A INVENÇÃO DA TEEN-AGE NOS ESTADOS UNIDOS NA DÉCADA DE 1950 E RELAÇÕES E GÊNERO: UMA ANÁLISE DE O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INVENÇÃO DA TEEN-AGE NOS ESTADOS UNIDOS NA DÉCADA DE 1950 E RELAÇÕES E GÊNERO: UMA ANÁLISE DE O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO"

Transcrição

1 A INVENÇÃO DA TEEN-AGE NOS ESTADOS UNIDOS NA DÉCADA DE 1950 E RELAÇÕES E GÊNERO: UMA ANÁLISE DE O APANHADOR NO CAMPO DE CENTEIO Andreya S. Seiffert 1 Resumo: O pós-1945 viu surgir uma nova geração de adolescentes nos Estados Unidos, diferente das predecessoras. Fruto da escolarização prolongada e do mercado, essa nova geração ganharia um conceito próprio: teenage. Alguns teens vão questionar muitos dos valores tradicionais da sociedade norte-americana, como o próprio american way of life. Um desses teens é Holden Caulfield, protagonista de O Apanhador no Campo de Centeio, de Jerome David Salinger, publicado em Holden foge do internato em que estuda e decide vagar uns dias por Nova Iorque antes de voltar para casa. Na big apple, Holden interage com algumas garotas, e através da técnica literária empregada por Salinger, conhecida como fluxo de consciência, podemos ler os pensamentos do adolescente. Qual a visão do teen sobre as garotas? Como ele se relaciona com elas? Quais os horizontes de expectativa de garotos e garotas no período? O presente artigo busca responder estas questões, amparando-se no romance de Salinger e em textos que ajudem a compreender o período e como se davam as relações de gênero entre os teenagers. Palavras-chave: Teenage. Apanhador no campo de centeio. Relações de gênero. Com o fim da Segunda Guerra Mundial ( ) e as indústrias aquecidas, o consumo de bens e serviços nos Estados Unidos tornava-se cada vez segmentado. As estratégias de vendas e as pesquisas sobre os interesses dos consumidores ganhavam fôlego através da nova área que despontava o marketing - nessa sociedade de consumidores. Segundo o sociólogo polonês Zygmunt Bauman: A sociedade de consumidores é um tipo de sociedade que (...) interpela seus membros (ou seja, dirige-se a eles, os saúda, apela a eles, questiona-os, mas também os interrompe e irrompe sobre eles) basicamente na condição de consumidores (BAUMAN, 2007, p.70). E é como consumidores que surgia uma nova categoria de adolescentes e uma gama de produtos e serviços destinados a eles. Essa nova geração, conhecida como teenage, era fruto do contexto estadunidense do pós-guerra e iria espalhar-se pelo mundo ao longo da segunda metade do século XX. A teenage A palavra teenage é resultado da junção do término das idades de treze a dezenove anos em inglês (thirteen, fourteen, fifteen, sixteen, seventeen, eighteen e nineteen) mais age, relativo a período. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, Brasil. Bolsista CAPES. Contato: 1

2 O termo já vinha sendo usado desde pelo menos a década de 1920, mas com aplicação diferente, mais ligado a children [crianças]. O marco de ruptura é um artigo publicado no jornal The New York Times, de 07 de janeiro de 1945, de autoria de Elliot E. Cohen intitulado A teen-age bill of rights [carta de direitos da teen-age]. O artigo traz uma lista elaborada pelo Jewish Board of Guardians que conta com dez itens, sendo eles: I o direito de deixar a infância ser esquecida; II o direito à palavra sobre sua própria vida; III o direito a cometer erros, de descobrir por si só; IV - o direito a ter as regras explicadas e não impostas; V - o direito a ter diversão e companheiros; VI - o direito a questionar ideias; VII o direito a estar na fase romântica; VIII o direito a oportunidades e chances justas; IX o direito de lutar pela sua própria filosofia de vida; X o direito à ajuda profissional sempre que necessário. O fato de serem percebidos como sujeitos com direitos aponta para a importância que a teenage está conquistando na sociedade americana do pós-segunda Guerra e a distinção dessa fase da vida em relação a outras - principalmente à infância e de outras juventudes: Certamente não se trata de encontrar uma única definição válida em todos os quadrantes e em todas as épocas. Como as demais épocas da vida, quem sabe numa medida mais acentuada, também a juventude é uma construção social e cultural (LEVI; SCHMITT, 1996, p.07). Como paralelamente ocorriam debates sobre delinquência juvenil em várias esferas norteamericanas, essa nova categoria demarca quem são esses teenagers: brancos, filhos das camadas médias urbanas e com poder de consumo. Rebeldia, conformismo e relações de gênero Não havia, no entanto, um consenso mesmo entre os teenagers sobre o seu significado. Muitos deles passaram a reivindicar mais liberdade e autonomia e entrar em confronto com pais, professores e diretores por conta disso. Embora a autoridade e hierarquia fosse contestada (pais e filhos; professores e alunos), essa rebeldia geralmente não questionava o próprio sistema - pelo menos não nesse momento. Após as high schools, os teenagers iam para as colleges a fim de manterem o mesmo estilo de vida dos pais. Muitos desses teens que transgrediram limites impostos a eles, foram rebeldes só durante essa fase da vida. Dessa forma começa a ser construída a ideia de adolescência como uma fase naturalmente complicada. Este discurso de certa maneira autorizava uma rebeldia juvenil, mas findada a escola 2

3 (ou a universidade, no caso dos rapazes), os jovens deveriam adequar-se ao modelo burguês. A transgressão enquadrada em um período da vida não ameaçava a ordem. As relações de gênero foram ainda menos afetadas nesse início da teenage: A condição sexual se inscrevia num quadro de perspectivas profundamente contraditórias para as mulheres, às quais, em teoria, abriam-se possibilidades ilimitadas, enquanto na realidade as únidas saídas de fato legítimas continuavam a ser os destinos de mulheres e mães. A necessidade de salvar as aparências a todo custo envolvia não só as mulheres, sobretudo jovens: todos os adultos deviam ser heterossexuais e casados, fingindo ser felizes (PASSERINI, 1996, p.366). Entendo gênero aqui como a organização social da relação entre os sexos (SCOTT, 1989, p.02). O uso da categoria gênero rompeu com o determinismo biológico implícito no uso de termos como sexo ou diferença sexual. Além disso, privilegia as relações entre homens e mulheres ao longo da história, e não uma história exclusivamente das mulheres. Assim, para Scott: o gênero é um elemento constitutivo de relações sociais baseado nas diferenças percebidas entre os sexos, e o gênero é uma forma primeira de significar as relações de poder. Sendo assim, cabe questionar: de que maneira eram construídas as relações entre os teenagers nos Estados Unidos na década de 1950 e as diferenças entre os gêneros? As teenagers ainda estavam inseridas em uma sociedade extremamente conservadora e seus horizontes de expectativa eram limitados, em grande medida, a casamento e filhos. Das que iam para a universidade, poucas chegavam a terminar o curso e um número ainda menor seguia carreira profissional. Das mulheres no período não se esperava inteligência e sim beleza. Betty Friedan estudou o fenômeno em seu livro que virou referência, A Mística Feminina : A mística feminina afirma que o valor mais alto e o compromisso único da mulher é a realização de sua feminilidade. Afirma ainda que o grande erro da cultura ocidental, no decorrer dos séculos, foi a desvalorização dessa feminilidade. Diz ainda que esta é tão misteriosa, intuitiva e próxima à criação e à origem da vida, que a ciência humana talvez jamais a compreenda. Contudo, por mais essencial e diferente que seja, de modo algum é inferior à natureza do homem; em certos aspectos pode até ser superior. O erro, diz a mística, a raiz do problema feminino no passado, é que as mulheres invejavam os homens, tentavam ser como eles, em lugar de aceitar sua própria natureza, que só pode encontrar realização na passividade sexual, no domínio do macho, na criação dos filhos, e no amor materno (FRIEDAN, 1971, p.40). A mística foi incentivada por médicos, psicólogos, professores e publicitários e perpetuada de mãe para filha. Tal cenário vai começar a ser alterado na década de 1960, na segunda onda do feminismo, nas lutas pela inserção das mulheres das camadas médias no mercado de trabalho. Assim, as teenagers das décadas de 1940 e 50 puderam desfrutar de novas conquistas como encontros com amigas e pretendentes, saídas para danceterias, lanchonetes, mas o futuro ainda era muito parecido (para não dizer igual) ao de suas mães. 3

4 Imagem 01: teenagers fotografadas por Nina Leen em 1944 Fonte: arquivo da revista Life Holden Caulfield e relações de gênero Um teenager iria ficar famoso por questionar muitos dos valores do american way of life e assim inspirar outros jovens a também se rebelarem: trata-se de Holden Caulfield, protagonista do romance O Apanhador no Campo de Centeio [The Catcher in the Rye, no original], de autoria de J.D. Salinger, publicado em O livro é narrado em primeira pessoa, e Holden não conta toda a droga da sua autobiografia, apenas esse negócio de doido que aconteceu no último Natal. O negócio de doido a que ele se refere é sua fuga no sábado à noite do colégio interno só de rapazes - onde estudava, alguns dias antes do feriado de Natal. Holden sabe que não voltará para o colégio depois do feriado porque foi expluso devido às notas baixas. Ele decide então vagar por Nova Iorque até quarta-feira (dia que voltaria do colégio para casa). 4

5 Através da técnica literária empregada por Salinger conhecida como fluxo de consciência é dado ao leitor a possibilidade de ler os pensamentos de Holden, suas angústias, aflições e desejos. É assim que podemos compreender melhor como o teenager se relaciona com as garotas de seu tempo. Sunny No hotel em que Holden se hospeda, o ascensorista lhe oferece uma prostituta. Holden aceita, mas logo depois se arrepende. Ele então confessa ser virgem e que já andou perto de fazer o troço algumas vezes, mas que as garotas ficam dizendo para parar, e ele para: A maioiria dos sujeitos não para, mas eu não consigo ser assim. A gente nunca sabe se elas realmente querem que a gente pare, ou se estão apenas com um medo danado, ou se estão pedindo que a gente pare só para que, se a gente continuar mesmo, a culpa seja só nossa, e não delas. De qualquer jeito, eu estou sempre parando. O problema é que acabo sentindo pena delas, porque quase todas as garotas são tão burrinhas... Basta um pouquinho de bolinação, e a gente vê que elas estão perdendo a cabeça. Quando uma garota fica excitada mesmo, a gente vê logo que ela está completamente desmiolada. Sei lá. Elas me pedem para parar, e eu paro. Quando volto para casa sempre me arrependo de ter parado, mas continuo a fazer a mesma coisa (SALINGER, 2012, p.94). Embora Holden respeite o pedido das garotas, ele confessa que se arrepende disso. O adolescente foge do comportamento da maioria dos garotos, mas ainda percebe quase todas as garotas como suscetíveis. Essa postura de Holden pode ser uma forma de encobrir seu próprio medo em relação ao sexo. Como todo adolescente, Holden tem muitas dúvidas. Além disso, o início da vida sexual representa, simbolicamente, a entrada no mundo adulto que Holden quer evitar a todo custo, pois o considera repleto de falsidade. Talvez também por isso Holden muda de postura quando Sunny, a prostituta, chega em seu quarto. Segundo Holden, eles tinham mais ou menos a mesma idade. O adolescente confessa se sentir mais deprimido que excitado. Quando ele pendura o vestido dela no armário, revela: Foi engraçado. Me senti meio triste quando pendurei o vestido. Pensei nela entrando numa loja para comprá-lo, sem ninguém saber que ela era prostituta e tudo. Provavelmente, o vendedor pensou que ela era uma garota direita (SALINGER, 2012, p.97). A prostituição nos Estados Unidos é legalizada apenas no estado de Nevada e em alguns lugares é ilegal. Na maioria não há legislação sobre, mas prostituição de rua e proxenestismo são ilegais em todo o país. Historicamente, as mulheres que optam por comercializar o sexo são vistas como cidadãs de segunda classe ou então como dignas de pena postura endossada por Holden, ao taxar Sunny como não sendo uma garota direita. 5

6 Holden inventa que fez uma cirurgia e que ainda está se recuperando, e Sunny vai embora, mas retorna depois com o ascensorista para cobrar o valor restante que Holden insiste ter combinado em cinco dólares. Sally Hayes Sally é uma antiga paquera de Holden, muito bonita, com quem ele se encontra no domingo em Nova Iorque: Antigamente eu achava a Sally muito inteligente, mas só de burro que eu sou. Só porque ela entendia de teatro, e peças, e literatura e todo esse negócio. Quando as pessoas sabem um bocado sobre essas coisas, a gente leva um tempão para descobrir se são burras ou não. No caso da Sally eu levei anos. Com certeza teria descoberto muito antes, se nós não tivessémos namorado tanto. O meu problema é que eu sempre acho inteligente a pequena com quem estou me esfregando no momento. Uma coisa não tem droga nenhuma a ver com a outra, mas continuo pensando assim (SALINGER, 2012, p.106). Holden se contradiz várias vezes em sua narrativa e, se antes quase todas as garotas eram burrinhas, agora ele diz considerar inteligentes mesmo as que não são. Como visto acima, nesse período a inteligência não era uma qualidade valorizada nas mulheres. De fato, muitas tinham medo de que isso diminuiria sua feminilidade e, assim, dificultaria a procura por um marido. A própria educação diferia entre garotas e garotas tanto que a maior parte das escolas era separada por gênero, e sua organização curricular visava preparar cada qual para um futuro ideal: os garotos para as universidades e posteriormente o mercado de trabalho e as garotas para donas-decasa. Essa distinção, porém, não ocorria apenas em escolas separadas por gênero mesmo em colégios mistos, poucas jovens recebem a mesma educação que os rapazes (FRIEDAN, 1971, p.144). Esse futuro programado é exposto por Holden, que, enquanto espera Sally, observa: Garotas de pernas cruzadas, garotas de pernas descruzadas, garotas que pareciam boazinhas, garotas que, se a gente fosse conhecer, ia ver que eram umas safadas. Era realmente uma paisagem interessante. De certo modo, também era meio deprimente, porque a gente ficava pensando no que ia acontecer com todas elas. Quer dizer, depois que terminassem o ginásio e a faculdade. A maioria ia provavelmente casar com uns bobalhões. Esses sujeitos que vivem dizendo quantos quilômetros fazem com um litro de gasolina. Sujeitos que ficam doentes de raiva, igualzinho a umas crianças, se perdem no golfe ou até mesmo num jogo besta como pingue-pongue. Sujeitos que são um bocado perversos. Sujeitos que nunca na vida abriram um livro. Sujeitos chatos pra burro (SALINGER, 2012, p.122). O próprio Holden, entretanto, propõe a Sally que eles fujam, se casem e morem em uma casa de campo. Ele arranjaria um emprego e racharia a própria lenha no inverno assumindo portanto o papel de provedor do lar. Holden quer escapar do modelo de vida esperado dele 6

7 trabalhar em algum escritório e ganhar um dinheirão para Sally, contudo, a perspectiva de morar no campo ou na cidade não altera sua perspectiva como futura dona-de-casa. Sally tenta argumentar que eles ainda eram praticamente crianças, e que teriam muito tempo para fazer essas coisas depois que Holden terminasse a faculdade e eles se casassem. Eles discutem e Sally vai embora depois de Holden dizer que ela enche seu saco. Jane Gallagher O grande amor do narrador-protagonista é Jane, embora ele nunca chegue a confessar tal coisa. Ao longo do livro, Holden pensa várias vezes em ligar para ela e marcar um encontro, mas nunca chega a fazer. Há dois anos, Jane foi vizinha da casa de verão de Holden no Maine, e eles passaram boa parte do tempo juntos jogando damas: Ela nunca mexia nas damas. Toda vez que ela fazia uma dama, deixava na última casa. Nunca usava nenhuma, só porque gostava de ver todas as damas enfileiradas nas últimas casas (SALINGER, 2012, p.35). Antes de fugir do colégio, Holden descobre que seu colega de quarto, Stradlater, tem um encontro com Jane. Quando ele volta e conta que ficou o tempo todo no carro com ela, Holden parte para cima dele e os dois brigam. Imaginar Jane transando com Stradlater é demais para Holden, que gostaria de manter a sua própria inocência e a dos outros intacta. Só ao final do livro, com sua irmã caçula Phoebe, é que Holden vai aceitar a inevitabilidade do crescimento. Ao longo do livro, porém, ele luta contra tal. E é também por isso que, quando narra um incidente em Maine, fica tão confuso: Nós estávamos na varanda quando, de repente, apareceu na porta o beberrão que era casado coma mãe dela e perguntou à Jane se havia cigarros em casa. Eu mal conhecia o sujeito, mas parecia o tipo do cara que só fala com a gente se estiver precisando de alguma coisa. Era um péssimo caráter. De qualquer maneira, a Jane nem respondeu quando ele perguntou se ela sabia onde estavam os cigarros. O cara perguntou de novo, mas ela continuou calada. Nem tirou os olhos do tabuleiro. Finalmente, o sujeito voltou para dentro. Aí perguntei a ela o que é que estava havendo. Nem a mim ela respondeu. Fingiu que estava se concentrando no lance seguinte e tudo. Aí, de repente, estalou uma lágrima no tabuleiro. Foi num dos quadrados vermelhos me lembro como se fosse agora (...). Perguntei a ela se o tal de Cudahy era assim que se chamava o porrista tinha alguma vez se metido a engraçadinho com ela. Jane era muito garota, mas tinha um corpo infernal, e eu esperava qualquer coisa dum filho da mãe como aquele cara. Mas ela disse que não, e nunca pude descobrir qual era o problema (SALINGER, 2012, p.81). Os leitores permanecem tão desorientados quanto Holden, mas a ideia de abuso paira no ar. Mais uma vez a sexualidade é problemática para o teenager, e talvez por isso ele tenha ficado tão furioso com Stradlater. O tema, na verdade, era espinhoso para o próprio autor trabalhar. Lolita, por exemplo, livro de Vladimir Nabokov que causou grande polêmica, só foi publicado nos Estados Unidos em 1958, cinco anos após o autor tê-lo concluído e três após sua primeira edição na França. 7

8 Quando fala de Jane, Holden comenta que nunca houve nada físico entre eles e pondera: a gente não precisa entrar sempre nesse negócio de sexo para conhecer direito uma garota (SALINGER, 2012, p.79). A descrição dele demonstra o quanto ele presta atenção nela enquanto pessoa, e não apenas em atributos físicos: A Jane era uma garota muito engraçada. Não se podia dizer que fosse propriamente bonita. Para mim era um estouro. Quando ela começava a falar sobre um troço qualquer e ficava excitada, costumava mover a boca em cinquenta direções ao mesmo tempo, lábios e tudo. Era o máximo. E ela nunca fechava a boca completamente. Estava sempre entreaberta, principalmente quando ela se preparava para dar uma tacada ou estava lendo um livro. Lia sem parar, e bons livros (SALINGER, 2012, p.80). Jane é um amor de infância, congelado no tempo e um ideal de perfeição. Holden tem medo de desfazer esse encanto, e nunca a procura. Diferente de Sally, que chamava a atenção pela beleza, Jane é inteligente e engraçada, mas é para Sally que Holden propõe fugir e casar. Considerações Finais Holden é um adolescente do seu tempo e talvez por isso mesmo um e não uma. Se a rebeldia do teen chocou a sociedade americana da década de 1950, o que diriam se se tratasse de uma garota? A teenage pode ter conseguido romper com alguns valores da geração de seus pais, como a própria consolidação dessa fase da vida, mas demoraria mais tempo para que a realidade das garotas fosse alterada mais profundamente. Se para Holden a transgressão era uma forma de tentar fugir do modelo de vida da classe média nova-iorquina, a revolta feminina da década de 1960 era justamente para adentrar nesse mundo. As três personagens selecionadas para o artigo Sunny, Sally e Jane relacionam-se e afetam o protagonista de maneiras distintas. Sally encarna o estereótipo da típica teenage de dezesseis anos interessada em roupas, fofocas e festas. Jane aparece no livro apenas através das memórias de Holden, mas não há dúvida da importância dela para o adolescente. As duas estudam em escolas para garotas e são da classe média nova-iorquina. Sunny difere delas e, embora sendo da mesma faixa etária, não se enquadra na categoria de teenager. É ela, entretanto, a única dentre as três que possui controle sobre sua vida e seu futuro. O futuro das outras duas parece certo: marido, filhos e uma casa nos subúrbios para cuidar. Com sorte, não se casarão com bobalhões que fiquem falando quantos quilômetros fazem com um litro de gasolina. 8

9 Referências BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, COHEN, Elliot E. A teen-age bill of rights. The New York Times, New York, 07 jan Disponível em: <http://query.nytimes.com/mem/archive/pdf?res=f10c11ff3e5a14728fddae0894d9405b8588 F1D3 >. Acesso em: 22 jan FRIEDAN, Betty. A mística feminina. Petrópolis: Vozes, LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean Claude. Introdução. In: História dos jovens. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, v.1, p LIFE (Ed.). The invention of teenagers: life and triumph of youth culture. Disponível em: <http://life.time.com/popular-culture/teenagers-a-1944-photo-essay-on-a-newamerican-phenomenon/?iid=lb-gal-viewagn#1>. Acesso em: 01 abr PASSERINI, Luisa. A juventude, metáfora da mudança social. Dois debates sobre os jovens: a Itália fascista e os Estados Unidos da década de In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean Claude. História dos jovens. São Paulo: Companhia das Letras, v.2, p SALINGER, J.D. O Apanhador no Campo de Centeio. Tradução de Álvaro Alencar, Antônio Rocha e Jório Dauster. 18a ed. Rio de Janeiro: Editora do Autor, SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. 35p. Disponível em < >. Acesso em: 01 jul The teen-age s invention in United States in 1950 s and gender relations: The Catcher in the Rye analysis Abstract: The post-1945 years saw a new generation of adolescents arise in Unites States, different from its predecessors. A result of a prolonged schooling and of the market, this generation would receive a new concept: teenage. Some teens will question many traditional values from American society, as the American way of life itself. One of these teens is Holden Caulfield, The Catcher in the rye s protagonist, from Jerome David Salinger, published in Holden ran away from his boarding school and decided to rove some days in New York before coming back home. In the big apple, Holden interacts with some girls, and through a literary technique used by Salinger, known as stream of consciousness, we can read the boy thoughts. What does he thinks about the girls? How is his relationship with them? What are the horizons of expectation from boys and girls in the period? The article intends to answer these questions based on Salinger s novel and texts that help to comprehend this period and the gender relations between teenagers. Keywords: Teenage. The catcher in the rye. Gender relations. 9

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes All You Zombies Wendel Coelho Mendes Versão Portuguesa, Brasil Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959 Esse conto é minha versão sobre a verdadeira história de All You Zombies,

Leia mais

Socializações de Gênero e Repercussões na Escola

Socializações de Gênero e Repercussões na Escola Socializações de Gênero e Repercussões na Escola Quando a violência quebra o tabu pneves@usp.br 14/11/2015 Conceito de Gênero Gênero = Estudo de mulheres Construído em oposição ao conceito de sexo Fugir

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para Sidnei Possuelo Eu em primeiro lugar queria agradecer a universidade por propiciar esse espaço hoje muito importante, muito importante, porque vivemos realmente uma crise, e esse espaço aqui é um espaço

Leia mais

Eduardo Lacerda: Vender Literatura é muito difícil

Eduardo Lacerda: Vender Literatura é muito difícil Eduardo Lacerda: Vender Literatura é muito difícil Não é nada fácil vender Literatura no Brasil. A constatação é do jovem poeta e editor Eduardo Lacerda. Um dos editores da Patuá, editora paulista, Lacerda

Leia mais

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre 1 Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre paraplégico, cortando-o ao meio, assim como a sua cadeira

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari 08. Camilo Alfredo Faigle Vicari Nascido em São Paulo, em 1976, é biólogo e estudante de mestrado na UNIFESP. Em 26 de agosto de 2010 recebi Camilo numa sala de reuniões da UNIFESP. Ele chegou às 18h e

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

3. Meu parceiro poderia ficar chateado se soubesse sobre algumas coisas que tenho feito com outras pessoas.

3. Meu parceiro poderia ficar chateado se soubesse sobre algumas coisas que tenho feito com outras pessoas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA NÚCLEO DE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Caro(a) participante: Esta é uma pesquisa do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Paraná e

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr.

Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr. Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr. Isaac Azevedo INTRODUÇÃO: A conversa sobre sexualidade é delicada e precisa

Leia mais

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br Educar filhos: cuidar mais do que proteger Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br As 4 principais tarefas dos pais DESENVOLVER: 1. Independência emocional 2. Autodisciplina 3. Capacidades 4. Moral Educar

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas.

PESQUISA DIAGNÓSTICA - SISTEMATIZAÇÃO. - Sim, estou gostando dessa organização sim, porque a gente aprende mais com organização das aulas. ESCOLA MUNICIPAL BUENA VISTA Goiânia, 19 de junho de 2013. - Turma: Mestre de Obras e Operador de computador - 62 alunos 33 responderam ao questionário Orientador-formador: Marilurdes Santos de Oliveira

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas Nicholas Sparks Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas A ÚLTIMA MÚSICA 1 Ronnie Seis meses antes Ronnie estava sentada no banco da frente do carro sem entender por que seus pais a odiavam tanto. Era

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Unidades de sentido Indicadores Unidades de Sentido Indicadores

Unidades de sentido Indicadores Unidades de Sentido Indicadores das dos tratamentos sobre a Imagem o que me incomodou foi a perda do cabelo quando me começou a cair o cabelo, eu tive 2 ou 3 dias que não me quis ver ao espelho (M1); e custou-me muito, quando o médico

Leia mais

Domingo. Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam fogo com a luz do sol?

Domingo. Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam fogo com a luz do sol? Domingo Cocoricóóó! Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! Urrggghhoquefoi? Eu disse que já é de manhã e está na hora de você sair da cama. De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam

Leia mais

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho.

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho. 1 AMAR... dir: Carlos Gregório CASA DE LAURA... - Você não vai dizer nada? - O que você quer que eu diga? - Qualquer coisa. - Olha,... Não foi tão importante pra mim... - Não... foi!!? - É... É isso mesmo.

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

PACIENTE DO OUTRO MUNDO

PACIENTE DO OUTRO MUNDO PACIENTE DO OUTRO MUNDO Os dois médicos conversavam e um queria ser mais importante que o outro. Diz o primeiro: O colega há de ouvir que eu sou realmente um grande cirurgião. Só pra você ter uma idéia,

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

A influência da Pin-Up Americana no estereótipo da imagem feminina na revista O Cruzeiro.

A influência da Pin-Up Americana no estereótipo da imagem feminina na revista O Cruzeiro. A influência da Pin-Up Americana no estereótipo da imagem feminina na revista O Cruzeiro. The influence of American Pin-Up on the feminine stereotipy in the magazine O Cruzeiro. Paola Zambon Azevedo -

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

Os primeiros passos de uma Geisy que não tinha como não acontecer

Os primeiros passos de uma Geisy que não tinha como não acontecer Como tudo comecou ~ Os primeiros passos de uma Geisy que não tinha como não acontecer Entrei com o fichário numa mão, a bolsa na outra, e todo mundo na minha sala ficou sem entender nada. Caraca, você

Leia mais

PRIMEIRO BLOCO / ossos

PRIMEIRO BLOCO / ossos PRIMEIRO BLOCO / ossos dentes negros final.p65 9 S 10 s dentes negros final.p65 10 S 11 s Ninguém aqui teve infância, ela diz. E agora estamos envenenados até os ossos. Não é mais a típica conversa de

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS Desânimo total Acho que minhas forças estão indo abaixo, ando meio desmotivado!!!! Não quero desanimar, mas os fatores externos estão superando minha motivação... cobrança

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP

Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP Introdução Do que estamos falando? Um grupo específico de mulheres Uma visão Pesquisa de Doutorado na FGV EAESP

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance Sobre o autor: Meu nome é Rodrigo Marroni. Sou apaixonado por empreendedorismo e vivo desta forma há quase 5 anos. Há mais de 9 anos já possuía negócios paralelos ao meu trabalho e há um pouco mais de

Leia mais

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação.

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação. O Led Zeppelin sempre foi complicado. Esse era o problema inicial deles. Os shows deles sempre tinham violência masculina. Isso foi um desvio nos anos 1970, que foi uma época muito estranha. Era uma anarquia

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

O ambiente digital está alterando nosso cérebro de forma inédita, diz neurologista britânica

O ambiente digital está alterando nosso cérebro de forma inédita, diz neurologista britânica O ambiente digital está alterando nosso cérebro de forma inédita, diz neurologista britânica Texto adaptado por Luciana Milazzo* Susan Greenfield, especialista em fisiologia cerebral, diz que estamos cada

Leia mais

Mestrado em Ciências da Educação

Mestrado em Ciências da Educação Mestrado em Ciências da Educação Tema : Educação e formação de jovens e adultos pouco escolarizados O Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências na (re) definição de trajectórias

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

A LEITURA DO MUNDO DE ANALICE UMA LEITURA AQUÉM E ALÉM DAS PALAVRAS Maria Clara da Gama Cabral Coutinho UERJ

A LEITURA DO MUNDO DE ANALICE UMA LEITURA AQUÉM E ALÉM DAS PALAVRAS Maria Clara da Gama Cabral Coutinho UERJ A LEITURA DO MUNDO DE ANALICE UMA LEITURA AQUÉM E ALÉM DAS PALAVRAS Maria Clara da Gama Cabral Coutinho UERJ Brejo de Areias, Paraíba Com 7 anos de idade eu entrei a primeira vez na escola. A minha professora

Leia mais

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível).

Prefeito de São Bernardo do Campo: Hoje tem um show no Cedesc, às 18 horas (incompreensível). , Luiz Inácio Lula da Silva, durante a inauguração da República Terapêutica e do Consultório de Rua para Dependentes Químicos e outras ações relacionadas ao Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack São

Leia mais

Cara Professora, Caro Professor,

Cara Professora, Caro Professor, A olhinhos menina de rasgados Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos um belo livro de narrativa A menina de olhinhos rasgados, do premiado autor mineiro Vanderlei Timóteo.

Leia mais

Roda de conversa 6 Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Carlos Sandroni e Ivan Vilela

Roda de conversa 6 Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Carlos Sandroni e Ivan Vilela A música do Brasil e do mundo Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Carlos Sandroni e Ivan Vilela Sergio Molina Projeto A Música na Escola, roda de conversa número seis vai discutir

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 Olá, amigos do Estratégia! Como diz meu amigo Sérgio Mendes, como é bom estar aqui! Hoje irei entrevistar o Marcos Marino, aluno do Estratégia Concursos

Leia mais

Bang, Bang 2008. VOZ A (masculina) BANG! Chega disso. Tic-tac-tic-tac.

Bang, Bang 2008. VOZ A (masculina) BANG! Chega disso. Tic-tac-tic-tac. Bang, Bang 2008 Texto de Nuno Ramos reproduzido por alto-falante: (masculina) BANG! Chega disso. Tic-tac-tic-tac. VOZ B (feminina) Domingo, 27 de janeiro de dois mil e lá vai pedrada. BOA NOITE. Está começando.

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a FRUTOS-1 Descoberta Lição 1 4-6 Anos História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a CONCEITO CHAVE A Bíblia é o livro de Deus e nós sabemos

Leia mais

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Ivo Barcelos Assumpção, nasci dia 13 do doze de 1954 em Rezende, Estado do Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu estudei engenharia química na UFRJ, entrei

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito

Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito Acting out: como tirar proveito dele? Lacan nos diz no seminário As formações do inconsciente, coisas muito interessantes a respeito do acting out, entre elas, que ele é uma mensagem... sempre dirigido

Leia mais

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA Juliana Fabbron Marin Marin 1 Ana Maria Dietrich 2 Resumo: As transformações no cenário social que ocorreram

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

As 12 Vitimas do Medo.

As 12 Vitimas do Medo. As 12 Vitimas do Medo. Em 1980 no interior de São Paulo, em um pequeno sítio nasceu Willyan de Sousa Filho. Filho único de Dionizia de Sousa Millito e Willian de Sousa. Sempre rodeado de toda atenção por

Leia mais

O Que Os Homens Realmente Pensam E Não Tem Coragem De Falar

O Que Os Homens Realmente Pensam E Não Tem Coragem De Falar O Que Os Homens Realmente Pensam E Não Tem Coragem De Falar Pedimos perdão pela sinceridade mas o manifesto vai mostrar que você foi totalmente iludida sobre o que um homem procura em uma mulher. E digo

Leia mais

Projeto Gráfico e Editoração Coordenadoria de Comunicação Social. Revisão gramatical Lucia Anilda Miguel

Projeto Gráfico e Editoração Coordenadoria de Comunicação Social. Revisão gramatical Lucia Anilda Miguel Elaboração Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude e Coordenadoria de Comunicação Social do Ministério Público do Estado de Santa Catarina. Contato Rua Bocaiúva, 1.750, 4º andar - Centro -

Leia mais

Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA. 1ª Edição

Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA. 1ª Edição Deborah Zaniolli DEBORAH ZANIOLLI DOCE VIDA DURA 1ª Edição Piedade/SP Edição da Autora 2012 1 Doce vida dura Título da obra: DOCE VIDA DURA Gênero literário da obra: Não Ficção Copyright 2016 por Deborah

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

MIGUEL, L. F.; BIROLLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014

MIGUEL, L. F.; BIROLLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014 MIGUEL, L. F.; BIROLLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014 Karen Capelesso 4 O livro Feminismo e política: uma introdução, de Luis Felipe Miguel e Flávia Biroli, se vincula

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 Sofia Z. Na parte anterior vimos algumas das razões do declínio do tesão entre os casais que têm uma relação estável. Nesta parte vamos fazer algumas considerações

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD Flavia Mariano Equilíbrio a vida não faz acordos 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2011 Edição e revisão KBR Editoração APED Capa KBR Imagem da capa fotomontagem sobre arquivo Google Copyright 2011 Flavia Mariano

Leia mais

Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa

Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa CAPÍTULO UM LORRAINE Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa manhã a igreja demorou mais que o normal, e eu não vim direto para casa, como costumo fazer. Althea estava decidida

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

Resenha Resenha Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 8, n. 11, p. 133-135, jun. 2002 131

Resenha Resenha Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 8, n. 11, p. 133-135, jun. 2002 131 Resenha 131 132 LÉVY, André. Ciências clínicas e organizações sociais. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. 224p. Lançado por ocasião do VIII Colóquio Internacional de Psicossociologia e Sociologia Clínica,

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais

EsquiloScans Uma História. Texto: Divictor Ilustrações: Hanz Grotz

EsquiloScans Uma História. Texto: Divictor Ilustrações: Hanz Grotz EsquiloScans Uma História Texto: Divictor Ilustrações: Hanz Grotz No início, tudo eram trevas! Os quadrinhos desapareciam das bancas, e quanto se os via, eram de péssima qualidade. As obras inéditas eram

Leia mais

O CASO A GUERRA DO CONTESTADO

O CASO A GUERRA DO CONTESTADO O CASO A GUERRA DO CONTESTADO Logo no início do século XX pairava no ar um clima de instabilidade na região sul do país, devido às diferenças entre grupos sociais, as quais se acentuaram e geraram um conflito

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas

Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas Capítulo 1 Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas que ninguém mais podia saber. Uma delas era que o homem sentado ao seu lado no carro ia morrer. Também havia muitas coisas

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i

Cao Guimarães: Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i O cineasta mineiro Cao Guimarães, 41, terá seu filme mais recente "Andarilho" (2006) exibido pela primeira vez na Quinzena de Realizadores,

Leia mais

AMOR É ASSUNTO DE MULHER : RELAÇÃO DE GÊNERO E EMOÇÕES EM LETRAS DE RAP

AMOR É ASSUNTO DE MULHER : RELAÇÃO DE GÊNERO E EMOÇÕES EM LETRAS DE RAP AMOR É ASSUNTO DE MULHER : RELAÇÃO DE GÊNERO E EMOÇÕES EM LETRAS DE RAP Sandra Mara Pereira dos Santos soul_mara@yahoo.com.br PPGCSo-UNESP Doutoranda Analiso que na questão de gênero no rap nacional existe

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS Guia CARREIRAS E SALÁRIOS em contabilidade Guia Carreiras e Salários Se você é gestor de alguma empresa contábil, está procurando melhorar sua posição profissional ou é dono de um escritório de contabilidade:

Leia mais

QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA

QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA QUESTÕES VOLTADAS AO ABORTO: UMA VISÃO MASCULINA I. INTRODUÇÃO Cleonides Silva Dias Gusmão cleonides_silva@hotmail.com Ana Alayde Werba Saldanha Pichelli analayde@gmail.com Francisca Marina de Souza Freire

Leia mais

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94)

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94) DIAS 94 de Claudio Simões (1990 / 94) 2 PERSONAGENS São cinco personagens identificadas apenas por números. Não têm gênero definido, podendo ser feitas por atores ou atrizes. As frases em que falam de

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo 2:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo Amados de Deus, a paz de Jesus... Orei e pensei muito para que Jesus me usasse para poder neste dia iniciar esta pregação com a

Leia mais

O início de minha vida...

O início de minha vida... Relato 1 Memórias de minha vida Juliana Pedroso 1 O início de minha vida... Perceber com clareza é o mesmo que ter a visão iluminada pela Luz da Alma. Podemos ficar livres da ignorância e ver corretamente

Leia mais