CARATERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARATERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS"

Transcrição

1 CARATERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS O Agrupamento de Escolas de Salvaterra de Magos, disponibiliza o ensino público para a União de Freguesias dos Foros de Salvaterra e Salvaterra de Magos a nível do ensino básico e o ensino secundário para todo ao Concelho e integra os seguintes estabelecimentos de ensino: - Jardim de Infância do Estanqueiro; - Escolas Básicas de 1.º Ciclo de Santa Maria, Cancelas e Estanqueiro; - Jardim de Infância + EB1 de Salvaterra de Magos; - Escola Básica e Secundária de Salvaterra de Magos. Para além dos estabelecimentos que integram o Agrupamento, a rede escolar do Concelho integra ainda: - Agrupamento de Escolas de Marinhais; - Escola Profissional de Salvaterra de Magos; - Centro Paroquial de Bem-estar Social de Salvaterra de Magos; - Centro de Bem Estar Social dos Foros de Salvaterra de Magos; - Centro de Bem Estar Social de Marinhais; - Centro de Bem Estar Social de Muge..

2 Estabelecimentos de Ensino pré-escolar No que diz respeito à educação pré-escolar o agrupamento dispõe de dois jardim-de-infância Estanqueiro e Centro Escolar de Salvaterra de Magos. Os dois estabelecimentos têm atividades de animação e apoio à família, que asseguram o acompanhamento das crianças antes e depois do período diário das atividades educativas, no período das às e das às O Jardim de Infância do Estanqueiro tem três salas de aula, sala de refeições, espaço de recreio com parte coberta e não possui sala polivalente. O Jardim de Infância do Centro Escolar tem cinco salas de aula, refeitório, espaço de recreio coberto, sala polivalente, Biblioteca, sala de multideficiência, campo de jogos exteriores e parque infantil. Todos os edifícios do pré-escolar dispõem de computador com acesso à internet. Estabelecimentos do 1º ciclo Existem quatro escolas do 1º ciclo EB1 de Cancelas, EB1 de Estanqueiro, EB1 de Santa Maria e EB1 de Salvaterra de Magos, integrado no Centro escolar, juntamente com o pré-escolar. As crianças do primeiro ciclo têm componente de apoio à família, que funciona no período das às e das às A EB1 de Cancelas, tem duas salas de aula, um monobloco como sala de refeições, um monobloco como sala de recursos, espaço de recreio com parte coberta e não possui sala polivalente. A EB1 de Estanqueiro tem quatro salas de aula, um refeitório, um monobloco como sala de recursos, espaço de recreio com parte coberta e não possui sala polivalente. A EB1 de Santa Maria, tem duas salas de aula, um monobloco como sala de refeições, um monobloco como sala de recursos, espaço de recreio com parte coberta e não possui sala polivalente. A EB1 de Salvaterra de Magos, integrada no Centro Escolar, tem onze salas de aula, duas salas de apoio, uma sala de atendimento aos encarregados de educação, refeitório, espaço de recreio coberto, sala polivalente, Biblioteca, sala de multideficiência, campo de jogos exteriores e parque infantil.

3 No que diz respeito ao equipamento informático, todas as escolas do 1º ciclo do ensino básico contam com um computador por sala, com ligação à internet. As crianças do ensino básico do agrupamento têm acesso ao programa de atividades de enriquecimento curricular, sendo o agrupamento a entidade promotora deste projeto. Neste âmbito, as crianças beneficiam de: Ensino da Música; Expressão Plástica; Proteção do ambiente; Jogos Matemáticos; Oficina de Leitura e Escrita; Tecnologias da Informação e Comunicação; Apoio a Português e a Matemática. A Expressão Físico Motora no primeiro ciclo é dada a todos os alunos por docentes do grupo de recrutamento duzentos e sessenta (educação física do segundo ciclo). Todos os alunos deste ciclo têm Ensino do Inglês como oferta complementar. Escola Básica e Secundária A escola sede do agrupamento, situada na vila de Salvaterra de Magos, tem alunos do 2º, 3º ciclo do ensino básico e ensino secundário. A escola funciona em regime diurno e as atividades letivas decorrem das às Este estabelecimento de ensino é constituído por cinco blocos, dois campos de jogos exteriores, um ginásio, uma biblioteca e um refeitório. O bloco A tem 26 salas de aula, uma sala de trabalho de professores e uma sala de estudo. O Bloco B possui 4 salas de desenho, 2 oficinas, 1 sala de trabalho de professores e 1 sala polivalente. O Bloco C possui 2 oficinas de eletricidade e mecânica, 7 laboratórios e 2 salas de preparação e 1 sala de trabalho de professores.

4 O Bloco D é constituído por: área de aulas que possui 4 laboratórios de informática; 1 sala de recursos de multimédia, ginásio, 1 sala da Educação Especial, área de serviços formada por: refeitório, papelaria, sala de aluno e bar, auditório, biblioteca escolar, sala de professores, sala da associação de estudantes, sala das assistentes; arquivo geral; armazém; serviços administrativos; 4 gabinetes da direção, 2 salas de reuniões; 2 gabinetes de atendimento aos encarregados de educação; 1 gabinete de atendimentos aos encarregados de educação/ presidente do conselho geral; 1 sala de diretores de turma; 1 gabinete do SPO e 1 sala do NPES. O Bloco E tem 15 salas de aula, 1 laboratório, 2 salas de Educação Visual e Tecnológica, 1 sala de Música, 2 salas de trabalho dos professores, 2 salas de apoio e 1 Gabinete Pedagógico Disciplinar. A escola tem como oferta educativa: 2º Ciclo 5º e 6ºanos; 3º Ciclo -7º, 8º e 9º ano; Curso do ensino vocacional de 2º ciclo- Artes e Ofícios, Desporto e Proteção do Ambiente; Curso do ensino vocacional de 3º ciclo Audiovisuais e Produção dos Média, Comércio e Eletricidade e Energia; Curso de Educação e Formação de Jovens CEF tipo 2 Serralharia Mecânica; Ensino Secundário Cursos Científico Humanísticos (Ciências e Tecnologias, Línguas e Humanidades e Artes Visuais); Ensino Profissional o 1º Ano (Técnico de Comércio, Técnico de Multimédia e Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos); o 2º Ano (Técnico de Multimédia, Técnico de Energias renováveis); o 3º Ano (Técnico de Multimédia, Técnico de Comércio). No que diz respeito ao parque informático da escola, todas as salas de aula possuem computador com ligação à internet, projetores multimédia e quadros interativos em várias Salas.

5 COMUNIDADE EDUCATIVA Alunos Em 2014/2015 o agrupamento regista um total de 1749 alunos, residindo a sua maioria no concelho de Salvaterra de Magos, distribuídos desde o pré-escolar ao ensino secundário, quer nos cursos regulares, vocacionais, educação e formação e profissionais. Pré-escolar 3 anos 4 anos 5 anos 6 anos Total º ciclo 1ºano 2ºano 3ºano 4ºano º ciclo 5ºano 6ºano Vocacional º ciclo 7ºano 8ºano 9ºano Vocacional CEF -T Ensino Secundário 10ºano 11ºano 12ºano Regular Ensino Profissional 1ºano 2ºano 3ºano Total 1749 Quadro 1- Distribuição dos alunos do agrupamento

6 Os alunos encontram-se distribuídos por um total de 81 turmas, que se distribuem da seguinte forma: Pré-escolar 8 turmas 1º ciclo 19 turmas* 19 2º ciclo 5ºano 6ºano Vocacional º ciclo 7ºano 8ºano 9ºano Vocacional CEF -T2 1 1 Ensino Secundário 10ºano 11ºano 12ºano Regular Ensino Profissional 1ºano 2ºano 3ºano Total 81 Quadro 2- Distribuição das turmas no agrupamento * No 1º ciclo optou-se por não quantificar as turmas por ano de escolaridade, uma vez que existem turmas mistas. Total 8

7 No que respeita aos alunos com necessidades educativas especiais, existem 116 alunos com programa educativo individual, distribuídos pelos seguintes níveis de ensino. Tipo de ensino Número de alunos Educação pré-escolar 4 1º Ciclo do ensino básico 35 2º Ciclo do ensino básico 30 3º Ciclo do ensino básico 35 Ensino Secundário 12 Total 116 Quadro 3- Alunos com Programa Educativo Individual Na educação pré-escolar 12 crianças são acompanhadas pelo Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância. Pessoal docente Relativamente ao pessoal docente, existem 164 professores ao serviço no agrupamento, sendo pertencente ao quadro de agrupamento QA/QE 123 QZP 12 Cont. 29 Total 164 Quadro 4- Pessoal Docente do Agrupamento Quadro 1 - Docentes de educação especial Grupo de Com especialização recrutamento Quadro Contratados Outro grupo 0 0 Total 4 3 Destes 164 docentes, 7 pertencem ao grupo da de recrutamento da educação especial.

8 Pessoal não docente No que diz respeito ao pessoal não docente importa caracterizar o pessoal administrativo (10 assistentes técnicos e 1 chefe dos serviços de administração escolar) e o pessoal operacional, que abrange os 36 assistentes operacionais do agrupamento. Todos têm contrato de trabalho em funções públicas. Todo o pessoal administrativo exerce funções na escola sede do agrupamento. o Pessoal operacional Relativamente ao pessoal operacional existem 36 assistentes operacionais distribuídos da seguinte forma: Escola Assistentes operacionais Escola Básica e Secundária de Salvaterra 28 EB1 + JI de Salvaterra de Magos 4 EB1 de Cancelas 1 EB1 de Santa Maria 1 EB 1 de Estanqueiro 2 JI de Estanqueiro 0 Total 36 Quadro 6- Pessoal Operacional Paralelamente ainda existem funcionários da autarquia que estão afetos aos jardins de infância e escolas do 1º ciclo.

9 o Outros técnicos O agrupamento tem em funções uma psicóloga no Serviço de Psicologia e Orientação Escolar. Esta tem contrato de trabalho em funções públicas. No âmbito do ensino especial o agrupamento tem 3 técnicos disponibilizados pelo Centro de Recuperação Infantil de Almeirim, a saber: Tipo de Técnico Nº de técnicos Horas Psicólogo 2 20 Terapeuta da fala 1 31 Técnica de reabilitação motora 1 9 Total 60 Quadro 7- Técnicos disponibilizados pelo CRIAL Pais e Encarregados de Educação Os pais e encarregados de educação do agrupamento são representados por uma associação. A associação tem representação no conselho geral do agrupamento, através de proposta da mesma. Está igualmente representada na equipa de autoavaliação do agrupamento e nas equipas de ações de melhoria. Parceiros Comunitários O agrupamento favorece a interação co diferentes organismos e instituições, com a finalidade de: Promover a qualidade das aprendizagens; Educar para a cidadania; Promover a abertura ao meio exterior;

10 Cooperar no desenvolvimento de projetos, no âmbito da formação de pessoal docente, não docente e discente; Promover a participação e o desenvolvimento do espírito cívico; Facilitar a inserção dos alunos dos cursos vocacionais, educação e formação de jovens e profissionais no mercado de trabalho; Responder, do ponto de vista educativo e formativo, às necessidades da comunidade educativa e local. O agrupamento tem vindo a aumentar o número de protocolos de cooperação. Até ao momento são parceiros do agrupamento: Câmara Municipal de Salvaterra de Magos; Juntas de freguesia do concelho; Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria; Centro Paroquial de Bem Estar Social de Salvaterra de Magos; Centro de Bem Estar Social de Foros de Salvaterra de Magos; Centro de Recuperação Infantil de Almeirim; Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Salvaterra de Magos; Escola Segura; Escola Superior de Educação de Santarém; Clínica de Psicologia Vomap; Centro de Formação de Escolas dos concelhos de Benavente, Salvaterra e Coruche Educatis; Equipa Local de Intervenção Precoce de Coruche/Salvaterra de Magos.

11 Resultados escolares Ensino/Modalidade/Ano ou Tipo Taxa de Sucesso Tipologia de ensino Anos Do Agrupamento Nacional Básico 85,07% 89,01% Regular 84,86% 89,18% 1º Ano 97,12% % 2º Ano 77,39% 88.8 % 3º Ano 95,6% 94.7 % 4º Ano 98,95% 96.1 % 5º Ano 81,7% 88.2 % 6º Ano 85,29% 86.6 % 7º Ano 75,0% 82.1 % 8º Ano 77,68% 86.0 % 9º Ano 82,22% 83.5 % CEF 88,24% 84,61% Tipo 2 86,27% 86.1 % Tipo 3 94,12% 87.4 % Secundário 81,47% 81,2% Regular CH 78,98% 78,58% 10º Ano 90,32% 84.3 % 11º Ano 80,37% 87.3 % 12º Ano 63,73% 62.5 % Profissional 87,32% 86,91% 1º Ano 100,0% 98.5 % 2º Ano 100,0% 99.1 % 3º Ano 68,42% 60.4 % Quadro 8- Taxa de Sucesso no ano letivo 2013/2014

12 Taxa de transição/conclusão 2013/2014 Ensino/Modalidade/Ano ou Tipo Transitou Não Transitou Concluiu Não Concluiu Anulou Matricula Transferido Excluído por Faltas Em Processo Aval. Retido por Faltas CEF Certificação Escolar Básico Regular 1º Ano º Ano º Ano º Ano º Ano º Ano º Ano º Ano º Ano CEF Tipo Tipo Secundário Regular CH 10º Ano º Ano º Ano Profissional Total Quadro 9- Taxa de transição/conclusão 2013/2014 Total

13 Classificação interna/ externa nacional 4º ano Ano Letivo 2012/2013 Ano Letivo 2013/2014 Disciplinas C.I Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase C.Ext. (1ª fase) C. N C.I C.Ext. (valor absoluto) C.Ext C.N. C.I Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase C. Ext. 1ª fase C.N C. I. C.Ext (valor absoluto) C.Ext. C. N C.Ext(2014) C.Ext(2013) Tendo em consideração a variação nacional % e % e % e % e % Português 3,8 2,4 Matemática 3,7 2,7 EFI % : 43 N: 2,23 % : 52,4 N: 2,59 % : 48,8 N: 2,42 %: 57 N: 2,82 1,4-0,19 3,6 3,1 1-0,23 3,7 3,1 Máximo: 0,10 Mínimo: + 0,30 % : 61,2 N: 3,03 % : 56,2 N: 2,78 % : 62,2 N: 3,08 %: 56,1 N: 2,78 0,5-0,05 + 4,8 0, ,7 Máximo: 0,10 Mínimo: + 0,30 Quadro 10 Comparação entre a classificação interna/ externa nacional 4º ano Legenda: C. I. Média da classificação interna C. Ext. Média da classificação externa C.N. Média da classificação Nacional Melhorou relativamente ao ano anterior Piorou relativamente ao ano anterior

14 Classificação interna/ externa nacional 6º ano 6º Ano Ano Letivo 2012/2013 Ano Letivo 2013/2014 Disciplinas C.I Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase C.Ext. (1ª fase) C. N C.I C.Ext. (valor absoluto) C.Ext C.N. C.I Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase C. Ext. 1ª fase C.N C. I. C.Ext (valor absoluto) C.Ext. C. N C.Ext(2014) C.Ext(2013) Tendo em consideração a variação nacional % e % e % e % e % Português 2,9 2,7 % : 51,2 % : 51,2 0,2-0,03 3,3 3,0 % : 57,5 % : 57,9 0,3-0,02 + 0,2 N: 2,53 Matemática 2,9 2,4 % : 44,5 N: 2,56 %: 49,6 N: 2,85 0,5-0,23 3,1 2,4 % : 42 N: 2,87 %: 47,3 0,7-0,18-0,2 N: 2,28 N: 2,45 EFI Máximo: 0,10 Mínimo: + 0,30 N: 2,19 N: 2,37 Máximo: 0,10 Mínimo: + 0,30 Quadro 11 Comparação entre a classificação interna/ externa nacional- 6ºano Legenda: C. I. Média da classificação interna C. Ext. Média da classificação externa C.N. Média da classificação Nacional Melhorou relativamente ao ano anterior Piorou relativamente ao ano anterior

15 Disciplinas Classificação interna/ externa nacional 9º ano C.I Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase % e Português 3,1 2,4 % : 49,6 9º Ano Ano Letivo 2012/2013 Ano Letivo 2013/2014 C.Ext. C. N C.Ext C.I C. Ext. C.N C. I. C.Ext (1ª C.N. 1ª fase (valor fase) absoluto) % e % : 48,8 C.I C.Ext. (valor absoluto) C.Ext(2013) C.Ext(2012) Tendo em consideração a variação nacional Média de Níveis da Avaliação Externa 1ª fase % e % 0,7 + 0,03 + 4,9 2,9 2,9 % : 57,5 % e % : 56 C.Ext. C. N C.Ext(2014) C.Ext(2013) Tendo em consideração a variação nacional % 0 + 0,07 + 0,6 N: 2,45 Matemática 2,9 2,4 % : 42,9 N: 2,42 %: 44,6 N: 2,85 0,5-0,06-2,6 2,9 2,9 % : 56,6 N: 2,77 %: ,18 + 5,3 EFI N: 2,22 N: 2,28 Máximo: 0,10 Mínimo:+ 0,30 N: 2,8 N: 2,62 Máximo: 0,10 Mínimo: + 0,30 Quadro 12 Comparação entre a classificação interna/ externa nacional 9ºano Legenda: C. I. Média da classificação interna C. Ext. Média da classificação externa C.N. Média da classificação Nacional Melhorou relativamente ao ano anterior Piorou relativamente ao ano anterior

16 Classificação interna/ externa nacional 11º e 12º ano Disciplinas C.I C.Ext C. N C.I C.Ext. (valor absoluto) 11º e 12º Ano Ano Letivo 2012/2013 Ano Letivo 2013/2014 C.Ext C. C.I C.Ext C.N C. I. N. C.Ext C. Ext (2013) C. Ext (2012) Tendo em consideração a variação nacional (valor absoluto) C.Ext. C. N C. Ext (2014) C. Ext (2013) Tendo em consideração a variação nacional Português 13,5 8,9 9,8 4,6-0,9-0,9 13,2 12,9 11,6 0,3 + 1,3 + 2,2 Matemática A 11,8 10,9 9,7 0,9 + 1,2 + 1,9 14,9 5,7 9,2 9,2-3,5-4,7 B/G 12,7 7,9 8,4 4,8-0,5 + 1,9 13,5 11,2 11 2,3 + 0,2 + 0,7 F e Q A 12,4 6,8 8,1 5,6-1,3-0,6 12,9 9,3 9,2 3,6 +0,1 + 1,4 Desenho A 16,2 13,9 12,4 2,3 + 1,5 + 1,5 16,8 12,8 12, ,5 G. Descritiva 13,2 14,7 12,2 1,5 + 2,5-1,3 14,1 11,3 11,6 2,8-0,3-2,8 Geografia A 12,9 8,6 9,8 4,3-1,2 +0,1 11,9 10,3 10,9 1,6-0,6 + 0,6 História A 12,7 7,6 10,6 5,1-3 -1,3 13,8 9,7 9,9 4,1-0,2 + 2,8 HCA 13,2 9 10,4 4,2-1,4-0,6 14 8,6 9,7 5,4-1,1 + 0,3 Mat. B 11 7,4 10,2 3,6-2,8-2,3 13,5 10 9,3 3,5 + 0,7 + 3,5 MACS 13,3 8,4 9,9 4,9-1,5-2,6 14,8 11,9 10 2,9 + 1,9 + 3,6 Inglês 14,9 10,3 10,8 4,6-0,5 +0,9 Filosofia 11,3 8,6 10,2 2,7-1,6-1,6 12,1 9,5 10,3 2,6-0,8 + 0,8 EFI Máximo: 1,5 Mínimo: + 1 Máximo: 1,5 Mínimo: + 1 Legenda: C. I. Média da classificação interna C. Ext. Média da classificação externa C.N. Média da classificação Nacional Quadro 13 Comparação entre a classificação interna/ externa nacional 11º e 12º ano Melhorou relativamente ao ano anterior Piorou relativamente ao ano anterior

17 Projetos em Desenvolvimento No presente ano letivo, estão a ser dinamizados - projetos/atividades, divididos por duas áreas: A. Apoio ao Currículo B. Educação para a cidadania e empreendedorismo Apoio aos alunos nos exames nacionais; Bibliotecas Escolares Clube da Ciência; Sala de Estudo; Plano Nacional da Leitura. Olimpíadas da Matemática; Olimpíadas da Filosofia; Olimpíadas da Física; Supertmatik; Jogos matemáticos. Clube Europeu; Clube do Desporto Escolar; Núcleo de Promoção e Educação para a Saúde; Oficina de Expressão Plástica e Artística; Grupo de Teatro, Grupo Coral e Instrumental; Atelier de Multimédia; Verdocas; Clube da Conversa; Parlamento Jovem; Comenius (em fase de conceção) Heróis da Fruta; Clube de Xadrez; Clube Alta Mente; Projeto Pilhão; Clube do Voluntariado. Estruturas Orgânicas

18 Estrutura Orgânica Conselho Geral Diretora Subdiretora/Adjuntas Assessorias Conselho Pedagógico Conselho Administrativo Coordenadores de Departamento Coordenadores de DT/coordenador do Ensino não Regular Serviços Especializados de Apoio Educativo Professores Bibliotecários Coordenadores de Grupo Diretores de turma e diretores de curso SPO Docentes Conselhos de turma Educação Especial Docentes Coordenadora técnica Alunos Assistentes técnicos Pais e Encarregados de Educação Encarregada das A. Operacionais Assistentes Operacionais

19

20 Plano de ação As áreas de intervenção que se propõem resultam da comunhão dos aspetos a melhorar vindos da equipa de autoavaliação do agrupamento numa política de escola moderna. Áreas de Intervenção: ORGANIZAÇÃO E GESTÃO D A ESCOLA QUALIDADE DO SERVIÇO EDUCATIVO SUCESSO EDUCATIVO E PRÁTICA PEDAGÓGICA CONTRIBUTO DO AGRUPAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE

21 Objetivos Estratégicos (OE): OE01 - Gerir os espaços e os recursos humanos ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA ESCOLA OE02 OE03 OE04 - Definir uma estratégia mais eficaz de comunicação Interna - Promover a humanização e a segurança dos espaços escolares - Gerir os recursos materiais e as disponibilidades financeiras OO01 OO02 OO03 Objetivos Operacionais (OO) Motivar, através da atuação da Direção, um ambiente de confiança e solidariedade Promover uma gestão adequada e motivadora da participação dos recursos humanos. Implementar um dispositivo de formação do agrupamento. Estratégias/Ações a desenvolver OE01 - Gerir os espaços e os recursos humanos Promover encontros/convívios informais entre os agentes educativos do Agrupamento (pessoal docente, não docente e alunos). Promover uma política de porta aberta e atendimento ao pessoal docente e não docente. Contemplar na distribuição de serviço, a continuidade pedagógica, sempre que haja condições para tal. Gerir o crédito horário global do agrupamento, para assegurar o desempenho eficaz dos cargos e funções inerentes às estruturas de administração e gestão, de coordenação e de orientação educativa, de apoios educativos e de atividades. Distribuir o PND de acordo com as necessidades dos diversos estabelecimentos de ensino e manifestações de preferência. Elaborar um plano de formação bienal para professores e pessoal não docente, a partir das prioridades definidas/necessidades identificadas. (Sugestão do pessoal não docente) Realizar formação na área dos Primeiros Socorros. (Sugestão do pessoal não docente) Articular com o centro de formação, no sentido da concretização de ações de formação para docentes e não docentes. Conceber ações de informação/seminários para pessoal docente e não docente, encarregados de educação e alunos, sobre temáticas pertinentes para o desenvolvimento do projeto educativo do agrupamento.

22 OE02 - Definir uma estratégia mais eficaz de comunicação Interna Criar uma equipa responsável pela comunicação interna. OO04 OO05 OO06 OO07 OO08 Agilizar a comunicação entre os vários órgãos e estruturas da escola. Promover a articulação entre os órgãos de gestão e administração no sentido de assegurar o cumprimento dos documentos orientadores da vida do agrupamento. Divulgar mensalmente as atividades do mês. (Sugestão do pessoal não docente) Fazer chegar à comunidade educativa, informação sobre as decisões do Conselho Geral, em tempo útil. Implementar uma dinâmica de monitorização do cumprimento dos objetivos dos documentos orientadores através da ação dos coordenadores de departamento e dos coordenadores dos projetos. OE03 - Promover a humanização e a segurança dos espaços escolares Implementar as atividades prevista nos planos de segurança. Manter em bom estado de conservação os espaços/edifícios escolares e equipamentos Gerir os espaços escolares no respeito pelo Ambiente, promovendo a reciclagem de materiais. Realizar ações de sensibilização sobre simulacros Realizar simulacros em todas as escolas do Agrupamento. Promover projetos de intervenção na higiene e segurança no espaço escolar. Criar um mecanismo de comunicação eficaz de necessidades de reparação. Colocar Ecopontos nos espaços exteriores das escolas. Criar projetos de intervenção na reciclagem de materiais. OO09 OO10 Melhorar o ambiente físico do agrupamento. OE04 - Gerir os recursos materiais e as disponibilidades financeiras Racionalizar os recursos financeiros disponíveis no agrupamento. Promover ações de sensibilização junto da comunidade educativa, para a preservação dos espaços físicos e equipamentos. Criar as condições para um serviço eficaz de manutenção e reparações. Organizar os espaços físicos, com vista à criação de um ambiente propicio às aprendizagens. Recorrer a fontes de financiamento diversificadas, através de candidaturas a programas e projetos nacionais e europeus. Elaborar um plano para as despesas em função de necessidades e prioridades identificadas nos planos de ação de cada estrutura intermédia ou serviço.

23 OE05 OE06 OE07 Objetivos Estratégicos (OE): QUALIDADE DO SERVIÇO EDUCATIVO - Melhorar a comunicação externa e a imagem da escola. - Valorizar práticas educativas capazes de contribuir para um desenvolvimento integral do aluno - Melhorar os mecanismos de autorregulação do agrupamento OO11 OO12 OO13 Objetivos Operacionais (OO) Estratégias/Ações a desenvolver OE05 - Melhorar a comunicação externa e a imagem da escola Promoção da imagem da escola junto da comunidade, visando a sua afirmação no contexto regional. Apostar numa maior divulgação, junto da comunidade e das entidades locais (Município, Centro de Saúde, Escola Segura, empresas, etc.), das atividades realizadas na escola, incentivando-as à participação na construção do PAA. Divulgar na página do agrupamento todos os projetos de índole regional, nacional e internacional, em que este participe. Divulgação dos resultados meritórios dos alunos e do agrupamento. (Sugestão da comunidade exterior) Criar uma equipa multidisciplinar responsável pela recolha e arquivo de registos fotográficos e de vídeo, que constituam a biografia do agrupamento, com vista à institucionalização da sua memória. (Sugestão do pessoal docente) Realizar atividades de divulgação do trabalho realizado pela escola, dirigidas à comunidade exterior. (Sugestão dos encarregados de educação) Realizar encontros de ex-alunos do agrupamento, para divulgação de percursos académicos e profissionais de sucesso. Envolver anualmente entidades locais em projetos de carácter nacional, constantes do Plano Anual de Atividades. OE06 - Valorizar práticas educativas capazes de contribuir para um desenvolvimento integral do aluno Estimular um maior envolvimento da comunidade educativa em projetos de caráter nacional com expressão na escola. Envolver anualmente a comunidade educativa em projetos de carácter nacional, constantes do Plano Anual de Atividades. OO14 Promover iniciativas/atividades que fomentem a defesa do ambiente, o desenvolvimento sustentável e estilos de vida saudáveis. Incluir no PAA atividades de índole ambiental, desenvolvimento sustentável e vida saudável. OO15 Promover espaços de discussão e reflexão em torno de áreas identificadas como problemáticas na escola e/ou na sociedade. Realizar atividades/debates em torno de áreas identificadas como problemáticas, dirigidos aos alunos. OE07 - Melhorar os mecanismos de autorregulação do agrupamento

24 OO16 OO17 OO18 Promover a autoavaliação do agrupamento como parte integrante e reguladora da vida do mesmo. Criar mecanismos que permitam avaliar as necessidades e a satisfação dos alunos, pessoal docente, pessoal não docente e pais/encarregados de educação. Monitorizar a evolução dos resultados internos e externos por ano de escolaridade Desenvolver um projeto de autorregulação do agrupamento, por forma a sistematizar o trabalho da equipa de autoavaliação. Colocar caixas para registo de sugestões e/ou opiniões nos estabelecimentos escolares. Realizar questionários aos alunos, pessoal docente, pessoal não docente e aos pais/encarregados de educação. Analisar periodicamente em sede do conselho pedagógico os resultados escolares internos. Proceder à comparação dos resultados internos com os resultados externos. Divulgar, junto do pessoal docente, o posicionamentos dos resultados da escola nas disciplinas sujeitas a avaliação externa. Objetivos Estratégicos (OE): SUCESSO EDUCATIVO E PRÁTICA PEDAGÓGICA OE08 - Investir no sucesso escolar OE09 - Melhorar o desempenho dos alunos nas disciplinas de Português e Matemática no ensino regular OE10 - Melhorar os níveis de leitura e literacias da comunidade educativa. OE11 - Introduzir novos recursos educativos, potenciadores da construção de conhecimento OE12 - Melhorar a articulação vertical e horizontal OE13 - Implementar a supervisão da atividade letiva OE14 - Reduzir a Indisciplina Objetivos Operacionais (OO) Estratégias/Ações a desenvolver OE08 - Investir no sucesso escolar OO19 Implementar um projeto de melhoria dos resultados escolares. Envolver os alunos no compromisso de melhorar os resultados da escola. Envolver os professores na implementação do projeto de melhoria dos resultados escolares.

25 OO20 OO21 OO22 OO23 Promover nos alunos o gosto pela experimentação, pela resolução de problemas e pelos jogos de estratégia. Dinamizar projetos e ações que deem resposta a problemas diversos de índole social, psicorrelacional e vocacional dos alunos de forma a prevenir o abandono escolar. Melhorar os resultados escolares. Valorizar os resultados escolares dos alunos. Divulgar junto dos pais e EE a monitorização do projeto de melhoria dos resultados escolares. Dinamizar projetos e atividades, que vão de encontro aos objetivos pedagógicos do Projeto Educativo e dos interesses dos alunos. Incentivar a participação dos alunos, nos clubes, projetos e atividades realizadas pelo agrupamento. Intervir na recuperação de dificuldades de aprendizagem logo que detetadas. Implementar oferta formativa alternativa ao ensino regular. Articular com a CPCJ e outras entidades exteriores à escola, mecanismos de prevenção de abandono. Melhorar as taxas de transição. Melhorar o diferencial entre a avaliação externa do agrupamento e a média nacional. Diminuir a diferença entre a avaliação interna e a externa. Atribuição de quadros de valor e mérito, entregues em cerimónia pública. Realização do Dia do Diploma e do Prémio de Mérito. Divulgação na página do agrupamento, dos quadros de valor e mérito. OE09 - Melhorar o desempenho dos alunos nas disciplinas de Português e Matemática no ensino regular OO24 Implementar Projetos de Apoio aos alunos de todos os ciclos de ensino (melhoria de resultados externos e melhoria da avaliação interna). Implementar projetos de apoio à preparação para exames e provas finais. Ter em funcionamento o espaço sala de estudo. OO25 OO26 Reforçar a atribuição de recursos para a aprendizagem do Português e da Matemática, no âmbito da autonomia da escola. Promover a participação dos alunos em atividades de Leitura e Escrita, reforçando a articulação entre os docentes e a equipa da Biblioteca Escolar. Atribuir apoio ao estudo no segundo ciclo às disciplinas de Português e Matemática. Incluir nas atividades de enriquecimento curricular apoio às disciplinas de Português e Matemática. Realizar atividades letivas na Biblioteca Ter em conta o recurso Biblioteca na planificação dos diferentes conteúdos programáticos. OE10 - Melhorar os níveis de leitura e literacias da comunidade educativa OO27 Mobilizar os esforços dos professores Bibliotecários, dos Departamentos Curriculares e Realizar projetos conjuntos entre as BE e os Departamentos Curriculares.

26 restante comunidade em projetos comuns. OO28 Definir um plano integrado de atividades que promovam a leitura domiciliária. Promover a participação em concursos de leitura. Promover hábitos de leitura domiciliária, em conjunto com a Associações de pais/encarregados de educação/ Bibliotecas. OE11 - Introduzir novos recursos educativos, potenciadores da construção de conhecimento Produção de materiais educativos por parte dos alunos envolvidos. OO29 OO30 OO31 OO32 OO33 Mobilizar a comunidade educativa para projetos de intercâmbio que visem a melhoria das aprendizagens. Promover o trabalho colaborativo entre as equipas de professores (departamentos, conselhos de turma, conselhos de docentes e diferentes ciclos) Promover o trabalho colaborativo como meio de melhorar a articulação horizontal e vertical. Implementar práticas regulares de articulação vertical e horizontal. Evidenciar na organização do Agrupamento uma aposta forte e clara no primeiro e segundo ciclos do ensino básico. Avaliar a satisfação do público-alvo. Fomentar a participação dos diferentes grupos disciplinares em projetos de intercâmbio. Fomentar a participação das turmas em projetos de intercâmbio. Implementar a coadjuvância em sala de aula, em disciplinas e turmas com maior insucesso. Realizar reuniões de trabalho colaborativo. Compatibilizar horários por forma a congregar horas de trabalho colaborativo comum, entre os grupos de recrutamento OE12 - Melhorar a articulação vertical e horizontal Realizar reuniões de trabalho entre as equipas de professores (departamentos, conselhos de turma, conselhos de docentes) de diferentes ciclos, para monitorizar/reformular as planificações. Articular os perfis dos alunos na mudança de ciclo. Uniformizar/aferir critérios de avaliação do desempenho dos alunos por ano/ciclo. Inserir nas planificações de longo prazo propostas de articulação horizontal e vertical. Implementar um plano de trabalho conjunto, definindo o essencial das aprendizagens numa perspetiva sequencial. Realizar atividades letivas para alunos de um ciclo nas instalações do ciclo seguinte. Envolver as turmas dos anos do 1º e 2º ciclo em intercâmbios que facilitem a mudança de ciclo. Realizar atividades letivas com professores de um ciclo para alunos de um ciclo de ensino anterior.

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

Relatório Anual de Progresso. Contrato de Autonomia

Relatório Anual de Progresso. Contrato de Autonomia Relatório Anual de Progresso Contrato de Autonomia 1- INTRODUÇÃO Tendo em conta o artigo 8º da Portaria nº 265/2012 de 30 de agosto, a escola/agrupamento com contrato de autonomia deve produzir um relatório

Leia mais

2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES. Conselho Geral AGUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALADARES

2013/2014 PLANO DE ATIVIDADES. Conselho Geral AGUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALADARES , 0 2013/2014 Conselho Geral AGUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALADARES PLANO DE ATIVIDADES O AGRUPAMENTO... 3 IDENTIFICAÇÃO E CARATERIZAÇÃO DAS ESCOLAS... 3 Freguesia de Gulpilhares / Valadares... 3 Freguesia

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14 Agrupamento de Escolas da Moita Plano de Melhoria P r o v i s ó r i o P p P r o Ano letivo 2013-14 Moita, 22 de abril de 2015 A COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO o Célia Romão o Hélder Fernandes o Ana Bela Rodrigues

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas do Bonfim 2014/2017. Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas do Bonfim. Portalegre

Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas do Bonfim 2014/2017. Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas do Bonfim. Portalegre Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas do Bonfim Portalegre 2014/2017 1 Índice 1. Caracterização do agrupamento 2 1.1. Caracterização do concelho 2 1.2. Composição do agrupamento 3 2. Missão/visão

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GUIA-POMBAL PROJETO EDUCATIVO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GUIA-POMBAL PROJETO EDUCATIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GUIA-POMBAL PROJETO EDUCATIVO Esta escola também é minha 2013/14 2015/16 I - INTRODUÇÃO Uma das missões da escola, que consiste em dotar todos e cada um dos cidadãos das competências

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA DAS PALMEIRAS - COVILHÃ RELATÓRIO ANUAL DE PROGRESSO CONTRATO DE AUTONOMIA

ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA DAS PALMEIRAS - COVILHÃ RELATÓRIO ANUAL DE PROGRESSO CONTRATO DE AUTONOMIA ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA DAS PALMEIRAS - COVILHÃ RELATÓRIO ANUAL DE PROGRESSO CONTRATO DE AUTONOMIA A Escola Secundária Quinta das Palmeiras Covilhã celebrou com o Ministério da Educação e Ciência (MEC)

Leia mais

PEA PROJETO EDUCATIVO -2012/2015- Para formar mais e melhor numa escola participada e participativa, agradável e segura.

PEA PROJETO EDUCATIVO -2012/2015- Para formar mais e melhor numa escola participada e participativa, agradável e segura. PROJETO EDUCATIVO -2012/2015- Para formar mais e melhor numa escola participada e participativa, agradável e segura. 1. Nota Introdutória Este documento agora apresentado, resulta da avaliação efetuada

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alfena. Plano de Melhoria. 2013/2014 a 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Alfena. Plano de Melhoria. 2013/2014 a 2014/2015 Agrupamento de Escolas de Alfena Plano de Melhoria a 2014/2015 outubro 2013 Índice Introdução...3 Resultados da Avaliação Externa...4 Principais Áreas de Melhoria...6 Plano de Ação...7 Considerações Finais...14

Leia mais

PLANO DE MELHORIA 2014/15 <>2017/18

PLANO DE MELHORIA 2014/15 <>2017/18 PLANO DE MELHORIA 2014/15 2017/18 1 - Introdução O Plano de Melhoria (PM) integra um conjunto de procedimentos e estratégias, planificadas e organizadas, a implementar com o objetivo de promover a melhoria

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Relatório Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar GUIMARÃES 2013 2014 Área Territorial de Inspeção do Norte 1 INTRODUÇÃO A Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro, aprovou

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ AFONSO SEIXAL CÓDIGO 401481 Av. José Afonso Cavaquinhas Arrentela 2840 268 Seixal -- Tel. 212276600 Fax. 212224355 PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ABRIL DE 2014 Índice 1. Introdução

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PINHEIRO E ROSA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PINHEIRO E ROSA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA a Luisa Maria Ferreira Garcia e Costa Madeira Diretora O Plano de Ação Estratégica foi aprovado pelo Conselho Pedagógico, em 11 de outubro de 2012, e recebeu parecer favorável

Leia mais

DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GARDUNHA E XISTO 161123. Plano de Melhoria Página 1

DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GARDUNHA E XISTO 161123. Plano de Melhoria Página 1 DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GARDUNHA E XISTO 161123 Plano de Melhoria Página 1 Introdução... 3 Identificação das áreas de melhoria... 3 Visão geral do Plano de Melhoria...

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 JULHO 2015 1. Enquadramento. O presente Plano Estratégico para o ano 2015-2016, dá cumprimento ao disposto no artigo 15.º do Despacho Normativo n.º6/2014, de 26 de maio. Apresentam-se

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

PES Promoção e Educação para a Saúde

PES Promoção e Educação para a Saúde (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto PES Promoção e Educação para a Saúde Equipa Dinamizadora: Alice Gonçalves e Rosa Rêgo Ano letivo 2014/2015

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS.

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. AÇÃO Nº 1 DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. BREVE DESCRIÇÃO DA AÇÃO: conceber, discutir e aplicar planificações, metodologias, práticas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL-

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL- DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALVES REDOL- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL PLANO DE MELHORIA

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto do CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz Uma ação educativa de abertura para a comunidade Ano letivo 2014/2015 Índice 1. Introdução

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod.

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod. Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA Anos letivos 2014/2015 e 2015/ Página 1 de 13 ÍNDICE Títulos Pág. 1. INTRODUÇÃO 3. 2. ESTRUTURA DO PLANO DE MELHORIA 4. 3. DESCRIÇÃO

Leia mais

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 um fruto não se colhe às pressas. Leva seu tempo, de verde-amargo até maduro-doce Mia Couto

Leia mais

ACORDO DE COLABORAÇÃO. Programa Atividades de Enriquecimento Curricular

ACORDO DE COLABORAÇÃO. Programa Atividades de Enriquecimento Curricular ACORDO DE COLABORAÇÃO Programa Atividades de Enriquecimento Curricular Primeiro: Município de Cascais titular do cartão de identificação de pessoa coletivo número 505187531, com sede na Praça 5 de Outubro,

Leia mais

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas José Cardoso Pires

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas José Cardoso Pires Regulamento Interno Agrupamento de Escolas José Cardoso Pires Amadora outubro de 2013 CAPÍTULOS I Definições e âmbito de aplicação II Estrutura organizacional III Estabelecimentos de ensino do Primeiro

Leia mais

Avaliação interna e monitorização do Projeto Educativo do AEVP 2014/2015. Avaliação Interna. e monitorização do. Projeto Educativo do Agrupamento

Avaliação interna e monitorização do Projeto Educativo do AEVP 2014/2015. Avaliação Interna. e monitorização do. Projeto Educativo do Agrupamento Avaliação Interna e monitorização do Projeto Educativo do Agrupamento 2014-2015 0 1. INTRODUÇÃO No ano letivo (2012/13), no nosso agrupamento, concluiu-se um processo de autoavaliação iniciado em 2009/10,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PROJETO EDUCATIVO 2013-2017 ÍNDICE Introdução 1 Caracterização 2 Diagnóstico 4 Plano Estratégico 6 Avaliação do Projeto Educativo 12 Divulgação 14 Siglas

Leia mais

Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular. Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015

Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular. Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015 Plano de Estudos e de Desenvolvimento Curricular Agrupamento de Escolas de Castelo de Paiva 2014-2015 O presente documento é um instrumento que define as estratégias de desenvolvimento do currículo nacional,

Leia mais

Plano de Formação. do Agrupamento

Plano de Formação. do Agrupamento Plano de Formação do Agrupamento Ano letivo 2014/2015 1/8 ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Caracterização do Agrupamento... 3 3. Identificação das necessidades de 4 4. Objetivos gerais a atingir com o Plano

Leia mais

A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma

A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma Apresentação A nossa população alvo são crianças e jovens com problemas comportamentais que condicionam as aprendizagens formais e não formais, assim como uma plena integração social e profissional; Crianças

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações [setembro de 2011] Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Diretor... 3 Professor bibliotecário...

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Lei nº 31/2012, de 20 de Dezembro, veio aprovar o sistema de avaliação dos estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, definindo orientações para a autoavaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016 ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO 2015-2016 JULHO 2015 1 Preâmbulo O presente documento estabelece orientações para a organização do ano letivo 2015-2016 no que concerne a horários, constituição de turmas e distribuição

Leia mais

PROJETO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI JOÃO DE VILA DO CONDE

PROJETO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI JOÃO DE VILA DO CONDE PROJETO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FREI JOÃO DE VILA DO CONDE ÍNDICE 1. Introdução 2. O Agrupamento 2.1 População Escolar (número de alunos por estabelecimento de ensino) 2.2 Recursos Humanos

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Levante da Maia 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento

Agrupamento de Escolas da Trofa. Plano de Melhoria e Desenvolvimento Agrupamento de Escolas da Trofa Plano de Melhoria e Desenvolvimento Biénio 2015/2017 INTRODUÇÃO A autoavaliação e a avaliação externa são procedimentos obrigatórios e enquadrados na Lei n.º 31/2002, de

Leia mais

1. Apresentação. 2. Características Principais do Colégio Heliântia

1. Apresentação. 2. Características Principais do Colégio Heliântia I. O COLÉGIO HELIÂNTIA 1. Apresentação O Colégio Heliântia é um projeto de ensino privado que desenvolve a estratégia de Escola Total. Este conceito pretende a construção de um projeto educativo coeso

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRAGATA DO TEJO MOITA PROJETO EDUCATIVO TRIÉNIO 2014-2017 1 ÍNDICE Capítulo 1 Orientação Estratégica do PE... 3 1.1. Missão do Agrupamento... 3 1.2. Finalidades e Objetivos Estratégicos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES Plano de Monitorização para a Melhoria das Aprendizagens GUIMARÃES INDICE Introdução 03 Objetivos 05 Áreas/Domínios de Monitorização 06 1. Ocupação Plena dos Tempos

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes Consciencializar toda a Comunidade Escolar para a Preservação do Meio Envolvente; Sensibilizar a comunidade para a poupança de recursos, promovendo a reutilização e a reciclagem. Valorizar a Educação para

Leia mais

CONTRATO DE AUTONOMIA

CONTRATO DE AUTONOMIA CONTRATO DE AUTONOMIA PREÂMBULO O Decreto-Lei N.º 75/2008, alterado pelo Decreto-Lei N.º 137/2012, define autonomia como: ( ) a faculdade reconhecida ao agrupamento de escolas ou à escola não agrupada

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Relatório Agrupamento de Escolas de Oliveira Júnior S. JOÃO DA MADEIRA 2013 2014 Área Territorial de Inspeção do Norte 1 INTRODUÇÃO A Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro, aprovou

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA

VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA Setembro 2014 VISEU PRIMEIRO, VISEU EDUCA O lançamento de um programa pedagógico e de desenvolvimento educativo de crianças e jovens, partilhado por todos os agentes do sistema escolar e educativo local,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS 1 Índice

Leia mais

PAINEL III: MEDIDAS DE COMBATE AO INSUCESSO E ABANDONO

PAINEL III: MEDIDAS DE COMBATE AO INSUCESSO E ABANDONO SEMINÁRIO ABANDONO ESCOLAR E (IN)SUCESSSO EDUCATIVO: BALANÇO E PERSPETIVAS 2014-2020 PAINEL III: MEDIDAS DE COMBATE AO INSUCESSO E ABANDONO ESCOLAR: FINANCIAMENTOS COMUNITÁRIOS Teatro Diogo Bernardes POCH

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 0/0 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 ÍNDICE - Introdução...

Leia mais

Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS

Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS Projeto aler+ SEMEAR LEITURAS 2013-2014 ÍNDICE 1.CONTEXTUALIZAÇÃO... 2 2. INTERVENIENTES...... 3 3. OBJETIVOS. 4 4. REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO. 5 5. ATIVIDADES/AÇÕES/ESTRATÉGIAS... 6/ 7 6. DIVULGAÇÃO..

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE DEPARTAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE MELHORIA ESA 2013-2016 Objetivos gerais do Plano de Melhoria 1. Promover o sucesso educativo e melhorar a sua qualidade 2. Melhorar os processos e resultados pedagógicos

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Relatório Agrupamento de Escolas D. António de Ataíde VILA FRANCA DE XIRA 2013 2014 Área Territorial de Inspeção do Sul 1 INTRODUÇÃO A Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro,

Leia mais

PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL

PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CADAVAL 2015/2016 A EQUIPA: Fátima Martins, Manuela Parreira, Ana Paula Melo, Vera Moura, Manuela Simões, Anabela Barroso, Elsa Carvalho, Graça

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

2013/4. Plano de melhoria da biblioteca escolar. Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil

2013/4. Plano de melhoria da biblioteca escolar. Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil 2013/4 Plano de melhoria da biblioteca escolar Biblioteca do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Índice A. Currículo literacias e aprendizagem... 5 Problemas identificados... 5 Resultados esperados...

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRONCHES AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria JANEIRO 2014 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ANÁLISE QUALITATIVA... 1 3.... 5 3.1. Áreas de Melhoria... 5 3.2. Identificação

Leia mais

Educação pré-escolar e 1.º ciclo Índice do Documento

Educação pré-escolar e 1.º ciclo Índice do Documento Informações Gerais Educação pré-escolar e 1.º ciclo Índice do Documento 1. Educação pré escolar Objetivos da educação pré escolar Oferta educativa: *Componente letiva *Componente não letiva (CAF) Ocupação

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 Biblioteca Escolar GIL VICENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EB1 CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 As atividades constantes do presente

Leia mais

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo.

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo. Atualizar e divulgar a composição da equipa. Divulgar as atividades. Atualizar e divulgar diversos materiais. ano lectivo Informação/divulgação dos serviços especializados na página da escola /EE Representar

Leia mais

TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA

TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 1. JARDIM DE INFÂNCIA PAI DO VENTO Iniciou as suas atividades em Abril de 1999 está integrado no complexo escolar da Escola Básica

Leia mais

Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita Ano Letivo 2011/2012

Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita Ano Letivo 2011/2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO Escola Básica Integrada de Eixo Ano letivo 2011/2012 Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita

Leia mais

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Manuel Miranda Paula Morais

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES O Plano Plurianual de Atividades é um documento de planeamento que define, em função do Projeto Educativo, os objetivos, as formas de organização e de programação das atividades e que procede à identificação

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

Matriz de Responsabilidades. PAE: Programa Aproximar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

Matriz de Responsabilidades. PAE: Programa Aproximar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico A3. Relação escola/comunidade 1 Definição geral de políticas educativas nacionais Informado Informado 2 Definição

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o

Leia mais

Relatório de auto avaliação

Relatório de auto avaliação Relatório de auto avaliação 2011/2012 Relatório de autoavaliação 2011/2012 Página 1 Documento para reflexão Índice 1- Resultados escolares 2- Relatório de Indisciplina 3- Apoios Educativos 4- Atividades

Leia mais

Candidatura a Diretora do Agrupamento de Escolas de Celeirós 2013-2017

Candidatura a Diretora do Agrupamento de Escolas de Celeirós 2013-2017 Célia Maria Bernardo Pereira Simões 15 de julho de 2013 No caminho percorrido e nos desafios futuros encontro a motivação para a apresentação da candidatura a Diretora do Agrupamento de Escolas de Celeirós.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3. PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3.º CICLOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2017 O Projeto Plurianual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sophia de Mello

Leia mais

Projeto Educativo 2012-2015 Querendo, quero o infinito Fernando Pessoa

Projeto Educativo 2012-2015 Querendo, quero o infinito Fernando Pessoa Projeto Educativo 2012-2015 Querendo, quero o infinito Fernando Pessoa CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO Estabelecimentos de ensino EB2,3 de Fernando Pessoa EB1 com JI Infante D. Henrique EB1 com JI Adriano

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA. Artigo 1º Noção e Objetivos

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA. Artigo 1º Noção e Objetivos REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA Artigo 1º Noção e Objetivos O Conselho Municipal de Educação de Sesimbra, adiante designado por CME, é uma instância de coordenação e consulta, a

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR 2012/2013 Julho de 2013 www.mosteiroecavado.net eb23@mosteiroecavado.net Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Durante o ano letivo 2012/2013,

Leia mais

Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, de Rio Maior Projeto Educativo de Escola 2012/2015

Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, de Rio Maior Projeto Educativo de Escola 2012/2015 Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, de Rio Maior Projeto Educativo de Escola 2012/2015 A equipa nomeada pelo Conselho Pedagógico elaborou a presente proposta de Projeto Educativo que

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 1 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS ESSENCIAIS do PAA... 3 PROPOSTAS DE ATIVIDADES DOS CLUBES E EQUIPAS... 6 PROPOSTAS DE ATIVIDADES DOS

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados

Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados Equipa de autoavaliação Julieta Martins Adília Rodrigues (coords.) Conselho Geral, 17setembro 2013 Agrupamento Vertical de Escolas Ordem de Santiago

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA G.A.A.F. Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA G.A.A.F. Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA G.A.A.F. Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família Ano Letivo 2013/14 G.A.A.F. O é um projeto de mediação escolar e social que funciona na Escola Secundária de S. Pedro

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Relatório Agrupamento de Escolas de Alfena VALONGO 8 a 10 janeiro 2013 Área Territorial de Inspeção do Norte 1 INTRODUÇÃO A Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro, aprovou o sistema

Leia mais

Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna

Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna 2013/2015 Índice Plano de Ação... 3 Constituição da Equipa de Autoavaliação... 3 Etapas/fases do ciclo de avaliação... 4 Cronograma do 1º ano do ciclo de avaliação

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS Relatório Agrupamento de Escolas das Taipas GUIMARÃES 2013 2014 Área Territorial de Inspeção NORTE 1 INTRODUÇÃO A Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro, aprovou o sistema de

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Avaliação do impacto das atividades desenvolvidas nos resultados escolares de 2014/2015 Plano estratégico para 2015/2016 (Conforme

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Departamento da Educação Pré Escolar Avaliação na educação pré-escolar -Competências -Critérios gerais de avaliação Ano letivo 2013-2014 1 INTRODUÇÃO Para

Leia mais

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna

Agrupamento Vertical de Ourique. Relatório de Avaliação Interna. Relatório de Avaliação Interna Agrupamento Vertical de Ourique Relatório de Avaliação Interna Relatório de Avaliação Interna 211/212 Índice I - Introdução. II - Enquadramento Legal III Metodologia. A - Constituição da Equipa de Avaliação

Leia mais

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral.

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral. Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o impacto que as atividades desenvolvidas tiveram nos resultados escolares

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013

PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013 PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013 É pela vivência diária que cada um de nós aprende a conhecer-se e a respeitar-se, conhecendo e respeitando os outros, intervindo, transformando e tentando melhorar

Leia mais

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento

Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento Para uma gestão integrada da biblioteca escolar do agrupamento orientações Rede Bibliotecas Escolares Sumário Nota introdutória... 2 Orientações Director... 3 Professor bibliotecário... 5 Docentes... 10

Leia mais

Candidato: ANTÓNIO PEREIRA PINTO Professor do Quadro do Agrupamento de Escolas D. Sancho I. Vila Nova de Famalicão, 9 de abril de 2013

Candidato: ANTÓNIO PEREIRA PINTO Professor do Quadro do Agrupamento de Escolas D. Sancho I. Vila Nova de Famalicão, 9 de abril de 2013 PROJETO DE INTERVENÇÃO: Por uma escola centrada na aprendizagem que se repensa e se reconstrói. CANDIDATURA AO CARGO DE DIRETOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. SANCHO I Aviso de abertura: 4531/2013 de 3 de

Leia mais

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade)

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade) Escola Secundária da Ramada Plano Plurianual de Atividades Pro Qualitate (Pela Qualidade) 2014 A Escola está ao serviço de um Projeto de aprendizagem (Nóvoa, 2006). ii ÍNDICE GERAL Pág. Introdução 1 Dimensões

Leia mais

Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda PROJETO EDUCATIVO 2014-2017

Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda PROJETO EDUCATIVO 2014-2017 Guimarães, fevereiro de 2014 Guimarães, 24 fevereiro de 2014 1. O Projeto Educativo O projeto educativo, a seguir enunciado, apresenta-se como o documento vértice e ponto de referência, orientador de toda

Leia mais

Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A3. Relação escola/comunidade A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico 1 Definição geral de políticas educativas nacionais 2 Definição do Plano Estratégico

Leia mais

Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar. email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013

Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar. email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013 Plano de ação (adenda). domínio em avaliação: gestão da biblioteca escolar email: becre.esfhp@gmail.com Ano letivo 2012/2013 Plano de ação 2012/2013 (adenda) A. Apoio ao desenvolvimento curricular Responsável

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria 2015l2017 ÍNDICE ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 ÁREAS DE AÇÃO DE MELHORIA.... 4 PLANOS DE AÇÃO DE MELHORIA.. 5 CONCLUSÃO...

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais