Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014"

Transcrição

1 Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas CIEST Fortaleza, Junho de 2015

2 Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Banco do Nordeste do Brasil S.A. Presidente: Marcos Costa Holanda Diretoria: Manoel Lucena dos Santos Paulo Sérgio Rebouças Ferraro Luiz Carlos Everton de Farias Romildo Carneiro Rolim Francisco das Chagas Soares Isaias Matos Dantas Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (ETENE) Francisco José Araújo Bezerra Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas (CIEST) Gerente: Hamilton Reis de Oliveira (em exercício) Elaboração: Hamilton Reis de Oliveira Equipe da CIEST: Leonardo Dias Lima Penélope Silva Rabelo Juliana Moreira dos Santos

3 Lista de Gráficos Gráfico 1 - Participação regional (%): VAB do setor pecuário no Brasil a Gráfico 2 - Participação estadual (%): VAB do setor pecuário no Nordeste a Gráfico 3 - Variação do VAB no setor pecuário: Brasil e grandes regiões a Gráfico 4 - Variação do VAB no setor pecuário: Região Nordeste e seus estados a Gráfico 5 - Distribuição do estoque pecuário no Brasil: por tipo de rebanho (%) Gráfico 6 - Distribuição do estoque pecuário no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Gráfico 7 - Distribuição do estoque pecuário no Brasil: por tipo de rebanho (%) Gráfico 8 - Distribuição do estoque pecuário no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Gráfico 9 - Variação do estoque de galináceos para abate: Brasil e Nordeste a Gráfico 10 - Rebanho de galináceos para abate no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 11 - Variação do estoque de galináceos para produção de ovos: Brasil e Nordeste a Gráfico 12 - Rebanho de galináceos para a produção de ovos no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 13 - Variação do estoque de bovinos: Brasil e Nordeste a Gráfico 14 - Rebanho de bovinos no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 15 - Variação do estoque de ovinos: Brasil e Nordeste a Gráfico 16 - Rebanho de ovinos no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 17 - Variação do estoque de caprinos: Brasil e Nordeste a Gráfico 18 - Rebanho de caprinos no Nordeste: participação estadual (%) a

4 Lista de Gráficos Gráfico 19 - Variação do estoque de suínos: Brasil e Nordeste a Gráfico 20 - Rebanho de suínos no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 21 - Variação do estoque de codornas: Brasil e Nordeste a Gráfico 22 - Rebanho de codornas no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico 23 - Animais abatidos no Brasil: por tipo de rebanho (%) Gráfico 24 - Animais abatidos na Região Nordeste: por tipo de rebanho (%) Gráfico 25 - Animais abatidos no Brasil: por tipo de rebanho (%) Gráfico 26 - Animais abatidos na Região Nordeste: por tipo de rebanho (%) Gráfico 27 - Variação trimestral do abate de galinhas: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...60 Gráfico 28 - Participação do Nordeste no abate trimestral de galinhas no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...61 Gráfico 29 - Participação estadual no abate trimestral de galinhas no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 30 - Variação trimestral do abate de bovinos: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...63 Gráfico 31 - Participação do Nordeste no abate trimestral de bovinos no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...64 Gráfico 32 - Participação estadual no abate trimestral de bovinos no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 33 - Variação trimestral do abate de suínos: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...66 Gráfico 34 - Participação do Nordeste no abate trimestral de suínos no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...67 Gráfico 35 - Participação estadual no abate trimestral de suínos no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 36 - Variação trimestral da produção de leite: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...70

5 Lista de Gráficos Gráfico 37 - Participação do Nordeste na produção trimestral de leite no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...71 Gráfico 38 - Participação estadual na produção trimestral de leite no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 39 - Variação trimestral da produção de ovos de galinha: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...73 Gráfico 40 - Participação do Nordeste na produção trimestral de ovos no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...74 Gráfico 41 - Participação estadual na produção trimestral de ovos no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 42 - Variação trimestral da produção de couro: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre)...76 Gráfico 43 - Participação do Nordeste na produção trimestral de couro no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre)...77 Gráfico 44 - Participação estadual na produção trimestral de couro no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 45 - Valor da produção pecuária: participação por produto (%) - Brasil Gráfico 46 - Valor da produção pecuária: participação por produto (%) - Nordeste Gráfico 47 - Valor da produção pecuária: participação por produto (%) - Brasil Gráfico 48 - Valor da produção pecuária: participação por produto (%) - Nordeste Gráfico 49 - Variação da produção física e do valor da produção de leite: BR e NE a Gráfico 50 - Participação do Nordeste (%): produção física e valor da produção nacional de leite a Gráfico 51 - Participação estadual na produção física de leite no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 52 - Variação da produção física e do valor da produção de ovos de galinha: BR e NE a Gráfico 53 - Participação do Nordeste (%): produção física e valor da produção nacional de ovos de galinha a Gráfico 54 - Participação estadual na produção física de ovos de galinha no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 55 - Variação da produção física e do valor da produção mel de abelha: BR e NE a

6 Lista de Gráficos Gráfico 56 - Participação do Nordeste (%): produção física e valor da produção nacional de mel de abelha a Gráfico 57 - Participação estadual na produção física de mel de abelha no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 58 - Variação da produção física e do valor da produção ovos de codorna: BR e NE a Gráfico 59 - Participação do Nordeste (%): produção física e valor da produção nacional de ovos de codorna a Gráfico 60 - Participação estadual na produção física de ovos de codorna no Nordeste (%): 2000 a Gráfico 61 - Produção de pescado no Brasil (%): por forma de exploração Gráfico 62 - Produção de pescado no Nordeste (%): por forma de exploração Gráfico 63 - Produção de pescado no Brasil (%): por forma de exploração Gráfico 64 - Produção de pescado no Nordeste (%): por forma de exploração Gráfico 65 - Variação anual da produção de pescado: por forma de exploração - Brasil e Nordeste a Gráfico 66 - Participação estadual na produção de pescado (%): pesca extrativa - Nordeste a Gráfico 67 - Participação estadual na produção de pescado (%): aquicultura - Nordeste a Gráfico 68 - Variação da corrente de comércio e do saldo comercial: produtos de origem animal - Brasil e Nordeste a Gráfico 69 - Variação das exportações no Brasil e Nordeste: total da pauta x produtos pecuários a Gráfico 70 - Participação das exportações de produtos pecuários nas exportações totais (%): Brasil e Nordeste a Gráfico 71 - Principais estados exportadores: participação no total da pauta de produtos pecuários da Região Nordeste (%)

7 Lista de Gráficos Gráfico 72 - Principais estados exportadores: participação no total da pauta de produtos pecuários da Região Nordeste (%) Gráfico 73 - Exportações de produtos pecuários no Brasil: distribuição por produto (%) Gráfico 74 - Exportações de produtos pecuários no Nordeste: distribuição por produto (%) Gráfico 75 - Exportações de produtos pecuários no Brasil: distribuição por produto (%) Gráfico 76 - Exportações de produtos pecuários no Nordeste: distribuição por produto (%) Gráfico 77 - Variação das importações no Brasil e Nordeste: total da pauta x produtos pecuários a Gráfico 78 - Participação das importações de produtos pecuários nas exportações totais (%): Brasil e Nordeste a Gráfico 79 - Principais Estados importadores: participação no total da pauta de produtos pecuários da Região Nordeste (%) Gráfico 80 - Principais Estados importadores: participação no total da pauta de produtos pecuários da Região Nordeste (%) Gráfico 81 - Importações de gêneros pecuários no Brasil: peso relativo no total da pauta (%) Gráfico 82 - Importações de gêneros pecuários no Nordeste: peso relativo no total da pauta (%) Gráfico 83 - Importações de gêneros pecuários no Brasil: peso relativo no total da pauta (%) Gráfico 84 - Importações de gêneros pecuários no Nordeste: peso relativo no total da pauta (%) Gráfico 85 - Participação do setor pecuário no estoque total de empregos (%): Brasil e Nordeste a

8 Lista de Gráficos Gráfico 86 - Variação do estoque de empregos: vínculos totais x vínculos do setor pecuário - Brasil e Nordeste a Gráfico 87 - Distribuição do emprego na pecuária no Brasil (%): por classes de atividade econômica Gráfico 88 - Distribuição do emprego na pecuária no Nordeste (%): por classes de atividade econômica Gráfico 89 - Distribuição do emprego na pecuária no Brasil (%): por classes de atividade econômica Gráfico 90 - Distribuição do emprego na pecuária no Nordeste (%): por classes de atividade econômica Gráfico 91 - Distribuição do estoque de empregos da atividade pecuária no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 92 - Distribuição do estoque de empregos na bovinocultura no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 93 - Distribuição do estoque de empregos na avicultura no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 94 - Distribuição do estoque de empregos na suinocultura no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 95 - Distribuição do estoque de empregos na caprinocultura/ovinocultura no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 96 - Distribuição do estoque de empregos na aquicultura no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 97 - Distribuição do estoque de empregos na pesca extrativa no Nordeste (%): participação estadual a Gráfico 98 - Variação real da remuneração média paga na atividade pecuária: Brasil e Região Nordeste a Gráfico 99 - Variação real da remuneração média paga na atividade pecuária estadual: Nordeste a

9 Lista de Gráficos Gráfico Variação da remuneração média do setor pecuário: por atividade econômica - Brasil a Gráfico Variação da remuneração média do setor pecuário: por atividade econômica - Nordeste a Gráfico Financiamentos totais concedidos pelo SFN ao setor pecuário no Brasil: participação do Nordeste (%) a Gráfico Variação dos financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário: Brasil e Nordeste a Gráfico Participação nos financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário (%): segundo a finalidade - Brasil e Nordeste a Gráfico Variação dos financiamentos do SFN ao setor pecuário: por finalidade - Brasil e Nordeste a Gráfico Financiamentos totais concedidos pelo SFN ao setor pecuário no Nordeste: participação estadual (%) a Gráfico Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário no Nordeste (custeio): participação estadual (%) a Gráfico Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário no Nordeste (investimento): participação estadual (%) a Gráfico Participação do FNE nos financiamentos concedidos pelo SFN (%): setor pecuário - Nordeste a Gráfico Variação dos financiamentos concedidos ao setor pecuário: recursos do FNE e SFN - Região Nordeste a Gráfico Distribuição dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): por finalidade - Nordeste a

10 Lista de Gráficos Gráfico Variação dos financiamentos do FNE ao setor pecuário: por finalidade - Nordeste a Gráfico Distribuição dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): sub-regiões semiárida e não semiárida - Nordeste a Gráfico Variação dos financiamentos do FNE ao setor pecuário: sub-regiões semiárida e não semiárida - Nordeste a Gráfico Distribuição dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): por finalidade - sub-região semiárida - Nordeste a Gráfico Variação dos financiamentos do FNE ao setor pecuário: por finalidade - sub-região semiárida - Nordeste a Gráfico Distribuição estadual dos financiamentos totais com recursos do FNE no setor pecuário (%): Nordeste a Gráfico Distribuição estadual dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): sub-região semiárida - Nordeste a Gráfico Distribuição dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): principais culturas - Nordeste a Gráfico Distribuição dos financiamentos com recursos do FNE no setor pecuário (%): sub-região semiárida - Nordeste - principais culturas a

11 Lista de Tabelas Tabela 1: Valor Adicionado Bruto: pecuária e Pesca - Brasil, Nordeste e Demais Regiões a Tabela 2 - Estoque pecuário efetivo: por tipo de rebanho - Brasil e Nordeste e Tabela 3 - Animais abatidos por tipo de rebanho: Brasil e Região Nordeste a Tabela 4 - Produção pecuária trimestral: outros produtos - Brasil, Nordeste e demais regiões e Tabela 5 - Produtos pecuários: produção física e valor da produção: Brasil e grandes regiões e Tabela 6 - Produção física e valor da produção do leite: Nordeste e estados e Tabela 7 - Produção física e valor da produção de ovos de galinha: Nordeste e estados e Tabela 8 - Produção física e valor da produção de mel de abelha: Nordeste e estados e Tabela 9 - Produção física e valor da produção de ovos de codorna: Nordeste e estados e Tabela 10 - Produção de pescado: por forma de exploração - Brasil, Nordeste e demais regiões a Tabela 11 - Comércio exterior do Brasil: produtos de origem animal - Nordeste e demais regiões a Tabela 12 - Estoque do emprego no setor pecuário: segundo o tipo de atividade - Brasil, Nordeste e demais regiões

12 Lista de Tabelas Tabela 13 - Estoque do emprego no setor pecuário: segundo o tipo de atividade - Brasil, Nordeste e demais regiões Tabela 14 - Remuneração média paga no setor pecuário: Brasil e Região Nordeste a Tabela 15 - Financiamentos totais concedidos pelo SFN ao setor pecuário: por finalidade - Brasil, Nordeste e demais regiões e Tabela 16 - Financiamentos concedidos pelo FNE ao setor pecuário: por sub-região e finalidade - Nordeste a

13 Lista de Siglas Alice Web - Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior BCB Banco Central do Brasil BNB Banco do Nordeste do Brasil CIEST Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste FNE Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste FOB Free on Board IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IGP DI Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna INPC Índice Nacional de Preços ao Consumidos IPCA Índice de Preços ao Consumidor Amplo MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDCR - Matriz de Dados do Crédito Rural MTE Ministério do Trabalho e Emprego RAIS Relatório Anual de Informações Sociais SFN Sistema Financeiro Nacional VAB Valor Adicionado Bruto

14 Sumário Lista de Gráficos...03 Lista de Tabelas...11 Lista de Siglas...13 Apresentação Valor Adicionado Bruto (VAB) Distribuição do VAB: grandes regiões do Brasil Distribuição do VAB: estados do Nordeste Variação do VAB: grandes regiões do Brasil Variação do VAB: por estados do Nordeste Estoque Pecuário Distribuição do estoque (2000): por tipo de rebanho Distribuição do estoque (2013): por tipo de rebanho Galináceos para abate Galináceos para abate (Brasil e Nordeste): variação anual Galináceos para abate (Nordeste): distribuição estadual Galináceos para produção de ovos Galináceos para produção de ovos (Brasil e Nordeste): variação anual Galináceos para produção de ovos (Nordeste): distribuição estadual...40

15 Sumário 2.5 Bovinos Estoque de bovinos (Brasil e Nordeste): variação anual Estoque de bovinos (Nordeste): distribuição estadual ovinos Estoque de ovinos (Brasil e Nordeste): variação anual Estoque de ovinos (Nordeste): distribuição estadual Caprinos Estoque de caprinos (Brasil e Nordeste): variação anual Estoque de caprinos (Nordeste): distribuição estadual Suínos Estoque de suínos (Brasil e Nordeste): variação anual Estoque de suínos (Nordeste): distribuição estadual Codornas Estoque de codornas (Brasil e Nordeste): variação anual Estoque de codornas (Nordeste): distribuição estadual Produtos Pecuários Pesquisas trimestrais: abate de animais Distribuição do abate de animais (2000): por tipo de rebanho...58

16 Sumário Distribuição do abate de animais (2014): por tipo de rebanho Galinhas abatidas (Brasil e Nordeste): variação anual Galinhas abatidas no Brasil: participação do Nordeste Galinhas abatidas no Nordeste: participação estadual Bovinos abatidos (Brasil e Nordeste): variação anual Bovinos abatidos: no Brasil: participação do Nordeste Bovinos abatidos no Nordeste: participação estadual Suínos abatidos (Brasil e Nordeste): variação anual Suínos abatidos no Brasil: participação do Nordeste Suínos abatidos no Nordeste: participação estadual Pesquisas trimestrais: produtos de origem animal Produção trimestral de leite (Brasil e Nordeste): variação anual Produção trimestral de leite no Brasil: participação do Nordeste Produção trimestral de leite no Nordeste: participação estadual Produção trimestral de ovos (Brasil e Nordeste): variação anual Produção trimestral de ovos no Brasil: participação do Nordeste Produção trimestral de ovos no Nordeste: participação estadual Produção trimestral de couro (Brasil e Nordeste): variação anual...76

17 Sumário Produção trimestral de couro no Brasil: participação do Nordeste Produção de couro no Nordeste: participação estadual Pesquisa Pecuária Municipal: produtos de origem animal Pesquisa Pecuária Municipal: participação do valor da produção (2000) Brasil e Nordeste Pesquisa Pecuária Municipal: participação do valor da produção (2013) - Brasil e Nordeste Produção física e valor da produção de leite (Brasil e Nordeste): variação anual Produção física e valor da produção de leite no Brasil: participação do Nordeste Produção física e valor da produção de leite Nordeste e estados Produção física de leite no Nordeste: participação estadual Produção física e valor da produção de ovos de galinha Nordeste e estados Produção física e valor da produção de ovos de galinha (Brasil e Nordeste): variação anual Produção física e valor da produção de ovos de galinha no Brasil: participação do Nordeste Produção física da produção de ovos de galinha no Nordeste: participação estadual Produção física e valor da produção de mel de abelha Nordeste e estados...90

18 Sumário Produção física e valor da produção de mel de abelha (Brasil e Nordeste): variação anual Produção física e valor da produção de mel de abelha no Brasil: participação do Nordeste Produção física de mel de abelha no Nordeste: participação estadual Produção física e valor da produção de ovos de codorna: Nordeste e estados Produção física e valor da produção de ovos de codorna (Brasil e Nordeste): variação anual Produção física e valor da produção de ovos de codorna no Brasil: participação do Nordeste Produção física de mel de ovos de codorna no Nordeste: participação estadual Produção de pescado Produção de pescado: participação por forma de exploração (2004) - Brasil e Nordeste Produção de pescado: participação por forma de exploração (2011) - Brasil e Nordeste Produção de pescado (Brasil e Nordeste): variação anual Pesca extrativa no Nordeste: distribuição estadual Aquicultura no Nordeste: distribuição estadual Comércio Exterior...105

19 Sumário 4.1 Comércio exterior (Brasil e Nordeste): corrente de comércio e saldo comercial Exportações Exportações totais e exportações de produtos pecuários (Brasil e Nordeste): variação anual Exportações totais e exportações de produtos pecuários: participação do Brasil e Nordeste Exportações de produtos pecuários do Nordeste (2000 e 2014): participação estadual Exportação de produtos pecuários (2000): distribuição na pauta - Brasil e Nordeste Exportação de produtos pecuários (2014): distribuição na pauta - Brasil e Nordeste Importações Importações totais e importações de produtos pecuários (Brasil e Nordeste): variação anual Importações totais e importações de produtos pecuários: participação do Brasil e Nordeste Importações de produtos pecuários do Nordeste (2000 e 2014): participação estadual...117

20 Sumário Importação de produtos pecuários (2000): distribuição na pauta - Brasil e Nordeste Importação de produtos pecuários (2014): distribuição na pauta - Brasil e Nordeste Emprego e remuneração Emprego no setor pecuário: estoque Estoque total e estoque no setor pecuário: participação do Brasil e Nordeste Estoque total e estoque no setor pecuário (Brasil e Nordeste): variação anual Vínculos ativos no setor pecuário (2000): distribuição do estoque: Brasil e Nordeste Vínculos ativos no setor pecuário (2013): distribuição do estoque: Brasil e Nordeste Emprego no setor pecuário do Nordeste: distribuição estadual Vínculos ativos na bovinocultura do Nordeste: distribuição estadual Vínculos ativos na avicultura do Nordeste: distribuição estadual Vínculos ativos na suinocultura do Nordeste: distribuição estadual Vínculos ativos na caprinocultura/ovinocultura do Nordeste: distribuição estadual Vínculos ativos na aquicultura do Nordeste: distribuição estadual...132

21 Sumário Vínculos ativos na pesca extrativa do Nordeste: distribuição estadual Remuneração no setor pecuário Remuneração do emprego no setor pecuário (Brasil e Nordeste): variação anual Remuneração estadual do emprego no setor pecuário (Nordeste): variação anual Remuneração do emprego no setor pecuário (Brasil): por tipo de atividade - variação anual Remuneração do emprego no setor pecuário (Nordeste): por tipo de atividade - variação anual Financiamentos Financiamentos concedidos: Sistema Financeiro Nacional (SFN) Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário no Brasil: participação do Nordeste Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário (Brasil e Nordeste): variação anual Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário (Brasil e Nordeste): por finalidade Financiamentos concedidos pelo SFN ao setor pecuário (Brasil e Nordeste): por finalidade variação anual...144

22 Sumário Financiamentos do SFN ao setor pecuário (Nordeste): participação estadual Financiamentos do SFN ao setor pecuário para custeio (Nordeste): participação estadual Financiamentos do SFN para investimento (Nordeste): participação estadual Financiamentos concedidos ao setor pecuário: Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE) Financiamentos do SFN ao setor pecuário: participação do FNE Financiamentos com recursos do FNE e SFN ao setor pecuário: variação anual Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário: distribuição por finalidade Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário: variação anual por finalidade Financiamentos com recursos do FNE: distribuição por sub-região Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário: variação por subregião Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário no semiárido: distribuição por finalidade...155

23 Sumário Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário no semiárido: variação por finalidade Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário: distribuição estadual Financiamentos com recursos do FNE no semiárido ao setor pecuário: distribuição estadual Financiamentos com recursos do FNE ao setor pecuário: distribuição por tipo de criação Financiamentos com recursos do FNE no semiárido ao setor pecuário: distribuição por tipo de criação Referências...161

24 Apresentação O documento Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 é uma publicação do Banco do Nordeste do Brasil, elaborado pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (ETENE), através da Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas (CIEST), cujo propósito consiste em fornecer não apenas dados brutos referentes às atividades do setor pecuário (valor adicionado, estoque de rebanhos, produção de gêneros pecuários, geração de emprego e renda, fluxo no comércio exterior e financiamentos), mas fundamentalmente, fornecer informações sistematizadas sobre as principais variáveis envolvidas com as atividades pecuárias ocorridas na Região Nordeste entre os anos de 2000 e 2014, informações essas apresentadas exclusivamente na forma de gráficos e tabelas. As informações sobre as atividades pecuárias na Região Nordeste na maioria dos casos são mostradas junto com as informações das demais regiões do Brasil, objetivando, com esse confronto, visualizar o seu desempenho no período proposto. Com esta publicação, pretende-se subsidiar estudos e demais pesquisas que venham a se dedicar sobre o tema, permitindo aos pesquisadores dedicarem-se prioritariamente à tarefa de análise e avaliação das informações contidas neste trabalho. 24

25 25 1 Valor Adicionado Bruto (VAB)

26 1 Valor Adicionado Bruto (VAB) Tabela 1: Valor Adicionado Bruto (VAB): pecuária e pesca - Brasil, Nordeste e demais regiões a 2009 Valor Adicionado Bruto: pecuária e pesca Unidade Geográfica R$ milhões Brasil , , , , , , , ,0 Nordeste 4.595, , , , , , , ,0 Maranhão 825,8 856, , , , , , ,8 Piauí 388,9 412,4 459,5 487,4 481,4 430,3 471,0 551,7 Ceará 616,0 630,5 751,2 812,8 938,9 868,0 884, ,9 Rio Grande do Norte 351,0 412,6 500,8 509,6 662,4 566,6 651,4 765,4 Paraíba 260,0 257,2 294,5 333,6 360,1 332,2 381,4 514,9 Pernambuco 471,8 541,7 529,6 661,6 761,4 741,6 866, ,0 Alagoas 182,6 211,0 240,6 258,8 270,2 269,4 303,5 357,1 Sergipe 188,6 214,7 249,0 306,3 353,4 323,5 367,5 464,0 Bahia 1.311, , , , , , , ,2 Norte 3.474, , , , , , , ,6 Sudeste 6.175, , , , , , , ,4 Sul 6.032, , , , , , , ,7 Centro Oeste 5.476, , , , , , , ,3 Fonte: IBGE - Contas Regionais do Brasil/Tabelas Completas Nota: Fator de correção (2009 = 100): deflator implícito do VAB do setor pecuário - Brasil. 26

27 1.1 Distribuição do VAB: grandes regiões do Brasil 13,5 13,6 14,0 14,3 15,9 14,6 13,6 13,3 17,8 18,4 17,3 18,1 19,0 17,2 16,5 17,3 21,3 19,8 20,4 19,2 19,5 18,6 19,8 20,6 Norte Nordeste Centro Oeste Sul 23,4 23,2 24,5 24,3 22,7 24,8 26,1 24,9 Sudeste 24,0 25,1 23,8 24,0 23,0 24,8 23,9 23, Gráfico 1 - Participação regional (%): VAB do setor pecuário no Brasil a 2009 Fonte: IBGE - Contas Regionais do Brasil/Tabelas Completas

28 1.2 Distribuição do VAB: estados do Nordeste 4,0 4,3 4,2 4,1 3,9 4,3 4,3 4,1 4,1 4,4 4,4 4,9 5,1 5,2 5,2 5,3 5,7 5,3 5,2 5,3 5,2 5,3 5,4 5,9 8,5 8,4 8,1 7,8 6,9 6,9 6,7 6,3 7,6 8,4 8,8 8,1 9,5 9,0 9,3 8,7 10,3 11,1 9,3 10,5 10,9 11,8 12,3 11,8 13,4 12,9 13,3 12,9 13,4 13,8 12,6 12,4 18,0 17,5 19,6 20,1 19,4 18,6 19,3 19,4 AL SE PB PI RN PE CE MA BA 28,5 27,7 27,0 26,2 25,8 25,1 24,8 26, Gráfico 2 - Participação estadual (%): VAB do setor pecuário no Nordeste a 2009 Fonte: IBGE - Contas Regionais do Brasil/Tabelas Completas

29 1.3 Variação do VAB: grandes regiões do Brasil 250,0 200,0 Número - Índice 150,0 100,0 50,0 0,0 Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro Oeste Gráfico 3 - Variação do VAB no setor pecuário: Brasil e grandes regiões a 2009 Fonte: IBGE - Contas Regionais do Brasil/Tabelas Completas Notas: 1 - Base de comparação (100): 2002; 2 - Índices obtidos pela correção dos valores correntes pelo deflator do VAB pecuário nacional (2009 = 100).

30 1.4 Variação do VAB: por estados do Nordeste 300,0 250,0 200,0 Númro - Índice 150,0 100,0 50,0 0, NE MA PI CE RN PB PE AL SE BA 30 Gráfico 4 - Variação do VAB no setor pecuário: Região Nordeste e seus estados a 2009 Fonte: IBGE - Contas Regionais do Brasil/Tabelas Completas Notas: 1 - Base de comparação (100): 2002; 2 - Índices obtidos pela correção dos valores correntes pelo deflator do VAB pecuário nacional (2009 = 100).

31 31 2 Estoque Pecuário

32 2 Estoque Pecuário Tabela 2 - Estoque pecuário efetivo: por tipo de rebanho - Brasil e Nordeste e 2013 Rebanho efetivo (cabeças) Tipo de rebanho Brasil Nordeste Brasil Nordeste Asinino Bovino Bubalino Caprino Codornas Coelhos Equino Galinhas* Galos, frangas, frangos e pintos** Muar Ovino Suíno Total geral Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal (*): Rebanho de galináceos destinado à produção de ovos; (**): Rebanho de galináceos destinado ao abate. 32

33 2.1 Distribuição do estoque (2000): por tipo de rebanho Galos, frangas, frangos e pintos; 60,8 Galos, frangas, frangos e pintos; 46,9 Outros; 2,6 Galinhas; 16,9 Suíno; 4,4 Ovino; 4,8 Galinhas; 22,1 Bovino; 15,7 Caprino; 5,4 Bovino; 13,8 Outros; 0,9 Codornas; 0,5 Ovino; 1,4 Caprino; 0,9 Suíno; 2,9 Gráfico 5 - Distribuição do estoque pecuário no Brasil: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal Gráfico 6 - Distribuição do estoque pecuário no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

34 2.2 Distribuição do estoque (2013): por tipo de rebanho Galos, frangas, frangos e pintos; 66,1 Outros; 1,5 Galos, frangas, frangos e pintos; 49,2 Suíno; 3,5 Bovino; 13,6 Galinhas; 14,3 Ovino; 5,1 Caprino; 4,2 Bovino; 15,1 Galinhas; 21,5 Outros; 0,4 Codornas; 1,2 Caprino; 0,6 Ovino; 1,1 Suíno; 2,7 Gráfico 7 - Distribuição do estoque pecuário no Brasil: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal Gráfico 8 - Distribuição do estoque pecuário no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

35 Galináceos para abate

36 Galináceos para abate (Brasil e Nordeste): variação anual 180,0 160,0 140,0 120,0 Número-Índice 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 36 Gráfico 9 - Variação do estoque de galináceos para abate: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

37 2.3.2 Galináceos para abate (Nordeste): distribuição estadual 3,7 3,9 3,9 3,6 3,9 4,2 4,6 5,0 4,9 4,9 5,2 5,4 5,6 6,3 2,7 2,8 3,0 3,0 3,4 3,4 4,1 3,1 2,8 2,6 2,6 2,9 2,6 2,1 8,9 9,2 9,1 8,8 9,1 9,0 9,5 8,2 8,0 7,7 7,9 7,9 7,9 8,0 21,8 19,5 19,0 21,4 17,8 18,7 6,5 6,8 6,7 7,4 7,6 7,2 11,2 11,4 10,8 10,0 10,1 9,9 18,8 19,0 18,9 18,1 18,5 18,1 23,3 24,0 25,6 24,8 26,6 25,9 19,7 25,0 25,2 23,9 23,9 22,7 20,0 18,9 7,5 9,5 9,3 6,7 6,3 7,8 8,2 8,5 10,3 7,8 7,2 9,1 8,5 8,2 6,9 7,4 18,8 17,4 17,2 16,8 17,5 17,8 19,2 20,6 21,8 21,0 22,8 23,5 23,9 23,3 23,1 22,1 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 3,2 3,4 2,9 2,9 3,1 3,6 3,8 4,5 4,4 4,6 4,1 4,1 4,4 5, Gráfico 10 - Rebanho de galináceos para abate no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

38 Galináceos para produção de ovos

39 2.4.1 Galináceos para produção de ovos (Brasil e Nordeste): variação anual 140,0 120,0 100,0 Número-Índice 80,0 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 39 Gráfico 11 - Variação do estoque de galináceos para produção de ovos: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

40 2.4.2 Galináceos para produção de ovos (Nordeste): distribuição estadual 2,4 2,7 3,2 3,2 3,6 3,7 3,9 4,1 4,0 4,2 4,4 4,5 4,5 4,5 5,1 4,7 5,8 6,3 6,4 5,6 5,1 5,0 4,7 4,9 5,1 5,3 5,2 5,0 6,5 6,3 6,5 6,5 6,6 6,4 6,4 6,1 6,0 4,9 4,9 4,9 4,9 4,8 21,4 19,4 20,4 18,0 18,4 19,3 19,1 22,5 26,7 26,1 24,9 24,4 25,3 25,7 SE 6,2 8,7 17,9 5,6 8,1 16,6 5,0 8,3 16,7 5,1 5,3 5,3 5,6 8,0 7,9 7,8 7,9 17,3 17,3 16,9 17,8 5,6 7,8 20,3 5,4 5,6 5,7 6,1 5,8 5,9 7,2 7,2 6,2 6,2 5,7 5,4 19,1 19,8 20,1 20,8 20,6 21,7 RN PI PE PB MA CE BA AL 26,6 32,4 29,9 30,1 30,1 31,0 30,4 24,6 23,5 23,7 25,8 24,6 23,9 22,7 5,2 4,2 4,2 5,6 4,5 4,1 3,8 3,9 3,5 3,6 3,1 3,3 4,1 4, Gráfico 12 - Rebanho de galináceos para a produção de ovos no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

41 Bovinos

42 2.5.1 Estoque de bovinos (Brasil e Nordeste): variação anual 140,0 120,0 100,0 Número-Índice 80,0 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 42 Gráfico 13 - Variação do estoque de bovinos: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

43 2.5.2 Estoque de bovinos (Nordeste): distribuição estadual 3,9 3,7 3,6 3,6 3,6 3,7 3,8 3,7 3,7 4,0 3,9 4,0 4,1 4,2 3,6 3,4 3,5 3,5 3,6 3,6 3,7 3,5 3,6 4,1 3,7 3,5 3,0 3,2 7,9 7,7 7,6 7,3 7,0 6,8 6,6 6,0 6,1 5,9 5,8 5,7 6,0 5,8 6,7 7,1 7,3 6,8 6,6 7,1 7,5 7,7 7,8 8,1 8,3 8,5 6,7 6,3 4,2 3,9 4,0 3,8 3,9 3,9 3,9 4,0 4,2 4,4 4,3 4,6 18,1 19,1 20,0 22,1 22,8 23,9 23,7 23,0 23,6 9,8 9,4 9,3 9,0 8,7 24,3 24,3 24,6 3,4 3,6 26,5 26,3 8,5 8,4 8,4 8,5 8,8 8,9 8,8 9,6 8,9 42,3 42,1 41,3 40,6 40,3 38,8 38,6 39,7 38,5 36,2 36,6 36,1 36,3 37,4 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 3,5 3,6 3,4 3,3 3,4 3,7 3,7 3,9 4,0 4,2 4,2 4,3 4,3 4, Gráfico 14 - Rebanho de bovinos no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

44 ovinos

45 2.6.1 Estoque de ovinos (Brasil e Nordeste): variação anual 140,0 120,0 100,0 Número-Índice 80,0 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 45 Gráfico 15 - Variação do estoque de ovinos: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

46 2.6.2 Estoque de ovinos (Nordeste): distribuição estadual 1,2 1,4 1,5 1,5 1,6 1,7 1,8 1,6 1,6 1,7 1,7 1,7 1,9 1,9 5,0 5,0 5,4 5,6 5,6 5,4 5,5 5,5 5,7 6,0 5,9 5,8 6,0 7,5 18,0 17,6 17,9 17,8 17,1 16,6 16,4 15,5 15,4 14,5 14,1 13,8 13,3 12,3 9,7 10,1 11,1 10,8 10,8 11,7 12,6 13,5 14,4 15,5 16,5 18,4 17,7 18,7 4,4 4,7 2,0 2,0 4,9 4,9 4,7 4,5 4,4 4,4 2,1 2,5 2,4 4,4 2,5 4,5 2,5 2,4 4,4 2,5 2,4 4,4 4,0 2,3 2,3 2,5 4,0 2,4 20,7 20,7 21,5 21,6 21,3 21,0 20,9 21,5 21,7 21,6 21,3 21,2 22,2 21,1 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 37,7 37,0 33,4 32,9 34,3 34,5 33,8 33,3 32,2 31,7 31,7 30,4 30,2 29,9 1,3 1,5 2,2 2,3 2,2 2,2 2,2 2,2 2,1 2,0 2,1 2,1 2,2 2, Gráfico 16 - Rebanho de ovinos no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

47 Caprinos

48 2.7.1 Estoque de caprinos (Brasil e Nordeste): variação anual 120,0 100,0 80,0 Número-Índice 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 48 Gráfico 17 - Variação do estoque de caprinos: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

49 2.7.2 Estoque de caprinos (Nordeste): distribuição estadual 0,7 0,7 0,8 0,8 0,8 0,9 0,9 1,0 1,0 1,0 1,0 1,0 1,1 1,1 3,7 3,7 4,2 4,6 4,6 4,6 4,2 4,7 4,8 4,8 4,8 4,8 4,9 4,9 16,8 16,3 16,4 16,0 15,1 14,6 14,3 15,9 16,1 16,7 16,4 16,2 16,4 15,4 16,1 16,2 16,9 17,0 16,4 16,8 17,5 6,0 6,8 7,3 7,6 7,3 6,9 6,8 3,8 3,8 4,0 4,1 4,1 4,2 4,2 9,0 9,1 9,5 9,8 9,7 9,8 9,8 43,8 43,2 40,8 40,1 42,0 42,4 42,1 18,5 20,2 19,7 20,5 22,6 22,8 24,6 7,4 7,3 7,5 7,1 4,4 6,8 6,0 6,0 4,5 4,6 4,4 4,3 4,7 4,4 11,3 11,7 12,2 12,1 12,2 13,1 12,8 36,9 34,4 33,3 33,7 32,1 31,0 30,6 AL e SE RN PI PE PB MA CE BA Gráfico 18 - Rebanho de caprinos no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

50 Suínos

51 2.8.1 Estoque de suínos (Brasil e Nordeste): variação anual 140,0 120,0 100,0 Número-Índice 80,0 60,0 40,0 20,0 0, Brasil Nordeste 51 Gráfico 19 - Variação do estoque de suínos: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

52 2.8.2 Estoque de suínos (Nordeste): distribuição estadual 1,3 1,3 1,3 1,4 1,4 1,5 1,6 1,4 1,4 1,6 1,6 1,6 1,7 1,6 1,8 1,8 2,0 2,1 2,3 2,4 2,6 2,7 2,9 3,1 3,1 3,2 3,0 3,2 19,6 19,3 19,4 19,4 19,3 19,1 18,8 17,2 17,3 15,5 15,3 15,4 15,2 15,4 5,2 5,4 5,6 5,6 5,8 6,2 6,5 7,4 6,9 6,8 7,6 7,0 6,9 7,4 1,7 1,8 1,9 2,0 2,0 2,0 2,1 2,1 2,3 2,4 2,5 2,3 2,2 2,6 26,1 25,9 25,6 24,9 24,1 23,5 23,3 22,0 22,0 20,9 21,5 21,5 22,6 22,3 14,4 14,4 14,9 15,1 15,4 15,4 15,4 16,8 17,3 18,4 18,8 19,6 20,0 19,5 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 28,4 28,5 27,9 27,9 28,0 28,1 28,0 28,2 27,5 27,9 28,5 26,7 25,8 25,6 1,5 1,5 1,4 1,6 1,7 1,8 1,8 2,1 2,3 2,3 2,5 2,6 2,6 2, Gráfico 20 - Rebanho de suínos no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

53 Codornas

54 2.9.1 Estoque de codornas (Brasil e Nordeste): variação anual 350,0 300,0 250,0 Número-Índice 200,0 150,0 100,0 50,0 0, Brasil Nordeste 54 Gráfico 21 - Variação do estoque de codornas: Brasil e Nordeste a 2013 Nota: Base de comparação = Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal 2013.

55 2.9.2 Estoque de codornas (Nordeste): distribuição estadual 5,1 3,7 3,4 1,4 1,8 1,7 1,5 1,4 1,5 1,6 1,6 1,3 1,0 0,5 3,7 2,6 3,1 2,9 3,3 2,3 2,0 1,3 2,2 2,2 1,9 1,9 1,6 2,1 1,5 3,1 3,1 3,6 5,0 4,9 3,9 3,7 3,7 3,7 3,7 4,1 3,5 3,3 33,9 36,8 35,7 39,2 36,4 37,8 40,2 47,5 43,2 40,1 38,0 35,2 35,3 37,9 12,9 11,1 13,4 6,1 8,1 9,2 9,0 8,7 5,3 9,2 11,3 15,5 3,6 3,6 1,1 3,2 1,5 2,2 1,5 1,2 4,6 4,9 10,6 1,2 1,1 3,1 4,1 4,5 5,0 5,6 2,0 2,0 6,0 8,0 5,8 5,6 8,7 1,7 1,5 5,1 5,9 7,7 26,6 27,9 29,7 28,0 27,8 31,3 23,7 27,8 28,9 24,0 20,3 27,1 17,0 22,8 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 11,6 9,8 9,1 6,2 10,3 10,3 10,2 8,7 8,5 8,7 9,7 13,4 14,5 14, Gráfico 22 - Rebanho de codornas no Nordeste: participação estadual (%) a 2013 Fonte: IBGE - Pesquisa Pecuária Municipal

56 56 3 Produtos Pecuários

57 3.1 Pesquisas trimestrais: abate de animais Tabela 3 - Animais abatidos por tipo de rebanho: Brasil e Região Nordeste a 2014 Animais abatidos - mil cabeças Unidade geográfica Bovino Suino Frangos Total geral Bovino Suino Frangos Total geral Brasil , , , , , , , ,2 Nordeste 1.605,5 317, , , ,8 423, , ,7 Alagoas 120,1 60,1 0,0 180,2 192,6 33, , ,7 Bahia 348,3 57,0 0,0 405, ,3 105, , ,0 Ceará 337,1 73,5 927, ,4 255,7 120, , ,2 Maranhão 344,6 11,6 0,0 356,2 833,5 16,3 0,0 849,8 Paraíba 15,7 0,0 0,0 15,7 78,1 5, , ,2 Pernambuco 276,2 74, , ,9 324,5 86, , ,4 Piauí 122,8 38, , ,1 152,6 29, , ,7 Rio Grande do Norte 40,7 1,6 0,0 42,3 110,6 14,0 0,0 124,6 Sergipe 0,0 0,0 0,0 0,0 101,9 12, , ,0 Centro-Oeste 7.284, , , , , , , ,8 Norte 2.037,9 23,6 0, , ,7 17, , ,0 Sudeste 3.718, , , , , , , ,4 Sul 2.337, , , , , , , ,3 Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 57

58 3.1.1 Distribuição do abate de animais (2000): por tipo de rebanho Galinhas; 98,7 Galinhas; 95,7 Suino; 0,6 Bovino; 0,6 Suino; 0,7 Bovino; 3,6 Gráfico 23 - Animais abatidos no Brasil: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Gráfico 24 - Animais abatidos no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 58

59 3.1.2 Distribuição do abate de animais (2014): por tipo de rebanho Galinhas; 98,7 Galinhas; 98,16 Suino; 0,7 Bovino; 0,6 Suino; 0,2 Bovino; 1,6 Gráfico 25 - Animais abatidos no Brasil: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Gráfico 26 - Animais abatidos no Nordeste: por tipo de rebanho (%) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 59

60 3.1.3 Galinhas abatidas (Brasil e Nordeste): variação anual 600,0 500,0 400,0 300,0 Número-Índice 200,0 100,0 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 60 Brasil Nordeste Gráfico 27 - Variação trimestral do abate de galinhas: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Notas: 1 - Base de comparação: 2000; 2 - Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

61 3.1.4 Galinhas abatidas no Brasil: participação do Nordeste 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 61 Gráfico 28 - Participação do Nordeste no abate trimestral de galinhas no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Nota: Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

62 3.1.5 Galinhas abatidas no Nordeste: participação estadual 2,9 3,9 2,5 12,4 4,7 4,7 4,5 5,0 4,4 4,5 2,7 1,3 4,3 2,7 2,0 2,0 1,7 1,5 1,3 1,2 2,7 2,8 2,3 3,1 3,5 4,5 4,1 4,4 3,4 43,9 39,7 38,8 37,3 37,6 33,8 30,7 30,5 30,0 95,0 90,5 81,5 88,7 89,0 78,2 1,5 2,3 7,8 2,3 3,1 3,9 9,7 11,7 4,6 5,6 11,1 10,8 11,1 4,9 4,9 10,9 Demais UFs PI PE PB CE BA 50,5 51,0 50,3 46,7 42,9 43,7 47,3 48,5 42,5 2,2 3,1 2,6 1,5 1,7 1,9 10, Gráfico 29 - Participação estadual no abate trimestral de galinhas no Nordeste (%): 2000 a 2014 Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 62

63 3.1.6 Bovinos abatidos (Brasil e Nordeste): variação anual 250,0 200,0 150,0 100,0 Númro-Índice 50,0 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 63 Brasil Nordeste Gráfico 30 - Variação trimestral do abate de bovinos: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Notas: 1 - Base de comparação: 2000; 2 - Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

64 3.1.7 Bovinos abatidos: no Brasil: participação do Nordeste 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 64 Gráfico 31 - Participação do Nordeste no abate trimestral de bovinos no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Nota: Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

65 3.1.8 Bovinos abatidos no Nordeste: participação estadual 2,5 2,7 7,6 6,9 2,7 3,1 2,5 2,0 3,0 3,4 3,7 3,7 2,7 1,8 5,3 3,2 3,1 5,1 4,9 4,8 4,7 3,4 3,1 3,4 3,4 3,0 3,7 3,6 3,0 3,2 5,8 5,5 4,6 4,7 4,6 5,0 5,9 4,5 17,2 19,6 18,0 17,1 1,0 1,1 2,6 3,1 21,5 21,7 22,9 24,5 21,0 19,2 17,3 16,0 21,7 21,9 20,9 22,2 15,6 14,2 12,9 13,1 12,8 12,6 12,9 12,8 9,7 9,6 2,5 2,7 2,4 2,6 2,6 2,4 2,4 2,4 25,6 22,6 26,3 24,9 24,7 22,9 18,9 22,1 10,7 12,9 11,6 11,1 10,9 10,5 14,3 10,1 37,7 33,2 28,1 33,0 34,2 35,4 37,3 35,0 2,9 2,6 9,5 2,3 22,0 21,6 24,4 9,0 8,1 7,5 37,7 39,3 40,1 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 7,5 6,9 6,2 6,9 6,6 6,2 5,6 5,7 5,3 4,7 6,2 6,5 6,5 6,3 5, Gráfico 32 - Participação estadual no abate trimestral de bovinos no Nordeste (%): 2000 a 2014 Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 65

66 3.1.9 Suínos abatidos (Brasil e Nordeste): variação anual 250,0 200,0 150,0 100,0 Número-Índice 50,0 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 66 Brasil Nordeste Gráfico 33 - Variação trimestral do abate de suínos: Brasil e Nordeste a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Notas: 1 - Base de comparação: 2000; 2 - Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

67 Suínos abatidos no Brasil: participação do Nordeste 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0, T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T 67 Gráfico 34 - Participação do Nordeste no abate trimestral de suínos no Brasil (%): 2000 a 2014 (2º trimestre) Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Nota: Com ajuste sazonal (média aritmética móvel centrada - cinco trimestres).

68 Suínos abatidos no Nordeste: participação estadual 0,5 1,2 3,0 3,5 3,5 2,8 2,7 2,8 3,1 2,6 12,2 9,2 6,7 7,2 6,6 5,9 8,4 9,4 9,7 10,2 2,0 1,9 2,4 2,5 2,8 2,8 3,2 3,6 3,0 3,3 9,9 10,1 10,6 11,0 7,0 23,6 24,8 25,2 3,7 3,1 1,1 3,1 23,2 23,4 21,6 18,0 20,9 22,5 22,1 20,6 27,1 26,4 21,5 22,0 21,9 20,3 20,9 22,2 21,1 20,1 1,3 1,4 3,7 3,5 1,5 1,5 1,4 1,5 1,4 2,2 4,3 1,3 1,3 3,4 3,3 3,8 3,7 1,2 1,5 1,4 4,0 3,8 3,8 3,4 26,6 27,2 25,4 27,2 22,9 28,4 29,7 27,0 28,5 26,7 25,4 27,4 14,5 15,7 19,5 20,3 18,5 17,5 16,9 18,7 17,6 19,6 22,3 24,9 SE RN PI PE PB MA CE BA AL 19,0 17,4 16,9 19,2 18,8 18,1 15,8 14,9 14,5 12,1 15,4 13,4 12,2 8,9 7, Gráfico 35 - Participação estadual no abate trimestral de suínos no Nordeste (%): 2000 a 2014 Fonte: IBGE - Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. 68

Caderno de Estatísticas Setoriais

Caderno de Estatísticas Setoriais Caderno de Estatísticas Setoriais Pecuária no Dezembro/2013 Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas Escritório Técnico de Estudos Econômicos do - ETENE ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Leia mais

Produção da Pecuária Municipal

Produção da Pecuária Municipal Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Produção da Pecuária Municipal 2011 Data 18/10/2012 Produção da Pecuária Municipal Variáveis investigadas: Efetivo dos rebanhos: Animais existentes em

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Julho de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Julho de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Julho de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Vice-Presidente da República no Exercício

Leia mais

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP.

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados FEVEREIRO - 216 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. A Consultoria Técnica Especializada da Câmara Municipal de Limeira apresenta os dados do

Leia mais

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 ENCONTROS DE ATUALIDADES ECONÔMICAS O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 Prof. Dr. Laumar Neves de Souza Diagrama do

Leia mais

Caderno de Estatísticas Setoriais

Caderno de Estatísticas Setoriais Caderno de Estatísticas Setoriais Produção de lavouras permanentes no Dezembro/2013 Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas Escritório Técnico de Estudos Econômicos do - ETENE ESCRITÓRIO

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 3 O Produto Interno Bruto (PIB) das atividades culturais Brasil 1980/1985/1994 Análise temporal e espacial das atividades que compõem o setor cultural

Leia mais

Ano II Nº 1 PESCA E AQUICULTURA DO NORDESTE

Ano II Nº 1 PESCA E AQUICULTURA DO NORDESTE Ano II Nº 1 PESCA E AQUICULTURA DO NORDESTE 2012 Banco do Nordeste do Brasil Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas - CIEST

Leia mais

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE

TURISMO NA REGIÃO NORDESTE TURISMO NA REGIÃO NORDESTE 2012 Banco do Nordeste do Brasil S/A Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas - CIEST Presidente:

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO: Para o inicio do ano, em relação ao mês de dezembro de 212, os preços da arroba do boi e da vaca mantiveram-se praticamente estáveis, tendo o valor médio

Leia mais

Leonardo Dias Lima Kerlen Andrade do Monte Vivianne Benevides Militão. Nordeste em Mapas 2012

Leonardo Dias Lima Kerlen Andrade do Monte Vivianne Benevides Militão. Nordeste em Mapas 2012 Nordeste em Mapas 2012 Leonardo Dias Lima Kerlen Andrade do Monte Vivianne Benevides Militão Nordeste em Mapas 2012 Fortaleza Banco do Nordeste 2012 Presidente Paulo Sérgio Rebouças Ferraro Diretores

Leia mais

Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades

Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Marcio Pochmann Presidente Brasília, 15 de dezembro de 2009 Justificativa

Leia mais

Síntese do panorama da economia brasileira 3

Síntese do panorama da economia brasileira 3 Síntese do panorama da economia brasileira 3 O - PIB, no ano de 2012, acumulou crescimento de 1,0% em relação ao ano anterior. Em 2011, o crescimento acumulado no ano havia sido de 2,7%. Em função desse

Leia mais

Representatividade das MPEs:

Representatividade das MPEs: Representatividade das MPEs: Número de Estabelecimentos Empresarias e Mercado de Trabalho 1 CONTEXTO DAS MPES NO ESTADO DA BAHIA: Estabelecimentos empresariais MPEs: O estado da Bahia possui 174.067 estabelecimentos

Leia mais

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam ligeira redução da taxa de desemprego e

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL

PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL 2010 Produto Interno Bruto - PIB Corresponde ao valor a preços de mercado, de todos os bens e serviços finais produzidos em um território, num determinado período

Leia mais

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 7, n. 58 - Setembro/2016 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424

Leia mais

ECONOMIA ALAGOANA CRESCE 5% EM 2012 CONFORME SEPLANDE E IBGE. Tabela 01- Variação Real do PIB de Alagoas 2008-2012 (%)

ECONOMIA ALAGOANA CRESCE 5% EM 2012 CONFORME SEPLANDE E IBGE. Tabela 01- Variação Real do PIB de Alagoas 2008-2012 (%) ECONOMIA ALAGOANA CRESCE 5% EM 2012 CONFORME SEPLANDE E IBGE Superintendência da Produção e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estudos e Pesquisas A variação real do Produto Interno Bruto (PIB) indica

Leia mais

Producão da Pecuária

Producão da Pecuária Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão nstituto Brasileiro de Geografia e Estatística - BGE BGE-CD 1/DEBOC E D E DE B D L O TE ( A Producão da Pecuária Municipal volume 28 2000 Brasil SSN 0101-4234

Leia mais

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem Resultado do ICEI - Índice de Confiança do Empresário Industrial - nas Regionais FIESP Projeto de de Opinião CNI (DEPAR/DEPECON) Introdução A Sondagem Industrial é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente

Leia mais

Retropolação. Tabela 1 - Participação (%) e taxa acumulada (1995-2007) do PIB a preços de mercado, segundo unidades da federação

Retropolação. Tabela 1 - Participação (%) e taxa acumulada (1995-2007) do PIB a preços de mercado, segundo unidades da federação Retropolação O IBGE divulga a retropolação das Contas Regionais do Brasil até 1995, que se junta a divulgação do ano de 2007, assim sendo fica disponível uma série de 1995 a 2007. Os resultados retropolados

Leia mais

Inadimplência Pessoa Física Regional

Inadimplência Pessoa Física Regional Inadimplência Pessoa Física Regional SUMÁRIO Dados referentes a abril de 2014 RELEASE DE IMPRENSA... 2 ANÁLISE ECONÔMICA (resumo)... 4 Região Norte... 8 Região Nordeste... 12 Região Sul... 16 Região Centro-Oeste...

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DE MINAS

Leia mais

ANUÁRIO DO TRABALHO. e 2 O O 8

ANUÁRIO DO TRABALHO. e 2 O O 8 ANUÁRIO DO TRABALHO namicro e Pequena Empresa 2 O O 8 SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Adelmir Santana Diretor-Presidente Paulo

Leia mais

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores De acordo

Leia mais

Perfil das pessoas físicas tomadoras de operações de crédito nas cooperativas brasileiras

Perfil das pessoas físicas tomadoras de operações de crédito nas cooperativas brasileiras Perfil das pessoas físicas tomadoras de operações de crédito nas cooperativas brasileiras 1 Objetivo Conhecer a população de pessoas físicas tomadoras de operações de crédito junto a cooperativas. A partir

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Guido Mantega INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes Diretor

Leia mais

Elaboração e Análise de Projetos

Elaboração e Análise de Projetos Elaboração e Análise de Projetos Análise de Mercado Professor: Roberto César ANÁLISE DE MERCADO Além de ser o ponto de partida de qualquer projeto, é um dos aspectos mais importantes para a confecção deste.

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 13/07/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 940.028.686 778.153.936 1.235.490.401 550.568.691 569.079.592

Leia mais

HETEROGENEIDADE REGIONAL

HETEROGENEIDADE REGIONAL HETEROGENEIDADE REGIONAL Miguel Matteo*1 Uma das faces da heterogeneidade estrutural é representada pela profunda desigualdade regional brasileira. A distribuição dos setores é profundamente desigual em

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS 18/07/2013 OBJETIVO Acompanhar o desempenho conjuntural do setor de serviços, através de indicadores mensais,

Leia mais

Nordeste do Brasil Sinopse Estatística 2013

Nordeste do Brasil Sinopse Estatística 2013 Nordeste do Brasil Sinopse Estatística 2013 Hamilton Reis de Oliveira Kamille Leão de Souza Leonardo Dias Lima Banco do Nordeste do Brasil Nordeste do Brasil Sinopse Estatística 2013 Fortaleza 2013 Presidente:

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE número 42 2012 Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 16/08/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 937.253.216 775.856.407 1.231.842.568

Leia mais

Indicadores Macroeconômicos Brasil e Nordeste 2000 a 2009

Indicadores Macroeconômicos Brasil e Nordeste 2000 a 2009 Indicadores Macroeconômicos Brasil e Nordeste 2000 a 2009 Dezembro de 2010 Banco do Nordeste do Brasil S/A Presidente: Roberto Smith Diretoria: Oswaldo Serrano de Oliveira João Emílio Gazzana Luís Carlos

Leia mais

Resultados de março 2015

Resultados de março 2015 Resultados de março Em março de, as MPEs paulistas apresentaram queda de 4,8% no faturamento real sobre março de 2014 (já descontada a inflação). Por setores, no período, os resultados para o faturamento

Leia mais

Sistema de Contas Nacionais Brasil 2005-2009

Sistema de Contas Nacionais Brasil 2005-2009 Diretoria de Pesquisas Sistema de Contas Nacionais Brasil 2005-2009 Coordenação de Contas Nacionais Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2011 Divulgações do SCN Já divulgados os dois primeiros trimestres

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000. Nota Metodológica nº 24

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000. Nota Metodológica nº 24 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000 Nota Metodológica nº 24 Tabelas Comparativas (versão para informação e comentários)

Leia mais

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Abril de 2011

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Abril de 2011 O Informativo Mensal de Conjuntura faz parte das publicações e análises efetuadas pela equipe técnica do Boletim Economia & Tecnologia publicado trimestralmente. O Informativo apresenta uma análise rápida

Leia mais

ANÁLISE DO COMÉRCIO INTERNACIONAL CATARINENSE 2014

ANÁLISE DO COMÉRCIO INTERNACIONAL CATARINENSE 2014 ANÁLISE DO COMÉRCIO INTERNACIONAL CATARINENSE 2014 CENÁRIO INTERNACIONAL VARIAÇÃO ANUAL DO PIB REAL E DO VOLUME DE COMÉRCIO DE MERCADORIAS POR REGIÃO - 2011-2013 (%) (%) (%) CRESCIMENTO DO VOLUME DE IMPORTAÇÃO

Leia mais

Desafios da Segurança Alimentar

Desafios da Segurança Alimentar Auditório II Centro de Reuniões da FIL Parque das Nações Desafios da Segurança Alimentar Graça Mariano Lisboa, 29 de Setembro de 2010 MISSÃO (DL 237/2005; DL 274/2007) Avaliar e comunicar os riscos na

Leia mais

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Maio de 2011

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Maio de 2011 O Informativo Mensal de Conjuntura faz parte das publicações e análises efetuadas pela equipe técnica do Boletim Economia & Tecnologia publicado trimestralmente. O Informativo apresenta uma análise rápida

Leia mais

POSIÇÃO ESTADO MUNICÍPIO ATIVIDADE QUANTIDADE 1º PA MARABÁ SIDERURGIA

POSIÇÃO ESTADO MUNICÍPIO ATIVIDADE QUANTIDADE 1º PA MARABÁ SIDERURGIA SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO SIT/MTE REGISTRA UM AUMENTO DE 10,39% NO NÚMERO DE TRABALHADORES EM SITUAÇÃO ANÁLOGA À DE ESCRAVO EM 2012 Números finais contabilizados pela Divisão de Fiscalização para

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

ALGODÃO Período: 06 a 10/04/2015

ALGODÃO Período: 06 a 10/04/2015 ALGODÃO Período: 06 a 0/04/205 Quadro I- PREÇO PAGO AO PRODUTOR Algodão em Pluma - (em R$/unidade) Períodos anteriores () Centros de Produção Unid. 2 Meses Mês Semana Média do mercado () Semana Atual Preço

Leia mais

Relatório das metas Nacionais 2014 - Justiça do Trabalho Dados Sigest - Janeiro a Dezembro de 2014

Relatório das metas Nacionais 2014 - Justiça do Trabalho Dados Sigest - Janeiro a Dezembro de 2014 Meta Nacional 1 : Julgar quantidade maior de processos de conhecimento do que os distribuídos no ano corrente. (1º grau) TRT 1-1ª região Rio de Janeiro 94,55 TRT 2-2ª região São Paulo 95,28 TRT 3-3ª região

Leia mais

ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE. Estatísticas consolidadas

ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE. Estatísticas consolidadas ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE Estatísticas consolidadas 2016 ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE Estatísticas consolidadas 2016 Anuário CNT do transporte estatísticas consolidadas 2016. 2ª tiragem. Brasília: CNT, 2016.

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

PRODUÇÃO, ÁREA COLHIDA E PRODUTIVIDADE DO MILHO NO NORDESTE

PRODUÇÃO, ÁREA COLHIDA E PRODUTIVIDADE DO MILHO NO NORDESTE Ano V Setembro de 2011 Nº 16 INFORME RURAL ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação - AEPA PRODUÇÃO, ÁREA COLHIDA E PRODUTIVIDADE DO

Leia mais

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg Produto Min. Mais AVES FRANGO (+ 1.300 Kg.) AVES FRANGO (1.100-1.300 Kg.) AVES FRANGO (600-700 g.) AVES FRANGO (700-900 g.) AVES FRANGO (900 g. - 1.100 Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO

Leia mais

Comentários. Panorama geral da pecuária brasileira em 2013. A Pesquisa da Pecuária Municipal 2013

Comentários. Panorama geral da pecuária brasileira em 2013. A Pesquisa da Pecuária Municipal 2013 Comentários Panorama geral da pecuária brasileira em 2013 Em 2013, o setor agropecuário e, mais especificamente, a atividade pecuária enfrentaram os efeitos do clima, como a ocorrência de uma seca prolongada

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 11

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 11 DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010 Nota Metodológica nº 11 Atividade de Construção Civil (versão para informação e comentários)

Leia mais

Financiamento Agropecuário na Safra 2015/16. Relatório Julho 2015 a Março 2016 (01/04/2016)

Financiamento Agropecuário na Safra 2015/16. Relatório Julho 2015 a Março 2016 (01/04/2016) Financiamento Agropecuário na Safra 2015/16 Relatório Julho 2015 a Março 2016 (01/04/2016) Balanço dos Financiamentos no Plano Agrícola e Pecuário 2015/16 Finalidade (R$ milhões) jul/2013 - mar/2014 jul/2014

Leia mais

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Dezembro/2013 12.000 Gráfico 1 - Balança Comercial do Agronegócio

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS CRIAÇÕES DE AVES CAIPIRAS LOCALIZADAS NO CINTURÃO VERDE DO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA SP

LEVANTAMENTO DAS CRIAÇÕES DE AVES CAIPIRAS LOCALIZADAS NO CINTURÃO VERDE DO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA SP LEVANTAMENTO DAS CRIAÇÕES DE AVES CAIPIRAS LOCALIZADAS NO CINTURÃO VERDE DO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA SP Silva Junior, C. D. 1,* ; Diniz, R. F 1 ; Silva, F. L. 1 ; Mello, E. S. 1 ; Neves, F. A. 2 ; Laurentiz,

Leia mais

Área de atuação do BNB

Área de atuação do BNB Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semiárido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território do NE) Semiárido BNB Área de atuação: 1.775,4 mil Km 2 Municípios atendidos: 1.989 (11 Estados) Quantidade

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA POR PORTE DE EMPRESA 2005/2004

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA POR PORTE DE EMPRESA 2005/2004 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO EXTERIOR - DEPLA 10.790 EXPORTAÇÃO BRASILEIRA POR

Leia mais

O Mercado de Trabalho Formal da Engenharia no Estado de Minas Gerais 2013 2014

O Mercado de Trabalho Formal da Engenharia no Estado de Minas Gerais 2013 2014 O Mercado de Trabalho Formal da Engenharia no Estado de Minas Gerais 2013 2014 FONTE DE REFLEXÃO E MATÉRIA-PRIMA PARA NOSSA INTERVENÇÃO O Sindicato de Engenheiros de Minas Gerais (Senge-MG), com o objetivo

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. Trimestre terminado em Abril/2016

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. Trimestre terminado em Abril/2016 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação Trimestre terminado em Abril/2016 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção

Leia mais

Evolução das MPEs no Município de Guarulhos. Análise Comparativa 2004 x 2000

Evolução das MPEs no Município de Guarulhos. Análise Comparativa 2004 x 2000 SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE-SP PESQUISAS ECONÔMICAS Evolução das MPEs no Análise Comparativa 2004 x 2000 Relatório de Pesquisa Realização: Maio/2006 SEBRAE-SP Serviço

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Setembro de 213 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

Cadeias produtivas no agronegócio, estrutura de mercado e competitividade. Ivan Wedekin Fórum Nacional do Trigo 2014

Cadeias produtivas no agronegócio, estrutura de mercado e competitividade. Ivan Wedekin Fórum Nacional do Trigo 2014 Cadeias produtivas no agronegócio, estrutura de mercado e competitividade Ivan Wedekin Fórum Nacional do Trigo 2014 Portfólio da BBM a serviço do Agro NEGÓCIOS COM PRODUTOS FÍSICOS LEILÕES DA PGPM REGISTRO

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Comunicação Social 25 de março de 2004 Pesquisa Mensal de Emprego Taxa de desocupação é de 12% em fevereiro Em fevereiro de 2004, a taxa de desocupação ficou estável tanto em relação ao mês anterior (11,7%)

Leia mais

PRODUÇÃO E EFETIVO DO CAFÉ NO NORDESTE

PRODUÇÃO E EFETIVO DO CAFÉ NO NORDESTE Ano V Janeiro de 2011 Nº 01 INFORME RURAL ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação - AEPA PRODUÇÃO E EFETIVO DO CAFÉ NO NORDESTE Francisco

Leia mais

Indicadores IBGE. Pesquisa Mensal de Serviços. fevereiro 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Indicadores IBGE. Pesquisa Mensal de Serviços. fevereiro 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Serviços fevereiro 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Instituto Mato Grossense de Economia Agrícola RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Presindente: Rui Carlos Ottoni Prado Superintendente: Seneri Kernbeis Paludo Equipe Técnica: Anamaria Gaudencio Martins,Daniel

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHONOESTADO DE ESTADO CONTAG CARACTERÍSTICAS GERAIS Rio Grande do Sul TABELA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO

Leia mais

Miniestudo Setorial Têxtil

Miniestudo Setorial Têxtil MINIESTUDO SETORIAL TÊXTIL MARÇO 2015 MINIESTUDO SETORIAL TÊXTIL MARÇO DE 2015 Dados coletados em 14/04/15 Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN Superintendência:

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER ABRIL DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER ABRIL DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER ABRIL DE 2016 1 PRODUTOS 2 O COMÉRCIO RESPONDE POR 13% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO GERAL

Leia mais

Cenários de Soja e Milho para 2013. Novembro 2012

Cenários de Soja e Milho para 2013. Novembro 2012 Cenários de Soja e Milho para 2013 Novembro 2012 Milho milhões t. Milho / EUA - Produção Expectativa inicial (Pré-Plantio) 376 282 268 331 307 333 316 314 (104) 272 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11

Leia mais

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE ARROZ NO NORDESTE

PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE ARROZ NO NORDESTE Ano IV Dezembro de 2010 Nº 23 INFORME RURAL ETENE Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE Ambiente de Estudos, Pesquisas e Avaliação - AEPA PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE ARROZ NO NORDESTE

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 1 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes

Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes M.V. PRATINI DE MORAES Presidente da ABIEC Cuiabá, MT, junho de 2007 Associados

Leia mais

PALESTRAS Scot Consultoria

PALESTRAS Scot Consultoria PALESTRAS Scot Consultoria ÍNDICE PALESTRAS SCOT CONSULTORIA As melhores e mais fiéis informações de mercado vão até você TEMAS 3 PECUÁRIA DE CORTE E SEUS DERIVADOS TEMAS 5 PECUÁRIA DE LEITE E DERIVADOS

Leia mais

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA Safra 2013/2014 Primeiro Levantamento Abril/2013 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia SPAE Departamento de CanadeAçúcar e Agroenergia DCAA Companhia

Leia mais

Produção Regional de Grãos e Estrutura de Armazenagem

Produção Regional de Grãos e Estrutura de Armazenagem Produção Regional de Grãos e Estrutura de Armazenagem A produção brasileira de grãos e de café 1 cresceu expressivamente de 2007 a 2013, conforme o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA)

Leia mais

INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL. N o

INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL. N o INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL N o 01-2015 Informativo da Produção Animal, com base na Pesquisa Pecuária Municipal, IBGE (2014) Animais de Grande Porte São os bovinos (bois e vacas); bubalinos (búfalos e

Leia mais

Desenvolvimento Regional, Emprego e Renda

Desenvolvimento Regional, Emprego e Renda Desenvolvimento Regional, Emprego e Renda AURÉLIO TRONCOSO Ms. Desenvolvimento Regional pelas Centro Educacional Alves Faria GO; Coordenador do Centro de Pesquisas Econômica e Mercadológicas CEPEM ALFA;

Leia mais

Nota Técnica 1 Déficit Habitacional no Brasil 2011-2012. Resultados Preliminares

Nota Técnica 1 Déficit Habitacional no Brasil 2011-2012. Resultados Preliminares Nota Técnica 1 Déficit Habitacional no Brasil 2011-2012 Resultados Preliminares Centro de Estatística e Informações - CEI Belo Horizonte, junho de 2014 NOTA TÉCNICA 1 DÉFICIT HABITACIONAL NO BRASIL 2011-2012:

Leia mais

Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011. 10 mai 2011

Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011. 10 mai 2011 Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011 Sergio Lulia Jacob Diretor Vice-Presidente Financeiro Alexandre Sinzato, CFA Head de Relações com Investidores 10 mai 2011 1 Destaques O Lucro

Leia mais

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações agroexportações EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS DO PARANÁ De Janeiro a Julho de 2012 Contexto Nacional Cooperativas do Paraná 1,15 bilhão de dólares em exportações 36% das exportações brasileiras de cooperativas

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente

Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2011 26 de janeiro de 2012 Valor médio de avaliação bancária acentua tendência decrescente O valor médio de avaliação bancária de habitação 1 do total do País

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO PIB

PRODUTO INTERNO BRUTO PIB PRODUTO INTERNO BRUTO PIB PIAUÍ 2013 2 Nota metodológica das Contas Regionais referência 2010 A divulgação da série das Contas Regionais do Brasil referência 2010 dá continuidade ao projeto de implantação

Leia mais

Taxa de desemprego diminui

Taxa de desemprego diminui MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO DO ABC 1 Taxa de desemprego diminui 1. As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED, realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese, em parceria com o Consórcio Intermunicipal

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RM da Baixada Santista 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

no Brasil Jarbas José Valente Superintendente 05-2006, SP/Brasil Pessoal - SMP

no Brasil Jarbas José Valente Superintendente 05-2006, SP/Brasil Pessoal - SMP A evolução do no Brasil Rumo à 3 a Geração Jarbas José Valente Superintendente 05-2006, SP/Brasil 1 Conteúdo Situação Atual Espectro Radioelétrico disponível Aspectos Relevantes na Evolução para 3G Alternativas

Leia mais

INCERTEZAS EXIGEM CAUTELA

INCERTEZAS EXIGEM CAUTELA 1 2 INCERTEZAS EXIGEM CAUTELA previsão da indústria de alimentação animal brasileira é demandar aproximadamente 42 milhões de toneladas de milho e 14,5 milhões de toneladas de farelo de soja em 2015, dentre

Leia mais

Perfil dos trabalhadores técnicos em segurança no. Março de 2011

Perfil dos trabalhadores técnicos em segurança no. Março de 2011 Perfil dos trabalhadores técnicos em segurança no trabalho - SC, 2009 Março de 2011 GÊNERO GÊNERO X REMUNERAÇÃO GRAU DE INSTRUÇÃO Número de trabalhadores, Técnicos em Segurança no Trabalho, por grau de

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE Agosto/2013 Desemprego registra redução em agosto 1. No mês de agosto, os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego para os residentes em mostraram variação

Leia mais

1.2 Vitimização 1.2.6 Agressão física

1.2 Vitimização 1.2.6 Agressão física Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Características da vitimização e do acesso à justiça no Brasil 2009 Tabela 1.2.6.1.1 - Pessoas de 10 anos ou mais de idade que foram vítimas de agressão física,

Leia mais

QUEM SÃO OS ASSISTENTES SOCIAIS NO BRASIL?

QUEM SÃO OS ASSISTENTES SOCIAIS NO BRASIL? QUEM SÃO OS ASSISTENTES SOCIAIS NO BRASIL? Subseção DIEESE/CUT-NACIONAL MAIO DE 2015 OBSERVAÇÃO METODOLÓGICA: Este perfil de categoria utiliza tanto a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD-IBGE),

Leia mais

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Ano 5 no 41 novembro/2012 Ano 5 no 41 maio/2012 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7494 Fax: (32) 3311-7499 e-mail: sac@cnpgl.embrapa.br

Leia mais

REGIÃO 01 CENTRO OESTE Cidade de Lotação: Brasília (DF); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); Goiânia (GO).

REGIÃO 01 CENTRO OESTE Cidade de Lotação: Brasília (DF); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); Goiânia (GO). REGIÃO 01 CENTRO OESTE Cidade de Lotação: Brasília (DF); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); Goiânia (GO). CARGO: ANALISTA DE PROCESSAMENTO NÍVEL SUPERIOR 01100 ANALISTA DE PROCESSAMENTO 165 17 30h Salário

Leia mais

Estimativas e Projeções do PIB Paraense 2014-2020

Estimativas e Projeções do PIB Paraense 2014-2020 VII REUNIÃO DO GRUPO DE ESTUDOS E ANÁLISE CONJUNTURAL GEAC Estimativas e Projeções do PIB Paraense 20142020 Maria Glaucia P. Moreira Diretora de Estatística e de Tecnologia e Gestão da Informação FAPESPA

Leia mais

O LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTA DE CRITÉRIOS PARA ANÁLISE DO CONTEÚDO GEOGRAFIA FÍSICA DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

O LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTA DE CRITÉRIOS PARA ANÁLISE DO CONTEÚDO GEOGRAFIA FÍSICA DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO O LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTA DE CRITÉRIOS PARA ANÁLISE DO CONTEÚDO GEOGRAFIA FÍSICA DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO ALVES, Joselma Ferreira Universidade Estadual da Paraíba Joselmaferreira133@hotmail.com

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Educação infantil Qualidade, Financiamento e Acesso. Laisa Gomes Fernanda Roscille

Desafios e Perspectivas da Educação infantil Qualidade, Financiamento e Acesso. Laisa Gomes Fernanda Roscille Desafios e Perspectivas da Educação infantil Qualidade, Financiamento e Acesso Laisa Gomes Fernanda Roscille Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Autarquia Federal Lei de Criação: Lei nº

Leia mais

Sinopse Estatística do Ensino Superior Graduação - 1999

Sinopse Estatística do Ensino Superior Graduação - 1999 Sinopse Estatística do Ensino Superior - 1999,QVWLWXWRÃ1DFLRQDOÃGHÃ(VWXGRV HÃ3HVTXLVDVÃ(GXFDFLRQDLV Brasília-DF, 2000 1 0,1,67e5,2 '$Ã('8&$d 2 TIRAGEM: 4.500 exemplares INEP MEC Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Webinar. A Crise Hídrica e a Redução dos Índices de Perdas de Água

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Webinar. A Crise Hídrica e a Redução dos Índices de Perdas de Água Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Webinar A Crise Hídrica e a Redução dos Índices de Perdas de Água Serão dois dias de palestras, debates e apresentações de estudos de caso. Entre

Leia mais

Agregados macroeconômicos: construções estatísticas que sintetizam aspectos relevantes da atividade econômica em um período de tempo.

Agregados macroeconômicos: construções estatísticas que sintetizam aspectos relevantes da atividade econômica em um período de tempo. AGREGADOS MACROECONÔMICOS E IDENTIDADES CONTÁBEIS Agregados macroeconômicos: construções estatísticas que sintetizam aspectos relevantes da atividade econômica em um período de tempo. São derivados de

Leia mais

Informações sobre Beneficiários, Operadoras e Planos

Informações sobre Beneficiários, Operadoras e Planos Gerência de Produção de Informação GEPIN/GGSIS/DIDES Informações sobre Beneficiários, Operadoras e Planos DADOS DO SETOR EDIÇÃO: JUNHO/2005 COMPETÊNCIA: MARÇO/2005 O Caderno de Informações de Beneficiários,

Leia mais