INDICE. Ano Letivo 2014 / 2015 PLANO DE ATIVIDADES REVISÃO Nº: 03

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INDICE. Ano Letivo 2014 / 2015 PLANO DE ATIVIDADES REVISÃO Nº: 03"

Transcrição

1 INDICE 1 INTRODUÇÃO ATIVIDADES ATIVIDADES LETIVAS E AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ATIVIDADES GESTÃO DAS INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS ATIVIDADES DA QUALIDADE FORMAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS Complemento de Formação de Alunos Atividades/Projetos de Desenvolvimento Educativo A orquestra vai à escola Complementos de Formação de Alunos Atividades/Serviços Especializados de Apoio Educativo Complementos de Formação do Aluno Visitas de Estudo Complementos de Formação de alunos Outras Atividades de extensão Curricular Atividades Lúdicas Preparação do Ano Letivo Avaliação do Plano Anual de Atividades Pág. 1/65 EVM-EDU 072/02

2 2014 / 2015 A sua revisão é evidenciada através da seguinte tabela: Data Revisão Conteúdo da revisão 22/09/ Redação da versão original 24/11/ Introdução nos pontos: Atividades/Projeto de Desenvolvimento Educativo. - Conexões Surpreendentes.Taça Externato 50 Anos (Torneios de basquetebol e futebol) 19/01/ Introdução nos pontos: Atividades/Projeto de Desenvolvimento Educativo. Olimpíadas de Química Júnior.. Olimpíadas de Física (escalão A) 25/02/ Introdução nos pontos: 2.4-Formação dos recursos humanos. Atividades reflexivas sobre conceitos complexos nas áreas CTEM através da edição criativa de vídeos Atividades/Projeto de Desenvolvimento Educativo. Atividade interescolas AMBIENTE E SAÚDE (Palestra, jogos tradicionais, dança para todos e exposição de pintura e desenho). Semana aberta da Proteção Civil Pág. 1/1 EVM-EDU 072/00

3 EXTERNATO DE VILA MEÃ PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/ INTRODUÇÃO O Plano anual de atividades é um dos documentos mais importantes que orientam a atividade escolar ao longo do ano letivo. Sendo obrigação das escolas construírem o seu Projeto Educativo, enquanto documento balizador da sua própria autonomia, enquadrada pelo regime jurídico estabelecido no Decreto Lei 553/80 a demais legislação em vigor, os Planos de Atividades não podem circunscrever-se ao registo de um conjunto de tarefas a levar a cabo pela comunidade escolar, especialmente dos professores e alunos, num espírito de generosidade ou voluntarismo, mas sim a uma ação concertada, tendo como horizonte o cumprimento do Projeto Educativo. É evidente que com isto não se pretende dotar as escolas de um instrumento castrador de iniciativas não contempladas. Um plano nunca poderá ser um impedimento mas um adjuvante de ação. Porém, a existência de um plano, orientado para a construção de uma escola que pensadamente se desenhou, é um excelente auxiliar de sucesso. Mais uma vez, a direção pedagógica e os departamentos se mobilizaram. Do trabalho de todos resulta o documento que nos vai guiar este ano letivo. Da nossa capacidade de execução resultará a qualidade do serviço que a nossa escola pretende prestar. As diversas atividades foram arrumadas de acordo com áreas temáticas, reconhecendo-se que na educação não há compartimentos estanques. Todas elas se interligam e visam a mesma finalidade a construção de uma escola formadora de cidadãos participativos, solidários e respeitáveis, instruídos e cultos. Pág. 2/65 EVM-EDU 072/02

4 2 ATIVIDADES 2.1 ATIVIDADES LETIVAS E AVALIAÇÃO DOS ALUNOS DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO RECURSOS AVALIAÇÃO Funcionamento do 2º ciclo do Ensino Básico regular com a opção de Inglês e Educação Moral e Religiosa Católica. Funcionamento do 3º ciclo do Ensino Básico Regular com as opções de Francês, Inglês, Espanhol, Educação Visual, Educação Tecnológica e Educação Moral e Religiosa Católica. FUNCIONAMENTO DOS CURSOS Curso de Ciências e Tecnológicas Curso de Ciências Sócio Económicas Curso de Línguas e Humanidades Cursos Profissionais- Técnico de eletrónica, A e Computadores. -Técnico de Análises Laboratoriais. -Técnico de Comercio -Técnico de eletrónica A. e comandos. -Técnico de Eletrónica. Escolarizar ao nível Básico, jovens em idades escolares: Proporcionar o cumprimento da escolaridade obrigatória: Diversificar a oferta de formação do ensino secundário com vista ao prosseguimento de estudos. Proporcionar a obtenção do diploma de nível secundário e simultaneamente a obtenção de certificado de qualificação profissional que garanta o ingresso na vida ativa. Docentes da escola Alunos da Zona Pedagógica Docentes da escola Comunidade discente 2014/ /2015 Docentes e alunos Docentes e alunos Pág. 3/65 EVM-EDU 072/02

5 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO RECURSOS AVALIAÇÃO - Avaliação qualitativa DEZEMBRO 2014 Realização de reuniões periódicas dos Conselhos de Turma. e quantitativa dos alunos. - Apreciação dos rendimentos individuais dos alunos. - Delinear estratégias Diretores de Turma Outros -Público Alvo: Comunidade discente: Março 2015 JUNHO 2015 Diretores de turma Outros globais de ação. Plano Individual de Transição - Dar respostas a Docentes da Alunos que frequentam o currículo específico individual ao abrigo DL nº3/2008 de 7 de janeiro. alunos com características e interesses específicos escola. Acompanhamento Externo Serviços de apoio educativo 2014/2015 Alunos Empresas Pág. 4/65 EVM-EDU 072/02

6 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Realização de Testes Intermédios de Português, Matemática, Matemática A, Física Química, Biologia, História, Inglês, Geografia,Economia, Geografia A Filosofia e MACS. - Proporcionar uma familiarização com o exame nacional; Motivar os alunos para o sucesso escolar. Direção Pedagógica e CP. Professores e alunos 9.º,11ºe12º anos. do, Líng. Port.6º-27 de abril Mat. 6º-9 de 22 de abril l Inglês 9º- 10 de março. Port.9º-12 de maio Mat. 9º -6 de maio. Biol. Geol. 11º - 16 de abril Filosofia 11º - 6 de março F. Q. A 11º - 24 de abril Inglês cont 11º.-3 de março Economia A11º-13 de abril Geografia A 11º- 11 de março MACS 11º -14 de maio Mat. A 12º - 22 de maio. Português 12º- 15 de maio. História 12º-6 de março. RECURSOS Docentes e alunos AVALIAÇÃO Pág. 5/65 EVM-EDU 072/02

7 2 ATIVIDADES 2.2 GESTÃO DAS INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO RECURSOS AVALIAÇÃO Aquisição de materiais e equipamentos pedagógicodidático e os solicitados pelos Criar melhores condições de funcionamento do processo educativo. -Direção Pedagógica -Departamentos AO LONGO DO ANO LETIVO Administração e Direção Pedagógica diferentes grupos Disciplinares. Planificação do ano letivo 2014/2015 considerando a reafectação de espaços escolares tendo em vista melhorar a sua funcionalidade. Rendibilizar os espaços físicos da escola: Credibilizar e dar visibilidade às estruturas pedagógicas intermédias: -Direção Pedagógica -Estruturas Pedagógicas intermédias AO LONGO DO CORRENTE ANO LETIVO Direção Pedagógica. Coordenadores Prosseguir o processo de informatização da escola,. Continuar o processo de alargamento da rede de ligação à Internet às salas de aula. Criar melhores condições de funcionamento do processo educativo. Modernizar a escola e o processo educativo, tornando-os mais atrativos e eficazes. Criar condições para o registo informático dos sumários e faltas. -Direção Pedagógica: AO LONGO DO CORRENTE ANO LETIVO Administração e Direção Pedagógica Pág. 6/65 EVM-EDU 072/02

8 ATIVIDADES DA QUALIDADE 2 ATIVIDADES 2.3 ATIVIDADES DA QUALIDADE DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Reuniões do Grupo da Qualidade RECURSOS AVALIAÇÃO Elaborar Plano de Manutenção, Auditorias Internas, Calibração / Verificação EMM s Avaliação de fornecedores Definição e acompanhamento das ações corretivas, preventivas e de melhoria Controlo de documentos e impressos Acompanhamento periódico do SGQ, discussão e análise de resultados. Elaboração das respetivas atas. Colocar alguma documentação no Externato digital. Planear as respetivas atividades Permitir numa escala quantitativa avaliar os fornecedores que pode afetar a conformidade dos requisitos do serviço Acompanhamento periódico de todas as ações abertas e avaliação da respetiva eficácia. Revisão e controlo dos documentos ao longo do ano letivo e garantir a distribuição controlada Grupo da Qualidade SGQ Por período Espaço físico para reuniões Meios informáticos Manutenção Serviço Gestão da Qualidade Serviços Gerais Administração SGQ SGQ Outubro de 2014 Outubro 2014 Ao longo do ano Ao longo do ano Dados e histórico dos fornecedores Meios informáticos Pág. 7/65 EVM-EDU 072/02

9 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Definição dos objetivos para o ano 2014/2015. Acompanhamento dos objetivos Definir os objetivos que permitem a medição dos processos com base nos valores históricos e numa perspetiva de melhoria contínua. Definir novos indicadores, de forma a fornecer mais informação à Direção. Acompanhar periodicamente os resultados alcançados, de forma a detetar eventuais desvios. Administração Direção Pedagógica Grupo da Qualidade SGQ Coordenadores Processos Administração Direção Pedagógica Grupo da Qualidade SGQ Coordenadores Processo Outubro 2014 Por período RECURSOS Meios informáticos AVALIAÇÃO Avaliação da Satisfação dos Encarregados de Educação e Alunos Através do tratamento dos inquéritos medir a satisfação e analisar a sua evolução ao longo dos anos. Grupo da Qualidade SGQ EE Alunos 2º/3º período Meios informáticos Avaliação da Satisfação dos Docentes e Não Docentes Através do tratamento dos inquéritos medir a satisfação e analisar a sua evolução ao longo dos anos. Grupo da Qualidade SGQ Docentes Não Docentes 1º período Meios informáticos Pág. 8/65 EVM-EDU 072/02

10 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Auditorias Internas Controlo de legislação Verificação de equipamentos de medição Análise à água Realizar mais auditorias internas, sobretudo à atividade letiva (DT, Coordenadores Departamento e Áreas e nova Base de Dados) e Secretaria. Algumas auditorias não estarão sujeitas a aviso prévio. Leitura, análise diária dos DR s e distribuição controlada de toda a legislação aplicável ao Externato. Atualização permanente da Lista de Documentos Externos. De acordo com o Plano de Calibração definido, enviar o termómetro para calibração para Laboratório externo e efetuar as verificações internas das arcas, frigoríficos e expositores. Analisar química, física e bacteriologicamente a água utilizada no bar e cantina. SGQ Auditores Externos SGQ SGQ Laboratórios SGQ Laboratórios Programa de Auditorias Ao longo do ano Plano de Calibração maio 15 RECURSOS Equipas Auditoras DR Laboratórios Acreditados Recursos Financeiros Laboratórios Acreditados Recursos Financeiros AVALIAÇÃO Pág. 9/65 EVM-EDU 072/02

11 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Inspeções às balizas e tabelas basquetball Inspeções à rede de gás Externato Digital Procedimentos operacionais Efetuar a inspeção periódica aos equipamentos desportivos de acordo com a legislação Efetuar a inspeção periódica à rede do gás de acordo com a legislação Melhorar e reformular o Externato Digital tendo por base a experiência do ano letivo anterior, as sugestões apresentadas. Divulgar e sensibilizar para o cumprimento do estabelecido nas IT`s e sua atualização, de forma a cumprir com o estipulado e consequentemente com a legislação em vigor. SGQ Laboratórios abril 15 SGQ Laboratórios Março 15 Grupo da Qualidade Informática SGS Responsáveis de todos os serviços Grupo da qualidade SGQ Ao longo do ano Ao longo do ano RECURSOS Laboratórios Acreditados Recursos Financeiros Laboratórios Acreditados Recursos Financeiros Base dados Externato Digital Informática Espaço físico Meios informáticos AVALIAÇÃO Pág. 10/65 EVM-EDU 072/02

12 2 ATIVIDADES 2.4 FORMAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Simulacro de Incêndio Normas de atuação e evacuação O Novo Desafio da ISO9001:2015 e de controlo do risco nos negócios - Preparar os docentes e não docentes para situações reais de emergência e modos de atuar perante tal situação - Preparar os docentes e não docentes para situações reais de emergência e modos de atuar perante tal situação Aquisição de conhecimentos sobre as alterações da nova norma da qualidade. HSST, Bombeiros V. Vila Meã e GNR. Pessoal Docente, não Docente e alunos HSST, Docentes, não Docentes e alunos Qualidade Não Docente novembro e fevereiro 23 outubro 10 setembro RECURSOS Informáticos e humanos. Especialista Informáticos e humanos. Especialista Especialista AVALIAÇÃO O conhecimento da Escola Adquirir competências para intervir nas diversas vertentes Direção Pedagógica Docente 16 set Especialista UCP para conhecer melhor a escola.. Pág. 11/65 EVM-EDU 072/02

13 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO eletrónico para pessoal Conhecer as Direção Pedagógica não docente. funcionalidades do N/Docentes A Definir . RECURSOS Informáticos humanos. Especialista e AVALIAÇÃO Higiene e segurança no trabalho Enquadramento legal Acidentes em serviço Direção Pedagógica Docentes A Definir Especialista Excel Conhecer as funcionalidades do Excel. Primeiros socorros Suporte Básico de Vida/Extintores Não Docentes A Definir Informático e Especialista Alterações ao estado de consciência Docente e não Docentes A Definir Informáticos humanos. Especialista e Educar para o desenvolvimento sustentável no meio urbano Proporcionar discussão,reflexão e resignação de práticas docentes no domínio da ed. ambiental Docentes 5 e 6 de setembro.especialista Pág. 12/65 EVM-EDU 072/02

14 DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES CALENDARI ZAÇÃO Sucesso escolar: Estratégias de intervenção Valorização profissional Docentes 18 de outubro RECURSOS Especialista AVALIAÇÃO XI Colóquio sobre Questões Curriculares Discussão e troca de experiências Docentes 18, 19 e 20 de setembro Especialista Controlo de Equipamentos de Monitorização e Medição Elaborar plano de Controlo de Equipamentos Qualidade Não docentes 16 setembro Especialista Gestão de conflitos Gerir situações de conflito Não docentes Setembro Projeto GAIA Atividades reflexivas sobre conceitos complexos nas áreasctem através da edição criativa de vídeos. Sensibilizar os professores para a importância da reflexão em torno Treshold concepts. Docentes do ensino secundário nas áreas CTEM. março Computador Especialista Pág. 13/65 EVM-EDU 072/02

15 2 Atividades 2.5 Complemento de Formação de Alunos Atividades/Projetos de Desenvolvimento Educativo Conferência com Bob Ferdowsi (Controlador de voo da NASA) Conhecer aplicações da Matemática e da Física em missões da NASA. Contactar com um profissional envolvido em missões que recorrem às últimas tecnologias. Proponentes: Professores do grupo 500 (Matemática) e 510 (Física e Química) Público-alvo: Alunos do 11.º ano (Curso Científico Humanístico de Ciências e Tecnologias) 1.º Período 16 de outubro Transporte Conexões Surpreendentes Promover a literacia matemática dos alunos bem como o gosto pele matemática Proponentes: Professores do grupo 500 (Matemática) Publico alvo: Alunos do 3º ciclo 2º e 3º períodos Material de escrita. Computadores Pág. 14/65 EVM-EDU 072/02

16 Jogos; Competições em REDE Diz+ REDEmat REDEbio em REDE FIS em REDE -Fomentar o gosto pela Matemática e pelas Ciências Experimentais. -Divulgar a ciência. -Proporcionar e incentivar o contacto com novas ferramentas de estudo, recorrendo às novas tecnologias. -Promover o convívio com alunos de outras escolas Proponentes: Professores do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Público-alvo: Alunos de todos os ciclos de ensino 2.º Período Material de escrita; Sala de Informática; Computadores com ligação internet; Telefone; Dia do laboratório aberto- À descoberta das ciências -Despertar o interesse pela atividade científica; -Aplicar conceitos científicos em situações do dia a dia. Proponentes: Professores dos grupos 520 (Biologia e Geologia) e 510 (Física e Química) Público-alvo: Alunos do 1.º ciclo do ensino básico 2.º Período 12 de março Material de laboratório Computador Pág. 15/65 EVM-EDU 072/02

17 Competições do PmatE Diz+ -Fomentar o gosto pela Matemática e pelas Ciências da Natureza. -Proporcionar e incentivar o contacto com novas ferramentas de estudo, recorrendo às novas tecnologias. -Revelar espírito crítico, de rigor e de confiança nos seus raciocínios. -Proporcionar a aquisição das competências essenciais e específicas do programa oficial. -Permitir o contacto com uma instituição de Ensino Superior. -Fomentar o convívio com alunos de outras escolas Proponentes: Professores do grupo 230 (Matemática e Ciências da Natureza) Público-alvo: Alunos do 2.º Ciclo do Ensino Básico 3.º Período Jogos; Material de escrita; Sala de Informática; Computadores com ligação internet; Telefone; Pág. 16/65 EVM-EDU 072/02

18 Competições do PmatE EQUAmat Competição Nacional de Física e Química -Fomentar o gosto pela Matemática e pelas Ciências Experimentais. -Proporcionar e incentivar o contacto com novas ferramentas de estudo, recorrendo às novas tecnologias. -Revelar espírito crítico, de rigor e de confiança nos seus raciocínios. -Proporcionar a aquisição das competências essenciais e específicas do programa oficial. -Permitir o contacto com uma instituição de Ensino Superior. -Fomentar o convívio com alunos de outras escolas Proponentes: Professores dos grupos 500, 510 e 520 (Matemática, Física e Química e Biologia/Geologia) Público-alvo: Alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico 3.º Período Sala de Informática; Computadores; Telefone; Transportes Pág. 17/65 EVM-EDU 072/02

19 Competições do PmatE Mat12 BIO 10, 11, 12 FIS 10, 11, 12 Olimpíadas de Química Júnior -Fomentar o gosto pela Matemática e pelas Ciências Experimentais. -Proporcionar e incentivar o contacto com novas ferramentas de estudo, recorrendo às novas tecnologias. -Revelar espírito crítico, de rigor e de confiança nos seus raciocínios. -Proporcionar a aquisição das competências essenciais e específicas do programa oficial. -Permitir o contacto com uma instituição de Ensino Superior. -Fomentar o convívio com alunos de outras escolas -Despertar o interesse pela Química; -Divulgar a química como ciência e cativar vocações para carreiras cientifico-tecnológicas entre os estudantes. -Proporcionar a aquisição das competências essenciais e especificas do programa oficial Proponentes: Professores dos grupos 500, 510 e 520 (Matemática, Física e Química e Biologia/Geologia) Público-alvo: Alunos do Ensino Secundário Proponentes: Professores dos grupos, 510 (Física e Química) Público-alvo: Alunos do 9º ano 3.º Período 11 de Abril Sala de Informática; Computadores; Telefone; Transportes Computador Transporte Pág. 18/65 EVM-EDU 072/02

20 Receção aos alunos do 5º ano com visita à Biblioteca Escolar Mostrar as diferentes áreas funcionais; Divulgar as regras básicas de funcionamento; Criar hábitos de utilização do Espaço do Conhecimento/ Biblioteca Escolar; Responsáveis: Coordenadora do BE Destinatários: Novos alunos do Externato do 5º ano Início do ano letivo Marcador de livros Dia Nacional das Bibliotecas Escolares Fórum de leitura Leitura recreativa Oficina de escrita Promover o aperfeiçoamento da competência específica da Leitura Estimular o gosto pela leitura; Promover hábitos de leitura; - Permitir aos alunos o contato direto com os livros; Conciliar atividades desportivas com atividades literárias; Incutir o gosto pela dramatização. Comunidade escolar Coordenadora da BE 27 de outubro Apresentação do conto O Livro Ativo Divulgação de um tema musical de acordo com o dia, da escritora Cidália Fernandes. Distribuição de marcadores de livros Textos Poemas Pág. 19/65 EVM-EDU 072/02

21 Olimpíadas de Física (Escalão A) -Despertar o interesse pela atividade científica; -Promover o convívio com alunos de outras escolas; -Proporcionar a aquisição das competências essenciais e específicas do programa oficial. Proponentes: Professores dos grupos, 510 (Física e Química) Público-alvo: Alunos do 9º ano 18 de Abril Computador Transporte Feira do livro (Plano Nacional de Leitura) (Em colaboração com o Departamento de Línguas) Visita do escritor Kalaf -Promover o aperfeiçoamento da competência específica da leitura. -Estimular o gosto pela leitura; -Permitir aos alunos o contato direto com os livros; -Levar o aluno a reconhecer diferentes tipos de obras e de culturas; -Alargar hábitos culturais na área do livro e da leitura. -Divulgar obras e autores. -Comunidade escolar. - Disciplina: Português (2º ciclo / 3º ciclo e secundário); - Biblioteca escolar!º Período Planificação anual da atividade. -Horários dos professores/turma s. -Livros -Mesas. -Toalhas. -Elementos decorativos (plantas, flores ) -Cadeiras - Livros das diferentes editoras. Pág. 20/65 EVM-EDU 072/02

22 A hora do conto Leitura recreativa Voluntariado de leitores Promover o desenvolvimento da competência específica da leitura e da escrita Elevar os níveis de literacia dos alunos; Promover hábitos de leitura; Promover a leitura em contexto sala de aula, biblioteca escolar e outros contextos escolares, sociais e familiares; Alunos do 2º e 3º ciclos Biblioteca escolar Ao longo do ano letivo Materiais diversos. Biblioteca Os Sabores das Línguas Divulgar as tradições gastronómicas portuguesas; Sensibilizar a comunidade educativa para a preservação de tradições. Comunidade educativa Departamento de línguas. Área disciplinar de Português 2º ciclo Final do 2º Período Material diverso Semana da Leitura Palavras do Mundo Forum de Leitura Leitura creativa Voluntariado de leitores Estimular o gosto pela leitura. Permitir aos alunos o contato direto com livros. Levar o aluno a reconhecer diferentes tipos de obras e de culturas. Alargar hábitos culturais na área do livro e da leitura. - Biblioteca escolar -Alunos do 2º e 3º ciclos 16 a 20 de março - Material diverso Pág. 21/65 EVM-EDU 072/02

23 Olimpíadas da Europa.. -Desenvolver o gosto pela Europa. -Desenvolver nos alunos o sentido da cidadania Europeia. -Promover a integração entre professores e alunos das escolas da sub-região da NUT III Tâmega, tendo como tema central discussões acerca da Europa. alunos do ensino secundário. - disciplinas: filosofia/ economia e geografia. 2º e 3º Períodos - Autorizações; - material de escrita; - sala Pág. 22/65 EVM-EDU 072/02

24 Elaboração de trabalhos alusivos ao Dia Internacional dos Direitos do Consumidor Alertar a comunidade escolar para os seus direitos enquanto consumidores Alunos do10º ano de Economia 13 de março Material diverso Elaboração de trabalhos alusivos ao Dia da poupança. Alertar a comunidade escolar para a importância de poupar Alunos do 11º ano de Economia 30 de outubro Material diverso Parlamento dos Jovens Participar e conhece r as regras de um debate democrático; Promover a participação cívica dos jovens. - alunos do ensino secundário; - disciplinas Filosofia/Economia Durante o ano letivo autorizações; - transporte; - sala. Pág. 23/65 EVM-EDU 072/02

25 Elaboração de trabalhos alusivos ao Dia da Europa Facilitar a compreensão da U.E. através de trabalhos que serão posteriormente divulgados à comunidade escolar Alunos de 11º ano de Economia 9 de maio Material diverso Exposição de Rosas dos Ventos.Motivar os alunos para disciplina de Geografia. Conhecer os rumos da Rosa dos Ventos.Desenvolver o sentido de orientação. Alunos de 7ºano / Geografia 1º período (1 a 8 de novembro) Material diverso Estimular a criatividade dos alunos Dia Radical Mobilizar princípios e valores éticos para a orientação do comportamento em situações vitais do quotidiano; Questionar-se sobre o sentido da realidade enquanto espaço onde o ser humano exerce a sua liberdade e equacionar respostas adequadas. Reconhecer, à luz da mensagem cristã, a dignidade da pessoa humana. Alunos do 8ºano inscritos à disciplina de EMRC. fevereiro Autorizações E.E -Autocarros -Listas dos alunos - Cartazes Pág. 24/65 EVM-EDU 072/02

26 Atividades de Departamento de Línguas Domínio da Leitura/ Compreensão/ Expressão/ Interação: Oficina de Leitura Incentivar ao gosto pela leitura Formar jovens leitores Alunos do 2º, 3º ciclo e secundário das disciplinas de: Português Francês Inglês Espanhol Ano letivo Computador Folhas Canetas (Atividades de caráter lúdico pedagógico dentro e fora da sala de aula) Domínio da Oralidade: Oficina de Teatro (Pequenas representações e idas ao teatro) Formar jovens criativos e empreendedores Dramatizar obras/ textos Alunos do 2º, 3º ciclo e secundário das disciplinas de: Português Francês Inglês Espanhol Ano letivo Materiais diversos Autocarros Domínio da Escrita/ Gramática Oficina de Escrita (Produção de textos de tipologias diferentes) Apelar ao gosto pela escrita Melhorar o desempenho da componente escrita Alunos do 2º, 3º ciclo e sec. das disciplinas de: Português Francês Inglês Espanhol Ano letivo A divulgar Pág. 25/65 EVM-EDU 072/02

27 Domínio da Cidadania Atitudes e valores Responsabilizar para a execução de tarefas Apelar ao trabalho em equipa Promover a solidariedade Incentivar à autonomia Alunos do 2º, 3º ciclo e secundário das disciplinas de: Português Francês Inglês Espanhol Ano letivo A divulgar Atividade Interescolas Ambiente e Saúde (Palestra sobre turismo, jogos tradicionais, dança para todos e exposição de desenho e pintura). Responsabilizar para a execução de tarefas Apelar ao trabalho em equipa Promover a solidariedade Escolas do ensino básico e secundário do concelho. C.M.Amarante Rede Social de Amt. Professores e alunos. 8 a 12 de abril Transporte Aparelhagem de som. Palco Semana Aberta da Proteção Civil Dar a conhecer o quartel dos Bombeiros, suas capacidades e competências,com alertas e procedimentos a adotar em medidas de caráter preventivo e de segurança. Bombeiros de Vila Meã Alunos 2 a 6 de março Pág. 26/65 EVM-EDU 072/02

28 Área Disciplinar de Espanhol Dia da Hispanidade Comemorar o Dia de Espanha Alunos e professores de espanhol 1º Período Materiais diversos Día de Reyes chocolate quente Comemorar algumas tradições espanholas Alunos de espanhol e comunidade educativa 2º Período Chocolate Karaoke espanhol Incentivar ao gosto pela língua espanhola Alunos de espanhol 2º Período Computador Microfilmes Pág. 27/65 EVM-EDU 072/02

29 Área disciplinar de Inglês Apelar a tradições inglesas Todos os alunos inscritos a Inglês. 31 de outubro 2014 Cantina Materiais decoração de Halloween Teatro Clever Pants Treinar a compreensão e expressão oral Alunos de inglês Data a definir Auditório Visita/Curso ao Reino Unido Tomar contacto com a língua inglesa Alunos de inglês Junho/Julho 2014 Autocarro Pág. 28/65 EVM-EDU 072/02

30 Concerto comemorativo do Dia Mundial da Música (VilaTuna) Promover a apreciação, discriminação e sensibilidade sonora e musical crítica, fundamentada e contextualizada em diferentes estilos e géneros musicais; - Sensibilizar para a música e reforçar a importância da Educação Musical na formação do indivíduo; - Promover a interatividade entre alunos/instrumentos de cordas; - Contribuir para o conhecimento dos instrumentos e de algumas das suas técnicas de execução; - Valorizar a música enquanto linguagem universal; Comunidade escolar - Professores de Ed. Musical Instrumentos -Voz -Cantina -Aparelhagem de som Pág. 29/65 EVM-EDU 072/02

31 Exposição Arte na Escola Sensibilizar os alunos e a comunidade escolar, para a importância da arte, no processo de desenvolvimento e formação do indivíduo. -Participar ativamente no processo de produção artística com trabalhos elaborados pelos alunos do 2º e 3º ciclo -Entender a organização do espaço tendo em conta a interação de diversos fatores. -Enriquecer os meios de expressão visual. -Compreender a necessidade de manter vivas as tradições culturais e desenvolver a capacidade de criatividade. Comunidade escolar e comunidade em geral. - Professores de E.V. e E.T.(2º e 3º ciclos). novembro 2014 Cartazes de divulgação convites; - Expositores; e - Quadros de artistas plásticos, alunos outros; e -Equipamento de som e de luz Pág. 30/65 EVM-EDU 072/02

32 Promover uma atitude interveniente na defesa das tradições natalícias; - Contribuir para a melhoria Alunos do 2.º e 3º ciclo e Professoras do grupo de E.V. e de E.T 3 a 8 de dezembro de 2014 Cola; fio de nylon; agrafes. Materiais diversos Decorações de Natal da qualidade estética da festa de natal; (reciclagem) -Contribuir para o envolvimento da escola na comunidade; - Promover o espírito de solidariedade. Professores de Ed. 1 de Junho de Fita - Motivar os alunos para a Física -Aparelhagem Dia Mundial da Criança prática desportiva; - Desenvolver o espírito - Comunidade escolar de som -Bolas desportivo. -Reforço alimentar Pág. 31/65 EVM-EDU 072/02

33 Marchas Populares Cantar coletivamente, utilizando técnicas e práticas musicais apropriadas e contextualizadas, com fins pressupostos e públicos diferenciados; - Desenvolver atividades de trabalho interdisciplinar, individual e em grupo, envolvendo a comunidade escolar; - Promover e sensibilizar para o conhecimento e a compreensão da música como construção social e como cultura; - Desfilar com trajes populares, alusivos às marchas e temas em questão; - Aplicar os conhecimentos de reciclagem roupas e outros materiais; -Sensibilizar a comunidade escolar e a sociedade em geral para a necessidade de um maior relacionamento social. Professores e alunos de Ed. Musical - Professores e alunos de Ed. Física - Professores e alunos de EV e ET (2º e 3ºciclos) - Comunidade Escolar e Comunidade em geral. 12/06/ Altifalantes - Voz -Instrumentos musicais -Espaço escolar -Espaço exterior envolvente - Cartazes de divulgação - Arcos; - Equipamento de luz e som; - Cartazes de divulgação. Pág. 32/65 EVM-EDU 072/02

34 Atelier de Pintura Desenvolver a expressividade e a criatividade. - Desenvolver a motricidade fina; - Explorar possibilidades técnicas e materiais diversos - Alunos de Educação Especial - Professor de Educação Especial 1º, 2º e 3º Períodos Tintas; - Marcadores; - Lápis; - Pincéis; - Cartolinas. - Experimentar sons vocais; - Alunos de Educação 1º, 2º e 3º Períodos CD; - Cantar canções; Especial - Voz; - Experimentar a percussão - Professor de - Corpo corporal; Educação Especial - Identificar sons isolados; - Experimentar as Expressão Musical potencialidades sonoras de materiais e objetos; - Movimentar-se livremente ao sabor de sons vocais e instrumentais; - Participar em danças de roda e tradicionais. Pág. 33/65 EVM-EDU 072/02

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS.

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. AÇÃO Nº 1 DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. BREVE DESCRIÇÃO DA AÇÃO: conceber, discutir e aplicar planificações, metodologias, práticas

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2014 / 2015 Pré-escolar e 1º Ciclo Ação Local Objetivos Atividades Materiais Recursos Humanos Receção dos Fomentar a integração da criança

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3. PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º, 2.º E 3.º CICLOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2017 O Projeto Plurianual de Atividades do Agrupamento de Escolas Sophia de Mello

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

Gestor de Atividades e Recursos Educativos

Gestor de Atividades e Recursos Educativos 21/01/ Imprimir atividade Gestor de Atividades e Recursos Educativos Agrupamento de Escolas de Data Atividade Público Alvo Início Término Préescolar Titulo, Tipologia, Proponente, Escola Desafios da Matemática

Leia mais

PROPOSTAS PARA O PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2011/2012

PROPOSTAS PARA O PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2011/2012 PROPOSTAS PARA O PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2011/2012 PROJETO EDUCAR PARA A SAÚDE Atividades a desenvolver Dia mundial da alimentação - Disponibilizar fruta grátis no bar da escola. - Disponibilizar

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14 Agrupamento de Escolas da Moita Plano de Melhoria P r o v i s ó r i o P p P r o Ano letivo 2013-14 Moita, 22 de abril de 2015 A COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO o Célia Romão o Hélder Fernandes o Ana Bela Rodrigues

Leia mais

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO. Projeto do. CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto do CLUBE É-TE=igual? Equipa Dinamizadora: Elisa Neiva Cruz Uma ação educativa de abertura para a comunidade Ano letivo 2014/2015 Índice 1. Introdução

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período ATIVIDADE OBJETIVO INTERDISCIPLI- NA-RIDADE LIGAÇÃO AO PROJETO EDUCATIVO DINAMIZADORES E ACOMPANHANTES PÚBLICO-ALVO (Referir turma) CALENDARIZAÇÃ O CUSTOS

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 1 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014-2015 INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS ESSENCIAIS do PAA... 3 PROPOSTAS DE ATIVIDADES DOS CLUBES E EQUIPAS... 6 PROPOSTAS DE ATIVIDADES DOS

Leia mais

AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Programa para a disciplina de oferta complementar do AER (ensino básico): Educação para a Cidadania

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora - 135562 Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia. Plano de Ação dos Projetos e Clubes Consciencializar toda a Comunidade Escolar para a Preservação do Meio Envolvente; Sensibilizar a comunidade para a poupança de recursos, promovendo a reutilização e a reciclagem. Valorizar a Educação para

Leia mais

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo.

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo. Atualizar e divulgar a composição da equipa. Divulgar as atividades. Atualizar e divulgar diversos materiais. ano lectivo Informação/divulgação dos serviços especializados na página da escola /EE Representar

Leia mais

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO 1 Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO Setembro Acolhimento das crianças - Integração e adaptação das crianças ao Centro Infantil Setembro Reunião de Pais e Encarregados

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 0/0 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 ÍNDICE - Introdução...

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cuba ANO LETIVO 2012/2013. Clube de Música. Professor Responsável: José Rui do Monte

Agrupamento de Escolas de Cuba ANO LETIVO 2012/2013. Clube de Música. Professor Responsável: José Rui do Monte Agrupamento de Escolas de Cuba ANO LETIVO 2012/2013 Clube de Música Professor Responsável: José Rui do Monte 1 O Clube de Música irá desenvolver a sua atividade ao longo do ano letivo 2012/2013 e tem como

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação Ano letivo 2013/2014 Critérios de Avaliação 2013/2014 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e recriar

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades Objetivos Atividades Responsáveis Datas Recursos Avaliaçõe s Promover o convívio entre os elementos da comunidade educativa Proporcionar momentos de alegria e partilha Recepção

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ AFONSO SEIXAL CÓDIGO 401481 Av. José Afonso Cavaquinhas Arrentela 2840 268 Seixal -- Tel. 212276600 Fax. 212224355 PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ABRIL DE 2014 Índice 1. Introdução

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES. 1º Período

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES. 1º Período PLANO ANUAL DE Inglês Semana Aberta do Desporto Escolar Semana da Esgrima: aula de esgrima a todas as turmas do 3º ciclo. Hallowe'en desportivas. Aumentar o número de praticantes nos vários grupos-equipa.

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de São Paulo PLANO ANUAL DE ESCOLA Ano letivo: 2015/2016 INTRODUÇÃO Enquadramento legal Avaliação Aprovação EVENTOS 1.ºperíodo 2.ºperíodo 3.ºperíodo REUNIÕES

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2012/2013 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico IM-DE-057.

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2012/2013 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico IM-DE-057. ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2012/2013 TIC@CIDADANIA Proposta de planos anuais 1.º Ciclo do Ensino Básico AEC TIC@CIDADANA Proposta de Plano Anual 2012/2013 1. Introdução A Divisão

Leia mais

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Manuel Miranda Paula Morais

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALMEIDA GARRETT VILA NOVA DE GAIA CÓDIGO 400798 FORMAÇÃO CÍVICA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALMEIDA GARRETT VILA NOVA DE GAIA CÓDIGO 400798 FORMAÇÃO CÍVICA ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALMEIDA GARRETT VILA NOVA DE GAIA CÓDIGO 400798 FORMAÇÃO CÍVICA Para uma Educação e Formação Social, Humana e Profissional dos alunos da Escola Secundária Almeida Garrett 1. Orientações

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Lei nº 31/2012, de 20 de Dezembro, veio aprovar o sistema de avaliação dos estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, definindo orientações para a autoavaliação

Leia mais

AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2015/2016 AEC ALE LIGAÇÃO DA ESCOLA COM O MEIO Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular,

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE DEPARTAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE MELHORIA ESA 2013-2016 Objetivos gerais do Plano de Melhoria 1. Promover o sucesso educativo e melhorar a sua qualidade 2. Melhorar os processos e resultados pedagógicos

Leia mais

LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA

LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA CONSELHO GERAL LINHAS ORIENTADORAS DO PLANEAMENTO E EXECUÇÃO, PELA DIRETORA, DAS ATIVIDADES NO DOMÍNIO DA AÇÃO SOCIAL ESCOLAR PARA 2015 O regime jurídico dos apoios concedidos pelo Estado no âmbito da

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá

Leia mais

SETEMBRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas. Local

SETEMBRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas. Local SETEMBRO Ao longo Oração da manhã Pré-escolar e 1º do ano ciclo 12 set. Receção aos alunos: Convívio de alunos, pais/ee, prof./educ. e vigilantes no campo de jogos Desejo das boas vindas pela direção e

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES (3ª ACTUALIZAÇÃO)

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES (3ª ACTUALIZAÇÃO) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PÚBLICAS DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA (3ª ACTUALIZAÇÃO) (3ª Actualização JULHO/2008) 1 Mês: Abril/2008 ANULAR (Estava na 1ª versão sem data) ANULAR (estava na 2ª versão para o 3º

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR INDÍCE A) Noção... 2 B) Objetivos... 2 C) Destinatários... 2 D) Serviços do Centro de Atividades e Recursos (C.A.R.)... 2 E) Atividades... 3 F) Condições

Leia mais

1º Período Calendarização Atividades Objetivos Gerais Recursos

1º Período Calendarização Atividades Objetivos Gerais Recursos Planificação Anual de Atividades Página 1 de 12 Ano letivo 2014/2015 Descobrir Setúbal 1º Período 01 de setembro Abertura do Externato Cooperar com os outros em tarefas e Pessoal e não 10 de setembro 10H

Leia mais

2010/2011 Plano Anual de Actividades

2010/2011 Plano Anual de Actividades 2010/2011 Plano Anual de Actividades Cristiana Fonseca Departamento de Educação para a Saúde 01-07-2010 2 Plano Anual de Actividades Introdução Quando em 1948 a Organização Mundial de Saúde definiu a saúde

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades Atividades Previstas para o ano letivo de 2013 2014 Atividades Objetivos Estratégias Calendarização Adaptar a criança à escola e à vida Diálogos conviventes de social; apresentação

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-Escolar de São Vicente Plano Anual de Actividades 2007/2008

Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-Escolar de São Vicente Plano Anual de Actividades 2007/2008 Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-Escolar de São Vicente Plano Anual de Actividades 2007/2008 Objectivos gerais: - Proporcionar o diálogo e o respeito pelas pessoas mais velhas. - Desenvolver o espírito

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

Projeto Curricular do 1.º Ciclo

Projeto Curricular do 1.º Ciclo Projeto Curricular do 1.º Ciclo Tema Felizes os que constroem a vida na verdade e no bem. INTRODUÇÃO Este ano letivo 2014/2015 ficou definido como tema geral Felizes os que constroem a vida na verdade

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA Proposta de planos anuais 1.º Ciclo do Ensino Básico Introdução O objetivo principal deste projeto é promover e estimular

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1373/XII/4ª

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1373/XII/4ª PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1373/XII/4ª Recomenda ao Governo a definição de uma estratégia para o aprofundamento da cidadania e da participação democrática e política dos jovens A cidadania é, além de um

Leia mais

Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos

Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos Carta do Conselho da Europa sobre a Educação para a Cidadania Democrática e a Educação para os Direitos Humanos Introdução A educação desempenha um papel essencial na promoção dos valores fundamentais

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo Creche Pré-Escolar 1º Ciclo A NOSSA MISSÃO É O NOSSO COMPROMISSO... Contribuir para o desenvolvimento integral dos nossos Alunos. Ser uma escola que marca a diferença fazendo melhor. Ensinar com amor.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Escola Secundária de DEPARTAMENTO: 1º CICLO - ATIVIDADES COMUNS ao longo do ano ATIVIDADES 15 Minutos de Leitura Crescer a Ler Levar a Ler CMC 15 de Leitura

Leia mais

Da Natureza, Personalidade Jurídica e Identificação. Art. 1º O Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás, neste Regimento

Da Natureza, Personalidade Jurídica e Identificação. Art. 1º O Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás, neste Regimento SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE GABRIEL ISSA REGIMENTO INTERNO TÍTULO I Das Disposições Preliminares

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

PROGRAMA ECO-ESCOLAS

PROGRAMA ECO-ESCOLAS PROGRAMA ECO-ESCOLAS Programa de Educação Ambiental e/ou Educação para o Desenvolvimento Sustentável PLANO DE AÇÃO 2014/2015 O Eco-Escolas é um Programa internacional, coordenado em Portugal pela Associação

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE Ano letivo 2014/2015 1. Enquadramento Entre os objetivos prioritários da atual política educativa encontram-se os

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Artigo 1º Enquadramento As atividades letivas com as educadoras no Jardim de Infância António

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Avaliação do impacto das atividades desenvolvidas nos resultados escolares de 2014/2015 Plano estratégico para 2015/2016 (Conforme

Leia mais

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Designação Objectivos Grupo alvo Calendarização Responsáveis pela actividade Recursos a afectar J F M A M J J A S O N D Humanos Materiais Logísticos Exercício

Leia mais

CATÁLOGO DE ATIVIDADES

CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2015 CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2 1 1 Fotografia da Capa: Architectural Concepts By Roman Vlasov com Wendy F. Strange In 3dfirstaid Visual Architecture INTRODUÇÃO A SENTIDO DIRECTO desenvolve, de forma sistemática,

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014

BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Escola Portuguesa Ruy Cinatti 2013/2014 O Pl Anual de Atividades é o documento que define as linhas orientadoras da ação da Biblioteca Escolar e tem como objetivo último tornar os alunos autónomos e eficientes nas diversas literacias. A adquisição

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012 Plano Anual de Actividades Jardins de Infância Organização do Ambiente Educativo e espaços comuns. (de 4 a 09-09-2011) Cada educadora prepara a sua sala Organizar o Ambiente Educativo educadoras. Observação

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

Plano de ação para o tema: Resíduos

Plano de ação para o tema: Resíduos Plano de ação para o tema: Resíduos Diagnóstico (situações a melhorar) Objetivo(s) Meta(s) Ações e Atividades Previstas Concretização Avaliação- instrumentos e Indicadores (de monitorização e avaliação

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL A vida é a arte de pintar e sentir a nossa própria história. Somos riscos, rabiscos, traços, curvas e cores que fazem da nossa vida uma verdadeira obra de arte! Autor

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Departamento da Educação Pré Escolar Avaliação na educação pré-escolar -Competências -Critérios gerais de avaliação Ano letivo 2013-2014 1 INTRODUÇÃO Para

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS 1 Índice

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais:

PROGRAMA DE AÇÃO 2015. Respostas sociais: O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: PROGRAMA AÇÃO 2015 O GAS-SVP define, para 2015, como objectivos gerais: - Preservar a identidade da Instituição, de modo especial no que respeita a sua preferencial ação junto das pessoas, famílias e grupos

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Ensino Secundário 10º ano Cursos Científico Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação O presente documento pretende materializar a execução dos princípios orientadores da avaliação

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC PROJETO PEDAGÓGICO dos Campos de Férias da MUSSOC Associação Mutualista dos Trabalhadores da Solidariedade e Segurança Social I CARATERIZAÇÃO GERAL DA MUSSOC 1. Introdução O presente documento tem como

Leia mais

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 (Resposta Social de Creche) DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS Setembro Integração/adaptação das Crianças Reunião de Pais 24/09/2014 Outono - Promover a integração

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz xcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl

Leia mais

À DESCOBERTA DE UMA NOVA

À DESCOBERTA DE UMA NOVA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS À DESCOBERTA DE UMA NOVA NOVA ILHA INTERCÂMBIO 5º C DAS VELAS/ 5ºC DE VILA FRANCA DO CAMPO Introdução Uma vez que o arquipélago dos Açores é composto por nove ilhas,

Leia mais

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 QUEM SOMOS A APF Associação para o Planeamento da Família, é uma Organização Não Governamental com estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES 2 ÍNDICE CARATERIZAÇÃO DO CENTRO DE REURSOS PARA A INCLUSÃO.. 3 FUNCIONAMENTO DO CENTRO DE RECUSOS PARA A INCLUSÃO 3 CARATERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014. Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo de ensino e aprendizagem dos alunos

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014. Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo de ensino e aprendizagem dos alunos OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014 Promover o sucesso académico Reforçar a organização, coordenação e articulação curricular Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo

Leia mais

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED

DESPACHO. ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED DESPACHO Nº. 17/2015 Data: 2015/05/22 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento do Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado- GAED Com o intuito de normalizar

Leia mais