ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA"

Transcrição

1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES AQUISIÇÃO/INSTALAÇÃO DE NO-BREAK MICROPROCESSADO E BANCO DE BATERIAS CAPACIDADE 150 KVA

2 1 INTRODUÇÃO Este Caderno de Especificações estabelece as características gerais do equipamento e as condições básicas para sua instalação no subsolo do complexo sede da Anatel, localizado no Setor de Autarquias Sul, Quadra 06, Blocos C, E, F e H, Asa Sul, Brasília DF. No escopo do serviço está incluída toda a parte de instalações assim como a remoção dos equipamentos existentes e que não serão aproveitados, os testes gerais do equipamento instalado, relatórios de funcionamento e treinamento de profissionais da Anatel para operação dos mesmos. A critério da Anatel poderão ser requisitados materiais provenientes da desmontagem do sistema existente e que possam ser reutilizados em outros equipamentos. Ressalta-se que todos os funcionários da contratada deverão estar devidamente identificados, com uniformes e EPI s necessários para este tipo de serviço e que a fiscalização da execução dos serviços ficará a cargo da Gerência de Serviços de Infra-estrutura da Anatel (ADGSI). É obrigatória a visita ao local de instalação dos equipamentos, não sendo aceitas posteriores alegações de desconhecimento dos serviços a serem efetuados. 2 CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DOS EQUIPAMENTOS 2.1 No-break Microprocessado: Dados de Entrada: Tensão de entrada 380V; Variação da tensão de entrada +/- 15%; Freqüência de entrada 60Hz +/- 5%; Configuração de entrada Trifásico (3F,N,T); Dados de Saída: Tensão de saída 110V; Regulação estática da tensão de saída - +/- 1%; Freqüência de saída 60Hz +/- 0,1%; Configuração de saída Trifásico (3F, N, T); Alto fator de potência de saída; Características Técnicas Mínimas: Capacidade de carga de 150 KVA; On line com dupla conversão Inversor alimenta a carga 100% do tempo; Saída senoidal e estabilizada; Retificador, inversor e by pass controlado via sistema DSP e Microprocessador interno; Inversor com alto rendimento (>90%), controle PWM; 2

3 Fator de potência de entrada corrigido, conforme norma > 0,95; By pass automático e manual sem interrupção de energia; Variação da tensão de entrada: +/- 15% sem descarga das baterias; Freqüência de entrada: 60Hz +/- 5%; Harmônica de saída: > 1%; Fator de crista: 3:1; Ruído a 1 metro de distância: < 60 db; Regulação de saída do inversor: +/- 0,1%; Saída ajustável através de software em +/- 5%; Compatibilidade com grupo gerador e chave de transferência existentes; Transformador isolador no Inversor e no By Pass; Desligamento de emergência (EPO); Equipamento deve possibilitar a partida pelas baterias; Equipamento deve possibilitar a operação remota; Software de monitoração com acesso as informações e parâmetros da entrada e saída do No-break através de sistema compatível com Windows 95/98/NT ou superior; Interfaces para o sistema de automação predial da STAEFA SIEMENS instalado na Anatel, conforme detalhado abaixo; Painel de cristal líquido com todas as informações e parâmetros de entrada e saída; Histórico dos últimos 500 eventos; Proteções mínimas requeridas: Disjuntor de entrada e baterias; Proteção eletrônica de saída contra sub e sobre tensão, contra sobrecargas, contra sobre-temperatura e contra curto-circuito; Proteção contra surtos transitórios na entrada. O sistema deverá permitir interligação a automação predial existente na Anatel, devendo ser fornecidos bornes para verificação das seguintes informações: a) Defeito geral; b) No-break em operação; c) No-break em automático; d) No-break em manutenção; e) No-break em manual; f) Carga das baterias. Maiores informações acerca da automação podem ser obtidas diretamente na Gerência de Serviços de Infra-estrutura da Anatel (ADGSI). Deverão ser fornecidos em duas vias, todos os manuais técnicos referentes ao sistema instalado (No-break + Banco de Baterias), relação de peças para manutenção e rotinas de manutenção e testes. Deverá ser previsto treinamento de operação, inclusive com apostilas didáticas, a dois técnicos indicados pela Anatel. Este treinamento deve ser efetuado na semana anterior a realização dos testes finais para entrega do equipamento. 2.2 Banco de Baterias: Características Gerais: Sistema de baterias seladas para carga de 150 KVA; 3

4 Autonomia a plena carga de no mínimo 15 minutos; Disposição em gabinete fechado; Instalação contemplando todos os cabos e interconexões; Mostradores de carga e situação do banco de baterias; O sistema deverá permitir interligação a automação predial existente na Anatel, devendo ser fornecidos bornes para verificação das seguintes informações: a) Defeito geral; b) Carga das baterias; 3 DECLARAÇÕES Deverá ser declarado pelo proponente a visita ao local de instalação do equipamento, a conferência das condições citadas e de que verificou minuciosamente todos os serviços complementares porventura necessários, estando estes incluídos na garantia do equipamento. Deverá ser apresentado Engenheiro(s) Eletricista(s) que será Responsável Técnico pelo projeto e pelas instalações, devendo ser apresentada ART devidamente registrada no CREA/DF do(s) mesmo(s) quando da entrega dos projetos, da conclusão dos serviços e durante o período de garantia. 4 PROJETOS Deverá ser fornecido projeto descritivo mostrando todas as ligações dos equipamentos e situação geral, mostrando a posição destes em relação ao GMG e as subestações da CEB que atende ao sistema do No-break e ao subsolo, de acordo com as condições reais de montagem. A Anatel fornecerá em meio magnético, cópia do projeto do subsolo, indicando a área para instalação do no break. 5 PRAZO DE ENTREGA O equipamento deverá ser entregue, montado no local e com todos os testes efetuados com a presença da Fiscalização da ANATEL, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias a contar da assinatura do contrato e/ou emissão da nota de empenho. 6 GARANTIA Todo o equipamento e serviços efetuados deverão ser garantidos contra defeitos de fabricação e montagem pelo período mínimo de 24 (vinte e quatro) meses, devendo neste período ser efetuada manutenção preventiva, inclusive com fornecimento de peças e mão de obra especializada. O período de 24 (vinte e quatro) meses é contado a partir da data de aceite definitivo pela Anatel dos equipamentos em funcionamento. O atendimento a chamadas de emergência neste período deverá ser atendido pela empresa em até 24 horas do comunicado em qualquer dia da semana, inclusive sábados, domingos e feriados. 4

5 BRASÍLIA, 04 DE MAIO DE ADGSI/ADAD/ANATEL 5

Especificação Disjuntores Baixa Tensão

Especificação Disjuntores Baixa Tensão Especificação Disjuntores Baixa Tensão Descrição: DISJUNTOR MICROPROCESSADO Local de Aplicação: QGBT Modelo: Fabricante: Fabricante Alternativo: Normas NBR-5361 / 8176, IEC-947-2 Aplicáveis Critério de

Leia mais

Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL. Brasília, 28 de Fevereiro de 2002. Ilmo(a). Senhor(a)

Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL. Brasília, 28 de Fevereiro de 2002. Ilmo(a). Senhor(a) Ofício Circ. n o 14/2002/ADADC-ANATEL Brasília, 28 de Fevereiro de 2002 Ilmo(a). Senhor(a) Em resposta a consulta formulada por empresa interessada em participar da licitação de que trata o PREGÃO AMPLO

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA Especificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: www.engetron.com.br Link:

Leia mais

Estudo de Coordenação e Seletividade

Estudo de Coordenação e Seletividade Estudo de Coordenação e Seletividade Memorial de Cálculo Obra: Subestação Abrigada 750kVA para Pavilhão Industrial de Reciclagem Proprietário: Prefeitura Municipal de Ponte Preta - RS Localização: Parte

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO

LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO Especificação Técnica LINHA DOUBLE WAY TRIFÁSICO 10 / 15 / 20 / 25 / 30 / 40 / 50 / 60 / 80 / 120 / 150 / 160 / 180/ 250kVA Engetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31)

Leia mais

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de Material de Elétrica com ENTREGA PARCELADA conforme especificação, para uso da Divisão de Manutenção Predial para utilização na nova sede da SEFAZ. 1. DO OBJETO: Aquisição de material de Elétrica

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ST8000C

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ST8000C MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ST8000C Índice Apresentação...3 Introdução...3 Princípio de funcionamento...3 Operação...4 Modo de Operação...4 Esquema elétrico das ligações...4 Sinalizações do equipamento...7

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Impermeabilização da laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA

TERMO DE REFERÊNCIA Impermeabilização da laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA TERMO DE REFERÊNCIA laje de cobertura do prédio principal FÁBRICAS DE CULTURA BRASILÂNDIA ÍNDICE DO TERMO DE REFERÊNCIA TÉCNICA 1. OBJETIVO GERAL 2. JUSTIFICATIVA 3. DA MODALIDADE DA CONTRATAÇÃO 4. DISPOSIÇÕES

Leia mais

- Companhia Hidro Elétrica do São Francisco

- Companhia Hidro Elétrica do São Francisco - Companhia Hidro Elétrica do São Francisco DO - DIRETORIA DE OPERAÇÃO GRP GERÊNCIA REGIONAL DE OPERAÇÃO DE PAULO AFONSO DRMP Divisão Regional de Manutenção Elétrica e Mecânica das Usinas e Instalações

Leia mais

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel DADOS CADASTRAIS CLIENTE PROPRIETÁRIO Pref. Municipal de Lucas do Rio Verde OBRA Escola Municipal Caminho para o Futuro LOCAL DA OBRA Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Melhorando a qualidade de energia elétrica para o sistema de sinalização metroferroviário

Melhorando a qualidade de energia elétrica para o sistema de sinalização metroferroviário Melhorando a qualidade de energia elétrica para o sistema de sinalização metroferroviário Resumo A sinalização é um dos sistemas vitais mais importante numa ferrovia, pois ela é responsável pela operacionalidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Readequação de espaços divisórias em drywall FÁBRICAS DE CULTURA

TERMO DE REFERÊNCIA Readequação de espaços divisórias em drywall FÁBRICAS DE CULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Readequação de espaços divisórias em drywall FÁBRICAS DE CULTURA JAÇANÃ ÍNDICE DO TERMO DE REFERÊNCIA TÉCNICA 1. OBJETIVO GERAL 2. JUSTIFICATIVA 3. DA MODALIDADE DA CONTRATAÇÃO 4. DISPOSIÇÕES

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD SUMÁRIO 1. SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD... 2 2. PROCEDIMENTO DE TESTE DE SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD PARA O SISTEMA SCOOT... 3 3. DOCUMENTAÇÃO...

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES ESTABILIZADOR TRIFÁSICO KTR 3 KVA A 15 KVA

MANUAL DE INSTRUÇÕES ESTABILIZADOR TRIFÁSICO KTR 3 KVA A 15 KVA Sartor Indústria e Comércio LTDA CNPJ. 94.277.084/0001-59 Rua Evaristo de Antoni Nº 1062 Bairro São José CEP: 95041-000 CAXIAS DO SUL RS BRASIL MANUAL DE INSTRUÇÕES ESTABILIZADOR TRIFÁSICO KTR 3 KVA A

Leia mais

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência

Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência SOBRE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Informativo - Normas Quarta 11 Novembro Sobre Sisteme de Iluminação de Emergência Conjunto de Blocos Autônomos. São aparelhos de iluminação de emergência constituído de um

Leia mais

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE

Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE CONTRATO Nº 15/2008 PROCESSO nº 08700.005544/2007-67 ESTE CONTRATO é celebrado, entre o CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA - CADE, AUTARQUIA FEDERAL, vinculada ao Ministério da Justiça, criada

Leia mais

SIRENE SEM FIO EXTERNA STK 116 SIRENE SEM FIO EXTERNA STK

SIRENE SEM FIO EXTERNA STK 116 SIRENE SEM FIO EXTERNA STK SIRENE SEM FIO EXTERNA STK 116 www.samtek.com.br SIRENE SEM FIO EXTERNA STK 116 Agradecemos a sua preferência por nossos produtos. Nossos produtos possuem vários certificados nacionais e internacionais

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB DITEC Reforma das instalações Código do Projeto: 1564-12 Pág. 2 Índice Sumário 1. Memorial Descritivo

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM SERVO MECANISMO MODELO: ED-4400B

SISTEMA DE TREINAMENTO EM SERVO MECANISMO MODELO: ED-4400B SISTEMA DE TREINAMENTO EM SERVO MECANISMO MODELO: O aprendizado do conceito de um sistema de servo mecanismo é efetuado facilmente com o. A construção modular, com cada módulo representando um função diferente,

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000)

ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000) ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000) DESCRIÇÃO DO SISTEMA A SER IMPLANTADO: PARTE I CONTROLE DE ACESSO 1. Objetivos: Implantação de um sistema que atenda as características

Leia mais

PLANILHA DE ESPECIFICAÇÃO

PLANILHA DE ESPECIFICAÇÃO 1.1 AGITADOR MAGNÉTICO, MULTIPOSIÇÕES, COM AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS: POSIÇÕES DE AGITAÇÃO: 05. FAIXA DE VELOCIDADE: RANGE DE 50-1200 RPM QUANTIDADE MÁXIMA DE AGITAÇÃO POR POSIÇÃO: 0,5 LITROS. DISTÂNCIA

Leia mais

SUPLEMENTO TÉCNICO. Automação Elevador Vertical a Cabo/Cremalheira EL03IN

SUPLEMENTO TÉCNICO. Automação Elevador Vertical a Cabo/Cremalheira EL03IN P á g i n a 1 SUPLEMENTO TÉCNICO Automação Elevador Vertical a Cabo/Cremalheira EL03IN P á g i n a 2 1. Introdução O sistema de automação para elevadores foi desenvolvido para conforto e especialmente

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MANUTENÇÃO DOSADOR MICRO-ESFERA E MOTOR DE PASSO

MANUAL DE OPERAÇÃO MANUTENÇÃO DOSADOR MICRO-ESFERA E MOTOR DE PASSO MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DOSADOR MICRO-ESFERA E MOTOR DE PASSO MODELO: N O DE SÉRIE: FABRICAÇÃO: / / 1 INTRODUÇÃO É com grande satisfação que a INEAL ALIMENTADORES LTDA coloca mais um equipamento

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3.

MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1. Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. MODELAGEM MATEMÁTICA DE UM SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EM MÉDIA TENSÃO 1 Gabriel Attuati 2, Paulo Sausen 3. 1 Parte integrante do Projeto de pesquisa Análise, Modelagem e Desenvolvimento

Leia mais

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão

Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão Esquemas de ligação à Terra em baixa tensão A escolha correcta dos elementos de protecção de uma instalação eléctrica, minimiza ou elimina por completo o risco de incêndio, explosão ou choques eléctricos

Leia mais

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 -

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - T e c n o l o g i a Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de Medidas Elétricas - XE201 - INTRODUÇÃO Os conhecimentos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNCIA FOLHA 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

Aula 5 Projetos elétricos

Aula 5 Projetos elétricos Aula 5 Projetos elétricos Um projeto elétrico é um conjunto de símbolos desenhados sobre uma planta baixa interligados de tal forma para mostrar com deve ser executada a obra. Todo projeto elétrico residencial,

Leia mais

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8553. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8553 Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetros no Município de Porto Alegre e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Faço saber que

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O M E M O R A L D E S C R T V O N S T A L A Ç Õ E S E L É T R C A S CONSELHO REGONAL DE ENFERMAGEM DE SERGPE-COREN Endereço : Rua Duque de Caxias nº 389, Bairro São José, cidade de Aracaju/SE. Proprietário

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS FOTOVOLTAICAS.

CENTRAIS GERADORAS FOTOVOLTAICAS. INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO 1º LEILÃO DE ENERGIA DE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 042, de 18 de março de 2004. O

Leia mais

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA Processo n.º E-04/. /2012 Aquisição de Forro Mineral com ENTREGA PARCELADA conforme especificação, para uso da Divisão de Manutenção Predial para manutenção dos imóveis ocupados pela SEFAZ. 1. DO OBJETO:

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO LEILÃO DE ENERGIA DE RESERVA

Leia mais

FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA

FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA FONTE DE ALTA TENSÃO Hipot 60KV CC-5mA O ITHY-60KV é um testador dielétrico robusto para as mais diversas aplicações em corrente contínua. Foi projetado para suportar um grande número de testes destrutivos

Leia mais

FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA LINHA CH

FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA LINHA CH FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA LINHA CH Rev.: 2.00-08 Manual do usuário Fonte de Alimentação Chaveada MAN-DE-LINHA-CH Rev.: 2.00-08 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso Erro! Fonte de referência

Leia mais

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio

Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio Memorial Técnico Descritivo do Alarme de Incêndio 1. IDENTIFICAÇÃO Prefeitura Municipal De Veranópolis Posto de Saúde Central. Av. Pinheiro Machado, 581 Centro Veranópolis RS CEP: 95330-000 CNPJ: 98671597/0001-09

Leia mais

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências O Povo do Município de Viçosa, por seus representantes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RESPOSTA AO PEDIDO DE ESCLARECIMENTOS Brasília DF, 29 de junho de 2011. Seguem abaixo as respostas e

Leia mais

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011

ANEXO X. Especificações Técnicas. Concorrência nº. 003/2011 ANEXO X Especificações Técnicas Concorrência nº. 003/2011 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA COM MÃO-DE-OBRA ESPECIALIZADA, VISANDO À EXECUÇÃO INDIRETA, POR PREÇO UNITÁRIO, DE SERVIÇOS TÉCNICOS ENVOLVENDO O MANEJO

Leia mais

Alta Tensão em Corrente Contínua (HVDC) Componentes: Danilo Barreto Igor Alves Luiz Carlos Rafael Saback

Alta Tensão em Corrente Contínua (HVDC) Componentes: Danilo Barreto Igor Alves Luiz Carlos Rafael Saback Alta Tensão em Corrente Contínua (HVDC) Componentes: Danilo Barreto Igor Alves Luiz Carlos Rafael Saback Salvador, 2012 Sumário Histório do HVDC Principais esquemas HVDC Conversores utilizados Principais

Leia mais

OCS 0041 ISO Pinot AQ I/1

OCS 0041 ISO Pinot AQ I/1 OCS 0041 ISO 9001 NoBreak Line Interativo Família Pinot 1400 VA NoBreak Line Interativo microprocessado de alta velocidade,integrando diversas funções periferias. Possui estabilizador interno com estágios

Leia mais

ARCHIMOD HE 240 a 480 kw UPS MODULAR TRIFÁSICO

ARCHIMOD HE 240 a 480 kw UPS MODULAR TRIFÁSICO ARCHIMOD HE 240 a 480 kw UPS MODULAR TRIFÁSICO ARCHIMOD HE 240/480 kw ARQUITETURA MODULAR Módulos de potência Cada módulo de potência temos um sistema UPS com potência nominal de 6,7kW. Extremamente compacto

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC

INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC Instrução Normativa a partir de 01 de Junho de 2014 INSTRUÇÕES PARA OBTER LIGAÇÃO DE ÁGUA E PARA MONTAGEM DA MURETA PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA DA SANESC Passo 1 Certifique a disponibilidade do serviço de

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA SMSAT

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA SMSAT TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA SMSAT 1 - OBJETO Contratação, em caráter emergencial, de Sistemas Móveis de Transmissão de Voz e Dados via Satélite

Leia mais

NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS

NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS APROVAÇÃO Júlio Cesar Ragone Lopes Diretor Corporativo de Engenharia e Construção Grupo Energisa

Leia mais

Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas. Disjuntores 3VT. Answers for industry.

Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas. Disjuntores 3VT. Answers for industry. Simples e prático: A escolha inteligente para aplicações básicas Disjuntores 3VT Answers for industry. s 1. Disjuntor 3VT1 2. Cobertura para proteção das conexões 3. Conexão frontal 4. Conexão traseira

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES 6 a Edição 07/2007. HipER-1. Fonte para Soldagem Submarina.

MANUAL DE INSTRUÇÕES 6 a Edição 07/2007. HipER-1. Fonte para Soldagem Submarina. MANUAL DE INSTRUÇÕES 6 a Edição 07/2007 HipER-1 Fonte para Soldagem Submarina. 1 - INTRODUÇÃO Este manual descreve os componentes básicos para a operação da fonte de soldagem HIPER-1, este equipamento

Leia mais

b) É necessária a apresentação dessa CONSULTA PRÉVIA nos seguintes casos:

b) É necessária a apresentação dessa CONSULTA PRÉVIA nos seguintes casos: 0BAnexo V à Circular nº 33/2011, de 01.09.2011 1BROTEIRO DE INFORMAÇÕES MÍNIMAS PARA CONSULTA PRÉVIA FINANCIAMENTO À COMPRADORA Formatado: Não ajustar espaço entre o texto latino e asiático Formatado:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA DE GESTÃO DA POLITICA DE DIREITOS HUMANOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA DE GESTÃO DA POLITICA DE DIREITOS HUMANOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA DE GESTÃO DA POLITICA DE DIREITOS HUMANOS ESCLARECIMENTOS REFERENTE AO PREGÃO SRP Nº 12/2013 Pergunta 1: Venho por meio deste solicitar

Leia mais

Sistemas híbridos de geração de energia usando fontes renováveis: a experiência da Ilha de Lençóis Cururupu Ma.

Sistemas híbridos de geração de energia usando fontes renováveis: a experiência da Ilha de Lençóis Cururupu Ma. UFMA Universidade Federal do Maranhão - UFMA Instituto de Energia Elétrica - IEE Núcleo de Energias Alternativas - NEA Sistemas híbridos de geração de energia usando fontes renováveis: a experiência da

Leia mais

Pinot AIQ I/2

Pinot AIQ I/2 OCS 0041 ISO 9001 NoBreak Line Interativo Família Pinot 3000 VA NoBreak Line Interativo microprocessado de alta velocidade,integrando diversas funções periferias. Possui estabilizador interno com estágios

Leia mais

NOBREAK SENOIDAL Carmenere M I/2 SD

NOBREAK SENOIDAL Carmenere M I/2 SD OCS 0041 ISO 9001 NOBREAK SENOIDAL Carmenere 1000 1 M I/2 SD NoBreak Mono-Mono de Dupla Conversão microprocessado de alta velocidade. Possui estabilizador interno com estágios de regulação, que tem a função

Leia mais

TERRACAP - COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERRACAP - COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERMO DE REFERÊNCIA TERRACAP - COMPANHIA IMOBILIÁRIA DE BRASÍLIA TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESPECIFICAÇÃO DO SERVIÇO DE LIMPEZA, TRATAMENTO E CONSERVAÇÃO DO ESPELHO D ÁGUA DA TORRE DE TV DIGITAL. Gerência

Leia mais

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO

INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÕES AT E MT. SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO Função de automatismo: comutação automática de disjuntores BT Especificação funcional Elaboração: INTS, ICTS, ISTS, DNT Homologação: conforme despacho do

Leia mais

-$01ÿ0ÿ!23245637859428ÿ6ÿ%8:649;942<=68ÿ>6ÿ.632>?368ÿ 1Bÿ!"#"!$%#&'$(!"'ÿ-%ÿ -%'%G)%@L/ÿ 1BABÿ)/$h@!("ÿ@/G(@"Pÿ

-$01ÿ0ÿ!23245637859428ÿ6ÿ%8:649;942<=68ÿ>6ÿ.632>?368ÿ 1Bÿ!#!$%#&'$(!'ÿ-%ÿ -%'%G)%@L/ÿ 1BABÿ)/$h@!(ÿ@/G(@Pÿ ϕ ϕ η [ ] ϕ η ϕ ϕ ϕ ϕ ϕ ϕ ϕ η ϕ ϕ ϕ ϕ η θ Casos Reais sobre o Impacto harmônico da CoGeração em Equipamentos de Correção de Fator de Potência em Plantas Industriais Resumo Este artigo mostra o impacto

Leia mais

AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI

AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções AERADOR SUBMERSO Inject-Air - Série ASI Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual

Leia mais

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 Módulo Disjuntor Introdução O seu Módulo Disjuntor reúne o que há de mais recente em tecnologia para valorizar ainda mais o seu empreendimento. Para maximizar a performance

Leia mais

Funções para limitação de velocidade do veículo

Funções para limitação de velocidade do veículo Informações gerais sobre as funções Informações gerais sobre as funções A Scania oferece três funções para a limitação de velocidade. As funções são usadas para atender a requisitos de clientes e estatutários,

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO GRADEAMENTO NO PRÉDIO DO POSTO DE NOVA PRATA

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO GRADEAMENTO NO PRÉDIO DO POSTO DE NOVA PRATA ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO GRADEAMENTO NO PRÉDIO DO POSTO DE NOVA PRATA 1. APRESENTAÇÃO: 1.1. A presente especificação trata da confecção e da instalação de grades, portas / portões e cortinas

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA

A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA A INFLUÊNCIA DO DIMENSIONAMENTO CORRETO DOS TRANSFORMADORES NA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA Antonio Soares Pereto Engenheiro Industrial - modalidade Elétrica pela FEI (1969). Pósgraduado em Administração de

Leia mais

Carmenere N I/6 SD

Carmenere N I/6 SD OCS 0041 ISO 9001 NOBREAK SENOIDAL Família Carmenere 3000 VA NoBreak Mono-Mono de Dupla Conversão microprocessado de alta velocidade. Possui estabilizador interno com estágios de regulação, que tem a função

Leia mais

Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II. Sistemas de força e energia. Aula 02

Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II. Sistemas de força e energia. Aula 02 Curso de Manutenção de ferrovias Eletrotécnica II Sistemas de força e energia Aula 02 Consumo pro região Usina Hidrelétrica Usina Nuclear Estrutura do setor elétrico Distribuição - A conexão e atendimento

Leia mais

GUIA PARA A REALIZAÇÃO DE ESTUDOS DE ESTABILIDADE DE PRODUTOS SANEANTES

GUIA PARA A REALIZAÇÃO DE ESTUDOS DE ESTABILIDADE DE PRODUTOS SANEANTES GUIA PARA A REALIZAÇÃO DE ESTUDOS DE ESTABILIDADE DE PRODUTOS SANEANTES A estabilidade de produtos saneantes depende de fatores ambientais como temperatura, umidade e luz, e de outros inerentes ao produto

Leia mais

RETIFICADOR CHAVEADO EM ALTA FREQUÊNCIA 48 V / 500 W R48-500

RETIFICADOR CHAVEADO EM ALTA FREQUÊNCIA 48 V / 500 W R48-500 DESCRIÇÃO RETIFICADOR CHAVEADO EM ALTA FREQUÊNCIA 48 V / 500 W R48-500 O conteúdo deste documento está sujeito a revisões sem aviso prévio, devido ao progresso contínuo na metodologia, projeto e manufatura.

Leia mais

Anexo 1 Termos de Referência. Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil.

Anexo 1 Termos de Referência. Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil. Anexo 1 Termos de Referência Contratação de empresa para elaboração de Projeto Elétrico para o Escritório da FAO no Brasil. 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 3 3. OBJETO... 3 4. DESCRIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL n.º 023, de 13 de fevereiro de 2003.

Leia mais

Sensor externo com duplo PIR Modelo IVP 3000 EX

Sensor externo com duplo PIR Modelo IVP 3000 EX GUIA DE INSTALAÇÃO Sensor externo com duplo PIR Modelo IVP 3000 EX Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O sensor externo com duplo PIR IVP 3000 EX é ideal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS JURÍDICAS LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA CONSTITUIÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS JURÍDICAS LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA CONSTITUIÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA CONSTITUIÇÃO DO Art. 1º - O Laboratório de Informática é órgão setorial e visa atender: a) Os alunos do Curso de Direito da Universidade Federal do Paraná, das áreas de Graduação,

Leia mais

Inventário de Estoques

Inventário de Estoques Inventário de Estoques O inventário de estoques constitui-se em uma ferramenta de importância fundamental para o aperfeiçoamento dos controles internos da organização, mitigando riscos de perdas, proporcionando

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO- MICT.

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO- MICT. MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO- MICT. INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO. Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 096, de 25 de agosto de 1994. O Diretor

Leia mais

TDR-500 Transmissor de temperatura microprocessado USB 4~20mA

TDR-500 Transmissor de temperatura microprocessado USB 4~20mA TDR-500 Transmissor de temperatura microprocessado USB 4~20mA MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO V1.0 1 1.0 INDICE 2.0 Apresentação Pag.02 Recursos Pag.02 3.0 Especificações Técnicas Pag.03 4.0 Instalação

Leia mais

SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO

SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO SUBESTAÇÕES DE DISTRIBUIÇÃO Generalidades: Sistemas de Protecção, Comando e Controlo Numérico (SPCC). Registo e tratamento de ocorrências Especificação funcional Elaboração: INTS, ICTS, ISTS, DNT Homologação:

Leia mais

UFRJ LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

UFRJ LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA DEPARTAMENTO DE ELETROTÉCNICA - EP/UFRJ Luis Guilherme B. Rolim Richard M. Stephan Walter I. Suemitsu Maurício Aredes DEPARTAMENTO

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 027/2012

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 027/2012 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - Nº 027/2012 EDITAL DE LICITAÇÃO N.º 053/2012 MODALIDADE DE PREGÃO PRESENCIAL PROCESSO N.º 2012.0014.4356 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES Aos 31 (trinta e um) dias do mês de maio do

Leia mais

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Coordenadoria de Apoio Logístico Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA Processo n.º E-04/. /2011 Aquisição de roupas especializadas para utilização dos profissionais da área de Manutenção Predial da Secretaria de Estado de Fazenda - SEFAZ 1. DO OBJETO: Aquisição de roupas

Leia mais

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada)

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada) Designação Conta Ordenado Condições de Acesso Clientes Particulares, que efetuem a domiciliação do seu ordenado, através de transferência bancária codificada como ordenado. Modalidade Depósito à Ordem

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL N. 11/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL N. 11/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 PREGÃO PRESENCIAL N. 11/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Objeto AQUISIÇÃO DE PNEUS, CÂMARA DE AR E PROTETORES NOVOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL PARA USO DE VEÍCULOS E MÁQUINAS DA PREFEITURA MUNICIPAL

Leia mais

SOBRECARGA PARA APLICAÇÃO EM CIRCUITOS DE PROTEÇÃO DE MOTORES ELÉTRICOS. Aula 3 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1

SOBRECARGA PARA APLICAÇÃO EM CIRCUITOS DE PROTEÇÃO DE MOTORES ELÉTRICOS. Aula 3 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 H2 DIMENSIONAR RELÉS S DE SOBRECARGA PARA APLICAÇÃO EM CIRCUITOS DE PROTEÇÃO DE MOTORES ELÉTRICOS Aula 3 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 3 RELÉS DE SOBRECARGA; 3.1 Relé de sobrecorrente; 3.2 Codificação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) Procedimento CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS PR.01 Página 1 de 3 14001: 4.4.5, 4.5.4 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática para o processo de elaboração,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Secretaria Municipal de Administração LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Secretaria Municipal de Administração LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008. LEI Nº 5.485 DE 26 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre a instalação de cercas energizadas e destinadas à proteção de perímetros no Município de Sant Ana do Livramento e da outras providências. WAINER VIANA

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 3: ATERRAMENTOS 1. FINALIDADE O sistema de equipotencialização principal da edificação consiste na interligação de elementos especificados visando obter a equipotencialidade necessária para os

Leia mais

Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof.: Hélio Henrique DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA

Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof.: Hélio Henrique DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica Prof.: Hélio Henrique 1 INTRODUÇÃO 2 3 Introdução O gerador de CA é o meio mais importante

Leia mais

78 mm. 73,5 mm. 90,5 mm Secção do conexão mm 2 16 Montagem Permitida. Medida Dimensional. Largura. Profundidade. Profundidade com manopla

78 mm. 73,5 mm. 90,5 mm Secção do conexão mm 2 16 Montagem Permitida. Medida Dimensional. Largura. Profundidade. Profundidade com manopla Disjuntores FM1 - Linha de Disjuntores em Caixa moldada Os disjuntores FM, são projetado em aplicações para distribuição de energia elétrica em até 1250A, tensão nominal em até 660Vca, series em até quatro

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE MG N O 01/2015

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE MG N O 01/2015 Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Polo 24- UFJF/IF Sudeste MG EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFJF/IF SUDESTE

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONVITE

EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONVITE 1 EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE CONVITE CARTA CONVITE 16/2016 FUnC AQUISIÇÃO DE COMPUTADORES PARA USO DOS NÚCLEOS DE ENSINO A DISTÂNCIA EAD DE CURITIBANOS /SC E RIO NEGRINHO/SC 1 PREÂMBULO 1.1 - A Fundação

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação LI-100 Indicador de Nível Cod: 073AA-018-122M Outubro / 2003 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999 FAX: (11) 3488-8980

Leia mais

NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS

NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS Profª Maria Cleide Curso técnico em edificações 2016 1 NBR 15575 NORMA DE DESEMPENHO 2 3 4 Prazos de vida útil de projeto 5 6 7 NBR 5674 Gestão da Manutenção Direcionada

Leia mais

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h

FICHA DE CURSO. Código da Ficha. Revisão 01. Data: 2014. Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Código da Ficha FICHA DE CURSO Revisão 01 Data: 2014 Curso: ELETRICISTA + NR 10 Carga Horária Total: 108h Eixo Tecnológico: Infraestrutura Nº de Participantes: Mínimo: 15 Máximo: 20 Modalidade: Qualificação

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 0001/2012 COMPRASNET. Termo de Referência Mobiliário

COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 0001/2012 COMPRASNET. Termo de Referência Mobiliário COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 0001/2012 COMPRASNET Termo de Referência Mobiliário Objeto O presente Termo de Referência tem por objetivo a aquisição de mobiliários para atender as demandas decorrentes das novas

Leia mais

Portifólio Informe Técnico de Projeto

Portifólio Informe Técnico de Projeto Portifólio Informe Técnico de Projeto Coqueria Silos de Armazenamento e Adição de Rotilit Cliente Área de Negócio Ano de Execução Ficha Técnica Usiminas Turn Key 2010 Tecnologia em Sistemas Industriais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SISTEMA DE SONORIZAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE SISTEMA DE SONORIZAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO DE SISTEMA DE SONORIZAÇÃO 1- Descrições Gerais de Operação e Interface dos Sistemas Na concepção do projeto deverá ser utilizada a tecnologia de processamento digital de sinal (DSP

Leia mais

Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais)

Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais) FOLHA DE CAPA TÍTULO Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais) NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGAS FOLHA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS PR-75-174-CPG-001

Leia mais

Nobreaks. New Offtice Security One com Filtro de Linha Interno. Melhor custo benefício do mercado! Bivolt Automático 115/220V

Nobreaks. New Offtice Security One com Filtro de Linha Interno. Melhor custo benefício do mercado! Bivolt Automático 115/220V Nobreaks 5 New Offtice Security One com Filtro de Linha Interno Melhor custo benefício do mercado! Carregador Fast Charger: Recarga 3x mais rápida*. Garante maior segurança em interrupções de energia Acabamento

Leia mais

PROTEÇÃO DIFERENCIAL PARA CAMINHÃO RS-710

PROTEÇÃO DIFERENCIAL PARA CAMINHÃO RS-710 PROTEÇÃO DIFERENCIAL PARA CAMINHÃO RS-710 Manual do usuário Proteção Diferencial para Caminhão MAN-PT-DE-RS710 Rev.: 1.01-11 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso RS-710. Para garantir o uso correto

Leia mais

Sistema de Cadastro de Pessoa Jurídica

Sistema de Cadastro de Pessoa Jurídica Manual do Usuário Sistema de Cadastro de Pessoa Jurídica SISTCADPJ Cadastro de Pessoa Jurídica Template Versão 1.1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 3. Cadastro da Pessoa Jurídica...

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 25 DE março DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 25 DE março DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 25 DE março DE 2015. Estabelece procedimentos administrativos a serem observados pela Fundação Cultural Palmares nos processos de licenciamento ambiental dos quais participe.

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - PROVA PRÁTICA DO CONCURSO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CRISTIANO OTONI-MG, EDITAL 001/2015

EDITAL DE CONVOCAÇÃO - PROVA PRÁTICA DO CONCURSO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CRISTIANO OTONI-MG, EDITAL 001/2015 ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO - PROVA PRÁTICA DO CONCURSO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CRISTIANO OTONI-MG, EDITAL 001/2015 DATA: 14/05/2016* (SÁBADO) HORÁRIO: 15HS LOCAL: TELECENTRO MUNICIPAL

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 4. DESCRIÇÃO DO OBJETO 4.1. DESCRIÇÃO RESUMIDA Item Descrição Resumida. Preço médio total

TERMO DE REFERÊNCIA. 4. DESCRIÇÃO DO OBJETO 4.1. DESCRIÇÃO RESUMIDA Item Descrição Resumida. Preço médio total TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em fornecimento de cópias de chaves para o Campus Birigui do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP.

Leia mais

Instalações Elétricas de BT. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT Odailson Cavalcante de Oliveira Circuito Monofásico A tensão monofásica refere-se a tensão entre fase e neutro. v = 2Vsen ωt - valor instantâneo de tensão i = 2Isen ωt φ - valor

Leia mais