ANEXO X Experiências Mundiais de Recuperação de Orla

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO X Experiências Mundiais de Recuperação de Orla"

Transcrição

1 ANEXO X Experiências Mundiais de Recuperação de Orla

2 Em consequência da transformação das áreas portuárias e do surgimento de espaços ociosos nestas áreas, cerca de 40 cidades encontraram como desafio a revitalização desses espaços, transformando-os em novas frentes marítimas, através de complexos e pioneiros programas de waterfront, criando, urbanisticamente, novos padrões para as suas áreas centrais. Exemplos de renovação de bairros a beira d água podem ser encontrados pelo mundo em cidades como Boston, Nova York, Baltimore, Gênova, Roterdã, Cidade do Cabo, Buenos Aires, Barcelona, Lisboa e, no Brasil, em Belém do Pará. i. Boston (EUA) Um dos primeiros casos de revitalização da área portuária foi o de Boston, a partir do final dos anos 50. Seu sucesso tornou-se um paradigma para outras revitalizações mundo afora. Foram recuperados prédios históricos e feita uma total recuperação da frente marítima, que reintegrou cidade e mar. Surgiram ainda espaços de entretenimento com lojas, cinemas, restaurantes, marina, centro de convenções, integrados a prédios comerciais e residenciais. Figura AX.1 A nova frente marítima Fonte: Centro de Arquitetura e Urbanismo/SMU/PCRJ - Porto do Rio, 2001 Página AX-1

3 ii. Nova York (EUA) A cidade de Nova York, também pioneira na revitalização portuária, nos anos 60 recuperou prédios históricos para novos usos, com a construção de shoppings e edifícios de escritórios. O Píer 17, totalmente remodelado, abriga lojas, restaurantes e uma marina para barcos de turismo. Figura AX.2 - O Píer 17 revitalizado Fonte: Centro de Arquitetura e Urbanismo/SMU/PCRJ - Porto do Rio, 2001 iii. Baltimore (EUA) Baltimore, na costa leste dos Estados Unidos, no início dos anos 60 teve toda a sua indústria portuária abandonada, tornando-se, desde os anos de 1970, o paradigma da renovação de waterfronts. A área portuária central decadente, conhecida por Inner Harbour, foi renovada e transformada em um complexo urbano com mistura de usos comerciais, turísticos recreacionais e residenciais. Lá foram construídas marinas, shopping, restaurantes, aquário, hotéis, museu, centro de convenções, bem como edifícios residenciais. A cada ano se observa o crescimento do mercado residencial no entorno do Inner Harbour, identificado como um bom lugar para se morar. Página AX-2

4 Figura AX.3 O porto revitalizado Figura AX.4 Operação Inner Harbor de Baltimore Houve uma estrutura continuada de gestão e avaliação ao longo de quase 50 anos, e tornou-se um caso paradigmático pelo êxito dos novos usos, pela especial atenção para as obras arquitetônicas, atrativas e simbólicas, atraindo anualmente mais de 7,5 milhões de visitantes. Hoje oferece mais de 35 atrações turísticas diferentes (marinas, museus, aquário, cinemas, centros comerciais e outras atividades), tendo gerado 30 mil novos empregos nos 25 últimos anos. Em 2002 foi aprovado um novo Plano Diretor que colocou a ênfase na renovação dos itinerários de pedestres, com reforma das ruas, no sistema de transporte coletivo, e na construção de estacionamentos, com desenvolvimento de novos empreendimentos imobiliários. Página AX-3

5 O exemplo de Baltimore tem sido seguido, entre outras cidades, por Londres (operação de recuperação dos Docklands), Liverpool, Seattle, Sidney (no entorno do seu palácio da opera), New York, Cidade do Cabo (Albert e Vitória wharfs), Yokohama, Hong Kong, Malmöe, Amsterdã, Roterdã, Genova, Hamburgo, Barcelona, Albourgh, Buenos Aires, Toronto, e tantas outras grandes cidades. iv. Roterdã (Holanda) Roterdã também sofreu com a degradação da sua zona portuária já que a cidade ao longo dos anos viveu em função do porto. Nas décadas de 70/80 A partir de 1987, projetou um novo centro para a cidade, às margens do Rio Maas. A antiga área portuária de Kop van Zuid, decadente e obsoleta, transformou-se em uma área requalificada com vários usos escritórios, residencial, serviços e lazer. Para garantir a acessibilidade foram ainda construídas nova estação de metrô e VLT, integrados ao sistema pré-existente. Figura AX.5 O porto revitalizado - Roterdã Fonte: Porto Maravilha: Rio de Janeiro + 6 casos de sucesso de revitalização portuária Casa da Palavra, 2010 Como a operação urbana foi realizada sobre os cais de um porto interior de canais, foi necessária a construção de varias pontes e novos acessos, porém as soluções viárias evitaram viadutos e passagens elevadas que tirassem valor do espaço urbano conquistado. Página AX-4

6 Figura AX.6 Maquete da planta da operação Koop van Zuid, Roterdã e cais de Uitgeverij O novo porto de Roterdã, deslocado da sua antiga posição urbana, destaca por ser o maior do norte da Europa, é o sétimo no tráfego de contêineres e a saída natural do coração da Europa ao Atlântico, tendo superado a atividade do porto de Hamburgo. Isso não teria sido possível mantendo-o na sua posição precedente. As operações de recuperação de cais obsoletos em Amsterdã e Hamburgo tiveram também uma grande repercussão no mundo pelos seus efeitos na revitalização dos vizinhos bairros antigos de ambas as cidades. A destacar o fato de que as políticas de acessibilidade em transporte público, em bicicleta ou a pé, tem sido reforçadas em detrimento da passagem de carros, que tem ficado fortemente restrita. v. Cidade do Cabo (África do Sul) Na Cidade do Cabo, existe o projeto da Victoria & Alfred Waterfront Company, criada em 1988 para comandar o processo de revitalização da antiga área portuária. Teve como premissa a conversão da área em uso misto residencial, comercial e turístico além da manutenção da operação portuária, com resgate das edificações históricas antes existentes ou reconstruídas no local e a nova utilização dos piers. Foram valorizadas as áreas turísticas e de lazer com a construção de shoppings, hotéis, restaurantes, aquário. O sistema de transportes conta com estação ferroviária e um sistema intermodal com ônibus e barcos. Página AX-5

7 Figura AX.7 O porto revitalizado Cidade do Cabo Fonte: Porto Maravilha: Rio de Janeiro + 6 casos de sucesso de revitalização portuária Casa da Palavra, 2010 vi. Buenos Aires (Argentina) Foi feito um modelo de gestão que permitiu, a partir de 1990, a integração entre os poderes municipal, estadual, federal e a iniciativa privada para a revitalização da área de Puerto Madero, que promoveu a integração da cidade com o rio. Cada margem do dique existente obteve um tratamento diferenciado: de um lado os antigos armazéns (galpões industriais) foram readequados e tornaram-se espaços para trabalho, serviços e restaurantes; do outro os galpões alfandegários fora de uso foram demolidos, dando lugar a modernos edifícios residenciais/comerciais, um parque público e áreas verdes. Figura AX.8 O porto revitalizado Buenos Aires Fonte: Porto Maravilha: Rio de Janeiro + 6 casos de sucesso de revitalização portuária Casa da Palavra, 2010 Página AX-6

8 vii. Gênova (Itália) Gênova, a partir de 1980, produziu um belo exemplo de modernização com preservação histórica. Toda a região do antigo porto, repleta de construções medievais, transforma-se num centro de moradia e lazer, convivendo harmoniosamente com instalações contemporâneas. Figura AX.9 A nova frente marítima Gênova Fonte: Centro de Arquitetura e Urbanismo/SMU/PCRJ - Porto do Rio, 2001 viii. Barcelona (Espanha) Barcelona se torna um modelo desta tendência a partir dos anos 90. A requalificação da zona portuária, localizado muito próximo do centro histórico da cidade teve como fator motivador a realização dos Jogos Olímpicos de O projeto do Port Vell teve como intenção abrir Barcelona para o mar. No antigo Porto de Barcelona, nos Cais de Fusta e Espanya, foram construídos marcos arquitetônicos que convivem harmoniosamente com as construções históricas abrigando uma marina, aquário, centro de convenções, shopping, restaurantes integrados a edifícios comerciais e a um bairro residencial. Página AX-7

9 Figura AX.10 Port Vell de Barcelona Fonte: Porto do Rio A Nova Interface Porto-Cidade no Rio de Janeiro Verena Andreatta, Julho 2003 É oportuno lembrar a polêmica que se produz nos anos 80 em Barcelona com motivo das obras preparatórias dos Jogos Olímpicos de 1992, quando se enfrentaram a necessidade de construir um anel viário especializado de grande capacidade (ronda) ao redor de toda a cidade com a de construir a Vila Olímpica na borda do mar e recuperar o espaço do porto velho para atividades de lazer. A solução final recaiu na construção de uma autoestrada (Ronda litoral) enterrada, lindeira ao porto e ao mar, quer dizer em túnel, apesar do seu custo econômico. Hoje passam por esse túnel mais de veículos ao dia, sem atrapalhar a acessibilidade às praias, aos Port Vell, Port Olímpic e ao Maremagnum, tendo recebido mais de 12 milhões de visitantes estrangeiros na média anual da década anterior. Página AX-8

10 Figura AX.11 - Construção da Ronda Litoral de Barcelona em túnel por detrás do Port Vell Um ensaio geral dessa obra de túnel foi realizado já em 1982 quando se decidiu recuperar a fachada urbana da Cidade ocupada até então por galpões e depósitos de madeira. A obra de túnel junto ao cais de Bosh i Alsina, conhecido popularmente como moll de la fusta (cais da madeira). Esta atuação foi destacada na literatura urbanística como uma muita boa solução de passagem de vias expressas sem afetar a acessibilidade transversal. Figura AX.12 - Túnel construído na frente portuária urbana de Barcelona Página AX-9

11 A Barcelona das Olimpíadas de 1992 se transformou no ícone do urbanismo contemporâneo. A Cidade se abre para o mar, diante da Vila Olímpica com um novo e elegante passeio marítimo e a criação de praias artificiais. ix. Lisboa (Portugal) Em Lisboa a revitalização da área portuária teve início nos anos 90 com a recuperação das margens do Rio Tejo transformando-se em área publica de lazer. As outras intervenções vieram com a EXPO 98, com a construção do Parque da EXPO 98 que contempla museu, estação intermodal de transportes, oceanário, pavilhão de exposições, centro de convenções. Todos os prédios são representativo marcos da arquitetura contemporânea. Figura AX.13 - O Oceanário de Lisboa Fonte: Centro de Arquitetura e Urbanismo/SMU/PCRJ - Porto do Rio, 2001 x. Belém No Brasil, Belém foi primeira cidade brasileira a iniciar um processo de revitalização da sua região portuária, em 2000, quando foram recuperadas construções centenárias e construído um complexo de entretenimento. A Estação das Docas, com galerias de arte, restaurantes, centro de convenções, destaca as singularidades das construções do porto. Foi também recuperado o antigo Mercado Ver-o-Peso, com restaurantes, mercado popular, integrando o conjunto. Página AX-10

12 Figura AX.14 - A revitalização do Mercado Ver-o-Peso Fonte: Centro de Arquitetura e Urbanismo/SMU/PCRJ - Porto do Rio, 2001 Em síntese, a experiência mundial recomenda, e a prática garante, que projetos de revitalização urbana como os do Porto Maravilha aperfeiçoam a infraestrutura existente, renovam o uso do solo e melhoram a Cidade de forma gradativa, inclusive por efeito demonstração. Página AX-11

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS FRENTE MARÍTIMA ALGUMAS DAS CIDADES MAIS FASCINANTES DO MUNDO, COMO GÊNOVA, LISBOA, LONDRES, BARCELONA,

Leia mais

PRINCIPAIS PORTOS COMERCIAIS OU REVITALIZADOS EM OPERAÇÃO NO MUNDO. Junho de 2015

PRINCIPAIS PORTOS COMERCIAIS OU REVITALIZADOS EM OPERAÇÃO NO MUNDO. Junho de 2015 PRINCIPAIS PORTOS COMERCIAIS OU REVITALIZADOS EM OPERAÇÃO NO MUNDO Junho de 2015 Porto Alegre, junho de 2015 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grade do Sul PUCRS http://www.pucrs.br/portal/ Faculdade

Leia mais

Informações Básicas. Projeto Revitalização Cais Mauá

Informações Básicas. Projeto Revitalização Cais Mauá Informações Básicas Projeto Revitalização Cais Mauá Junho/2015 Sumário 1. Highlights do Projeto 2. Por que o Cais Mauá não pode ser um Porto Comercial? 3. Portos Revitalizados pelo Mundo 4. Projeto de

Leia mais

GERAL. Porto Olímpico

GERAL. Porto Olímpico Porto Olímpico projeto O Porto Maravilha e o Porto Olímpico N Porto Olímpico aprox. 145.000m2 de área Porto Maravilha aprox. 5.000.000m2 de área aprox. 100.000m2 aprox. 45.000m2 Porquê o Porto? Porquê

Leia mais

ANEXO XI Experiências Mundiais de Derrubada de Viadutos e Uma experiência de Manutenção

ANEXO XI Experiências Mundiais de Derrubada de Viadutos e Uma experiência de Manutenção ANEXO XI Experiências Mundiais de Derrubada de Viadutos e Uma experiência de Manutenção Nas políticas de reforma viária, os viadutos das cidades começaram a ser questionados desde cedo. Não só porque os

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2008. (Do Sr. Clodovil Hernandes) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO Nº, DE 2008. (Do Sr. Clodovil Hernandes) Senhor Presidente: REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. Clodovil Hernandes) Requer a constituição de Comissão Externa destinada a cumprir missão temporária autorizada com a finalidade de obter informações acerca da organização,

Leia mais

P O R T O M A R A V I L H A

P O R T O M A R A V I L H A P O R T O M A R A V I L H A P O R T O M A R A V I L H A Porto do Rio Zona Portuária Hoje Da fundação aos dias de hoje Oficialmente, o Porto do Rio de Janeiro foi inaugurado em 1910, o que impulsionou o

Leia mais

comunicação visual para a

comunicação visual para a projetos de design e comunicação visual para a cidade contemporânea solange de oliveira patrícia a. nascimento sheila nicolini neto orgel ramos júnior estudo de casos Parque das Nações (Lisboa); Estação

Leia mais

Informações Básicas. Projeto Revitalização Cais Mauá/ FIP PORTO CAIS MAUÁ. Outubro/2015

Informações Básicas. Projeto Revitalização Cais Mauá/ FIP PORTO CAIS MAUÁ. Outubro/2015 Informações Básicas Projeto Revitalização Cais Mauá/ FIP PORTO CAIS MAUÁ Outubro/2015 Sumário 1. Highligts do Projeto 2. Portos Revitalizados pelo mundo 3. Fases do Projeto 4. Projeto de Licenciamento

Leia mais

Projeto Porto Maravilha

Projeto Porto Maravilha Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Características da região: Delimitação: Bairros completos (Santo Cristo, Gamboa e Saúde)

Leia mais

Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos

Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos PRESS RELEASE Agosto/2015 Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos Um dos mais belos pontos turísticos de Porto Alegre terá sua área totalmente revitalizada e integrada às atividades diárias

Leia mais

O papel da mobilidade e da acessibilidade no Desenvolvimento de Aparecida de Goiânia

O papel da mobilidade e da acessibilidade no Desenvolvimento de Aparecida de Goiânia O papel da mobilidade e da acessibilidade no Desenvolvimento de Aparecida de Goiânia Os processos econômicos, tanto na fase de produção como na fase de consumo, são dependentes do deslocamento de cargas

Leia mais

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE OLIMPÍADAS 2016 RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE 1 Principais intervenções previstas para as Olimpíadas: A Infraestrutura urbana Porto Maravilha Projeto de revitalização

Leia mais

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado SP-URBANISMO Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado Setembro 2011 Perímetro da Nova Luz Sala São Paulo Parque da Luz Praça Princesa Isabel Largo do Arouche Igreja de Santa Ifigênia Praça da República

Leia mais

NOÇÕES DE ARQUITETURA E URBANISMO

NOÇÕES DE ARQUITETURA E URBANISMO NOÇÕES DE ARQUITETURA E URBANISMO Profª. Me. Deborah de Almeida Rezende Profª. Me. Luri Sabina Cosme S. Matos / elaborou a aula Profª. Me. Ninfa Canedo INTERVENÇÃO URBANA Interferências Urbanas Requalificar

Leia mais

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças PORTO MARAVILHA Permanências e Mudanças MOMENTO ESPECIAL CV Rio + 20 Copa das Confederações 450 Anos da Cidade & Copa América Jogos Olímpicos de 2016 2011 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 399- TRABALHO DE CURSO -2011/2 BELLE MARE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 399- TRABALHO DE CURSO -2011/2 BELLE MARE UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 399- TRABALHO DE CURSO -2011/2 BELLE MARE ALUNA: ORIENTADORA: TERESA FARIA NOVEMBRO 2011 AGRADECIMENTOS AGRADEÇO A TODOS QUE ACREDITARAM,

Leia mais

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 Anexo 1.50 Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 1. EDIFÍCIO HISTÓRICO Endereço: acesso pela rodovia SP 122 Ribeirão Pires Paranapiacaba, Santo André SP, Brasil. Autoria: a vila foi construída pela

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE Meriene Santos de Moraes merienemoraes@yahoo.com.br Mestranda em Geografia, bolsista PET SESu/MEC, UFRGS Pedro Toscan Contassot

Leia mais

PROPOSTA ALTERNATIVA DO PIER NA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

PROPOSTA ALTERNATIVA DO PIER NA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO ABRIL 23 1. Introdução ao setor e datos SITUAÇÃO 1. Introdução ao setor e datos ÁREA DE TRABALHO : 5.000.000 m2 (500 Ha) DATOS : ~ 22.000 habitantes hoje --- IDH = 0.792 ( 97º in Rio) (Gávea nº1 IDH =

Leia mais

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Secretaria Municipal de Urbanismo INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Lei de Uso e Ocupação do Solo: Introdução Estamos construindo uma cidade cada vez melhor A Lei

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

INTERVENÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO. (concluída) e a construção do Mercado Público Municipal. Ainda está prevista a criação de uma

INTERVENÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO. (concluída) e a construção do Mercado Público Municipal. Ainda está prevista a criação de uma EIXO : INTERVENÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento com opções de lazer projeto Blumenau 2050 prevê uma série de obras para alavancar o desenvol- O vimento econômico, o turismo e o lazer na cidade.

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

BONDES EM VITÓRIA E VILA VELHA FORMANDO A REDE DE TRANSPORTE COLETIVO DISPONÍVEL NO INÍCIO DO SÉCULO XX. BONDE NO BAIRRO ARIBIRI EM VILA VELHA

BONDES EM VITÓRIA E VILA VELHA FORMANDO A REDE DE TRANSPORTE COLETIVO DISPONÍVEL NO INÍCIO DO SÉCULO XX. BONDE NO BAIRRO ARIBIRI EM VILA VELHA OS MUNICÍPIOS QUE HOJE FORMAM A REGIÃO METROPOLITANA DE VITÓRIA APRESENTAM PECULIARIDADES SIGNIFICATIVAS EM SEU PROCESSO DE FORMAÇÃO. A FORTE INFLUÊNCIA JESUÍTA NO PROCESSO EDUCACIONAL E O CULTIVO DA TERRA

Leia mais

itabira diagnóstico e propostas

itabira diagnóstico e propostas itabira diagnóstico e propostas A CVRD foi constituída, em 1942, a partir de ativos minerários existentes, sobretudo as minas de Itabira. Cauê foi a maior mina de minério de ferro do Brasil As operações

Leia mais

Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil

Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil Intervenções Urbanísticas em Metrópoles Mundiais e as Oportunidades para o Brasil Como investir em um mundo em constante mudança? As oportunidades do Brasil acabaram? Como tomar decisões assertivas? 1930:

Leia mais

CAIS JOSÉ ESTELITA. Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno

CAIS JOSÉ ESTELITA. Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno CAIS JOSÉ ESTELITA Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno Recife, 10 de setembro de 2014. SUMÁRIO: 1. Percurso metodológico 2. Sistematização

Leia mais

Reforma, revitalização e modernização do prédio, instalações e equipamentos e restauração de detalhes arquitetônicos e obras de arte.

Reforma, revitalização e modernização do prédio, instalações e equipamentos e restauração de detalhes arquitetônicos e obras de arte. RETRO, do latim: movimentar-se para trás; FIT, do inglês: adaptação, ajuste. Valorização de velhos edifícios, a fim de aumentar sua vida útil, através da incorporação de avançadas tecnologias em sistemas

Leia mais

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA LOCALIZAÇÃO E CONTEXTO Jundiaí Campinas Rio de Janeiro Sorocaba Guarulhos OUC AB Congonhas CPTM E METRÔ: REDE EXISTENTE E PLANEJADA OUC AB SISTEMA VIÁRIO ESTRUTURAL

Leia mais

arq21arquitectos arq21arquitectos

arq21arquitectos <Manuel Ruiz Aguilar> <Alejandro Llánes Martín-Romo> arq21arquitectos Arq21arquitectos é uma empresa de serviços de Arquitetura, com sede em Sevilha [Espanha]. Criada em 2003 pelos arquitetos Manuel Ruiz Aguilar e Alejandro

Leia mais

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO

ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO ANEXO III DIRETRIZES BÁSICAS DO PROJETO VOLUME IV - PROJETO DE ENGENHARIA E MATERIAL RODANTE PROJETOS ARQUITETÔNICOS E DEMAIS PROJETOS TÉCNICOS PREDIAIS PROJETO URBANÍSTICO 1 3.2.6.11. Projeto Urbanístico

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS PORTUÁRIAS EM CENTROS URBANOS

A REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS PORTUÁRIAS EM CENTROS URBANOS Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Tecnologia Curso de Arquitetura e Urbanismo Planejamento e Projeto Urbano e Regional 05 Ruth Ataide A REVITALIZAÇÃO DE ÁREAS PORTUÁRIAS EM CENTROS

Leia mais

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social?

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Panorama das ações e projetos e hipóteses gerais da pesquisa Juciano Martins Rodrigues Aumento no tempo de deslocamento Crescimento do número

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal,

Leia mais

Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas

Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas SP-URBANISMO Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas Novembro 2010 ANTECEDENTES Determinação da Administração desde 2005 de transformar e desenvolver a área Ações multisetoriais: saúde, social,

Leia mais

6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA

6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA 6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA 6.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Este estudo visa avaliar a valorização imobiliária do solo urbano decorrente da urbanização do promovida pelo poder público municipal e da implantação

Leia mais

Bercy - Paris França. Intervenção urbana. Prof. Ernani Maia

Bercy - Paris França. Intervenção urbana. Prof. Ernani Maia Bercy - Paris França Intervenção urbana Prof. Ernani Maia O SETOR LESTE O setor leste de Paris historicamente exerceu função industrial, tais como: Armazéns de vinho, Docas, entrepostos e espaços residuais

Leia mais

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU

Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade. Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Planejamento Urbano e a Dinâmica da Cidade Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria de Urbanismo - SMU Dinâmica do Licenciamento Evolução da Área Licenciada 1980-2011 5,3 mil Evolução da Área

Leia mais

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar Alexandre Brasil André Prado Carlos A. Maciel Danilo Matoso projeto: 2000 concurso 1o lugar O conjunto objeto desta proposta se constitui de três partes de caráter notadamente diferenciadas: a primeira,

Leia mais

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO [ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] DIVULGAÇÃO COMPLEXO DE VIADUTOS DO IMBUÍ Projeção apresenta como será o complexo de viadutos que vai desafogar o trânsito na Avenida Paralela. As obras foram autorizadas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE ENGENHARIA Centro de Estudos - CEFEN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE ENGENHARIA Centro de Estudos - CEFEN Parecer Final Quando da elaboração do Plano Estratégico, em 1995, a Cidade do Rio de Janeiro estava em um processo de deterioração crescente, gerado pelo empobrecimento de sua população, pela ocupação

Leia mais

Título III Do Uso e Ocupação do Solo

Título III Do Uso e Ocupação do Solo Título III Do Uso e Ocupação do Solo RETORNAR Capítulo I Das Macrozonas Seção I Da Macrozona de Estruturação e Qualificação Urbana Art. 26 A Subprefeitura da Mooca encontra-se integralmente contida na

Leia mais

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Apresentação Florianópolis Dezembro

Leia mais

Visivelmente, o mercado de imóveis no País está em pleno crescimento basta olhar para os lados...para frente...para trás... Alguns questionamentos:

Visivelmente, o mercado de imóveis no País está em pleno crescimento basta olhar para os lados...para frente...para trás... Alguns questionamentos: Gunther Calvente Grineberg Maio 2011 Mercado Visivelmente, o mercado de imóveis no País está em pleno crescimento basta olhar para os lados...para frente...para trás... Alguns questionamentos: Alguém conhece

Leia mais

Viver experiências diferentes deveria ser um direito. universal das pessoas. Ninguém quer passar a vida

Viver experiências diferentes deveria ser um direito. universal das pessoas. Ninguém quer passar a vida Viver experiências diferentes deveria ser um direito universal das pessoas. Ninguém quer passar a vida inteira fazendo as mesmas coisas, vivendo a mesma rotina. A vida tem fases diferentes e isso é a maior

Leia mais

Reabilitação Integrada do Centro Histórico de Madri

Reabilitação Integrada do Centro Histórico de Madri Reabilitação Integrada do Centro Histórico de Madri AUP 5869 Avaliação de Grandes Projetos Urbanos: crítica da prática recente Prof. Dr. Eduardo A. C. Nobre FAUUSP 1. Antecedentes Entre 1963 e 1979 o Centro

Leia mais

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II UFJF Faculdade de Engenharia - Dep. de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Projeto VIII Prof: Luciane Tasca Grupo: Jeanny Vieira, Livia Cosentino, Marília

Leia mais

Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis

Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis Princípios de mobilidade para cidades inclusivas e sustentáveis Ana Nassar, ITDP Brasil Seminário Aspectos da Mobilidade Urbana SEMOB - GDF Brasília, 24 de setembro de 2015 Sobre o ITDP Organização social

Leia mais

Concurso Planear Estarreja (orientações para a implementação)

Concurso Planear Estarreja (orientações para a implementação) (orientações para a implementação) Escolas Programa de Regeneração Urbana da Cidade de Estarreja Fases do Fase 1. Diagnóstico Fase 2. Estratégia e Plano de Ação 2 Exercícios para preparação de diagnóstico

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha AGENDA 1. VISÃO GERAL DO PROJETO PORTO MARAVILHA 2. MODELAGEM FINANCEIRA 1. ARCABOUÇO JURÍDICO 2. ESTUDOS TÉCNICOS 3. MODELAGEM DA PPP 4. RECEITAS X DESPESAS 5. LEILÃO DOS

Leia mais

1º RETAIL PARK EM FORTALEZA

1º RETAIL PARK EM FORTALEZA 1º RETAIL PARK EM FORTALEZA CONTATOS NEW RETAIL Invest - Brasil Av. Paulista nº 1765-7º andar- Cj. 71e 72 Bairro Bela Vista São Paulo-SP CEP 01311-200 SUMÁRIO Pág. 1. FORTALEZA: A 5ª cidade do Brasil e

Leia mais

13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS 13. POLUIÇÃO VISUAL 13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Este estudo visa avaliar os impactos da Poluição Visual existente na região da Operação Urbana e os impactos positivos ou negativos que serão gerados pelas

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Polos geradores de tráfego, mitigação, impacto de grandes empreendimentos.

PALAVRAS-CHAVE Polos geradores de tráfego, mitigação, impacto de grandes empreendimentos. Medidas Mitigatórias para Polos Geradores de Tráfego. Rovana Reale; Júlio Cezar Miranda; Isabel Cristina Guimarães Haifuch; Lúcia de Borba Maciel EPTC Empresa Pública de Transporte e Circulação (Porto

Leia mais

Estação central de coimbra

Estação central de coimbra central de coimbra N o v a i n t e r f a c e i n t e r m o d a l e P l a n o d e u r b a n i z a ç ã o ( e n t r a d a p o e n t e ) Na sua história recente tem sido muito influenciada pela localização

Leia mais

DOTS Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável

DOTS Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável DOTS Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável O que é DOTS? Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável: modelo de planejamento e desenho urbano Critérios de desenho para bairros compactos,

Leia mais

GUIA DE INFORMAÇÕES PARA ENCONTROS PRESENCIAL

GUIA DE INFORMAÇÕES PARA ENCONTROS PRESENCIAL GUIA DE INFORMAÇÕES PARA ENCONTROS PRESENCIAL - TURMAS ESPECIAIS - Prezado aluno(a), Com a finalidade de ajudar nossos alunos das turmas especiais, para programar sua viagem para o encontro presencial,

Leia mais

PARQUE URBANO ORLA DA BARRA

PARQUE URBANO ORLA DA BARRA A BARRA: ESPAÇO MONUMENTO PATRIMÔNIO E CULTURA PARQUE URBANO ORLA DA BARRA A Vila Velha, conhecida também como a Vila do Porto da Barra ou Vila do Pereira uma alusão ao primeiro donatário da Capitania

Leia mais

Líder em Estruturas de Madeira Lamelada Colada. Edição 2012/13

Líder em Estruturas de Madeira Lamelada Colada. Edição 2012/13 Líder em Estruturas de Madeira Lamelada Colada. Edição 2012/13 A experiência do líder europeu começou há 40 anos. Atrás de grandes empresas há sempre gente determinada e experiente. É por isso que a Colicapela

Leia mais

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS 1960 01 GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS HISTÓRIA 02 O edifício Metrópole e Centro Metropolitano de Compras, projetado pelos arquitetos Salvador Candia e Gian Carlo Gasperini, é um importante

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 -

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 - Anexo A - Mobilidade Urbana Empreendimento (obra, projeto e desapropriação) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2-2 Belo Horizonte Corredor Pedro II e Obras Complementares nos

Leia mais

TRANSFORMANDO O RIO Conselho de Arquitetura e Urbanismo

TRANSFORMANDO O RIO Conselho de Arquitetura e Urbanismo TRANSFORMANDO O RIO Conselho de Arquitetura e Urbanismo Quem somos Empresa pública, vinculada ao gabinete do Prefeito; Coordena os projetos da Prefeitura do Rio para os Jogos de 2016; Responsável pela

Leia mais

Projetos Urbanos Contemporâneos: Lições Possíveis

Projetos Urbanos Contemporâneos: Lições Possíveis Projetos Urbanos Contemporâneos: Lições Possíveis Nova Luz Projeto 8 Prof.: Luciane Tasca Alunos: Aline Tirapani, Ana Cláudia Souza, Carlos Eduardo Afonso e Marcella Eberle Apresentação Microcosmo da evolução

Leia mais

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO UNIÃO DE ENSINO E CULTURA DE GUARAPUAVA - UNIGUA FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO

Leia mais

Localização Estratégica

Localização Estratégica PORTO MARAVILHA Localização Estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Oceano Atlântico Maracanã 5 km Aeroporto Santos Dumont 2 km Corcovado 7 km Copacabana 8 km Pão de Açúcar 6 km Perímetro Porto

Leia mais

Fernando Nunes da Silva. Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos

Fernando Nunes da Silva. Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos Fernando Nunes da Silva Mobilidade e Acessibilidade Dois conceitos complementares para a regeneração dos centros urbanos Mobilidade e Acessibilidade MAIO 11 Fonte: terrasdeportugal.wikidot.com dois conceitos

Leia mais

FÉRIAS NA AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA com Cruzeiro no Fabuloso Diamond Princess

FÉRIAS NA AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA com Cruzeiro no Fabuloso Diamond Princess FÉRIAS NA AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA com Cruzeiro no Fabuloso Diamond Princess SAÍDA 06 DE JANEIRO DE 2014 01º dia - 06/01 Saída de ou com destino a Buenos Aires Embarque com destino a Buenos Aires. Hospedagem.

Leia mais

Uma História e uma Geografia das tipologias arquitectónicas e urbanas

Uma História e uma Geografia das tipologias arquitectónicas e urbanas Uma História e uma Geografia das tipologias arquitectónicas e urbanas Necessidades, técnicas e métodos. 1. Da necessidade às condições da forma OS CONDCIONANTES da FORMA Clima RECURSOS (material e construção);

Leia mais

GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS DA CONCEPÇÃO E IMPLANTAÇÃO À GESTÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS E SEUS DESAFIOS: MEGACONDOMINIOS, CONDOMINIOS INTELIGENTES, MIX-USED E OUTRAS TENDENCIAS PALESTRANTE:

Leia mais

Grandes Eventos. A nova revolução para o desenvolvimento econômico mundial

Grandes Eventos. A nova revolução para o desenvolvimento econômico mundial Grandes Eventos A nova revolução para o desenvolvimento econômico mundial Desenvolvimento das cidades Pólos de crescimento e desenvolvimento de uma nação; Diferentes papéis: econômico e social; Elevado

Leia mais

PORTUGAL PROGRAMA I Co-financiamento Co-financiamento www.rdtours.com

PORTUGAL PROGRAMA I Co-financiamento Co-financiamento www.rdtours.com Co-financiamento DIA 1 - LISBOA Chegada ao Aeroporto de Lisboa e translado para o hotel. Tempo livre para os primeiros contatos com esta maravilhosa Capital Europeia, conhecida pela sua luminosidade única

Leia mais

VIRADA OLIMPICA NO RIO

VIRADA OLIMPICA NO RIO VIRADA OLIMPICA NO RIO A PROPOSTA DE INTRODUZIR A ZONA PORTUARIA NA ROTA DOS JOGOS DE 20l6 ESQUENTA O DEBATE DE COMO FAZER DO Rio DE JANEIRO UMA CIDADE MUITO MELHOR Cenario futurista: um renovado Maracana

Leia mais

Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br

Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br Projeto Porto Maravilha www.portomaravilhario.com.br LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Características da região: Delimitação: Bairros completos (Santo Cristo, Gamboa e Saúde)

Leia mais

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014

A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 A Modernização dos Portos Brasileiros para a Copa do Mundo de 2014 TIAGO PEREIRA LIMA Diretor da ANTAQ Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2010 A ANTAQ E A ESTRUTURA DO ESTADO UNIÃO Poder Executivo ANTAQ

Leia mais

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade)

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) IDEIA FORÇA Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) DETALHAMENTO: Mobilidade humana (trabalhador precisa respeito); Melhorar a qualidade e quantidade de transporte coletivo (Lei da oferta

Leia mais

ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL

ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL LEI N. ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DO IPOJUCA VIAS ARTERIAIS VIA PE-060 PE-038 PE-009 I - Requalificação com sua duplicação em todo o trecho

Leia mais

SINDUSCONPREMIUM 2014

SINDUSCONPREMIUM 2014 SINDUSCONPREMIUM 2014 R E S I D E N Z I A L E S A N T A G A T A B O L O N G N E S E Categoria Produtos e Lançamentos Imobiliários Empreendimentos de Pequeno Porte 01 APRESENTAÇÃO DAS EMPRESAS Exacta Engenharia

Leia mais

ATIVIDADES PARACURRICULARES DE ATRIBUIÇÕES PROFISSONAIS (APAP)

ATIVIDADES PARACURRICULARES DE ATRIBUIÇÕES PROFISSONAIS (APAP) ATIVIDADES PARACURRICULARES DE ATRIBUIÇÕES PROFISSONAIS (APAP) DAYUMA CRUZ 308.2095 2 Este relatório visa à inclusão do Relatório de Viagem nas Atividades Paracurriculares de Atribuições Profissionais

Leia mais

Trans 2015 VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia e VI Feira Internacional de Transportes da Amazônia. Belém 03 de Setembro de 2015

Trans 2015 VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia e VI Feira Internacional de Transportes da Amazônia. Belém 03 de Setembro de 2015 Trans 2015 VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia e VI Feira Internacional de Transportes da Amazônia Belém 03 de Setembro de 2015 TURISMO NÁUTICO Caracteriza-se pela utilização de embarcações

Leia mais

A EXPO 98 E O DESENVOLVIMENTO DE LISBOA

A EXPO 98 E O DESENVOLVIMENTO DE LISBOA FEV 2007 1 A Expo 98 e o desenvolvimento de Lisboa Grande Lisboa Modelo institucional e operacional Visão estratégica Planeamento Urbano 1ª Fase antes da EXPO 98 2ª Fase pós EXPO 98 Factores chave de sucesso

Leia mais

NUEVOS USOS PARA LOS SECTORES DE EMBAJADAS EN BRASILIA

NUEVOS USOS PARA LOS SECTORES DE EMBAJADAS EN BRASILIA NUEVOS USOS PARA LOS SECTORES DE EMBAJADAS EN BRASILIA Giuliana de Freitas Frederico de Holanda Universidade de Brasília, Brasil INTRODUÇÃO Na comemoração do aniversário de cinquenta anos da inauguração

Leia mais

Concessão de Uso do. Imigrantes. Apresentação do Projeto. Conselho do PEFI

Concessão de Uso do. Imigrantes. Apresentação do Projeto. Conselho do PEFI Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional Concessão de Uso do Centro de Exposições Imigrantes Apresentação do Projeto Conselho do PEFI SP, 13/09/2012 Agenda

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS

CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS CIDADES VOLTAM-SE PARA SUAS ÁREAS PORTUÁRIAS Nas últimas décadas, metrópoles do mundo inteiro têm despertado para o novo paradigma do desenvolvimento sustentável, no qual a nova fronteira é a ocupação

Leia mais

RELAÇÃO DE AÇÕES PRIORITÁRIAS Versão 22.07.09

RELAÇÃO DE AÇÕES PRIORITÁRIAS Versão 22.07.09 Versão 22.07.09 A COPA EM PORTO ALEGRE Caderno de encargos da FIFA ABDIB (Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base) - Realizado com base nas informações fornecidas pelas cidades candidatas;

Leia mais

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 244 INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE João Victor de Souza

Leia mais

Zoneamento da Cidade de São Paulo. Zoneamento Cidade de São Paulo. Características das Zonas de Uso

Zoneamento da Cidade de São Paulo. Zoneamento Cidade de São Paulo. Características das Zonas de Uso Zoneamento da Cidade de São Paulo Zoneamento Cidade de São Paulo Características das Zonas de Uso 1 Histórico A Legislação relativa a zoneamento reunia algumas dezenas de atos, decretos- leis, leis e decretos,

Leia mais

serendipity (serendipismo) que significa fazer, acidentalmente, descobertas felizes e inesperadas. É

serendipity (serendipismo) que significa fazer, acidentalmente, descobertas felizes e inesperadas. É Introdução Londres, com uma população de mais de 8 milhões de habitantes, é uma das maiores cidades da Europa. E como as grandes cidades com história milenar, embora tenha se desenvolvido muito no decorrer

Leia mais

Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro 29/05/2013

Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro 29/05/2013 Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro 29/05/2013 2 Informações Click to edit Master técnicas text styles sobre os projetos legal e executivo Second destinados level à implantação do Píer

Leia mais

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em volta. Por isso, é considerado um verdadeiro acrobata.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL

PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL Objetivos Criar oportunidades para novos negócios na Área Central e promover a atividade econômica em escala regional; Reverter o processo de despovoamento

Leia mais

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT)

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) SEMINÁRIO CONFEA/CREA-BA: ACOMPANHAMENTO OBRAS DA COPA 12/04/2011 OBRAS A CARGO DA SEDUR Corredor Estruturante Aeroporto-Acesso Norte, do Sistema

Leia mais

COSMOPOLITANO SHOPPING. orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável

COSMOPOLITANO SHOPPING. orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável COSMOPOLITANO SHOPPING orgânico moderno conectado novo completo diverso dinâmico confortável Uma cidade do mundo deve abraçar o mundo. Crescer e prosperar junto com ele. Na era dos novos negócios, coragem

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Rio de Janeiro, outubro, 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 Cidade de São Paulo 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 LOCALIZAÇÃO POPULAÇÃO (Censo 2010) RMSP...19.683.975 habitantes Município de São Paulo...11.253.563 habitantes Estatuto

Leia mais

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar Trabalho Final de Graduação Interdisciplinar Centro Cultural Maembipe O projeto foi indicado pela Universidade Estadual de Londrina para participar no concurso Ópera Prima de projetos de Fim de Graduação.

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Aprovadas pelo Conselho Gestor em 27 de julho de 2011 LEGENDA: Diretrizes propostas pela PMSP Diretrizes propostas pelos membros da sociedade civil

Leia mais