Manual Nutrilibra. Sistema de Planejamento Alimentar. Versão 2.15

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual Nutrilibra. Sistema de Planejamento Alimentar. Versão 2.15"

Transcrição

1 Manual Nutrilibra Sistema de Planejamento Alimentar Versão 2.15

2 INTRODUÇÃO Nutrilibra é um sistema de computador que auxilia na composição de receitas, no planejamento de cardápios e na distribuição de alimentos. O programa é flexibilizado de forma a não restringir sua aplicação à nutrição de nenhum comensal específico e nem limitar a avaliação nutricional a componentes alimentares pré-determinados. Você poderá adicionar novos comensais (consumidores), novos componentes alimentares (como vitaminas e sais minerais) e novos indicadores (como peso, altura, dobras cutâneas) segundo a sua necessidade. As receitas estão organizadas em esquemas semanais que orientam a distribuição dos alimentos aos locais cadastrados obedecendo à quantidade e ao tipo de consumidor presente em cada um deles. Indicadores biológicos padronizados por instituições de pesquisa em saúde pública permitem acompanhar o desenvolvimento individual de cadastrados no banco de dados, comparando a evolução de medidas em gráficos e tabelas. O sistema controla também o movimento de entrada e saída dos alimentos descrevendo o estoque atual, os fornecedores e os locais de destino de cada alimento. Faz parte do sistema um conjunto de relatórios reconfiguráveis já prontos para imprimir ou visualizar na tela do computador. Você mesmo poderá elaborar novos relatórios ou reconfigurar os já existentes.

3 MÓDULOS Os módulos são divisões do sistema aos quais estão associados formulários específicos para manipulação de determinado tipo de dados. Todos os módulos estão interligados de forma que as alterações efetuadas em um deles sejam refletidas nos outros relacionados. Os formulários de cada módulo são acionados principalmente através dos botões da barra de módulos. Os botões são identificados pelos seguintes ícones: Alimentos Receitas Esquemas Componentes Consumidores Indivíduos Indicadores Procedimentos Locais Fornecedores Entradas Saídas Planos de Distribuição Banco de Dados Avaliação Há, normalmente, um formulário de trabalho para os dados específicos de cada módulo, permitindo aumentar a funcionalidade do programa e simplificar o seu entendimento e manuseio. Cada formulário dispõe de comandos que executam operações básicas sobre um registro individual - como criação, edição e exclusão - ou sobre um conjunto de registros como movimentação, buscas, classificações e filtros. Estas últimas operações contam com janelas de diálogo próprias que assistem ao usuário do programa nesta tarefa. No sistema, a principal maneira de um formulário expor e acionar o relacionamento entre os diferentes módulos é através da sua estrutura de mestre-detalhe. Por este meio um registro de um módulo tem seus campos visualizados na tela do computador em um formulário principal e os registros dos outros módulos relacionados a ele, em sub-formulários com tabelas de dados, onde cada um dos registros ocupa uma linha. 1

4 Campos comuns a vários módulos do sistema Id Identificador único (sem duplicações) e numérico de cada registro. É o campo que servirá para o relacionamento deste módulo com os outros do sistema. Nome Serve também como identificador e não aceita duplicações. No momento da transferência de registros de um banco de dados para outro este campo pode servir como índice principal. Deve ser modificado criteriosamente para não dificultar o intercâmbio de informações. Descrição Descreve outras propriedades importantes e não citadas nos campos predefinidos. Este campo é do tipo de dados conhecido como memorando e pode armazenar texto relativamente extenso. Possui, no entanto, algumas limitações: 1) Não pode ser parâmetro de filtragem ou ordenamento do arquivo; 2) Não pode ser visualizado no modo tabular. Imagem Presentes nos módulos Alimentos, Receitas, Locais, Fornecedores e Indivíduos. Em cada caso este campo registra imagem fotográfica correspondente. Para inserir uma imagem faça uma cópia dela a partir de algum editor gráfico e, em seguida, cole-a sobre o campo. Exemplo: Abra um arquivo de imagem com o aplicativo Paint do Windows. Selecione a área da figura a ser transportada e a copie com o uso das teclas CTRL+C (mantenha a tecla CTRL pressionada e tecle a letra C ). Alterne para o sistema e cole a figura sobre o campo Imagem com o emprego das teclas CTRL+V. A moldura do campo automaticamente redimensionará a figura para que ela seja toda visualizada. É altamente recomendável não usar figuras de grandes dimensões pois isto consome os recursos do sistema. Para apagar uma imagem use a tecla DELETE. 2

5 ALIMENTOS Os alimentos servirão de base para compor as receitas e, por isto, usados na sua forma mais elementar, sem fracionamentos qualitativos. Chamamos de alimentos, dentro do programa, os produtos que não possuam a necessidade de controle e manipulação individual da quantidade de seus componentes pois estes são tratados em conjunto. Os vários alimentos naturais como carne, arroz e feijão, podem ser, desta forma, cadastrados juntamente com os formulados industriais. Algumas substâncias químicas, como as essências ou medicamentos, também entram nesta classificação, mesmo não se enquadrando inteiramente como um alimento como tradicionalmente se conhece. O valor nutricional de cada alimento é determinado pelo tipo e pela quantidade de seus componentes nutricionais. Pesquisado e descritos por várias instituições, eles são mostrado em um sub-formulário próprio. A caracterização bioquímica do alimento pode ser complementada com os fatores de conversão de nitrogênio, proteínas, lipídios e carboidratos. As unidades de medidas e o seu fator de conversão para a unidade padrão, o quilograma, bem como a quantidade de resíduos não aproveitáveis na alimentação, devem ter seus valores cuidadosamente observados na sua mensuração pois eles são intensivamente utilizados em quase todas as operações de cálculo do programa. Formulário principal Id Identificador do alimento. Alimento Nome em português do alimento. Nome Científico O nome científico do alimento ou de sua origem. Tipo Classificação baseada em critérios operacionais como, por exemplo, transporte ou armazenamento. Grupo Classificação genérica para o alimento baseado em suas características naturais. Para inserir novos grupos basta clicar no botão ao lado que a edição se habilitará. Id Opcional - Código alternativo para identificar o alimento. Alguns relatórios, principalmente na distribuição, usam preferencialmente este identificador. Nome Opcional Nome alternativo. Uso semelhante ao Id Opcional. Fabricante Nome do fabricante. Unidade de Entrada Unidade usada na aquisição do alimento. Em Kg Fator de conversão para quilograma. Trata-se de um campo de preenchimento obrigatório e com valor maior do zero. Valor Valor expresso por unidade de entrada. Valor em Kg Valor por quilograma. Unidade de Saída - Unidade utilizada na distribuição de alimentos. Mínimo Saída - Usado principalmente no cálculo de arredondamento da quantidade de distribuição. Se esta ficar entre 0 e o mínimo, o arredondamento será para o mínimo. Se for maior que o mínimo, o arredondamento será feito para o seu múltiplo mais próximo. Exemplo: Se um alimento é distribuído sempre em caixas com duas dúzias e meia, a unidade pode ser dúzia e o mínimo 2,5. O arredondamento de 1 ou de 3 será para 2,5. Unidade de Estoque Utilizada para medir os estoques nos locais de distribuição. % Resíduos Percentual da parte não comestível do alimento. Parte Residual Nomes das partes não comestíveis do alimento. F Nitrogênio Fator de conversão de nitrogênio para proteína. F Proteína Fator para cálculo de energia a partir de proteínas. F Lipídio Fator para cálculo de energia a partir de lipídios. F Carboidrato Fator para cálculo de energia a partir de carboidratos. 3

6 Referência Básica Nome da instituição que elaborou a descrição do alimento. Descrição Descrição do alimento. Imagem Imagem fotográfica do alimento. Sub-formulário Componentes Unidade Caseira - UC Unidade que servirá de base para o cálculo da coluna Quant/UC da tabela. Id Identificador do componente. Componente Nome do Componente. Unidade Tipo de medida utilizada na quantificação do componente. Quantidade / 100 g - Quantidade do componente por 100 gramas de alimento. Referência Fonte da informação apresentada se esta for diferente da Referência Básica. Sub-formulário Unidades Caseiras Seq Seqüência identificadora da unidade para este alimento. Medida Nome da unidade. Em grama Fator de conversão para a unidade grama, considerando somente a parte comestível. Mais Resíduos Quantidade do alimento calculado juntamente com os resíduos. Sub-formulário Entradas Id Entrada Identificador seqüencial de entrada. Data Dia, mês, ano, e, opcionalmente, hora e minuto da aquisição do alimento. Lote Lote de entrada. Quantidade Quantidade adquirida. Valor Valor monetário correspondente à quantidade adquirida. Id Identificador do fornecedor do alimento. Fornecedor Nome do fornecedor. Sub-formulário Saídas Id Saída Identificador seqüencial de saída. Data Dia, mês, ano, e, opcionalmente, hora e minuto saída do alimento. Lote Lote de saída. Quantidade Quantidade retirada. Id Local Identificador do local para onde saiu o alimento. Local Nome do Local. 4

7 RECEITAS As receitas resultam da combinação dos diferentes alimentos com a finalidade de atender a nutrição, saúde, paladar, gosto, etc.. dos seus consumidores. Os diferentes critérios de classificação da receita, descritos nos seus campos, aliados aos assistentes de filtros e ordenamentos do sistema, auxiliará você no trabalho de escolher as receitas mais adequadas à sua necessidade. Você pode criar novas receitas, ou editar as já existentes, de forma a otimizar o valor nutricional de cada uma das receitas para o tipo de consumidor que você quiser. Ao clicar no botão Avaliar uma nova janela com informações nutricionais da receita será exibida e atualizada automaticamente a medida que você edita o registro. Uma receita pode ser recalculada também para mostrar as quantidades e os valores de seus alimentos, individualmente ou na sua totalização, considerando toda a receita ou apenas uma de suas porções, para somente um consumidor ou para vários. Para combinar uma receita com outras por adição de seus alimentos sem redigitação, use o sub-formulário receitas adicionadas. As quantidades dos alimentos destas receitas são mostradas separadamente mas usadas nos cálculos de avaliação nutricional e distribuição de alimentos como se fosse apenas uma. Formulário principal Id Identificador. Receita Nome. Categoria Caracteriza o tipo de prato da receita tais como Carnes, Saladas, Sobremesas, etc. Subcategoria Trata-se de uma subdivisão das categorias. O critério de classificação pode estar relacionado a alguma característica especial da receita ou ao seu principal ingrediente. Dietética Relaciona-se à alguma indicação ou propriedade nutricional específica como as receitadas para diabéticos, hipertensos, etc. Porções Quantidade de frações normalmente usadas para servir. Tipo de Porção O tipo ou unidade de divisão: prato, copo, fatia, etc. Consumidores A quantidade de consumidores a que se destina a receita. Calcular para Faz um cálculo rápido da quantidade necessária de alimentos para atender o número de consumidores especificado. O resultado é mostrado no sub-formulário correspondente. Total (g) Campo calculado pela somatória das quantidades dos alimentos em grama. O resultado será em conformidade com o sub-formulário ativo. Valor Campo calculado a partir do valor de cada porção de alimento participante da receita. Depende do sub-formulário ativo. Referência Instituição ou pessoa que elaborou a receita ou site com a sua descrição mais detalhada. Origem País ou região de onde surgiu a receita. Ocasião para Servir Evento ou época do ano como aniversários, páscoa, natal, etc mais apropriado para servir. Complexidade Nível de dificuldade na preparação da receita. Aprovação Nota de aceitação da receita preparada. Pode ser definida subjetivamente ou através da pesagem de sobras, quando servido em grandes quantidades. Modo de Preparo Se por fritura, forno, etc ou pelo uso de algum equipamento especial como forno de microondas. Preparo (min) Tempo total utilizado na preparação. Medido em minutos. Cozimento (min) Tempo usado para cozer o alimento. Medido em minutos. 5

8 Receitado por Quem descreve a receita. Imagem Imagem fotográfica da receita. Descrição Descrição de outras propriedade da receita e/ou das instruções de preparação. Sub-formulário Receitas Adicionadas Id Identificador. Receita Adicionada Nome. Quantidade Fator de multiplicação aplicado às quantidades de todos os alimentos da receita adicionada. Sub-formulário Inteiro, Por Porção, Por Consumidor e Calculado para O sub-formulário Inteiro mostra a quantidade necessária para a preparação da receita e somente nele o campo Quantidade está disponível para edição. Os outros sub-formulários são obtidos pelo cálculo dos campos Porções, Consumidores e Calcular para do formulário principal com os campos numéricos do sub-formulário Inteiro. Id Identificador. Alimento Nome. Observação Instruções, estado ou marca do alimento citado. Medida Unidade caseira usada na preparação do alimento. Em grama Multiplicador para converter a unidade para grama. Quantidade Porção comestível do alimento, em peso, que participa da receita. Adição Quantidade de alimento proveniente da receita adicionada. Total Somatório da Quantidade e Adição. Total (g) Total na unidade definida para o alimento convertido em grama. Corrigido Quantidade total, em grama, considerando a parte comestível e os resíduos do alimento. Valor Valor do alimento com seu peso corrigido. Botão Avaliar Abre o formulário Avaliação Nutricional Diária por Consumidor. 6

9 ESQUEMAS Um esquema é construído ao se organizar várias receitas em um cardápio semanal, indicando os consumidores e as suas refeições para uma semana. Você poderá usar um esquema para o planejamento nutricional de indivíduos. Escolha as receitas de cada dia em observância ao balanceamento dos nutrientes necessários ao tipo de consumidor ao qual se classifica o indivíduo. Você pode clicar o botão Avaliar para acionar o formulário de avaliação nutricional onde tabelas e gráficos são calculados usando os valores empregados no esquema. Os esquemas são também utilizados para o cálculo da quantidade de alimentos a serem distribuídos para os locais pois, implicitamente, cada esquema informa a quantidade de alimentos a que se destina para cada tipo de consumidor. No momento da distribuição você poderá informar um intervalo de datas aonde cada dia da semana terá seu correspondente no esquema. Formulário principal Id Identificador. Esquema Nome. Referência Quem descreve o esquema ou pode fornecer mais informações sobre ele. Descrição Descrição do esquema. Sub-formulário Receitas e Consumidores Id Identificador do consumidor. Consumidor Nome do consumidor. Item Apresenta a seqüência de receitas para um mesmo consumidor. Refeição Nome da refeição: lanche, almoço, jantar, etc. Várias receitas podem participar de uma mesma refeição se possuírem itens diferentes. Segunda, Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Sábado e Domingo São os dias da semana em que serão servidos os alimento descritos nas receitas. Pode se apresentar como o identificador da receita ou o seu nome, dependendo aba do sub-formulário que estiver selecionada. Informe também, para cada dia da semana, a quantidade de porções de cada receita. Botão de controle Avaliar Abre o formulário Avaliação Nutricional. 7

10 CONSUMIDORES Os consumidores são classificados a partir do agrupamento de indivíduos com necessidades alimentares semelhantes. Normalmente os principais critérios de classificação dos consumidores estão ligados à idade e ao sexo mas pode também se relacionar a outros fatores como a gravidez, lactação ou ainda a algum estado de saúde diferenciado como diabetes, hipertensão, convalescência de doenças, etc. Os valores das medidas dos componentes para cada consumidor são pesquisados por diversas instituições e muitas vezes encontramos variações para um mesmo componente e um mesmo consumidor, decorrentes da época da elaboração da pesquisa e dos hábitos culturais da população estudada. Todos os números são portanto apenas estimativas que servem como referência básica, não dispensando, de forma nenhuma, a avaliação individual por um profissional especializado. Formulário principal Id Identificador. Consumidor Nome. Tipo Classificação para o consumidor. Sexo Gênero. Idade Idade inicial da faixa etária do consumidor. Idade Até Idade final da faixa etária. Trata-se do número limite de idade, mas não incluso. Unidade Idade Dia, mês, ano ou semana usados para mensurar a faixa etária. Descrição Descrição do consumidor. Sub-formulário Componentes Id Identificador do componente. Componente Nome do componente. Unidade Unidade de medida usada para quantificar o componente. Menor, Padrão e Maior Quantidades do componente requeridas pelo consumidor para atender às suas necessidades biológicas diária. Estas quantidades são pontos de uma faixa que vão do mínimo necessário para sobrevivência saudável do consumidor, passando pelo ideal, até o valor de saturação, segurança ou de toxidade do componente. Referência Fonte dos valores recomendados para as quantidades menor, padrão e menor. 8

11 COMPONENTES Apesar dos componentes se referirem principalmente à composição bioquímica dos alimentos, eles são também utilizados, dentro do programa, como atributo de outras propriedades alimentares como, por exemplo, o valor energético. Com o avanço das técnicas de laboratório já podemos contar com tabelas razoavelmente bem detalhadas e confiáveis de componentes para muitos alimentos. Estes valores, no entanto, nem sempre são os que são absorvidos na alimentação, já que outros fatores como a própria combinação de alimentos, interferem na digestão. Formulário principal Id Identificador. Componente Nome. Descrição Descrição do componente. Rótulo Identificador abreviado para o nome do componente desenvolvido pelo International Network of Food Data Systems (INFOODS) para intercâmbio de dados. Decimais Número de decimais utilizado no arredondamento das quantidades de cada componente. Grupos Identifica os grupos de visualização aos quais pertence o componente, servindo para os filtrar quando estão sendo estudados nos formulários de avaliação nutricional. Use preferencialmente uma letra ou número para referenciar um grupo que pode ser, por exemplo, macronutrientes, vitaminas, aminoácidos, etc. Nome opcional Outro nome pelo qual é usualmente conhecido o componente. Referência Fonte das informações do componente. Sub-formulário Alimentos Id Identificador do alimento. Alimento Nome do alimento. Quantidade por kg Medida da quantidade do componente em 1 quilograma de alimento. 9

12 LOCAIS Cadastro dos locais onde estão os consumidores. Se você optar pela distribuição automática de alimentos deverá levar em conta os tipos de consumidores, os alimentos armazenados e os seus fatores de consumo pois eles são usados como variáveis no cálculo da distribuição. Os alimentos recebidos podem também ficar registrados no controle das saídas. Formulário principal Id Identificador. Local Nome. Tipo Classificação do local baseado em critérios importantes para a distribuição de alimentos. Dep. Administrativa O tipo ou o nome da instituição da qual o local depende administrativamente. Válido Ativa o local para efeito de distribuição de alimento. Valor diferente de zero simboliza que o local é válido e será considerado no recebimento de alimentos. Contato, Cargo Contato Referência da pessoa que serve de contato no local. Endereço eletrônico. Endereço, Bairro, Região, CEP, Município, Estado Posição geográfica do local. Telefone, Fax Número de telefone e do Fax. Descrição Descrição do local. Imagem Imagem fotográfica do local. Sub-formulário Consumidores Id Identificador do consumidor. Consumidor Nome do consumidor. Quantidade Número de consumidores encontrados no local. Este valor entra na fórmula de distribuição de alimentos. Sub-formulário Alimentos em Estoque Id Identificador do alimento. Alimento Nome do Alimento. Estoque Quantidade de alimentos estocados no local. O sistema usa este valor para abater da quantidade de alimentos a receber pelo local. Unidade Unidade de armazenamento da quantidade. Fator Fator de consumo usado na fórmula de cálculo da distribuição de alimentos. Um local pode ter a quantidade de um determinado alimento a receber aumentada ou diminuída dependendo deste multiplicador. 10

13 PLANOS DE DISTRIBUIÇÃO Neste módulo você poderá utilizar os esquemas já elaborados, criando planos para distribuir os alimentos e atender aos consumidores dos locais que você especificar. O cálculo das quantidades obedecerá a vários critérios e parâmetros: o intervalo de datas da aplicação do esquema e os seus fatores de ajuste; a quantidade dos alimentos presentes nas receitas; a quantidade de receitas e a disposição delas nos esquemas; o número de consumidores presente nos locais; o volume de alimentos estocados nos locais e os seus fatores de ajuste; os filtros de distribuição específicos para alimentos (ou tipos de alimentos) ou para locais (ou tipos de locais). Formulário principal Id Identificador. Plano de Distribuição Nome. Decimais Casas decimais para arredondamento dos números resultantes dos cálculos. Estoques Locais Permite escolher se são ou não considerados nos cálculos as quantidades de alimentos dos estoques locais. Descrição Descrição ou anotações sobre o plano de distribuição. Sub-formulário Esquemas Id Identificador do esquema. Esquema Nome do esquema. Data Inicial e Data Final Intervalo de datas no qual será aplicado o esquema. O sistema observará o dia da semana correspondente a cada data e consultará o esquema para conhecer quais receitas serão utilizadas nestes dias. Ids ou Tipos Alimentos Filtro com o critério Alimentos. Use os identificadores dos alimentos, ou os seus tipos precedidos para indicar quais alimentos do esquema devem ser considerados. Inversamente, use esta mesma notação precedida do sinal "-" para indicar os alimentos do esquema a serem desconsiderados. Separe os itens do filtro por ponto e vírgula. O sinal "*" simboliza a inclusão de todos. Exemplos: a) significa que apenas os alimentos de identificadores 5 ou 8 ou todos do tipo 8 serão contabilizados para este esquema. b) significa que todos os alimentos serão considerados, exceto o de identificador 5 e os do tipo 7. Todos os registros estarão no conjunto caso não se especifique nenhum filtro. Ids ou Tipos Locais Filtro com o critério Locais. Seu uso é semelhante ao do filtro com o critério Alimentos. Ajuste Número multiplicador de todas as quantidades dos alimentos calculados para o esquema correspondente. Empregue o valor 0 para invalidar a linha. Operação Pode ser Enviar ou Prever. Após calcular a quantidade per capita de cada consumidor para cada alimento no intervalo de datas informado e multiplicar pelo Fator de Ajuste, o sistema irá consultar cada local para executar as seguintes tarefas: a) multiplicar a quantidade de porções de cada alimento presente nos esquemas pelo número de consumidores correspondente; b) subtrair o Estoque Local do resultado; c) multiplicar pelo Fator Local e c) calcular o arredondamento pelo valor Mínimo de Distribuição. O resultado será a quantidade de alimentos a enviar para o local. Esta é a operação Enviar. Para este procedimento funcionar o estoque de cada local deve ser informado antecipadamente. Geralmente na data do levantamento das quantidades de alimentos em estoque uma parte deste constitui alimento já calculado anteriormente e outra parte pode ser sobras. O envio de alimentos atual deve considerar somente estas sobras para desconto. A outra parte não deve entrar no cálculo atual e por isso precisa ser projetada com base nos esquemas anteriores e na diferença entre a Data Final do esquema anterior e a data de levantamento do estoque. Esta projeção é realizada com a operação Prever. Seu resultado será, portanto, a parte do estoque que não deve ser subtraída nos cálculos das quantidade de alimentos a enviar. 11

14 Sub-formulário Detalhe Id Local Identificador do local. Local Nome do local. Id Alimento Identificador do alimento. Alimento Nome do alimento. Unidade - Unidade de medida da quantidade de distribuição do alimento. Resíduos - Parte não comestível. Fator Local Multiplicador especifico do alimento e do local. Quantidade - Quantidade do alimento. Estocado Quantidade do alimento guardado no armazém do local. Reservado Projeção de consumo feito com a operação Reservar. Sobra Estocado menos o Reservado. A Enviar Quantidade do alimento a enviar para o local. Kg a Enviar A Enviar medido em quilograma. Valor Envio Valor monetário da quantidade de envio. Sub-formulário Total Id, Alimento e Unidade São campos agrupados semelhantes aos do sub-formulário Detalhe. A Enviar, Kg a Enviar e Valor Envio São totalizações de campos semelhantes aos do subformulário detalhe. Sub-formulário Por Alimento Id Alimento, Alimento, Unidade, Fator Local, Estocado, A Enviar, Valor Envio, Id Local e Local São campos equivalentes aos do sub-formulário Detalhe, diferindo apenas na disposição dos registros da grade do sub-formulário que são classificados pelo identificador do alimento. Botões de controle Calcular Executa a rotina que contabiliza as quantidade dos alimentos a partir dos parâmetros fornecidos no sub-formulário Esquemas. O resultado será exibido nos outros sub-formulários. Limpar Estoques Abre uma caixa de diálogo que automatiza o serviço de reiniciar os valores dos estoques dos locais. Dois campos, Ids ou Tipos Alimentos e Ids ou Tipos Locais, dão a possibilidade de filtrar os registros que sofrerão a operação Limpar Estoques. Estes registros são mostrados no sub-formulário Estoque-Local do módulo Local. Uma caixa de seleção permite escolher entre duas modalidades deste procedimento: 1) apenas zerar os valores dos estoques ou 2) apagar os seus registros. Gravar Distribuição Atualiza as quantidades dos estoques dos alimentos dos locais a partir do que foi calculado para distribuição e/ou grava como saídas do estoque, registrando também a data e a descrição para a saída. 12

15 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL Este formulário é acionado pelos botões de controle dos formulários Receitas, Esquemas ou Indivíduos. Será responsável pelo relacionamento das quantidades de componentes dos alimentos com as necessidades de componentes nutricionais de consumidores escolhidos. Você pode ver o resultado em tabelas e em um gráfico de barras. Formulário principal Id Identificador do consumidor. Consumidor Nome. Grupo Componente - Permite escolher qual o grupo ao qual pertence os componentes que serão visualizados. Os grupos são definidos no formulário do módulo Componentes. Dia - Aponta qual o dia da semana a avaliação se refere para o consumidor especificado. Este campo está presente somente na avaliação nutricional dos esquemas. Sub-formulários Unidade, Percentual e Gráfico Id Identificador do componente. Componente Nome. Quantidade Quantidade do componente presente nas porções dos alimentos das receitas. Unidade Unidade de medida da quantidade. Menor, Padrão e Maior Quantidade diária necessária para manutenção saudável do consumidor. Quando o sub-formulário Percentual está ativado, estes valores servem de base ao campo Quantidade e os resultados são relativos, em percentuais. Referência Fonte dos valores apresentados como recomendação. Gráfico Aparece somente no sub-formulário de mesmo nome. A barra desenhada neste campo se apresentará com proporções e cores diferentes conforme o valor da quantidade percentual do campo Padrão. Os botões possibilitam a escolha da escala. 13

16 INDIVÍDUOS Neste módulo do sistema podemos cadastrar pessoas para acompanhar o seu desenvolvimento por meio de indicadores, pesquisar e avaliar sua alimentação e registrar os procedimentos efetuados e recomendados. No banco de dados ficará todo o histórico das consultas e procedimentos solicitados. Um gráfico demonstra a evolução das medidas no tempo. A data de nascimento e a data em que se realiza a consulta das medidas servem de base para o cálculo da idade e de outras variáveis participantes das fórmulas dos indicadores. Alterações nestes valores, como também nos dos campos sexo e grupo, podem refletir em todos os cálculos já feitos. Formulário principal Id Identificador. Indivíduo Nome. Sexo Gênero do indivíduo. Nascimento Data de nascimento. Idade Atual Campo calculado pela diferença entre as datas atual e a de nascimento. Número de Identidade Pode ser Registro geral, CPF, Certidão de Nascimento ou algum outro registro de identidade social. Grupo Classificação baseada nos critérios de sua escolha. Responsável Quem responde pelo indivíduo se este for menor ou incapacitado. Telefone Telefone para contato. Endereço, Bairro, Região, CEP, Município, Estado Localização do Indivíduo. Endereço eletrônico. Descrição Notas e observações sobre o indivíduo. Imagem Fotografia. Sub-formulário Inquérito/Recomendação Alimentar Tipo Uma letra que servirá para diferenciar o tipo de registro. Pode ser inquérito, recomendação ou algum outro tipo que lhe for conveniente. Data Data do Inquérito ou recomendação. Id Identificador do alimento. Alimento Nome. Medida Unidade de medida. Quantidade Quantidade informada. Mult, Div Multiplicador e divisor da quantidade para facilitar o cálculo da quantidade por dia. Por Dia Campo calculado, resultado da quantidade vezes o multiplicador dividido pelo divisor. Id Con Identificador do Consumidor. Consumidor Nome do consumidor. Sub-formulário Medida de Indicadores 14

17 Data Base Data base da medida ou pesquisa dos indicadores. Seq Seqüência das medidas efetuadas na data. Os cálculos das medidas serão feitos obedecendo à ordem que foi indicada. Id Identificador do indicador. Indicador Nome do indicador. Unidade Unidade de medida do indicador. Item Item da tabela do indicador. Este campo é automaticamente calculado pela fórmula do indicador e emprega dados do indivíduo e de outros indicadores que estão na mesma data numa seqüência anterior. Medido Valor do indicador observado no indivíduo. Este campo pode ser inicializado pelo resultado do cálculo da fórmula Valor Inicial do indicador. Ref. Menor, Ref. Padrão, Ref. Maior Estes valores são resultado do cálculo das suas respectivas fórmulas dentro do item do indicador. Id Item Identificador do item. É resultado da aplicação da fórmula correspondente e é usado para localizar o item na tabela do indicador. Sub-formulário Medida de Indicadores Id Identificador. Procedimento Nome. Data Pedido Data de solicitação do procedimento ao indivíduo. Descrição do Pedido Descrição resumida ou notas sobre o pedido do procedimento. Data Resultado Data de entrega do resultado. Descrição do Resultado Descrição resumida ou notas sobre resultado do procedimento. Sub-formulário Evolução de Indicadores - Gráfico Indicador Escolha o indicador que servirá de base para a construção do gráfico. O eixo X tem sua escala de tempo automaticamente calculada pelas datas das medidas de indicadores efetuadas no indivíduo. Botões de Controle Avaliar Abre a caixa de diálogo para avaliação nutricional, feita por consumidor e por data da pesquisa. Recalcular Recalcula todos os indicadores de todos os indivíduos, atualizando os campos que lhe são dependentes. Procedimentos - Sugere procedimentos para o indivíduo. Uma caixa de diálogo será aberta para lhe assistir neste serviço. Um procedimento é sugerido se os valores dos indicadores atenderem a sua fórmula condicional, fazendo-a resultar num valor lógico verdadeiro. Na caixa de diálogo especifique um intervalo de datas para o programa aplicar a fórmula. O resultado será mostrado na caixa de texto abaixo e em uma tabela. Edite a caixa de texto deixando nela apenas os identificadores dos procedimentos convenientes ou acrescente novos. Clique no botão Transfere para registrar os procedimentos escolhidos para o Indivíduo. 15

18 INDICADORES Os indicadores são sinais observados e medidos nos indivíduos que servem para diagnosticar o seu estado de saúde. Muitos sinais vitais importantes do organismo são tabelados por instituições de pesquisa pelo estudo de padrões medidos em uma determinada população. Eles são apenas números de referência para avaliação orgânica de um indivíduo que devem ser interpretados por um profissional da área de saúde. No sistema, um indicador possui itens posicionados nas linhas de uma tabela. Uma linha é referenciada por um identificador (id) que pode ser obtido através de sua fórmula, aplicada em cada indivíduo. Desta maneira, se a fórmula do Id do Item for Sex+FAgeGroup, e o indivíduo for do sexo masculino (M) e sua faixa etária se enquadrar no 5º intervalo, seu Id Item será M05. Cada linha serve de base para obter os valores Maior, Padrão e Menor através de suas respectivas fórmulas. Você poderá utilizar as letras representantes das colunas como variáveis, possibilitando escolher ou combinar os valores da tabela para o resultado mais adequado ao seu trabalho. O rótulo de cada indicador serve para o referenciar como uma variável dentro das fórmulas, possibilitando que novos indicadores sejam calculados com base em outros. Utilize a fórmula Valor Inicial, quando estiver trabalhado nesta situação. O resultado será mostrado no lugar do valor medido. Para construir suas fórmulas consulte os tipos de valores, operadores, variáveis e funções que podem ser utilizados. Formulário principal Id Identificador. Indicador Nome. Rótulo Denomina o indicador nas fórmulas. Referência Origem das informações usadas nas tabelas. Unid Idade Unidade de data empregada para medir as idades. Faixas Etárias Conjunto de valores dispostos em uma escala crescente que serve como pontos de referência para o cálculo do número da faixa etária. Fórmula: Id do Item Fórmula para o calculo da composição do identificador do item. Fórmula: Valor Inicial Calcula o valor inicial para o campo Medido no formulário do indivíduo. Fórmula: Valor Menor Cálculo para o campo Ref.Menor no formulário do indivíduo. Fórmula: Valor Padrão Cálculo para o campo Ref.Padrão no formulário do indivíduo. Fórmula: Valor Maior Cálculo para o campo Ref.Maior no formulário do indivíduo. Nomes dos Valores Denomina cada coluna da tabela, especificando qual o tipo de valor elas contêm. Fórmula: Categoria Aplica uma fórmula baseada nos indicadores que servirá para classificar o estado do indivíduo. Descrição Descreve e faz anotações sobre o indicador. Sub-formulário Itens Id Identificador. Item Nome do item do identificador. A.. N Colunas do item. Funcionam como variáveis dentro das fórmulas. 16

19 Sub-formulário Indivíduos São medidas efetuadas para os indivíduos e relacionadas ao indicador. Id Identificador do Indivíduo. Indivíduo Nome. Data Data da medida do indicador. Valor Medido Valor medido do indicador para o indivíduo. 17

20 PROCEDIMENTOS São ações ou exames prescritos para o indivíduo. A padronização e o cadastro de rotinas comuns facilitam o controle no uso do agendamento e estudos de freqüência e custos. Além disso, um procedimento pode ser programado para se mostrar como sugestão a um indivíduo que possua variáveis e indicadores enquadrados em sua fórmula condicional. Assim, uma consulta pode ser feita no conjunto de procedimentos a procura de quais deles se aplicam a um determinado indivíduo. Para construir suas fórmulas consulte os tipos de valores, operadores, variáveis e funções que podem ser utilizados. Formulário principal Id Identificador. Procedimento Nome. Tipo Classificação para o procedimento. Valor Custo financeiro. Ativa Verificação de Procedimento A busca e sugestão dos procedimentos pode ser ativada ou não neste campo. Valor Origem das informações. Fórmula Condicional Fórmula com resultado verdadeiro ou falso. Ela será aplicada quando você solicitar sugestão de procedimentos no formulário Indivíduos e serve apenas como um mecanismo facilitador da busca dos melhores procedimentos para um indivíduo baseado nos indicadores medidos. Descrição Descrição, observações e notas sobre o procedimento. Sub-formulário Indivíduos Id Identificador. Procedimento Nome. Data Pedido Data de solicitação do procedimento ao indivíduo. Descrição do Pedido Descrição e notas sobre o pedido do procedimento. Data Resultado Data de entrega do resultado. Descrição do Resultado Descrição e notas sobre resultado do procedimento. 18

21 FORNECEDORES Para realizar o movimento de entrada de alimentos e, portanto, controlar sua origem e os seus estoques, você precisará inscrever os fornecedores no banco de dados. Este cadastro servirá também como agenda de contato produzindo em seus relatórios listagens e etiquetas de endereçamentos. Os campos do formulário do fornecedor são, em sua maioria, semelhantes ao do cadastro dos locais. Formulário principal Id Identificador. Fornecedor Nome. Tipo Classificação do fornecedor. Id Opcional Identificador opcional. Válido Considera o registro como ativo dentro do arquivo. Contato, Cargo Contato Referência da pessoa que serve de contato no local. Endereço eletrônico. Endereço, Bairro, Região, CEP, Município, Estado Localização geográfica. Telefone, Fax Número de telefone e do Fax. Homepage Endereço eletrônico de apresentação do fornecedor na Internet. Descrição Descrição do local. Imagem Logotipo ou imagem fotográfica do fornecedor. Sub-formulário Entradas Entrada Identificador da entrada. Data Nome do consumidor. Id Identificador do alimento. Alimento Nome do alimento. Quantidade Quantidade fornecida. Unidade Unidade de medida do alimento fornecido. Valor Valor da quantidade do alimento. 19

22 ENTRADAS Se vários alimentos são entregues de uma só vez por um mesmo fornecedor você pode registrar a data, os alimentos recebidos e atribuir um número a esta entrega, o id de entrada. Os volumes dos estoques serão recalculados automaticamente. Com os dados de entrada será possível também controlar a validade dos alimentos e rastrear a sua origem caso se descubra algum problema de ordem sanitária. Formulário principal Id Entrada Identificador. Id Fornecedor Identificador. Fornecedor Nome. Data Data da entrada. Quantidade(kg) Somatório das quantidade dos alimentos em quilogramas. Valor Valor monetário total dos alimentos recebidos. Descrição Notas e observações sobre a entrada. Sub-formulário Alimentos Recebidos Id Identificador. Alimento Nome. Quantidade Quantidade de alimento. Unidade Unidade de medida. Lote Lote do alimento para se usar quando houver diferença na produção ou validade do alimento recebido. Validade Data de validade. Valor Campo importado do valor do alimento. 20

23 SAÍDAS Uma saída é o registro de um ou mais alimentos para um mesmo destino em uma mesma data. O controle das saídas permite controlar o volume dos estoques e examinar o fluxo total de alimentos para os locais. Formulário principal Id Entrada Identificador. Id Local Identificador. Local Nome. Data Data da entrada. Quantidade(kg) Somatório das quantidade dos alimentos em quilogramas. Valor Valor monetário total dos alimentos recebidos. Sub-formulário Alimentos Entregues Id Identificador. Alimento Nome. Quantidade Quantidade de alimento. Unidade Unidade de medida. Lote Lote de saída do alimento. Normalmente usado como o identificador de entrada. Indicar o lote facilitará o rastreamento do alimento enviado. Validade Data de validade. Valor Campo importado do valor do alimento. 21

24 BANCO DE DADOS Neste módulo você poderá executar operações gerais sobre os dados armazenados no sistema como transferências ou reparos. As suas informações principais, de trabalho, estão em um banco de dados, denominado Principal. Outros dois são usados como auxiliares na tarefa de backup e de transferência com outros bancos. Você poderá examinar o conteúdo de cada um deles tornando-o o banco de dados atual. Formulário principal Banco de Dados Atual Escolhe dentre os bancos de dados, Principal, Transferência ou Backup, qual será a fonte dos dados para visualização ou edição em todos os formulários do sistema. Banco de Dados Principal Os arquivos deste banco de dados devem estar gravados preferencialmente na pasta C:\Nutrilibra\DataBase\Main onde ficarão os dados de trabalho do sistema. Algumas vezes, principalmente quando o computador é desligado abruptamente, os arquivos de índice ficam corrompidos, necessitando serem reconstruídos. Estes arquivos são responsáveis pela localização rápida, integridade do banco de dados e ordenamento dos registros e se eles estiverem mal formados poderão afetar o funcionamento normal do banco de dados. Ao clicar no botão de controle Reindexa todos os arquivo de índice serão refeitos. Banco de Dados de Transferência Os arquivos deste banco de dados encontram-se, normalmente, gravados na pasta C:\Nutrilibra\DataBase\Transfer. Ao importar dados de outros bancos, os arquivos devem ser copiados para esta pasta, sobrescrevendo os ai existentes. Não deixe este banco aberto durante o trabalho. Para examinar as informações gravadas basta ativar o Banco de Dados de Transferência como o atual escolhendo o botão de opção correspondente e depois alternando para os formulários dos outros módulos. Ao transferir os novos dados para o banco Principal eles podem sobrescrever e/ou adicionar os registros deste banco dependendo da opção marcada nas caixas de seleção. É recomendável, por isto, fazer backup das informações. Os registros são passados para o Principal com a orientação de seu nome ou de seu Id. Identificadores já existentes com nomes diferentes criarão novos registros e novos identificadores se a opção Adicionar estiver marcada. No caso de nomes já existentes eles serão substituídos se a opção Substituir estiver selecionada. Para apenas checar quais registros serão afetados, sem transferir, acione o botão Verificar. Banco de Dados de Backup Trata-se de uma cópia do Banco de Dados Principal com o fim de reforçar a segurança das informações armazenadas. Isto pode ser feito com o acionamento do botão Copiar. É importante observar que este procedimento por si só não previne perdas provenientes de defeitos no HD do seu computador. Para maior garantia copie também a pasta C:\Nutrilibra\DataBase\Main (onde estão os dados do Banco de Dados Principal) para outro dispositivo de armazenamento. Para recuperar estes dados copie seus arquivos para a pasta C:\Nutrilibra\DataBase\Backup, examine os dados (transforme o banco Backup em atual) e depois clique no botão Recuperar. Esta operação sobrescreverá definitivamente todos os dados do banco de dados Principal pelos do Backup. Sub-formulários Componentes, Consumidores, Alimentos, Receitas, Esquemas, Locais, Distribuição, Fornecedores, Entradas, Saídas, Indicadores, Procedimentos e Indivíduos. Mostram o resultado do procedimento Verificar. Os registros do banco Principal que sofrerão alteração no ato da transferência de dados são listados nos seus sub-formulários correspondentes. Ação Tipo de operação que será realizada. Id Identificador do registro. Nome Nome do registro. 22

25 OPÇÕES DE RELATÓRIO Esta caixa de diálogo permite modificar as configurações dos programas que imprimem os scripts de relatório. Ela está acessível no menu Arquivo>Opções de relatório. Pasta base dos relatórios Os arquivos "ImageHeader.bmp" e "TextHeader.txt" onde estão, respectivamente, a imagem e o texto dos cabeçalhos de todos os relatórios, ficam localizados nesta pasta. Ela é, também, a pasta raiz para as outras pastas que guardam os scripts de cada tipo de relatório. Tem-se, assim, dentro dela, a pasta dos Alimentos, das Receitas, etc. Os nomes dos arquivos destas pastas automaticamente ocuparão a caixa de combinação que é mostrada na Barra de Navegação do formulário assim que este abrir. Programa servidor Fornece o caminho completo da pasta e do programa que receberá os scripts de impressão. O programa ficará residente no computador e visível como um ícone no monitor, próximo ao relógio. Os relatórios serão formatados e impressos em segundo plano. Servidor O endereço IP do computador onde está o programa servidor. Porta TCP A porta do servidor a ser utilizada para comunicação com o programa. Programa visualizador É um programa que será executado externamente. Ele levará na sua linha de comando o nome do script selecionado na caixa de combinação da barra de navegação. Extensão A extensão dos nomes de arquivo dos scripts. Linha de comando Opções de controle do programa visualizador. Se usado o RPScript, são válidas seguintes notações de controle (use sem as aspas) para a janela do visualizador: "-T" : Sem a barra de título. "-M" : Sem barra de menu. "-S0" : Estado normal. "-S1" : Estado minimizado. "-S2" : Estado maximizado. "-ST" : Sempre visível (StayOnTop). "-B0" a "-B5": Largura da borda. "-Tn" : Topo em n. "-Ln" : Lado esquerdo em n. "-Wn": Largura em n. "-Hn" : Altura em n. Use "%1" (com aspas) para representar o nome do arquivo do script. Você poderá empregar também algum outro programa para desenvolver seus relatórios e utilizar dentro do sistema. Para aproveitar o Microsoft Access, por exemplo, preencha o campo Programa Visualizador Auxiliar com o caminho e o nome do programa executável: C:\Arquivos de programas\microsoft Office\Office\MSAccess.exe. No campo Extensão dê um nome que servirá para sinalizar como sendo arquivos do Access: acc, por exemplo. No campo Linha de Comando você poderá utilizar o seguinte: C:\Nutrilibra\Nutrilibra.mdb /x "%2". Nutrilibra.mdb é o nome do banco de dados do tipo Access que deverá possuir todos os arquivos contidos na pasta C:\Nutrilibra\Database\Main, do tipo Paradox, linkados para dentro dele (use File>Get External Data>Link Tables, escolha visualizar arquivos do tipo Paradox). A opção /x indica que o Access deve executar uma macro de nome "%2". Este nome deve existir como um arquivo (não importa o seu conteúdo) dentro de uma das pastas de relatórios e também como o nome de uma macro dentro do banco de dados do Access com o comando de abrir o relatório que você precisa. 23

26 BARRA DE NAVEGAÇÃO A barra de navegação é habilitada quando o formulário de algum dos módulos do sistema é acionado. Trata-se de um repositório para um conjunto de botões vinculados a comandos que, se clicados com o mouse, executará determinada ação sobre os registros do formulário principal ou seu sub-formulário, dependendo de qual estiver ativo no momento. A ativação de um ou de outro é feita automaticamente pelo posicionamento do foco de controle (deslocado com a ajuda do mouse ou da tecla TAB). Os botões são identificados por seus ícones: Entra automaticamente no modo de edição do registro, não questionando se deve ou não gravar alterações feitas. Adiciona novo registro. Este se posicionará no arquivo seguindo a ordem de seu identificador. Exclui registro atual. Pode também ser acionado pelas teclas CTRL+DELETE. Entra no modo de edição. É automaticamente acionado quando se inicia a digitação em qualquer campo do formulário ou sub-formulário. Aplica alterações efetuadas no registro editado, gravando todo o seu conteúdo. Esta operação é realizada automaticamente quando se desloca de um registro para outro. Cancela alterações feitas no registro. Também acionado com a tecla ESC. Atualiza dados, calculando suas pendências. Vai para o primeiro registro. Vai para o registro anterior. Vai para o próximo registro. Vai para o último registro. Abre a caixa de diálogo Procura onde serão fornecidos os critérios de busca. Se houver registros seguintes ao atual para serem pesquisados no arquivo, o botão ao lado, representado por uma seta, ficará disponível, mesmo após o fechamento da caixa de diálogo. Abre Procura e Substitui valores no arquivo. O botão ao lado, representado por uma seta, executa substituições nos próximos registros. Abre a caixa de diálogo Ordena Registros que auxilia na elaboração dos critérios de classificação do arquivo. Abre a caixa de diálogo Editor de Filtro que assiste ao usuário na seleção de registros do arquivo. Esta operação repercutirá nos relatórios que, dependendo do seu script, também receberá o mesmo filtro. Abre uma caixa de diálogo para filtrar o arquivo. Uma única chave de filtro é aplicada. O resultado é mostrado a seguir, em uma tabela. Abre um programa externo que visualizará os relatórios. As configurações do programa visualizador, e o próprio programa, podem ser modificadas no menu Arquivo>Opções de Relatório. 24

27 Envia scripts de relatório para um programa servidor que fará a impressão em segundo plano. Abre caixa de diálogo onde podem ser escritas anotações enviadas ao relatório. Escolhe qual relatório será ativado pelos botões de impressão. 25

28 CAIXA DE DIÁLOGO PROCURA A caixa de diálogo "Procura" ajuda a localizar registros no arquivo baseados em chaves de busca. Se o registro for encontrado ele será posicionado como atual e mostrado no formulário corrente. Os itens desta caixa estão presentes também na caixa de diálogo Substitui. Chave: indica o que se está procurando. Campos: estão dispostos em duas caixas de listagem posicionadas lado a lado. Na caixa esquerda estão os campos disponíveis a serem pesquisados. Na caixa direita estarão os campos escolhidos pelo usuário para a busca da chave. Use as setas posicionadas entres as duas caixas para mover os campos selecionados entre elas. As seguintes opções de procura podem ser selecionadas: Chave múltipla: a pesquisa é feita por mais de uma chave, indicadas no campo correspondente e separadas por ponto e vírgula. Caixa da letra: se esta opção estiver marcada a pesquisa diferenciará letras maiúsculas de minúsculas. Campo inteiro: o resultado será positivo somente se a chave coincidir com todo o conteúdo do campo em que se estiver procurando. 26

29 CAIXA DE DIÁLOGO PROCURA/SUBSTITUI A Caixa de diálogo Procura/Substitui localiza registros baseado em uma chave e os edita automaticamente substituindo parte de seu conteúdo por outro apontado. Os elementos relativos a busca são os mesmos presentes na caixa de diálogo de Procura. Os itens específicos são: Por: texto que substituirá o conteúdo do campo se houver coincidência com a chave. No Campo: o campo onde será feita a substituição. Neste caso a chave substituirá o conteúdo de todo o campo ai informado mesmo que a busca esteja sendo realizada em outro campo. Esta operação estará disponível somente se opção "Campo inteiro" estiver selecionada. Opções disponíveis: Parte encontrada/campo inteiro: escolhe o modo como será feita a substituição. Na primeira opção a chave substituirá o texto encontrado, na segunda, o campo indicado na caixa de combinação "No campo:". Substituir tudo: a pesquisa e as substituições serão efetuadas automaticamente em todo o arquivo, sem pausas nos registros com chave coincidente. O botão "Resumo/Detalhe" redimensiona a caixa de diálogo Procura/Substitui. Este recurso é útil para aumentar a área de visualização do formulário do registro em edição, facilitando o acesso a ambos com o mouse do computador. A edição dos registros pode, também, adquirir maior praticidade com este recurso nos casos em que se procura em um campo (o identificador por exemplo) e, logo em seguida, altera-se o valor de outro, digitando-se o texto de substituição. 27

30 CAIXA DE DIÁLOGO ORDENA REGISTROS Os registros de um arquivo, apresentados em um formulário ou sub-formulário, podem ser classificados com ajuda da caixa de diálogo Ordena Registros. Duas caixas de listagem são dispostas lado a lado. Em uma delas, no lado esquerdo, estão os campos do arquivo passíveis de ordenamento e em outra os campos selecionados pelo usuário do programa para serem utilizados como parâmetros na tarefa de classificação. Os campos são transferidos de uma caixa para outra por meio dos botões "A>" e "D>" que designa o tipo de ordenamento, respectivamente ascendente e descendente. 28

31 CAIXA DE DIÁLOGO EDITOR DE FILTRO A caixa de diálogo Editor de Filtro ajuda na elaboração de uma expressão que atuará como filtro do arquivo principal. A expressão pode ser construída observando os seguintes passos: a) Escolha um dentre os campos disponíveis do arquivo ativo nas células da coluna CAMPO. b) Digite uma chave compatível com este campo nas células da coluna CHAVE. Se houver necessidade de diferenciação entre caracteres maiúsculos e minúsculos clique no botão correspondente. c) A relação entre campo e chave é indicada nas células da coluna REL. Os relacionadores disponíveis e seus respectivos sinais são: igual =, diferente <>, maior >, maior ou igual >=, menor <, menor ou igual <=, o campo está contido na chave >>, o campo contém a chave <<, relação com caracteres curinga %. d) Se houver mais de um campo, use outra linha e aplique os operadores lógicos "E" ou "OU" escolhidos nas células da coluna OP. As linha terão prioridades de operação segundo a colocação dos parênteses. Para os Adicionar ou os remover use os botões correspondentes. Para inverter o resultado de uma linha, ou de um conjunto de linhas agrupadas com os parênteses, de verdadeiro para falso, ou vice-versa, use o operador de Negação, clicando no botão equivalente. 29

Manual Creative Nutri

Manual Creative Nutri Manual Creative Nutri Planejamento Alimentar Versão 3.6 INTRODUÇÃO Creative Nutri é um aplicativo para auxiliar no trabalho de composição de receitas, no planejamento de cardápios, no manuseio de alimentos

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Microsoft Word INTRODUÇÃO

Microsoft Word INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O Word é uma ferramenta utilizada para o processamento e editoração eletrônica de textos. O processamento de textos consiste na possibilidade de executar e criar efeitos sobre um texto qualquer,

Leia mais

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo O Tabnet, aplicativo desenvolvido pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), permite ao usuário fazer tabulações de bases de dados on-line e foi gentilmente cedido para disponibilização

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos SIGED - Sistema de Gestão Eletrônica de Documentos MANUAL DO USUÁRIO Módulo de Arquivos O objetivo deste Manual é permitir a reunião de informações dispostas de forma sistematizada, criteriosa e segmentada

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

Manual Usuário Sistema Audatex

Manual Usuário Sistema Audatex Manual Usuário Sistema Audatex Conhecimento global. Foco local. www.audatex.com.br / www.solerainc.com Versão 1.0 Histórico das versões VER DATA AUTOR DESCRIÇÃO DA MODIFICAÇÃO 2.0 24.08.2010 MT Versão

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Manual do Usuário Solução para Integração B2B Siagri x Conecta BASF Thiago Borges de Oliveira thiago.oliveira@siagri.com.br

Manual do Usuário Solução para Integração B2B Siagri x Conecta BASF Thiago Borges de Oliveira thiago.oliveira@siagri.com.br Manual do Usuário Solução para Integração B2B Siagri x Conecta BASF Thiago Borges de Oliveira thiago.oliveira@siagri.com.br AGOSTO/2009 Sumário 1 Introdução 2 2 Configurando o exportador 2 3 Informando

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 COMO COMEÇAR... 3 5 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 4 6 CADASTRO DE VEÍCULO... 6 7 ALINHAMENTO...

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima:

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima: Sumário 1. Introdução... 2 2. Conceitos básicos... 2 2.1. Fluxo do sistema... 3 2.2. Acesso ao sistema... 4 2.2.1. Login... 4 2.2.2. Logoff... 4 2.2.3. Esqueci minha senha... 5 2.3. Conhecendo o Sistema...

Leia mais

Montar planilhas de uma forma organizada e clara.

Montar planilhas de uma forma organizada e clara. 1 Treinamento do Office 2007 EXCEL Objetivos Após concluir este curso você poderá: Montar planilhas de uma forma organizada e clara. Layout da planilha Inserir gráficos Realizar operações matemáticas 2

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

SGD - Sistema de Gestão de Documentos

SGD - Sistema de Gestão de Documentos Agosto/2012 SGD - Sistema de Gestão de Documentos Manual do Módulo Documentos Características Orientações de utilização do Módulo Documentos. Apresentação das funcionalidades. Telas explicativas e passo

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

Ajuda do Sistema Aquarius.

Ajuda do Sistema Aquarius. Ajuda do Sistema Aquarius. Esta ajuda é diferenciada da maioria encontrada nos sistemas de computador do mercado. O objetivo desta ajuda é literalmente ajudar o usuário a entender e conduzir de forma clara

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint Serviço Técnico de Informática Curso Básico de PowerPoint Instrutor: Tiago Souza e Silva de Moura Maio/2005 O Microsoft PowerPoint No Microsoft PowerPoint, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho.

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho. Conceitos básicos e modos de utilização das ferramentas, aplicativos e procedimentos do Sistema Operacional Windows XP; Classificação de softwares; Principais operações no Windows Explorer: criação e organização

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM Bacharel em Ciência da Computação, especialista em Gerência de Projetos e em Criptografia e Segurança da Informação. Servidora Publica. Atua na área acadêmica em cursos de Graduação

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Word 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Manual Programa SOSView 4.0

Manual Programa SOSView 4.0 2012 Manual Programa SOSView 4.0 Laboratório SOS Sotreq Versão Manual 1.0 01/03/2012 Página 1 de 52 Manual Programa SOSView 4 Instalação do Programa Utilização em Rede Importação de Amostras Consulta de

Leia mais

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Digitalização Este capítulo inclui: Digitalização básica na página 4-2 Instalando o driver de digitalização na página 4-4 Ajustando as opções de digitalização na página 4-5 Recuperando imagens na página

Leia mais

Introdução. Servidor de Tempo (SNTP) com opção de horário de verão automático; 1 Cadastro do novo modelo de equipamento Urano Topmax SS

Introdução. Servidor de Tempo (SNTP) com opção de horário de verão automático; 1 Cadastro do novo modelo de equipamento Urano Topmax SS Urano Indústria de Balanças e Equipamentos Eletrônicos Ltda. Rua Irmão Pedro 709 Vila Rosa Canoas RS Fone: (51) 3462.8700 Fax: (51) 3477.4441 Guia de Novas Funcionalidades Urano Integra 2.3 Data: 15/04/2015

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007

MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 LEIAME Nenhuma informação da APOSTILA - MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do autor. MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 Efetue cálculos, analise

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Use o Google Drive para armazenar e acessar arquivos, pastas e documentos do Google Docs onde quer que você esteja. Quando você altera um arquivo na web, no

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna O que é uma planilha eletrônica? É um aplicativo que oferece recursos para manipular dados organizados em tabelas. A partir deles pode-se gerar gráficos facilitando a análise e interpretação dos dados

Leia mais

Manual de Operação. SCP Sistema de Controle de Pesagem

Manual de Operação. SCP Sistema de Controle de Pesagem SCP Sistema de Controle de Pesagem Fábrica, Administração, Vendas, Locação e Assistência Técnica. Fone/Fax: 41 3377 1577 Rua O Brasil para Cristo, 364 Boqueirão CEP 81650 110 CURITIBA PR comercial@digitronbalancas.com.br

Leia mais

WF Processos. Manual de Instruções

WF Processos. Manual de Instruções WF Processos Manual de Instruções O WF Processos é um sistema simples e fácil de ser utilizado, contudo para ajudar os novos usuários a se familiarizarem com o sistema, criamos este manual. Recomendamos

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Vida Controle de Contatos Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica I Vida Controle de Contatos Conteúdo Part I Introdução 2 1 Vida Controle... de Contatos Pessoais 2 Part II Configuração 2 1 Configuração...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES

Leia mais

Ave: Manual do usuário

Ave: Manual do usuário As iniciais no canto superior esquerdo indicam a atual lista de espécies em uso. Clique neste campo para abrir uma grade com todas Ave: Manual do usuário Introdução A Janela Inicial O botão Listas Sobre

Leia mais

Windows Explorer. Prof. Valdir

Windows Explorer. Prof. Valdir Do Inglês Explorador de Janelas, o é o programa para gerenciamento de discos, pastas e arquivos no ambiente Windows. É utilizado para a cópia, exclusão, organização e movimentação de arquivos além de criação,

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade

Follow-Up Acompanhamento Eletrônico de Processos (versão 3.0) Manual do Sistema. 1. Como acessar o sistema Requisitos mínimos e compatibilidade do Sistema Índice Página 1. Como acessar o sistema 1.1 Requisitos mínimos e compatibilidade 03 2. Como configurar o Sistema 2.1 Painel de Controle 2.2 Informando o nome da Comissária 2.3 Escolhendo a Cor

Leia mais

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft.

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. WINDOWS O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. Área de Trabalho Ligada a máquina e concluída a etapa de inicialização, aparecerá uma tela, cujo plano de fundo

Leia mais

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado.

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. , ()! $ Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. Uma estratégia muito utilizada para organizar visualmente informações numéricas

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

ROTINAS PADRÕES DO SISTEMAS

ROTINAS PADRÕES DO SISTEMAS ROTINAS PADRÕES DO SISTEMAS Usando o Sistema pela primeira vez Ao executar o seu Sistema pela primeira vez a tela abaixo será apresentada para que você possa configurar os diretórios onde serão achados

Leia mais

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4

Ano III - Número 16. Versão 4.6.4 Versão 4.6.4 Sexta-feira, 08 de fevereiro de 2008 ÍNDICE 3 4 EDITORIAL NOVAS FUNCIONALIDADES 4 12 13 14 15 16 Novo Cronograma 4 5 5 6 7 8 8 9 9 10 10 Edição Rápida do Cronograma Recurso de Arrastar e Soltar

Leia mais

Controle do Arquivo Técnico

Controle do Arquivo Técnico Controle do Arquivo Técnico Os documentos existentes de forma física (papel) no escritório devem ser guardados em pastas (normalmente pastas suspensas) localizadas no Arquivo Técnico. Este Arquivo pode

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário Shop Control 8 Pocket Guia do usuário Abril / 2007 1 Pocket O módulo Pocket permite fazer vendas dos produtos diretamente em handhelds Pocket PC, pelos vendedores externos da empresa. Os cadastros (clientes,

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

A Estação da Evolução

A Estação da Evolução Microsoft Excel 2010, o que é isto? Micorsoft Excel é um programa do tipo planilha eletrônica. As planilhas eletrônicas são utilizadas pelas empresas pra a construção e controle onde a função principal

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

APOSTILA DE EXCEL 2007

APOSTILA DE EXCEL 2007 APOSTILA DE EXCEL 2007 1. Introdução Quando você cria uma planilha nova, a tela do computador é dividida em linhas e colunas, formando uma grade. A interseção de uma linha e de uma coluna é chamada de

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Vivo 2013 http://vivosync.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vivo Sync... 5 3 Vivo Sync Web... 6 3.1 Página Inicial... 6 3.1.1 Novo Contato... 7 3.1.2 Editar Contato...

Leia mais

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42

Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4. Agenda Online... 10. Reservas de Salas... 26. Tarefas... 42 Sumário: Fluxo Operacional... 3 Contatos... 4 Passo a passo para visualização de contatos... 5 Passo a passo para filtragem da lista de contatos... 6 Como ordenar a lista de contatos... 7 Como gerar uma

Leia mais

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO

&XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática &XUVRGH,QWURGXomRDR (GLWRUGH3ODQLOKDV([FHO Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) PROJETO UNESC@LA Setembro de

Leia mais

Introdução. Nesta guia você aprenderá:

Introdução. Nesta guia você aprenderá: 1 Introdução A criação de uma lista é a primeira coisa que devemos saber no emailmanager. Portanto, esta guia tem por objetivo disponibilizar as principais informações sobre o gerenciamento de contatos.

Leia mais