SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO TESTEMUNHO DE IMPLEMENTAÇÂO DA NORMA ISO/IEC DE MARÇO DE 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO TESTEMUNHO DE IMPLEMENTAÇÂO DA NORMA ISO/IEC 27001 12 DE MARÇO DE 2014"

Transcrição

1 SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO TESTEMUNHO DE IMPLEMENTAÇÂO DA NORMA ISO/IEC DE MARÇO DE 2014

2 A DIR. REG. DO EMPREGO E QUAL. PROF. MISSÃO DA DREQP APLICAR POLÍTICAS DE EMPREGO NA REGIÃO 185 COLABORADORES; 6 EDIFÍCIOS (EDIFÍCIO SEDE C/136 COLABORADORES); MÉDIA DE 400 VISITAS DIÁRIAS NO EDIFÍCIO SEDE; 1 DATA CENTER PRINCIPAL;

3 PORTALDOEMPREGO.AZORES.GOV.PT APLICAÇÕES DA DREQP

4 ESTAGIAR.AZORES.GOV.PT APLICAÇÕES DA DREQP

5 CERTIFICAR.AZORES.GOV.PT APLICAÇÕES DA DREQP

6 BOLSAS.AZORES.GOV.PT APLICAÇÕES DA DREQP

7 OEFP.AZORES.GOV.PT APLICAÇÕES DA DREQP

8 SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO

9 OBJETIVO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SGSI GARANTIR CONFIDENCIALIDADE INTEGRIDADE DISPONIBILIDADE INFORMAÇÃO DA DREQP (em suporte digital, papel )

10 OBJETIVO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SGSI PROTEGER OS NOSSOS ATIVOS

11 OBJETIVO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SGSI AUMENTAR OS NIVEÍS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA DREQP; DETETAR VULNERABILIDADE E AMEAÇAS; MITIGAR RISCOS; AUMENTAR A CONSCIALIZAÇÃO DE COLABORADORES E DIRIGENTES; PREVENIR PERIODOS DE DISRUPÇÃO DOS SERVIÇOS; ASSEGURAR E AUMENTAR A CONFIANÇA DOS STAKEHOLDERS DA DREQP; CUMPRIR COM AS EXIGÊNCIAS DA INSPEÇÃO GERAL DE FINANÇAS PARA COM A SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO PRO-EMPREGO;

12 ÂMBITO DO SGSI DA DREQP SISTEMA IMPLEMENTADO NO EDÍFICIO SEDE DA DREQP; MAIS FOCALIZADO NOS SERVIÇOS DIRETAMENTE RELACIONADOS COM O PRO-EMPREGO;

13 VANTANGES DA DREQP NA IMPLEMENTAÇÃO CERTIFICAÇÃO NA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE IMPLEMENTADO DESDE JUN-2011;

14 IMPLEMENTAÇÃO DO SGSI

15 IMPLEMENTAÇÃO DO SGSI JULHO EQUIPA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO CONSELHO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DEZEMBRO ENTREGA DO PROJETO DO SGSI AUDITORIA AO SGSI SETEMBRO INICIO DE IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO DO SGSI (CONSULTORIA NOVABASE ATLÂNTICO S.A; AVALIAÇÃO DE RISCO ANÁLISE DE IMPACTO DE NEGÓCIO

16 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO SGSI AVALIAÇÃO DE RISCO INVENTARIAÇÃO DOS ATIVOS MAIS IMPORTANTES DOS SERVIÇOS; DETEÇÃO DE VULNERABILIDADES E AMEAÇAS; VERIFICAÇÃO DO GRAU DE CONFIDENCIALIDADE, INTEGRIDADE E DISPONIBILIDADE DOS ATIVOS INVENTARIADOS;

17 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO SGSI AVALIAÇÃO DO RISCO (ULTIMA AVALIAÇÃO) 52 ATIVOS (8 GRUPOS) IDENTIFICADOS; 53 AMEAÇAS; 34 VULNERABILIDADES; 134 RISCOS IDENTIFICADOS; 119 CONTROLOS DESENHADOS PARA MITIGAR OS RISCOS; 97 RISCOS PARA MITIGAR; 40 RISCOS ACEITES (NÍVEL DE RISCOS BAIXOS).

18 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO SGSI ANÁLISE DE IMPACTO NO NEGÓCIO (BIA) IDENTIFICAR OS SERVIÇOS, PROCESSOS E OPERAÇÕES MAIS RELEVANTES PARA A MISSÃO DA DREQP; IDENTIFICAR O NÍVEL DE CRITICIDADES DOS SERVIÇOS, PROCESSOS E OPERAÇÕES; IDENTIFICAR A CELERIDADE E NO NÍVEL DE SERVIÇO EXIGÍVEIS NA REPOSIÇÃO DE DETERMINADAS OPERAÇÕES, APÓS A OCORRÊNCIA DE UMA EMERGÊNCIA OU DESASTRE. AUXILIAR NO PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

19 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO SGSI ANÁLISE DE INTRUSÃO AOS SISTEMAS DA DREQP OBJETIVO DE VERIFICAR A POSSIBILIDADE DE ACESSOS INDEVIDOS AOS SISTEMAS DA DREQP; AVALIAR A VULNERABILIDADES DE DISRUPÇÃO DE SERVIÇO (ATAQUES DOS);

20 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO SGSI 3 FORMAÇÕES; FORMAÇÃO EM SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO 2 AÇÕES FORMAÇÃO NORMAS DO SGSI DA DREQP 4 AÇÕES SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ISO AÇÃO

21 DOCUMENTOS DO SGSI ELABORAÇÃO DE POLÍTICAS NORMAS E PROCEDIMENTOS TOTAL DE 43 DOCUMENTOS PRODUZIDOS NORMAS E MANUAIS> 13 POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO NORMA DE CLASSIFICAÇÃO DE INFORMAÇÃO NORMA DE SEGURANÇA FÍSICA E AMBIENTAL NORMA DE UTILIZAÇÃO DO CORREIO ELETRÓNICO PROCEDIMENTOS > 17 PROCEDIMENTO DE GESTÃO DE ALTERAÇÕES PROCEDIMENTO DE GESTÃO DE ACESSOS LÓGICOS GUIAS > 3 RELATÓRIOS > 3 RELATÓRIOS DE AUDITORIA > 2 FOLHETOS INFORMATIVOS > 3 PLANOS ESTRATÉGICOS > 2

22 MELHORIAS IMPLEMENTADAS COM O SGSI MAIOR CONSCIENCIALIZAÇÃO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PARA POSSÍVEIS INCIDENTES DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO; MAIOR PREOCUPAÇÃO DOS SERVIÇOS NO MANUSEAMENTO DA INFORMAÇÃO; MAIOR CONTROLO E MELHORES PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA; MELHORAMENTO DE CLAUSULAS NOS CONTRATOS DE OUTSORCING;

23 T C T C WC WC T C Up MELHORIAS IMPLEMENTADAS COM O SGSI CLASSIFICAÇÃO DE ESPAÇOS E IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLO DE ACESSOS FÍSICOS NO EDIFÍCIO SEDE DA DREQP (PORTAS DE CONDOMÍNIO COMUNS, ARQUIVOS, SALAS TÉCNICAS E DATA CENTER); Up Up Up Up Up Up

24 MELHORIAS IMPLEMENTADAS COM O SGSI IMPLEMENTAÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO DE COLABORADORES, VISITANTES E FORNECEDORES;

25 MELHORIAS IMPLEMENTADAS COM O SGSI IMPLEMENTAÇÃO DE CCTV, ALARME DE INTRUSÃO E SISTEMA DE DETEÇÃO E EXTINÇÃO AUTOMÁTICO DE INCÊNDIOS NO DATA CENTER;

26 SGSI ISO/IEC A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO NÃO SÓ ENVOLVE PESSOAL DE TI ENVOLVE TODOS OS DEPARTAMENTOS DE UMA ORGANIZAÇÃO ; A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SGSI É MOROSA E ENVOLVE A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HUMANOS, TÉCNICOS E FINANCEIROS; PARA O SUCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO A GESTÃO DE TOPO E TODOS OS INTERVENIENTES TÊM DE ESTAR COMPROMETIDOS COM O PROJETO.

27 OBJETIVOS A DESENVOLVER NO SGSI DESENVOLVIMENTO DE UM PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS EM PARCERIA COM A ENTIDADE QUE GERE OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO GOVERNO DOS AÇORES (DROPTC); INTEGRAÇÃO A MÉDIO PRAZO DO SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO COM O SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE CRIANDO O SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO; AUMENTAR O NÍVEL DE MATURIDADE DO SGSI, DOS CONTROLOS E PROCEDIMENTOS ADOTADOS; MANTER O SISTEMA EM CONSTANTE MELHORIA

28 OBRIGADO Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças. Charles Darwin

Seminário Anual 2013 A NP ISO/IEC 27001:2013 e a certificação de Sistemas de Gestão da Segurança de Informação

Seminário Anual 2013 A NP ISO/IEC 27001:2013 e a certificação de Sistemas de Gestão da Segurança de Informação Seminário Anual 2013 A NP ISO/IEC 27001:2013 e a certificação de Sistemas de Gestão da Segurança de Informação Sub-título da Apresentação Data Seminário Anual 2013 A NP ISO/IEC 27001:2013 e a certificação

Leia mais

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica _ Assistência Técnica CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data Descrição N. de Página 1ª 2008.05.15 5 Pág. 1 de 5 Objectivo Assegurar as condições adequadas para a gestão, acompanhamento, avaliação, monitorização

Leia mais

28 de abril - Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho Jorge Maia Alves Subdiretor

28 de abril - Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho Jorge Maia Alves Subdiretor 28 de abril - Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho Jorge Maia Alves Subdiretor 1 Ações em curso no âmbito da segurança e saúde do Trabalho em Ciências ext. 24126 sht@ciencias.ulisboa.pt 4

Leia mais

Na perspectiva da gestão empresarial, as finalidades do controle interno são:

Na perspectiva da gestão empresarial, as finalidades do controle interno são: PONTO DE CONTROLE Controle, de um modo geral, é um conjunto de procedimentos e métodos, cuja finalidade é vigiar as funções e atitudes das organizações, possibilitando verificar se todas as operações são

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Componente Ambiental Afetado: Caráter: Agente Executor: Saúde Humana Preventivo Ecossistemas da ADA e AID Objetivos: Definir as atividades e procedimentos a serem adotados

Leia mais

Auditoria de Sistemas de Gestão de Segurança da Informação

Auditoria de Sistemas de Gestão de Segurança da Informação Auditoria de Sistemas de Gestão de Segurança da Informação Antes de verificar o escopo da auditoria de Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI), é necessário compreender a sua abrangência. A

Leia mais

Partilhar Serviços na Era do Cloud Computing Novas abordagens para a redução de custos e melhoria dos processos. IT Governance com Norte"

Partilhar Serviços na Era do Cloud Computing Novas abordagens para a redução de custos e melhoria dos processos. IT Governance com Norte Novas abordagens para a redução de custos e melhoria dos processos IT Governance com Norte" Agenda Apresentação da CCDR-N Apresentação do GS-TIC Apresentação da solução Apresentação do resultado Planos

Leia mais

Plano de Aça o para 2015

Plano de Aça o para 2015 Lar Adventista para Pessoas Idosas Uma outra ideia da idade Plano de Aça o para 2015 O plano de ação aplica-se a todas as estruturas nacionais da ASA, onde existem respostas sociais para idosos, LapiSul,

Leia mais

Cybersecurity: Como se Antecipar às Ações Criminosas e estar à Frente dos Atacantes

Cybersecurity: Como se Antecipar às Ações Criminosas e estar à Frente dos Atacantes Cybersecurity: Como se Antecipar às Ações Criminosas e estar à Frente dos Atacantes 04/05/2016 Guilherme Todelis Del Passo, CISM, PMP, ITDRA, MCSE, CCSA Consultor Especialista em Segurança da Informação

Leia mais

DIAGNÓSTICO À SITUAÇÃO DO SISTEMA

DIAGNÓSTICO À SITUAÇÃO DO SISTEMA DIAGNÓSTICO À SITUAÇÃO DO SISTEMA DEARQUIVODASHSC Ana Clarisse Martins Cardoso Centro de Estudos de História Religiosa UCP 16 de Abril de 2013 PERGUNTA DE PARTIDA «Como se define uma estratégia de intervenção

Leia mais

Riscos Cibernéticos nos Sistemas e Equipamentos de Usinas de Geração de Energia. Alan Denis Bronaut Fernando Santos Varela

Riscos Cibernéticos nos Sistemas e Equipamentos de Usinas de Geração de Energia. Alan Denis Bronaut Fernando Santos Varela Riscos Cibernéticos nos Sistemas e Equipamentos de Usinas de Geração de Energia Alan Denis Bronaut Fernando Santos Varela Nesta apresentação veremos... Evolução do Sistemas de controle industriais. A tendência

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL PARTE: II Legislação ambiental Primeira Fase: Oficinas Oficina 01 Sobre a Política e sobre o Planejamento: Conceitos da Gestão Ambiental Legislação ambiental Política Ambiental definição e desdobramentos

Leia mais

A itsmf no mundo. www.itsmf.org. Única organização independente e reconhecida internacionalmente dedicada à Gestão de Serviços de TI

A itsmf no mundo. www.itsmf.org. Única organização independente e reconhecida internacionalmente dedicada à Gestão de Serviços de TI A itsmf no mundo Única organização independente e reconhecida internacionalmente dedicada à Gestão de Serviços de TI Sem fins lucrativos Representada em mais de 40 países, nos 5 continentes www.itsmf.org

Leia mais

Seminário Transportes & Negócios Transporte Rodoviário de Mercadorias Susana Mariano 24 Maio 2012

Seminário Transportes & Negócios Transporte Rodoviário de Mercadorias Susana Mariano 24 Maio 2012 Susana Mariano 24 Maio 2012 Manual do Motorista Seminário Transportes & Negócios REDUZIR CUSTOS ENCARAR OBRIGAÇÕES Cumprir obrigações legais SST Segurança alimentar Gestão de resíduos Satisfação do cliente

Leia mais

Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade

Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade Formador: Miguel Neto (migasn@gmail.com) Covilhã - Novembro 11, 2015 Segurança da Informação A informação é a alma da negócio,

Leia mais

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio SIG USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio Os Sistemas de Informações e os Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) podem ser manuais e eletrônicos. I parte SIGs eletrônicos Tecnologias

Leia mais

Atividades coordenadas para direcionar e controlar uma organização no que se refere a riscos.

Atividades coordenadas para direcionar e controlar uma organização no que se refere a riscos. Gestão de Riscos Prof. Luiz A. Nascimento Auditoria e Segurança de Sistemas Faculdade Taboão da Serra Atividades coordenadas para direcionar e controlar uma organização no que se refere a riscos. ABNT

Leia mais

CASE BENS DE CONSUMO

CASE BENS DE CONSUMO BENS DE CONSUMO VAREJO DE ALIMENTOS PRESSÃO NOS CUSTOS ADMINISTRATIVOS Visível Queda nas margens O maior custo: folha de pagamento Outras oportunidades: Redução de custos de Segurança e manutenção Solução

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE APDL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE APDL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE APDL Carta de Princípios para Concessionários APDL Administração dos Portos do Douro e Leixões, SA. POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE A APDL, consciente do seu papel como empresa

Leia mais

PROPOSTA DE OBJECTIVOS PARA O SIADAP 2012

PROPOSTA DE OBJECTIVOS PARA O SIADAP 2012 PROPOSTA DE OBJECTIVOS PARA O Exemplos de objectivos para as carreiras de Técnico Superior, Assistente Técnico, Assistente Operacional, Especialista de Informática e Técnico de Informática 1. Cumprir os

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial

A Função de Compliance na Banca Comercial A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Este curso é dirigido a todos os profissionais que pretendam adquirir conhecimentos de Compliance na Banca Comercial Objetivos Específicos: No

Leia mais

Gestão Estratégica da Qualidade

Gestão Estratégica da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Gestão Estratégica da Qualidade Aula 08 25/10 Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Missão, Visão e Valores Missão: razão de ser de uma empresa,

Leia mais

KEY FACTORS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO IDI

KEY FACTORS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO IDI Desenvolvimento Sustentado da Inovação Empresarial Outubro de 2008 KEY FACTORS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO IDI José Nina de Andrade Índice 1. Adequabilidade do SGIDI à empresa 2. A implementação

Leia mais

Novembro de 2011. O fazemos:

Novembro de 2011. O fazemos: Novembro de 2011 O fazemos: A nossa missão é por excelência acolher, atender, informar e orientar os clientes para a resolução dos seus problemas dentro ou fora da Autarquia. Pretendemos ser reconhecidos

Leia mais

REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de Julho e Despacho 10738/2011 de 30 de Agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de Julho e Despacho 10738/2011 de 30 de Agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de Julho e Despacho 10738/2011 de 30 de Agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. Que entidades devem efetuar o registo na ANPC (Autoridade Nacional

Leia mais

1. Nome da Empresa. 2. Sector de Actividade. 3. Responsável pelo preenchimento do questionário. 4. Formação/Habilitações literárias. Page 1.

1. Nome da Empresa. 2. Sector de Actividade. 3. Responsável pelo preenchimento do questionário. 4. Formação/Habilitações literárias. Page 1. Outro Projecto do Mestrado em Ambiente, Saúde e Segurança IMPLEMENTAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE AMBIENTE E DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO AO NÍVEL DAS GRANDES EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Leia mais

Adaptação às alterações climáticas de uma organização: a LIPOR. Miguel Coutinho

Adaptação às alterações climáticas de uma organização: a LIPOR. Miguel Coutinho Adaptação às alterações climáticas de uma organização: a LIPOR Miguel Coutinho PROJECTO ADAPTAÇÃO efeitos impactos MITIGAÇÃO CLIMA Adaptação: um conceito darwinista Diversidade genética Adaptação: um conceito

Leia mais

BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA)

BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) BONCRED LEASING S/A. ARRENDAMENTO MERCANTIL Manual de Política de Responsabilidade Socioambiental

Leia mais

PLANO DE TRABALHO V2 2011/2012 COMISSÃO PERMANENTE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO - CPPAT

PLANO DE TRABALHO V2 2011/2012 COMISSÃO PERMANENTE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO - CPPAT Ministério Público do Estado de Pernambuco Procuradoria Geral de Justiça Secretaria Geral Comissão Permanente de Prevenção de Acidentes do Trabalho - CPPAT I N T E G R A N T E S PLANO DE TRABALHO V2 2011/2012

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Fornecedores de Produtos Embalados

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Fornecedores de Produtos Embalados Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Fornecedores de Produtos Embalados Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação de um Sistema de Gestão

Leia mais

1.1. Definição do Problema

1.1. Definição do Problema 13 1 Introdução Uma das principais preocupações de área de engenharia de software diz respeito à reutilização [1]. Isso porque a reutilização no contexto de desenvolvimetno de software pode contribuir

Leia mais

Ino n v o aç a ão ã o e e Cr C iaç a ão ã o de d e Val Va or o ao a Serviço da Saúde

Ino n v o aç a ão ã o e e Cr C iaç a ão ã o de d e Val Va or o ao a Serviço da Saúde Inovação e Criação de Valor ao Serviço da Saúde AGENDA APRESENTAÇÃO 1.O Grupo 1.1 Valores 1.2 Princípios estratégicos 1.3 História 1.4 Presença internacional 2. Áreas de negócio 2.1 Recrutamento e Selecção

Leia mais

Pensando em Ameaças e Riscos

Pensando em Ameaças e Riscos Pensando em Ameaças e Riscos VULNERABILIDADES Ausência de proteção cobrindo uma ou mais ameaças. Fraquezas no sistema de proteção. Não importa a definição usada, vulnerabilidades são claramente associadas

Leia mais

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Manual do Processo de Planejamento da UFSC 2010 Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Apresentação Este documento descreve o processo de planejamento que vem sendo implantado na Universidade Federal

Leia mais

IDS Sistema de Detecção de Intrusos

IDS Sistema de Detecção de Intrusos IDS Sistema de Detecção de Intrusos Antes de serem abordados os conceitos de Sistema de Detecção de Intrusos (IDS), deve-se conhecer o que vem a ser uma intrusão em um sistema de informações. Um intruso,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE ENVOLVER TODOS OS COLABOARDORES NA AVALIAÇÃO DE RISCOS. Maria do Céu Ortiz Câmara Municipal de Cascais

A IMPORTÂNCIA DE ENVOLVER TODOS OS COLABOARDORES NA AVALIAÇÃO DE RISCOS. Maria do Céu Ortiz Câmara Municipal de Cascais A IMPORTÂNCIA DE ENVOLVER TODOS OS COLABOARDORES NA AVALIAÇÃO DE RISCOS Maria do Céu Ortiz Câmara Municipal de Cascais Filme Prevenção de acidentes de trabalho Fonte: www.tipsal.pt Não existem acidentes!

Leia mais

ISO 9001 : 2015 (Nova versão) Gestão do Risco e a ISO 9001

ISO 9001 : 2015 (Nova versão) Gestão do Risco e a ISO 9001 ISO 9001 : 2015 (Nova versão) Gestão do Risco e a ISO 9001 OBJECTIVOS DA ISO 9001:2015 Especificar requisitos para um SGQ quando uma organização: Necessita demonstrar aptidão para fornecer produtos e serviços

Leia mais

Ementa: As Organizações; As pessoas; As pessoas e as organizações; Sistema de Administração de Recursos Humanos.

Ementa: As Organizações; As pessoas; As pessoas e as organizações; Sistema de Administração de Recursos Humanos. ASSOSSIAÇÃO EDUCACIONAL E TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA Ementa Tecnólogo em Gestão da Produção Departamento de Ensino Superior DISCIPLINA: Administração da Produção I Introdução e conceitos; Métodos de

Leia mais

FÓRUM IPAI Controlo Interno e Auditoria Interna nos Hospitais EPE

FÓRUM IPAI Controlo Interno e Auditoria Interna nos Hospitais EPE FÓRUM IPAI Controlo Interno e Auditoria Interna nos Hospitais EPE LISBOA, 28 de maio de 2015 A necessidade de Controlo «( ) O controlo é essencial no Estado moderno. A boa utilização dos recursos dos contribuintes

Leia mais

Escopo examinado: inspeção das instalações e condições do sistema de prevenção de incêndios

Escopo examinado: inspeção das instalações e condições do sistema de prevenção de incêndios Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas Auditoria Federal de Controle Interno do IFAM Rua Ferreira Pena

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO Setembro 2008 Hoje Visão sistêmica Foco: Atuação das Pessoas Hospitalidade Gestão de risco Anos 90 Foco:

Leia mais

CIESP Campinas SP. Processo de Transição (Up Grade) da Certificação para as Novas Versões da ISO 9.001 e ISO 14.001. José Roberto Veloso

CIESP Campinas SP. Processo de Transição (Up Grade) da Certificação para as Novas Versões da ISO 9.001 e ISO 14.001. José Roberto Veloso Processo de Transição (Up Grade) da Certificação para as Novas Versões da ISO 9.001 e ISO 14.001 CIESP Campinas SP José Roberto Veloso Bureau Veritas O Grupo Quem somos Grupo Bureau Veritas: Empresa de

Leia mais

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 0 Intervenções Prácticas para a Melhora dos Processos de Planificação e Gestão Sanitária Mapas Sanitários da Área Municipal da Cidade de Maputo Março Julho 2013

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS. 0 21/01/2014 Emissão Original

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS. 0 21/01/2014 Emissão Original PGSGA/09 Auditorias Internas e Externas Página 1 de 10 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 21/01/2014 Emissão Original 01 20/02/2014 Alteração no item 6 e 7 Elaborado por: Verificado

Leia mais

Avaliação do Processo de Medição em Gerência de Incidentes e Gerência de Continuidade e Disponibilidade à Luz do MR-MPS-SV

Avaliação do Processo de Medição em Gerência de Incidentes e Gerência de Continuidade e Disponibilidade à Luz do MR-MPS-SV 1 Avaliação do Processo de Medição em Gerência de Incidentes e Gerência de Continuidade e Disponibilidade à Luz do MR-MPS-SV Bianca Trinkenreich bianca.trinkenreich@uniriotec.br Gleison Santos gleison.santos@uniriotec.br

Leia mais

IV Encontro Pedagógico do IFAM

IV Encontro Pedagógico do IFAM IV Encontro Pedagógico do IFAM Mesa temática III: Órgãos Reguladores e Processos de Auditoria na EPT Palestrante: Samara Santos dos Santos Responsável pela Auditoria Interna do IFAM Manaus, 01 de junho

Leia mais

Agenda. O que é Testar? Por que testar? Quando testar? Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes.

Agenda. O que é Testar? Por que testar? Quando testar? Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes. Agenda O que é Testar? Conceitos Por que testar? Quando testar? Custo do defeito Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes Entendendo o que é TESTAR Testar é analisar um

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO

CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO Certificações O MPF passa por um processo de certificação de qualidade em suas várias instâncias. A certificação pode ser: Por exemplo, Certificação

Leia mais

O que é? Prof. Ms. Ricardo J Marques

O que é? Prof. Ms. Ricardo J Marques 1 O que é? O CobiT auxilia as organizações a ter uma Governança de TI mais controlada. Pode dizer-se que se posiciona a um nível superior ao da Gestão de Serviços de TI (ITIL) e da própria norma de Serviços

Leia mais

Certificação ISO no

Certificação ISO no Certificação ISO 27001 no Instituto t de Informática, I.P. (MTSS) 30-11-2010 1 Agenda O Instituto t de Informática, I.P.; Sistema de Gestão Integrado (ISO 9001, 27001, 20000) Manutenção da Certificação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - MÓDULO V - GOIÂNIA - JUNHO 2016 ELABORAÇÃO Coordenadores do Projeto: Admo Danilo Camargo Da Silva Eudes

Leia mais

PARECER N, DE 2003. RELATOR: Senador GARIBALDI ALVES FILHO

PARECER N, DE 2003. RELATOR: Senador GARIBALDI ALVES FILHO PARECER N, DE 2003 Da COMISSÃO DE EDUCACÃO, sobre o Aviso nº 11, de 2003 (n 416, de 2003, na origem), que encaminha ao Senado Federal cópia do Acórdão n 318/2003 TCU (Plenário), bem como dos respectivos

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL Melhoria contínua

PROCEDIMENTO GERAL Melhoria contínua Página 1 de 6 I ÂMBITO Aplicável em toda a estrutura funcional da ESEP. II OBJETIVOS Definir a metodologia, as responsabilidades e a documentação necessárias à implementação do controlo de não conformidades

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS PAULA SOARES DE ALMEIDA UNIFEI - UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ AGOSTO, 2016.

GESTÃO DE RISCOS PAULA SOARES DE ALMEIDA UNIFEI - UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ AGOSTO, 2016. GESTÃO DE RISCOS PAULA SOARES DE ALMEIDA UNIFEI - UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ AGOSTO, 2016. CONTEXTO Auditoria Interna - Atividade independente e de assessoria à gestão; Auxilia a organização a atingir

Leia mais

Construindo Gestão Eficaz da Segurança de Alimentos. Workshop Food Safety Campinas Abril / 2014

Construindo Gestão Eficaz da Segurança de Alimentos. Workshop Food Safety Campinas Abril / 2014 Construindo Gestão Eficaz da Segurança de Alimentos Workshop Food Safety Campinas Abril / 2014 Momentos de Reflexão... PENSE NA SUA EMPRESA OU NEGÓCIO E REFLITA : Minha Empresa / Negócio possuí planos

Leia mais

ANEXO: Índice de Correspondência GRI

ANEXO: Índice de Correspondência GRI ANEXO: Índice de Correspondência GRI 1. Estratégia e Análise 1.1 Mensagem do Presidente Capítulo Mensagem do Presidente Capítulo Ética e Corporate Governance»» Modelo de Gestão Capítulo Estratégia e Sustentabilidade

Leia mais

AUDITORIA INTERNA BASEADA EM RISCOS (ABR)

AUDITORIA INTERNA BASEADA EM RISCOS (ABR) AUDITORIA INTERNA BASEADA EM RISCOS (ABR) Setembro de 2011 CONTEÚDO 1. Reflexões, Definições e Premissas 2. Variáveis a considerar na ABR 3. Matriz de Risco de Auditoria Referências e cálculos 4. Debate

Leia mais

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO 03/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JUN/09 1/5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE POLÍTICA DE SEGURANÇA

Leia mais

Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial

Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial Matriz Nine Box e Plano de Desenvolvimento Individual Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br rogeriolemeoficial Rogerio Leme Diretor de Estudos de Desenvolvimento Organizacional da ABRH-Nacional Diretor

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 1 - OBJETIVO Prover orientação e apoio para a segurança da informação de acordo com os requisitos do negócio e com as leis e regulamentações pertinentes para a melhor utilização dos recursos disponíveis

Leia mais

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS AUDITORIAS ENERGÉTICAS. Inspecção, Debilidades e Optimização de Desempenho

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS AUDITORIAS ENERGÉTICAS. Inspecção, Debilidades e Optimização de Desempenho Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS Inspecção, Debilidades e Optimização de Desempenho Paulo Santos www.itecons.uc.pt Objetivos Missão das auditorias energéticas no projeto

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI EAD Ensino à Distância do TCE-MT para a Gestão Pública CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Agenda 1. Relevância das contratações de TI para a APF 2. Antigo Modelo de Contratação

Leia mais

Projeto AMPARO. Fortalecimento da capacidade regional de atendimento a incidentes de segurança na

Projeto AMPARO. Fortalecimento da capacidade regional de atendimento a incidentes de segurança na Projeto AMPARO Fortalecimento da capacidade regional de atendimento a incidentes de segurança na América Latina e o Caribe Incidentes na Internet Ameaças na Internet O tipo de ameaças encontradas na Internet

Leia mais

Pág. 1 de 48 MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS*

Pág. 1 de 48 MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS* MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS* existentes 1ª Alteração Funções Dirigente superiores 1 1 Presidente Conselho

Leia mais

PLANO ANUAL AUDITORIA. Serviço de. Auditoria Interna. Aprovado na reunião n.º 54/2015 do Conselho de Administração, realizada a 30 de dezembro

PLANO ANUAL AUDITORIA. Serviço de. Auditoria Interna. Aprovado na reunião n.º 54/2015 do Conselho de Administração, realizada a 30 de dezembro PLANO ANUAL DE AUDITORIA Serviço de Auditoria Interna Aprovado na reunião n.º 54/2015 do Conselho de Administração, realizada a 30 de dezembro PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA Introdução O presente Plano

Leia mais

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares Gerenciamento de Integração Prof. Anderson Valadares 1. Conceito A área de conhecimento em gerenciamento de integração do projeto inclui processos e as atividades necessárias para identificar, definir,

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Apresentação Soluções de Futuro A TwoSoft Systems é uma empresa angolana que se dedica ao Desenvolvimento de Software, Consultoria Informática e Assistência Técnica Especializada.

Leia mais

Certificação da Qualidade e da Inovação. Ana Oliveira Preto

Certificação da Qualidade e da Inovação. Ana Oliveira Preto Certificação da Qualidade e da Inovação Ana Oliveira Preto Tópicos Breve apresentação da APCER A norma ISO 9001 A norma NP 4457 Certificação Apresentação APCER A APCER posiciona-se como parceiro global

Leia mais

Gestão da Segurança da Informação Ali Faiez Taha CIRP aftaha@cirp.usp.br

Gestão da Segurança da Informação Ali Faiez Taha CIRP aftaha@cirp.usp.br Gestão da Segurança da Informação Ali Faiez Taha CIRP aftaha@cirp.usp.br Gestão da Segurança da Informação Objetivos: Gerenciamento, proteção e distribuição dos recursos Pilares: : Confidencialidade, Integridade

Leia mais

Praticando a Segurança da Informação

Praticando a Segurança da Informação Praticando a Segurança da Informação Edison Fontes, CISM, CISA edison@pobox.com Cabo Verde, Praia, 03 de Dezembro de 2010 2010 Propriedade Intelectual e Direito de Publicação: Edison Fontes, CISM, CISA,

Leia mais

PROCEDIMENTO INTERNO

PROCEDIMENTO INTERNO 1. Objectivo Regulamentar a actividade do Gabinete de Auditoria Interna do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE. 2. Aplicação Gabinete de Auditoria Interna do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE. 3. Definições

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA SELEÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

A IMPORTÂNCIA DA SELEÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A IMPORTÂNCIA DA SELEÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PROJETO ACT/APSEI/IPQ GUIAS DE APOIO À SELEÇÃO DE EPI 26 e 27 de Novembro Fonte: APSEI Diretiva do Conselho 89/391/CEE de 12.06 Aplicação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO NA MANUTENÇÃO ou Como evitar armadilhas na Gestão da Manutenção Parte 2

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO NA MANUTENÇÃO ou Como evitar armadilhas na Gestão da Manutenção Parte 2 A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO NA MANUTENÇÃO ou Como evitar armadilhas na Gestão da Manutenção Parte 2 Júlio Nascif Luiz Carlos Dorigo 2 ESQUEMA DE ATRIBUIÇÕES DA MANUTENÇÃO Podemos representar as principais

Leia mais

Estrutura do Gerenciamento de Riscos

Estrutura do Gerenciamento de Riscos Estrutura do Gerenciamento de Riscos 2016 01/01/2016 A CREFISA S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos é uma instituição financeira privada independente, com ato constituivo realizado em 06 de maio

Leia mais

A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PORTFÓLIO COMO INDUTORA DO FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UMA EMPRESA DE SAÚDE SUPLEMENTAR.

A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PORTFÓLIO COMO INDUTORA DO FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UMA EMPRESA DE SAÚDE SUPLEMENTAR. A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PORTFÓLIO COMO INDUTORA DO FORTALECIMENTO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UMA EMPRESA DE SAÚDE SUPLEMENTAR Francisco Tavares Contexto Fonte: relatório de Sustentabilidade 2015 Execução

Leia mais

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart Gestão de Processos: Ciclo PDCA Profa. Reane Franco Goulart O que é PDCA? É uma ferramenta da qualidade utilizada no controle do processo para a solução de problemas. É também chamado de Roda de Deming

Leia mais

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Em vigor a partir de 01 de abril 2012 RINA Via Corsica, 12 16128 Genova - Itália Tel. +39 01053851 Fax: +39 0105351000

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Página 1 de 15 IV 4.1 Competências no Âmbito do Sistema de Gestão da Qualidade As funções e responsabilidades no domínio específico da qualidade, necessárias para assegurar a implementação, manutenção

Leia mais

Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática

Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter

Leia mais

Este trabalho foi motivado basicamente por três fatores:

Este trabalho foi motivado basicamente por três fatores: Introdução à ITIL ITIL vem do inglês IT infra-structure library e, como o próprio nome diz, é uma biblioteca ou um conjunto de livros que apresenta melhores práticas para a gestão dos serviços de TI. Esta

Leia mais

Prevenção de Acidentes Graves Novo quadro legal. Conferência Prevenção de Acidentes Graves OE, 19 de novembro de 2015

Prevenção de Acidentes Graves Novo quadro legal. Conferência Prevenção de Acidentes Graves OE, 19 de novembro de 2015 Prevenção de Acidentes Graves Novo quadro legal Conferência Prevenção de Acidentes Graves OE, 19 de novembro de 2015 Prevenção de acidentes graves Objetivo Âmbito nacional Entidades competentes Evolução

Leia mais

Projeto Integrador Gestão em TI II Gestão em Pessoas. Organograma DIRETOR DEPARTAMENTO DE T.I ANALISTA TÉCNICO

Projeto Integrador Gestão em TI II Gestão em Pessoas. Organograma DIRETOR DEPARTAMENTO DE T.I ANALISTA TÉCNICO Projeto Integrador Gestão em TI II Gestão em Pessoas Organograma - Gráfico da estrutura hierárquica de uma organização social complexa, que representa simultaneamente os diferentes elementos do grupo e

Leia mais

Disciplina de Segurança e Auditoria de Sistemas Informação

Disciplina de Segurança e Auditoria de Sistemas Informação Disciplina de Segurança e Auditoria de Sistemas Informação Professor: Jiyan Yari Premissas As portas dos fundos são tão boas quanto às portas da frente. Um sistema é tão seguro quanto o seu elo mais fraco.

Leia mais

Anexo A Estrutura de intervenção

Anexo A Estrutura de intervenção Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Associação dos Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes. APFCertifica. (Licença C014488)

Associação dos Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes. APFCertifica. (Licença C014488) Associação dos Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes APFCertifica (Licença C014488) 1. A Certificação Florestal FSC A Certificação Florestal FSC é uma garantia escrita, dada por uma

Leia mais

O SNC NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Preparação para a mudança. I Congresso Internacional de Contabilidade Pública

O SNC NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Preparação para a mudança. I Congresso Internacional de Contabilidade Pública O SNC NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Preparação para a mudança I Congresso Internacional de Contabilidade Pública PREPARAÇÃO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO SNC-AP A SITUAÇÃO ATUAL Caracteriza-se pela existência de

Leia mais

Abc BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( BSI ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Abc BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( BSI ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL Abc BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ÚLTIMA REVISÃO Abril 2013 APROVAÇÃO Conselho de Administração Gestão de Risco Operacional Pág. 1 de 8 ÍNDICE

Leia mais

Chegaram as novas Normas: ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015, desafios novos chegaram também

Chegaram as novas Normas: ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015, desafios novos chegaram também Chegaram as novas Normas: ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015, desafios novos chegaram também 10-26-15 Lisboa Chegaram as novas Normas: ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015, desafios novos chegaram também As novas

Leia mais

Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFLORA

Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFLORA INSTITUTO DE PESQUISAS JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO JBRJ/MMA Centro Nacional de Conservação da Flora - CNCFLORA Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para Biodiversidade PROBIO II

Leia mais

Reabilitação Urbana Integrada: Dinamização da Atividade Económica Projetos de intervenção no comércio tradicional

Reabilitação Urbana Integrada: Dinamização da Atividade Económica Projetos de intervenção no comércio tradicional Reabilitação Urbana Integrada: Dinamização da Atividade Económica Projetos de intervenção no comércio tradicional Amadora, 4 de Junho de 2012 Competências da DGAE À DGAE compete, em articulação com os

Leia mais

I Congresso CONSAD de Administração Pública

I Congresso CONSAD de Administração Pública I Congresso CONSAD de Administração Pública I Congresso CONSAD de Administração Pública Criação dos núcleos de administração sistêmica inovando a gestão de serviços administrativos em Mato Grosso. Antecedentes

Leia mais

Direção-Geral do Orçamento Ministério das Finanças

Direção-Geral do Orçamento Ministério das Finanças Direção-Geral do Orçamento Ministério das Finanças Desmaterialização de processos e de documentos 28-6-2016 Portugal Digital Awards AGENDA Missão Situação inicial Solução implementada Benefícios da solução

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido (s) / Nome (s) próprio (s) Endereço (s) de correio electrónico Morada (s) Rua Augusto Simões, Nº 768 4ºB 4470-147 Maia Portugal Telemóvel 919918916

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO Administração Cálculos Financeiros Administração Administração (EII) Administração - Habilitação em Administração de Empresas Administração - Habilitação em Administração

Leia mais

Albufeira 10 de Maio de 2013

Albufeira 10 de Maio de 2013 Zona Industrial da Feiteirinha - Aljezur Paulo Oliveira Albufeira 10 de Maio de 2013 ZIF - Zona Industrial da Feiteirinha Gestor de Processos de Investimento Localização de armazéns no interior da zona

Leia mais

Qualidade de Software Normatização

Qualidade de Software Normatização Qualidade de Software Normatização Norma ISO/IEC 12207 processo do ciclo de vida de software Norma criada em 1995 com o objetivo de fornecer uma estrutura comum para adquirente, fornecedor, desenvolvedor,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE)

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) Núcleo de Apoio à Prática Profissional das Licenciaturas CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Atualizado em 17 jun 2016 5º. PERÍODO 4º. PERÍODO

Leia mais

A M B I E N T A L A INOVAÇÃO POR UM FUTURO SUSTENTÁVEL

A M B I E N T A L A INOVAÇÃO POR UM FUTURO SUSTENTÁVEL A M B I E N T A L A INOVAÇÃO POR UM FUTURO SUSTENTÁVEL Catálogo de Serviços Março / 2014 Quem Somos Missão, Visão e Valores Quem Somos Desde 2008 atuamos na prestação de serviços na área ambiental e da

Leia mais

SIMULADO A - COBIT 5 PORTUGUES

SIMULADO A - COBIT 5 PORTUGUES SIMULADO A - COBIT 5 PORTUGUES 1. Que atributo está associado a um processo já estabelecido? a. Definição do Processo b. Medida do Processo c. Otimização do Processo d. Gerenciamento de Desempenho 2. Que

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia Espaciais - ETE Lições Aprendidas Organização das lições aprendidas a partir do desastre do Japão Dinah Leite Simone

Leia mais