INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES"

Transcrição

1 INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES 26* ANIVERSÁRIO DA PRIMEIRA OPERAÇÃO DO REATOR DE SAO PAULO Fausto W. Uma Dintoría Executiva I AO PAULO 1CÍ2

2 299 MHVERSMtlO DA PRIMEIRA OPERAÇJfO DO REATOR DE S*> PAULO Fausto W.U M Diretoria Executiva I IPEN Ao Indicar UM pessoa para fazer um retrospecto e UÜ pequeno Mstôrt co da prineira operaçío do reator de pesquisas do Instituto de Energia Atômica, IEA, hoje Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, houve por bem o Senhor Superintendente escolher o nosso nome por ser o Mis an tigo Integrante do IPEN, servindo diretamente a esta Instituição, e que participou do Início da vida de nosso Instituto no que diz respeito ís atividades de Instalação e operação do reator em Em 23 de setembro de 1956 iniciaram-se as obras de Engenharia Civil relativas I construção do prédio que abrigaria, em futuro imediato, o rea tor.obra civil de notável vulto e de dificuldades eventuais grandes, pois era a primeira experiência nacional, e mesmo latino-americana, nesse tipo de construção. Constituiu tarefa desempenhada com grande eficiência profh sionai pelos Engenheiros Carlos Engei e Hélio Martins, da fina Martins- Engei que vencera concorrência estabelecida pela Secretaria da Viação e Obras Públicas do Estado de São Paulo. Dois dias antes dos prazos contratuais, exatamente em 21 de março de 1957, seis meses apôs o Início das obras, estavam elas prontas e entre gues. Começaram a ser Instalados, já em fevereiro de 1957, os componentes do reator, o que se processou com raro entusiasmo por um pequeno grupo de engenheiros, físicos, químicos que não somavam, talvez, 25 pessoas, 1j> cluindo a pequena parte administrativa de que o Instituto dispunha naquela época. Trabalhávamos, de acordo com o horário formal, de 8 is 18 horas e também nas partes da manhã aos sábados. Entretanto, durante toda a época de instalação da máquina, dificilmente se retiravam ás 18 horas ou ás 12

3 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulc (F.W.Lima - DEx.I) horas de sibado, os que estava* envolvidos nessa instalação, estendendo o pertodo de trabalho até 8 ov 9 horas da noite e até Mis, ca» freqüência, e aqui permanecendo ãs tardes de sibado e Multas vezes também aos doa\n 90s, nua trabalho que foi apaixonante e absorvente. Existia na Cidade Universitária "Amando de Salies Oliveira" > a lê» do IEA, em construção» o Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT e apenas parte das atuais instalações do Instituto de Física, antigo Departamento de Física da Faculdade de Filosofia. Ciências e Letras da Universitade de São Paulo. No início da Montagem do reator não se encontrava ainda asfaltada. dentro r t Cidade Universitária, a Avenida atualmente denominada Professor Lucif «íjalberto. Fatos curiosos eram então registrados, como aqueles que -' Mssavam em dias de grandes chuvas, quando o ônibus do IEA esta cio * 4» altura do Instituto Butantã não podendo chegar ao local onde hoji,e localiza o nosso Instituto. Ocorria, assim, um Inesperado dia de fo^o. E note-se que essa imprevista folga não era recebida com exclama ÇÔV Ae júbilo. Pelo contrário, era com muito desaponto que se encarava a»«le dia perdido. De fevereiro a setembro de 1957 foi instalada a máquina, foram verifi. cadjs todas suas peculiaridades, os circuitos foram examinados e todos os den, is testes necessários que se exigem de um empreendimento como esse fo ram devidamente executados. No dia 15 de setembro de 1957, menos de um ano após o início das o bras de Engenharia Civil e de Instalação da máquina, ãs 9 horas e 30 m1nu tos da noite, após um dia de Intenso trabalho, 1n1c1ava-se a carga do ru tor. As páginas 34 do "Log Book" (Livro de Registros) da Hesa de Opera cio do Reator encontra-se, na letra do Prof.Or.Marcelo Damy de Souza San tos, que supervisionava a primeira operação, que :

4 ISQ Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.W.Lima - OEx.I) 21 horas e 30 minutos, introduziu-se o elemento combustível IEA n horas e 45 minutos, IEA-7, 22 horas e 05 minutos, IEA-8 e segue a primeira observação do que vinha ocorrendo : "teste da câmara de ionização e demais circuitos para criticai idade". Hff também alguns re gistros curiosos, como por exemplo : "ãs 0 hora e 53 minutos (já no dia 16 de setembro, portanto) "scram" manual ("scram" i o que ocorre quando a mi quina pára de funcionar por qualquer motivo e volta-se is condições ini^ ciais de operação), "scram" manual provavelmente produzido por Saraiva na ponte do reator". Ocorre que a operação envolvia o controle do reator na Sala de Comando e a atuação de pessoa!, na ponte, sobre o reator, e que co locavam os elementos combustíveis na piscina ou supervisionavam outras ope rações. X 1 hora e 22 minutos da manhã, ou da madrugada, já no dia 16 de se tembro, informa o livro de registro que a operação tinha sido retomada e que o elemento combustível IE A-11 já estava inserido, seguido do IEA-12, ã 1 hora e 50 minutos, e assim por diante. A paciente e cuidadosa operação continuou e una simples frase, na página 36 do Livro de Registro, indica : "Ficou crítico ãs 11 horas e 07 minutos. Ligeiramente super-crttico. Exatamente crítico is 11 horas e 10 mirutos do dia 16 de setembro de 1957 ", mais de doze horas após o início das operações que começaram is 21 horas e 30 minutos do dia anterior. Terminada a operação e verificados todos os equipamentos, a máquina foi desligada e os que trabalharam, com exceção do corpo de vigilantes, d rigiram-se aos seus lares para um repouso mais do que merecido. Ocorre que chegou a conhecimento da Imprensa que o reator Já começara a operar. Na tarde do dia 16 de setembro de 1957, em conseqüência, compareceram reporte res que procuravam obter entrevista a respeito e encontraram o prédio ft chado e somente guardado pelos vigilantes normais. A reação foi imediata.

5 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.W.Lima - OEx.I) Nos jornais do dia seguinte aparecera* frases pitorescas do seguinte tipo : "o reator entrou em operação e os cientistas fugiram em decorrência do escape de radioatividade". Nenhuma radioatividade "escapou" e temos certeza que Interpretamos o orgulho de todos que trabalhavam, e trabalham hoje co» a máquina, em dj[ zer que, após um quarto de século de operação, nunca tivemos um acidente de qualquer seriedade, qualquer mal funcionamento do equipamento, qualquer fa lha na estrutura de concreto ou nas obras de construção civil, ou existên cia de insegurança aos operadores e outros, ou situações que impedissem o uso pleno do reator para os mais diversos tipos de experimentos, irradia_ ções e produção de radioisõtopos, sendo oportuno lembrar que, presentemente, são irradiadas cerca de amostras por ano. Os resultados conjuntos das obras de Engenharia Civil e os da Insta lação da máquina foram tão harmônicos que a própria imprensa, num dito muito saboroso, traduziu o êxito de todo o trabalho declarando que "o reator de São Paulo era tão bom que funcionava até debaixo d'água" Foi o ltder da Instalação do reator, nos terrenos da Cidade Universi^ tária "Armando de Saiies Oliveira", da criação do Instituto de Energia Ato mica e seu primeiro Diretor, o Prof.Dr.Marcelo Damy de Souza Santos. A ele coube o pesado encargo de reinvidicar para São Paulo a Instalação do prj, meiro reator brasileiro, apresentando ãs nossas autoridades argumentos que colocavam a Universidade de São Paulo como apta para receber a responsabj^ Iidade de levar a cabo a execução da tarefa correspondente. 0 seu esptm to empreendedor, o seu dinamismo, a sua dedicação ã Universidade de São Paulo e ã pesquisa brasileira, foram o ava! que garantiu a nosso Estado o privilégio de receber a tarefa de instalar e fazer funcionar o primeiro reator nuclear da América Latina. Não foi fácil ao Prof.Souza Santos o conseguir para São Paulo tal privilégio. Multas vezes encontrou ele a in

6 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.W.Lim - DEx.I) corpreensão de Muitos, sendo necessário que a paciência, a calma, o boa senso, predominasse» sobre frases ditas por terceiros, durante os primej. ros anos de funcionamento do reator, de que"o reator Ta explodir". E foram essas características da personalidade do Professor Souza Santos que pejr mi tiran a ele colher o fruto que foram a fundação do Instituto de Energia Atônica, a instalação do reator e a sua operação durante 25 anos sem um único acidente. Tais fatos auspiciosos levaram, quando da inauguração ofi. ciai do Instituto, em 25 de janeiro de 1956, no dia de São Paulo, o Presi^ dente da República, Juscelino Kubistchek, a assim se pronunciar no ato da inauguração : "A inauguração do reator atômico i um desses exemplos memoráveis do que pode fazer o paulista. Ingressou no je o Brasil, e mesmo a América do Sul, na era Atômica, projetando-se, assim, internacionalmente". Ao Prof.Dr.Mareel o Damy de Souza Santos as nossas homenagens. Convocado o Prof.Damy de Souza Santos para o alto cargo de Presiden te da Comissão Nacional de Energia Nuclear, no governo Jânio da Silva Qua dros, foi indicado como nosso Diretor o Prof.Dr.Luiz Cintra do Prado, personalidade de larga experiência nas lides universitárias e de pesquisa cientifica e que já representara o Conselho Nacional de Pesquisas em nos so Conselho Ticnico-CientTfico, hoje Conselho Deliberativo. Um grande tiroctnio administrativo-cientffico, fruto de sua longa con vivência com os assuntos de pesquisa e ensino na Escola Politécnica da Un versidade de São Paulo, no Conselho Nacional de Pesquisas e na Academia Brasileira de Ciências, entre várias outras entidades, deu o Prof.Cintra do Prado continuação e continuidade ao trabalho encetado por Marcelo Damy de Souza Santos. Procurou especialmente o Prof.Prado incentivar a publicação dos tra

7 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.N.Lima - DCx.I) balhos tecno-cientfficos dos Integrantes do IPEN, antecipando, assim, a ma nifestaçso de Henry Gomberg, mais tarde feita em reunião da Agência Inter nacional de Energia Atômica, em Viena, de que "Publication Is the currency of the Scientist", pois ê a publicação, o "tornar público" os resultados do trabalho de um pesquisador, de um grupo de pesquisadores, de um laboratório, de uma instituição daqui ou de outro país, que permitira o uso desses resultados pela comunidade tecno-científica, permitindo assim que seja» alcançados os objetivos práticos daquilo que, ontem, era pesqu± sa acadêmica. A época em que assumia o Prof.Prado a direção do IEA era época partly cularmente diftcil, com o País em situação polttico-social eivada de inquietações e temores. Multa ponderação, prudência, tiroctnio no trato da coisa pública e na solução de problemas humanos eram requeridos dos respon sãveis por instituições públicas. Soube o Prof.Prado agir com serenidade e sensatez e manter assim o IEA em ambiente de calma, de trabalho sério, e, principalmente, de grande produtividade científica. Ao Prof.Or.Luiz Cintra do Prado as nossas homenagens. Assumiu a Diretoria do IEA, apôs o termine do mandato do Prof.Prado, o Dr.Rômulo Ribeiro Pieroni, personalidade dotada Ce extraordinária dis posição para o trabalho, grande dinamismo e multa crença nos objetivos de todas as lutas em que se empenhava. Deu o Or.Pieroni ao Instituto uma xpansão que se pode chamar de grandiosa, a seus terrenos, prédios e equj. pimentos, criando condições nas quais, em havendo vontade e dedicação ao trabalho, os pesquisadores do Instituto encontrariam, praticamente, as mes «as facilidades para o trabalho tecno-científico que encontravam os pes quisadores de centros nucleares de países tradicionalmente desenvolvidos no campo de pesquisa científica e tecnológica. t de destacar, entre suas Importantes realizações como Superintende^ te do IEA-IPEN, a que resultou no envio de grande numero de Integrantes do

8 2SP Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.W.Lima - OEx.l) Instituto para cursos de pós-graduação, especialização e para treinamento no exterior. Julgamos,que, talvez, nenhuma Instituição nacional jamais te nha tido número tão grande de pessoas, num mesmo pertodo de tempo,em treina mento fora do País. Dediccu-se o Dr.Pieroni, com o mais absoluto enpenho, entusiasmo, até com perigoso sacrifício da própria saúde» ã tarefa na qual pôs a mais absoluta crença e que foi a de promover a grandeza desta casa. Ao Dr.Rómulo Ribeiro Pieroni as nossas homenagens. Das pessoas que dedicaram seus esforços, de modo excepcional, ao ein tão Instituto de Energia Atômica, quando de sua instalação em 1957 e de pois durante vários anos nesta Instituição, nio podemos deixar de fazer menção ao Prof.Dr.Paulo Saraiva Toledo. 0 Prof.Saraiva aliou suas qualificações de Físico pelo Departamento de Física da antiga Faculdade de F11j> sofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, com as de Engenhej, ro Mecânico e Eletricista pela Escola Politécnica da mesma Universidade, conjugando seus conhecimentos técnicos com sua conhecida ponderação e bom senso, na solução de problemas de Engenharia, de Física, administrativocienttficos ou de orientação de pesquisadores mais novos. Teve Inestimável atuação enquanto permaneceu no Instituto de Energia Atômica ã testa da D visão de Física de Reatores. A segurança com que hoje funciona o reator do IPEN, a excelência de seu comportamento durante 25 anos, são resulta dos. em grande parte, devidos ao Professor Paulo Saraiva de Toledo. Ao Prof.Or.Paulo Saraiva de Toledo as nossas homenagens. E de justiça que lembremos as figuras de dois homens que.principalmen te nos primeiros anos de existência do nosso Instituto, deram o melhor de seus esforços para que êle se tornasse uma realidade. Mencionamos o então

9 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.U.LIM - Dex.I) Magnífico Reitor da Universidade de São Paulo, Professor Gabriel Teixeira de Carvalho, e o Almirante OctacTlio Cunha, na época Presidente da Coals são Nacional de Energia Nuclear. Ambos compreenderam a Importância da cria, ção de um primeiro centro de pesquisas nucleares no Brasil e conjugaram esforços para que a colaboração entre o Governo Federal, pela Comissão Na cional de Energia Nuclear, e o Governo do Estado de São Paulo, pela nossa Universidade Estadual, fosse a mais harmoniosa e frutífera, resultando na concretização de projetos, planos e estudos, concretização essa que, hoje, vemos e reconhecemos que foram conseguidos em tempo extremamente curto e rápido. A Memória do Reitor Gabriel Teixeira de Carvalho e ã Memória do rante OctacTlio Cunha as nossas saudosas homenagens. Dos antigos de 1957, que hoje não mais se encontram trabalhando conos_ co, ressaltam ainda os Senhores José Ferreira, Gilberto David e Danilo Ma riconi, nas atividades da oficina mecânica ou nas instalações eletrônicas e cuja excelência de trabalho profissional contribuíram para essa seguran ça do reator, já várias vezes mencionada. 0 que foram os 25 anos de atividade do Instituto de Energia Atômica ou Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares? Contribuiu este Institu to com alguma coisa de marcante para a política nuclear brasileira, para o desenvolvimento da ciência e tecnologia nucleares? Não é possível, num rápido retrospecto, em que vários aspectos tive ram que ser relembrados, apresentarmos uma Usta do que tem sido feito,mas ressaltaremos que, no campo da política nuclear, esta Instituição, por In termédio de seus Integrantes, por duas vezes deu seus elementos para a 1m portantíssima função de Presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear t que, por duas vezes, Integrantes desta Instituição foram Membros da Co missão Deliberativa daquela mesma Comissão Nacional de Energia Nuclear.Men bros desta Instituição foram laureados com o Prêmio Namy Jaffet de 1964, com o Prêmio Governador do Estado de São Paulo em 1981 c também Moinho San

10 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo (F.W.Lima - DEx.I). tista de Em todas as Conferências de Genebra Para a Utilização Pact fica de Energia Nuclear esteve o Instituto de Energia Atômica presente com destaque. E, mais importante talvez que a representação em reuniões no ex terior, tem sido o Incentivo que o atual Superintendente» EngO Hemani ÂJ gusto Lopes de Amorim, tem dado aos pesquisadores do IPEN para que partici^ pem das reuniões nacionais de praticamente todas as sociedades cientificas e técnicas brasileiras, com grande número de trabalhos do IPEN, possibili^ tando ã Instituição tornar-se conhecida no território nacional, quer pelos seus pontos altos quer, e porque não, pelos seus pontos ainda falhos e passtveis de correção. Há, então, nessas reuniões, a oportunidade de for necer, aos pesquisadores e técnicos brasileiros, a experiência adquirida pelo IPEN na solução de problemas que poderão surgir em outros centros de pesquisa, na indústria ou na comunidade técnica brasileira em geral, divul_ gando as potencialidades da nossa Instituição em face de problemas prâti_ cos, principalmente aqueles para os quais se usam radiolsõtopos e radta ções. Na formação de elemento humano tem sido pronunciada a atuação do IPEN com preparo de técnicos de vários níveis e que respondem, hoje,'no PaTs, por funções da mais alta responsabilidade, quer em atividades nucleares, quer em atividades tecnológicas e industriais clássicas. Em particular, a partir de 1976, época em que foram reconhecidos pela Câmara de Pós- Gradua ção da Universidade de São Paulo, e logo mais tarde pelo Ministério de Edu cação e Cultura, os Cursos de Pos-Graduação do IPEN, até setembro do cor rente ano, em 7 anos, formaram esses Cursos 74 Mestres e 10 Doutores na A rea de Concentração Tecnologia Nuclear e 58 Mestres na AVea de Concentração Reatores Nucleares de Potência e Tecnologia do Combustível Nuclear, num total de 132 Mestres e 10 Doutores. Em janeiro de 1982 a Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior, CAPES, atribuiu nível A aos Cursos de Pós-Graduação do IPEN. Queremos ressaltar ainda mais alguns benefícios que trouxe para o Bra «11 e para São Paulo a Instalação de nosso reator. Entre outros exem pios destaca-se a possibilidade que teve a indústria brasileira de soiucio

11 259 Aniversário da Primeira Operação do Reator de S.Paulo 10 (F.W.Lima - DEx.I) nar diversos de seus problemas por meio de tecnologias, desenvolvidas nes te Instituto, de aplicação Industrial de radioisõtopos, de fontes radioatj[ vas e de neutrongrafia, consequincia da existincia e operação do reator. Deve ser ressaltado ainda que a produção de radioisõtopos pelo reator nu clear IEA-R1 permitiu o desenvolvimento da importantíssima especialização de medicina que é a Medicina Nuclear, pois a existência do reator e a produção desses radioisõtopos no IEA, no fim da década de 1950 e início da dicada de 1960, embora ainda de maneira incipiente, permitiram criar competência nesse campo de atividade médica bem como na produção de radiofãrmacos. Maiores talvez teriam sido as dificuldades a serem enfren tadas para o desenvolvimento franco, hoje existente, da Medicina Nuclear e da utilização de radiofãrmacos no Brasil, não tivesse sido instalado o reator de nosso Instituto. 0 envolvimento dos técnicos do IPEN como um todo, e não mais apenas daqueles ligados diretamente ã operação e uso do reator nuclear, em diver sos problemas nacionais, dando elemento humano hoje contratado pela Usina "Álvaro Alberto da Motta e Silva", em Angra dos Reis, participando de importantes projetos da Comissão Nacional de Energia Nuclear, de convinios e trabalhos em colaboração com órgãos de mais de um Ministério da República, registrando diversas patentes em nome da instituição, produzindo compostos químicos e produtos metalúrgicos de urânio, para o País, mostram um compie to enquadramento do IPEN no panorama Industrial e tecnológico brasileiro, não apenas nas tecnologias nucleares e não apenas, note-se bem, no parque industrial de São Paulo, mas nos parques industriais de todo o nosso gran de PaTs. Ao encerrarmos este breve retrospecto de 25 anos de trabalho do Ins tituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, desejamos lembrar uma frase singela, dita de público e pesquisadores do IPEN, por expoente das dên cias nucleares, em Importante reunião da Agenda Internacional de Energia Atômica, e que é "You have given a good use to your reactor". Esta peque

12 259 AniversíHo da Primeira Operação do Reator de S.Paulo 11 (F.W.LIma - DEx.I) na frase, na sua singeleza, constitui, em nossa opinião, o pagamento dente para muitos anos de esforços dedicados e tradu2em o fato de que o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares e o nosso reator, são, ho je, a realidade com a qual sonharam Gabriel Teixeira de Carvalho e Octa ctuo Cunha. E faço k minha a frase há pouco mencionada : vocês deram um nobre 11 so ao nosso reator!

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia A Coppe Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia nasceu disposta a ser um sopro de renovação na

Leia mais

3ª feira 30/ outubro 2012- Auditório Principal

3ª feira 30/ outubro 2012- Auditório Principal 3ª feira 30/ outubro 2012- Auditório Principal 19h00 Abertura Evento Andrea Canton (Coordenadora: cursos de Eletrônica e Eletrotécnica) Informática e Telecomunicações- Internet do Futuro José Roberto Ribeiro

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA A ENGENHARIA ELÉTRICA NA UFSCar O Curso de Engenharia Elétrica iniciou no ano de 2009, com o objetivo

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM RADIOFARMÁCIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

Tereza Cristina Salvetti

Tereza Cristina Salvetti Tereza Cristina Salvetti Trav. Afrânio do Amaral, 7 Bairro Campestre Santo André 09070-350 - SP (11) 4421 4844 / 9183 9704 e-mail: salvetti@ipen.br ou tsalvetti@gmail.com Áreas de Atuação: ENGENHARIA /

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca PASSOS DECISIVOS "Assim como 1970

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR

O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR O MERCADO DE TRABALHO E OPORTUNIDADES NO SETOR NUCLEAR rimeira Semana de Engenharia Nuclear e Ciências das Radiações - UFMG 29/05/2012 Ilson Soares Chefe da Divisão de Treinamento SUMÁRIO INSTITUIÇÕES

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá!

ÍCONES ORGANIZADORES ATENÇÃO AVALIAÇÃO DEFINIÇÃO/CONCEITO SAIBA MAIS. Olá! Manual do aluno Sumário ÍCONES ORGANIZADORES... 3 EMENTA... 4 Objetivo do curso... 5 Público-alvo... 5 Pré Requisitos... 5 Carga-horária... 6 Dicas para estudo... 6 Exercícios de fixação e Avaliação...

Leia mais

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO EM SEGURANÇA DO TRABALHO IMPORTÂNCIA INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO Quando do início de um empreendimento, de um negócio ou qualquer atividade; As expectativas e desejos de início são grandes:

Leia mais

Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica João Luiz F. Azevedo Apresentação preparada como parte do processo de seleção do Reitor do ITA São José dos Campos, 23 de outubro de 2015 Resumo da

Leia mais

IME/ITA/AFA/ EFOMM/EN

IME/ITA/AFA/ EFOMM/EN IME/ITA/AFA/ EFOMM/EN IME/ITA/AFA/EFOMM/EN Por que algumas pessoas realizam seus sonhos e outras não? Essa pergunta, aparentemente simples, sempre nos despertou interesse. Passamos boa parte de nossas

Leia mais

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA

I CIPPEB - CONGRESSO INTERNACIONAL DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA SEMANA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA Mestranda Rita Aparecida Nunes de Souza da Luz PROGEPE UNINOVE Resumo O objetivo desse trabalho é relatar a experiência

Leia mais

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes MEMORANDO DE ENTENDIMENTO SOBRE A COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, REPÚBLICA DA ÍNDIA, REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015 PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA - PJTC/CAPES/2015 SELEÇÃO DE PROFESSORES ORIENTADORES EDITAL Nº 01/2015 O Departamento de Apoio Acadêmico (DAA), da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), da Universidade

Leia mais

Discurso pronunciado pelo Deputado João Mendes de Jesus (PSL-RJ), em / /2005. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Demais Presentes,

Discurso pronunciado pelo Deputado João Mendes de Jesus (PSL-RJ), em / /2005. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Demais Presentes, 1 Discurso pronunciado pelo Deputado João Mendes de Jesus (PSL-RJ), em / /2005. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Demais Presentes, É com muita emoção que ocupo esta importante Tribuna

Leia mais

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como

Energia nuclear 1 INTRODUÇÃO 2 FISSÃO NUCLEAR. leve usa como combustível o urânio 235 (também chamado de urânio enriquecido) e como 1 INTRODUÇÃO Energia nuclear Energia nuclear, energia liberada durante a fissão ou fusão dos núcleos atômicos. As quantidades de energia que podem ser obtidas mediante processos nucleares superam em muito

Leia mais

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Em que momento procurar a área de Patentes da Gestec? O pesquisador pode procurar a área de Patentes da Gestec através do Núcleo de Inovação Tecnológica

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade

Leia mais

Lindolpho de Carvalho Dias

Lindolpho de Carvalho Dias Lindolpho de Carvalho Dias Possui especialização em Matemática pela Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (1962). Atualmente é do Ministério da Ciência e Tecnologia. CNPq/C.Lattes

Leia mais

É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Física.

É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Física. 1 SENHOR VICE-GOVERNADOR, SENHOR MINISTRO, SENHOR REITOR, SENHOR PREFEITO AUTORIDADES JÁ MENCIONADAS, SENHORES E SENHORES, CORDIAL BOA NOITE! É com muita honra e imensa satisfação que estamos inaugurando

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca OS TEMAS DO DIÁLOGO "Mudando os temas

Leia mais

IV SEMINÁRIO DOS RESULTADOS DA LEI DE INFORMÁTICA

IV SEMINÁRIO DOS RESULTADOS DA LEI DE INFORMÁTICA IV SEMINÁRIO DOS RESULTADOS DA LEI DE INFORMÁTICA Dr. Raul Martins Impactos da Lei de Informática em Universidades, Institutos de Pesquisa e Laboratórios 3 abril 2013, Anhembi, São Paulo Instituições de

Leia mais

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN

Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear Segurança nos Institutos da CNEN Jose Augusto Perrotta Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento DPD/CNEN Tópicos abordados nesta apresentação Institutos da CNEN Principais

Leia mais

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense)

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense) A Pesquisa com Egressos como Fonte de Informação Sobre a Qualidade dos Cursos de Graduação e a Responsabilidade Social da Instituição Universidade Federal Fluminense (UFF) Eixo II Indicadores e instrumentos

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS IFPE/IFS RECONHECIMENTO DE SABERES E COMPETÊNCIAS - (R.S.C.) UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA! Caro servidor: Como é do conhecimento de todos, o seguimento docente

Leia mais

Número 7 - Setembro / 2011. As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS

Número 7 - Setembro / 2011. As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS Número 7 - Setembro / 2011 As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS Índice Estágio e trainee: rumo à evolução 18 A força da criatividade 10 Apoio para crescer 28 Editorial

Leia mais

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS?

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS? A Pós-Graduação da PUCRS é a porta de entrada para um novo momento da sua vida profissional e acadêmica. Você pode ampliar habilidades, fomentar ideias e adquirir conhecimento com experiências inovadoras

Leia mais

SÚMULA DA 419 a REUNIÃO DO CONSUN, REALIZADA EM 28.06.2007 INÍCIO: 08h20 - ENCERRAMENTO: 14h05

SÚMULA DA 419 a REUNIÃO DO CONSUN, REALIZADA EM 28.06.2007 INÍCIO: 08h20 - ENCERRAMENTO: 14h05 SÚMULA DA 419 a REUNIÃO DO CONSUN, REALIZADA EM 28.06.2007 INÍCIO: 08h20 - ENCERRAMENTO: 14h05 O R D E M D O D I A I - ANÁLISE E DELIBERAÇÃO, PELO CONSUN, SOBRE PROPOSTAS DA REITORIA RELATIVAS AO DESLIGAMENTO

Leia mais

Edital nº 03/2015 (Prorrogação de prazos) Bolsas de Mestrado e Doutorado CNPq, CAPES e IPEN

Edital nº 03/2015 (Prorrogação de prazos) Bolsas de Mestrado e Doutorado CNPq, CAPES e IPEN Edital nº 03/2015 (Prorrogação de prazos) Bolsas de Mestrado e Doutorado CNPq, CAPES e IPEN A Comissão de Pós-Graduação do informa a toda a comunidade do IPEN que se encontram abertas inscrições para o

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO MISSÃO Ser um instrumento de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado de São Paulo. OBJETIVOS DA SD Elaborar e implantar políticas públicas para o desenvolvimento econômico

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR

ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ETAPAS NA PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA UMA USINA NUCLEAR Lucas Ferreira de Souza 1, Luana Thayse Moreira 2, Arquimedes Luciano 3 RESUMO: O Programa de

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação

Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação Prof. Max Hering de Queiroz Coordenador de Curso Agenda 1.

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ M I NI S T É RI O DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UF PR ASSUNTO: Credenciamento do corso de pós-graduação em Ciências Biológicas,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso na cerimónia comemorativa

Leia mais

RELATÓRIO ABRIL 2013 PROGRAMA OPERAÇÕES COLETIVAS IGARASSU MINHA VIDA

RELATÓRIO ABRIL 2013 PROGRAMA OPERAÇÕES COLETIVAS IGARASSU MINHA VIDA RELATÓRIO ABRIL 2013 PROGRAMA OPERAÇÕES COLETIVAS IGARASSU MINHA VIDA RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL 1 IDENTIFICAÇÃO 1.1 DADOS DA CONTRATAÇÃO Programa: Igarassu Minha Vida Contrato

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 04/2015 Aprova a criação do Núcleo Unidade EMBRAPII Software e Automação, do Centro

Leia mais

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR 1 Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná 1. Introdução Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR Procedimento importante, dentre outros, para o acompanhamento do desenvolvimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 66 Discurso na solenidade de comemoração

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO*

CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO* CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO* Maria Benedita Lima Pardo Tatiana Cardoso Andrade Ilka Thiziane Teixeira

Leia mais

A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real

A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real ELANGI BOTOY ITUKU ADMINISTRADOR DO PROJETO SEÇÃO DE APOIO À INOVAÇÃO E À TECNOLOGIA SAO TOME 24 DE MAYO DE 2014 Sumário Objetivo

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS

ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS ASPECTOS GERAIS DA ENERGIA NUCLEAR E A ESTRUTURA DO SETOR NUCLEAR NO PAÍS Apresentação no Senado Federal Aquilino Senra COPPE/UFRJ 23/03/2011 AS PRINCIPAIS ÁREAS DA ENGENHARIA NUCLEAR TECNOLOGIA NUCLEAR

Leia mais

Consulta sobre mudança de mantenedora. Walter Costa Porto

Consulta sobre mudança de mantenedora. Walter Costa Porto UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI Consulta sobre mudança de mantenedora Walter Costa Porto Reitor da Universidade Regional do Cariri-URCA, com sede na cida do Crato, Estado do Ceará, o Professor Antônio

Leia mais

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde

Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Comunicação em Saúde: Experiências da Rádio Web Saúde com jovens latino-americanos Comunicação em Saúde Ana Valéria Machado Mendonça¹ Grasiela de Sousa Pereira² Dyego Ramos Henrique Raelma Paz Silva Maria

Leia mais

II. COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES

II. COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES 7 0 * ATA N. 116/XIV Teve lugar no dia um de outubro de dois mil e treze, a reunião número cento e dezasseis da Comissão Nacional de Eleições, na sala de reuniões sita na D. Carlos 1, n. 128 andar, em

Leia mais

Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 10/06/2015. Semsa e CMS promovem 10ª Semana de Controle Social

Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 10/06/2015. Semsa e CMS promovem 10ª Semana de Controle Social Clipping Eletrônico Quarta-feira dia 10/06/2015 Portal do Holanda 10 de Junho de 2015. Fonte: http://www.portaldoholanda.com.br/amazonas/semsa-e-cmspromovem-10-semana-de-controle-social Semsa e CMS promovem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes. Superintendente Anselmo Guedes de Castilho

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes. Superintendente Anselmo Guedes de Castilho ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB Presidente da FUNETEC-PB Cícero Nicácio do Nascimento Lopes Superintendente Anselmo Guedes de Castilho Diretora Escolar Helena Mercedes Monteiro Gerente de Ensino Adeane Nunes

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO CIVIL DOCENTES MESTRE ISABEL ONETO Licenciada em Direito, mestre e doutoranda em Direito, em Ciências Jurídico-Criminais. Governadora Civil do Distrito do Porto entre 2005 e 2009

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. MANUAL DO ALUNO APRESENTAÇÃO: O Programa de Pós Graduação em História da Universidade Severino Sombra tem como Área de Concentração a

Leia mais

Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA. GPS Cursos Faculdade SESPA

Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA. GPS Cursos Faculdade SESPA Manual de Integração de Novos Alunos PROEX/SESPA GPS Cursos Faculdade SESPA Quem somos? A GPS Cursos, situada no coração do Brasil as margens do Rio Araguaia, com sede na avenida Sebastião Jerônimo dos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOÉTICA EDITAL No. 01/2010

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOÉTICA EDITAL No. 01/2010 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOÉTICA EDITAL No. 01/2010 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOÉTICA PARA OS CURSOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DOUTORADO

Leia mais

Ministro Timerman, Ministro Patriota, Secretário Geral Marcuzzo, distintos. A Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais

Ministro Timerman, Ministro Patriota, Secretário Geral Marcuzzo, distintos. A Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais TRADUÇÃO (Fornecida pela DIGAN-MRECIC) Ministro Timerman, Ministro Patriota, Secretário Geral Marcuzzo, distintos convidados, senhoras e senhores: É para mim uma grande honra dirigir-me, hoje, aos senhores.

Leia mais

O Plano Orientador de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro e o início da Universidade de Brasília 1962

O Plano Orientador de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro e o início da Universidade de Brasília 1962 O Plano Orientador de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro e o início da Universidade de Brasília 1962 21 de abril de1960 Linha do tempo Juscelino Kubitscheck apresenta ao Congresso Nacional o Projeto de Lei

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva. Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos

ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB. Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva. Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos ADMINISTRAÇÃO DA FUNETEC-PB Presidente da FUNETEC-PB João Batista de Oliveira Silva Superintendente Executivo Valdeci Ramos dos Santos Diretora Escolar e Gerente de Ensino Helena Mercedes Monteiro Supervisora

Leia mais

C a m p u s d e Ilh a S o lt e ir a ANEXO I

C a m p u s d e Ilh a S o lt e ir a ANEXO I ANEXO I Doação do Centro de Treinamento da CESP Ilha Solteira para o Departamento de Engenharia Elétrica Faculdade de Engenharia Campus de Ilha Solteira UNESP O Centro de Treinamento desempenhou atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho 1 de 5 A realização de um sonho Natalino Salgado Filho É do poeta Paulo Leminski a frase: Haja hoje para tanto ontem. Ela se encaixa com perfeição na realização de um sonho embalado por tantos anos e agora

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Faculdade de Engenharia Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia

Leia mais

Índice. Estádio Nilton Santos - Palmas, TO. A LCM Diferenciais Estrutura Capital Humano Sustentabilidade Missão/Qualidade Valores Clientes

Índice. Estádio Nilton Santos - Palmas, TO. A LCM Diferenciais Estrutura Capital Humano Sustentabilidade Missão/Qualidade Valores Clientes Índice Estádio Nilton Santos - Palmas, TO A LCM Diferenciais Estrutura Capital Humano Sustentabilidade Missão/Qualidade Valores Clientes 6 8 10 12 14 16 18 20 A LCM - Construção e Comércio S/A Nós somos

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Relatório de atividades desenvolvidas - FSM 2005 Marcelo Daniliauskas Atividades desenvolvidas antes

Leia mais

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO SUMÁRIO EXECUTIVO O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é um empreendimento imobiliário e tecnológico com características especificamente projetadas, incluindo serviços

Leia mais

Agência Nacional de Aviação Civil Brasil Superintendência de Estudos, Pesquisas e Capacitação para a Aviação Civil. Documento informativo

Agência Nacional de Aviação Civil Brasil Superintendência de Estudos, Pesquisas e Capacitação para a Aviação Civil. Documento informativo Agência Nacional de Aviação Civil Brasil Superintendência de Estudos, Pesquisas e Capacitação para a Aviação Civil Documento informativo Treinamento como ferramenta na mitigação de problemas ambientais

Leia mais

Credenciamento do curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção nível de Doutorado Concentraçao em Pesquisa Operacional,a nível de doutorado.

Credenciamento do curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção nível de Doutorado Concentraçao em Pesquisa Operacional,a nível de doutorado. Credenciamento do curso de Pós-Graduação em Engenharia de Produção nível de Doutorado Concentraçao em Pesquisa Operacional,a nível de doutorado. 0 Sub-Reitor de Ensino para Graduados e Pesquisa da Universidade

Leia mais

15 de abril Dia da Conservação do Solo

15 de abril Dia da Conservação do Solo 15 de abril Dia da Conservação do Solo Em 15 de abril de 1881 nascia, em Wadesboro, Anson County, Carolina do Norte, Estados Unidos, aquele que dedicaria toda sua vida à pesquisa, ensino e extensão em

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Porto Alegre, março de 2009. 1. O Programa O Programa de Pós-Graduação em Patologia (PPG-Patol) foi criado com o objetivo de formar pessoal

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a.

Leia mais

DISCURSO SOBRE DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) No dia Mundial do Meio Ambiente o Planeta Terra se volta para a questão

DISCURSO SOBRE DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) No dia Mundial do Meio Ambiente o Planeta Terra se volta para a questão DISCURSO SOBRE DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE DEPUTADO MARCELO SERAFIM (PSB-AM) Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, Povo do Estado do Amazonas, No dia Mundial do Meio Ambiente o Planeta Terra se volta

Leia mais

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO Um ponto muito importante na administração é a sua fina relação com objetivos, decisões e recursos, como é ilustrado na Figura 2.1. Conforme

Leia mais

BCT001 Inserção na Vida Universitária 40 0 40. BCT002 Leitura e Produção de Texto 1 40 0 40

BCT001 Inserção na Vida Universitária 40 0 40. BCT002 Leitura e Produção de Texto 1 40 0 40 ESTRUTURA CURRICULAR DOS CURSOS O desenho curricular do curso de Engenharia de Energias segue as Diretrizes Gerais da UNILAB, as quais preveem os seguintes Núcleos de Formação nos cursos de graduação:

Leia mais

Recredenciamento do curso de pós-graduação em Sociologia, em nível de mestrado.

Recredenciamento do curso de pós-graduação em Sociologia, em nível de mestrado. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Recredenciamento do curso de pós-graduação em Sociologia, em nível de mestrado. ARNALDO NISKIER I - RELATÓRIO 0 Reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro solicita

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca o futuro, sem esquecer as nossas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 85 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO PREÂMBULO A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei nº 46/86 de 14 de Outubro) consagrou a interacção com a comunidade educativa local como um pilar fundamental da política educativa. Por essa razão o nº

Leia mais

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN na solenidade de posse do Conselho Consultivo e do presidente executivo da AEERJ Dia 28 de julho de 2014 Centro de Convenções da Firjan Minhas Senhoras e Meus Senhores, Gostaria

Leia mais

Análise Estratégica. BA Brazil - palestra

Análise Estratégica. BA Brazil - palestra Análise Estratégica 12 novembro 2015 Fundação Vanzolini Ruy Aguiar da Silva Leme (1925-1997) Engenheiro civil pela Poli-USP - Professor-assistente (1949-1953) e interino (1953) - Primeiro chefe do Departamento

Leia mais

Clipping. Fonte: http://www.dzai.com.br/mddistribuidora/blog/nnopc?tv_pos_id=63367. Data: 11/07/2010

Clipping. Fonte: http://www.dzai.com.br/mddistribuidora/blog/nnopc?tv_pos_id=63367. Data: 11/07/2010 Bons sistemas UM SISTEMA DE TELEFONIA MAIS BARATO Fernando Lujan, 28 anos Curso: Ciência da Computação na PUC de São Paulo Cidade: São Paulo, SP O que fez: Uma nova central telefônica Durante o meu estágio

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

mdic.empauta.com Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 25 de abril de 2008 às 08h54

mdic.empauta.com Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 25 de abril de 2008 às 08h54 Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior Clipping da imprensa Brasília, 25 de abril de 2008 às 08h54 DCI OnLine SP Ouvidoria ganha espaço em seguros...................................................

Leia mais

Programa de Mestrado em Informática 1

Programa de Mestrado em Informática 1 Programa de Mestrado em Informática 1 REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM INFORMÁTICA DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS I - OBJETIVOS DO CURSO ART. 1º - O Curso de

Leia mais

SÚMULA DA 449 a REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO 24/9/2009 - INÍCIO: 8h28min - TÉRMINO: 11h45min

SÚMULA DA 449 a REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO 24/9/2009 - INÍCIO: 8h28min - TÉRMINO: 11h45min SÚMULA DA 449 a REUNIÃO ORDINÁRIA DO 24/9/2009 - INÍCIO: 8h28min - TÉRMINO: 11h45min 1. REITORIA 1.1. APROVAÇÃO DAS ATAS DAS 443 a, 445 a E 446 a REUNIÕES Aprovada a ata da 443 a reunião extraordinária

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 28/2012 Aprova o Regimento do Centro

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

Presidência. 1. Cargo Diretor-Presidente. 2. Hierarquia 1º Nível. 3. Atividades desenvolvidas:

Presidência. 1. Cargo Diretor-Presidente. 2. Hierarquia 1º Nível. 3. Atividades desenvolvidas: Presidência 1. Cargo Diretor-Presidente 1º Nível : Representar a INOVATECH perante órgãos internos e externos da UEM Coordenar reuniões gerais e de diretoria executiva Coordenar e acompanhar o planejamento

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO E A SISTEMATIZAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A ORGANIZAÇÃO E A SISTEMATIZAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO A ORGANIZAÇÃO E A SISTEMATIZAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO 1. A Pesquisa e a pós-graduação A pesquisa sistematizada na PUCPR proporcionou uma sinergia significativa com as atividades de ensino. Um resultado inicial

Leia mais

EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS

EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS 1 EDITAL PARA CHAMAMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDIMENTOS PARA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE EMPRESAS DE GUARULHOS EDITAL DE SELEÇÃO DAS EMPRESAS 02/2010 I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A Agência de Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor.

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor. OSVALDO Bom dia! Meu nome é Osvaldo, tenho 15 anos, sou de Santa Isabel SP (uma cidadezinha próxima à Guarulhos) e, com muito orgulho, sou bolsista ISMART! Ingressei no ISMART este ano e atualmente estou

Leia mais

FATEC ITU. Programa Live@edu da Microsoft Premiação da FATEC ITU

FATEC ITU. Programa Live@edu da Microsoft Premiação da FATEC ITU FATEC ITU Fatec Itu Notícias O Jornal de Todos Nós Viagem didática Neste 2º semestre, os alunos da Fatec Itu foram levados, pelo professor Eduardo Tadeu Gonçalves, a visitar o Espaço Cultural Catavento

Leia mais

Normas: uma ponte para a inovação

Normas: uma ponte para a inovação Normas: uma ponte para a inovação Workshop 12 de novembro de 2014 Auditório do Departamento de Engenharia Mecânica Rua Luís Reis Santos Polo 2 da Universidade de Coimbra Entrada livre Programa 14:30 14:40

Leia mais

1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas)

1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas) 1. O rei da Belíndia (uma fábula para tecnocratas) ~ Era uma vez um reino situado num longínguo rincão a meio caminho entre o Ocidente e o Oriente, denominando Belindia. Segundo revelações dos antigos,

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais