commerce: conquistar clientes versus desorientar clientes.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "commerce: conquistar clientes versus desorientar clientes."

Transcrição

1 Merchandising no E-commerce commerce: conquistar clientes versus desorientar clientes. Marta Cristina Goulart Braga, Ma. - Doutoranda EGC -Simone Wolfgang - Silvia Quevedo, Ma. - Profa. Universidade do Vale do Itajaí - Vania Ribas Ulbricht, Dra. - Profa. Universidade Anhembi Morumbi - Profa. Universidade Federal de Santa Catarina - Resumo A internet vem se consolidando como via de apoio para a realização de transações comerciais. A interação entre os agentes do chamado B2C (Business to Consumer) requer estratégias apropriadas que permitam, por um lado, despertar o interesse pelos produtos e, por outro, que o possível cliente encontre o que busca para o pedido se realizar. O objetivo deste artigo é analisar as relações existentes entre o merchandising no espaço físico das empresas e no espaço virtual do E-commerce com a visão centrada no usuário. Para tanto, se utilizou das analogias entre estes espaços e espera-se ressaltar aspectos da usabilidade que podem auxiliar no merchandising e fortalecer o conceito do E-commerce centrado no usuário consumidor. Palavras chave: merchandising, e-commerce, arquitetura da informação

2 1. Introdução A internet pode ser vista como um novo canal de relacionamento entre empresas e clientes que, através de sistemas gerenciadores de E-commerce, permite efetuar transações a distância entre empresas-empresas (B2B), empresas-governo (B2G), empresasconsumidores (B2C), consumidores-governos (C2G) e que promove, ainda, a constante interação entre serviços e produtos com consumidores. O E-commerce pode ser entendido como o negócio conduzido pela internet que utiliza algumas aplicações como , mensagem instantânea, carrinhos de compras, serviços de Web, UDDI, FTP, e EDI, entre outros. O comércio eletrônico pode acontecer entre duas empresas que transmitem fundos, mercadorias, serviços, e/ou dados ou entre empresa e cliente (CLARK; FLAHERTY, 2005, p. 301, tradução nossa). Pesquisas demonstram um crescimento nas vendas do varejo online de 0,55% no ano de 2001 para 6,4% em 2007 (E-COMMERCE, 2007) e um dos dados a ser ressaltado sobre o hábito dos consumidores é a sua preferência por sites que oferecem facilidade de navegação: na escolha de um site de compras, o peso maior recai sobre a segurança no processo de compra (16% das citações), seguido pela facilidade de navegação (12%) (IBOP, 2004, sem paginação). A navegação de sites na internet faz parte dos estudos sobre usabilidade. A usabilidade tem raízes na ciência cognitiva e começou a ser aplicada na década de 80 pela psicologia cognitiva e a ergonomia, como forma de definir o uso amigável da interação homem/máquina. Foi Jacob Nielsen quem desenvolveu o conceito de usabilidade em 1990 e Donald Norman aplicou a psicologia e a ciência cognitiva ao design de interface de sistemas computacionais de forma que a interface ampliasse a capacidade do usuário (PORTUGAL, 2004; FERNANDEZ, 2006). De acordo com a ISO 9241, a usabilidade é a capacidade que um sistema interativo oferece a seu usuário, em um determinado contexto de operação, para a realização de tarefas, de maneira eficaz, eficiente e agradável. Desta forma, a usabilidade torna-se tão importante para a conquista dos clientes quanto o merchandising. O cliente, quando busca um site de E-commerce, possivelmente está procurando algum serviço ou produto. Ele necessita encontrar o que procura e sentir-se 2

3 estimulado a efetivar o pedido, neste sentido, o design de interface deve favorecer a usabilidade. O design de interface é essencialmente o design da navegação e da apresentação da informação. (...) uma questão de equilibrar a estrutura e as conexões de menu, conteúdos e outras conexões para documentos e gráficos com o objetivo de criar uma hierarquia de menus e páginas de forma natural, bem estruturado e de uso fácil (GALITZ, 2002, sem paginação). Neste artigo faz-se uma analogia entre o merchandising no ponto-de-venda físico e no comércio eletrônico, procurando estabelecer as relações existentes entre estes dois canais de negócios, que possam auxiliar na conquista, satisfação e retenção do cliente (Tabela 1). O merchandising é a: designação corrente da propaganda não declarada feita através da menção ou aparição de um produto, serviço ou marca durante um programa de televisão ou de rádio, filme, espetáculo teatral [...] Esforço promocional, feito nos pontos-de-venda, em que se utilizam displays, cartazes, amostras grátis, etc (FERREIRA, 2004). Tabela 1: Síntese do comprador on-line, atração, satisfação, e retenção Tipos de Interação - Fonte: Bridges, Goldsmith & Hofacker (2005). 3

4 2. Merchandising: : estabelecendo relações entre a loja física e o E- commerce No comércio tradicional, o design de vitrine, a disposição dos produtos e a sinalização no interior da loja, entre outros aspectos, podem estimular um comprador em potencial a efetivar uma compra, mas se estes aspectos forem negligenciados ou mal concebidos o possível cliente pode sentir-se desestimulado de entrar ou permanecer no local a ponto de não mais voltar ao estabelecimento. O design de interiores e a ergonomia são responsáveis pelo conforto das pessoas nos diversos tipos de ambientes. A sinalização, que orienta, e o Merchandising no PDV são uma estratégia para conquistar clientes nos espaços comerciais. Considerando um site de comércio eletrônico, como a metáfora de uma loja ou escritório ou empresa, este pode representar, na internet, a sua estrutura organizacional e/ou seu espaço físico. Assim, podem ser traçadas analogias entre a loja física e um sistema de comércio eletrônico, destacando-se as conexões entre merchandising e o design de interface, a usabilidade, a arquitetura da informação. Há várias maneiras de expor um produto para conquistar o cliente. O merchandising se ocupa de encontrar a forma de chamar a atenção para um produto em determinado espaço físico. Mas até que ponto promover determinados produtos, seja na loja física ou no E- commerce, pode por um lado, chamar a atenção e, por outro, prejudicar o bem estar do consumidor a ponto dele sentir-se desnorteado e desistir da compra? Figuras 1, 2, 3 e 4: Displays da empresa Oficina de Merchandising Fonte: 4

5 As figuras 1, 2, 3 e 4 são exemplos de displays projetados pela empresa Oficina de Merchandising, cujo propósito é o de cativar o cliente no PDV. Apresenta-se, ainda, o exemplo das figuras 5 e 6, na expectativa de ressaltar o contraste entre elas: na figura 5 destaca-se a boa disposição das estantes, das mercadorias e dos espaços para circulação de pessoas e carrinhos de compra, havendo a preocupação centrada no conforto do cliente. Já na figura 6 ocorre a total negligência com essa questão, pois o que se observa é um espaço atravancado, centrado na venda pela quantidade de exposição, o que atrapalha o tráfego e a visualização dos produtos nas prateleiras. Figura 5: Exemplo de espaço planejado. Ilustração de Sandra Melo Figura 6: Exemplo de espaço não planejado. Ilustração de Sandra Melo No E-commerce pode ocorrer a mesma situação descrita acima. Nielsen (1990) alertou para o problema da desorientação de usuários em espaços de informação, pois com a crescente quantidade de conteúdo na Internet os usuários começam a ter dificuldade em compreender a ligação entre os documentos. Muitas vezes é necessário navegar pelas páginas para saber seu conteúdo (PIMENTEL, 2002; DIAS, 1997), pois a navegação entre elas ocorre através de palavras-chave que muitas vezes são inexatas em relação ao contexto da página à qual está conectada (HARPER, 2004). A falta de uma estrutura e de uma sistematização da informação também são causas da dificuldade de usuários encontrarem o que procuram (CASTELYN, 2003). 5

6 A World Wide Web (WWW, ou Web) é um ambiente flexível para trabalhar a organização. Ela está livre das limitações físicas e pode receber múltiplos sistemas de navegação sobre um mesmo conteúdo (ROSENFELD; MORVILLE, 2002). Apesar desta flexibilidade e, exatamente por causa dela, a tarefa de organizar informações na Web é complexa. A nãolinearidade do hipertexto define um espaço com vários caminhos. Assim, a navegação pelos links é uma espécie de experimentação do domínio e o modelo do comportamento do usuário representa, entre outras coisas, a sua compreensão da organização dos conteúdos. O aumento do nível da complexidade resulta em conflitos entre a integração de conteúdos e as decisões de navegação (DIAS, 1997). Assim, os elementos formadores do merchandising em E-commerce podem atrair o cliente para determinados produtos, mas é necessário que a composição destes elementos não se torne um desconforto e impeça o comprador em potencial de encontrar o que necessita. Nielsen (2001) diz que há uma grande tensão entre o serviço primário de um site e a função dos anúncios oferecendo algo mais. Edwards e Hardman (1989, apud DIAS, 1997) apontam três sensações por que passam os usuários quando se encontram perdidos: (a) não sabem aonde ir, (b) sabem aonde ir, mas não sabem como voltar, (c) ou não sabem onde estão em relação à estrutura total da hipermídia. Foss (1989, apud DIAS, 1997) descreve algumas conseqüências indesejáveis de navegação observadas nos usuários: o desvio de rumo que ocorre quando os usuários perseguem múltiplos caminhos e digressões que podem levá-los a perder a sua localização, esquecer o caminho de volta ou negligenciar caminhos importantes relacionados à tarefa principal por causa da sua distração constante. Estas dificuldades são comuns entre usuários em geral e vêm sendo uma grande preocupação por parte dos projetistas da arquitetura da informação de sites. Os elementos que auxiliam na promoção de produtos em E-commerce apresentam-se em forma de banners fixos, banners que flutuam sobre a página, pop-ups e vitrines. O formato e 6

7 a disposição destes elementos na interface devem ser cuidadosamente planejados de forma a não atrapalhar os sistemas de busca do site e aborrecer o usuário. O órgão Interactive Advertising Bureau (IAB, 2007) oferece a padronização de formatos de banners, botões, pop-ups e outros elementos para a publicidade na internet. As figuras de 7 a 10 são exemplos de formatos de banners. Eles podem se localizar acima, abaixo, à direita ou à esquerda da página. No entanto, isto não representa um limite à criatividade daqueles que planejam o merchandising na internet, pois as estratégias para chamar a atenção do cliente se apresentam de diversas maneiras, tais como: vitrine com fotos, banners laterais e banner fixos com elementos rotativos abaixo do menu principal, como é o caso do site da Loja Americanas (Figura 11), a inesperada abertura automática na página principal do site da Brastemp ou de uma nova página com o merchandising da Sadia (Figura 12). 468 x 60 IMU - (Full Banner) 234 x 60 IMU - (Half Banner) 120 x 240 IMU - (Vertical Banner) 7

8 728 x 90 IMU - (Leaderboard) Figuras 7, 8, 9 e 10: Formatos de banners padronizados pelo IAB. Fonte: Figura 11: Site da Lojas Americanas Disponível em: 8

9 Figura 12: Site da Brastemp, página principal Disponível em: Figura 13: Site da Brastemp, página de abertura automática a partir da página principal 9

10 Figura 14: Site da Brastemp, com merchandising da Sadia. Para Nielsen (2001) não se deve aborrecer o usuário com anúncios, mas utilizar os anúncios para adicionar valor ao site. Ele exemplifica com o modelo adaptativo adotado pelo Google, que contextualiza o anúncio de acordo bom a busca do usuário. Para ele o pop-up, em especial, é muito alarmante e o que vemos em nossos testes de usuário é que as pessoas reagem muito violentamente dizendo, feche-os imediatamente. Os usuários vão a um site para fazer algo determinado e quando chegam lá encontram, no caminho, uma coisa aborrecida (NIELSEN, 2001, sem paginação, tradução nossa). Certamente, pode-se entender esta situação como aquela da figura 6 em que o cliente é atrapalhado pelas pilhas de produtos armazenadas no meio do corredor, impedindo que o produto na prateleira seja visualizado com facilidade. 10

11 3. Conclusão Não se trata neste artigo de estabelecer regras ou modelos para a utilização do merchandising em E-commerce, mas alertar para a necessidade de centrar-se no cliente qualquer iniciativa nesse sentido e evitar os abusos para não impor ao consumidor aquilo que ele não solicitou ou aprovou. É necessário criar mecanismos que identifiquem a permissão do usuário em vez de dizer-lhe que primeiro ele deve apreciar algo que não pediu para, então, conseguir usufruir da finalidade principal do site. Desta forma, entender o E- commerce como uma metáfora da empresa física, do ponto de vista da ergonomia e da usabilidade pode ajudar a promover produtos sem deixar que os clientes fiquem desorientados. Merchandising e usabilidade podem conviver e a zona de tensão existente pode ser menor se a satisfação do cliente for o objetivo principal do negócio. 11

12 Bibliografia BRIDGES, Eileen; GOLDSMITH, Ronald E.; HOFACKER, Charles F.. Attracting and Retaining Online Buyers: Comparing B2B and B2C Customers. In.: Advances in Electronic Marketing. Londres: Idea Group Publish, CASTELYN, Sven; TROYER, Olga De; BROCKMANS, Saar. Design time support for adaptive behavior in Web sites. Symposium on Applied Computing - Proceedings of the 2003 ACM symposium on Applied computing - Melbourne, Florida - SESSION: Web technologies and applications - Pages: New York: ACM Press, CLARKE III, Irvine; FLAHERTY, Theresa B. (Ed.). Advances in Electronic Marketing. Londres: Idea Group Publish, DIAS, Paulo; SOUSA, Ana Paula. Understanding Navigation and Disorientation in Hypermedia Learning Environments. Journal of Educational Multimedia and Hypermedia. 6 (2), pp Norfolk, VA: AACE, E-COMMERCE. Estáticas sobre a internet e o comércio eletrônico. Disponível em: < >. Acesso em: 10 maio FERNANDEZ, Amyris. Usabilidade: um pouco da história e definição. Webinsider. Disponível em: < >. Acesso em: 25 out FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 5.0. Curitiba: Positivo Informática, CD-ROM. GALITZ, Wilbert O. The Essential Guide to User Interface Design: An Introduction to GUI Design Principles and Techniques. John Wiley & Sons, 2002 HARPER, Simon; GOBLE, Carole; STEVENS, Robert; YESILADA, Yeliz. Middleware to expand context and preview in hypertext. ACM SIGACCESS Accessibility and Computing - Issue Sept Jan SESSION: Accessibility infastructure and supporting tools Pages: New York: ACM Press, INTERACTIVE ADVERTISING BUREAU (IAB). Padronização de elementos para publicidade na internet. Disponível em: < >. Acesso em: 10 maio IBOPE. 2ª Pesquisa e-commerce POP. Disponível em: < >. Acesso em: 10 de mai

13 PORTUGAL, Cristina. Design como interface de comunicação para ambientes de aprendizado mediados pela internet. Dissertação (Mestrado em Design) Programa de Pós-Graduação em Design do Departamento de Artes & Design da Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, NIELSEN, Jakob. The Art of navegation. New York: ACM Press, 1990., Internet Advertising & Usability. Avant marketer, Disponível em: < bility_page_i/ >. Acesso em: 10 mai Entrevista. ROSENFELD, Louis; MORVILLE, Peter. Organization Systems. In.: Information Architecture: for the world wide Web. Sebastopol,

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento.

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento. Vamos, juntos Somos agência de publicidade e consultoria em marketing digital com a missão de atender as necessidades de comunicação da sua empresa, com serviços que abrangem desde campanhas integradas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 05/2005 137-TC-C5 Sergio Ferreira do Amaral Faculdade de Educação da UNICAMP

Leia mais

Técnicas de Exposição de Produtos CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar O produto deve atrair, seduzir, mexer com os sentidos

Leia mais

Unidade: Sistemas Hipermidia Multimidia. Unidade I:

Unidade: Sistemas Hipermidia Multimidia. Unidade I: Unidade I: 0 Unidade: Sistemas Hipermidia Multimidia Engenharia de Websites Por que realizar uma Engenharia de websites: Devemos seguir Princípios básicos de Engenharia (passos bem definidos); Websites

Leia mais

SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA

SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA SISTEMAS HIPERMÍDIA E MULTIMÍDIA Prof. Dr. Juliano Schimiguel Tutor. Msd. Rolfi C. Gomes Unidade V Engenharia de Software x Engenharia Web Propósitos de Websites Atividades da EW Categorias de Aplicações

Leia mais

Acessibilidade em Ambientes Virtuais de Aprendizagem: Abordagem Teórica. Accessibility in Virtual Learning Environment: Theoretical Approach.

Acessibilidade em Ambientes Virtuais de Aprendizagem: Abordagem Teórica. Accessibility in Virtual Learning Environment: Theoretical Approach. Marta C. G. Braga [UFSC], Vania R. Ulbricht [UFSC] Acessibilidade em Ambientes Virtuais de Aprendizagem: Abordagem Teórica. Accessibility in Virtual Learning Environment: Theoretical Approach. acessibilidade,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação Arquitetura de Informação Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação? Ferramentas para Web Design 2 Arquitetura de Informação (AI): É a arte de expressar

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Web Design III

Tópicos de Ambiente Web Web Design III Tópicos de Ambiente Web Web Design III Professora: Sheila Cáceres Conteúdo para Web Educacional Entretenimento Comercial Industrial Cientifico Entre outros Tópicos de Ambiente Web - Prof. Sheila Cáceres

Leia mais

Os piores erros em Web Design Jacob Nielsen

Os piores erros em Web Design Jacob Nielsen Os piores erros em Web Design Jacob Nielsen Os dez mais chocantes crimes contra os usuários. 1. Busca interna ruim Motores de busca excessivamente literais reduzem a usabilidade uma vez que eles são incapazes

Leia mais

Comércio Eletrônico. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Comércio Eletrônico. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Comércio Eletrônico Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Arquitetura de Informação de Websites. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com

Arquitetura de Informação de Websites. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com Arquitetura de Informação de Websites 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Vivemos a era da explosão da informação Existe um tsunami de dados que bate sobre as praias do mundo civilizado. É um maremoto

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Comércio Eletrônico Um breve histórico Comércio compra, venda, troca de produtos e serviços; Incrementado pelos Fenícios, Árabes, Assírios e Babilônios uso

Leia mais

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Instituto Federal do Sertão-PE Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Prof. Felipe Correia Conteúdo Por que estudar Design de Interfaces e Usabilidade?! Conceitos básicos sobre Design! Primeira

Leia mais

Ambientes de Mercado

Ambientes de Mercado INFORMAÇÃO O sucesso ou fracasso organizacional muitas vezes pode depender de se saber de qual deles precisamos, com o qual deles contamos e o que podemos ou não fazer com cada um deles PLANO DE AÇÃO Fornecedores

Leia mais

RELEASE F-STORE v. 3.0.0.0

RELEASE F-STORE v. 3.0.0.0 Curitiba (2015) ÍNDICE Aumento de performance no carregamento de imagens Assinatura de produtos Barra de busca flutuante Boleto como imagem Cadastro de cliente com Double opt-in Cadastro de SEO Carrinho

Leia mais

AULA 05. - Merchandising no ponto de venda

AULA 05. - Merchandising no ponto de venda AULA 05 - Merchandising no ponto de venda COMUNICAÇÃO INTEGRADA DIFERENÇAS ENTRE ELAS PROPAGANDA PROMOÇÃO MERCHADISING Leva o consumidor ao produto Leva o produto ao consumidor Cria o clima para a compra

Leia mais

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença?

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença? MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS Qual a diferença? Marketing promocional É uma ferramenta que se utiliza de várias outras para promover a promoção de vendas. Por exemplo: Marketing promocional

Leia mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais sz propaganda um novo começo. propaganda sz um novo começo. sz consulting maximizando resultados sz branding além da marca sz design e muito mais sz webdesign sem portas fechadas Planejamento estratégico,

Leia mais

1 Introdução Qualquer tipo de veiculação de conteúdo pago na internet pode ser considerado como uma ação publicitária. Esta ação é semelhante aos modelos tradicionais de mídia (televisão, rádio, revistas

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Adja F. de Andrade adja@inf.pucrs.br 1 Beatriz Franciosi bea@inf.pucrs.br Adriana Beiler 2 adrianab@inf.pucrs.br Paulo R. Wagner prwagner@inf.pucrs.br

Leia mais

Introdução. Introdução

Introdução. Introdução Introdução 1. Conheça a sua taxa de conversão 2. Usabilidade e navegabilidade 3. Pense mobile 4. Seja relevante 5. Tenha CTAs atraentes 6. O teste AB é fundamental Conclusão Introdução Conhecer os números

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Loja virtual. Integração com todos os meios de pagamento

Loja virtual. Integração com todos os meios de pagamento Loja virtual Integração com todos os meios de pagamento Sua loja é integrada ao PagSeguro ou cielo, permitindo pagamento por cartão de crédito, débito e boleto. E você ainda pode oferecer parcelamento

Leia mais

Resenha. Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p.

Resenha. Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p. Resenha Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p.) Thiago de Andrade Marinho 1 Ergodesign e Arquitetura de Informação:

Leia mais

Usabilidade da interface de sites e-commerce

Usabilidade da interface de sites e-commerce - 1 - Revista Eletrônica Multidisciplinar Pindorama do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia IFBA Usabilidade da interface de sites e-commerce Profª. MSc. Simone Azevedo Bandeira

Leia mais

Arquitetura de Informação de websites

Arquitetura de Informação de websites Arquitetura de Informação de websites Apresentação Gil Barros Design e implementação de interfaces digitais desde 96 design gráfico > html perl/lingo > php/sql/flash usabilidade > arquitetura de informação

Leia mais

CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Maria do Carmo Barbosa Trevisan UNIFRA - mcbtrevisan@hotmail.com Vanilde Bisognin UNIFRA - vanilde@unifra.com

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO. Prof. Flávio Dias

COMÉRCIO ELETRÔNICO. Prof. Flávio Dias COMÉRCIO ELETRÔNICO Prof. Flávio Dias - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES. MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com. URL: http://esganarel.home.sapo.

MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES. MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com. URL: http://esganarel.home.sapo. MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com URL: http://esganarel.home.sapo.pt GABINETE: 1G1 - A HORA DE ATENDIMENTO: SEG. E QUA. DAS 11H / 12H30 (MARCAÇÃO

Leia mais

Professor André Martins

Professor André Martins Professor André Martins Definição Merchandise, do inglês significa mercadoria, e merchandiser significa negociante. Portanto, merchandising, em sua tradução literal, seria mercadização; mas, adaptando

Leia mais

Introdução. 1. O que é e-commerce?

Introdução. 1. O que é e-commerce? Introdução As vendas na internet crescem a cada dia mais no Brasil e no mundo, isto é fato. Entretanto, dominar esta ferramenta ainda pode ser um mistério tanto para micro quanto para pequenos e médios

Leia mais

PUBLICIDADE ONLINE uma visão geral. João Luiz Serpa Seraine Webdesigner 11/05/2007

PUBLICIDADE ONLINE uma visão geral. João Luiz Serpa Seraine Webdesigner 11/05/2007 PUBLICIDADE ONLINE uma visão geral João Luiz Serpa Seraine Webdesigner 11/05/2007 Nova Economia A nova economia está diretamente ligada à velocidade de informações, comunicação, conhecimento, tecnologia.

Leia mais

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br

Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Mais informações sobre e-commerce em: www.portalgerenciais.com.br Extra, Extra notícias fresquinhas Você pode ter uma loja que funciona 24hs, inclusive aos domingos e feriados, não paga aluguel e nem condomínio

Leia mais

Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce

Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce Capítulo 3 Sistemas de E-Commerce 3.1 Fundamentos do Comércio Eletrônico Introdução O comércio eletrônico é mais do que a mera compra e venda de produtos online. Em lugar disso, ele engloba o processo

Leia mais

Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução A Web oferece uma enorme liberdade de escolha e movimentação Qualquer coisa

Leia mais

Interação Humano Computador IHC

Interação Humano Computador IHC Universidade Federal do Vale do São Francisco -UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação IHC Prof. Jorge Cavalcanti Jorge.cavalcanti@univast.edu.br www.twitter.com/jorgecav Informações Gerais da Disciplina

Leia mais

Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já.

Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já. 1 Porque ter um site? Você ainda não tem um Web Site? Que pena! Seu concorrente já. Em um mundo globalizado, ter um site na internet não é mais um luxo para poucos, e sim uma regra geral para empresas

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO E RECONFIGURAÇÃO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO DE WEBSITES DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO E RECONFIGURAÇÃO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO DE WEBSITES DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO E RECONFIGURAÇÃO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO DE WEBSITES DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Angela Ferraz 1, Luciana de Souza Gracioso 2 1 Graduação, UFSCar, São Carlos,

Leia mais

E-commerce Fundamentos

E-commerce Fundamentos E-commerce Fundamentos Flávio Augusto Martins Wanderley Professor flavio@mwan.com.br 1 / 65 Conteúdo desta aula Conceitos. Evolução do comércio eletrônico. Modalidades. O que vem no futuro. 2 / 65 Conceito

Leia mais

Trabalho Final. Apresentação do site de Comércio Eletrônico (.ppt) : Elaborar o Site de Comércio Eletrônico proposto:

Trabalho Final. Apresentação do site de Comércio Eletrônico (.ppt) : Elaborar o Site de Comércio Eletrônico proposto: Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br) Apresentação

Leia mais

Site Empresarial Uma oportunidade de negócios na Internet. jairolm@sebraesp.com.br

Site Empresarial Uma oportunidade de negócios na Internet. jairolm@sebraesp.com.br Site Empresarial Uma oportunidade de negócios na Internet jairolm@sebraesp.com.br O SEBRAE e o que ele pode fazer pelo seu negócio Consultorias SEBRAE Mais Programas setoriais Palestras Trilha de aprendizagem

Leia mais

O design no comércio

O design no comércio O design no comércio SUMÁRIO O que é Comércio Alguns segmentos do Comércio Design no E-commerce Design no Comércio atacadista Design no Comércio de outlets Design no Shopping center Design no Minimercado

Leia mais

Jonatha Jünge Graduando em Comunicação e Expressão Visual habilitação Design Gráfico UFSC Pesquisador PIBIC-CNPq Eugenio Merino Dr.

Jonatha Jünge Graduando em Comunicação e Expressão Visual habilitação Design Gráfico UFSC Pesquisador PIBIC-CNPq Eugenio Merino Dr. Design e Usabilidade: A Internet como apoio para disponibilizar material didático via rede Design and Usability: The Internet as support to didactic material sharing through net Jonatha Jünge Graduando

Leia mais

Lojista www.moveistotal.com.br MÍDIA KIT

Lojista www.moveistotal.com.br MÍDIA KIT Portal Móveis Total www.moveistotal.com.br MÍDIA KIT Quem somos: O é um veículo independente, lançado no ano de 2009, trazendo 20 anos de experiência do grupo, consolida-se como sinônimo total de satisfação

Leia mais

Fundamentos do Comércio Eletrônico

Fundamentos do Comércio Eletrônico Administração e Finanças Uniban Notas de Aula Comércio (e-commerce) Prof. Amorim Fundamentos do Comércio Comércio Mais do que a mera compra e venda de produtos on-line. Engloba o processo on-line inteiro:

Leia mais

A importância da boa comunicação na prática da engenharia

A importância da boa comunicação na prática da engenharia A importância da boa comunicação na prática da engenharia Maria Regina Leoni Schmid Rudloff Sistema de Protensão Ltda. Introdução Após alguns anos de trabalho no desenvolvimento de comunicação voltada

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais

Cristina Portugal, Rita M. de S. Couto [PUC/Rio] 1. Introdução

Cristina Portugal, Rita M. de S. Couto [PUC/Rio] 1. Introdução Cristina Portugal, Rita M. de S. Couto [PUC/Rio] Design para construção e avaliação de objetos de aprendizagem mediados pela Design for building and evaluating learning objects mediated by the design,

Leia mais

Quem Somos. SEO; Links Patrocinados; Campanhas de E-Mail Marketing; Divulgação em Portais e Sites Verticais; Web Analytics; Marketing Social.

Quem Somos. SEO; Links Patrocinados; Campanhas de E-Mail Marketing; Divulgação em Portais e Sites Verticais; Web Analytics; Marketing Social. Quem Somos A Cadastronet é uma agência de marketing digital, pioneira na utilização de WebStandards W3C* (World Wide Web Consortium) para desenvolvimento de websites. Isso significa que nossos sites são

Leia mais

Confira o Processo de Redesign de um Site

Confira o Processo de Redesign de um Site Confira o Processo de Redesign de um Site O designer holandês Peter Van De Weerd está trabalhando há algumas semanas no redesign de um site brasileiro, o Cupons Mágicos. Apesar da produção já estar num

Leia mais

Arquitetura de Informação - 4

Arquitetura de Informação - 4 Arquitetura de Informação - 4 Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Esquemas de Organização da Informação Exata Divide a informação em categorias bem definidas e mutuamente

Leia mais

Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Inovações e Insights e-commerce

Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Inovações e Insights e-commerce Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Apresentação @JoaoKepler O Vendedor Na Era Digital Todos nós vendemos alguma coisa. Principalmente Imagem. Processo de Vendas O processo de vendas,

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

Engenharia de Software para WEB

Engenharia de Software para WEB Engenharia de Software para WEB Daniela de Fátima Turquette 1 1 Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Barbacena MG Brasil daniturquette@yahoo.com.br Resumo. O desenvolvimento

Leia mais

USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade

USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Eng. e Gestão do Conhecimento USABILIDADE NA WEB : Projetando Websites com Qualidade Jakob Nielsen Hoa Loranger Rafael Tezza SOBRE A

Leia mais

F5 SC E- COMMERCE 2013 SANTA CATARINA Comportamento do Consumidor e Análise das principais categorias. Alexandre Crivellaro Agosto/2013

F5 SC E- COMMERCE 2013 SANTA CATARINA Comportamento do Consumidor e Análise das principais categorias. Alexandre Crivellaro Agosto/2013 F5 SC E- COMMERCE 2013 SANTA CATARINA Comportamento do Consumidor e Análise das principais categorias. Alexandre Crivellaro Agosto/2013 PANORAMA DO COMÉRCIO ELETRÔNICO COMÉRCIO ELETRÔNICO NO BRASIL Fonte:

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 06 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias

Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Tópicos de Ambiente Web Internet: negócios eletrônicos, novas tendencias e tecnologias Professora: Sheila Cáceres Uma mensagem enviada em internet é dividida em pacotes de tamanho uniforme. Cada pacote

Leia mais

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Afinal, tudo começa em sua maneira de pensar. E marketing é isto, uma questão de posicionamento. PROPOSTA DE SERVIÇOS Logotipos Web Sites Lojas

Leia mais

REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL

REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL REQUISITOS PARA A MODELAGEM DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DA PUCRS VIRTUAL Adja F. de Andrade 1 Beatriz Franciosi Adriana Beiler 2 Paulo R. Wagner Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos. (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi

Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos. (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi Sobre o que é este curso? Definições de Design de Interação Características Atividade 1 - Foco

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Startup de e-business terceirização de processos de negócios consolidação estratégias resultados prática, eficiente e segura produto impecável

Startup de e-business terceirização de processos de negócios consolidação estratégias resultados prática, eficiente e segura produto impecável Manual de Bordo e-dealers é uma Startup de e-business, a qual atua através da terceirização de processos de negócios (Business Process Outsorcing), que visem a consolidação de marcas em ambientes digitais,

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Propaganda Qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional

Leia mais

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PRÓXIMA AULA: APRESENTAÇÃO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO E O FILME DO YOUTUBE? AULA 12 A. EMAIL MARKETING - Objectivos e problemas - Ideias - Vantagens

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 4 OBJETIVOS OBJETIVOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS

A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS 1 OBJETIVOS 1. Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios? 2. O que é comércio eletrônico?? Como esse tipo de comércio

Leia mais

Loja virtual. Integração com todos os meios de pagamento

Loja virtual. Integração com todos os meios de pagamento Loja virtual Integração com todos os meios de pagamento Loja virtual Mobile mais conforto e praticidade para fazer suas compras O que você acha de estar perto do seu cliente em qualquer lugar, no computador,

Leia mais

Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008

Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008 Email marketing para o B2C Publicado em: 24/06/2008 Direcionar o email marketing - assim como qualquer outra comunicação de acordo com o perfil da audiência é fundamental. Para o ecommerce B2C, existem

Leia mais

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS².

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². ¹Estudante do curso Análise e Desenvolvimento de sistemas. Instituto Federal de Minas Gerais campus Bambuí. Rod. Bambuí

Leia mais

usabilidade assume uma importância ímpar na economia da Internet

usabilidade assume uma importância ímpar na economia da Internet WEB Usabilidade WEB usabilidade assume uma importância ímpar na economia da Internet no design de produtos e de software tradicionais, usuários pagam antes e experimentam a usabilidade depois na WEB experimentam

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 13 Sumário A Internet: Modelos de Negócio, Publicidade e Meios

Leia mais

Guia de criação de layout de Loja Virtual

Guia de criação de layout de Loja Virtual Guia de criação de layout de Loja Virtual Julho / 2013 (51) 3079-4040 contato@ezcommerce.com.br http://www.ezcommerce.com.br Este guia tem o intuito de orientar a criação de layout para a plataforma de

Leia mais

Guia prático de como montar um planograma eficiente. www.pdvativo.com.br

Guia prático de como montar um planograma eficiente. www.pdvativo.com.br Guia prático de como montar um planograma eficiente www.pdvativo.com.br 1. INTRODUÇÃO 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA conceito inicial Amplo sistema de comunicação Conecta muitas redes de computadores Apresenta-se de várias formas Provê

Leia mais

Comércio Eletrônico AULA 18. Sistemas para Internet. Professora Ms Karen Reis

Comércio Eletrônico AULA 18. Sistemas para Internet. Professora Ms Karen Reis Comércio Eletrônico AULA 18 Professora Ms Karen Reis 2011 Sistemas para Internet 1 REFLEXÃO Faça uma busca na internet por certificados digitais. Escreva quatro ou cinco parágrafos sobre como usar os certificados

Leia mais

JCL Tecnologia. Proposta para Criação, Desenvolvimento e Manutenção de Website. 10 de setembro

JCL Tecnologia. Proposta para Criação, Desenvolvimento e Manutenção de Website. 10 de setembro 10 de setembro JCL Tecnologia 2009 Proposta para Criação, Desenvolvimento e Manutenção de Website 1 Hamilton Junior Multimídia Designer APRESENTAÇÃO Meu trabalho consiste em criar conceitos e a partir

Leia mais

DESIGN DE LIVRO DIGITAL

DESIGN DE LIVRO DIGITAL DESIGN DE LIVRO DIGITAL Aluna: Mariana Ferreira Gomes Corrêa Orientadora: Rita Maria de Souza Couto Co-orientadora: Cristina Portugal Introdução A pesquisa desenvolvida foi parte integrante do trabalho

Leia mais

SOBRE A TOOLSYSTEMS. ToolSystems Sistemas Fone: (47) 3381-3344

SOBRE A TOOLSYSTEMS. ToolSystems Sistemas Fone: (47) 3381-3344 SOBRE A TOOLSYSTEMS Com mais de 10 anos no mercado, a ToolSystems sistemas se dedica a entender as novas tecnologias para garantir a seus clientes as melhores e mais atuais soluções para Internet. Ao longo

Leia mais

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Arte X Engenharia Desenvolver Sistema Web é arte? A Web oferece espaço para arte...... mas os usuários também desejam

Leia mais

Sistema de Navegação

Sistema de Navegação Sistema de Navegação Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 O que é navegar? Navegar é alcançar um destino que está fora do alcance do campo de visão do ponto de partida. Para alcançar seu destino, o navegador

Leia mais

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões

Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões MÍDIA KIT INTERNET Número de pessoas com acesso à internet passa de 120 milhões Segundo pesquisa da Nielsen IBOPE, até o 1º trimestre/2014 número 18% maior que o mesmo período de 2013. É a demonstração

Leia mais

MARKETING DIGITAL MOSTRANDO SUA IDENTIDADE

MARKETING DIGITAL MOSTRANDO SUA IDENTIDADE MARKETING DIGITAL MOSTRANDO SUA IDENTIDADE Por que mostrar sua identidade Atualmente, são 52,5 milhões* de usuários de internet ativos no Brasil. A previsão de investimentos em anúncios online no Brasil

Leia mais

2. Internet: Evolução nos meios de comunicação

2. Internet: Evolução nos meios de comunicação 2. Internet: Evolução nos meios de comunicação A Internet é uma super-rede de computadores que interliga, através de linhas comuns de telefone, linhas de comunicação privada, cabos submarinos, canais de

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

NAVEGANDO NA INTERNET

NAVEGANDO NA INTERNET UNIDADE 2 NAVEGANDO NA INTERNET OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade você deverá ser capaz de: Definir a forma de utilizar um software de navegação; Debater os conteúdos disponibilizados

Leia mais

MÍDIA KIT 2013 MADEIRA TOTAL

MÍDIA KIT 2013 MADEIRA TOTAL MÍDIA KIT 2013 MADEIRA TOTAL "A objetividade e agilidade do Madeira Total o coloca entre os melhores portais nacionais e o consagra como leitura imprescindível para quem quer estar bem informado". MÍDIA

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

Wireframes Desenho de Iteração. Henrique Correia. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Wireframes Desenho de Iteração. Henrique Correia. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 1 Wireframes Desenho de Iteração Henrique Correia Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Sistemas Hipermédia - 1º ano Mestrado Ensino da Informática 11 de Outubro de 2011 2 Wireframes Introdução

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Protótipos em Papel (Paper Prototype)

Protótipos em Papel (Paper Prototype) Protótipos em Papel (Paper Prototype) Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Tipos de Protótipos O protótipo de um website pode ser classificado conforme o seu grau de fidelidade, ou seja, o quanto ele se

Leia mais