Apostila de Instalações Elétricas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apostila de Instalações Elétricas"

Transcrição

1 12.1 Eletrodutos Para se determinar a medida dos eletrodutos deve-se: medir, diretamente na planta, os eletrodutos representados no plano horizontal e somar, quando for o caso, os eletrodutos que descem ou sobem até as caixas. A medição no sentido horizontal é feita com o auxílio de uma régua, na própria planta de distribuição. Uma vez efetuadas, estas medidas devem ser convertidas para o valor real, através da escala em que a planta foi desenhada. A escala indica qual é a proporção entre a medida representada e a real, como vimos no item 10. Para as medidas dos eletrodutos que descem até as caixas são determinadas, descontando da medida do pé direito mais a espessura da laje da imóvel, a altura em que a caixa está instalada. 33

2 Para as medidas dos eletrodutos que sobem até as caixas são determinadas, somando a altura da caixa em relação ao piso acabado do imóvel com a espessura do contrapiso Condutores Como a medida dos eletrodutos é a mesma dos fios que por eles passam, efetuando-se o levantamento dos eletrodutos, simultaneamente estará se efetuando o da fiação. Exemplificando o levantamento dos eletrodutos e fiação: Mede-se o trecho do eletroduto no plano horizontal. Escala utilizada = 1:100 Pé direito = 2,80m Espessura da laje = 0,15m 2,80 + 0,15 = 2,95m 34

3 Chega-se a um valor de 3,8 cm: convertendo-se o valor encontrado para a medida real, teremos: 3,8cm x 100 = 380,0cm ou 3,80m. Eletroduto de 20mm = 3,80m Fio fase de 2,5mm2 = 2 x 3,80m = 7,60m Fio neutro de 2,5mm2 = 2 x 3,80m = 7,60m Fio de proteção de 2,5mm2 = 3,80m Agora, outro trecho da instalação. Nele, é necessário somar a medida do eletroduto que desce até a caixa da tomada baixa. Para este trecho da instalação, Medida do eletroduto no plano horizontal: 2,2 cm x 100 = 220 cm ou 2,20m Medida do eletroduto que desce até a caixa da tomada baixa: (pé direito + esp. da laje) - (altura da caixa) 2,95 m - 0,30 m = 2,65m Somam-se os valores encontrados: (plano horizontal) + (descida até a caixa) 2,20 m + 2,65 m = 4,85m Eletroduto de 16mm = 4,85m Fio fase de 2,5mm2 = 4,85 m = 4,85m Fio neutro de 2,5mm2 = 4,85 m = 4,85m Fio de proteção de 2,5mm2 = 4,85 m = 4,85m Faça isso com todos os trechos do projeto e depois some todos os resultados encontrados. Multiplique o resultado final encontrado por 1,10 para compensar as perdas de materiais Caixas e acessórios Devemos contar todas as caixas de passagens, espelhos para instalação de interruptores e tomadas, buchas, arruelas, curvas e luvas observando o projeto. 35

4 Nesse nosso caso temos: 2 caixas octogonais 4 x 4 4 caixas 4 x 2 3 tomadas 2 P + T 1 interruptor simples 1 curva 90 de ø 20 1 luva de ø 20 6 luvas de ø 16 4 arruelas de ø 20 4 buchas de ø 20 3 curvas 90 de ø 16 6 buchas de ø 16 6 arruelas de ø 16 Obs.: Para cada curva pré-fabricada para eletroduto rígido consideramos 2 luvas e para cada 3m lineares de eletroduto, sem caixa de passagem, contabilizamos 1 luva. O desenho abaixo mostra a localização desses componentes. 36

5 Listagem dos materiais Descrição Quantidade Unidade Condutores Proteção #16mm² (verde c/amarelo) 7 m Fase #16mm² (branco ou vermelho) 13 m Neutro #16mm² (azul) 7 m Retorno #1,5mm² (preto) 69 m Fase #2,5mm² (branco ou vermelho) 215 m Neutro #2,5mm² (azul) 182 m Proteção #2,5mm² (verde c/amarelo) 101 m Fase #4mm² (branco ou vermelho) 15 m Proteção #4mm² (verde c/amarelo) 8 m Fase #6mm² (branco ou vermelho) 22 m Proteção #6mm² (verde c/amarelo) 11 m Preço Unitário Total Eletrodutos 16mm x 3m 16 vara 20mm x 3m 27 vara 25mm x 3m 4 vara Outros componentes da distribuição Caixa 4 x 2 36 peça Caixa octogonal 4 x 4 4 peça Caixa 4 x 4 1 peça Campainha 1 peça Tomada 2P + T 26 peça Interruptor de 1 seção 4 peça Interruptor three-way 2 peça Interruptor de 1 seção c/tomada 2P + T 2 peça Interruptor three-way c/tomada 2P + T 1 peça Interruptor three-way c/ interruptor de 1 seção 1 peça Placa c/furo redondo para saída de fio 2 peça Disjuntor termomagnético monopolar 10A 10 peça Disjuntor termomagnético bipolar 25A 1 peça Disjuntor termomagnético bipolar 30A 1 peça Disjuntor termomagnético tripolar 50A 1 peça Interruptor DR tripolar 30 ma/63a 1 Peça Quadro de distribuição 1 peça 37

6 14 - Dicas Fundamentais Nunca aumente o valor do disjuntor ou do fusível sem trocar a fiação. Quando possível devem ser previstos circuitos separados para iluminação e tomadas, principalmente em instalações comerciais e industriais. Todas as tomadas devem ter um fio para o aterramento. Disjuntor não deve ser utilizado como interruptor. Não utilize o fio neutro como fio terra. Apenas o aterramento não é suficiente para a proteção das pessoas contra choques elétricos. As Normas Técnicas Brasileiras exigem o uso de disjuntores DR (Diferencial- Residual), que podem ser adquiridos em casas de material elétrico. Evite a utilização do chamado "benjamim". O seu uso indevido causa sobrecarga nas instalações. Instalem mais tomadas, respeitando o limite de condução de energia elétrica dos fios. Recorra sempre a serviços de um profissional bem qualificado. Os chuveiros elétricos e condicionadores de ar devem possuir circuitos exclusivos. 38

7 15 Referências Bibliográficas Procobre Brasil Manual de Instalações Elétricas. Siemens do Brasil Manuais Técnicos. Site da weg Manual sobre condutores da Prysmian. Site Cia Paranaense de Energia Elétrica (COPEL) Manuais técnicos. Norma 456 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). Norma NBR-5410 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). GE Supply Brasil Manual sobre lâmpadas. Site da Pial Site da Tigre Niskier, Júlio Instalações Elétricas 1ª Edição. Creader, Hélio Instalações Elétricas 15ª Edição. 39

Aula 5 Projetos elétricos

Aula 5 Projetos elétricos Aula 5 Projetos elétricos Um projeto elétrico é um conjunto de símbolos desenhados sobre uma planta baixa interligados de tal forma para mostrar com deve ser executada a obra. Todo projeto elétrico residencial,

Leia mais

O USO DOS DISPOSITIVOS DR

O USO DOS DISPOSITIVOS DR O USO DOS DISPOSITIVOS DR Como vimos anteriormente, o dispositivo DR é um interruptor automático que desliga correntes elétricas de pequena intensidade (da ordem de centésimos de ampère), que um disjuntor

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O M E M O R A L D E S C R T V O N S T A L A Ç Õ E S E L É T R C A S CONSELHO REGONAL DE ENFERMAGEM DE SERGPE-COREN Endereço : Rua Duque de Caxias nº 389, Bairro São José, cidade de Aracaju/SE. Proprietário

Leia mais

Instalações Elétricas Residenciais e Prediais - XI622 -

Instalações Elétricas Residenciais e Prediais - XI622 - T e c n o l o g i a Instalações Elétricas Residenciais e Prediais - XI622 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Instalações Elétricas Residenciais e Prediais

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNCIA FOLHA 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS CLIENTE: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - ELETROTÉCNICA FOLHA: SEP: RLAM: ÍNDICE DE REVISÕES 1 de 18 Emissão original. DESCRIÇÃO

Leia mais

INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS

INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE PONTOS ELÉTRICOS LOTE 2 Versão: 001 Vigência: 01/2016 Última atualização:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO COREN Subseção de Floriano ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. NORMAS TÉCNICAS 3. DESCRIÇÃO DOS SITEMAS 3.1. Entradas de energia e telefone 3.2. Quadros de distribuição local 3.3. Dispositivos

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 3: ATERRAMENTOS 1. FINALIDADE O sistema de equipotencialização principal da edificação consiste na interligação de elementos especificados visando obter a equipotencialidade necessária para os

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 Página 1 de 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 CAIXA DE MEDIÇÃO INSTALADA NA DIVISA COM O PASSEIO PÚBLICO PARA ATENDIMENTO INDIVIDUAL EM BAIXA TENSÃO ATRAVÉS DA NORMA CEMIG ND- 5.1 1.OBJETIVO Visando a redução

Leia mais

LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS CURSOS: ENGENHARIA CIVIL, MECÂNICA E PRODUÇÃO LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Título da Experiência: Instalações elétricas prediais I Prof. Oswaldo Tadami

Leia mais

Divisão da instalação em circuitos

Divisão da instalação em circuitos Divisão da instalação em circuitos 285 Tipo de proteção a ser empregada Vamos optar pela instalação do DR nos circuitos terminais e DTM na entrada + demais terminais. 286 Página 143 Tipo de proteção a

Leia mais

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v DESENHO 1: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do mesmo lado da rede e na divisa com o passeio público.

Leia mais

As condições anormais de operação devem ser limitadas no tempo de duração e na amplitude.

As condições anormais de operação devem ser limitadas no tempo de duração e na amplitude. Disjuntores As condições anormais de operação devem ser limitadas no tempo de duração e na amplitude. Os dispositivos de proteção nas instalações elétricas devem desligar o circuito nas condições adversas.

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-22/07/2014 05/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão 15 4 Esquemas elétricos 4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão Os projetos elétricos em baixa tensão devem ser utilizados, conforme esquemas de ligação, onde as ligações são desenvolvidas através de

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Componentes das instalações Componente: podem ser materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos, máquinas, conjuntos, partes

Leia mais

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio 1. IDENTIFICAÇÃO Prefeitura Municipal De Veranópolis Posto de Saúde Central. Av. Pinheiro Machado, 581 Centro Veranópolis RS CEP: 95330-000 CNPJ: 98671597/0001-09

Leia mais

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Código da Ficha FICHA DE CURSO Revisão 01 Data: 2014 Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Eixo Tecnológico: Infraestrutura Nº de Participantes: Mínimo: 15 Máximo: 20 Modalidade: Qualificação

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 2ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 2ª MEDIÇÃO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 2ª MEDIÇÃO OBRA: EXECUÇÃO DE REFORMA DO FÓRUM TRABALHISTA DE COLOMBO CONTRATADA: VENTO NORDESTE CONSTRUÇÕES E EMPREENDIMENTO LTDA. Considerando a instituição da Comissão de Recebimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UESPI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE OEIRAS 1 FAZENDA TALHADA, S/N OEIRAS-PI ÍNDICE 1.0 DADOS GERAIS...4 2.0 OBJETIVO...4

Leia mais

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 23 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 24 Exemplo de aplicação 4.4(3.7): 4(3 Calcular a seção

Leia mais

arente Linha Aparente p a A h Lin

arente Linha Aparente p a A h Lin Linha Aparente Linha Aparente Linha Aparente Canaleta metálica... 03 Tampa de encaixe... 03 Tampa de pressão... 14 Canaleta meia-lua... 21 Poste condutor... 22 Tampa de encaixe A Linha Aparente da Valemam

Leia mais

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DA REDE ELÉTRICA E LÓGICA - 2016 1. OBJETO Serviços de instalação de rede elétrica e lógica para os postos policiais do São João 2016. 2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os parâmetros

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003 Esta edição foi baseada nos Manuais de Instalações Elétricas Residenciais - 3 volumes, 1996 ELEKTRO / PIRELLI complementada, atualizada e ilustrada com

Leia mais

Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 -

Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 - T e c n o l o g i a Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de Comandos Elétricos - XE301 - INTRODUÇÃO Os

Leia mais

Especificação Disjuntores Baixa Tensão

Especificação Disjuntores Baixa Tensão Especificação Disjuntores Baixa Tensão Descrição: DISJUNTOR MICROPROCESSADO Local de Aplicação: QGBT Modelo: Fabricante: Fabricante Alternativo: Normas NBR-5361 / 8176, IEC-947-2 Aplicáveis Critério de

Leia mais

78 mm. 73,5 mm. 90,5 mm Secção do conexão mm 2 16 Montagem Permitida. Medida Dimensional. Largura. Profundidade. Profundidade com manopla

78 mm. 73,5 mm. 90,5 mm Secção do conexão mm 2 16 Montagem Permitida. Medida Dimensional. Largura. Profundidade. Profundidade com manopla Disjuntores FM1 - Linha de Disjuntores em Caixa moldada Os disjuntores FM, são projetado em aplicações para distribuição de energia elétrica em até 1250A, tensão nominal em até 660Vca, series em até quatro

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 4 Práticas de Instalação

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 4 Práticas de Instalação APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 4 Práticas de Instalação Instalação de cabos e hardware metálicos Devem ser instalados de forma que se permita uma inspeção visual. Cabos com capa danificada; Cabos com

Leia mais

Padrão de entrada PCI-3

Padrão de entrada PCI-3 Padrão de entrada PCI-3 padrão de entrada Relação de Materiais Item Qtde. Un. Descrição 01 01 pç 02 Fornecido e instalado pela EDP 03 Variável m Poste com caixa incorporada tipo PCI-3 (ver nota 4) Ramal

Leia mais

Disjuntores 5SX, 5SP e 5SY

Disjuntores 5SX, 5SP e 5SY Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis es SX, SP e SY Proteção para instalações elétricas de baixa tensão Fabricado no Brasil es SX, SP, SY Os es Siemens são equipamentos de alta tecnologia que

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues

2º Bimestre. Prof. Evandro Junior Rodrigues. Agosto Evandro Junior Rodrigues 2º Bimestre Prof. Evandro Junior Rodrigues Agosto 2016 Evandro Junior Rodrigues Robôs M óveis e sua Aplicação em Sumário Transformadores Geração + Transmissão + Distribuição Proteção contra sobrecorrente

Leia mais

Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03. Eletricista. Eletricista

Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03. Eletricista. Eletricista 1/8 Seguir regras básicas do POPD 001.01.03 Diretriz do eletricista. Passo 01: Executar os passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03 - Diretriz do eletricista Igual aos passos de 01 à 11 do POPD 001.01.03 Igual

Leia mais

CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1- ELEMENTOS COMPONENTES DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA

CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1- ELEMENTOS COMPONENTES DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Prof.a : CARMINDA CÉLIA M. M. CARVALHO CAPÍTULO 4- INSTALAÇÕES EM RESIDÊNCIAS 4.1-

Leia mais

Motores Automação Energia Tintas

Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas Automação Minidisjuntores MDW Disjuntores em Caixa Moldada Predial DWP Interruptores Diferenciais Residuais RDW Dispositivo de Proteção Contra Surto SPW Índice Minidisjuntores

Leia mais

Canaletas PVC DLP & Acessórios

Canaletas PVC DLP & Acessórios Centro de Suporte Técnico T 0800-11 11-8008 servmercado@piallegrand.com.br Canaletas PVC DLP & Acessórios CONTEÚDOS PÁGINAS 1.Linha 1 a 2 2.Acessórios de acabamento 3 a 5 3.Acessórios complementares 6

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Botoeira / Acionador Manual Resetável - Acionamento Direto, Controle de Acesso, Combate e Alarme de Incêndio Código: AFAM3AM Os Acionadores Manuais ou Botoeiras de Acionamento Direto Para Combate de Incêndio,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência SOBRE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Informativo - Normas Quarta 11 Novembro Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência Conjunto de Blocos Autônomos. São aparelhos de iluminação de emergência constituído de um

Leia mais

Disjuntores Caixa Moldada Disparadores Térmico e Magnético Fixo SD

Disjuntores Caixa Moldada Disparadores Térmico e Magnético Fixo SD . Aplicação São usados principalmente em circuitos Hz, tensão de trabalho nominal até V, tripolares, disparadores térmico e magnético fixos e corrente de trabalho nominal de A até 0 A.. Características

Leia mais

Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação

Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação Prática 1: Dispositivos de Comando de Iluminação 1 Objetivo básico Conhecer os principais dispositivos de acionamento de iluminação. Fundamentos teóricos Uma instalação elétrica residencial deve disponibilizar

Leia mais

ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II

ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG2333 CONSTRUÇÃO CIVIL II Prof. Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 02: Instalações Elétricas O Projeto O trabalho do Eletricista não é um processo Contínuo 1) Eletrodutos ou Conduítes 1) Eletrodutos

Leia mais

Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis

Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis Alguns padrões de qualidade são indiscutíveis Fabricado no Brasil Disjuntores SX, SP e SY Proteção para instalações elétricas de baixa tensão Disjuntores SX, SP, SY Os Disjuntores Siemens são equipamentos

Leia mais

OBJETIVO: APLICAÇÃO:

OBJETIVO: APLICAÇÃO: OBJETIVO: Este manual tem por objetivo sugerir os procedimentos, do ponto de vista técnico, para execução da infra-estrutura interna das unidades usuárias dos serviços em fibra óptica da Copel Telecomunicações.

Leia mais

Disjuntores. 2º Bimestre

Disjuntores. 2º Bimestre Disjuntores 2º Bimestre Prof. Dezembro 2016 01/12/2016 1 / 30 Sumário Introdução Proteção contra sobrecorrente Proteção contra choques elétricos 01/12/2016 2 / 30 1. Proteção contra sobrecorrente Sobrecarga:

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO DE CÁLCULO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO DE CÁLCULO OBRA: REFORMA PROPRIETÁRIO: ÇÕES ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICA- INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO ÍNDICE 1. DESCRIÇÃO... 2. DESCRIÇÃO DAS NORMAS... 3. DIMENSIONAMENTO DO

Leia mais

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8553 Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetros no Município de Porto Alegre e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que

Leia mais

ELÉTRICA. Autotransformadores Tripolares. Linha Transfer

ELÉTRICA. Autotransformadores Tripolares. Linha Transfer Autotransformadores Tripolares Linha Transfer EXCLUSIVO! Sistema de Alças para Tansporte Exclusivo sistema de ligação com adaptador tripolar, que elimina o risco de choques elétricos; Fusível térmico rearmável

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) Projeto Elétrico TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS INICIAIS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sorriso

Prefeitura Municipal de Sorriso Memorial Descritivo Projeto Elétrico da readequação interna e ampliação ESCOLA DE BOA ESPERANÇA Prefeitura Municipal de Sorriso Cliente: Prefeitura Municipal de Sorriso Obra: Escola de Boa Esperança no

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m² ÁREA TOTAL CASA: 50,90m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 67,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m² ÁREA TOTAL CASA: 50,90m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 67,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra e

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010

LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010 LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010 ITEM 1 QGBT 2 BARRA DE COBRE RETANGULAR 1 1/2" * 3/8" 6,8 M R$ 137,50 R$ 935,00 3 BARRA DE COBRE RETANGULAR 1 1/2" * 1/4" 1,2 M R$ 91,30 R$ 109,56 4 TC'S

Leia mais

EFEITO FISIOLÓGICO DA CORRENTE ELÉTRICA PROTEÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

EFEITO FISIOLÓGICO DA CORRENTE ELÉTRICA PROTEÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EFEITO FISIOLÓGICO DA CORRENTE ELÉTRICA PROTEÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Os cabos elétricos da rede pública de energia que "transportam" a corrente elétrica até nossas casas são constituídos por três

Leia mais

NORMA TÉCNICA 34/2014

NORMA TÉCNICA 34/2014 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 34/2014 Hidrante Urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5

Leia mais

FORJASUL OU SIMILAR UND 20,00

FORJASUL OU SIMILAR UND 20,00 Página 1 de 10 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E RELAÇÃO DE MATERIAIS ITEM DESCRIÇÃO IMAGEM FABRICANTE UNIDADE TOTAL 1 ABRAÇADEIRA FITA PERFURADA TAQI OU SIMILAR MTS 10,00 2 ABRAÇADEIRA TIPO "D" 2" - CUNHA TRAMONTINA

Leia mais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais Resumo 24,80 Descrição 1,0 Iluminação 2,0 Iluminação Externa 3,0 Tomadas Comuns 4,0 Ar Condicionado 5,0 Tomadas de Informática 6,0 Alimentadores Total sem Iluminação Descrição Interruptores Interruptor

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos.

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. ÍNDICE O QUE É ABRIGO MODELO? VANTAGENS DO NOVO ABRIGO COMO INSTALAR POSIÇÕES POSSÍVEIS PARA INSTALAÇÃO MATERIAIS

Leia mais

Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas. Disjuntores 3VT. Answers for industry.

Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas. Disjuntores 3VT. Answers for industry. Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas Disjuntores 3VT Answers for industry. s 1. Disjuntor 3VT1 2. Cobertura para proteção das conexões 3. Conexão frontal 4. Conexão traseira

Leia mais

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão A escolha correcta dos elementos de protecção de uma instalação eléctrica, minimiza ou elimina por completo o risco de incêndio, explosão ou choques eléctricos

Leia mais

Estudo de Coordenação e Seletividade

Estudo de Coordenação e Seletividade Estudo de Coordenação e Seletividade Memorial de Cálculo Obra: Subestação Abrigada 750kVA para Pavilhão Industrial de Reciclagem Proprietário: Prefeitura Municipal de Ponte Preta - RS Localização: Parte

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ELÉTRICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO (EEE) (ETF-EL-2)

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ELÉTRICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO (EEE) (ETF-EL-2) SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ELÉTRICAS PARA ESTAÇÕES ELEVATÓRIA DE ESGOTO () Data Emis 29/12/2009 Data 24/08/2012 2 de 1. INSTALAÇÃO ELÉTRICA 1.1. As

Leia mais

PRODUTOS E SISTEMAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE VOZ, DADOS E IMAGEM

PRODUTOS E SISTEMAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE VOZ, DADOS E IMAGEM PRODUTOS E SISTEMAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE VOZ, DADOS E IMAGEM Proteção UNIC Programação e acessórios de distribuição Quadros e centros de distribuição UNIC: a solução completa de proteção NOVIDADES

Leia mais

BIOMBO ESTAÇÃO DE TRABALHO 31.07.11 I.ID

BIOMBO ESTAÇÃO DE TRABALHO 31.07.11 I.ID I.ID ID PD/PD1- PAINEL/ BIOMBO PDB- PAINEL/BIOMBO COM BALCÃO PDJ/PDJ1- PAINEL/BIOMBO COM VIDRO I.ID BIOMBOS ESPECIFICAÇÕES GERAIS 1. TIPOS PD (PAINEL/BIOMBO CEGO COM 02 CALHAS ELETRIFICÁVEIS); PD1(PAINEL/BIOMBO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO ANEXO-I Especificação técnica mínimas dos serviços a serem realizados Projeto EDUCAR José Fioravante Schneider 09/09/2014 Página 1 de 14 ANEXO-I Especificação técnica

Leia mais

ELÉTRICA ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 1/2 C/50 PCT ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 3/4 C/50 PCT

ELÉTRICA ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 1/2 C/50 PCT ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 3/4 C/50 PCT 376-0 ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 1/2 C/50 PCT 382-4 ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 3/4 C/50 PCT 383-2 ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 1 C/50 PCT 385-9 ABRACADEIRA TIPO COPO THELMAR 1.1/2 C/25 PCT THELMAR

Leia mais

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel DADOS CADASTRAIS CLIENTE PROPRIETÁRIO Pref. Municipal de Lucas do Rio Verde OBRA Escola Municipal Caminho para o Futuro LOCAL DA OBRA Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 -

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - T e c n o l o g i a Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de Medidas Elétricas - XE201 - INTRODUÇÃO Os conhecimentos

Leia mais

Disjuntores 3VT em caixa moldada até 1600 A. Disjuntores 3VT. Answers for industry.

Disjuntores 3VT em caixa moldada até 1600 A. Disjuntores 3VT. Answers for industry. es 3VT em caixa moldada até 1600 A es 3VT Answers for industry. s es 3VT em caixa moldada até 1600 A Para seccionamento e proteção de instalações elétricas comerciais Design Compacto Simples e Prático

Leia mais

Instalações alimentadas diretamente por um ramal de baixa tensão, a partir de uma rede de distribuição 4% 4% pública de baixa tensão.

Instalações alimentadas diretamente por um ramal de baixa tensão, a partir de uma rede de distribuição 4% 4% pública de baixa tensão. 7.3. Queda de tensão (conforme NBR 5410/97, item 6.2.7) a) A queda de tensão entre a origem da instalação e qualquer ponto de utilização não deve ser superior aos valores da Tabela 18, dados em relação

Leia mais

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em:

A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: A base de um projeto de instalação elétrica consiste em: Previsão e dimensionamento das cargas elétricas (Máquinas, tomadas Tug s, tomadas Tue s e iluminação) no local desejado; Dimensionar e especificar

Leia mais

1 - MEMORIAL DESCRITIVO

1 - MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE SPDA ESTRUTURAL AMPLIAÇÃO DA TELECOMUNICAÇÕES 1 - MEMORIAL DESCRITIVO 2 MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA - SPDA 1.0 - DADOS BÁSICOS:

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB DITEC Reforma das instalações Código do Projeto: 1564-12 Pág. 2 Índice Sumário 1. Memorial Descritivo

Leia mais

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 Módulo Disjuntor Introdução O seu Módulo Disjuntor reúne o que há de mais recente em tecnologia para valorizar ainda mais o seu empreendimento. Para maximizar a performance

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3.

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1 Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. 1 Parte integrante do Projeto de pesquisa Análise, Modelagem e Desenvolvimento

Leia mais

CRR-RA CRR-RF CRR-RS Recorte Recorte Semi- Aberto Fechado Recortado

CRR-RA CRR-RF CRR-RS Recorte Recorte Semi- Aberto Fechado Recortado Dutos - Dutoplast Os dutos Dutoplast, protegem os cabos e fios contra todo o tipo de influência externa, e estão disponíveis em 4 recortes laterais diferentes, liso, recorte fechado, recorte aberto e semi

Leia mais

Escalas ESCALAS COTAGEM

Escalas ESCALAS COTAGEM Escalas Antes de representar objectos, modelos, peças, etc. Deve-se estudar o seu tamanho real. Tamanho real é a grandeza que as coisas têm na realidade. Existem coisas que podem ser representadas no papel

Leia mais

Micro Pragma e Mini Pragma

Micro Pragma e Mini Pragma Micro e Mini 1fi la de 12 / 1 fi la de 18 2 e 3 fi las, 12 por fi la Micro Micro é um quadro de uso interno de distribuição para componentes modulares DIN multifunção. Somente na versão sobrepor de 1 fi

Leia mais

2º) Um fio condutor possui 1,0 mm de diâmetro, um comprimento de 2,0 m e uma resistência de 50 mω. Qual a resistividade do material?

2º) Um fio condutor possui 1,0 mm de diâmetro, um comprimento de 2,0 m e uma resistência de 50 mω. Qual a resistividade do material? Exercícios 2º Lei de Ohm e Potência elétrica 1º) Um trilho de aço de bonde elétrico possuí uma área de seção transversal de 56 cm². Qual a resistência de 10 km de trilho? A resistividade do aço é 3x10-7

Leia mais

CONEXÃO AUTOMÁTICA. Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita. Tecnologia Alemã no Brasil.

CONEXÃO AUTOMÁTICA. Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita. Tecnologia Alemã no Brasil. CONEXÃO AUTOMÁTICA Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita. Tecnologia Alemã no Brasil. Tradição em Inovar! Fita isolante é coisa do passado. Inovação é a base de tudo

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores e Isolantes Isolantes Materiais que não conduzem eletricidade; Condutores

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ITEM DESCRIÇÃO UN. QUANT. ANEXO IV DO EDITAL - PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PROPOSTA REFORMA 3º PAVIMENTO TRE SEDE - PORTO ALEGRE - RS ETAPA 1 - Serviços a serem

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA

A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA Antonio Soares Pereto Engenheiro Industrial - modalidade Elétrica pela FEI (1969). Pósgraduado em Administração de

Leia mais

GUIA GERAL DO PIX-DSX

GUIA GERAL DO PIX-DSX ADCP-80-354 GUIA GERAL DO PIX-DSX Sumário Página 1. TERMINAÇÕES COM WIRE WRAP...3 2. ENERGIA...4 3. ELEMENTO DE REDE (EQUIPAMENTO)...5 4. ROTEAMENTO DE JUMPER DE CONEXÃO CRUZADA...8 1390027 Rev A Página

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL Petrolina-PE Janeiro/2017 1 INTRODUÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL O presente memorial tem por finalidade

Leia mais

DISPOSITIVOS DE MANOBRA E PROTEÇÃO

DISPOSITIVOS DE MANOBRA E PROTEÇÃO DISPOSITIVOS DE MANOBRA SÃO EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS DESTINADOS A LIGAR OU DESLIGAR UM CIRCUITO EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO. EXEMPLOS: CHAVES SECCIONADORAS, BOTÕES DE COMANDO. CARACTERÍSTICAS: NÃO EXISTE

Leia mais

Estimativa. Unioeste 33789/2011 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 33789/2011 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Sim) 23/01/2012 11:28:06 Page 1 of 1 Fornecedor Classificação Vlr.Un. 1 8300 Cabo UTP Cat 5e Premium FURUKAWA PROENERG ENGENHARIA

Leia mais

Anexo 1 Termos de Referência. Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil.

Anexo 1 Termos de Referência. Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil. Anexo 1 Termos de Referência Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil. 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 3 3. OBJETO... 3 4. DESCRIÇÃO

Leia mais

1. SISTEMA DE ESGOTO SANITÁRIOS

1. SISTEMA DE ESGOTO SANITÁRIOS 1. SISTEMA DE ESGOTO SANITÁRIOS 1.1 - CONCEPÇÃO DO PROJETO: O projeto constará de plantas, detalhes, memória de cálculo e especificações, que sejam necessárias para que haja o perfeito entendimento. 1.

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 14 Demanda de Energia e Eletrodutos Porto Alegre - 2012 Tópicos Demanda de Energia Elétrica Dimensionamento de Eletrodutos Exemplos

Leia mais

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS

APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS APARELHOS DE ILUMINAÇÃO ELÉTRICA E ACESSÓRIOS Reguladores de fluxo luminoso Especificação funcional Elaboração: DTI Homologação: conforme despacho de novembro de 2011 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição

Leia mais

ELÉTRICA.. Amanco Quadros de Distribuição 194. ElectroAmanco 196.. Amanco Eletroduto Rígido 202. Amanco Eletroduto Flexível Corrugado 207

ELÉTRICA.. Amanco Quadros de Distribuição 194. ElectroAmanco 196.. Amanco Eletroduto Rígido 202. Amanco Eletroduto Flexível Corrugado 207 ELÉTRICA 9. Amanco Quadros de Distribuição 194. 196. Amanco Eletroduto Rígido 202. Amanco Eletroduto Flexível Corrugado 207 13 16 17 18 19 1 12 13 14 15 Eletroduto Flexível Corrugado Caixa Luz 4x2 Flexível

Leia mais

TABELA DE PREÇOS SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA (ITENS COMPLEMENTARES) CREDENCIAMENTO

TABELA DE PREÇOS SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA (ITENS COMPLEMENTARES) CREDENCIAMENTO SERVICOS EXTRA SINAPI 01-02-01-001 C SONDAGEM P/ RECONHECIMENTO DO SUBSOLO - A TRADO M 36,00 0,00 01-02-01-002 U SONDAGEM P/ RECONHECIMENTO DO SUBSOLO - A PERCUSSÃO M 70,85 0,00 01-03-02-004 U RETIRADA

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM DA FECHADURA SYNTER EXECUÇÃO DO ALOJAMENTO DA FECHADURA:

MANUAL DE MONTAGEM DA FECHADURA SYNTER EXECUÇÃO DO ALOJAMENTO DA FECHADURA: MANUAL DE MONTAGEM DA FECHADURA SYNTER EXECUÇÃO DO ALOJAMENTO DA FECHADURA: Para fazer o alojamento da Máquina da Fechadura em uma porta, é necessário deixar 1,10m do centro do furo quadrado da maçaneta

Leia mais

MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA

MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA MANUAL PARA INSTALAÇÃO ELÉTRICA RESFRIADOR DE ÁGUA SERIE POLAR MODELOS: PA-01 ~ PA-120 PW-09 ~ PW-120 PRECAUÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA ÍNDICE INFORMAÇÕES GERAIS...3 QUADRO ELÉTRICO...3 DIMENSIONAMENTO

Leia mais

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções.

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções. Manual de instruções. Esquadrias Metálicas Ltda. PORTA DE CORRER A Atimaky utiliza, na fabricação das janelas, aço galvanizado adquirido diretamente da Usina com tratamento de superfície de ultima geração

Leia mais

Proteção para motores

Proteção para motores Catálogo Técnico Proteção para motores Disjuntor motor Caixa para partida direta 602-06/2007-0 Disjuntor motor Linha MS Até 16 A, 16 / 50 ka MS116 Até 25 A, 100 ka MS325 Até 50 A, 50 ka MS450 Até 100 A,

Leia mais

FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA

FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA O ITHY-60KV é um testador dielétrico robusto para as mais diversas aplicações em corrente contínua. Foi projetado para suportar um grande número de testes destrutivos

Leia mais