LEIA ATENTAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE RESPONDER AS QUESTÕES.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE RESPONDER AS QUESTÕES."

Transcrição

1 INSTITUTO DE PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA A INFÂNCIA DO RIO GRANDE DO NORTE, MANTENEDOR DO HOSPITAL INFANTIL VARELA SANTIAGO Av. Marechal Deodoro da Fonseca nº 498, Centro, Natal/RN CEP: FONE: (84) FAX: (84) CNPJ: / hospitalvarelasantiago.org.br Site: CONCURSO DE RESIDÊNCIA MEDICA EM PEDIATRIA DO HIVS PARA 2015 INFORMAÇÕES IMPORTANTES: LEIA ATENTAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES ANTES DE RESPONDER AS QUESTÕES. 1. Verifique se a sua prova contém 100 (cem) questões; 2. Apenas 01 (uma) alternativa é considerada correta ou mais apropriada para o enunciado de cada questão; 3. Assinale apenas uma alternativa para cada questão, usando caneta esferográfica preta ou azul; 4. Marque a alternativa escolhida com um X ou círculo sobre a letra correspondente, de maneira a não deixar dúvida sobre sua escolha; 5. Não serão computados quesitos não assinalados, com mais de uma resposta marcada, assim como rasuras ou qualquer outra marcação que deixe dúvidas sobre a opção escolhida; 6. Não será permitido consulta de qualquer natureza durante a realização das provas; 7. Não será permitido o uso de celulares, smartphones, calculadoras ou qualquer outro aparelho eletrônico durante o período em que o candidato estiver respondendo sua prova; 8. Caso o celular de algum candidato venha a tocar dentro da sala durante a realização da prova, o candidato dono do aparelho será imediatamente desclassificado. BOA SORTE!

2 CADERNO DE QUESTÕES 1. Sobre a icterícia neonatal, sinalize verdadeiro ( V ) ou falso ( F ): ( ) A presença de icterícia antes de 24 a 36 horas de vida e de valores de bilirrubinas totais maiores ou iguais a 12 mg/dl, independente da idade pós-natal, alerta para a investigação de processos patológicos. ( ) Cerca de 60% dos recém-nascidos a termo e 80 % dos pré-termos desenvolvem algum grau de icterícia durante a primeira semana de vida. ( ) O termo Encefalopatia bilirrubínica crônica (Kernicterus) refere-se aos danos neurológicos reversíveis secundários à neurotoxicidade causada pela hiperbilirrubinemia indireta. ( ) O sistema auditivo é a parte do sistema nervoso mais sensível à lesão desencadeada pela hiperbilirrubinemia. Assinale a sequência correta: a) V F V F; b) V F F F; c) V V F V; d) F F V V; e) F V V F. 2. Sobre a insuficiência renal na infância, é FALSO afirmar: a) As causas mais comuns de insuficiência renal crônica são diabetes mellitus, hipertensão, glomerulonefrite crônica e doença dos rins policísticos; b) Agentes de contraste radiológico não estão envolvidos na patogênese da insuficiência renal aguda; c) Anorexia, náuseas, soluço, vômitos, hematêmese, prejuízo na hemostasia são mais frequentes na retenção aguda de toxinas urêmicas; d) Prurido cutâneo, pericardite e anemia são mais frequentemente vistas após uremia prolongada; e) A ureia é o mais importante metabólito do catabolismo de proteínas, sendo excretada primariamente pelos rins. 3. Criança de quatro anos com febre elevada há sete dias, feridas nos lábios e língua com sangramento ao manuseio, edema e descamação em mãos e pés, acompanhada de dores pelo corpo, dificuldade para se alimentar e choro constante. Qual o diagnóstico mais provável? a) Estomatite herpética; b) Doença de Kawasaki; c) Varicela com comprometimento mucoso; d) Dengue hemorrágica; e) Nenhuma das alternativas está correta. 2

3 4. Os achados clínicos e laboratoriais frequentemente encontrados na Febre Hemorrágica da Dengue são: Marque a CORRETA. a) Hemoconcentração, Plaquetose, Leucopenia, febre e petéquias; b) Plaquetopenia, leucocitose, febre, adenomegalia, ascite e VSH aumentado; c) Prova do laço negativa, febre, artralgias, plaquetopenia e dores abdominais; d) Hemoconcentração, prova do laço positiva, derrames cavitários, plaquetopenia, febre e sangramentos; e) As afirmativas b e c são corretas. 5. Marque a alternativa CORRETA que contém os sinais de gravidade em uma criança com Asma. a) Boas condições sócio-econômicas, piora clínica nas 1 as duas horas apesar das medidas instituídas, falta de resposta ao esquema inicial (O 2, broncodilatadores e corticóides); b) Mais de 1 internações/ano por Asma no pronto-socorro no último ano, história de intubação por asma, uso de espaçador em vez de nebulização; c) Mais de 3 internações/ano por Asma no pronto-socorro no último ano, história pregressa de internação em UTI por asma, baixas condições sócio-econômicas; d) História pregressa de internação em UTI por asma, baixas condições sócioeconômicas; intervalo maior que 6 meses entre os episódios. e) Boa resposta ao esquema inicial (O 2, broncodilatadores e corticóides); menos de 3 internações/ano por Asma no pronto-socorro no último ano; baixas condições sócioeconômicas. 6. Criança de 6 anos teve varicela há 15 dias e a mãe usou Azitromicina por 3 dias. Hoje a criança chegou queixando-se cefaléia intensa, inchação pelo corpo e urina "cor de coca-cola". Teve vários vômitos. Estado geral decaído, afebril, desidratada, pálida(++/4+), em anasarca, TA 120 x 90 mmhg, com manchas na pele em fase de cicatrização, abdome globoso e doloroso, sem diurese há 16 horas. Ausculta pulmonar com sibilos difusos em ambos os hemitórax. Qual o diagnóstico mais provável? a) Síndrome nefrótica tipo glomerulonefrite; b) Síndrome nefrítica, tipo glomerulonefrite; c) Síndrome nefrética, tipo glomerulonefrite; d) Insuficiência renal aguda; e) Síndrome nefrótica corticorresistente. 7. Criança de 11 anos chega ao Ambulatório com queixas de tosse improdutiva, febre diária, baixa e vespertina (aferida) e perda de peso há três semanas. A mãe refere que a criança fez uso de Eritromicina regularmente por 8 dias (terminou há dois dias), mas a criança não teve melhora. Ao exame o estado geral é decaído, subfebril, dispnéica leve, FR = 64 irpm, FC = 80 bpm, ausculta pulmonar com subcrepitos finos em ápice do 3

4 hemitórax direito e com desnutrição protéico-calórica do 2º grau. Diga o diagnóstico mais provável. a) Pneumonia por Pneumococcus; b) Tuberculose pulmonar; c) Bronquiolite viral aguda; d) Pneumonia viral; e) Fibrose cística. 8. Qual dos achados abaixo é menos provável de ser encontrado em um paciente com glomerulonefrite pós-estreptocócica? a) Edema; b) Hemácias dismórficas na urina; c) Hipertensão arterial; d) Proteinúria maior ou igual a 50 mg/kg/dia; e) Oligúria. 9. Sobre convulsão febril (CF) são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas abaixo: ( ) A história familiar constitui fator de risco tanto para as recorrências das CF quanto para o desenvolvimento de epilepsia; ( ) Para a maioria dos pacientes o tratamento profilático é dispensável; ( ) Não há consenso sobre a associação entre alterações eletroencefalográficas e risco de epilepsia; ( ) As CF podem preceder síndromes epilépticas; ( ) A idade da 1ª crise se relaciona a risco de epilepsia. Assinale a alternativa correta: a) V F V F V; b) V VV F F; c) F V F V F; d) F V V F V; e) V VVV F. 10. Pré-escolar de quatro anos de idade é trazida ao Pronto Atendimento com cansaço e sibilância há 01 dia. Possui antecedentes de crises semelhantes. Ao exame: vigil, 52 irpm e frequência cardíaca de 145 bpm; retração subcostal, sibilos expiratórios difusos e saturação periférica de oxigênio de 89% (no oxímetro de pulso). A primeira conduta consiste em: a) administrar beta dois agonista por via respiratória e reavaliação posterior, pois se trata de crise asmática; b) perguntar à acompanhante sobre medicações já utilizadas e internações prévias; c) solicitar internação imediata, pois se trata de crise asmática com desconforto respiratório; 4

5 d) suplementar oxigênio através de máscara devido à hipoxemia; e) administrar beta dois agonista por via respiratória e corticóide sistêmico. 11. Sobre infecção respiratória aguda são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas abaixo: ( ) A maioria das infecções respiratórias em crianças menores de cinco anos de idade, inclusive as pneumonias, é de etiologia viral; ( ) O risco de etiologia bacteriana é diretamente proporcional à duração da doença; ( ) As rinorréias mucopurulentas geralmente indicam infecção bacteriana; ( ) Os anti-inflamatórios não-hormonais podem alterar a resposta imunológica e apresentam risco de reações adversas; ( ) Radiografia de seios de face não é indicado para lactentes e pré-escolares. Assinale a alternativa correta: a) V V F F V; b) V V F V V; c) F V F F V; d) V F FF V; e) V V F V F. 12. Lactente com 12 meses de idade é atendida numa Unidade Básica de Saúde e, segundo a acompanhante, a criança foi adotada e não dispõe do cartão de vacina. Seu exame físico está normal. Apresenta cicatriz vacinal no braço direito. O médico decide atualizar o cartão de vacina desta criança. Todas as vacinas do primeiro ano de vida serão aplicadas, exceto: a) Tríplice viral; b) BCG e vacina contra Rotavirus; c) Apenas BCG; d) Tríplice viral e a pentavalente; e) Todas as vacinas devem ser aplicadas. 13. Assinale verdadeiro ( V ) ou falso ( F ) em relação aos agentes patógenos das pneumonias: ( ) Nos recém-nascidos (RN) e crianças menores de 2 meses de vida as etiologias bacterianas mais frequentes são: Streptococcus do grupo B, bacilos Gram negativos, Staphilococcus aureus e Chlamidia tracomatis; ( ) Os vírus são os principais patógenos causadores de pneumonia em crianças menores de 1 ano; ( ) Dos 2 meses aos 5 anos encontram-se como etiologias bacterianas mais frequentes de pneumonia os Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae tipo B e Stafilococcus aureus; 5

6 ( ) Os pacientes hígidos geralmente quando adquirem pneumonia são infectados por germes da flora bucal ( predominantemente anaeróbios ). Assinale a sequência correta: a) V V V F; b) V F V F; c) F F V V; d) F V F V; e) F F V F. 14. Pré-escolar de cinco anos de idade, cujo peso está no percentil 15 (p15) da curva de crescimento da OMS. Esse quadro pode ser interpretado como: a) 15% das crianças do mesmo gênero com esta idade têm este peso; b) 85% das crianças do mesmo gênero com esta idade estão abaixo deste peso; c) 85% das crianças do mesmo gênero com esta idade têm este peso; d) 15% das crianças do mesmo gênero com esta idade estão acima deste peso; e) 15% das crianças do mesmo gênero com esta idade estão abaixo deste peso. 15. Escolar de 9 anos de idade apresenta febre alta (39,5 C), amigdalite pultácea, petéquias no palato, exantema micropapular difuso com intensificação nas dobras flexoras e palidez perioral, que teve início há 5 dias. Qual a principal hipótese diagnóstica e conduta adequada, respectivamente: a) Doença de Kawasaki, administração de imunoglobulina venosa; b) Mononucleose infecciosa, administração de sintomáticos; c) Escarlatina, administração de penicilina por via parenteral; d) Febre reumática, administração de ácido acetilsalicílico; e) Nenhuma das alternativas acima. 16. Sobre o crescimento da criança, podemos afirmar: a) O crescimento é considerado um dos melhores indicadores de saúde da criança e sofre influência direta de fatores como alimentação, condições de habitação, fatores socioeconômicos, dinâmica familiar, afeto (principalmente na relação mãe-bebê), acometimento de doenças e acesso aos Serviços de Saúde; b) Levando-se em consideração a faixa etária de 0 a 2 anos de idade, o fator genético é o que mais interfere no processo de crescimento; c) Todo indivíduo nasce com um potencial ou alvo genético que está intrinsicamente e exclusivamente relacionado à hereditariedade; d) O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento é uma atividade exclusiva da consulta de puericultura; e)a velocidade de crescimento da criança é especialmente elevada e de forma linear no período de 0 a 5 anos de idade. 6

7 17. Analise as afirmativas abaixo e marque a alternativa correta. a) O béri-béri é provocado pela escassez de niacina no organismo; b) O marasmo, forma clínica avançada da desnutrição energético-proteica, se caracteriza pelo edema dos membros inferiores; c) O Índice de Massa Corporal (ICM) é o indicador mais recomendado para a avaliação nutricional de pessoas acima de 14 anos; d) O leite de vaca pode ser um agente etiológico da anemia em lactentes; e) É considerada obesa a pessoa que apresenta IMC igual ou superior a 40 kg/m Uma menina com 8 anos de idade acidentou-se com metal enferrujado, ferindo-se gravemente em membro inferior. É levada ao hospital onde é realizada a sutura. Seu esquema vacinal estava completo. Em relação à prevenção do tétano, neste caso: a) deve-se dar reforço da vacina (tríplice acelular), sem imunização passiva; b) deve-se dar reforço da vacina (dupla adulto) e imunização passiva; c) deve-se dar reforço da vacina (dupla adulto), sem imunização passiva; d) deve-se fazer apenas a imunização passiva; e) não é necessário vacinação de reforço nem imunização passiva. 19. Criança deu entrada no P. S. com queixas de perda de peso, poliúria, fome e sede intensas. Passado de infecção do trato urinário por duas vezes e recentes. Ao exame o estado geral é decaído, sudorética, afebril, hipotérmica, hipoativa, pálida (++/4+), com sudorese fria e odor característico. Ausculta pulmonar sem ruídos adventícios. Abdome flácido e indolor. Hemograma com discreta leucocitose e anemia. Sumário com leucocitúria, hematúria, cetonúria e glicosúria presentes. Qual a hipótese mais provável? a) Cetoacidose diabética; b) Sepse por diabetes mellitus; c) Síndrome nefrítica; d) Diabetes insípido descompensada; e) Pielonefrite aguda. 20. Anemia por deficiência de Ácido fólico, a dose correta é: a) Ácido fólico 10-50mg/kg/dia associado com ferro e vitamina B 12 ; b) Ácido fólico 1 mg/kg/dia associado aos probióticos; c) Ácido fólico 100 mg/kg/dia sem associação com outros suplementos; d) Ácido fólico 1-5mg/kg/dia associado com ferro e vitamina B 12 ; e) Ácido fólico 10-20mg/kg/dia associado com ferro e vitamina K. 21. Marque a resposta que contém alguns dos 10 passos da OPAS, SBP e MS para uma alimentação saudável numa criança menor de dois anos: 7

8 a) Dar somente leite materno até os seis meses, sem oferecer água, chás ou quaisquer outros alimentos; b) Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições; c) Após os seis meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas, legumes), três vezes ao dia, se a criança receber leite materno, e cinco vezes ao dia, se estiver desmamada; d) As respostas A, B, e C estão corretas; e) A resposta D está errada. 22.Qual dos indicadores de saúde abaixo relacionados é mais sensível às condições socioeconômicas ambientais? a) Taxa de Mortalidade Neonatal Precoce; b) Taxa de Mortalidade Neonatal Tardia; c) Taxa de Mortalidade Pós-neonatal; d) Taxa de Mortalidade Perinatal; e) Taxa de Mortalidade Materna. 23. Qual é a principal causa de morte materna no Brasil? a) Síndrome hipertensiva; b) Hemorragia; c) Infecção; d) Abortamento inseguro; e) Tromboembolismo. 24. A fluoretação das águas para consumo humano é uma medida que se enquadra entre os níveis de prevenção como: a) Promoção à saúde; b) Proteção específica; c) Diagnóstico e tratamento precoce; d) Limitação do dano; e) Prevenção secundária. 25. As flutuações, na incidência de uma doença, ocorridas em um período maior que um ano denominam-se: a) Endemias; b) Surtos; c) Variações sazonais; d) Variações cíclicas; e) Epidemias. 8

9 26. São fenômenos demográficos que podem ser observados em pirâmide de população: a) Natalidade, mortalidade, morbidade; b) Estrutura etária da população e natimortalidade; c) Esperança de vida, morbidade e mortalidade; d) Razões de dependência e masculinidade e morbimortalidade; e) Migração, natalidade e morbidade. 27. Com o avanço houve melhoria no diagnóstico, tratamento e prognóstico da AIDS (Síndrome de Imunodeficiência Adquirida). Este fato ocasiona: a) Redução da Prevalência; b) Redução da Prevalência e da Incidência; c) Estabilização da Incidência e da Prevalência; d) Elevação da Prevalência; e) Elevação da Incidência e Redução da Prevalência. 28. São características da transição epidemiológica no Brasil, EXCETO: a) Redução da incidência de Neoplasias; b) Aumento da incidência das doenças crônico-degenerativas; c) Redução da incidência das doenças infecciosas; d) Aumento da mortalidade por causas externas; e) Redução da mortalidade infantil. 29. Quantificar ou medir a frequência com que os problemas de saúde ocorrem em populações humanas é um dos objetivos da Epidemiologia. A esse respeito, é correto afirmar: a) Incidência é definida como afrequência de casos existentes de uma determinada doença, em uma determinada população e em um dado momento; b) Taxa de incidência é a expressão da frequência com que surgem novos casos de uma doença por unidade de tempo e com relaçãoao tamanho da população; c) Prevalência é a frequência de casos novos de uma determinada doença ou problema de saúde num determinado período de tempo em uma dada população; d) A incidência acumulada é calculada com a razão entre o número de casos novos de uma determinada doença e o total de pessoa-tempo gerado a partir dapopulação; e) A prevalência pontual expressa a proporção de pessoas que apresentam uma determinada doença em algum momento desde o nascimento. 30. Em relaçãoà vigilância epidemiológica é correto afirmar: a) Rumores e comentários dos habitantes de uma localidade não se constituem fontes de informação; b) A divulgação das informações não se constitui em uma de suas atividades; 9

10 c) Um único caso de um dano à saúde desconhecido numa região não é justificativa para se realizar uma investigação epidemiológica; d) A esquistossomose não é doença de notificação compulsória em áreas endêmicas; e) Os estudos de coorte e casos controle não são indicados para elucidação de uma epidemia. 31. Em relação ao Sistema Único de Saúde (SUS) NÃO é correto afirmar: a) Teve como marco histórico a VIII Conferência Nacional de Saúde; b) Tem como legislação básica as Leis e de 1990; c) O controle social consta como um dos seus princípios e diretrizes; d) Seus recursos financeiros têm fontes diversas e são depositados em conta especial (Fundos de Saúde), em cada esfera de atuação, e movimentados sob fiscalização dos respectivos Conselhos de Saúde; e) A iniciativa privada pode participar desse sistema, quando os serviços públicos forem insuficientes para garantir a cobertura assistencial à população, sem submeterse às suas normas técnicas e administrativas e aos seus princípios e diretrizes. 32. A relação entre o número de casos de uma doença e a população exposta a adoecer denomina-se coeficiente de: a) Ataque; b) Letalidade; c) Mortalidade; d) Morbidade; e) Mortalidade infantil. 33. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define como nascido vivo toda criança, que ao ser separada do organismo materno, estando ou não aderida à placenta, apresente: a) Batimento cardíaco e movimento respiratório; b) Movimentos efetivos dos músculos voluntários; c) Respiração e choro, mesmo que débil; d) Pelo menos um dos seguintes sinais: batimento cardíaco, batimento no cordão umbilical, movimentos efetivos dos músculos voluntários e, movimento respiratório; e) Batimento cardíaco e choro. 34. Com o controle adequado da glicemia dos diabéticos, a incidência e a prevalência da doença, respectivamente: a) Não se altera; Aumenta; b) Aumenta; Aumenta; c) Não se altera; Não se altera; d) Diminui; Diminui; 10

11 e) Não se altera; Diminui. 35. É sabido que a mortalidade infantil no Brasil encontra-se em declínio. Há vários fatores que têm contribuído para isso, entre eles a extensão de cobertura da atenção básica. Com referência a mortalidade infantil, assinale a opção correta: a) A taxa de mortalidade infantil é a soma das taxas de mortalidade neonatal precoce, neonatal tardia, pós-neonatal e mortalidade perinatal; b) A mortalidade neonatal precoce refere-se aos óbitos de crianças de zero a 27 dias de vida completos; c) No Brasil, atualmente, o valor da taxa de mortalidade neonatal é menor do que o valor da taxa de mortalidade pós-neonatal; d) A mortalidade neonatal tardia refere-se aos óbitos de crianças de 7 a 27 dias de vida completos; e) A taxa de mortalidade infantil relaciona o número de óbitos de menores de 1 ano de idade com o número de óbitos em determinado lugar e período. 36. Gestante portadora de cardiopatia desencadeia insuficiência cardíaca congestiva na 1ª hora do parto e vai a óbito. Como deve ser classificada essa morte materna? a) Morte materna indireta; b) Morte materna direta; c) Morte materna não obstétrica; d) Morte materna tardia; e) Nenhuma das anteriores. 37. Modelos assistenciais alternativos visando à integralidade da atenção e ao impacto sobre os problemas de saúde vêm sendo propostos e elaborados. Esses modelos buscam concretizar alguns dos seguintes princípios básicos e diretrizes da Constituição Federal de 1988 relativos ao setor da Saúde, EXCETO: a) Acesso universal e igualitário às ações e serviços; b) Rede regionalizada e hierarquizada; c) Centralização gerencial e de serviços; d) Participação comunitária; e) Participação de empresários. 38. Marque a alternativa CORRETA. A sequencia correta para investigação de uma epidemia é: 1 Determinação do grupo afetado; 2 Confirmação da existência de epidemia; 3 Verificação do diagnóstico; 4 História epidemiológica individual dos doentes e contatos. a) ; b) ; c) ; 11

12 d) ; e) São doenças ou agravos de notificação compulsória imediata, mesmo em casos suspeitos: a) Tuberculose, hanseníase, leptospirose e rubéola; b) Meningite, leishmaniose tegumentar e esquistossomose; c) Botulismo, sarampo e paralisia flácida; d) Hepatite B e C, leishmaniose visceral e tétano; e) Botulismo,Hepatite C e paralisia flácida. 40. Assinale a alternativa que apresenta a associação correta da doença com a respectiva exposição ocupacional. a) Pneumoconiose associada com tuberculose benzeno; b) Síndrome mielodisplásica benzeno; c) Mesotelioma da pleura mercúrio; d) Ataxia cerebelar sílica livre; e) Anemia aplástica amianto. 41. Paciente de 18 anos, masculino, há 3 meses abriu diabetes com um quadro de cetoacidose, estando desde então em uso de insulinoterapia combinada (regular/nph) fracionada, 4u/ 8u de amanhã e 2u/8u à tarde. Apresenta hipoglicemia matinal persistente. Diante deste quadro, sua conduta seria: a) Fazer um teste de tolerância à glicose; b) Dosar as glicemias das 7:00, 12:00 e 18:00 horas; c) Dosar as glicemias das 3:00 horas; d) Aumentar a dose da insulina regular vespertina; e) Aumentar a dose da insulina regular matinal. 42. Paciente de 53 anos, masculino, branco, tabagista de 30 cigarros/dia, etilista moderado, asmático, hipertenso há mais de 10 anos que, investigado, ficou classificado como essencial. Apresenta também níveis tensionais de 160 x 100 mmhg, BAV segundo grau no ECG e sinais de hipertrofia ventricular esquerda. O ecocardiograma mostrou hipertrofia ventricular esquerda e déficit de relaxamento diastólico. Dentre as opções farmacológicas abaixo apresentadas, a de sua segunda escolha seria: a) Enalapril; b) Losartana; c) Reserpina; d) Propranolol; e) Hidralazina. 12

13 43. O tumor maligno encontrado com maior frequência na glândula tireoide é do tipo: a) Medular; b) Folicular; c) Papilífero; d) Anaplásico; e) Linfomatoso. 44. Caracteriza a presença de artrite: a) Dor à palpação articular; b) Derrame articular; c) Dor à movimentação ativa de uma articulação; d) Hiperemia da pele sobrejacente a uma articulação; e) Dor à movimentação passiva de uma articulação. 45. NÃO se refere à hepatite viral tipo A : a) Forma subclínica na infância; b) A imunoprofilaxia passiva é pouco efetiva na prevenção de surtos epidêmicos; c) A imunoprofilaxia ativa é segura e efetiva, cuja vacina pode ser aplicada em qualquer idade; d) Cronicidadade do quadro; e) Até 15% dos pacientes afetados apresentam quadro prolongado ou manifestações recorrentes por um período, habitualmente, não superior a seis meses. 46. Em pacientes politraumatizados com grandes lesões musculares e grandes queimados, qual das medicações a seguir deve ser evitada: a) Tiopental; b) Pancurônio; c) Morfina; d) Succinilcolina; e) Fentanila. 47. Qual o agente etiológico da colite pseudomembranosa? a) Bordetela pertusis; b) Pasteurella; c) Salmonella enteris; d) Clostridium difficile; e) Escherichia coli. 13

14 48. Homem de 58 anos vem apresentando, nos últimos cinco dias, quadro de erisipela em M.I.E., febre, anorexia e evoluindo com redução do volume urinário. O exame físico mostra: paciente orientado, desidratado (++/4+), hipocorado (++/4+), FR = 32 IPM, temperatura axilar = 38,2 C, FC = 108 bpm, PA = 90 x 60 mmhg, ritmo cardíaco regular e resultados dos exames complementares: Ht = 26%, Hb = 10%, leucócitos = /mm3 (15% bastões), glicose = 120mg%, ureia = 86 mg%, creatinina = 1,4mg%, Na = 134, K = 5,2,, ph = 7,28, p0 2 = 92, pc0 2 = 29, BE = - 8,3 HC0 3 = 14 meq/1. A medida clínica inicial mais apropriada é: a) Noradrenalina em doses elevadas; b) Hidratação venosa vigorosa, baseada na pressão venosa central e sinais vitais; c) Hemotransfusão para corrigir hemoglobina para 12%; d) Correção da acidose com bicarbonato de sódio endovenoso; e) Intubação orotraqueal e suporte ventilatório. 49. Paciente do sexo feminino, 60 anos de idade, é atendida na emergência com queixa de dor subesternal de início súbito, com irradiação para pescoço e região dorsal persistente há cerca de 45 minutos. Hipertensa de longa data, tabagista ( 10 cigarros/ dia), sem antecedentes de IAM ou insuficiência cardíaca. Ao exame, encontrava-se ansiosa, sudoreica. À ausculta cardíaca, ritmo regular em 2 tempos, presença de B4, PA: 150x100 mmhg, frequência de 94 bpm. O eletrocardiograma mostrava hipertrofia ventricular esquerda com alteração difusa de repolarização. A radiografia de tórax mostrava cardiomegalia e alargamento do mediastino. Qual a conduta inicial mais apropriada neste caso? a) Iniciar trombolítico; b) Iniciar heparina endovenosa; c) Aguardar resultado de enzimas; d) Solicitar ecocardiogramatransesofágico; e) Solicitar angiografia coronariana de urgência. 50. Quanto ao Derrame pleural encontrado na Insuficiência Cardíaca Congestiva, é ERRADO afirmar: a) É um exsudato rico em proteínas; b) Geralmente é bilateral; c) É comum na evolução da doença; d) Pode ser unilateral, e nessa situação geralmente é a direita; e) O diagnóstico clínico geralmente é suficiente. 51. Um paciente de 22 anos, previamente saudável, queixa-se recentemente de epigastralgia, náuseas e saciedade precoce. Qual é a melhor conduta? a) Endoscopia digestiva alta; b) Manometria esofágica; 14

15 c) phmetria esofágica de 24 horas; d) Teste terapêutico com inibidor da bomba de prótons; e) Esofagograma. 52. Qual das manifestações clínicas relacionadas é um sinal de alarme e aponta para a indicação precoce de endoscopia em um paciente com esofagite de refluxo? a) Pirose; b) Disfagia; c) Gengivite; d) Erosão do esmalte dos dentes; e) Faringite. 53. Mulher com Púrpura trombocitopênica idiopática evolui com abscesso subfrênico após esplenectomia laparoscópica. O antibiótico indicado deve ser eficaz contra: a) Staphylococcus aureus; b) Streptococcus pneumoniae; c) Escherichia coli; d) Enterococcus faecalis; e) Nenhum desses germes. 54. Quanto ao diagnóstico da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), é CORRETO afirmar que: a) A Cintilografia está sempre indicada; b) Pirose e regurgitação ácida dão certeza de DRGE em mais de 90% dos casos; c) A endoscopia digestiva alta é fundamental para o diagnóstico; d) É impossível o diagnóstico sem a realização da phmetria esofágica de 24 horas; e) A manometria esofágica faz o diagnóstico dos casos com sintomas atípicos. 55. Homem de 42 anos é admitido na emergência com icterícia e encefalopatia hepática, e falece 24 horas após a entrada. Acompanhante relata que era abstêmio, em tratamento para tuberculose em posto de saúde nos últimos três meses e estava assintomático. A provável causa básica a ser preenchida no atestado de óbito é: a) Tuberculose; b) Hepatite viral aguda; c) Insuficiência hepática; d) Hepatite medicamentosa; e) nenhuma das respostas está correta. 56. Paciente do sexo feminino, 34 anos de idade, com história de artralgia e artrite não-erosiva em articulações interfalangeanas e punho, presença de rash malar associado a fotossensibilidade e úlceras orais. Tem anticorpo antinuclear (FAN) 15

16 fortemente positivo. Não apresenta comprometimento de outros órgãos no momento. Diante deste quadro, as medicações mais indicadas para esta paciente são, EXCETO: a) AINES (antinflamatório não esteroides); b) Hidroxicloroquina; c) Ciclofosfamida; d) Prednisona; e) Metotrexato. 57. É recomendado o tratamento com Aciclovir na encefalite causada pelo seguinte vírus: a) Rubéola; b) Sarampo; c) Caxumba; d) Hepatite B; e) Herpes simples. 58. A enzima mais fidedigna no diagnóstico do Infarto Agudo do Miocárdio é: a) TGO (AST); b) TGP (ALT); c) CPK MB; d) CPK; e) LDH. 59. Mulher de 35 anos refere que há 02 dias começou a apresentar febre alta seguido do aparecimento de vermelhidão em perna direita. Exame: eritema na face lateral da perna direita com aumento da temperatura local e linfadenomegalia homolateral. Diante do quadro, a hipótese diagnóstica mais provável é: a) Faceíte necrotizante b) Trombose venosa profunda c) Tromboflebite superficial d) Erisipela e) Eczema infectado 60. São causas de Hipocalemia, EXCETO: a) Vômitos b) Desnutrição c) Uso de diuréticos tiazídicos e de alça d) Insuficiência renal aguda e) Hiperaldosteronismo primário 16

17 61. Um paciente de 45 anos do sexo masculino tem hérnia inguinal à direita e será submetido à correção cirúrgica, com tela. Não é hipertenso nem diabético. Não faz uso habitual de nenhuma medicação. Nunca foi internado. Nega outras morbidades. Que exames devem ser solicitados no pré-operatório. a) Eletrocardiograma (ECG); b) Hemograma e função renal; c) Hemograma e coagulograma; d) Hemograma, coagulograma e ECG; e) Hemograma, coagulograma, ECG e Rx Tórax. 62. Em relação às hérnias da parede abdominal, marque a afirmativa INCORRETA. a) A maioria das hérnias ocorre na região abdominal; b) A maioria das hérnias inguinais é indireta; c) As hérnias inguinais são mais comuns em homens; d) As hérnias femorais são mais comuns do que as hérnias inguinais, nas mulheres; e) nenhuma das respostas está incorreta. 63. Paciente de 58 anos, sexo feminino, é submetida a colecistectomia laparoscópica eletiva, sem intercorrências. Apresenta febre de 38,3 C 24 horas após a operação. Qual a causa mais comum de febre nesse paciente? a) Fístula biliar; b) Infecção profunda do sítio cirúrgico; c) Infecção superficial do sítio cirúrgico; d) Infecção urinária; e) Atelectasia pulmonar. 64. No triângulo de Hesselbach, ocorrem as hérnias: a) Inguinal direta; b) Femural; c) Inguinal indireta; d) Spiegel; e) Umbilical. 65. Qual é o conteúdo de uma Hérnia de Littré: a) Apêndice ileocecal; b) Apendicite ileocecal; c) Divertículo de sigmoide; d) Divertículo de Meckel; e) Bexiga. 17

18 66. Nos traumatismos abdominais fechados, a chamada hemorragia em dois tempos deve-se a: a) Tamponamento do vaso pela alça; b) Sangramento após retirada de coágulos; c) Rotura de cápsula esplênica; d) Hematoma da parede intestinal; e) Discrasiasanguínea. 67. A complicação mais freqüente, após um apendicectomia, é: a) Pileflebite; b) Peritonite pós-operatória; c) Deiscência de sutura; d) Fístula estercoral; e) Infecção no tecido celular subcutâneo (abscesso de parede). 68. A complicação pós-operatória mais frequente em pacientes submetidos a ileostomia é: a) Prolapso; b) Dermatite; c) Retração; d) Hérnia incisional; e) Nenhuma das respostas está correta. 69. Homem com 55 anos de idade apresenta hérnia inguinal direta com sintomatologia discreta e quadro clínico estável. A conduta mais indicada neste caso é: a) Tratamento cirúrgico em caráter eletivo; b) Tratamento conservador devido à escassez de sintomas; c) Uso de cinto elástico para prevenir progressão da hérnia; d) Indicar cirurgia de emergência para evitar o estrangulamento; e) Nenhuma das respostas está correta. 70. No sexo masculino, a hérnia da região da virilha na qual o saco herniário encontrase envolvido pelo músculo cremaster, dentro do cordão espermático, é classificada como tipo: a) Direta; b) Oculta; c) Indireta; d) Pré-peritoneal; e)peritoneal. 18

19 71. São consideradas vantagens do reparo das hérnias inguinais por método laparoscópico, com relação às técnicas convencionais, EXCETO: a) Diminuição dos sítios de possível infecção cirúrgica; b) Retorno mais rápido às atividades; c) Melhor visualização anatômica; d) Menor dor no pós-operatório; e) Menor tempo operatório. 72. Um paciente de 70 anos notou o aparecimento de abaulamento em ambas as regiões inguinais. Ao exame constatou-sehérnia inguinal direta bilateral, cujo mecanismo fisiopatológico é: a) Persistência do conduto peritoneovaginal; b) Enfraquecimento da parede posterior do triângulo de Hesselbach; c) Persistência do conduto onfalomesentérico; d) Inserção alta do músculo obliquo externo; e) Inserção baixa do músculo obliquo interno. 73. Marque a alternativa CORRETA que contém patologias que fazem diagnóstico diferencial com as Massas inguinais: a) Hérnia inguinal, Hidrocele, Varicocele; b) Adenite inguinal, Testículo ectópico, Hérnia inguinal; c) Hematoma, Hidrocele, Linfoma; d) Adenite femoral, Hérnia femoral, Torção testicular; e) Todas as alternativas estão corretas. 74. O procedimento inicial de escolha no paciente com pseudo-obstrução do cólon (síndrome de Ogilvie), sem sinais de complicação, é: a) Colonoscopia descompressiva; b) Colostomia em cólon transverso; c) Arteriografia de mesentérica inferior; d) Colectomia total com ileostomia provisória; e) Colectomia com retirada do segmento obstruído e anastomose. 75. A síndrome de gastrite alcalina ocorre mais frequentemente em que tipo de operação? a) Vagotomia + piloroplastia; b) Gastrectomia com reconstrução à Billrolth I; c) Gastrectomia com reconstrução à Billrolth II; d) Vagotomia super-seletiva; e) Gastrectomia com reconstrução em Y de Roux. 19

20 76. A respeito dos cuidados perioperatórios para cirurgias eletivas, é correto afirmar que: a) Antibioticoterapia profiláctica está indicada em todos os procedimentos; b) O preparo mecânico do cólon reduz o índice de infecção pós-operatória; c) A hipotermia aumenta os índices de complicações perioperatórias; d) A depilação antecipada da região cirúrgica com lâminas diminui o índice de infecção do sítio operatório; e) A hipotermia não altera os índices de complicações perioperatórias. 77. Todos os fatores abaixo são protetores contra a infecção do sítio cirúrgico, EXCETO: a) Glicemia de jejum abaixo de 200mg\dl; b) Tricotomia; c) Boas técnicas de antissepsia e assepsia; d) Evitar o uso de imunossupressores; e) Evitar o uso de corticosteroides. 78. Sobre a infecção do sítio cirúrgico, assinale a alternativa CORRETA: a) Aparece mais frequentemente no 2º dia de pós-operatório; b) Habitualmente acomete todos os planos incisados; c) Sempre é precedida de febre, mesmo que baixa; d) Sua incidência não aumenta em obesos; e) Tem praticamente os mesmos germes isolados nas últimas décadas. 79. Um paciente submetido à gastrectomia subtotal apresenta febre nas primeiras horas do período pós-operatório. A causa mais provável da febre é: a) Atelectasia pulmonar; b) Coleção na loja subfrênica; c) Infecção na incisão abdominal; d) Deiscência da gastroenterostomia; e) Nenhuma das respostas está correta. 80. Marque o sinal - sintoma mais comum da embolia pulmonar: a) Cianose e dor torácica. b) Taquipnéia e hemoptise. c) Estertores e tosse. d) Taquicardia e dispnéia. e) Taquipnéia e dor torácica. 20

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac DENGUE Treinamento Rápido em Serviços de Saúde Médico 2015 Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac O Brasil e o estado de São Paulo têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos

Leia mais

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes Situação/problema Criança com desidratação e diarreia Um menino com 6 anos de idade e com peso de 18 kg, desenvolve quadro de desidratação

Leia mais

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria 2012 Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria UNIPAC-Araguari Santa Casa de Araguari 2012 2 INTRODUÇÃO Pneumonia é uma inflamação ou infecção dos pulmões que afeta as unidades de troca

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS.

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS. D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS Prova Discursiva LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Verifique se, além deste caderno, você recebeu

Leia mais

Abordagem da Criança com Taquipnéia. Paula Florence Sampaio

Abordagem da Criança com Taquipnéia. Paula Florence Sampaio Abordagem da Criança com Taquipnéia Paula Florence Sampaio Taquipnéia até 2 meses de idade: 60 rpm de 2 meses a 1 ano: 50 rpm de 1 a 4 anos: 40 rpm 5 anos ou mais: 30 rpm Algumas Causas de Taquipnéia Pneumonia

Leia mais

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 A Dengue A dengue é uma doença infecciosa de origem viral, febril, aguda, que apesar de não ter medicamento específico exige

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Nome do Candidato: ASSINE SOMENTE NESSE QUADRO assinatura RESIDÊNCIA MÉDICA - 2016 Especialidades Pediátricas Prova de Respostas Curtas CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Verifique se você recebeu um CADERNO

Leia mais

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações 1. Introdução A evolução da epidemia causada pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 implica que as medidas sejam adaptadas

Leia mais

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com:

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L 3.1. Diagnóstico da Gravidez O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: Após confirmação da gravidez

Leia mais

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica 01 Demências; 02 Depressão; 03 Hipertensão Arterial Sistêmica Primária e Secundária; 04 Infecções

Leia mais

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA I - Ações da Unidade Básica: 1) Estímulo ao auto-exame de mamas 2) Exame clínico das mamas como parte integrante e obrigatória das consultas ginecológicas e de pré natal 3) Solicitação

Leia mais

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos)

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos) 01 Um homem de 30 anos de idade, que morou em área rural endêmica de doença de Chagas até os 20 anos de idade, procurou banco de sangue para fazer doação de sangue e foi rejeitado por apresentar sorologia

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A respeito do diagnóstico de sífilis na gestação, escolha a alternativa correta:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. A respeito do diagnóstico de sífilis na gestação, escolha a alternativa correta: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS SEM ESPECIALIDADE 21. A respeito do diagnóstico de sífilis na gestação, escolha a alternativa correta: a) O achado de VDRL positivo é suficiente para confirmar a infecção.

Leia mais

DENGUE NA GRAVIDEZ OBSTETRÍCIA

DENGUE NA GRAVIDEZ OBSTETRÍCIA DENGUE NA GRAVIDEZ Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro OBSTETRÍCIA É doença febril aguda, de etiologia viral, de disseminação urbana, transmitida pela

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 NOME: PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 1. Gestante primigesta de 40 semanas é levada ao pronto- socorro referindo perda de grande quantidade de líquido há 25h. Após o exame, com o diagnóstico de amniorrexe

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 01- CLÍNICA MÉDICA Insuficiência

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

Tudo Exige Preparo. Para a guerra. Para o sexo. Para o banho

Tudo Exige Preparo. Para a guerra. Para o sexo. Para o banho Dr. Gustavo Santos Tudo Exige Preparo Para a guerra Para o sexo Para o banho Falhar em se preparar é preparar-se para falhar Benjamin Franklin Preparo Pré-Operatório: Por Quê? Identificar problemas não-conhecidos

Leia mais

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1 COMPONENTE 1 Não consta, como propósito basilar da Portaria 1395/1999, do Ministério da Saúde, que aprova a Política Nacional do Idoso: A) a promoção do envelhecimento saudável. B) a manutenção e a melhoria,

Leia mais

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1 COMPONENTE 1 Não consta, como propósito basilar da Portaria 1395/1999, do Ministério da Saúde, que aprova a Política Nacional do Idoso: A) a promoção do envelhecimento saudável. B) a manutenção e a melhoria,

Leia mais

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA 01- CLÍNICA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2010 - Edema Agudo

Leia mais

Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos

Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos Capacitação em Serviço: Dengue em 15 minutos Situação Epidemiológica O Brasil é responsável por 75% dos casos de dengue na América Latina A partir de 2002, houve grande aumento de casos de dengue e das

Leia mais

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO As infecções bacterianas nos RN podem agravar-se muito rápido. Os profissionais que prestam cuidados aos RN com risco de infecção neonatal têm por

Leia mais

Fluxo de Assistência ao paciente com suspeita de Dengue na Rede de Saúde de Joinville

Fluxo de Assistência ao paciente com suspeita de Dengue na Rede de Saúde de Joinville Fluxo de Assistência ao paciente com suspeita de Dengue na Rede de Saúde de Joinville Caso Suspeito de Dengue Paciente com doença febril aguda, com duração máxima de sete dias, acompanhada de pelo menos

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir:

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir: 01 Concurso Público Menina de sete anos de idade apresentou imagem radiológica de pneumatoceles em ambos os pulmões. História pregressa de rash neonatal, atraso da dentição e fraturas recorrentes devido

Leia mais

1ª PARTE CONHECIMENTOS GERAIS MEDICINA

1ª PARTE CONHECIMENTOS GERAIS MEDICINA 1ª PARTE CONHECIMENTOS GERAIS MEDICINA Questão nº: 01 A coqueluche, ou pertussis, é uma doença respiratória aguda causada pela Bordetella pertussis, especialmente a Bordetella parapertussis. O organismo

Leia mais

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados. MÉTODOS HORMONAIS 1 - ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS) É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

SISTEMA CIRCULATÓRIO II

SISTEMA CIRCULATÓRIO II SISTEMA CIRCULATÓRIO II Conceito: Edema pulmonar é o acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Observação: se a cada batimento, o VD bombear apenas 1 gota a mais de sangue que o VE, dentro de 2 horas o

Leia mais

AFECÇÕES CIRÚRGICAS DA REGIÃO INGUINAL

AFECÇÕES CIRÚRGICAS DA REGIÃO INGUINAL AFECÇÕES CIRÚRGICAS DA REGIÃO INGUINAL MALFORMAÇÕES NA REGIÃO INGUINAL As afecções congênitas da região inguinal correspondem, na sua maioria, a alterações dependentes da persistência de uma estrutura

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO

CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Programa de Educação Tutorial PET Medicina CONDUTAS: EDEMA AGUDO DE PULMÃO Paulo Marcelo Pontes Gomes de Matos OBJETIVOS Conhecer o que é Edema Agudo

Leia mais

INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE)

INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE) SUBPAV/SVS COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE IMUNIZAÇÕES INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE) VACINA INATIVADA CONTRA POLIOMIELITE (VIP) Crianças imunocomprometidas (com deficiência imunológica congênita ou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 06, PROVA DISSERTATIVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 06, PROVA DISSERTATIVA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA Novembro/2010 Processo Seletivo para Residência Médica - 2011 06 - Mastologia Nome do Candidato Caderno de Prova 06, PROVA DISSERTATIVA

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS

DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS DENGUE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE SINAIS/SINTOMAS SINAIS/SINTOMAS CLÁSSICOS CLÁSSICOS MANIFESTAÇÕES MANIFESTAÇÕES HEMORRÁGICAS HEMORRÁGICAS SINAIS SINAIS DE DE ALERTA ALERTA SINAIS SINAIS DE DE CHOQUE CHOQUE

Leia mais

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato?

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato? Caso Clínico 1 (2 pontos) Primigesta com 36 semanas de gestação é admitida na maternidade com queixas de náuseas, epigastralgia e cefaleia. Gesta II Para I (Parto normal). Ao exame, encontra - se eupneica,

Leia mais

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MATERNIDADE ESCOLA JANUÁRIO CICCO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO PARA

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS As vacinas conjugadas são aquelas nas quais os antígenos bacterianos são ligados a carreadores protéicos, facilitando o processamento pelos linfócitos T, gerando então,

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1

Distrito Estadual de Fernando de Noronha Processo Seletivo Simplificado 2006 COMPONENTE 1 COMPONENTE 1 Não consta, como propósito basilar da Portaria 1395/1999, do Ministério da Saúde, que aprova a Política Nacional do Idoso: A) a promoção do envelhecimento saudável. B) a manutenção e a melhoria,

Leia mais

Caso Clínico. Luana Silva Bessa Guimarães

Caso Clínico. Luana Silva Bessa Guimarães Caso Clínico Luana Silva Bessa Guimarães Identificação Id: sexo masculino, 31 anos, natural e procedente de Fortaleza, pardo, católico, auxiliar de produção. Cansaço e inchaço nas pernas" Queixa Principal

Leia mais

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016 Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda DENGUE O Brasil têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos com aumento

Leia mais

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: : FLÁVIA NUNES DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO ENDOCARDITE REUMÁTICA O desenvolvimento da endocardite reumática é atribuído diretamente à febre reumática, uma doença

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

Doença falciforme: Infecções

Doença falciforme: Infecções Doença falciforme: Infecções Célia Maria Silva Médica Hematologista da Fundação Hemominas celia.cmaria@gmail.com Eventos infecciosos Importância Incidência Faixa etária mais acometida (6m - 5a) Internações

Leia mais

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação UNIMED GOIÂNIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO PROCESSO SELETIVO 2013 PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NOS RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS 20 de outubro de 2012 Centro de Vacinação SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre.

Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre. 15 minutos de... D. Kawasaki Criança de 3 anos, previamente saudável, frequentadora de creche, é trazida ao consultório do seu pediatra com história de quase 3 dias de febre. A febre tem sido diária, com

Leia mais

CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento:

CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento: CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 Motivos para encaminhamento: 1. Alterações no exame de urina (urinálise) 2. Infecção urinária de repetição 3. Litíase renal 4. Obstrução do trato

Leia mais

HIPÓTESES: PERITONITE BACTERIANA ESPONTÂNEA EM CIRRÓTICO DESCOMPENSADO ENTEROINFECÇÃO (GASTROENTEROCOLITE)

HIPÓTESES: PERITONITE BACTERIANA ESPONTÂNEA EM CIRRÓTICO DESCOMPENSADO ENTEROINFECÇÃO (GASTROENTEROCOLITE) Caso Clínico 1 (2,0 pontos) Um homem de 50 anos, funcionário público, casado, etanolista diário, deu entrada na emergência, referindo dor abdominal, febre 38 C e evacuações diarreicas aquosas há 24 horas.

Leia mais

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com

Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Prof. Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com A estatística tem como objetivo fornecer informação (conhecimento) utilizando quantidades numéricas. Seguindo este raciocínio, a estatística

Leia mais

OBSTETRÍCIA. Questão 1

OBSTETRÍCIA. Questão 1 OBSTETRÍCIA Questão 1 Paciente com 22 semanas de gestação é atendida com diagnóstico de carcinoma ductal infiltrante de mama. Ao exame físico apresenta nódulo irregular, pétreo, com 2cm localizado no quadrante

Leia mais

ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA

ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO ENFERMAGEM DE RISCO EM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM EMERGÊNCIA

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 79

PROVA ESPECÍFICA Cargo 79 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 79 QUESTÃO 26 Sobre o recém nascido, é correto afirmar, EXCETO: a) A fratura de fêmur é um trauma raro e de fácil diagnóstico devido à dor. b) A extrofia de pequenos lábios é

Leia mais

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICA 1. Na atresia de esôfago pode ocorrer fistula traqueoesofágica. No esquema abaixo estão várias opções possíveis. A alternativa indica a forma mais freqüente é: Resposta B 2. Criança

Leia mais

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM CALENDÁRIOS VACINAIS Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM VACINA É PARA A VIDA TODA... Oportunidades para a Vacinação criança adolescente adulto Programa infantil Catch up (repescagem)

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do sítio cirúrgico. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do sítio cirúrgico. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Infecção do sítio cirúrgico Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 29/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização:

Leia mais

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS D.S.T D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS CANCRO MOLE Agente: bactéria Haemophilus ducreyi Transmissão: sexo vaginal, anal ou oral

Leia mais

DIVERTÍCULO DIVERTÍCULO VERDADEIRO FALSO Composto por todas as camadas da parede intestinal Não possui uma das porções da parede intestinal DIVERTICULOSE OU DOENÇA DIVERTICULAR Termos empregados para

Leia mais

Justificativa Depende dos exames escolhidos. Residência Médica Seleção 2014 Prova Clínica Médica Expectativa de Respostas. Caso Clínico 1 (2 pontos)

Justificativa Depende dos exames escolhidos. Residência Médica Seleção 2014 Prova Clínica Médica Expectativa de Respostas. Caso Clínico 1 (2 pontos) Caso Clínico 1 (2 pontos) Uma mulher de 68 anos, hipertensa, é internada com afasia e hemiparesia direita de início há meia hora. A tomografia de crânio realizada na urgência não evidencia sangramento,

Leia mais

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes.

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pâncreas Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pancreatite aguda Pancreatite crônica Cistos pancreáticos Câncer de Pancrêas Pancreatite aguda O pâncreas é um órgão com duas funções básicas:

Leia mais

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico:

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico: Questionário de avaliação para vacinação de [ Endereço Nome da criança Nome do pai/mãe/responsável M F ポルトガル 語 版 Formulário 2 ] (bebês/crianças em idade escolar) Temperatura corporal antes da entrevista

Leia mais

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA PROTOCOLO - OBS 032 DATA: 24/09/2005 PÁG: 1 / 5 1. CONCEITOS - Infecção do trato urinário inferior: colonização bacteriana na bexiga e/ou uretra acompanhada de resposta inflamatória CISTITES, URETRITES.

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO QUESTÃO 21 Paciente portador de miatenia gravis e timoma, submetido a tratamento cirúrgico. Durante o ato operatório, constatou-se que o

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO

TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO Os autores apresentam três casos de Tumores Gigantes de Ovário, sendo um com alto grau de malignidade (Linfoma do tipo Burkitt), dois benignos (Cisto Seroso e Teratoma), porém

Leia mais

A minha paciente está grávida: Como eu conduzo?

A minha paciente está grávida: Como eu conduzo? A minha paciente está grávida: Como eu conduzo? O que você precisa saber sobre gravidez e hemoglobinopatia. Regina Amélia Lopes Pessoa de Aguiar Professora Associada Departamento Ginecologia e Obstetrícia

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº. 01/2010/DIVE/SES

NOTA TÉCNICA Nº. 01/2010/DIVE/SES S ESTADO DE SANTA CATARINA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA NOTA TÉCNICA Nº. 01/2010/DIVE/SES Assunto:

Leia mais

Infecção Urinária e Gestação

Infecção Urinária e Gestação I ENCONTRO DA REDE MÃE PARANAENSE Infecção Urinária e Gestação Marcos Takimura UFPR/UniPositivo/HT-SESA Modificações Fisiológicas do Aparelho Urinário na Gestação Compressão mecânica do útero gravídico

Leia mais

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo.

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 1 INSTRUÇÕES Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 2 Este Caderno contém 05 casos clínicos e respectivas

Leia mais

Protocolo de tratamento de influenza - 2011

Protocolo de tratamento de influenza - 2011 Protocolo de tratamento de influenza - 2011 Depois de definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a fase pós- pandêmica, a partir de agosto de 2010, o vírus da influenza pandêmica A (H1N1) 2009 continuou

Leia mais

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ QUESTÃO 01 O Agente Comunitário de Saúde tem como objetivo principal contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. Analise as opções abaixo e marque a alternativa incorreta: A) Conhecer

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Introdução A meningite bacteriana aguda é um processo

Leia mais

Viva Bem! Cuide da Sua Saúde!

Viva Bem! Cuide da Sua Saúde! Viva Bem! Cuide da Sua Saúde! O Serviço Social da Construção Alimentação Saudável Quanto mais colorida for a sua alimentação, maior a presença de nutrientes no seu corpo e melhor será a sua saúde. 50%

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO O objetivo deste Termo de Esclarecimento e Consentimento Informado, utilizado pelo HOSPITAL E MATERNIDADE SANTA JOANA, é esclarecer

Leia mais

Cardiologia Hemodinâmica

Cardiologia Hemodinâmica 1 Concurso Público 2011 Cardiologia Hemodinâmica Questão 1: Homem de 40 anos de idade, brasileiro (RJ), solteiro e comerciante, apresentou dor precordial intensa, acompanhada de palpitações e desencadeada

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

Cefaléias e Enxaqueca Convulsões febris. Desidratação. Crescimento e do desenvolvimento

Cefaléias e Enxaqueca Convulsões febris. Desidratação. Crescimento e do desenvolvimento Saúde da Criança Alimentação o Aleitamento materno Orientações gerais e manejo das principais dificuldades o Alimentação saudável o Desnutrição energético-protéica o Distúrbios da absorção o Anemia ferropriva

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA Leia os dois casos clínicos abaixo e as perguntas que fizemos sobre eles. Mas não comece a responder ainda. Depois de analisar bem os dois casos, abra o texto Pneumonia Diretriz

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc Insuficiência Cardíaca Conceito É a incapacidade do coração em adequar sua ejeção às necessidades metabólicas do organismo, ou fazê-la

Leia mais

7º Imagem da Semana: Radiografia de Tórax

7º Imagem da Semana: Radiografia de Tórax 7º Imagem da Semana: Radiografia de Tórax Legenda da Imagem 1: Radiografia de tórax em incidência póstero-anterior Legenda da Imagem 2: Radiografia de tórax em perfil Enunciado: Homem de 38 anos, natural

Leia mais

Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG. Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS

Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG. Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS Brasília, novembro de 2012 Antecedentes Uso do medicamento durante a pandemia e 2011/2012 Dificuldade

Leia mais

OFICINA Correto Preenchimento das causas de óbito

OFICINA Correto Preenchimento das causas de óbito OFICINA Correto Preenchimento das causas de óbito Cons. Bruno Gil Consa. Diana Viegas Martins Consa. Maria Madalena de Santana Dra. Márcia Mazzei (Sesab) CASO 1 Masc., 42 anos Paciente admitido com história

Leia mais

Tuberculose, o que é?

Tuberculose, o que é? Tuberculose, o que é? P Á T R I A E D U C A D O R A O que é tuberculose? A tuberculose é uma doença infecciosa causada por um micróbio visível apenas ao microscópio chamado bacilo de Koch. Uma doença causada

Leia mais

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição Relatos de casos de Strongyloides stercoralis Isabelle Assunção Nutrição RECIFE/2011 INTRODUÇÃO A estrongiloidíase é uma helmintíase predominantemente intestinal causada pelo Strongyloides stercoralis,

Leia mais

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA

PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA PROVA PARA A RESIDÊNCIA MÉDICA EM CARDIOLOGIA, GASTROENTEROLOGIA E MEDICINA INTENSIVA CONCURSO DE SELEÇÃO 2013 PROVA DE CLÍNICA MÉDICA Nome: Dia: 20 de dezembro de 2012. 01 - A conduta inicial em embolia

Leia mais

CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL. » Precoce antes da 20ª semana» Intermédio - entre 20ª e a 28ª semana» Tardio após 28ª semana

CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL. » Precoce antes da 20ª semana» Intermédio - entre 20ª e a 28ª semana» Tardio após 28ª semana CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL Deinição (OMS) - morte do produto da concepção ocorrida antes da expulsão ou de sua extração completa do organismo materno, independentemente da duração da gestação. 1. CLASSIfICAçãO»

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida

Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida Observações Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida APRESENTAÇÃO O módulo de Assistência Médica por Ciclos de Vida aborda o trabalho específico do Médico de Família,

Leia mais