Categorias de observação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Categorias de observação"

Transcrição

1 Arquitectura doméstica: leitura das concepções da casa, a partir do DESENHO observado como expressão do pensamento (orientado para a procura, a configuração e o registo de soluções) FAUTL. 2010/2011. MIARQ. MIINT. MIGP. LABORATÓRIO DE PROJECTO IIII. Nuno Arenga. Coord. Carlos Lameiro, Categorias de observação

2 uso e designação dos lugares, expressos nas anotações gráficas; divisão e agrupamento dos espaços;

3 configuração, posição e dimensão relativa; sistema de circulação e distribuição do espaço doméstico;

4 relação interior-exterior, posicionamento relativo aos espaços exteriores envolventes, posicionamento relativo à rua, ao interior do quarteirão, ao jardim, ao pátio, ao saguão, ao Norte, ao Sul, ao Nascente e ao Poente;

5 posicionamento e agrupamento de infra-estruturas e dispositivos técnicos. Temas de reflexão:

6 divisão e agrupamento dos espaços; configuração e dimensão relativa; Tripartição do espaço doméstico (instituída pela Distribution do séc. XVIII): 1) os espaços sociais, de recepção e aparato, hoje de reunião familiar; 2) os espaços de intimidade familiar (a habitation, o appartement); 3) os espaços de serviço da casa. o posicionamento relativo à rua, ao interior do quarteirão, ao jardim, ao pátio, ao saguão, ao Norte, ao Sul, ao Nascente e ao Poente;

7 A tripartição do espaço doméstico Casas Standard Cité Sans Souci, 1952, Jean Prouvé A tripartição do espaço doméstico Blocos habitacionais nos Olivais Norte, arq. Artur Pires Martins, Lisboa,

8 A tripartição do espaço doméstico Blocos habitacionais nos Olivais Norte, arq. Artur Pires Martins, Lisboa, o posicionamento relativo à rua, ao interior do quarteirão, ao jardim, ao pátio, ao saguão, ao Norte, ao Sul, ao Nascente e ao Poente; Blocos habitacionais nos Olivais Norte, arq. Artur Pires Martins, Lisboa,

9 o posicionamento relativo à rua, ao interior do quarteirão, ao jardim, ao pátio, ao saguão, ao Norte, ao Sul, ao Nascente e ao Poente; Bloco das Águas Livres, arq. Nuno Teotónio Pereira, Lisboa A tripartição do espaço doméstico Bloco das Águas Livres, arq. Nuno Teotónio Pereira, Lisboa, 1953.

10 A tripartição do espaço doméstico Bloco das Águas Livres, arq. Nuno Teotónio Pereira, Lisboa, A tripartição do espaço doméstico Casa de Ofir,1958, Fernando Távora.

11 A casa-chave de Xavier Monteys: Xavier Monteys: "La planta «llave»", "Doméstica. Distribució es un term massa estret" in Quadern s d Arquitectura i Urbanisme nº 250, ed. Co.legi d Arquitectes de Catalunya, Barcelona, 2006, p. 58. A casa-chave Apartamentos Lafayette Towers, Detroit, 1960, Mies van der Rohe, planta do piso tipo, The Mies van der Rohe Archive, The Museum of Modern Art, Nova Iorque.

12 A casa-chave Casa Alcina, Caminha, 1973, Sergio Fernandez A casa-chave

13 Outras formas de chave, outros modos de pensar a casa: Xavier Monteys: "La planta «llave»", "Doméstica. Distribució es un term massa estret" in Quadern s d Arquitectura i Urbanisme nº 250, ed. Co.legi d Arquitectes de Catalunya, Barcelona, 2006, p. 58. Sistema distributivo: 1) os compartimentos comunicantes (concatenados) da casa medieval, a enfilade francesa; 2) os espaços específicamente afectos à circulação (dos criados?), o corredor de serviço e o dégagement das casas aristocrática e burguesas; 3) a dupla-circulação (cruzando compartimentos comunicantes e corredores), das casas aristocrática e burguesas; 4) o corredor moderno, a optimização dos percursos no interior da casa moderna; 5) o curto-circuito, em jeito de dupla-circulação, entre partes da casa, complementar/alternativo à circulação de corredor...

14 Sistema distributivo: compartimentos comunicantes, encadeados (casa ancestral) Casa XXIII de Priene, Grécia, sec. IV a.c., registada por Capitel, Antón, em La Arquitectura Del Pátio, ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 2005, p. 13. Sebastiano Serlio, D'una habitatione, per far dentro ala Città in luogo nobile, I Sette Libri Dell Architettura (Venezia, 1584), Livro VII, p. 59, Biblioteca di Architettura Urbanistica, Teoria e Storia, Diretta da Roberto Fregna e Giulio Nanetti Sistema distributivo: compartimentos comunicantes, encadeados (casa medieval) Casa gótica, G. Guicestre, no artigo "Appartement", Encyclopédie de l'architecture, de P.Planat, Paris, 1890, registado por Monique Eleb-Vidal, em Architectures de LaVie Privée, XVIIe-XIXe siècles, ed. Archives d'architecture Moderne, Bruxelles, 1989, p. 20.

15 Sistema distributivo: compartimentos comunicantes, encadeados (casa medieval) Concordia, Robert Boissart, (séc. XVI) [esquerda] L'Hiver, Abraham Bosse ( ), [direita] registadas por Monique Eleb-Vidal, em Architectures de La Vie Privée, XVIIe-XIXe siècles, ed. Archives d'architecture Moderne, Bruxelles, 1989, p. 23 e 24. Sistema distributivo: compartimentos comunicantes, encadeados (enfilade francesa, palácio e hôtel, encadeamento encenado de compartimentos, rituais de côrte) Planta do piso térreo de um hôtel ideal, Augustin-Charles D'Aviler, Cours d'architecture, 1691, Publications Montpellier 3, Université Paul-Valery, ed. de L'Espérou, 2002, p. 177, planche 61.

16 espaços especificamente afectos à circulação: a separação de servos e senhores nas casas aristocrática e burguesa, a discrição e a imediata disponibilidade dos serviçais, o corredor de serviço e o dégagement (escape), Distribution 33, Charles Antoine Jombert, registado por Monique Eleb-Vidal, em Architectures de La Vie Privée, XVIIe-XIXe siècles, ed. Archives d'architecture Moderne, Bruxelles, 1989, p. 60. dupla circulação: compartimentos encadeados + corredor (rituais de côrte + serviço doméstico) Edifício de gaveto, ruas Beaubourg e Aumaire, 1906, arq. A. Walwein, registado por Monique Eleb-Vidal e Anne Debarre-Blanchard, em L'invention de l'habitation moderne, Paris , ed. Archives D'Architecture Moderne / HAZAN, Bruxelles, 1995, p.262.

17 dupla circulação: compartimentos encadeados + corredor Rues Théodore-de-Banville et Gustave-Flaubert, planta dos pisos, registado por François Loyer, em Paris XIXe Siecle, ed. Hazan, Paris, 1987,p Txatxo Sabater: filtración e canalizacion enquanto um [canalización] supõe a criação de um novo espaço, afecto exclusivamente a este uso; quer dizer, em que só é possível o trânsito, que não pode nele inscrever-se nenhuma actividade que implique detenção; o movimento que se produz por filtración [uma filtragem progressiva do acesso à privacidade da casa] compromete a ordem [sequencial] dos compartimentos Txatxo Sabater Andreu, em Primera Edad del Ensanche, Arquitectura Doméstica, Tesis Doctoral, ed. Departamento de Composición, Escola Tècnica Superior d'arquitectura de Barcelona. Universitat Politècnica de Catalunya, Barcelona, 1989, Volúmen I, p. II-14

18 filtración Felix Vallotton, Interior with Woman in Red From Behind, Txatxo Sabater: filtración e canalizacion Rues Théodore-de-Banville et Gustave-Flaubert, planta dos pisos, registado por François Loyer, em Paris XIXe Siecle, ed. Hazan, Paris, 1987,p. 212.

19 Dupla circulação na casa de raiz burguesa: Segregação do serviço da casa, discrição e imediata disponibilidade dos serviçais, canalização Ordenação sequencial e encenação dos espaços sociais da casa, rituais de aparato e recepção (de parade ) filtração Autonomia e privacidade dos espaços da intimidade, canalização Edifício de habitação, pormenor de um apartamento, Carrer Johann Sebastian Bach, Barcelona, 1958, arq. Antonio Coderch de Sentmenat. Registado por Carles Fochs em J. A. Coderch de Sentmenat , ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1989, p Edifício de habitação, pormenor de um apartamento, Carrer Johann Sebastian Bach, Barcelona, 1958, arq. Antonio Coderch de Sentmenat. Registado por Carles Fochs em J. A. Coderch de Sentmenat , ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1989, p.108..

20 Edifício de habitação, pormenor de um apartamento, Carrer Johann Sebastian Bach, Barcelona, 1958, arq. Antonio Coderch de Sentmenat. Registado por Carles Fochs em J. A. Coderch de Sentmenat , ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1989, p Edifício de habitação, pormenor de um apartamento, Carrer Johann Sebastian Bach, Barcelona, 1958, arq. Antonio Coderch de Sentmenat. Registado por Carles Fochs em J. A. Coderch de Sentmenat , ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1989, p.108..

21 Dupla circulação na casa de raiz burguesa: Segregação do serviço da casa, discrição e imediata disponibilidade dos serviçais; ordenação sequencial e encenação dos espaços sociais da casa, rituais de aparato e recepção de parade ; autonomia e privacidade dos espaços da intimidade. Blocos habitacionais na Avenida Infante Santo, arq. tos Alberto Pessoa, Hernani Gandra e João Abel Manta, Lisboa, O corredor moderno, a optimização dos percursos no interior da casa moderna Estudo de optimização da distribuição e dos percursos no interior da casa. Comparação entre uma casa antiga (mal distribuída, na opinião do autor) e uma casa moderna otimizada. Relatório realizado pelo arquitecto russo Alexander Klein, em Registado por Leonardo Benevolo em Projectar a Cidade Moderna, 2ª edição, ed. Presença, Lisboa, 1987, p.30.

22 O corredor moderno, a optimização dos percursos no interior da casa moderna Alojamentos da Société Civilie Coopérative, Monique Eleb-Vidal e Anne Debarre-Blanchard, Architectures de La Vie Privée, Maisons et Mentalités, XVIIe-XIXe siécles, ed. Archives D'Architecture Moderne, Bruxelles, 1989, p.153. Edifício laminar para o Weissenhof de Estugarda, Mies Van Der Rohe, , registado por Leonardo Benevolo, em Projectar a cidade Moderna, ed. Edições 70, Lisboa 1987, p.83.

23 O corredor moderno, a optimização dos percursos no interior da casa moderna Blocos de Habitação, Marina de Lagos, , Gonçalo Byrne, planta de conjunto, piso tipo. O corredor moderno, a optimização dos percursos no interior da casa moderna

24 A casa sem fim de Rafael Cárceres*: A possibilidade de percorrer, continuamente, o interior da casa. Complexo Habitacional Dapperbuurt, Amsterdão, 1989, Margret Duinker, Machiel Van Der Torre, reproduzido em Pisos Piloto, Células Domésticas Experimentales, ed. Gustavo Gilli, Barcelona 1997, p * Rafael de Cárceres, Política - El confort espacial com a argument del disseny de l habitatge col-lectiu, in Quadern's d'arquitectura i Urbanisme, nº 256, ed. COAC, Barcelona, 2007, p A casa sem fim A small house with lots of room in it, 1900, Frank Lloyd Wright

25 Casa sem fim : dupla circulação na casa de raiz burguesa. Casa sem fim : dupla circulação na casa de raiz burguesa. Edifício de habitação, pormenor de um apartamento, Carrer Johann Sebastian Bach, Barcelona, 1958, arq. Antonio Coderch de Sentmenat. Registado por Carles Fochs em J. A. Coderch de Sentmenat , ed. Gustavo Gilli, Barcelona, 1989, p.108..

26 Curto-circuito pontual entre compartimentos: casa sem fim de Rafael Cárceres: O curto-circuito entre compartimentos da casa, em jeito de dupla-circulação, entre partes da casa, complementar/alternativo à circulação de corredor, intituindo a possibilidade de percursos alternativos, de percorrer a casa sem fim. Alojamentos da Société Civilie Coopérative, Monique Eleb-Vidal e Anne Debarre-Blanchard, Architectures de La Vie Privée, Maisons et Mentalités, XVIIe-XIXe siécles, ed. Archives D'Architecture Moderne, Bruxelles, 1989, p.153.

27 Immeuble Clarté, Le Corbusier, Bloco das Águas Livres, arq. Nuno Teotónio Pereira, Lisboa, 1953.

28 Espaços de serviço da casa: a colectivização de alguns espaços de serviço ensaiada nas vanguardas modernistas, o condensador social, a casa descontínua (em que algumas das suas valências se encontram distantes, em outra parte do edifício residencial; o aluger vertical na casa medieval, de compartimentos em pisos distintos...); os terraços, as varandas com tanques, estendais e grelhas de fachada modernista, sem correspondência na promoção imobiliária contemporânea (apostada no recurso à máquina de secar roupa). Espaços de serviço da casa: Agrupamento periférico, Concurso Habitatge I Ciutat, Barcelona 1990, W. Jan Neutelings, A. Wall, Xaveer de Geyter, F. Roodbeen, reproduzido em Pisos Piloto, Células Domésticas Experimentales, ed. Gustavo Gilli, Barcelona 1997, p motor nuclear / banda activa

29 Agrupamento periférico, Concurso Habitatge I Ciutat, Barcelona 1990, W. Jan Neutelings, A. Wall, Xaveer de Geyter, F. Roodbeen, reproduzido em Pisos Piloto, Células Domésticas Experimentales, ed. Gustavo Gilli, Barcelona 1997, p Domus Demain, 1984, Yves Lyon

30 Avenida Duque D'Àvila, 20 (1921), Lisboa, Arq. Norte Júnior, Extrapolação Gráfica. Carrer Bernat Metge, Sud-Oest del Besós, Barcelona, 2000, Lluís Nadal, registado em Radiografies 06, Lluís Nadal i Oller, habitatge col.lectiu , ed. Catedra Projectes V-VI mati , ETSAB, UPC, Barcelona, p. 113.

31 Concurso Habitatge I Ciutat, Barcelona 1990, J. Llácer, J. Llobet, J. Julià, C. Alberich, reproduzido em, Habitatge I Ciutat,Concurs Internacional de Projectes, ed. Col.Legi d'arquitectes de Catalunya, Barcelona, 1990, p Complexo Habitacional Dapperbuurt, Amsterdão, 1989, Margret Duinker, Machiel Van Der Torre, reproduzido em Pisos Piloto, Células Domésticas Experimentales, ed. Gustavo Gilli, Barcelona 1997, p

32 Indeterminação, ambiguidade válida Optimização dimensional e funcional versus ambiguidade dimensional e funcional: a ambiguidade válida defendida por Venturi em Complexidade e Contradição (retomada por Xavier Monteys em Casa Collage) ilustrada e discutida em exemplos de dimensionamento ambíguo e afectação funcional indeterminada, flexível, ambivalente... In between, Aldo van Eyck, Herman Hertzberger Indeterminação, ambiguidade válida Optimização da distribuição e dos percursos no interior da casa. Alexander Klein, 1928, estudo alternativo de Xavier Monteys, sobre planta antiga, registado in Doméstica, Quadern's nº 250, ed. COAC, Barcelona, 2006, p. 59.

33 Lisboa, Avenidas Novas, Indeterminação, ambiguidade válida Apartamentos Lafayette Towers, Detroit, 1960, Mies van der Rohe, planta do piso tipo, The Mies van der Rohe Archive, The Museum of Modern Art, Nova Iorque. Escala Uso; Regra Composição; Forma Construção; Matéria Constituição; Individual Colectivo; ANÁLISE Interior Exterior; Luz Sombra; Habitáculo (compartimento elementar) Espaço doméstico Uso e Designação; (interior da casa) Divisão e Agrupamento; Configuração e Dimensão Relativa; Sistemas de circulação e Distribuição; Posição Relativa (no interior da casa); Posição e Relação Interior-Exterior; Posição e Agrupamento de infra-estruturas e dispositivos técnicos; Alojamento colectivo Esqueleto / Estrutura, Malha estrutural, elementos estruturais; Organização / Espaço, Uso, espaço distributivo, horizontal, vertical e SÍNTESE lugares protagonistas? Posição, interior, exterior e de transição; Significado, público, privado, servidor, servido Configuração / Forma Elementos, agregação, contorno e limite

RELAÇÕES INTERIOR-EXTERIOR NA ARQUITECTURA DOMÉSTICA

RELAÇÕES INTERIOR-EXTERIOR NA ARQUITECTURA DOMÉSTICA RELAÇÕES INTERIOR-EXTERIOR NA ARQUITECTURA DOMÉSTICA FAUTL. 2011/2012. MIARQ. MIINT. MIGP. LABORATÓRIO DE PROJECTO IIII. Nuno Arenga. Coordenação Carlos Lameiro, http://estradadoterceiro.blogspot.com casa

Leia mais

Casa Tugendhat. A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa.

Casa Tugendhat. A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa. Casa Tugendhat Casa Tugendhat A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa. O ARQUITECTO Ludwing Mies Van der Rohe nasceu

Leia mais

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA V Profa. Dra Deusa Maria R. Boaventura ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SUGESTÃO DE

Leia mais

Wilderness. casa ÚLTIMAS REPORTAGENS FG+SG

Wilderness. casa ÚLTIMAS REPORTAGENS FG+SG casa Wilderness A construção, assimétrica, quebrada, composta por múltiplos volumes, que se contraem ou se expandem do corpo principal, reinventa, contemporânea, as tradicionais casas de campo britânicas.

Leia mais

Objetivos: Oportunizar o intercâmbio e aprendizado ao público interessado na Cultura Ibérica, através de uma viagem a Portugal e Espanha.

Objetivos: Oportunizar o intercâmbio e aprendizado ao público interessado na Cultura Ibérica, através de uma viagem a Portugal e Espanha. VIAGEM CULTURAL À PENÍNSULA IBÉRICA / 2007 INFORMAÇÕES Objetivos: Oportunizar o intercâmbio e aprendizado ao público interessado na Cultura Ibérica, através de uma viagem a Portugal e Espanha. Objetivos

Leia mais

História da Arquitetura

História da Arquitetura História da Arquitetura Subdivisão da História da Arte - estudo da evolução histórica da arquitetura. Seus princípios Idéias Realizações História da arte Evolução das expressões artísticas, a constituição

Leia mais

UMA REINTERPRETAÇÃO CONTEMPORÂNEA DA ALDEIA DO PATACÃO: Um ensaio crítico para uma arquitectura bioclimática. ANEXOS

UMA REINTERPRETAÇÃO CONTEMPORÂNEA DA ALDEIA DO PATACÃO: Um ensaio crítico para uma arquitectura bioclimática. ANEXOS UMA REINTERPRETAÇÃO CONTEMPORÂNEA DA ALDEIA DO PATACÃO: Um ensaio crítico para uma arquitectura bioclimática. ANEXOS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA apresentada ao Departamento de Arquitectura

Leia mais

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial 1 Coimbra - 1941 Coimbra - 2001 2 Pólo II - Estado actual Pólo III - Estado actual 3 Pólo I - Estado actual 4 Pólo I - Estado actual

Leia mais

Dossier Promocional. Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto

Dossier Promocional. Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto Dossier Promocional Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Imóvel 4. Características Detalhadas do Imóvel 2 1.

Leia mais

Antonio Jose C Carvalho

Antonio Jose C Carvalho Experiência Profissional - colaborador Atelier du Prado (França). Colaborador estagiário i www.atelierduprado.com d Claudio Vilarinho arquitectos e designers (Portugal). Colaborador www.claudiovilarinho.com

Leia mais

CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS

CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS CURRICULUM VITAE Informação pessoal Nome Pedro Alexandre Tomé de Freitas Mariguesa Morada Calçada de São Vicente 106, 3º esq. 1100-571 Lisboa Portugal Telefone/Fax

Leia mais

PORTOFOLIO GUILHERME DE BIVAR

PORTOFOLIO GUILHERME DE BIVAR PORTOFOLIO GUILHERME DE BIVAR CURRICULUMVITAE Nome: Guilherme de Bivar Marques Nacionalidade: Portugués Data de nascimento: 23/07/1984 idade: 27 Email: Gdebivar@gmail.com Telfone: +351 964106552 Portugal

Leia mais

CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP

CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP ABSTRACT A construção pré-fabricada trata-se da utilização de elementos já produzidos antes do processo construtivo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo IAU PLANO DE ENSINO Unidade de Aprendizagem: INTRODUÇÃO AO PROJETO DE ARQUITETURA E URBANISMO Ano/ Semestre Letivo:

Leia mais

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra

Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra O Plano de Pormenor da Frente Ribeirinha de Alhandra estabelece a concepção do espaço urbano, para a área de intervenção do Plano, dispondo, designadamente,

Leia mais

Dossier Promocional. Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto

Dossier Promocional. Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto Dossier Promocional Empreendimento Varandas da Venezuela 2 - Porto 1. Contexto e a Oportunidade 2. Localização do Imóvel 3. Características Gerais do Imóvel 4. Características Detalhadas do Imóvel 5. Condições

Leia mais

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes

SEBRAE Memorial Descritivo. 1. Diretrizes SEBRAE Memorial Descritivo 1. Diretrizes A identidade do edifício institucional deve se dar pelo caráter da obra singular ou por um conjunto edificado que reconstitua o lugar como uma referência para a

Leia mais

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO Curso: Arquitetura e Urbanismo HISTÓRIA DA ARQUITETURA E DO URBANISMO III Prof. a Raquel Portes A CRISE

Leia mais

O MODERNISMO - ARQUITECTURA

O MODERNISMO - ARQUITECTURA O MODERNISMO - ARQUITECTURA ARTE VS TÉCNICA TRADIÇÃO VS MODERNIDADE ACADEMISMO VS FUNCIONALISMO FORMA VS FUNÇÃO BELO VS ÚTIL PAPEL DO ARQUITECTO NA SOCIEDADE O MODERNISMO - ARQUITECTURA ESCOLAS DE BELAS-ARTES

Leia mais

Apresentação pública do projecto do Anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. URI:http://hdl.handle.net/10316.

Apresentação pública do projecto do Anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. URI:http://hdl.handle.net/10316. Apresentação pública do projecto do Anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra Autor(es): Publicado por: URL persistente: Távora, Fernando CEDOUA URI:http://hdl.handle.net/10316.2/6161

Leia mais

Portfólio de Nuno Oliveira

Portfólio de Nuno Oliveira Portfólio de Nuno Oliveira Curriculum Vitae Nascido a 14 de Novembro de 1984 em Tomar, ingressou na faculdade de arquitectura da universidade do Porto em 2002. Esteve presente na anuária de 2003/04 em

Leia mais

T4 Duplex Jardins do Palacete

T4 Duplex Jardins do Palacete T4 Duplex Jardins do Palacete Boavista/ Porto Nª/Refª 3818 Índice 1 Localização 3 2 Informação Geral 5 3 Disponibilidades 8 4 Acabamentos 10 5 Plantas 13 Implantação 14 T4 Duplex 15 6 Contactos 17 T4 Duplex

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA A HISTÓRIA DA ILUMINAÇÃO NATURAL NA ARQUITETURA FAZ PARTE DA PRÓPRIA HISTÓRIA DA ARQUITETURA EGITO ANTIGO 2780 A.C A 2280 A.C. O GRANDE TEMPLO DE AMMON,

Leia mais

1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas

1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas Universidade de Brasília sala n.º máscara 1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas Arquitetura e Urbanismo Gráfica e Teste L E I A C O M A T E N Ç Ã O A S I N

Leia mais

Local: Luanda, Angola Ano: 2010. Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite

Local: Luanda, Angola Ano: 2010. Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite UMA CASA EM LUANDA Local: Luanda, Angola Ano: 2010 Escritório GRUPO SP Autoras: Ana Elísia Costa, Eliene Constantinou e Teresa Leite HABITAÇÃO SUSTENTÁVEL EM BRASÍLIA Local: Brasília Ano: 2011 Escritório

Leia mais

email: isabel.saavedra@mail.telepac.pt Rua Dr. Carlos Saraiva nº259, 4810-026 Guimarães, Portugal Telef: (00351) 253 41 27 23 Fax: (00351) 253 41 27

email: isabel.saavedra@mail.telepac.pt Rua Dr. Carlos Saraiva nº259, 4810-026 Guimarães, Portugal Telef: (00351) 253 41 27 23 Fax: (00351) 253 41 27 email: isabel.saavedra@mail.telepac.pt Rua Dr. Carlos Saraiva nº259, 4810-026 Guimarães, Portugal Telef: (00351) 253 41 27 23 Fax: (00351) 253 41 27 23 www.saavedrarquitectura.com Índice Selecção de Obras

Leia mais

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães C2faup Construção em Light Steel Frame Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães Introdução Neste trabalho pretendemos estudar o sistema construtivo de estrutura em aço leve, ou Light Steel Frame.

Leia mais

Projecto para uma Grua

Projecto para uma Grua Projecto para uma Grua Pedro Ressano Garcia * Gruas Portuárias publicadas por Le Corbusier em Vers une Architecture Neste fim de século, assistimos ao declínio da era mecânica. A maior parte do trabalho

Leia mais

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Neoclássico França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Definição Neoclássico Movimento cultural dado no século

Leia mais

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS Exmas. Associadas, Na sequência da comunicação efetuada por esta União, no passado dia 21 de março,

Leia mais

CURRICULUM VITAE. MARTA SEQUEIRA Lisboa, 28 de Março de 1977. bilhete de identidade n.º 11054327. Membro da Ordem dos Arquitectos n.

CURRICULUM VITAE. MARTA SEQUEIRA Lisboa, 28 de Março de 1977. bilhete de identidade n.º 11054327. Membro da Ordem dos Arquitectos n. CURRICULUM VITAE MARTA SEQUEIRA Lisboa, 28 de Março de 1977 bilhete de identidade n.º 11054327 Membro da Ordem dos Arquitectos n.º 10565 e-mail msequeira@uevora.pt endereço Rua da Oliveira ao Carmo, nº

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO. Antonio Castelnou

INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO. Antonio Castelnou INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO Antonio Castelnou CASTELNOU Introdução No decorrer da história, nem todos os espaços arquitetônicos mereceram a atenção dos estudiosos, mas apenas aqueles que possuíam algum valor

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DA ARTE LICENCIATURA E MESTRADO EM HISTÓRIA DA ARTE DOCENTE: PROFESSOR DOUTOR CARLOS MOURA VIAGEM A MADRID:

Leia mais

VENTILAÇÃO NATURAL EM EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DOS SISTEMAS

VENTILAÇÃO NATURAL EM EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DOS SISTEMAS VENTILAÇÃO NATURAL EM EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DOS SISTEMAS Manuel Pinto 1 e Vasco Peixoto de Freitas 2 RESUMO As recomendações técnicas sobre ventilação existentes em vários países propõem

Leia mais

3.3. O Conjunto Habitacional Zezinho de Magalhães Prado

3.3. O Conjunto Habitacional Zezinho de Magalhães Prado 6 3.3. O Conjunto Habitacional Zezinho de Magalhães Prado 3.3.. O projeto: Implantação e áreas livres de uso comum Os materiais não se podem construir em si mesmo. São os homens que projetam e executam.

Leia mais

SISTEMAS DE SOMBREAMENTO EM ARQUITECTURA:

SISTEMAS DE SOMBREAMENTO EM ARQUITECTURA: SISTEMAS DE SOMBREAMENTO EM ARQUITECTURA: PROPOSTA DE UM NOVO MÉTODO DE CONCEPÇÃO E DIMENSIONAMENTO Milene Silva de Jesus Palhinha Dissertação para a obtenção do Grau de Mestre em Arquitectura Instituto

Leia mais

Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva

Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva 17 de Outubro Sábado 10h30 - Estação de S. Bento (1896-1916), por Nuno Tasso de Sousa - Teatro Nacional S. João

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular HISTÓRIA

Leia mais

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982)

PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) PENSANDO JÁ O CENTRO HISTÓRICO? A INTERVENÇÃO DA DGEMN NA SÉ DO PORTO (1929-1982) MARIA LEONOR BOTELHO DCTP-FLUP mlbotelho@letras.up.pt 5 Dez 2013 17º Aniversário da Classificação do Centro Histórico do

Leia mais

Iluminação Natural. Construção de Diagramas Solares. Maio de 2007

Iluminação Natural. Construção de Diagramas Solares. Maio de 2007 Iluminação Natural Construção de Diagramas Solares Maio de 2007 arquitectura e artes do espectáculo lda. Rua Julião Quintinha, 1A tel: +351 217 157 502 email: etu@etu.pt 1500-381 Lisboa fax: +351 217 157

Leia mais

ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012

ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012 ATIVIDADE COMPLEMENTAR A FAU/CEATEC PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE 2012 Unidade Acadêmica: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Titulo da Atividade: Viagem de Estudos a Belo Horizonte e Inhotim - MG Ano: 2º

Leia mais

Estoril Sol Residence, Cascais

Estoril Sol Residence, Cascais Estoril Sol Residence, Cascais 1 O Conceito O Estoril Sol Residence situa-se na Avenida Marginal em Cascais. Está implantado nos terrenos do antigo Hotel Estoril-Sol. A opção arquitetónica desenvolvida

Leia mais

Após a Segunda Guerra foi criado o Ministério da Reconstrução da França, e este

Após a Segunda Guerra foi criado o Ministério da Reconstrução da França, e este 3.2.4 Unidade de Habitação de Marselha (Marselha 1947-1953) Após a Segunda Guerra foi criado o Ministério da Reconstrução da França, e este incumbiu Le Corbusier de projetar uma grande casa coletiva com

Leia mais

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 14 HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 15 FOTOS: Miguel Serradas Duarte FOTOS: Miguel Serradas Duarte Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO

Leia mais

project leader coordenador de projecto sócio gerente

project leader coordenador de projecto sócio gerente 2009 1995 licenciatura em arquitectura na universidade lusíada (UL), lisboa 1996 docente do departamento de arquitectura da universidade lusófona de humanidades e tecnologias (ULHT), lisboa - lecionando

Leia mais

ESTRUTURA FÍSICA E SOCIAL NA HABITAÇÃO COLETIVA: BRASIL E PORTUGAL

ESTRUTURA FÍSICA E SOCIAL NA HABITAÇÃO COLETIVA: BRASIL E PORTUGAL ESTRUTURA FÍSICA E SOCIAL NA HABITAÇÃO COLETIVA: BRASIL E PORTUGAL ESTRUTURA FÍSICA E SOCIAL NA HABITAÇÃO COLETIVA: BRASIL E PORTUGAL * PHYSICAL AND SOCIAL STRUCTURE IN COLLECTIVE HOUSING: BRASIL AND PORTUGUAL

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1 A casa # 8 1 Marta Peixoto 2 1 Este trabalho se insere em uma pesquisa desenvolvida aqui no UniRitter - junto com o professor da FAU Sergio Moacir Marques - intitulada Domesticidade, tecido e o gosto neoplástico:

Leia mais

Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO

Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO Figueira da Foz REGENERAÇÃO URBANA - UM NOVO PASSO porquê a Figueira da Foz? Cidade com dimensão para a intervenção pretendida e alinhamento estratégico com a Autarquia Núcleo urbano com potencial de regeneração

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA DO AZULEJO AZULEJARIA MODERNISTA, MODERNA E CONTEMPORÂNEA. Ana Almeida

CURSO DE HISTÓRIA DO AZULEJO AZULEJARIA MODERNISTA, MODERNA E CONTEMPORÂNEA. Ana Almeida CURSO DE HISTÓRIA DO AZULEJO AZULEJARIA MODERNISTA, MODERNA E CONTEMPORÂNEA Ana Almeida Foto Thorsten Hümpel In Raúl Lino (1879-1974), Lisboa: Ed. Blau, 2003 Raul Lino Casa Montsalvat, Monte Estoril 1901

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo Ênfase Identificação Disciplina 0003735A - História do Urbanismo II: Do Renascimento ao Moderno Docente(s) Luiz Claudio Bittencourt Unidade Faculdade de Arquitetura,

Leia mais

ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX)

ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX) ESPAÇOS E ACTORES DA CIÊNCIA EM PORTUGAL (XVIII-XX) C O O R D E N A Ç ÃO Maria Fernanda Rollo Maria de Fátima Nunes Madalena Esperança Pina Maria Inês Queiroz SUMÁRIO INTRODUÇÃO 7 ESPAÇOS E ACTORES: LUGARES

Leia mais

ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE

ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE Síntese Introdutória do Método Utilizado para a Análise dos Projetos no Estudo dos Temas de Composição Disciplina:Idéia, Método e Linguagem

Leia mais

ETFE. soluções em arquitectura transparente

ETFE. soluções em arquitectura transparente ETFE soluções em arquitectura transparente Construção com películas de ETFE Aplicações monocamada É utilizada uma camada única, normalmente com uma geometria de curvatura dupla. As aplicações monocamada

Leia mais

Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO

Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO Pedro Filipe Quaresma A monografia apresentada foi realizada no âmbito da cadeira de Tecnologias da Construção do 11ª Mestrado em Construção

Leia mais

SEMINÁRIO: ECOEFICIÊNCIA DO ESPAÇO PÚBLICO EM ANGOLA ... RUMO À EFICIÊNCIA E BOAS PRÁTICAS NO ESPAÇO URBANO ... 28 e 29 de Março 2012 Lisboa

SEMINÁRIO: ECOEFICIÊNCIA DO ESPAÇO PÚBLICO EM ANGOLA ... RUMO À EFICIÊNCIA E BOAS PRÁTICAS NO ESPAÇO URBANO ... 28 e 29 de Março 2012 Lisboa SEMINÁRIO: ECOEFICIÊNCIA DO ESPAÇO PÚBLICO EM ANGOLA... RUMO À EFICIÊNCIA E BOAS PRÁTICAS NO ESPAÇO URBANO... 28 e 29 de Março 2012 Lisboa ORGANIZAÇÃO UMA PUBLICAÇÃO SEMINÁRIO: ECOEFICIÊNCIA DO ESPAÇO

Leia mais

O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil

O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil - SEPesq O Caminho do Apartamento Moderno no Brasil Vivian K.Levy Mestranda em Arquitetura e Urbanismo Unirriter Vivianklevy@gmail.com Resumo Este artigo trata da evolução, do caminho que a tipologia do

Leia mais

José António Jacob Martins Cabido curriculum vitae (síntese)

José António Jacob Martins Cabido curriculum vitae (síntese) José António Jacob Martins Cabido curriculum vitae (síntese) 1. Dados pessoais 2. Interesses académicos 3. Habilitações académicas 4. Actividade académica docente 5. Formação complementar 6. Funções dirigentes

Leia mais

5 Um Modelo Inteligente de Cidade 7 Santa Marinha, um Conceito Global 9 Arquitectura 11 O Lugar Ideal Para Viver 13 Espaços 15 Conforto, Harmonia e

5 Um Modelo Inteligente de Cidade 7 Santa Marinha, um Conceito Global 9 Arquitectura 11 O Lugar Ideal Para Viver 13 Espaços 15 Conforto, Harmonia e 5 Um Modelo Inteligente de Cidade 7 Santa Marinha, um Conceito Global 9 Arquitectura 11 O Lugar Ideal Para Viver 13 Espaços 15 Conforto, Harmonia e Bem-Estar 17 A Sede do Seu Negócio 19 Tudo à Distância

Leia mais

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO Marco Teixeira, arquitecto qualificado com vasta experiência na área, desenvolveu as suas competências em algumas das mais conceituadas empresas, estabelecendo contactos com uma vasta lista de clientes,

Leia mais

A CIDADELA DE CASCAIS: O MONUMENTO, A ENVOLVENTE URBANA E O VALOR SOCIAL

A CIDADELA DE CASCAIS: O MONUMENTO, A ENVOLVENTE URBANA E O VALOR SOCIAL 349 A CIDADELA DE CASCAIS: O MONUMENTO, A ENVOLVENTE URBANA E O VALOR SOCIAL Jacinta Bugalhão O conjunto monumental militar designado globalmente como Cidadela de Cascais (e que engloba, nesta acepção,

Leia mais

Zonamento. Campo de Golfe. Clube Aparthotel. Praia Aparthotel. Golfe Aparthotel. Estalagem. Condomínio. Condomínio. Condomínio.

Zonamento. Campo de Golfe. Clube Aparthotel. Praia Aparthotel. Golfe Aparthotel. Estalagem. Condomínio. Condomínio. Condomínio. Projecto Índice Zonamento Campo de Golfe 1 3 BH1 BH2 BH3 BH4 BH5 BH6 BH7 BH8 BT1 BT2 BT3 BT4 Clube Aparthotel Praia Aparthotel Golfe Aparthotel Estalagem Condomínio Condomínio Condomínio Condomínio Aldeamento

Leia mais

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO EM

Leia mais

Pousada de Cascais. Fortaleza da Cidadela

Pousada de Cascais. Fortaleza da Cidadela Pousada de Cascais Fortaleza da Cidadela HÁ POUCO MAIS DE 3 MESES ESTA CIDADELA TRANSFORMOU-SE NA POUSADA DE CASCAIS, A ÚLTIMA DAS UNIDADES DO GRUPO PESTANA A ABRIR acidadela e a Fortaleza de Nossa Senhora

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA ESQUADRIAS/PANOS

Leia mais

BAIRRO DA PALMEIRA. Dossier de imprensa 2.ª FASE DA REABILITAÇÃO. Continuar a investir nas pessoas IHM INVESTIMENTOS HABITACIONAIS DA MADEIRA, EPERAM

BAIRRO DA PALMEIRA. Dossier de imprensa 2.ª FASE DA REABILITAÇÃO. Continuar a investir nas pessoas IHM INVESTIMENTOS HABITACIONAIS DA MADEIRA, EPERAM Dossier de imprensa CARACTERIZAÇÃO O Bairro da Palmeira, construído no início da década de 80 para resolver situações de gravíssima carência habitacional de famílias do centro de Câmara de Lobos, sobretudo

Leia mais

Situação existente CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CASA - MUSEU DA FREIRA DO ARCANO PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA

Situação existente CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CASA - MUSEU DA FREIRA DO ARCANO PROJECTO DE EXECUÇÃO MEMÓRIA DESCRITIVA Situação existente A cidade da Ribeira Grande, cabeça de um concelho que este ano celebra o meiomilénio de existência, é das mais notáveis construções urbanas açóricas, e constitui uma das mais originais

Leia mais

JOÃO MARIA DE PAIVA VENTURA TRINDADE évora, 1972

JOÃO MARIA DE PAIVA VENTURA TRINDADE évora, 1972 JOÃO MARIA DE PAIVA VENTURA TRINDADE évora, 1972 HABILITAÇÕES ACADÉMICAS Licenciatura em Arquitectura pela ESBAL/ FAUTL (Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa), em Outubro de 1995,

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA

PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA PLANO DE PORMENOR DO PARQUE EMPRESARIAL DA QUIMIPARQUE ESTARREJA Regulamento n.º S / N.ª Data de Publicação em D.R., 1.ª Série-B, n.º 124 de: 29/06/2006 (RCM n.º 81/2006) Aprovado em Assembleia Municipal

Leia mais

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras.

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras. A arte nasceu na Pré-História, quando o Homem primitivo decidiu fazer uns desenhos com sangue de animais, nas cavernas onde vivia, sendo denominada por Arte Rupestre. Por fim, chegamos á arte da actualidade,

Leia mais

25-06-2010. A história da Arquitectura é a história da luta pela janela (...). CONSTRUIR EM VIDRO. (Lao Tse) Le Corbusier. Enquadramento 1ª Parte

25-06-2010. A história da Arquitectura é a história da luta pela janela (...). CONSTRUIR EM VIDRO. (Lao Tse) Le Corbusier. Enquadramento 1ª Parte CONSTRUIR EM VIDRO Enquadramento 1ª Parte Nuno Valentim Lopes Formação Contínua Ordem do Arquitectos SRN Palácio das Artes Porto Trinta raios convergem no eixo da roda e é o centro que a faz mover... Molda-se

Leia mais

Destaque ARQUITECTURA

Destaque ARQUITECTURA ARQUITECTURA ARQUITECTURA Edificio Bloom Space for Business Localização Este edifício situa-se na Rua de Campolide em Lisboa. Com sua localização privilegiada sobre o Parque do Monsanto, coração verde

Leia mais

SUPLEMENTO AO DIPLOMA UNIVERSIDADE DO MINHO

SUPLEMENTO AO DIPLOMA UNIVERSIDADE DO MINHO SUPLEMENTO AO DIPLOMA UNIVERSIDADE DO MINHO Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer

Leia mais

Para além da natureza, Um lugar único e perfeito para viver, sentir e respirar

Para além da natureza, Um lugar único e perfeito para viver, sentir e respirar Para além da natureza, Um lugar único e perfeito para viver, sentir e respirar NECSTouR - Conferência Regional Anual "Competitividade e Sustentabilidade de Destinos Turísticos: Uma Relação Interdisciplinar

Leia mais

HISTÓRIA DA FORMA URBANA

HISTÓRIA DA FORMA URBANA Vítor Oliveira HISTÓRIA DA FORMA URBANA Aulas de Morfologia Urbana História da forma urbana 1. A cidade Grega 2. A cidade Romana 3. A cidade Medieval 4. A cidade do Renascimento 5. A cidade Barroca 6.

Leia mais

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio Tendo como base o programa fornecido, o presente estudo tem como objectivo dar a conhecer as intenções da nossa proposta para a elaboração do projecto para um Hotel 4 estrelas, mais moradias em Malanje

Leia mais

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC.

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC. EDITAL Nº 12/21 Processo Seletivo de Docentes para os Cursos de Arquitetura e Urbanismo e Moda da Estácio FIC 21. A DIRETORA GERAL da Faculdade Estácio do Ceará - Estácio FIC, no uso de suas atribuições

Leia mais

Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização do Núcleo Histórico de Sines. Proposta de Termos de Referência

Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização do Núcleo Histórico de Sines. Proposta de Termos de Referência Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização do Núcleo Histórico de Sines Proposta de Termos de Referência Câmara Municipal de Sines Divisão de Planeamento, Ordenamento do Território e Ambiente OUTUBRO

Leia mais

TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA

TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA Imagine um lugar onde a terra vai ao encontro da água, uma península que rasga o azul do oceano e o verde do rio. Praias de areia branca e dunas selvagens com trilhos

Leia mais

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Porto, 28 de novembro de 2012 Objectivo do FDU - Turismo Promover o desenvolvimento de projetos de investimento que contribuam para a regeneração,

Leia mais

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações 5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM Largo Cândido dos Reis Empresa que presta serviços de comunicações Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não

Leia mais

ATELIÊ DE ARQUITETURA II PROJETO DE ESCOLA. PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

ATELIÊ DE ARQUITETURA II PROJETO DE ESCOLA. PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com CARACTERIZAÇÃO DA DISCIPLINA: AdisciplinadeProjeto de ArquiteturaII dácontinuidade aoprocesso deaprendizado iniciado em Projeto de Arquitetura I, caracterizando o Projeto de Arquitetura como um processo

Leia mais

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração 16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração Luís Correia da Silva Lisboa, 9 de Março de 2013 Faculdade de Direito Universidade de Lisboa A) Definição de Resorts Integrados Espaços de lazer

Leia mais

3. AGENTES E PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO

3. AGENTES E PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO Vítor Oliveira 3. AGENTES E PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO Aulas de Morfologia Urbana Agentes e processos de transformação 1. Agentes responsáveis pela transformação urbana 2. Processos de transformação urbana

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

MÉTODOS DE ANÁLISE DE PROJETOS HABITACIONAIS Dois exemplos contemporâneos

MÉTODOS DE ANÁLISE DE PROJETOS HABITACIONAIS Dois exemplos contemporâneos 3. EVALUACIÓN Y CERTIFICADOS Cássia Bartsch Nagle y Leandro Silva Medrano I Campinhas, Brasil MÉTODOS DE ANÁLISE DE PROJETOS HABITACIONAIS Dois exemplos contemporâneos Introdução Nas últimas décadas, intensificou-se

Leia mais

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural Agrupamento de escolas de Coruche CURSO PROFISSIONAL Ano letivo 2014/2015 Técnico de Turismo Ambiental e Rural Componente de formação: Sócio-cultural: Total de horas (a) (ciclo de formação) Português Língua

Leia mais

4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS

4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS 4 de novembro Museu de Cerâmica de Sacavém JORNADAS SIPA 2011 João Paulo Martins martins@fa.utl.pt MÓVEIS MODERNOS A ACTIVIDADE DA COMISSÃO PARA AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIO NO ÂMBITO DA DIRECÇÃO-GERAL DOS

Leia mais

Relatório técnico nº 00412. Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3

Relatório técnico nº 00412. Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3 Relatório técnico nº 00412 Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3 SINDUSCON- Grande Florianópolis End.: Avenida Rio Branco,1051- Centro, Florianópolis, SC Contato:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INSTALAÇÕES TÉCNICAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INSTALAÇÕES TÉCNICAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INSTALAÇÕES TÉCNICAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular INSTALAÇÕES

Leia mais

OS SENTIDOS. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G.

OS SENTIDOS. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G. Universidade de Caxias do Sul Curso de Arquitetura e Urbanismo Disciplina de Projeto Arquitetônico IV Professor Julio Ariel G. Norro PARTIDO GERAL CONDOMÍNIO RESIDENCIAL OS SENTIDOS Acadêmicas: Laura Sirianni

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO

COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO CONCEITO-HISTÓRICO-PROJETO Prof Ms Arq Aroldo Marcio Ferreira ESPAÇO COLETIVO-CONCEITO ESPAÇO URBANO PÚBLICO OU PRIVADO DE MANIFESTAÇÕES SOCIAIS COLETIVAS CONVIVENCIA-LAZER-CONTEMPLAÇÃO-ALIMENTAÇÃO-CULTURAL

Leia mais

Casa da Aboinha Quinta da Aboinha, Estalagem Santiago... ou apenas um equívoco?

Casa da Aboinha Quinta da Aboinha, Estalagem Santiago... ou apenas um equívoco? 65 Casa da Aboinha Quinta da Aboinha, Estalagem Santiago... ou apenas um equívoco? Manuel da Cerveira Pinto Mestre assistente, Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Fernando Pessoa Doutorando

Leia mais

requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa.

requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa. AIRES MATEUS E ASSOCIADOS RUA SILVA CARVALHO, 193, 1250-250 LISBOA TEL 21 381 56 50 35/79 requalificação em consequência de concurso de arquitectura promovido pela Câmara Municipal de Lisboa. O edifício

Leia mais

Lema: "Voltar a ver felicidade no Parque Mayer"

Lema: Voltar a ver felicidade no Parque Mayer IDEIAS PARA O PLANO DE PORMENOR DO PARQUE MAYER Lema: "Voltar a ver felicidade no Parque Mayer" Linha de acção: intervenção MINIMALISTA. Questões Prévias/Condicionantes: * Orçamental; * Interacção Parque

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Unidade Curricular Designação: Desenho II Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 2º ECTS:

Leia mais

A CRIANÇA, UM AGENTE SOCIAL CAPAZ DE DESENHAR PARQUES QUE PROMOVAM ESTÉTICA INTEGRAÇÃO E CONVIVÊNCIA

A CRIANÇA, UM AGENTE SOCIAL CAPAZ DE DESENHAR PARQUES QUE PROMOVAM ESTÉTICA INTEGRAÇÃO E CONVIVÊNCIA A CRIANÇA, UM AGENTE SOCIAL CAPAZ DE DESENHAR PARQUES QUE PROMOVAM ESTÉTICA INTEGRAÇÃO E CONVIVÊNCIA Autores: Leonardo de Albuquerque Batista¹; Grécia Rodríguez¹ Afiliação: 1 - Universidade do Minho Palavras-Chave:

Leia mais

Seminário Internacional. Apresentação de Cláudia Nunes. Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ Rio de Janeiro/Brasil 15 Dezembro 2009

Seminário Internacional. Apresentação de Cláudia Nunes. Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ Rio de Janeiro/Brasil 15 Dezembro 2009 Seminário Internacional ORDEM, DESORDEM, ORDENAMENTO Arquitectura, Espacialidade, Paisagem 1807-2009 Apresentação de Cláudia Nunes Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ Rio de Janeiro/Brasil 15 Dezembro 2009

Leia mais

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas.

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas. Doc 5. Proposta de Projecto de Lei Sobre a Profissão, a Prática e a Formação do Urbanista A necessidade de implementar uma política consistente de Ordenamento do Território e Urbanismo, tem determinado

Leia mais