3.14) Referências Bibliográficas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3.14) Referências Bibliográficas"

Transcrição

1 3.14) Referências Bibliográficas ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (1989) (20 abr. 2009). AB SABER, A. N. Os domínios morfoclimáticos na América do Sul. Geomorf. 52, IGEOB-USP, São Paulo, ANA - Agência Nacional de Águas, Plano Estratégico da Bacia Hidrográfica dos Rios Tocantins e Araguaia Relatório Síntese, disponível em: acessado em junho de Agência Nacional de Águas. Disponível em: (20 / junho / 2009). ALMEIDA, F. F. M. de. Depósitos de origem glacial no território de Ponta Porã, Estado de Mato Grosso. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 1, mar ALMEIDA, F. F. M. de. Geologia do centro-leste mato-grossense, Boletim da Divisão de Geologia e Mineralogia, Rio de Janeiro, n. 15, p. 1-97, ALMEIDA, F. F. M.; BARBOSA, O. Geologia das quadrículas de Piracicaba e Rio Claro, Estado de São Paulo. Bol. DNPM DGM, R. Janeiro, 96 p. (Bol.143) ALMEIDA, F.F.M. de. Contribuição à geologia dos Estados de Goiás e Mato Grosso. Notas Preliminares e Estudos da Divisão de Geologia e Mineralogia, Rio de Janeiro, n. 46, p. 1-15, ALMEIDA, C.; C. ROMARIZ Aspectos quantitativos da drenagem superficial do Algarve (Portugal). Geolis, Revista da Secção de Geologia Ec. e Aplicada,vol. II(2), p ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica. Disponível em: (30 / maio / 2009). ASSUMPÇÃO, M. & SUARES, G. Mecanismos focais e esforços litosféricos no Brasil. Eng. Reg. Geofísica 1. São José dos Campos, SBGF. Resumos, p ASSUMPÇÃO, M. Aspectos da correlação sismicidade-geologia. Ata da I Mesa Redonda sobre risco sísmico, São Paulo, v. 5, n ASSUMPÇÃO, M. Terremotos no Brasil, Ciência Hoje, Ano 1, n. 6, p.13 20, maio/junho, AVALERIDZE, WLADIMIR C. Os solos em Relação com a Geomorfologia. Trad. Resumida. Ed. Instituto de Biologia e Pesquisas Tecnológicas. Bol. nº 38 Curitiba Pr, BARBALHO, M. G. S.; CASTRO, S. S. DE; CAMPOS, A. B.; MEDEIROS. Morfologia do Relevo e Ocorrências Erosivas Lineares na Alta Bacia do Rio Araguaia, GO/MT. In: X Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada. UFRJ, Rio de Janeiro. Anais Base de Dados Geoespacializados de Cavidades Naturais Subterrâneas do CECAV, Situação em 01 / 05 / V.II-490

2 BERROCAL, J.; ASSUMPÇÃO, M.; ANTEZANA, R.; DIAS NETO, C. M.; ORTEGA, R.; FRANÇA & VELOSO, J. A. V. Sismicidade do Brasil, IAG-USP/CNEN, 1984, 320 p.. CABRAL JÚNIOR, M. Avaliação do potencial metalogenético da Bacia do Paraná no Estado de São Paulo para depósitos sedimentares fosfáticos, evaporíticos e de metais-base. Rio Claro. 238 p (Dissertação de Mestrado - IGCE/UNESP). CAMPOS, A. C. R. The Tubarão group in the Brazilian portion of the Paraná basin. In: BIGARELLA, J.J.; BECKER, R.D.; PINTO, I.D. (ed). Problems in Brazilian gondwana geology. Curitiba, Conselho Nacional de Pesquisas, 344p., p.27-95, CARVALHO, N. O. Guia de Avaliação de assoreamento de reservatórios. Brasília, ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica, CARVALHO, N. O. Hidrossedimentologia prática. Rio de Janeiro: CPRM, CARVALHO, Tiago Morato. LATRUBESSE Edgardo M. Aplicação de modelo digitais do terreno (MDT) em análises macrogeomorfológicas: o caso da bacia hidrográfica do Araguaia. Revista Brasileira de Geomorfologia, v.5, p.85-93, CASSETI, Valter. Síntese analítica das bases físicas do Estado de Goiás. Goiânia: Fundação Indur, CECAV / ICMBio, Relatório Demonstrativo da Situação Atual das Cavidades Naturais Subterrâneas Por Unidade da Federação Estado do Mato Grosso (2008). CECAV / ICMBio, Relatório Demonstrativo da Situação Atual das Cavidades Naturais Subterrâneas Por Unidade da Federação Estado de Goiás (2008). CNEC CONSÓRCIO NACIONAL DE ENGENHEIROS CONSULTORES Apêndice 2 Geologia e Geotecnia Projeto Básico do Aproveitamento Hidrelétrico Couto Magalhães CNEC CONSÓRCIO NACIONAL DE ENGENHEIROS CONSULTORES. Sismicidade: capítulo COELHO, André Luiz Nascimento. Uso de dados SRTM como ferramenta de apoio ao mapeamento geomorfológico de bacia de médio-grande porte. Revista Geográfica Acadêmica, v.2, p , Disponível em (acesso em 08/07/2009). CORDANI, U. G.; NEVES, B. B. B.; FUCK, R. A.; PORTO, R.; THOMAS FILHO, A.; CUNHA, F. M. B. Estudo preliminar de integração do pré-cambriano com os eventos tectônicos das bacias sedimentares brasileiras. Ciência Técnica Petróleo, nº 15. Petrobrás, CENPES, CINTEP, 70 p CPRM SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. SIAGAS. Sistema de Informação de Águas Subterrâneas. Disponível em: (10 / Maio / 2009). CROSTA, A. P. Domo de Araguainha - O maior astroblema da América do Sul. In: Schobbenhaus,C.; Campos,D.A.; Queiroz,E.T.; Winge,M.; Berbert-Born,M. (Edit.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil Disponível em: (03 mai 2007). V.II-491

3 CUSTÓDIO, E.; RAMOS LLAMAS, M. Hidrogeologia Subterrânea, Barcelona, Ômega vol. I e II, DNAEE Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica. Inventário das Estações Fluviométricas. DNAEE/MME, Brasília, DNPM DEPARTAMENTO NACIONAL DE PROTEÇÃO MINERAL. Cadastro Mineiro (Busca de Processos de Mineração). Disponível em: https://sistemas.dnpm.gov.br/sicom/sicom.asp (13 / Maio / 2009). DNPM DEPARTAMENTO NACIONAL DE PROTEÇÃO MINERAL. SIGMINE (Informações Geológicas da Mineração). Disponível em: (13 / Maio / 2009). EMBRAPA - Centro Nacional de Pesquisa de Solos (Rio de Janeiro, RJ). Sistema Brasileiro de Classificação de Solos Brasília: Embrapa, Produção de Informação, Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006 EPSTEIN, B. & LOMNITZ, C. A model for the occurrence of large earthquakes. Nature, 211: FEITOSA, F.A.C.; MANOEL FILHO, J. (coordenadores). Hidrogeologia: conceitos e aplicações. Fortaleza- CPRM, LABHID UFPE, 1997 FEMAGO Fundação Estadual do Estado de Goiás. As erosões das nascentes do Araguaia. FEMAGO. Goiânia, FORNASARI FILHO, N.; BRAGA, T. DE O.; GALVES, M. L.; BITAR, O. Y.; AMARANTE, A. Alterações no meio físico decorrentes de obras de engenharia. São Paulo. Publicação IPT - Boletim n. 61: 165p FRANÇA, A. B.; POTTER, P. E. Estratigrafia, ambiente deposicional e análise de reservatório do Grupo Itararé (Permocarbonífero), Bacia do Paraná (Parte 1). Boletim de Geociências da PETROBRÁS, n.2, p , GAMA JÚNIOR, E. A sedimentação do Grupo Passa Dois (exclusive Formação Irati): um modelo geomórfico. Revista Brasileira de Geociências. v. 9, n. 1, p. 1-16, GONÇALVES, A.; SCHNEIDER, R. L. Geologia de semi-detalhe da região de Sangradouro, Batovi-Tesouro e Guiratinga, Mato-Grosso, Ponta Grossa, PETROBRÁS-DESUL, 35p. (Relatório Técnico Interno, 394). GROHMANN, Carlos Henrique. STEINER, Samara dos Santos. Aplicação dos modelos de elevação SRTM em geomorfologia. Revista Geográfica Acadêmica, v.2, p.73-83, Disponível em (acesso em 8/07/2009) GUERRA, A.T.; GUERRA, A.J.T. Novo dicionário Geológico-geomorfológico. 3ºed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. GUPTA, H. K. Reservoir Induced Earthquakes. D.G.E.H, 64. Elsevier, 365 p HACHIRO J. Litotipos, associações faciológicas e sistemas deposicionais da Formação Irati no Estado de São Paulo. Inst. De Geociências, Universidade de São Paulo, Dissertação de Mestrado, 175p V.II-492

4 HAUKSSON, E. Seismotectonics. Rev. of Geophysics, Suppl. P April HINZE, W.J.; BRAILE, L. W.; KELLER, G. R.; LIDIAK, E. G. Models of mid-continent tectonism: an update. Rev. of Geophysics, 26: IBGE INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Geografia Regional do Brasil: O Clima da Região Centro-Oeste. Vol. 4: Região Centro-Oeste Rio de Janeiro INMET-INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA 20/06/09 IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Mapa Geológico do Estado de São Paulo. Escala: 1: v IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Investigação, caracterização da fenomenologia e diretrizes para o controle corretivo e preventivo de nove feições erosivas lineares e respectivas bacias de contribuição: Bacia Hidrográfica do Alto Araguaia, GO/MT. Relatório Técnico IPT /1998. LEPSCH, Igo F. Solo: Formação e Conservação. São Paulo, Melhoramentos. Ed. Da Universidade de São Paulo. Brasília, INL, LEPSCH, I. F. et al Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. Campinas, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 145p. LIMA, C.; NASCIMENTO, E. ; ASSUMPÇÃO, M. Stress orientation in Brazilian Sedimentary basins from breakout analysis: implications for force models in the South American plate. Geophys. J. Int. 130: MADRUGA, E. L. Erosões associadas a estrada rural, e proposição de controle: Estudo de caso na rodovia MT-100. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Programa de Pós-Graduação em Agricultura Tropical. MARQUES FILHO, P.L.; GERALDO, A. Barragens e reservatórios. In: OLIVEIRA, A. M. S.; BRITO, S. N. A. Geologia. de engenharia. São Paulo: ABGE, p MELFI, Adolfo J.; PEDRO, Georges. Estudo Geoquímico dos Solos e Formações Superficiais do Brasil. Revista Brasileira de Geociências. Vol. 7, nº 4, Dezembro MENDES, J. C. The Passa Dois Group: The brazilian portion of Paraná basin. In: BIGARELLA, J. J.; BECKER, R.D.; PINTO, I.D. (eds). Problems in Brazilian Gondwana geology, Curitiba, Cons. Nac. Pesq. Centro Invest. Gondwana, Inst. Geol. (UFP) Comis. Carta Geol. Paraná, p MENDONÇA F.; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos. 206 p MMA-MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, SRH-SECRETARIA DE RECURSOS HÍDRICOS, Caderno da Região Hidrográfica do Tocantins Araguaia, Brasília: MMA, V.II-493

5 MINISTÉRIO DO INTERIOR PROJETO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DA BACIA DO ARAGUAIA TOCANTINS (PRODIAT). Diagnóstico da Bacia do Araguaia Tocantins. Brasília, MMA; SECRETARIA DOS RECURSOS HÍDRICOS, Diagnóstico Hidrogeológico do Estado do Mato Grosso NASCIMENTO, Maria Amélia L. S. Geomorfologia do Estado de Goiás. In: Boletim Goiano de Geografia. Volume: 12, n. 1. Goiânia: UFG, NIMER, E. Climatologia do Brasil. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, NORTHFLLET, A. A.; MEDEIROS, R. A.; MÜHLMANN, H Reavaliação dos dados geológicos da bacia do Paraná. Boletim Técnico da PETROBRÁS, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, p , jul./set, OLIVEIRA, M. A. M. de. Reconhecimento geológico na região noroeste da bacia sedimentar do Paraná. Ponta Grossa, PETROBRÁS-DEBSP, 47p., 1964 (Relatório Técnico Interno, 2025). PETRI, S. ; FULFARO, V J. Considerações sobre a geologia da área balizada pelas cidades de Barra das Forças e Guiratinga (Mato Grosso) e Jataí e Amoninópolis (Goiás). In: Sociedade Brasileira de Geologia - Núcleo Rio de Janeiro, v. 1. p PROGEA ENGENHARIA E ESTUDOS AMBIENTAIS & ELETRONORTE - CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL (1998) EIA Estudo de Impactos Ambientais da UHE de Couto Magalhães. Tomos I e II. PROGEA/ELETRONORTE, PROGEA ENGENHARIA E ESTUDOS AMBIENTAIS & ELETRONORTE - CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL (2001) Estudos Ambientais Complementares do EIA Estudo de Impactos Ambientais da UHE de Couto Magalhães. Tomos I e II. PROGEA/ELETRONORTE, QUADRO, M. F. L.; MACHADO, L. H. R.;CALBETE, S.; BATISTA, N.; OLIVEIRA, G. Climatologia de Precipitação e Temperatura. Climanálise. CPTEC/INPE, QUINTAS, M.C.L. O embasamento da Bacia do Paraná: Reconstrução Geofísica de seu arcabouço. Tese. Universidade de São Paulo, Instituto Astronômico e Geofísico (IAG). 213p, RADAMBRASIL Levantamento de recursos naturais, Folhas 22 Goiânia. Rio de Janeiro, MME Ministério das Minas e Energia, 1983, 780p. Geologia, Geomorfologia e Pedologia. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 001, de 23 de janeiro de RESOLUÇÃO Nº 237, de 19 de dezembro DE ROSS, Jurandyr L. Sanchez & MOROZ, Isabel Cristina. Mapa Geomorfológico do Estado de São Paulo. São Paulo: Laboratório de Geomorfologia Depto. Geografia FFLCH USP / Laboratório de Cartografia Geotécnica - Geologia Aplicada IPT / Fapesp - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, V.II-494

6 ROSS, Jurandyr L. Sanches. Geomorfologia Aplicada aos EIAs-RIMAs. in: GUERRA, A. T. & CUNHA S. B. Geomorfologia e Meio Ambiente. Bertrand Brasil: Rio de Janeiro, ROSS, J.L.S. Análise Empírica da Fragilidade dos Ambientes Naturais e Antropizados, 1994, Revista do Departamento de Geografia, Nº 8. SALOMÃO, F. X. T.; MADRUGA, E. L. (2001) Diagnóstico e Indicativos para o Plano de Controle Ambiental voltado a contenção das erosões instaladas ao longo da Rodovia MT-100, no trecho compreendido entre a cidade de Alto Araguaia e a divisa dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. UFMT, SCHNEIDER, R.L.; MÜHLMANN, H.; TOMMASI, E.; MEDEIROS, R. A.; DAEMON, R. F.; NOGUEIRA, A. A. Revisão estratigráfica da Bacia do Paraná. In: Congresso Brasileiro de Geologia, 28, Porto Alegre, Anais... Porto Alegre : SBG, v. 1, p SCHOBBENHAUS, C. et al. Geologia do Brasil (Texto explicativo do Mapa Geológico do Brasil e da área oceânica adjacente, incluindo depósitos minerais, escala 1: ). MME/DNPM, Brasília, 501 p SIMPSON, D. W. Seismicity changes associated with reservoir loading. Eng. Geology 10: SISTEMA ESTADUAL DE ESTATÍSTICA E INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE GOIÁS SIPOT / ELETROBRAS. Diagnóstico das Condições Sedimentológicas dos Principais Rios Brasileiros. Publ. Técnica, SOARES P. C. Divisão estratigráfica do mesozóico no Estado de São Paulo. An. Acad. Bras. Ci., 44 (supl.): SOARES, P. C. Ensaio de caracterização estratigráfica do cretáceo no Estado de São Paulo: grupo Bauru. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v.10, n. 3, p , set SOARES, P.C. Arenitos Botucatu e Pirambóia no Estado de São Paulo. In: SBG, Congr. Bras. Geol., 26, 1972, Boletim de Resumos, n. 1, p SOUZA JUNIOR, J.J. Geologia da Bacia Sedimentar do Paraná. In: Projeto RADAMBRASIL. Folha SE. 22 Goiânia. Rio de Janeiro. (Levantamento de Recursos Naturais, 31) SUGUIO, K. Rochas sedimentares. São Paulo, Edgard Blücher / EDUSP, p. SYKES, L. R. Intraplate Seismicity, reactivation of preexisting zones of weaknessm alkaline magmatism and other tectonism postdating continental fragmentation. Rev. of Geophys and space phys. 16: UFMT Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. Diagnóstico e Indicativos para o Plano de Controle Ambiental voltado à contenção das erosões instaladas ao longo da Rodovia MT- 100, no trecho compreendido entre a cidade de Alto Araguaia e a divisa dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. UFMT. Cuiabá UnB - UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Sismicidade Induzida. Disponível em: (17 abril 2007). V.II-495

7 VELOSO, J. A. V.; MARZA, V. I.; CARVALHO, J. M.; BARROS, L. V. Recent Seismic Activity in the S-W Edge of the Mato Grosso-Goiás-Tocantins (MGT) Belt (Central Brasil) 5º Congresso Int. da SBGF, São Paulo, 28 de setembro a 02 de outubro de VELOSO, J.A.V. Terremotos induzidos pelo homem, Ciência Hoje v.14, n. 8186, maio/junho, 1992, p ZALÁN, P.V.; WOLFF, S.; CONCEIÇÃO, J.C.; MARQUES, A.; ASTOLFI, M.A.M.; VIEIRA, I.S.; APPI,V.T. Bacia do Paraná. In: Origem e evolução de Bacias Sedimentares. Petrobrás, Rio de Janeiro, p , WALM ENGENHARIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL LTDA. EIA AHE Couto Magalhães Volume II. Tomo II 2007 WHITE, I.C. (1908) Relatório final da Comissão de Estudos das Minas de Carvão de Pedra do Brasil. Rio de Janeiro : DNPM, Parte I, p ; Parte II, p (ed. Fac-similar). WMO - WORLD METEOROLOGICAL ORGANIZATION. Atlas climático de America del Sur. Budapeste V.II-496

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Bibliografia

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Bibliografia Bibliografia 89 90 Bibliografia APRA - Agencia de Protección Ambiental. Atlas ambiental de Buenos Aires. Disponível em http:// www.atlasdebuenosaires.gov.ar/aaba/. Acessado em: ago. 2010. Paulo - 2000.

Leia mais

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca USO DE GEOTECNOLOGIAS APLICADO AO ESTUDO DA SUSCETIBILIDADE E ANÁLISE DE RISCO DE PROCESSOS EROSIVOS EM FAIXAS DE DOMÍNIO DE LINHAS FÉRREAS - SUBSÍDIO AOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO OPERACIONAL E AMBIENTAL

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS Ministério da Educação e do Desporto Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO DE DISCIPLINAS 1 2 Curso Geografia Código: 35 3 4 Modalidade(s): Licenciatura / Bacharelado

Leia mais

Sustentabilidade (meio ambiente) Ano Internacional do Planeta Terra

Sustentabilidade (meio ambiente) Ano Internacional do Planeta Terra Ano Internacional do Planeta Terra Núcleo de Sustentabilidade TN Ano Internacional do Planeta Terra Núcleo de Sustentabilidade TN - Através de uma parceria entre o Ministério das Ciências e Tecnologia-

Leia mais

ANEXO I GRADE CURRICULAR

ANEXO I GRADE CURRICULAR ANEXO I GRADE CURRICULAR Projeto Curricular GEO-ICADS Anexo I 13 1º SEMESTRE 1 ANEXO I GRADE CURRICULAR IAD 071 Biologia Geral 68 --- IAD 235 Geometria analítica 68 --- IAD 249 Geologia Introdutória 68

Leia mais

45 mm. Av. Cel. Francisco H dos Santos, 100 - Centro Politécnico - Bloco 5, Sala PH17, Curitiba, Paraná

45 mm. Av. Cel. Francisco H dos Santos, 100 - Centro Politécnico - Bloco 5, Sala PH17, Curitiba, Paraná INFLUÊNCIA MORFOESTRUTURAL NA EVOLUÇÃO DAS DRENAGENS DO ALTO IVAÍ RIO ALONZO SUL DO BRASIL Edivando Vitor do Couto 1 ; Edison Fortes 2 ; Bruno Aurélio Camolezi 2 edivandocouto@gmail.com 1 - Universidade

Leia mais

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB Yuri Tomaz Neves 1 ; Laércio Leal dos Santos 2 ; Jonathan Nóbrega Gomes 3 ; Bruno Menezes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "CAMPUS" DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente Curso: Mestrado e Doutorado Disciplina: ESTUDO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS POR ATIVIDADES DE MINERAÇÃO Código: GAA 00185

Leia mais

BACHARELADO EM GEOLOGIA

BACHARELADO EM GEOLOGIA BACHARELADO EM GEOLOGIA Estrutura Curricular Duração : 10 semestres Mínima: 10 semestres Máxima: 20 semestres Currículo para ingressantes a partir de 2004 s Obrigatórias (Sequência Aconselhada) Conjunto

Leia mais

Bacia do Paraná: Rochas e solos. Almério Barros França Petrobrás Claudinei Gouveia de Oliveira Instituto de Geociências-UnBi

Bacia do Paraná: Rochas e solos. Almério Barros França Petrobrás Claudinei Gouveia de Oliveira Instituto de Geociências-UnBi Bacia do Paraná: Rochas e solos Almério Barros França Petrobrás Claudinei Gouveia de Oliveira Instituto de Geociências-UnBi Bacia Hidrográfica do Rio Paraná versus Bacia Sedimentar do Paraná = Bacia do

Leia mais

FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL

FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL Francisca Cardoso da Silva Lima Centro de Ciências Humanas e Letras, Universidade Estadual do Piauí Brasil Franlima55@hotmail.com

Leia mais

COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO

COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO Uhênia Caetano PEREIRA Universidade Federal de Goiás (uhenea@hotmail.com) Cláudia Valéria LIMA

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DA ÁREA URBANA DE ILHÉUS, BAHIA Hogana Sibilla Soares Póvoas Bolsista do PET Solos Universidade Estadual de Santa Cruz hogana_sibila@hotmail.com Ednice de Oliveira Fontes Universidade

Leia mais

CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL

CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL CRATERAS METEORÍTICAS NO BRASIL Alvaro Penteado Crósta Instituto de Geociências, Unicamp As crateras de impacto são estruturas formadas quando um planeta ou satélite é atingido por meteoritos, asteróides

Leia mais

GEOGRAFIA. transformadas

GEOGRAFIA. transformadas GEOGRAFIA Disciplina A (currículo atual 2008) Disciplina B (currículos extintos) 1ª período 59480 Cartografia Geral 68 Geografia Cartografia B 136 37230 Geografia Contida Ementa: Aborda os fundamentos

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; Email:natachaaleixo@yahoo.com.br;

Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; Email:natachaaleixo@yahoo.com.br; SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA APLICADAS À ANÁLISE DA Mesquita, M. 1 ; Silva Neto, J.C.A. 2 ; Aleixo, N.C.R. 3 ; 1 UEA Email:nsacj@hotmail.com; 2 UEA Email:joaokandido@yahoo.com.br; 3 UEA Email:natachaaleixo@yahoo.com.br;

Leia mais

F. Raquel R. F. Sousa

F. Raquel R. F. Sousa F. Raquel R. F. Sousa Geologia Aplicada e do Ambiente Geologia Hidrologia Hidrogeologia SIG Arcgis 9.3 10 Morada Data de nascimento Telemóvel E-mail Skype Rua Filipe da Mata, nº 26, 1º direito, 1600 071

Leia mais

MAPEAMENTO DE FRAGILIDADE DE DIFERENTES CLASSES DE SOLOS DA BACIA DO RIBEIRÃO DA PICADA EM JATAÍ, GO

MAPEAMENTO DE FRAGILIDADE DE DIFERENTES CLASSES DE SOLOS DA BACIA DO RIBEIRÃO DA PICADA EM JATAÍ, GO MAPEAMENTO DE FRAGILIDADE DE DIFERENTES CLASSES DE SOLOS DA BACIA DO RIBEIRÃO DA PICADA EM JATAÍ, GO Régia Estevam ALVES (UFG/Campus Jataí - E-mail: regiaestevam@gmail.com). Raquel Maria de OLIVEIRA (Profa.

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema de Informações Geográficas (SIG) para o monitoramento de uma bacia hidrográfica, utilizando software livre RESUMO

Desenvolvimento de um Sistema de Informações Geográficas (SIG) para o monitoramento de uma bacia hidrográfica, utilizando software livre RESUMO Desenvolvimento de um Sistema de Informações Geográficas (SIG) para o monitoramento de uma bacia hidrográfica, utilizando software livre RESUMO Este artigo apresenta os primeiros resultados do desenvolvimento

Leia mais

shirley_ufrj@yahoo.com.br

shirley_ufrj@yahoo.com.br INFLUÊNCIA NEOTECTÔNICA NA COMPARTIMENTAÇÃO DO RELEVO E NA DISTRIBUIÇÃO DA SEDIMENTAÇÃO QUATERNÁRIA NA DEPRESSÃO INTERPLANÁLTICA DO MÉDIO VALE PARAÍBADO SUL (SP/RJ) Shirley Cristina de Barros 1 ; Claudio

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO SISMOLÓGICO

PROGRAMA DE MONITORAMENTO SISMOLÓGICO PLANO BÁSICO AMBIENTAL DO AHE CACHOEIRA CALDEIRÃO PROGRAMA DE MONITORAMENTO SISMOLÓGICO Licença Prévia 0112/2012 Condicionante Específica Nº 2.8.2 Quanto à Área de Influência Direta (AID), realizar o seguinte

Leia mais

EIA - Porto Pontal Paraná

EIA - Porto Pontal Paraná 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR E EMPRESA CONSULTORA 1.1. Identificação do empreendedor Razão Social: PORTO PONTAL PARANÁ IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA CNPJ nº 01.183.440/0001-94 Endereço: Av. Atlântica,

Leia mais

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO HIDROLOGIA I RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 - Introdução: Apresentação do Programa da Disciplina, Sistema de Avaliação; Conceito; Importância e Aplicação da Hidrologia (2h) 2 - Ciclo Hidrológico (2h);

Leia mais

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA

3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3 ASPECTOS GERAIS DA ÁREA ESTUDADA 3.1. Localização O aproveitamento Hidrelétrico de Itumbiara, com potência instalada de 2080 MW, situa-se no rio Paranaíba, na divisa dos estados de Minas Gerais e Goiás,

Leia mais

ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO FRUTUOSO EM ANÁPOLIS (GO).

ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO FRUTUOSO EM ANÁPOLIS (GO). ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO FRUTUOSO EM ANÁPOLIS (GO). Maria de Lourdes Gomes Guimarães 1,3 ; Homero Lacerda 2,3 1 Voluntária de Iniciação Científica PVIC/UEG 2 Pesquisador Orientador

Leia mais

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO *Thomaz Alvisi de Oliveira 1 ; Paulina Setti Riedel 2 ; Célia Regina de Gouveia Souza 3

Leia mais

CONFECÇÃO DE GUIA EDUCACIONAL COMO MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA E CIÊNCIAS

CONFECÇÃO DE GUIA EDUCACIONAL COMO MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA E CIÊNCIAS CONFECÇÃO DE GUIA EDUCACIONAL COMO MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA E CIÊNCIAS ROCHA, Isabel Rodrigues da¹; CABRAL, João Batista Pereira²; SILVA, Hellen Fabiane Franco³; DE PAULA, Makele Rosa

Leia mais

4º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-11)

4º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-11) (Contrato Copel SLS/DCSE N o 45858/2009) 4º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-11) PERÍODO OUTUBRO DE 2012 PROGRAMA DE MONITORAMENTO SISMOGRÁFICO DA USINA HIDROELÉTRICA DE

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO CONTRIBUIÇÕES GEOMORFOLÓGICAS E HIDROGEOGRÁFICAS ÀS REFLEXÕES SOBRE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO Fernando Souza Damasco 1 ; Caio Araujo Varela 2 fernandodamasco@hotmail.com 1 Universidade Federal

Leia mais

Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos²

Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos² Ordilei Aparecido Gaspar de Melo¹ Manoel Luiz dos Santos² ¹UNIMEO/CTESOP UEM Professor da Faculdade UNIMEO/CTESOP-Assis Chateaubriand/PR Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia PGE-UEM ordmelo@hotmail.com

Leia mais

CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL CARTAS DE DERIVAÇÕES AMBIENTAIS E TRANSGRESSÕES LEGAIS: DESTAQUE AS ÁREAS DE PLANICIE E TERRAÇOS FLUVIAIS NO ANTIGO E Silveira, A. 1 ; Cunha, C.M.L. 2 ; 1 CEETEPS Email:silveira_81@yahoo.com.br; 2 UNESP

Leia mais

Augustinho Rigoti Curriculum Vitae

Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Julho/2014 Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Dados pessoais Nome Augustinho Rigoti Nome em citações bibliográficas RIGOTI, A. Nascimento 28/08/1950 - Itatiba do Sul/RS

Leia mais

Reflexos da extração de areia na morfologia do ribeirão dos Macacos-MG, entre 1989 e 2010

Reflexos da extração de areia na morfologia do ribeirão dos Macacos-MG, entre 1989 e 2010 Reflexos da extração de areia na morfologia do ribeirão dos Macacos-MG, entre 1989 e 2010 Carvalho, A. (PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA, IGC/UFMG) ; Raposo, A.A. (PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA,

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS

TABELA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS TABELA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS 01 Consultas técnicas no escritório (por hora) 01.01 Com solução verbal R$ 400,00 01.02 Com solução por escrito R$ 600,00 01.03 Com consulta a arquivos, registros ou

Leia mais

3º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-10)

3º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-10) (Contrato Copel SLS/DCSE N o 45858/2009) 3º BOLETIM MENSAL DE MONITORAMENTO DA FASE DE ENCHIMENTO (MC-02 EC-10) PERÍODO SETEMBRO DE 2012 PROGRAMA DE MONITORAMENTO SISMOGRÁFICO DA USINA HIDROELÉTRICA DE

Leia mais

7. BIBLIOGRAFIA GERAL. Ascher, François (2010), Novos Princípios do Urbanismo, novos compromissos urbanos, Lisboa.

7. BIBLIOGRAFIA GERAL. Ascher, François (2010), Novos Princípios do Urbanismo, novos compromissos urbanos, Lisboa. 7. BIBLIOGRAFIA GERAL Ascher, François (2010), Novos Princípios do Urbanismo, novos compromissos urbanos, Lisboa. Alcoforado, M.J. et al. (1993), Domínios bioclimáticos em Portugal: definidos por comparação

Leia mais

APOIO TÉCNICO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO

APOIO TÉCNICO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO LABORATÓRIOS CARTOGRAFIA E EDITORAÇÃO CPRM - SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL NESTE CAPÍTULO são apresentados os resultados obtidos em 2005 na área de apoio técnico, que inclui os laboratórios, as bases cartográficas

Leia mais

Carga horária de 44 h/semana

Carga horária de 44 h/semana 1. Assessoria e Consultoria Técnica * Locação de área com GPS e mapeamento preliminar (GPS de navegação) 800,00 Locação de área com GPS e mapeamento preliminar (GPS geodésico) 1.500,00 Consultoria técnica

Leia mais

Geólogo um profissional multidisciplinar

Geólogo um profissional multidisciplinar Geólogo um profissional multidisciplinar Marco Antonio Ferreira Gomes Marco Antonio em área de algodão na Fazenda Graúna. Conceitos de geologia O termo Geologia vem do grego geo, que significa terra, e

Leia mais

Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC

Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC Análise e Classificação Granulométrica de Sedimentos Quaternários em Perfil Estratigráfico de Margem Fluvial do Rio Itapocu - SC Paulino, R.B. (UFPR) ; Goulart, A.A. (UFPR) ; Siefert, C.A.C. (UFPR) ; Lopes,

Leia mais

Análise dos Fatores que Condicionam a Estrutura do Relevo em Piraí da Serra, PR

Análise dos Fatores que Condicionam a Estrutura do Relevo em Piraí da Serra, PR Análise dos Fatores que Condicionam a Estrutura do Relevo em Piraí da Serra, PR Rafael KÖENE e Mário Sérgio de MELO Universidade Estadual de Ponta Grossa A região de Piraí da Serra é um representante remanescente

Leia mais

PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI

PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos superintendência de Recursos Hídricos e Pesca Arranjo Institucional

Leia mais

CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE CATU, BA.

CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE CATU, BA. CARTOGRAFIA E IMAGEM ASTER APLICADOS NO MAPEAMENTO Avelino, E. 1 ; 1 IFBAIANO, CAMPUS CATU Email:ed.avelino@hotmail.com; RESUMO: Esta pesquisa tem o objetivo de mapear as unidades geomorfológicas do município

Leia mais

1 Pesquisador orientador 2 Bolsista PBIC/UEG 3 Curso de Geografia Unidade Universitária de Iporá - UEG

1 Pesquisador orientador 2 Bolsista PBIC/UEG 3 Curso de Geografia Unidade Universitária de Iporá - UEG 1 IMPLANTAÇÃO DE REDE DE COLETA DE DADOS CLIMÁTICOS COMO SUBSÍDIO À PESQUISA GEOAMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE IPORÁ-GO 1º FASE. Valdir Specian 1, 3 ; Leidiane Aparecida de Andrade 2, 3 1 Pesquisador orientador

Leia mais

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI v.6, n. 01, jan. 2011 Bol. Mon. Bacia do Alto Paraguai, Brasília, v. 6, n. 01, p. 1-21, jan. 2011 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Presidenta

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO RIO PARAGUAI EM CÁCERES A PARTIR DE INDICADORES MORFOLÓGICOS, PANTANAL SUPERIOR BRASIL

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO RIO PARAGUAI EM CÁCERES A PARTIR DE INDICADORES MORFOLÓGICOS, PANTANAL SUPERIOR BRASIL DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO RIO PARAGUAI EM CÁCERES A PARTIR DE Ferreira Santana, M. 1 ; Appolari, B.P. 2 ; Leocádio de Oliveira, J. 3 ; Lourenço Alves da Silva, J. 4 ; dos Santos Leandro, G.R. 5 ; dos Santos,

Leia mais

HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO)

HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO) HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO) Marcus Vinícios Andrade Silva Engenheiro Geólogo / Hidrogeólogo Professor de Hidrogeologia CEFET MG (Campus Araxá) Supervisor Corporativo de Hidrogeologia

Leia mais

Laboratório de Oceanografia Geológica

Laboratório de Oceanografia Geológica O Laboratório de Oceanografia Geológica LOG concentra suas pesquisas para no reconhecimento, e caracterização de ambientes costeiros e marinhos visando o aproveitamento do seu potencial natural, especificamente

Leia mais

COMPARTIMENTAÇÃO DO RELEVO DE ANÁPOLIS (GO) COM BASE NA INTENSIDADE DA DISSECAÇÃO

COMPARTIMENTAÇÃO DO RELEVO DE ANÁPOLIS (GO) COM BASE NA INTENSIDADE DA DISSECAÇÃO COMPARTIMENTAÇÃO DO RELEVO DE ANÁPOLIS (GO) COM BASE NA INTENSIDADE DA DISSECAÇÃO Alessandro de Araújo Cardoso 1,4, Erivelton Campos Cândido 2,4, Daisy Luzia Caetano do Nascimento 2,4, Homero Lacerda 3,4

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICO- ECONÔMICA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO (RMSP) PELO AQUÍFERO GUARANI

ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICO- ECONÔMICA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO (RMSP) PELO AQUÍFERO GUARANI ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICO- ECONÔMICA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO (RMSP) PELO AQUÍFERO GUARANI LEBAC/IGCE/UNESP Janeiro-2004 ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA

Leia mais

Suscetibilidade à erosão dos solos ao longo da RJ-165 (Estrada Paraty-Cunha) e na sua área de influência

Suscetibilidade à erosão dos solos ao longo da RJ-165 (Estrada Paraty-Cunha) e na sua área de influência Suscetibilidade à erosão dos solos ao longo da RJ-165 (Estrada Paraty-Cunha) e na sua área de influência Silva, L.F.T.C. (UFRJ) ; Martins, M.B. (UFRJ) ; Guerra, A.J.T. (UFRJ) RESUMO Um dos conflitos existentes

Leia mais

GEOMORFOLOGIA URBANA: O CASO DO BAIRRO SÃO FRANCISCO RIO BRANCO ACRE BRASIL

GEOMORFOLOGIA URBANA: O CASO DO BAIRRO SÃO FRANCISCO RIO BRANCO ACRE BRASIL GEOMORFOLOGIA URBANA: O CASO DO BAIRRO SÃO FRANCISCO RIO Arcos, F.O. 1 ; Santos, W.L. 2 ; Nascimento, F.I.C. 3 ; Galvão, A.S. 4 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE Email:frankarcos@gmail.com; 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ

ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ 1. INTRODUÇÃO Otacílio Lopes de Souza da Paz Acadêmico de Geografia UFPR otacílio.paz@gmail.com

Leia mais

FEIÇÕES TECNOGÊNICAS EM VOLTA REDONDA (RJ)*

FEIÇÕES TECNOGÊNICAS EM VOLTA REDONDA (RJ)* FEIÇÕES TECNOGÊNICAS EM VOLTA REDONDA (RJ)* Maria Naíse de Oliveira Peixoto 1 ; Eduardo Vieira Mello 1 ; Simone Magalhães Silva 2 ; Josilda Rodrigues da Silva de Moura 1 ; Cinthia Quintela Gomes Lopes

Leia mais

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Universidade 1 Universidade Federal de UFRR Norte Agronomia http://www.posagro.ufrr.br/ 0 Roraima Desenvolvimento Regional da Amazônia http://www.necar.ufrr.br/index.php?

Leia mais

Mesa Redonda 5: Monitoramento de Águas Subterrâneas, Estratégias para Implantação de um Modelo Cooperativo

Mesa Redonda 5: Monitoramento de Águas Subterrâneas, Estratégias para Implantação de um Modelo Cooperativo Mesa Redonda 5: Monitoramento de Águas Subterrâneas, Estratégias para Implantação de um Modelo Cooperativo Adriana Niemeyer Pires Ferreira Gerência de Águas Subterrâneas Superintendência de Implementação

Leia mais

Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER

Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER Cálculo da área de drenagem e perímetro de sub-bacias do rio Araguaia delimitadas por MDE utilizando imagens ASTER Murilo R. D. Cardoso Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Sócio-Ambientais/GO

Leia mais

Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins

Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins Síntese de campo do trecho Peixe a Ipueiras, rio Tocantins: uma contribuição à Exploratória Rio Tocantins Thiago Morato de Carvalho * Introdução O rio Tocantins é bastante peculiar desde o ponto de vista

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DAS ANOMALIAS DE DRENAGEM DA CARTA TOPOGRÁFICA DE RIO BOM PR. Danieli Barbosa Araújo 1 Karine Bueno Vargas²

CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DAS ANOMALIAS DE DRENAGEM DA CARTA TOPOGRÁFICA DE RIO BOM PR. Danieli Barbosa Araújo 1 Karine Bueno Vargas² CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DAS ANOMALIAS DE DRENAGEM DA CARTA TOPOGRÁFICA DE RIO BOM PR Danieli Barbosa Araújo 1 Karine Bueno Vargas² 1. INTRODUÇÃO As bacias hidrográficas e consequentemente suas redes hidrográficas

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura Plena em Geografia Disciplina: Hidrogeografia Carga Horária: 60hs Teórica: 60hs Prática: 00hs Semestre: 2013.2 Professor: Antonio Marcos

Leia mais

1) OBJETO DO LICENCIAMENTO

1) OBJETO DO LICENCIAMENTO CAPÍTULO I) INTRODUÇÃO 1) OBJETO DO LICENCIAMENTO O presente EIA/RIMA subsidia o Processo de Licenciamento Ambiental referente ao Aproveitamento Hidrelétrico Couto Magalhães a ser implantado na bacia do

Leia mais

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE.

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE. A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E OS PROBLEMAS AMBIENTAIS OCASIONADOS POR INUNDAÇÕES URBANAS NO RIO MARANGUAPINHO: O BAIRRO HENRIQUE JORGE, FORTALEZA- CE. Karinne Wendy Santos de Menezes Universidade Estadual do

Leia mais

SUGESTÕES PARA UMA POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL

SUGESTÕES PARA UMA POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL SUGESTÕES PARA UMA POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL (ÁREA DE GEOCIÊNCIAS) MARÇO 2013 APRESENTAÇÃO A Associação dos Geólogos e Engenheiros da Companhia de Pesquisa de Recursos

Leia mais

Palavras-chave: Sub bacia, Caracterização Ambiental, Sustentabilidade.

Palavras-chave: Sub bacia, Caracterização Ambiental, Sustentabilidade. CARACTERIZACÃO AMBIENTAL DA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO DO SANGUE, JAURU - MT, VISANDO O LEVANTAMENTO DE RECONHECIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DOS SOLOS Aldo Max Custódio (1) ; Ms. Juberto Babilônia de

Leia mais

Geologia da Bacia do Paraná. Antonio Liccardo

Geologia da Bacia do Paraná. Antonio Liccardo Geologia da Bacia do Paraná Antonio Liccardo A Bacia do Paraná Localização das bacias fanerozóicas no Brasil Bacia sedimentar Região recebe aporte de material por estar abaixo do nível regional, acumulando

Leia mais

BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL

BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL BATIMETRIA E DISTRIBUIÇÃO DOS SEDIMENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL INTERNA PARANAENSE PARANÁ - BRASIL Luiz Henrique Sielski de Oliveira 1 ; Fernando Alvim Veiga 2 ; Rodolfo José Angulo 1 ; Maria Cristina

Leia mais

O COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR NA ÁREA URBANA DE IPORÁ-GO. Valdir Specian¹, Elis Dener Lima Alves²

O COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR NA ÁREA URBANA DE IPORÁ-GO. Valdir Specian¹, Elis Dener Lima Alves² O COMPORTAMENTO DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR NA ÁREA URBANA DE IPORÁ-GO. Valdir Specian¹, Elis Dener Lima Alves² ¹Professor do Curso de Geografia da UnU Iporá. - UEG ² Bolsista PBIC/UEG, Acadêmico do

Leia mais

O ambiente GeoNetwork

O ambiente GeoNetwork O ambiente GeoNetwork Catálogo Web para a documentação, edição e disseminação de metadados geográficos. Características principais: livre e de código aberto; mecanismos de busca avançados; edição de metadados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia Disciplina: Tópicos Especiais em Geografia Física - Geomorfologia Fluvial. Professor: Osvaldo

Leia mais

Prof. Dr. David L. Lindbo

Prof. Dr. David L. Lindbo Prof. Dr. David L. Lindbo (Department of Soil Science North Carolina State University-USA): Especialista na relação solo-meio ambiente, com programa de pesquisa e extensão voltados para uso do solo não

Leia mais

GESTÃO E USO DO SOLO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BONITO MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR

GESTÃO E USO DO SOLO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BONITO MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR GESTÃO E USO DO SOLO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BONITO MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR Milena Pellissari Bedim m.p.b_milena@hotmail.com Curso de Geografia UNIOESTE Vanda Moreira Martins mmvanda@hotmail.com

Leia mais

O maior manancial de água doce do mundo

O maior manancial de água doce do mundo O maior manancial de água doce do mundo O Aquífero Guarani é o maior manancial de água doce Subterrânea transfronteiriço do mundo. Está localizado na região centro-leste da América do Sul, entre 12º e

Leia mais

PROJETO DE MONITORAMENTO DA BACIA HIDROGEOLÓGICA DA REGIÃO DE IRECÊ COM O USO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS

PROJETO DE MONITORAMENTO DA BACIA HIDROGEOLÓGICA DA REGIÃO DE IRECÊ COM O USO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PROJETO DE MONITORAMENTO DA BACIA HIDROGEOLÓGICA DA REGIÃO DE IRECÊ COM O USO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Hailton M. Silva (NEHMA/IG/UFBa), Luiz R.Bastos Leal (NEHMA/IG/UFBa), Antonio Puentes

Leia mais

BACIA DO ALTO PARAGUAI: DESENVOLVIMENTO URBANO E MUDANÇA MORFOLÓGICA E SEDIMENTOLÓGICA NO CÓRREGO JUNCO EM CÁCERES MATO GROSSO

BACIA DO ALTO PARAGUAI: DESENVOLVIMENTO URBANO E MUDANÇA MORFOLÓGICA E SEDIMENTOLÓGICA NO CÓRREGO JUNCO EM CÁCERES MATO GROSSO BACIA DO ALTO PARAGUAI: DESENVOLVIMENTO URBANO E MUDANÇA MORFOLÓGICA E SEDIMENTOLÓGICA NO CÓRREGO JUNCO EM CÁCERES Cruz, J.S. 1 ; Souza, C.A. 2 ; Santos, M. 3 ; Paula, W.C.S. 4 ; 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA

ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA 1 ESTUDO PRELIMINAR DA DEGRADAÇÃO POR MINERAÇÃO: O CASO DO MUNICÍPIO DE TIMON/MA MARQUES, Rafael José Graduando em Geografia Universidade Estadual do Piauí UESPI Técnico em Tecnologia Ambiental IFPI. (rafaeljmarques.geo@gmail.com)

Leia mais

QUESTÕES DE GEOMORFOLOGIA

QUESTÕES DE GEOMORFOLOGIA QUESTÕES DE GEOMORFOLOGIA Conceitos básicos e objetivos da ciência geomorfológica ficha de aula nº 2 (Questões de 1-7) 1- Um dos importantes instrumentos de que dispõe o professor de Geografia para lecionar

Leia mais

PASSIVOS AMBIENTAIS EM PPP s

PASSIVOS AMBIENTAIS EM PPP s Prof. Dr. Roberto Kochen Tecnologia, Engenharia e Meio Ambiente 4435 Novembro/2005 Passivo Ambiental É o acumulo de danos infligidos ao meio natural por uma determinada atividade ou pelo conjunto das ações

Leia mais

1.ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA)

1.ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) 1.ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) -DOCUMENTO TÉCNICO ONDE SE AVALIAM AS CONSEQUÊNCIAS PARA O AMBIENTE DECORRENTES DE UM DETERMINADO PROJETO -AVALIA DE FORMA IMPARCIAL E MERAMENTE TÉCNICA OS IMPACTOS

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: Geografia ANO: 7ºano TURMAS: B, C ed ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: A Terra: Estudos e Representações (1º Período) AULAS PREVISTAS:

Leia mais

REFÊRENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

REFÊRENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 109 REFÊRENCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA F.F.M de, HASUI Y, PONÇANO W.L., DANTAS A.S.L., CARNEIRO C.D.R., MELO M.S de, BISTRICHI C.A. Mapa Geológico do Estado de São Paulo. Nota Explicativa. São Paulo. Instituto

Leia mais

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Reportagem: CLÁUDIA RODRIGUES BARBOSA Newsletter CBDB - O que diferencia o Núcleo Regional de Minas Gerais

Leia mais

VALOR ECOLÓGICO, SOCIOECONÔMICO E CULTURAL DAS ÁREAS ÚMIDAS PARA A COMUNIDADE, ENFOQUE NA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE NASCENTES NO PANTANAL

VALOR ECOLÓGICO, SOCIOECONÔMICO E CULTURAL DAS ÁREAS ÚMIDAS PARA A COMUNIDADE, ENFOQUE NA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE NASCENTES NO PANTANAL VALOR ECOLÓGICO, SOCIOECONÔMICO E CULTURAL DAS ÁREAS ÚMIDAS PARA A COMUNIDADE, ENFOQUE NA RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DE NASCENTES NO PANTANAL Solange Ikeda Castrillon Departamento de Biologia UNEMAT Instituto

Leia mais

VARIAÇÃO DA TEMPERATURA DO AR NA BACIA HIDROGRÁFICA BARRA DOS COQUEIROS NO MUNICÍPIO DE CAÇU-GO

VARIAÇÃO DA TEMPERATURA DO AR NA BACIA HIDROGRÁFICA BARRA DOS COQUEIROS NO MUNICÍPIO DE CAÇU-GO VARIAÇÃO DA TEMPERATURA DO AR NA BACIA HIDROGRÁFICA BARRA DOS COQUEIROS NO MUNICÍPIO DE CAÇU-GO Regina Maria Lopes Universidade Federal de Goiás-Campus Jatai-GO lopesgeo@yahoo.com.br Lázara Fernanda Moraes

Leia mais

ANEXO II: Resumo do Projeto

ANEXO II: Resumo do Projeto ANEXO II: Resumo do Projeto A- PROJETO 1-Título: Aplicação de Geoprocessamento Visando Controle e Contenção de Desmoronamentos e Deslizamentos dos Morros no Município de Jaboatão dos Guararapes - PE: Uma

Leia mais

45 mm CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUNDO MARINHO DO TALUDE CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ.

45 mm CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUNDO MARINHO DO TALUDE CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ. CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO FUDO MARIHO DO TALUDE COTIETAL DA BACIA DE CAMPOS, RJ. Anderson Gomes de Almeida 1 ; Renato Oscar Kowsmann 2 andersongomes@petrobras.com.br 1 - PETROBRAS S. A. E&P-SERV

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO SÍSMICO

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO SÍSMICO Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO

Leia mais

Com base nos conhecimentos sobre usinas hidrelétricas e na análise do mapa, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmativas a seguir.

Com base nos conhecimentos sobre usinas hidrelétricas e na análise do mapa, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmativas a seguir. Relatório do vestibular UEL Questões da Primeira Fase: Trata-se de um vestibular de elevada qualidade, com questões diversificadas nos temas trabalhados, incluindo assuntos de atualidades e com relevância

Leia mais

Reflexos nobrasil deterremotos distantes

Reflexos nobrasil deterremotos distantes Reflexos nobrasil deterremotos distantes 2 0 C I Ê N C I A H O J E vol. 42 nº 2 49 Moradores de prédios em diversas cidades brasileiras, em especial São Paulo, Brasília e Manaus, têm se assustado, nas

Leia mais

VARIÁVEIS SEDIMENTARES E HIDRODINÂMICA NA CONFLUÊNCIA DOS RIOS CABAÇAL E PARAGUAI, PANTANAL SUPERIOR, BRASIL

VARIÁVEIS SEDIMENTARES E HIDRODINÂMICA NA CONFLUÊNCIA DOS RIOS CABAÇAL E PARAGUAI, PANTANAL SUPERIOR, BRASIL VARIÁVEIS SEDIMENTARES E HIDRODINÂMICA NA CONFLUÊNCIA DOS dos Santos Leandro, G.R. 1 ; Rodrigues do Nascimento, F. 2 ; Alves de Souza, C. 3 ; Alves da Silva, L. 4 ; Ferreira Santana, M. 5 ; 1 UNIVERSIDADE

Leia mais

XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007

XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007 XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007 Eixo Temático: Cidades e Regiões Metropolitanas: a Geografia frente aos problemas

Leia mais

de Susceptibilidade Geotécnica

de Susceptibilidade Geotécnica II Congresso Internacional de Riscos 24-25 Maio 2010, Coimbra Classificação de Susceptibilidade Geotécnica João Narciso 1, Pedro Santarém Andrade 2 1 Instituto de Engenharia de Estruturas, Território e

Leia mais

INTERPOLADOR GEOESTATÍSTICO COMO FERRAMENTA DE PREDIÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM ÁREAS ANTROPIZADAS NO BIOMA CERRADO EM GOIÁS E NO DISTRITO FEDERAL

INTERPOLADOR GEOESTATÍSTICO COMO FERRAMENTA DE PREDIÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM ÁREAS ANTROPIZADAS NO BIOMA CERRADO EM GOIÁS E NO DISTRITO FEDERAL INTERPOLADOR GEOESTATÍSTICO COMO FERRAMENTA DE PREDIÇÃO DA VEGETAÇÃO NATIVA EM ÁREAS ANTROPIZADAS NO BIOMA CERRADO EM GOIÁS E NO DISTRITO FEDERAL Cassio Henrique Giusti CEZARE 1 Nilson Clementino FERREIRA

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014.

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. Alyson Bueno Francisco 1 Resumo Este trabalho visa apresentar

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: Maria Francisca de Jesus Lírio Ramalho Maria do Socorro Costa Martim Pavla Goulart Hunka e Silvana Praxedes de Paiva ÁREA TEMÁTICA:

TÍTULO: AUTORES: Maria Francisca de Jesus Lírio Ramalho Maria do Socorro Costa Martim Pavla Goulart Hunka e Silvana Praxedes de Paiva ÁREA TEMÁTICA: TÍTULO: ESTÁGIO DE CAMPO NA PRATICA ENSINO/PESQUISA AUTORES: Maria Francisca de Jesus Lírio Ramalho (prof. do Departamento de geografia Coord. do Laboratório de Geografia Física UFRN - fran@ufenet.br);

Leia mais

ANÁLISE DAS DISCIPLINAS DE GEOTECNIA E DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA E AMBIENTAL NOS CURSOS DE GEOLOGIA E ENGENHARIA GEOLÓGICA DO PAÍS

ANÁLISE DAS DISCIPLINAS DE GEOTECNIA E DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA E AMBIENTAL NOS CURSOS DE GEOLOGIA E ENGENHARIA GEOLÓGICA DO PAÍS ANÁLISE DAS DISCIPLINAS DE GEOTECNIA E DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA E AMBIENTAL NOS CURSOS DE GEOLOGIA E ENGENHARIA GEOLÓGICA DO PAÍS ANALYSIS OF DISCIPLINES OF GEOTECHNICAL AND ENGINEERING AND ENVIRONMENTAL

Leia mais

REQUERIMENTO DE PESQUISA

REQUERIMENTO DE PESQUISA REQUERIMENTO DE PESQUISA Este orientativo tem como objetivo fornecer aos interessados instruções necessárias ao preenchimento e entrega do requerimento de pesquisa. I. O QUE É AUTORIZAÇÃO DE PESQUISA A

Leia mais

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Bacia Hidrográfica Área drenada por um conjunto de rios que, juntos, formam uma rede hidrográfica, que se forma de acordo com elementos fundamentais como o clima

Leia mais

PLANEJAMENTO AMBIENTAL DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS, MUNICÍPIO DE ANHUMAS SP.

PLANEJAMENTO AMBIENTAL DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS, MUNICÍPIO DE ANHUMAS SP. 213 PLANEJAMENTO AMBIENTAL DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS, MUNICÍPIO DE ANHUMAS SP. Bruno Magro Rodrigues 1, Ana Paula de Lima Costa 1, Marcos Norberto Boin 2. 1 Discente do curso de

Leia mais

Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2

Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2 Questões para Revisão Cap. 3-7ºs anos - prova 2 1. Um pesquisador visitou as cidades de Salvador, Brasília e Manaus para caracterizar o compartimento geomorfológico de cada uma delas. Ao final do trabalho

Leia mais