AVALIAÇÃO DE VALOR DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA: CASO DO NÚCLEO DE GESTÃO EMPRESARIAL DO SENAI/SC- FLORIANÓPOLIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DE VALOR DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA: CASO DO NÚCLEO DE GESTÃO EMPRESARIAL DO SENAI/SC- FLORIANÓPOLIS"

Transcrição

1 ISSN AVALIAÇÃO DE VALOR DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA: CASO DO NÚCLEO DE GESTÃO EMPRESARIAL DO SENAI/SC- FLORIANÓPOLIS Rosane Deoclésia Aléssio Dal Toé (UFSC) Gilmara Aparecida Coura (SENAC) Maicon Lacerda (SENAI) Leonardo Costa (SENAI) Resumo O presente artigo aborda o tema análise de valor dos atributos oferecidos nos serviços de consultoria prestados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI/SC-Florianópolis através do núcleo de Gestão Empresarial. A finalidade é conhecer quais atributos são percebidos e valorizados pelos clientes de consultoria, e fazer um comparativo do que a instituição percebe como valor ofertado. Esta análise baseia-se na necessidade de conhecer melhor o mercado e identificar oportunidades que possam gerar novos caminhos para a instituição, o que é chamado de inovação de valor. Através de uma pesquisa exploratória, foram levantados dados que interpretam o que as empresas atendidas pelo núcleo de Gestão Empresarial esperam dos serviços de consultoria e o que eles valorizam nos mesmos. Simultaneamente os profissionais da linha de frente desses serviços responderam a um questionário, com a finalidade de apresentar ao final, um comparativo do que a instituição percebe como valor e o que o cliente recebe. Durante a pesquisa nota-se que o ponto mais distante entre essas duas vertentes está na negociação com o cliente no momento de elaborar a proposta de trabalho e apresentar a metodologia a estes clientes. A grande aproximação se deu na percepção de valor nos serviços de consultoria. Durante a análise desta pesquisa percebe-se que algumas atividades são mais valorizadas que outras por apresentarem um maior grau de importância para os clientes. Palavras-chaves: Valor. Clientes. Consultoria. Inovação.

2 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO TEMA E PROBLEMÁTICA Para aumentar o valor para os clientes, as empresas precisam trabalhar com o aumento dos benefícios e com a redução de custos. Esta fórmula permite que os clientes percebam o aumento de valor gerado nos serviços prestados. Desta maneira é muito importante que as organizações saibam exatamente os serviços que trazem o maior retorno para a empresa. Para se chegar a esta resposta é necessário que seja realizada uma análise dos atributos envolvidos na prestação de serviços. Entende-se que atributos de uma consultoria pode ser o conhecimento técnico do consultor, a metodologia de implantação de alguma ferramenta, o relacionamento interpessoal do consultor com os envolvidos da empresa, o envolvimento de membros da empresa no acompanhamento e entendimento das consultorias, o tempo despendido pelo consultor na empresa, entre outros. Como o SENAI trabalha com serviços que estão diretamente relacionados mais a percepção dos clientes e envolvimento dos mesmos na prestação de serviços, é muito importante que a instituição conheça o que as empresas atendidas esperam dos serviços de consultoria e o que elas percebem como valor nos atributos já ofertados. Através da avaliação de valor a instituição obtém algumas respostas em relação aos atributos oferecidos por ela e por seus concorrentes. Podendo analisar o setor de atuação e identificar oportunidades de crescimento. Conhecer o que os clientes valorizam nas consultorias realizadas pelo Núcleo de Gestão Empresarial ajudará o SENAI a se posicionar de maneira estratégica desenvolvendo serviços que podem se tornar grandes diferenciais na conquista do mercado de consultorias. Atualmente o SENAI não conhece claramente os atributos mais valorizados por seus clientes. Assim, chega-se ao seguinte questionamento: Quais atributos são valorizados pelos clientes nas consultorias prestadas pelo SENAI/SC Florianópolis? 1.1 OBJETIVO Objetivo Geral 10

3 Avaliar quais atributos são valorizados pelos clientes do SENAI/SC Florianópolis nas consultorias em Gestão Empresarial Objetivos específicos a) Identificar o que os consultores consideram como atributo de valor nas consultorias de Gestão Empresarial; b) Identificar o que os clientes consideram como atributo de valor nas consultorias de Gestão Empresarial; c) Comparar a percepção dos consultores com a dos clientes; d) Identificar as atividades que não agregam valor ao serviço. 2 REVISÃO TEÓRICA Toda empresa precisa conhecer muito bem que posição deseja alcançar no mercado e quais estratégias serão necessárias para que esta visão se concretize. Como as empresas buscam aumentar sua carteira de clientes e muitas vezes não despendem tempo para conhecer o que eles estão buscando no mercado, é imprescindível abordar o conceito de estratégias competitivas, que auxiliam no conhecimento do mercado e induzem a necessidade de se realizar uma análise de valor dos serviços oferecidos, a fim de completar o conhecimento do ambiente. 2.1 ESTRATÉGIAS A estratégia é a busca constante por um plano de ação que desenvolva e ajuste a vantagem competitiva de uma empresa ( Henderson,1989, p.5). Para a Fundação Nacional da Qualidade (2005, p. 23) estratégia é o caminho escolhido para posicionar a organização de forma competitiva e garantir sua sobrevivência em longo prazo. O foco estratégico permite que a empresa defina seu posicionamento e busque agir de acordo com suas diretrizes. Quando as empresas traçam sua visão de futuro e buscam através de estratégias bem elaboradas alcançarem os objetivos da organização, as chances de se manterem no mercado são cada vez maiores. 11

4 2.2 CLIENTES Conhecer muito bem os clientes é fator determinante para que a empresa consiga desenvolver produtos e serviços que atendam as reais necessidades de seu público. A Fundação Nacional da Qualidade (2007, p.47) define cliente como organização ou pessoa que recebe um produto podendo ser o consumidor, usuário-final, varejista, beneficiário ou comprador. Para Martinelli (2007, p. 16) a definição de cliente é exatamente isto: pessoa ou organização recebedora dos benefícios gerados pela empresa. As empresas só conseguirão criar valor para seus clientes se souberem quem são, e o que esperam de seus serviços. Desta maneira, torna-se necessário um contínuo acompanhamento do comportamento dos mesmos, a fim de se posicionar de maneira estratégica e eficaz na arte de conquistar seu público-alvo. 2.3 SERVIÇOS DE CONSULTORIAS De acordo com Lovelock e Wright (2001, p. 5), serviço é um ato ou desempenho que cria benefícios para clientes por meio de uma mudança desejada no ou em nome do destinatário do serviço. Serviços são atividades econômicas que criam valor e fornecem benefícios para clientes em tempos e lugares específicos, como decorrência da realização de uma mudança desejada no destinatário do serviço (LOVELOCK; WRIGHT, 2001, p. 05). Segundo Pereira (1999, p. 39) a palavra consultor vem do latim que significa dar ou receber conselhos, aconselhar e também ser aconselhado. Assim, os serviços de consultoria podem ser entendidos como uma orientação para empresas no auxílio para a tomada de decisão. Gaspar (2005, p.5) diz que existem dois tipos de consultorias: internas e externas. A externa caracteriza-se por ser temporária e exercida por profissionais específicos e autônomos ou membros de outras instituições especializadas na prestação de serviços. A consultoria interna é considerada mais recente e consiste na atuação de um empregado como consultor, exercendo atividades de orientação a gerentes, líderes e clientes internos. Considerar-se-á, a consultoria como uma atividade profissional específica, que comporta diferentes etapas e perpassa um complexo processo de mudanças organizacionais e pessoais (GASPAR, 2005, p. 6). 12

5 Guimarães (2005) diz que a consultoria pode ser vista de uma maneira simplista, sendo uma relação de ajuda. Na relação entre cliente/consultor é importante considerar os fatores emocionais que podem ser positivos ou negativos. A relação de consultoria é sustentada pelo profissionalismo, confiabilidade e parceria, considerados os três pilares do relacionamento entre o cliente e o consultor: Profissionalismo, Confiabilidade, e Parceria. 2.4 GERANDO VALOR PARA O CLIENTE Construir valor para o cliente é uma maneira de mantê-lo satisfeito e fiel ao relacionamento com a empresa. Segundo Niven (2005, p.96) os valores são princípios eternos que orientam uma organização. Segundo MARTINELLI (2007, p. 16) a organização tem que ter o cliente como foco, pois somente o cliente que tiver suas necessidades e expectativas atendidas, e perceber valor naquilo que a empresa tem a oferecer, permanecerá fiel à organização. Com base nesta definição inicia-se a estruturação do negócio e é por esse motivo que a empresa deve lembrar sempre que a organização começa e termina no cliente. Rust et al (2001, p. 62) dizem que compreender o cliente é mais que ouvi-lo. É muito importante que as empresas conheçam o que realmente é valorizado pelos clientes e baseadas neste conhecimento ofereçam serviços que segundo Kim e Mauborgne (2005) seriam definidos pela estratégia do oceano azul. Segundo esses mesmos autores (2005, p. 1) No coração de qualquer estratégia está à proposta de valor. Porém, ele precisa estar alinhado ao que o cliente percebe como valor. Para isto, antes da empresa definir a proposta de valor, precisa conhecer o que o cliente espera. Existem, na concepção de Rust ET AL (2001, p. 19) três definições para o valor do cliente: a) Valor do Valor: quando a escolha é influenciada por percepções de valor, geralmente por percepções de qualidade, preço e conveniência. Elas tendem a serem cognitivas, objetivas e racionais. b) Valor da Marca: Os clientes podem ter percepções de uma marca que não são explicadas pelos atributos objetivos da empresa. Essas percepções tendem a ser relativamente emocionais, subjetivas e irracionais. 13

6 c) Valor de Retenção: Para os que compram freqüentemente, programas de retenção e atividades de desenvolvimento de relações podem aumentar as probabilidades de a empresa continuar a ser escolhida. Kotler (1999, p. 75) diz que para desenvolver uma marca forte o desenvolvimento da proposta de valor e a construção de marca são fundamentais. Para o desenvolvimento da proposta de valor é necessário a escolha de um posicionamento amplo, específico e de valor para o produto, além de desenvolver a proposta total de valor. Olhar de perto as necessidades do cliente, pensar a fundo sobre o produto estas não são peças exóticas do aparato estratégico. Elas são como sempre foram à base do gerenciamento sólido. (OHMAE, 1988, p. 80). Rust et al (2001, p. 75) dizem que ao estudar os diferentes grupos de clientes descobre-se que existem basicamente quatro maneiras de se entender a palavra valor: a) Valor está relacionado ao preço baixo; Valor é aquilo que desejo em um produto; b) Valor está associado a qualidade recebida ao var pago; c) Valor é o que recebo por aquilo que abro mão. Considerando tempo e esforço. As percepções de valor são mais fundamentais que o próprio valor (RUST et al, 2001, p. 77). É muito importante que as empresas acompanhem o que seus concorrentes estão oferecendo, mas é mais importante ainda saber atender a uma expectativa de um cliente Análise de Valor Para que a empresa possa fazer uma avaliação se os serviços oferecidos estão sendo aceitos por seus clientes é necessário utilizar ferramentas capazes de apresentar uma resposta para as diversas dúvidas existentes no momento de gerar valor para os cientes. Para auxiliar nesta análise, existe uma ferramenta chamada análise de valor que consiste em uma técnica capaz de reduzir custos de produção de bens e serviços e aumentar o valor para o usuário. Csillag (1985) define o programa de análise de valor como uma seqüência de ações que induz a um melhoramento no desempenho da organização. Sua implantação significa adotar uma nova maneira de pensar, novo método de trabalho, técnicas de análise e de pesquisa. Adotar a análise de valor com suas etapas é o primeiro passo da política. Algumas técnicas específicas constituem o cerne do método. 14

7 Para que a empresa conheça os atributos considerados importantes por seus clientes ela precisa de ferramentas que auxiliem na busca dessas respostas. Uma delas é a matriz de avaliação de valor. Segundo Kim e Mauborgne (2005, p.25) a matriz de avaliação de valor é tanto um instrumento de diagnóstico como um modelo para desenvolvimento de uma estratégia consistente de oceano azul. Isso permite que a empresa compreenda em que os concorrentes estão investindo os atributos nos quais se baseia a competição em termos de produtos, serviços e entrega, e o que os compradores recebem como clientes de qualquer das ofertas competitivas no mercado. 2.5 INOVAÇÃO DE VALOR O conceito de inovação de valor ainda é novo, no entanto, é um assunto que aos poucos vem ganhando notoriedade. Com o surgimento de algumas ações de empresas que estão se destacando mundialmente, inicia-se um processo de descoberta de como fazer a inovação de valor. Kim e Mauborgne (2005) reforçam a idéia de que é necessário dar a mesma ênfase a inovação e valor. A inovação de valor ocorre apenas quando há o alinhamento de inovação com utilidade, preço e ganhos de custos. Se não houver a associação de inovação com valor dessa maneira, a empresa corre o risco de ter a idéia e outra empresa colocar em prática. Kim e Mauborgne (2005) afirmam que o primeiro princípio da estratégia do oceano azul é reconstruir as fronteiras do mercado para se libertar da concorrência. Outro instrumento analítico básico dos oceanos azuis é o modelo das quatro ações que de acordo com Kim e Mauborgne, dispõe-se de quatro perguntas-chave, que questionam a lógica estratégica e o modelo de negócios do setor: a) Que atributos considerados indispensáveis pelo setor devem ser eliminados? b) Que atributos devem ser reduzidos bem abaixo dos padrões setoriais? c) Que atributos devem ser elevados bem acima dos padrões setoriais? d) Que atributos nunca oferecidos pelo setor devem ser criados? Segundo Deschamps (2007, p.143) para que as ferramentas de inovação de valor possam ser aplicadas de forma correta, é necessário que sejam observados alguns princípios básicos. A finalidade desses princípios e minimizar os riscos relacionados à definição de novos negócios. Deschamps (2007) define cinco etapas para aplicação da ferramenta de inovação de valor: 15

8 a) Identificação dos atributos importantes para a empresa e seus concorrentes; b) Elaboração da curva de avaliação de valor atual para a indústria; c) Construção da matriz eliminar-reduzir-elevar-criar; d) Elaborar a nova curva de avaliação de valor para o setor, validando a estratégia concebida; e) Colocar a estratégia em prática. Atualmente as empresas estão investindo em novas ferramentas para se conquistar uma fatia maior de mercado. 3 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Para atingir o objetivo desta pesquisa se faz necessário adotar alguns procedimentos metodológicos para auxiliar na identificação e organização de idéias. Cavalett e Kaspareit (2007, p.80) dizem que a metodologia pode ser entendida como a descrição detalhada dos caminhos utilizados para alcançar os objetivos. Para atender ao propósito do trabalho, foi realizada uma pesquisa com os consultores, representando a visão de valor interpretada pela instituição e outra para os clientes com o objetivo de identificar o real valor dado aos atributos da consultoria. 3.1 DELINEAMENTO DA PESQUISA Foi realizada uma pesquisa qualitativa por buscar identificar os atributos de valor de um serviço e também quantitativa por representar alguns dados através da linguagem matemática como forma de tratamento. É exploratória por proporcionar maior familiaridade com o assunto. A coleta de dados se deu por um estudo de caso capaz de avaliar os atributos de valor dos serviços de consultoria em gestão. Nas pesquisas qualitativas, os dados são de natureza interpretativa e semântica, ou seja, nomeiam objetos reais ou abstratos de forma simbólica, através de atributos que lhes dão significado. (GONCALVES, 2004, p.59). Já nas pesquisas quantitativas, os dados são representados por métricas quantitativas, tendo como elemento de apoio central a linguagem matemática como forma de expressão. (GONÇALVES, 2004, p.59). 16

9 Martins (2002) define o estudo de caso como uma categoria de pesquisa que tem a finalidade de fazer uma análise mais aprofundada sobre o assunto. Pode ser exploratório o que é definido pela obtenção preliminar sobre o respectivo objeto de estudo. 3.2 DEFINIÇÃO DO UNIVERSO E AMOSTRA DA PESQUISA O SENAI atende aproximadamente 43 clientes prestando serviços de consultorias. Para a execução dos trabalhos conta com 17 consultores que atuam em diversas áreas. No entanto, 13 consultores participaram desta pesquisa. É considerado cliente do SENAI, empresas que foram atendidas com serviços de consultoria de janeiro de 2007 até outubro de 2008 e consultor o profissional que atende serviços de consultoria ou assessoria no SENAI/SC-Florianópolis. Tabela 1: Universo e amostra da pesquisa UNIVERSO E AMOSTRA DA PESQUISA Fonte Universo Amostra Consultores Clientes Fonte: Dados do SENAI/Florianópolis. Foi realizada pesquisa através de questionários com os 13 consultores para analisar a visão que os profissionais da área têm em relação aos serviços prestados, já com os clientes do SENAI/SC-Florianópolis foram analisados 14 questionários para identificar quais atributos dentre os oferecidos pela instituição são valorizados e quais eles identificam como importantes e não são oferecidos. Foi realizada uma amostragem não probabilística por acessibilidade. 3.3 TÉCNICA E INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS Foram enviados 43 questionários por para clientes dos serviços de consultoria do SENAI, direcionados para as pessoas responsáveis em cada empresa pelo acompanhamento das consultorias. Obteve-se desse total 33% de retorno dessas empresas. Como foram obtidas respostas de clientes estratégicos e muitas das respostas atenderam à proposta do trabalho, foi considerado este número de respostas sem prejudicar a análise geral 17

10 do trabalho. Destas empresas somente 2 não estão localizadas em Santa Catarina, todas as demais tem sua matriz no estado. Também foram enviados 17 questionários para os consultores que trabalham no núcleo de Gestão Empresarial do SENAI/SC-Florianópolis e obteve-se 13 questionários respondidos. Os questionários foram instrumentos de coleta de dados que objetivavam atender os seguintes objetivos específicos: Tabela 02: Descrição técnica e instrumento de coleta de dados Objetivos Específicos Fonte Instrumentos a) Identificar o que os consultores consideram como atributo Consultores Questionário de valor nas consultorias em Gestão Empresarial; b) Identificar o que os clientes consideram como atributo de Clientes Questionário valor nas consultorias em Gestão Empresarial; c) Comparar a percepção dos consultores com a dos clientes; Consultores e clientes Questionários d) Identificar as atividades que não agregam valor ao serviço; Clientes atendidos Questionário e) Sugerir procedimentos para uma maior aproximação da Clientes atendidos e Questionários percepção de valor da instituição em relação a visão dos clientes. consultores Fonte: Dados da Pesquisa. 4 DESCRIÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS 4. 1 Questionário Consultores O SENAI dispõe de consultores que atuam com serviços de consultoria no núcleo de gestão empresarial. Estes consultores possuem diferentes formações. A maioria desses consultores tem especialização, mestrado ou doutorado e já atuam a mais de 3 anos como consultores do SENAI. Abaixo segue relação de escolaridade dos consultores que responderam o questionário. Tabela 03: Escolaridade dos consultores Escolaridade Total Doutores 1 Mestres 2 Especialistas 9 Graduados 1 Total 13 Fonte: Banco de competências SENAI/SC-Florianópolis 18

11 O núcleo trabalha com serviços de educação e consultoria, sendo referência em todo estado como o maior núcleo de consultores do SENAI de Santa Catarina. As consultorias são prestadas em todo país. Como toda prestação de serviços de consultoria se inicia com o primeiro contato com a instituição, foi questionado aos consultores quais atributos eram mais valorizados na hora de contratar uma empresa prestadora desses serviços. Para responder a esta questão os consultores enumeraram por ordem de importância os atributos mais valorizados, sendo o 1 o mais importante e o 8 o menos importante. Para o valor final, foi atribuído peso inverso para cada resposta e feita a soma das mesmas Clareza nas informações recebidas 61 Tempo para envio da proposta de trabalho 46 Contato pessoal com a equipe envolvida 41 Acompanhamento da proposta enviada 67 Flexibilidade em alterar a proposta 64 Participação do cliente no desenvolvimento da metodologia 76 Conhecer a experiência da instituição 52 Valor cobrado pelos serviços Figura 1: Atributos mais valorizados na contratação de serviços de consultoria na visão consultores O atributo mais valorizado de acordo com as respostas dos consultores é conhecer a experiência do SENAI/SC-Florianópolis nos serviços solicitados, com 76 pontos. Em segundo lugar vem a flexibilidade em alterar a proposta, com 67 pontos e em seguida a participação do cliente no desenvolvimento da metodologia sugerida para a realização da consultoria, com 64 pontos. A flexibilidade no atendimento de consultoria, a capilaridade também foram citados como diferenciais e estão apresentados na figura abaixo: Figura 2: Diferenciais citados pelos consultores Fonte: Tabela 5 19

12 Questionou-se aos consultores quais empresas lhe vinham à mente quando se falava em consultoria empresarial. As empresas citadas estão descritas abaixo e delas pode-se analisar alguns concorrentes citados na pesquisa e que possivelmente foram utilizados como referenciais para o comparativo anterior. 19% 12% 7% 7% 7% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% Senai Fundação Dom Cabral FGV SOCIESC Food Design Quality Progress Certificadoras Qualitas Exo Consultoria Maestria Promom Symnetcs Artur Andersen KPMG Monitor Group Bain FIA - USP Figura 3: Empresas de Consultoria na mente dos consultores Fonte: Dados da Pesquisa. O SENAI foi à organização mais citada, seguida pela Fundação Dom Cabral, Fundação Getúlio Vargas FGV, SOCIESC e Food Design. Vale ressaltar que essa lembrança é dos consultores e pode ser útil como entrada para análise de concorrentes. Outro questionamento que objetiva identificar a percepção dos consultores em relação à satisfação dos clientes foi realizada e o resultado segue abaixo: 54% 46% Satisfeito Muito satisfeito Figura 4: Grau de satisfação dos clientes na percepção dos consultores. 20

13 De acordo com a resposta dos consultores, eles acreditam que mais da metade dos clientes estão satisfeitos com os serviços prestados e os demais se encontram na zona de muito satisfeitos. Para avaliar a satisfação dos clientes, os consultores levaram em consideração os serviços de consultoria prestados. Este serviço também foi avaliado e está representado no gráfico abaixo. Figura 5: Atributos mais valorizados nos serviços de consultoria na visão dos consultores Foi perguntado aos consultores o motivo pelo qual as empresas buscam os serviços de consultoria, a maioria acredita que a busca por serviços de consultoria se deve pela necessidade de implantar ou manter um sistema de gestão capaz de trazer melhorias significativas à empresa. 43% 33% 19% 5% Para implantar ou manter um sistema de gestão capaz de trazer melhorias significativas à empresa. Necessidade de buscar uma certificação para atender exigências externas (Governo, financiamento, exportação, clientes...). Para buscar uma certificação e melhorar seu posicionamento de marketing. Outros Figura 6: Busca por serviços de consultoria, segundo percepção consultores. 21

14 Em muitos casos, essa resposta pode justificar a percepção de comprometimento do cliente com o SENAI. Para empresas que fazem a implantação de algum sistema de gestão por exigências externas, muitas vezes não há o mesmo comprometimento na execução das atividades, o que geralmente influencia no bom desempenho dos serviços prestados. Com a finalidade de avaliar os serviços de apoio oferecidos pelo SENAI, foi solicitado aos consultores que dessem uma nota de 1 a 5, sendo o 1 o totalmente insatisfeito e 5 totalmente satisfeito para os serviços descritos no gráfico abaixo. 83% 83% 79% 67% 67% 65% Atendimento pessoal do SENAI Capacidade dos funcionários do SENAI de resolver problemas Capacidade dos funcionários do SENAI em fornecer as informações solicitadas Disponibilidade para atendimento/visita na empresa Retorno quanto às informações solicitadas Atendimento telefônico do SENAI Figura 7: Atendimento SENAI, segundo percepção consultores. Neste gráfico percebe-se que quase todos os atributos são bem avaliados, sendo os melhores, na concepção dos consultores, a capacidade dos funcionários em resolver problemas e o atendimento prestado pelo pessoal do Senai. A próxima avaliação foi em relação aos serviços de consultoria. 83% 81% 79% 71% 65% 60% 58% Diversidade de serviços de consultoria oferecidos pelo SENAI Nível de aprofundamento das consultorias Formas de pagamento oferecidas pelo SENAI para os serviços de consultoria Atualização dos serviços de consultoria Cumprimento dos prazos Preços dos serviços de consultoria Acompanhamento junto à empresa, após a prestação do serviço de consultoria Figura 8: Serviços de consultoria, segundo percepção consultores. 22

15 Nesta avaliação ficou claro que a diversidade de serviços de consultoria oferecidos pelo SENAI é o atributo melhor avaliado. Seguido pelo nível de aprofundamento das consultorias e pelas formas de pagamento. Analisando a intenção de uso dos clientes, na visão dos consultores, a maioria acredita que os clientes indicariam o SENAI para outra empresa e que eles pretendem continuar utilizando os serviços oferecidos pelo Senai. 75% 71% 58% 23% Os clientes, sem dúvida, indicariam o SENAI para outras empresas. Os clientes pretendem continuar utilizando os serviços oferecidos pelo SENAI Os atuais clientes Atualmente, os clientes provavelmente consideram o apenas utilizam os serviços SENAI como primeira opção oferecidos pelo SENAI na oferta de serviços de porque não existe outra consultoria. opção no mercado. Figura 09: Intenção de Uso, segundo percepção consultores. Fonte: Dados da pesquisa, Na visão dos consultores, segundo pergunta aberta e espontânea, um bom profissional da área de consultoria é a uma pessoa competente e que possui habilidades para buscar a melhor alternativa ou idéia para seu cliente. Geralmente estas idéias estão na própria empresa, porém escondidas e por isso cabe ao consultor estimular o surgimento dessas competências. O profissional desta área precisa saber trabalhar em equipe, liderar atividades e pessoas. Entender a demanda do cliente e propor soluções viáveis que agregam valor para o negócio. Para o bom desempenho dos serviços é necessário conquistar a confiança do cliente, estar sempre atualizado, comunicar-se bem, saber ouvir e identificar o que muitas vezes não está claro Questionário Clientes Dentre as empresas que responderam o questionário, 93% fazem parte do denominado pelo SENAI por NGI de Gestão, ou seja, negócio de grande impacto em gestão 23

16 empresarial e por isso, merecem uma maior atenção na análise dos dados. Os serviços estão representados no gráfico abaixo: 33% 20% 13% 7% 7% 7% 7% 7% NBR ISO 9001 PBQPH Modelo de excelência de Gestão Sistema APPCC OHSAS NBR ISO Boas Praticas de Fabricação NBR ISO Figura 10: Serviços prestados para os clientes entrevistados Como todo processo de contratação inicia com a busca e análise das empresas que oferecem o serviço desejado, foi questionado aos clientes, quais atributos são valorizados por eles no momento que estão procurando os serviços de consultoria. O acompanhamento da proposta enviada e o valor cobrado também não ficaram entre os mais valorizados. Os atributos de clareza nas informações prestadas, conhecimento da experiência da instituição e flexibilidade em alterar a proposta para atender as necessidades dos clientes, são respectivamente, os atributos mais valorizados. O cálculo final do valor foi elaborado através da soma de todas as respostas, considerando peso inverso. 1 NBR ISO 9001: Requisitos de Sistemas de Gestão da Qualidade PBQP-H: Programa Brasileiro de Qualidade e produtividade habitacional APPCC: Análise de Planos e Pontos Críticos de Controle OHSAS 18001: Sistema de Gestão para Segurança e Saúde Ocupacional NBR ISO 17025: Gestão da qualidade para competência técnica de laboratórios de ensaios e calibrações NBR ISO 22000: Sistema de Gestão da Segurança de Alimentos 24

17 Clareza nas informações recebidas Tempo para envio da proposta de trabalho Contato pessoal com a equipe envolvida 51 Acompanhamento da proposta enviada 68 Flexibilidade em alterar a proposta 45 Participação da empresa no desenvolvimento da metodologia 72 Conhecer a experiência da instituição nos serviços solicitados 56 Valor cobrado pelos serviços Figura 11: Atributos valorizados na contratação da consultoria segundo os clientes do SENAI Os clientes ainda citaram alguns outros atributos que não foram mencionados na questão, mas que são considerados importantes no momento de contratar os serviços de consultoria. A seguir será apresentada a lembrança de empresas de consultoria na mente dos clientes do SENAI. Esta análise pode direcionar a análises referentes à fidelidade dos clientes. 37% 11% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% 4% SENAI FGV FENIX BUSINESS IEL-ES IEL-GO Instituto MVC Fundação Dom Cabral Conexão Gestão Consultoria Gauss Consultoria KPMG 3Gen Key Consultoria EPS/UFSC SEBRAE Figura12: Empresas de consultoria na mente dos clientes Percebe-se pelo resultado que 37% das empresas têm o SENAI como referência em serviços de consultoria, no entanto é importante considerar a citação de outros concorrentes, a Fundação Getúlio Vargas mantém o segundo lugar. Considerando a empresa já contratada, os clientes também avaliaram os atributos valorizados durante a prestação de serviços de consultoria. 25

18 Experiência do consultor nos serviços solicitados Relacionamento interpessoal Facilidade de falar com o consultor quando ele não está na empresa. Capacidade do consultor em transmitir conhecimento. Capacidade do consultor em orientar a empresa na tomada de decisão. Percepção de Melhorias nos processos da empresa logo no início das atividades. Metodologia que mescle treinamento com consultoria Figura 13: Atributos mais valorizados nos serviços de consultoria na percepção dos clientes Alguns clientes também citaram as informações além do serviço que está sendo prestado e o comprometimento do consultor, como valores a mais para as consultorias. Entre os motivos que levaram essas empresas a contratar os serviços do SENAI, 59% buscam a implantação ou manutenção de um sistema de gestão capaz de trazer melhorias significativas a empresa. 59% 29% 12% Para implantar ou manter um sistema de gestão capaz de trazer melhorias significativas à empresa. Necessidade de buscar uma certificação para atender exigências externas (Governo, financiamento, exportação, clientes) Para buscar uma certificação e melhorar seu posicionamento de marketing. Figura 14: Busca por serviços de consultoria na percepção dos clientes. 73% das empresas que responderam o questionário definem um bom consultor como aquele profissional que orienta a empresa a realizar as atividades do sistema de gestão e somente 7% espera que o consultor execute essas atividades. 26

19 73% 20% 7% Orientação para realizar as atividades pertinentes ao sistema de gestão. Treinamento dos funcionários da sua empresa para que eles sejam os responsáveis pela eficácia das consultorias. Execução das atividades necessárias para o sucesso da implantação. Figura 15: O que o cliente espera de um bom consultor Fonte: Dados da pesquisa, Em relação à permanência do consultor na empresa a maioria dos clientes acha que o consultor precisa freqüentar poucas vezes a empresa depois da implantação de um sistema de gestão. 44% 37% 13% 6% 0% Algumas poucas vezes no ano, depois de implantado o sistema de gestão. Fazendo um acompanhamento permanente, visando a manutenção do sistema de gestão Somente no momento decisivo da implantação do sistema de gestão. Outros No mínimo 1 vez por mês, depois de ter implantado o sistema de gestão. Figura 16: Permanência do consultor na empresa, segundo os clientes do SENAI. Fonte: Dados da pesquisa Ao avaliar alguns serviços de apoio, os clientes identificaram o Atendimento do pessoal do SENAI como o melhor atributo dos avaliados. O atendimento telefônico também merece destaque. O item retorno quanto às informações solicitadas foi um dos itens apresentados, o de menor índice, no entanto ainda mantém uma boa média. 27

20 89% 88% 86% 84% 84% 82% Atendimento pessoal do SENAI Atendimento telefônico do SENAI Capacidade dos funcionários do SENAI em fornecer as informações solicitadas Disponibilidade para atendimento/visita na empresa Capacidade dos funcionários do SENAI de resolver problemas Retorno quanto às informações solicitadas Figura 17: Atendimento SENAI percebido pelos clientes Os serviços de consultoria também foram avaliados e dentre os atributos apresentados a forma de pagamento é o melhor avaliado. O cumprimento dos prazos, diversidade e atualização dos serviços de consultoria vem na seqüência. Um item que ficou abaixo da média e merece uma maior atenção é o acompanhamento junto à empresa após prestação de serviços, o pós-venda. Este atributo merece uma melhor análise, por já ter sido avaliado como menor índice também pelos consultores. Considerando que a pós-venda pode ser uma importante ferramenta para fidelização de clientes, é necessário que o SENAI dê uma maior atenção a este atributo. 86% 82% 82% 82% 79% 79% 75% Formas de pagamento Atualização dos serviços de consultoria Diversidade de serviços de consultoria Cumprimento dos prazos Nível de aprofundamento das consultorias Preços dos serviços de consultoria Acompanhamento junto à empresa, após a prestação do serviço Figura 18: Serviços de Consultoria percebidos pelos clientes. 5 CONCLUSÕES Diante de um mercado cada vez mais dinâmico e criativo, torna-se mais difícil para as empresas adotarem estratégias eficazes que as destacam das demais. Como o foco 28

Aspectos Gerais sobre Proposta de valor; Estratégias genéricas e Estratégia do Oceano Azul:

Aspectos Gerais sobre Proposta de valor; Estratégias genéricas e Estratégia do Oceano Azul: Aspectos Gerais sobre Proposta de valor; Estratégias genéricas e Estratégia do Oceano Azul: Gustavo Buoro e David Kallás Proposta de Valor De forma muito simples, a definição de proposta de valor é o que

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE 1 MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Cristina Diamante Elizabeth Maria Lazzarotto Lorena Moraes Goetem Gemelli 1 INTRODUÇÃO: Na maioria das organizações de saúde, os profissionais

Leia mais

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz Marcelo Rabelo Henrique marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Unicastelo José Abel

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO 1 GOLVEIA, Francielli José Primo. 2 DA ROSA, MsC. Wanderlan Barreto. RESUMO Nesta pesquisa, será abordada a importância

Leia mais

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS. 5.1 Conclusão

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS. 5.1 Conclusão 97 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS 5.1 Conclusão Este estudo teve como objetivo final elaborar um modelo que explique a fidelidade de empresas aos seus fornecedores de serviços de consultoria em informática. A

Leia mais

QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS

QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS 1 QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS ADEMIR HENRIQUE Discente do Curso de Administração das

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica

Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica Leonardo Pinheiro Morel (FEG-UNESP) pro04096@feg.unesp.br Prof. Dr. Ubirajara Rocha Ferreira (FEG-UNESP) ferreiur@feg.unesp.br

Leia mais

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04 ESTUDO DE CASO A construção do BSC na ESPM do Rio de Janeiro Alexandre Mathias Diretor da ESPM do Rio de Janeiro INDICE Introdução 02 A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03 A Definição do Negócio 03 Imagem

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

A QUALIDADE PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS NOS CAMPOS GERAIS NA VISÃO DAS EMPRESAS

A QUALIDADE PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS NOS CAMPOS GERAIS NA VISÃO DAS EMPRESAS A QUALIDADE PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS NOS CAMPOS GERAIS NA VISÃO DAS EMPRESAS Alexandre Milkiewicz Sanches (UTFPR) riversonic@ibestvip.com.br Profª. Dra. Isaura Alberton de Lima (UTFPR)

Leia mais

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR

GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR GESTÃO DO CONHECIMENTO: PRÁTICAS QUE CRIAM VALOR Área: ADMINISTRAÇÃO Categoria: EXTENSÃO Francielle Cwikla Fundação Getulio Vargas, Rua Canafistula 96 Vila B, francwikla@gmail.com Resumo A gestão do conhecimento

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA

20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA 20 DICAS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA DE CONSULTORIA Para implantar um Sistema de Gestão (Gestão por Processos, ISO 9001, SA 8000, OHSAS 18000 ou outras), muitas empresas têm recorrido aos serviços de Consultorias,

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 COMPETITIVIDADE SOB A ÓTICA DAS CINCO FORÇAS DE PORTER: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA OXIFOR OXIGÊNIO FORMIGA LTDA JUSSARA MARIA SILVA RODRIGUES OLIVEIRA 1, LÍVIA COUTO CAMBRAIA 2 RESUMO: Neste trabalho,

Leia mais

NOSSA HISTÓRIA. Tem como propósito contribuir na melhoria da competitividade e sustentabilidade das organizações.

NOSSA HISTÓRIA. Tem como propósito contribuir na melhoria da competitividade e sustentabilidade das organizações. INSTITUCIONAL NOSSA HISTÓRIA Desde 1988, ano de sua fundação, a Qualtec desenvolve as melhores soluções para seus clientes na implantação, auditoria e treinamentos de sistema de gestão e estratégia corporativa

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

I. Balanced Scorecard - BSC

I. Balanced Scorecard - BSC MBA em Controladoria e Gestão Financeira (Aula 3) Prof. Marcio Rodrigues Sanches marcio@mrsconsult.com.br I. Balanced Scorecard - BSC O que é o BSC? O Balanced Scorecard é uma ferramenta gerencial que

Leia mais

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização S QUE VOCÊ ENCONTRA NO INAED Como instituição que se posiciona em seu mercado de atuação na condição de provedora de soluções em gestão empresarial, o INAED disponibiliza para o mercado cursos abertos,

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

Uma situação típica...

Uma situação típica... Uma situação típica... A Empresa X é do setor têxtil Tamanho - Micro-Pequena (9 Operários) Produção Diversificada (aproximadamente 800 itens) Cartela de cores com aproximadamente 100 cores variáveis Pedido

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

Fashion Marketing & Communication

Fashion Marketing & Communication Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG Wemerton Luis EVANGELISTA()*; Franciele Ribeiro DA COSTA (2). () Professor do Curso Superior de Tecnologia em Administração: Pequenas e

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JOÃO AQUILINO SCHMITT JUNIOR AUDITORIA INTERNA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM INDÚSTRIAS: DESAFIOS BÁSICOS NOVEMBRO 2014 CURITIBA PARANÁ JOÃO AQUILINO SCHMITT JUNIOR

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo:

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo: Janela do Cliente-Aluno nos Cursos de Pós-Graduação Susana Taulé Piñol * Resumo Entender para atender o consumidor é a base para qualquer estratégia de marketing. Este artigo utiliza a ferramenta Janela

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Claudineia Lima de MOURA¹ RGM 081712 claudineia_18@yahoo.com.br Dayane Cristina da SILVA¹ RGM 080225 day_4791@hotmail.com

Leia mais

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento.

Julho/2014 a Março/2015. Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Julho/2014 a Março/2015 Catálogo de Treinamentos. Treinamentos BSI. Transformando nossa experiência em seu conhecimento. Conteúdo. Por que realizar nossos treinamentos? 4 Nossa abordagem 4 Nossos instrutores

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA Hewerton Luis P. Santiago 1 Matheus Rabelo Costa 2 RESUMO Com o constante avanço tecnológico que vem ocorrendo nessa

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Referências Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Alinhamento Estratégico TI e Negócios Professor: Fernando Zaidan 1 JAMIL, George Leal. Tecnologia e Sistemas de Informação.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO Autora: LUCIANA DE BARROS ARAÚJO 1 Professor Orientador: LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA 2 RESUMO O mercado atual está cada vez mais exigente com

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador.

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Marcelo Bruno de Araújo Lacerda O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Artigo científico apresentado para conclusão do curso

Leia mais

O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias *

O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias * O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias * Arminda Eugenia Marques Campos ** Luís Henrique Abegão *** Maurício César Delamaro **** Numa época em que os recursos públicos destinados

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH A importância de se implantar programas para aperfeiçoamento de gestores Ana Clara Jorge Carolina Marques de Rezende Isabela Amantéa M. Lima Marcelle

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: PROPOSTA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA CORRETORA DE SEGUROS DE CASCAVEL. Área: ADMINISTRAÇÃO

MARKETING DE RELACIONAMENTO: PROPOSTA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA CORRETORA DE SEGUROS DE CASCAVEL. Área: ADMINISTRAÇÃO MARKETING DE RELACIONAMENTO: PROPOSTA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA CORRETORA DE SEGUROS DE CASCAVEL Área: ADMINISTRAÇÃO Vania Silva de Souza Bilert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Leia mais

Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV)

Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV) Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV) De um modo geral, o mercado segurador brasileiro tem oferecido novas possibilidades de negócios mas,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE. Jackson

AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE. Jackson AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE 1 Jackson Auditoria É um conjunto de técnicas que devem ser aplicadas, para permitir ao auditor emitir uma opinião sobre a razoabilidade das demonstrações contábeis

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS 6.02.00.00-6 ADMINISTRAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DAS DISCIPLINAS DE CONTABILIDADE NA FORMAÇÃO DO GRADUANDO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ADONILTON ALMEIDA DE SOUZA Curso

Leia mais

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO 1 O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO CURITIBA PR MAIO DE 2014 Margarete Teresinha Fabbris de Oliveira Santos Faculdade de Administração, Educação,

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

Jose Luciano Virginio da Silva (FAVIP) IVANCIL TIBÚRCIO CAVALCANTI (UFRPE)

Jose Luciano Virginio da Silva (FAVIP) IVANCIL TIBÚRCIO CAVALCANTI (UFRPE) ISSN 1984-9354 OTIMIZAÇÃO DE RESULTADOS MEDIANTE USO CONSULTORIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO SOBRE A NECESSIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UMA EMPRESA DE ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS ENERGÉTICOS NA CIDADE DE

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCAEDHMT01-P A IMPORTÂNCIA EPISTEMOLÓGICA DA METODOLOGIA DE PESQUISA NAS CIÊNCIAS SOCIAIS Ozilma Freire dos Santos (1) Deyve Redyson (3). Centro de Ciências Aplicadas e Educação/Departamento de Hotelaria/MONITORIA

Leia mais

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório

Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Como implementar a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 em um laboratório Para obter a acreditação o laboratório deve implementar um sistema de gestão da qualidade com especial atenção para os aspectos da

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1 2 Seminário de Engenharia Química Silvia Binda 1 Inter-relação entre o conceito de qualidade, gestão da qualidade e elementos que a compõem QUALIDADE Gestão da Qualidade Habilidade de um conjunto de características

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

Clima organizacional e o desempenho das empresas

Clima organizacional e o desempenho das empresas Clima organizacional e o desempenho das empresas Juliana Sevilha Gonçalves de Oliveira (UNIP/FÊNIX/UNESP) - jsgo74@uol.com.br Mauro Campello (MC Serviços e Treinamento) - mcampello@yahoo.com Resumo Com

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica CARLOS CAIXETA Vendas e Gestão Estratégica PERFIL Carlos Caixeta é um palestrante de destaque nacional por convergir conceito e prática em estratégias empresariais, vendas, performance e negociação. Essa

Leia mais

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO Aliny Francielly de Oliveira Formada em Administração, atuante nos segmentos comércio varejista

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Liderança e Desenvolvimento de Pessoas proporciona ao participante o conhecimento sobre liderança, motivação

Leia mais

O que é Balanced Scorecard?

O que é Balanced Scorecard? O que é Balanced Scorecard? A evolução do BSC de um sistema de indicadores para um modelo de gestão estratégica Fábio Fontanela Moreira Luiz Gustavo M. Sedrani Roberto de Campos Lima O que é Balanced Scorecard?

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO? É a qualidade com que o fluxo de bens e serviços

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA EM NÍVEL MÉDIO

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais