O uso da estimulação russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O uso da estimulação russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério"

Transcrição

1 1 O uso da estimulação russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério Shayenne de amorim teles¹ Dayana Priscila Maia Mejia² Pós Graduação em Fisioterapia Dermatofuncional-Faculdade Cambury Resumo Este estudo relata sobre o uso da eletroestimulação russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais. O artigo teve como finalidade proporcionar a redução do período de regeneração dos músculos retos abdominais, reduzindo assim a flacidez e a diástase da musculatura abdominal no puerpério, permitindo assim a conservação da característica e capacidade da musculatura abdominal no puerpério, e possivelmente proporcionar a manutenção da qualidade e quantidade do tecido muscular na condição puerperal, introduzindo para isso o uso da eletroestimulação russa, possibilitando assim a recuperação do aspecto estético, psicológico e emocional e o, restabelecimento da qualidade de vida interpessoal e atividades de vida diária. Trata-se de um estudo referencial de aspecto descritivo que visa contribuir e explicar a teoricamente sobre o assunto, foram utilizados livros de acervo pessoal e pesquisas de artigos científicos em base de dados como Biblioteca Virtual em Saúde, Scielo, tendo com critérios de inclusão os artigos que se enquadravam na data proposta, referente ao ano de1995 a 2013 e que se enquadravam na temática abordada: corrente russa diástase do reto abdominal, flacidez e puerpério. Conclui-se, portanto que o estudo pode levar a respostas positivas com o uso da eletroestimulação russa no tratamento da flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério. Pôde-se observar também que o tratamento fisioterapêutico com o uso da eletroestimulação russa pode proporcionar a melhora da qualidade de vida do individuo a ser tratado. Palavras Chave: Corrente Russa; Puerpério; Diastáse dos Retos Abdominais. 1. Introdução O período gestacional e o puerpério são considerados eventos, em que ocorrem mudanças fisiológicas, por provocarem variadas alterações físicas e emocionais, com o objetivo de criar um ambiente ideal para o crescimento e desenvolvimento fetal (LEITE; ARAÚJO, 2012). Durante a gravidez ocorrem alterações anatômicas e fisiológicas na mulher tais como: ganho ponderal (ganho de peso); alterações em órgãos sistêmicos (mudanças viscerais, fáscias e ligamentos pélvicos; modificações nos sistemas urinário, pulmonar, ¹Pós-graduando em Fisioterapia Dermatofuncional ²Orientadora: Fisioterapeuta. Especialista em Metodologia do Ensino Superior. Mestre em Bioética e Direito em Saúde

2 cardiovascular, musculoesquelético e tegumentar); alterações de postura e equilíbrio (KISNER e COLBY, 2005). Segundo Rettet al (2009) relata em seu estudo que durante a gestação as alterações hormonais provocadas pela progesterona, estrogênio e relaxina, junto com o crescimento uterino podem promover o estiramento dos músculos abdominais, principalmente do músculo reto do abdômen e as alterações posturais que podem ser observadas no período gestacional como a anteversão pélvica acompanhada ou não da hiperlordose lombar causam mudanças biomecânicas na inserção dos músculos abdominais e pélvicos levando a um déficit na sustentação dos órgãos pélvicosabdominais. Durante os estágios da gravidez ocorre o alongamento desses músculos para acomodar o feto e com isso há um prejuízo no vetor de forças desses músculos, ocasionando assim uma diminuição da capacidade de contração dessa musculatura. De acordo com Souza, (2002) o útero é um órgão que se encontra em constante crescimento e quem sofre as transformações mais significativas durante o período gestacional. De um órgão pequeno e quase sólido, a um órgão que contém: o feto, a placenta e de 500 a ml de liquido amniótico. Apesar de ser considerado um órgão muscular, o útero não pertence ao sistema musculoesquelético em si, é a principal causa das alterações que acometem a estática e dinâmica do esqueleto da gestante (NEME, 2000; ZIEGEL; CRANLEY, 2008), e pode durante a gravidez causar o estiramento da musculatura abdominal, ocasionando a separação dos feixes dos músculos retos abdominais provocando assim uma patologia muito comum, que ocorre inicialmente no segundo trimestre de gestação, tendo uma incidência maior nos três últimos meses, em decorrência do volume abdominal maior, assim como no pós-parto, chamada de diástase dos músculos retos abdominais (SOUZA; 2002). Após o período de gestação, a mãe passa por um processo denominado puerpério (sobreparto ou pós-parto) que é definido como fase de retorno do organismo materno para as condições normais pré-gravídicas (PRADO, RAMOS e VALLE, 1995). Podendo ser dividido em pós-parto imediato, tardio e remoto (Rett, Araújo, et al 2012 apud por BACHA,REZENDE, 1999). Durante o puerpério, a glândula mamária é a única que permanece em processo de evolução, e conforme for o grau de acometimento no momento do parto e resistência do organismo da mãe, podem ocorrer alterações no corpo com características patológicas (PRADO, RAMOS e VALLE, 1995). Entretanto Borges et al (2002) caracteriza o puerpério como um período em que ocorrem todas as manifestações involutivas e de recuperação do organismo materno após o parto. A involução puerperal ocorre no prazo de 6 semanas, e pode ser dividido em pós-parto imediato (do 1 ao 10 dia), pós-parto tardio (do 10 ao 45 dia) e pós parto remoto (além de 45 ). Durante a gravidez, ocorre o crescimento do útero gravídico e este além de ocasionar o estiramento dos músculos abdominais promove a frouxidão da linha alba e consequente separação dos músculos retos abdominais deixando um espaço de 1 a 3 cm entre os dois ventre dos músculos no final da gestação que é considerada a diástese dos músculos retos músculos reto abdominais (TOMPSON et al, 1994). A diástase pode ocorrer acima e abaixo do umbigo, ou apenas abaixo do umbigo, e será visível em qualquer mulher que tenha terminado a gravidez, podendo variar entre uma pequena lacuna vertical com 2 a 3 cm de largura e 12 a 15 cm de comprimento, em um espaço com 12ª 20 cm de largura, estendendo-se por quase todo o comprimento do músculo reto do abdômen (POLEN&MANTLE, 2000). Para Kisner et al (2005) a diástase dos Retos-Abdominais é definido como o afastamento dos músculos Reto-Abdominais na linha média, a linha Alba. A diástase 2

3 dos músculos reto-abdominais no puerpério tem origem desconhecida, no entanto a provável causa é a alteração hormonal no tecido conjuntivo e as modificações biomecânicas. A fraqueza dos músculos reto-abdominais promove na diminuição da capacidade de executar a flexão da coluna vertebral. Em decúbito dorsal, ocorre a diminuição da capacidade de executar a inclinação da pelve posteriormente ou de aproximar o tórax no sentido da pelve, resultando na dificuldade de levantar a cabeça. No caso de fraqueza acentuada dos músculos reto-abdominais, mesmo os flexores de o pescoço serem fortes, a pessoa se torna incapaz de levantar a cabeça (KENDALL, McCREARY e PROVANCE, ano), essas alterações podem ocorrem em decorrência da flacidez, que é definida por atrofia do tecido, devido o enfraquecimento das fibras de colágeno e elastina, onde estes têm como objetivo promover a sustentação da pele (BORGES, 2010). Podendo ser causada por diversos motivos, tais como a ociosidade, o processo de envelhecimento, o emagrecimento entre outros (GUIRRO e GUIRRO, 2004). Sendo mais freqüente em pessoas do sexo feminino (LIMA e RODRIGUES, 2012). A diástase do músculo reto abdominal não provoca desconforto ou dor, entretanto a distensão excessiva poderá ocorrer interferência na capacidade da musculatura abdominal na estabilização do tronco, gerando com isso dores lombares. Apresenta incidência menor em mulheres com bom tônus abdominal antes da gestação, sendo mais comum na gestação e no pós-parto imediato, alguns fatores podem influenciar no surgimento das diástase dos músculos retos abdominais, como: obesidade, gestações múltiplas, multiparidade, polihidrâmnio (excesso de liquido amniótico), macrossomia fetal e flacidez dos músculos abdominais pré-gravídica (RETT, et al 2009; MESQUITA, MACHADO, ANDRADE, 1999). Conforme Machado et al (1999) a atuação da fisioterapia no pós-parto imediato consiste em melhorar o tônus da musculatura abdominal e pélvica, sensibilizar as puérperas sobre a importância do continuidade dos exercícios iniciados no período gestacional e sobre o retorno para o atendimento no pós-parto tardio. O tratamento da diástase dos músculos retos abdominais deve ser iniciado no puerpério imediato e tem como objetivos o restabelecimento da tonicidade muscular do abdômen para o desempenho funcional, de manutenção de postura e movimentação do corpo (BORGES;VALENTIN, 2002). O tratamento da diástase dos músculos retos abdominais no puerpério imediato consiste em exercícios concêntricos, realizados inicialmente em decúbito dorsal, com quadris e joelhos flexionados, podendo ser realizados em todas as posições. Outra forma de tratamento que pode ser utilizada é a eletroestimulação com corrente de média freqüência (corrente russa) que tem como objetivo o fortalecimento da musculatura por meio de corrente elétrica sendo considerada bem mais eficaz por recrutar maior número de fibras musculares. Na prática dermatofuncional a corrente russa tem como principal objetivo, atuar na musculatura hipotônica e flácida promovendo o fortalecimento das fibras musculares por meio da contração voluntária. Os primeiros estudos publicados sobre essa corrente de média freqüência foi na década de 70, onde pesquisadores utilizaram para promover maior ganho de força muscular do que aquele obtido por contração muscular voluntária. Segundo Klefenset al, 2013 relatou em sua pesquisa que a eletroestimulação neuromuscular de média frequência aplicada no pos-parto tardio trazem benefícios no que se referem a diminuição da diástase dos músculos retos abdominais. O atendimento fisioterápico no puerpério imediato contribui positivamente para a redução da diástase dos músculos retos abdominais mais precocemente. Frente à 3

4 4 importância do tratamento fisioterapêutico na diástase e a eletroestimulação neuromuscular como importante alternativa de tratamento realizou-se o presente estudo com o objetivo de buscar na literatura as evidencias sobre o uso da estimulação elétrica neuromuscular, através da corrente russa no tratamento da diástase abdominal para o desenvolvimento desta pratica com fundamentação científica. A finalidade desse estudo é demonstrar como a eletroestimulação russa, também conhecida como corrente russa, irá atuar na redução do período de regeneração dos músculos retos abdominais, reduzindo assim a flacidez e a diástase da musculatura abdominal ou seja diástase dos músculos retos abdominais no puerpério, permitindo com isso a conservação da característica e capacidade da musculatura abdominal no pós-parto, e possivelmente a manutenção da qualidade e quantidade do tecido muscular na condição puerperal, possibilitando assim a recuperação do aspecto estético, psicológico e emocional e o, restabelecimento da qualidade de vida interpessoal e atividades de vida diária das gestantes. 2. Metodologia Trata-se de um estudo referencial bibliográfico de aspecto descritivo que visa contribuir e explicitar teoricamente sobre o assunto, baseado em fontes de livros de acervo particular, pesquisas de artigos em bancos de dados como Scielo, Biblioteca Virtual em Saúde. Foi feita uma busca na base de dados da Scielo, Biblioteca Virtual em Saúde, sites específicos de publicação científica com as palavras-chaves: Corrente Russa, Puerpério, Diastáse dos Retos Abdominais entre os anos de 1994 a Sendo estas, analisadas no período de Março de 2012 á Março de Os critérios de inclusão dos artigos para o estudo de revisão de literatura foram os que se enquadravam no período na data proposta e os que se correlacionavam com O uso da corrente russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério, e aqueles que poderiam dar andamento ao estudo proposto. E excluídos do artigo aqueles que não se enquadravam na data, proposta, aqueles que não possuíam literatura que pudesse correlacionar com o estudo. O objetivo desse estudo foi demonstrar o uso da corrente russa no combate a flacidez e diástase dos retos abdominais no puerpério. Os dados obtidos configuram-se por meio de artigos eletrônicos que respeitava a metodologia proposta referente ao uso da corrente russa no combate a flacidez e a diástase dos retos abdominais no puerpério. 3. Resultado e Discussão Segundo Antonio et al (2002) a estimulação elétrica cada vez mais, vem ocupando seu espaço devido proporcionar aos indivíduos que são submetidos ao tratamento, diversidade e atualizações, podendo esta ser adicionada aos programas de exercícios, visando assim resultados benéficos, sem grande esforço e menos tempo. A corrente russa promove efeito gratificante no aumento de hipertrofia e força muscular (LIMA; RODRIGUES, 2012). Borges et al (2002) relata que na literatura possuem vários resultados satisfatórios em relação a eletroestimulação, pois a mesma melhora a qualidade da função muscular e descrevem os principais objetivos da técnica que são: manter a qualidade e quantidade do tecido muscular, aumentar ou manter a força muscular e estimular o fluxo de sangue no músculo.

5 A corrente russa é uma corrente alternada simétrica, sinusoidal de média frequência (2.500 Hz), modelada por burst a cada 10 ms para fornecer 50 bursts por segundo, sendo sua técnica terapêutica denominada de estimulação russa. A expressão eletroestimulação russa é usada para excitadores que possuem saída contínua de corrente, onda senoidal, com cerca de a 5.000Hz, podendo ser controlada a produzir 50 burts por segundo. (LIMA; RODRIGUES, 2012). A eletroestimulação russa ou corrente russa é uma corrente que proporciona a tonificação muscular. (AGNE, 2009) A aplicabilidade deste método, cada vez mais vem sendo empregado por leigos e profissionais da saúde, com objetivo de ganhar força e aumentar o volume muscular (PERNAMBUCO, CARVALHO e SANTOS, 2013) Segundo Klefens et al, 2013 relatou em sua pesquisa que a eletroestimulação neuromuscular de média freqüência aplicada no pós-parto tardio trazem benefícios no que se referem a diminuição da diástase dos músculos retos abdominais. A diástase dos músculos retos abdominais pode ser verificada no segundo trimestre da gestação, apresentando diminuição no puerpério tardio, o útero apresenta involução após o parto, terminando em cerca de 14 dias, os músculos abdominais para retornarem ao seu estagio pré-gestacional podem levar até seis semanas e para recuperar sua força, até seis meses. A diástase pode permanecer até uma ano após o parto sendo considerada transitória ou podendo permanecer pelo longo da vida da mulher (MESQUITA et al, 1999; BORGES, VALENTIN; 2002). A avaliação dos músculos reto-abdominais durante o estado puerperal, para verificação da diástase dos músculos retos abdominais pode ser realizado da seguinte forma: paciente deitada em decúbito dorsal, o fisioterapeuta coloca seus dedos, mantendo sua mão aberta abaixo do nível do umbigo, pede-se para o paciente elevar a cabeça e direcionar suas mãos aos joelhos. O fisioterapeuta será então capaz de sentir a largura como a extensão de qualquer separação dos retos (POLDEN& MANTLE, 2000). Entretanto segundo Souza (1999) a separação dos músculos reto-abdominal pode ser avaliado quando pedimos para a gestante flexionar o tronco, porém atualmente, a verificação da diástase do músculo reto-abdominal em puérperas utiliza-se um instrumento de medição precisa de diâmetro e espessura conhecido como paquímetro, esse instrumento confere maior fidedignidade na separação dos retos se comparado aos dedos do examinador. No período puerperal todos os músculos da região abdominal estarão enfraquecidos e os ligamentos que estão localizados nesta região irá apresentar uma elasticidade maior em relação a uma mulher que não esteja no período gestacional. Os músculos da região abdominal: reto abdominal, transverso do abdômen, obliquo interno e oblíquo externo formam o apoio elástico para o conteúdo abdominal, sendo os retos abdominais responsáveis por flexionar a coluna, sustentar a massa visceral e auxiliar na expiração forçada. A função do Músculo Reto do Abdômen é puxar o tórax contra a bacia e pressionar o abdômen, responsável também pela respiração abdominal (expiração) (SOBOTTA, 2000). Neste contexto devido a localização anatômica do abdômen na região central do individuo, destaca-se a importância de se trabalhar o padrão estético e o contorno corporal (JAIMOVICH, MAZZARONE et al, 1999). Melhorando desta forma a aparência física, o estado emocional e psicológico, o relacionamento interpessoal entre outras. Fisiologicamente os Retos-Abdominais são separados em duas bandas musculares estendidas pela face anterior do abdômen, separados pela linha média (KAPANDJI, 2000). Tendo origem na Crista e sínfise púbicas, com inserção nas cartilagens costais da 5

6 5, 6 e 7 costelas e processo xifóide do esterno, tendo a direção das fibras musculares em posição vertical, promovendo ação de flexionar a coluna vertebral, aproximando o tórax e a pelve anteriormente (KENDALL, Mc CREARY e PROVANCE, 1995). O conhecimento anatômico e fisiológico dos retos abdominais é importante para um bom direcionamento dos exercícios a serem realizados no período puerperal, pois durante este período são contra-indicados exercícios de flexão de tronco ou abaixamento da perna, pois ocorre a separação dos músculos retos abdominais, sendo que esses exercícios não podem ser realizados após a normalização da diástase dos músculos retos abdominais. Segundo Both (2008) a atividade física no período gestacional traz muitos benefícios para a gestante como: evita o excesso de peso, melhora a postura, ajudam na oxigenação do feto, faz com o trabalho de parto seja mais facilitado e melhor recuperação no pósparto, prevenindo ou quando há a diástase dos músculos retos abdominais. A auxiliando no tratamento para que esta possa ser revestida de forma rápida e até espontaneamente no período de recuperação após a gravidez. A atuação do fisioterapeuta no puerpério tem por finalidade melhorar a força muscular da musculatura abdominal e pélvica, sensibilizar as puérperas sobre a continuidade dos exercícios iniciados no pós-parto e sobre o retorno para o atendimento após o período gestacional. Uma pesquisa recente demonstrou a efetividade de um programa de exercícios para resolução da diástase dos músculos retos abdominais no pós-parto tardio e remoto, por meio da comparação entre um grupo que realizava atividades físicas controladas durante o período gestacional (grupo tratamento) e outro grupo, controle. No grupo controle foi observada maior incidência de DMRA superior a 3 cm, e uma demora na resolução espontânea da diástase dos músculos retos abdominais, influenciando assim, a biomecânica postural e um déficit na função de sustentação dos órgãos pélvicos e abdominais. A análise eletromiográfica da musculatura abdominal demonstrou que os exercícios abdominais estimulam a ação voluntária destes músculos. Assim, o estímulo nesta região tende a melhorar a tonicidade da musculatura que se encontra flácida ou hipotônica (MESQUITA, MACHADO, & ANDRADE, 1999). Outra forma de tratamento para as diástases dos músculos retos abdominais é a estimulação elétrica, corrente de média freqüência, que pode substituir o exercício ativo voluntário quando existirem precauções em relação a sua execução. Esta é um meio de recrutar de forma potencialmente as unidades motoras mais rápidas, mais do que se poderia usualmente ativar por meio de um exercício ativo voluntário. Hoje na prática clínica dermatofuncional é comum o uso da corrente russa, pelo seu reconhecido potencial no trabalho da musculatura hipotônica e flácida (BORGES, EVANGELISTA, & MARCHI, 2010). Vários estudos foram realizados em busca de um maior conhecimento sobre o efeito das correntes elétricas nas fibras musculares, estes trabalham com duas hipóteses: aumentar a força muscular e a mudança no tecido muscular. Uma das razões para a eletroestimulação ser mais eficaz do que apenas o exercício reside na diferença nos padrões de recrutamento e acionamento da eletroestimulação e do exercício voluntário, em uma contração voluntária o recrutamento de unidades motoras no músculo esquelético obedece a um determinado padrão quando o influxo do SNC determina o início da contração do músculo. No início da reabilitação as fibras de contração rápida (tipo IIb) são recrutadas raramente, já que no início da reabilitação o treino muscular usa baixo peso, para proteger as articulações. Se realizado este tratamento com o uso de eletroestimulação as fibras musculares fásicas podem ser estimuladas eletricamente e as articulações podem ser estabilizadas (BORGES, EVANGELISTA, & MARCHI, 2010). 6

7 Segundo Borges (2010) Para que ocorra uma melhor ativação muscular, a eletroestimulação deve dar ao músculo alguma resistência, a fim de que haja um fortalecimento muscular efetivo. A eletroestimulação consegue-se ativar 30 a 40% mais unidades motoras que nos exercícios ativos voluntários, pois com a eletroestimulação ocorre uma modulação do nervo motor alfa e não uma despolarização do neurônio, como no movimento ativo. Na corrente russa podemos modular diferentes parâmetros, dentre eles o tempo de contração e o tempo de relaxamento, que chamamos de tempo ON e tempo OFF. O tempo ON, que significa respectivamente em tempo em que há contração muscular, e o tempo em que a contração muscular é cessada. Varias pesquisas utilizando a corrente russa como tratamento para o fortalecimento do reto abdominal obteve hipertrofia muscular usando tempo ON de 9 segundos e Tempo OFF de 27 segundos. Outra pesquisa de estimulação de reto abdominal utilizou 6 segundos de contração para 6 segundos de repouso, e outro onde foi utilizado 9 segundos de tempo ON para 9 segundos de tempo OFF, em ambos não houve sinal de fadiga muscular ou desconforto relatado pelas pacientes (BORGES, EVANGELISTA, & MARCHI, 2010) A rampa de subida e de descida é outra modulação encontrada nos aparelhos de corrente russa, a rampa determina um aumento ou uma descida gradativa da duração do pulso e da amplitude do pulso, e varia normalmente entre 1 a 5 segundos, permitindo um aumento ou diminuição gradual da contração muscular. A rampa tem como função dar uma aspecto mais fisiológico à contração eletroestimulada. Quanto maior a intensidade modulada, mais nervos motores são estimulados. Orienta-se o uso do máximo de intensidade de corrente tolerado pelo paciente (BORGES, EVANGELISTA, & MARCHI, 2010). Ainda devemos modular a frequência, encontramos dois tipos delas na estimulação russa: a portadora e a modulada. A portadora é a frequência do aparelho, que varia entre 2.500Hz e 5.000Hz, a modulada normalmente varia entre 0Hz a 100Hz, uma frequência entre 30-80Hz são ideais para estimulação neuromuscular. Mas para diferentes tipos de fibras são utilizadas diferentes frequências, assim para trabalhar um músculo que tenha função postural é necessário utilizar frequência entre 20-30Hz. Para trabalhar com músculos que tenham função mais dinâmica é necessário usar uma frequência mais alta, entre Hz (BORGES, EVANGELISTA, & MARCHI, 2010). Frequências entre 5-10Hz promovem vibração muscular, sendo útil para aumentar a circulação. Uma frequência superior a 20Hz produz uma contração tetânica, sendo necessário programar uma fase de contração e uma de repouso, para não causar fadiga muscular, essa modulação pode ser de um tempo igual, o de contração e o de repouso (MEDEIROS, CHALEGRE, & DE CARVALHO, 2007) Na literatura existem vários relatos sobre o uso e os resultados de tratamentos com a estimulação russa, que incluem resultados satisfatórios e que irão atuar na qualidade da função muscular. Os objetivos da técnica incluem: manter a qualidade e quantidade do tecido muscular, recuperar a sensação de tensão muscular, aumentar ou manter força muscular e estimular o fluxo de sangue no músculo. O aumento da força muscular com eletroestimulação pode ser alcançado em pouco tempo e este fortalecimento se dá artificialmente, ou seja, se participação voluntaria do paciente. A estimulação elétrica constitui um método eficaz no aumento da força muscular tanto em pacientes saudáveis como em pacientes no pós-operatório. Produz melhores resultados do que um trabalho constituído apenas por exercícios. Combinada com a contração muscular ativa, o uso da eletroestimulação provê resultados muito superiores aos exercícios isolados (BORGES & VALENTIN, 2002). 7

8 8 A revisão promovida nessa pesquisa aponta para diversos vieses, no tocante à opinião de estudiosos sobre a temática principal. A estimulação Russa pode ser usada como proposta de tratamento da flacidez e diástase dos Retos abdominais de pessoas no estado puerperal, pois há estudos comprobatórios no que se refere a resultados a manutenção muscular e recuperação de atrofias, podendo assim levar a redução da flacidez e diástase dos retos abdominais das puerperas. 4. Conclusão A proposta deste artigo foi verificar por meio de dados bibliográficos a possível eficácia da Eletroestimulação Russa na flacidez e diástase dos músculos reto abdominais no puerpério. Conclui-se portando que a pesquisa pode ser benéfica no que se refere a recuperação do aspecto estético, melhora do estado psicológico e emocional, promovendo restabelecimento da qualidade de vida interpessoal e qualidade de execução de atividades de vida diária (AVD S). Neste contexto foi possível chegar a esta conclusão, devido existir estudos que comprovem que a eletroestimulação russa facilita o restabelecimento de atrofias ou desarmonia muscular secundário à paralisação das atividades, levando a manutenção da condição da musculatura a ser trabalhada e a potencialização da força muscular, melhorando assim o aspecto estético. A fisioterapia dermatofuncional no pós-parto tem como finalidade a reparação dos possíveis danos causados pelo período gestacional e período puerperal, buscando a recuperação das capacidades funcionais prévias da mulher (ROMERO-MORANTEA & JIMÉNEZ-REGUERAB, 2010). Com o uso da eletroestimulação russa, a recuperação pode ser mais rápida e eficaz quando comparada a recuperação fisiológica, com melhora da tonicidade muscular, flacidez, redução de medidas, e redução da diástase do músculo reto-abdominal. (BORGES & VALENTIN, 2002). Assim a eletroestimulação russa se torna uma opção para o tratamento da diástase do músculo reto-abdominal, principalmente no pós-parto imediato, período este que é contra-indicado à realização de atividades extenuantes sendo contra-indicada inclusive a flexão de tronco. Neste contexto, somente os exercícios isométricos tem indicação clinica para se trabalhar esta musculatura no estado puerperal, sendo também uma excelente opção para recuperação da flacidez abdominal. Sendo assim, a eletroestimulação Russa é uma das terapêuticas mais indicada no que se refere diástase do músculo reto abdominal e flacidez no estado puerperal, pois durante a aplicação da terapêutica ocorre a contração da musculatura involuntariamente, permitindo que a paciente permaneça estática durante todo o tratamento, promovendo a regeneração da musculatura e o aspecto da flacidez tecidual sem esforço físico. Porém, existem poucas evidências disponíveis sobre o uso da estimulação russa, através da corrente de média freqüência, corrente russa, no tratamento da diástase abdominal que possam comprovar sua eficácia como estudos clínicos bem delineados como estudos randomizados, com grupo controle, amostra significativa, critérios de inclusão e exclusão bem definidos, utilizando este tratamento na diástase abdominal para a obtenção de evidência científica na recomendação terapêutica. O tratamento com a estimulação russa, assim como outras terapêuticas utilizadas na fisioterapia mostram que na prática clínica possui resultados favoráveis, porém há falta de estudos mostrando a evidência científica. A revisão promovida nessa pesquisa aponta para diversos vieses, no tocante à opinião de estudiosos sobre a temática principal. A estimulação Russa pode ser usada como

9 9 proposta de tratamento da flacidez e diástase dos Retos abdominais de pessoas no estado puerperal, pois há estudos comprobatórios no que se refere a resultados a manutenção muscular e recuperação de atrofias, podendo assim levar a redução da flacidez e diástase dos retos abdominais das puerperas. Concluis\-se portanto que a terapêutica proposta no artigo possui eficácia nessas disfunções estéticas, porém há a necessidade de realizar mais estudos que possibilitem uma maior percepção e discussão da temática, desta forma comprovar a eficácia da terapêutica eletroestimulação Russa, sendo indispensável o estudo mais amplo, com amostras e constatações do tratamento, por meio de cirtometria e fotometria. 5. Referências ANTONIO, Scheila; JR, Aderbal Silva Aguiar. O uso da corrente russa para promover o fortalecimento dos músculos peitoral maior e menor. Trabalho de conclusão de curso de fisioterapia da Universidade do Sul de Santa Catarina Disponível em: <http://www.fisiotb.unisul.br/tccs/02b/sheila/artigoscheilaantonio.pdf> Acesso em 12 jan ABDALLA, Douglas Reis; BERTONCELLO, Dernival; CARVALHO, Leonardo César. Avaliação das propriedades mecânicas do músculo gastrocnêmio de ratas imobilizado e submetido à corrente russa. Fisioter. Pesqui, São Paulo, v. 16, n. 1, mar Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s &lng=pt&nrm=iso>. acessos em 14 jan AGNE, Jones Eduardo. Eu sei eletroterapia.1º Edição. Santa Maria: Palloti, BORGES, Fábio dos Santos. Modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2º Edição.São Paulo: Phorte, BORGES, Fábio dos Santos, VALENTIN, Ericka Christine. Tratamento da Flacidez e Diástase do Reto-Abdominal no Puerpério de Parto Normal com o uso de Eletroestimulação Muscular com Corrente de Média Frequência- Estudo de Caso. Revista Brasileira de Fisioterapia Dermato-Funcional - Vol. 1 n Disponível em < acesso em 12 de Janeiro de 2014 BORGES, F. D.; EVANGELISTA, A.A., & MARCHI, A. Corrente Russa. In: F. D. BORGES, Dermatofuncional: Modalidades Terapêuticas nas Disfunções Estéticas. São Paulo: Editora Phorte BOTH, A. C., NETO, M. M., & MOREIRA, R. D. Estudo Comparativo da Diástase do Reto Abdominal em Puérperas Praticantes de Atividade Física e Sedentárias. Trabalho de Conclusão de Curso, Fisioterapia, Universidade da Amazônia. Belém Disponível em < acesso em 14 de Janeiro de 2014

10 10 GUIRRO, Elaine; GUIRRO, Rinaldo. Fisioterapia dermatofuncional: fundamentos, Recursos e patologias. 3º Edição. São Paulo: Manole, JAIMOVICH, Carlos Alberto et al. Semiologia da parede abdominal: seu valor no planejamento das abdominoplastias. Rev. Soc. Bras. Cir. Plást. São Paulo, v.l4 n.3 p ser/dez, Disponível em <http://www.rbcp.org.br/detalhe_artigo.asp?id=206> Acesso em 12 jan KAPANDJI, Ibrahim Adalbert. Fisiologia articular. 3º Volume, 5º Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, KENDALL, Florence Peterson; McCREARY, Elizabeth Kendall; PROVANCE, Patricia Geise.Músculos provas e funções. 4º Edição. São Paulo; Manole. KLEFENS, Susiane de Oliveira; DEON, Keila Cristiane; MEDEIROS Tatiana. Uso da estimulação elétrica neuromuscular no manejo da diástase de reto abdominal pós-gestacional: relato de caso. Revista UNIANDRADE, 2013, 14(3): Disponível em < Acesso 15 de Fevereiro KISNER, Carolyn e COLBY, Lynn Allen. Exercícios terapêuticos fundamentos e técnicas. 4º Edição. São Paulo: Manole, LEITE, Ana Cristina da Nóbrega Marinho Torres; ARAUJO, Kathlyn Kamoly Barbosa Cavalcanti. Diástase dos retos abdominais em puérperas e sua relação com variáveis obstétricas. Fisioter. mov. Curitiba, v. 25, n. 2, June Disponível em <http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=s &lng=en&nrm=iso>. access on 31 Mar LIMA, Evelyne Patrícia Fernandes; RODRIGUES, Geruza Baima de Oliveira. A estimulação russa no fortalecimento da musculatura abdominal. ABCD, arq. bras. cir. dig. São Paulo, v. 25, n. 2, June Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s &lng=en&nrm=iso>. access on 31 Mar MEDEIROS, A. H., CHALEGRE, S. T., & DE CARVALHO, C. C. Eletroestimulação muscular: alternativa de tratamento coadjuvante para pacientes com doença arterial obstrutiva periférica.jornal Vascular Brasileiro; vol. 6 n.2, p , Disponível em > acesso em 15 de Março de 2014 MESQUITA, Luciana Aparecida; MACHADO, Antônio Vieira; ANDRADE, Angela Viegas. Fisioterapia para redução da diástase dos músculos retos abdominais no pós-parto.rev. Bras. Ginecol. Obstet. Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, June Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.

11 11 php?script=sci_arttext&pid=s &lng=en&nrm=iso>. access on 31 Mar NEME B. Obstetrícia Básica. São Paulo: Sarvier; PALMA, PAULO. Aplicações clínicas das técnicas fisioterapêuticas nas disfunções miccionais e do assoalho pélvico. 1ª edição. Campinas, SP: Personal Link Comunicações, PRADO, Felicio Cintra; RAMOS, Jairo de Almeida; VALLE, José Ribeiro. Atualização terapêutica. 17º Edição. São Paulo: Artes Médicas, PALMA, PAULO. Aplicações clínicas das técnicas fisioterapêuticas nas disfunções miccionais e do assoalho pélvico. 1ª edição. Campinas, SP: Personal Link Comunicações PERNAMBUCO, Andrei Pereira; CARVALHO, Natane Moreira, SANTOS Aladir Horácio. A eletroestimulação pode ser considerada uma ferramenta válida para desenvolver hipertrofia muscular? Fisioter. Mov., Curitiba, v. 26, n.1, p , jan./mar. 2013, vol.26, n.1, pp Disponível em < acesso em 12 de jan POLDEN, M.; MANTLE, J. Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia. São Paulo: Santos; POWERS, Scott K e HOWLEY, Edward T. Fisiologia do exercício teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 5º Edição. Barueri: Manole, RETT, Mariana Tirolli; ARAÚJO, Fabiane Ramos; ROCHA, Isabel; SILVA, Rosemery Augusta. Diástase dos músculos retoabdominais no puerpério imediato de primíperas e multíperas após parto vaginal. Fisioter. Pesqui. São Paulo, v.19, n.3, Disponível em <http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=s &lng=pt&nrm=iso>. acessos em 07 jan ROMERO-MORANTEA, M., & JIMÉNEZ-REGUERAB, B. Actuacíondel fisioterapeuta durante lagestacíon, parto y pós-parto. Fisioterapia; vol. 32 n SOUZA, E.L.B. Fisioterapia aplicada à obstetrícia. Rio de Janeiro: Medsi; SOUZA, E. L. B. L. & ROCHA, M. F. G. A atuação do fisioterapeuta no pré-natal: orientação da gestante. In: SOUZA, E. L. B. L. Fisioterapia aplicada à obstetrícia e aspectos de neonatologia. Cap. 07. Ed. Health, Belo Horizonte pp, SOBOTTA, Johannes. Atlas de anatomia humana. 2º Volume, 21º Edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, THOMPSON, A.J.; SKINNER, A. & PIERCY, J. Fisioterapia de Tidy. Ed. Santos, São Paulo, 1994.

12 ZIEGEL E.E; CRANLEY M.S. Enfermagem obstétrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan;

Estimulação elétrica neuromuscular no tratamento da diástase abdominal: uma revisão de literatura

Estimulação elétrica neuromuscular no tratamento da diástase abdominal: uma revisão de literatura Estimulação elétrica neuromuscular no tratamento da diástase abdominal: uma revisão de literatura Neuromuscular electrical stimulation in the treatment of abdominal diastasis: a literature review. Juliana

Leia mais

TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS

TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS TÍTULO: EFICÁCIA DO KINESIO-TAPING NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA EM GESTANTES: ESTUDO DE CASOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA

Leia mais

CORPOMENTE E MOVIMENTO: A PRÁTICA DA FISIOTERAPIA E DA YOGA COMO PROMOÇÃO DE BEM-ESTAR EM GESTANTES

CORPOMENTE E MOVIMENTO: A PRÁTICA DA FISIOTERAPIA E DA YOGA COMO PROMOÇÃO DE BEM-ESTAR EM GESTANTES CORPOMENTE E MOVIMENTO: A PRÁTICA DA FISIOTERAPIA E DA YOGA COMO PROMOÇÃO DE BEM-ESTAR EM GESTANTES DUARTE 1, Myrna Deirdre Bezerra LEITE 2, Nathaly Santiago LIMA 3, Vânia Cristina Lucena MONTEIRO 4, Sthefany

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Fisioterapia 2010-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Fisioterapia 2010-1 O USO DA OXIGENIOTERAPIA DOMICILIAR NO PACIENTE DPOC Autora: ROSA, Ana Carolina

Leia mais

ANÁLISE E TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DA LOMBALGIA GESTACIONAL ASSOCIANDO CINESIOTERAPIA E ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA NERVOSA TRANSCUTÂNEA (TENS).

ANÁLISE E TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DA LOMBALGIA GESTACIONAL ASSOCIANDO CINESIOTERAPIA E ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA NERVOSA TRANSCUTÂNEA (TENS). ANÁLISE E TRATAMENTO FISIOTERÁPICO DA LOMBALGIA GESTACIONAL ASSOCIANDO CINESIOTERAPIA E ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA NERVOSA TRANSCUTÂNEA (TENS). Autora: Fernanda Cristina Sposito G INESUL FISIOTERAPIA LONDRINA

Leia mais

ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA

ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA Karina de Sousa Assad * Layana de Souza Guimarães ** RESUMO A proposta desse artigo é demonstrar que algumas alterações posturais podem levar a distúrbios

Leia mais

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG Fábio Alexandre Moreschi Guastala 1, Mayara

Leia mais

Alterações da Estrutura Corporal

Alterações da Estrutura Corporal Alterações da Estrutura Corporal Exercícios e Postura milenadutra@bol.com.br Os Exercícios Realmente Mudam a Postura? Vício postural pode ser corrigido voluntariamente com reeducação psicomotora Desvio

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Fisioterapia Uroginecológica e Obstetrica SÉRIE: 4º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO Éder Cristiano Cambraia 1 Eduardo de Oliveira Melo 2 1 Aluno do Curso de Pós Graduação em Fisiologia do Exercício. edercambraiac@hotmail.com 2 Professor

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA

OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA LOMBALGIA WELLINTON GONÇALVES DO SANTOS ¹ RICARDO BASÍLIO DE OLIVEIRA CALAND² LUCIANA ALVES BRANDÃO³ SONNALE DA SILVA ARAÚJO4 RESUMO A dor lombar é um mal recorrente

Leia mais

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA RINALDI, C. L.W.; SPESSATO, L. C. Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o benefício da eletrolipoforese no tratamento

Leia mais

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 AVALIAÇÃO POSTURAL ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 POSTURA CONCEITOS: Postura é uma composição de todas

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

ALTERAÇÕES POSTURAIS EM GESTANTES E SUAS INFLUÊNCIAS NA BIOMECÂNICA DA COLUNA

ALTERAÇÕES POSTURAIS EM GESTANTES E SUAS INFLUÊNCIAS NA BIOMECÂNICA DA COLUNA ALTERAÇÕES POSTURAIS EM GESTANTES E SUAS INFLUÊNCIAS NA BIOMECÂNICA DA COLUNA DALLA NORA, Daniel; PETTER, Gustavo do Nascimento; SANTOS, Tarciso Silva dos; PIVETTA; Hedioneia Maria Foletto; BRAZ, Melissa

Leia mais

Treino de Alongamento

Treino de Alongamento Treino de Alongamento Ft. Priscila Zanon Candido Avaliação Antes de iniciar qualquer tipo de exercício, considera-se importante que o indivíduo seja submetido a uma avaliação física e médica (Matsudo &

Leia mais

Alterações. Músculo- esqueléticas

Alterações. Músculo- esqueléticas Alterações Músculo- esqueléticas Sistema Neurológico Alteração no tempo de reação e equilíbrio. A instabilidade articular. Alteração da visão Sensibilidade da córnea. c Aumento ou diminuição dos sentidos

Leia mais

HIDROTERAPIA PARA GESTANTES

HIDROTERAPIA PARA GESTANTES HIDROTERAPIA PARA GESTANTES Profa. Ms. DANIELA VINCCI LOPES ANATOMIA DO ABDOME E DA PELVE ÚTERO 3 camadas de músculos. NÃO GESTANTE GESTANTE FORMA ESFÉRICA CILÍNDRICA VOLUME 500 ml 5000 ml MASSA 70 g 1100

Leia mais

FISIOTERAPIA APLICADA À GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA PHISYITHERAPY IN GENECOLOGY AND OBSTETRIC

FISIOTERAPIA APLICADA À GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA PHISYITHERAPY IN GENECOLOGY AND OBSTETRIC 57 Iniciação Científica Cesumar mar.-jul. 2002, Vol. 04 n.01, pp. 57-61 FISIOTERAPIA APLICADA À GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA Cintia Raquel Bim 1 Alline Lilian Perego 1 Bacharelado em Fisioterapia Hugo Pires-Jr.

Leia mais

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA GESTANTES

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA GESTANTES TREINAMENTO FUNCIONAL PARA GESTANTES Prof.ª Msc. Clarissa Rios Simoni Mestre em Atividade Física e Saúde UFSC Especialista em Personal Trainer UFPR Licenciatura Plena em Educação Física UFSC Doutoranda

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA GESTAÇÃO

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA GESTAÇÃO ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA GESTAÇÃO Cristina Bertochi 1 Alcy Aparecida Leite Souza 2 Daiane Morilha Rodrigues 3 INTRODUÇÃO A gravidez é um período de mudanças físicas e emocionais, que cada mulher vivência

Leia mais

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO O método pilates é um trabalho que se baseia em exercícios de força e mobilidade utilizando para tal técnicas e exercícios específicos. Este método permite

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural AVALIAÇÃO POSTURAL 1. Desenvolvimento Postural Vantagens e desvantagens da postura ereta; Curvas primárias da coluna vertebral; Curvas Secundárias da coluna vertebral; Alterações posturais com a idade.

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING O Curso de Formação em Iso Stretching é ministrado pelo fundador da técnica, o osteopata e fisioterapeuta francês Bernard Redondo. O método Iso Stretching foi desenvolvido

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA

A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA A IMPORTÂNCIA DAS TÉCNICAS MINISTRADAS NA DISCIPLINA DE RTM II PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DO DISCENTE DE FISIOTERAPIA RESUMO SILVA 1, Thays Gonçalves ALMEIDA 2, Rogério Moreira de Centro de Ciências da

Leia mais

TRATAMENTO PARA AS DORES. DA GESTAÇão e MUSCULOESQUELÉTICAS

TRATAMENTO PARA AS DORES. DA GESTAÇão e MUSCULOESQUELÉTICAS TRATAMENTO PARA AS DORES MUSCULOESQUELÉTICAS DA GESTAÇão e do PUERPério BIOMECÂNICA GESTACIONAL TRATAMENTO PARA AS DORES MUSCULOESQUELÉTICAS DA GESTAÇÃO E DO PUERPÉRIO Estima-se que 45% das gestantes e

Leia mais

TÉCNICAS EM AVALIAÇÃO E REEDUCAÇÃO POSTURAL

TÉCNICAS EM AVALIAÇÃO E REEDUCAÇÃO POSTURAL 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA TÉCNICAS

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO PERFIL GESTACIONAL DE PUERPERAS, PARA APLICAÇÃO ADEQUADA DA FISIOTERAPIA EM OBSTETRÍCIA

IMPORTÂNCIA DO PERFIL GESTACIONAL DE PUERPERAS, PARA APLICAÇÃO ADEQUADA DA FISIOTERAPIA EM OBSTETRÍCIA IMPORTÂNCIA DO PERFIL GESTACIONAL DE PUERPERAS, PARA APLICAÇÃO ADEQUADA DA FISIOTERAPIA EM OBSTETRÍCIA Introdução: KARINA OLIVEIRA MARTINHO, FERNANDA SILVA FRANCO, MEIRELE RODRIGUES GONÇALVES, ADELSON

Leia mais

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES Utilizando os Princípios do Pilates Contemporâneo para atingir um nível ótimo de condição física. Por Moira Merrithew, STOTT PILATES Executive Director, Education

Leia mais

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL *

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * A. POSTURA DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * 1 POSTURA LORDÓTICA Trabalho realizado por: Karina Mothé Bianor Orientador: Prof. Blair José Rosa Filho Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o

Leia mais

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos.

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. Autores: Ft Mariana Machado Signoreti Profa. Msc. Evelyn Cristina Parolina A capoeira é uma manifestação

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo O treino invisível para aumento do rendimento desportivo Carlos Sales, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Luís Pinho, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Ricardo Vidal, Fisioterapeuta

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu - Daniela Cristina dos Santos Alves O Uso do Spray de Fluorometano no Tratamento Prof. D. Sc.

Leia mais

Este Caderno contém 34 questões de Conhecimentos Específicos: quatro discursivas e trinta de múltipla escolha, respectivamente.

Este Caderno contém 34 questões de Conhecimentos Específicos: quatro discursivas e trinta de múltipla escolha, respectivamente. Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Avaliação da Fisioterapia em Pré e Pós Cirurgia Plástica

Avaliação da Fisioterapia em Pré e Pós Cirurgia Plástica Avaliação da Fisioterapia em Pré e Pós Cirurgia Plástica Ms. Giovana B. Milani Mestre em Ciências pela FMUSP Pós- Graduada em Fisioterapia Dermatofuncional Pós- Graduada em Aparelho locomotor no esporte

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Existem 2 tipos de artic. encontradas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE EM GESTANTES DO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL

AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE EM GESTANTES DO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL 112 AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE EM GESTANTES DO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL Jessica Jessica Ribeiro, Letícia Endsfeldz Teixeira, Nathalia Ulices Savian, Elisa Bizetti Pelai, Alessandra Madia Montovani,

Leia mais

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL 1 ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL Aurélio Alfieri Neto Juliana Navarro Lins de Souza A bioenergética procura entender o caráter do indivíduo pelo corpo e seus processos energéticos, sendo estes,

Leia mais

Tratamento da Flacidez e Diástase do Reto-Abdominal no Puerpério

Tratamento da Flacidez e Diástase do Reto-Abdominal no Puerpério TRATAMENTO DA FLACIDEZ E DIÁSTASE DO RETO-ABDOMINAL NO PUERPÉRIO DE PARTO NORMAL COM O USO DE ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR COM CORRENTE DE MÉDIA FREQÜÊNCIA ESTUDO DE CASO* FÁBIO DOS SANTOS BORGES 1 e ERICKA

Leia mais

Componente Curricular: Fisioterapia nas Disfunções Posturais PLANO DE CURSO

Componente Curricular: Fisioterapia nas Disfunções Posturais PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia nas Disfunções Posturais Código: Fisio 218 Pré-requisito: --------

Leia mais

Eletroestimulação. ELETROESTIMULAÇÃO (Histórico) O que é??? FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR E CONDUÇÃO NERVOSA

Eletroestimulação. ELETROESTIMULAÇÃO (Histórico) O que é??? FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR E CONDUÇÃO NERVOSA Eletroestimulação Profa. Andreza Caramori de Moraes Profa. Narion Coelho Prof. Paulo Angelo Martins O que é??? A eletroestimulação é um mecanismo que simula a passagem do impulso nervoso, levando o músculo

Leia mais

Avaliação da atuação fisioterapêutica em obstetrícia sob a ótica de médicos e fisioterapeutas nos hospitais do município de Vila Velha- ES

Avaliação da atuação fisioterapêutica em obstetrícia sob a ótica de médicos e fisioterapeutas nos hospitais do município de Vila Velha- ES Avaliação da atuação fisioterapêutica em obstetrícia sob a ótica de médicos e fisioterapeutas nos hospitais do município de Vila Velha- ES SOARES, ANNA PAULA, G 1 ; SPINASSÉ, PRISCILA, P 1 ; RIZZO, ELOISA,

Leia mais

INCIDÊNCIA DA DIÁSTASE DO MÚSCULO RETO ABDOMINAL NO PUERPÉRIO IMEDIATO

INCIDÊNCIA DA DIÁSTASE DO MÚSCULO RETO ABDOMINAL NO PUERPÉRIO IMEDIATO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 164 INCIDÊNCIA DA DIÁSTASE DO MÚSCULO RETO ABDOMINAL NO PUERPÉRIO IMEDIATO Gabriela Samartino Zavanelli 1 ; Beatriz

Leia mais

C. Guia de Treino ------------------------------------------------

C. Guia de Treino ------------------------------------------------ C. Guia de Treino ------------------------------------------------ A FORÇA / RESISTÊNCIA ( FUNÇÃO MOVIMENTO OSCILAÇÃO ) A01 Joelhos inclinados Com os pés afastados na plataforma, segure a barra de apoio

Leia mais

FATORES RELACIONADOS AO ENCURTAMENTO DOS ISQUIOTIBIAIS: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

FATORES RELACIONADOS AO ENCURTAMENTO DOS ISQUIOTIBIAIS: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO FATORES RELACIONADOS AO ENCURTAMENTO DOS ISQUIOTIBIAIS: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO PETTER, Gustavo; DALLA NORA, Daniel; SANTOS, Tarciso Silva dos; BRAZ, Melissa Medeiros; LEMOS, Jadir Camargo Trabalho de

Leia mais

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F RPG 1. DEFINIÇÃO A Reeducação Postural Global é um método fisioterápico de correção e tratamento da dor, que trabalha sobre as cadeias de tensão muscular utilizando posturas de alongamento excêntrico ativo

Leia mais

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO AVALIAÇÃO DE MEMBRO SUPERIOR EM MULHERES MASTECTOMIZADAS Mara Vania Guidastre - m_risaguist@hotmail.com Marcela Da Silva Mussio - marcela_mussio@hotmail.com Ana Cláudia De Souza Costa - anaclaudia@unisalesiano.edu.br

Leia mais

Mesa de TRAÇÃO CERVICAL E LOMBAR 1200

Mesa de TRAÇÃO CERVICAL E LOMBAR 1200 Mesa de TRAÇÃO CERVICAL E LOMBAR 1200 Manual do Usuário Índice: 03...Informações Gerais 03...Símbolos 04...Instalação e Conexão à Rede Elétrica 05...Controles 06-07...Operação da Mesa 07...Precauções 07-08...Indicações

Leia mais

Atividade Física Adaptada à Gestação

Atividade Física Adaptada à Gestação Atividade Física Adaptada à Gestação Atividade Física Adaptada à Gestação A única certeza que se tem é a de que nós, profissionais que vamos trabalhar com gestantes, devemos proporcionar a elas uma atividade

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Uroginecologia e Obstetrícia SÉRIE: 3º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Esp.

Leia mais

As Atividades físicas suas definições e benefícios.

As Atividades físicas suas definições e benefícios. As Atividades físicas suas definições e benefícios. MUSCULAÇÃO A musculação, também conhecida como Treinamento com Pesos, ou Treinamento com Carga, tornou-se uma das formas mais conhecidas de exercício,

Leia mais

mae Vou ser moda 9 meses de emoções Oferta Saco de bebé La Redoute ( Veja como pode recebê-lo na página 22) Especialgravidez

mae Vou ser moda 9 meses de emoções Oferta Saco de bebé La Redoute ( Veja como pode recebê-lo na página 22) Especialgravidez Oferta Saco de bebé La Redoute ( Veja como pode recebê-lo na página 22) Especialgravidez Natural, cesariana, dentro de água... Conheça os vários tipos de parto Edição Especial n.º 40 2013 Preço Portugal

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte I

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte I EXERCÍCIOS RESISTIDOS Parte I DESEMPENHO MUSCULAR Capacidade do músculo realizar trabalho. Elementos fundamentais: Força Potência muscular Resistência à fadiga FATORES QUE AFETAM O DESEMPENHO MUSCULAR

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

ORIENTAÇÃO POSTURAL E MUSCULAR COM BOLA SUÍÇA

ORIENTAÇÃO POSTURAL E MUSCULAR COM BOLA SUÍÇA ORIENTAÇÃO POSTURAL E MUSCULAR COM BOLA SUÍÇA ROSA, Tábada Samantha Marques; BASSO, Débora Bonesso Andriollo. Iniciação Científica Centro Universitário Franciscano - UNIFRA, curso de Fisioterapia. sa_marqs@hotmail.com

Leia mais

O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR COM CORRENTE DE MÉDIA FREQUÊNCIA ASSOCIADA AO EXERCÍCIO RESISTIDO NO MÚSCULO GLÚTEO MÁXIMO: ESTUDO DE CASO

O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR COM CORRENTE DE MÉDIA FREQUÊNCIA ASSOCIADA AO EXERCÍCIO RESISTIDO NO MÚSCULO GLÚTEO MÁXIMO: ESTUDO DE CASO O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR COM CORRENTE DE MÉDIA FREQUÊNCIA ASSOCIADA AO EXERCÍCIO RESISTIDO NO MÚSCULO GLÚTEO MÁXIMO: ESTUDO DE CASO Edilane Gonçalves MONÇÃO¹*, Wálace Érick de Medeiros MOURA²,

Leia mais

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano CONHECENDO MEU CORPO DURANTE O EXERCÍCIO DESCUBRA PORQUE É TÃO IMPORTANTE ACOMPANHAR OS BATIMENTOS CARDÍACOS ENQUANTO VOCÊ SE EXERCITA E APRENDA A CALCULAR SUA FREQUÊNCIA

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada A coluna cervical consiste em diversas

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Avaliação Fisioterapêutica do Quadril Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação do Quadril: É uma articulação

Leia mais

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 1 MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS Prof. Dr. Valdir J. Barbanti Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo A musculação refere-se à forma de exercícios que envolvem

Leia mais

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon Veste criada em Michigan/USA, por pesquisadores russos. Função: contrapor os efeitos negativos vividos pelos astronautas (atrofia muscular,

Leia mais

O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO NEUROMUSCULAR DE MÉDIA FREQÜÊNCIA NA REDUÇÃO DA PERIMETRIA ABDOMINAL NA MULHER ESTUDO DE CASO

O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO NEUROMUSCULAR DE MÉDIA FREQÜÊNCIA NA REDUÇÃO DA PERIMETRIA ABDOMINAL NA MULHER ESTUDO DE CASO O USO DA ELETROESTIMULAÇÃO NEUROMUSCULAR DE MÉDIA FREQÜÊNCIA NA REDUÇÃO DA PERIMETRIA ABDOMINAL NA MULHER ESTUDO DE CASO Giselle Freitas Barbalho 1,2, Orlando Souza de Menezes 2 ; Thiago Gonçalves Alves

Leia mais

As alterações posturais do musculo esquelético no período da gestação

As alterações posturais do musculo esquelético no período da gestação 1 As alterações posturais do musculo esquelético no período da gestação Magda Rocha de Souza 1 Magda_rocha16@hotmail.com Dayana Priscila Maia Mejia 2 Pós-graduação em Fisioterapia em Reabilitação na Ortopedia

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

A FISIOTERAPIA NA ASSISTÊNCIA EM OBSTETRÍCIA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 1

A FISIOTERAPIA NA ASSISTÊNCIA EM OBSTETRÍCIA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 1 A FISIOTERAPIA NA ASSISTÊNCIA EM OBSTETRÍCIA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 1 PADILHA, Juliana Falcão²; GASPARETTO, Andriele 3. 1 Trabalho de Pesquisa do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA). 2 Acadêmica

Leia mais

Olhar fisiológico, patológico e funcional da SEXOLOGIA CLÍNICA FEMININA E MASCULINA

Olhar fisiológico, patológico e funcional da SEXOLOGIA CLÍNICA FEMININA E MASCULINA Olhar fisiológico, patológico e funcional da SEXOLOGIA CLÍNICA FEMININA E MASCULINA SEXOLOGIA CLÍNICA Rafaela Prado M. Fleury Fisioterapeuta em Urologia, Ginecologia, Obstetrícia e recuperação pós retirada

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: Tratamento Pré e Pós Operatório Código: -- Pré-requisito: --

Leia mais

Assistência ao parto

Assistência ao parto Assistência ao parto FATORES DE RISCO NA GESTAÇÃO Características individuais e condições sociodemográficas desfavoráveis: Idade menor que 15 e maior que 35 anos; Ocupação: esforço físico excessivo, carga

Leia mais

O MÉTODO PILATES NA DIMINUIÇÃO DA DOR LOMBAR EM GESTANTES

O MÉTODO PILATES NA DIMINUIÇÃO DA DOR LOMBAR EM GESTANTES O MÉTODO PILATES NA DIMINUIÇÃO DA DOR LOMBAR EM GESTANTES Cristiana Gomes Machado 1, Thelma Garcia Araújo 2, Renato Alves Sandoval 3, Cristina Aparecida Neves Ribeiro Machado 4, Marislayne de Sousa Freitas

Leia mais

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE UM ESTUDO QUANTO À APLICABILLIDADE DO PROGRAMA PARA COLETORES DE LIXO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI ALESSANDRA ABREU LOUBACK, RAFAEL GRIFFO

Leia mais

TÉCNICA DE PILATES NO TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM MULHERES IDOSAS

TÉCNICA DE PILATES NO TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM MULHERES IDOSAS TÉCNICA DE PILATES NO TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM MULHERES IDOSAS Ianna Patrícia Reis da Silva 1 Maria Tereza Barreira Santos 1 Jaqueline Borges 1 1 Atelier do Corpo, Salvador, Ba Resumo Objetivo:

Leia mais

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Processo de Trabalho em saúde: Integralidade e Cuidado do 6º ou 7º Biossegurança no trabalho, aspectos legais, suas classificações

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR ABDOMINAL NO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL ABDOMINAL MUSCULAR FORCE EVALUATION ON THE THIRD QUARTER OF PREGNANCY

AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR ABDOMINAL NO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL ABDOMINAL MUSCULAR FORCE EVALUATION ON THE THIRD QUARTER OF PREGNANCY AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR ABDOMINAL NO ÚLTIMO TRIMESTRE GESTACIONAL ABDOMINAL MUSCULAR FORCE EVALUATION ON THE THIRD QUARTER OF PREGNANCY Joice Aparecida Dornelles 1 ; Nara Maria Severo Ferraz 2 ; Fernanda

Leia mais

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10 DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS www.doresnascostas.com.br Página 1 / 10 CONHEÇA OS PRINCÍPIOS DO COLETE MUSCULAR ABDOMINAL Nos últimos anos os especialistas

Leia mais

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR OMBRO Membro Superior CINTURA ESCAPULAR COTOVELO Joel Moraes Santos Junior COLUNA - APLICAÇÃO PRÁTICA Condicionamento APTIDÃO FÍSICA Treinamento desportivo CARGA/IMPACTO Reabilitação

Leia mais

FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO

FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO A IMPORTÂNCIA DOS TRATAMENTOS ESTÉTICOS NO PRÉ E PÓS- OPERATÓRIO DE CIRURGIA DO CONTORNO CORPORAL

Leia mais

A postura saudável para o digitador

A postura saudável para o digitador A postura saudável para o digitador A postura saudável para o digitador 2 Muitas vezes nos perguntamos: Qual é a postura mais adequada para se trabalhar durante horas em frente a um computador? Após anos

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

A IMPORTÃNCIA DA HIDROTERAPIA NA QUALIDADE DE VIDA DA GESTANTE RESUMO

A IMPORTÃNCIA DA HIDROTERAPIA NA QUALIDADE DE VIDA DA GESTANTE RESUMO A IMPORTÃNCIA DA HIDROTERAPIA NA QUALIDADE DE VIDA DA GESTANTE Bruna Raphaela Marques dos Santos - b_raphaela@hotmail.com Caroline Rossinoli - carolinerossinoli@hotmail.com Ana Claudia de Souza Costa -

Leia mais

FAZER EXERCÍCIOS NA GRAVIDEZ PREJUDICA O BEBÊ? QUAIS TIPOS DE EXERCÍCIO SÃO INDICADOS?

FAZER EXERCÍCIOS NA GRAVIDEZ PREJUDICA O BEBÊ? QUAIS TIPOS DE EXERCÍCIO SÃO INDICADOS? A gestação é um período em que a mulher passa por diversas emoções e é natural surgirem dúvidas principalmente quando se trata do primeiro filho. Segundo o Ginecologista e Obstetra do Hospital e Maternidade

Leia mais

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé *Merielle Barbosa Lobo São nove meses de expectativa e durante a gestação a barriga cresce e a mãe

Leia mais

ELETROMIOGRAFIA DO RETO ABDOMINAL NA POSIÇÃO CRUNCH ASSOCIADO À EXPIRAÇÃO E APNEIA

ELETROMIOGRAFIA DO RETO ABDOMINAL NA POSIÇÃO CRUNCH ASSOCIADO À EXPIRAÇÃO E APNEIA ELETROMIOGRAFIA DO RETO ABDOMINAL NA POSIÇÃO CRUNCH ASSOCIADO À EXPIRAÇÃO E APNEIA JESSICA COSTA FREITAS, WESLEY ANTONIO BORGES, SAULO FABRIN, EDSON DONIZETE VERRI. Centro Universitário Claretiano Endereço

Leia mais

ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI

ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI ATUAÇÃO DA HIDROTERAPIA EM PATOLOGIAS TRATADAS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE NOVAFAPI INTRODUÇÃO Luana Gabrielle de França Ferreira NOVAFAPI Luciana Gomes Cariri NOVAFAPI Maria José Magalhães

Leia mais

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar.

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar. Figura 11a - Posição inicial: 1ª posição paralela. Figura 11b - demi-plié: 1ª posição paralela. Figura 12a - Posição inicial: 2ª posição paralela. Figura 12b- Demi-plié: 2ª posição paralela. 35 Figura

Leia mais

A influência da cinesioterapia na gravidez

A influência da cinesioterapia na gravidez 1 A influência da cinesioterapia na gravidez Mônica Maria Santos da Silva 1 silvamonican@hotmail.com Dayana Priscila Mejia de Sousa 2 Pós-graduação em uroginecologia, obstetrícia e mastologia. Faculdade

Leia mais

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil),

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil), 1 1) PANTURRILHAS 1.1 GERAL De pé, tronco ereto, abdômen contraído, de frente para o espaldar, a uma distância de um passo. Pés na largura dos quadris, levar uma das pernas à frente inclinando o tronco

Leia mais

OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA

OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA 22 OS MÉTODOS PILATES E RPG NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA NA GRAVIDEZ: UMA REVISÃO DE LITERATURA Clarice Amarante Scipiao 1 Joelma Gomes da Silva 2 RESUMO O período gestacional, é marcado por profundas modificações

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO DE CASO

OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO DE CASO ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 OS BENEFÍCIOS DA NOVA CRÂNEO ACUPUNTURA DE YAMAMOTO NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA: RELATO

Leia mais

Ginástica Laboral Realizada no Hospital Cristo Rei Ibipora PR. Sidnei Luiz Alves e Aldeviro Cardoso

Ginástica Laboral Realizada no Hospital Cristo Rei Ibipora PR. Sidnei Luiz Alves e Aldeviro Cardoso Ginástica Laboral Realizada no Hospital Cristo Rei Ibipora PR Sidnei Luiz Alves e Aldeviro Cardoso Resumo No seu contexto geral a Ginástica Laboral procura promover a saúde e melhorar as condições dos

Leia mais

Mais saúde, menos stress

Mais saúde, menos stress iate especial Mais saúde, menos stress conheça Os BenefÍcIOs DA prática esportiva e AprOveIte para escolher A MODALIDADe IDeAL por JOãO rodrigues Um dos maiores diferenciais da Academia do Iate Clube de

Leia mais

Manual de Exercícios SPP

Manual de Exercícios SPP Manual de Exercícios SPP 1/6 Manual de exercícios SPP- IGN 1. Posicionamento: deitado de barriga para cima, com os joelhos estendidos. 2. Dobrar e estender uma perna. Fazer 10 repetições em cada lado alternadamente.

Leia mais

DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS.

DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS. DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS. Marcela Maria Medeiros de Melo¹; Ádila Siqueira de Basto Lima¹; Mirella Bruna Felix de Freitas¹; Elma Eloi Melo da Silva¹;

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior Ligamento Cruzado Posterior Introdução O Ligamento Cruzado Posterior (LCP) é classificado como estabilizador estático do joelho e sua função principal é restringir o deslocamento posterior da tíbia em

Leia mais

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 65 Centro Universitário da Grande Dourados X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 66 ANÁLISE POSTURAL EM ADOLESCENTES DO SEXO FEMININO NA FASE

Leia mais

TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro

O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro O corpo humano é projetado para funcionar como uma unidade, com os músculos sendo ativados em seqüências especifica para produzir um

Leia mais