A evidência já diz tudo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A evidência já diz tudo."

Transcrição

1 A evidência já diz tudo. 1,2,3,4,5,6,7,8,9 Serviços/Educação JRI Financiamento de pesquisas Atendimento de suporte Treinamento de profissionais de enfermagem Verificações de estoque de remessa: Implantes Visitas à fábrica Instrumentos Cursos da Furlong Hip Modelos de raio X digital PACS Referências: 1. Survivorship of 38 cases in under 50 year olds. N.N. Shah et al J Bone Joint Surg [Br] 2009; 91-B: Survivorship of 331 consecutive cases. J.A.N Shepperd et al J Bone Joint Surg [Br] 2008; 90-B: Survivorship of 134 consecutive cases. A.A. Shetty et al J Bone Joint Surg [Br] 2005; 87-B: Survivorship in 2212 cases. J.M. Buchanan, Sunderland Royal Hospital Dados apresentados no BOA, em Manchester, de 26 a 28 de setembro de Fontes: Fisher J, University of Leeds (Reino Unido); Pandorf T, CeramTecAG (Alemanha), Buchanan J.M. A nineteen-year review of hydroxyapatite ceramic coated hip implants: a clinical and histological evaluation. BOA 2007, Manchester, de 26 a 28 de setembro de Raman R, David D, Eswaramoorthy V, Tiru M, Angus P; Long term results of 586 cementless primary total hip arthroplasties using H-A.C. coated endoprosthesis: BOA; Manchester, de 26 a 28 de setembro de Escriba I, Sancho R, Crusi X, Valera M; Hemispherical hydroxyapatite-coated cups for acetabular revision in severe bone defects: 3 to 7 year results. EFORT, Helsinki, Finlândia, de 4 a 10 de junho de Dados no arquivo. Propriedade da Furlong Research Charitable Foundation que financia a pesquisa ortopédica de modo independente Joint Replacement Instrumentation Limited 18 Churchill Way, 35A Business Park, Chapeltown, Sheffield S35 2PY, Reino Unido Tel.: +44 (0) F: +44 (0) Site: para implantes para instrumentação

2 Visão geral da empresa Conteúdo JRI Limited, fundada em 1970 por Ronald Furlong, FRCS Primeira prótese de artroplastia total do quadril com revestimento de cerâmica de hidroxiapatita Furlong H-A.C. 9 de setembro de 1985 Líder de mercado em resultados clínicos revisados por colegas Pesquisa, desenvolvimento e fabricação ortopédica dedicada Clinicamente comprovado Nem todos os revestimentos H-A.C são iguais Furlong H-A.C. Princípios do modelo de haste femoral Furlong H-A.C. Sistema de copos acetabulares CSF plus Polietileno CLP75 de elevada ligação cruzada Opções de rolamento cerâmico CSF plus Redução do risco de impacto e deslocamento 12 A experiência do paciente 13 A jornada de um cirurgião 14 Furlong H-A.C. Linha de componentes de copos acetabulares CSF plus Furlong H-A.C. primário Tabela de dimensões 17 Furlong H-A.C. primário Linha de componentes de hastes 18 2

3 Clinicamente comprovado Nem todos os revestimentos H-A.C são iguais Afrouxamento asséptico um problema do passado! 10 De 16 a 19 anos 1 1. Survivorship of 38 cases in under 50 year olds. N.N. Shah et al J Bone Joint Surg [Br] 2009; 91- B:865-9 A prótese Furlong de artroplastia total do quadril foi a primeira no mundo a utilizar o revestimento de cerâmica de hidroxiapatita (H-A.C.) para promover a fixação biológica. Desde sua introdução em 1985, a JRI continuou desenvolvendo e aprimorando seu revestimento H-A.C. e a maneira como é aplicado. Um dos fatores mais importantes é se o revestimento H-A.C. é aplicado em condições atmosféricas (APS) ou a vácuo (VPS). O Supravit é o revestimento H-A.C a vácuo (VPS) da JRI. 10 De 15 a 21 anos 2 2. Survivorship of 331 consecutive cases. J.A.N Shepperd et al J Bone Joint Surg [Br] 2008; 90-B:27-30 Fato: Todos os implantes JRI têm revestimento VPS desde 1993 O VPS remove os bolsos de oxigênio e gás 10 De 13 a 15 anos 3 3. Survivorship of 134 consecutive cases. A.A. Shetty et al J Bone Joint Surg [Br] 2005; 87- B: O VPS produz um revestimento denso e homogêneo, evitando rachaduras e delaminação O Supravit apresenta força de adesão superior a 60 MPa A espessura do revestimento Supravit é de 200 µm 99,73% 19 anos 4 4. Survivorship in 2,212 cases. J.M. Buchanan, Sunderland Royal Hospital Dados apresentados no A força adesiva do Supravit é tão grande que uma haste Furlong totalmente aderida de tamanho 10 poderia levantar o peso de um ônibus de dois andares BOA 2007, em Manchester, de setembro de 2007 Estes resultados se comparam favoravelmente aos melhores resultados em longo prazo de componentes femorais cimentados ou não cimentados usados em artroplastia total de quadril. 2 Fig. 1 Aplicação do revestimento H-A.C. usando uma tocha de plasma a ºC. 3 4

4 Furlong H-A.C. Haste femoral Razões do design Eliminação da subsidência A prótese cônica, ao contrário da prótese em forma de cunha, ao ser impactada com firmeza na metáfise, cria estresse de encurvamento ( hoop stressing ) que, em termos A avaliação radiológica dos componentes femorais não mostra linhas radiolucentes, e radiografias em série não revelaram nenhum sinal de subsidência. 1 Zonas de Gruen 2 e 6 gerais, é bem tolerado pelo osso trabecular cortical. A precisão natural da instrumentação e da técnica cirúrgica da Furlong garante uma perfeita fixação mecânica primária. A forma da haste da parte do cone em diante garante carga proximal máxima nas zonas de Gruen 1 e 7 e 2 e 6. Isto permite excelente O colar do componente femoral evita a subsidência prematura da prótese após o implante. Assim que o osso é aderido à prótese, sua função se torna desnecessária. 2 Corte transversal Verificou-se que não havia linhas reativas na interface osso-prótese nem mudanças na interface, também não ocorrendo sinais de subsidência ou osteólise nas radiografias estudadas. 3 Furlong H-A.C. Histologia da haste femoral Zonas de Gruen A estabilidade inicial da haste é feita por ajuste interferente, a seção afunilada da metade da haste funciona como cunha na medula óssea perfurada agindo como uma espécie de rolha na parte superior de uma garrafa. 2 Zonas de Gruen 2 e 6 Corte transversal proximal da ponta distal. suporte do peso durante o pós-operatório e o crescimento acelerado do osso. Escarear o canal medular em 2 mm a mais que a haste distal da prótese cria uma lacuna de 1 mm em volta da haste. Assim, a trabécula forma uma proteção para o osso, pois ela cresce de lado a lado, preenchendo a lacuna. Essas trabéculas ósseas embalantes são elásticas e absorvem os micromovimentos inevitáveis entre o osso hospedeiro e o implante de liga de titânio, mais rígido. 5 6

5 Furlong H-A.C. Haste femoral Razões do design Eliminação da coxartrose Foi perguntado a todos os pacientes em cada revisão sobre a ocorrência de dor na parte anterior da coxa. Nenhum havia tido dor em nenhuma etapa. 1 Corpo proximal projetado para ser encaixado na metáfise do fêmur carga transferida e transmitida pela interface entre a prótese e o osso esponjoso o corte transversal retangular do corpo proximal da prótese permite estabilidade rotacional sob carga dinâmica Transição cônica entre o corpo proximal e a haste distal cilíndrica evita a subsidência e cria estresse de encurvamento ("hoop stressing") do osso cortical, proporcionando fixação mecânica antecipada estável A dor na parte anterior da coxa havia sido reportada anteriormente em pacientes que usavam prótese de quadril não cimentada. Este não foi o caso em nosso estudo. 2 Outra característica importante de nosso estudo foi a ausência de dor na coxa, em contraste com relatos de outros componentes femorais não cimentados sem o revestimento H-A.C. 3 Revestimento de cerâmica de hidroxiapatita cobrindo todo o comprimento da prótese o novo osso cresce, primeiro, diretamente sobre a superfície cerâmica; a prótese inteiramente coberta garante a distribuição uniforme das forças transmitidas através da prótese para o osso hospedeiro Haste universal pode ser usada em diversos tipos de anatomia femoral (flute de Champagne, padrão e cano de fogão) com igual sucesso Dois ângulos cervicodiafisários e dois offsets Hastes de dois ângulos cervicodiafisários de 133º e 140º em padrão e em offset alto para corresponder à mais ampla variedade de anatomias de pacientes Geometria única para promover a fixação mecânica primária inicial com cerâmica de hidroxiapatita agindo como intermediário para realizar a fixação fisiológica secundária. Uma combinação que resultou em sucessos clínicos bem documentados. 7 8

6 Sistema Furlong H-A.C. de copos acetabulares CSF plus Polietileno CLP75 de elevada ligação cruzada Baseado no design clinicamente comprovado do copo acetabular CSF Furlong H-A.C., o sistema CSF plus oferece as mesmas vantagens, porém com algumas melhorias significativas. 6,7,8 Linha dedicada de tipos de conchas acetabulares A irradiação é usada no processo de fabricação para produzir ligações cruzadas nas cadeias de polietileno, tornando o material mais durável. Raios Gama irradiados a 7,5 Mrads produzem ligações cruzadas (crosslinking) de 97,5%, o que reduz significativamente o desgaste volumétrico Fundição temperada para remover radicais livres e restaurar propriedades mecânicas, reduzindo a oxidação Sem estearato de cálcio Os revestimentos em CLP75 e Polietileno de Peso Molecular Ultra-alto (UHMWPE) apresentam um cone de 5 graus, que: Cerâmico Polietileno Proporciona mecanismo de fixação seguro e não destrutivo Garante o assentamento do revestimento Aplicação de revestimento H-A.C. Garante conexão livre de micromovimentos Reduz em grande parte o risco de desgaste interno A aplicação de titânio rugoso de 175 μm aumenta a área de superfície em 20. Esta superfície rugosa aumenta significativamente o coeficiente de atrito fornecendo um "scratch-fit" superior Testes de push-out demonstraram um aumento de força na interface do H-A.C ao osso como uma função de aspereza da superfície. A superfície rugosa aumenta a área de superfície de H-A.C. para osseointegração para fixação biológica H-A.C. Titânio rugoso Cone de fixação Morse de 5 graus Espessura do revestimento em µm Titânio Osprovit APS 1993 Supravit VPS 2001 Supravit Zoned VPS 9 10

7 Opções de rolamento cerâmico CSF plus Redução do risco de impacto e deslocamento Todas as cerâmicas usadas no copo de rolamento cerâmico Furlong H-A.C. CSF plus são cerâmicas Biolox delta ; Este sistema permite que o maior diâmetro interno de rolamento seja usado com o menor diâmetro externo de copo acetabular, sem comprometer a força dos implantes. Alcance de movimentos/deslocamento Uma cabeça maior permite o maior alcance de movimentos antes que o impacto ofereça mais resistência ao deslocamento. A imagem mostra o alcance dos movimentos como uma função do tamanho da cabeça. 28 mm Ø 32 mm Ø 36 mm Ø 40 mm Ø Cabeça de cerâmica Biolox delta de 36 mm em uma concha acetabular de 50 mm Cabeça de cerâmica Biolox delta de 40 mm em uma concha acetabular de 54 mm 123º 130º 136º 152º A imagem mostra o alcance dos movimentos como uma função do tamanho da cabeça. 28 mm Ø 32 mm Ø 36 mm Ø 40 mm Ø Um anel interno de 18º proporciona excelente fixação do revestimento da concha acetabular Função Tamanho da cabeça (mm) Otimização da função Aumento da estabilidade Alcance de movimentos Maximização da sobrevida Metal sobre polietileno Princípio Charnley Metal sobre XPE Alumínio sobre XPE 28 Alumínio sobre cerâmica de alumínio Alto desgaste Sobrevida Baixo desgaste Fontes: Fisher J, University of Leeds (Reino Unido), 2006; Pandorf T, CeramTecAG (Alemanha),

8 A experiência do paciente A jornada de um cirurgião Não posso acreditar! Fui muito boba por ter esperado 2 anos e meio para fazer a operação. Sr. P Deacon, FRCS (Fellowship of the Royal College of Surgeons) Quando era um jovem ortopedista do departamento no início da minha residência, na década de 1980, meu primeiro trabalho foi na Bradford Royal Infirmary (BRI), onde, naquele tempo, a escolha tradicional era a prótese de quadril cimentada Charnley. Entretanto, o médico especialista com quem trabalhei em Bradford estava ciente de que precisava encontrar uma nova prótese de quadril não cimentada para seus pacientes mais jovens que oferecesse, além de maior alcance de movimentos, uma sobrevida mais longa que a dos implantes atuais. Pauline tinha 68 anos quando foi operada. Antes da operação ela sentia muita dor e conseguia caminhar apenas uns 100 metros em sua cidadezinha. Ela esperou mais de dois anos antes de finalmente decidir que não iria mais viver com a dor. Ela estava muito preocupada com a operação, mas foi acalmada pelo cirurgião, que lhe mostrou exatamente como era o implante. No dia seguinte após a operação, ela estava caminhando com o auxílio de um andador. Alguns dias depois, quando conseguiu subir alguns degraus, foi autorizada a ir para casa. O implante revestido Furlong H-A.C. parecia ser fácil de usar, e os resultados clínicos pareciam muito positivos, então achamos que valia a pena fazer uma investigação aprofundada. Eu e mais alguns colegas pesquisamos todos os dados clínicos disponíveis. Descobrimos que o que parecia ser baseado em fundamentos científicos sólidos poderia ser o implante que precisávamos para nossos pacientes mais jovens. Os resultados iniciais do uso da prótese Furlong na BRI foram tão animadores que quando abri meu próprio consultório no Pinderfields Hospital em 1990, ela tornou-se a minha opção de artroplastia total do quadril para pacientes mais jovens, especialmente porque eu havia herdado uma grande quantidade de revisões de pacientes mais jovens que usavam uma prótese de quadril cimentada. Não posso acreditar! Fui muito boba por ter esperado 2 anos e meio para fazer a operação. Antes da operação eu estava sofrendo muito, e agora estou completamente sem dor. Depois da operação, comecei logo a andar sem nenhum auxílio e pude retornar às atividades que sempre gostei antes de ter um quadril artrítico, como andar de bicicleta. Posso até mesmo visitar minha mãe e empurrá-la em sua cadeira de rodas. Tenho minha vida de volta! Os resultados clínicos continuaram bons com o passar dos anos em Pinderfields, e eu comecei a usar a Furlong cada vez mais. Primeiramente, em pacientes de 50 a 55 anos, depois, de 60 anos, e daí em diante em praticamente todos os pacientes de artroplastia do quadril. 14 anos de sobrevida 9 Todas as próteses Furlong H-A.C. de quadril 96% Hastes Furlong H-A.C. 10 Copos CSF 98,5% (13 anos) Minha jornada agora chegou ao fim, e passei meu consultório para um novo médico. No entanto, estou confiante de que o número de revisões necessárias com o uso da Furlong será bem menor do que quando iniciei minha jornada. Copos com rosca 91,4% 13 14

9 Componentes de copos acetabulares Furlong H-A.C. CSF plus Códigos de copo de rolamento cerâmico Códigos de copo de rolamento de polietileno Opções de Opções de revestimento revestimento Cerâmica Biolox delta UHMWPE (Polietileno de Peso Molecular Ultra-alto) padrão UHMWPE (Polietileno de Peso Molecular Ultra-alto) padrão com revestimento Polietileno CLP75 de ligação cruzada Polietileno CLP75 de elevada ligação cruzada Diâmetro externo 28 mm 32 mm 36 mm 40 mm 28 mm 32 mm 36 mm 28 mm 32 mm 36 mm 28 mm 32 mm 36 mm 28 mm 32 mm 36 mm 44 mm mm 48 mm mm 52 mm mm mm mm mm mm mm mm 68 mm mm

10 Tabela de dimensões Furlong H-A.C. primária Furlong H-A.C. primário linha de componentes de hastes 133 o Ângulo cervicodiafisário femoral padrão offset Tamanho da haste Comprimento da haste Offset lateral S M L XL , 11, o Ângulo cervicodiafisário femoral padrão offset (+5 mm) Tamanho da haste Comprimento da haste Offset lateral S M L XL , 11, Ângulo diafisário femoral Curto -4. Variação da cabeça média Comprimento do colo Comprimento da perna Médio 0 Longo +4 Extralongo o -2,8 0 2,8 5,6 140 o -3,1 0 3,1 6,2 XL L M S Offset lateral Linha de referência (Cabeça média) + Comprimento da perna Variância da linha de referência Haste Furlong H-A.C. de 133 de ângulo cervicodiafisário femoral, revestida com Supravit DESCRIÇÃO Nº DO PRODUTO HASTE DE 133 DE ÂNGULO CERVICODIAFISÁRIO FEMORAL Liga de titânio com revestimento Supravit 08 mm mm mm mm mm mm mm mm HASTE DE 133 DE ÂNGULO CERVICODIAFISÁRIO FEMORAL, offset alto (+5 mm) Liga de titânio com revestimento Supravit 08 mm mm mm mm mm mm mm mm Ângulo cervicodiafisário femoral de 140 o, padrão offset Tamanho da haste Comprimento da haste Offset lateral S M L XL Ponta curta 10 10, 11, Ângulo cervicodiafisário femoral de 140 o, padrão offset (+5 mm) Tamanho da haste Comprimento da haste Offset lateral S M L XL Ponta curta 10 10, 11, Ângulo cervicodiafisário femoral Tamanho da haste Comprimento da haste DESCRIÇÃO Nº DO PRODUTO HASTE PADRÃO DE 140 DE ÂNGULO CERVICODIAFISÁRIO FEMORAL Liga de titânio com revestimento Supravit 08 mm mm mm (ponta curta) mm mm mm mm mm mm HASTE PADRÃO DE 140 DE ÂNGULO CERVICODIAFISÁRIO FEMORAL, offset alto (+5 mm) Liga de titânio com revestimento Supravit 08 mm mm mm (ponta curta) mm mm mm mm mm mm Haste Furlong H-A.C. de 140 de ângulo cervicodiafisário femoral revestida com Supravit Todas as dimensões são em milímetros 17 18

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa:

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa: Serviços/Educação JRI Financiamento de pesquisas Treinamento de profissionais de enfermagem Visitas à fábrica Cursos da Furlong Hip Atendimento de suporte Verificações de estoque de remessa: s Instrumentos

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Zimmer (Argentina) Revisão Modular de Quadril O primeiro objetivo de uma revisão de quadril é estabelecer uma fixação, dessa maneira se alivia

Leia mais

PROTESE TOTAL QUADRIL Dr. Gladyston Introdução ATQ procedimento alívio dor, ganho funcional e melhora qualidade de vida Sucesso depende: Escolha paciente ideal Uso de implantes adequados Habilidade técnica

Leia mais

Descrição: Prótese Total de Quadril

Descrição: Prótese Total de Quadril QUADRIL IMPORTADO Descrição: Prótese Total de Quadril Marca: Lépine (França). Hastes Femorais Desenho Quadrangular Auto Bloqueante com Longo Recuo de Resultados Clínicos. Opção de Haste com / sem Apoio

Leia mais

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Quadril. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Quadril Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O quadril, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a bacia. As pessoas leigas

Leia mais

Manual de cuidados pré e pós-operatórios

Manual de cuidados pré e pós-operatórios 1. Anatomia O quadril é uma articulação semelhante a uma bola no pegador de sorvete, onde a cabeça femoral (esférica) é o sorvete e o acetábulo (em forma de taça) é o pegador. Esse tipo de configuração

Leia mais

Técnica operacional do sistema de revisão modular

Técnica operacional do sistema de revisão modular Técnica operacional do sistema de revisão modular Conteúdo Razões do design do sistema Securus Linha de implantes Securus 1 Razões do design Securus 2 Contraindicações 3 Avaliações pré-operatórias 4 Preparação

Leia mais

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella

Artroplastia Total do Joelho. Manual para Pacientes. Dr. Richard Prazeres Canella Artroplastia Total do Joelho Manual para Pacientes Dr. Richard Prazeres Canella Florianópolis SC Introdução O joelho, para o médico, é a junção do fêmur (osso da coxa) com a tíbia (osso da perna). Também

Leia mais

sistema de artroplastia total de quadril

sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril sistema de artroplastia total de quadril Sobrevida.% Sobrevida.% 100.00 100.00 99.00 99.00 98.00 98.00 97.00 97.00 96.00 96.00 95.00 95.00 94.00 94.00 93.00 93.00

Leia mais

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + +

www.dentaladvisor.com Quick Up Editors Choice + + + + + www.dentaladvisor.com Material autopolimerizável para a fixação de attachments e elementos secundários em próteses Editors Choice + + + + + A SOLUÇÃO EM UM KIT É muito comum as próteses totais apresentarem

Leia mais

New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional

New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional Eliminando complicações mecânicas iniciais Centro de Rotação Condilar Sistema Central de Estabilização Alta elevação para eliminar qualquer risco de deslocamento. Aprofundado para evitar tensões patelares.

Leia mais

Revisão de artroplastia total do quadril com prótese modular não-cimentada de fixação distal tipo ZMR. Análise clínica e radiográfica de 30 casos.

Revisão de artroplastia total do quadril com prótese modular não-cimentada de fixação distal tipo ZMR. Análise clínica e radiográfica de 30 casos. Revisão de artroplastia total do quadril com prótese modular não-cimentada de fixação distal tipo ZMR. Análise clínica e radiográfica de 30 casos. Richard Prazeres Canella Paulo Gilberto Cimbalista de

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Ao usar a ampla linha de Barras e Perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Com muita história. Nasceu a tecnologia.

Com muita história. Nasceu a tecnologia. Com muita história. Nasceu a tecnologia. Mesmo sendo revolucionário em princípios e design, o Scorpio baseia-se em uma diversidade de princípios biomecânicos da anatomia e fisiologia do joelho. O ponto

Leia mais

Programa de Especialização Cirurgia do Quadril (R4) Treinamento Avançado em Cirurgia do Quadril. Goiânia GO / Maio de 2015.

Programa de Especialização Cirurgia do Quadril (R4) Treinamento Avançado em Cirurgia do Quadril. Goiânia GO / Maio de 2015. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DE GOIÁS HOSPITAL DE URGÊNCIA DE GOIÂNIA (HUGO) / HOSPITAL GERAL DE GOIÂNIA ALBERTO RASSI () SERVIÇO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA / SERVIÇO DE CIRURGIA DO QUADRIL

Leia mais

Perfeição através da precisão. Ferramentas de precisão para a indústria de fios metálicos

Perfeição através da precisão. Ferramentas de precisão para a indústria de fios metálicos DEUTSCH ENGLISH ESPAÑOL FRANÇAIS ITALIANO PORTUGUES РУССКИЙ Perfeição através da precisão. Ferramentas de precisão para a indústria de fios metálicos NABER & WISSMANN Uma marca que define padrões. Desde

Leia mais

implantes ortopédicos deficiências das articulações

implantes ortopédicos deficiências das articulações implantes ortopédicos deficiências das articulações quando um paciente se queixa de dor na articulação (da anca ou joelho) a causa mais usual é a artrite. a substituição da articulação natural por uma

Leia mais

TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE.

TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. TW101 TW201 TW301 TW311 TW321 TW421 TW431 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. PARA FURAR MATERIAIS DE ALTA RESISTÊNCIA OU EM CONDIÇÕES EXTREMAS, UTILIZE NOSSA GAMA DE SOLUÇÕES. ALTA PERFORMANCE COM MÁXIMA

Leia mais

TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA

TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 PREGÃO Nº: 025/2014 PROCESSO Nº: 2014-0.024.689-6 CONTRATANTE: AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL CONTRATADA: MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA CNPJ Nº: 58.850.728/0001-92

Leia mais

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS Técnica Cirúrgica 8.30 - ALPHA - Cemented Femoral Prosthesis Prótese Femoral Cimentada ALPHA Colaboradores Dr. Flávio Turíbio Dr. Milton Roos Material INOX ASTM F.138

Leia mais

Haste Avenir Müller. Técnica Cirúrgica

Haste Avenir Müller. Técnica Cirúrgica Haste Avenir Müller Técnica Cirúrgica Haste Avenir Müller Técnica cirúrgica 3 Haste Avenir Müller Técnica Cirúrgica Índice Aprender com o Passado 4 Indicações e Contra-indicações 6 Descrição dos Implantes

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná

Hospital Universitário Cajuru. Pontifícia Universidade Católica Paraná Hospital Universitário Cajuru Pontifícia Universidade Católica Paraná Grupo de Cirurgia Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas Peri Protéticas Conceitos

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais 3.1 O ensaio de tração e compressão A resistência de um material depende de sua capacidade de suportar uma carga sem deformação excessiva ou ruptura. Essa

Leia mais

QUADRIL. Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty

QUADRIL. Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty QUADRIL Soluções em Artroplastia Total de Quadril Soluciones en la Artroplastia Total de Cadera Solutions for Total Hip Arthroplasty www.mdt.com.br Métodos e Desenvolvimento Tecnológico para a Vida Índice

Leia mais

MESA CIRÚRGICA OPERON 760, OPERON 820, OPERON 850. Marca: Berchtold Fabricante: Berchtold Procedência: Alemanha

MESA CIRÚRGICA OPERON 760, OPERON 820, OPERON 850. Marca: Berchtold Fabricante: Berchtold Procedência: Alemanha MESA CIRÚRGICA OPERON 760, OPERON 820, OPERON 850 Marca: Berchtold Fabricante: Berchtold Procedência: Alemanha Primeira Classe: a capacidade de carga Os componentes básicos da mesa OPERON são projetado

Leia mais

Tecnologia Mecânica. Programa. Processamento Mecânico de Materiais Metálicos. Fundamentos. Estampagem. Luís Alves. Corte Arrombamento.

Tecnologia Mecânica. Programa. Processamento Mecânico de Materiais Metálicos. Fundamentos. Estampagem. Luís Alves. Corte Arrombamento. Tecnologia Mecânica Programa Processamento Mecânico de Materiais Metálicos Fundamentos Estampagem Luís Alves Corte Arrombamento Forjamento Hydroforming Bárbara Gouveia Tecnologia Mecânica 1 Tecnologia

Leia mais

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade

O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade 1 O grupo de cirurgia de quadril é formado por cirurgiões ortopédicos, enfermeiros e fisioterapeutas que se dedicam exclusivamente a essa especialidade há vários anos. Faz parte integral da filosofia de

Leia mais

Conteúdo A SELEÇÃO NATURAL. "A preservação de variações favoráveis e a rejeição de variações prejudiciais é o que chamo de Seleção Natural".

Conteúdo A SELEÇÃO NATURAL. A preservação de variações favoráveis e a rejeição de variações prejudiciais é o que chamo de Seleção Natural. A SELEÇÃO NATURAL Conteúdo O Legado Furlong 2 Design Evolution 4 Critérios de Design da Furlong Evolution 5 Princípios comprovados da Furlong Evolution 6 "A preservação de variações favoráveis e a rejeição

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Buchas Guias Mancais de Deslizamento e Rolamento Buchas Redução de Atrito Anel metálico entre eixos e rodas Eixo desliza dentro da bucha, deve-se utilizar lubrificação.

Leia mais

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas.

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. SOMA DE VALORES A JR Tecnologia em Superfícies (nome fantasia) iniciou suas atividades em 1991 com o nome JR Gonçalves

Leia mais

VOSS ES-4 A conexão por vedação suave com quatro vezes mais vantagens

VOSS ES-4 A conexão por vedação suave com quatro vezes mais vantagens VOSS ES-4 A conexão por vedação suave com quatro vezes mais vantagens Experiência e Inovação Descrição das Funções VOSS ES-4: A vedação suave conforme DIN/ISO com 4 benefícios 1. Embasamento no anel de

Leia mais

ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS

ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. E NORMAS COMPLEMENTARES... 3 4. DEFINIÇÃO... 3

Leia mais

Nesta aula, você vai estudar exatamente isso. E para acabar com o suspense, vamos a ela.

Nesta aula, você vai estudar exatamente isso. E para acabar com o suspense, vamos a ela. Mete broca! Nesta aula, vamos estudar uma operação muito antiga. Os arqueólogos garantem que ela era usada há mais de 4000 anos no antigo Egito, para recortar blocos de pedra. Ela é tão comum que você

Leia mais

Furação NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q

Furação NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q Comprimento Total Haste Corpo Extremidade cônica neste comprimento Largura do Campo Largura das Costas Ângulo da Ponta Aresta Principal de Corte Diâmetro

Leia mais

Artroplastia Total de Quadril Cerâmica/cerâmica sem cimento. Técnica Cirúrgica Mecânica HORIOZON + LOGIC. LOGIC grooved. HORIZON ceramic/ceramic

Artroplastia Total de Quadril Cerâmica/cerâmica sem cimento. Técnica Cirúrgica Mecânica HORIOZON + LOGIC. LOGIC grooved. HORIZON ceramic/ceramic HORIOZON + LOGIC Artroplastia Total de Quadril Cerâmica/cerâmica sem cimento Técnica Cirúrgica Mecânica LOGIC grooved cementless partial HAP femoral stem HORIZON ceramic/ceramic cementless acetabular component

Leia mais

Catálogo de Gaxetas, Raspadores e Guias

Catálogo de Gaxetas, Raspadores e Guias Catálogo de Gaxetas, Raspadores e Guias CIAGN 1021 (2011) AGN Vedações Hidráulica, Pneumática e Serviços Ltda. Índice página 1. Introdução 3 2. Compostos das Gaxetas 3 3. Dimensões das Gaxetas 3 3.1 Gaxeta

Leia mais

Polias e correias I. Como Ernesto resolveu o problema da correia e da polia? Polias e correias é o tema desta aula.

Polias e correias I. Como Ernesto resolveu o problema da correia e da polia? Polias e correias é o tema desta aula. Polias e correias I A UU L AL A O número de rotações por minuto (rpm) executado por uma furadeira de coluna não estava compatível com a necessidade exigida pelo trabalho. O número de rotações desenvolvido

Leia mais

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Ficha técnica pro-part Perfil decorativo para revestimentos cerâmicos; alternativa à tradicional faixa cerâmica decorativa. Adequados para o remate de esquinas e transições entre ladrilhos cerâmicos. pro-part

Leia mais

Os suportes Insta-Quote estão disponíveis em 7 tipos diferentes:

Os suportes Insta-Quote estão disponíveis em 7 tipos diferentes: O Insta-Quote é um programa baseado na web que permite ao usuário cotar e receber impressões em apenas 30 segundos. Para acessar o Insta-Quote vá até www.alliedmachine.com e clique no link Insta-Quote

Leia mais

Mecânica I (FIS-14) Prof. Dr. Ronaldo Rodrigues Pelá Sala 2602A-1 Ramal 5785 rrpela@ita.br www.ief.ita.br/~rrpela

Mecânica I (FIS-14) Prof. Dr. Ronaldo Rodrigues Pelá Sala 2602A-1 Ramal 5785 rrpela@ita.br www.ief.ita.br/~rrpela Mecânica I (FIS-14) Prof. Dr. Ronaldo Rodrigues Pelá Sala 2602A-1 Ramal 5785 rrpela@ita.br www.ief.ita.br/~rrpela Onde estamos? Nosso roteiro ao longo deste capítulo A equação do movimento Equação do movimento

Leia mais

Haste CLS Spotorno. Técnica Cirúrgica

Haste CLS Spotorno. Técnica Cirúrgica Haste CLS Spotorno Técnica Cirúrgica Técnica Cirúrgica Haste CLS Spotorno Índice Haste CLS Spotorno 4 Indicações para a Haste CLS Spotorno 5 Planeamento pré-operatório 10 Técnica Cirúrgica 12 Objecto

Leia mais

Atualizações em Artroplastia do Quadril. Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba

Atualizações em Artroplastia do Quadril. Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba Atualizações em Artroplastia do Quadril Dr. Ademir Schuroff Hospital Universitário Cajuru PUC-PR / Curitiba Hospital Universitário Cajuru PUC-PR Curitiba/Paraná Brasil Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni

Leia mais

Buchas. Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se. Bucha

Buchas. Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se. Bucha A U A UL LA Buchas Introdução Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se que a primeira roda tenha sido um tronco cortado em sentido transversal. Com a invenção da roda, surgiu, logo depois, o eixo. O

Leia mais

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS Por Paulo Alencar # e Rogério Fuchs * # Cirurgião Ortopedista, médico do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba,

Leia mais

Como sua empresa pode

Como sua empresa pode Como sua empresa pode [ O guia de segmentação por IP ] Tecnologia de Inteligência de IP e de geolocalização O método de encontrar a localização física e geográfica de um usuário com base unicamente em

Leia mais

THE SWEDISH DOCTOR BLADE

THE SWEDISH DOCTOR BLADE THE SWEDISH DOCTOR BLADE SOBRE A PRIMEBLADE A PrimeBlade Sweden AB é uma empresa fabricante e fornecedora global de lâminas doctorblade para impressoras flexográfica, rotogravura e offset. Juntamente com

Leia mais

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério

Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Alternativas da prótese total do quadril na artrose Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério grupoquadrilhuc@hotmail.com Conceito É uma doença degenerativa crônica caracterizada

Leia mais

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE

EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA DEFINIÇÃO PARA PREMIUM. SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE www.ruukki.com.br SOLUÇÕES PARA O TRANSPORTE EU EXIJO MAIS DOS MEUS AÇOS PARA O TRANSPORTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA AO DESGASTE AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA MECÂNICA AÇOS DE ALTA RESISTÊNCIA RUUKKI. A NOVA

Leia mais

Sistema de fixação Renishaw Soluções para fixação em metrologia

Sistema de fixação Renishaw Soluções para fixação em metrologia H-1000-0116-02-A Sistema de fixação Renishaw Soluções para fixação em metrologia Fixações para CMM Fixações para inspeção visual Fixações para Equator Fixações especiais Fixações CMM Renishaw Fixações

Leia mais

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA ANEXO I - DA DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA GRANDES FRAGMENTOS 1 Parafuso cortical em aço inoxidável antimagnético, diâmetro da rosca de 4,5mm, diâmetro do núcleo de 3,0mm, hexágono interno de 3,5mm

Leia mais

Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia

Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia Biomecánica, 14 (2), 2006, pp. 52-63 Efeitos da haste press-fit na artroplastia total do joelho: Influência da haste tibial no fémur e da haste na tíbia Resumo 1 2 1 A. COMPLETO, F. FONSECA, J.A. SIMÕES.

Leia mais

DESENHO PRISMÁTICO KERARING SEGMENTOS DE ARCOS E ESPESSURAS VARIÁVEIS EXCLUSIVO

DESENHO PRISMÁTICO KERARING SEGMENTOS DE ARCOS E ESPESSURAS VARIÁVEIS EXCLUSIVO KERARING, segmento de anel corneano intraestromal, é um dispositivo de precisão implantado para correção de irregularidades da superfície corneana e redução de erros refracionais associados ao Ceratocone

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Definição Eixos e Árvores Cabos Definição Função: Transmissão de potênica e movimento (direção). Definição As transmissões entre os elementos podem se realizar: Por

Leia mais

Plásticos para Cultivo Celular

Plásticos para Cultivo Celular Linha Cultivo de Células e Tecidos Fabricada em poliestireno cristal virgem (GPPS), oferece produtos com alta transparência para ótima visualização e sem presença de contaminantes, assegurando integridade

Leia mais

Construction. SikaFuko Eco-1. Tubo de injecção para selagem de juntas de betonagem em estruturas estanques. Descrição do produto.

Construction. SikaFuko Eco-1. Tubo de injecção para selagem de juntas de betonagem em estruturas estanques. Descrição do produto. Ficha de Produto Edição de Maio de 2011 Nº de identificação: 07.209 Versão nº 1 SikaFuko Eco-1 Tubo de injecção para selagem de juntas de betonagem em estruturas estanques Descrição do produto Tubo de

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON

INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON BR INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON BR O Design de um Implante Dita suas Capacidades Clínicas 4.5 x 6.0mm 6.0 x 5.7mm 5.0 x 6.0mm OSistema Bicon é um sistema único de implante dentário, que oferece a comunidade

Leia mais

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica.

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. Fábio Gonçalves 1 Resumo O objetivo deste estudo é apresentar um caso clínico

Leia mais

Calandra de 4 Rolos modelo VRM

Calandra de 4 Rolos modelo VRM Calandra de 4 Rolos modelo VRM Sumário Construção de Máquinas é nossa Profissão com Criatividade e Paixão. Nós da HAEUSLER 3 Calandra de 4 Rolos 4 Particularidades da Calandra de 4 Rolos HAEUSLER Modelo

Leia mais

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Prof André Montillo Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Elementos Ósseos Cabeça do Fêmur Trocanter Maior Colo

Leia mais

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE

NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE NOVA ZONA ÓPTICA VARIÁVEL LÍDER MUNDIAL NO TRATAMENTO DO CERATOCONE O mais completo e versátil sistema para remodelamento corneano existente no mercado mundial. Keraring, segmento de anel corneano intraestromal,

Leia mais

1. Objetivo 1. 2. Referências 1. 3. Condições gerais 1. 4. Condições específicas 1. 5. Inspeção 2. Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas 4

1. Objetivo 1. 2. Referências 1. 3. Condições gerais 1. 4. Condições específicas 1. 5. Inspeção 2. Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas 4 SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo 1 2. Referências 1 3. Condições gerais 1 4. Condições específicas 1 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS 02.118-CONEM-0003 5. Inspeção 2 Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas

Leia mais

Dados Técnicos Sobre Tubos

Dados Técnicos Sobre Tubos www.swagelok.com Dados Técnicos Sobre Tubos Índice Serviço de Gás.......................... 2 Instalação.............................. 2 Tabelas de Pressão de Trabalho Sugeridas Tubos em Aço Carbono.....................

Leia mais

Instrução de Uso Sistema Híbrido para Artroplastia de Quadril Amplitude

Instrução de Uso Sistema Híbrido para Artroplastia de Quadril Amplitude Código do Produto Legendas dos símbolos utilizados nas embalagens Número de Lote Produto de Uso Único Data de Validade Atenção Ler as Instruções de Uso Não utilizar se a embalagem estiver violada ESTÉRIL

Leia mais

7 FURAÇÃO. 7.1 Furadeira

7 FURAÇÃO. 7.1 Furadeira 1 7 FURAÇÃO 7.1 Furadeira A furadeira é a máquina ferramenta empregada, em geral, para abrir furos utilizando-se de uma broca como ferramenta de corte. É considerada uma máquina ferramenta especializada

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Quando você usa a ampla linha de barras e perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Alta confiabilidade em cortes e canais mais profundos

Alta confiabilidade em cortes e canais mais profundos Alta confiabilidade em cortes e canais mais profundos As necessidades do usuário final......para operações de cortes e canais mais profundos foram reconhecidas nos primeiros estágios de desenvolvimento

Leia mais

TELE ORTHOPANTOMOGRAPH OP300. Uma plataforma para todas as suas necessidades. OP300. Sistema de imagem digital panorâmica

TELE ORTHOPANTOMOGRAPH OP300. Uma plataforma para todas as suas necessidades. OP300. Sistema de imagem digital panorâmica OP300 Sistema de imagem digital panorâmica Sistema de imagem digital cefalométrica Sistema de imagem digital Cone Beam 3D TELE Uma plataforma para todas as suas necessidades. ORTHOPANTOMOGRAPH OP300 1

Leia mais

LATERAIS E ADUTORAS MATERIAIS EMPREGADOS EM TUBULAÇÕES

LATERAIS E ADUTORAS MATERIAIS EMPREGADOS EM TUBULAÇÕES LATERAIS E ADUTORAS Uma tubulação em irrigação pode, conforme a finalidade, ser designada como adutora, ramal ou lateral. A adutora é aquela tubulação que vai da bomba até a área a ser irrigada. Normalmente

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt)

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt) Esterofoto Geoengenharia SA Álvaro Pombo Administrtador (www.estereofoto.pt) Q. Conte-nos um pouco da historia da empresa, que já tem mais de 30 anos. R. A Esterofoto é uma empresa de raiz, a base da empresa

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo.

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. A Dentoflex vai ainda mais longe A Dentoflex está no mercado odontológico há mais de 30 anos e não para de se reiventar. Para ser

Leia mais

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA.

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA. LABORATÓRIO Joaquín Madrueño Arranz Direção Técnica em laboratório de prótese dental próprio Formação e Peritagem em próteses dentais (Fotografias clínicas cedidas pelo Dr. Villar) REABILITAÇÃO ATRAVÉS

Leia mais

Piso vinílico de última geração. conheça o piso que renova todos os tipos de ambiente

Piso vinílico de última geração. conheça o piso que renova todos os tipos de ambiente Piso vinílico de última geração conheça o piso que renova todos os tipos de ambiente produtos para viver e morar bem A Duratex é a maior e mais moderna indústria do hemisfério sul de painéis de madeira

Leia mais

inbe.com.br JOELHO OMBRO QUADRIL www.tmmedical.com.br MÃO

inbe.com.br JOELHO OMBRO QUADRIL www.tmmedical.com.br MÃO QUADRIL inbe.com.br www.tmmedical.com.br MÃO 02 Í N D I C E G E S T Ã O 03 EQUIPAMENTOS ARTROSCÓPICOS QUADRIL 04. FMS Varp 07. RigidFix Bio-Intrafix Milagro 08. Orthosorb Rapidloc Agulhas para sutura de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Departamento de Engenharia Mecânica

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Departamento de Engenharia Mecânica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Departamento de Engenharia Mecânica Elementos de Máquinas II Elementos de Apoio F T O = 0 Óleo e.sen O F h máx e Eixo Mancal L Óleo F d n h min d Q máx F pmáx p O

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I:

PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I: IFES INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ANDRÉ VANDER PERINI CARLOS EDUARDO POLATSCHEK KOPPERSCHMIDT WILLIAM SFALSIN MANHÃES PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I: CADEIRA DE RODAS SÃO MATEUS ES 2013

Leia mais

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora.

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora. Brocas A broca é uma ferramenta de corte geralmente de forma cilíndrica, fabricada com aço rápido, aço carbono, ou com aço carbono com ponta de metal duro soldada ou fixada mecanicamente, destinada à execução

Leia mais

SUPORTE LATERAL componentes. VARANDA componentes. SUPORTE LATERAL componentes. Tel: 55 11 4177-2244 plasnec@plasnec.com.br l www.plasnec.com.

SUPORTE LATERAL componentes. VARANDA componentes. SUPORTE LATERAL componentes. Tel: 55 11 4177-2244 plasnec@plasnec.com.br l www.plasnec.com. VARANDA 5 6 9 SUPORTE LATERAL 12 4 7 10 8 Código: 17010101 Descrição: Conjunto suporte lateral regulável Ø 13mm: 1 - Manopla - PA rosca M10 SS 304 2 - Arruela - M12 24mm SS 304 3 - Olhal - M10 PA M10 SS

Leia mais

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Maio/Junho 2010 Caso Clínico Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Di Alberti L, Donnini F, Camerino M, Di Alberti C, Rossi G, Perfetti G, Dolci M, Trisi P do Department of

Leia mais

Catálogo de Produtos 2009. Implantes Componentes Instrumentais

Catálogo de Produtos 2009. Implantes Componentes Instrumentais Catálogo de Produtos 2009 Componentes Instrumentais Conexão Sistemas de Prótese Ciência e Compromisso Prezado Cliente. A Conexão Sistemas de Prótese é uma empresa 100% brasileira que produz, desenvolve

Leia mais

Modelo de Instruções de Uso

Modelo de Instruções de Uso Modelo de Instruções de Uso Brocas Cirúrgicas carbide De Soutter Descrição e Especificações e Características do Produto As Brocas Cirúrgicas carbide De Soutter são produzidas em aço inoxidável e possuem

Leia mais

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL ODONTO IDÉIAS Nº 07 As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL Nossa intenção com esta coluna é reconhecer o espírito criativo do Cirurgião Dentista brasileiro, divulgando

Leia mais

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF Uma solução inovadora para as transmissões por correias É sabido

Leia mais

MANUAL DE ACIONAMENTO DO SISTEMA CONE MORSE FRICCIONAL BATE CONEXÃO

MANUAL DE ACIONAMENTO DO SISTEMA CONE MORSE FRICCIONAL BATE CONEXÃO MANUAL DE ACIONAMENTO DO SISTEMA CONE MORSE FRICCIONAL BATE CONEXÃO O SISTEMA CONE MORSE FRICCIONAL Cursos Gratui tos Sistema Friccio de Implante nal Bio lógico - Cone Morse -L ocking 41 336 Taper - 3

Leia mais

Geopolímero para reparo e reabilitação de vigas de concreto armado por P. Balaguru, Professor Stephen Kurtz e Jon Rudolph

Geopolímero para reparo e reabilitação de vigas de concreto armado por P. Balaguru, Professor Stephen Kurtz e Jon Rudolph Geopolímero para reparo e reabilitação de vigas de concreto armado por P. Balaguru, Professor Stephen Kurtz e Jon Rudolph À prova de fogo Reparos externos e reabilitação estrutural para infraestruturas

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

pro-telo inox Perfil metálico quinado em forma de U. Lateral de 8 mm de altura. Lado à vista liso de 10, 25 ou 40 mm.

pro-telo inox Perfil metálico quinado em forma de U. Lateral de 8 mm de altura. Lado à vista liso de 10, 25 ou 40 mm. Fica técnica pro-telo Perfil decorativo de metal para revestimentos cerâmicos. Lina metálica sem abas, para ladrilos de todas as espessuras. Disponível numa grande variedade de materiais, acabamentos e

Leia mais

Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral. com rigidez variável

Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral. com rigidez variável Avaliação biomecânica do desempenho de prótese femoral com rigidez variável Kelly Magalhães Trabalho de Projeto apresentada à Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança para

Leia mais

Para vencer estas dificuldades, é fundamental que cada um conheça seus direitos e tenha os instrumentos necessários para garantí-ios.

Para vencer estas dificuldades, é fundamental que cada um conheça seus direitos e tenha os instrumentos necessários para garantí-ios. Apresentação Apresentamos a primeira edição da cartilha da Criança Ostomizada que foi coordenada pela enfermeira estomaterapeuta Maria Claudia Moreira de Alcantara para orientar as crianças ostomizadas,

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Resistência do Concreto

Leia mais

EFICIÊNCIA DE LEITOS CONVENCIONAIS DE ÂNODOS VERSUS LEITOS EM POÇO VERTICAL PROFUNDO PARA PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES EM PLANTAS PETROQUÍMICAS

EFICIÊNCIA DE LEITOS CONVENCIONAIS DE ÂNODOS VERSUS LEITOS EM POÇO VERTICAL PROFUNDO PARA PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES EM PLANTAS PETROQUÍMICAS EFICIÊNCIA DE LEITOS CONVENCIONAIS DE ÂNODOS VERSUS LEITOS EM POÇO VERTICAL PROFUNDO PARA PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES EM PLANTAS PETROQUÍMICAS UMA EXPERIÊNCIA PRÁTICA Luciano Pereira da Silva Francisco

Leia mais

Classificação dos Núcleos

Classificação dos Núcleos OBJETIVO Núcleos Permitir que o dente obtenha características biomecânicas suficientes para ser retentor de uma prótese parcial fixa. Classificação dos Núcleos Núcleos de Preenchimento Núcleos Fundidos

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Painel Solar Compacto FCC-2S. www.vulcano.pt. Janeiro 2013

FICHA TÉCNICA. Painel Solar Compacto FCC-2S. www.vulcano.pt. Janeiro 2013 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351. 218 500 300 Janeiro 2013 FICHA TÉCNICA Painel Solar Compacto FCC-2S www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante Página 1 de 6 22/10/2009-11h42 Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante GABRIELA CUPANI da Folha de S.Paulo Nenhuma prótese de mama dura para sempre. Embora os especialistas

Leia mais

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza)

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) Aula Teórica 6 Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) 1 ENSAIO DE TRACÇÃO A partir dos valores da força (F) e do alongamento ( I) do provete obtêm-se

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais