossos colaboradores são formados e estão empenhados em fornecer um

Leia mais

Scania Série F ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS. Versatilidade e robustez para o segmento urbano ou rodoviário

Scania Série F ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS. Versatilidade e robustez para o segmento urbano ou rodoviário Scania Série F ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS Versatilidade e robustez para o segmento urbano ou rodoviário Scania Série F ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS A performance que você pode confiar 2 3 Criado para

Leia mais

Seja um franqueado DEKRA

Seja um franqueado DEKRA Seja um franqueado DEKRA DEKRA SE A DEKRA no mundo Fundada em 1927, em Stuttgart, na Alemanha, a DEKRA esta presente em mais de 50 países e conta com mais de 25 mil colaboradores, atingindo em 2011 um

Leia mais

CONSIDERANDO as contribuições recebidas na Audiência Pública nº XXX/2007, RESOLVE:

CONSIDERANDO as contribuições recebidas na Audiência Pública nº XXX/2007, RESOLVE: Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados pelas Concessionárias de Serviços Públicos de Transporte Ferroviário de Cargas, no transporte de produtos perigosos, nos trechos da malha ferroviária. A Diretoria

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES Pró-Reitoria de Planejamento MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE TRANSPORTES Aprovado pela Resolução nº 5/009-CAD/UEMA São Luís 009 José Augusto Silva Oliveira Reitor Gustavo Pereira da Costa Vice-Reitor

Leia mais

Implantação de plano de contingência no caso de perda do CCO da EFC

Implantação de plano de contingência no caso de perda do CCO da EFC ARTIGO Implantação de plano de contingência no caso de perda do CCO da EFC Cassio Miranda¹, Eggo Pinheiro¹, Francinaldo Santos¹, Joel Saraiva², Theo Laguna³ 1 Departamento de Automação e Telecomunicações,

Leia mais

Manutenção e requalificação de carros de passageiros. Vanderlei Barneschi

Manutenção e requalificação de carros de passageiros. Vanderlei Barneschi Setembro/2004 Manutenção e requalificação de carros de passageiros Vanderlei Barneschi DIVISÃO TRANSPORTE VISTA GERAL DA ALSTOM BRASIL LTDA UNIDADE LAPA - SÃO PAULO ALSTOM BRASIL - Unidade Lapa Centro

Leia mais

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Em um cenário competitivo, o sucesso não é determinado apenas pela oferta

Leia mais

Trens Regionais de Média Densidade

Trens Regionais de Média Densidade eixos de atuação Revista Ferroviária SEMINÁRIO TRANSPORTE INTERURBANO DE PASSAGEIROS 18 de maio de 2006 Trens Regionais de Média Densidade A Tese UM SISTEMA DE TRANSPORTE REGIONAL DE PASSAGEIROS DE QUALIDADE

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2 Municípios Habitantes PIB (Regional) Comércio e Serviços 39 18,6 milhões 10,5% população Brasileira R$ 244 Bilhões 15,7% PIB Brasileiro

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO 1 PRODUTOS 1.1 Serviço de manutenção preventiva mensal e corretiva, quando necessário, para o elevador da Unidade Operacional da Anatel no Estado de Santa Catarina UO031, situada à Rua Saldanha Marinho,

Leia mais

O novo metrô do Panamá da perspectiva do fornecedor de material rodante

O novo metrô do Panamá da perspectiva do fornecedor de material rodante O novo metrô do Panamá da perspectiva do fornecedor de material rodante 2015 Alstom Transporte: líder global na indústria ferroviária Quatro atividades TRENS SISTEMAS* SERVIÇOS SINALIZAÇÃO Apresentação

Leia mais

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes E&L Controle de Frotas Perguntas Frequentes 1. Quando ocorre a integração com o patrimônio e no cadastro de veículos na aba patrimônio o veículo não aparece, qual o procedimento a ser feito para que o

Leia mais

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO R & W Engenharia Fundada em 19 de abril de 1991. Prestação de serviços em segurança do trabalho atendendo em especial as NRs6, 9, 13, 15, 16 e 17 com emissão de laudos técnicos. Treinamentos como: Cipa,

Leia mais

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo : Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Tema: Uma Agenda para a Mobilidade Urbana da Metrópole Planejamento Urbano, Mobilidade e Modos Alternativos de Deslocamento Engº Jaime

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO FOLHAS N o -1/12 INSTRUÇÃO NORMATIVA SCI Nº-012/2009 VERSÃO: 001 APROVAÇÃO EM: 23/12/2009 ATO DE APROVAÇÃO: IN SCI 012/2009 ASSUNTO: TRANSPORTES E FROTA MUNICIPAL. SETORES ENVOLVIDOS:

Leia mais

Anexo II Descrição da Área/Processo. Cargos de Nível Médio

Anexo II Descrição da Área/Processo. Cargos de Nível Médio Anexo II Descrição da Área/Processo Cargos Cargo Área Pré-requisito Trajetória Processo de Agrimensura de Edificações/ Construção Civil de Edificações de Edificações Agrimensura. Edificações. Edificações.

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais