BUSCANDO A INDEPENDÊNCIA APÓS O AVC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BUSCANDO A INDEPENDÊNCIA APÓS O AVC"

Transcrição

1 BUSCANDO A INDEPENDÊNCIA APÓS O AVC

2 BUSCANDO A INDEPENDÊNCIA APÓS O AVC Após um Acidente Vascular Cerebral (AVC), é comum ter alguma limitação sica ou cogni va, dificultando a execução de algumas tarefas do dia a dia. As informações a seguir têm o obje vo de incen var você a buscar sua independência nas a vidades da vida diária e contribuir para a melhora da sua mobilidade e da sua autonomia. EQUIPE DE SAÚDE E DE REABILITAÇÃO A equipe para manter a sua saúde e cuidar da sua reabilitação é formada por você, seu médico, enfermeiro, agente comunitário de saúde, família, amigos e um ou mais destes profissionais: Fisioterapeuta; Terapeuta ocupacional; Fonoaudiólogo; Assistente social; Psicólogo; Nutricionista. A sua par cipação e dedicação, assim como as de sua família, são essenciais no processo de reabilitação. Essa equipe pode ajudá-lo a viver com melhor qualidade de vida, maior mobilidade (movimento) e com menos dor após o AVC, ensinando técnicas para melhorar o movimento e a força. A maioria das pessoas que sofreram um AVC, seguem um plano de reabilitação e conseguem se recuperar parcial ou totalmente. COMO UM AVC CAUSA UMA DEFICIÊNCIA Todos os órgãos do corpo, incluindo o cérebro, precisam de oxigênio, que é levado ao cérebro e aos outros órgãos pela corrente sanguínea. Durante um AVC, a circulação do sangue em uma parte do cérebro é interrompida. Sem o suprimento adequado de sangue, as células morrem. O cérebro é o centro de comando do corpo. Ele controla o movimento, o pensamento, a linguagem, a visão e todas as outras funções.

3 Assim, quando a parte do cérebro que controla o movimento da perna é afetada por um AVC, a pessoa pode não conseguir caminhar. As deficiências que ocorrem após um AVC são resultado de lesões no cérebro. As mais comuns são: paralisia, fraqueza ou dormência, geralmente, em um membro ou em um lado do corpo; falta de equilíbrio e coordenação motora; confusão e esquecimento; problemas visuais; depressão, ansiedade e dor; problemas para falar, entender ou dificuldades de leitura e escrita; negligência - uma condição em que a pessoa perde a percepção de um lado do corpo; disfagia - dificuldade para engolir alimentos, líquidos ou, até mesmo, a saliva. Os efeitos do AVC dependem do tamanho da lesão e da parte do cérebro em que ocorreu a alteração de irrigação sanguínea. DESAFIOS DA VIDA DIÁRIA Após o AVC, você pode se deparar com problemas que poderão interferir nas suas a vidades da vida diária. Essas a vidades, que antes eram ro neiras, podem se tornar um desafio a ser superado. 1. PROBLEMAS VISUAIS A visão pode ser afetada pelo AVC. Algumas pessoas têm visão dupla; outras têm o campo visual reduzido, diminuição da sensibilidade à luz ou tonturas. 2. CRISES CONVULSIVAS Em torno de 30% das pessoas que sofreram um AVC têm crises convulsivas. Elas podem ocorrer durante a internação ou tardiamente (meses após o AVC). As crises podem durar alguns segundos ou minutos e provocam movimentos musculares involuntários, sensações estranhas ou apagões.

4 Se você ver convulsões, procure atendimento médico, pois elas podem ser controladas facilmente com tratamento adequado. É importante que as pessoas de seu convívio sejam informadas sobre a possibilidade de ocorrer uma crise convulsiva. 3. NEGLIGÊNCIA A negligência unilateral é uma condição pela qual a pessoa perde a percepção de um dos lados do corpo. Ela ocorre, geralmente, quando a pessoa tem um AVC no lado direito do cérebro e afeta o lado esquerdo do corpo. O indivíduo não consegue enxergar as pessoas ou objetos no lado afetado e, às vezes, a percepção dos sons também é prejudicada no lado comprome do O segredo para a recuperação é a es mulação do lado negligenciado. Aproximar-se da pessoa por esse lado, tocar suavemente seu braço ou sua mão, procurar contato visual, são algumas estratégias que podem ser u lizadas com frequência e que facilitam a recuperação. Na maioria das vezes, as pessoas que apresentam negligência unilateral pelo AVC, melhoram bastante. 4. QUANDO A DOR É UM PROBLEMA A dor pode ser o maior e o mais di cil desafio de todos. Ela pode reduzir a capacidade de se movimentar e, por consequência, causar atrofia muscular e piora da dor. Pode prejudicar a reabilitação de forma significa va e, consequentemente, levar a um quadro de depressão. Se você sen r dor quando se movimentar: Durma com um travesseiro entre suas pernas para alinhar seus quadris e coluna. Faça alguma a vidade sica relaxante. A vidades na água tendem a relaxar músculos tensos. Não desista de suas a vidades habituais. Converse com seu terapeuta ocupacional sobre novas maneiras de fazer as coisas. Converse com seu médico, enfermeiro, fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional sobre qualquer nova dor que você sen r.

5 5. ESPASTICIDADE Na espas cidade, causada pela lesão do neurônio motor superior, ocorre um desequilíbrio da contração muscular, provocada pela alteração da regulação do tônus muscular. Essa contração muscular desequilibrada pode provocar dor, rigidez e deformidade, quando não tratada. Certos medicamentos, como relaxantes musculares, podem, temporariamente, aliviar a dor causada pela espas cidade. 6. MOBILIDADE Paralisia ou falta de coordenação motora é muito comum após um AVC, mas existem algumas estratégias para auxiliar você com os problemas de mobilidade. É muito importante manter a reabilitação com o fisioterapeuta, para ganhar força muscular, desenvolver o controle de tronco e realizar o treino de marcha. ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR A MOBILIDADE SEGURANÇA NO AMBIENTE DOMICILIAR Uma casa segura é aquela onde você pode se movimentar sem riscos de cair ou machucarse. É importante considerar algumas mudanças na sua casa para ter um ambiente domiciliar seguro e para melhorar sua mobilidade. POR ONDE COMEÇAR Tenha barras de segurança ou corrimão instalados em certos corredores para ajudar a levantar e a caminhar. Reorganize os móveis. Crie espaços grandes o suficiente para se mover com facilidade. Fixe os tapetes grandes com fita dupla face. Remova os tapetes pequenos que podem escorregar quando você caminhar. Use luzes noturnas em quartos, banheiros e corredores. Assegure-se de que você possa acendê-las facilmente ou u lize sensores de presença. Calce sapatos ou chinelos adequados e confortáveis, que não deslizem ou escorreguem. Não ande por aí só de meias nos pés. Re re fios elétricos do caminho.

6 Revise as medicações com seu médico. Algumas medicações causam tonturas e problemas de equilíbrio (medicamentos para dormir, calmantes, etc.). Se você se sen r mal quando levantar, sente-se e espere até melhorar. Vá devagar e leve o tempo que for necessário para caminhar com segurança. Sen r-se seguro aumenta a independência e confiança em você mesmo. EQUIPAMENTOS ESPECIAIS Algumas pessoas que sofreram um AVC precisam de equipamentos especiais para mobilidade segura, como: órteses para auxiliar a marcha; cadeira de rodas; cama especial ou colchões adequados para reduzir a pressão da pele e ajudar na transferência. Esses equipamentos normalmente são indicados pelo fisioterapeuta ou pelo terapeuta ocupacional. Na fase inicial, se necessário, sugere-se o aluguel de uma cadeira de rodas, pois suas chances de recuperação da marcha são grandes, e logo essa cadeira poderá não ter mais u lidade. TRANSFERÊNCIAS Uma transferência é a movimentação de uma super cie para outra, como da cama para a cadeira de rodas. O fisioterapeuta ou o terapeuta ocupacional podem orientá-lo quanto à melhor técnica para você, e ensiná-lo a se transferir de forma segura. As observações abaixo são importantes para todas as transferências. Posicione-se o mais próximo possível da super cie para a qual você deseja se transferir. Apoie-se em seu lado forte, mova-se devagar e com cuidado. O cuidador deve estar posicionado a sua frente e deve estar preparado para apoiar seus joelhos, segurar o seu braço ou para segurá-lo pela cintura. Antes de você se transferir da cadeira de rodas para o vaso sanitário: Verifique se o papel higiênico está ao alcance de sua mão forte. Traga sua cadeira de rodas para o lado do vaso sanitário pelo seu lado forte. Trave sua cadeira de rodas e solte sua roupa. Agarre as barras que foram instaladas na parede, perto do vaso sanitário, com seu lado forte. Quando se transferir, use as barras de apoio.

7 7. CUIDADOS PESSOAIS Após um AVC, realizar a vidades de autocuidado, como pentear-se, fazer a higiene oral, fazer a barba, tomar banho ou ves r-se, podem ser um passo importante na sua independência. Primeiro, descubra o que você consegue fazer e quais os movimentos mais fáceis de realizar. Não se esqueça de usar a mão ou perna fracas o máximo que você puder. Usando-as diariamente, elas ficarão mais fortes, prevenindo também dores musculares resultantes do não uso dos membros. ESTRATÉGIAS PARA FACILITAR AS ATIVIDADES DE AUTOCUIDADO HIGIENE ORAL As infecções orais podem provocar doenças graves. Essas infecções podem ser prevenidas simplesmente com a limpeza diária da boca: dentes, língua, gengiva. Para limpar seus dentes, passe o fio dental e faça a escovação após as refeições ou, pelo menos, uma vez de manhã e uma vez à noite. Para passar o fio dental com uma mão somente, tente usar um adaptador de fio dental em "Y". A pasta dental com tampa "flip top" (que não precisa rosquear) pode facilitar essa tarefa. E para aplicar a pasta na escova, você pode: segurar sua escova dental entre seus dentes e colocar a pasta dental com sua mão forte; ou segurar a escova dental entre o polegar e o indicador da sua mão fraca, e colocar a pasta dental com sua mão forte. Para ajudar na re rada dos restos de comida dos dentes e da gengiva, você pode fazer bochechos com uma solução an ssép ca bucal. Para limpar a prótese dentária, coloque-a de molho em solução an ssép ca bucal e depois faça a escovação.

8 BARBEAR-SE U lizar um barbeador elétrico ou um aparelho elétrico de depilação pode facilitar muito se você ver que se barbear ou se depilar com uma mão só. Para sua segurança, mantenha-se sentado durante o barbear-se. CUIDADO COM AS UNHAS Se sua mão está fechada como resultado do AVC, manter suas unhas curtas e lixadas é importante para evitar lesões na mão. Existem cortadores de unha especiais para serem usados com uma mão somente. Para lixar as unhas, cole uma lixa de unha na mesa e passe suas unhas sobre ela. BANHO O banho é uma a vidade que requer alguns cuidados, treino e adequação do ambiente, para reduzir o risco de queda. Mas manter-se limpo é essencial para a sua saúde. Para reduzir o risco de queda e facilitar o banho: Tome banho de chuveiro sempre que puder; é mais seguro do que banho na banheira. Você terá menor risco de cair, enquanto entra e sai do chuveiro. Use um banco de banho com calços de borracha para banhar-se no chuveiro. Tenha barras de apoio instaladas nas paredes próximas ao chuveiro, para facilitar o movimento. U lize tapete de banho com sucção para evitar escorregões ou coloque uma faixa an derrapante na entrada do chuveiro. Tenha certeza de que você tem tudo de que precisa: sabonete, esponja e toalhas. Teste a temperatura da água com seu punho do braço forte antes de entrar. Tenha certeza de que alguém estará próximo a você para ajudá-lo, se precisar. Após o banho, para você se secar rapidamente, coloque um roupão atoalhado e meias an derrapantes. ADAPTAÇÕES PARA O BANHO Chuveiro com mangueira facilita a limpeza das axilas e das áreas ín mas. Use uma escova de cabo longo ou uma luva com alça para esfregar partes do corpo di ceis de alcançar.

9 Coloque uma barra de sabonete dentro de uma meia calça e amarre o final da meia na barra de apoio. Compre sabonete líquido em frascos com bomba, pois facilita a colocação de sabonete na esponja. U lize frascos plás cos com tampa "flip top" (que não precise rosquear) para shampoo e condicionador. Antes de iniciar seu banho e transferir-se para a cadeira higiênica: Organize tudo de que você precisará para o banho. Mova-se devagar. Tenha cuidado para não escorregar. Fale com seu cuidador. Comunique o que você vai fazer. Suporte seu peso o máximo que você puder durante a transferência. Posicione-se com cuidado e tenha certeza de que você pode ver onde está indo. Seu cuidador precisa estar perto de você e preparado para você não perder o equilíbrio durante a transferência. Pra que as transferências com seu terapeuta. Dessa maneira, você e seu cuidador ficarão mais confiantes em suas habilidades. CUIDADOS COM A PELE O cuidado com a pele é importante principalmente para pessoas que u lizam cadeira de rodas, estão acamadas ou que tenham outras limitações sicas. Manter seu corpo limpo, hidratado e seco, ajudará a prevenir úlceras de pressão ou outros problemas de pele que podem levar a uma infecção ou dores.

10 VESTIR-SE E DESPIR-SE Retorne a sua ro na diária normal para ves r-se o mais rápido que você puder. Use roupas largas, organize suas roupas antes de colocá-las e vista-se sentado; Quando ves r-se use seu braço forte para ves r seu lado fraco primeiro. Quando despir-se re da roupa seu braço ou perna forte primeiro; Para abotoar e desabotoar a camisa comece pelo úl mo botão. Abotoe o punho antes de ves r a camisa. Você pode u lizar também uma adaptação para vestuário como um gancho para abotoar a roupa; Se você usar cinto, passe-o pelas alças da roupa antes de colocar a calça ou a camisa. U lize argolas, anéis ou cordões para puxar o zíper; Coloque velcro ou colchetes no lugar de botões e cadarços; U lize gravatas com nós prontos; Su ãs po nadador ou com fechamento na frente são mais fáceis de ves r; Calçar meias e sapatos pode ser mais fácil se você sentar e apoiar seus pés; Para evitar confusão escreva D dentro do sapato direito e E no sapato esquerdo; Compre sapatos sem cadarços,ou subs tua os cadarços por velcro ou cadarços elás cos. PARA CUIDADORES E FAMILIARES Quando ajudar uma pessoa com AVC a ves r-se, pergunte-lhe o que gostaria de colocar primeiro. 8. ALIMENTAÇÃO Comer em ambiente tranquilo, devagar e em pequenas quan dades, várias vezes ao dia, é importante para uma alimentação saudável. Com paciência e treino diário, você poderá recuperar as habilidades necessárias para preparar algumas refeições e se alimentar com menos assistência.

11 ADAPTAÇÕES PARA COZINHAR Utensílios de cozinha, disposi vos especiais e os alimentos certos podem facilitar o preparo das refeições. Os disposi vos mais comuns incluem: Faca para cortar pizza; Ventosas de borracha ou jogos americanos an derrapantes para manter os pratos no lugar; Pegadores com cabos longos para auxiliar no alcance dos alimentos; Abridores de pote adaptados, tábua de corte adaptada ou tábua para fa ar. DURANTE A REFEIÇÃO Escolha alimentos que não necessitem de corte e coloque os pratos na mesa sobre uma super cie an derrapante; Engrossadores de talher são úteis para você se alimentar com a mão mais fraca; U lize uma borda interna no seu prato ou pratos com bordas em relevo; Copos recortados também podem auxiliá-lo; Em um restaurante, peça que a sua carne seja cortada na cozinha, ou peça alimentos que são fáceis de cortar. Se ver dificuldade em engolir - disfagia, você precisa de avaliação e acompanhamento fonoaudiológico.

12 9. INCONTINÊNCIA URINÁRIA E CONSTIPAÇÃO INTESTINAL Muitas pessoas após um AVC sofrem de incon nência urinária ou têm a sensação de precisar urinar, mas não conseguem, devido a falsos sinais do cérebro. Para outras pessoas, a cons pação intes nal é um problema. Não se preocupe muito, à medida que você se tornar mais a vo, estas dificuldades serão contornadas. Se esses problemas persis rem você pode consultar um médico urologista. SE VOCÊ TIVER PROBLEMAS URINÁRIOS: Vá ao banheiro pelo menos a cada duas horas, depois de cada refeição e antes de dormir; Para não se atrapalhar quando precisar ir ao banheiro com urgência, use roupas fáceis de rar; Beba bastante líquidos durante o dia, mas limite a ingestão de líquidos após as oito horas da noite; Use um absorvente para proteger a roupa de cama de acidentes ocasionais; Evite problemas de pele, mantendo sua área genital limpa e seca; Procure o médico se ocorrerem sintomas de uma infecção urinária. Estes incluem febre, fadiga, necessidade de urinar muitas vezes, sensação de ardor ao urinar e urina malcheirosa; Disposi vos como urinol, comadres e assentos sanitários elevados também são muito úteis. PARA ALIVIAR A CONSTIPAÇÃO INTESTINAL: Beba muita água e suco de frutas: de oito a dez copos por dia; Faça refeições em horários regulares; Coma alimentos que são ricos em fibras, como legumes, cereais integrais e frutas; Exercite-se diariamente. O movimento es mula a função intes nal; Estabeleça horários regulares para ir ao banheiro (após o café da manhã, por exemplo); Pergunte ao seu médico sobre o uso de laxantes.

13 PARA CUIDADORES E FAMILIARES: LIDANDO COM A INCONTINÊNCIA Ajude seu familiar com os banhos diários. Incen ve-o a beber muito líquido. Deixar de beber líquidos não melhora a incon nência. Dois litros de água por dia ajuda manter a bexiga e os rins saudáveis; Você pode sugerir a "micção dupla": depois que a pessoa acabou de urinar peça para que ela relaxe alguns momentos e tente novamente; Evite bebidas que irritam a bexiga, como bebidas que contenham cafeína, álcool e adoçantes; Insista em uma programação. Mesmo se a pessoa não sente a necessidade de urinar, insista para ela ir ao banheiro pelo menos a cada duas horas; Seja sensível a qualquer constrangimento que seu familiar possa sen r. Cubra-o com uma toalha ou lençol, quando ajudar a mudar roupas ou absorventes. Respeite a privacidade. Ouça o que ele diz sobre suas preferências para o gerenciamento da incon nência. 10. RETORNANDO A VIDA SOCIAL O principal obje vo da reabilitação é auxiliar no retorno à realização das a vidades que trazem sa sfação com o máximo de autonomia possível. Retornar ao convívio social é um importante passo na sua recuperação. Você pode iniciar por visitar alguém com um amigo, e a medida que você for se recuperando e se tornar mais a vo, você vai se sen r capaz de lidar melhor com a vida fora de sua casa. Se você quiser fazer compras, faça-as quando a loja não es ver muito cheia, use um carrinho de compras para ajudá-lo a manter o equilíbrio e se você ainda ver dificuldades com cálculos e manuseio de dinheiro, convide um familiar ou amigo para acompanhá-lo. Quando você viajar: Peça uma mesa perto da porta ou um quarto de hotel perto de um elevador se ver problemas com mobilidade; Leve papel higiênico com você em todos os momentos. Você estará preparado se porta papel es ver preso, vazio ou fora de alcance; Antes de fazer uma reserva, procure saber se o restaurante ou hotel dispõe de acomodações adaptadas, como o acesso de cadeira de rodas para obanheiro;

14 Leve sapatos ou chinelos an derrapantes para serem u lizados no chuveiro quando você viajar. Nem todos os banheiros têm barras de apoio ou tapetes de borracha. PRIORIDADES Agora é um bom momento para pensar sobre as a vidades que mais interessam, as que você precisa fazer e as que você quer realmente fazer. Além disso, não importa onde você está, segurança é a sua prioridade. Olhe para onde você está indo antes de se mover. Se usar um apoio para caminhar mantenha-o sempre com você. VOLTANDO A DIRIGIR Recuperar a capacidade de dirigir um automóvel é a meta de muitas pessoas que sofreram um AVC. Conduzir um veículo, seja uma bicicleta, uma motocicleta ou um carro, é uma tarefa complexa e que pode trazer muitos danos para você e para outras pessoas. É importante verificar a integridade das suas habilidades visuais, motoras, cogni vas e percep vas antes de dirigir seu próprio carro ou outro po de veículo novamente, e reaprender aquelas habilidades que foram perdidas quando uma parte do cérebro foi danificada. Algumas pessoas após um AVC não conseguem perceber as suas dificuldades durante a condução de um veículo. Elas podem sen r-se capazes de conduzir um carro, bicicleta ou motocicleta quando na verdade, ainda não estão preparadas o suficiente para essa a vidade. Se você foi aconselhado pela equipe de reabilitação, a não dirigir ou conduzir qualquer outro veículo, é importante seguir esta recomendação. Voltar a dirigir é importante, mas segurança é ainda mais importante. PARTICIPAÇÃO EM ASSOCIAÇÕES Par cipar de uma associação é uma ó ma opção para que você e sua família possam conhecer e conversar com outras pessoas que passaram por experiências semelhantes. O apoio mútuo e a troca de informações entre pessoas que se encontram numa situação semelhante, podem contribuir para que você e sua família não se sintam sozinhos num momento de possível isolamento.

15 Além disto, uma associação poderá fornecer a você, seus amigos e familiares, orientações sobre: Estratégias para lidar melhor com os novos desafios; Recursos disponíveis na comunidade; A prevenção de um novo AVC, novos tratamentos, pesquisas e trabalhos cien ficos sobre o assunto; Direitos como cidadão e bene cios disponíveis. Com estas informações você poderá viver com maior qualidade de vida. Visite as páginas eletrônicas da Associação Brasil AVC e da Rede Brasil AVC: LAZER A vidades de aventura especial, ecoturismo e esportes adaptados são algumas a vidades que poderão ajudá-lo a conhecer e interagir com outras pessoas e resgatar sua autoes ma. Você poderá obter maiores informações nas seguintes páginas eletrônicas: LEMBRE-SE Mantenha-se em movimento! Quanto mais a vo você for, mais rápida poderá ser sua recuperação e mais autonomia você poderá conseguir. Descubra novas a vidades que te proporcionem momentos prazerosos. Você pode ter dificuldades para realizar algumas tarefas, mas você pode também descobrir habilidades para outras a vidades. Apesar do AVC, tente pensar de forma posi va. A vida pode e deve ser tão significa va quanto era antes do AVC!

16 Referências : h p://www.heart.org/heartorg/condi ons/more/toolsforyourhearthealth/livingwith-disability-a er-stroke_ucm_311769_ar cle.jsp h p://www.stroke-network.com/ar cles/rehabilita on-techniques-that-help-strokesurvivors-regain-the-ability-to h p://strokeassocia on.org/strokeorg/lifea erstroke/regainingindependence/drivi ng/driving-a er-stroke_ucm_311016_ar cle.jsp Elaboração: Marlei Denise Gebien de Oliveira Terapeuta Ocupacional Equipe interdisciplinar da Unidade de Acidente Vascular Cerebral do Hospital Municipal São José - Joinville/SC A C ss o c i a ç ã o B V A l i s r a

AVC o que é? AVC. Quais os tipos de AVC? ORIENTAÇÃO E TREINAMENTO PARA CUIDADORES. Principais causas do AVC. (Acidente Vascular Cerebral)

AVC o que é? AVC. Quais os tipos de AVC? ORIENTAÇÃO E TREINAMENTO PARA CUIDADORES. Principais causas do AVC. (Acidente Vascular Cerebral) Universidade Federal do Triângulo Mineiro Curso de graduação em Terapia Ocupacional AVC (Acidente Vascular Cerebral) ORIENTAÇÃO E TREINAMENTO PARA CUIDADORES Orientadora: Patrícia Machado Albernaz Costa

Leia mais

Como preparar sua casa após cirurgia de quadril

Como preparar sua casa após cirurgia de quadril PÓS-OPERATÓRIO Como preparar sua casa após cirurgia de quadril Retire os tapetes, extensões e fios telefônicos, pois eles podem ocasionar quedas. Caso ainda não tenha, instale corrimãos em pelo menos um

Leia mais

Foco Critérios de diagnóstico Dependente, não participa Necessita de ajuda de pessoa Necessita de equipamento Completamente independente

Foco Critérios de diagnóstico Dependente, não participa Necessita de ajuda de pessoa Necessita de equipamento Completamente independente Índice ANDAR... 2 ANDAR COM AUXILIAR DE MARCHA... 5 AUTOCONTROLO: CONTINÊNCIA URINÁRIA... 8 AUTOCONTROLO: CONTINÊNCIA INTESTINAL... 11 AUTOCUIDADO: ARRANJAR-SE... 13 AUTOCUIDADO: BEBER... 15 AUTOCUIDADO:

Leia mais

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados SUMÁRIO Prezado cuidador....................... 03 Algumas Sugestões Sobre Higiene Bucal e Corporal........ 04 Banho.......................................

Leia mais

Dicas para minimizar o. risco de quedas

Dicas para minimizar o. risco de quedas saúde Sinal Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Ano I - Nº 1 - Março 2014 Dicas para minimizar o risco de quedas Adaptação dos ambientes e produtos específicos podem evitar quedas

Leia mais

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia AJUDAS TÉCNICAS/PRODUTOS DE APOIO Prevenção de complicações Enfermeira: Andreia Gonçalves Actividades de vida diária Bem estar psicológico Comunidade,

Leia mais

O que é afasia? Brasilian

O que é afasia? Brasilian O que é afasia? Brasilian Provavelmente você se deparou com afasia pela primeira vez há pouco tempo. No início afasia causa muitas dúvidas, como: o que é afasia, como esta ocorre, e quais problemas adicionais

Leia mais

PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO

PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO MANUAL DO CUIDADOR PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO 3 GUIA PRÁTICO ILUSTRADO Aumente a sua qualidade de vida e a do idoso dependente também! REDE REGIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS Siga

Leia mais

!""# $ % & ' ( ) *+ -$./.0110 23 4

!# $ % & ' ( ) *+ -$./.0110 23 4 ""# $ % & ' ( ) *+ ""#, *+ -$./.0110 23 4 23 4 5-6 / 7 $27 83$,)$, / 6 *+ 9*+4 8,/ 288($$:)$;, $80110 "#$ " %& '"%& ( )*+, - Desenvolvendo a Habilidade de se Vestir Um livreto para pais e professores de

Leia mais

Sumário. Prevenção de quedas em idosos. Fatores de risco internos. Fatores de risco externos

Sumário. Prevenção de quedas em idosos. Fatores de risco internos. Fatores de risco externos Sumário Prevenção de quedas em idosos Fatores de risco internos Fatores de risco externos Manual de Prevenção de Quedas Prevenção de quedas em idosos 3 A queda pode ocorrer em qualquer idade; 30% das pessoas

Leia mais

QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE

QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE INVESTIGADORA: ISABEL ALVES ESTEVES ORIENTADORA: DOUTORA ZÉLIA ANASTÁCIO

Leia mais

Frio» Recomendações gerais

Frio» Recomendações gerais No domicílio Antes do Inverno, verifique os equipamentos de aquecimento da sua casa; Se tiver lareira mande limpar a chaminé, se necessário; Mantenha a casa arejada, abrindo um pouco a janela/porta para

Leia mais

SEGURANÇA NA TERCEIRA IDADE OS FATORES QUE MAIS CAUSAM AS QUEDAS PODEM SER:

SEGURANÇA NA TERCEIRA IDADE OS FATORES QUE MAIS CAUSAM AS QUEDAS PODEM SER: SEGURANÇA NA TERCEIRA IDADE As quedas tornam-se mais frequentes com o avançar da idade. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, a maioria dos casos acontecem dentro de casa e são a

Leia mais

Sobre o Processo de Morrer

Sobre o Processo de Morrer Sobre o Processo de Morrer Se você nunca viu alguém morrendo, poderá ter medo do que acontecerá, mas o momento de morte é normalmente sereno. Este folheto tem o objetivo de ajudá-lo. Encontre mais informações

Leia mais

Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau

Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau 1 Lembre-se de três coisas Não tocar Isole a pessoa doente Ligue para a linha de apoio 2 Se pensa que alguém

Leia mais

Atuação da Terapia Ocupacional na Melhoria da Qualidade de Vida das Pessoas com Distrofia Muscular

Atuação da Terapia Ocupacional na Melhoria da Qualidade de Vida das Pessoas com Distrofia Muscular Atuação da Terapia Ocupacional na Melhoria da Qualidade de Vida das Pessoas com Distrofia Muscular AUTORA: MARIA DAS VITÓRIAS M. SILVA ORIENTADORA: Dra. MÁRCIA LIMA CRÓCIA DE BARROS Terapia Ocupacional

Leia mais

Manual de prevenção de quedas

Manual de prevenção de quedas Manual de prevenção de quedas Governador do Estado Geraldo Alckmin Secretário de Gestão Pública Waldemir Aparício Caputo Superintendente Iamspe Latif Abrão Junior Chefe de Gabinete Iamspe Roberto Baviera

Leia mais

Plano de Aula CIÊNCIAS. Hábitos de Higiene

Plano de Aula CIÊNCIAS. Hábitos de Higiene Plano de Aula CIÊNCIAS Hábitos de Higiene Hábitos de Higiene. 10 p.; il. (Série Plano de Aula; Ciências) ISBN: 1. Ensino Fundamental - Ciências 2. Ciências Naturais 3. Meio Ambiente 4. Plantas - Iden ficação

Leia mais

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES O R I E N T A Ç Õ E S AOS PACIENTES MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES Essas orientações são essencialmente para pacientes

Leia mais

MANTENHA SEU SORRISO FAZENDO A HIGIENE BUCAL CORRETAMENTE

MANTENHA SEU SORRISO FAZENDO A HIGIENE BUCAL CORRETAMENTE MANTENHA SEU SORRISO FAZENDO A HIGIENE BUCAL CORRETAMENTE SAÚDE BUCAL Para ter um sorriso bonito, saudável e com hálito bom, é preciso: Escovar os dentes, utilizando uma escova de dente de tamanho adequado

Leia mais

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello

Caderno de Postura. Prof. Luiz Mello Caderno de Postura Prof. Luiz Mello CADERNO DE POSTURA Este caderno de postura tem como objetivo demonstrar os principais pontos relacionados a maneira de como tocar violão e guitarra de uma maneira saudável,

Leia mais

Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) How to Manage Swallowing Problems After a Stroke - Portuguese UHN Informação para pacientes e famílias Leia esta informação

Leia mais

PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA

PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA i Enf.ª Alda Maria Cavaleiro de Melo Enfermeira Especialista em Enfermagem de Reabilitação Serviço de Neurologia Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra EPE PREVENÇÃO

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 POR FAVOR, LEIA ESTE MANUAL ATENTAMENTE ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO Você acabou de adquirir um produto ETERNY, da mais alta qualidade. Agradecemos a sua

Leia mais

CURSO: Cuidador de Idoso

CURSO: Cuidador de Idoso CURSO: Cuidador de Idoso Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente 2 1 3 Bem vindos a Aula 3 4 Estou convencida de que os maiores heróis são aqueles que fazem o seu dever na rotina diária de assuntos

Leia mais

Limpando a Caixa D'água

Limpando a Caixa D'água Limpando a Caixa D'água É muito importante que se faça a limpeza no mínimo 2 (duas) vezes ao ano. Caixas mal fechadas/tampadas permitem a entrada de pequenos animais e insetos que propiciam sua contaminação.

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIABETES MELLITUS CORAÇÃO: Doença arterial coronariana e risco de infarto do miocárdio RINS: Nefropatia CÉREBRO: Acidente vascular cerebral

Leia mais

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação Fundação Cardeal Cerejeira Acção de Formação Formadoras: Fisioterapeuta Andreia Longo, Fisioterapeuta Sara Jara e Fisioterapeuta Tina Narciso 4º Ano de Fisioterapia da ESSCVP Em fases que o utente necessite

Leia mais

ÁLBUM DE VIDA PRÁTICA

ÁLBUM DE VIDA PRÁTICA Curso de Formação de Professores ÁLBUM DE VIDA PRÁTICA Nome do Autor Cidade e Ano INTRODUÇÃO As atividades ou os exercícios de Vida Prática são as primeiras atividades apresentadas à criança numa Classe

Leia mais

Mantenha as portas e as janelas abertas, inclusive nos dias frios, para evitar o aumento de germes no ar, o que facilita a transmissão de doenças.

Mantenha as portas e as janelas abertas, inclusive nos dias frios, para evitar o aumento de germes no ar, o que facilita a transmissão de doenças. Soninho Mantenha as portas e as janelas abertas, inclusive nos dias frios, para evitar o aumento de germes no ar, o que facilita a transmissão de doenças. Garanta que entre os colchonetes haja meio metro

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente

Manual de Orientação ao Cliente Manual de Orientação ao Cliente Prezado Cliente O Hospital IGESP reúne em um moderno complexo hospitalar, os mais avançados recursos tecnológicos e a excelência na qualidade do atendimento prestado por

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula HÁBITOS DE HIGIENE. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Ser humano e saúde. 3 aulas (45min cada)

TÍTULO: Plano de Aula HÁBITOS DE HIGIENE. Ensino Fundamental/Anos Iniciais. 2º Ano. Ciências. Ser humano e saúde. 3 aulas (45min cada) Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: HÁBITOS DE HIGIENE Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Ensino Fundamental/Anos Iniciais 2º Ano Componente Curricular: Tema: Ciências Ser humano e saúde Duração da Aula:

Leia mais

Risco infecção. Coisas que podem ajudar a prevenir infecções: Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia)

Risco infecção. Coisas que podem ajudar a prevenir infecções: Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia) INFECÇÃO 2 Risco infecção Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia) Ter um número baixo de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue diminui a capacidade do corpo combater contra infecções.

Leia mais

MEMÓRIA, ENVELHECIMENTO E GINÁSTICA CEREBRAL

MEMÓRIA, ENVELHECIMENTO E GINÁSTICA CEREBRAL Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira MEMÓRIA, ENVELHECIMENTO E GINÁSTICA CEREBRAL É comum encontramos pessoas que se aposentaram por volta

Leia mais

Traqueostomia Serviço de Enfermagem Cirúrgica

Traqueostomia Serviço de Enfermagem Cirúrgica Manual de orientações sobre Traqueostomia Serviço de Enfermagem Cirúrgica Este manual contou com a colaboração de: professora Isabel Cristina Echer (Enfermagem); bolsista de Iniciação Científica Fernanda

Leia mais

EM TERMOS DE SEGURANÇA GERAL, QUANDO SE ENCONTRAR SOZINHO(A) EM CASA:

EM TERMOS DE SEGURANÇA GERAL, QUANDO SE ENCONTRAR SOZINHO(A) EM CASA: 3 envelhecimento e o aumento da longevidade da população O mundial são já uma realidade incontornável pelo que, faz todo sentido falar em esperança de vida saudável e em segurança. Assim, será muito importante

Leia mais

O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o

O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o O que trazer: Roupa do ridículo; pijama para o jantar do pijama; roupa preta; gel para cabelo (jantar do cabelo maluco); camisa de esportes (para o jantar do esportista); entre outros que achar interessante

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

Guia para prevenção de ÚLCERA por PRESSÃO ou ESCARA

Guia para prevenção de ÚLCERA por PRESSÃO ou ESCARA Guia para prevenção de ÚLCERA por PRESSÃO ou ESCARA Apoio Orientação para pacientes adultos e famílias ANOTAÇÕES As ÚLCERAS por PRESSÃO e escaras são problemas sérios que podem causar dor, levar a uma

Leia mais

Guia do cuidador de pacientes acamados. Orientações aos pacientes

Guia do cuidador de pacientes acamados. Orientações aos pacientes Guia do cuidador de pacientes acamados Orientações aos pacientes 1 2010 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Esta obra pode ser acessada,

Leia mais

Manual do Proprietário Carrinho Naruh - J30

Manual do Proprietário Carrinho Naruh - J30 Manual do Proprietário Carrinho Naruh - J30 SAC: (11) 4072 4000 - www.infanti.com.br Manual de Instruções do Carrinho J30 IMPORTANTE LER COM ATENÇÃO E GUARDAR PARA EVENTUAIS CONSULTAS. As imagens con das

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 O Hospital realiza uma combinação complexa de atividades especializadas, onde o serviço de Higienização e Limpeza ocupam um lugar de grande importância. Ao se entrar em um

Leia mais

QUEM É A PESSOA IDOSA?

QUEM É A PESSOA IDOSA? INTRODUÇÃO Líder, este caderno é seu, para cadastrar e acompanhar as pessoas idosas no domicílio. Ele contém os principais indicadores que nos levam a conhecer a realidade na qual vivem as pessoas, permitindo

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental? ... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?... que os alimentos duros ajudam a limpar os dentes? Eles estimulam o fluxo salivar dificultando a queda de

Leia mais

Conselhos para ter uma vida mais saudável

Conselhos para ter uma vida mais saudável Conselhos para ter uma vida mais saudável Colégio Richard Anderson Turma de Português : 2ºA - 2014 Professora: Nóris Blank Autores: Josefina Galain - Mª Paz Juambeltz San9ago Ribeiro - Luca Spektor María

Leia mais

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam. Dieta durante o tratamento O que comer e o que evitar de comer Após a cirurgia A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

Leia mais

TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo. vez. dobem

TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo. vez. dobem TdB e Vez da Voz por um mundo mais inclusivo vez dobem ÍNDICE: 3 4 7 10 12 INTRODUÇÃO DEFICIÊNCIA AUDITIVA DEFICIÊNCIA VISUAL DEFICIÊNCIA FÍSICA DEFICIÊNCIA INTELECTUAL A TdB, em parceria com a ONG Vez

Leia mais

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano.

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano. Introdução O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e constituem necessidades básicas do ser humano. Movimentação do paciente Para que o paciente se sinta confortável

Leia mais

Equipamento adequado. Tênis. Objetivo do tênis

Equipamento adequado. Tênis. Objetivo do tênis A corrida é uma atividade aeróbica que traz diversos benefícios para o nosso corpo e nossa mente. Quando praticada com regularidade, nos ajuda a perder peso e a aumentar a massa magra, além de aumentar

Leia mais

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM A FIBROMIALGIA consiste numa síndrome - conjunto de sinais e sintomas - com manifestações de

Leia mais

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA Dicas para uma vida sem dores na coluna A Hérnia de Disco A nossa coluna é composta de aproximadamente 32 vértebras, que são os ossos que formam

Leia mais

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo Higiene do bebê O curativo do umbigo Organizo meu futuro porque o presente já passou. O curativo do umbigo deve ser feito todos os dias, depois do banho, até que o cordão do umbigo seque e caia. Isso leva

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA oculus.com/warnings

SAÚDE E SEGURANÇA oculus.com/warnings SAÚDE E SEGURANÇA oculus.com/warnings * Estes avisos sobre saúde e segurança são atualizados periodicamente para proporcionar precisão e integridade. Acesse oculus.com/warnings para conferir a versão mais

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. Orientações de Saúde Para Cadeirantes

1. APRESENTAÇÃO. Orientações de Saúde Para Cadeirantes 1. APRESENTAÇÃO Uma parcela significativa dos atletas paralímpicos são lesados medulares e/ou cadeirantes. Nos Jogos Paralímpicos de Londres a delegação brasileira apresentou-se com 180 atletas, dos quais

Leia mais

Recupere. sono. o ritmo. Conselhos para pessoas que sofrem de insónia

Recupere. sono. o ritmo. Conselhos para pessoas que sofrem de insónia Recupere do sono o ritmo Conselhos para pessoas que sofrem de insónia Prefácio O sono é fundamental na vida de todos nós. Dormir não é um luxo, mas sim uma necessidade fisiológica que devemos respeitar.

Leia mais

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog DICAS PARA UTILIZAÇÃO DESTA CARTILHA 1. Você pode distribuí-la para todos os

Leia mais

AJUDAS TÉCNICAS. Barras de Banho São produtos de apoio para cuidados pessoais e protecção. Elevador de WC. Barra de banho de alumínio.

AJUDAS TÉCNICAS. Barras de Banho São produtos de apoio para cuidados pessoais e protecção. Elevador de WC. Barra de banho de alumínio. Definem-se ajudas técnicas, como produtos de apoio, especialmente, produzidos e disponíveis, para prevenir, compensar, monitorizar, aliviar ou neutralizar qualquer impedimento, limitação da actividade

Leia mais

Dieta da Banana Mini-Curso. 1 Copyright 2009 http://dietasobcontrole.org - Todos os Direitos Reservados.

Dieta da Banana Mini-Curso. 1 Copyright 2009 http://dietasobcontrole.org - Todos os Direitos Reservados. 1 Como começar: Sem demora Sem gastos Sem perda de tempo Sumário 1. Só comendo bananas de manhã? 2. Este método de dieta considera o tempo de descanso do estômago e intestino. 3. Uma boa noite de sono

Leia mais

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre

Leia mais

ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS

ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS Segundo o Ministério da Saúde (2005) Cerca de 75% dos acidentes com idosos acontecem nas suas próprias casas ACIDENTES DOMÉSTICOS MAIS Quedas; FREQUENTES NOS IDOSOS Incêndios;

Leia mais

Está na hora do meu filho

Está na hora do meu filho Está na hora do meu filho ter maior autonomia. Junho de 2013 STEDIM A CRIANÇA COM NECESSIDADES ESPECIAIS DIFICULDADES INDEPENDÊNCIA/AUTONOMIA GRANDE PROTEÇÃO FAMILIAR SERVIÇOS DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM

Leia mais

Como Começar a Usar o PECS

Como Começar a Usar o PECS Como Começar a Usar o PECS PASSO 1 - As instruções que me foram dadas pela professora com treinamento no Teacch e pela fonoaudióloga da primeira escola que meu filho freqüentou são as seguintes: Eu deveria

Leia mais

Guia de Puericultura. Alimentação

Guia de Puericultura. Alimentação Guia de Puericultura Com o nascimento do bebé, os pais necessitam de adquirir uma série de artigos. A oferta no mercado é cada vez maior, por isso é importante estar informado: com este guia ajudamo-la

Leia mais

:: NOVA ESCOLA ON-LINE ::

:: NOVA ESCOLA ON-LINE :: Page 1 of 5 Planos de aula Educação Infantil Formação social e pessoal Cuidados Cuidar de si Plano de trabalho Cuidar de si Introdução O bebê humano é dependente de outras pessoas para cuidar de si mesmo.

Leia mais

SUGESTÕES DE COMO MONTAR A LISTA PERFEITA DO ENXOVAL DO SEU BEBÊ

SUGESTÕES DE COMO MONTAR A LISTA PERFEITA DO ENXOVAL DO SEU BEBÊ SUGESTÕES DE COMO MONTAR A LISTA PERFEITA DO ENXOVAL DO SEU BEBÊ Toda roupa deve ser de algodão, de preferência, devendo ser lavadas sem exceção, com sabão neutro ou sabão de coco, não colocar nada no

Leia mais

Guia de Orientação a concussão para o público geral

Guia de Orientação a concussão para o público geral FATOS DE UMA CONCUSSÃO A concussão é uma lesão cerebral. Todas as concussões são graves. Os abalos podem ocorrer sem perda de consciência. Todo atleta com os sintomas de uma lesão na cabeça deve ser removido

Leia mais

Família Amor Carinho Saúde Vida. Atenção. Cuidados. Distúrbios Cerebelares.

Família Amor Carinho Saúde Vida. Atenção. Cuidados. Distúrbios Cerebelares. Distúrbios Cerebelares. Cartilha Elaborada pelas alunas Claudia Silva Juliana Sales Silvana Felix Valeria Cosme Fisioterapia 5.º Sem 2009 Orientadora Prof.ª Cristina Prota Família Amor Carinho Saúde Vida

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

Você sabe o que é cárie?

Você sabe o que é cárie? Clínica Geral Você sabe o que é cárie? Todo mundo acredita que a cárie é uma espécie de bichinho que vai comendo o dente! Mas na verdade, chamamos de cárie a deterioração do dente que é causada pelas bactérias

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

CURSO: Cuidador de Idoso

CURSO: Cuidador de Idoso CURSO: Cuidador de Idoso Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente 2 1 3 Bem vindos 4ª aula 4 Mãos As mãos do cuidador são suas maiores, melhores e mais usadas ferramentas. Por isso devem estar SEMPRE

Leia mais

Economia de água. Ao usar o vaso sanitário

Economia de água. Ao usar o vaso sanitário Economia de água Economizar água não é mais só um hábito saudável. Atualmente, é uma grande responsabilidade com o futuro. Se não mudarmos nossos hábitos, a escassez de água para o consumo vai nos afetar

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS PREVENÇÃO DE ACIDENTES DOMÉSTICOS Ao falar de prevenção de acidentes domésticos fazemos um diferencial quanto aos acidentes no lar. Aqui vamos falar de acidentes que ocorrem ao realizar trabalhos domésticos

Leia mais

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO SAÚDE BUCAL Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO ANATOMIA BUCAL ANATOMIA DENTAL TIPOS DE DENTES

Leia mais

Água... fonte da vida!

Água... fonte da vida! Água... fonte da vida! O Projeto Saúde e Prevenção na 20ª Regional de Saúde promovido pelo CISCOPAR, CRESEMS (Conselho Regional de Secretarias Municipais de Saúde) e pela 20ª Regional de Saúde visa orientar

Leia mais

BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE

BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE MANUAL DO USUÁRIO IMPORTANTE! Por favor, leia todas as instruções cuidadosamente antes de usar este produto. Guarde este manual para referência futura. As especificações

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor MINISTÉRIO DA SAÚDE ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO ALGARVE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Durante os meses de Verão as temperaturas podem

Leia mais

CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS

CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS UM COMPROMISSO COM A VIDA CARTILHA DO PACIENTE PORTADOR DA DOENÇA DE CHAGAS AMBULATÓRIO DE DOENÇA DE CHAGAS UNIDADE DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA UNIDADE DE

Leia mais

Tratamento pediátrico no INCA. Orientações aos pacientes

Tratamento pediátrico no INCA. Orientações aos pacientes Tratamento pediátrico no INCA Orientações aos pacientes 2010 Instituto Nacional de Câncer / Ministério da Saúde. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. 2. Preparação para sua discussão com seu médico

1. INTRODUÇÃO. 2. Preparação para sua discussão com seu médico 1. INTRODUÇÃO Artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica que pode afetar diferentes áreas da vida.1 Como parte do controle de longo prazo da AR, seu médico* irá ajudá-lo a controlar melhor

Leia mais

COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE

COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE Por que se importar 3 O melhor representante de atendimento 4 SUMÁRIO Escrevendo um anúncio de vaga de emprego Carta de apresentação

Leia mais

SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE

SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE Texto montado a partir dos manuais: MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Atenção à saúde do adolescente: Belo Horizonte: SAS/MG, 2006. p. 75-79. BARROS, Claudia Márcia

Leia mais

Introdução. Esses acidentes são os mais variados possíveis. Ingestão de água sanitária ou outros

Introdução. Esses acidentes são os mais variados possíveis. Ingestão de água sanitária ou outros Introdução Quase todos os dias vemos nos noticiários ou ouvimos dos colegas relatos de acidentes ocorridos em residências, principalmente com crianças. Estatísticas de acidentes indicam que acidentes fatais

Leia mais

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada 1 Água ALIMENTE-SE DE FORMA EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. A alimentação influi na sua segurança ao volante. Uma alimentação incorreta pode gerar fadiga,

Leia mais

SISTEMA DE EDUCAÇÃO PRÉ-NATAL. Quando o aprendizado começa. Manual de Instruções

SISTEMA DE EDUCAÇÃO PRÉ-NATAL. Quando o aprendizado começa. Manual de Instruções SISTEMA DE EDUCAÇÃO PRÉ-NATAL Quando o aprendizado começa Manual de Instruções Parabéns! Bem-vinda à FAMÍLIA BabyPlus O BabyPlus - Sistema de Educação Pré-natal talvez seja o mais importante passo que

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É Estes são alguns dos exercícios recomendados com maior freqüência para a terapia da coluna lombar, Eles foram compilados para dar a você,

Leia mais

Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso

Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso O dente do siso começa a surgir na maioria das pessoas entre os 17 e 24 anos. Porém, em alguns, o siso não nasce completamente e causa dor, inchaços

Leia mais

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM O QUE É OSTEOPOROSE? Em termos simples, é a descalcificação do osso. O osso se enfraquece e fica mais fácil de quebrar. É um

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

05 Queimaduras em cozinhas

05 Queimaduras em cozinhas 05 Queimaduras em cozinhas As queimaduras mais comuns são as provocadas por líquidos e a maioria das vítimas são as crianças. O álcool líquido está envolvido em grande parte dos acidentes que provocam

Leia mais

Diretor do Into: Dr. Geraldo Motta Filho. Coordenador da Unidade Hospitalar (COUNH): Dr. Naasson Cavanellas

Diretor do Into: Dr. Geraldo Motta Filho. Coordenador da Unidade Hospitalar (COUNH): Dr. Naasson Cavanellas Diretor do Into: Dr. Geraldo Motta Filho Coordenador da Unidade Hospitalar (COUNH): Dr. Naasson Cavanellas Coordenador de Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (COENP): Dr. Sérgio Vianna Divisão

Leia mais

"Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial.

Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial. Lesão Medular Dra. Beatriz G. Castiglia Especialista em Medicina Física e Reabilitação "Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos,

Leia mais

Enxoval do bebê. www.momsandco.com.br 1

Enxoval do bebê. www.momsandco.com.br 1 ALIMENTAÇÃO 8 Colheres Compre modelos diferentes, existem modelos que mostram se o alimento está quente. 1 Kit talheres - passeio Modelo com caixa ou tampa para levar nos passeios 2 Copos Termicos 2 Copos

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

2 Cartilha Aleitamento Materno

2 Cartilha Aleitamento Materno 2 Cartilha Aleitamento Materno AMAMENTAÇÃO São inúmeros os benefícios da amamentação para o bebê, mãe e família. O leite materno é o melhor alimento para o bebê e deve ser a única fonte de alimento para

Leia mais