ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DE CONHECIMENTO PARA SITES: REPRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA EM LABORATÓRIO CIENTÍFICO DE BIOLOGIA MOLECULAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DE CONHECIMENTO PARA SITES: REPRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA EM LABORATÓRIO CIENTÍFICO DE BIOLOGIA MOLECULAR"

Transcrição

1 COMUNICAÇÃO ORAL ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DE CONHECIMENTO PARA SITES: REPRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA EM LABORATÓRIO CIENTÍFICO DE BIOLOGIA MOLECULAR Laura de Lira e Oliveira, Maria Luiza de Almeida Campos, Hagar Espanha Gomes (CNPq) Resumo: O objetivo deste estudo é investigar as possibilidades metodológicas para representar os recursos de informação produzidos e utilizados em um ambiente específico de domínio interdisciplinar através da elaboração de um modelo de representação de uma atividade de pesquisa. A abordagem empírica está voltada para o domínio da Biologia Molecular que se desenvolve no cotidiano da atividade científica de um Laboratório de ponta. O trabalho no Laboratório inclui a pesquisa científica vinculada principalmente para a genômica dos Tripanosomatídeos e para as Doenças Tropicais Negligenciadas tais como a Doença de Chagas (T. cruzi) e outras tripanosomoses, leishmanioses (Leishmania spp), gerando informação e conhecimento científicos. A pesquisa focou a organização dos conteúdos desse conhecimento gerado no Laboratório com ênfase na atividade da anotação genômica. Para que a organização do conhecimento se faça de forma eficaz, a Teoria da Classificação foi aplicada, destacando-se como ferramenta da Ciência da Informação que auxilia na estruturação sistemática da informação gerada pela equipe de pesquisadores, mas as relações funcionais-sintagmáticas se revelaram importantes na organização de objetos heterogêneos. As metodologias utilizadas para a elaboração de um modelo de representação se pautaram na Análise de Domínio e na Etnometodologia para a identificação dos elementos presentes naquela atividade e no método facetado para a classificação desses elementos e foram definidas diretrizes voltadas para a representação de um modelo de uma atividade. Palavras-chave: Organização do Conhecimento. Representação da Informação. Análise de Domínio. Etnometodologia. 1 INTRODUÇÃO As doenças tropicais negligenciadas (DTNs), como a Doença de Chagas (T. cruzi) e outras tripanosomoses, leishmanioses (Leishmania spp), fazem um grande número de vítimas, sobretudo em países subdesenvolvidos. As diversas pesquisas sobre o tema geram significativo volume de informações, o que faz da busca pela contínua sistematização de instrumentos/ferramentas no âmbito de um laboratório de pesquisa científica em genômica, um mecanismo facilitador do acesso aos conhecimentos já produzidos, acarretando a redução do impacto dessas enfermidades. Isso porque permite a disseminação das informações existentes entre os diversos laboratórios de pesquisa genômica no mundo assim como a elaboração de uma proposta de cooperação internacional das pesquisas genômicas. Percebe-se, assim, a necessidade de se apoiar questões concernentes ao mapeamento de um GT2 585

2 modelo de representação para organizar os componentes de uma atividade científica, no caso, a atividade de anotação genômica em sites científicos, devido à necessidade de se organizar as informações geradas em um laboratório de Biologia Molecular. O laboratório estudado é um local de produção de conhecimento relativo àquela atividade genômica e por se tratar de uma atividade complexa foram utilizados alguns itens de Hjørland (2002) para identificação do domínio. Para entender a atividade e identificar o que deveria ser alvo da representação foi feita a observação das ações no ambiente por meio da Etnometodologia. E para organizar os elementos identificados foi utilizado o método de faceta que funcionou na identificação das categorias, mas que pode se mostrar insuficiente para organizar objetos heterogêneos que naturalmente surgem em uma atividade dentro de um laboratório de ponta. Desta forma, as relações ônticas 1 ou funcionais-sintagmáticas (DAHLBERG, 1978; 1993) foram utilizadas. No âmbito deste trabalho, o conhecimento no Laboratório compreende tanto as ações específicas dos recursos para análise de DNA quanto a inclusão de outros elementos para a realização desta atividade tais como: pesquisadores que compõem determinado projeto, suas atividades propriamente ditas de anotação genômica de organismos de interesse para as pesquisas do Laboratório, textos científicos, instituições que estão vinculados, parcerias com outros laboratórios, bancos de dados genômicos, entre outros. O avanço tecnológico nos meios comunicacionais e informacionais tem propiciado uma rapidez na representação e recuperação do conhecimento e da informação. Verifica-se, assim, a importância da Ciência da Informação que utiliza bases teóricas e metodológicas para lidar com questões voltadas à representação do conhecimento e da informação. (KUMAR, 1981) Optou-se por trabalhar com a utilização de sites, uma vez que estes trazem a possibilidade de acesso a informações produzidas em unidades geograficamente separadas e sua dinâmica tem propiciado agilização nos processos internos dos laboratórios, tornando o trabalho mais produtivo, já que, simultaneamente, agregam e disseminam informações na Internet, confirmando-se como uma forma importante de compartilhamento da informação biomédica e processamento de conteúdo. (GILCHRIST, 2003; CHAU et al, 2006; STEWART, 2008; BLATECKY et al.,sd) O modelo a ser representado tem como objetivo fazer parte de um site e irá interferir na arquitetura e funcionalidade deste site. A informação estruturada pelo modelo de representação guiará a busca e recuperação da informação biomédica no âmbito da Biologia Molecular (GIBAS e JAMBECK, 2001;NUNES, 2002) e dos recursos por meio da navegação pelos pesquisadores. 1 A relação ôntica não tem a finalidade de estabelecer uma hierarquia entre os conceitos, mas a de determinar a natureza da relação entre esses conceitos. No caso da pesquisa realizada, estas relações apresentam de forma clara uma atividade natural entre os objetos que ocorrem no mundo real, onde os objetos existem. (OLIVEIRA, 2011) GT2 586

3 2 A ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO EM SITES As primeiras manifestações relacionadas ao uso de taxonomias em sites surgem no âmbito das arquiteturas de informação e gestão de conteúdo. Nesse contexto, algumas das questões que se apresentam no desenvolvimento de taxonomias em sites são as seguintes: Como os elementos serão usados para navegar ou realizar a busca da informação? E qual é o processo pelo qual eles serão adicionados ao sistema para a melhor recuperação da informação? Sabendo que gestão implica organização e organização implica classificação, os atuais desafios a fim de se gerir o conhecimento estão relacionados ao enorme e crescente volume de informação e à constante mudança em seu conteúdo. No âmbito de um domínio interdisciplinar como a Biologia Molecular - área analisada - o processo de classificar é bastante complexo e demanda uma estrutura normativa e prescritiva para organizar o conhecimento científico (GNOLI, BOSCH e MAZZOCCHI, 2007). A organização do conhecimento em categorias nesse campo interdisciplinar deve resultar em uma análise e interpretação acuradas dos fenômenos e argumentos do discurso dos especialistas que estão inseridos no Laboratório. Foram, então, sugeridas diretrizes metodológicas que corroboram o modelo de representação elaborado, mas que só foi possível sua elaboração após o percurso de busca das informações relevantes no ambiente do Laboratório, observação das ações dos pesquisadores e um processo de mapeamento e estruturação. Isto norteou aspectos metodológicos desta pesquisa em dois focos. O primeiro foi a forma de obtenção dos dados por meio da Identificação dos elementos a qual compreendeu: a) a análise de domínio, para entender o ambiente e levantar dados que, segundo Hjørland (2002) é a identificação dos elementos passíveis de serem observados no escopo da pesquisa e b) a Etnometodologia, para apreender a complexidade da atividade da anotação genômica, que é a forma de observar esses elementos. O segundo foco foi a Organização dos elementos por meio do método facetado (CAMPOS e GOMES, 2008),a fim de sistematizar os resultados e apresentá-los em um site. 2.1 Identificação dos elementos a)análise de domínio: A análise de domínio proposta por Hjørland (2002) envolve as seguintes questões: produção de guias de literatura ou portais especializados construção de classificações especializadas e tesauros indexação e recuperação nas especialidades estudos empíricos de usuários estudos bibliométricos estudos históricos estudos documentais e de gênero estudos epistemológicos e críticos estudos terminológicos, linguagens especializadas, bases de dados GT2 587

4 semânticas e estudos de discurso estruturas e instituições na comunicação científica cognição científica, conhecimento especializado e inteligência artificial Entretanto, nessa análise, deu-se destaque aos estudos empíricos de usuários, uma vez que em diferentes comunidades há diferentes necessidades de informação como análise de proteínas ou nucleotídeos, druggability, sequência genética. Além disso, estudos históricos foram analisados com a finalidade de se compreender documentos gerados pelas diversas comunidades antes da descoberta da estrutura do ADN. A partir do surgimento das ômicas houve uma mudança na identificação do cenário da Biologia (junção de várias áreas para um estudo mais particularizado, como a Bioinformática, por exemplo) o que revolucionou sua história. Conseqüentemente os estudos documentais e do gênero também foram analisados, já que os recursos diferenciados da Bioinformática geraram diferentes tipos de documentos além dos tradicionais livros, cadernos de campo e mesmo artigos impressos. Estes recursos deram lugar a bancos de dados genômicos, ontologias, softwares específicos voltados para a atividade de anotação genômica. Isto tem relação com a organização de conteúdos em sites porque estes são itens (objetos) indispensáveis para se obter as informações / recursos necessários para os profissionais realizarem suas pesquisas. Nestes novos recursos estão contidas as informações e não mais nos pesquisados anteriormente ao surgimento das novas tecnologias b) Etnometodologia Como Macedo (2006) sinaliza, Mais do que uma sociologia da vida cotidiana, a Etnometodologia é uma tentativa de análise dos aspectos fundamentais da ação e da significação implicada. Dessa forma, por oferecer uma metodologia qualitativa, a pesquisa etnológica é apropriada para descrever a atividade dentro do laboratório, a qual se baseia justamente na ação dos pesquisadores a fim de fazer descobertas relativas a novas drogas para cura das DTNs, por exemplo. Embora Jules-Rosette (2007) apresente oito itens voltados para a Etnometodologia conferir lista abaixo -, nem todos puderam ser levados em consideração no desenvolvimento da tese. Indexalidade reflexibilidade descritibilidade conceito de membro da sociedade práticas das ações socializadas contextualidade competência única abordagem da ação na cena social Apenas dois deles se mostraram relevantes de imediato: a descritibilidade e o conceito de membro da sociedade. O primeiro por ser importante descrever as ações dos pesquisadores e os GT2 588

5 documentos por eles elaborados, a fim de tornar a ambiência científica (onde o conhecimento é gerado) descritível, inteligível e analisável. O segundo por sinalizar que o pesquisador-observador (no caso o Cientista da Informação) precisa de certa forma, pertencer à comunidade na qual realiza o estudo, filiando-se como membro do grupo. 2.2 Organização dos elementos O segundo aspecto metodológico adotado é o método facetado (RANGANATHAN, 1967; AITCHISON, 1970 CAMPOS, 2001; BROUGHTON, 2002), o qual apresenta cânones e princípios para a formação de estruturas hierárquicas que estão organizadas em facetas, reunidas em Categorias Fundamentais. Esse método possui hospitalidade, permite escalabilidade e possibilita múltiplos acessos. É ideal, portanto, para uso em sites, uma vez que permite a maior possibilidade de relação entre assuntos, bem como a incorporação de novos. Com a adoção do método de faceta, o que se verificou no levantamento dos dados (os elementos que integrariam o modelo) foi a necessidade de incluir não apenas os princípios de classificação (hierarquização), mas de associação entre eles. O método prevê a escolha de uma primeira faceta que determina o principal atributo pelo qual o modelo foi estabelecido e é seguida pelas demais facetas. Isso não significa que a ordem seja prescritiva, uma vez que o usuário pode fazer a busca por onde deseja, mas geralmente a maioria usará a disposição básica disposta na tela (DENTON, 2009). No caso do Laboratório, a tarefa está voltada para estudos genômicos de organismos causadores de doenças tropicais negligenciadas e, então, tornou-se primordial a escolha de ORGANISMOS como a primeira faceta a ser considerada. Isso não diminui a importância das demais facetas estabelecidas, mas tudo o que é feito em torno das pesquisas está voltado para aqueles estudos. A partir dos organismos (que são o objeto de pesquisa) então como um ponto de acesso, foram identificados os demais objetos: software para anotação genômica (recursos), pesquisadores envolvidos (recursos humanos) e os objetos a estes relacionados (projetos, publicações) Após a aplicação da metodologia acima apresentada, foram identificados os seguintes elementos para compor o modelo de representação. São eles: ORGANISMOS ONTOLOGIAS ETAPAS NA ATIVIDADE DA ANOTAÇÃO GENÔMICA EQUIPE DE ANOTAÇÃO GENÔMICA PROJETOS PROGRAMAS BANCOS GENÔMICOS BANCOS DE PUBLICAÇÕES INSTITUIÇÕES Esses elementos identificados resultaram nas seguintes facetas pontos de acesso -: GT2 589

6 ORGANISMOS, RECURSOS DE ANOTAÇÃO (in silico), EQUIPE DE ANOTAÇÃO GENÔMICA, PROJETOS e INSTITUIÇÕES e que são apresentados abaixo: Além das relações lógicas em que os elementos das facetas estão distribuídos de forma hierárquica (mostrado com clareza na faceta: ORGANISMOS) o modelo evidenciou um grau maior das relações associativas, no caso as relações funcionais-sintagmáticas por se tratar, provavelmente, neste modelo, de objetos individuais. GT2 590

7 2.2.1 Discussão do modelo A metodologia adotada tornou possível que se desenhasse um modelo de sistema de informação que permite acesso tanto a informações ligadas diretamente às pesquisas quanto à gestão das atividades realizadas no Laboratório. As categorias foram úteis para organizar o primeiro nível e, em seu interior, foram identificadas relações lógicas (tipos de organismos, tipos de pesquisadores) e também as relações funcionaissintagmáticas, permitindo assim que um objeto possa ser encontrado a partir de mais de um ponto de acesso, como mostram os exemplos a seguir no modelo: Organismo A -> recursos associados -> Ontologias Recursos de anotação genômica -> Bancos de informação > Ontologias Organismo A ->Pesquisadores associados - Coordenador Equipe de anotação -> Cordenador -> Organismo A organismo. Um recurso específico associado seria, por exemplo, um banco genômico de um dado GT2 591

8 Como o objeto de representação é uma atividade, ela demanda a utilização de programas específicos para cada etapa em que esta atividade se realiza. Assim, temos, para a Etapa: Avaliação de qualidade, o programa Phred, para a Etapa: Análise de similaridade, os programas BLAST/FASTA/Interpro, e assim por diante. A tecnologia permite que um mesmo programa possa estar associado a mais de uma etapa. Por exemplo, a etapa de predição in silico de genes pode ocorrer em paralelo com a etapa de similaridade (WAGNER, 2006). As novas tecnologias da informação permitem maior flexibilidade de navegação. Assim, um mesmo objeto pode ser recuperado através de mais de um ponto de acesso: a partir de um pesquisador pode-se identificar seus diversos relacionamentos na atividade de anotação genômica e também no próprio Laboratório, isto é, o Organismo com o qual está envolvido, Projetos associados, sua Produção científica A elaboração do modelo viabilizou traçar diretrizes metodológicas para a construção de estruturas sistemáticas. 3 DIRETRIZES METODOLÓGICAS As diretrizes são generalizáveis e podem ser aplicáveis em outros campos do conhecimento em que se necessite organizar e representar atividades/tarefas. Elas foram elaboradas de acordo com o caminho percorrido pelas metodologias adotadas na pesquisa e são: Para captura do conhecimento 1 Filiar-se como membro da comunidade 2 - Descrever as ações dos pesquisadores 3 - Identificar os temas do domínio 4 - Estabelecer um recorte do domínio 5 - Levantar a literatura relacionada com o recorte escolhido 6 - Identificar e anotar as informações relevantes Para organização/estruturação 7 - Descrever a funcionalidade de cada objeto 8 - Identificar as relações hierárquicas 9 - Identificar as relações partitivas 10 - Identificar as relações funcionais-sintagmáticas 11 - Determinar as Categorias Para apresentação do modelo 12 - Identificar a faceta inicial 13 - Observar o princípio da fórmula PMEST GT2 592

9 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS A comunidade científica em genômica transita em diferentes áreas do conhecimento e lida com o surgimento de novas áreas. Sendo assim, o Cientista da Informação, devido à dinâmica do conhecimento, possui importante papel na busca permanente de novos recursos, na sua sistematização e na disponibilização em serviços de informação. Para isso, pode valer-se dos princípios de classificação, como os adotados nesta pesquisa, uma vez que são fundamentais em qualquer atividade que requeira organização de dados, de informação, de conhecimento. Em um Laboratório científico, torna-se evidente a importância de bancos de informação para verificar a validade, evitar repetição de pesquisas, com evidente desperdício de recursos e conseqüente frustração do pesquisador quando descobre que chegou tarde. O caminho de análise de domínio preconizada por Hjørland foi iniciado com ênfase na revisão da literatura gerada pelos pesquisadores que ali atuavam. Artigos, dissertações, teses e curriculum vitae tornaram-se documentos importantes e mesmo cruciais para a compreensão da atividade científica exercida pelos profissionais com especificidade na anotação genômica. Da mesma forma, foi feita consulta à bibliografia fora do âmbito do Laboratório, o que contribuiu na abordagem a que esta pesquisa se propunha. O percurso realizado indicava o que devia ser analisado, mas o como realizar esta análise só foi possível ao se postular a adoção da etnometodologia como método para capturar o conhecimento. Com isso, compreenderam-se melhor as atividades, complementando o que se obteve por meio do proposto pelo método da análise do domínio. Na coleta dos dados, verificou-se que não há um consenso na literatura quanto aos termos usados para designar os objetos das ações. Por exemplo, há alternância entre os termos programas/ ferramentas/software; bancos de dados/ontologia; sistemas de anotação/ferramenta de anotação. Isso evidencia a relevância de que não se deve pautar pelos nomes dos objetos conforme referenciados nas diversas fontes, mas na necessidade de caracterizá-los para melhor situá-los no modelo de representação. Assim, a padronização torna-se imprescindível para se estruturar um modelo, evitando, dessa forma, a sinonímia, por exemplo, (que poderia ser um complicador). No caso da atividade de anotação genômica, estabelece um controle sobre os procedimentos desta atividade. Ao iniciar o desenvolvimento do modelo de representação, partiu-se do pressuposto de que o método de faceta seria adequado, considerando que os sistemas de classificação existentes e utilizados em pesquisas de organização do conhecimento mostravam-se inadequados, em especial por serem hierárquico-enumerativos, portanto estáticos, voltados para bases de conhecimento. No caso da atividade de anotação genômica, o que se representa, de fato, são as atividades, as ações envolvidas no processo de anotação e, em uma visão sistêmica, os elementos associados. O que se manifesta são GT2 593

10 objetos heterogêneos na realidade do Laboratório cuja relações funcionais-sintagmáticas se fizerem fortemente presentes. Acredita-se que um sistema de informação no modelo aqui proposto seja de grande utilidade e possa ser incluído em um site científico ou em outro contexto, no qual haja necessidade de recuperação de informação que apóie os cientistas envolvidos nas soluções de problemas. Entretanto, não se pode dizer que tal modelo, seja hermético e definitivo. Dada a dinamicidade das informações, tudo está sempre em desenvolvimento, acompanhando a modernidade das tecnologias e este modelo de representação não está imune a tais modificações. Abstract: This study aims at investigating methodological possibilities to represent information resources produced and utilized in a specific environment of interdisciplinary domain through the elaboration of a model of representation of a research activity. The empiric approach is related to the Molecular Biology domain developed in the scientific activity of a modern Laboratory. The work in the Lab comprises scientific research related mainly to the genome of Trypanosomatids and Negleted Ttropical Diseases such as Chagas disease (T. cruzi) and other trypanosomosis, leishmaniosis (Leishmania sp.), generating information and scientific knowledge. The research focus the organization of content of this knowledge generated in the Lab emphasizing the activity of genome annotation. In order to achieve efficient knowledge organization, the Theory of Classification was applied, emphasizing it as tool of the Information Science that helps the systematic structuring of information developed by the research crew but the study demonstrated the importance of the functional-sintagmatic relations in the organization of heterogeneous objects. The methodology used for the elaboration of a model of representation is based on the analysis of domain and in the etnomethodology to the identification of the elements present in that activity and in the method used for the classification of these elements. Also, guidelines were defined to the representation of the model of an activity. Keywords: Theory of Classification-1. Knowledge Organization-2. Information Representation-3. Domain Analysis-4. Etnomethodology-5. REFERÊNCIAS AITCHISON. J. The thesaurofacet: a multipurpose retrieval language tool. Journal of Documentation, 26 (3) p , BLATECKY A., GAMIEL K., RAMAKRISHNAN L., REED, D., REED, M. Building the bioscience gateway. (North Carolina Biosite. Disponível em: <http://www.ncbiosite.org>. Acesso em 13 fev, BROUGHTON, Vanda. Faceted classification as a basis for knowledge organization in a digital environment; the Bliss bibliographic classification as a model for vocabulary management and the creation of multidimensional knowledge structures. New Review of Hypermedia and Multimedia. v. 7, issue 1, p CAMPOS, Maria Luiza de Almeida. Linguagem documentária: teorias que fundamentam sua elaboração. Niterói: EdUFF, p. GT2 594

11 CAMPOS, Maria Luiza de Almeida e GOMES, Hagar Espanha. Taxonomia e Classificação: o princípio de categorização. Data GramaZero Revista de Ciência da Informação, v. 9, n. 4, agosto, CHAU, Michael et al Building a scientific knowledge web site: The NanoPort experience. Decision Support Systems, (42) , Nov DAHLBERG, Ingetraut. Ontical Structures and Universal Classification. Bangalore: Sarada Ranganathan Endowment for Library Sciences Series II, Sarada Ranganathan Lectures II, Knowledge organization: its scope and possibilities. Knowledge Organization, v. 20, n.4, p DENTON, William. How to make a faceted classification and put it on the web. Disponível em: < Acesso em 12 dez GIBAS, C., JAMBECK, P. Desenvolvendo Bioinformática. Tradução de Cristina de Amorim Machado. Rio de Janeiro: Campus, 1st ed., GIL, Henrique Urbano. El enfoque etnometodológico en la investigación científica. In: Liberabit: Lima (Peru) Revista de Psicologia, número 13:89-91, GILCHRIST, Alan. Thesauri, taxonomies and Ontologies an etymological note. Journal of Documentation, v. 59, n. 1, 7-18, GOMES, H. E; MOTTA, D.F. e CAMPOS, M.L.A. Revisitando Ranganathan: A Classificação na rede Disponível em: < >.Acesso em: 13 abr HJØRLAND, Birger. Domain analysis in information science. Eleven approaches traditional as well as innovative. Journal of Documentation, vol. 58, no. 4, pp , JULES-ROSETTE, Benetta. Huit aspects principaux de l Ethnomethodologie. In: Pratiques de formation (analyses), Ethnométhodologies, ( Université de Paris VIII),. numéro spécial de la revue Pratiques de formation, numéro double 11-12, 1985 KUMAR, Krishan. Theory of Classification. 2nd. Revised. New Dehli: Vikas Publishing House, p. MACEDO, Roberto Sidnei. Etnopesquisa crítica, etnopesquisa formação. Brasília: Líber Livro Editora, NUNES, Everardo Duarte. Interdisciplinaridade: conjugar saberes. in: Saúde em debate, v. 26, n.62, p , set/dez, Rio de Janeiro, OLIVEIRA, Laura de Lira e. Organização dos conteúdos de conhecimento para sites científicos: a representação da atividade de pesquisa em laboratório de Biologia Molecular de Tripanosomatídeos e Flebotomíneos. Tese (Doutorado), Universidade Federal Fluminense. Niterói, GT2 595

12 RJ, RANGANATHAN, S. R. Prolegomena to Library Classification. Bombay: Asia Publishing House, STEWART, Darin L. Building Enterprise Taxonomies. USA: Mokita Press, p. WAGNER, Glauber. Geração e análise comparative de sequências genômicas de Trypanosoma rangeli. Dissertação (Mestrado) Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, GT2 596

O estado das pesquisas do Grupo - Ontologia e Taxonomias: aspectos teóricos e metodológicos

O estado das pesquisas do Grupo - Ontologia e Taxonomias: aspectos teóricos e metodológicos O estado das pesquisas do Grupo - Ontologia e Taxonomias: aspectos teóricos e metodológicos Maria Luiza de Almeida Campos UFF/PPGCI Hagar Espanha Gomes - CNPq Maria Luiza Machado Campos UFRJ/PPGI Jackson

Leia mais

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento 1 Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento Referência do texto para discussão: BRASCHER, Marisa;

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília.

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília. 1 Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento UNESP de Marília. Pontos principais do texto: HJØRLAND, B. Towards a Theory of Aboutness, Subject, Topicality, Theme, Domain, Field,

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás

Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Ontologia de Domínio da Biodisponibilidade de Ferro: Uma Experiência no Projeto Nutri-Fuzzy-Orixás Alessandra Brito F. Oliveira 1; Vera Maria Benjamim Werneck 1 ; Regina Serrão Lanzillotti 1 ; Haydée Serrão

Leia mais

Esta comunicação está sendo submetida sob o [x] Tema 1 Aspectos teóricos e metodológicos nos estudos em ontologias

Esta comunicação está sendo submetida sob o [x] Tema 1 Aspectos teóricos e metodológicos nos estudos em ontologias SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ONTOLOGIA NO BRASIL 11 e 12 de Agosto Universidade Federal Fluminense Departamento de Ciência da Informação Niterói Rio de Janeiro Brasil Esta comunicação está sendo submetida

Leia mais

O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP

O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP C O M U N I C A Ç Ã O O R A L O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP Tatiana Almeida Rosali Fernandes Souza Resumo: possui potencial relevante de

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Modelagem de relações conceituais para a área nuclear

Modelagem de relações conceituais para a área nuclear Modelagem de relações conceituais para a área nuclear Luana Farias Sales 1,2, Luís Fernando Sayão 2, Dilza Fonseca da Motta 3 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação Instituto Brasileiro de

Leia mais

RECUPERANDO INFORMAÇÃO SOBRE TEXTOS PUBLICADOS NO TWITTER

RECUPERANDO INFORMAÇÃO SOBRE TEXTOS PUBLICADOS NO TWITTER RECUPERANDO INFORMAÇÃO SOBRE TEXTOS PUBLICADOS NO TWITTER Autores: Miguel Airton FRANTZ 1 ;; Angelo Augusto FROZZA 2, Reginaldo Rubens da SILVA 2. Identificação autores: 1 Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS

9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS 9º Congresso de Pós-Graduação UMA REVISÃO NA LITERATURA SOBRE ERP NO BRASIL VERSUS PUBLICAÇÕES INTERNACIONAIS Autor(es) GIOVANNI BECCARI GEMENTE Orientador(es) FERNANDO CELSO DE CAMPOS 1. Introdução No

Leia mais

CURSO SOBRE ACESSO ÀS BIBLIOTECAS ON-LINE DA MEDLINE/PubMed

CURSO SOBRE ACESSO ÀS BIBLIOTECAS ON-LINE DA MEDLINE/PubMed TUTORIAL PARA ACESSO BIBLIOTECA ON-LINE da MEDLINE/PUBMED CURSO SOBRE ACESSO ÀS BIBLIOTECAS ON-LINE DA MEDLINE/PubMed Este tutorial faz parte do curso de extensão da UNIFESP sobre acesso on-line às publicações

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. O que é o TCC? O O TCC é uma atividade de síntese e integração de conhecimentos adquiridos ao longo do curso,

Leia mais

Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias Aplicadas à Web Semântica

Uma Extensão da Disciplina de Requisitos do OpenUP/Basic para a Construção de Ontologias Aplicadas à Web Semântica SEMINÁRIO DE PESQUISA EM ONTOLOGIA NO BRASIL 11 e 12 de Agosto Universidade Federal Fluminense Departamento de Ciência da Informação Niterói Rio de Janeiro Brasil [X] Tema 2 Técnicas e Ferramentas em Ontologias

Leia mais

Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM

Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM VEM Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM Renato Novais, Thiago S. Mendes, Fernando Teles Instituto Federal da Bahia (IFBA) Salvador Bahia Brasil {renato,thiagosouto,fernandoteles}@ifba.edu.br Abstract.

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU

BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU Stanley Galvão 1, Cláudia Miranda 2, Alexandre Miguel 3 e Malu Habib 4 1 Departamento de Informática do HU, São Paulo,

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Nathalie Portugal Vargas

Nathalie Portugal Vargas Nathalie Portugal Vargas 1 Introdução Trabalhos Relacionados Recuperação da Informação com redes ART1 Mineração de Dados com Redes SOM RNA na extração da Informação Filtragem de Informação com Redes Hopfield

Leia mais

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa

Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Visão Geral do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Etapas do Trabalho de Pesquisa Escolha do

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS RESUMO: - PALAVRAS-CHAVES: ABSTRACT: The use of the Web as a platform for distance education (e-learning) has been one of the great alternatives for

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

A Computação e as Classificações da Ciência

A Computação e as Classificações da Ciência A Computação e as Classificações da Ciência Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Classificações da Ciência A Computação

Leia mais

XIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação - XIII ENANCIB 2012. GT 2: Organização e Representação do Conhecimento

XIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação - XIII ENANCIB 2012. GT 2: Organização e Representação do Conhecimento XIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação - XIII ENANCIB 2012 GT 2: Organização e Representação do Conhecimento TAXONOMIA E ETIQUETAGEM: análise dos processos de organização e recuperação

Leia mais

Conhecimento. Sistemas de Organização do. Classificação. Taxonomia. Tesauro. Cléria Elvina Costa Moreira Lais Pereira de Oliveira

Conhecimento. Sistemas de Organização do. Classificação. Taxonomia. Tesauro. Cléria Elvina Costa Moreira Lais Pereira de Oliveira Sistemas de Organização do Conhecimento FACULDADE DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Classificação Taxonomia Tesauro Disciplina: Fundamentos em Organização da Informação

Leia mais

VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB

VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB VISÃO SISTÊMICA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS PARA WEB Rogério Fernandes da Costa Professor especialista Faculdade Sumaré rogerio.fernandes@sumare.edu.br Resumo: O presente estudo tem como objetivo abordar

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados

MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM. Metadados MBA Inteligência Competitiva BI/CPM 1 Data Warehousing PÓS-GRADUAÇÃO MBA Inteligência Competitiva Com ênfase em BI/CPM Metadados Andréa Cristina Montefusco (36927) Hermes Abreu Mattos (36768) Robson Pereira

Leia mais

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo:

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: ALVARELI, Luciani Vieira Gomes. Novo roteiro para elaboração do projeto de trabalho de graduação. Cruzeiro: Centro Paula Souza,

Leia mais

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Cláudio Messias 1 Resumo Investigamos, por meio de pesquisa quantitativa e qualitativa, referenciais que dão sustentação à expansão da prática

Leia mais

PALESTRANTES. TÍTULO DA PALESTRA: Organização da informação à luz da Ciência da Informação: impactos na circulação do saber em Unidades de Informação.

PALESTRANTES. TÍTULO DA PALESTRA: Organização da informação à luz da Ciência da Informação: impactos na circulação do saber em Unidades de Informação. DIA: 16 de novembro (segunda feira). PALESTRANTES TÍTULO DA PALESTRA: Organização da informação à luz da Ciência da Informação: impactos na circulação do saber em Unidades de Informação. PROFESSOR(A):

Leia mais

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL

PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL PUBLICAÇÃO CIENTÍFICA RESULTANTE DAS DISSERTAÇÕES E TESES EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL Alexandre Soares dos Santos 1. Jose Dorival Gleria 2. Michele Silva Sacardo 3. RESUMO Saber se as dissertações e teses,

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms

Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Meire Ramalho de Oliveira, mestranda, UFSCar, mro_ufscar@yahoo.com.br

Leia mais

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? Harold Borko Equipe de Tecnologia e Sistemas de Informação System Development Corp. Santa Monica, California RESUMO Buscando um novo consenso quanto à identidade, questionamos,

Leia mais

O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1

O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1 O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1 Gabriel Belinazo 2 gbelinazo@inf.ufsm.br Abstract: In this review article, the main goal is to review and analyze information about social networks

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar

SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar SUSTENTABILIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR: Desafios da construção de uma proposta interdisciplinar Mariely Rodrigues Anger 1 Ana Carla Ferreira Nicola Gomes 2 Jussara Aparecida da Fonseca 3 Resumo: Apresentam-se

Leia mais

Design da Informação. Aula 01 - Introdução, desafios da Gestão. da Informação, análise de dados e o pensamento analítico Infografia

Design da Informação. Aula 01 - Introdução, desafios da Gestão. da Informação, análise de dados e o pensamento analítico Infografia Design da Informação Aula 01 - Introdução, desafios da Gestão da Informação, análise de dados e o pensamento analítico Infografia Prof. Dalton Martins dmartins@gmail.com Gestão da Informação Faculdade

Leia mais

Bolsista CNPq: Graduação em Eng. Agrícola, UNICAMP, Campinas-SP, fabiooquendo@gmail.com.

Bolsista CNPq: Graduação em Eng. Agrícola, UNICAMP, Campinas-SP, fabiooquendo@gmail.com. UM SISTEMA PARA ORGANIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE SOLOS BRASILEIROS FÁBIO O. SILVA 1 ; FERNANDO KUNINARI 2 ; STANLEY R. M. OLIVEIRA 3 12605 RESUMO Com o objetivo de possibilitar o armazenamento e a disponibilização

Leia mais

A CLASSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA ATRAVÉS DO QUALIS i

A CLASSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA ATRAVÉS DO QUALIS i XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS (SNBU) Salvador, BA, 22 a 27 de outubro de 2006 Tema central: Acesso Livre à Informação Científica e Bibliotecas Universitárias Eixo temático: Sub-tema:

Leia mais

TÍTULO DO PROGRAMA. A História do Alimento SINOPSE

TÍTULO DO PROGRAMA. A História do Alimento SINOPSE TÍTULO DO PROGRAMA A História do Alimento SINOPSE O documentário defende as pesquisas científicas e a engenharia genética envolvendo alimentos. Faz um retrospecto da produção agrícola para mostrar que

Leia mais

Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente

Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente Uma Ontologia Genérica para a Análise de Domínio e Usuário na Engenharia de Domínio Multiagente Carla Gomes de Faria1, Ismênia Ribeiro de Oliveira1, Rosario Girardi1 1Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Leia mais

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1

UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 UM PROTÓTIPO DO SISTEMA PARA CONTROLE DE BIBLIOTECAS POR MEIO DE PÁGINAS WEB DINÂMICAS 1 Daniel de Faveri HONORATO 2, Renato Bobsin MACHADO 3, Huei Diana LEE 4, Feng Chung WU 5 Escrito para apresentação

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ELABORAÇÃO DE PROJETOS Unidade II ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA Profa. Eliane Gomes Rocha Pesquisa em Serviço Social As metodologias qualitativas de pesquisa são utilizadas nas Ciências Sociais e também no Serviço Social,

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital

Gustavo Noronha Silva. Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos do Software Livre na Inclusão Digital Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES junho / 2003 Gustavo Noronha Silva Projeto de Pesquisa: Impactos

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999)

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) BIREME/OPAS/OMS BVS Saúde Pública Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) 1. Introdução Este documento descreve o projeto para o desenvolvimento

Leia mais

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Resumo A prospect of Postgraduate programs of Science and Mathematics teaching in Rio Grande do

Leia mais

A PESQUISA COMO DISCIPLINAS NO CURSO DE ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

A PESQUISA COMO DISCIPLINAS NO CURSO DE ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA A PESQUISA COMO DISCIPLINAS NO CURSO DE ARQUIVOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Carlos Eduardo dos Reis Professor No Departamento de Metodologia do Ensino, Centro de Ciências da Educação,

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

Engenharia de Ontologias Seminário UPON

Engenharia de Ontologias Seminário UPON Engenharia de Ontologias Seminário UPON Núcleo de Estudos em Modelagem Conceitual e Ontologias Bruno Nandolpho Machado Vinícius Soares Fonseca Professor: Ricardo de Almeida Falbo Agenda RUP Método UPON

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça Metodologia Científica Metodologia Científica Conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais

PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS

PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS PLANEJAMENTO E AVALIAÇAO DE SAÚDE PARA IDOSOS: O AVANÇO DAS POLITICAS PÚBLICAS Renata Lívia Silva F. M. de Medeiros (UFPB) Zirleide Carlos Felix (UFPB) Mariana de Medeiros Nóbrega (UFPB) E-mail: renaliviamoreira@hotmail.com

Leia mais

Público Alvo. Resumo. Palavras chaves: softwares livres, empresas brasileiras, impacto

Público Alvo. Resumo. Palavras chaves: softwares livres, empresas brasileiras, impacto Impacto dos softwares livre na indústria de software brasileira. André Oliveira Sá, Gabrielle Oliveira Perdigão, Rodrigo Ornelas de Sousa dos Santos, Rômulo da Silva Carvalho. Público Alvo Os softwares

Leia mais

Ontologias. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Ontologias. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Ontologias Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Origem Teoria sobre a natureza da existência Ramo da filosofia que lida com a natureza e organização da realidade.

Leia mais

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Sílvia Maria Berté Volpato (TCE/SC) - silviaberte@hotmail.com

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DA TAXONOMIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS 1

ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DA TAXONOMIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DIRETÓRIO ACADÊMICO DE BIBLIOTECONOMIA IV Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência

Leia mais

OS DIRETORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE ESCOLA PÚBLICA E SUA ATUAÇÃO

OS DIRETORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE ESCOLA PÚBLICA E SUA ATUAÇÃO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1022 OS DIRETORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE ESCOLA PÚBLICA

Leia mais

Uso dos Resultados de um Estudo Baseado em Revisão Sistemática para Elaborar uma Proposta Inicial de Pesquisa

Uso dos Resultados de um Estudo Baseado em Revisão Sistemática para Elaborar uma Proposta Inicial de Pesquisa VII Experimental Software Engineering Latin American Workshop (ESELAW 2010) Uso dos Resultados de um Estudo Baseado em Revisão Sistemática para Elaborar uma Proposta Inicial de Pesquisa Natália Chaves

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

XXX Congresso da SBC II Workshop de Computação Aplicada em Governo Eletrônico

XXX Congresso da SBC II Workshop de Computação Aplicada em Governo Eletrônico XXX Congresso da SBC II Workshop de Computação Aplicada em Governo Eletrônico Recuperação de Informação em Infraestruturas de Dados Espaciais usando Mecanismos de Representação do Conhecimento Autores

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL SILVA, Régis Henrique dos Reis - NUPEFI/CEPAE/UFG SILVA, Sarah Maria de Freitas Machado - ESEFEGO/UEG

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO

PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO 1268 PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO Rodrigo Rodrigues Menegon, Sérgio Augusto Gouveia Júnior, Marcia Regina Canhoto Lima, José Milton Lima Universidade Estadual Paulista

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES t COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Joaquim Domingos Maciel Faculdade Sumaré joaquim.mackim@gmail.com RESUMO: Este artigo pretende alertar estudantes e profissionais para a compreensão

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas ESTUDO DO TERMO ONOMA E SUA RELAÇÃO COM A INTERDISCIPLINARIDADE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ENSINO FUNDAMENTAL DA GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DA ONOMÁSTICA/TOPONÍMIA Verônica Ramalho Nunes 1 ; Karylleila

Leia mais

HISTORIOGRAFIA LINGUÍSTICA: PRINCÍPIOS CONCEPÇÕES Cléria Maria Machado Marcondes¹, Ana Maria Barba de Lima¹

HISTORIOGRAFIA LINGUÍSTICA: PRINCÍPIOS CONCEPÇÕES Cléria Maria Machado Marcondes¹, Ana Maria Barba de Lima¹ Revista da Universidade Ibirapuera - - Universidade Ibirapuera São Paulo, v. 6, p. 52-56, jul/dez. 2013 HISTORIOGRAFIA LINGUÍSTICA: PRINCÍPIOS CONCEPÇÕES Cléria Maria Machado Marcondes¹, Ana Maria Barba

Leia mais

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014

O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 O Portal de Periódicos da Capes Katyusha Madureira Loures de Souza Novembro de 2014 Breve histórico 1986 - Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias Programa de Aquisição Planificada de Periódicos 1990

Leia mais

FONTES OU RECURSOS DE INFORMAÇÃO: CATEGORIAS E EVOLUÇÃO CONCEITUAL * 1. TENTANDO CLARIFICAR QUESTÕES CONCEITUAIS E DE TRADUÇÃO

FONTES OU RECURSOS DE INFORMAÇÃO: CATEGORIAS E EVOLUÇÃO CONCEITUAL * 1. TENTANDO CLARIFICAR QUESTÕES CONCEITUAIS E DE TRADUÇÃO 1 FONTES OU RECURSOS DE INFORMAÇÃO: CATEGORIAS E EVOLUÇÃO CONCEITUAL * Lena Vania Ribeiro Pinheiro, IBICT 1. TENTANDO CLARIFICAR QUESTÕES CONCEITUAIS E DE TRADUÇÃO Alguns termos técnicos de Ciência da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Orientações para a elaboração do projeto escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA Coordenação-Geral de Ensino Médio Orientações para a elaboração do projeto escolar Questões norteadoras: Quais as etapas necessárias à

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS

IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS P Ô S T E R IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS Joice Cleide Cardoso Ennes de Souza, Rosali Fernandez de Souza Resumo:

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI Claudio Gottschalg Duque Professor Departamento de Ciência da Informação Universidade de Brasília (UnB) Brasil Mauricio Rocha Lyra Aluno

Leia mais

APLICAÇÃO DE MAPAS MENTAIS DURANTE O BRAINSTORM DE UM JOGO DIGITAL

APLICAÇÃO DE MAPAS MENTAIS DURANTE O BRAINSTORM DE UM JOGO DIGITAL APLICAÇÃO DE MAPAS MENTAIS DURANTE O BRAINSTORM DE UM JOGO DIGITAL Davi Shinji Mota Kawasaki (PIBIC/Fundação Araucária), José Augusto Fabri (Orientador), e-mail: davishinjik@gmail.com; fabri@utfpr.edu.br.

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO Registro na Extensão Nº: Em / / FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO 1 - Identificação: 1.1 - Título 1 : 1.2 - Área Temática Principal (assinalar apenas uma área temática, aquela que melhor define o problema

Leia mais

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Lucas A. de Oliveira, Rui A. R. B. Figueira, Expedito C. Lopes Mestrado em Sistemas e Computação Universidade de Salvador (UNIFACS)

Leia mais

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1. O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.3, Outubro, 2015 Nota prévia Esta apresentação tem por objetivo, proporcionar

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA JUNTO A UM PROGRAMA DE ESTIMULAÇÃO PRECOCE: O PAPEL DOS PROFESSORES E DA FAMÍLIA Ana Paula Marques Leal Barbosa 1 Adriana Garcia Gonçalves 2 1 Aluno do Curso de Pedagogia; Campus

Leia mais

Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados

Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados Dublin Core e MARC 21 : um estudo de correspondência de elementos de metadados Maria das Dores Rosa Alves¹, Marcia Izabel Fugisawa Souza¹ ¹Embrapa Informática Agropecuária Caixa postal 6014 Campinas, SP

Leia mais

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE INDAIATUBA - IESI INDAIATUBA/SP 2 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES...

Leia mais

CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS

CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS DOMINGUEZ RODRIGUES CHAVES, C. (1) Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza. USP - Universidade de

Leia mais

Gestão da Informação e Gestão do Conhecimento: possíveis aplicações em uma rede. Caroline Brito de Oliveira

Gestão da Informação e Gestão do Conhecimento: possíveis aplicações em uma rede. Caroline Brito de Oliveira Gestão da Informação e Gestão do Conhecimento: possíveis aplicações em uma rede Caroline Brito de Oliveira Rio de Janeiro, 25 de novembro de 2012 Gestão da Informação e Gestão do Conhecimento Gestão da

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA FILOMENA MARIA RATES SOARES VITOR TENÓRIO NOVA

Leia mais