COLETÂNEA DO USO DO AÇO INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COLETÂNEA DO USO DO AÇO INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES"

Transcrição

1 COLETÂNEA DO USO DO AÇO INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES

2 COLETÂNEA DO USO DO AÇO INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES 4ª Edição 2007 Roberto de Araujo Coelho

3 Coordenação Técnica: Djaniro Álvaro de Souza Colaboração: Christiane Mirian Haddad Fernando Ottoboni Pinho Rosângela C. Bastos Martins Coordenação Gráfica: Andréa Vicentin

4 APRESENTAÇÃO A construção industrializada oferece vantagens extraordinárias, desde a racionalização do processo construtivo até a conseqüente redução de custos e desperdícios. E quando se trata de racionalização do processo construtivo, é obrigatório considerar o uso de estruturas metálicas como alternativa. Utilizada largamente no segmento industrial brasileiro, a construção em aço ainda tem uma participação tímida no que se refere principalmente a edifícios de andares múltiplos. Há que destacar, entretanto, que nos últimos anos a construção em aço tem crescido exponencialmente, seguindo a inexorável tendência ao uso de processos industrializados e alta tecnologia. Trata-se de um desafio extraordinário, considerando-se que na costrução civil brasileira predomina a construção convencional e os métodos artesanais. Os Perfis Gerdau Açominas, laminados, cuja fabricação foi iniciada em 2002, representam um reforço em termos de produtos classe mundial, para ajudar o segmento da construção em aço a aumentar sua competitividade. É essencial na construção industrializada, dedicar-se mais tempo ao projeto e ao planejamento, em benefício de maior rapidez na execução da obra. A escolha dos elementos construtivos e a sua melhor combinação são fatores preponderantes para a racionalização da construção e a redução de prazos e custos. Nesse contexto, referindo-nos à construção em aço, a interface entre as vedações (paredes e lajes) e a estrutura requerem atenção especial, visando aumentar a velocidade da construção e prevenindo eventuais patologias. Quando lançamos a primeira edição deste manual, não tínhamos idéia da extraordinária demanda por parte dos profissionais do segmento para esse tipo de publicação. A 2ª edição também foi esgotada rapidamente, tornando-se um dos mais procurados manuais da Coletânea do Uso do Aço, editados pela Gerdau Açominas. Na 3ª edição, que publicamos com renovada satisfação, foram incluídas novas interfaces, abrangendo outros tipos de edificações e ampliando assim a sua utilização como material técnico de referência e consulta.

5

6 ÍNDICE 1 Introdução Interfaces Usuais em Edifícios...11 Vedações...13 Painéis Pré-Moldados...14 Placas, Pele de Vidro...23 Parede Cortina...28 Paredes Moldadas in Loco...30 Desvinculada...30 Vinculada...42 s...45 Maciça Convencional...46 Pré-Moldada Alveolar...47 Mista com Fôrma de Aço Incorporada...48 Treliçada Interfaces Usuais em Galpões...51 Vedações...53 Painel Pré-Moldado Alveolar...55 Painel Metálico e Parede...56 Parede Moldada in Loco Notas Gerais...61 Recomendações...63 Referências Bibliográficas

7

8 1 INTRODUÇÃO

9

10 INTRODUÇÃO Neste manual são apresentadas diversas soluções possíveis para as interfaces entre os Perfis Gerdau Açominas e demais sistemas complementares estruturais e de vedação que contribuem para o funcionamento de uma edificação como um todo. As vedações verticais fazem parte do sistema responsável pela forma do edifício. Nelas estão inseridas as janelas, as portas, as instalações, e também fixados os revestimentos. Sua geometria é fruto da criatividade e experiência do arquiteto. As dimensões e formas definirão as opções de escolha do sistema a ser adotado, seja painel, placa, pele de vidro ou alvenaria convencional. Como representam quase a totalidade da superfície vertical do edifício, devem ser tratadas com a devida atenção e responsabilidade. As vedações horizontais, compostas pelas lajes, são elementos estruturais que, unidos à estrutura, garantem a sua sustentação. São responsáveis pela transferência das cargas verticais às vigas e, das horizontais, às colunas. O tipo de laje determina não só o desempenho da estrutura, como todo o desenvolvimento da obra quanto à produtividade, velocidade, precisão e segurança. A seção transversal e sua deformabilidade vertical definem as fixações das vedações verticais, principalmente as internas. Independente do grau de industrialização do processo construtivo adotado, a estrutura deverá estar em harmonia com os demais elementos que compõem a edificação. A escolha do tipo de vedação a ser projetada necessita ser cuidadosamente avaliada e precedida do estudo das características de cada sistema ou processo e de uma verificação da disponibilidade no mercado. Os detalhes sugeridos neste manual são meramente ilustrativos, devendo ser consultados os fornecedores quanto às especificações de cada sistema. Não devem, portanto, ser utilizados diretamente nos projetos e obras sem um prévio estudo e dimensionamento. 9

11

12 2 INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS

13

14 INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS VEDAÇÕES 13

15 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS São paredes inteiras, industrializadas, posicionadas externamente à estrutura. Quando fixados diretamente nos pilares, reduzem significativamente o peso das vigas externas, pois não transferem cargas para as mesmas. É o sistema com maior grau de industrialização no processo construtivo e, quando necessário, podem substituir os contraventamentos metálicos externos, bastando que sejam corretamente projetados para tal situação. DET 05A DET 05B DET 01B DET 03 DET 04 DET 02 DET 01A DET 01C DET 01D 14

16 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS DET 01 A Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Painel Pré-Moldado PLANTA Divisória ("dry-wall") Fixação Gravidade Apoio Fixação Fixação Gravidade (inferior) Painel Apoio Fixação Vedação Anti-Chama Vedação Anti-Chama Isolamento Térmico Perfil de Arremate Tolerância Apoio Móvel (superior) Espaçador Painel Tolerância Painel 15

17 DET 01 B PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com a cobertura impermeabilizada. Painel Interno ISOMÉTRICO Painel Pré-Moldado PLANTA Painel interno Painel externo Fixação Gravidade (inferior) Apoio Fixação Apoio móvel Pingadeira Painel Interno Fixação Gravidade (inferior) Painel externo Vedação Anti-Chama Piso Impermeabilizado Apoio Fixação Vedação Anti-Chama Tolerância Perfil de Arremate Painel Borracha Vedação Tolerância Painel Apoio Móvel (superior) 16

18 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS DET 01 C Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com forro do pilotis. ISOMÉTRICO Painel Pré-Moldado PLANTA Divisória ("dry-wall") Fixação Gravidade Apoio Fixação Painel Fixação Gravidade (inferior) Apoio Fixação Vedação Anti-Chama Vedação Anti-Chama Perfil de Arremate Isolamento Térmico Tolerância Painel Borracha Vedação Forro Estabilizador Junta tratada com selante Painel 17

19 DET 01 D PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate com piso impermeabilizado. ISOMÉTRICO Painel Pré-Moldado Painel Borracha Vedação Piso ALTERNATIVA Fixação Gravidade (Inferior) Painel Fixação Gravidade (Inferior) Painel Piso Interno Apoio Fixação Piso Impermeabilizado Piso Interno Apoio Fixação Piso Impermeabilizado 18

20 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS DET 02 Estrutura não aparente. Painel pré-moldado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Painel PLANTA Divisória ("dry-wall") Fixação Gravidade Fixação Gravidade (inferior) Painel Apoio Fixação Vedação Anti-Chama Vedação Anti-Chama Perfil de Arremate Isolamento Térmico Tolerância Apoio Móvel (superior) Painel Tolerância Espaçador Painel 19

21 DET 03 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Estrutura não aparente. Painel extrusado de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Painel Extrusado PLANTA Divisória ("dry-wall") Fixação Fixação Vedação Anti-Chama Perfil de Arremate Vedação Anti-Chama Isolamento Térmico Painel Extrusado Tolerância Painel Fixação Espaçador Painel 20

22 PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS DET 04 Estrutura aparente. Painel de Concreto Celular Autoclavado (CCA). Alinhamento pela face externa da coluna. ISOMÉTRICO Painel CCA PLANTA Painel CCA Argamassa Adesiva Junta Movimento DET B Cantoneira Perfil "U" DET B Perfil "U" Painel CCA Interno Perfil de Arremate DET B Espaçador Painel Perfil "U" Perfil "U" Painel CCA Painel Interno 21

23 DET 05 A PAINÉIS PRÉ-MOLDADOS Painel extrusado de vedação. Detalhe de arremate com a cobertura impermeabilizada. Placa de arremate Borracha Vedação Painel Pingadeira DET B Painel Interno Piso Impermeabilizado DET B Pingadeira Fixação Vedação Anti-Chama DET B Painel Borracha Vedação Placa de arremate Painel Extrusado Painel DET 05 B Painel de Concreto Celular Autoclavado. Detalhe de arremate com a cobertura. Perfil "U" Painel CCA Interno Perfil de arremate Cantoneira / Perfil "U" Painel CCA Perfil "U" 22

24 PLACAS / PELE DE VIDRO São elementos de vedação (externos ou internos) industrializados, que necessitam de uma estrutura auxiliar para fixação, geralmente composta por perfis de alumínio ou de chapa galvanizada dobrada, denominada steel frame. O dry wall é o sistema interno mais comum. As placas internas são geralmente de gesso acartonado e as externas em vidro ou material cimentício, resistente à umidade. Neste último caso, necessitam de isolamento térmico adicional (manta de lã de rocha ou vidro) aplicado no vazio interno, entre as placas, onde as instalações são também facilmente posicionadas. DET 06 DET 07 DET 08, 09 23

25 DET 06 PLACAS / PELE DE VIDRO Divisória interna. Placas de gesso acartonado. Alinhamento pela face da viga. ISOMÉTRICO Guia Placa de Gesso Acartonado Montante Guia PLANTA Guia (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Placa de Gesso Acartonado Montante (ch. galv.) Guia (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Placa de Gesso Acartonado Placa de Gesso Acartonado Guia (ch. galv.) Montante (ch. galv.) Isolante Térmico Isolamento Térmico 24

26 PLACAS / PELE DE VIDRO DET 07 Estrutura não aparente. Placas de vedação. Alinhamento pela face externa da coluna. ISOMÉTRICO PLANTA Placa Cimentícia (externo) Montante (ch. galv.) Placa Gesso (interno) Placa Cimentícia (externo) Montante (ch. galv.) Guia (ch. galv.) Placa Gesso (interno) Isolamento Térmico Perfil de Arremate Montante (ch. galv.) Apoio Auxiliar Placa Cimentícia Guia (ch. galv.) Painel Isolante Térmico Painel 25

27 DET 08 PLACAS / PELE DE VIDRO Estrutura não aparente. Placas de vedação. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO PLANTA Granito/ Mármore/ Placa Metálica Montante Suporte Granito/ Mármore/ Placa Metálica Suporte Isolamento Térmico Placa Gesso (interno) Junta Movimento Perfil de Arremate Montante (galv. / al.) Placa Gesso (interno) Isolante Térmico Montante Granito/ Mármore/ Placa Metálica Granito/ Mármore/ Placa Metálica 26

28 PLACAS / PELE DE VIDRO DET 09 Estrutura não aparente. "Pele" de vidro. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO PLANTA Vidro Rodapé Vidro Junta Vidro Rodapé Arremate Rodapé Montante Suporte Perfil de Arremate Vidro Arremate Vidro Montante Forro Montante Vidro 27

29 PAREDE CORTINA São paredes executadas externamente à estrutura, apoiadas diretamente nas fundações ou em vigas de transição. A estabilização horizontal se dá por meio de conectores fixados à estrutura no nível das lajes ou vigas. Funciona como uma pele e é ideal para obras industriais, com grandes alturas. DET 10 28

30 PAREDE CORTINA DET 10 Estrutura não aparente. Parede cortina. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO PLANTA Junta Movimento Cintamento Conector (cisalhamento) Interno Conector (cisalhamento) Cintamento Espaçador Interno 29

31 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Desvinculada São paredes fixadas à estrutura por meio de sistemas que permitem pequenas movimentações diferenciais segundo seu plano. São empregadas em obras com grandes vãos, acima de 5 ou 6 m, geralmente comerciais e industriais. Utilizam-se duas cantoneiras paralelas ou um perfil U, gerando um sistema de encaixe da alvenaria que impede apenas movimentos transversais ao seu plano. Na junção entre a parede e o sistema de fixação formam-se juntas de movimento, incorporadas ao acabamento final. É um sistema com alto grau de confiabilidade que reduz significativamente o nível de patologias. DET 13C, 13D DET 11A, 11B DET 12 DET 13B DET 15 DET 11 DET 14 DET 12A DET 13 DET 13A 30

32 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 11 Estrutura aparente. desvinculada externa/interna. Alinhamento pelo eixo da coluna. Perfil "U" ISOMÉTRICO PLANTA Junta Movimento Perfil "U" Perfil "U" () Junta Movimento Perfil "U" Interno DET B Cantoneira / Perfil "U" Cantoneira Cantoneira DET B () Perfil "U" Interno Pingadeira 31

33 DET 11 A PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Estrutura aparente. Platibanda com laje impermeabilizada. Alinhamento pelo eixo da coluna. ISOMÉTRICO Peitoril PLANTA Projeção Peitoril Cantoneira Peitoril Interno Rebaixo p/ a Impermeabilização Cantoneira / Perfil "U" DET B DET B Cantoneira Cantoneira Pingadeira () 32

34 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 11 B Estrutura aparente. Cobertura com telhado. Alinhamento pelo eixo da coluna. ISOMÉTRICO Rufo metálico Cintamento Telhado PLANTA Cintamento Telhado Telhado Rufo Metálico Perfil "U" Cintamento Projeção do rufo metálico Perfil "U" Cantoneira / Perfil "U" DET B DET B Cantoneira Cantoneira Pingadeira () 33

35 DET 12 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Estrutura não aparente. desvinculada externa. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Fixação Ver PLANTA Junta Movimento Barra de Fixação Barra de Fixação Malha de Reforço Perfil de Arremate Barra de Fixação Espaçador Interno 34

36 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" ISOMÉTRICO DET 12 A Estrutura não aparente. desvinculada externa. Alinhamento por fora da estrutura. Detalhe de arremate nos pilotis. Fixação PLANTA Junta Movimento Barra de fixação Barra de fixação Espaçador Pingadeira 35

37 DET 13 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Estrutura não aparente. desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Barra de fixação PLANTA Junta Movimento Barra de Fixação Interno Barra de Fixação Malha de Reforço Perfil de Arremate Barra de Fixação Espaçador 36

38 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 13 A ISOMÉTRICO Estrutura não aparente. desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. PLANTA Junta Movimento Interno Junta Movimento ISOMÉTRICO DET 13 B Estrutura não aparente. desvinculada externa/interna. Alinhamento por fora da estrutura. PLANTA Interno Junta Movimento Junta Movimento Barra de Fixação 37

39 DET 13 C PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Estrutura aparente. Platibanda em alvenaria com laje impermeabilizada. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Peitoril Cintamento PLANTA Cintamento Projeção Peitoril Peitoril Cintamento Rebaixo p/ a Impermeabilização Barra de fixação (cfe. Det 13) Malha de reforço Perfil de arremate Barra de fixação Espaçador 38

40 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 13 D Estrutura não aparente. Cobertura com telhado. Alinhamento por fora da estrutura. ISOMÉTRICO Rufo metálico Cintamento PLANTA Telhado Telhado Cintamento Projeção do rufo metálico Telhado Rufo Metálico Cintamento externo Barra de fixação Malha de reforço Perfil de arremate Barra de fixação Espaçador 39

41 DET 14 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Estrutura não aparente. dupla externa p/ região contraventamento. Alinhamento pelo eixo da viga. ISOMÉTRICO Parede Simples Contraventamento Cantoneira Parede Dupla PLANTA Interno Junta Movimento DET B Perfil "U" Pino Fixação Cantoneiras do Pilar Pino Fixação Junta Movimento Contraventamento DET B Interno Perfil "U" () Malha de Reforço Dupla Perfil de Arremate DET B Pino Fixação Placa Cimentícia Espaçador Cantoneira () Contraventamento Parede Dupla Fiada de Travamento Cantoneira Espaçador Placa cimentícia 40

42 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 15 Estrutura revestida. desvinculada externa. Alinhamento pela face externa da coluna. ISOMÉTRICO Cantoneira PLANTA Junta Movimento DET B Perfil "U" Pino Fixação do Pilar Perfil "U" Junta Movimento Interno Cantoneira Pino Fixação DET B () Malha de Reforço Perfil de Arremate DET B Pino Fixação Placa Cimentícia Espaçador Cantoneira Placa Cimentícia () Perfil "U" Cantoneira Espaçador Interno 41

43 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Vinculada São paredes unidas solidariamente à estrutura, trabalhando em conjunto, sendo mais utilizadas em edifícios com pequenos vãos (até 5 m aproximadamente), e destinados ao uso residencial ou salas comerciais, onde o emprego de juntas não é esteticamente ideal. Nas ligações alvenaria-estrutura são empregadas barras de aço tipo estribo, denominadas ferro-cabelo, soldadas à estrutura. Preferencialmente, devem ser empregados segmentos de telas eletrossoldadas. Esse tipo de parede trabalha em conjunto com a estrutura, aumentando sua rigidez. Em situações especiais, podem ser eliminados os elementos de contraventamento metálico, transferindo os esforços para as paredes. Neste caso, devem ser consideradas como elementos estruturais e devidamente dimensionadas conforme a "Teoria das Diagonais Equivalentes", por exemplo. DET 16 DET 16A DET 16B 42

44 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 16 Estrutura aparente. vinculada externa/interna. Alinhamento pelo eixo da coluna. ISOMÉTRICO Tela Eletrossoldada PLANTA Friso Friso Tela Eletrossoldada Tela Eletrossoldada Tela Eletrossoldada Interno Argamassa Fraca Expansível DET C DET B Argamassa Fraca Expansível DET B Argamassa Fraca Expansível DET C Tela Eletrossoldada Pingadeira 43

45 DET 16 A PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Variação DET 11. Fixação em forma de estribo. ISOMÉTRICO Fixação (estribo) PLANTA Fixação (estribo) Friso Solda de campo DET 16 B Variação DET 11. Fixação em forma de gancho. ISOMÉTRICO Fixação (estribo) Interno Fixação (gancho) PLANTA Fixação (gancho) Friso Solda de campo Fixação (gancho) Interno 44

46 INTERFACES USUAIS EM EDIFÍCIOS LAJES 45

47 DET 17 LAJE CONVENCIONAL maciça, moldada "in loco". Conector (perfil "U") maciça Perfil de arremate Conector (perfil "U") DETALHE Conector (perfil "U" laminado) de concreto armado 46

48 LAJE ALVEOLAR DET 18 pré-moldada. Extrusada, protendida. Não necessita escoramento. Capa de Concreto Pré-Moldada Cintamento Periférico Conector (stud bolt) DETALHE Capa de Concreto Conector (stud bolt) Recorte no Pré-Moldado Armadura de Ligação Pré-Moldada 47

49 DET 19 LAJE COM FÔRMA DE AÇO INCORPORADA maciça. Forma metálica incorporada. Não necessita escoramento. ISOMÉTRICO Concreto Conector (stud bolt) Perfil de Arremate Forma Metálica (steel deck) DETALHE Conector (stud bolt) > 15 mm hc > 50 mm Vazio Forma Metálica (steel deck) 48

50 LAJE TRELIÇADA DET 20 pré-moldada treliçada. Necessita escoramento parcial. Capa de concreto Bloco EPS treliçada Cintamento periférico treliçada Conector (stud bolt) DETALHE Conector (stud bolt) Capa de concreto Bloco EPS treliçada 49

51

52 3 INTERFACES USUAIS EM GALPÕES

53

54 INTERFACES USUAIS EM GALPÕES VEDAÇÕES 53

55 VEDAÇÕES As vedações de galpões diferem das convencionais em alguns aspectos importantes: Grandes dimensões, tanto no comprimento quanto na altura; Bordo superior livre, sem apoio direto na estrutura; Estrutura com maior deslocamento horizontal na parte superior; Esforços horizontais elevados (vento, impacto). Para as vedações, devem ser definidos a posição em relação à estrutura, as condições de apoio em todo o perímetro, o sistema de fixação à estrutura, as juntas de movimentação, as cargas transversais e verticais, a espessura da parede, e o tipo de material a ser empregado. Nos locais onde haja a possibilidade de choque de veículos (carregadeiras, empilhadeiras) com as paredes, deve ser prevista a execução de elementos (bate-rodas) que impeçam esse tipo de impacto. Caso contrário, os esforços devem ser previstos no dimensionamento das paredes. As variações dimensionais das vedações, devido à temperatura e umidade, podem provocar esforços importantes quando as dimensões forem elevadas. Neste caso deve ser avaliada a necessidade e considerada a utilização de juntas de movimento. DET 24 DET 21 DET 25 DET 23 DET 22, 22A 54

56 PAINEL PRÉ-MOLDADO ALVEOLAR DET 21 Vedação externa em painel pré-moldado. Alinhamento por fora da estrutura. Rufo Calha Telha Metálica PLANTA DET B Painel Fixação ou H ou H Painel pré-moldado Fixação DET B Painel Borracha Vedação Painel DET B Argamassa de Assentamento Neoprene 55

57 DET 22 PAINEL METÁLICO E PAREDE Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. PLANTA Rufo Calha Telha Metálica Junta Movimento Telha Metálica Perfil "U" (duplo) ou H ou H Interno Cintamento de Topo ALTERNATIVA Junta Movimento Conector Cintamento Intermediário DET B ou H Perfil "U" Interno DET B Perfil "U" EPS 56

58 PAINEL METÁLICO E PAREDE DET 22 A Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. Rufo Calha Telha Metálica PLANTA Telha Metálica Junta Movimento ou H Perfil "U" (duplo) ou H Interno Perfil "U" Cintamento de Topo Perfil "U" PLANTA - ALVENARIA Interno Junta Movimento Pilarete (Perfil "U"- duplo) Perfil "U" (duplo) 57

59 DET 23 PAINEL METÁLICO E PAREDE Vedação externa. Alinhamento pela face externa da coluna. Telha Metálica Rufo Calha Telha Metálica PLANTA ou H Cantoneira Cintamento Intermediário ou H Cintamento Intermediário Interno Cantoneira ou H 58

60 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" DET 24 Vedação externa. Alinhamento por fora da estrutura. Rufo Calha Telha Metálica Cintamento de Topo PLANTA Junta Movimento ou H Cintamento Intermediário Perfil "U" (duplo) ou H Interno Cintamento Intermediário Perfil "U" Perfil "U" 59

61 DET 25 PAREDES MOLDADAS "IN LOCO" Vedação externa em alvenaria. com enrijecedor. Rufo Telha Metálica Cintamento de Topo Terça ou H PLANTA Cintamento Intermediário Cintamento Intermediário Reforço (armadura + graute) Enrijecedor Enrijecedor Cintamento Intermediário 60

62 4 NOTAS GERAIS

63

64 RECOMENDAÇÕES É parte do processo de dimensionamento e detalhamento considerar as condições particulares de cada obra e atender às prescrições normativas vigentes. Este trabalho requer a participação de um profissional qualificado, com experiência específica comprovada. As vedações, principalmente as externas, devem ser projetadas para resistir aos esforços horizontais oriundos da ação do vento e outras ações relevantes. Sempre que for empregada solda de campo, essa deve ser realizada por profissional qualificado e inspecionada dentro dos padrões normativos. A aplicação de material selante nas juntas externas precisa seguir rigorosamente as prescrições dos fornecedores e suportar a ação dos raios ultra-violetas (mastique poliuretânico ou silicone neutro, por exemplo). Para maiores informações consulte o site: REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Allen, E., "Fundamentals of Building Construction Materials and Methods", 3rd Ed., J.Wiley & Sons Inc., Canada, USA, Bender, R., "Una Visión de la Construcción Indutrializada", Ed. Gustavo Gili S.A., Baracelona, Coelho, R. de A.,"Vedações para Edifícios em Estrutura Metálica : Critérios e Projetos", III Seminário Intern. - O uso de Estrutura Metálicas na Construção Civil", Notas de aula, Belo Horizonte, Dur-O-Wall," Masonry Repair Handbook", Dur-O-Wall, USA, Laska,W., "Masonry and Steel Detaling Handbook", The Arbedeen Group, USA,

65 VENDAS SÃO PAULO Tel. (11) Fax (11) MINAS GERAIS Tel. (31) Fax (31) NORTE / NORDESTE Pernambuco Tel. (81) Fax (81) Bahia Tel. (71) Fax (71) RIO DE JANEIRO Tel. (21) Fax (21) CENTRO-OESTE Tel. (62) Fax (62) SUL Rio Grande do Sul Tel. (51) Fax (51) Paraná Tel. (41) Fax (41) /11 MD

INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES

INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES COLETÂNEA DO USO DO AÇO 1 INTERFACE ENTRE PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS E SISTEMAS COMPLEMENTARES 3ª Edição (Revisada e Ampliada) 2004 Volume 1 Roberto de Araujo Coelho Coordenação: Djaniro Álvaro de Souza

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados e tilt-up Vitor Faustino Pereira Engenheiro Civil Professor Adjunto UEL Sócio Diretor:

Leia mais

Steel frame - cobertura (última parte)

Steel frame - cobertura (última parte) Página 1 de 8 Steel frame - cobertura (última parte) A cobertura destina-se a proteger as edificações da ação das intempéries. Pode ser vista também como um dos elementos de importância estética do projeto,

Leia mais

ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço. Maior limpeza de obra: Devido à ausência de entulhos, como escoramento e fôrmas.

ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço. Maior limpeza de obra: Devido à ausência de entulhos, como escoramento e fôrmas. ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço Menor tempo de execução: A estrutura metálica é projetada para fabricação industrial e seriada, de preferência, levando a um menor tempo de fabricação

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

Placostil - Wall Paredes

Placostil - Wall Paredes 0 0 Placostil - Wall Paredes Conceitos Sistema Placostil Wall Paredes É um sistema de paredes de vedações internas constituídas por uma estrutura metálica de chapa de aço galvanizado, sobre a qual se aparafusam,

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4?

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527 O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? Luciana Alves de Oliveira Slides da Palestra apresentada

Leia mais

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3)

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3) GALPÕES (Projeto proposto) A ligação mais imediata que se faz da palavra galpão é com o uso industrial. No entanto galpões podem ser usados para as mais diversas atividades, tais como, hangares, espaços

Leia mais

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 09, 10 e 11 de Setembro 2008 SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO Alexandre Kokke

Leia mais

Concepções estruturais 1 ª aula. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz

Concepções estruturais 1 ª aula. Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Concepções estruturais 1 ª aula Professores: Nádia Forti João Carlos Rocha Braz Ante - Projeto O que você quer? Satisfazer as necessidades e possibilidades do cliente; Espaços; Volume; Estética. Ante -

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME GESSO SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME Gesso O gesso é uma substância, normalmente vendida na forma de um pó branco, produzida a partir do mineral gipsita, composto basicamente de sulfato de cálcio hidratado.

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE

ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE 1 ÍNDICE 1 ESTRUTURA DE SUPORTE... 3 2 INSTALAÇÃO DOS PAINÉIS (CHAPAS)... 4 3 VENTILAÇÃO DO TELHADO... 5 4 INSTALAÇÃO DA SUBCOBERTURA... 7 5 INSTALAÇÃO DOS

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto

Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto Oportunidades de ganhos gerados pela adoção de Sistemas Estruturais em Aço e mistos Aço-Concreto XI Fórum Técnico Gestão do Processo Construtivo Sinduscon-DF, 21 de novembro de 2013 Oportunidades oferecidas

Leia mais

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Lajes armadas

Leia mais

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA As paredes de madeira dividem-se em: Paredes Estruturais Divisão e fechamento de ambientes Suportar cargas verticais e transmití-las as fundações Suportar cargas horizontais

Leia mais

PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM

PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM PRÉ-MOLD RM Com mais de 20 anos de experiência na fabricação de pré-moldados em concreto, a PRÉ-MOLD RM oferece uma completa linha de produtos para a dinamização de sua obra. Laje Treliçada Bidirecional; Laje Treliçada

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas 1 de 9 01/11/2010 23:26 Como construir Lajes com EPS Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas As lajes tipo volterrana abriram a trajetória das lajes pré-moldadas. O sistema utiliza

Leia mais

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto ESTRUTURAS Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAREDES DE TIJOLO Assentamento dos tijolos: Quanto a colocação (ou dimensão das paredes) dos tijolos, podemos classificar as paredes em: cutelo, de meio tijolo,

Leia mais

ESQUADRIAS Resumo da aula

ESQUADRIAS Resumo da aula ESQUADRIAS Resumo da aula Os vãos têm como funções a vedação e a comunicação dos ambientes internos e externos do edifício. Ambos necessitam de obras e serviços, executadas com materiais, segundo determinadas

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

Pré-Fabricação na Itáliana: PAINEIS DE FECHAMENTO

Pré-Fabricação na Itáliana: PAINEIS DE FECHAMENTO Pré-Fabricação na Itáliana: PAINEIS DE FECHAMENTO Os fechamentos constituem a parte externa e visível da construção, sua interface com o espaço urbano e, em geral, com o meio ambiente. Ao propor a arquitetura

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa O espaçador treliçado ABTC da FAMETH é utilizado em lajes, substituindo o ultrapassado caranguejo. É indicado para apoiar e manter o correto posicionamento

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO

SISTEMA CONSTRUTIVO ISOCRET ESTRUTURA /REVESTIMENTO Sistema Construtivo Fabricado de acordo com a ISO 9002 Conforto as normas ASTM( EUA) e ABNT (Brasil). Comprovada em testes de desempenho realizados pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo

Leia mais

AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL GG 50 O VERGALHÃO QUE ESTÁ POR DENTRO DAS MELHORES OBRAS VERGALHÃO GERDAU GG 50 Para o seu projeto sair do papel com segurança e qualidade, use o Vergalhão Gerdau GG 50. Produzido

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA

LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA 1. DEFINIÇÃO A Laje Alveolar é constituída de painéis de concreto protendido que possuem seção transversal com altura constante e alvéolos longitudinais, responsáveis pela redução

Leia mais

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço

Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados em aço Contribuição técnica nº 2: Análise comparativa de soluções de laje para edifícios estruturados Autores: Eng. M.Sc. Ygor Dias da Costa Lima Prof. Dr. Alex Sander C. de Souza Contato: alex@ufscar.br 1 Análise

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

Construção e montagem

Construção e montagem Construção e montagem Paredes com estrutura metálica W11 Construção A paredes consistem de uma estrutura metálica revestida com uma mais s de gesso, aparafusadas de ambos os lados. A estrutura metálica

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE. Professora ROSELI VALLE

ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE. Professora ROSELI VALLE ENGENHARIA CIVIL 5º SEMESTRE Professora ROSELI VALLE MARINGÁ 2015 Denomina-se CONCRETO ARMADO à associação do aço ao concreto para que haja melhor resistência em determinados tipos de esforços. Fatores

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

Aços Longos. Soluções Lajes

Aços Longos. Soluções Lajes Aços Longos Soluções Lajes Soluções Lajes Dentre os desafios da engenharia civil, o sistema construtivo de lajes deve atender à eficiência estrutural, visando a soluções seguras, economicamente viáveis

Leia mais

Construções de light steel frame

Construções de light steel frame Artigo Construções de light steel frame Diante do crescimento populacional e dos avanços tecnológicos, a indústria da construção civil no mundo tem buscado sistemas mais eficientes de construção com o

Leia mais

COLEÇÃO TÉCNICO CIENTÍFICA V&M DO BRASIL A INTERFACE ENTRE OS PERFIS TUBULARES E O 2SUBSISTEMA DE FECHAMENTO VERTICAL EXTERNO

COLEÇÃO TÉCNICO CIENTÍFICA V&M DO BRASIL A INTERFACE ENTRE OS PERFIS TUBULARES E O 2SUBSISTEMA DE FECHAMENTO VERTICAL EXTERNO 1 Ernani Carlos de Araújo Henor Artur de Souza Regina Maria Xavier Costa COLEÇÃO TÉCNICO CIENTÍFICA V&M DO BRASIL A INTERFACE ENTRE OS PERFIS TUBULARES E O 2SUBSISTEMA DE FECHAMENTO VERTICAL EXTERNO 1ª

Leia mais

Manual de Montagem Casa 36m²

Manual de Montagem Casa 36m² Manual de Montagem Casa 36m² cga -gerência de desenvolvimento da aplicação do aço Usiminas - Construção Civil INTRODUÇÃO Solução para Habitação Popular - é uma alternativa econômica, simples e de rápida

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

Casa de steel frame - instalações (parte 4)

Casa de steel frame - instalações (parte 4) Página 1 de 6 Casa de steel frame - instalações (parte 4) As instalações elétricas e hidráulicas para edificações com sistema construtivo steel frame são as mesmas utilizadas em edificações convencionais

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

Steel frame - Estrutura

Steel frame - Estrutura Página 1 de 9 Parte 2 Steel frame - Estrutura Neste segundo artigo sobre construções em steel frame abordaremos a concepção e montagem da estrutura. De uma maneira geral, qualquer edificação necessita

Leia mais

Em alguns casos, a união é muito simples, porque uma ou mais partes são maleáveis e suas medidas podem ser adaptadas com facilidade.

Em alguns casos, a união é muito simples, porque uma ou mais partes são maleáveis e suas medidas podem ser adaptadas com facilidade. Coordenação Modular na Construção Civil O QUE É? Toda construção é feita de partes, que podem ser unidas no canteiro de obras ou numa fábrica, com argamassa, cola, parafuso, encaixe ou qualquer outro processo.

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Sistema de Construção Rápida, Limpa e Econômica QUALIDADE E RESPONSABILIDADE É O NOSSO COMPROMISSO

Sistema de Construção Rápida, Limpa e Econômica QUALIDADE E RESPONSABILIDADE É O NOSSO COMPROMISSO Sistema de Construção Rápida, Limpa e Econômica Quem somos? A Empresa A Monteky - Especializada em construção a seco Produtos: STELL FRAME e DRYWALL. Atuamos na região da grande Florianópolis, desenvolvendo

Leia mais

- LAJES PRÉ-FABRICADAS

- LAJES PRÉ-FABRICADAS - LAJES PRÉ-FABRICADAS Originam-se das lajes nervuradas e das lajes nervuradas mistas, onde, em geral, as peças pré-fabricadas são empregadas para a formação das nervuras. Entre elas, colocam-se elementos

Leia mais

Placa Cimentícia. Impermeabilizada GUIA DO MONTADOR

Placa Cimentícia. Impermeabilizada GUIA DO MONTADOR Placa Cimentícia Impermeabilizada GUIA DO MONTADOR Placa Cimentícia Impermeabilizada RECOMENDAÇÃO INICIAL civil para o dimensionamento de qualquer tipo de reforma ou construção, principalmente aquelas

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

Sistemas Estruturais para Mezaninos

Sistemas Estruturais para Mezaninos Sistemas Estruturais para Mezaninos Concepção Estrutural Alexandre Landesmann FAU-UFRJ UFRJ AMA & PIN Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ 27/03/2007 1 Funções... Suportar e conduzir as ações a verticais

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix : marca registrada da Belgo Bekaert Arames BelgoFix são telas soldadas

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO Projeto de capacitação profissional: Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A Tabelas de Cálculo para

Leia mais

2. MODULAÇÃO CONSTRUTIVA 1. INTRODUÇÃO

2. MODULAÇÃO CONSTRUTIVA 1. INTRODUÇÃO soluções concretas soluções concretas 1. INTRODUÇÃO 2. MODULAÇÃO CONSTRUTIVA Este manual técnico apresenta os sistemas pré-fabricados construtivos Munte, visando auxiliar aos profissionais de projeto e

Leia mais

ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO 1 ALTERNATIVAS ESTRUTURAIS PARA O SISTEMA DE PISO EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO Texto complementar 1. INTRODUÇÃO Os primeiros edifícios com estrutura de concreto armado foram concebidos utilizando-se

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Carmo de Minas. ENDEREÇO: Rua Luiz Gomes, nº. 150, Bairro: Centro, CEP: 37472-000. CNPJ: 18.188.243/0001-60. ENDEREÇO DA OBRA: Rua Euclides

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Produtos Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix são telas soldadas produzidas com fio de 1,65 mm de diâmetro e

Leia mais

Saiba mais sobre. Murfor

Saiba mais sobre. Murfor Saiba mais sobre Murfor O que é Murfor? Murfor é uma treliça plana galvanizada formada por dois fios de aço longitudinais (Ø 4,0 mm) paralelos e separados entre si por um fio (Ø 3,75 mm) em forma de sinusóide,

Leia mais

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA CRECHE CRIANÇA FELIZ LOCAL: BALNEÁRIO ICARAÍ DE IGUAPE 1. Descrição As adequações e ampliações da Creche Criança feliz visam melhorar o atendimento

Leia mais

Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto

Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto Knauf Folheto Técnico 2008 Paredes Knauf Soluções que sustentam a qualidade do seu projeto Estabilidade, resistência a impactos, proteção termoacústica e outras características inovadoras que não dividem

Leia mais

CATÁLOGO PERFIS PERFIL DRYWALL PERFIL STEEL FRAME PERFIL DIVISÓRIA NAVAL 35 MM PERFIL PAINEL WALL TOPCLICK PERFIL CLICADO PERFIS ESPECIAIS

CATÁLOGO PERFIS PERFIL DRYWALL PERFIL STEEL FRAME PERFIL DIVISÓRIA NAVAL 35 MM PERFIL PAINEL WALL TOPCLICK PERFIL CLICADO PERFIS ESPECIAIS CATÁLOGO PERFIS PERFIL DRYWALL PERFIL STEEL FRAME PERFIL DIVISÓRIA NAVAL 35 MM PERFIL PAINEL WALL TOPCLICK PERFIL CLICADO PERFIS ESPECIAIS KIT HIDRÁULICO PORTA EMBUTIDA FORRO PVC ACESSÓRIOS 30 GUIA DE

Leia mais

Divisão Construção Civil PUR/PIR Av. Nações Unidas, 12551 conj. 2404 - WTC 04578-903 São Paulo - SP - Brasil Fone: +55 11 3043-7883 Fax: +55 11

Divisão Construção Civil PUR/PIR Av. Nações Unidas, 12551 conj. 2404 - WTC 04578-903 São Paulo - SP - Brasil Fone: +55 11 3043-7883 Fax: +55 11 1 Por que usar termoisolamento em PUR/PIR? 2 Soluções para canteiro de obra Danica. 3 Premissas construtivas 2.2.2 - COBERTURAS: A cobertura terá telhas termoisolantes com espessura de 30 mm com isolamento

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

/estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes

/estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes /estudo preliminar pesquisa de materialidades: o steel framing e seus componentes Gustavo Alves Rocha Zago Izabela Dalla Libera O Light Steel Framing (LSF) é um sistema construtivo de concepção racional

Leia mais

Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD

Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD Armazenamento As placas e painéis devem ser estocados em lugar seco e abrigado, seguindo estas instruções: Estoque em piso plano, na

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS

ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS AULA 04 ATUALIZAÇÃO EM SISTEMAS ESTRUTURAIS Prof. Felipe Brasil Viegas Prof. Eduardo Giugliani http://www.feng.pucrs.br/professores/giugliani/?subdiretorio=giugliani 0 AULA 04 INSTABILIDADE GERAL DE EDIFÍCIOS

Leia mais

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto.

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. 1 Escolha do Sistema Construtivo Sistema construtivo com foco nas seguintes características: Alta produtividade Baixo custo de construção Redução

Leia mais

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS

CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E PRÉ-FORMAS Aulas 5-8 Gerson Moacyr Sisniegas Alva DESENVOLVIMENTO

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012.

SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012. Tecnologias, sistemas

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS MANUAL DE MONTAGEM ÍNDICE 1. Tuper lajes mistas nervuradas... 03 2. Especificações... 04 3. Escoramento... 05 4. Armadura de distribuição... 07 5. Nervuras

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/100/imprime31592.asp

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/100/imprime31592.asp 1 de 11 01/11/2010 22:14 Juntas em drywall O termo drywall é aqui adotado para designar genericamente sistemas construtivos de paredes internas não-estruturais constituídas de chapas de gesso acartonado

Leia mais

CONSTRUÇÃO MODULAR. Rev A 1-7-2011

CONSTRUÇÃO MODULAR. Rev A 1-7-2011 CONSTRUÇÃO MODULAR SM Rev A 1-7-2011 1 A U.E.M. Unidade de Estruturas Metálicas, SA com 15 anos de actividade, inicialmente direccionada para a fabricação e comercialização dos módulos pré-fabricados que,

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA CATÁLOGO 2015 Metro Form System São Paulo Matriz Rua Maria Paula Motta, 239 CEP 07171-140 Guarulhos SP Brasil Fone: (11) 2431-6666 Rio de Janeiro Filial Rua Agaí,

Leia mais

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012

Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Aplicação do Concreto Pré-Moldado em Sistemas Construtivos Mistos / Híbridos Prof. Dr. Marcelo Ferreira, 14/03/2012 Concreto Pré-Moldado em Sistemas Mistos O benefício da Construção Mista Industrializada

Leia mais

QUE DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS AMBIENTES INTERNOS QUE CONTROLAM A PASSAGEM DE AGENTES ATUANTES.

QUE DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS AMBIENTES INTERNOS QUE CONTROLAM A PASSAGEM DE AGENTES ATUANTES. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 2 VEDAÇÕES VERTICAIS: CONCEITOS BÁSICOS ALVENARIAS: CARACTERÍSTICAS E PROJETO Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica

Leia mais