Risco e Segurança a em Engenharia Problemas enfrentados pelo MI com Obras de Infra-Estrutura HídricaH

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Risco e Segurança a em Engenharia Problemas enfrentados pelo MI com Obras de Infra-Estrutura HídricaH"

Transcrição

1 Debate: O Momento Atual da Engenharia Brasileira Risco e Segurança a em Engenharia Problemas enfrentados pelo MI com Obras de Infra-Estrutura HídricaH Rogério de Abreu Menescal Instituto de Engenharia, São Paulo, 07 de março o de 2007

2 Conteúdo da apresentação Problemas Típicos T enfrentados pelo MI: - Projetos inadequados de Obras Hídricas - Acidentes envolvendo obras hídricas brasileiras Medidas Preventivas e Corretivas adotadas pelo MI - Elaboração de Manuais - Treinamento de profissionais - Cadastro de Especialistas - Apoio a melhorias do arcabouço legal-institucional brasileiro

3 Exemplos de Projetos inadequados de Obras Hídricas H apresentados ao MI

4 Exemplo 1 - Projeto de barragem em CCR prevendo a escavação da fundação em uma camada de xisto com 10 metros de profundidade, a execução de paredes de diafragma e a posterior concretagem do volume escavado. Existência de material terroso em abundância na região Vertedouro fora do maciço

5 Volume de CCR a ser concretado após a escavação

6 EXEMPLOS Exemplo 2 Projeto do vertedouro: topo do muro lateral abaixo do topo da estrutura vertente do salto de esqui (ainda a construir), resultando em transbordamento lateral antes da formação do jato. Cota 241,30 Cota 239,00

7 Exemplo 3 Projeto de barragem de terra com inclinações de talude não usuais Talude de montante: 2,0 H : 1,0 V Talude de jusante: 1,75 H : 1,0 V Valores de inclinação dos taludes recomendados para barragens homogêneas: Caso A B Sujeito a Esvaziamento Rápido NÃO SIM Classificação dos Solos Montante Jusante GW, GP, SW, SP Permeável, não adequado GC, GM, SC, SM 2,5:1 2:1 CL, ML 3:1 2,5:1 CH, MH 3,5:1 2,5;1 GW, GP, SW, SP Permeável, não adequado GC, GM, SC, SM 3:1 2:1 CL, ML 3,5:1 2,5:1 CH, MH 4:1 2,5:1

8 Exemplo 4 Projetos com baixo nível de investigação geotécnica levando à necessidade de adequação na fase de execução, implicando em sérios problemas junto aos órgãos de controle (e.g. TCU e SFC) durante a execução das obras. Implicações Aumento do volume de escavação e correspondente aumento do volume do maciço da barragem.

9 OUTROS PROBLEMAS ENCONTRADOS: Estudos hidrológicos e hidráulicos mal elaborados Estruturas mal dimensionadas e sistemas de drenagem da água ineficientes; Falta de elaboração do as built, indicando todas as adequações e alterações realizadas no projeto executivo; Falta de elaboração do plano de primeiro enchimento do reservatório; Falta de apresentação do Plano de operação e manutenção da obra; Falta de inclusão de ações sociais e ambientais nos projetos

10 Exemplos de Acidentes Recentes Envolvendo Obras Hídricas H Brasileiras

11 BARRAGEM DE CATAGUASES - MG (2003)

12 AÇUDE ARNEIROZ CE (2004)

13 BARRAGEM DE CAMPOS NOVOS SC (2006)

14 BARRAGEM DA RIO POMBA MINERAÇÃO MG (2007)

15 Áreas inundadas na cidade de Miraí - MG

16 Situação pós-construção - Falta de manutenção das barragens Canaleta aterrada com solo carreado do talude; 2 Canaleta obstruída pelo crescimento da vegetação; 3 3 Rip-rap coberto pela vegetação.

17 Barragem / Açude - Localização Barragem Corumbá IV - Brasília/DF Açude no distrito de Marilândia - Colatina/ES Barragem do Lago Paranoá - Brasília/DF Barragem do bairro do Éden - Sorocaba/SP Diversos açudes - Brejo Santo/CE Açude Oriente - Novo Oriente/CE Barragem Fogareiro - Quixeramobim/CE Açude Iracema - Iracema/CE Açudes Sonrisal, Bom Jesus, Boa Vista, Valentim, Santa Maria e Ayres de Souza - Sobral/CE Barragem de Jaboticabal - SP Tabela de acidentes e incidentes envolvendo barragens a partir de 2004 Anomalia Observada ameaça de ruptura ameaça de ruptura ameaça de ruptura Danos Causados (humanos, financeiros, material, etc.) poderá provocar o rompimento da represa, causar mortes, destruição da fauna e flora, além de um apagão na capital federal esvaziamento de metade do reservatório, afim de garantir a segurança dos habitantes de Patrimônio do Rádio, logo abaixo do dique de terra abertura das comportas para liberação da água excedente, como medida de segurança 2004 Jornal Brasil (RJ) do 2004 A Gazeta (ES) 2004 ruptura 2004 destruição de estradas vicinais, ruptura passagens molhadas e casas desabamento de 120 prédios, cerca de ruptura 500 ha de plantações arrastadas pela enxurrada na zona rural maior sangria já registrada de moradores das áreas ribeirinhas em sua história, com lâmina situação de alerta e muitas famílias superior a 2 metros deixaram suas casas interdição da BR-402, famílias ruptura desabrigadas, morte de animais, corte de energia elétrica sangramento ruptura inundação de áreas urbanizadas, várias famílias desabrigadas um caminhão que levava trabalhadores rurais foi arrastado pelas águas, quando tentava passar sobre uma ponte, causando a morte de 12 pessoas janeiro/2004 janeiro/2004 janeiro/2004 janeiro/2004 Diversas barragens - SE matou 2 pessoas janeiro/2004 Data Fonte Correio Braziliense (DF) Jornal Tarde (SP) da Diário do Nordeste (CE) Diário do Nordeste (CE) Diário do Nordeste (CE) Diário do Nordeste (CE) Diário do Nordeste (CE) Folha de São Paulo (SP)

18 Barragem de Caldas Novas - GO matou 5 pessoas janeiro/2004 Açudes de Irauçuba - CE Açude Arneiroz II - Arneiroz/CE ruptura do açude Carão na zona urbana e do açude do inundações de residências, com 30 assentamento Almas na zona famílias desabrigadas rural inundação de parte da cidade, corte nos serviços de fornecimento de galgamento energia elétrica e telefone, perda da lavoura, falta de água para abastecimento janeiro/2004 janeiro/2004 Diário do Nordeste (CE) Diário do Noedeste (CE) Barragens Poços e Juá - Simplício Mendes/PI fevereiro/2004 Diversas Barragens - RN fevereiro/2004 Barragem da Fazenda Manibu (rio Itiquira) - Formosa/GO ruptura quatro das cinco pontes do Parque e da Estância de Águas do Itiquira foram totalmente destruídas e levadas pelo rio, quase atinge 700 pessoas fevereiro/2004 Correio Braziliense (DF) Barragem na Bahia março/2004 Barragem dos Caldeirões - Saboeiro/CE Barragem do Sítio Açudinho - Puxinanã/PB Barragem Granja Pau Grande Piranga/MG Barragem de Camará - Alagoa Grande/PB destruição da ombreira esquerda desperdício de água do reservatório estrutura comprometida, com ameaça de ruptura vazamento de rejeitos de suinocultura ruptura insegurança da população ( em caso de estouro da barragem, 5 famílias seriam prejudicadas de imediato e em efeito dominó) insegurança da população ( em caso de estouro da barragem, 5 famílias seriam prejudicadas de imediato e em efeito dominó) inundação dos municípios de Alagoa Grande e Mulungu, danos materiais aos moradores e 5 mortes março/2004 junho /2004 junho/2004 junho/2004 Jornal O Norte (PB) Estado de Minas (MG) Guia Campina (PB)

19 Barragem Lagoa Seca - PB junho/2004 Barragem do Açude Joana - Pedro II/PI Diversas barragens - Campina Grande/PB ameaça de ruptura ameaça de ruptura poderia causar mortes, destruição da fauna e flora, inundação de plantações, destruição da criação de peixes em tanques e criação de abelhas, prejudicará o abastecimento de água para consumo humano insegurança da população, necessidade de inspeção e reparos das barragens junho/2004 julho/2004 Menescal al. (2005) et Barragem do rio Cubatão - Joinville/SC ruptura danos materiais causados a 11 famílias ribeirinhas 2005 Jornal Notícia (SC) A Barragem de Pindobaçu - BA rachaduras insegurança da população 2005 Barragens do rio Gravataí - Porto Alegre/RS Barragem no município de José Boiteux - Alto Vale do Itajaí/SC Barragem particular - Barretos/SP ameaça de ruptura ameaça de ruptura ruptura rebaixamento do nível d' água, impossibilidade de navegação no caso de ruptura da barragem, as cidades de Blumenau e Rio do Sul sofreriam as conseqüências esvaziamento da represa, morte dos peixes, destruição da mata ciliar, falta de água para abastecimento humano Jornal A Tarde (BA) Correio do Povo (RS) Folha de São Paulo (SP) Folha de São Paulo (SP) Barragem do Sítio Ecológico - Caldas Novas/GO ruptura desabamento de um trecho da pista GO-213, quatro pessoas morreram com a queda de três veículos na cratera formada pelo desmoronamento do aterro do bueiro por onde passam as águas do Córrego Jacu janeiro/2005 O Popular (GO) Barragem de Ibirajuba - PE galgamento o município teve a ponte principal destruída, hospital, casas e escolas inundados. A zona rural, onde moram quase cinco mil pessoas, ficou isolada. março/2005 Diário de Pernambuco (PE)

20 Barragem da Usina de Salto Caxias - Capitão Leônidas Marques/PR rachaduras e vazamentos insegurança da população maio/2005 Gazeta Povo (PR) do Barragem Tapacurá São Lourenço da Mata/PE Barragem de Moxotó - PE Barragem da Fazenda Alto do Carneiro - Chã Grande/PE Açude da Granja São Marcos - Bom Retiro/RS Barragem da Usina Hidrelétrica de Campos Novos - SC Barragem de Eldorado do Sul - RS Barragem na fronteira de municípios - Ferreira Gomes e Tartarugalzinho/AP reação álcali-agregado reação álcali-agregado ameaça de ruptura ruptura da comporta esvaziamento do reservatório galgamento ruptura restauração na barragem, com injeção de mais de 6 mil sacos de cimento para preencher os vazios existentes no concreto restauração na barragem, com modificações no projeto de fundação ameaça de inundação das casas da Vila Santa Luzia inundação de uma extensa área na região, falta de água para irrigação das plantações de arroz (risco de quebra na produção) não houve danos causados à jusante da obra, tanto para a Usina Hidrelétrica de Machadinho, quanto para a população ribeirinha alagamento de campos e estradas vicinais poluição do rio Tracajatuba por metais pesados maio/2005 maio/2005 junho/2005 outubro/2005 outubro/2005 outubro/2005 Diário de Pernambuco (PE) Diário de Pernambuco (PE) Diário de Pernambuco (PE) Correio do Povo (RS) Diário Catarinense (SC) Jornal Zero Hora (RS) novembro/2005 Diário do Amapá (AP) Barragem da Companhia Mercantil e Industrial Ingá - Itaguaí/RJ vazamento de metais pesados (cádmio, zinco e arsênio) poluição da Baía de Sepetiba, prejudicando economicamente os pescadores da região; a quantidade de metais que atingiu a baía ainda não é capaz de provocar uma mortandade, mas começa a comprometer a recuperação do meio ambiente janeiro/2006 Jornal O Globo

21 Dique de contenção do rio Paraguai - Porto Murtinho/MS ameaça de ruptura o aterro precisa ser refeito em vários pontos do dique, para dar sustentação à obra janeiro/2006 Prestes (2006) Barragem da Rio Pomba Mineração Ltda - Miraí/MG Barragem Engenheiro Ávidos - Cajazeiras/PB rompimento de uma das placas de concreto do vertedouro presença de fissuras morte dos peixes, inundação de áreas ribeirinhas, destruição de áreas de pastagem e de agricultura, com grande deposição de sedimentos, excesso de turbidez (presença de sedimentos) das águas do córrego Bom Jardim e ribeirão Fubá, alguns municípios de Minas Gerais tiveram o abastecimento de água interrompido temporariamente insegurança da população, as fissuras relativamente grandes foram tapadas provisoriamente com terra e as comportas foram abertas março/2006 abril/2006 Estado de Minas (MG) Correio da Paraíba (PB) Barragem de Ibicuitinga - CE ruptura dezenas de moradias foram invadidas pelas águas do açude; além da perda de mobília, eletrodomésticos e confecções, a estrutura de alguns imóveis ficou comprometida maio/2006 Diário do Nordeste (CE) Barragem do Capingui - Mato Castelhano/RS redução do nível d'água prejuízos à flora e fauna ao redor maio/2006 Departamento de Jornalismo - Rádio Alvorada (RS) Sete barragens de reservatórios particulares - Zona Rural de Quixadá/CE ruptura várias famílias foram atingidas, as estradas ficaram intransitáveis, a colheita de feijão foi prejudicada e com o término do período de inverno não haverá água para o gado maio/2006 Jornal Sertão Central (CE)

22 Dique de contenção do rio Paraguai - Porto Murtinho/MS ameaça de ruptura o aterro precisa ser refeito em vários pontos do dique, para dar sustentação à obra janeiro/2006 Prestes (2006) Barragem da Rio Pomba Mineração Ltda - Miraí/MG Barragem Engenheiro Ávidos - Cajazeiras/PB rompimento de uma das placas de concreto do vertedouro presença de fissuras morte dos peixes, inundação de áreas ribeirinhas, destruição de áreas de pastagem e de agricultura, com grande deposição de sedimentos, excesso de turbidez (presença de sedimentos) das águas do córrego Bom Jardim e ribeirão Fubá, alguns municípios de Minas Gerais tiveram o abastecimento de água interrompido temporariamente insegurança da população, as fissuras relativamente grandes foram tapadas provisoriamente com terra e as comportas foram abertas março/2006 abril/2006 Estado de Minas (MG) Correio da Paraíba (PB) Barragem de Ibicuitinga - CE ruptura dezenas de moradias foram invadidas pelas águas do açude; além da perda de mobília, eletrodomésticos e confecções, a estrutura de alguns imóveis ficou comprometida maio/2006 Diário do Nordeste (CE) Barragem do Capingui - Mato Castelhano/RS redução do nível d'água prejuízos à flora e fauna ao redor maio/2006 Departamento de Jornalismo - Rádio Alvorada (RS)

23 Sete barragens de reservatórios particulares - Zona Rural de Quixadá/CE Barragem do Bacanga - São Luís/MA Barragem da Usina Hidrelétrica de Campos Novos - SC Barragem da Usina Hidrelétrica de Campos Novos - SC Barragem da represa do Balneário Paraguaçu - Paraguaçu Paulista/SP Barragem do Bacanga - São Luís/MA Barragem da Rio Pomba Mineração Ltda - Miraí/MG Barragem da Fazenda Tanque Novo - Piranga/MG Barragem da Mineradora Bom Retiro - Leme/SP 2 açudes na região central do Estado de São Paulo - São Sebastião da Grama/SP ruptura degeneração da estrutura esvaziamento do reservatório sinais de desgaste da estrutura da barragem galgamento e conseqüente ruptura degeneração da estrutura ruptura ameaça de ruptura ruptura ruptura várias famílias foram atingidas, as estradas ficaram intransitáveis, a colheita de feijão foi prejudicada e com o término do período de inverno não haverá água para o gado problemas com buracos, excesso de vegetação, corrosão no corrimão de proteção e calçamento destruído, impedindo o trânsito de pedestres na área não houve risco de ruptura da barragem não houve risco de ruptura da barragem inundação de imóveis e vias públicas; em várias fazendas plantações foram varridas, bovinos arrastados e casas ficaram submersas das seis comportas existentes, apenas duas funcionam por causa do acúmulo de pedras em suas bases, parte do muro de contenção do canal vertedor desmoronou e a estrutura de contenção de a gua está funcionado precariamente. cerca de 2 milhões de m 3 de lama (água e argila) foram derramados no rio Fubá, afluente do rio Muriaé; de 3 a 5 mil pessoas ficaram desabrigadas esvaziamento do reservatório por meio da construção de um canal do lado esquerdo da barragem destruição da mata ciliar, erosão nas propriedades vizinhas, falta de energia elétrica e destruição de duas pequenas pontes com a cheia do rio Anhumas, cinco famílias ficaram desabrigadas maio/2006 junho/2006 junho/2006 junho/2006 janeiro/2007 janeiro/2007 janeiro/2007 janeiro/2007 janeiro/2007 janeiro/2007 Jornal Sertão Central (CE) Jornal do Povo do Maranhão - Jornal Veja Agora (MA) ANEEL ANEEL Folha de São Paulo (SP) O Estado do Maranhão (MA) Jornal Hoje em Dia (MG) Folha de São Paulo (SP) EPTV Central (SP) EPTV Central (SP)

24 Comentários - Mais de 400 acidentes (casos registrados) com obras hídricas no Brasil somente nos últimos 5 anos - Esses incidentes têm prejudicado a imagem da engenharia nacional - Problemas com Obras hídricas geralmente acarretam sérios impactos sociais, econômicos e ambientais - Temos um grande número de obras hídricas abandonadas ou sem a manutenção minimamente adequada, fato que é agravado pelo envelhecimento das obras - Falta de sensibilidade política para trabalhar o problema de forma preventiva (obras novas X recuperação e manutenção)

25 Como podemos melhorar a Segurança a e reduzir o impacto de eventuais rupturas de obras hídricash Projeto adequado (Outorga, Lic. Amb., Port MIN 70/04, investimentos); Construção adequada (Fiscalização); Operação e Manutenção adequadas; Inspeções periódicas regulares (Proprietários => Profissionais habilitados); Equipes de profissionais treinados e habilitados; Plano de Ação de Emergência (Atualizado e Exercitado); Reabilitação de obras com segurança deficiente;

26 Algumas Medidas Preventivas e Corretivas adotadas pelo MI - Elaboração de Manuais - Treinamento de profissionais - Cadastro de Especialistas - Apoio a melhorias do arcabouço o legal- institucional brasileiro

27 MANUAIS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS Programa 1138 Drenagem Urbana Sustentável Programa 0515 Proágua Infra-Estrutura Objetivo: Apresentar os fundamentos técnicos dos Programas Drenagem Sustentável e Proágua Infra- Estrutura, no âmbito do MI, acrescido das orientações necessárias à apresentação de propostas pelos Estados, Distrito Federal e Municípios.

28 Manual de Segurança e Inspeção de Barragens Diretrizes Ambientais Manual Operativo para Reassentamento

29 A Segurança de Barragens e a Gestão de Recursos Hídricos no Brasil Manual de Preenchimento da Ficha de Inspeção de Barragens Manual de Preenchimento da Ficha de Cadastro de Barragens

30 Manuais com Orientações para Elaboração e Apresentação de Porjetos de Barragens, Sistemas Adutores, Sistemas de Drenagem, Obras de Controle de Erosão Marítma etc. Implantação de um Painel de Qualidade e Segurança de Obras no MI.

31 Criação de um cadastro de especialistas em obras hídricash (somente a exigência de ART não está sendo suficiente para garantir uma qualidade adequada dos projetos) Curso de Especialização em Segurança a de Barragens

32 Apoio ao PL 1181/2003 que estabelece a Política Nacional de Segurança a de Barragens Exigência de Supervisora e Painel de Especialistas para obras mais complexas

33 Comentário Final Entendo que muitos dos problemas relacionados passam pela desvalorização do profissional de Engenharia. O resgate da profissão depende de todos nós, n mas o papel do sistema CONFEA/CREA precisa ser mais atuante.

34 Muito Obrigado

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012 POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS Lei 12.334/2010 Carlos Motta Nunes Dam World Conference Maceió, outubro de 2012 Características da barragem para enquadramento na Lei 12.334/10 I - altura do

Leia mais

Requisitos da Legislação Ambiental de Minas Gerais para barragens de rejeitos e resíduos

Requisitos da Legislação Ambiental de Minas Gerais para barragens de rejeitos e resíduos Requisitos da Legislação Ambiental de Minas Gerais para barragens de rejeitos e resíduos Fundação Estadual do Meio Ambiente FEAM Zuleika Stela Chiacchio Torquetti Presidente Novembro, 2014 Contextualização

Leia mais

2 problemas principais podem requerer tratamento: Permeabilidade / Fluxo na Fundação e Ombreiras Conceitos e critérios diferentes para:

2 problemas principais podem requerer tratamento: Permeabilidade / Fluxo na Fundação e Ombreiras Conceitos e critérios diferentes para: IBC BRASIL Prof. Dr. Roberto Kochen Diretor Técnico Dezembro/2009 55 11 4195- FUNDAÇÔES DE BARRAGENS 2 problemas principais podem requerer tratamento: Deformabilidade Permeabilidade / Fluxo na Fundação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

* Desvio - Critérios de Projeto. * Tipos de Desvios: Exemplos. * Casos históricos importantes

* Desvio - Critérios de Projeto. * Tipos de Desvios: Exemplos. * Casos históricos importantes MARÇO/2011 EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM DESVIO DE GRANDES RIOS ERTON CARVALHO COMITÊ BRASILEIRO DE BARRAGENS - CBDB PRESIDENTE * Desvio - Critérios de Projeto * Etapas de Desvio * Tipos de Desvios: Exemplos

Leia mais

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Bacia Hidrográfica Área drenada por um conjunto de rios que, juntos, formam uma rede hidrográfica, que se forma de acordo com elementos fundamentais como o clima

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

ESCORREGAMENTOS DE ENCOSTAS formas de intervenção e redução de riscos

ESCORREGAMENTOS DE ENCOSTAS formas de intervenção e redução de riscos ESCORREGAMENTOS DE ENCOSTAS formas de intervenção e redução de riscos Luiz A. Bressani, PhD Departamento de Engenharia Civil UFRGS bressani@ufrgs.br 18 de março de 2010 Palestra proferida a convite da

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NA GESTÃO DE PROJETOS DE BARRAGENS DE REJEITOS

BOAS PRÁTICAS NA GESTÃO DE PROJETOS DE BARRAGENS DE REJEITOS SEMINÁRIO SOBRE A GESTÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS EM MINERAÇÃO DNPM/IBRAM/SINDIEXTRA/FEAM/CREA-MG BOAS PRÁTICAS NA GESTÃO DE PROJETOS DE BARRAGENS DE REJEITOS ENG. JOAQUIM PIMENTA DE ÁVILA ENG. RICARDO

Leia mais

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades A água

Leia mais

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A.

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Rogério Sales GÓZ Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Brasil RESUMO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CARTA COLIC Nº 20/2010 Brasília-DF, 12 de maio de 2010. À Empresa Interclip A/C. Sra. Danielle de Paula Fone/Fax: (31) 3211-7523 Prezada Senhora, A presente carta faz-se em consideração aos questionamentos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP

BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1. Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP BARRAGENS DE TERRA E DE ENROCAMENTO AULA 1 Prof. Romero César Gomes - Departamento de Engenharia Civil /UFOP Conceitos Gerais As barragens convencionais são estruturas construídas transversalmente aos

Leia mais

Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais

Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais 2012 2014 Novos Investimentos R$ 18,8 bilhões Socorro, assistência e reconstrução Prevenção Obras estruturantes Resposta Mapeamento Monitoramento

Leia mais

Enchente - caracteriza-se por uma vazão relativamente grande de escoamento superficial. Inundação - caracteriza-se pelo extravasamento do canal.

Enchente - caracteriza-se por uma vazão relativamente grande de escoamento superficial. Inundação - caracteriza-se pelo extravasamento do canal. Capítulo Controle de Enchentes e Inundações 10 1. DEFINIÇÃO Enchente - caracteriza-se por uma vazão relativamente grande de escoamento superficial. Inundação - caracteriza-se pelo extravasamento do canal.

Leia mais

RELATÓRIO. Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses

RELATÓRIO. Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses RELATÓRIO Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses 1 TRAGÉDIA ANUNCIADA! Após 6 meses decorridos da tragédia na Região Serrana em janeiro/2011, onde morreram mais de 900 pessoas,

Leia mais

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade de Vigilância das Doenças de Transmissão

Leia mais

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS Um programa para integrar objetivos ambientais e sociais na gestão das águas Superintendência de Desenvolvimento da Capital -

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 052/2005

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 052/2005 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 052/2005 NOME DA INSTITUIÇÃO: NEOENERGIA S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: RESOLUÇÃO NORMATIVA EMENTA

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas

Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas Geólogo Agostinho Tadashi Ogura Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT DESASTRE NATURAL (DN) =

Leia mais

Eleição :: Diretoria do Núcleo Regional de Minas Gerais

Eleição :: Diretoria do Núcleo Regional de Minas Gerais Eleição :: Diretoria do Núcleo Regional de Minas Gerais A eleição da nova Diretoria do Núcleo Regional de Minas Gerais para o triênio 2014 / 2017 ocorreu no dia 26 de junho de 2014, em Belo Horizonte.

Leia mais

RISCOS ASSOCIADOS AO PROJETO E A CONSTRUÇÃO DE BARRAGENS. Engº Roberto Facchinetti

RISCOS ASSOCIADOS AO PROJETO E A CONSTRUÇÃO DE BARRAGENS. Engº Roberto Facchinetti 1 RISCOS ASSOCIADOS AO PROJETO E A CONSTRUÇÃO DE BARRAGENS Engº Roberto Facchinetti 2 BARRAGENS PROPORCIONAM VÁRIOS BENEFÍCIOS AOS SEUS PROPRIETÁRIOS E A COMUNIDADE FORNECEM ÁGUA PARA ABASTECIMENTO HUMANO,

Leia mais

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Reportagem: CLÁUDIA RODRIGUES BARBOSA Newsletter CBDB - O que diferencia o Núcleo Regional de Minas Gerais

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO

NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO NOÇÕES GERAIS DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS DE RISCO PERGUNTAS BÁSICAS 1. O QUE E COMO OCORRE: Processos 2. ONDE OCORREM OS PROBLEMAS: Mapeamento 3. QUANDO OCORREM OS PROBLEMAS: Correlação, monitoramento 4.

Leia mais

TALUDES DE MONTANTE E JUSANTE

TALUDES DE MONTANTE E JUSANTE TALUDES DE MONTANTE E JUSANTE Karl Terzaghi em seu discurso de abertura, referindo-se aos solos residuais brasileiros, disse que os nossos técnicos estavam em condições de pesquisar e experimentar nas

Leia mais

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014.

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. CENACID Centro de Apoio Científico em Desastres Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. Toda divulgação de material bibliográfico e as fotos

Leia mais

Programa Paraisópolis

Programa Paraisópolis Programa Paraisópolis Identificação das Comunidades Cemitério Getsemani Jd. Colombo Paraisópolis Porto Seguro Cemitério do Morumbi Colégio Visconde de Porto Seguro Programa Paraisópolis Caracterização

Leia mais

os projetos de urbanização de favelas 221

os projetos de urbanização de favelas 221 5.15 Favela Jardim Floresta. Vielas e padrão de construção existente. 5.16 Favela Jardim Floresta. Plano geral de urbanização e paisagismo. 5.17 Favela Jardim Floresta. Seção transversal. 5.18 Favela Jardim

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Mineração O Papel do Órgão Ambiental, como Fiscalizador da Aplicação da Nova Legislação

14º Congresso Brasileiro de Mineração O Papel do Órgão Ambiental, como Fiscalizador da Aplicação da Nova Legislação 14º Congresso Brasileiro de Mineração O Papel do Órgão Ambiental, como Fiscalizador da Aplicação da Nova Legislação Rosangela Gurgel Machado Diretora de gestão de Resíduos Deliberação Normativa COPAM n.º

Leia mais

Positivas Neutras e Negativas em Novembro 2009

Positivas Neutras e Negativas em Novembro 2009 AVALIAÇÃO DAS NOTÍCIAS PUBLICADAS NA MÍDIA CITANDO SEBRAE Positivas Neutras e Negativas em Novembro 2009 Nº de Notícias Cm2 Páginas Valor Publicitário (R$) Leitores Potenciais Positivas 406 109.581,26

Leia mais

RELATORIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO A MARÇO 2012

RELATORIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO A MARÇO 2012 RELATORIO DE MANUTENÇÃO JANEIRO A MARÇO 2012 Interdição quadra 44 após aterro Conserto de vala na Q18 Aquisição de novos armários Limpeza de areia em final de rua Colocação de grelha e pintura de guias

Leia mais

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL

ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL ANEXO NOTIFICAÇÃO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL SOLICITAÇÃO DE ASSISTÊNCIA INTERNACIONAL A: Tel:( ) Em caso de emergência somente: ( ) Fax: ( )...ou (...)... Correio eletrônico: Internet: http://www. De: Nome:

Leia mais

OBJETIVOS. Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco.

OBJETIVOS. Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco. I A INTEGRAÇÃO REGIONAL NO BRASIL OBJETIVOS Identificar e caracterizar os objetivos do Projeto Cisternas e da Transposição do rio São Francisco. Assunto 5: O PROJETO CISTERNAS E A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Eng. Mário Cicareli Pinheiro POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. mario.cicareli@potamos.com.br Belo Horizonte, 27 de março de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos.

DIRETORIA DE ENGENHARIA. ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de oleodutos. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, oleodutos. APROVAÇÃO EM: Portaria SUP/DER-

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) PCAI Programa de Controle Ambiental Intrínseco SÍTIO BELO MONTE (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 01: Casa de força de Belo / vista de montante para jusante. Situação atual

Leia mais

Do rio que tudo arrasta se diz que é violento Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem. Bertold Brecht

Do rio que tudo arrasta se diz que é violento Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem. Bertold Brecht Do rio que tudo arrasta se diz que é violento Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem Bertold Brecht Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 3 Usinas Hidrelétricas

Leia mais

Elaboração de um Banco de Dados para Eventos Severos

Elaboração de um Banco de Dados para Eventos Severos Elaboração de um Banco de Dados para Eventos Severos G. J. Pellegrina 1, M. A. Oliveira 1 e A. S. Peixoto 2 1 Instituto de Pesquisas Meteorológicas (UNESP), Bauru S.P., Brasil 2 Departamento de Engenharia

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol.

ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol. fls. 1/5 ÓRGÃO: DIRETORIA DE ENGENHARIA MANUAL: ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para Implantação de Ductos para Petróleo, Combustíveis Derivados e Etanol. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio,

Leia mais

Infra-estrutura: Prazo de Validade Vencido. Realização: Sinaenco

Infra-estrutura: Prazo de Validade Vencido. Realização: Sinaenco Realização: Sinaenco Objetivos Alertar as autoridades e a sociedade sobre a urgência e a importância da adoção por parte dos órgãos públicos das três esferas de poder (federal, estaduais e municipais)

Leia mais

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH Levantamento divulgado pela Polícia Rodoviária Federal aponta um novo dado preocupante relacionado ao tráfego de veículos em BRs. De acordo com o Departamento Nacional da PRF, somente nos feriados prolongados

Leia mais

2º Balanço. Julho - Setembro 2011

2º Balanço. Julho - Setembro 2011 2º Balanço Julho - Setembro 2011 Amapá Apresentação O programa que mudou o Brasil agora está de cara nova. Mais recursos para continuar construindo a infraestrutura logística e energética e sustentar o

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DAS DEFINIÇÕES

CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DAS DEFINIÇÕES RESOLUÇÃO N o 143, DE 10 DE JULHO DE 2012. Estabelece critérios gerais de classificação de barragens por categoria de risco, dano potencial associado e pelo seu volume, em atendimento ao art. 7 da Lei

Leia mais

Relatório sobre a visita técnica realizada nas comunidades dos Prazeres e Escondidinho (Santa Teresa) em 13 de Abril de 2010

Relatório sobre a visita técnica realizada nas comunidades dos Prazeres e Escondidinho (Santa Teresa) em 13 de Abril de 2010 Relatório sobre a visita técnica realizada nas comunidades dos Prazeres e Escondidinho (Santa Teresa) em 13 de Abril de 2010 No dia 12/04/2010, realizou-se no Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de declaração de reserva de disponibilidade hídrica e de outorga de direito de uso de recursos hídricos, para uso

Leia mais

82,5% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada

82,5% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada Saneamento no Brasil Definição: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), saneamento é o controle de todos os fatores do meio físico do homem que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem

Leia mais

Palavras Chaves: Micro-barragem; unidades familiares; capacitação; custos.

Palavras Chaves: Micro-barragem; unidades familiares; capacitação; custos. MICRO-BARRAGEM SUBTERRÂNEA A Experiência ONG CAATINGA (Ouricuri-PE) Reginaldo Alves de Souza, Caixa Postal, 356200-000 Ouricuri-PE, caatinga@telesof.com.br RESUMO O CAATINGA iniciou o trabalho com barragem

Leia mais

ASPECTOS SOBRE SISTEMAS DE DRENAGEM EM PEDREIRAS A CÉU ABERTO

ASPECTOS SOBRE SISTEMAS DE DRENAGEM EM PEDREIRAS A CÉU ABERTO ASPECTOS SOBRE SISTEMAS DE DRENAGEM EM PEDREIRAS A CÉU ABERTO Mário J. N. Bastos Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO A drenagem de águas superficiais é uma das operações auxiliares mais importantes nas pedreiras

Leia mais

20/12/2013 Rompimento de bueiros e da pista com excesso de águas

20/12/2013 Rompimento de bueiros e da pista com excesso de águas 1 Situação das rodovias Chuvas 2013/2014 Atualização: 27/06/2014 17h BA BR-235 Perímetro urbano da cidade de Uaua Km 230 20/12/2013 Rompimento de bueiros e da pista com excesso de águas Equipe no local

Leia mais

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE Previsão de Níveis do Pantanal MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA MME COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM 1. Descrição da Atividade

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA

FACULDADE DE ENGENHARIA FACULDADE DE ENGENHARIA Impactos ambientais das hidrelétricas na Amazônia Profa. Aline Sarmento Procópio Dep. Engenharia Sanitária e Ambiental Amazônia: alguns dados A Região Amazônica compreende a maior

Leia mais

LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS

LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS LEVANTAMENTO DA PERCEPÇÃO DOS MORADORES DA BACIA HIDROGRÁFICA SOBRE OS IMPACTOS CAUSADOS PELO VAZAMENTO DO ÓLEO DIESEL NO RIO SESMARIA NOS MUNICÍPIOS DE RESENDE RIO DE JANEIRO E SÃO JOSÉ DO BARREIRO SP

Leia mais

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE

PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE PREVISÃO HIDROLÓGICA E ALERTA DE ENCHENTES PANTANAL MATO-GROSSENSE Previsão de Níveis do Pantanal MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA MME COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS CPRM 1. Descrição da Atividade

Leia mais

Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência

Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência Fernando Donato Vasconcelos Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho DSST/SIT/MTE 20/11/2014

Leia mais

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Brasília, 06/03/2014 Contextualização Em 2008, a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua apontou que 76,15% da população

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO FÁBIO VIEIRA MARTINS Pós-graduando em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP fabio.vieirageo@hotmail.com

Leia mais

Bairros Cota na Serra do

Bairros Cota na Serra do Geotecnia Ambiental Bairros Cota na Serra do Mar em Cubatão riscos em ebulição e planos de ação em andamento Os bairros localizados nas encostas da Serra do Mar, na cidade de Cubatão, passam por um processo

Leia mais

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.334, DE 20 DE SETEMBRO DE 2010. Estabelece a Política Nacional de Segurança de Barragens destinadas à acumulação de água

Leia mais

TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS. Laura Caldeira

TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS. Laura Caldeira TENDÊNCIAS ACTUAIS DA LEGISLAÇÃO DE BARRAGENS Laura Caldeira Índice 1. Conceitos de segurança estrutural 2. Conceitos de risco 3. Utilização de sistemas de classificação 4. Considerações finais 2 1. Conceitos

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

Caminhos da sustentabilidade no Recife SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

Caminhos da sustentabilidade no Recife SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Caminhos da sustentabilidade no Recife SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE ÁGUA, DIREITO DE TODAS AS PESSOAS Recursos hídricos recursos naturais essenciais bens de valor econômico limitado viabiliza

Leia mais

1 de 5 ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

1 de 5 ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ S AO PLN 0001 / 2008 - LDO Página: 2726 de 2993 1 de 5 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 71260001 1220 Assistência Ambulatorial e Hospitalar Especializada

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº

EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº 006/2015 PROJETO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA ALTEAMENTO DO NIVEL NOMAL DO RESERVATÓRIO DO CIPÓ E AMPLIAÇÃO DAS USINAS BORTOLAN E VÉU DAS NOIVAS 1 - INTRODUÇÃO Esta

Leia mais

Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim

Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim Nina Celeste Macario Simões da Silva (1), José Afonso P. Vitório (2) Romilde Almeida de Oliveira (3) (1)Mestranda, Programa de Pós-graduação

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PROCESSOS EROSIVOS DA UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PROCESSOS EROSIVOS DA UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE E MONITORAMENTO DE PROCESSOS EROSIVOS DA UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI Relatório de Andamento N o. 01 (RTA-Jari-ProcessosErosivos-01/12) Preparado por: Especialmente para:

Leia mais

INUNDAÇÕES NO BRASIL

INUNDAÇÕES NO BRASIL INUNDAÇÕES NO BRASIL Dr. Adilson Pinheiro CEOPS Centro de Operação do Sistema de Alerta da Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí Universidade Regional de Blumenau CEOPS Bacia do Rio Itajaí ENCHENTE Processos

Leia mais

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Bacia do São Francisco Irrigação na bacia do rio Potencial irrigável cerca de 1 milhão de hectares Efetivamente irrigados cerca de 340 mil hectares e em constante

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica (DRDH) e de outorga de direito de uso de recursos

Leia mais

Projeto Rio Maranguapinho Contexto Geral

Projeto Rio Maranguapinho Contexto Geral Projeto Rio Maranguapinho Contexto Geral Os desequilíbrios urbanos presentes na maioria dos municípios brasileiros, notadamente os localizados em regiões metropolitanas, têm sido objeto de preocupação

Leia mais

Figura 2. Evolução da População Urbana no Brasil. 1940 2000. Fonte: IBGE, Censos Demográficos de 1940, 1950, 1960, 1970, 1980, 1991, 2000. In.

Figura 2. Evolução da População Urbana no Brasil. 1940 2000. Fonte: IBGE, Censos Demográficos de 1940, 1950, 1960, 1970, 1980, 1991, 2000. In. UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL SANEAMENTO E SAÚDE PÚBLICA DISCIPLINA: SANEAMENTO PROF. CARLOS EDUARDO F MELLO e-mail: cefmello@gmail.com Uso e Ocupação do Solo

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Definição de solo Ciências aplicadas Contexto

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS EDUCANDO PARA UM AMBIENTE MELHOR Apresentação A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte SEMARH produziu esta

Leia mais

2 INSTRUMENTAÇÃO E SEGURANÇA DE BARRAGENS

2 INSTRUMENTAÇÃO E SEGURANÇA DE BARRAGENS 2 INSTRUMENTAÇÃO E SEGURANÇA DE BARRAGENS 2.1. Introdução O interesse crescente pela segurança de barragens tem levado, em um número apreciável de países, à implementação de normas e critérios específicos

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 6 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA A água é o mais abundante solvente natural que atua no sentido de desagregar, ou seja, fragmentar

Leia mais

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1:

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: IPH 111 Hidráulica e Hidrologia Aplicadas Exercícios de Hidrologia Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: Tabela 1 Características

Leia mais

Mudanças Socioambientais Globais, Clima e Desastres Naturais

Mudanças Socioambientais Globais, Clima e Desastres Naturais Mudanças Socioambientais Globais, Clima e Desastres Naturais (ENSP/FIOCRUZ) Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres (CEPEDES) Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) AS MUDANÇAS SOCIOAMBIENTAIS

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça.

Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. fls. 1/5 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Adutora de Água, de Emissário de Esgoto e Rede de Vinhaça. PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio,

Leia mais

SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente POLÍCIA Aspectos institucionais do fechamento de barragens de rejeito O papel do órgão ambiental Zuleika S. Chiacchio Torquetti Diretora de Qualidade e Gestão Ambiental

Leia mais

Desenvolvimento regional

Desenvolvimento regional Desenvolvimento regional Água e terra irrigada para o Nordeste No Nordeste, onde a seca representa o grande obstáculo para o desenvolvimento, o Governo Federal está realizando o maior programa de construção

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09

O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09 O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09 Seminário Sul-Brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas ABES-RS Porto Alegre, 03 de Setembro de

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO AGOSTO/2015

SUMÁRIO EXECUTIVO AGOSTO/2015 AGOSTO/2015 SUMÁRIO EXECUTIVO AGOSTO/2015 PROJETO DE INTEGRAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO O Projeto de Integração do Rio São Francisco vai garantir a segurança hídrica a 12 milhões de habitantes, em 390 municípios,

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A Diretoria Técnica TÍTULO: PLANO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA PARA REDES DE ÁGUA E ESGOTO NUMA CIDADE DE 01 MILHÃO DE HABITANTES. TEMA: Organização e Gestão dos Serviços de Saneamento. Nome dos Autores: 1 - Engº Marco Antonio

Leia mais

Secretaria de Estado da Defesa Civil

Secretaria de Estado da Defesa Civil HISTÓRICO DOS DESASTRES EM SANTA CATARINA E AÇÕES DA SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL Aldo Baptista Neto Major Bombeiro Militar Diretor de Resposta a Desastres Histórico dos Desastres no Estado 1974

Leia mais

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia.

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTEALEGRE ALEGRE DO MONTE DOSUL SUL Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTE ALEGRE DO SUL Área 110,306 km² População (estimativa para 2014)

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) PCAI Programa de Controle Ambiental Intrínseco SÍTIO BELO MONTE (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 01: Aterro do acesso interno (próximo à nova central de britagem): Neste

Leia mais

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica.

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica. PROJETO ATUALIZAR 2015 TEMA SISTEMA CANTAREIRA DATA DE APLICAÇÃO 09 a 13/03/2015 PROFESSORES RESPONSÁVEIS Cristiane e Felipe 1. SUGESTÕES DE PONTOS QUE PODEM SER ABORDADOS 1.1. A importância da água 1.2.

Leia mais

Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional

Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional Semi-árido Brasileiro - População Eixo Norte PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMI-ÁRIDO E DA BACIA

Leia mais

POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE

POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE POLÍTICA DE REDUÇÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura - SMOBI Superintendência de Desenvolvimento da Capital - SUDECAP OUTUBRO DE 2013 POLÍTICA DO

Leia mais

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL

GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL GESTÃO E MANEJO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL O Ministério Público e a implementação da Resolução CONAMA 307/2002 Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério

Leia mais

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás O QUE É Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento 1 QUEM SÃO Total de Pessoas: 12.023.703 84% Rural 16% Urbano Total: 10.091.409 Total:

Leia mais