Projeto ODM Brasil 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto ODM Brasil 2015"

Transcrição

1 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Com base em resultados de conferências internacionais, a ONU lançou, no ano 2000, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, durante e Cúpula do Milênio, com a finalidade de resolver os grandes problemas mundiais até Líderes de 191 nações assinaram um pacto, a Declaração do Milênio, que define as oito iniciativas, que ficaram conhecidas como ODM.

2 Cúpulas que originaram os ODM: Cúpula Mundial sobre a Criança (Nova York 1990); Conferência sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Rio de Janeiro 1992); Conferência sobre Direitos Humanos (Viena 1993); Conferência Internacional sobre a População e o Desenvolvimento (Cairo 1994); Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento Social (Copenhague 1995); IV Conferência Mundial sobre a Mulher (Pequim 1995); Conferência sobre os Assentamentos Humanos: Habitat II (Istambul 1996).

3 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 1. Acabar com a fome e com a miséria; 2. Educação Básica de qualidade para todos; 3. Igualdade entre os sexos e valorização da mulher; 4. Reduzir a mortalidade infantil; 5. Melhorar a saúde das gestantes; 6. Combater a AIDS, a malária e outras doenças; 7. Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente; 8. Todo mundo trabalhando para o desenvolvimento.

4 Mérito dos ODM Integrar os compromissos assumidos pelos governos numa agenda mundial de desenvolvimento; Mensurar indicadores do progresso alcançado por cada região, país e comunidade; Apresentar um bom roteiro para conhecer, discutir e agir sobre a realidade social dos municípios; Dar um sentido de finalidade e direção comuns; Permitir melhor articulação dos diferentes atores do desenvolvimento.

5 Desde o início, os ODM pressupõem a Democracia Participativa: Os homens e as mulheres têm o direito de viver a sua vida e de criar os seus filhos com dignidade, sem fome e sem medo da violência, da opressão e da injustiça. A melhor forma de garantir esses direitos é através de governos de democracia participativa baseados na vontade popular. - (Declaração do Milênio -pg 02)

6 Projeto ODM 2015 DESAFIO ATUAL DO BRASIL Municipalização para disseminar políticas sociais, adequar políticas já implantadas, criar novas iniciativas, articular atores que trabalham localmente, realizar planejamentos de políticas públicas tendo como base a plataforma ODM.

7 Projeto ODM 2015

8

9

10 Prêmio ODM Brasil; Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade; Relatórios Nacionais de Acompanhamento; Núcleos Estaduais, Regionais e Municipais de disseminação dos ODM; Agenda de Compromissos Governo Federal/Municípios 2013/2016; Construção de indicadores para todos os municípios.

11 AGENDA DE COMPROMISSOS

12 Objetivos Lançar uma nova versão da Agenda de Compromissos em 27 de fevereiro de 2013; Desenvolver sistema de monitoramento das metas automático e disponível na internet; Apoiar os municípios para melhorar a qualidade da gestão municipal Disponibilizar informações aos cidadãos para acompanhamento das políticas públicas

13 Diretrizes da Agenda Foco nos ODM e nos principais Planos de Governo Simplicidade no preenchimento de dados Disponibilização Automática de Indicadores Apenas um indicador por Programa Disponibilizar diagnóstico (indicadores de impacto) Contextualizar os indicadores por tempo e território Alinhamento estratégico para atingir metas Melhoria da Gestão Municipal com suporte de informação

14 PORTAL ODM Apresenta situação dos municípios brasileiros sobre os ODM. Dados Oficiais e atualizados

15 OBRIGADO, Secretaria-Geral da Presidência da República (61) informações sobre os ODM no Brasil indicadores de todos os municípios - informações sobre o Movimento Nacional

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação social é método de governar. Secretaria-Geral da Presidência da República OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Foram definidos para dar respostas aos principais problemas mundiais levantados nas conferências sociais que a ONU promoveu na década de 90: Criança (NY/90);

Leia mais

Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Rede de pessoas e organizações voluntárias da nação brasileira, apartidária, ecumênica e plural, que visa o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do

Leia mais

Podem as empresas sustentáveis contribuir para o cumprimento dos objetivos propostos pelas Metas do Milênio

Podem as empresas sustentáveis contribuir para o cumprimento dos objetivos propostos pelas Metas do Milênio Podem as empresas sustentáveis contribuir para o cumprimento dos objetivos propostos pelas Metas do Milênio ODILON LUÍS FACCIO Instituto Primeiro Plano São Paulo, 24 de junho de 2008 Grupo de Excelência

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

O QUE SÃO OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM)

O QUE SÃO OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) O QUE SÃO OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foram definidos no ano 2000, pela Organização das Nações Unidas (ONU), para dar resposta aos grandes

Leia mais

Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por fal

Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por fal PRÊMIO OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por falta de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL

DESENVOLVIMENTO SOCIAL ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DA PARAÍBA FORTALECIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL João Pessoa PB / 18, 19, 21 e 22 de março O PNUD reconhece a capacidade do TCE-PB de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO

DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO PRÊMIO OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO -3ª EDIÇÃO 30/06/09 1 Os homens e as mulheres têm o direito de viver a sua vida e de criar os seus filhos com dignidade, sem fome e sem medo da violência,

Leia mais

Danielle Celentano. Manaus, 22 de novembro de 2007. Ação Global 2007 Desenvolvimento Social Local : Um desafio para o investimento social privado"

Danielle Celentano. Manaus, 22 de novembro de 2007. Ação Global 2007 Desenvolvimento Social Local : Um desafio para o investimento social privado Danielle Celentano Manaus, 22 de novembro de 2007 Ação Global 2007 Desenvolvimento Social Local : Um desafio para o investimento social privado" Danielle Celentano & Adalberto Veríssimo realização: financiamento:

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO OUTUBRO DE 2013 SUMÁRIO MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO... 1 1. Núcleo de Informações

Leia mais

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O conceito de Trabalho Decente 2.

Leia mais

Gestão de Pessoas e Responsabilidade Social

Gestão de Pessoas e Responsabilidade Social Gestão de Pessoas e Responsabilidade Social Evento: Gestão de Pessoas: O aquecimento do mercado de bioenergia e os novos desafios de RH nas empresas do setor Iza Barbosa - 29 de maio de 2007 Áreas da Atuação

Leia mais

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra de Projetos 2011 Criando Identidade com Pontal do Paraná Protegendo a Maternidade Alimentando Vidas Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra Local de: Pontal do Paraná. Categoria do projeto:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Matinhos - PR Relação Cadastral de Programa de Governo. PROGRAMA DE GOVERNO Alteração Inicio Prev. Término Prev.

Prefeitura Municipal de Matinhos - PR Relação Cadastral de Programa de Governo. PROGRAMA DE GOVERNO Alteração Inicio Prev. Término Prev. PÁGINA: DE 9 Programa 0 Operações Especiais Operações Especiais 0/0/200 Acabar com a Fome e a Miséria Operações Especiais Orgão Unidade 5 SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS Gabinete do Secretario Teceiros

Leia mais

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO introdução.qxd 9/9/04 14:40 Page 1 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Relatório Nacional de Acompanhamento Setembro de 2004 Supervisão Grupo Técnico para Acompanhamento dos Objetivos do Desenvolvimento

Leia mais

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento Jorge Abrahão de Castro Diretor de Temas Sociais da SPI/MPOG Brasília-DF, 26 de agosto de 2015 1 Inovações para o PPA 2016-2019 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

Leia mais

Discussão de gênero com olhar na sustentabilidade: O papel da mulher no Sistema Unimed. Heloisa Covolan

Discussão de gênero com olhar na sustentabilidade: O papel da mulher no Sistema Unimed. Heloisa Covolan Discussão de gênero com olhar na sustentabilidade: O papel da mulher no Sistema Unimed Heloisa Covolan A mulher representa 52% da população brasileira. Quase 4 milhões a mais que os homens. 3 Metade das

Leia mais

Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos

Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Elaboração do PPA 2016-2019 DIMENSÃO ESTRATÉGICA O Planejamento não pode prescindir de reflexões sobre quais as estratégias para o desenvolvimento

Leia mais

RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO

RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO Estado Número de Participantes MACAPÁ-AP 110 (Seminário) + 28 (Círculo de Diálogo) ANEXAR AO RELATÓRIO Cópia da Lista de Presença Cópia do Cerimonial do Seminário

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO A RMRJ NO CONTEXTO NACIONAL: ATUALMENTE EXISTEM 41 REGIÕES METROPOLITANAS NO BRASIL, SENDO QUE 21 POSSUEM MAIS DE 1 MILHÃO DE HABITANTES,

Leia mais

Educação básica de qualidade envolve grande número de ações, procedimentos e programas, como mostramos a seguir:

Educação básica de qualidade envolve grande número de ações, procedimentos e programas, como mostramos a seguir: Plano de Governo 1 Educação de qualidade em tempo integral 2 Saúde humanizada, ágil e resoluta 3 Respeito ao cidadão e democratização do poder 4 Gestão administrativa eficiente, honesta e transparente

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social

Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social Certificação de Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social Ana Júlia Ramos Pesquisadora do Inmetro 20% Visão do Mundo da população detêm 86% do PIB mundial; desde 1998, 86% do acréscimo de renda vem

Leia mais

II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Princípios da Política Nacional para as Mulheres

II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Princípios da Política Nacional para as Mulheres II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES Princípios da Política Nacional para as Mulheres Igualdade Respeito à diversidade Eqüidade Autonomia das mulheres Estado laico Universalidade das políticas

Leia mais

Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você

Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você Palmas - Novembro de 2015 GOVERNADOR DO ESTADO DO TOCANTINS Marcelo de Carvalho Miranda SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE Samuel

Leia mais

Uma Parceria Global para o Desenvolvimento

Uma Parceria Global para o Desenvolvimento Uma Parceria Global para o Desenvolvimento A Declaração do Milénio, adoptada em 2000, por todos os 189 Estados Membros da Assembleia Geral das Nações Unidas, veio lançar um processo decisivo da cooperação

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS.

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS. CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS Maio/2010 1º Dia PROGRAMAÇÃO 08h00 às 09h00 - Credenciamento 09h00 às 09h30 Abertura Boas vindas! 09h30 às 10h15 Exposição dialogada: Retrospectiva Luta por Direitos

Leia mais

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A M E N S A G E M À A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A 2 0 1 3 G O V E R N O P A R T I C I P A T I V O, É T I C O E C O M P E T E N T E C o n t r o l a

Leia mais

DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013

DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013 DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013 Estabelece a Estrutura Organizacional Básica da Secretaria Municipal de Saúde SEMSA. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO, Capital do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais

OFICINA 3 IGM Indicadores de Governança Municipal Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS

OFICINA 3 IGM Indicadores de Governança Municipal Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS Objetivo: OFICINA 3 IGM Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS Contribuir com a SEP, analisando o processo de planejamento nos municípios, por

Leia mais

Sistema de Informações sobre Mortalidade

Sistema de Informações sobre Mortalidade SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Gerência de Tecnologia da Informação e Governança Eletrônica GETIN Coordenação Estadual do SIM Sistema de Informações sobre Mortalidade Outono, 2011 Apresentação do Módulo

Leia mais

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise PROJETO PPPS EM INFRAESTRUTURA SOCIAL NO NORDESTE DO BRASIL SEMINÁRIO PPPS, BANDA LARGA E INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS APLICADAS AOS SERVIÇOS PÚBLICOS: EXPERIÊNCIAS

Leia mais

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO Ministério do Meio Ambiente O Projeto de Elaboração do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável Socioambientais Prioritários/Vale do

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL UNIME- União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde Curso de Odontologia INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS ODONTOLÓGICAS POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL Professores(as): Michelle

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Além de integrar a missão e visão da FACISC, o Desenvolvimento Sustentável passa agora a ser uma de nossas Diretrizes de atuação. Desta forma, propondo a ampliação

Leia mais

Foto: Harald Schistek

Foto: Harald Schistek Foto: Harald Schistek 43 A adolescência é uma fase especial de afirmação da autonomia do indivíduo, vital para o exercício da cidadania e de seus múltiplos direitos. Caracteriza-se por uma etapa do desenvolvimento

Leia mais

PANORAMA GERAL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL

PANORAMA GERAL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL PANORAMA GERAL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL Celso Costa Diretor de Educação a Distância CAPES-MEC TEMAS A Nova CAPES e a Diretoria de Educação a Distância; Implementação do Sistema Universidade Aberta

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Plano de Ação Municipal em Mudanças Climáticas e Monitoramento dos Resultados Florence Karine Laloë Gerente

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional

Vigilância Alimentar e Nutricional Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Vigilância Alimentar e Nutricional Conceito de Segurança Alimentar

Leia mais

Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI

Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI Seminário: Controle Externo em Ação: Presente e Futuro da Fiscalização de TI Cristiano Rocha Heckert Brasília, 02 de junho de 2015 Histórico Governo Eletrônico Decreto de 18 de Outubro de 2000 Decreto

Leia mais

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia A SIT Secretaria da Informação e Tecnologia Restabelecer a Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação na Administração Municipal

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE CULTURA AS VANTAGENS DO SNC PARA OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

SISTEMA NACIONAL DE CULTURA AS VANTAGENS DO SNC PARA OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS SISTEMA NACIONAL DE CULTURA AS VANTAGENS DO SNC PARA OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS O Que é o Sistema Nacional De Cultura O Sistema Nacional de Cultura (SNC) é um modelo de gestão que visa ao fortalecimento

Leia mais

Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica.

Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica. Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica. Baseado no Livro Administração Pública: Modernização, Qualidade e Inovação de Carlos Carapeto e Fátima Fonseca Neste contexto, há quem afirme que

Leia mais

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Gerência de Gestão Ambiental Urbana e Territorial AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Cidades Sustentáveis são pautadas em três

Leia mais

Racismo, Eqüidade e Saúde. Bioética e Controle Social. Existo porque existimos, existimos por que existo

Racismo, Eqüidade e Saúde. Bioética e Controle Social. Existo porque existimos, existimos por que existo Racismo, Eqüidade e Saúde Existo porque existimos, existimos por que existo Bioética e Controle Social IV Simpósio Internacional de Hemoglobinopatias 05 de setembro de 2007 Drª Maria Inês da Silva Barbosa

Leia mais

Sustentabilidade. e Case CAB ambiental. Abril 2010

Sustentabilidade. e Case CAB ambiental. Abril 2010 Sustentabilidade Visão Geral e Case CAB ambiental Abril 2010 Uma nova realidade da sociedade Uma nova realidade da sociedade Uma nova realidade da sociedade O que é Sustentabilidade? Referências Globais

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Betim, MG 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 346,8 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 378089 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Temas relevantes da agenda federativa

Temas relevantes da agenda federativa Relatório produzido nos termos do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, 2011.

Leia mais

participar da centros urbanos Como sua comunidade pode plataforma dos Plataforma dos Centros Urbanos www.unicef.org.br Aliados estratégicos:

participar da centros urbanos Como sua comunidade pode plataforma dos Plataforma dos Centros Urbanos www.unicef.org.br Aliados estratégicos: Como sua comunidade pode participar da plataforma dos centros urbanos? www.unicef.org.br Aliados estratégicos: Ilustração: Jonatas Tobias Parceiros técnicos: Plataforma dos Centros Urbanos COMO SUA COMUNIDADE

Leia mais

Apoio Pedagógico à Casa da Mãe Abigail

Apoio Pedagógico à Casa da Mãe Abigail ÁREA TEMÁTICA: DIRETOS HUMANOS E JUSTIÇA GEPES - Grupo de Estudos em Políticas Educacionais e Sociais UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E COMUNIDADE COORDENADORIA

Leia mais

FORTALEZA 2.571.896. População. Bairros. Regionais mais vulneráveis: VI, V e I. Regional I. Regional II. Regional V Regional VI.

FORTALEZA 2.571.896. População. Bairros. Regionais mais vulneráveis: VI, V e I. Regional I. Regional II. Regional V Regional VI. FORTALEZA 2.571.896 População Regional I Regional CENTRO Regional II Regional III 119 Bairros Regional IV Regional V Regional VI Regionais mais vulneráveis: VI, V e I Como o Cresça começou? Iniciativa

Leia mais

Importância do Sistema de Informação

Importância do Sistema de Informação FLÁVIA SAIBEL Importância do Sistema de Informação O objetivo do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações é facilitar aos gestores dos programas de imunizações, o planejamento e avaliação

Leia mais

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania.

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DEMOCRACIA REGIME PAUTADO NA SOBERANIA POPULAR E NO RESPEITO

Leia mais

As Conquistas dos ODMs e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Haroldo Machado Filho

As Conquistas dos ODMs e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Haroldo Machado Filho As Conquistas dos ODMs e os Desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Haroldo Machado Filho Curitiba 20 de agosto de 2015 Declaração do Milênio Em setembro de 2000, durante a Cúpula do

Leia mais

Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios

Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios Instituto Ethos Apoio: Siemens Integrity Initiative www.jogoslimpos.org.br A realização da Copa do Mundo e Jogos Olímpicos nos coloca uma oportunidade e um desafio:

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA ASSESSORIA ESPECIAL DA PRESIDÊNCIA OUVIDORIA RELATÓRIO DE ATIVIDADES **** Salvador ** Jan a Mar/2012 ****** O presente relatório resume as principais atividades desenvolvidas

Leia mais

Indicadores de Belo Monte

Indicadores de Belo Monte Indicadores de Belo Monte Assistência nas Aldeias 2 de 10 Número de atendimentos por aldeia, por categoria profissional Indicador: Acesso à saúde nas aldeias Descrição: Apresenta o número de atendimentos

Leia mais

REUNIÃO PREPARATÓRIA DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E ESTADUAL

REUNIÃO PREPARATÓRIA DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E ESTADUAL REUNIÃO PREPARATÓRIA DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E ESTADUAL Aracaju/SE Julho/2011 Sumário 1. Objetivo 2. Controle da Administração Pública Declaração dos direitos do homem Responsabilidade do gestor público

Leia mais

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Brasil entra no grupo de países de Alto Desenvolvimento Humano

NOTA DE IMPRENSA. Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Brasil entra no grupo de países de Alto Desenvolvimento Humano NOTA DE IMPRENSA Embargado até 27/11/2007, às 10h (horário de Brasília) Brasil entra no grupo de países de Alto Desenvolvimento Humano Com desenvolvimento humano crescendo desde 1975, país fica entre os

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto nº 525 de 09/08/2002. ATRIBUIÇÕES: 1500 - SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER Compete propor, coordenar e acompanhar

Leia mais

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Enfermeiro Acadêmico de Direito Justificativa: Saúde como responsabilidade do Estado - Participação

Leia mais

Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos. Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013

Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos. Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013 Programa de Gestão Metropolitana de Resíduos Seminário A implantação das políticas de resíduos sólidos ABES 06. jun 2013 AS REGIÕES METROPOLITANAS Proximidade e ocorrência de conurbação Compartilhamento

Leia mais

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 DECLARAÇÃO SOBRE A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO COMO CONTRIBUTO PARA A BOA GOVERNAÇÃO

Leia mais

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares

Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares 1 Rio de Janeiro, 17/01/2014 S I P D Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares O IBGE iniciou uma importante etapa no aprimoramento de seu sistema de pesquisas domiciliares, que propiciará maior eficácia

Leia mais

Bases fundamentais. Convenção Relativa à Luta contra a Discriminação no Campo do Ensino

Bases fundamentais. Convenção Relativa à Luta contra a Discriminação no Campo do Ensino Bases fundamentais Lei 10.639/2003 Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana O sucesso das políticas

Leia mais

Claudia Malschitzky. Diretora executiva do Instituto HSBC Solidariedade Superintendente executiva de Sustentabilidade Corporativa

Claudia Malschitzky. Diretora executiva do Instituto HSBC Solidariedade Superintendente executiva de Sustentabilidade Corporativa Criança apoiada pelo Programa HSBC Educação em Curitiba/PR Ass. Pe João Ceconello. Claudia Malschitzky Diretora executiva do Instituto HSBC Solidariedade Superintendente executiva de Sustentabilidade Corporativa

Leia mais

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 1 Min. da Educação - MEC 1 Programa Mais Educação Campo Matriz

Leia mais

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013 Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná Fevereiro de 2013 Missão Formular a Política de Atenção Primária no Estado do Paraná implementando as ações e serviços para

Leia mais

O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria?

O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria? O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria? Ministério do esenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS

TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS CONFERÊNCIA REGIONAL E NACIONAL DE PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO AO TRÁFICO DE CRIANÇAS Moçambique, 09 de Outubro de 2008 TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS Partilhando lições aprendidas e desenvolvendo

Leia mais

OBJETIVOS GLOBAIS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

OBJETIVOS GLOBAIS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL OBJETIVOS GLOBAIS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Tarciso Dal Maso Jardim 1 Os anos 1990 são considerados a década das conferências internacionais em temas sociais, já que nela foram realizadas a Conferência

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

OS DESAFIOS PARA A CONSTITUIÇÃO DE REDES DE OUVIDORIAS E A EXPERIÊNCIA DO FÓRUM CEARENSE DE OUVIDORIAS DO SUS - FOCOS.

OS DESAFIOS PARA A CONSTITUIÇÃO DE REDES DE OUVIDORIAS E A EXPERIÊNCIA DO FÓRUM CEARENSE DE OUVIDORIAS DO SUS - FOCOS. OS DESAFIOS PARA A CONSTITUIÇÃO DE REDES DE OUVIDORIAS E A EXPERIÊNCIA DO FÓRUM CEARENSE DE OUVIDORIAS DO SUS - FOCOS. POR QUE TRABALHAR EM REDE? Relações interfederativas no SUS Atendimento integral aos

Leia mais

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos:

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: Proposta de Governo Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: - As Pessoas em Primeiro Lugar - Desenvolvimento Econômico e Identidade Local - Território Ordenado

Leia mais

Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças

Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças Objetivos do PRONATEC (lei 12.513/2011) Expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá

INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá 1 A Norma Operacional NOB/SUAS 2005, da Política Nacional de Assistência Social consagra os eixos estruturantes

Leia mais

Formulário fora do período de validade!

Formulário fora do período de validade! Formulário fora do período de validade! Data Inicial: 01/05/2016 Data Final: 31/05/2016 Em caso de dúvida entre em contato com: Nome: Equipe de Promoção da Saúde (Gabriela, Gisele, Kátia e Roberta) Email:

Leia mais

Monitoramento do I Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

Monitoramento do I Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Monitoramento do I Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Metodologia em Construção V Reunião Plenária do CONSEA 15 de agosto de 2012 NORMATIZAÇÃO DO MONITORAMENTO NO ÂMBITO DA PNSAN Decreto

Leia mais

QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA LEIA O TEXTO ABAIXO, PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES QUE SEGUEM: A PREVENÇÃO É A ÚNICA ARMA CONTRA A DOENÇA A MELHOR FORMA DE SE EVITAR A DENGUE É COMBATER OS FOCOS DE ACÚMULO

Leia mais

GESTÃO G A ESTÃO MBIENTAL COMPARTILHADA

GESTÃO G A ESTÃO MBIENTAL COMPARTILHADA GESTÃO AMBIENTAL COMPARTILHADA GESTÃO AMBIENTAL - BAHIA Linha do Tempo 2000 2002 2003 Apoio técnico aos municípios- CRA Lei 8.538 - Criação da SEMARH Curso Gestão Ambiental - Neama 2003 2004/2009 2008

Leia mais

Educação Infantil: como fazer valer esse direito?

Educação Infantil: como fazer valer esse direito? Educação Infantil: como fazer valer esse direito? Sabemos o que é qualidade em cuidados e educação. Sabemos o que uma bela infância representa. A hora de se justificar já passou, há muito tempo. Agora

Leia mais

RI PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS

RI PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS Informações Gerais RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES PARA O PLANEJAMENTO E ALCANCE DAS PRIORIDADES E METAS DO PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS - GESTÃO MUNICIPAL Município: Porte SUAS: UF: Objetivo do RI: SÃO PAULO

Leia mais

Programa Bolsa Família

Programa Bolsa Família Acompanhamento das Condicionalidades do Programa Bolsa Família Na Saúde COORDENAÇÃO-GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA SECRETARIA DE ATENÇÃO A SAÚDE MINISTÉRIO DA

Leia mais

Governança, Participação Social e Diálogos Federativos. DIEST Diretoria de Estudos e Políticas para o Estado, as Instituições e a Democracia

Governança, Participação Social e Diálogos Federativos. DIEST Diretoria de Estudos e Políticas para o Estado, as Instituições e a Democracia Governança, Participação Social e Diálogos Federativos. DIEST Diretoria de Estudos e Políticas para o Estado, as Instituições e a Democracia Uma das dimensões do regime democrático. Tem como objetivos:

Leia mais

OBJETIVOS DO MILÊNIO E O MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE

OBJETIVOS DO MILÊNIO E O MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE OBJETIVOS DO MILÊNIO E O MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE Ronaldo Baltar 1 Universidade Estadual de Londrina GT - Migrações, Cidades e Desenvolvimento Regional Introdução 2 O objetivo

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL, ÉTICA E CIDADANIA

RESPONSABILIDADE SOCIAL, ÉTICA E CIDADANIA ESAF PR Seminário Paranaense de Educação Fiscal RESPONSABILIDADE SOCIAL, ÉTICA E CIDADANIA Fabiane L.B.N.Bessa Papel do Estado e suas relações com a sociedade civil e o mercado -> apoio recíproco Reformas

Leia mais

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS Redesenho/Reestruturação Orgânica da Política de Assistência Social estão Estabelecidos em 4 Instrumentos Básicos: Política Nacional de

Leia mais

sustentabilidade Futuro em construção futuro em construção

sustentabilidade Futuro em construção futuro em construção futuro em construção ONU apresenta relatório com a síntese de todo o trabalho desenvolvido até agora para definição e negociação da agenda pós-2015, com ações que guiarão o desenvolvimento global a partir

Leia mais

GUIA PARA A MUNICIPALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DO MILÊNIO Referências para a adaptação de indicadores e metas à realidade local

GUIA PARA A MUNICIPALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DO MILÊNIO Referências para a adaptação de indicadores e metas à realidade local GUIA PARA A MUNICIPALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DO MILÊNIO Referências para a adaptação de indicadores e metas à realidade local GUIA PARA A MUNICIPALIZAÇÃO dos Objetivos do Milênio Referências para a adaptação

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PLANO PLURIANUAL - PPA

ELABORAÇÃO DO PLANO PLURIANUAL - PPA CURSOS SETORIAIS PARA GESTORES PÚBLICOS P MUNICIPAIS ELABORAÇÃO DO PLANO PLURIANUAL - PPA Profa. Nirleide Saraiva Coelho PPA 2010/2013 O Plano Plurianual de um Município é o instrumento de planejamento

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS TOCANTINS ATIVIDADES/ AÇÕES 1. Nos editais do PAM definir uma ordem de prioridades por populações vulneráveis;

Leia mais

QUANDO A VIDA. DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

QUANDO A VIDA. DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME QUANDO A VIDA DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Esta é Dona Alenita Ferreira da Silva, beneficiária

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ PLANO DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA AIDS E OUTRAS DST NO ESTADO DO PARANÁ SVS/DECA/DVDST-Aids POR QUE MULHERES? 50% de pessoas com AIDS no mundo são mulheres. Na nossa sociedade, as relações entre

Leia mais

a promotores de uma nova sociedade

a promotores de uma nova sociedade A mobilidade humana contemporânea: : de vítimas a promotores de uma nova sociedade LEIS E POLÍTICAS MIGRATÓRIAS: O DESAFIO DOS DIREITOS HUMANOS Brasília, 16 de maio de 2007 1 Migrantes e Refugiados Migração:

Leia mais

F:\CPG\PLANO DIRETOR DE GESTÃO - PDG\Comunicação_PDG\Site\PDG_Doumento-Referência\Plano Diretor de Gestão_Fev-2008site.doc

F:\CPG\PLANO DIRETOR DE GESTÃO - PDG\Comunicação_PDG\Site\PDG_Doumento-Referência\Plano Diretor de Gestão_Fev-2008site.doc PLANO DIRETOR DE GESTÃO - PDG MAIO - 2007 F:\CPG\PLANO DIRETOR DE GESTÃO - PDG\Comunicação_PDG\Site\PDG_Doumento-Referência\Plano Diretor de Gestão_Fev-2008site.doc GOVERNADOR DO ESTADO Jaques Wagner SECRETÁRIO

Leia mais