Privacidade e ética nos Sistemas de Recomendação para e-commerce: uma breve reflexão 1. Segundo Góis (2000) e-commerce pode ser definido como:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Privacidade e ética nos Sistemas de Recomendação para e-commerce: uma breve reflexão 1. Segundo Góis (2000) e-commerce pode ser definido como:"

Transcrição

1 Privacidade e ética nos Sistemas de Recomendação para e-commerce: uma breve reflexão 1 Camila Maciel Cardoso 2 Sandra Reimao 3 Jane Marques 4 Universidade de São Paulo, São Paulo, SP RESUMO: No atual cenário tecnológico as relações entre consumidores e organizações têm se alterado constantemente, principalmente quanto às novas formas de negócio como comércio eletrônico. Este artigo abordará de forma breve as relações estabelecidas entre usuário (cliente) e site (empresa) quanto à coleta de dados para sugestão de itens de compra (Sistemas de Recomendação) nos quesitos de privacidade e ética no e-commerce. PALAVRAS-CHAVE: Privacidade; Sistemas de Recomendação; Coleta de Dados. Introdução Os avanços tecnológicos atuais têm permitido o surgimento de novas formas de negócio, entre elas está o e-commerce. Segundo Góis (2000) e-commerce pode ser definido como: [...] a compra e venda de informações, produtos e serviços, além de todos os serviços de pré e pós-venda realizados através de computadores, incluindose nesse segmento a Internet e todas as mídias interativas englobando vários processos de negócios da organização (p.3, GÓIS, 2000 apud TEZZA et al.). O desenvolvimento do comércio eletrônico, assim como das formas de comunicação pela internet foi baseado no conhecimento que se tinha de outras mídias (FREITAS, 2002). Por esta causa, assim como nos outros meios de comunicação e formas de negócios ocorrem 1 Trabalho apresentado em Grupo de Trabalho da II Conferência Sul-Americana e VII Conferência Brasileira de Mídia Cidadã. 2 Bolsista de Iniciação Científica CNPq e graduanda do Curso de Marketing da EACH-USP, 3 Orientadora do trabalho e Professora Livre Docente do Curso de Marketing da Escola de Artes Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP), 4 Docente do Curso de Marketing da Escola de Artes Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP); 1

2 falhas e erros, entre as mais discutidas hoje está a privacidade do usuário, muitas vezes colocada em risco. No Brasil não há uma regulamentação efetiva sobre as atividades realizadas via web e o internauta fica desprotegido (ROHRMANN, 2000). Percebe-se que há uma grande importância do estudo dessa nova forma de negócio, suas implicações e derivações. De acordo com dados citados na Revista Exame de 9 de março de 2011, o faturamento estimado dos sites de varejo virtual em 2010 foi de 9 bilhões de dólares no Brasil, e esse número tende a aumentar ainda mais. Também em 2010 no Brasil, 70% dos usuários da web acessaram algum portal de varejo on-line e, de acordo com o jornal Valor On-line, cerca de 23 milhões de clientes fizeram mais de 40 milhões de pedidos. Este trabalho pretende trazer algumas questões relacionadas à privacidade dos indivíduos nos Sistemas de Recomendação aplicados ao e-commerce e suas implicações éticas. O texto abordará, inicialmente, algumas definições e itens relacionados ao Sistema de Recomendação, a seguir enfocará questões relativas à coleta de dados e privacidade; neste âmbito discutirá alguns modelos de interfaces de recomendação e algumas questões psicológicas e éticas aí implicadas. Sistemas de Recomendação e Agentes Inteligentes Usualmente nas compras que não se dão por impulso, o comprador busca informações sobre o produto almejado. Uma das formas de coleta dessas referências é o bocaa-boca realizado com pessoas de confiança, vendedores, ou indivíduos que já tenham feito uso do produto (CARDOSO; REIMAO, 2011). Com as atuais tecnologias esse processo foi aprimorado e dinamizado. Todos os dias recebemos uma infinidade de informações que estão distantes de nós por apenas um click. Para facilitar a seleção, filtragem e uso delas diversos recursos e aparatos são construídos diariamente, e entre os processos que vêm ganhando força estão os Sistemas de 2

3 Recomendação que realizam sugestões de itens para serem escolhidos pelos usuários, neste trabalho essas indicações estarão relacionadas ao e-commerce. Recommender systems are used by e-commerce sites to suggest products to their customers [ ] Recommender systems automate personalization on the Web, enabling individual personalization for each customer 5 (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999, p. 158). Ainda de acordo com SCHAFER, KONSTAN e RIEDL (1999, p. 158): A recommender system learns from a customer and recommends products that she will find most valuable from among the available products 6. Baseados nessas definições e explicações percebe-se que os Sistemas de Recomendação estão sendo usados quase como um vendedor virtual ao invés de uma ferramenta de marketing. Cada configuração do sistema foca o cliente de maneira diferente. Os sistemas trabalham para auxiliar o cliente selecionando, em seu lugar, itens que provavelmente serão comprados (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999). Para a constituição do Sistema de Recomendação pode-se definir os agentes inteligentes que são: softwares ou sistemas autônomos utilizados para gerenciamento e execução de uma série de tarefas que, a partir de informações providas pelos usuários, programação ou regras definidas por engenheiros de sistemas, observação, imitação e auto-aprendizado, pode oferecer automação de serviços, personalização e customização para os usuários (FREITAS, 2002, p. 4). Há grande dificuldade para criação de softwares que atendam o consumidor de forma adequada, questões interessantes são como o agente (varejista) conseguirá conhecimento suficiente para decidir quando e como auxiliar o interagente (consumidor), e como saber se este (consumidor / usuário) estará confortável em delegar tarefas ao sistema e como receberá as recomendações (FREITAS, 2002). 5 Sistemas de Recomendação são usados por sites de e-commerce para sugerir produtos para seus clientes. Sistemas de Recomendação automatizam a personalização individual na web, permitindo personalização individual para cada cliente (Tradução nossa). 6 Um Sistema de Recomendação aprende sobre o consumidor, recomenda produtos que ele procura e que tem mais valor na avaliação dele (Tradução nossa). 3

4 No comércio eletrônico o Agente Inteligente, que é esse sistema autônomo que realiza uma série de tarefas a partir de informações fornecidas pelos usuários e outros meios, deverá estabelecer uma comunicação personalizada de forma a transmitir um estímulo para que o possível comprador possa utilizá-lo, além disso o cliente precisará perceber que transmitir suas informações e mesmo a própria coleta de dados oferecerá benefícios a ele, o que nem sempre é uma tarefa fácil. Em muitas situações esses agentes podem ser considerados invasores de privacidade devido à coleta e armazenamento dos dados (FREITAS, 2002). Um dos principais fundamentos do Sistema de Recomendação é a fidelidade. Na atual situação do mercado o concorrente está a um click de distância ganhar clientes e mantê-los é uma estratégia de mercado. Os Sistemas de Recomendação agregam valores à relação entre o cliente e o site. Os sites investem no aprendizado sobre os usuários e clientes, usam o sistema para operacionalizar o aprendizado e trazer ao consumidor interfaces personalizadas que atendam as necessidades dele. Ele optará pelo site que melhor atender a essas necessidades. Quanto mais o consumidor usa o sistema, ensinando a ele o que deseja e suas preferências, mais fiel o cliente se torna ao site. Mesmo que o concorrente tenha as mesmas capacidades e habilidades, o usuário optará por não gastar tempo e energia para ensinar novamente o que o outro sistema já sabe. São clientes que retornarão para o site e o recomendarão para outras pessoas com quem ele queira interagir (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999). Os Sistemas de Recomendação podem ser uma importante vantagem competitiva para as empresas de e-commerce em especial. Quando um sistema oferece boas sugestões ele pode cativar o usuário, além de inspirar confiança no interagente. Uma interface bem apresentada pode recolher de forma eficiente informações para realizar as recomendações personalizadas para cada cliente (COSLEY et al., 2003). Coleta de dados e a privacidade do usuário 4

5 Para fazer recomendação é necessário capturar e armazenar dados dos usuários e a coleta de dados ocorre de forma implícita (por exemplo, coleta de dados de navegação) ou explícita (usuário aponta o que mais lhe interessa) (CAZELLA; NUNES; REATEGUI, 2010). são: Segundo Cazella, Nunes e Reategui (2010), os modos mais comuns de identificação Identificação no servidor: em geral, disponibiliza uma área de cadastro, esses sites possuem bancos de dados e obrigam a ter um login e senha, a identificação nesse caso ocorre com mais precisão. Nesse caso o consumidor se sente menos invadido, pois ele está oferendo os dados que quer apresentar; Identificação no cliente: faz uso de cookies. Um cookie funciona como um cartão de identificação para o computador, eles são inseridos na navegação do usuário para diferenciá-lo de outros ips. Esses cookies também vasculham as preferências dos browsers. Dessa forma, muitos sites de e-commerce podem recomendar produtos baseados na navegação por aquela página, e nessa forma o consumidor visualiza que não está sendo respeitado quanto à sua privacidade. Os cookies não são necessariamente ruins, entretanto, a forma como os dados são coletados, armazenados e utilizados é que define esse atributo. Sistemas de recomendação geralmente usam histórico da interação do usuário para gerar respostas. A coleta de informações pelos sites de forma implícita gera alguns conflitos com a essa privacidade do interagente. Algumas empresas vendem seus bancos de dados, o que aumenta a quantidade de spam, além disso, o indivíduo que usa o site perde a confiança; para isso uma boa política de privacidade ajuda (CAZELLA; NUNES; REATEGUI, 2010). Antes de coletarem os dados, os sites precisam melhorar seu relacionamento com os clientes, os indivíduos se sentem invadidos, uma sugestão é que o site somente solicite esses dados quando o cliente efetivamente decidir realizar a compra, o uso de cookies, por exemplo, não seria uma boa estratégia sob esse olhar (NIELSEN; LORANGER, 2007). Interfaces de Recomendação (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999) 5

6 Navegação: anteriormente aos Sistemas de Recomendação eletrônicos, o potencial cliente estaria sujeito ao conhecimento do vendedor, por exemplo. Mas com a digitalização desses sistemas o processo de escolha dos consumidores se tornou mais fácil. Essa interface auxilia a transformar usuários em compradores, e faz com que estes sintam mais confiança em suas escolhas e decisões; Item similar: esse formato tenta expor ao usuário objetos ou itens que tenham esquecido ou nem mesmo chegaram a conhecer. Possibilita uma recomendação mais específica e personalizada, porém é necessário um cuidado, pois quando o cliente percebe que essa recomendação se baseou em dados que ele não ofereceu o mesmo pode se sentir invadido; acaba se tornando uma extensão da tradicional mala direta, entretanto, de forma mais eficiente, como é o caso da Amazon. São ofertas específicas para o perfil daquele cliente, o recurso dos s permite que o cliente seja avisado de um novo item assim que ele fica disponível, muitas vezes acaba antecipando a ação dos concorrentes. Essa interface favorece a fidelização dos clientes e o retorno ao site; Textos Comentários: cada vez mais as empresas fornecem recomendações aos clientes baseadas nos comentários de outros compradores; de certa forma oferece opiniões imparciais sobre os serviços e produtos vendidos, essa ação também auxilia no aumento da lealdade a empresa. Se os clientes sabem que podem confiar na opinião de outros indivíduos que fazem uso daquela empresa, estarão mais propensos à recompra e podem até indicar outros usuários; Média de Classificação: em vez de questionar o cliente diretamente o sistema procura perfis semelhantes para estabelecer algumas médias. Auxilia também o consumidor na seleção do que procura, pois ele terá a possibilidade de comparar com outros perfis e comentários; Top-N: as organizações tiram proveito dessas listas Top-N, o sistema aprende o que o cliente gosta ou não através da navegação do mesmo, então elabora uma lista com itens nunca vistos antes por ele, mas que sejam de seu agrado, 6

7 proporcionando maior exposição das mercadorias e ajuda o cliente a se decidir; Resultados de pesquisa ordenados: enquanto a lista Top-N se reserva a uma quantidade limitada de itens, essa interface permite continuar olhando os itens que percorrem do alto ao pouco provável interesse. Psicologia e Privacidade A Constituição Brasileira garante o direito à privacidade com respeito à preservação da vida privada e da intimidade da pessoa (p. 7, LEMOS et al, 2007), e Rohrmann (2000) destaca que temor quanto à falta de privacidade foi apontado como principal fator de retardo do consumidor a comprar um produto pela internet. Ainda de acordo com Rohrmann (2000), a privacidade online significa a proteção dos dados dos usuários que são disponibilizados para o website. Algumas ações estão sendo realizadas com relação a essa questão; nos EUA dois senadores propuseram um projeto de lei rígido sobre a privacidade, segundo essa possível lei as empresas de tecnologia terão que informar seus clientes o motivo de seus dados estarem sendo monitorados e deverão permitir que os usuários do site se recusem a aceitar a coleta de dados específicos quando não concordarem, uma das justificativas do projeto é que muitos sites que são gratuitos o são porque a receita publicitária cobre os gastos, e esses anúncios são feitos com base nos dados recolhidos durante a navegação. Sob o olhar do cliente essa falta de privacidade acaba por oferecer riscos. Pode-se definir o risco percebido como a incerteza que o possível cliente possui sobre os efeitos positivos e negativos na compra, trata-se de uma análise subjetiva, que ocorre na mente do ator social e depende em demasia das características psicológicas, sociais e pessoais do indivíduo. Os usuários consideram como riscos pessoais os fatos de que seus dados possam ser vendidos a outras empresas (COSTA; LUCIAN, 2008). Mesmo com os benefícios oferecidos a internet também pode gerar conceitos negativos, por exemplo, como já citado, quando a empresa vende seu banco de dados, ou no 7

8 fato de que os clientes também possuem incertezas e riscos do processo de compra, além disso no e-commerce o possível cliente não pode experimentar, ver o produto fisicamente (COSTA; LUCIAN, 2008). Comprovando isto, Nunes (2009) cita diversos estudos que têm mostrado como são importantes os traços de personalidade e emoções no processo de decisão humana (NUNES, 2009). De acordo com Nielsen e Loranger (2006, apud TEZZA et al., 2010) a busca dentro de um site é parte fundamental da experiência do usuário, pois este cria expectativas e a partir do que é observado e vivenciado na página o usuário registra experiências para depois decidir se comprará ou não o produto. Se o site apresentar boa usabilidade o usuário perceberá um diferencial, o que poderá levá-lo à compra. As características dos usuários, tanto relacionadas a modelos mentais quanto experiências e contextos sociais influenciam grandemente na usabilidade dos programas e aplicações, pois a relação estabelecida depende dos fatores humanos e sociais, de como o usuário atua em relação à interface. Pensando dessa maneira, a usabilidade não está ligada diretamente ao sistema, mas às características do usuário (TEZZA et al., 2010). No caso de usuários não especialistas, a interação é muito mais baseada nos processos cognitivos do que em conhecimentos técnicos, a não atenção a estes fatores pode gerar sérias dificuldades no entendimento da relação humano computador em sites de e-commerce e conseqüentemente prejudicar do desempenho do site (TEZZA et al., 2010, p. 1). O entendimento das características psicológicas humanas é essencial para que o site possa oferecer melhor personalização, otimizando a interação homem-máquina (NUNES, 2009, p. 1). Ética, privacidade e a computação persuasiva O estudo da computação e da tecnologia persuasiva foi definido como Captology derivado do acrônimo Computers As Persuasive Technologies. Cheng (2003) define esse 8

9 termo como the computing systems, devices, or applications intentionally designed to change a person's attitudes or behavior in a predertined way 7 (CHENG, 2003, p. 1). Os sistemas em si não são feitos para persuadir, essas intenções são plantadas pelos criadores dos mesmos. Em marketing essas estratégias são muito usadas para incentivar o cliente a comprar mais. Nos sistemas de recomendação em sites de e-commerce gerar uma boa recomendação é uma questão fundamental para estratégia de persuasão. Uma possível solução seria a filtragem de conteúdo: durante a coleta de dados o sistema criaria um perfil do usuário com palavras-chave que seriam usadas na combinação para gerar a sugestão. Outra solução seria a filtragem colaborativa, que está mais relacionada à comparação de perfis de usuários para estabelecer a recomendação (CHENG, 2003). Berdichevsky e Neuenschwander (1999) trazem o conceito imperativo de privacidade, no qual aproveita-se das informações coletadas anteriormente para persuadir o indivíduo, porém, para muitos, pode ser considerada como algo invasivo. Segundo os autores, questões a se fazer são: What that intent in the first place? (o que se pretende inicialmente?), e So why persuade you? (Então, por que persuadí-lo?) (BERDICHEVSKY; NEUENSCHWANDER, 1999, p. 10). As questões apontadas são importantes, pois quando o cliente percebe que está sendo monitorado ou rastreado acaba gerando um certo grau de desconfiança e desconforto por parte dos usuários. Sugere-se que os programadores e designers pensem no bem estar do internauta e não somente no lucro ao criar um sistema persuasivo. Deve-se pensar, portanto, nos beneficiários finais das tecnologias em vez de apenas o lucro (CHENG, 2003). Os chamados endogenously persuasive technologies interagem de forma dinâmica com os objetos de persuasão. Os atos persuasivos não podem ser atribuídos às máquinas e computadores, mas sim aos indivíduos que programam. Deve-se observar os métodos pelos quais a persuasão convence, mesmo algumas das motivações serem louváveis os métodos podem ser antiéticos (BERDICHEVSKY; NEUENSCHWANDER, 1999). 7 O cálculo de sistemas, dispositivos ou aplicações projetado intencionalmente para mudar as atitudes de uma pessoa ou comportamento de uma forma predeterminada. 9

10 É possível se observar o conceito de ética e fazer algumas reflexões Ethics refers to a rational, consistent system for determining right and wrong, usually in the context of specific actions or policies 8 (BERDICHEVSKY; NEUENSCHWANDER,1999, p. 2). Cabe aos programadores e designers refletirem se as formas de persuasão utilizadas e mesmo se as formas de coletas de dados são corretas para eles próprios e sob o olhar de quem é afetado por isso, de forma benéfica ou não, É importante que se pese os lados da balança tanto do usuário ou comprador quanto do programador (ou empresa que irá oferecer o serviço). Existem alguns padrões internacionais sobre a questão da coleta de dados e privacidade deles, aqui no Brasil,em junho de 2000, a Fundação Vanzolini, em parceria com a Universidade de São Paulo USP, publicou a Norma de Referência da Privacidade Online (NRPOL), entre algumas normas éticas estão (LEMOS et al, 2007): o acesso completo do usuário às informações coletadas ao seu respeito; a garantia de que a informação recolhida é adequada e de que não será usada para propósitos diversos daqueles que motivaram o seu recolhimento; e (iii) a adoção, pela empresa recolhedora dos dados, de procedimentos que previnam danos e o uso, sem autorização de tais informações (p. 17). Uma aplicação: o caso da Amazon Segundo o perfil da empresa sob o olhar de Schafer, Konstan e Riedl (1999) há algumas estratégias para o Sistema de Recomendação. A primeira seria aplicada aos consumidores que preferem fazer compras via e-commerce, nesse caso as informações e dados sobre os produtos são bem completas e são oferecidas ao cliente duas listas, uma com os livros mais vendidos e outra com livros dos autores mais vendidos, uma forma de recomendação que não atinge a privacidade do consumidor. Outra estratégia utilizada pela empresa é o envio de s, que pode ocorrer de forma simples com a apresentação de novos itens inclusos no catálogo, e de modo mais complexo, os s são personalizados de acordo com buscas anteriores do consumidor no site da empresa, nesse formato o usuário (cliente) percebe que os dados utilizados pelo sistema foram coletados na própria navegação 8 Ética se refere a um sistema racional e consistente para determinar o certo e o errado, geralmente no contexto de ações específicas ou políticas 10

11 pelo site, o que de certa forma também não invade a individualidade dele. Outra opção é a que os potenciais compradores ou já clientes escolhem sobre qual gênero de livros querem receber atualizações, é chamado pelos autores de Amazon.com Delivers. Uma quarta estratégia é chamada pelos autores de Book Matcher, que consiste na tentativa de permitir ferramentas para os clientes oferecerem feedback sobre os livros que tem lido, usa-se essas recomendações para taxar e classificar os livros que serão recomendados posteriormente; essa ação se torna uma forma de interação do cliente como o website da organização, fazendo com que ele se torne mais próximo da empresa. A última estratégia apresentada por Schafer, Konstan e Riedl (1999) é a do comentário dos clientes, os consumidores recebem recomendações baseadas nas recomendações de outros usuários dos produtos. Além disso, o Sistema de Recomendação utiliza dos dados de navegação do cliente no próprio site para efetivar as recomendações. A Amazon utiliza as seguintes funções já descritas nesse trabalho: item similar, , textos comentários, lista top-n, recomendação não personalizada, correlação item a item, correlação pessoa a pessoa e dados de compra (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999; CARDOSO;REIMAO, 2011) Apesar da última forma de recomendação apresentar a coleta de dados da navegação do cliente, essa coleta é realizada no próprio site da empresa, o que torna a questão da privacidade menos complexa sob o olhar do cliente. Finalizando... Uma questão muito importante a ser considerada é a satisfação do cliente, se ele sente que sua privacidade está sendo invadida é bem provável que não esteja satisfeito. Avaliações positivas dos clientes sobre a empresa são importantes, mesmo se tratando de uma compra on-line, pois são elas que mantêm o cliente, em geral, é mais barato manter um cliente do que conquistar um novo, além do próprio processo do boca-a-boca, no qual os clientes insatisfeitos provavelmente divulgarão entre seus pares como é o serviço da empresa (BLACKWELL; MINIARD; ENGEL, 2005). 11

12 Pode-se colocar em pauta também que os consumidores insatisfeitos têm o direito de entrar com uma reclamação formal ou mesmo um processo contra a empresa (BLACKWELL; MINIARD; ENGEL, 2005). A retenção e fidelidade dos clientes serão muito importantes para os sites, esta relação será, na maior parte das vezes, a favor do cliente. Importantes desafios éticos surgem para equilibrar o valor de recomendações para o site e para o cliente, entre eles a privacidade do usuário (SCHAFER; KONSTAN; RIEDL, 1999). REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANTUNES, Luciene. Grandes Números: compra virtual, consumo real. Revista Exame, São Paulo, 987 ed., n.4, p. 28, 9 mar BERDICHEVSKY, Daniel; NEUENSCHWANDER, Erik. Toward an ethics of persuasive technology Disponível em: <http://cseserv.engr.scu.edu/nquinn/engr019_301spring2002/ CACMEthics8.pdf>. Acesso em: 21 set BLACKWELL, R. D.; MINIARD, P. W.; ENGEL, J. F. Comportamento do Consumidor. Tradução de Eduardo Teixeira Ayrosa. 9.ed. São Paulo: Cengage Learning, CARDOSO, C. M.; REIMAO, S. Sistemas de Recomendação para E-commerce: uma breve apresentação de um conceito. In: XXV Congresso Brasileiro de Ciências Da Comunicação, Salvador, In: Anais... São Paulo: Intercom, p Disponível em: < Acesso em: 27 set CHENG, Ran. Persuasion strategies for computers as persuasive technologies Disponível em: <http://www.google.com/url?sa=t&source=web&cd=3&ved=0cdaqfjac&url=http%3a%2f %2Fciteseerx.ist.psu.edu%2Fviewdoc%2Fdownload%3Fdoi%3D %26rep %3Drep1%26type%3Dpdf&rct=j&q=Persuasive%20Technologies%3A %20Introduction&ei=aRd6Tr7RO9SgtwfghYz-Dw&usg=AFQjCNG0Yr-oOK-pyHFRFoZ-EeUvwCaPw&sig2=VkAC_nxGJbHes_YYlXTUg& cad=rja >. Acesso em: 21 set COSLEY et al. Is seeing believing?: how recomender interfaces affect users' opinions Disponível em: <http://www.google.com/url? sa=t&source=web&cd=1&ved=0cbkqfjaa&url=http%3a%2f%2fciteseerx.ist.psu.edu %2Fviewdoc%2Fdownload%3Fdoi%3D %26rep%3Drep1%26type %3Dpdf&rct=j&q=%22Is%20Seeing%20Believing%3F%20How%20Recommender %20Interfaces%20Affect%20Users%27%20Opinions. %22&ei=Tyd6TtDHMobW0QHTiemmAg&usg=AFQjCNELmTXzQoCK9d1DfzfL6ibCnzcb 5w&sig2=eQxhgTGrszR5OeyG09yKRg&cad=rja>. Acesso em: 21 set

13 COSTA, Cristiane Salomé Ribeiro da; LUCIAN, Rafael. A logística reversa e sua influência no risco percebido em um ambiente de compra. Revista de Administração da UNIMEP, v. 6, n. 2, p , mai/ago Disponível em: <http://raunimep.com.br/ojs/index.php/regen/article/view/40>. Acesso em: 20 set FOGG, B.J. Persuasive technologies. Comunications of the ACM, v. 42, n. 5, p , mai Disponível em: <http://delivery.acm.org/ /310000/301396/p26-fogg.pdf? ip= &cfid= &cftoken= & acm = _c302 99ee05ad9cf07c d6505b>. Acesso em: 21 set FREITAS, Jackeline Spinola. Agentes inteligentes: benefícios e desafios de sua aplicação na comunicação interativa. In: XXV Congresso Brasileiro de Ciências Da Comunicação, Salvador, In: Anais... São Paulo: Intercom, p Disponível em: <http://galaxy.intercom.org.br:8180/dspace/bitstream/1904/18831/1/2002_np8freitas.pdf>. Acesso em: 15 set LEMOS, Ronaldo; DONEDA, Danilo M.; SOUZA, Carlos A.P. de; ROSSINI, Carolina A.A. Estudo sobre a regulamentação jurídica do spam no Brasil. Trabalho comissionado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil ao Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS), da Escola de Direito do Rio de Janeiro / Fundação Getúlio Vargas, abr Disponível em: <http://cgi.br/publicacoes/documentacao/ctspam-estudospamcgifgvversaofinal.pdf>. Acesso em: 27 set NIELSEN, Jakob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na Web. Tradução de E. Furmankiewicz & C. Schafranski. Rio de Janeiro: Elsevier, NUNES, M. A. S. N. Tendências à tomada de decisão computacional Disponível em: <http://www.dcomp.ufs.br/~gutanunes/hp/w3c2009.pdf>. Acesso em: 15 set PROJETO DE LEI NOS EUA QUER RESTRINGIR COLETA DE DADOS DOS CONSUMIDORES POR EMPRESAS DE TECNOLOGIA - O GLOBO. Digital & Mídia. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2011/04/13/projeto-de-lei-nos-eua-quer-restringircoleta-de-dados-dos-consumidores-por-empresas-de-tecnologia asp>. Acesso em: 27 set REATEGUI, Elíseo Berni; CAZELLA, Sílvio Cezar. Sistemas de Recomendação. XXV Congresso da Sociedade de Computação: A Universalidade da Computação um agente de inovação e conhecimento. In: Anais a 29 de julho de p. Unisinos. São Leopoldo. ROHRMANN, Carlos Alberto. Notas acerca do direito à privacidade na internet: a perspectiva comparativa Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/ pb.pdf>. Acesso em: 21 set SCHAFER, J. Bem; KONSTAN, Joseph; RIEDL, John. Recommender Systems in e-commerce. In: I ACM Conference on Eletronic Commerce (EC - 99), Denver, Colorado, USA. Processos. In: Anais... Nova Iorque: ACM, p Disponível em: <http://www.grouplens.org/node/227> Acesso em: 12 abr SCHNOOR, Tatiana. Comércio Eletrônico cresce 40% no Brasil em 2010, iz e-bit. Jornal Valor Online, São Paulo, 22 mar Disponível em: 13

14 <http://www.valoronline.com.br/online/internet/50/400827/comercio-eletronico-cresce-40-nobrasil-em-2010-diz-e-bit> Acesso em: 01 abr TEZZA, Rafael; FREITAS, Jairo Nunes de; FURTADO, Carol; BORNIA, Antonio Cezar. Interação humano-computador em sites de e-commerce e a cognição distribuída. In: X Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces Humano-Computador, 2010, Rio de Janeiro. In: Anais... Rio de Janeiro: PUC Rio, p Disponível em: <http://www.agner.com.br/download/pucrio/designdeinteracao/usihc2010/usihc_34_tezza. pdf>. Acesso em: 15 set

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Esta POLÍTICA DE PRIVACIDADE se aplica ao levantamento de dados e uso do site FERRAMENTA/WEBSITE YOU 24h.

Esta POLÍTICA DE PRIVACIDADE se aplica ao levantamento de dados e uso do site FERRAMENTA/WEBSITE YOU 24h. A FERRAMENTA/WEBSITE YOU 24h é composta por várias páginas web, em HTML e outras codificações, operadas por YOU24h Tecnologia Ltda., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o nº 14.994.971/0001-09,

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics:

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics: Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015 Big Data Analytics: Como melhorar a experiência do seu cliente Anderson Adriano de Freitas RESUMO

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação Arquitetura de Informação Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação? Ferramentas para Web Design 2 Arquitetura de Informação (AI): É a arte de expressar

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Esta Política de privacidade estabelece nossas políticas e procedimentos para coletar, usar e

Leia mais

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto Termos de Uso O aplicativo Claro Facilidades faz uso de mensagens de texto (SMS), mensagens publicitárias e de serviços de internet. Nos casos em que houver uso de um serviço tarifado como, por exemplo,

Leia mais

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas edição 04 Guia do inbound marketing Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Há um tempo atrás o departamento de marketing era conhecido

Leia mais

USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade

USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Eng. e Gestão do Conhecimento USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade Jakob Nielsen Hoa Loranger Rafael Tezza SOBRE A

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED

POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED Este documento, denominado Política de Privacidade, tem por finalidade estabelecer as regras sobre a obtenção, uso e armazenamento dos dados e informações coletados

Leia mais

Ao explicar as nossas práticas de manipulação de dados, desejamos desenvolver um relacionamento de confiança a longo prazo com você.

Ao explicar as nossas práticas de manipulação de dados, desejamos desenvolver um relacionamento de confiança a longo prazo com você. Política de Privacidade do site de Pesquisa de Satisfação Ford 1. Política geral: A Ford Motor Company respeita a sua privacidade e está comprometida em protegê-la. Esta Política de Privacidade explica

Leia mais

Profa. Reane Franco Goulart

Profa. Reane Franco Goulart Sistemas CRM Profa. Reane Franco Goulart Tópicos Definição do CRM O CRM surgiu quando? Empresa sem foco no CRM e com foco no CRM ParaqueCRM é utilizado? CRM não é tecnologia, CRM é conceito! CRM - Customer

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves Plano de Negócios Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Caixa Postal 15.064 91.501-970

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 055-1 DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB Emanuel Felipe Duarte 1 ; Aline Maria Malachini Miotto 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho foi

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal 29/11/2012 Índice ÍNDICE... 2 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O QUE É E-COMMERCE?... 4 3. LOJA FOCCO... 4 4. COMPRA... 13 5. E-MAILS DE CONFIRMAÇÃO... 14 6.

Leia mais

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso

Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso Política de Privacidade da Golden Táxi Transportes Executivo. Sua Privacidade Na Golden Táxi Transportes Executivo. acredita que, como nosso visitante on-line, você tem o direito de saber as práticas que

Leia mais

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Cruzeiro SP 2008 FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Projeto de trabalho de formatura como requisito

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

Atendimento Virtual Ampla

Atendimento Virtual Ampla 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Atendimento Virtual Ampla Carlos Felipe de Moura Moysés Ampla Energia e Serviços S.A cmoyses@ampla.com André Theobald Ampla Energia e Serviços S.A theobald@ampla.com

Leia mais

Amway - Política de privacidade

Amway - Política de privacidade Amway - Política de privacidade Esta Política de Privacidade descreve como a Amway Brasil e determinadas filiadas, inclusive a Amway América Latina (conjuntamente Amway ) utilizam dados pessoais coletados

Leia mais

3 - Projeto de Site:

3 - Projeto de Site: 3 - Projeto de Site: O site de uma empresa é como um cartão de visita que apresenta sua área de negócios e sua identidade no mercado, ou ainda, como uma vitrine virtual em que é possível, em muitos casos,

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

1. Planos. 1.1. Standard

1. Planos. 1.1. Standard ITB Webdesigner 1. Planos... 2 1.1. Standard... 2 1.2. Plus... 4 1.3. Premium... 5 2. Termos de uso... 7 2.1. Objetivos... 7 2.2. Direitos autorais e marcas... 7 2.3. Hospedagem... 8 2.4. Suporte e manutenção...

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

Proposta Revista MARES DE MINAS

Proposta Revista MARES DE MINAS SATIS 2011 Proposta Revista MARES DE MINAS 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5 Investimento 6

Leia mais

Que informações nós coletamos, e de que maneira?

Que informações nós coletamos, e de que maneira? Política de Privacidade Vivertz Esta é a política de privacidade da Affinion International Serviços de Fidelidade e Corretora de Seguros Ltda que dispõe as práticas de proteção à privacidade do serviço

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Atualizado pela última vez em 08 de março de 2016. Esta Política de privacidade tem como compromisso proteger os dados cadastrais dos Usuários que acessam o ENEM ACTION. Todas as

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Sua Privacidade Bem-vindo ao site eureca.me. Este site é de propriedade da empresa Eureca Atitude Empreendedora LTDA-ME. Esta Política de Privacidade destina-se a informá-lo sobre

Leia mais

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar Dell Premier Guia de Compras e Pedidos A Dell Premier é o seu próprio site de suporte e compras seguro e personalizado, que permite um processo de compra fácil, eficiente e econômico. Examine este Guia

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Nível de Serviço ... Serviço ao cliente é o resultado de todas as atividades logísticas ou do

Leia mais

Como sua empresa pode

Como sua empresa pode Como sua empresa pode [ O guia de segmentação por IP ] Tecnologia de Inteligência de IP e de geolocalização O método de encontrar a localização física e geográfica de um usuário com base unicamente em

Leia mais

Plusoft Rua Nebraska, 443, 5º Andar, Brooklin São Paulo (SP) F.: 55 11 5091-2777 www.plusoft.com.br - @Plusoft -

Plusoft Rua Nebraska, 443, 5º Andar, Brooklin São Paulo (SP) F.: 55 11 5091-2777 www.plusoft.com.br - @Plusoft - Potencializando resultados com o SOCIAL CRM A CONSTRUÇÃO DE RELACIONAMENTOS SÓLIDOS NA MÍDIA SOCIAL A mídia social revolucionou os meios e o modelo de comunicação. Entre muitas transformações, as redes

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos

Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos Esta Política de privacidade explica a política do OurSound no que tange a coleta, utilização, divulgação e transferência de informações,

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Veja como protegemos suas informações. 1. DA ABRANGÊNCIA DESTA POLÍTICA DE PRIVACIDADE a. Como a Advisenet usa informações pessoais? Este documento explicita a forma pela qual a

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Sistemas de Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente (Customer Relationship Management CRM)

Sistemas de Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente (Customer Relationship Management CRM) CRM Definição De um modo muito resumido, pode definir-se CRM como sendo uma estratégia de negócio que visa identificar, fazer crescer, e manter um relacionamento lucrativo e de longo prazo com os clientes.

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO VILAS BOAS, M. A. A. 1 ; GOMES, E. Y. 2 1- Graduando em Sistemas de Informação na FAP - Faculdade de Apucarana 2- Docente do Curso

Leia mais

Termos & Condições www.grey.com (o website ) é de propriedade do Grupo Grey e operado por ele ( nosso, nós e nos ).

Termos & Condições www.grey.com (o website ) é de propriedade do Grupo Grey e operado por ele ( nosso, nós e nos ). Condições de Uso do Website Termos & Condições www.grey.com (o website ) é de propriedade do Grupo Grey e operado por ele ( nosso, nós e nos ). Ao acessar este site, você concorda em ficar vinculado a

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva.

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva. Não há dúvida de que o ambiente de rede está cada vez mais complexo e que sua gestão é um grande desafio. Nesse cenário, saber o que está passando por essa importante infraestrutura é um ponto crítico

Leia mais

Proposta: Comunica SCGÁS

Proposta: Comunica SCGÁS Confecção e consultaria em webdesign, e-commerce e marketing digital. Proposta: Comunica SCGÁS Alastair James Thompson ME CNPJ: 21.448.599/0001-09 Data: 02-12-2014 Validade: 30 dias. Obrigado por você

Leia mais

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com 7 DICAS IMPERDÍVEIS QUE TODO COACH DEVE SABER PARA CONQUISTAR MAIS CLIENTES www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com As 7 dicas imperdíveis 1 2 3 Identificando seu público Abordagem adequada

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL?

COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL? EGC 9003-11 COMÉRCIO ELETRÔNICO PROFESSOR: LUIS ALBERTO GÓMEZ COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL? ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Conceito de comércio e seus componentes Perguntas essenciais Passo a passo de como criar

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE HANDSOFT TECNOLOGIA

DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE HANDSOFT TECNOLOGIA DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE HANDSOFT TECNOLOGIA Consentimento Coleta de dados Uso e finalidade dos dados colhidos Endereços IP Ferramentas automáticas Links incorporados Cookies Endereços de e-mail Compras

Leia mais

DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2. MBA Gestão de TI. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2. MBA Gestão de TI. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2 MBA Gestão de TI Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com 2 3 Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade; um pessimista vê uma calamidade em

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Caro Assinante, O presente escrito estabelece e explica a Política de Privacidade da SOCIAL COMICS ENTRETENIMENTO LTDA, adiante também mencionada por SOCIAL COMICS e/ou PLATAFORMA.

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Modelos de e-commerce

Modelos de e-commerce Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br)

Leia mais

E-commerce: a transformação do internauta em consumidor

E-commerce: a transformação do internauta em consumidor E-commerce: a transformação do internauta em consumidor Keyti Tamyris Simões Leite (FATEB) keyti.tamyris@gmail.com Camila Lopes Ferreira (FATEB/UTFPR) cmilalf@bol.com.br Resumo: Muitas empresas estão optando

Leia mais

terceiros ou usar um aplicativo desenvolvido por terceiros, um cookie poderá ser colocado por essa página ou aplicativo).

terceiros ou usar um aplicativo desenvolvido por terceiros, um cookie poderá ser colocado por essa página ou aplicativo). Políticas de Privacidade Esta política descreve as formas como coletamos, armazenamos, usamos e protegemos suas informações pessoais. Você aceita essa política e concorda com tal coleta, armazenamento

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços

CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços CEMIG SAÚDE Prestadores de serviços Maio de 2014 2 A pesquisa Amostra 639 entrevistas A PESQUISA Intervalo de confiança 95% Margem de erro 7% por segmento Data da coleta 13 a 22 de Maio de 2014 3 DESCRIÇÃO

Leia mais

CRM CRM. Marketing. Marketing. Vendas. Vendas. CRM Customer Relationship Management Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente

CRM CRM. Marketing. Marketing. Vendas. Vendas. CRM Customer Relationship Management Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente Customer Relationship Management Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente O mundo passou por profundas e importantes transformações, sobretudo nos últimos cinco anos, impulsionadas pelo crescimento

Leia mais

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados 5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados Ao longo da história o boca a boca sempre se mostrou como um meio eficaz de promoção de produtos e serviços, como advento da Internet esse poder

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND 1. Princípios Gerais Esta Política de privacidade descreve como o CONSULTOR HND coleta e usa informações pessoais fornecidas no nosso site: www.consultorhnd.com.br.

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Testes de Usabilidade

Testes de Usabilidade Testes de Usabilidade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Setembro de 2012 Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Reflexão Ao fazer referência à questão da qualidade da relação

Leia mais

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 INDICE INTRODUÇÃO DIFINIÇÃO COMO FUNCIONA AS ETAPAS HISTORIA RELACIONAMENTO PRATICAS REDES SOCIAS EXEMPLOS VANTAGEM INTRODUÇÃO Comumente pode se entender

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

MARKETING PARA FAZENDAS

MARKETING PARA FAZENDAS DICAS PRÁTICAS DE MARKETING PARA FAZENDAS Sobre o Porteira Digital O Porteira Digital foi criado com objetivo de fornecer soluções práticas de Marketing para o produtor rural que deseja fazer de seu negócio

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Este site é propriedade da Johnson & Johnson Limitada. Esta Política de Privacidade foi concebida para o informar das nossas regras no que respeita à recolha, utilização e divulgação

Leia mais

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible FOLHA DO PRODUTO CA Clarity PPM agility made possible O CA Clarity Project & Portfolio Management (CA Clarity PPM) o ajuda a inovar com agilidade, a transformar seu portfólio com confiança e a manter os

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade

Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade Esta Política de Privacidade implica em como usamos e protegemos sua informação pessoal. Ela se aplica ao locacaoemtemporada.com.br, e quaisquer outros

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Declaração de Privacidade

Declaração de Privacidade Declaração de Privacidade A Kelly Services, Inc. e suas subsidiárias ( Kelly Services ou Kelly ) respeitam sua privacidade e admitimos que você possui certos direitos relacionados a quaisquer informações

Leia mais

Introdução. Introdução

Introdução. Introdução Introdução 1. Conheça a sua taxa de conversão 2. Usabilidade e navegabilidade 3. Pense mobile 4. Seja relevante 5. Tenha CTAs atraentes 6. O teste AB é fundamental Conclusão Introdução Conhecer os números

Leia mais

O acesso a informações públicas será assegurado mediante:

O acesso a informações públicas será assegurado mediante: SIMRECI Sistema de Relacionamento com o Cidadão O SIMRECI é um programa de computador que oferece ferramentas para a gestão do relacionamento com o cidadão e, especialmente garante ao poder público atender

Leia mais

E-Mail Marketing: Primeiros Passos

E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos E-Mail Marketing: Primeiros Passos Aprenda a utilizar o email marketing para alavancar o seu negócio O Marketing Digital vem ganhando cada vez mais força entre as empresas

Leia mais

O modelo inovador do CorretorVIP tem como base duas plataformas tecnológicas complementares, explicadas a seguir:

O modelo inovador do CorretorVIP tem como base duas plataformas tecnológicas complementares, explicadas a seguir: Apresentação 2014 Idealizado em 2007 por experientes profissionais dos setores imobiliário e de tecnologia da informação, o CorretorVIP oferece uma grande variedade de serviços gratuitos a você corretor

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA A ERA DIGITAL E AS EMPRESA Em 1997 o Brasil já possuia 1,8 MILHÕES de usuários Brasil O 5 Maior país em extensão territorial Brasil 5 Vezes campeão do Mundo Brasil O 5 Maior país em número de pessoas conectadas

Leia mais

Aula 1 Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais

Aula 1 Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais Aula 1 Introdução à Avaliação Econômica de Projetos Sociais Avaliar é... Emitir juízo de valor sobre algo. Avaliação Econômica é... Quantificar o impacto e o retorno econômico de um projeto, com base em

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais