3 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DO PLENO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DO PLENO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE"

Transcrição

1 3 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATOS E DESPACHOS DO PRESIDENTE NECESSIDADE ATO Nº 932/05 - NOMEAR a Sra. RITA DE CÁSSIA MIRANDA NUNES DE SUA CONSIDERAÇÃO PELO JULGADOR NO MAMEDE no cargo em comissão de Adjunto Judiciário deste Egrégio Tribunal de Justiça, a partir de 01/08/05. PUBLIQUE-SE. Vitória-ES, 02 de agosto de DESEMBARGADOR JORGE GÓES COUTINHO VICE - PRESIDENTE ATOS E DESPACHOS DO DIRETOR-GERAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA GERAL INTIMAÇÃO INTIMO os Srs. abaixo nominados, para tomarem ciência do despacho exarado pelo Exmº Sr. Desembargador Presidente referente à Revisão de Enquadramento, a seguir transcrito,...corroborando com o entendimento da Comissão Especial de Enquadramento deste Tribunal, bem como o Parecer... Da Assessoria Jurídica desta Presidência, INDEFIRO o pedido de fls...dos autos. MARIA ANGELA DE SÁ DREWS MARIA CHRISTINA DREWS BITTENCOURT COSTA BISMARCK TINOCO MEIRA Vitória, 1º de agosto de ARTHUR SIMÕES MONTEIRO Diretor-Geral SECRETARIA DO PLENO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL PLENO INTIMAÇÃO - ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, POR SUA PROCURADORA, DRª. MARIA DA PENHA BORGES, PARA NO PRAZO DE LEI, TOMAR CIÊNCIA DA DECISÃO PROLATADA PELA EXMO. DESEMBARGADOR RELATOR, ÀS TRIBUNAL DE JUSTIÇA FLS. 72/74 NOS AUTOS DO MANDADO DE SEGURANÇA Nº DIRETORIA JUDICIÁRIA ADMINISTRATIVA DO SEGUINTE TEOR: DECISÃO TRATA-SE DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO ATOS ASSINADOS PELO EXCELENTÍSSIMO SENHOR SANTO CONTRA ACÓRDÃO DE FLS. 63/75 QUE DEFERIU, EM PARTE, A DESEMBARGADOR VICE-PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL SEGURANÇA DE PLEITEADA NO MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRADO JUSTIÇA. PELA JOANA DE ALMEIDA FERREIRA. SEGUNDO O JULGADO ATACADO, É INEXIGÍVEL, NA VIGÊNCIA DA EC NR. 20/1998, A COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DA ATO Nº 931/05 - EXONERAR a Sra. GRACIETE DA HORA RANGELIMPETRANTE, SERVIDORA PÚBLICA APOSENTADA, IMPORTANDO, FREITAS do cargo em comissão de Adjunto Judiciário deste Egrégio ASSIM, SUA EDIÇÃO, NA REVOGAÇÃO DA LC ESTADUAL NR. 109/1997. Tribunal de Justiça, a partir de 01/08/05. PONDERANDO, TODAVIA, SOBRE A ALTERAÇÃO CONSTITUCIONAL OCORRIDA COM A ENTRADA EM VIGOR DA EC NR. 41/2003 E A MOMENTO DA PRESTAÇÃO DA TUTELA JURISDICIONAL, FACE AO PRINCIPIO DA MIHI FACTUM DABO TIBI IUS, O VENERANDO ACÓRDÃO AUTORIZOU O DESCONTO PREVIDENCIÁRIO A PARTIR DO PRIMEIRO DIA SUBSEQÜENTE AOS NOVENTA DIAS DA DATA DA PUBLICAÇÃO DA LC ESTADUAL NR. 282/2004, QUE INSTITUIU A COBRANÇA OUTORGADA CONSTITUCIONALMENTE. EM SEUS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO DE FLS. 67 A 70, O ENTE ESTATAL RECORRENTE ALEGA QUE O JULGADO TERIA SIDO OMISSO AO DEIXAR DE SE MANIFESTAR SOBRE A SUPOSTA AUTO-APLICABILIDADE DO ART. 4º DA EC NR. 41/1993, POIS A COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO EM QUESTÃO SERIA DEVIDA DESDE A PROMULGAÇÃO DESTA EMENDA. O EMBARGANTE, AINDA COM BASE NA TESE DE QUE A COBRANÇA DO TRIBUTO DEVERIA SE OPERAR DESDE O ADVENTO DA EC 41/1993, SUSTENTA QUE O ACÓRDÃO IMPUGNADO ESTARIA CONTRARIANDO O ART. 24 DA CARTA MAGNA, QUE ATRIBUI, EM RELAÇÃO À MATÉRIA PREVIDENCIÁRIA, COMPETÊNCIA À UNIÃO PARA LEGISLAR SOBRE NORMAS GERAIS E, AO ESTADO-MEMBRO, CONCORRENTEMENTE ( CF/88, ART. 24, XII, E 2º, 3º E 4º ). SEGUNDO O RECORRENTE, A LC ESTADUAL NR. 109/1997, QUE INSTITUÍA A ALÍQUOTA DE DEZ POR CENTO QUANDO DA ENTRADA EM VIGOR DA EC 41/1993, AUTORIZARIA E EXIGÊNCIA IMEDIATA DA EXAÇÃO, MORMENTE PORQUE A LC NÃO TERIA SIDO DECLARADA INCONSTITUCIONAL EM ADIN. PEDE, ASSIM, QUE HAJA MANIFESTAÇÃO EXPRESSA A RESPEITO. É O RELATÓRIO. ESTANDO DENTRO DO PRAZO LEGAL, CONHEÇO DOS PRESENTES EMBARGOS. OS EMBARGANTES ESTÃO INCONFORMADOS COM OS FUNDAMENTOS DO ACÓRDÃO E PRETENDE REDISCUTIR QUESTÕES DEVIDAMENTE ANALISADAS. ESTÁ CLARO, NO ACÓRDÃO ATACADO, QUE A INEXIGIBILIDADE DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA A PARTIR DA EC NR. 20/1998 DECORRERA DA REVOGAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL NR. 109, DE TAMBÉM ESTÁ ESCLARECIDO QUE, COM A ENTRADA EM VIGOR DA EC NR. 41/2003, RESTABELECEU-SE A OUTORGA CONSTITUCIONAL PARA A COBRANÇA DO TRIBUTO, O QUE, TODAVIA, NÃO REVIGOROU A CITADA LC 109/97, TENDO EM VISTA A INADMISSIBILIDADE DE REPRISTINAÇÃO EM NOSSO ORDENAMENTO JURÍDICO. O ENFRENTAMENTO DESTA QUESTÃO PODE SER PERFEITAMENTE EXTRAÍDO DO SEGUINTE TRECHO DO JULGADO EMBARGADO, VERBIS.

2 4 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO O PRESENTE CASO REFERE-SE À COBRANÇA DE CONTRIBUIÇÃODESTE ESTADO, POIS, COMO EXAUSTIVAMENTE EXPLICITADO, ESTÁ PREVIDENCIÁRIA DE SERVIDORES INATIVOS E PENSIONISTAS. A EM QUESTÃO A VIGÊNCIA DAS MENCIONADA LEIS EXCEÇÃO FOI INSTITUÍDA, EM NOSSO ESTADO, PELA LEI INFRACONSTITUCIONAIS E DA INCAPACIDADE DA EMENDA COMPLEMENTAR Nº 109/97, E A JURISPRUDÊNCIA PACÍFICA DESTE CONSTITUCIONAL PARA COBRAR TRIBUTOS/CONTRIBUIÇÕES. EGRÉGIO TRIBUNAL A CONSIDEROU REVOGADA PELA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98, QUE EXCLUÍA, DA INCIDÊNCIA, OS SERVIDORES INATIVOS E PENSIONISTAS. POSTERIORMENTE, A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/2003 PASSOU A PREVER A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS INATIVOS, REVOGANDO, POR SUA VEZ, A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98. APÓS A EC Nº 41/03, O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EDITOU A LEI COMPLEMENTAR Nº 282/2004, PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE , INSTITUINDO, EM SEU ARTIGO 40, A CONTRIBUIÇÃO MENSAL COMPULSÓRIA DOS INATIVOS E PENSIONISTAS,..." (...) CONSIDERANDO QUE O DIREITO BRASILEIRO REPUDIA A REPRISTINAÇÃO, A EC Nº 41/2003 NÃO TINHA O CONDÃO DE OUTORGAR NOVA VIGÊNCIA À LC Nº 109/97, QUE HAVIA SIDO REVOGADA PELA EC Nº 20/98, POIS A REVOGAÇÃO DA LEI REVOGADORA NÃO RESTAURA A VIGÊNCIA DA LEI POR ESTA REVOGADA." SENDO ASSIM, NÃO HÁ QUE SE FALAR EM OMISSÃO DO JULGADO EM DECORRÊNCIA DO NÃO-ENFRENTAMENTO DA ALEGADA AUTO-APLICABILIDADE DO ART. 4º DA EC NR. 41/2003. O QUE ENSEJARIA A IMEDIATA COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. É QUE SE EXTRAI DO PRÓPRIO SISTEMA A INADMISSIBILIDADE DA EXIGÊNCIA TRIBUTÁRIA A PARTIR DA SIMPLES EDIÇÃO DE UMA NORMA CONSTITUCIONAL. DE QUALQUER SORTE, REGISTROU O ACÓRDÃO QUE A "INSTITUIÇÃO" ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL RELATOR: MAURÍLIO ALMEIDA DE ABREU DA CONTRIBUIÇÃO SE VERIFICA COM O ADVENTO DA LEI JULGADO EM 14/07/2005 E LIDO EM 21/07/05 COMPLEMENTAR E, MESMO ASSIM, SOMENTE APÓS TRANSCORRIDO OEMENTA: REPRESENTAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE - LEI PERÍODO DE NOVENTA (90) DIAS. VERBIS. MUNICIPAL Nº 1.886/ REFORMULAÇÃO DA ESTRUTURA "..., A REFERIDA CONTRIBUIÇÃO FOI INSTITUÍDA NOVAMENTE, EM NOSSO ESTADO, PELA LC Nº 282/2004,..." (...) ADMINISTRATIVA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPEMIRIM - VÍCIOS FORMAL E MATERIAL - INCONSTITUCIONALIDADE DO ARTIGO 3º, INCISOS I A III, ARTIGO 4º, CAPUT, PARÁGRAFO ÚNICO, ARTIGOS 5º E NESSA MEDIDA A CONTRIBUIÇÃO DE INATIVOS E PENSIONISTAS É 6º E ARTIGO 15. PRESENÇA DO FUMUS BONI IURIS E O PERICULUM IN DEVIDA. PORÉM, SOMENTE APÓS O ADVENTO DA LC Nº 282, DE 26 DE ABRIL DE ANTES DA CITADA LC 282/04, A EXAÇÃO ERA INDEVIDA. MESMO APÓS O ADVENTO DA LC Nº 282/04, HÁ, AINDA, UM PERÍODO DE 90 (NOVENTA DIAS), A PARTIR DO QUAL A CONTRIBUIÇÃO PODE SER EXIGIDA. DISPÕE O ART. 78 DA LC 282/04: ART. 78. AS ALÍQUOTAS DE CONTRIBUIÇÕES CRIADAS OU MAJORADAS MORA - LIMINAR CONCEDIDA E REFERENDADA NO EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO - SUSPENSÃO DA LEI - SUSTAÇÃO DA EFICÁCIA DOS ATOS PRATICADOS - EFEITOS EX TUNC. ESTÃO PRESENTES OS REQUISITOS ENSEJADORES À CONCESSÃO DA LIMINAR, QUAL SEJA O FUMUS BONI IURIS E O PERICULUM IN MORA, DIANTE DO VÍCIO FORMAL NA LEI Nº 1.886/04, TENDO EM VISTA QUE A CRIAÇÃO DESTA NORMA INOBSERVOU O DISPOSTO NO ARTIGO 70 POR ESTA LEI COMPLEMENTAR, EM RELAÇÃO À LEI COMPLEMENTARDA LEI ORGÂNICA MUNICIPAL DE ITAPEMIRIM, POIS FORA INSTITUÍDA Nº 109/97, SERÃO EXIGIDAS A PARTIR DO PRIMEIRO DIA DO MÊS SUBSEQÜENTE AOS 90 ( NOVENTA) DIAS DA DATA DA PUBLICAÇÃO DESTA LEI COMPLEMENTAR. COMO A CONTRIBUIÇÃO DOS INATIVOS E PENSIONISTAS FOI "CRIADA" PELA LC 282/04 - EIS QUE AQUELA ESTABELECIDA PELA LC 109/97 FOI REVOGADA PELA EC 20/98 -, É FORÇOSO CONVIR QUE A SUA EXIGIBILIDADE DEVE OBEDECER O PRAZO DO CAPUT DO ART. 78, NÃO SE APLICANDO O PARÁGRAFO ÚNICO DO REFERIDO ARTIGO." RESTA, PORTANTO, EXPLICADO QUE HOUVE REVOGAÇÃO DA LC ESTADUAL NR. 109/1997 E QUE A EC NR. 41/2003 NÃO IMPLICOU NA SUA REPRISTINAÇÃO. E, ENFIM, QUE O DESCONTO PREVIDENCIÁRIO NÃO SE TORNA EXIGÍVEL COM O ADVENDO DA EC NR. 41/2003, SENDO NECESSÁRIA A LC ESTADUAL NR. 282/2004 PARA LEGITIMAR A COBRANÇA E O DECURSO DO PRAZO DE NOVENTA DIAS, ESTATUÍDO PELA PRÓPRIA CARTA POLÍTICA (ART. 192). POR ESTAS RAZÕES É QUE TAMPOUCO ME PARECE RAZOÁVEL QUE A DIANTE DE TODO O EXPOSTO, NÃO VISLUMBRO QUALQUER MÁCULA PASSÍVEL DE SER ATACADA ATRAVÉS DE EMBARGOS DECLARATÓRIOS, INEXISTINDO AS OMISSÕES APONTADAS E RESTANDO INEQUÍVOCA A INTENÇÃO DE NOVO DEBATE DA LIDE. SENDO ASSIM, COMO OS EMBARGOS DECLARATÓRIOS SÃO IMPRESTÁVEIS PARA A REDISCUSSÃO DA LIDE, NEGO PROVIMENTO AO RECURSO. INTIMEM-SE. PUBLIQUE-SE NA ÍNTEGRA. DES. SUBSTITUTO SAMUEL MEIRA BRASIL JUNIOR- RELATOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL PLENO CONCLUSÃO DE ACÓRDÃOS PARA EFEITO DE RECURSO OU TRÂNSITO EM JULGADO. 1 AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO REQTE.: PROCURADORIA GERAL DA JUSTIÇA ADVOGADO(A): REPRESENTANTE LEGAL REQDO.: MUNICÍPIO DE ITAPEMIRIM POR LEI ORDINÁRIA, QUANDO DEVERIA SER CRIADA POR LEI COMPLEMENTAR. INCONSTITUCIONALIDADE DO ARTIGO 3º, INCISOS I A III, EM RELAÇÃO A CRIAÇÃO DE UMA SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA E DEFESA CIVIL, POSTO QUE CONFORME INTELIGÊNCIA DO ARTIGO 130 DA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL, TAL COMPETÊNCIA VEM A SER EXCLUSIVA DA POLÍCIA MILITAR. INCONSTITUCIONALIDADE DO ART. 4º, CAPUT E PARÁGRAFO ÚNICO, POSTO QUE EIVADO DE VÍCIO MATERIAL, HAJA VISTA A NÍTIDA AFRONTA AOS ARTIGOS 37, INCISOS II E IX DA CARTA DE 1988, REPETIDOS NA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL, EM SEU ARTIGO 32, INCISOS II E IX, COM RELAÇÃO À PREVISÃO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL SEM A DEVIDA REALIZAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO. INCONSTITUCIONALIDADE DOS ARTIGOS 5º E 6º, EIS QUE EIVADOS DE VÍCIO FORMAL, POSTO QUE O LEGISLADOR, ATRAVÉS DA LEI Nº 1.866/04, PROPICIOU AO PREFEITO MEIO INADEQUADO - DECRETO -, PARA DISPOR DE ASSUNTOS QUE CABERIAM À LEI MUNICIPAL. INCONSTITUCIONALIDADE DO ARTIGO 15, POSTO QUE O MUNICÍPIO DECISÃO ENFRENTASSE O ART. 24, XII, E SEUS 2º, 3º 3 4º, DA DE ITAPEMIRIM NÃO DETÉM PODERES PARA PROMOVER A CONSTITUIÇÃO FEDERAL. NÃO HÁ QUALQUER JUSTIFICATIVA PARA A APRECIAÇÃO DA INTERVENÇÃO DO HOSPITAL SANTA HELENA, EM CONFORMIDADE COM OS DISPOSITIVOS LEGAIS 170 E 199, 1º, DA CARTA MAGNA, BEM COMPETÊNCIA DA UNIÃO PARA LEGISLAR SOBRE NORMAS GERAIS EM COMO COM O DISPOSTO NOS ARTIGOS 163, 1º, 206 E 207 DA MATÉRIA PREVIDENCIÁRIA OU DA COMPETÊNCIA CONCORRENCIALCONSTITUIÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. LIMINAR

3 5 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO CONCEDIDA PARA SUSPENDER OS EFEITOS DA LEI MUNICIPAL Nº 1.866/04, CONCEDENDO AINDA, COM ESPEQUE NO ARTIGO 11, 1º, DA LEI EM FOCO, EFEITO EX TUNC PARA SUSTAR A EFICÁCIA DOS ATOS PRATICADOS SOB A ÉGIDE DESTA NORMA, EM FACE DA ALTA RELEVÂNCIA E PLAUSIBILIDADE DA TESE DE INCONSTITUCIONALIDADE DA REFERIDA LEI. CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, DEFERIR A LIMINAR PARA SUSPENDER A EFICÁCIA DA LEI Nº 2 EXPEDIENTE Nº RECURSO Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO COMARCA DA CAPITAL - JUÍZO DE VITÓRIA REQTE.: DES. ROMULO TADDEI RECURSO DE DECISÃO DO PRESIDENTE RELATOR: PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ES RECTE.: LUZIA LOUREIRO DA SILVA JULGADO EM 11/07/2005 E LIDO EM 21/07/05 RELATOR: DES. FREDERICO GUILHERME PIMENTEL CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, À UNANIMIDADE DE VOTOS, PELO ARQUIVAMENTO DOS AUTOS 3 AGRAVO REGIMENTAL MAND SEGURANÇA Nº TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO AGVTE.: GLORIA MARIA RASFASKY FIOROT ADVOGADO(A): SETEMBRINO PELISSARI AGVTE.: ALEXANDRA MARLA RODRIGUES FIUZA ADVOGADO(A): SETEMBRINO PELISSARI AGVTE.: GENOVEVA NOVAIS GONÇALVES ADVOGADO(A): SETEMBRINO PELISSARI AGVTE.: ILCA BONJARDIM SILVEIRA ADVOGADO(A): SETEMBRINO PELISSARI AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): PROCURADOR GERAL DO ESTADO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA JULGADO EM 07/07/2005 E LIDO EM 21/07/05 EMENTA: ADMINISTRATIVO. MANDADO DE SEGURANÇA. LIMINAR. PARTICIPAÇÃO NAS ETAPAS SEGUINTES DE CERTAME. INDEFERIMENTO. AGRAVO REGIMENTAL. SEGURANÇA PARCIALMENTE CONCEDIDA. PROVIMENTO PARCIAL. 1. VERIFICANDO-SE QUE O WRIT NÃO SE PRESTA A PROMOVER A REVISÃO JUDICIAL DO MÉRITO ADMINISTRATIVO, MAS A EXERCER CONTROLE DE LEGALIDADE DE CERTAME, DECORRENTE DA SUPOSTA FORMULAÇÃO DE QUESTÕES RELATIVAS A MATÉRIA NÃO INSERIDA NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EDITAL, E SENDO INDUVIDOSO RISCO DE INEFICÁCIA DA MEDIDA, DEVE SER DEFERIDA LIMINARMENTE A SEGURANÇA (ART. 7º, INCISO II, DA LEI N.º 1.533/51). 2. A LIMINAR, TODAVIA, DEVE FAVORECER APENAS AOS AGRAVANTES QUE PODEM, COM BASE EM SUAS PRÓPRIAS NOTAS E NAS EXIGÊNCIAS MÍNIMAS DO EDITAL, LOGRAR APROVAÇÃO NO CONCURSO, EM VIRTUDE DE POSSÍVEL ANULAÇÃO DE QUESTÕES DA PROVA PELO PROVIMENTO DEFINITIVO. 3. RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO, PARA DEFERIR LIMINARMENTE A SEGURANÇA EM FAVOR DE GENOVEVA NOVAIS GONÇALVES, ASSEGURANDO SUA PARTICIPAÇÃO NAS DEMAIS ETAPAS VEZES, SÃO BUSCADOS OS ARGUMENTOS PARA VOTOS E DECISÕES NO CERTAME, INCLUSIVE A HOMOLOGAÇÃO FINAL DO RESULTADO, DESTE TRIBUNAL. O DES. ARNALDO SANTOS SOUZA, PELA ORDEM, ATÉ AVALIAÇÃO MERITÓRIA DA IMPETRAÇÃO. ASSOCIA-SE À HOMENAGEM E ACRESCENTA AO REGISTRO, AINDA, A CONCLUSÃO: ACORDA O EGRÉGIO TRIBUNAL PLENO NA PRESENÇA ILUSTRE, QUE MUITO O SENSIBILIZA, DO DR. DONALDO CONFORMIDADE DA ATA E NOTAS TAQUIGRÁFICAS DA SESSÃO, ARMELIN, PROCESSUALISTA, DESEMBARGADOR APOSENTADO DO QUE INTEGRAM ESTE JULGADO, POR MAIORIA DE VOTOS, DAR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO, PROFESSOR DA PUC, MESTRE E DOUTOR EM DIREITO, FIGURA, ENFIM, DAS MAIS ILUSTRES DA PROVIMENTO PARCIAL AO AGRAVO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. VITÓRIA, 29/07/05 LUCIENE VERVLOET FEU ROSA SECRETÁRIA DE CÂMARA CONSELHO DA MAGISTRATURA TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONSELHO DA MAGISTRATURA PAUTA DE JULGAMENTO DA 29ª SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 08/08/2005 SEGUNDA-FEIRA, QUE TERÁ INÍCIO ÀS 14:00 HORAS, PODENDO, ENTRETANTO, NESSA SESSÃO OU EM SESSÕES 1886/04 DO MUNICÍPIO DE ITAPEMIRIM, COM EFEITOS "EX TUNC", SUBSEQUENTES, PROCEDER-SE AO JULGAMENTO DE PROCESSOS NA FORMA DO VOTO DO RELATOR ADIADOS OU CONSTANTES DE PAUTAS JÁ PUBLICADAS. VITÓRIA, 01/08/2005 KARLA STELLA MARIA DE S. LYRIO SECRETÁRIA DE CÂMARA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL RESUMO 26ª SESSÃO ORDINÁRIA DA EGRÉGIA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL REALIZADA EM 26/07/2005 PRESIDÊNCIA DO EXMº. DESEMBARGADOR ANNIBAL DE REZENDE LIMA COMPARECERAM OS EXMºS. DESEMBARGADORES ARNALDO SANTOS SOUZA DES. SUBS. ALDARY NUNES JUNIOR EXMº. PROCURADOR DA JUSTIÇA ANTONIO CARLOS AMANCIO PEREIRA PARTE ADMINISTRATIVA ABERTA A SESSÃO, O EMINENTE DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMA, PRESIDENTE DESTA EGRÉGIA CÂMARA CÍVEL, REGISTRA, COM SATISFAÇÃO, A PRESENÇA, A FIM DE PROMOVER SUSTENTAÇÃO ORAL, DO NOTÁVEL JURISTA BRASILEIRO DR. OVÍDIO BAPTISTA, PROCESSUALISTA DE ESCOL, EM CUJOS LIVROS, TANTAS E TANTAS CIÊNCIA JURÍDICA. O DES. ANNIBAL DE REZENDE LIMA SUBSCREVE, PRAZEROSAMENTE, ESSA MANIFESTAÇÃO COM RELAÇÃO AO DR. DONALDO ARMELIN, UMA DAS PESSOAS MAIS NOTÁVEIS DO DIREITO BRASILEIRO. O DES. ALDARY NUNES JÚNIOR ADERE ÀS HOMENAGENS E REGISTRA SUA SATISFAÇÃO, TAMBÉM, COM A PRESENÇA DOS DRS.

4 6 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO RICARDO VELLO E JOSÉ RICARDO DE ABREU JÚDICE, QUE ADVOGADA: ROSEMARY M DE PAULA ACOMPANHAM A SESSÃO. ADVOGADA: VANESSA GASPARINI ADVOGADA: ÂNDREA CARLA ZANI PARTE JUDICIÁRIA ADVOGADA: TATIANA M KARNINKE LEITURA DE ACÓRDÃOS. FORAM LIDOS E APROVADOS OS ACÓRDÃOS DOS SEGUINTES FEITOS: HABEAS CORPUS Nº ; MANDADO DE SEGURANÇA Nº ; AGRAVOS DE INSTRUMENTO NºS , , , , , , , , , , , ; APELAÇÕES CÍVEIS NºS , , , , , , , ; REMESSAS EX OFFICIO NºS , ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL NºS , , , , , , ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AGV INSTRUMENTO Nº ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL NºS , ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO REM EX OFFICIO Nº ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº ; EMBARGOS DE DECLARAÇÃO REM EX OFFICIO Nº ; AGRAVO REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº JULGADOS 1 - HABEAS CORPUS Nº VITÓRIA - 7ª VARA CÍVEL PACTE.: EDUARDO DE SOUZA PATRICIO ADVOGADO: EVANDRO LUIZ CARDOSO A. COATORA: JUIZ DE DIREITO DA 7ª VARA CÍVEL DE VITÓRIA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR UNANIMIDADE, CONCEDER A ORDEM. ADVOGADO: GUSTAVO CAMPOS SCHWARTZ 3 - CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº APDA.: MARIA AMELIA LOPES DA SILVA VICENTE VITÓRIA - 10ª VARA CÍVEL ADVOGADO: VICTOR RODRIGUES DA COSTA SUCTE.: JUIZ DE DIREITO DA 10ª VARA CÍVEL DE VITÓRIA ADVOGADO: LUIZ FERNANDO CHIABAI PIPA SILVA SUCDO.: JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL DE VITÓRIA ADVOGADO: LEONARDO BARBOSA CABRAL P. INT. ATIVA: ESTRELA AZUL SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA SEGURANÇA E ADVOGADO: GUSTAVO CAMPOS SCHWARTZ TRANSPORTES RELATOR SUBS.: EWERTON SCHWAB PINTO JUNIOR ADVOGADO: FABIO DAHER BORGES REVISOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA P. INT. PASSIVA: CENTRO HOSPITALAR GRAN MATER LTDA POR UNANIMIDADE DE VOTOS, ACOLHER A PRELIMINAR DE RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA ILEGITIMIDADE PASSIVA DO BANCO DO BRASIL S/A, NOS TERMOS POR UNANIMIDADE, JULGAR PROCEDENTE O CONFLITO, NOS DO VOTO DO RELATOR. TERMOS DO VOTO DO EMINENTE RELATOR. 4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA ACIDENTE DE TRABALHO AGVTE.: BANESTES S/A ADVOGADO: GILMAR ZUMAK PASSOS AGVDA.: ROSANA REGINA NUNES DA SILVA ADVOGADO: JOÃO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO: JOAQUIM AUGUSTO DE AZEVEDO SAMPAIO NETTO ADVOGADO: ANTONIO AUGUSTO DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO: EUCLERIO DE AZEVEDO S JUNIOR ADVOGADO: SEDNO ALEXANDRE PELISSARI ADVOGADA: LILIAN MAGESKI ALMEIDA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR UNANIMIDADE DE VOTOS, DAR PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO EMINENTE RELATOR. 5 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL AGVTE.: MUNICÍPIO DE VITÓRIA ADVOGADO: LUIZ CLAUDIO ROSENBERG AGVDO.: ADILIO CARDOSO DOS SANTOS ADVOGADO: MARCELO PEREIRA MATTOS ADVOGADO: ANTONIO SERGIO BROSEGUINI RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR UNANIMIDADE, NEGAR PROVIMENTO AO AGRAVO. 6 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº COMARCA DE CASTELO AGVTE.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: PAULO SERGIO AVALLONE MARSCHALL AGVDO.: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO RESIDENCIAL AQUARIUS ADVOGADA: ANA LUCIA CASAGRANDE RELATOR SUBS.: ALDARY NUNES JUNIOR POR UNANIMIDADE, NÃO CONHECER DO AGRAVO, PRELIMINARMENTE. 7 - APELAÇÃO CÍVEL Nº COMARCA DE MUQUI APTE.: BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO: CARLOS ROBERTO GOUVEA DERCY 2 - HABEAS CORPUS Nº ADVOGADO: JOSE MIGUEL RIBEIRO VIONET NOVA VENÉCIA - JUIZADO ESPECIAL CÍVEL ADVOGADO: JOÃO OTAVIO DE NORONHA PACTE.: NILSON CARVALHO FILHO APDO.: TADEU CUSTODIO ADVOGADO: LUIZ FERNANDO CHIABAI PIPA SILVA ADVOGADO: VICTOR RODRIGUES DA COSTA ADVOGADO: LEONARDO BARBOSA CABRAL ADVOGADO: LUIZ FERNANDO CHIABAI PIPA SILVA A. COATORA: JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA ADVOGADO: LEONARDO BARBOSA CABRAL COMARCA DE NOVA ADVOGADO: GUSTAVO CAMPOS SCHWARTZ RELATOR SUBS.: ALDARY NUNES JUNIOR APDO.: GILBARDO MOFATI VICENTE POR UNANIMIDADE, DECLINAR DA COMPETÊNCIA E, POR MAIORIA ADVOGADO: VICTOR RODRIGUES DA COSTA DE VOTOS, MANTER A MEDIDA LIMINAR ATÉ QUE O ÓRGÃO ADVOGADO: LUIZ FERNANDO CHIABAI PIPA SILVA JUDICIÁRIO COMPETENTE PRONUNCIE-SE ACERCA DE TAL MEDIDA. ADVOGADO: LEONARDO BARBOSA CABRAL 8 - APELAÇÃO CÍVEL Nº COMARCA DA CAPITAL - JUÍZO DE CARIACICA APTE.: ESCELSA S/A ADVOGADO: CICERO B PORTUGAL ADVOGADO: IMERO DEVENS ADVOGADO: MARCELO PAGANI DEVENS ADVOGADO: IMERO DEVENS JUNIOR APDO.: ZAQUEL MOTA PEREIRA ADVOGADO: DARCY JOSE DAVILA ADVOGADO: DARCY JOSE DAVILA, DEF PÚBLICO APDA.: NILZA DE OLIVEIRA SANTOS

5 7 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: DARCY JOSE DAVILA ADVOGADO: DARCY JOSE DAVILA, DEF PÚBLICO RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR MAIORIA DE VOTOS, NEGAR PROVIMENTO AO APELO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. 9 - APELAÇÃO CÍVEL Nº COMARCA DE SÃO GABRIEL DA PALHA APTE.: ADOLPHO DALMA ADVOGADO: ELOILSON TADEU COLOMBI ADVOGADO: JANDERSON VAZZOLER APDO.: MARFIZA TECH ADVOGADO: RODRIGO CASSARO BARCELLOS RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR MAIORIA DE VOTOS, DAR PROVIMENTO AO APELO PARA REDUZIR O "QUANTUM" INDENIZATÓRIO, NOS TERMOS DO VOTO DO EMINENTE RELATOR APELAÇÃO CÍVEL Nº GUARAPARI - 2ª VARA CÍVEL APTE.: JOSE BATISTA BERTHOLINI ADVOGADO: JOSE CARLOS FERREIRA APDO.: MILTON CESAR VALENTIM LUDKE ADVOGADO: JESSE VARGAS VIEIRA RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO APELO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR APELAÇÃO CÍVEL Nº VITÓRIA - 9ª VARA CÍVEL APTE.: BERT REPRESENTAÇÕES TÉCNICAS LTDA ANULAR A SENTENÇA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. ADVOGADO: EURICO DELANE P PORTUGAL ADVOGADO: ROBERTO MORAES DIAS 10 - APELAÇÃO CÍVEL Nº ADVOGADO: SERGIO CARLOS DE SOUZA VITÓRIA - 10ª VARA CÍVEL ADVOGADO: FREDERICO LUIS SCHAIDER PIMENTEL APTE.:/APDO.: BANCO SANTANDER BRASIL SA ADVOGADO: ROBERTO JOANILHO MALDONADO ADVOGADA: PATRICIA BROTTO DE BARROS ADVOGADO: ALEXANDRE MARÇAL PEREIRA ADVOGADA: ANA PAULA PROTZNER MORBECK ADVOGADO: RAFAEL CARAO LUCAS ADVOGADO: FLAVIO ALEXANDRE N DE ALMEIDA ADVOGADA: BRENDA C MODENESI BENEVIDES ADVOGADO: ALBERTO COSTA S FONTENELLE ADVOGADO: TIAGO BALBINO AZEREDO DA SILVA ADVOGADA: LUCIANA CANONJIA APDA.: ASEA BRAWN BOVERI LTDA APDO.:/APTE.: DERALDO MESSNER DA SILVA ADVOGADO: RAFAEL VALENTIM NOGUEIRA ADVOGADO: FABIO ANTONIO SIMÕES FIORET ADVOGADO: JOSE RICARDO DE A JUDICE RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA RELATOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REVISOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR UNANIMIDADE, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO POR DE UNANIMIDADE, ACOLHER A PRELIMINAR DE NULIDADE DA BANCO SANTANDER DO BRASIL S/A, NOS TERMOS DO VOTO SENTENÇA DO HOSTILIZADA, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. RELATOR; POR IDÊNTICA VOTAÇÃO, DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO DE DERALDO MESSNER DA SILVA, NOS TERMOS DO VOTO ADIADOS COM PEDIDO DE VISTA: DO RELATOR. MANDADO DE SEGURANÇA Nº AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº COLATINA - 3ª VARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.:/APDO.: DOUGLAS BRAGA DE PAULA APELAÇÃO CÍVEL Nº ADVOGADA: MARILENE NICOLAU APELAÇÃO CÍVEL Nº ADVOGADO: ELAIR JOSE ZANETTI APELAÇÃO CÍVEL Nº ADVOGADO: ROBERIO LAMAS DA SILVA APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.:/APDO.: DANGLES ENGELHARDT DO NASCIMENTO APELAÇÃO CÍVEL Nº ADVOGADO: FERNANDO JOSE DA SILVA APELAÇÃO CÍVEL Nº APDO.:/APTE.: NADIR ENGELHARDT DO NASCIMENTO AÇÃO RESCISÓRIA SENTENÇA DE 1º GRAU Nº ADVOGADO: FERNANDO JOSE DA SILVA REMESSA EX OFFICIO Nº APDO.:/APTE.: DENER ENGELHARDT DO NASCIMENTO REMESSA EX OFFICIO Nº ADVOGADO: FERNANDO JOSE DA SILVA REMESSA EX OFFICIO Nº RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº POR UNANIMIDADE, REJEITAR AS DUAS PRELIMINARES; POR AGRAVO REGIMENTAL AGV REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº IDÊNTICA VOTAÇÃO, NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO DE NADIR ENGELHARDT DO NASCIMENTO E OUTROS; POR UNANIMIDADE, NEGAR PROVIMENTO AO APELO MANIFESTADO POR DOUGLAS ADIADOS POR ENCERRAMENTO DA SESSÃO: BRAGA DE PAULA. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº COMARCA DE PIUMA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº APTE.: AGÊNCIA DE NOTÍCIAS E NEGÓCIOS S/C LTDA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº ADVOGADO: ANTONIO LUIZ DE ARAUJO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº APDA.: ADRIANA BUZZERLINI SIMÕES DE CAMPOS AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº ADVOGADO: JADER BONETTI AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº RELATOR SUBS.: ALDARY NUNES JUNIOR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº REVISOR: ANNIBAL DE REZENDE LIMA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº POR UNANIMIDADE, REJEITAR A PRELIMINAR; NO MÉRITO, AGRAVO POR DE INSTRUMENTO Nº IDÊNTICA VOTAÇÃO, DAR PROVIMENTO AO APELO APENAS PARA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº

6 8 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE:MUNICÍPIO DE VITÓRIA AGVDA:FITTIPALDI CORRETORA DE SEGUROS E CIA RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA CUIDA A HIPÓTESE DE RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO, COM PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, INTERPOSTO CONTRA DECISÃO DA MMª JUÍZA DE DIREITO DA 1ª VARA DOS FEITOS DA FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL DE VITÓRIA - ES, QUE, NOS AUTOS DA AÇÃO DE EXECUÇÃO FISCAL MOVIDA PELO AGRAVANTE, INDEFERIU O PEDIDO DE BLOQUEIO DO SALDO EXISTENTE NA CADERNETA DE POUPANÇA DE UM DOS SÓCIOS DA EMPRESA AGRAVADA. CUMPRIDAS AS PRESCRIÇÕES CONSTANTES NO ART. 525, I, DO CPC, RECEBO O RECURSO. RESSALTO A AUSÊNCIA DE PROCURAÇÃO OUTORGADA AO PATRONO DA AGRAVADA, UMA VEZ QUE NÃO HOUVE MANIFESTAÇÃO DA MESMA NOS AUTOS PRINCIPAIS. NAS RAZÕES DO AGRAVO ÀS FLS. 02/09, O MUNICÍPIO DE VITÓRIA SUSTENTA QUE O SÓCIO DA EMPRESA AGRAVADA, QUE ESTÁ APELAÇÃO CÍVEL Nº INSCRITA EM DÍVIDA ATIVA, PODE SER PESSOALMENTE APELAÇÃO CÍVEL Nº RESPONSABILIZADO PELOS CRÉDITOS CORRESPONDENTES ÀS APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº APELAÇÃO CÍVEL Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº REMESSA EX OFFICIO Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS, NA FORMA DO ART. 135, III, DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL. ANALISANDO DETIDAMENTE OS AUTOS, TENHO QUE O RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHART SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESES DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOR NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUE O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DE MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº AGRAVO REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº AGRAVO REGIMENTAL AP CÍVEL Nº HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITO REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO A NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, ENCERRADA A SESSÃO ÀS 17:05 H. MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE VITÓRIA, 02 DE AGOSTO DE 2005 RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. LANUSSY PIMENTEL DE REZENDE (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO SECRETÁRIO DE CÂMARA MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE DECISÕES MONOCRÁTICAS - PARA EFEITO DE RECURSO MAIORIA OU DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS TRÂNSITO EM JULGADO 1 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: MUNICÍPIO DE VITÓRIA ADVOGADO: ROSA CRISTINA MEYER AGVDO.: FITTIPALDI CORRETORA DE SEGUROS E CIA LTDA O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO

7 9 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA CELERIDADE PROCESSUAL. -0 (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL CONSTATAÇÃO, SENÃO VEJAMOS. DISPÕE O ARTIGO 135, INCISO III, DO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL: ART SÃO PESSOALMENTE RESPONSÁVEIS PELOS CRÉDITOS 'A RESPONSABILIDADE EXECUTÓRIA POR DÉBITO FISCAL ESTÁ, HOJE, DISCIPLINADA PELO CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL. CORRESPONDENTES ÀS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS RESULTANTES DOSALÉM DO SUJEITO PASSIVO DA OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA, ATOS PRATICADOS COM EXCESSO DE PODERES OU INFRAÇÃO DE LEI, RESPONSÁVEL PRIMÁRIO, ADMITE O CÓDIGO A RESPONSABILIDADE CONTRATO SOCIAL OU ESTATUTOS: I - OMISSIS II - OMISSIS SOLIDÁRIA DE TERCEIROS (ART. 134) E A RESPONSABILIDADE POR SUBSTITUIÇÃO (ART. 135). NA QUESTÃO DA RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS, POR DÍVIDAS DA III - OS DIRETORES, GERENTES OU REPRESENTANTES DE PESSOASSOCIEDADE, DISPÔS O CÓDIGO QUE A SOLIDARIEDADE ADVÉM DE JURÍDICAS DE DIREITO PRIVADO. SUA INTERVENÇÃO NOS ATOS OU PELAS OMISSÕES DE QUE FOREM EM QUE PESEM OS ARGUMENTOS EXPEDIDOS NO PRESENTERESPONSÁVEIS (ART. 134) E QUE A SUBSTITUIÇÃO OCORRE QUANDO RECURSO, TENHO NÃO ASSISTIR RAZÃO AO AGRAVANTE, POIS, NO A OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA ADVÉM OU É RESULTANTE DE ATOS MEU ENTENDER, NOS TERMOS DO DISPOSITIVOS ANTES TRANSCRITO, PRATICADOS COM EXCESSO DE PODERES OU INFRAÇÃO DA LEI, A FALTA DE RECOLHIMENTO DE TRIBUTOS, POR SI SÓ, NÃO CONTRATO SOCIAL OU ESTATUTOS (ART. 135). CONFIGURA INFRAÇÃO À LEI APTA A ENSEJAR A RESPONSABILIDADE PRETENDE A TERCEIRA EMBARGADA QUE A RESPONSABILIDADE DOS PESSOAL DOS DIRETORES, GERENTES OU REPRESENTANTES LEGAISSÓCIOS ADVÉM DE INFRAÇÃO À LEI, POR NÃO TEREM SOLVIDO A DA EMPRESA, SENDO NECESSÁRIA A PROVA DE QUE OS MESMOS TEMPO A OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA; LABORA EM EQUÍVOCO; A AGIRAM DE FORMA DOLOSA, COM FRAUDE OU EXCESSO DE INFRAÇÃO À LEI DIZ COM A ECONOMIA SOCIETÁRIA; A ADMITIR-SE O PODERES. CONTRÁRIO, OS SÓCIOS SERIAM SEMPRE RESPONSÁVEIS PELAS NESTE SENTIDO, TRAGO À BAILA DECISÕES PROFERIDAS PELO DÍVIDAS DA SOCIEDADE, QUER NAS RELAÇÕES DE DIREITO PÚBLICO, SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA: QUER NOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DE DIREITO PRIVADO, POIS O "PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. INADIMPLEMENTO DE QUALQUER OBRIGAÇÃO CONSTITUI OFENSA À REDIRECIONAMENTO PARA O SÓCIO-GERENTE. LEI; OFENSA TÃO ARRAIGADA QUE O LEGISLADOR DE DIREITO CIVIL IMPOSSIBILIDADE. HONORÁRIOS. AUSÊNCIA DE CONDENAÇÃO. TEVE POR DISPENSÁVEL ERIGIR O PRINCÍPIO EM PRECEITO LEGAL, VENCIDA A FAZENDA PÚBLICA. FIXAÇÃO COM BASE NO VALOR DA COMO OBSERVA AGOSTINHO ALVIM, LEMBRANDO A LIÇÃO DE CAUSA. POSSIBILIDADE. ART. 20, 4º DO CPC. PRECEDENTES CLÓVIS BEVILÁCQUA: 'AO LEGISLADOR PARECEU DISPENSÁVEL JURISPRUDENCIAIS. 1. A RESPONSABILIDADE DO SÓCIO NÃO É EXPRIMIR ESTA REGRA, UMA VEZ QUE, SEGUNDO A DOUTRINA, ELA É OBJETIVA. PARA QUE SURJA A RESPONSABILIDADE PESSOAL, FUNDAMENTAL, EM MATÉRIA DE EFEITOS DAS OBRIGAÇÕES' (DA DISCIPLINADA NO ART. 135 DO CTN, É MISTER A COMPROVAÇÃO DE INEXECUÇÃO DAS OBRIGAÇÕES E SUAS CONSEQÜÊNCIAS, 4ª ED., P. 6) QUE ELE, O SÓCIO, AGIU COM EXCESSO DE MANDATO, OU INFRINGIU '. (...) " A LEI, O CONTRATO SOCIAL OU O ESTATUTO. PRECEDENTES JURISPRUDENCIAIS..." (STJ. ADRESP / MG - DATA DA DECISÃO 10/02/ PRIMEIRA TURMA - MIN. LUIZ FUX) PROCESSO CIVIL. TRIBUTÁRIO. RESPONSABILIDADE DO SÓCIO-GERENTE. ART. 135, III, DO CTN. VIOLAÇÃO DO ART. 535 E 458, CPC. INOCORRÊNCIA. 1. O JUIZ NÃO ESTÁ OBRIGADO A RESPONDER A TODAS AS ALEGAÇÕES DAS PARTES, BASTA O ART. 134, ANTERIOR, ATRIBUINDO AOS TERCEIROS DEVER TRIBUTÁRIO POR FATO GERADOR ALHEIO. NO ART. 135 O DOLO É ELEMENTAR. NEM SE OLVIDE QUE A RESPONSABILIDADE AQUI É PESSOAL (NÃO HÁ SOLIDARIEDADE) ; O DOLO, A MÁ-FÉ HÃO DE SER CUMPRIDAMENTE PROVADOS. NO RÉ Nº (RTJ 85/946), REFERENDANDO ACÓRDÃO DO TA-SP, FICOU ENTENDIDO NO STF QUE: ASSIM MANIFESTOU-SE A 1ª TURMA DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA EM RECENTE JULGADO: "TRIBUTÁRIO E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. INEXISTÊNCIA DE OMISSÃO, OBSCURIDADE, CONTRADIÇÃO, DÚVIDA OU FALTA DE FUNDAMENTAÇÃO NO ACÓRDÃO RECORRIDO. EXECUÇÃO FISCAL. RESPONSABILIDADE. SÓCIO-GERENTE. LIMITES. ART. 135, III, DO CTN. QUANDO JÁ TENHA ENCONTRADO MOTIVO SUFICIENTE PARA NECESSIDADE DE COMPROVAÇÃO DO FISCO DE VIOLAÇÃO À LEI. FUNDAR A DECISÃO, NEM SE OBRIGA A ATER-SE AOS FUNDAMENTOS REEXAME DE PROVA. INCIDÊNCIA DA SÚMULA Nº 07/STJ. INDICADOS POR ELAS E TAMPOUCO A RESPONDER UM A UM TODOS PRECEDENTES. OS SEUS ARGUMENTOS. 2. PARA QUE SURJA A RESPONSABILIDADE PESSOAL DISCIPLINADA NO ARTIGO 135 DO CTN É NECESSÁRIO QUE 1. AGRAVO REGIMENTAL CONTRA DECISÃO NEGOU SEGUIMENTO AO ESPECIAL DA PARTE AGRAVANTE. 2. FUNDAMENTOS, NOS QUAIS SE HAJA COMPROVAÇÃO DE QUE O SÓCIO AGIU COM EXCESSO DE SUPORTA A DECISÃO IMPUGNADA, APRESENTAM-SE CLAROS E MANDATO, OU INFRINGIU A LEI. PRECEDENTES. 3. REDIRECIONAR ANÍTIDOS. NÃO DÃO LUGAR A OMISSÕES, OBSCURIDADES, DÚVIDAS EXECUÇÃO PARA O REPRESENTANTE LEGAL DA EXECUTADA, A FIMOU CONTRADIÇÕES. O NÃO-ACATAMENTO DAS TESES CONTIDAS NO DE AFERIR A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA, ENSEJA O REEXAMERECURSO NÃO IMPLICA CERCEAMENTO DE DEFESA, POSTO QUE AO DO CONJUNTO FÁTICO PROBATÓRIO DOS AUTOS. INCIDÊNCIA DA JULGADOR CABE APRECIAR A QUESTÃO DE ACORDO COM O QUE ELE SÚMULA N.º RECURSO ESPECIAL IMPROVIDO. (STJ - ACÓRDÃO: RESP / RS - DATA DA DECISÃO: 19/12/2003. DJ DATA:25/02/2004 ENTENDER ATINENTE À LIDE. NÃO ESTÁ OBRIGADO O MAGISTRADO A JULGAR A QUESTÃO POSTA A SEU EXAME DE ACORDO COM O - SEGUNDA TURMA - RELATOR MIN. CASTRO MEIRA). PLEITEADO PELAS PARTES, MAS SIM COM O SEU LIVRE ASSEVERA, A PROPÓSITO, SACHA CALMON NAVARRA COÊLHO, EM CONVENCIMENTO (ART. 131, DO CPC), UTILIZANDO-SE DOS FATOS, "CURSO DE DIREITO TRIBUTÁRIO BRASILEIRO", 6ª ED., EDITORA PROVAS, JURISPRUDÊNCIA, ASPECTOS PERTINENTES AO TEMA E DA FORENSE, PÁGS. 628/629: LEGISLAÇÃO QUE ENTENDER APLICÁVEL AO CASO. 3. NÃO OBSTANTE "POIS BEM, O SIMPLES NÃO RECOLHIMENTO DO TRIBUTO CONSTITUI, A INTERPOSIÇÃO DE EMBARGOS DECLARATÓRIOS, NÃO SÃO ELES É CLARO, UMA ILICITUDE, PORQUANTO O CONCEITO LATO DE MERO EXPEDIENTE PARA FORÇAR O INGRESSO NA INSTÂNCIA ILÍCITO É O DE DESCUMPRIMENTO DE QUALQUER DEVER JURÍDICOEXTRAORDINÁRIA, SE NÃO HOUVE OMISSÃO DO ACÓRDÃO A QUE DECORRENTE DE LEI OU DE CONTRATO. DÁ-SE QUE A INFRAÇÃO ADEVA SER SUPRIDA. DESNECESSIDADE, NO BOJO DA AÇÃO JULGADA, QUE SE REFERE O ART. 135 EVIDENTEMENTE NÃO É OBJETIVA, E SIM DE SE ABORDAR, COMO SUPORTE DA DECISÃO, DISPOSITIVOS LEGAIS SUBJETIVA, OU SEJA, DOLOSA. PARA OS CASOS DE DESCUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS POR MERA CULPA, NOS ATOS EM QUE E/OU CONSTITUCIONAIS. INEXISTE OFENSA AO ART. 535, I E II, DO CPC, QUANDO A MATÉRIA ENFOCADA É DEVIDAMENTE ABORDADA INTERVIEREM E PELAS OMISSÕES DE QUE FOREM RESPONSÁVEIS, NO VOTO DO ARESTO A QUO. 4. OS BENS DO SÓCIO DE UMA PESSOA

8 10 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO JURÍDICA COMERCIAL NÃO RESPONDEM, EM CARÁTER SOLIDÁRIO, DEVENDO SER SANADA PARA QUE SEJA DECLARADA A COMPETÊNCIA POR DÍVIDAS FISCAIS ASSUMIDAS PELA SOCIEDADE. A DO JUÍZO A QUO PARA A AÇÃO INDENIZATÓRIA EM COMENTO. RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA IMPOSTA POR SÓCIO- TENHO QUE ESTE RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA DO GERENTE, ADMINISTRADOR, DIRETOR OU EQUIVALENTE SÓ SERELATOR, COM BASE NO ART. 557, DO CPC. CARACTERIZA QUANDO HÁ DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA SOCIEDADE NA HIPÓTESE, INEXISTE QUALQUER CONTRADIÇÃO A SER SANADA, OU SE COMPROVA INFRAÇÃO À LEI PRATICADA PELO DIRIGENTE. 5. A POIS A DECISÃO ORA RECORRIDA FOI NO SENTIDO DE DAR JURISPRUDÊNCIA DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PACIFICOU PROVIMENTO AO AGRAVO DO ORA EMBARGANTE, COM BASE NO ENTENDIMENTO NO SENTIDO DE QUE O SIMPLES INADIMPLEMENTO 1º-A, DO ART. 557, DO CPC. NÃO CARACTERIZA INFRAÇÃO LEGAL. INEXISTINDO PROVA DE QUEDIANTE DESSES FATOS, ANTE A MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA DESTES SE TENHA AGIDO COM EXCESSO DE PODERES, OU INFRAÇÃO DE EMBARGOS, COM ARRIMO NO ART. 557, DO CPC, LHES NEGO CONTRATO SOCIAL OU ESTATUTOS, NÃO HÁ FALAR-SE EM SEGUIMENTO. RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DO EX-SÓCIO A ESSE TÍTULO OU APOR OUTRO LADO, HÁ QUE SE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO QUE EM TÍTULO DE INFRAÇÃO LEGAL. 6. A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA RECENTE JULGAMENTO, O PLENÁRIO DO SUPREMO TRIBUNAL SUBSTITUTA PREVISTA NO ART. 135, III, DO CTN, IMPOSTA AO FEDERAL, AO JULGAR O CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA Nº SÓCIO-GERENTE, AO ADMINISTRADOR OU AO DIRETOR DE EMPRESACC 7204, POR UNANIMIDADE DECLAROU A COMPETÊNCIA MATERIAL COMERCIAL DEPENDE DA PROVA, A CARGO DA FAZENDA ESTADUAL, DA JUSTIÇA TRABALHISTA PARA JULGAR AS DEMANDAS DA PRÁTICA DE ATOS DE ABUSO DE GESTÃO OU DE VIOLAÇÃO DA LEI OU DO CONTRATO E DA INCAPACIDADE DA SOCIEDADE DE SOLVER O DÉBITO FISCAL. (AGREG NO AG Nº /DF, 2ª TURMA, INDENIZATÓRIAS DECORRENTES DE ACIDENTE DE TRABALHO, ASSIM DECIDINDO: "CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 7204 ORIGEM: MG RELª MINª. NANCY ANDRIGHI, DJ DE 01/08/2000) 7. DEMONSTRADO, RELATOR: MIN. CARLOS AYRES BRITTOSUSCITANTE: TRIBUNAL DE MODO EVIDENTE, QUE A PROCEDÊNCIA DO PEDIDO ESTÁ SUPERIOR DO TRABALHO SUSCITADO: TRIBUNAL DE ALÇADA DO RIGOROSAMENTE VINCULADA AO EXAME DAS PROVAS DEPOSITADAS ESTADO DE MINAS GERAIS INTDO. (A/S): VICENTE GIACOMINI PERON NOS AUTOS. NA VIA ESPECIAL NÃO HÁ CAMPO PARA SE REVISAR ADV. (A/S): HÉLCIO DE OLIVEIRA FERNANDES E OUTRO (A/S) INTDO. ENTENDIMENTO DE 2º GRAU ASSENTADO EM PROVA, VISTO QUE A(A/S): BANCO BEMGE S/A ADV. (A/S): JOSÉ MARIA RIEMMA E OUTRO MISSÃO DE TAL RECURSO É, APENAS, UNIFICAR A APLICAÇÃO DO (A/S) DECISÃO: O TRIBUNAL, POR UNANIMIDADE, CONHECEU DO DIREITO FEDERAL, NOS TERMOS DA SÚMULA Nº 07/STJ. 8. CONFLITO E DEFINIU A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA TRABALHISTA A PRECEDENTES DAS EGRÉGIAS 1ª SEÇÃO E 1ª E 2ª TURMAS DESTA PARTIR DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004, PARA CORTE SUPERIOR. 9. PRECEDENTES CITADOS, NÃO OBSTANTE OJULGAMENTO DAS AÇÕES DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E RESPEITO A ELES REVERENCIADO, QUE NÃO TRANSMITEM A POSIÇÃOPATRIMONIAIS DECORRENTES DE ACIDENTE DO TRABALHO, DESTE RELATOR. A CONVICÇÃO SOBRE O ASSUNTO CONTINUA AVENCIDO, NO CASO, O SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO, NA MESMA E INTENSA. 10. AGRAVO REGIMENTAL NÃO PROVIDO." (ACÓRDÃO AGRESP DJ DATA:10/05/2004. RELATOR MIN. JOSÉ MEDIDA EM QUE NÃO ESTABELECIA A EDIÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL COMO MARCO TEMPORAL PARA COMPETÊNCIA DA DELGADO. DATA DA DECISÃO 09/03/2004). JUSTIÇA TRABALHISTA. VOTOU A PRESIDENTE. AUSENTE, ANTE O EXPOSTO, COM ARRIMO NO ART. 527, I C/C ART. 557, CAPUT, JUSTIFICADAMENTE, O SENHOR MINISTRO NELSON JOBIM DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, NEGO SEGUIMENTO AO RECURSO, DIANTE DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA. INTIME-SE O AGRAVANTE NA PESSOA DA PROCURADORA MUNICIPAL ATUANTE NO FEITO. VITÓRIA, 22 DE JULHO DE DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 2 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AGV INSTRUMENTO Nº EMGTE.: CHOCOLATES GAROTO S/A ADVOGADO: BARBARA CHRISTINA LOBATO L. PEREIRA ADVOGADO: RAFAEL TONELI TEDESCO ADVOGADO: RODRIGO LOUREIRO MARTINS EMGDO.: JOSE CARLOS ALVES SIQUEIRA ADVOGADO: INGRID KEHLEN SYLVESTRE STRAPPA ADVOGADO: LUIS FERNANDO NOGUEIRA MOREIRA ADVOGADO: MARIA DA CONCEIÇÃO SARLO B CHAMOUN RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO AGRAVO DE INSTRUMENTO N EMBARGANTE: CHOCOLATES GAROTO S. A. EMBARGADO: JOSÉ CARLOS ALVES SIQUEIRA RELATOR: DES. ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO TRATA-SE DE RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO, INTERPOSTO (PRESIDENTE). PRESIDIU O JULGAMENTO A SENHORA MINISTRA ELLEN GRACIE (VICE-PRESIDENTE). PLENÁRIO, " AINDA, HÁ QUE SE CONSIDERAR O ATO NORMATIVO Nº 26/005, DO EXMO. SR. DESEMBARGADOR ADALTO DIAS TRISTÃO, PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, PUBLICADO NO DIÁRIO DA JUSTIÇA DO DIA 8/7/2005, QUE RECOMENDOU AOS MAGISTRADOS QUE FAÇAM A REMESSA À JUSTIÇA DO TRABALHO DOS FEITOS QUE VERSEM SOBRE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS DECORRENTES DE ACIDENTE DE TRABALHO. DIANTE DESSES FATOS, TENDO EM VISTA SER A HIPÓTESE DE INCOMPETÊNCIA MATERIAL DA JUSTIÇA COMUM, DE NATUREZA ABSOLUTA, RECONSIDERO DE OFÍCIO A DECISÃO EMBARGADA, PARA DECLARAR A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA TRABALHISTA PARA A AÇÃO INDENIZATÓRIA DECORRENTE DE ACIDENTE DE TRABALHO AJUIZADA PELO EMBARGADO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM, COM URGÊNCIA. VITÓRIA, 25 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 3 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: CORINA LUCIA DE SOUZA ADVOGADO: ESMERALDO A L RAMACCIOTTI EM FACE DA DECISÃO DE FLS. 125/129, QUE, MONOCRATICAMENTE, ADVOGADO: EUSTACHIO D L RAMACCIOTTI DEU PROVIMENTO AO RECURSO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO DAADVOGADO: JANAYNA SILVEIRA DOS SANTOS EMBARGANTE, PROCLAMANDO A COMPETÊNCIA DA 4ª VARA CÍVEL AGVDO.: IESP INSTITUTO DE SAUDE PUBLICA DE VILA VELHA PARA PROCESSAR E JULGAR AÇÃO INDENIZATÓRIA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA DECORRENTE DE ACIDENTE DE TRABALHO. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº EM SUAS RAZÕES RECURSAIS (FLS. 135/137), SUSTENTA A AGVTES:CORINA LÚCIA DE SOUZA EMBARGANTE HAVER CONTRADIÇÃO NA DECISÃO RECORRIDA, AGVDO:INSTITUTO DE SAÚDE PÚBLICA - IESP RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA

9 11 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO DECISÃO MONOCRÁTICA SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE DA SIMPLES LEITURA DOS AUTOS, VERIFICA-SE QUE NÃO FORAM O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO JUNTADAS TODAS AS PEÇAS OBRIGATÓRIAS ELENCADAS NO INCISO I, DO ARTIGO 525, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, QUE ASSIM DISPÕE: LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUE ART A PETIÇÃO DE AGRAVO DE INSTRUMENTO SERÁ MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA INSTRUÍDA: I - OBRIGATORIAMENTE, COM CÓPIAS DA DECISÃO AGRAVADA, DA HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITO REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. CERTIDÃO DA RESPECTIVA INTIMAÇÃO E DAS PROCURAÇÕES 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, OUTORGADAS AOS ADVOGADOS DO AGRAVANTE E DO AGRAVADO; (...) NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO A NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS COMPULSANDO OS AUTOS, OBSERVA-SE QUE O AGRAVANTE HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, INSTRUIU A PETIÇÃO DE AGRAVO SEM TER JUNTADO CÓPIA DA CERTIDÃO DE INTIMAÇÃO DA DECISÃO AGRAVADA. CUMPRE DESTACAR QUE A INTIMAÇÃO DA DECISÃO AGRAVADA, MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A DISCRIMINANDO, PRINCIPALMENTE, A DATA DA CIÊNCIA DO SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. AGRAVANTE, É DOCUMENTO INDISPENSÁVEL A INTERPOSIÇÃO DE (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO QUALQUER AGRAVO DE INSTRUMENTO, VEZ QUE TEM O CONDÃO DEMANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU COMPROVAR A TEMPESTIVIDADE DO RECURSO. EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA RESSALTO, POR OPORTUNO, QUE OS DOCUMENTOS DE FLS. 22/23 DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL DOS AUTOS NÃO SÃO HÁBEIS A COMPROVAR A TOMADA DE CIÊNCIA FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). PELO AGRAVANTE DA DECISÃO OBJURGADA, PORQUANTO CARECEM 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS DA OFICIALIDADE QUE SE REVESTEM AS PUBLICAÇÕES CONSTANTES NO DIÁRIO OFICIAL DA JUSTIÇA, BEM COMO AS CERTIDÕES EXPEDIDAS PELOS FUNCIONÁRIOS DO JUÍZO. SENDO ASSIM, NA AUSÊNCIA DA REFERIDA PEÇA OBRIGATÓRIA, NA IMPOSSIBILIDADE DE CONVERSÃO EM DILIGÊNCIA PARA A SUPRESSÃO DA OMISSÃO E NA FORMA DO DISPOSTO NO ARTIGO 557, C/C INCISO I, DO ARTIGO 525, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, NEGO SEGUIMENTO AO RECURSO. INTIME-SE. VITÓRIA, 19 DE JULHO DE DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 4 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: JAIR HENRIQUE AREND ADVOGADO: RODRIGO PANETO APDO.: HSBC BANK BRASIL S/A BANCO MUTIPLO ADVOGADO: CARLOS MARCIO F DE CARVALHO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: JAIR HENRIQUE AREND APELADO: HSBC BANK BRASIL S/A RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA VERSA O PRESENTE SOBRE APELAÇÃO INTERPOSTA EM FACE DE TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO PODE SER VERIFICADA EM QUALQUER ÓTICA SOB A QUAL SE O ANALISE, SENÃO VEJAMOS. INICIALMENTE, NÃO MERECE GUARIDA A ALEGAÇÃO DE QUE TENHA HAVIDO CERCEAMENTO AO DIREITO DE DEFESA, DECORRENTE DE NÃO HAVEREM OS AUTOS SIDO REMETIDOS À CONTADORIA PARA AVALIAÇÃO DOS CÁLCULOS TRAZIDOS NA INICIAL. ISTO PORQUE TAL ENCARGO É DA PRÓPRIA PARTE, EM VIRTUDE DO PRINCÍPIO DA IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA E DA DISTRIBUIÇÃO DOS ÔNUS DA PROVA (ARTS. 302, PARÁGRAFO ÚNICO, E 333, INCISO I, AMBOS DO CPC), DE SORTE QUE NÃO PODE SER ATRIBUÍDO AO SENTENÇA DEFINITIVA QUE REJEITOU EMBARGOS À MONITÓRIA, CONTADOR JUDICIAL. FUNDADOS EM ALEGAÇÃO DE NULIDADE DE CLÁUSULAS DE ALÉM DISSO, A INDIGITADA PROVA NÃO FOI REITERADA PELA PARTE CONTRATO BANCÁRIO DE CONCESSÃO DE CRÉDITO ROTATIVO. NA FASE DO SANEAMENTO, COMO EXIGE O ART. 331, PARÁGRAFO 2º, SUSTENTA O RECORRENTE PRELIMINAR DE NULIDADE PORDO CPC, O QUE IMPORTA EM SUA PRECLUSÃO. CERCEAMENTO DE DEFESA E, NO MÉRITO, INVOCA ALEGAÇÃO DEFÁCIL PERCEBER, PORTANTO, A INEXISTÊNCIA DO ALEGADO NULIDADE DA CLÁUSULA DE CAPITALIZAÇÃO DE JUROS, ALÉM DE CERCEAMENTO AO DIREITO DE DEFESA. REPUTAR VIOLADO O EQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DAQUANTO AO MÉRITO, ARTICULA O APELANTE A EXISTÊNCIA DE AVENÇA, EM VIRTUDE DA COBRANÇA DE ENCARGOS EXCESSIVOS. ESSES SÃO OS CONTORNOS DA DEMANDA. ANATOCISMO E DE JUROS EXCESSIVOS NO CONTRATO DE MÚTUO BANCÁRIO QUE DEU AZO À EMISSÃO DA NOTA PROMISSÓRIA QUE TENHO, ASSIM, QUE O RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA INSTRUI A EXECUÇÃO. DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA QUADRA RESSALTAR QUE TAIS ALEGAÇÕES NÃO LOGRARAM FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. COMPROVAÇÃO EM VIRTUDE DA AUSÊNCIA DE PRODUÇÃO PELO COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHARTAPELANTE DE PROVA TÉCNICA, ENSEJANDO A INOBSERVÂNCIA AOS SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESESÔNUS PROBATÓRIOS QUE LHE INCUMBIAM (ART. 333, INCISO I, CPC) DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATORE, EM CONSEQÜÊNCIA, A REJEIÇÃO DOS EMBARGOS À MONITÓRIA, NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. ESPECIALMENTE POR NÃO DEMONSTRADA A VIOLAÇÃO AO NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUEEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DA AVENÇA. O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DEPOR OUTRO LADO, A MATÉRIA JÁ FOI OBJETO DE PRONUNCIAMENTO MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COMSUMULAR PELO EXCELSO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL QUE A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO ATESTOU:

10 12 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO "SÚMULA 596: AS DISPOSIÇÕES DO DECRETO Nº /33 NÃO SE NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS APLICAM ÀS TAXAS DE JUROS E AOS OUTROS ENCARGOS COBRADOS HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, NAS OPERAÇÕES REALIZADAS POR INSTITUIÇÕES PÚBLICAS OU MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PRIVADAS, QUE INTEGRAM O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL." PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE ASSIM, TAMBÉM AQUI A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO É FLAGRANTE, RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SOBRETUDO QUANDO SE INFERE QUE A CLÁUSULA CONSTITUCIONALSUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. LIMITADORA DE JUROS (ART. 192, 3º, DA CF/88), FOI EXPRESSAMENTE (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO REVOGADA PELA EC Nº 40, DE MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU PATENTE, OUTROSSIM, O QUÃO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE ÉEM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA O APELO. DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL VERIFICADA, PORTANTO, A IMPROCEDÊNCIA GRITANTE DO RECURSO EM APREÇO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM. VITÓRIA, 21 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 5 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: JOSIMAR DA SILVA ADVOGADO: ORLANDO BERGAMINI APDO.: ASSOCIAÇAO CULTURAL COMUN SOMOS TODOS IRMAOS ADVOGADO: ELIO FERREIRA DE MATOS JUNIOR APDO.: MARCIA MORAES RUEDA ADVOGADO: ELIO FERREIRA DE MATOS JUNIOR RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTE: JOSIMAR DA SILVA APELADOS: ASSOCIAÇÃO CULTURAL COMUNITÁRIA SOMOS TODOS IRMÃOS E OUTRA RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA TRATA-SE DE APELAÇÃO CÍVEL INTERPOSTA EM FACE DE SENTENÇA FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL VERIFICAÇÃO, SENÃO VEJAMOS. DE PRIMEIRA PLANA, NÃO PROSPERA A ALEGAÇÃO DO RECORRENTE DE QUE O INSTRUMENTO DE MANDATO DE FLS. 11 COMPROVA A REALIZAÇÃO DE CESSÃO DE USO RELATIVAMENTE À RÁDIO INTERATIVA FM, JÁ QUE SEU TEOR REPRESENTA MERA OUTORGA DE PODERES RELATIVAMENTE À REPRESENTAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL COMUNITÁRIA SOMOS TODOS IRMÃOS DE GUARAPARI. POR OUTRA BANDA, NÃO HÁ NOS AUTOS QUALQUER OUTRO DEFINITIVA QUE, REPUTANDO NÃO COMPROVADA A EXISTÊNCIA DE ELEMENTO QUE POSSA CORROBORAR, MINIMAMENTE, AS ALEGAÇÕES NEGÓCIO JURÍDICO, JULGOU IMPROCEDENTES OS PEDIDOS DO RECORRENTE, ESPECIALMENTE POR HAVER O MESMO CONDENATÓRIOS (CONCESSÃO DE TUTELA ESPECÍFICA OU DE DISPENSADO DE MODO EXPRESSO A PRODUÇÃO DE OUTRAS PROVAS RESSARCIMENTO POR PERDAS E DANOS), ALTERNATIVAMENTE(FLS. 70). FORMULADOS. NO QUE CONCERNE À ALEGAÇÃO DE QUE O TEOR DA O RECORRENTE ESTRIBA SEU APELO NA ALEGAÇÃO DE QUE OCONTESTAÇÃO, OFERTADA PELO CURADOR NOMEADO, TERIA INSTRUMENTO DE MANDATO (FLS. 11) COMPROVARIA A EXISTÊNCIA TORNADO INCONTROVERSA A QUESTÃO RELATIVA À EXISTÊNCIA DA DE NEGÓCIO JURÍDICO INADIMPLIDO, ACRESCENTANDO QUE OAVENÇA, MELHOR SORTE NÃO RESTA AO RECORRENTE, EM VIRTUDE CURADOR NOMEADO AOS RÉUS, EM VIRTUDE DE SUA CITAÇÃO DA PREVISÃO EXPRESSA DO ART. 302, PARÁGRAFO ÚNICO, DO CPC, FICTA, NÃO TORNOU CONTROVERTIDA A QUESTÃO RELATIVA ÀSEGUNDO O QUAL "ESTA REGRA, QUANTO AO ÔNUS DE FORMULAÇÃO DA AVENÇA PELAS PARTES. IMPUGNAÇÃO ESPECIFICADA DOS FATOS, NÃO SE APLICA (...) AO TENHO, ASSIM, QUE O RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA CURADOR ESPECIAL". DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA INEXISTINDO PROVA DA EXISTÊNCIA DO NEGÓCIO JURÍDICO FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. ALEGADAMENTE INADIMPLIDO, NÃO HÁ COMO POSSA SER PROVIDO COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHARTO APELO. SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESESVERIFICADA, PORTANTO, A IMPROCEDÊNCIA GRITANTE DO RECURSO DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOREM APREÇO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. NEGO SEGUIMENTO. NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUEINTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DEPRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COMDE ORIGEM. A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO VITÓRIA, 20 DE JULHO DE SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO RELATOR LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL 6 APELAÇÃO CÍVEL Nº SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUEAPTE.: MARK GULLIVER DO BRASIL IMP EXP LTDA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA ADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITOAPTE.: IRINEU MENDES DE VASCONCELOS REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. ADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, APTE.: AMERICAN NUT S DO BRASIL LTDA NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO AADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL

11 13 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO APDO.: BANCO SUDAMERIS DO BRASIL S/A ADVOGADO: FABIANA BARBOSA MENDONÇA OS RECORRENTES FORMULARAM NA INSTÂNCIA MONOCRÁTICA, E REITERARAM NESTA SEDE, INÚMEROS ARGUMENTOS RELATIVOS À ADVOGADO: GILBERTO MARTINS FILHO ONEROSIDADE EXCESSIVA DE CONTRATO BANCÁRIO, QUE RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTES: IRINEU MENDES DE VASCONCELOS E OUTROS APELADO: BANCO SUDAMERIS DO BRASIL S/A RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA ENSEJARIAM A INVALIDADE DO INSTRUMENTO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDA EM QUE SE AMPARA PROCESSO DE EXECUÇÃO. OCORRE QUE SE OLVIDARAM DE QUE "A ABUSIVIDADE DESTES, TODAVIA, SÓ PODE SER DECLARADA, CASO A CASO, À VISTA DE TAXA QUE COMPROVADAMENTE DISCREPE, DE MODO SUBSTANCIAL, DA MÉDIA DO MERCADO NA PRAÇA DO EMPRÉSTIMO" (STJ, RESP TRATA-SE DE APELAÇÃO CÍVEL INTERPOSTA EM FACE DE SENTENÇA /RS, MIN. ARI PARGENDLER). DEFINITIVA QUE JULGOU IMPROCEDENTES EMBARGOS DE DEVEDOR, ESTA ASSERTIVA DECORRE DA CONCLUSÃO, IRREPREENSÍVEL, DE QUE EM VIRTUDE DA CONSTATAÇÃO DE QUE OS APELANTES NÃO OS APELANTES, EM NENHUM MOMENTO, LOGRARAM COMPROVAR OU COMPROVARAM A EXISTÊNCIA DE VÍCIOS EM CONTRATO BANCÁRIO, MESMO APONTAR DE MODO CLARO A ABUSIVIDADE RELATADA NA QUE GEROU O INSTRUMENTO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDA QUEINICIAL, CONTRARIANDO FRONTALMENTE A JURISPRUDÊNCIA DO STJ, LASTREIA A EXECUÇÃO. PELA QUAL "ERA INDISPENSÁVEL QUE A PARTE AUTORA, QUE EM SEU APELO, OS RECORRENTES REITERAM INTEGRALMENTE ASALEGOU A EXISTÊNCIA DE CAPITALIZAÇÃO DE JUROS, FIZESSE A RAZÕES INVOCADAS NA INSTÂNCIA MONOCRÁTICA, O QUE DEVIDA PROVA DE SUA EFETIVA OCORRÊNCIA" (STJ, RESP /MG, DEMONSTRA OS SINGELOS CONTORNOS DA DEMANDA E, POR ISSO MIN. CASTRO FILHO). MESMO, AUTORIZA DECISÃO MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃONÃO HAVENDO DEMONSTRAÇÃO CLARA E UNÍVOCA DA DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO ABUSIVIDADE DE CLÁUSULAS DE CONTRATO BANCÁRIO, SOB ART. 557 CPC. QUALQUER DE SEUS ENFOQUES, NÃO HÁ COMO POSSA SER COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHARTRECONHECIDA SUA NULIDADE, ESPECIALMENTE EM RAZÃO DA PARTE SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESESAUTORA HAVER, DE MODO EXPRESSO, DISPENSADO A PRODUÇÃO DE DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOROUTRAS PROVAS (FLS. 118). NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. IN CASU, A DESÍDIA DOS APELANTES FRENTE SEUS ÔNUS NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUEPROBATÓRIOS (ART. 333, INCISO I, DO CPC) SE MOSTRA AINDA MAIS O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DERELEVANTE, EM VIRTUDE DA ALEGAÇÃO DE NULIDADE DE CLÁUSULA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COMHAVER SIDO FORMULADA MEDIANTE EMBARGOS DE DEVEDOR, JÁ A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO QUE A JURISPRUDÊNCIA AFIANÇA QUE "INSTRUÍDA A EXECUÇÃO COM SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE TÍTULO FORMALMENTE EM ORDEM, É DO DEVEDOR O ÔNUS DE O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO ELIDIR A PRESUNÇÃO DE LIQUIDEZ E CERTEZA" (STJ, RESP /SP, LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OUMIN. BARROS MONTEIRO). COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL ESTES ARGUMENTOS DEMONSTRAM O QUÃO ACERTADA É A SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUESENTENÇA OBJURGADA, TENDO EM VISTA QUE OS APELANTES NÃO MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA APONTARAM, NEM DE MODO INDICIÁRIO, PARA ELEMENTOS HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITOCOMPROBATÓRIOS DE SUA ALEGAÇÃO DE ABUSIVIDADE, ALÉM DE REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, HAVEREM, EXPRESSAMENTE, DISPENSADO A PRODUÇÃO DE OUTRAS PROVAS, DESCURANDO DOS ÔNUS DE PROVA LHE IMPOSTOS PELO NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO AORDENAMENTO. NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS PATENTE, PORTANTO, A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO, HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, MEDIANTERAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE NEGO INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: SEGUIMENTO. PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM. (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO VITÓRIA, 20 DE JULHO DE MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU DES. ARNALDO SANTOS SOUZA EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA RELATOR DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU 7 APELAÇÃO CÍVEL Nº APTE.: MARK GULLIVER DO BRASIL EXP. E IMP. LTDA ADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL APTE.: IRINEU MENDES DE VASCONCELOS ADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL APTE.: AMERICAN NUT S DO BRASIL LTDA ADVOGADO: ANA PAULA PEREIRA MACIEL APDO.: BANCO SUDAMERIS BRASIL S A EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA ADVOGADO: ANTONIO NACIF NICOLAU DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNALADVOGADO: ARNALDO ARRUDA DA SILVEIRA FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, PORADVOGADA: SIMONE HENRIQUES PARREIRA DE CARVALHO DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO ADVOGADO: VALESCA CARNEIRO CASTRO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL CONSTATAÇÃO, SENÃO VEJAMOS: APELAÇÃO CÍVEL Nº APELANTES: IRINEU MENDES DE VASCONCELOS E OUTROS APELADO: BANCO SUDAMERIS DO BRASIL S/A RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA

12 14 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO CUIDA-SE DE APELAÇÃO INTERPOSTA EM FACE DE SENTENÇA DE PRIMEIRA PLANA, É FÁCIL CONSTATAR QUE OS RECORRENTES DEFINITIVA QUE JULGOU IMPROCEDENTE AÇÃO DE PRESTAÇÃO DEMANEJAM A PRESTAÇÃO DE CONTAS EM APREÇO COMO SUCEDÂNEO CONTAS, AJUIZADA PERANTE INSTITUIÇÃO FINANCEIRA POR DE DEMANDA ANULATÓRIA DE CLÁUSULA CONTRATUAL, CORRENTISTA. ESPECIALMENTE PORQUE ELES PRÓPRIOS ASSEVERAM "QUE OS A SENTENÇA EM COMENTO SE FUNDA NA CONCLUSÃO DE QUE "OSVALORES COBRADOS NO CONTRATO SÃO POR DEMAIS ELEVADOS, E AUTORES NÃO SUSCITARAM QUALQUER DÚVIDA IN CONCRETO EMAO TENTAR NEGOCIAR ESTES VALORES COM A AGÊNCIA DA RELAÇÃO AOS CRITÉRIOS APLICADOS NA EVOLUÇÃO DA DÍVIDA, LIMITANDO-SE, DE FORMA GENÉRICA, A AFIRMAR, V.G., QUE ESTÃO SENDO COBRADOS JUROS ILEGAIS E CAPITALIZADOS" (FLS. 68). APELADA, HOUVE DESGASTE PESSOAL ENTRE AS PARTES. DAÍ A NECESSIDADE DE PROVIMENTO JURISDICIONAL PARA QUE SE FAÇA VALER O DIREITO DO APELANTE" (FLS. 176). OS RECORRENTES SUSTENTAM SEU APELO SOB O PÁLIO DE QUE FOINESTE SENTIDO, A PRETENSÃO DO RECORRENTE CONFIGURA-SE MALVERSADO O DEVIDO PROCESSO LEGAL E DE QUE "O APELANTEMANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, JÁ QUE NÃO HÁ SEQUER ENTENDE QUE OS VALORES COBRADOS NO CONTRATO SÃO PORALEGAÇÃO DE QUE TENHA O APELADO DESCURADO DE SEU DEMAIS ELEVADOS, E AO TENTAR NEGOCIAR ESTES VALORES COM AENCARGO DE PRESTAR CONTAS, A DESPEITO DOS DEPOSITANTES AGÊNCIA DA APELADA, HOUVE DESGASTE PESSOAL ENTRE AS DISCORDAREM DOS VALORES DEBITADOS DE SUAS CONTAS PARTES. DAÍ A NECESSIDADE DE PROVIMENTO JURISDICIONAL PARA BANCÁRIAS. QUE SE FAÇA VALER O DIREITO DO APELANTE" (FLS. 176). VÊ-SE, COM ISSO, OS SINGELOS CONTORNOS DA DEMANDA, QUE COM EFEITO, A JURISPRUDÊNCIA DO STJ É MONÓTONA AO PROCLAMAR QUE "O CORRENTISTA DE INSTITUIÇÃO FINANCEIRA QUE AUTORIZAM A APRECIAÇÃO DO RECURSO MEDIANTE DECISÃO DISCORDE DOS LANÇAMENTOS CONSTANTES DE SEUS EXTRATOS MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA BANCÁRIOS, POSSUI INTERESSE PROCESSUAL PARA A AÇÃO DE IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. PRESTAÇÃO DE CONTAS" (AGRG NO AG /MA, MIN. JORGE COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHARTSCARTEZZINI). SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESESPORTANTO, É IMPRESCINDÍVEL AO ACOLHIMENTO DO PEDIDO DE DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATORPRESTAÇÃO DE CONTAS QUE O REQUERENTE DEMONSTRE, INDIQUE, NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. DE MODO UNÍVOCO, QUAL SUA DISCORDÂNCIA RELATIVAMENTE AOS NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUELANÇAMENTOS FEITOS EM SUA CONTA-BANCÁRIA. O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DENÃO FOI, TODAVIA, O QUE FIZERAM OS RECORRENTES, QUE MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COMDIGNARAM-SE, TÃO SOMENTE, A REPUDIAR OS DITOS LANÇAMENTOS A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO E A, DE MODO GENÉRICO E ABSTRATO, PRETENDER A SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE APRESENTAÇÃO EM JUÍZO DE TODOS OS EXTRATOS DA CONTA, DE O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO TODOS OS DOCUMENTOS DE JUSTIFICAÇÃO DOS LANÇAMENTOS E DE LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OUTODAS AS TRANSFERÊNCIAS REALIZADAS, ALÉM DA INDICAÇÃO DAS COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL TAXAS, ENCARGOS, TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES INCIDENTES. SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUETAL CONDUTA OBSTA, POR COMPLETO, A ACOLHIDA DE SEU MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA INTENTO RECURSAL, EM VIRTUDE DE QUE O PEDIDO DE PRESTAÇÃO HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITODE CONTAS, NA ESPÉCIE, SÓ É CABÍVEL "EM HAVENDO DÚVIDA REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, SOBRE OS CRITÉRIOS ADOTADOS" (STJ, RESP /RS, MIN. ALDIR PASSARINHO JÚNIOR). NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO AORA, POR NÃO HAVER O APELANTE DEMONSTRADO OU AO MENOS NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS APONTADO COM CLAREZA QUAIS OS PONTOS DE DÚVIDA, DE HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, MEDIANTERECLAMAÇÃO, RELATIVAMENTE AOS VALORES LANÇADOS EM CONTA INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: BANCÁRIA, DIGNANDO-SE APENAS A RECLAMAR, PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE PEREMPTORIAMENTE, DO TOTAL DO SALDO DEVEDOR, AFIGURA-SE RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. FLAGRANTE A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO. (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DE ORIGEM. DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNALVITÓRIA, 20 DE JULHO DE FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). DES. ARNALDO SANTOS SOUZA 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS RELATOR TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO 8 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO AP CÍVEL Nº NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE EMGTE.: GF GRANITOS E MARMORES LTDA MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS ADVOGADO: ANDRE FABIANO B LIMA O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO ADVOGADO: EDUARDO T PEREIRA MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU ADVOGADO: JAQUES MARQUES PEREIRA EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA EMGDO.: EQUIFAX DO BRASIL LTDA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNALADVOGADO: GILBERTO DE AGUIAR CARVALHO FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, PORADVOGADO: MARIO ROBERTO MOREAS DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO ADVOGADO: VASCO VIVARELLI PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL CONSTATAÇÃO, SENÃO VEJAMOS: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NA APELAÇÃO Nº EMBARGANTE: GF GRANITOS E MÁRMORES LTDA. EMBARGADO: EQUIFAX DO BRASIL LTDA. RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA

13 15 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO CUIDAM OS PRESENTES DE EMBARGOS DECLARATÓRIOS OPOSTOSADVOGADA: ADRIANA MENEZES PESSOTTI PERANTE DECISÃO MONOCRÁTICA DE MINHA LAVRA QUE NEGOUADVOGADO: KARLA CABRAL BATISTA SEGUIMENTO, POR MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, A RECURSO DE ADVOGADO: KATIA LEAO BORGES DE ALMEIDA APELAÇÃO INTERPOSTO PELO EMBARGANTE, NA FORMA DO ART. 557, ADVOGADA: MICHELA COSTA RODRIGUES DO CPC. * APELAÇÃO VOLUNTÁRIA Nº ASSEVERA A RECORRENTE QUE "... NÃO FOI APRECIADA NA R. APTE.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECISÃO QUE O DOCUMENTO EMITIDO PELA EMPRESA EMBARGADAAPDO.: TRANSPORTADORA FIOROT LTDA É POR DEMAIS DÚBIO E LACUNOSO, NÃO DEMONSTRANDO QUAL RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA CLASSE DE RISCO PERTENCE A AUTORA, SENDO QU NEM MESMO NAAPELAÇÃO CÍVEL E REMESSA NECESSÁRIA Nº CONTESTAÇÃO A EMBARGADA CHEGOU A DEMONSTRAR DE QUEAPELANTE: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FORMA CHEGOU A TAL CÁLCULO MÉDIO" (FLS. 135). APELADO: TRANSPORTADORA FIOROT LTDA. TENHO QUE TAMBÉM ESTE RECURSO DESAFIA DECISÃO REMETENTE: JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE MIMOSO DO SUL/ES MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA PARTES: TRANSPORTADORA FIOROT LTDA. E ESTADO DO ESPÍRITO IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO JÁ CITADO ART. 557 CPC. SANTO RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, REITERADAMENTE, DECISÃO MONOCRÁTICA AUTORIZANDO O JULGAMENTO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO PORCUIDA-SE DE REMESSA OBRIGATÓRIA E APELAÇÃO CÍVEL INTERPOSTA DECISÃO MONOCRÁTICA DO RELATOR: PROCESSUAL CIVIL -PERANTE SENTENÇA CONCESSIVA DE SEGURANÇA, QUE REPUTOU EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - APLICAÇÃO DO ARTIGO 557 DO CPC - ILEGAL A APREENSÃO DE MERCADORIAS DECORRENTE DE CABIMENTO. TRANSPORTE DESAMPARADO EM NOTA FISCAL IDÔNEA. TRATANDO-SE DE RECURSO INTEMPESTIVO, INCABÍVEL, DESERTO OUSUSTENTA O RECORRENTE, EM APERTADA SÍNTESE, A INEXISTÊNCIA CONTRÁRIO A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE, INEXISTE OFENSA AO DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER RESGUARDADO, ANTE A DISPOSTO NO ARTIGO 557 DO CPC QUANDO O RELATOR NÃO DETERMINAÇÃO DO ART. 787 DO REGULAMENTO DO ICMS DE QUE SUBMETE OS EMBARGOS DECLARATÓRIOS À APRECIAÇÃO DO ÓRGÃO "AS MERCADORIAS OU OS BENS PODERÃO SER APREENDIDOS (...) SE COLEGIADO, INDEFERINDO MONOCRATICAMENTE O DESACOMPANHADAS DO DOCUMENTO FISCAL EXIGIDO". PROCESSAMENTO DO RECURSO. RECURSO IMPROVIDO. (STJ - RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. GARCIA VIEIRA - J DJU ) A MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA DO TENHO, ASSIM, QUE O RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. RECURSO EM APREÇO DECORRE DO FATO, RECONHECIDO ÀSCOM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHART ESCÂNCARAS NA PETIÇÃO RECURSAL, DE QUE ALMEJA ASÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESES EMBARGANTE, PELA INADEQUADA VIA DOS EMBARGOS DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOR DECLARATÓRIOS, RENOVAR O DEBATE DE MATÉRIA JÁ DECIDIDA. NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. A JURISPRUDÊNCIA DO COLENDO STJ É PEREMPTÓRIA NA NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUE DEMONSTRAÇÃO DO DESCABIMENTO DO MANEJO DE EMBARGOSO RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DE DECLARATÓRIOS PARA ESTE FIM: MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COM "PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. REEXAME DE A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO MATÉRIA JÁ DECIDIDA. OMISSÃO E ERRO MATERIAL. INEXISTÊNCIA. 1. OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NÃO CONSTITUEM MEIO ADEQUADO A PROVOCAR O REEXAME DE MATÉRIA JÁ APRECIADA. SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU 2. INCABÍVEIS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO SE INEXISTE OMISSÃO NO COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL ACÓRDÃO RECORRIDO. SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUE 3. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO REJEITADOS." MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA (STJ - EDAGA /PR - 2ª TURMA - REL. MIN. JOÃO OTÁVIO DE NORONHA - J DJU ) TAIS ARGUMENTOS HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITO REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. DEMONSTRAM, DE MANEIRA GRITANTE, O MANIFESTO PROPÓSITO 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, PROTELATÓRIO DA EMBARGANTE, ENVIDANDO TODOS OS ESFORÇOSNO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO A NO PROLONGAMENTO INJUSTIFICADO DO PROCESSO, O QUE NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS REPERCUTE NA SUBSUNÇÃO DO PRESENTE À HIPÓTESE DO ART. 538, HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, PARÁGRAFO ÚNICO, CPC. MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PATENTE A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO, RAZÃO PELA PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557, DO CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO, RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A CONDENANDO A EMBARGANTE AO PAGAMENTO DE MULTA NO SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. PERCENTUAL DE 1% (UM POR CENTO) SOBRE O VALOR DA CAUSA (...) DEVIDAMENTE CORRIGIDO, ACRESCIDA DE JUROS ATÉ O EFETIVO PAGAMENTO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM. VITÓRIA, 15 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO 9 REMESSA EX-OFFICIO Nº REMTE.: JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE MIMOSO DO SUL PARTE: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: JOSÉ RICARDO DE ABREU JUDICE PARTE: TRANSPORTADORA FIOROT LTDA MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR

14 16 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO VIGÊNCIA DA EC N.º 20/98, CONCEDEU A SEGURANÇA PRETENDIDA PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA PELO APELADO. CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA O MUNICÍPIO DA SERRA FUNDA SEU RECURSO, INICIALMENTE, EM PRELIMINARES DE DECADÊNCIA E DE ILEGITIMIDADE AD CAUSAM, ALÉM DE, EM RELAÇÃO AO MÉRITO, REPUTAR EQUIVOCADA A SENTENÇA PROFERIDA. GRITANTE DO APELO DECORRE DA EXPRESSA PREVISÃO DA SÚMULA N.º 323 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, SEGUNDO A QUAL "É INADMISSÍVEL A APREENSÃO DE MERCADORIAS COMO MEIO COERCITIVO PARA PAGAMENTO DE TRIBUTOS". NA ÓRBITA DO COLENDO STJ, A QUESTÃO TAMBÉM É MONÓTONA JÁ QUE OS JULGADOS CIENTIFICAM QUE "CONSOANTE JURISPRUDÊNCIA PACÍFICA DESTA CORTE, INADMISSÍVEL A APREENSÃO DE MERCADORIA COM O FITO DE COAGIR O PAGAMENTO DE TRIBUTO PELO CONTRIBUINTE" (RESP /MG, MIN. PEÇANHA MARTINS). NO MESMO SENTIDO, INVOCO AINDA OS SEGUINTES ACÓRDÃOS: RESP /PR, MIN. LUIZ FUX; E AGRG NO RESP /CE, MIN. FRANCISCO FALCÃO. NEM MESMO A PREVISÃO DO REGULAMENTO DO ICMS SOCORRE A TESE DO APELANTE, EM VIRTUDE DE SUA PATENTE O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DE INCOMPATIBILIDADE COM A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, POR MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COM AUTORIZAR QUE O EXECUTIVO TUTELE E EXIJA, MEDIANTE COERÇÃOA JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO INDIRETA FUNDADA NA APREENSÃO DE MERCADORIAS, O ADIMPLEMENTO DE CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS À REVELIA DO JUDICIÁRIO. VERIFICADA, COM ISSO, A IMPROCEDÊNCIA GRITANTE DO RECURSO EM APREÇO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO. PREJUDICADA A REMESSA. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM. VITÓRIA, 21 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 10 REMESSA EX-OFFICIO Nº REMTE.: JUIZ DE DIREITO V DA FAZ PUB EST MUNICIPAL PARTE: INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERV DO MUNICÍPIO DA SERRA ADVOGADO: TEREZA CRISTINA L PRATTI PARTE: MUNICIPUIO DA SERRA ADVOGADO: MARIA JOSE ALVE VASCONCELOS PARTE: JOSE LEMOS SOBRINHO ADVOGADO: JORGE CHARLES OLIVEIRA DA SILVA ADVOGADO: MIGUEL ANGELO C NACIF * APELAÇÃO VOLUNTÁRIA Nº APTE.: INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERV DO MUNICÍPIO DA SERRA APDO.: JOSE LEMOS SOBRINHO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA REMESSA NECESSÁRIA E APELAÇÃO CÍVEL Nº REMETENTE: JUÍZO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL E ESTADUAL DA SERRA/ES PARTES: JOSÉ LEMOS SOBRINHO, MUNICÍPIO DA SERRA/ES E INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DA SERRA/ES APELANTES: MUNICÍPIO DA SERRA/ES E INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DA SERRA/ES APELADO: JOSÉ LEMOS SOBRINHO RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA JÁ O IPS - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DA SERRA INVOCA, ALÉM DAQUELAS MESMAS QUESTÕES, PRELIMINARES DE NULIDADE DA SENTENÇA POR AUSÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO E DE CARÊNCIA DE AÇÃO, DECORRENTE DA INEXISTÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER AMPARADO. TENHO, ASSIM, QUE OS RECURSOS DESAFIAM DECISÃO MONOCRÁTICA DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557 CPC. COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHART SÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESES DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOR NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUE SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUE MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITO REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO A NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO NAS HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. (...) 2. O RELATOR NEGARÁ SEGUIMENTO A RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. (CPC, ART. 557). 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL VERIFICAÇÃO, SENÃO VEJAMOS: NÃO PROSPERA, DE PLANO, A PRELIMINAR DE CARÊNCIA DE AÇÃO POR IMPOSSIBILIDADE DE PROCEDIMENTO (FLS. 181), ALEGADA CUIDA-SE DE REMESSA OBRIGATÓRIA E RECURSOS DE APELAÇÃO, PELO IPS, PELO SIMPLES FATO DE QUE A AVALIAÇÃO DA EXISTÊNCIA INTERPOSTOS EM FACE DE SENTENÇA DEFINITIVA QUE, DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO A SER RESGUARDADO É ATINENTE AO RECONHECENDO A ILEGALIDADE DA COBRANÇA DE CONTRIBUIÇÃO EXAME DE MÉRITO, ISTO É, À MATÉRIA DE FUNDO, E NÃO À PREVIDENCIÁRIA SOBRE PROVENTOS E PENSÕES À ÉPOCA DA PRELIMINAR DE CARÊNCIA DE AÇÃO.

15 17 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO MELHOR SORTE NÃO RESTA À ALEGAÇÃO DE ILEGITIMIDADE ADVERIFICADA, COM ISSO, A IMPROCEDÊNCIA GRITANTE DO RECURSO CAUSAM DO PREFEITO MUNICIPAL, JÁ QUE É ASSENTE A CONCLUSÃO EM APREÇO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 CPC, LHE DE QUE O PÓLO PASSIVO DO MANDADO DE SEGURANÇA É NEGO SEGUIMENTO. OCUPADO PELA PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO, À QUAL SE PREJUDICADA A REMESSA NECESSÁRIA. VINCULA O AGENTE RESPONSÁVEL PELO ATO IMPUGNADO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. NESTE DIAPASÃO, DESCABIDA A ALEGAÇÃO DE ILEGITIMIDADE AD PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA CAUSAM, JÁ QUE O RECLAMADO VÍCIO CONFIGURARIA, QUANDO MUITO, MERA INDICAÇÃO ERRÔNEA DA AUTORIDADE COATORA. DE ORIGEM. VITÓRIA, 13 DE JULHO DE CONTUDO, AINDA ASSIM, NÃO PROSPERA A ALEGAÇÃO FRENTE À DES. ARNALDO SANTOS SOUZA JURISPRUDÊNCIA DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, QUE RELATOR ASSEVERA QUE SENDO O SR. PREFEITO MUNICIPAL A AUTORIDADE QUE EXERCE O CONTROLE FINALÍSTICO SOBRE O IPS - INSTITUTO DE11 EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CONF COMPETÊNCIA Nº PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DO MUNICÍPIO DA SERRA, INCLUSIVE RESPONSÁVEL PELO ATO DE APOSENTAÇÃO DO AGRAVADO E PELOEMGTE.: ESPÓLIO DE JANUARIA FRANCISCA DO ROSARIO REPASSE DOS RECURSOS UTILIZADOS PARA CUSTEAR A AUTARQUIA, É EMGDO.: JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZ PUBL DE VILA VELHA PATENTE A SUA LEGITIMIDADE PARA FIGURAR NO PÓLO PASSIVO DO RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA MANDADO DE SEGURANÇA EM ANÁLISE (TJES, AI , DES. JOSÉ EDUARDO GRANDI RIBEIRO). POR OUTRA BANDA, NÃO HÁ NULIDADE POR AUSÊNCIA DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº EMBARGANTE: ROSA SARLO DA SILVA FUNDAMENTAÇÃO A SER RECONHECIDA, JÁ QUE A SENTENÇA EMBARGADO: ESPÓLIO DE JANUÁRIA FRANSCISCA DO ROSÁRIO ATACADA É EXPRESSA AO INVOCAR AS RAZÕES DE SEU RELATOR: DES. ARNALDO SANTOS SOUZA CONVENCIMENTO, COLACIONANDO, INCLUSIVE, PRECEDENTES DO DECISÃO MONOCRÁTICA EXCELSO STF. TRATA-SE DE RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO INTERPOSTO AFINAL, NO QUE CONCERNE À ALEGAÇÃO DE DECADÊNCIA, TAMBÉM EM FACE DA DECISÃO DE FLS. 28/29, QUE DECLAROU QUE O JUÍZO NÃO LOGRAM ÊXITO OS APELANTES, JÁ QUE A JURISPRUDÊNCIA DO COMPETENTE PARA APRECIAR A CAUSA É O DA PRIMEIRA VARA CÍVEL COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA É MONÓTONA AO DE VILA VELHA, DEVENDO PARA LÁ SEREM REMETIDOS OS AUTOS DO PROCLAMAR QUE CARACTERIZADA A RELAÇÃO JURÍDICA DE TRATOPROCESSO Nº SUCESSIVO, PELOS DESCONTOS INDEVIDOS NOS PAGAMENTOS EM SUAS RAZÕES RECURSAIS (FLS. 40/42), ALEGA A EMBARGANTE QUE MENSAIS DOS PROVENTOS DO IMPETRANTE. A PARTIR DE CADA ATO "NÃO BUSCA, PRIMEIRAMENTE, ANULAR O NEGÓCIO JURÍDICO ADMINISTRATIVO PRATICADO RENOVA-SE A CONTAGEM DO PRAZO NOTICIADO NO BOJO DOS AUTOS, MAS, EFETIVAMENTE, REQUER O PARA IMPETRAÇÃO DO MANDAMUS (STJ, MS 9.577/DF, MIN. FRANCISCO PEÇANHA). NO MESMO SENTIDO: MS 9.636/DF, MIN. DENISE ARRUDA. CANCELAMENTO E NULIDADE DA ESCRITURA DESCRITA ACIMA, BEM ASSIM O SEU RESPECTIVO REGISTRO", REQUERENDO, A FINAL, O CONHECIMENTO E PROVIMENTO DOS EMBARGOS PARA QUE SEJA FÁCIL CONCLUIR, DESTA BREVE EXPOSIÇÃO, QUE TODAS, SEM REFORMADA A DECISÃO RECORRIDA, DECLARANDO A COMPETÊNCIA EXCEÇÃO, AS PRELIMINARES SUSCITADAS DEVEM SER REJEITADAS. DO JUÍZO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL E MUNICIPAL EM RELAÇÃO AO MERITUM CAUSAE, OS RECURSOS TAMBÉM SÃO DE VILA VELHA, PARA O CONHECIMENTO E JULGAMENTO DA CAUSA MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTES, POR JÁ HAVER O EXCELSOEM QUESTÃO. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL PACIFICADO QUE A PARTIR DA EC N.º 20/98 TORNOU-SE INEXIGÍVEL A INCIDÊNCIA DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA NOS PROVENTOS DOS SERVIDORES INATIVOS (STF, RÉ /AGR/RS, MIN. CARLOS VELLOSO). COM IDÊNTICO ENTENDIMENTO, COLHEM-SE OS SEGUINTES ARESTOS: RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS, RÉ /AGR/RS E RÉ /AGR/RS, TODOS DE RELATORIA DO EMINENTE MINISTRO CARLOS VELLOSO. TAMBÉM NESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA A ACOLHIDA DA EM QUE PESE OS ARGUMENTOS DA RECORRENTE, NÃO LHE ASSISTE RAZÃO. ORA, AFERE-SE DA INICIAL DA "AÇÃO DE ANULAÇÃO DE ESCRITURA E REGISTRO" QUE O ILÍCITO CIVIL DITO PERPETRADO DECORRE DE PROVÁVEL SIMULAÇÃO DE NEGÓCIO DE COMPRA E VENDA DE PROPRIEDADE IMÓVEL, ONDE DISCORRE QUE: "ABERTO O INVENTÁRIO POR SUCESSÃO DE JANUÁRIA FRANCISCA DO ROSÁRIO, GERTRUDES MARIA DA PENHA E FRANCISCA MARIA DA VITÓRIA, A INVENTARIANTE TOMOU CONHECIMENTO QUE PARTE DO TERRENO FORA FRAUDULENTAMENTE TRANSFERIDO AOS SUPLICADOS TESE DO APELADO É MONÓTONA, COMO SE INFERE DE ACÓRDÃOBERALDO MADEIRA DA SILVA E ROSA SARLO DA SILVA, EX-OFICIAIS QUE CONSIGNA: A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15/12/98, QUE MODIFICOU A REDAÇÃO DO ART. 195 DA CARTA MAGNA, NÃO DO REGISTRO GERAL DE IMÓVEIS DE VILA VELHA, CONFORME FAZ PROVA COM O DOC. JUNTO, 2º TRANSLADO DA ESCRITURA PÚBLICA RECEPCIONOU A LEGISLAÇÃO QUE PREVIA A COBRANÇA DE DE COMPRA E VENDA, LAVRADA NO LIVRO 10 ÀS FLS. 145/146/V, EM CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS SERVIDORES INATIVOS, DATA DE , CARTÓRIO DE NEUZA CYPRESTE DE AZEVEDO, RESTRINGINDO O REGIME DE CARÁTER CONTRIBUTIVO AOSBARRA DO JUCU; ESTES, USEIROS E VESEIROS NA PRÁTICA DE ATO SERVIDORES NO EXERCÍCIO DE CARGOS EFETIVOS (TJES, REMESSAILÍCITO, E CUJO REGISTRO TOMOU O Nº DE ORDEM, DO LIVRO , DES. ARNALDO SANTOS SOUZA). 3-AD EM DATA DE 30/12/1970 DO CARTÓRIO DO REGISTRO GERAL DE NO MESMO SENTIDO, APURA-SE, POR EXEMPLO, O ACÓRDÃO IMÓVEIS DE VILA VELHA, OCORRENDO NESTE ÚLTIMO REGISTRO A PROFERIDO NA REMESSA N.º , DE RELATORIA DO EMINENTE DES. SUBST. FERNANDO ESTEVAM BRAVIN RUY. DECLARAÇÃO DE ALIENAÇÃO DE 7,5 ALQUEIRES QUE PERTENCEM A MANOEL OLIVEIRA DA BOA MORTE." CONSIGNO, PARA QUE NÃO PAIRE QUALQUER DÚVIDA, QUE ODO FATO ORA NARRADO, AFERE-SE QUE PARA QUE SEJA ANULADA A COMANDO JURISDICIONAL EXARADO NÃO ALCANÇA SITUAÇÕES ESCRITURA PÚBLICA EM COMENTO, SE FOR O CASO, PRIMEIRAMENTE JURÍDICAS REGIDAS PELA NOVEL EC N.º 41/2004, JÁ QUE ATINENTE A DEVERÁ SER ANULADO O ATO QUE DEU CAUSA À REFERIDA SITUAÇÃO LITIGIOSA CUNHADA SOB OUTRO CONTEXTO ESCRITURA, QUAL SEJA A DITA FRAUDULENTA TRANSFERÊNCIA DE LEGISLATIVO. PROPRIEDADE EFETIVADA PELA ESCRITURA PÚBLICA DE COMPRA E É, PORTANTO, FLAGRANTEMENTE IMPROCEDENTE O RECURSO, VENDA, LAVRADA NO LIVRO 10 ÀS FLS. 145/146/V, EM DATA DE TANTO SOB O ENFOQUE DAS QUESTÕES PRELIMINARES, QUANTO NO , CARTÓRIO DE NEUZA CYPRESTE DE AZEVEDO, BARRA DO QUE TANGE ÀS RAZÕES DE FUNDO. JUCU;.... OU SEJA, A CONSTATAÇÃO DA TESE DE EXISTÊNCIA OU NÃO DE VÍCIO DO CONSENTIMENTO DA VONTADE NO NEGÓCIO JURÍDICO

16 18 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO DE COMPRA E VENDA QUE GEROU A LAVRATURA DA REFERIDA ADVOGADO: RENATO DEL SILVA AUGUSTO ESCRITURA É QUE DEVERÁ SER IMEDIATAMENTE ANALISADA. OUAGVDO.: PAULO LUIZ FERREIRA SEJA, É QUESTÃO DE NATUREZA PURAMENTE CIVIL. RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA POR SEU TURNO, DISPÕE O INCISO I, DO ART. 59, DO CÓDIGO DE AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA DESTE ESTADO, VERBIS: ART COMPETE, AINDA AOS JUÍZES DE DIREITO, ESPECIALMENTE AGVTES:B.G.F. (MENOR IMPÚBERE) E OUTRA EM MATÉRIA DE REGISTRO PÚBLICO: I - PROCESSAR E JULGAR: AGVDO:PAULO LUIZ FERREIRA RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA A) AS CAUSAS QUE DIRETAMENTE SE REFIRAM AOS REGISTROS DECISÃO MONOCRÁTICA PÚBLICOS; (GRIFEI) PELO EXPOSTO, VERIFICA-SE QUE A ANULAÇÃO CUIDA A HIPÓTESE DE AGRAVO REGIMENTAL INTERPOSTO CONTRA DO NEGÓCIO JURÍDICO EM QUESTÃO NÃO SE TRATA DE MATÉRIA DECISÃO DE MINHA RELATORIA (FLS. 30 DOS AUTOS EM APENSO), QUE SE REFIRA DIRETAMENTE A REGISTRO PÚBLICO, AO CONTRÁRIO, NA QUAL NEGUEI SEGUIMENTO AO RECURSO DE AGRAVO DE É MATÉRIA REGIDA PELO CÓDIGO CIVIL PÁTRIO, A SER DIRIMIDA PELO JUÍZO CÍVEL COMPETENTE (ALÍNEA A, DO INC. I, DO ART. 58, DA LEI COMPLEMENTAR Nº 234/2002). A ANULAÇÃO DA ESCRITURA PÚBLICA SERÁ MERA CONSEQÜÊNCIA DO DESLINDE DA QUESTÃO CENTRAL, ANULAÇÃO DO NEGÓCIO JURÍDICO DE COMPRA E VENDA, DE FORMA QUE A COMPETÊNCIA, NA HIPÓTESE, É DA 1ª VARA CÍVEL DE VILA VELHA, DEVENDO PARA LÁ SEREM REMETIDOS OS AUTOS DA CAUSA EM COMENTO. NO MAIS, PELA SIMPLES LEITURA DAS RAZÕES RECURSAIS, VERIFICA-SE A CLARA PRETENSÃO DA PARTE EM REDISCUTIR A MATÉRIA JÁ DECIDIDA POR ESTE RELATOR. OS EMBARGOS DECLARATÓRIOS, NOS TERMOS DO ARTIGO 535, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, SOMENTE SÃO ADMISSÍVEIS PARA SANAR OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE EXISTENTE NO ACÓRDÃO, NÃO SE PRESTANDO A QUE A PARTE, POR VIA DISSIMULADA, TENTE OBTER NOVO JULGAMENTO, COM REDISCUSSÃO DA MATÉRIA JÁ JULGADA. CONFORME ORIENTAÇÃO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, A REDISCUSSÃO DA CAUSA É VEDADA EM NOSSO ORDENAMENTO JURÍDICO. VEJAMOS: "PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. OMISSÃO NÃO CONFIGURADA. I. O OBJETIVO DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO É SUPRIR OMISSÃO VERIFICADA NO ACÓRDÃO E NÃO A REDISCUSSÃO DE TEMA JÁ ABORDADO E RESOLVIDO PELO ARESTO, EIS QUE NESSE CASO GUARDA PROPÓSITOPRECEITUA O ART. 201, DO REGIMENTO INTERNO DESTE EGRÉGIO INFRINGENTE, INCOMPORTÁVEL COM O ART. 535, II, DO CPC. II. EMBARGOS REJEITADOS." (STJ - ACÓRDÃO: EDRESP /SP - DECISÃO: 17/12/ SEGUNDA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. ANTE TAIS CIRCUNSTÂNCIA, COM FULCRO NO ART. 557, CAPUT, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, NEGO SEGUIMENTO AO AGRAVO TURMA - RELATOR: MINISTRO ALDIR PASSARINHO JR.) DIANTE DESSES REGIMENTAL, EM FACE DE SUA INTEMPESTIVIDADE. FATOS, TENHO PELA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA DESTES INTIMEM-SE. EMBARGOS, RAZÃO PELA QUAL LHES NEGO SEGUIMENTO (ART. 557, VITÓRIA, 19 DE JULHO DE CAPUT, DO CPC). DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA AINDA, TENDO EM VISTA O CARÁTER EMINENTEMENTE RELATOR PROTELATÓRIO DOS PRESENTES, COM FULCRO NO PARÁGRAFO ÚNICO, DO ART. 538, DO CPC, CONDENO A EMBARGANTE A PAGAR AO EMBARGADO, MULTA NO VALOR DE 1% DO VALOR DADO À CAUSA, DEVIDAMENTE CORRIGIDO, FICANDO CONDICIONADA A INTERPOSIÇÃO DE QUALQUER OUTRO RECURSO AO DEPÓSITO DO RESPECTIVO MONTANTE. DÊ-SE CIÊNCIA DESTA AOS JUÍZOS SUSCITANTE E SUSCITADO. INTIMEM-SE AS PARTES INTERESSADAS DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, ARQUIVE-SE. POR FIM, RETIFIQUE-SE NA AUTUAÇÃO E NO REGISTRO O NOME CORRETO DA EMBARGANTE (ROSA SARLO DA SILVA) E DO EMBARGADO (ESPÓLIO DE JANUÁRIA FRANSCISCA DO ROSÁRIO). VITÓRIA, 25 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 12 AGRAVO REGIMENTAL AGV INSTRUMENTO Nº AGVTE.: PATRICIA AMARAL GOMES ADVOGADO: LUCIANA ROCHA NASCIMENTO ADVOGADO: RENATO DEL SILVA AUGUSTO AGVTE.: B G F (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO: LUCIANA ROCHA NASCIMENTO INSTRUMENTO INTERPOSTO PELOS AGRAVANTES. COMPULSANDO OS AUTOS VERIFICO QUE OS AGRAVANTES, TENDO SIDO INTIMADOS DA DECISÃO OBJURGADA EM 16 DE JUNHO DE 2005 (FLS. 32 DOS AUTOS EM APENSO), PETICIONARAM, NA MESMA DATA, POSTULANDO A RECONSIDERAÇÃO DO DECISUM. O PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO FOI INDEFERIDO ÀS FLS. 36 DOS AUTOS EM APENSO, TENDO OS RECORRENTES SIDO INTIMADOS DESSA DECISÃO EM 05 DE JULHO DE 2005 (FLS. 37 DOS AUTOS EM APENSO). EM 08 DE JULHO DO ANO CORRENTE, OS RECORRENTES INTERPUSERAM O PRESENTE AGRAVO REGIMENTAL, COM INTUITO DE ATACAR O PRONUNCIAMENTO JUDICIAL DE FLS. 30 DOS AUTOS EM APENSO, QUE NEGOU SEGUIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO, TENDO EM VISTA A SUA INTEMPESTIVIDADE. ENTRETANTO, COMO DITO ACIMA, OS RECORRENTES FORAM INTIMADOS DA DECISÃO QUE NEGOU SEGUIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO EM 16 DE JUNHO DE 2005, SENDO QUE O AGRAVO REGIMENTAL INTERPOSTO SOMENTE NO DIA 05 DE JULHO DE 2005 É PATENTEMENTE INTEMPESTIVO. 1RESSALTO, POR OPORTUNO, QUE O PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO DE FLS. 34 DOS AUTOS EM APENSO NÃO SUSPENDE O PRAZO DO AGRAVO REGIMENTAL, QUE É DE 05 (CINCO) DIAS, CONFORME 13 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: POSTO LIFE LTDA. ADVOGADO: DORIO COSTA PIMENTEL AGVDO.: ESPÓLIO DE LUIZ ODILON NOGUEIRA ALVES ADVOGADO: HELTON FRANCIS MARETTO ADVOGADO: HIOLANDA RODRIGUES VIEIRA ADVOGADO: JOADIR VIEIRA AGVDO.: NEUZA MARIA NOGUEIRA ALVES ADVOGADO: HELTON FRANCIS MARETTO ADVOGADO: HIOLANDA RODRIGUES VIEIRA ADVOGADO: JOADIR VIEIRA RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA AGRAVO DE INSTRUMENTO N AGRAVANTE: POSTO LIFE LTDA. AGRAVADA: NEUZA MARIA NOGUEIRA ALVES E ESPÓLIO DE LUIZ ODILON NOGUEIRA ALVES RELATOR: DES. ARNALDO SANTOS SOUZA DECISÃO MONOCRÁTICA TRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO EM FACE DA DECISÃO DE FLS. 12/13, QUE, COM BASE NA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004, DETERMINOU A REMESSA DOS AUTOS

17 19 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO DE AÇÃO DE INDENIZAÇÃO, DECORRENTE DE ACIDENTE DEAGRAVANTE: ÂNGELA VIEIRA TRABALHO, À JUSTIÇA TRABALHISTA. AGRAVADO: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NAS RAZÕES RECURSAIS, ALEGA O AGRAVANTE QUE DEVE SER RELATOR: DESEMBARGADOR ARNALDO SANTOS SOUZA MANTIDA A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA COMUM PARA A AÇÃO EM DECISÃO MONOCRÁTICA COMENTO, SOB O ARGUMENTO DE QUE NÃO SE TRATA DE AÇÃOTRATA-SE DE AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO PERANTE QUE TEM COMO OBJETIVO EXCLUSIVO A INDENIZAÇÃO POR DANOSINTERLOCUTÓRIA QUE, NO CURSO DE EXECUÇÃO FISCAL, RECHAÇOU MORAIS E PATRIMONIAIS, JÁ QUE A AGRAVADA TAMBÉM PLEITEOU OBJEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE, FUNDADA EM ALEGAÇÃO DE PENSÃO PARA O ESPÓLIO E LUCROS CESSANTES. A FINAL, REQUERILEGITIMIDADE AD CAUSAM, OPOSTA POR SÓCIO DA PESSOA LIMINARMENTE A CONCESSÃO DE EFEITO SUSPENSIVO E, POR FIM, O JURÍDICA EXECUTADA. PROVIMENTO DO RECURSO, DECLARANDO A COMPETÊNCIA DO OS ARGUMENTOS DA RECORRENTE GRAVITAM, EM ESSÊNCIA, NO JUÍZO DE PISO PARA PROCESSAR E JULGAR A AÇÃO INDENIZATÓRIA ENTORNO DA ASSERTIVA DE QUE O MERO INADIMPLEMENTO EM QUESTÃO. TRIBUTÁRIO PELA PESSOA JURÍDICA NÃO REDUNDA NA TENHO QUE ESTE RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA DO RESPONSABILIZAÇÃO PESSOAL DOS SÓCIOS. RELATOR COM BASE NO ART. 557, DO CPC, TENDO EM VISTA O TENHO, ASSIM, QUE O RECURSO DESAFIA DECISÃO MONOCRÁTICA MANIFESTO CONFRONTO DO MESMO COM A JURISPRUDÊNCIA DO DO RELATOR, EM RAZÃO DE SUA MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NA EXCELSO SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL. FORMA PRECONIZADA PELO ART. 557, COMBINADO COM O ART. 527, POIS BEM. EM RECENTE JULGAMENTO, O PLENÁRIO DO SUPREMO INCISO I, AMBOS DO CPC. TRIBUNAL FEDERAL, AO JULGAR O CONFLITO NEGATIVO DE COM EFEITO, LUIZ GUILHERME MARINONI E SÉRGIO CRUZ ARENHART COMPETÊNCIA Nº CC 7204, POR UNANIMIDADE DECLAROU ASÃO CONTUNDENTES NA DEMONSTRAÇÃO DE QUE, EM HIPÓTESES COMPETÊNCIA MATERIAL DA JUSTIÇA TRABALHISTA PARA JULGAR AS DE IMPROCEDÊNCIA CLARIVIDENTE, É OPORTUNIZADO AO RELATOR DEMANDAS INDENIZATÓRIAS DECORRENTES DE ACIDENTE DE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO. TRABALHO, ASSIM DECIDINDO: "CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 7204 ORIGEM: MG NÃO É POSSÍVEL DEIXAR DE ENXERGAR QUE O ART. 557 AFIRMA QUE O RELATOR PODE NEGAR SEGUIMENTO AO RECURSO EM CASO DE RELATOR: MIN. CARLOS AYRES BRITTOSUSCITANTE: TRIBUNAL MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA E CONFRONTO COM SÚMULA OU COM SUPERIOR DO TRABALHO SUSCITADO: TRIBUNAL DE ALÇADA DO ESTADO DE MINAS GERAIS INTDO. (A/S): VICENTE GIACOMINI PERON A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR. SE É ASSIM, DEVE ADV. (A/S): HÉLCIO DE OLIVEIRA FERNANDES E OUTRO (A/S) INTDO. O INTÉRPRETE DIZER O QUE É MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, NÃO (A/S): BANCO BEMGE S/A ADV. (A/S): JOSÉ MARIA RIEMMA E OUTRO (A/S) DECISÃO: O TRIBUNAL, POR UNANIMIDADE, CONHECEU DO LHE SENDO LÍCITO AFIRMAR QUE CONFRONTO COM A SÚMULA OU COM A JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO TRIBUNAL, DE TRIBUNAL CONFLITO E DEFINIU A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA TRABALHISTA A PARTIR DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004, PARA JULGAMENTO DAS AÇÕES DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E PATRIMONIAIS DECORRENTES DE ACIDENTE DO TRABALHO, VENCIDO, NO CASO, O SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO, NA MEDIDA EM QUE NÃO ESTABELECIA A EDIÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL COMO MARCO TEMPORAL PARA COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA TRABALHISTA. VOTOU A PRESIDENTE. AUSENTE, JUSTIFICADAMENTE, O SENHOR MINISTRO NELSON JOBIM (PRESIDENTE). PRESIDIU O JULGAMENTO A SENHORA MINISTRA ELLEN GRACIE (VICE-PRESIDENTE). PLENÁRIO, " AINDA, HÁ QUE SE CONSIDERAR O ATO NORMATIVO Nº 26/005, DO EXMO. SR. DESEMBARGADOR ADALTO DIAS TRISTÃO, PRESIDENTE DESTE EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, PUBLICADO NO DIÁRIO DA JUSTIÇA DO DIA 8/7/2005, QUE RECOMENDOU AOS MAGISTRADOS QUE FAÇAM A REMESSA À JUSTIÇA DO TRABALHO DOS FEITOS QUE VERSEM SOBRE INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS DECORRENTES DE ACIDENTE DE TRABALHO. ASSIM, VERIFICADA A CONTRARIEDADE ENTRE OS ARGUMENTOS DO RECURSO EM QUESTÃO E JURISPRUDÊNCIA DO COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL, COM ARRIMO NO ART. 557, DO CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM, COM URGÊNCIA. VITÓRIA, 27 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR 14 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº AGVTE.: ANGELA VIEIRA ADVOGADO: EVANDRO SANT ANNA ADVOGADO: GILDO DALTO JUNIOR ADVOGADO: RONE FONTOURA DE SOUZA AGVDO.: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ADVOGADO: GUSTAVO CESAR DE M C HOLLIDAY RELATOR: ARNALDO SANTOS SOUZA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SUPERIOR OU DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, É O MESMO QUE MANIFESTA IMPROCEDÊNCIA, POIS SE REALMENTE DE UMA HIPÓTESE PRETENDESSE TRATAR O LEGISLADOR, NÃO TERIA FEITO REFERÊNCIA A DUAS. (MANUAL DO PROCESSO DE CONHECIMENTO. 3.ED., RT, P. 625) O COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM, NO EXERCÍCIO DE SEU MISTER CONSTITUCIONAL, EXALTANDO A NECESSIDADE DE APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO EM QUESTÃO ÀS HIPÓTESES DE RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE, MEDIANTE INVOCAÇÃO DA MENS LEGIS DO MENCIONADO PRECEITO: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. DECISÃO UNA DE RELATOR. ART. 557 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. INTELIGÊNCIA A SUA APLICAÇÃO. PRECEDENTES. (...) 3. ESSA NOVA SISTEMÁTICA PRETENDEU DESAFOGAR AS PAUTAS DOS TRIBUNAIS, AO OBJETIVO DE QUE SÓ SEJAM ENCAMINHADOS À SESSÃO DE JULGAMENTO AS AÇÕES E OS RECURSOS QUE DE FATO NECESSITEM DE DECISÃO COLEGIADA. OS DEMAIS A GRANDE MAIORIA DOS PROCESSOS NOS TRIBUNAIS DEVEM SER APRECIADOS O QUANTO E MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. DESTARTE, O RECURSO MANIFESTAMENTE INADMISSÍVEL, IMPROCEDENTE, PREJUDICADO OU EM CONFRONTO COM SÚMULA OU COM JURISPRUDÊNCIA DOMINANTE DO RESPECTIVO TRIBUNAL, DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, OU DE TRIBUNAL SUPERIOR DEVEM SER JULGADOS, POR DECISÃO UNA, PELO PRÓPRIO RELATOR, EM HOMENAGEM AOS TÃO PERSEGUIDOS PRINCÍPIOS DA ECONOMIA PROCESSUAL E DA CELERIDADE PROCESSUAL. (...) (STJ - AGRG NO RESP /AL - 1ª TURMA - REL. MIN. JOSÉ DELGADO - J DJU ) A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO EM APREÇO É DE FÁCIL CONSTATAÇÃO. DE PRIMEIRA PLANA, DEVO CONSIGNAR QUE VENHO, HÁ ALGUM TEMPO, ACOMPANHANDO O ENTENDIMENTO JURISPRUDENCIAL DO COLENDO STJ, AO PROCLAMAR QUE "A RESPONSABILIDADE DO SÓCIO NÃO É OBJETIVA. PARA QUE EXSURJA A SUA RESPONSABILIDADE PESSOAL, DISCIPLINADA NO ART. 135 DO CTN É MISTER QUE HAJA COMPROVAÇÃO DE QUE O SÓCIO, AGIU COM EXCESSO DE MANDATO, OU INFRINGIU A LEI, O CONTRATO SOCIAL OU O ESTATUTO (STJ, RESP /PR, MIN. LUIZ FUX).

18 20 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO A QUESTÃO NOS AUTOS, ENTRETANTO, REFERE-SE A HIPÓTESEINTIMO: DIVERSA, JÁ QUE ATINENTE À LEGITIMIDADE AD CAUSAM DE SÓCIO PARA INTEGRAR O PÓLO PASSIVO DE EXECUÇÃO FISCAL, SUSCITADA NO BOJO DE OBJEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. COM EFEITO, APESAR DA RESPONSABILIDADE DO SÓCIO MUNICÍPIO DE VILA VELHA ONDE É EMBARGADO RELATIVAMENTE AO DÉBITO FISCAL DEMANDAR COMPROVAÇÃO DASPOR SEUS ADVS. DRS ES LUIZ HENRIQUE ANTUNES ALOCHIO HIPÓTESES DO ART. 135, DO CTN, POR PARTE DO FISCO, O RECONHECIMENTO DE SUA ILEGITIMIDADE AD CAUSAM (DO SÓCIO), ES ROBERTO JOANILHO MALDONADO ES SILVIO FALCAO SPERANDIO AO MENOS EM OBJEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE, CONDICIONA-SE À ES RODRIGO CAMPANA TRISTÃO COMPROVAÇÃO, PREVIAMENTE CONSTITUÍDA, DO VÍCIO EM ES JOSE DE RIBAMAR LIMA BEZERRA QUESTÃO ES MARIA JOSE DE OLIVEIRA JUSTAMENTE POR ESTE MOTIVO, A JURISPRUDÊNCIA DO SUPERIOR 8954 ES FREDERICO LUIZ SCHAIDER PIMENTEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA VEM DECIDINDO QUE "NÃO SE ADMITE A ES DIENE ALMEIDA LIMA ARGÜIÇÃO DE ILEGITIMIDADE PASSIVA AD CAUSAM POR MEIO DE ES ALEXANDRE MARÇAL PEREIRA EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE QUANDO SUA VERIFICAÇÃO ES FRANCISCO JOSE BOTURAO FERREIRA DEMANDAR EXTENSO REVOLVIMENTO DE PROVAS (AGRG NO RESP ES JOSIANE ALVARENGA ROCHA LUGON Nº /MG, MIN. TEORI ZAVASCKI) ES ELENICE PAVESI TANNURE TAMBÉM O MIN. LUIZ FUX APRECIOU A QUESTÃO, CONSIGNANDO ES MUCIO COUTINHO DE JESUS QUE "A RESPONSABILIDADE DE SÓCIO, POR DÍVIDA FISCAL DA PESSOA JURÍDICA, EM DECORRÊNCIA DA PRÁTICA DE ATO ILÍCITO, DEMANDA DILAÇÃO PROBATÓRIA. A EXCEÇÃO DE PRÉ ES JANDIARA ROSA PASSOS PARA, MANIFESTAR-SE NO PRAZO DE 5 (CINCO) DIAS, SOBRE OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS PELOS APELADOS. EXECUTIVIDADE SE MOSTRA INADEQUADA, QUANDO O INCIDENTE ENVOLVE QUESTÃO QUE NECESSITA DE PRODUÇÃO PROBATÓRIA, 2 - NO PROCESSO Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO COMO REFERENTE À RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DO REM EX OFFICIO SÓCIO-GERENTE DA EMPRESA EXECUTADA (STJ, AGA Nº /RS, MIN. LUIZ FUX). MUNICÍPIO DE VILA VELHA ONDE É EMBARGADO POR SEU ADV. DR ES APOENA R PASSOS NO MESMO SENTIDO, COLHEM-SE INÚMEROS OUTROS JULGADOS: AGRG NO AG /SP, RESP /RS, RESP /PR, RESP /SP E AGRG NO RESP /RJ. NESTE CONTEXTO, A DESPEITO DA RESPONSABILIZAÇÃO DO SÓCIO PELO DÉBITO FISCAL ESTAR CONDICIONADA À COMPROVAÇÃO DAS HIPÓTESES DO ART. 135, DO CTN, A SUSCITAÇÃO DA ILEGITIMIDADE AD CAUSAM DESTE (DO SÓCIO) DEPENDE, A PRIORI, DO MANEJO DE EMBARGOS DE DEVEDOR, EM VIRTUDE DA NECESSIDADE DE INSTRUÇÃO PROBATÓRIA, PROVIDÊNCIA INCOMPATÍVEL COM A OBJEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NÃO HÁ, OUTROSSIM, ERROR IN JUDICANDO QUE POSSA SER IMPUTADO À DECISÃO OBJURGADA QUE, EM SEDE DE OBJEÇÃO DE PRÉ- EXECUTIVIDADE, DESACOLHEU ALEGAÇÃO DE ILEGITIMIDADE DE PARTE, FORMULADA POR SÓCIO DE PESSOA JURÍDICA NO CURSO DE EXECUÇÃO FISCAL. RESTA, PORTANTO, SOBEJAMENTE VERIFICADA A IMPROCEDÊNCIA DO RECURSO, RAZÃO PELA QUAL, COM ARRIMO NO ART. 557 COMBINADO COM O ART. 527, INCISO I, AMBOS DO CPC, LHE NEGO SEGUIMENTO. INTIME-SE DESTA DECISÃO EM SEU INTEIRO TEOR. PRECLUSAS AS VIAS RECURSAIS, REMETAM-SE OS AUTOS À COMARCA DE ORIGEM. VITÓRIA, 25 DE JULHO DE DES. ARNALDO SANTOS SOUZA RELATOR VITÓRIA, 01/08/05 LANUSSY PIMENTEL DE REZENDE SECRETÁRIO DE CÂMARA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL INTIMAÇÕES 1 - NO PROCESSO Nº EMBARGOS DE DECLARAÇÃO REM EX OFFICIO PARA, MANIFESTAR-SE NO PRAZO DE 05 (CINCO) DIAS, ACERCA DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS PELOS APELADOS. 3 - NO PROCESSO Nº AGRAVO DE INSTRUMENTO SAN FRANCISCO DE SÃO GONÇALO COM IND DE PANIFICAÇÃO LTDA. ONDE É AGRAVADA POR SEUS ADVS. DRS ES LUIZ JOSE FINAMORE SIMONI ES BRUNO REIS FINAMORE SIMONI 8752 ES LUIZ OTAVIO PEREIRA GUARÇONI DUARTE ES TIAGO SIMONI NACIF ES WELLINGTON MARIO SANTOS ES THIAGO FONSECA V DE REZENDE PARA CUMPRIR O ART. 527, V, DO CPC. VITÓRIA, 01 DE AGOSTO DE 2005 FERNANDA M. FERREIRA FRASSON DOS ANJOS SECRETÁRIA DE CÂMARA TERCEIRA CÂMARA CÍVEL PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO TRIBUNAL DE JUSTIÇA TERCEIRA CÂMARA CÍVEL PAUTA DE JULGAMENTO DA 27ª SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 09/08/05 TERÇA-FEIRA, QUE TERÁ INÍCIO ÀS 09:00 HORAS, PODENDO, ENTRETANTO, NESSA SESSÃO OU EM SESSÕES SUBSEQUENTES, PROCEDER-SE AO JULGAMENTO DE PROCESSOS ADIADOS OU CONSTANTES DE PAUTAS JÁ PUBLICADAS. 1 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº CARIACICA - VARA FAZ PUB ESTADUAL/REG PÚBLICO/MEIO AMBIENTE CLASSE 1º GRAU U:MANDADO DE SEGURANCA AGVTE.: YARA HANNA COMERCIO E INDUSTRIA LTDA ADVOGADO(A): BRUNO REIS FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): ERIKA CAVERSAN VASCONCELOS ADVOGADO(A): JULIANA ZOUAIN FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): LUIZ F Z F SIMONI

19 21 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO ADVOGADO(A): LUIZ JOSE FINAMORE SIMONI AGVTE.: NEY GERALDO MAGELA FERREIRA LOPES ADVOGADO(A): BRUNO REIS FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): ERIKA CAVERSAN VASCONCELOS ADVOGADO(A): JULIANA ZOUAIN FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): LUIZ F Z F SIMONI ADVOGADO(A): LUIZ JOSE FINAMORE SIMONI AGVTE.: JUSSARA FERREIRA LOPES ADVOGADO(A): BRUNO REIS FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): ERIKA CAVERSAN VASCONCELOS ADVOGADO(A): JULIANA ZOUAIN FINAMORE SIMONI ADVOGADO(A): LUIZ F Z F SIMONI ADVOGADO(A): LUIZ JOSE FINAMORE SIMONI AGVDO.: CHEFE DE EQUIPE AGENCIA RECEITA EST MUN CARIACICA RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 2 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº CASTELO - 1ª VARA INDENIZAÇÃO CIVIL CLASSE 1º GRAU U: AGVTE.: COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL ADVOGADO(A): ALEXANDRA RAPOSO MENEZES GAETA ADVOGADO(A): HENRIQUE ROCHA FRAGA ADVOGADO(A): LIVIA NOVAK ADVOGADO(A): RODOLPHO RANDOW DE FREITAS AGVDO.: JOAO MACHADO NETO ADVOGADO(A): FABRICIO CALEGARIO SENA ADVOGADO(A): MARCIA DALCIN LEMOS RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 3 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 7ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:BUSCA E APREENSÃO CIVIL AGVTE.: BANCO FINASA S/A ADVOGADO(A): LIDIA MARIA SANTOS ADVOGADO(A): MARIA DAS GRACAS R DE MELO ADVOGADO(A): MARIA LUCILIA GOMES AGVDO.: MARGARIDA BERNARDES DOS SANTOS ADVOGADO(A): CARLOS LACERDA DE CASTRO CRISSAFF ADVOGADO(A): HELTON TEIXEIRA RAMOS ADVOGADO(A): ROGERIO SIMOES ALVES RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 3ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:CAUTELAR INOMINADA AGVTE.: PAULO CEZAR ZAMBELLI ADVOGADO(A): RAFAEL VALENTIM NOGUEIRA AGVDO.: ANTONIO VIEIRA PASSOS NETO ADVOGADO(A): ZELIO GUIMARAES SILVA RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 5 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA FAZENDA PÚBLICA MUNICIPAL CLASSE 1º GRAU U:MANDADO DE SEGURANCA AGVTE.: MUNICÍPIO DE VITÓRIA ADVOGADO(A): HENRIQUE ROCHA FRAGA AGVDO.: PEDRO JOSE DE ALMEIDA FIRME ADVOGADO(A): GIOVANNI ROCHA DAS NEVES AGVDO.: STELA NEIDE SOPRANI BERNABE ADVOGADO(A): GIOVANNI ROCHA DAS NEVES RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 6 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA ACIDENTE DE TRABALHO CLASSE 1º GRAU U:INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: BANCO BANESTES SA ADVOGADO(A): ANOZOR ALVES DE ASSIS ADVOGADO(A): CLAUDIA VALLI CARDOSO ADVOGADO(A): FERNANDA ALVES DE M MENEGUSSI ADVOGADO(A): FRANKLIN DELMAESTRO ADVOGADO(A): GERALDO DA SILVEIRA ADVOGADO(A): GISLAINE DE OLIVEIRA ADVOGADO(A): IMERO DEVENS ADVOGADO(A): IMERO DEVENS JUNIOR ADVOGADO(A): JOSE ALOISIO PEREIRA SOBREIRA ADVOGADO(A): KATIA GIANORDOLI MALTA ADVOGADO(A): MARCELO PAGANI DEVENS AGVDO.: LEILA MARCILIA VIEIRA RIBEIRO ADVOGADO(A): ANTONIO AUGUSTO DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAQUIM AUGUSTO DE AZEVEDO SAMPAIO NETTO ADVOGADO(A): ROSEMARY M DE PAULA ADVOGADO(A): SEDNO ALEXANDRE PELISSARI RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 7 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA ACIDENTE DE TRABALHO CLASSE 1º GRAU U:INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: USIMINAS MECANICA S/A ADVOGADO(A): JOSE GERALDO LEAL PESSOA ADVOGADO(A): JOSE MILTON S BITTENCOURT ADVOGADO(A): RITA DE CASSIA A MORAES ADVOGADO(A): TELMA STRINI DA SILVA ADVOGADO(A): WILLIAN CESSA AGVDO.: ALBINO RODRIGUES DA SILVA ADVOGADO(A): TANIA MARIA PIRES E PINHO RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 8 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 3ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:ORDINARIA CIVIL AGVTE.: BANCO DO ESTADO DO ESP SANTO BANESTES S/A ADVOGADO(A): ADRIANO FRISSO RABELO ADVOGADO(A): FERNANDA ALVES DE M MENEGUSSI ADVOGADO(A): JOSE ALEXANDRE REZENDE BELLOTE ADVOGADO(A): RAINALDO MARCOS DE OLIVEIRA AGVDO.: NELSON GIACOMIN DECARLI ADVOGADO(A): ALEXANDRE DE LACERDA ROSSONI ADVOGADO(A): CLAUDIA FERREIRA GARCIA RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 9 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA ACIDENTE DE TRABALHO INDENIZAÇÃO CIVIL CLASSE 1º GRAU U: AGVTE.: DAVID SANTOS SOARES ADVOGADO(A): ANTONIO AUGUSTO DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAQUIM AUGUSTO DE AZEVEDO SAMPAIO NETTO AGVDO.: INSS INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL ADVOGADO(A): SIMONE LENGRUBER DARROZ RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 10 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 5ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:EXCEÇÃO DE PRE-EXECUTIVIDADE - CIVIL AGVTE.: J D BARCELLOS ME ADVOGADO(A): ILIAS FERNANDES CARDOSO DOS SANTOS AGVTE.: JOSE DELIO BARCELLOS ADVOGADO(A): ILIAS FERNANDES CARDOSO DOS SANTOS AGVDO.: BANESTES BANCO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SA ADVOGADO(A): NELZA SCHULTHAIS ANDRADE ADVOGADO(A): SERGIO BERNARDO CORDEIRO

20 22 Quarta-Feira 03 de Agosto de 2005 Edição nº 2647 D.J. ESPÍRITO SANTO AGVDO.: BANCO DE DESENVOLVIMENTO ESP SANTO S/A BANDES ADVOGADO(A): NELZA SCHULTHAIS ANDRADE ADVOGADO(A): SERGIO BERNARDO CORDEIRO RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 11 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VITÓRIA - 8ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:ORDINARIA CIVIL AGVTE.: FRANNEL DISTRIBUIDORA DE PETROLEO LTDA ADVOGADO(A): ADRIANA MANDIM THEODORO DE MELLO ADVOGADO(A): ANA VITÓRIA MANDIM TEODORO ADVOGADO(A): ANTENOR VINICIUS CAVERSAN VIEIRA ADVOGADO(A): ARLINDO SASSO ADVOGADO(A): HUMBERTO THEODORO JUNIOR ADVOGADO(A): HUMBERTO THEODORO NETO ADVOGADO(A): JULIANA CORDEIRO DE FARIA ADVOGADO(A): ORLANDO DIAS AGVDO.: VIRALCOOL AÇUCAR E ALCOOL LTDA ADVOGADO(A): ANDRE FERNANDO MORENO ADVOGADO(A): CLAUDIA MARIA TONIELO MEIRELLES ADVOGADO(A): CLOVIS APARECIDO VANZELLA ADVOGADO(A): OSCAR LUIS BISSON RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 12 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº ITAPEMIRIM - 1ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:AÇÃO CIVIL PUBLICA CIVIL AGVTE.: MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL AGVDO.: JORGE CARDOSO BECHARA ADVOGADO(A): HOMERO JUNGER MAFRA RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 13 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VILA VELHA - 3ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:CAUTELAR INOMINADA AGVTE.: CESAN COMP ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ADVOGADO(A): FRANCISCO ANTONIO CARDOSO FERREIRA ADVOGADO(A): IARA QUEIROZ AGVDO.: CONDOMINIO ITAPARICA SOL ADVOGADO(A): ANA PAULA CASAGRANDE PAGOTTE ADVOGADO(A): URSULA ZANQUETTO OLMO RELATOR: DES. JOSÉ LUIZ BARRETO VIVAS 14 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VILA VELHA - 6ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:EXECUÇÃO AGVTE.: PEDRO D'ASSUNÇÃO TADEU ADVOGADO(A): ELBA MARIA DO CARMO AGVDO.: SIGMA ENGENHARIA LTDA ADVOGADO(A): MARILINA TIRONI SANTOS HOLZMEISTER ADVOGADO(A): RICARDO FERREIRA PINTO HOLZMEISTER RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 15 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº VILA VELHA - 5ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:REQUERIMENTO CIVIL AGVTE.: ADILSON DALFIOR ADVOGADO(A): EVILASIO DE OLIVEIRA SOUZA AGVTE.: LUCILA DALFIOR ADVOGADO(A): EVILASIO DE OLIVEIRA SOUZA AGVDO.: TELMA DALFIOR ANTUNES ADVOGADO(A): LUIZ FABIANO PENEDO PREZOTI RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 16 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SÃO MATEUS - 2ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:EXCEÇÃO DE INCOMPETENCIA AGVTE.: BIOCOR HOSPITAL DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES LTDA ADVOGADO(A): ADAUTO CIRINO DE MOURA ADVOGADO(A): FERNANDO BRASIL OLIVEIRA ADVOGADO(A): JOSE E DE CAMPOS ADVOGADO(A): LESLIE MESQUITA SALDANHA LIMA AGVDO.: A O B (MENOR IMPUBERE) ADVOGADO(A): ADENILSON VIANA NERY AGVDO.: ADILSON BASTOS ADVOGADO(A): ADENILSON VIANA NERY AGVDO.: NILSEIA ONOFRE BASTOS ADVOGADO(A): ADENILSON VIANA NERY RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 17 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SERRA - 1ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: COMPANHIA SIDERURGICA DE TUBARAO - CST ADVOGADO(A): IMERO DEVENS ADVOGADO(A): IMERO DEVENS JUNIOR ADVOGADO(A): MARCELO PAGANI DEVENS AGVDO.: ALBERTO GOMES RODRIGUES ADVOGADO(A): ANTONIO AUGUSTO DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAQUIM AUGUSTO DE AZEVEDO SAMPAIO NETTO ADVOGADO(A): SEDNO ALEXANDRE PELISSARI ADVOGADO(A): VIVIANE ALVES CARVALHO RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 18 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SERRA - 1ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: COMPANHIA SIDERURGICA DE TUBARAO - CST ADVOGADO(A): IMERO DEVENS ADVOGADO(A): MARCELO PAGANI DEVENS ADVOGADO(A): ORLANDO DE OLIVEIRA GIANORDOLI AGVDO.: FREDERICO RODRIGUES DA SILVA ADVOGADO(A): ERNANDES GOMES PINHEIRO ADVOGADO(A): JOAO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO RELATOR: DES. ALINALDO FARIA DE SOUZA 19 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SERRA - 1ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:INDENIZAÇÃO CIVIL AGVTE.: CST - COMPANHIA SIDERURGICA DE TUBARAO ADVOGADO(A): ALESSANDRA PIOLI ADVOGADO(A): IMERO DEVENS ADVOGADO(A): IMERO DEVENS JUNIOR ADVOGADO(A): MARCELO PAGANI DEVENS ADVOGADO(A): ORLANDO DE OLIVEIRA GIANORDOLI ADVOGADO(A): RICARDO MELHORATO GRILO AGVDO.: JOSE LEANDRO FILHO ADVOGADO(A): ANTONIO AUGUSTO DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAO BATISTA DALAPICOLA SAMPAIO ADVOGADO(A): JOAQUIM AUGUSTO DE AZEVEDO SAMPAIO NETTO ADVOGADO(A): ROSEMARY M DE PAULA ADVOGADO(A): SEDNO ALEXANDRE PELISSARI RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI 20 - AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº SERRA - 4ª VARA CÍVEL CLASSE 1º GRAU U:ORDINARIA CIVIL AGVTE.: COMPANHIA SIDERURGICA DE TUBARAO - CST ADVOGADO(A): ARTENIO MERCON ADVOGADO(A): BRUNO SERRAT DE AGUIAR AGVDO.: WAGNER SILVA ADVOGADO(A): JOSE HENRIQUE DAL PIAZ ADVOGADO(A): LUIS CLAUDIO DIAS DA SILVA RELATOR: DES. RÔMULO TADDEI

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO

: DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO fls.1/1 RELATOR(A) RELATORA ACÓRDÃO APELANTE ADVOGADO APELADO PROCURADOR PARA : DESEMBARGADOR FEDERAL LEOMAR BARROS AMORIM DE SOUSA : DESEMBARGADORA FEDERAL MARIA DO CARMO CARDOSO : JEOVA DE SOUSA PIMENTEL

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 996.613 - ES (2007/0244394-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROCURADOR : RAFAEL INDUZZI DREWS E OUTRO(S) RECORRIDO : COLATINA DIESEL LTDA

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.157.106 - MT (2009/0162827-3) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : ROGÉRIO LUIZ GALLO E OUTRO(S) : DANIELA ALLAM GIACOMET GUSTAVO DO AMARAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 972.075 - SC (2007/0178356-6) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : DANTE AGUIAR AREND E OUTRO(S) EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. VIOLAÇÃO AO ART.

Leia mais

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

JI WrIlei. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ).,, JI WrIlei ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO n 041.2007.001993-4/001 RELATOR: Eduardo José de Carvalho Soares

Leia mais

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual AC no 200.2010.039908-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2 010.039908-4/001

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA 1 Agravo de instrumento. Mandado de segurança. Suspensão de exigibilidade de tributo. ICMS. Desembaraço aduaneiro. Contrato de afretamento de embarcação em regime de admissão temporária. REPETRO. Decisão

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 809.962 - RS (2006/0007992-0) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN ADVOGADO : OSVALDO ANSELMO REGINATO E OUTROS RECORRIDO : JARBAS

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 18/11/2014 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 804.674 SÃO PAULO RELATOR : MIN. ROBERTO BARROSO AGTE.(S) :MUNICÍPIO DE SANTOS PROC.(A/S)(ES)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 719.474 - SP (2015/0125771-3) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICIPIO DE GUARULHOS : ANA PAULA HYROMI YOSHITOMI : CECÍLIA CRISTINA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. DECADÊNCIA. PRESCRIÇÃO. PRAZO INICIAL. O processo do trabalho guarda perfeita simetria ao processo administrativo tributário posto

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA ADVOGADO : LUIZ ANTÔNIO MUNIZ MACHADO E OUTRO(S) EMENTA DIREITO SINDICAL. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL. ART. 8º, IV, DA CF/88. COMPETÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. PUBLICAÇÃO

Leia mais

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias.

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias. ESTADO rj'à PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Ga6inete d Desembargador José Lorenzo Seipa APELAÇÃO CÍVEL N 055.2005.000.156-3/002 Relator Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz Convocado em substituição ao Des. José

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS PROCESSO: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL Nº 183923/RN (99.05.45463-2) APTE : POTY REFRIGERANTES LTDA ADV/PROC : MANUEL LUÍS DA ROCHA NETO E OUTROS APDO : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 839.877 - RJ (2006/0083341-7) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : MARCUS DA SILVA DIAS E OUTRO ADVOGADO : GUILHERME DE JESUS E OUTROS RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Embargos de Declaração opostos pelo INSS Instituto Nacional do Seguro Social, contra o Acórdão de fls. 132/147, assim ementado: PREVIDENCIÁRIO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.218.980 - RS (2009/0152036-0) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA EMENTA PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. AGRAVO REGIMENTAL. VIOLAÇÃO DO ART. 535, INCISO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.171.486 - SP (2009/0239644-0) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO MARCO BUZZI EMENTA AGRAVO REGIMENTAL - AÇÃO DE COBRANÇA - ASSOCIAÇÃO DE MORADORES - PAGAMENTO DE TAXA DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 704.881 - RS (2004/0126471-0) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN AGRAVANTE : TRANSPORTADORA DE CARGAS MERCOSUL LTDA ADVOGADO : CLÁUDIO LEITE PIMENTEL E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 712.998 - RJ (2004/0180932-3) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : MARIANA RODRIGUES KELLY E SOUSA E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINO

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - DAIR JOSÉ BREGUNCE DE OLIVEIRA 26 de agosto de 2014 REEXAME NECESSÁRIO Nº 0031154-87.2008.8.08.0024 (024080311541) - VITÓRIA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 340.091 - RS (2013/0142183-2) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : METILDE CASAGRANDE SOUZA E OUTROS : CLARISSA ASSUNÇÃO VIEIRA E OUTRO(S) FLÁVIO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 865.121 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECTE.(S) : MIN. LUIZ FUX :MUNICÍPIO DE SOBRADINHO ADV.(A/S) :CLÁUDIO ROBERTO NUNES GOLGO E OUTRO(A/S) RECDO.(A/S) :BANCO ITAULEASING

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 361.758 - SP (2001/0116921-9) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : CLÁUDIA BOCARDI ALLEGRETTI E OUTRO(S) RECORRIDO : ANELCORP

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 32.453 - MT (2010/0118311-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : VIVO S/A ADVOGADO : SACHA CALMON NAVARRO COELHO RECORRIDO : ESTADO DE MATO GROSSO PROCURADOR

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme97404 RgA-ER Diário da Justiça de 06/11/2006 10/10/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR : MIN. CEZAR PELUSO AGRAVANTE(S) : AXA SEGUROS BRASIL S/A ADVOGADO(A/S) : FRANCISCO CARLOS ROSAS GIARDINA

Leia mais

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 02/10/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 704.520 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) : MIN.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme86242 DE-SM Diário da Justiça de 09/06/2006 03/05/2006 TRIBUNAL PLENO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES EMBARGANTE(S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO EMBARGADO(A/S) : FERNANDA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINENTE DO DESEMBARGADOR PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA APELADO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2006.021661-7/002 Capital RELATOR : Miguel de Britto Lyra Filho Juiz de Direito convocado. APELANTE : Indústria Reunidas F. Matarazzo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 715.898 - PR (2005/0001576-6) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO IPTU DEPÓSITO PARA SUSPENSÃO DA EXIGIBILIDADE DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO ART. 151, II,

Leia mais

III - AGRAVO 148126 2006.02.01.007963-2

III - AGRAVO 148126 2006.02.01.007963-2 RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL ALBERTO NOGUEIRA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : BIANCA SILVA FERNANDEZ DE FIGUEIREDO AGRAVADO : PAULO DA SILVA AMORIM ADVOGADO ORIGEM

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 10/02/2015 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 805.859 RIO DE JANEIRO RELATOR AGTE.(S) PROC.(A/S)(ES) AGDO.(A/S) ADV.(A/S)

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 23/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 30/08/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 684.169 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S)

Leia mais

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença.

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0168239-18.2007.8.19.0001 APELANTE: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A APELADO: CATIA MARIA DA SILVA COUTO RELATOR:

Leia mais

RECURSO ESPECIAL Nº 612.800 - RO (2003/0210339-4)

RECURSO ESPECIAL Nº 612.800 - RO (2003/0210339-4) RECURSO ESPECIAL Nº 612.800 - RO (2003/0210339-4) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ANTÔNIO DE PÁDUA RIBEIRO : BANCO DO BRASIL S/A : ÂNGELO AURÉLIO GONÇALVES PARIZ DONIZETI ELIAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.451.602 - PR (2014/0100898-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : MTD COMÉRCIO LTDA ADVOGADOS : CHRISTIANO MARCELO BALDASONI CRISTIANO CEZAR SANFELICE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RE nos EDcl nos EDcl no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.238.048 - SC (2011/0035494-2) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADOS AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRO GILSON DIPP : AMIL PARTICIPAÇÕES S/A : ANDREW JOHN BELLINGALL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 550.302 - DF (2003/0167033-6) RELATOR : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR AGRAVANTE : JOÃO DA SILVA CARNEIRO ADVOGADO : ADILSON RAMOS E OUTRO AGRAVADO : GISELE EVELEEN HRDINA

Leia mais

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O Agravo Regimental em Agravo Regimental em Apelação Cível 437320-59.2008.8.09.0051 (200894373200) Comarca de Goiânia Agravante : Pienge Construtora Ltda Agravada : Agência Municipal do Meio Ambiente Amma

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.423.457 - PR (2013/0400739-4) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : ZR IMPORTAÇÕES LTDA ADVOGADOS : CRISTIANO LISBOA YAZBEK E OUTRO(S) FERNANDO SOLÁ SOARES TAILANE

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 APELAÇÃO CIVEL Nº 0020860-15.2004.8.08.0024 (024040208605) - VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA

Leia mais

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll sajfâu PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 397 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAC>PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll Vistos,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO N o : 110/2011 RECURSO VOLUNTÁRIO N o : 7.968 PROCESSO N

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.383 - RS (2012/0041009-1) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : ANTONIO CHAGAS DE ANDRADE ADVOGADOS : MARCELO LIPERT E OUTRO(S) ROBERTO DE FIGUEIREDO

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Registro: 2013.0000791055 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0024907-79.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante CRIA SIM PRODUTOS DE HIGIENE

Leia mais

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 ADI, ADC, ADO e ADPF AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946 Origem: DISTRITO FEDERAL Entrada no STF: 21/01/1999 Relator: MINISTRO SYDNEY SANCHES Distribuído:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.045.616 - DF (2008/0069652-2) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADA : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR : NEUZA JOSE RIBEIRO : MARCOS ATAIDE CAVALCANTE E OUTRO(S) : BRB CLUBE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

Valdisio V. de Lacerda Filho)

Valdisio V. de Lacerda Filho) Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador REMESSA OFICIAL N. 073.2003.000954-9 RELATOR : JOÃO MACHADO DE SOUZA IMPETRANTES: Alexandre Fernandes Camelo e outros (Advs.

Leia mais

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES RIPOLL DE MACEDO e OUTROS, com fundamento no art. 105,

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná TRIBUNAL DE JUSTIÇA Relator : Desembargador Frederico Martinho da NObrega Coutinho

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.237.894 - MT (2011/0026945-1) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : NAGIB KRUGER E OUTRO(S) RECORRIDO : SUSSUMO SATO E OUTRO ADVOGADO : GILMAR

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 04/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 12 20/09/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 688.223 PARANÁ RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) : MIN.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno fls. 1 ACÓRDÃO Classe : Direta de Inconstitucionalidade n.º 001628-1.201.8.05.0000 Foro de Origem : Foro de comarca Ubaitaba Órgão : Relator(a) : Desembargador Jatahy Júnior Requerente : Prefeito do Município

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 695.205 - PB (2004/0145940-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : BANCO DO BRASIL S/A : MAGDA MONTENEGRO PAULO LOPES DA SILVA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça S EMENTA CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. PLANO DE SAÚDE. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. CIRURGIA BARIÁTRICA. PEDIDO MÉDICO. NEGATIVA DE AUTORIZAÇÃO. DANO MORAL. DECISÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 163 SENTENÇA Processo nº: 1020203-79.2015.8.26.0053 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal Requerente: Comercial Móveis das Nações Sociedade Ltda. (Lojas Marabraz) Requerido:

Leia mais

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG,

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG, MERITÍSSIMA JUÍZA DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE UBERABA/ MINAS GERAIS. Autos n. 701. Secretaria cível BANCO xxxx., já qualificado nos autos epigrafados da AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) Permite ao terceiro prejudicado intentar ação diretamente contra o segurador. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei faculta ao terceiro prejudicado

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior DECISÃO APELAÇÃO CIVEL N 048.2003.001021-8/001 CUITEGI RELATOR: Juíza Maria das Neves do Egito

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - INCRA INTERES. : MARIA DE HOLANDA E SILVA E OUTROS EMENTA ADMINISTRATIVO. AGRAVO REGIMENTAL. DESAPROPRIAÇÃO.

Leia mais

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator):

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): APELAÇÃO CÍVEL Nº 511146/AL (0002840-14.2010.4.05.8000) APTE : CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS DA 6ª REGIÃO (AL/PE/PB/RN/CE/PI/MA) ADV/PROC : ALINE JANISZEWSKI LINS APDO : SHBRS/AL - SINDICATO DOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 36.293 - RS (2011/0252417-2) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL PROCURADOR : LARISSA RAYMUNDI E OUTRO(S) RECORRIDO : ESTADO

Leia mais

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS.

DECISÕES» ISS. 3. Recurso especial conhecido e provido, para o fim de reconhecer legal a tributação do ISS. DECISÕES» ISS INTEIRO TEOR. EMENTA. TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. ATIVIDADE DE INCORPORAÇÃO DE IMÓVEIS. EXISTÊNCIA DE DOIS CONTRATOS: O DE COMPRA E VENDA E O DE EMPREITADA. CARACTERIZAÇÃO DE FATO GERADOR

Leia mais

(ft.." 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

(ft.. 4 Án 41. sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS (ft.." 4 Án 41 sks, 4, Pus JUSTIT11 Pijj z ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 076.2008.000525-9/001 Comarca de

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO APELAÇÃO CÍVEL (AC) Nº 296203/AL (2000.80.00.003296-1) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC : NATHALIE PAIVA TEIXEIRA CAMBUY SODRE VALENTIM E OUTROS APTE : PREVI - CAIXA PREVIDENCIARIA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : ONDREPSB LIMPEZA E SERVIÇOS ESPECIAIS LTDA ADVOGADO : IVAR LUIZ NUNES PIAZZETA E OUTRO(S) AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : ANGELA T GOBBI ESTRELLA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho , 1. " ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO. APELAÇÃO CÍVEL N 076.2005.000115-5/001 Comarca de Gurinhém RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )2( oãdróca atneme280815 DE-IA 17/05/2005 SEGUNDA TURMA EMB.DECL.NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 518.082-9 SANTA CATARINA RELATOR : MIN. CARLOS VELLOSO EMBARGANTE(S) : COMPANHIA MELHORAMENTO DE CAMBORIÚ - MARAMBAIA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 919.527 - SP (2007/0014498-9) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES AGRAVANTE : FAZENDA NACIONAL REPDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS AGRAVADO : TRANS-TERRALHEIRO

Leia mais

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça DECISÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2001.026206-7/001 CAPITAL RELATOR: Miguel de Britto Lyra filho, Juiz de Direito Convocado, APELANTE: Maria Betânia de

Leia mais

*00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS, em

*00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS, em / TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO h ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N *00741706* Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL n 200.7 61-5/9-00, da Comarca de GUARULHOS,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinada pessoa jurídica declarou, em formulário próprio estadual, débito de ICMS. Apesar de ter apresentado a declaração, não efetuou o recolhimento do crédito

Leia mais

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal Interposição: perante o órgão prolator da decisão Recurso Especial Nomenclatura: REsp Competência: Superior Tribunal de Justiça STJ Prazo para interposição 15 dias; Recurso Extraordinário Nomenclatura:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL MINUTA DE JULGAMENTO FLS. *** SEGUNDA TURMA ***

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL MINUTA DE JULGAMENTO FLS. *** SEGUNDA TURMA *** TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL MINUTA DE JULGAMENTO FLS. *** SEGUNDA TURMA *** ANOTAÇÕES: JUST.GRAT. 95.03.010267-7 233069 AC-SP PAUTA: 13/03/2007 JULGADO: 13/03/2007 NUM. PAUTA: 00050 SANTOS RELATOR: DES.FED.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0014098 32.2013.4.03.6105/SP 2013.61.05.014098 6/SP RELATORA APELADO(A) No. ORIG. : Desembargadora Federal MARLI FERREIRA : ACESSO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS SENTENÇA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE GOIÁS SENTENÇA Sentença tipo A Impetrante: ISABELA FONTES DE ARAÚJO Impetrado: REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS SENTENÇA Tratam os autos de mandado de segurança, com pedido de liminar, impetrado por ISABELA FONTES

Leia mais

19/08/2014 PRIMEIRA TURMA : MIN. ROBERTO BARROSO ÓLEOS LTDA QUEIROZ E OUTRO(A/S)

19/08/2014 PRIMEIRA TURMA : MIN. ROBERTO BARROSO ÓLEOS LTDA QUEIROZ E OUTRO(A/S) Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 19/08/2014 PRIMEIRA TURMA EMB.DECL. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 628.848 RIO GRANDE DO SUL RELATOR EMBTE.(S) ADV.(A/S) EMBDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 87.156 - RJ (2007/0145923-6) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI AUTOR : EVANDRO DA SILVA ADVOGADO : CARLOS LIMA CASTRO RÉU : SAINT GOBAIN CANALIZAÇÃO S/A ADVOGADO : HISASHI KATAOKA

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO INTERNO n 615.523-5/6-01, da Comarca de TUPÃ, em que

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. AGRAVO INTERNO n 615.523-5/6-01, da Comarca de TUPÃ, em que ^ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO REGISTRADO(A)SOBN«Vistos, relatados e discutidos estes autos de AGRAVO INTERNO n 615.523-5/6-01, da Comarca de TUPÃ, em que são agravantes SILAS

Leia mais

GUILHERME COUTO DE CASTRO

GUILHERME COUTO DE CASTRO RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL GUILHERME COUTO DE CASTRO APELANTE : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : ANDRE LUIS CARDOSO E OUTROS APELADO : HUMBERTO PACHECO DE ANDRADE E CONJUGE ADVOGADO : DENIZE

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 8 17/12/2013 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 635.398 SANTA CATARINA RELATORA AGTE.(S) ADV.(A/S) AGDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) : MIN.

Leia mais

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc *AMS 99.905-CE (2003.81.00.025197-2) APTE: INSS-INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC: PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO: LAR ANTÔNIO DE PÁDUA ADV/PROC: LEONARDO AZEVEDO PINHEIRO BORGES

Leia mais

08/11/2012 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES

08/11/2012 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 08/11/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 675.505 RIO DE JANEIRO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.228.778 - MT (2010/0217471-4) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO RECORRIDO : MINISTRO SIDNEI BENETI : WANDER CARLOS DE SOUZA : SÉRGIO DONIZETE NUNES : GILBERTO LUIZ DE REZENDE : DANIELA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Boa Vista-RR, 24 de Junho de 2006 ANO IX - EDIÇÃO 3393 R$ 1,50 SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO. Assim, denego o pedido liminar.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Boa Vista-RR, 24 de Junho de 2006 ANO IX - EDIÇÃO 3393 R$ 1,50 SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO. Assim, denego o pedido liminar. Boa Vista-RR, 24 de Junho de 2006 ANO IX - EDIÇÃO 3393 R$ 1,50 TRIBUNAL DE JUSTIÇA SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO Bel. ITAMAR LAMOUNIER Secretário do Tribunal Pleno PUBLICAÇÃO DE PAUTA PARA JULGAMENTO O

Leia mais

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 5ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020148016AGI Agravante(s) SINDICATO DOS ODONTOLOGISTAS DO

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI :PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE : MARCELO ALMEIDA DE MORAES E OUTRO(A/S)

: MIN. DIAS TOFFOLI :PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE : MARCELO ALMEIDA DE MORAES E OUTRO(A/S) RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 753.350 RIO DE JANEIRO RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. DIAS TOFFOLI :MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO :PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO RECDO.(A/S) :MARCOS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS APELAÇÃO CÍVEL Nº 428188/PE (2006.83.00.010757-0) APTE : COMPANHIA INDUSTRIAL DE VIDROS - CIV ADV/PROC : MARCUS COSTA DE AZEVEDO APTE : FAZENDA NACIONAL APDO : OS MESMOS REMTE : JUÍZO DA 3ª VARA FEDERAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP PROCESSO nº DISTRIBUIÇÃO POR DEPENDÊNCIA AO PROCESSO nº 90.0042414-3 MARÍTIMA SEGUROS S/A, pessoa jurídica de

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme496104 RgA-ER Diário da Justiça de 17/11/2006 20/06/2006 PRIMEIRA TURMA AG.REG.NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 401.694-0 RIO GRANDE DO SUL RELATOR : MIN. CARLOS BRITTO AGRAVANTE(S) : ESTADO

Leia mais