CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO Programa de Pós-Graduação Consultoria Empresarial MARCELA RIBEIRO RODRIGUES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO Programa de Pós-Graduação Consultoria Empresarial MARCELA RIBEIRO RODRIGUES"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO Programa de Pós-Graduação Consultoria Empresarial MARCELA RIBEIRO RODRIGUES O IMPACTO E A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO INTERNA NAS EMPRESAS DOS DIVERSOS SETORES. SÃO PAULO 2006

2 MARCELA RIBEIRO RODRIGUES O IMPACTO E A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO INTERNA NAS EMPRESAS DOS DIVERSOS SETORES. Monografia apresentada ao Centro Universitário Ítalo Brasileiro, em cumprimento às exigências do curso de Pós-graduação Latu-Sensu, como parte dos requisitos para obtenção do Grau de Especialista em Consultoria Empresarial. Orientadora: Dr.ª, Mestre e Prof.ª Emília Satoshi Miyamau Seo. SÃO PAULO 2006

3 FOLHA DE APROVAÇÃO MARCELA RIBEIRO RODRIGUES O IMPACTO E A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO INTERNA NAS EMPRESAS DOS DIVERSOS SETORES. Monografia depositada no Campus João Dias no dia 22 de dezembro de Orientadora: Dr.ª Mestre e Prof.ª Emília Satoshi Miyamau Seo.

4 DEDICATÓRIA Dedico esse trabalho primeiro a Deus, que meu deu força e oportunidade para alcançar mais um objetivo, e apesar de tantos contratempos, mostrou que eu posso e consigo atingir minhas metas. E com um carinho todo especial dedico aos meus pais, Jose e Rita, aos meus irmãos Rafael e Anselmo pelo computador cedido e pelo apoio. E principalmente ao meu grande amor, Wagner Cardoso, que pelo segundo ano consecutivo ofereceu atenção, paciência e foi um dos principais responsáveis pela realização desse curso.

5 AGRADECIMENTO Agradeço a todos os meus amigos, que me ajudaram muito respondendo a pesquisa deste trabalho. Ao corpo docente do Centro Universitário Ítalo Brasileiro. Mas em especial as minhas queridas amigas Luciana Helena e Aline Franco que mesmo distantes, sempre conseguiram achar um tempinho para me auxiliar com as minhas dúvidas. Ao meu grande amigo Marcio Amorese pelas diversas quebradas de galhos e pelo carinho enorme que sempre tem comigo. Agradeço também a minha orientadora Emília Satoshi pela paciência e dedicação.

6 Em pouco tempo, nossos clientes pensarão de nossa empresa o mesmo que nossos funcionários. (Amauri Marchese).

7 RODRIGUES, Marcela Ribeiro (2006). O impacto e a importância da comunicação interna nas empresas dos diversos setores. Monografia de Pós-graduação, São Paulo, SP: Centro Universitário Ítalo Brasileiro. RESUMO Observando as mudanças que o mercado aponta por um atendimento diferenciado para o cliente final, identifica-se que existe a necessidade de uma atenção diferenciada para o funcionário que atende esse cliente ou mesmo que produz o produto ou serviço oferecido. Para realizar a aproximação entre empresa e funcionários criou-se um canal de comunicação. Esse canal ganhou diversas nomenclaturas, entre os nomes encontrados observa-se comunicação interna, comunicação empresarial, marketing interno, endomarketing entre outras, mas todas com o mesmo fundamento que é informar os colaboradores,. Esse trabalho busca responder algumas questões levantas sobre o objeto de estudo e observar como as empresas estão lidando com a comunicação com seus funcionários. Pesquisar quais as conseqüências para as empresas com funcionários informados e não informados sobre assuntos relacionados à companhia em que atuam. Serão abordados alguns casos verídicos e uma breve explanação apontando os acertos e erros das companhias, compreendendo a necessidade de mostrar à superintendência o que a empresa ganha financeiramente quando o seu funcionário é bem informado. Essa monografia tem como objetivo pesquisar o retorno financeiro que a companhia tem quando investe em comunicação aos seus funcionários. Observando as empresas, independente ao ramo em que ela atua, foi levantada a questão de qual o impacto da tecnologia na comunicação interna nos dias de hoje, quais as ferramentas que foram necessárias para essa mudança tecnológica. Dentro das empresas não é difícil encontramos entre os funcionários a famosa rádio-peão, esse meio de informação é um fator negativo ou positivo para os comunicadores dentro da empresa? Tentar quebrar alguns paradigmas de visões errôneas sobre a comunicação interna será objetivo final dessa tese, baseados em bibliografias relatadas por profissionais de credibilidade na área de comunicação e através de pesquisa pessoal, realizada com pessoas de todo território nacional brasileiro, que atuam nos mais variados ramos de atividade, com intuito de trazer a realidade

8 mercadológica para dentro desse trabalho. Palavras chave: impacto da comunicação interna; endomarketing; marketing interno; comunicação interna; comunicação empresarial.

9 RODRIGUES, Marcela Ribeiro (2006). The impact and the importance of the internal communication in the companies of the diverse sectors. Monograph of After-graduation, São Paulo, SP: University Center Brazilian Ítalo. RÉSUMÉ Observing the changes that the market points toward a distinguishing attendance with respect to the final customer, it is identified that the necessity of special attention differentiated for the same employee who takes care of this customer or that produces the product or offered service. To carry through the approach between company and employees a communication link was created. This link gained diverse nomenclatures, but all with the same bedding that is to inform the collaborators, between the names finds observes indoor communication, enterprise communication, indoor marketing, endomarketing among others. This work searchs answer to some questions raises on the study object and to observe as the companies are dealing with the communication with its employees. To search which the consequences for the companies with employees informed and not informed on related subjects the company where the act, will be boarded some truthful cases and one brief communication will be made on them pointing the rightnesss and errors of the company. Understanding the necessity to show the supervision what the company gains financially when its employee well informed, this monograph has as objective to search the financial return which the company has when it it invests in communication to its employees. Observing the present technology in all the companies, indifferent in the branch that it acts, were raised the question of which the impact of the technology in the indoor communication nowadays, which the tools that had been enclosed for on employees to this technological change. Inside of the companies it is not difficult to find between the employees the famous radio-laborer, this way of information is a negative or positive factor for the communicators inside of the company? To try to break some paradigms of worst situations on the indoors communication will be objective end of this thesis, based on bibliographies told for professionals of credibility in the place of communication and through personal research, carried through with people whom they live deeply in some branches of adverse activities, with intention to bring the marketing reality for inside of this work.

10 Words key: impact of the indoor communication; endomarketing; internal marketing; indoor communication; enterprise communication.

11 SÚMARIO 1. INTRODUÇÃO TEMA OBJETIVOS JUSTIFICATIVA FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES METODOLOGIA Fundamentação teórica Tipo de pesquisa Método de pesquisa Universo da pesquisa Definição do método de coleta de dados Definição da amostra Indicação das variáveis REFERENCIAL TEÓRICO COMUNICAÇÃO INTERNA Breve histórico da comunicação interna O público interno e sua importância para as empresas Codinomes da publicação interna e a formação acadêmica responsável por essa função As ferramentas utilizadas na comunicação interna Rádio Peão, problema ou oportunidade? A tecnologia na comunicação interna Comunicação como diferencial para o atendimento PANORAMA DO BRASIL SOBRE A COMUNICAÇÃO INTERNA CASOS Souza Cruz Credicard Magazine Luiza A Zeneca busca decisões Gerdau Redecard Grupo Nova América Habitasul Body Shop PESQUISA ANÁLISE DA PESQUISA Perfil dos entrevistados Comunicação interna dentro das empresas Atendimento ao cliente DIAGNÓSTICO CONCLUSÃO REFERÊNCIAS

12 6. APÊNDICE FORMULÁRIO DA PESQUISA ANEXOS FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO INTERNA UTILIZADAS POR ALGUMAS EMPRESAS

13 LISTA DE ILUSTRAÇÕES FIGURAS: Figura 1 Pirâmide de Maslow Figura 2 O modelo do processo de comunicação Figura 3 Fluxo da comunicação Figura 4 Tripé da comunicação Figura 5 Público virtual Figura 6 Estrutura organizacional Figura 7 Jornal interno da empresa Bastien Figura 8 Jornal Mural da Arc Telecom Figura 9 Jornal Mural do Frigorífico Marba Figura 10 Centro de treinamento da Peugeot do Brasil GRÁFICOS: Gráfico 1 Região dos entrevistados Gráfico 2 Sexo Gráfico 3 Idade Gráfico 4 Formação escolar Gráfico 5 Tempo de atuação na empresa Gráfico 6 Ferramentas de comunicação interna dentro da empresa Gráfico 7 Ferramentas utilizadas Gráfico 8 Interpretação das informações pelos funcionários Gráfico 9 Freqüência da visualização dos meios disponíveis Gráfico 10 Notícias diversas nos meios internos Gráfico 11 Direcionamento das notícias Gráfico 12 Comunicação interna das empresas que atuam há mais de 4 anos Gráfico 13 Pesquisa de clima Gráfico 14 Mudanças após pesquisa de clima Gráfico 15 Relacionamento com o supervisor Gráfico 16 Supervisores que implantam e escutam idéias de seus colaboradores Gráfico 17 Supervisor comunica de forma clara as mudanças da empresa Gráfico 18 Metas e objetivos claros Gráfico 19 Auxílio ao crescimento profissional com ajuda do chefe Gráfico 20 Relacionamento amigável com os colegas de trabalho Gráfico 21 Ferramentas que os entrevistados gostariam que tivesse em sua empresa Gráfico 22 Comunicado sobre novas decisões estratégicas Gráfico 23 Comunicado antes das mudanças Gráfico 24 Comunicação clara e transparente Gráfico 25 Mudanças informadas ao funcionário antes da mídia divulgar Gráfico 26 Conhece as normas Gráfico 27 Sabe onde encontrar as normas Gráfico 28 Segurança do colaborador Gráfico 29 Processo às empresas pela ausência das normas Gráfico 30 Normas Claras Gráfico 31 Remuneração... 92

14 Gráfico 32 Benefícios que incluam a família Gráfico 33 Relacionamento com chefe e colegas Gráfico 34 Qualidade de vida Gráfico 35 Crescimento na carreira Gráfico 36 Indicação Gráfico 37 Conhecimento da empresa e produto facilita o atendimento Gráfico 38 Motivação dos treinamentos Gráfico 39 Treinamentos como diferencial para o atendimento QUADROS: Quadro 1 Cronograma Histório TABELAS: Tabela 1 Quadro da amostra... 20

15 15 1. INTRODUÇÃO 1.1 TEMA No mercado atual muitas empresas compreendem que para atender bem seu cliente não basta apenas atendê-lo, e sim, é preciso um diferencial do funcionário que tem o contato direto com o cliente final. Porém, as grandes dúvidas das empresas são quais as ferramentas devem ser utilizada para terem seus funcionários mais aplicados e dedicados a atender os clientes, ou simplesmente, para terem orgulho da empresa em que trabalham. Observando essa necessidade que o mercado está apontando e visualizando que muitas companhias ainda não conhecem a importância da comunicação interna dentro das instituições, é levantado o seguinte tema: Qual o impacto e importância da comunicação interna para as empresas dos diversos setores. O desejo desse trabalho é mostrar que a comunicação interna não é importante apenas para o funcionário ou para a empresa, e sim, apresentar que os resultados são positivos para todos os stakeholders (públicos estratégicos da empresa) da companhia. A comunicação interna é uma ferramenta estratégica para compatibilização dos intereses dos colaboradores e da empresa, mediante o estímulo ao diálogo, à troca de informações e de experiências e à participação de todos os níveis (KUNSCH, 1997, p.128).

16 OBJETIVOS Além do objetivo principal desse estudo, colocado como tema desse objeto de estudo, foram levantados outros pontos que deverão ser analisados, pois se farão necessários para o entendimento conclusivo do objetivo principal. Os pontos levantados são: Compreendendo a necessidade e a dificuldade que as empresas encontram em reter talentos nesse mercado tão competitivo, será avaliado se a comunicação interna é um diferencial que gera menos rotatividade de colaboradores; Observando a evolução da comunicação dentro das empresas, existe a necessidade de levantar se ainda existem empresas que não possuem nenhuma ferramenta de comunicação interna; É possível que algum ramo de atividade específico tenha restrições e não adotem a comunicação com seus colaboradores; funcionários; As empresas são claras ao transmitirem suas normas a seus funcionários; Saber quais são as ferramentas de comunicação interna mais desejadas pelos Observar o relacionamento interno nas organizações, considerando canais de abertura entre líderes e subordinados; Acompanhando a revolução tecnológica dentro das empresas, verificar qual foi o impacto dos recursos tecnológicos diretamente na comunicação com os funcionários.

17 JUSTIFICATIVA Este trabalho tem como função levantar todos pontos positivos das empresas que utilizam a comunicação interna, e quanto às que não utilizam, entender quais as dificuldades de relacionamento e integração, no dia-a-dia, com seus colaboradores. Comprovar que as ferramentas de uma comunicação empresarial, se bem estruturadas e aplicadas corretamente fazem a diferença desde a retenção de um talento ao impacto no atendimento ao cliente final. Acompanhando a evolução tecnológica dentro das empresas nos dias atuais, entender como foi a inserção e quais foram os novos formatos e ferramentas de comunicação interna. [...] qualquer trabalho que envolva público interno, é fundamentalmente orientado pela comunicação. O melhor programa de integração, o envolvimento mais profundo e duradouro, o programa que realmente cria uma empatia entre organização e colaborador, é necessariamente baseado em comunicação (KUNSCH, 2002, p. 178).

18 FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES empresas? Uma comunicação interna eficiente e eficaz gera lucratividade para as A comunicação interna é uma forma de inclusão social do colaborador dentro da empresa em que atua? Analisar por meio de pesquisas: quais são os melhores meios de atingir o público interno? Os funcionários que usufruem de algum meio de comunicação interna na sua empresa é mais motivado que um funcionário que não tem? A comunicação para homens e mulheres é diferenciada? judiciais? A falta de conhecimento de normas da empresa pode gerar problemas Os funcionários não conhecem os canais de comunicação interna? O relacionamento com a chefia influência no desempenho do colaborador?

19 METODOLOGIA Fundamentação teórica. Visualizando a importância dos dados inseridos forão levantados dados com embasamento bibliográfico e fontes de pesquisas primárias e secundárias Tipo de pesquisa. O tipo de pesquisa aplicada foi a de opinião. Justificativa: Esse tipo de pesquisa foi escolhido por se aprofundar em eventuais conflitos que possam provocar o processo da opinião pública Método de pesquisa. estatístico). O método de pesquisa é a quantitativa (Estudo Exploratório - Estudo descritivo Justificativa: A escolha por esse formato de método de pesquisa é por proporcionar um resultado conclusivo e mensurável das respostas para o esclarecimento dos objetivos levantados.

20 Universo da pesquisa. O universo da pesquisa foi constituído por 90 entrevistados Definição do método de coleta de dados. O método utilizado foi o questionário estruturado de auto-resposta Definição da amostra. As pesquisas forão aplicadas nos públicos com as seguintes definições: 1º. Classificação: Foram classificados em público: Masculino; e Feminino. 2º. Classificação: 5 ramos de atividades diferentes para cada público. Para cada ramo de atividade serão entrevistadas 9 pessoas. Masculino Feminino 1o. Ramo 2o. Ramo 3o. Ramo 4o. Ramo 5o. Ramo 1o. Ramo 2o. Ramo 3o. Ramo 4o. Ramo 5o. Ramo Tabela 1 Quadro da amostra. Fonte: Rodrigues, Marcela; 2006.

21 Indicação das variáveis. A empresa pode ter passando por uma crise; Pode haver mais de 5 ramos de atividades para cada público; Para o chão de fábrica ou área operacional, a evolução tecnológica pode não ter impactado diretamente no quesito comunicação interna; O tempo de empresa do colaborador pode influenciar no resultado.

22 22 2. REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 COMUNICAÇÃO INTERNA Breve histórico da comunicação interna. Para entender um pouco da história da comunicação interna, é preciso analisar o contexto histórico do universo corporativo, pois ele passou e ainda passa por diversas mudanças no contexto político, econômico e social. A situação dentro das empresas, há alguns anos atrás, era muito conturbada no que se refere a direitos, os funcionários se deparavam com ausência de leis, uma carga horária de trabalho abusiva que chegava até a 14 horas diárias e abuso do trabalho infantil e feminino. Diante desses problemas gravíssimos a comunicação ficava em segundo plano, e os direitos trabalhistas obtinham critério de prioridade para operários e formadores de opinião dentro e fora das empresas. Para facilitar o entendimento de todo esse processo da evolução das empresas, segue um breve quadro cronológico do nascimento ao crescimento industrial no mundo, que abordará brevemente o aparecimento das leis, algumas mudanças e influências sócio-politicas que impactaram no contexto e agregaram mudanças que perduram até os dias atuais. Conseqüentemente após essas mudanças apontam-se novas necessidades para as empresas crescerem e ganharem a confiança dos clientes, tais necessidades incluem desde um atendimento diferencial aos clientes até uma relação difenciada entre empresas e seus colaboradores.

23 Revolução Industrial- A Inglaterra: um país industrial Invenção da máquina a vapor. Invenção do tear mecânico. O artesão foi transformado em operário, porém 1785 o produto e seu lucro pertencem ao capitalista. A burguesia industrial americana passou a investir na indústria, 1815 monopolizando determinados setores dessa atividade França e Bélgica iniciam a sua industrialização Manifesto comunista Napoleão em ação. Estados Alemães, Notye da italia, Rússia, EUA, Japão e a Holanda ampliam 1860 suas indústrias No Brasil já existem 636 fábricas com 54 mil trabalhadores. Papa Leão XIII, na encílica Resun novarum, prôpos por meio da igreja a aproximação entre patrões e operários, a participação destes nos lucros das empresas, um salário mínimo digno, a formação de sindicatos e a defesa de 1891 propriedades privadas. Rápido desenvolvimento industrial ligado ao acúmulo de capital vindo da 1900 lavoura do café Os anarquistas reuniram-se no I Congresso Operário a a. Guerra Mundial. 1o. Milhão de operários participaram de mais de 1500 greves na Rússia causadas pelas condições precárias e jornadas de trabalho de até quatorze 1916 horas e nenhuma legislação trabalhista. Treze mil fábricas, empregando 270 mil operários no Brasil. São Paulo, Rio 1920 de Janeiro, Recife e Porto Alegre ganhavam aspectos de metrópole. Lênin permitiu a liberdade de salários, baseada na livre negociação entre 1921 patrões e empregados e Criação do Fascismo na Itália Crack na Bolsa de Nova York. O setor industrial tornou-se a base da economia do país. Criação do Ministério do Trabalho da Indústria e Comércio e revolução contra o monopólio exclusivo dos grandes cafeicultores de Minas Gerais e São 1930 Paulo. O trabalho feminino foi regulamentado e instituída a jornada de oito horas 1932 por dia para todos os trabalhadores Foram criados os Institutos de Aposentadoria e Pensões. Golpe de Estado - Estado Novo e criação de 118 leis trabalhistas foram promulgadas pelo governo, visando regulamentar as relações entre patrões 1937 e empregados. Hitler após prover a industrialização alemã necessitava conseguir mercados consumidores e para conquistar seu espaço desconsidera o tratado de 1938 Versalhes e começa seu regime de terror. Criação do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda, que tinha como função: controlar todos os artigos publicados na imprensa, censurando 1939 aqueles considerados "prejudiciais" à ordem social a. Guerra Mundial A produtividade das industrias americanas subiram 75% após a guerra a 1946 A industria alemã foi desmontada em favor dos vencedores da 2a. Guerra Guerra do Vietnã Revolução Socialista na Cuba Criação do 13o. salário no Brasil Regime Militar no Brasil Censura a todos os meios de comunicação. Ano do "milagre econômico" e os computadores já são utilizado em 1970 indústrias Regime Militar na Argentina. Fim do regime militar e o povo brasileiro elege seu presidente pelo voto 1989 direto depois de 29 anos Criação do Mercosul. Tratado de Maastricht, assinado entre os doze países membros do Mercado Comum Europeu, onde todas as fronteiras entre os paises foram abolidas e por elas circulam livremente pessoas, mercadorias de consumo, 1993 equipamentos industriais e até dinheiro Implantação do Plano Real no Brasil União Europeia com uma moeda única: o euro. Quadro 1 Cronograma Histório Fonte: TEIXEIRA, 1995, ORDOÑEZ; QUEVEDO, 1998, ARRUDA, 1995, PEDRO, 1987, adaptado por Rodrigues, Marcela; 2006.

24 24 Quando se pensa nas organizações de uma forma geral, sabe-se que elas são constituídas de máquinas, processos, bens e serviços, porém surge uma dúvida, porque os especialistas atuais estão tão determinados em igualar organizações a pessoas? Em um primeiro momento quem responde pelos problemas e erros das empresas são as pessoas que ela abriga. Riesman diria que nossos problemas são os problemas das pessoas relacionamento interpessoal ao invés das condições materiais da vida e da maquinaria concreta das organizações (RIESMAN, p.63 apud PERROW, 1981, p. 30). Com a Revolução Industrial a comunicação entre empresa e sociedade começava a aparecer com o intuito simplismente de vender produtos e consolidar marcas no mercado, pois nessa fase a mercadoria era o único ponto para o consumidor, e a forma que ele foi fabricado e as condições de trabalho das pessoas que o produziam não interessavam ao cliente, conseqüentemente as empresas acreditavam na produção em massa, e tinham como único objetivo o lucro sem se preocupar com funcionários, comunidade e mesmo com o meio ambiente. Um exemplo muito observado dentro desse contexto foi o ambiente Taylorismo que aconteceu nos anos de 1920, onde as comunicações baseavam-se em dizer aos funcionários faça-se, ou pela falsa ideologia a nossa família-empresa, empregada por algumas companhias para tentar se aproximar dos colaboradores. No quadro é possível observar que esse período foi composto por diversos conflitos de trabalho, como greves e mobilizações por melhores condições de trabalho. Antigamente e esse antigamente nem é tão antigo assim as relações patrão / empregado baseavam-se no paternalismo. Todos consituíam uma grande família o que siginificava, normalmente, muita briga, muita fofoca, muito medo. Era a época do manda quem pode, obedece quem tem juízo e do estamos aqui para cuidar de você: não pense, deixe isso por nossa conta, apenas faça o seu trabalho, seja lá qual for [...] (KUNSCH, 2002, p. 183).

25 25 Identifica-se que a preocupação com os funcionários começa a aparecer com uma pesquisa do professor Elton Mayo de Harvard Business School, que levou os administradores a entender que as empresas podem elevar sua produtividade a partir da melhoria do ambiente de trabalho e se preocupando com seus funcionários. As pesquisas foram realizadas em Hawthorne da Western Eletric, uma central elétrica, de 1920 a 1930, e foi dividida em fases. Observou-se entre as conclusões que: O nível de produção é determinado pela integração social e não pela capacidade física dos operários; O comportamento do indivíduo se apoia totalmente no grupo (agem como parte do grupo); O comportamento dos trabalhadores está condicionado a normas e padrões sociais (agem de modo a obter recompensas sociais ou a não obter sanções sociais); A empresa passou a ser vista como um conjunto de grupos sociais informais, cuja estrutura nem sempre coincide com a organização formal; A existência de grupos sociais que se mantém em constante interação social dentro da empresa; O moral do trabalhador é influenciado pelo conteúdo e pela natureza do trabalho (MAYO, 2006). Entendendo que os colaboradores possuem necessidades especificas, Maslow foi outro importante contribuinte através da sua pirâmide das necessidades, pois através dessa teoria foi possível apontar para as empresas quais são pontos importantes que ajudam o colaborador atuar melhor dentro da sua função.

26 26 Figura 1 Pirâmide de Maslow Fonte: WIKIPEDIA, cinco níveis: Segundo a Teoria de Maslow, as necessidades humanas podem ser agrupadas em 1. Necessidades fisiológicas: São as necessidades básicas para sustentar a própria vida (água, comida, ar, sono, sexo, etc) (WIKIPEDIA, 2006). 2. Necessidades de segurança: São necessidades que as pessoas procuram fugir dos perigos, buscam por abrigo, medo da perda do emprego, segurança, proteção, estabilidade e a busca da religião (WIKIPEDIA, 2006). 3. Necessidades sociais: É a necessidade do ser humano em ser amado, querido por outros, de se sentir necessários a outras pessoas ou grupos de pessoas (WIKIPEDIA, 2006). 4. Necessidades de auto-estima: O ser humano busca ser competente, alcançar objetivos, obter aprovação e ganhar reconhecimento (WIKIPEDIA, 2006).

27 27 5. Necessidades de auto-realização: É a necessidade de maximixar o seu potencial, o ser humano busca a sua realização como pessoa (WIKIPEDIA, 2006). Observando as necessidades criadas por Maslow onde as pessoas querem se sentir seguras em seus empregos e se sentirem necessárias dentro do grupo que elas atuam levando essas necessidades para dentro das empresas, os funcionários deixam sempre claro que as companhias precisam atender a essas necessidades e a comunicação começa a tornar-se uma ferramenta fundamental para aproximar empresas e seus funcionários. É neste momento que temos a entrada e o forte desenvolvimento das publicações internas empresariais e das reuniões e treinamentos voltados para as questões de trabalho. No contexto das empresas norte-americanas, jornais e revistas internas surgem aos milhares (NASSAR, 2005, p.24). Baseadas nas teorias de Mayo e Maslow, surge em 1960 a Associação Brasileira do Editores de Revistas e Jornais de Empresas, hoje carrega o nome de ABERJE essa associação acredita que as ações da entidade estão centradas na informação, comunicação e relacionamento (ABERJE, 2006). Os primeiros casos de comunicação interna apareceram entre 1960 e 1970, quando algumas empresas implantaram ferramentas como house-organs ou jornais internos e criaram uma premiação aos seus funcionários como, por exemplo, Prêmio Operário Padrão. Em 1980 as empresas japonesas pós-guerra estavam crescendo e começam a valorizar o chão de fábrica, na realidade os japoneses trabalhavam com o conhecimento de mercado, captando informações para o seu ramo de atividade e trabalhando em aperfeiçoamentos, sendo assim, chegando mais próximo da necessidade do mercado.

28 28 No Brasil, a implatnação das práticas de administração japonesa se dá com intensidade no final dos anos 80 e por todos os anos 90. É o período denominado como reestruturação produtiva. Entre os desafios enfrentados pelas empresas, no Brasil, estavam as inovações de recursos humanos, as certificações de qualidade, o aprendizado e qualificação pra o trabalho, as inovações de produtos, processos e serviços, mercados que exigem a qualidade (BEKIN, 2004, p. 6). A lógica atual e futura é um número crescente de empresas que desejam construir um relacionamento efetivo com os consumidores e parceiro, e isso, vai depender em parte das forças e a forma de relacionamento construído entre a empresa e seus funcionários. Essa será uma forma de diferenciação competitiva para ganhar mercado. Satisfação das necessidades do homem social se não for realizada uma política de esclarecimentos, de respeito e de integração, os funcionários de uma instituição podem transformar-se em uma poderosa força negativa em relação à empresa. O problema de prestígio e simpatia da organização perante o público externo e misto, repousa, principalmente, na confiança que os empregados tenham na sua empresa. Forçar-se para analisar, compreender e satisfazer as necessidades do homem social é tão essencial ao equilíbrio e desenvolvimento do indivíduo, como para a harmonia, coesão e eficiência da instituição (ANDRADE, 1994, p. 64).

29 O público interno e sua importância para as empresas. Muitas empresas já sabem: os funcionários são seus primeiros clientes. Eles são peças fundamentais na engrenagem que vai levar a companhia ao sucesso ou ao fracasso. Por isso, fazer deles parte integrante de um grupo com os mesmos objetivos, valorizá-los, incentivá-los e municiá-los de informações estratégicas estão na linha [...] (MARKETING, 2006). Quando se pensa em público interno das empresas não é difícil se restringir apenas aos colaboradores efetivos que estão ligados diretamente ao processo de produção ou serviço para atender aos clientes. Segundo o Waldyr Fortes, público interno é o [...] agrupamento espontâneo, com ou sem continuidade física, perfeitamente identificável, originária das pessoas e dos grupos ligados à empresa por relações funcionais oficializadas ( FORTES, 2003, p. 72). No ponto de vista do Waldyr Fortes (2003, p. 72) o público interno está composto pelos: Funcionários efetivos; assessorias e consultorias; funcionários temporários; estagiários; trainees; bolsistas; funcionários aposentados; ex-empregados; familiares e dependentes; funcionários tercerizados. É importante citar que hoje em dia os funcionários tercerizados já estão agregados ao público interno das empresas, pois em algumas companhias eles respondem pela empresa, exemplificando essa realidade, um ramo muito comum são as empresas de call center que são os principais elos entre empresa e cliente, por isso é fundamental se preocupar com a comunicação diferenciada a esse público, é fundamental informar, mas de forma diferenciada dos funcionários efetivos.

Comunicação Interna e Externa

Comunicação Interna e Externa Comunicação Interna e Externa Comunicação A origem da palavra comunicar está no latim communicare, que significa pôr em comum. Ela implica em compreensão, pressupondo entendimento entre as partes e, não

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Análise do contexto da organização A Pirelli é a quinta maior empresa do mundo no mercado de

Leia mais

A pluralidade das relações públicas

A pluralidade das relações públicas A pluralidade das relações públicas Carolina Frazon Terra Introdução Sétima colocada no ranking "As profissões do futuro" segundo a Revista Exame de 13 de abril de 2004, as relações públicas se destacam

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra INTRODUÇÃO As organizações vivem em um ambiente em constante transformação que exige respostas rápidas e efetivas, respostas dadas em função das especificidades

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

1.1.1.2. clima organizacional: Para Luz (2003, p. 13) é a atmosfera psicológica que envolve, num dado momento, a relação entre a empresa e seus

1.1.1.2. clima organizacional: Para Luz (2003, p. 13) é a atmosfera psicológica que envolve, num dado momento, a relação entre a empresa e seus AULAS 11, 12 e 13 1. implantação do Mkt interno: implantar o marketing interno em uma empresa é fazer um ajuste na cultura, baseado no uso adequado da sistema de comunicação, alinhado à estratégia da empresa

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE 2 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - Missão 3 Construindo um Excelente Ambiente de Trabalho 4 1 2 3 4 O que

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

O que é Administração

O que é Administração O que é Administração Bem vindo ao curso de administração de empresas. Pretendemos mostrar a você no período que passaremos juntos, alguns conceitos aplicados à administração. Nossa matéria será puramente

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua.

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Identificação da empresa: Viação Santa Cruz S/A Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Data: Implantação em 2009 aos dias atuais Categoria: Adesão dos Colaboradores

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

HISTÓRIAREAL. Como o Rodrigo passou do estresse total para uma vida mais balanceada. Rodrigo Pinto. Microsoft

HISTÓRIAREAL. Como o Rodrigo passou do estresse total para uma vida mais balanceada. Rodrigo Pinto. Microsoft HISTÓRIAREAL Rodrigo Pinto Microsoft Como o Rodrigo passou do estresse total para uma vida mais balanceada Com a enorme quantidade de informação, o funcionário perde o controle do que é prioritário para

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Conflitos. Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli

Conflitos. Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli Conflitos Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli Conflitos, quem nunca passou por um momento de conflito? A palavra CONFLITO possui uma conotação negativa, sempre imaginamos

Leia mais

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio Capítulo 12 Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente Acadêmica: Talita Pires Inácio Empresa ABC Crescimento atribuído a aquisições de empresas de menor porte; Esforços de alianças estratégicas e joint-ventures

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Aula 3. Comunicação Organizacional

Aula 3. Comunicação Organizacional Aula 3 Comunicação Organizacional Comunicação Interna (Endomarketing) Profa. Ms. Daniela Cartoni Comunicação Organizacional Comunicação Externa Comunicação Organizacional Comunicação Interna Comunicação

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores Levar todas as informações decisivas da empresa, de forma rápida e simples; jornalmural divulgar aos colaboradores conceitos e informações funcionais e institucionais; reconhecer o trabalho das áreas e

Leia mais

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO.

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO. AGENDA Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing 5ª EDIÇÃO D 02 de Julho? Hotel Intercontinental São Paulo/SP Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Bronze Apoio Realização:

Leia mais

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Um ótimo serviço pode se tornar ruim se os funcionários não confiam em si mesmos. Uma endoentrevista sobre endomarketing. Troquemos de lugar! O título é, sem dúvida,

Leia mais

Você é comprometido?

Você é comprometido? Você é comprometido? Não, isso não é uma cantada. O que o seu chefe quer saber é se você veste a camisa da organização. Você adora seu trabalho e desempenha suas funções com eficiência, mas não aposta

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

O gerenciamento da Comunicação Organizacional

O gerenciamento da Comunicação Organizacional O gerenciamento da Comunicação Organizacional Hilbert Reis Comunicação Social Jornalismo UFOP Pesquisador PIP/UFOP Índice 1 Otimização da comunicação integrada 1 2 Estratégias, planejamentos e a gestão

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Dia 06 de novembro ocorreu o penúltimo treinamento

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Prof. Ms. Anchieta Silveira

Prof. Ms. Anchieta Silveira Prof. Ms. Anchieta Silveira Aula 1 O processo da comunicação Comunicação organizacional Ferramentas de comunicação interna Planejamento de Comunicação A empresa como um sistema Sistema conjunto de partes

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL Julia Ferreira de Moraes (EEL-USP) moraes.julia@hotmail.com Everton Azevedo Schirmer

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Oficina Gestão da Comunicação Interna segundo a NBR ISO 9001:08

Oficina Gestão da Comunicação Interna segundo a NBR ISO 9001:08 FORMAÇÃO DE RDs Oficina Gestão da Comunicação Interna segundo a NBR ISO 9001:08 www.standardconsultoria.com Tubarão, 28 de julho de 2010. FORMAÇÃO DE RDs CURSO DATA NUMERO DE EMPRESAS PARTICIPANTES NUMERO

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida.

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida. A Dehlicom Soluções em Comunicação é a agência de comunicação integrada que busca divulgar a importância da comunicação empresarial perante as empresas e todos os seus públicos, com atendimento personalizado

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012 Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil julho 2012 Metodologia e Perfil de Entrevistados Método Amostra por conveniência Questionário (quantitativo)

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Falando a mesma língua

Falando a mesma língua por Mauricio Duarte Falando a mesma língua Gestão de relacionamentos: A comunicação como ferramenta no mundo corporativo GETTY IMAGE 10 Relações humanas se dão por meio da comunicação. Em todas as esferas

Leia mais

A Área de Marketing no Brasil

A Área de Marketing no Brasil A Área de Marketing no Brasil Relatório consolidado das etapas qualitativa e quantitativa Job 701/08 Fevereiro/ 2009 Background e Objetivos A ABMN Associação Brasileira de Marketing & Negócios deseja

Leia mais

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13 COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO Versão 01-13 1 C Ó D I G O D E É T I C A Introdução A ÉTICA é o ideal de conduta humana, desenvolvido

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Novo Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e as empresas

Leia mais

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK.

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK. PMBOK NA GESTÃO DE RH EM STARTUPS AUTORES Elaine Cristhina Castela Oyamada Henrique Spyra Gubert Juliana da Costa e Silva Juliana Theodoro de Carvalho Leitão Ricardo Takeshita ORIENTADOR Fábio Judice CURSO

Leia mais

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas:

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas: Capítulo 16 - Os Stakeholders O termo foi originado na língua inglesa e hoje, foi completamente absorvido pela área da administração. Traduzido para o português como sendo parte interessada esse termo

Leia mais

O ABC da gestão do desempenho

O ABC da gestão do desempenho Por Peter Barth O ABC da gestão do desempenho Uma ferramenta útil e prática para aprimorar o desempenho de pessoas e organizações 32 T&D INTELIGÊNCIA CORPORATIVA ED. 170 / 2011 Peter Barth é psicólogo

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RESUMO

PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RESUMO PADRONIZAÇÃO DE ATENDIMENTO EM HOTEIS RODRIGUES, Luiz Antonio Junior Docente do curso de Turismo da Faculdade de Ciências Humanas FAHU/ACEG e-mail: Junior_fdi@terra.com.br RESUMO Este artigo visa demonstrar

Leia mais

Estudo ABERJE 2012 Comunicação Interna. Comunicação Interna

Estudo ABERJE 2012 Comunicação Interna. Comunicação Interna Estudo ABERJE 2012 JULHO DE 2012 20 2012 ABERJE Pesquisa 2012 Associação Brasileira de Comunicação Empresarial Concepção e planejamento: Prof. Dr. Paulo Nassar Coordenação: Carlos A. Ramello Desenvolvimento:

Leia mais

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Comunicar significa transmitir ideias, sentimentos ou experiências de uma pessoa para outra, tornar comum, participar, fazer saber, transmitir. ANDRADE (2008, p. 45) O resultado

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação Maria Rita Gramigna A gestão por competências é um programa executado através de blocos de intervenção, que se sucedem de forma simultânea ou passo-a-passo.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos - Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto

Gerenciamento de Projetos - Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto Gerenciamento de Projetos - Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto Caio Cardozo Eric Naves dos Reis Mateus Vilela Marcos Vinicius Bedo Rafael Stéfano 1. Introdução Essa monografia tem como objetivo

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais