ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS"

Transcrição

1 ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 1ª Parte Cordados: diversidade, classificação e evolução (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis: Virgínia Sanches Uieda (Integral) e Wilson Uieda (Noturno) Departamento de Zoologia - IB/UNESP/Botucatu

2 Cordados Diversidade, Classificação e Evolução Grupo grande e diversificado de animais marinhos, de água doce e terrestres. Cordados inferiores ou protocordados Marinhos, pequenos, sem vértebras Subfilo Urochordata (=Tunicata) Ascídias, salpas, apendiculárias Ca spp. Subfilo Cephalochordata Anfioxo Ca. 22 spp. Cordados vertebrados Marinhos, água doce e terrestres Subfilo Vertebrata Ca spp.

3 Características distintivas dos Chordata Características presentes no embrião de todos os cordados. 1. Cordão nervoso dorsal 2. Notocorda dorsal 3. Fendas faringeanas 4. Cauda muscular pós-anal 5. Endóstilo oco bastonete rígido e flexível abrigam as brânquias sulco ciliado glandular importante na locomoção

4 O que ocorre com estas características em cada um dos subfilos de cordados? Podem persistir, se alterar ou desaparecer no adulto.

5 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Cladograma com uma das hipóteses possíveis da filogenia dos metazoários (segundo Brusca & Brusca, 2003).

6 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais multicelularidade

7 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais: MULTICELULARIDADE Aumento de tamanho Especialização celular Esqueleto de sustentação Filo Porifera

8 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Tecidos + sistema nervoso com neurônios

9 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais: REGIONALIZAÇÃO Diferenciação de tecidos Permitiu isolar e regular fisiologicamente os compartimentos internos do corpo Filo Cnidaria Compartimentalização cavidade digestiva Mobilidade forma medusóide Reação a estímulos circuito sensitivo-neuro-motor

10 Eumetazoa 1. Regionalização do corpo: estruturas organizadas em eixos definidos (em esponjas as partes funcionais estão distribuídas uniformemente ao longo do corpo). 2. Evolução do tecido epitelial: isolando e permitindo regular fisiologicamente os compartimentos internos. 3. Formação de músculos e tecidos nervosos: a partir de uma especialização do tecido epitelial, permitindo a evolução de corpos grandes, móveis e complexos.

11 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Simetria bilateral

12 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais: PLANO CORPORAL E LOCOMOÇÃO A grande maioria dos animais (+ de 90%) exibe simetria bilateral. Metazoários Parazoa Filo Porifera Eumetazoa Radiata Filo Cnidaria Bilateria todos os demais filos Qual o significado adaptativo da Simetria Bilateral?

13 Radial orientação vertical Ambiente uniforme ao redor da circunferência do corpo De simetria radial para simetria bilateral

14 De simetria radial para simetria bilateral Bilateral orientação perpendicular Corpo polarizado com o gradiente locomotor Maior chance de encontrar alimento distribuído em aglomerados isolados sobre o substrato

15 Região anterior com órgãos sensoriais especializados SIMETRIA BILATERAL Corpo polarizado com o gradiente locomotor Superfície ventral com apêndices locomotores Cílios Pé muscular Cerdas Apêndices Superfície dorsal com estruturas de proteção Concha Espinhos Escamas Pelos Penas

16 Metazoários: Planos de Simetria Simetria radial Simetria bilateral Rede nervosa difusa e reticulada Monitora o ambiente de todos os lados Cefalização Rede nervosa longitudinal

17 Metazoários: Planos de Simetria Simetria radial Adaptação à existência séssil Simetria bilateral Relacionada com a mobilidade e cefalização

18 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Cavidade na mesoderme

19 Metazoários: Planos de Simetria Simetria radial Simetria bilateral 2 epitélios epiderme gastroderme 3 epitélios epiderme, gastroderme mesoderme Desenvolvimento de órgãos

20 Metazoários: Planos de Simetria Radiata Bilateria Novo epitélio 1. Órgãos 2. Sistemas

21 Metazoários: Planos de Simetria Radiata 1ª cavidade digestiva Celêntero (cavidade digestiva) com múltiplas funções. Bilateria Trato digestivo livre para se especializar na digestão. Novo compartimento interno Digestão-absorção Transporte interno Suporte hidrostático Excreção Reprodução Digestão- cavidade digestiva Novo compartimento demais funções

22 Metazoários: Planos de Simetria Radiata Bilateria Novo compartimento

23 Metazoários: Planos de Simetria Bilateria Novo compartimento O que é? Quais funções? Espaço com líquido, situado entre a cavidade digestiva e a parede corporal, contendo os órgãos. 1. Esqueleto hidrostático 2. Transporte interno 3. Reprodução 4. Excreção

24 Cavidade digestiva Aumento na atividade especializa na digestão Mobilidade Desenvolvimento de um esqueleto Mantém a forma corpórea Suporta o corpo Protege o corpo Transmite forças contráteis

25 Mobilidade Esqueleto Aumento na mobilidade Desenvolvimento de um esqueleto fluido sólido Músculo precisa trabalhar contra um ponto de apoio Músculo se contrai e relaxa, mas não pode se alongar sozinho A água não é compressível

26 Compartimentos corporais em Bilatérios Trato Digestivo livre para se especializar na digestão e absorção Celoma cavidade preenchida por fluido e envolta por mesotélio 1. Esqueleto hidrostático 2. Transporte interno 3. Reprodução 4. Excreção Músculos trabalham contra a pressão do fluido da água mantida dentro da cavidade celomática (esqueleto fluido)

27 Compartimentos corporais em Bilatérios Trato Digestivo Celoma Tecido Conjuntivo Matriz extracelular (colágeno), com células justapostas Ambiente apropriado para a diferenciação celular Esqueleto (sustenta e transmite a força de contração muscular) Sistema Hemal Compartimento especializado do compartimento de tecido conjuntivo Vasos, seios e cavidades (hemocele) preenchidas por sangue (fluido) Local de transporte por convecção (fluxo e não difusão) do sangue Músculos trabalham contra a pressão do sangue da hemocele (esqueleto fluido)

28 Bilatérios: arquitetura corpórea SEM CAVIDADE DO CORPO (compacto) Gnathostomulida Platyhelminthes Mesozoa Gastrotricha Nematoda (pequeno porte) Nematomorpha Annelida (Dinophilidae) Maioria de pequeno porte Extraído de: Ruppert, Fox & Barnes, 2005, Zoologia dos Invertebrados. 7ed. (Tabela 9.2., página 239)

29 Bilatérios: arquitetura corpórea CAVIDADE DO CORPO = Celoma Nemertea Sipuncula Annelida (Glyceridae) celoma Maioria de grande porte

30 Bilatérios: arquitetura corpórea CAVIDADE DO CORPO = Hemocele Nematoda (de grande porte, como Ascaris) Priapulida Loricifera Kinorhyncha Rotifera Acanthocephala Tardigrada Cycliophora Kamptozoa Maioria de pequeno porte

31 Bilatérios: arquitetura corpórea CAVIDADE DO CORPO = celoma + sistema hemal Mollusca Annelida (maioria) Echiura Panarthropoda Phoronida Brachiopoda Bryozoa Hemichordata Echinodermata Chordata Chaetognatha Maioria de grande porte

32 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Deuterostômios Clivagem radial

33 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais Clivagem radial Deuterostômios

34 Arquitetura corpórea em Cordados Cordados Celoma reduzido Esqueleto interno rígido Metameria da musculatura Cordados vertebrados Cordados não-vertebrados Anfioxo

35 Características dos Chordata compartilhadas com outros filos animais: METAMERIA Divisão do corpo em uma série longitudinal de unidades repetidas (segmentos) Segmentos limitados ao tronco (cabeça e pigídio não segmentados) Metameria de grande significado adaptativo para os Bilateria

36 Metameria Vantagens da metameria Adaptação à locomoção Especialização regional dos segmentos Anelídeos escavação peristáltica Artrópodos pés articulados Cordados natação ondulatória

37 Características distintivas dos Chordata Locomoção = ondulações do tronco e cauda Metameria da musculatura do tronco e cauda Notocorda ou a coluna vertebral como apoio

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 1ª Parte Cordados: diversidade, classificação e evolução Profa. Dra. Virgínia Sanches Uieda Departamento t de Zoologia - IB/UNESP/Botucatu

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 2ª Aula 1ª Parte Diversidade, Evolução e Origem dos vertebrados (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis:

Leia mais

Desenvolvimento Embrionário

Desenvolvimento Embrionário DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Desenvolvimento Embrionário Profº. Nelson Jorge EMBRIOLOGIA Definições Etapas do Desenvolvimento Embrionário: Segmentação ou clivagem Mórula Blástula Gastrulação/Gástrula -

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria.

INTRODUÇÃO AOS BILATERIA. META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. INTRODUÇÃO AOS BILATERIA META Descrever as características que possibilitaram o surgimento e irradiação dos Bilateria. OBJETIVOS Ao final da aula, o aluno deverá: entender os planos e eixos corporais (diferença

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 1ª Aula 2ª Parte Cordados não-vertebrados: morfologia e biologia (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis:

Leia mais

Prof.: Carolina Bossle

Prof.: Carolina Bossle Prof.: Carolina Bossle EVOLUÇÃO Acredita-se que o grupo mais primitivo, seja o das esponjas cujos representantes não apresentam tecidos. Os cnidárias são animais diploblástico (diblástico) = apenas 2 folhetos

Leia mais

Profª Priscila F Binatto

Profª Priscila F Binatto Profª Priscila F Binatto Multicelulares Eucariontes Ausência de parede celular Heterotróficos Mobilidade em pelo menos um estágio LOPES, S.; MENDONÇA, V. L. Bio: volume 2. São Paulo: Saraiva, 2006, p.

Leia mais

História Evolutiva e Filogenia de Metazoa

História Evolutiva e Filogenia de Metazoa História Evolutiva e Filogenia de Metazoa Os 6 reinos da vida Eubacteria Archaea Fungi Protista Plantae Animalia (= Metazoa) PROCARIOTOS EUCARIOTOS Diversidade zoológica 1. Porifera (5500)* 2. Placozoa

Leia mais

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA

Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA Disciplina anterior era: INVERTEBRADOS II Conteúdo: ANNELIDA ARTHROPODA LOFOFORADOS ECHINODERMATA OLIGOCHAETA Ancestral comum CLASSIFICAÇÃO TRADICIONAL ARTICULATA CORPO SEGMENTADO SISTEMA NERVOSO

Leia mais

Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia

Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula II Organização geral do corpo dos animais, Embriologia Professora: Luciana Alves de Sousa Padrões de Simetria SIMETRIA Partes do corpo com correspondência, em grandeza, forma

Leia mais

ANEXO 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA. Edital nº O46/2008-PRORH DISCIPLINA E CONJUNTOS DE DISCIPLINAS

ANEXO 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA. Edital nº O46/2008-PRORH DISCIPLINA E CONJUNTOS DE DISCIPLINAS 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS ANEXO 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA Edital nº O46/2008-PRORH PROGRAMA - (Parágrafo

Leia mais

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários:

Protostomado: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Pseudocelomado: Aneuromiários: 01. Conceitue cada termo e, em seguida, cite um exemplo de animais para cada classificação. Triblástico: Aneuromiários: Placentários: Deuterostomado: Ovíparos: Protostomado: Pseudocelomado: Parazoário:

Leia mais

Objetivo. Fornecer subsídios para uma compreensão geral da. modificação de caracteres

Objetivo. Fornecer subsídios para uma compreensão geral da. modificação de caracteres Objetivo Fornecer subsídios para uma compreensão geral da diversidade biológica, da evolução dos táxons t e da modificação de caracteres Bibliografia básicab AMORIM, D. S. 2002. Fundamentos de sistemática

Leia mais

Complexo educacional FMU Curso de Ciências Biológicas. Zoologia de invertebrados I. Reino Animal Principais Características

Complexo educacional FMU Curso de Ciências Biológicas. Zoologia de invertebrados I. Reino Animal Principais Características Complexo educacional FMU Curso de Ciências Biológicas Zoologia de invertebrados I Reino Animal Principais Características Prof: Biólogo Luiz A.B. Mello Lula 2º semestre 2011 2ºsemestre Gráfico da distribuição

Leia mais

ECHINODERMATA QUEM SÃO: 14/02/2014. Pycnopodia. CLASSE: CRINOIDEA (Lírio-do-mar) Labidiaster radious

ECHINODERMATA QUEM SÃO: 14/02/2014. Pycnopodia. CLASSE: CRINOIDEA (Lírio-do-mar) Labidiaster radious ECHINODERMATA CLASSE: ASTEROIDEA (Estrela-do-mar) QUEM SÃO: Labidiaster radious CLASSE: ECHINOIDEA (Ouriço-do-mar e Bolacha-do-mar) Pycnopodia CLASSE: CRINOIDEA (Lírio-do-mar) Antedon bifida 1 CLASSE:

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS

CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS Autora: Suzana Ursi CLASSIFICAÇÃO DOS ANIMAIS Contexto: Dentro do currículo tradicional da 6 a série (3 o ciclo do Ensino Fundamental) são apresentados alguns grupos animais (poríferos, cnidários, platielmintos,

Leia mais

Reino Animalia. Desenvolvimento Embrionário

Reino Animalia. Desenvolvimento Embrionário Reino Animalia Características Gerais Seres eucariontes (seres vivos que possuem o núcleo de suas células delimitado por uma membrana, a carioteca); Maioria desses seres possui capacidade de locomoção

Leia mais

Biologia FILO CORDADOS

Biologia FILO CORDADOS CPMG- NADER ALVES DOS SANTOS Biologia FILO CORDADOS Prof. Weber FILO DOS CORDADOS Filo Chordata grandes animais existentes na Terra, dentre eles, o homem. Grande adaptação, diversos hábitos de vida, grande

Leia mais

ZOOLOGIA Filo Mollusca

ZOOLOGIA Filo Mollusca ZOOLOGIA Filo Mollusca Profa Maria Célia Portella - Protozoários - Filo Mesozoa (mesozoa e parazoa) - Filo Placozoa (mesozoa e parazoa) - Filo Porifera (mesozoa e parazoa) Filos Precedentes - Filo Cnidaria

Leia mais

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento :::

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: Seres Invertebrados adsense1 Desde os protozoários, unicelulares e microscópicos, até os grandes polvos e lulas, que atingem vários metros de comprimento, os invertebrados formam uma ampla variedade de

Leia mais

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Julio Junior) Seres Vivos

Biologia. Rubens Oda e Alexandre Bandeira (Julio Junior) Seres Vivos Seres Vivos Seres Vivos 1. O grau de semelhança entre os organismos sempre foi o principal critério para os seus agrupamentos. Com o advento da ideia de evolução entre os seres vivos, o grau de semelhança

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS CARACTERÍSTICAS GERAIS AULA DE RECUPERAÇÃO DE INVERTEBRADOS - Prof. Maria Lúcia 2ª EM 1. PATAS ARTICULADAS 2. CORPO COM POROS E SEM TECIDOS 3. EXOESQUELETO DE QUITINA 4. DIPLOBLASTICOS ACELOMADOS 5. ESPINHOS

Leia mais

Do grego, hydton, tecido + logos, estudos. Cada grupo de células reunidas para executar uma função específica é chamado de tecido.

Do grego, hydton, tecido + logos, estudos. Cada grupo de células reunidas para executar uma função específica é chamado de tecido. Do grego, hydton, tecido + logos, estudos. Cada grupo de células reunidas para executar uma função específica é chamado de tecido. Além das células, os tecidos contêm material extracelular ou intercelular

Leia mais

CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI

CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI CAPÍTULO 9 SISTEMA DE ENSINO POLIEDRO PROF GISELLE CHERUTTI Do grego echinos: espinhos derma: pele constituem um grupo de animais exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto (endo = dentro) calcário

Leia mais

Reino Animalia (Metazoa)

Reino Animalia (Metazoa) Reino Animalia (Metazoa) Filo Porifera Filo Cnidaria Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Maior e mais diversificado mais de 1 milhão de espécies

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

ARTRÓPODES. Arthron = articulação + podos = pés

ARTRÓPODES. Arthron = articulação + podos = pés ARTRÓPODES Arthron = articulação + podos = pés PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS - Simetria bilateral - Corpo segmentado e extremamente articulado - Exoesqueleto de quitina - Sistema digestivo completo - Sistema

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Arthropoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

REINO ANIMAL. Qual a importância da metameria? FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS. Qual a importância da metameria?

REINO ANIMAL. Qual a importância da metameria? FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS. Qual a importância da metameria? REINO ANIMAL FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS Metâmeros são compartimentos contíguos, revestidos internamente por mesoderme, e separados uns dos outros por paredes (septos) mesodérmicas.

Leia mais

Platelmintos, vermes achatados

Platelmintos, vermes achatados Platelmintos, vermes achatados Animais triblásticos, bilaterais, com cefalização e sistema excretório Equipe de Biologia Relação filogenética do filo platelmintos Planária como exemplo de platelminto Dorsal

Leia mais

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados

Prof.: Gilmar Marques FILO CNIDÁRIA. Celenterados 1 FILO CNIDÁRIA Celenterados Cnidários 2 Do Grego (Cnid=urtiga), devido aos cnidócitos. Fósseis de Cnidários datam do Pré- Cambriano (600 milhões de anos) São organismos aquáticos. Podem ser solitários

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Chordata. Natália A. Paludetto

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Chordata. Natália A. Paludetto Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Chordata Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

Aulas de Ciências de 10 a 12. Características dos invertebrados

Aulas de Ciências de 10 a 12. Características dos invertebrados Aulas de Ciências de 10 a 12 Características dos invertebrados Os animais são organismos eucariontes e pluricelulares. Eles podem ser classificados em vertebrados e invertebrados, de acordo com a presença

Leia mais

Zoologia dos invertebrados I LEA 170 Italo Delalibera Jr. Plano de aula. Nomenclatura zoológica e classificação dos seres

Zoologia dos invertebrados I LEA 170 Italo Delalibera Jr. Plano de aula. Nomenclatura zoológica e classificação dos seres Zoologia dos invertebrados I LEA 170 Italo Delalibera Jr. Plano de aula Parte 1 Nomenclatura zoológica e classificação dos seres Conceitos de espécie Elementos básicos de sistemática filogenética Parte

Leia mais

% acumulada do # de doutores. média de anos após graduado. % acumulada do # de mestres. % do # total de pesquisadores % acumulada do # total de

% acumulada do # de doutores. média de anos após graduado. % acumulada do # de mestres. % do # total de pesquisadores % acumulada do # total de Tabela 1. Quadro dos sistematas brasileiros, por estado, com currículos atualizados na plataforma Lattes entre abril/2003 e março/2005. Todos os táxons. # pesquisadores com # doutores sem # mestres # aposentados

Leia mais

Equinodermas e Protocordados 2ª parte

Equinodermas e Protocordados 2ª parte COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Equinodermas e Protocordados 2ª parte Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com O que significa o termo Cordados?

Leia mais

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Características: Triblásticos Celomados ectoderme intestino mesoderme celoma cavidade corporal na mesoderme endoderme Características: Deuterostômios:

Leia mais

Reino Animalia: filos com representantes aquáticos

Reino Animalia: filos com representantes aquáticos Reino Animalia: filos com representantes aquáticos Filos exclusivamente aquáticos Disponível em: .

Leia mais

EMBRIOLOGIA. Prof. Kauê Costa 2014

EMBRIOLOGIA. Prof. Kauê Costa 2014 EMBRIOLOGIA Prof. Kauê Costa kaue.costa@ymail.com 2014 Zigoto Ocorre variação na reserva nutricional (vitelo) dos zigotos de diferentes seres vivos. Clivagem É o nome que se dá à divisão, por mitose, do

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA SEM CRED EMENTÁRIO DE DISCIPLINAS Anatomia Humana (01531) O estudo dos diversos sistemas orgânicos, visando aliar os conhecimentos

Leia mais

Bibliografia utilizada

Bibliografia utilizada Bibliografia utilizada HICKMAN JÚNIOR, C. P.; ROBERTS, L. S.; LARSON, A. Princípios integrados de zoologia.11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. KARDONG, K.V. Vertebrados: Anatomia comparada,

Leia mais

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores

Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores Bioindicadores Ambientais (BAM36AM) Invertebrados bentônicos como bioindicadores Bioindicadores de sistemas bênticos A escolha do bioindicador requer um conhecimento prévio da biologia do organismo ou

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O R E C Ô N C A V O D A B A H I A CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS COORDENAÇÃO ACADÊMICA

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O R E C Ô N C A V O D A B A H I A CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS COORDENAÇÃO ACADÊMICA U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O R E C Ô N C A V O D A B A H I A CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS COORDENAÇÃO ACADÊMICA FORMULÁRIO R0092 PROGRAMA DE COMPONENTE CURRICULAR COMPONENTE

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: CCBS - CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: ZOOLOGIA III (VERTEBRADOS I) Núcleo Temático: DIVERSIDADE BIOLÓGICA Código da Disciplina: 020.1378.9

Leia mais

FILO ARTHROPODA. Artrhon = articulação/ Podos = pés

FILO ARTHROPODA. Artrhon = articulação/ Podos = pés FILO ARTHROPODA Artrhon = articulação/ Podos = pés - INVERTEBRADOS BILATÉRIOS, CELOMADOS, SEGMENTADOS; - APÊNDICES LOCOMOTORES ARTICULADOS EM NÚMERO PAR; PATAS ARTICULADAS -ANDAR, CORRER, SALTAR, NADAR;

Leia mais

Características Gerais dos Animais

Características Gerais dos Animais Características Gerais dos Animais 0 Reino Animalia ou Metazoa é formado por organismos pluricelulares; heterótrofos e eucariontes. No entanto, entre eles alguns não formam órgãos e portanto não apresentam

Leia mais

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica 1- Características Embrionárias: Característica Tipo Simetria* Bilateral Tecidos Eumetazoa Tecidos embrionários Triblástico Celoma Celomado Origem do celoma Enterocelomado Blastóporo Deuterostômico Metameria

Leia mais

FICHA INFORMATIVA Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nos animais

FICHA INFORMATIVA Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nos animais FICHA INFORMATIVA Nº 2 Biologia e Geologia Módulo 3 O transporte nos animais Os seres vivos necessitam de realizar trocas de substâncias com o meio envolvente. Esta troca de substâncias químicas decorre

Leia mais

Surgimento da cavidade gastrovascular. Sistema Digestivo Ausente. Zoologia de Invertebrados I. Evolução do Sistema Digestivo

Surgimento da cavidade gastrovascular. Sistema Digestivo Ausente. Zoologia de Invertebrados I. Evolução do Sistema Digestivo Zoologia de Invertebrados I Evolução dos Sistemas de Invertebrados Italo Delalibera Jr. Evolução do Sistema Digestivo Sistema Digestivo Ausente Poríferos: filtração; alimentos capturados pelos coanócitos

Leia mais

1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO

1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO 1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO Como é a forma do corpo dos animais? A forma do corpo dos animais está relacionada com o ambiente em que vivem e com o seu modo de vida. Podem ser: Fusiforme

Leia mais

CHORDATA BILATÉRIA, TRIBLÁSTICOS, CELOMADOS ENTEROCÉLICOS, EPINEUROS, FARINGOTREMIA, NOTOCORDA, DEUTEROSTÔMIOS, CORPO SEGMENTADO.

CHORDATA BILATÉRIA, TRIBLÁSTICOS, CELOMADOS ENTEROCÉLICOS, EPINEUROS, FARINGOTREMIA, NOTOCORDA, DEUTEROSTÔMIOS, CORPO SEGMENTADO. CHORDATA BILATÉRIA, TRIBLÁSTICOS, CELOMADOS ENTEROCÉLICOS, EPINEUROS, FARINGOTREMIA, NOTOCORDA, DEUTEROSTÔMIOS, CORPO SEGMENTADO. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO PHYLUM CHORDATA: 1 - NOTOCORDA PERSISTE DURANTE

Leia mais

Diversidade Biológica dos Protostomados

Diversidade Biológica dos Protostomados Módulos 1e2 Volume 3ª edição Carlos Renato Rezende Ventura Cátia A. Mello-Patiu Gabriel Mejdalani Diversidade Biológica dos Protostomados 1 Diversidade Biológica dos Protostomados Volume 1 - Módulos 1

Leia mais

COLÉGIO TIRADENTES DA PMMG Gameleira. Nome: Introdução ao Reino Animal

COLÉGIO TIRADENTES DA PMMG Gameleira. Nome: Introdução ao Reino Animal 1 COLÉGIO TIRADENTES DA PMMG Gameleira Atividade em sala de aula Disciplina: Ciências Nome: Professora: Andrea Lima Alves Ruislan 7º ano Turma: Ensino Fundamental (II) Turno: Tarde Data: Introdução ao

Leia mais

Animais Acelomados Phylum Platyhelminthes. Animais Celomados Phylum Annelida

Animais Acelomados Phylum Platyhelminthes. Animais Celomados Phylum Annelida Animais Acelomados Phylum Platyhelminthes Animais Pseudocelomados Phylum Rotifera Phylum Gastrotricha Phylum Kinorhyncha Phylum Loricifera Phylum Priapulida Phylum Nematoda Phylum Nemertea Phylum Nematomorpha

Leia mais

Nemertea e Lophophorata. Filo Nemertea. aproximadamente 1150 espécies conhecidas, 41 das quais com ocorrência no Brasil (39 em São Paulo)

Nemertea e Lophophorata. Filo Nemertea. aproximadamente 1150 espécies conhecidas, 41 das quais com ocorrência no Brasil (39 em São Paulo) 1. Características Gerais Nemertea e Lophophorata Filo Nemertea aproximadamente 1150 espécies conhecidas, 41 das quais com ocorrência no Brasil (39 em São Paulo) animais vermiformes, principalmente marinhos

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 2ª Aula 2ª Parte Agnatos e Gnatostomados (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis: Virgínia Sanches Uieda

Leia mais

MOLUSCOS E ANELÍDEOS

MOLUSCOS E ANELÍDEOS MOLUSCOS E ANELÍDEOS Artrópodes Vertebrados Cordados Protostômios Deuterostômios Pseudocelomados Celomados Acelomados Características gerais MOLUSCOS (Latim: mollis) 100.000 espécies da fauna atual São

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA Plano de Ensino Departamento: Morfologia Unidade: Instituto de Ciências Biológicas Curso: Educação Física Disciplina:

Leia mais

28/05/2015. Filo Annelida. Que invertebrado é esse?

28/05/2015. Filo Annelida. Que invertebrado é esse? Que invertebrado é esse? Pelo corpo alongado, região cefálica pouco diferenciada, segmentação, ou seja, anelado É um anelídeo () - vermiformes segmentados; - achatados dorsoventralmente ou cilindricos;

Leia mais

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan Cordados Cordados Prof. Fernando Fernando Belan Belan -- BIOLOGIA BIOLOGIA MAIS MAIS Prof. Introdução Protocordados (anfioxo e ascídia); Vertebrados (peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos); Simetria

Leia mais

Prof. Marcelo Langer. Curso de Biologia. Aula 44 Zoologia

Prof. Marcelo Langer. Curso de Biologia. Aula 44 Zoologia Prof. Marcelo Langer Curso de Biologia Aula 44 Zoologia FILO PLATELMINTES São vermes de corpo achatado. Possuem características evolutivas, inclusive o terceiro folheto embrionário (mesoderme), substituindo

Leia mais

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordata (Cordados) Características gerais: -Triblásticos, celomados, deuterostômios, apresentam metameria (evidente na fase embrionária); Características Exclusivas:

Leia mais

Prostheceraeus roseus Planária terrestre. Planária (classe Turbelária) Fasciola hepatica (Classe Trematoda) Schistosoma mansoni (classe Trematoda)

Prostheceraeus roseus Planária terrestre. Planária (classe Turbelária) Fasciola hepatica (Classe Trematoda) Schistosoma mansoni (classe Trematoda) FILO PLATYHELMINTHES Eucarionte; pluricelular; heterótrofo. Corpo achatado dorsoventralmente Simetria bilateral Tecidos presentes e acelomados. Como conseqüência disso, não formam completamente alguns

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: ZOOLOGIA III (VERTEBRADOS I) Professor(es): Profa Dra Mônica Ponz Louro Código da Disciplina: 020.1378.9

Leia mais

Período Embrionário 3ª a 8ª semana Terceira Semana

Período Embrionário 3ª a 8ª semana Terceira Semana Período Embrionário 3ª a 8ª semana Terceira Semana É a primeira semana após a não ocorrência da última menstruação normal ou cinco semanas após a data da última menstruação (UM) Vera Andrade Testes de

Leia mais

Diversidade e nomeclatura zoológica

Diversidade e nomeclatura zoológica Diversidade e nomeclatura zoológica Tópicos da aula Diversidade biológica - os seis reinos Reino Animalia (= Metazoa) Quais são as características de um animal? Quem são os animais? Qual a diversidade

Leia mais

O filo Chordata inclui três subfilos, os vertebrados e dois filos de invertebrados, os urocordados e os cefalacordados.

O filo Chordata inclui três subfilos, os vertebrados e dois filos de invertebrados, os urocordados e os cefalacordados. Origem dos Cordados O filo Chordata inclui três subfilos, os vertebrados e dois filos de invertebrados, os urocordados e os cefalacordados. Mandibula articulada Dois grupos de apendices pareados Coluna

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA - INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS / USP PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (ZOOLOGIA) PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS.

DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA - INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS / USP PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (ZOOLOGIA) PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. INSTRUÇÕES LEIA COM ATENÇÃO - Use apenas seu código numérico para se identificar na prova, escrevendo-o em todas as folhas de respostas. Não use seu nome ou qualquer outra forma de identificação nas provas,

Leia mais

6STA001 BIOESTATÍSTICA I Estatística descritiva. Técnicas de amostragem com aplicações na área biológica. Introdução à Teoria de Probabilidade.

6STA001 BIOESTATÍSTICA I Estatística descritiva. Técnicas de amostragem com aplicações na área biológica. Introdução à Teoria de Probabilidade. HABILITAÇÃO: BACHARELADO 1ª Série 6MOR030 ANATOMIA HUMANA A Estudo dos sistemas: ósseo, articular, muscular, digestório, respiratório, urinário, genital feminino, genital masculino, circulatório e sistema

Leia mais

Biologia. AIDS, dengue e gripe

Biologia. AIDS, dengue e gripe 01 - (PUC SP) Os recifes de corais são formados por colônias de animais providos de um esqueleto que protege um grande número de pólipos. Os animais presentes nos corais pertencem ao mesmo filo que a)

Leia mais

A Célula. Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula.

A Célula. Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula. A Célula Citologia É a área da Biologia responsável pelo estudo da célula. Microscópio Depois do aprimoramento desse instrumento tornou- se possível o estudo da célula. Elab.: Prof. Gilmar 2 Elab.: Prof.

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS ixação F ) Um aluno esquematizou um anfioxo, indicando, com legendas, os principais caracteres do 2 lo Chordata. p Indique a legenda que aponta o ERRO cometido

Leia mais

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos:

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos: Aula 4 Os animais Os seres vivos apresentam uma diversidade muito grande; a cada ano, novas espécies vêm sendo descritas. Fica compreensível a necessidade de um sistema de classificação para a organização

Leia mais

1ª Série do ensino médio _ TD 14

1ª Série do ensino médio _ TD 14 1ª Série do ensino médio _ TD 14 01. A matriz mitocondrial apresenta diversas substâncias, exceto: (A) Coenzima A. (B) ADP. (C) ATP. (D) Ácido Cítrico. (E) Glicose. 02. Três tubos de ensaio foram preparados

Leia mais

Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA

Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA Professor: Paulo Disciplina: Biologia Campus Aquidauana CITOLOGIA CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula) + Logos (estudo)

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO Entomologia Entomologia veterinária: é o estudo de insetos de importância veterinária, num sentido mais amplo que engloba inclusive os aracnídeos (carrapatos e ácaros). Filo Arthropoda O filo arthropoda

Leia mais

Divisões do Sistema Nervoso

Divisões do Sistema Nervoso SISTEMA NERVOSO Divisões do Sistema Nervoso A divisão motora do sistema nervoso divide-se em sistema nervoso somático e sistema nervoso autónomo (SNA). Sistema Nervoso Somático: Transmite os potenciais

Leia mais

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica.

3ª série Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e. condição de vida, no mundo de hoje e em sua evolução histórica. DISCIPLINA DE BIOLOGIA OBJETIVOS: 1ª série Compreender a natureza como um todo dinâmico e o ser humano como agente de transformação do mundo em que vive, em relação essencial com os demais seres vivos

Leia mais

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas Professora Débora Biologia Filo Poríferos Esponjas Filo Poríferos Características São todas

Leia mais

Sistema Esquelético. Fisiologia Humana Prof. Msd. Sandro de Souza

Sistema Esquelético. Fisiologia Humana Prof. Msd. Sandro de Souza Sistema Esquelético Fisiologia Humana Prof. Msd. Sandro de Souza Funções do Sistema Esquelético Alavanca para os Movimentos Humanos Sustentação para os Movimentos Humanos Proteção dos Órgãos e tecidos

Leia mais

Silvina Botta Phylum Annelida

Silvina Botta Phylum Annelida Silvina Botta 2009 Phylum Annelida Metameria Divisão do corpo numa série de segmentos similares, cada um dos quais contem uma repetição de muitos órgãos e sistemas Outros metaméricos: artrópodes e vertebrados

Leia mais

Características gerais

Características gerais Citoplasma Citoplasma Características gerais Um vertebrado é formado por dezenas de tipos de células. Citoplasma Características gerais Um vertebrado é formado por dezenas de tipos de células. Neurônio

Leia mais

Aula 3 INTRODUÇÃO AOS METAZOA

Aula 3 INTRODUÇÃO AOS METAZOA INTRODUÇÃO AOS METAZOA Aula 3 META Demonstrar a importância do uso da cor nos mapas temáticos.entender as novidades evolutivas relacionadas com a multicelularidade dos organismos animais. Compreender o

Leia mais

PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO

PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO DISCIPLINA Biologia EM PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO FUNDAMENTAÇÃO: O ensino da Biologia para o ano, exerce grande fascínio em todos que nela se aprofundam, pois tenta explicar os fenômenos ligados

Leia mais

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 04: Aparelho Respiratório Função - Condução e trocas Gasosas; 1 - Fonação; 2 - Olfação; 3 - Regulação

Leia mais

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Rua Prof Guilherme Butler, 792 - Barreirinha - CEP 82.700-000 - Curitiba/PR Fone: (41) 3053-8636 - e-mail: ease.acp@adventistas.org.br

Leia mais

ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA

ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA 1 - FILO MOLLUSCA CLASSE GASTROPODA CONCHA A concha típica dos gastrópodes é uma espiral cônica assimétrica, composta de voltas tubulares e contendo a massa visceral do

Leia mais

Lição 01 O CORPO HUMANO

Lição 01 O CORPO HUMANO Lição 01 O CORPO HUMANO OBJETIVOS: Ao final desta lição, os participantes serão capazes de: 1. Explicar o conceito de posição anatômica. 2. Citar a localização de uma lesão utilizando referências anatômicas.

Leia mais

MORFOLOGIA CELULAR. Dra. MARIA RAQUEL MARÇAL NATALI HISTOLOGIA/DCM 2009

MORFOLOGIA CELULAR. Dra. MARIA RAQUEL MARÇAL NATALI HISTOLOGIA/DCM 2009 MORFOLOGIA CELULAR Dra. MARIA RAQUEL MARÇAL NATALI HISTOLOGIA/DCM 2009 A MORFOLOGIA CELULAR DENOTA SUA FISIOLOGIA. ISSO SIGNIFICA QUE OBSERVANDO O TIPO, TAMANHO, QUANTIDADE E DISPOSIÇÃO DAS ORGANELAS E

Leia mais

Organização e Estrutura do Sistema Nervoso. Dr. Flávio Aimbire

Organização e Estrutura do Sistema Nervoso. Dr. Flávio Aimbire Organização e Estrutura do Sistema Nervoso Dr. Flávio Aimbire Introdução O sistema nervoso é o mais complexo Tem função de receber informações sobre variações internas e externas e produzir respostas a

Leia mais

A zoologia e a botânica do ensino médio sob uma perspectiva evolutiva: uma alternativa de ensino para o estudo da biodiversidade.

A zoologia e a botânica do ensino médio sob uma perspectiva evolutiva: uma alternativa de ensino para o estudo da biodiversidade. A zoologia e a botânica do ensino médio sob uma perspectiva evolutiva: uma alternativa de ensino para o estudo da biodiversidade. The zoology and botany of the Brazilian high school teaching under evolutionary

Leia mais

DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL SISTEMA URINÁRIO. Prof. Dra. Camila da Silva Frade

DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL SISTEMA URINÁRIO. Prof. Dra. Camila da Silva Frade DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL SISTEMA URINÁRIO Prof. Dra. Camila da Silva Frade Qual é a função do sistema urinário? Excreção de produtos e dejetos metabólicos Regulação do volume e composição

Leia mais

QUARTA À OITAVA SEMANA, DESENVOLVIMENTO DOS TECIDOS, ÓRGÃOS E FORMA DO CORPO

QUARTA À OITAVA SEMANA, DESENVOLVIMENTO DOS TECIDOS, ÓRGÃOS E FORMA DO CORPO Vera Andrade, 2014 QUARTA À OITAVA SEMANA, DESENVOLVIMENTO DOS TECIDOS, ÓRGÃOS E FORMA DO CORPO Nestas cinco semanas formam-se os principais órgãos e sistemas do corpo, ainda com funções mínimas, o embrião

Leia mais

Diversidade biológica

Diversidade biológica Diversidade biológica Procariontes Disponível em: . Acesso: 22 fev. 2012. Eucariontes unicelulares Protozoários e algas unicelulares Disponível

Leia mais

PLANO DE ENSINO SEMESTRE:

PLANO DE ENSINO SEMESTRE: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ECOLOGIA E ZOOLOGIA Tel: 48 3721-9099 - Fax: +( 55) 0 xx 48 3721 5156 http:// www.ccb.ufsc.br PLANO DE ENSINO SEMESTRE:

Leia mais

Filo dos Poríferos ou Espongiários

Filo dos Poríferos ou Espongiários Filo dos Poríferos ou Espongiários Animais primitivos com poros pelo corpo (esponjas aquáticas). Habitat aquático (marinho e dulcícola). Parazoários: ausência de tecidos verdadeiros. Sésseis (fixos ao

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Annelida. Natália A. Paludetto

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Annelida. Natália A. Paludetto Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Annelida Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais