ANA PAULA MARANGONI COMPARAÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO COM O SISTEMA MOLDADO IN LOCO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS JOINVILLE - SC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANA PAULA MARANGONI COMPARAÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO COM O SISTEMA MOLDADO IN LOCO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS JOINVILLE - SC"

Transcrição

1 ANA PAULA MARANGONI COMPARAÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO COM O SISTEMA MOLDADO IN LOCO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS JOINVILLE - SC 2006

2 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DEC ANA PAULA MARANGONI COMPARAÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO COM O SISTEMA MOLDADO IN LOCO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS Trabalho de conclusão de curso apresentado à Universidade do Estado de Santa Catarina para obtenção do título de bacharel em Engenharia Civil. Orientador: Prof. Jorge Herbert Mayerle JOINVILLE SC

3 ANA PAULA MARANGONI COMPARAÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO COM O SISTEMA MOLDADO IN LOCO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS Trabalho de Conclusão de Curso aprovada como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel, no curso de graduação em Engenharia Civil da Universidade do Estado de Santa Catarina. Banca Examinadora: Orientador: Jorge Herbert Mayerle Especialista Membro: Sandra D. Kruger Alves Mestre Membro: Nelson Alvares Trigo Mestre JOINVILLE, 01/12/2006 2

4 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus. Aos meus pais que de modo muito especial, contribuíram e me incentivaram a conquistar meu objetivo. Para que este trabalho se tornasse possível, foi necessário empenho e dedicação, porém algumas pessoas foram essenciais. Ao Professor Jorge Herbert Mayerle pela ajuda e interesse, com que orientou este trabalho. À Cassol Estruturas Pré-fabricadas, que forneceu os projetos e orçamentos dos préfabricados. Especialmente à Engº Silvana Fagundes Marangoni, ao Desenhista Edinaldo Stadler e ao Diretor Comercial Aguinaldo Mafra Junior. À Engest, que contribuiu com os projetos do sistema convencional, oportunizando o estudo do sistema. Aos familiares e amigos, que ajudaram de diversas maneiras, contribuindo para que a pesquisa fosse possível. 3

5 RESUMO O setor da construção civil tem se consolidado cada vez mais, pela racionalização da construção, visando a redução da ocorrência de erros, minimização das perdas e diminuição do tempo ocioso, aumentando, desta forma a produtividade. Este trabalho apresenta uma análise entre o sistema construtivo pré-fabricado e o moldado in loco, para que se possa comparar ambos os sistemas no que se refere a tempo de execução, quantidade de materiais e custo final da superestrutura. Para isso foi utilizado o Edifício Tahiti, como um estudo de caso, buscando as informações necessárias para se fazer a mesma edificação com o sistema de pré-fabricação e com o sistema moldado in loco podendo-se assim, analisar os dois sistemas. Os resultados apresentados mostram que o custo do sistema moldado in loco, neste caso, é consideravelmente menor. Palavras-chave: pré-fabricação, industrialização, racionalização. 4

6 ABSTRACT The civil construction has been consolidated by the optimization of this system aiming the reduction of errors, minimization of losses and decreasing the idle time, increasing productivity. This project presents an analysis between the pre-manufactured constructive system and the conventional one in terms of time of execution, quality of materials and the final cost of the superstructure. In order to do this, the Tahiti Building was used as a study case; a research was made and all the necessary information to build the same building with the pre-manufactured and the conventional system was obtained. The results presented show that the cost of the conventional system, in this case, is considerably lower. 5

7 SUMÁRIO SUMÁRIO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos ESTRUTURA DO TRABALHO REVISÃO BIBLIOGRÁFICA CONSIDERAÇÕES INICIAIS - DEFINIÇÕES Racionalização Industrialização HISTÓRICO TIPOS DE CONCRETO Pré-moldado de fábrica Pré-moldados no canteiro de obras Pré-moldado de seção completa Pré-moldado de seção parcial Pré-moldado pesado Pré-moldado leve Pré-moldado normal Pré-moldado arquitetônico APLICAÇÃO DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS PRÉ-MOLDADOS Residências e edifícios de apartamentos Escritórios, hospitais e escolas Edifícios industriais (galpões) e comerciais Estacionamentos PROJETOS VANTAGENS Técnicas

8 2.6.2 Sociais Econômicas DESVANTAGENS Técnicas Sociais Econômicas ESTUDO DE CASO: EDIFICIO TAHITI OBJETIVOS DA PESQUISA MÉTODO DE ABORDAGEM EDIFÍCIO TAHITI DESCRIÇÃO DO SISTEMA PRÉ-FABRICADO Superestrutura Concreto Armadura Capa de concreto Execução Custos DESCRIÇÃO DO SISTEMA MOLDADO IN LOCO Superestrutura Concreto Armadura Formas Execução Custos ANÁLISE DOS RESULTADOS CONCLUSÃO REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA ANEXOS A PROJETOS ARQUITETONICOS ANEXOS B PROJETOS PRÉ-FABRICADO ANEXOS C ORÇAMENTO DO PRÉ-FABRICADO ANEXOS D PROJETOS ESTRUTURAIS DO MOLDADO IN LOCO

9 1 INTRODUÇÃO 1.1 INTRODUÇÃO Para atender as novas exigências do mercado, as empresas de construção civil buscam melhoria da produtividade, qualidade e custo de seus processos e produtos. Este investimento se justifica, principalmente, pela alta demanda habitacional no Brasil. Frente a isso, a construção civil brasileira vem passando por um processo de mudanças e melhorias consideráveis. Em um ambiente de inflação controlada e competitividade em alta, os ganhos de gestão e produtividade são cada dia mais importantes e imprescindíveis, fazendo com que a industrialização do processo construtivo fique em evidência. A utilização do sistema construtivo pré-fabricado em concreto proporcionou um grande avanço neste sentido, facilitando o gerenciamento, revelando ganhos e garantindo o controle da obra nas diversas etapas do empreendimento. Em vez da intensiva fiscalização o engenheiro de obra passa então a cumprir as especificações do projeto, a traçar metas, buscando técnicas construtivas adequadas e acompanhar os resultados, direcionando dessa forma, a responsabilidade pela produção das partes da obra para os fabricantes. Dentre as principais vantagens do emprego de pré-fabricados como solução construtiva está a rapidez de execução e entrega da obra, redução e controle rigoroso dos 8

10 custos e retorno mais rápido do investimento. Além disto, este sistema se aplica diferentes tipos de obras, tais como, residenciais, industriais, comerciais, hotéis, escolas, entre outras. Os edifícios residenciais de quatro pavimentos, que por suas características intrínsecas são tipicamente reconhecidos como construções de baixo custo, constituem-se em razoável opção de moradia para habitação de baixa renda. A solução de projeto de quatro apartamentos por andar proporciona a redução de espaços comuns de acesso às escadas dos apartamentos, possibilitando a implantação de escadas e hall numa mesma área que terá as dimensões estritamente necessárias para essa finalidade. Em geral, não necessitam de elevadores, item importante também na redução de seu custo final. A predominância no país de conjuntos habitacionais de edifícios onde o número de pavimentos é igual a quatro sinaliza a tendência de que seja esse o tipo de edificação mais econômica. (BRAZ, 2000, p. 2). 1.2 JUSTIFICATIVA O sistema construtivo pré-fabricado, aplicado com muito sucesso em todo o mundo, vem se tornando cada dia mais comum no Brasil, pois a economia, facilidade de execução, alta produtividade e qualidade são os principais fatores que devem influenciar no momento da decisão do tipo de estrutura a ser adotada. Assim, surgiu o interesse em pesquisar o sistema construtivo em pré-fabricado, analisando o seu surgimento, aplicações, vantagens e deficiências e comparando-o, através de um estudo de caso, ao sistema convencionalmente adotado e obtendo os custos reais de ambos os sistemas. 9

11 1.3 OBJETIVOS Objetivo Geral O objetivo dessa pesquisa é o estudo da viabilidade dos sistemas pré-fabricados. Para isso será elaborada uma comparação técnica-econômica entre o sistema construtivo préfabricado e o sistema construtivo moldado in loco para um edifício residencial de quatro pavimentos com quatro apartamentos por pavimento, ficando essa análise restrita à superestrutura do Edifício Tahiti Objetivos Específicos Como objetivos específicos têm-se: - Medir o consumo de materiais; - Avaliar os custos da superestrutura pré-fabricada; - Avaliar os custos da superestrutura moldado in loco; - Obter o valor real de economia que um processo construtivo de um bloco de 4 pavimentos possui em relação aos outros estudados; - Avaliar os processos construtivos estudados; - Conhecer as vantagens e desvantagens dos sistemas pré-fabricados. 10

12 1.4 ESTRUTURA DO TRABALHO O trabalho foi organizado em 4 capítulos, de forma a atender aos objetivos e proporcionar ao leitor uma agradável leitura, com entendimento claro das etapas da pesquisa: Capítulo 1 Introdução: é enfatizada a importância da pesquisa, sendo apresentadas justificativas, objetivos gerais e específicos do trabalho. Capítulo 2 Revisão bibliográfica: apresentam-se através de referências bibliográficas as definições de pré-fabricação e pré-moldagem, um histórico da pré-fabricação, além da utilização dos pré-fabricados e suas vantagens e desvantagens. Capítulo 3 Estudo de caso: Apresenta o edifício a ser estudado e é feita a descrição do mesmo quando feito pelo sistema pré-fabricado e pelo sistema moldado in loco. Tem-se ainda, a análise dos resultados, concluindo qual a melhor opção para o edifício em questão Capítulo 4 Conclusão: Análise conclusiva do trabalho. 11

13 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS - DEFINIÇÕES... concreto pré-moldado corresponde ao emprego de elementos pré-moldados de concreto, ou seja, ao emprego de elementos de concreto moldados fora de sua posição definitiva de utilização na construção. (DEBS, v, grifo nosso). Construção pré-fabricada é toda aquela em que suas partes constituintes são, em sua maioria, executadas previamente em canteiro ou em fábrica, com a precisão dos métodos industriais. (SOUZA et al, 1998, p. 363, grifo nosso).... industrialização da construção é o emprego, de forma racional e mecanizada, de materiais, meios de transporte e técnicas construtivas, para se conseguir uma maior produtividade. (ORDÓNEZ apud DEBS, 2000, p. 5, grifo nosso). A NBR 9062/85, Projetos e execução de estruturas de concreto pré-moldado, difere também os pré-fabricados dos pré-moldados segundo controle de qualidade. Os préfabricados executados sob condições rigorosas de controle de qualidade que conforme o item 12.2 são produzidos com recursos adequados e dispõem de pessoal, organização de laboratórios e demais instalações para o controle de qualidade. Por outro lado, os prémoldados, pelo item 12.3 da norma (p.35), são produzidos em condições menos rigorosas de controle de qualidade. Devem ser inspecionados individualmente ou por lotes, através de 12

14 inspetores do próprio construtor, da fiscalização do proprietário ou de organizações especializadas, dispensando-se a existência de laboratórios. Apesar de possuir conceitos distintos, pré-moldagem, pré-fabricação e industrialização da construção estão relacionadas entre si como afirmou Debs (2000, p. 11): A grosso modo, pode-se dizer que a pré-moldagem aplicada à produção em grande escala resulta na préfabricação, que, por sua vez, é uma forma de buscar a industrialização da construção. Essas definições mostram que a pré-moldagem pode apresentar duas diretrizes, uma delas utilizada como uma forma de buscar a industrialização da construção, por meio da préfabricação e na outra como forma de racionalizar a construção das estruturas de concreto Racionalização A racionalização está fundamentada na otimização dos recursos materiais, humanos, organizacionais, energéticos, tecnológicos, temporais e financeiros, eliminando os desperdícios gerados em obra para obter um produto que satisfaça as necessidades dos usuários da melhor maneira possível. Um dos principais objetivos da racionalização de produtos e processos é, sem dúvida, a redução do preço final do produto, que é um fator decisivo para a sobrevivência das empresas. (SILVA, 2002) Industrialização Sabbatini (aput Silva, 2002, p. 13) define industrialização como: um processo evolutivo que, por meio de ações organizacionais e da implementação de inovações tecnológicas, métodos de trabalho e técnicas de 13

15 planejamento e controle, objetiva incrementar a produtividade e o nível de produção e aprimorar o desempenho da atividade construtiva. A industrialização está diretamente ligada à padronização, que beneficia o produto final na forma de redução de custos devido à utilização racional de materiais, equipamentos e mão-de-obra, sem desperdício nem retrabalho. O controle e o aperfeiçoamento da qualidade tornam-se possíveis, uma vez que a qualidade dos processos passa a ser mensurável e qualquer problema facilmente detectável. (SOUZA et al, 1997). Dessa forma, Bruna (1976 apud Silva, 2002) define: INDUSTRIALIZAÇÃO = RACIONALIZAÇÃO + MECANIZAÇÃO A industrialização do sistema pré-fabricado quando se realiza com base em elementos disponíveis no mercado chama-se industrialização de ciclo aberto. E quando não permite intercambialidade dos elementos, ou seja, não é possível utilizar outros elementos além daqueles do sistema, industrialização de ciclo fechado. (DEBS, 2000). 2.2 HISTÓRICO O homem, ao longo de sua existência, experimentou inúmeras maneiras de se abrigar. Em cada época, conforme as necessidades e as disponibilidades, tratou de projetar e construir seu espaço da melhor forma possível. Surgiram diversas técnicas a partir da descoberta de que a habitação poderia ser construída de forma semelhante às cavernas. Se a natureza remontou rocha sobre rocha e preservou os espaços internos para que o ser vivo os utilizasse como espaço de moradia, o homem também poderia montar uma habitação colocando rocha sobre rocha. (BRAZ, 2001, p.6). Essa técnica construtiva, seria a base para os sistemas que ainda hoje utilizamos. (BRAZ. 2001). 14

16 A construção pré-fabricada de concreto, por sua vez, acabou consolidando-se como a forma mais viável e mais difundida para se promover a industrialização da construção, tomando um impulso sem precedentes no período do segundo pós-guerra, pela necessidade de se reconstruir inúmeras cidades arrasadas. As primeiras peças de concreto armado, o barco de Lambot, em 1848 e os vasos de Monier, em 1849, foram elementos pré-moldados, o que confirma a pré-moldagem no desenvolvimento do concreto armado. A primeira construção com o emprego de elementos pré-moldados foi, provavelmente, o cassino de Biarritz, na França, em 1891, na qual as vigas foram prémoldadas. (DEBS, p. 29). A seguir, alguns marcos importantes relatados por Debs, (2000, p. 29): 1895 a construção de Weavne s Mill é considerada a primeira construção de estrutura aporticada com concreto pré-moldado na Inglaterra; 1900 surgem os primeiros elementos de grandes dimensões para cobertura nos Estados Unidos (estes elementos tinham 1,20 metros de altura, 5,10 metros de largura e 0,05 metros de espessura e foram colocados sobre estrutura metálica); 1905 são executados elementos de piso para um edifício de quatro andares nos Estados Unidos; 1906 começam a ser executados na Europa os que devem ser considerados os primeiros elementos pré-fabricados as vigas treliça Visintini e estacas de concreto armado; 1907 todas as peças para as construções de um edifício industrial foram pré-moldadas no canteiro, nos Estados Unidos, pela Edson Portland Co., pertencente ao célebre inventor Thomas Alva Edson; 1907 surgem as pioneiras aplicações do processo Tilp-up nos Estados Unidos, no qual as paredes são moldadas sobre o solo e depois levantadas para a posição vertincal. Em 1904, na Inglaterra, o arquiteto John Brodie projetou e construiu um edifício de três andares com estrutura de parede portante em concreto pré-moldado, que tornou-se polêmica e trouxe aspectos negativos no desenvolvimento dos pré-fabricados. 15

17 ...O governo, que havia patrocinado o sistema de Brodie, querendo encontrar uma solução para o problema do déficit habitacional, obrigou-o a superdimensionar os painéis para obedecer aos códigos oficiais sobre as espessuras das paredes, resultando assim no triplo do custo previsto por Brodie, o que motivou a interrupção prematura do sistema proposto. (FERNÁNDEZ Ordóñez apud MOUNIR, 2000, p. 29). A pré-fabricação desenvolveu-se primeiramente em locais onde a mão-de-obra era mais onerosa, ou em que os programas sociais de governo exigiam fornecimento de habitação em larga escala, ou seja países mais desenvolvidos como EUA, França, Alemanha e vários países do Leste Europeu. No Brasil e em outros países com mão-de-obra relativamente barata a pré-fabricação não obteve a mesma aceitação, tendo uma utilização considerável somente a partir da década de 70 e possuindo hoje grandes indústrias de pré-fabricados, além de inúmeras de médio e pequeno porte (SOUZA et al, 1998). Debs em 2002, defende que a aplicação da pré-moldagem, ainda é limitada no Brasil. Apesar de ser aplicada em todos os campos da construção civil, ela tem sido mais intensa na construção de galpões e em certos componentes como elementos de lajes, estacas, pontes e tubos circulares de concreto para drenagem e esgotos. A possibilidade de produção seriada de edifícios industrializados, quer em suas partes fundamentais, quer em sua totalidade, é uma realidade e a indústria da construção civil está apta a dar um grande salto, superando num curto espaço de tempo a defasagem tecnológica do setor e alcançando um nível de industrialização equivalente àquele que já é visível nos países desenvolvidos (CAMPOS, 2006). Segundo Campos (2006) vários obstáculos precisam ser rompidos, pois não são somente os fatores tecnológicos os maiores obstáculos à difusão de pré-fabricação no Brasil, são eles: - Demonstração da validade do sistema para a superação das demandas existentes, tomando como exemplo as experiências dos países desenvolvidos; 16

18 - Rompimento do paradigma que a construção pré-fabricada, traz uniformidade e rigidez na arquitetura; - Demonstração de que as novas obras pré-fabricadas possuem qualidades intrínsecas relativas ao nível de acabamento e ao atendimento das exigências de conforto do usuário final; - Consideração de que existem novas tecnologias à base de cimento, tais como CAD (concreto de alto desempenho) e os compósitos; - Apresentação de obras nacionais e internacionais que tenham um caráter inovador e que tragam uma contribuição objetiva no sentido de aplicação de novos conceitos inerentes à construção pré-fabricadas em concreto ( industrialização de ciclo aberto ). 2.3 TIPOS DE CONCRETO Segundo Debs, em 2000, os elementos pré-moldados podem ser classificados de diversas formas, conforme mostra a tabela 1: Tabela 1: Classificação dos concretos pré-moldados Classificação Local de produção dos elementos Incorporação de material para ampliar a seção resistente no local de utilização definitivo Categoria do peso dos elementos Papel desempenhado pela aparência Tipos de concreto pré-moldados Pré-moldado de fábrica Pré-moldado de seção composta Pré-moldado pesado Pré-moldado normal Pré-moldado de canteiro Pré-moldado de seção parcial Pré-moldado leve Pré-moldado arquitetônico 17

19 2.3.1 Pré-moldado de fábrica Executado em instalações permanentes distantes da obra. Por isso deve-se considerar a questão do transporte da fábrica até a obra, tanto no que se refere ao custo dessa atividade como no que diz respeito à obediência aos gabaritos de transporte e às dificuldades de transporte. A capacidade de produção da fábrica e a produtividade do processo, que dependem principalmente dos investimentos em fôrmas e equipamentos, podem ser pequenas ou grandes, com tendência maior ao último caso Pré-moldados no canteiro de obras Executada em instalações temporárias nas proximidades da obra. Possui a vantagem de necessitar de um investimento inicial menor, pois suas instalações podem ser mais ou menos sofisticadas, dependendo da produção e da produtividade que se deseja. Para esse tipo de elemento não se tem o transporte a longa distância e, portanto, as facilidades de transportes e a obediência a gabaritos de transporte não são condicionantes para seu emprego. Além disso, esse tipo de elemento não está sujeito a imposto referentes à produção industrial e à circulação de mercadorias Pré-moldado de seção completa Sua seção resistente é formada fora do local de utilização definitivo. Eventualmente, na aplicação deste tipo de pré-moldado pode ocorrer o emprego de concreto moldado no local, em ligações ou como regularização, mas não visando ampliar a seção resistente. 18

20 2.3.4 Pré-moldado de seção parcial Inicialmente moldado apenas com parte da seção resistente final, que é posteriormente completada na posição de utilização definitiva com concreto moldado no local. Com o emprego de elementos pré-moldados de seção parcial há maior facilidade na realização das ligações, além da concretagem no local propiciar um certo monolitismo à estrutura Pré-moldado pesado Considera-se pré-moldado pesado aquele que necessita de equipamentos especiais para o transporte e a montagem, adotando-se como valor de referência acima de 500 kgf Pré-moldado leve O pré-moldado leve será aquele que não necessita de equipamentos especiais para o transporte e montagem, podendo-se improvisar os equipamentos ou até mesmo atingir a situação em que a montagem possa ser manual. Adotam-se valores abaixo de 30 kgf. Um exemplo, muito utilizado desse tipo de pré-moldado são as vigotas pré-moldadas utilizadas para execução de lajes Pré-moldado normal O pré-moldado normal é aquele em que não há preocupação alguma em relação à aparência do elemento. 19

21 2.3.8 Pré-moldado arquitetônico Qualquer elemento de forma especial ou padronizada que mediante acabamento, forma, cor ou textura contribui na forma arquitetônica ou em efeito de acabamento da construção. Esses elementos podem ou não ter finalidade estrutural e são normalmente utilizados nas fachadas, na forma de painéis ou como fôrma permanente, na restauração de edifícios antigos e esculturas. 2.4 APLICAÇÃO DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS PRÉ-MOLDADOS A aplicação dos sistemas construtivos pré-moldados está intimamente ligada à tipologia da edificação, a qual depende muito da sua função: residencial, comercial, indústrial, etc. A seguir são apresentadas as principais utilizações dos pré-moldados Residências e edifícios de apartamentos Apesar de ser muito utilizada nos países do Norte Europeu, o sistema pré-moldado ainda apresenta pouca aceitação em obras residenciais no Brasil. Conforme descrito pela Associação Brasileira de Construção Industrializada de Concreto, ABCIC, a inconveniência do sistema está relacionada com uma menor flexibilidade no projeto, onde é quase impossível fazer adaptações futuras. Porém apresentam vantagens como a rapidez de instalação, o bom isolamento acústico e a resistência ao fogo. Os vãos e as cargas de utilização neste caso são relativamente pequenos. Em relação a altura, podem ser classificados em edifícios de pequena altura e de grande altura, sendo que 20

22 nos de pequena altura o efeito das ações laterais devido ao vento é pequeno, possibilitando o emprego de sistemas estruturais mais simples entre os elementos (DEBS, 2000). As residências e os edifícios de apartamentos são geralmente projetados com sistemas estruturais com painéis, onde uma parte dos painéis é estrutural e a outra possui apenas função de fechamento. Segundo a ABCIC, uma solução são os painéis pré-fabricados utilizados comumente para os fechamentos externos entre os apartamentos ou nas fachadas, cobrindo toda a largura dos apartamentos ou da residência com lajes de vãos maiores. Neste caso, as divisões internas podem ser feitas com materiais tradicionais, tais como blocos de gesso, blocos de alvenaria ou divisórias de gesso acartonado Escritórios, hospitais e escolas Neste caso são importantes a flexibilidade do layout e a estética. Assim os sistemas estruturais mais adequados são os esqueletos e os mistos, com paredes portantes nas fachadas, sendo que os elementos de piso podem ser apoiados diretamente nos elementos de fachada. Segundo a ABCIC a tendência atual para edifícios de escritório é criar grandes espaços internos com os vãos dos pisos de até 18 a 20 metros (DEBS, ABCIC) Edifícios industriais (galpões) e comerciais Os galpões se caracterizam por estruturas em que predominam os grandes vãos livres para ocupação interna, normalmente sem pavimentos intermediários e protegidos por cobertura em telhas com suporte metálico ou de concreto (MELO, 2004). Nestes edifícios a flexibilidade de layout e a possibilidade de ampliações são importantes. Utilizam-se, normalmente, sistemas com traves aporticadas, onde a estabilidade é conseguida pela engastamento dos pilares nas fundações (DEBS, 2000). 21

23 2.4.4 Estacionamentos Segundo a ABCIC, em estacionamentos os requisitos principais de projeto são grandes vãos abertos com poucos pilares internos. Esse tipo de construção emprega geralmente sistemas de estruturas com esqueletos, podendo existir soluções alternativas, como no caso de estacionamentos divididos em níveis, com rampas retas entre pisos intermediários, que constituem a área de estacionamento. 2.5 PROJETOS Todos os sistemas construtivos exigem sintonia na execução dos projetos. Os projetistas devem conhecer as potencialidades e limitações dos processos e atuarem em conjunto para aproveitar suas vantagens. O processo de projeto é marcado, via de regra, por uma série de definições, quer das características do produto, quer das atividades produtivas, repercutindo em uma elevada improvisação em obra, para a qual são delegadas importantes decisões que poderiam ser estudadas e elaboradas durante a fase de projeto do empreendimento. Segundo ABCIC é muito importante compreender que é possível se obter um melhor projeto para a estrutura pré-moldada, se a estrutura for concebida com a pré-moldagem desde o projeto preliminar e não meramente adaptada de um método tradicional de concreto moldado no local. A Associação afirma que na concepção dos projetos devem ser observados os seguintes pontos: - respeito à filosofia específica do projeto; 22

24 - utilização de soluções padronizadas sempre que possível; - evitar detalhes muito complicados e vulneráveis; - considerar as tolerâncias dimensionais; - vantagens do processo de industrialização. O projeto das estruturas pré-moldadas e das moldadas no local diferenciam-se pela necessidade de considerar situações transitórias, como desmoldagem, transporte, armazenamento e montagem, além da situação final da estrutura e as particularidades das ligações entre os elementos pré-moldados que formam a estrutura. (DEBS, 2000) Conforme afirmou Laércio Gil, da ABCP à revista Tèchne (2001), a compatibilização de projetos é essencial num sistema industrializado. A impossibilidade de alterar as características das peças durante a execução torna a interface entre projetos potencialmente mais problemática do que no método convencional. As instalações podem ser parcialmente integradas nas unidades pré-moldadas. Dutos e caixas para adaptações elétricas podem ser moldadas nos elementos de painéis, tubulações de água pluvial no interior de colunas e elementos de fachadas e os alvéolos das lajes podem incorporar dutos e tubulações. 2.6 VANTAGENS Comparado aos métodos de construção tradicionais, os sistemas pré-fabricados têm muitas características positivas, tanto de ordem técnica e econômica, quanto social, assim descritas: 23

25 2.6.1 Técnicas - Facilidade na elaboração de projeto, em especial na resolução de detalhes; - Melhoria da qualidade dos trabalhos realizados mecanicamente, em comparação com os manuais, através do desenvolvimento e inovações tecnológicas de processos construtivos; - Melhor aproveitamento das seções resistentes; - Facilidade para realizar o controle de qualidade, pois emprega equipamentos controlados para o preparo do concreto, utiliza aditivos para conseguir os desempenhos mecânicos específicos para cada classe de concreto e o adensamento e a cura são executados em condições controladas; - Necessidade de menos juntas de dilatação que na construção tradicional; - Possibilidade de evitar as interrupções da concretagem; - Possibilidade de recuperação de elementos ou partes da construção em certas desmontagens; - Desaparecimento quase total das fôrmas; - Facilidade na utilização da protenção, aumentando a capacidade última de flexão, o momento de fissuração e a carga de serviço; - A instalação pode continuar mesmo no inverno rigoroso Sociais - Diminuem o número de acidentes de trabalho; - Proporcionam segurança de emprego; - Trabalho protegido das intempéries climáticas durante a execução; - Eleva a remuneração dos trabalhadores; 24

26 - É o meio mais real e efetivo que se tem ao alcance para tentar reduzir o déficit mundial de construção; Econômicas - Produz economia reduzindo consideravelmente os custos por causa da potencialização e otimização de materiais; - Ocasiona economia de tempo de construção, obtendo-se um rápido retorno do investimento; - Evita a improvisação; - É mais apta para o cumprimento dos controles e recepção; 2.7 DESVANTAGENS Da mesma forma, os sistemas pré-fabricados podem apresentar muitas desvantagens em relação aos sistemas tradicionais: Técnicas - Falta de monolitismo da construção, especialmente nas regiões sísmicas; - Problemas na resolução das juntas; - Necessidade de superdimensionar certos elementos, considerando situações desfavoráveis durante o transporte ou na montagem; - Incógnitas quanto à confiabilidade de certos materiais ou sistemas; - Devem ser respeitados os gabaritos de transporte; 25

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

Técnicas da Construção Civil. Aula 02

Técnicas da Construção Civil. Aula 02 Técnicas da Construção Civil Aula 02 Necessidades do cliente e tipos de Estruturas Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Necessidades do Cliente Função ou tipo de edificação? Como e quanto o cliente quer

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

Arquitetura Residencial Unifamiliar em Concreto Pré-Moldado

Arquitetura Residencial Unifamiliar em Concreto Pré-Moldado Arquitetura Residencial Unifamiliar em Concreto Pré-Moldado Gisela Jeske Krüger ¹ Resumo: Este artigo apresenta a contribuição e a importância do concreto prémoldado em edificação de arquitetura residencial

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM

PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM Com mais de 20 anos de experiência na fabricação de pré-moldados em concreto, a PRÉ-MOLD RM oferece uma completa linha de produtos para a dinamização de sua obra. Laje Treliçada Bidirecional; Laje Treliçada

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA.

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. Adriano Mariot da Silva (1), Mônica Elizabeth Daré (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL OSASCO 2012 2 ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONTRUÇÃO CIVIL

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

Influência do tipo de laje nos custos de um edifício em aço

Influência do tipo de laje nos custos de um edifício em aço ArtigoTécnico Ygor Dias da Costa Lima 1 Alex Sander Clemente de Souza 2 Silvana De Nardin 2 1 Mestre em Construção Civil pela Pós-Graduação em Construção Civil PPGCiv/UFSCar 2 Prof. Dr. Pós-Graduação em

Leia mais

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje.

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. MANUAL DE COLOCAÇÃO Laje Treliça Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. Henrique. [Endereço de email] 1 VANTAGENS LAJE TRELIÇA É capaz de vencer

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP Autores: Nayra Yumi Tsutsumoto (1); Cesar Fabiano Fioriti (2) (1) Aluna de Graduação

Leia mais

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Prof. LIA LORENA PIMENTEL LAJES

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Prof. LIA LORENA PIMENTEL LAJES MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Prof. LIA LORENA PIMENTEL LAJES LAJES Serão o piso ou a cobertura dos pavimentos. As lajes poderão ser: Maciças - moldadas in loco, economicamente viável para h 15 cm. Nervurada

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS Soluções estruturais e arquitetônicas em aço, traduzidas em estética, conforto, segurança e versatilidade. Catálogo destinado ao pré-lançamento do produto.

Leia mais

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO Augusto Guimarães Pedreira de Freitas PEDREIRA DE FREITAS LTDA COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO RECIFE/PE AGRADECIMENTO ESPECIAL

Leia mais

ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS

ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO: USO DE ESTRUTURAS DE LAJES ALVEOLARES E ESTRUTURAS DE LAJES NERVURADAS Ernani Alencar Rodrigues 1 Anderson Alves de Oliveira 2 Larissa Maria Argollo de Arruda Falcão 3 RESUMO:

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC.

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Comprometida com a qualidade e o desenvolvimento dos nossos produtos investimos continuamente

Leia mais

PONTILHÕES EM ABÓBODAS E MUROS PRÉ-MOLDADOS SOLIDARIZADOS COM CONCRETO MOLDADO NO LOCAL

PONTILHÕES EM ABÓBODAS E MUROS PRÉ-MOLDADOS SOLIDARIZADOS COM CONCRETO MOLDADO NO LOCAL PONTILHÕES EM ABÓBODAS E MUROS PRÉ-MOLDADOS SOLIDARIZADOS COM CONCRETO MOLDADO NO LOCAL Mounir Khalil El Debs Professor Associado, Departamento de Engenharia de Estruturas Escola de Engenharia de São Carlos

Leia mais

ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO 1 ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO Texto complementar 1. INTRODUÇÃO Os primeiros edifícios com estrutura de concreto armado foram concebidos utilizando-se

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO Sistema Construtivo Fabricado de acordo com a ISO 9002 Conforto as normas ASTM( EUA) e ABNT (Brasil). Comprovada em testes de desempenho realizados pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo

Leia mais

PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS.

PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS. PROBLEMAS DETECTADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL INDUSTRIALIZADA E SISTEMAS CONVENCIONAIS. BARBOSA, Luciano Henrique Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO No Brasil, hoje existe a necessidade

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica Primeira edição válida a partir

Leia mais

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço Contribuição técnica nº 2: Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados Autores: Eng. M.Sc. Ygor Dias da Costa Lima Prof. Dr. Alex Sander C. de Souza Contato: alex@ufscar.br 1 Análise

Leia mais

Aços Longos. Soluções Lajes

Aços Longos. Soluções Lajes Aços Longos Soluções Lajes Soluções Lajes Dentre os desafios da engenharia civil, o sistema construtivo de lajes deve atender à eficiência estrutural, visando a soluções seguras, economicamente viáveis

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS Aulas 5-8 Gerson Moacyr Sisniegas Alva DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes

2. Sistema de fôrmas plásticas para lajes Sistema de fôrmas plásticas para lajes de concreto JOAQUIM ANTÔNIO CARACAS NOGUEIRA Diretor de Engenharia VALTER DE OLIVEIRA BASTOS FILHO Engenheiro Civil CARLOS ALBERTO IBIAPINA E SILVA FILHO Engenheiro

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício.

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. TRABALHO PRÁTICO Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. Grupos: grupos de TRÊS ou QUATRO participantes, necessariamente todos da mesma turma (Turma AC - manhã e Turma BD - tarde

Leia mais

Características do Sistema

Características do Sistema Características do Sistema O emprego de lajes nervuradas nas estruturas de concreto armado ganhou grande impulso nos últimos anos graças às modernas técnicas construtivas e ao desenvolvimento dos programas

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO ANALISANDO A RIGIDEZ DO ENGASTAMENTO ENTRE VIGAS E PILARES E UTILIZANDO

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA

SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA 1 CONSTRUINDO GRANDES NEGÓCIOS PRÉ-FABRICADOS 2 SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO SUDESTE PRÉ-FABRICADOS PRONTOS PARA TODA E QUALQUER EMPREITADA SUDESTE PRÉ-FABRICADOS CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE 3 A

Leia mais

construímos a inovação POR

construímos a inovação POR construímos a inovação POR construímos a inovação 2 3 Compact Habit, uma iniciativa da empresa de Manresa, Constructora d Aro S.A., foi criada em 2004 para atender à necessidade de inovação na construção.

Leia mais

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros.

PANTHEON - ROMA. Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. EMPREENDIMENTOS PANTHEON - ROMA Construído em 118 128 d.c. (1887 anos atrás) Cúpula de 5.000 toneladas Altura e o diâmetro do interior do Óculo é de 43,3 metros. CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS

PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS PARÂMETROS PARA SELEÇÃO E PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE PISOS DO PAVIMENTO TIPO DE EDIFÍCIOS Julio Cesar Sabadini de Souza Escola Politécnica da USP - Av. Prof. Almeida Prado, Trav. 2, nº 271 - PCC CEP

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo para estruturas de concreto desde a década de 70, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O Sistema SF de Fôrmas para

Leia mais

Recomendações para a Elaboração do Projeto Estrutural

Recomendações para a Elaboração do Projeto Estrutural Universidade Estadual de Maringá - Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Disciplina: Estruturas em Concreto I Professor: Rafael Alves de Souza Recomendações para a Elaboração do Projeto

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa O espaçador treliçado ABTC da FAMETH é utilizado em lajes, substituindo o ultrapassado caranguejo. É indicado para apoiar e manter o correto posicionamento

Leia mais

APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS EM EDIFÍCIOS DE MÚLTIPLOS ANDARES

APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS METÁLICAS EM EDIFÍCIOS DE MÚLTIPLOS ANDARES Autor: Paulo André Brasil Barroso Eng. Civil. Pós-graduado em cálculo estrutural McGill University Montreal Canadá 1975/1977. Sócio de uma das maiores empresas fabricantes de estruturas metálicas do país

Leia mais

SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL

SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL SÍSMICA 2007 7º CONGRESSO DE SISMOLOGIA E ENGENHARIA SÍSMICA 1 SISMO BUILDING TECHNOLOGY, TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO ANTI-SISMICA: APLICAÇÕES EM PORTUGAL M.T. BRAZ CÉSAR Assistente IPBragança Bragança Portugal

Leia mais

Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto

Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto XI Fórum Técnico Gestão do Processo Construtivo Sinduscon-DF, 21 de novembro de 2013 Oportunidades oferecidas

Leia mais

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar:

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: 18 PROVA DE ENGENHARIA CIVIL QUESTÃO 41 Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: a) o diagrama do esforço cortante (DEC) é composto

Leia mais

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Aplicação do Concreto Pré-Moldado em Sistemas Construtivos Mistos / Híbridos Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Concreto Pré-Moldado em Sistemas Mistos O benefício da Construção Mista Industrializada

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF Fôrmas: A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo de paredes de concreto desde a década de 1970, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O SISTEMA

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS AULA 04 ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS Prof. Felipe Brasil Viegas Prof. Eduardo Giugliani http://www.feng.pucrs.br/professores/giugliani/?subdiretorio=giugliani 0 AULA 04 INSTABILIDADE GERAL DE EDIFÍCIOS

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PRINCIPÍOS BÁSICOS PARA PROJETOS/ MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO EM ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS DE CONCRETO ARQUITETA NANCI CRUZ MODULAÇÃO

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Maria Emília Penazzi mepenazzi@yahoo.com.br Prof. Dr. Alex Sander Clemente

Leia mais

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Lajes armadas

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE EM PREMOLDADOS

CONTROLE DA QUALIDADE EM PREMOLDADOS CONTROLE DA QUALIDADE EM PREMOLDADOS Fonte: Reprodução A EMPRESA Fonte: Reprodução Somos uma Empresa de Representação de ESTRUTURAS PRÉ-MOLDADAS (Galpões e outros mais ) e ESTRUTURAS METÁLICAS (Galpões,

Leia mais

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Conheça a PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Mais de 80 anos de experiência O imigrante italiano Giovanni Pauluzzi e seus filhos Theo e Ferrucio construíram a primeira unidade da empresa em 1928, especializada

Leia mais

- Generalidades sobre laje Treliça

- Generalidades sobre laje Treliça - Generalidades sobre laje Treliça São lajes em que a viga pré-fabricada é constituída de armadura em forma de treliça, e após concretada, promove uma perfeita solidarização, tendo ainda a possibilidade

Leia mais

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto)

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) - Fatores Críticos de Sucesso Francisco Paulo Graziano Características necessárias das estruturas dos em parede estrutural Facilidade

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales

IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO. Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales IDENTIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA EM EDIFÍCIOS ESTRUTURADOS EM AÇO Silvia Scalzo Maria Alice Gonzales 1 INTRODUÇÃO: COMPETITIVIDADE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO crescimento da concorrência entre

Leia mais

AULA A TIPOS DE LAJES

AULA A TIPOS DE LAJES AULA A TIPOS DE LAJES INTRODUÇÃO Lajes são partes elementares dos sistemas estruturais dos edifícios de concreto armado. As lajes são componentes planos, de comportamento bidimensional, utilizados para

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

O www.romanio.com.br

O www.romanio.com.br O www.romanio.com.br VANTAGENS Dispensa usos de compensados Simplifica armação Otimiza vãos de maior envergadura Racionaliza a construção de lajes nervuradas Nervuras tecnicamente dimensionadas, de modo

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

Manual de Sistemas Pré-Fabricados de Concreto

Manual de Sistemas Pré-Fabricados de Concreto Manual de Sistemas Pré-Fabricados de Concreto Autor (FIB/2002) Arnold Van Acker Tradução (ABCIC/2003) Marcelo de Araújo Ferreira Autor: Arnold Van Acker (FIP-2002) Tradução: Marcelo Ferreira (ABCIC-2003)

Leia mais

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Motivação Esqueça o que você já ouviu falar sobre casa de madeira, isto aqui

Leia mais

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado

2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2 Sistema de Lajes com Forma de Aço Incorporado 2.1. Generalidades As vantagens de utilização de sistemas construtivos em aço são associadas à: redução do tempo de construção, racionalização no uso de

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases:

ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES. O Projeto de passarela para pedestres será desenvolvido em duas fases: ISF 219: PROJETO DE PASSARELA PARA PEDESTRES 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Passarela para Pedestres em Projetos de Engenharia Ferroviária. 2. FASES DO PROJETO O

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ISOPORTEC A ISOPORTEC é focada na produção de soluções em isopor de alta performance para a construção civil, valorizando produtos que fazem diferença nos projetos mais complexos.

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL Proposta Nº: SC-PP-0208-2014 Belo Horizonte, 05 de junho de 2014. O.F. CARAN Ibiraçu/ES At.: Otaviano Caran Ref.: ORÇAMENTO DE ESTRUTURA PRÉ-FABRICADA PARA MÓDULO DIDÁDICO E MÓDULO ADMINISTRATIVO, A SER

Leia mais

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações

Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações Edição: 5132010 Litoral Paulista, sexta-feira, 20 de agosto Página: 1 Grupo Usiminas fabrica em Cubatão e Ipatinga, em Minas Gerais, perfis de aço para a construção de habitações w w w. u s i m i n a s.

Leia mais

CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO

CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO Serviço: 1ª FASE DO LABORATÓRIO DE ESCOAMENTOS DE MULTIFÁSICOS INDUSTRIAIS - ESTRUTURA E COBERTURA DATA: 9 de novembro de 2010 CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO DESCRIÇÃO UNID. QUANT. PREÇO MAT. (UNIT.)(R$)

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA

RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA RACIONALIZAÇÃO CONSTRUTIVA Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco Depto. Eng. Construção Civil da EPUSP ARCO Assessoria em Racionalização Construtiva S/C ltda. arco@uol.com.br A busca de soluções para o aumento

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 CONCEITOS QUE INFLUENCIAM NA ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTRUTURAL Marco Antônio Nunes de Melo 1 ; Carolina Oliveira Pinto n 1 Universidade de Uberaba marconunes_eng@outlook.com 1; carolina.pinto@uniube.br

Leia mais

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes)

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) 1- Qual tipo de aço da vigota e qual a sua norma? São produzidas com aço estrutura ZAR 345, com revestimento Z275, no qual segue as prescritivas

Leia mais

LAJES EM CONCRETO ARMADO

LAJES EM CONCRETO ARMADO LAJES EM CONCRETO ARMADO CONCEITOS BÁSICOS As telas soldadas, que são armaduras pré-fabricadas soldadas em todos os pontos de cruzamento, apresentam inúmeras aplicações na construção civil, destacando-se

Leia mais