QUÉRCIA ASSINA NOVAS OBRAS PARA A REGIÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUÉRCIA ASSINA NOVAS OBRAS PARA A REGIÃO"

Transcrição

1 1 w w ã V/me v m Bvre em sue defeso Sérgio Heury Moraes CIRCULAÇÃO SEMANAL ANO 11 - N REDAÇÃO E OFICINA: RUA ANTONIO MAR OEGAN, CX POSTAL 34 - FONE (0143) SANTA CRUZ DO RIO PARDO, 29 DE OUTUBRO DE 1987 QUÉRCIA ASSINA NOVAS OBRAS PARA A REGIÃO A nova escola vai levar dezenas de crianças taveiadas ao pré-primáno Prefeitura anuncia escola na Vila Divinéia O prefeito Onofre R osa de Oliveira anunciou na sem ana p assad a a construção de uma nova escola em Santa Cruz do Rio Pardo, desta vez beneficiando os moradores da Vila Divméia, mais conhecida como "favela do Esqueleto" Segundo o engenheiro Antomo Carlos dos Santos, responsável pelo departamento de engenharia da prefeitura municipal, o novo e sta belecimento será voltado exclusivamente para o pré-primário, sendo que a autonzação para a obra já foi a ssinada pelo chefe do executivo na s e mana passada, com um prazo de conclu são estipulado em 5 m o se s. C om o a prefeitura e stá e x ecutando um projeto para o desfavelam ento da favela do E squeleto, há planos futuros p ara a con.struçào de um a outra e sc o la no bairro d a E stação, p a ra onde irá a m aioria d a s famílias faveladas N e ste c a s o, a escola da Vila Divinéia d e v erá suprir a carência e s colar d o s bairros d e S ã o Jo sé, Madre C arm em e a d ja cê n c ia s. "O objetivo é colocar um a e sc o la perto de c a d a aluno", ressalto u o engenheiro Antonio C arlos dos S anto s - PÁGINA 6 - Aos 44 anos, morre Wilson Carlomagno M o rreu em S a n la C ru /., n o ú l tim o d ia 22, aos 44 an o s de id ad e, o e sc rito r W ilson C a rlo m a g n o, q u e a tu a lm e n te o cupav a o c arg o de a s sessor de im p re n sa d a p re fe itu ra m u n ic ip a l, além de d ire to r d o se m a n á rio local S a n ta C ru z N o tícia s *. C o n h ecid o nos m eios lite rá rio s com o C a rlo s M agno, W ilson e ra c o n sid e ra d o com o um dos p rin c ip a is incentiv adores d a h istó ria em q u a d rin h o s n a cio n al, e no início da d é cad a de 70 foi um dos a rtífic e s da re v ista G a ro ta s & P ia d a s, a P la y b o y de q u ase 15 anos atrá s. F ilh o de D o n ato C a rlo m a g n o e de d o n a H e n riq u e tta L o re n z e tti C a rlo m a g n o, W ilson nasceu em S a n ta C ru z do R io P a rd o, na F a z e n da U n ião, em ju lh o de Fez seus e stu d o s p rim á rio s e se c u n d ário s em nossa c id a d e, tra n s fe rin d o -se d epois p a ra São P a u lo, o n d e curso u dois anos de C iên cias E co n ô m icas no C o légio São L u iz. T ra n s fe rid o p a ra B a u ru, colou g ra u, sendo convid ado lecio n ar n a q u ela c id a d e. D evido à in ú m e ro s c o m p ro m isso s, n ão a c e i to u o co n v ite, p re fe rin d o d e d ic a r-se à c a rre ira de r a d ia lis ta, q u e inciou em 1962, na R á d io D ifu so ra S a n ta C ru z, p a ra o nde n o v a m e n te se m u d o u n a quele ano. J á n a q u ela ép o ca, W ilson C a rlo m a g n o d ed icav a-se à c a rre ira de e sc rito r, escrevendo livros de f a roeste e h isto rie ta s in fa n tis. A lguns an o s depois, tra n s fe riu -se p a ra C u ritib a, o nde c o n tin u o u seus tra b a lh o s de e sc rito r e r a d ia lis ta. Na c a p ita l p a ran a en se p erm a n ec e u d u ra n te 5 anos, ten d o tra b a lh a d o em v árias e m isso ras, p rin c ip a lm e n te na R á d io C lu b e de C u ritib a. N este p erío d o, foi um dos p rin c ip a is in cen tiv a d o res do jo rn a l sa n tac ru ze n se O L a n te r n a, fu n d a d o p o r G o n çalo l.u iz de M elo e cuja p rim e ira ed ição foi im p ressa n u m a das e d ito ra s onde W ilson C a r lo m agno tra b a lh a v a. De v o lta à S a n ta C ru z d o R io P a rd o, W ilson foi resp o n sável por a l guns p ro g ra m a s novos na R ádio D i fu so ra S a n ta C ru z, e m p resa q ue d e i xou p a ra a ssu m ir o carg o de assessor de im p re n sa d a p re fe itu ra m u n ic ip al e d ire to r d o se m a n á rio S a n ta C ru z N o tic ie i. M esm o aaslm, n ão deixou de escrever seus livros d e faro este. Esses a in d a podem ser e n c o n tra d o s nas b an cas de re v ista s de to d o o p aís, e d ita d o s pela E d ito ra M o n te rey com o p se u d ô n im o de P a t A riz o n a ". W ilson C a rlo m a g n o deixa a e s posa N eusa M aria e os filhos A n- d ré ia, I.u c ia n a, C rístia n e e M arcos D o n ato. E S T Ú D IO S D IS N E Y A m o rte de W ilson C a rlo m a g n o m ereceu u m a n o ta de d e staq u e no su p le m e n to C a d e rn o -2 d o jo rn a l O E stad o de São P a u lo, ed ição do ú ltim o d o m in g o. A lém de e x a lta r as q u a lid a d e s e d ito ria is de C a rlo s M agno, a re p o rta g e m co n ta q u e o e sc rito r dedicou boa p a rte de sua v i d a às h istó ria s em q u a d rin h o s. Um d e seus tra b a lh o s, a a d a p ta ç ã o de Dec am ero n p a ra as h istó ria s em q u a d rin h o s, e stá p a ra ser p u b lic a d a p o r u m a revista e sp a n h o la, com desenhos de R obival M a tla s. S egundo o E sta d o, W ilson ta m b é m e ra, u ltim a m e n te, o a u to r das h istó ria s do U rtig à o, p erso n ag em in fa n til dos e stá d io s D isney. Agora é oficial: o governador Orestes Quércia assinou no último sábado, durante cerim ô nia realizada na cidade de Assis, o novo pacote" de obras do g o verno estadual, que inclui a p a vimentação de 17 novas vicinais, entre elas a ligação entre Santa Cruz do Rio Pardo e Bemardino de Campos e o recapeamento e restauração de várias rodovias paulistas. Quércia chegou a Assis pela manhã, acompanhado de vários deputados e do sec retário dos Transportes Walter Nory, e foi recepcionado por ce n ten as de políticos, vereadores e prefeitos da região, dentre eles Onofre Rosa de Oliveira. Além de assinar a autorização para a pavimentação das vicinais entre Santa Cruz e Bernardino de Campos (18.8 quilômetros, passando pelo patrim ô nio de Sodrélia). Manduri a Aguas de Santa Bárbara, Salto Grande a Ribeirão do Sul e Ipauçu a Bemardino de Campos, o governador anunciou a liberação de recursos para a implantaçao da terceira faixa na SP-270 (rodovia Raposo Tavares), no trecho entre Ourinhos e Assis, considerado em toda a região como o corredor da morte". Além d isso, o governo vai providenciar nos próximos m eses o recapeamento completo da SP-327 (Santa Cruz a Ourinhos), rodovia que apresenta volume médio de A # * * $ (r V veículos por dia. Segundo informou na última quinta-feira o assessor de gabinete da prefeitura municipal, Ignácio de Barros, o prefeito Onofre Rosa de Oliveira acredita que a ligação asfaltada com Bernardino de Campos deverá ser inaugurada até setem bro do próximo ano. A municipalidade tam bém está estudando com os prefeitos de Bemardino e Ipauçu uma pequena retificação na ligação asfaltada entre aquelas duas cidades - também autorizada no último sábado -, fazendo com que a m esm a p asse pelo patrimônio de Sodrélia, no municipéo de Santa Cruz, criando um e n troncam ento rodoviário. (PÁG. 5) CEI pode acabar: faltam vereadores A fin a l, p a ra q u e servem os vere ad o re s de S a n la C ru z do R io P a r do? Q u a n d o u m a C o m issão E special de In q u é rito - C E I - é a p ro v a d a p u ra in v estig ar irre g u la rid a d e s no alm o x arifad o d a p re fe itu ra m u n ic ip a l, m as, ao m esm o tem p o,.m p ediria de fu n c io n a r p o r a b so lu ta fa lta de e le m en to s que p e rm ita o q u o ru m m í nim o p a ra suu oficialização (3 v eread o res ap en as), a p e rg u n ta n ão deixa de te r pro ced ência. D esde o in ício do m ês a C E I p a ra a p u r a r d en ú n cias de Irre g u la rid a d e s no a lm o x a rifa d o - que envolvem d ire ta m e n te o chefe do se to r, o e x -sarg e n to S érgio M ourão P e re ira - só consegue c o n ta r com a p a rtic ip a ç ã o dos v ereadores A n to n io F rancisco Z an e tte e Israel B enedito de O liv e ira, am b o s do PM D B. O PD S se recusa a p a rtic ip a r dos t r a balh o s da com issão e o P T B resolveu não In d icar q u a lq u e r m em b ro. P o r o u tro lad o, o p re sid e n te da C â m a ra, v ereador L u iz A n to n io T a vares, ten to u ser o te rc e iro m em b ro Vale a pena ser vice-prefeito? Aquele personagem do programa "Viva o G ordo", do humí>rista J ô Soares, dizia que não vale a pena ser qualquer tipo de vice dentro da política brasileira N o entanto, o quadro fo i até retirado do ar depois que o vice José Sarney assunuu a presidência da República com a morte de Tancredo Neves Aqui na região também há exemplos de vices que deram certo, como o atual prefeito de Bauru, Tuga Angeranu (PSB), que assumiu a chefia do executivo com a morte do prefeito eleito Edson Gasparini b. em Santa Cruz do Rio Pardo? A história mostra que os vice-prefeitos são potencuilmente candidatos d sucessão de seu imediato, mas também são predestinados à derrota assim ocorreu com Américo Pitol, José Osirts Piedade e José Carlos Camarinha A única exceção parece ser a de Aniceto Gonçalves, vice de Joaquim Sevenno Martins que chegou â prefeitura nas eleições de Na página 4, o ex vice-prefeito José Miguel Saliba e o atual vice, Clôvis G uimarães Coelho, falam da inqx>rtâncui e características do cargo de vice-prefeito d a C E I, m as a p u ro u -se p o s te rio r m en te que o re g im en to In te rn o da C â m a ra não p e rm ite a p a rtic ip a ç ã o do d irig e n te m áx im o da C â m a ra em q u a lq u e r com isaaò. A ssim, o d e stin o da com issão pode ser d ecid id o na p ró x im a re u n iã o d a C â m a ra, d ia 5 de novem bro: ou se o p ta pelo so rteio do terc eiro com p o n ente d â C E I ou e n tã o a com issão se rá sim p le sm e n te e x tin ta. E as d en ú n cias de c o rru p çáo, m ais u m a vez, são relegad as ao ab an d o n o. - P Á G I N A 3

2 -2- opinião COM FERNANDO HENRIQUE CARDOSO T O D A S AS LETRAS Afinai, a Executiva do PM DB deu apoio ao presidente Sam cy. em bora não o apoio incondicional que ele pedia Em qualquer país de tradi^ao dem ocrática este fato seria corriqueiro No B rasil dos homens do poder, acostum ados aos "am éns" e "assim seja" dos parlam entares situacionistas, o apoio sem subserviência parece desafio O entulho autoritário não está só nas instituições, está nas cabeças das pessoas A iddia dos "apoios incondicionais" é uma das que vamos ter de deixar para trás, se quiserm os trilhar de falo um cam inho que leve à dem ocracia Nas dem ocracias, o que é normal é que se deva lealdade 'aos princípios program áucos e não às pessoas. Como, cm tese, são os partidos que velam pelos princípios program áticos, são eles que devem coordenar e o rien tar a conduta dos parlam enta es. E n ais: cabe aos partidos da m aioria m otivar o governo, cobrar dele fidelidade aos mesmos princípios. O ra, o presidente Sam ey ap resentou um program a Se o* partido da m aiona não o endossou o plano é p o r que nuo concorda vom alguns de seus tópicçs principais. Isto não torna as coisas mais fá ceis para o PM DB ju que decidiu dar sustentas,ao política à continuidade da dem ocratização e ao governo Sarne\ o PM DB obriga-se a dizer exatam ente cm que bases encam inhar o " n o \o com prom isso" E não bastara reafirm ar os com prom issos com a dem ocracia Ou o PM DB d,/ com todas as letra> qual a política econôm ica e social que defendera. e taz o pacto com o presidente e com as demais forças que queiram se unir ao redor do novo program a, ou cm breve recom eçarão as lamúrias de que os parlam entares calam, vacilam c não defendem o governo. Está na hora, portanto, do preto no branco, aliás já passou da hora. Faz tempo que o PM DB apenas consegue reagir à ter.tativa de d esfig u rí-lo mas não consegue acrescentar traç< novo-: : seu perfil. E com o tempo, namràlm en te envelhece. E A G O RA, S A R N E Y? SILVIO PA3SARELLI N unca a expressão criada pelo genio do nosso poeta m aior, recentem ente falecido, C arlos D rum m ond de A ndrade, foi tão aplicável a uma situação real: "E agora, José?. A sorte está lançada. Cansado de viver o papel de prisioneiro político da Aliança D em o crátic a, o presidente Sarney resolveu assumi r o ditado popular que afirm a que a m elhor defesa é o ataque e, co n trariando seu estilo de conciliador, partiu para a ação. Ro.mpida form alm ente a Aliança D em ocrática, não restava a Sam ey o u tra alternativa do que a que efetiv a m ente tom ou: estabelecer num docum ento polít ico um program a mínim o de governo na busca de adesões que lhe perm itiriam recom por a base política de sustentação. I sto pareceria fácil, se estivéssem os diante de um quadro pluripartidáno com diversas fo rças expressivas participando d o poder. E ste não é, no entretanto, o quiadro político brasileiro. A glutinadas sob a denom inação genérica do P M D B, as diversas facções que o com põem representam a m aioria política brasileira. Uma m aioria folgada no C ongresso e qiuase unânim e nos executivos estaduais. Assim, im aginar um governo sem a participação peem edebista, é um m ero exercício de retórica, sem a m enor possibilidade real de co n cretização. Passado o im pacto inicial da surpresa representada pela m udança de atitude do presidente S am ey - im pacto este que atingiu até m esm o o experiente deputado U lysses G uim arães - o PM D B resolveu co rrer atrás do prejuízo Ao contrário do que im aginara Sarney, o partido resolveu assum ir uma estratégia alternativa. Ao invés de se subm eter à cam isa de força do docum ento palaciano - o que traria um en fraquecim ento das posições do partido, na m esm a m edida em que haveria o fortalecim ento do presidente - o PM DB resolveu redigir um novo docum ento de apoio ao governo. Incorporando algum as das diretrizes do docum ento oficial, m as indo além em algum as considérações, o PM D B subm eterá o seu novo docum ento às bases, em convenção e x traordinária, procurando assim minimizar - pelo menos estéticam ente - a capitulação a que seria obrigado incorrer, caso ti v/esse que assum ir integralm ente o docum ento de Sarney. Um verdadeiro jogo de xadrez, onde a inteligência vale mais do que a força, onde cooptadores c cooptados se esforçam ao máximo para evitar a rranhões em sua imagem institucional. Ao presidente Sarney, não resta outra alternativa do que esperar. Em pílulas hom eopáticas sua assessoria de imprensa vai lançando os contornos das alterações a serem realizadas. Fusões de m inistérios, remaneja iicnto de órgãos, enxugam ento da m áquina pública etc. Os objetivos são claros, quais se_,om, ganhar a opinião pública visando cham ar o PM DB para a essência das reform as. Poucos, no entanto, arriscariam afirm ar que o presidente vai atropelar o partido e realizá-las por inteiro. Preferirá, ao que tudo indica, continuar nas prelim inares, avançando questões menos im portantes, com o a nom eação de m i nistros sabidam ente demissionários. M as, ao contrário do que pode a princípio parecer, o pior está por vir. Superado o charm inho peem edebista, o presidente Sarney terá, com as restrições naturais de um partido 'estruturalm ente fracionado, o apoio para as suas m udanças e adm inistrar, no tem po que lhe restar, a m aior crise da história b ra sileira. DEBATE CIRCULAÇÃO SEMANAL CGC/MF / DIRETO R-PROPRIETÁ RIO SÉ R G IO FLEURY MORAES JORNALISTA RESPONSÁVEL JO SÉ A PA R E C ID O R E D A Ç Ã O E AD M INISTRAÇÃO : Rua Antonio Mardegan, 713, - Caixa Postal 34 - Fone (0143) Santa Cruz do R io Pardo - Estado de São Paulo. R E P R E SE N T A N T E PA R A SÃ O P A U L O, RIO D E JANEIRO E BRASÍLIA : Essiê Publicidade c C om unicações S/C Lida.. Rua S e nador C arlos T eixeira de C arvalho, 51 j. Fones e São Paulo - SP A m arca "DEBATE" e a tá reg istrad a no Inst i t u o N a c io n a l d a P ro p rie d a d e In d u s tria l s o b n e DÍIPAULO DE TARSO C. FILHO PSIQUIATRIA - PSICOTERAPIAS CRM EM SANTA CRUZ DO RIO PARDO: Rua Saldanha Marinho, FONE (às quintas-feiras com hora m arcada) EM MARÍLIA: A v. C arlos G om es, Conj FONE (0144) (os dem ais dias da sem ana, com hora m arcada) S arn ey ta n to reclam o u do in T n istério e depois fez um a. cfo rm a tão chin frim N ão há m elh o r p ro p a g a n da do pa en tari: \ do que p r ^ id e n te r» e ta.. Ü d ep u ta d o m alu fista Prisco V iana foi um dos p rin cip ais coordenadores da c am p an h a de P aulo Man f à presidência da R epública em 198 quando o ex governador de São P aulo p erdeu p ara T an cred o Neves no C olégio ele ito ra l. H oje no PM DB, Prisco é um dos novos m in istre n o m eados pelo p residente S arney. C o i sas da Nova R epública, com o d iria Ja c in to Q. T o rra... e e A inda bem q ue Q u ércia vai c u m p rir a prom essa de a sfa lta r a estra d a S a n ta C ru z a B tv n ard in o de C am p o s. D r. C lóvis fez o en tã o c a n d id a to assi- a p; im essa em d o c u m en to bem c! íro. oi um a boa, pois negócio d e prom ef em boca de lítico é igual prom ef d de fid elid a de vterm» d e m u ita gente p o r a í... e e Jâ n io p ro ib iu hom ossexuais nos corpos de b ailado da p re fe itu ra de São P aulo. É a m esm a h istó ria se r e p etin d o. P ro ib ição dos b iq u in es, b r i gas dc g alo, la n ç a -p e rfu m e s, im p o sição de u n ifo rm es p ara os fu n cio n á rio s públicos e tc. U m a v ib ran te p á g in a de realizações do ex-p resid ente ag o ra in felicita n d o a nossa cap ital. e e E sta é a g rande v antagem das d em o cracias. Q u a n d o o can d id ato não se u r n a um bom a d m in istra d o r,» g ente sabe que l< ;o p o d erá m an d á - lo em h ora n as r as eleiçõe. O p e rigo, no e n ta n to, são as prorrogações de m a n d a to s...» L em b ram -se d aquela h istó ria de um m a rid o cuja m v 'h e r o tra ía n u m sofá e p a ra c u ra r as dores io s chifres vendeu o m óvel d a sala? Não se d a ria caso sem elh an te com aquela p laca do m u n íclp e q ue reclam ava do estad o calam ito so d a ru a que sobe a lad e ira d a V ila M a th ia s/s a u l? A fin al, a p re fe itu ra resolveu a c a b a r com a placa c não com o p ro b lem a... P rip a re m -s e No p ró x im o ano de a d m in istia ç ã o d a p re fe itu ra local a coisa vai p io ra r. V am os e sp e ra r que ao m enos as m áq u in a s m u n icip ais não sejam vendidas no a p a g a r das lu zes a d m in istra tiv a s. e e E o p io r de tu d o é que esta C â m a ra M unicipal que tem os não vai d efen d er inte*esse alg u m dos m u n í- cipes pagadores de im postos. Q u ando u m p o d er p úblico não fu n cio n a, não atende as necessidades p a ra as q u ais foi in stitu íd o, a inoperâ n cia e o d escrédito que o povo lhe d á favorece o su rg im en to de m ais u m a e ra de d ita d u ra m ilita rista. A í e n tã o tu d o vai p ro beleléu. A h istó ria, in felizm en te, parece que vai se DICAS re p e tir... É preciso te r cuidado: onde está a com petência civil? Só escândalos e b lá -b lá -b lá??? Eleições d i re ta s já!!! Já m o rrera m duas vítim as da irrad iaç ã o atôm ica de G o iânia. T a m an h o desleixo, tão pouco respeito p a ra côm a vida h u m an a, não haverá refo rm a m in isterial que cure. A final de contas, aquela h istó ria de d iretas-já tam bém se tra n s form ou num im enso conto do vigário. P o r que não re d im ir a consciência e p ro m o v er d ire ta s-já em 1988??? O s ab ates clandestinos em énqvàuto ISSO twha /? (/A /iã O f r Pd B f& it A v ê i s... Santa Cruz do Rio Pardo, 29 de outubro de 1987 O lku o S U x it S an ta C ruz do R io P ard o contin u am sendo realizados em locais sem c o n dições higiênicas. A té quando? O ex-governador M ontoro teria gasto d in h eiro dos c o n trib u in tes paulistas p ara pro p agan d a das suas obras em jo rn al de B rasília. D iacho!!! E falavam que o M aluf gastava com flores? Será que o PM DB não deve um pedido de desculpas ao tréfego S alim? A pesar de tu do, já tem os c ig a r ras can tan d o nas tardes santacru - zenses. A inda bem que para a n a tu reza não vale a vontade dos políticos, porque senão... credo!... Carros usados. Rara serem ainda muito bem usados LIMA VEÍCULOS COM ÉRCIO DE VEÍCULOS NOVOS E USADOS m AV. TIR A D EN T ES, FO N E SANTA C R U Z DO RIO PA R D O QUE TAL UMA PAUSA PARA TOMARUM DELICIOSO PNEUS PIRES BALANCEAMENTO ELETRONICO, PNEUS FIRESTONE, PIRELLI, GOODYEAR, CAMARAS PARA TODOS OS VEÍCULOS E CONSERTOS DE. PNEUS... M ATRIZ: CERQ U EIRA CÉSAR «r.i i a ic. r F I L I A I. f r NA RDINO DE CAMPOS, SANTA CRUZ DO RIO o BARRA BONITA E SÃO MANUEL O SABOR DOCAFE

3 Santa Cnc do Rio Pardo, 29 de outubro d é política-3- Orçamento-88: emenda incerta FREI HENRIQUE COMEMORA SEU JU B IL E U S A C E R D O T A L FREI ESTEVÃO NUNES N o distante 28 de outubro de 1937, lá na não menos distante cidade de Bologna. Itália, frei Henrique foi ordenado sacerdote, já com o destino traçado vir para o Brasil Não esperou nada: no dia 15 de dezembro desse mesm o ano, desembarcava em Santa Cruz do Rio Pardo Queria ser missionário, mas os superiores o colocaram imediatamente a trabalhar na form ação dos futuros sacerdotes De fato, os dominicanos, que no início desse mesmo ano tinham tomado posse da paróquia de S ã o S e b a stiã o, tinham como primeira preocupação abrir uma E sc o la A p o stó lic a, para garantir o futuro da Ordem no Brasil N o dia 8 de fevereiro de 1938, lá está frei Henrique, inaugurando a E s cola Apostólica Dominicana, em uma casa alugada na Vila Nova, perto da capela de São Benedito. Uma dúzia de garotos para começar. A partir daí, com uma pequena interrupção de poucos m e ses em 1939, mais outra de uns dois anos. até 1956 frei H ennque dedicou seus esforços e seu trabalho principal à form ação dos candidatos ao sacerdócio. Todos nós. da primeira geração dos dominicanos brasileiros, fom os seus alunos. e lhe somos gratos, muito gratos, pela sua energia, pela sua coerência. E X T R A V IO D E T A L O N Á R IO pelo sei 1 exemplo de oração. F o i ele também, Vnem construiu, sozinho, e d u rante o dl: fk il tempo da guerra (d e 1940 a 1942). i prédio novo para a Escola Apostólica, ainda hoje um d os m onumentos da t idade de Santa C ruz do Rio Pardo. Depc 'IS de qiuindo deixou Santa Cruz. J rei Henrique esteve algum tempo em Po, rtugal, mais algum tempo como capelão < ia colonia fm>nuguesu ~os Estados Unuloi : Mas seu coração já tinha se torna.do brasileiro, e ele voltou. Trabalhou en.x C unnba, o nde ajudou na construção d a m o n u m en ta l igreja de Santo Antonio. e alai veio para a vizinha cidade de Ipai *çu, o n d e até hoje se encontra como pi. \roco. Santa C r uz mu ao deve a fre i H en rique, sobretud o à sua energia e fra n queza destemidi i. er.n momentos polêm i cos que ficaram fa n io so s. Em suas p regações, nunca d.?ixc >u de dizer o que era preciso dizer: nir. igu ém o p ode acusar de ter alguma vez n a i d d a colocado panos quentes sobre a r < Oisas. Talvez p oderíamos dizer que j ó i esse seu traço dom i nante - a coerên ck i e a fo rça de personalidade - que m u i ç marcou os fiéis, todos que o conhecei ram e aprenderam a amá-lo e a respeã ú-lo aqui em Santa Cruz d o R io P ardo. C inquet Ua a nos de sacerdócio/ A gradeçam os a L 'eus ju n to com frei H enrique. Jordino Fernandes, produtor rural na Fazenda R ibeirão B onito, d istn to dc E spinto Sto do T urvo, m unicípio de Santa C ruz do Rio P a r d o - SP, insc. sob n /000, C PF n /34 comunica para os d e vidos fms, o ex travio de seu talonário de produtor n9 01 de notas a 1 2iSQ30, sendo que as de n -'s a foram emitidas, e, as demais ficaram c m branco. Santa C ruz do Rio Pardo, 26 de outubro de (a) - JO R D IN O FE R N A N D E S DRa. MONICA 0. SANTOS A. RENS! -C IR U R G IA D ENTISTA - C R O -SP ATENDIMENTO COM HORA MARCADA AVENIDA TIRADENTES, FONE SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP Com a assinatura de 5 vereadores, foi apresentada na última sessão da C â m ara. realizada na noite de 20 de o u tu bro. uma emenda suprcvsixa que dispõe sobre a eliminação de um dos arucos da proposta orçam entária da prefeitura para que está tram itando desde o início do mês no legislativo local Caso seja aprovada, os vereadores Israel B e nedito de O liveira. A ntono Francisco Zanette (PM D B ). Aparecido R odngues M ouco. Pedro Luiz R cnófio (PTB) e José C arlos C am annha (PD S) esperam que todo c qualquer projeto de suplem entaçáo de verba ou em préstim o ban cán o a ser efetuada no próxim o ano pelo prefeito O nofre Rosa de Oliveira (PM D B ) passe pelo crivo dos vereadores "É a emenda freio hidráulico", co- Máquina Santa Amália COMÉRCIO DE CAFÉ E QUEBRADO S DE ARROZ CEREALISTA MANFRIN LTDA. - TRADIÇÀO MO COMÉRCIO DE CAFÉ E CEREAIS Rua S aldanha M arinho, s/n - FONE Caixa P o stal CEP SANTA CRUZ DO RIO PARDO - E stad o de S ão Paulo A p e sa r de a in d a não fu n c io n a r o fic ia lm e n te, a C o m issão E special de In q u é rito - C E I - fo rm a d a no início do m ês p a ra a p u r a r irre g u la rid a d e s no a lm o x a rifa d o m u n ic ip al p u b lic a - <"as pelo D E B A T E, pode ser e x tin ta n >$ p ró x im o s d ias. O m o tiv o é in te ressante: com exceção de A n to n io F ra n c isco Z a n e tte e Israel B enedito de O liv e ira, a m b o s do PM D B, n e n h u m o u tro v e read o r q u e r p a rtic ip a r d a c o m issão, sendo q ue o re g im en to in te rn o d a C â m a ra exige a presença m ín im a de 3 p a rla m e n ta re s p a ra o fu n c io n a m e n to de q u a lq u e r C E I. O v e re a d o r L u iz A n to n io T av a res - a tu a l p re sid e n te da C â m a ra - ta m b é m te n to u ser m e m b ro d a com issão, m a s v e rifico u -se, p o ste rio rm e n te, q u e a legislação in te rn a d a C â m a ra tiin ib ém im p ed e a presença de seu p re sid e n te em q u a lq u e r com issão de in v estig ação o u in q u é rito. A C om issão E special foi fo r m ad a no in ício do m és, em m eio a u m a tu m u ltu a d a tra m ita ç ã o : além de Isra el e Z a n e tte, a ssin a ra m o r e q u e rim e n to p a ra c ria ç ã o d a C E I os v ereadores P a u lo F e rn a n d es S anches, A p a recid a de L im a M a rtin s (PD S) e A n to n io R o b e rio G iaco n (PM D B ). N o e n ta n to, m in u to s d epois, o líd er d o P D S, L u iz C lóvis M axim iano te n to u r e tir a r as a ssin a tu ra s dos pedessistas, sob a e s tra n h a alegação de q ue as com issões de in q u é rito n ão resolvem n a d a, h a ja v isto os in ú m e ro s exem p lo s do E stad o de São P a u lo, com o o re cente caso B anesmo disse o vereador Israel Benedito de Oliveira, ou ainda "emenda moralizadora". como sugenu o vereador José Carlos Camannh.i Esta não é a pnm eira vez que uma proposta concedendo maiores poderes ao legislativo é apresentada na Câmara de Santa Cruz do Rio Pardo Em no primeiro ano da udnunintraçáo Onotre Rosa. o vereador Antonio Francisco Zanette (PM DB) apresentou projeto sem elhante, assinado ainda jvlos vereadores José Carlos Cam annha. Pedro Renótiu. Aparecido Mouco. José A Ide - vino da Silva e Antonio Giacun Na época, houve demoradas reuniões no tum as para se tentar a união de um g ru po de vereadores que possibilitasse a aprovação da emenda, sendo o vereador R oberto Marsola o principal palco das atenções Mesmo participando de uma reunião na casa do vereador Pedro Rep a. A situ a ç ã o foi c o n to rn a d a pelos dem ais v ereadores, e as a ssin a tu ra s fo ram m a n tid a s no d o c u m e n to, e m b o ra n e n h u m v ereador do P D S p e r m itisse su a p a rtic ip a ç ã o na referid a com issão, nem m esm o José C arlo s C a m a rin h a, q u e se a u to -p ro c la m a in te g ra n te do P D S -2. C o n su ltad o s, os d em ais vereadores peem ed ebistas e os 2 in te g ran te s da b an cad a do PT B (A - p arecid o M ouco e P edro R enófio) tam b é m se re cu sa ra m a p a rtic ip a r dos tra b a lh o s da com issão, e a sua c o n stitu içã o o ficial acabou sendo a d ia d a. Nos ú ltim o s d ias, e n tre ta n to, o p resid en te da C â m a ra L u iz A n to nio T av a res não havia conseguido a in d icação de q u a lq u e r o u tro v e rea d o r p a ra p e rm itir o fu n c io n a m e n to da com issão de in q u é rito, e ag o ra só lhe re sta rã o dois cam in h o s: e x tin g u ir a C E I na p ró x im a sessão da C â m a ra, q u a n d o e n c e rra, inclu siv e, o p razo p a ra a a p rese n taç ão de um re la tó rio dos tra b a lh o s, o u e n tã o n o m ea r um v ereador m e d ia n te so rteio a ser feito e n tre os d e m a is p a rla m e n ta re s. AS D E N Ú N C IA S As d e n ú n cias so b re irre g u la rid ades no a lm o x a rifa d o m u n ic ip al fo ra m fe ita s pelo D E B A T E na edição d e 27 de se te m b ro, e o p rin c ip a l e n volvido é o e x -sarg e n to S érg io M ourà o P e re ira, chefe do se to r e que e s ta ria levando p a ra su a c h á c a ra p a r tic u la r em O u rin h o s - o nde resid e - m a te ria is e fu n c io n á rio s d a p re fe itu ra de S a n ta C ru z d o R io P a rd o. N a p ista de u m p o rtã o de fe rro que te ria sido confeccionado com pessoal e e q u ip a m e n to d a m u n ic ip a lid a d e, a re p o rta g e m do D E B A T E esteve na c h á c a ra d o sa rg en to S érgio M ourão e, além do p o rtã o, acabou e n co n tran d o um p equen o core. (o, c o n stru íd o p o r fu n c io n á rio s p ú b licos (com p a rte de m a te ria l do a lm o x a rifa d o ), e que serv iu com o p rin c ip a l o rn a m e n ta ç ã o do c a rro alegórico da escola S in h a- rin h a C a m a rin h a, no desfile de 7 de setem b ro ú ltim o. A lém disso, havia n a chá c a ra de M ourão um lote de sapé, tra n s p o rta d o p a ra lá por veículos nó fio. onde garantiu que votana favorável à emenda. Marsola acabou sendo responsável pela derrubada do projeto, pois votou contra c permitiu um empate de 6 votos no plenário. Assim, curiosamente. a rejeição da emenda coube ao presidente da Câm ara, na época o vereador Israel Benedito de Oliveira (PM DB), que hoje d um dos autores da nova emenda Em 1984 o vereador Z a nette resolveu tentar novamente a apresentação de uma emenda supressiva, mas foi o único voto favorável. Caso a emenda seja aprovada, o prefeito O nofre Rosa de Oliveira perdera o direito dc suplementar verbas ou vontrair npréslim os bancários sem a devida ju io ri/jç ã o da Câmara M unicipal l Sanla C ruz. o que só será possível mediante a apresentação de projeto esfxrcífico CEI pode acabar: faltam vereadores da m u n icip alid ad e. A ntes m esm o das denúncias p u b licadas pelo D E B A T E, o p refeito O n o fre Rosa de O liv eira se antecip o u aos fato s e p ro v id en cio u a a b e rtu ra de u m a sin d icância in te rn a p a ra a p u ra r a confecção d o p o rtã o de ferro, cuja investigação está à carg o do assessor de g abin ete lg n ácio de B arro s, que já to m o u o d e p o im e n to de diversos fu n c io n á rio s. O re la tó rio fin al da com issão de sin d icân cia, e n tre ta n to, só deverá ser conhecid o no fin al do p ró x im o m és. E n q u a n to a C â m a ra d isc u tia a apro v ação de u m a C E I p a ra in v e stig ar as d enúncias, no d ia 11 de o u tu b ro o D E B A T E p u b licou fotos onde m o stra o veículo o ficial d a p re fe itu ra - u m v o lk sn a g em S aveiro placas J J na g arag em da resid ên cia do chefe d o a lm o x a rifa d o S érg io M ourão P e re ira, em O u rin h o s. O veículo c o n tin u a sendo u tilizad o d ia ria m e n te pelo sa rg en to p a ra sua locom oção e n tre S a n ta C ru z e O u rin h o s, e fica à d isposição do chefe d o a lm o x a rifa d o nos fina is-d c -sem a n a e feriados. R E P R E S E N T A Ç Ã O A pesar de tu d o, S érg io M o u rão P e re ira n ão co n co rd a com as d e n ú n cias p u b lic a d as pelo D E B A T E, q u a lific an d o -a s de fa lsas. U m a s e m a n a após a c irc u la ç ão d a edição 344 do jo rn a l, o sa rg en to com p areceu à D e legacia de P olícia e solicitou a a b e r tu ra de in q u é rito policial c o n tra a re p o rta g em sob o títu lo m ais c a m b alach o s, o nde e ra acusado de se a p ro v e ita r do carg o de chefe do a l m o x arifad o em benefício p ró p rio. Na re p re se n tação, M ourão ressalto u q ue o v erea d o r A n to n io F rancisco Z a n e tte (PM D B ) - que a p arece n u m a foto p u b lic a d a, ao lado do c o reto - te ria in v ad id o, " à revelia sua p ro p ried a d e de O u rin h o s. N esta se m an a, o delegado E r- m elin d o M arasto n i enviou ofício á d ireção do D E B A T E so licitan d o in form ações so b re o responsável pela re p o rta g em p u b lic a d a no d ia 27 de setem b ro, a fim de in s tru ir o in q u é rito policial n- 226/87. GRANDE PROMOÇÃO Vatmet PLANTIO E CULTIVO COMERCIAL PAOLONE 0 SEU REVENDEDOR AUTO R IZADO V A LM E I PROMOVE CAMPANHA DE DESCONTO EM IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS, PEÇAS E SERVIÇOS RUA BENJAMIM CONSTANT, FONES E SCRPARDO

4 -4-pomtca Vale a pena ser vice- prefeito? Vice não recebe nem nome de rua sem importância'*. A fra >e do h u m orista Jó Soares, num q u adn ) onde um pretenso candidato a vice insis tia na nubdade do cargo, já não se aphc a aos dias atuais. Desde o episódio de T ancredo N eves, quando o vice-presidi :nte José S am ey assumiu o cargo máxiir to da N a ção, o vice tem sido visto com. mais re s peito. Quem não gostaria, por exemplo, de ser vice-presidente na chapa do candidato natural do PM D B à pr<.sidéncia da República, deputado Ulyss es G uim arães? O que aconteceu com T ancredo N eves, naturalm ente, ainda esl í m uito vivo na m em ória dos políticos l irasileiros. A fatalidade tam bém pode h nçar ao cenário político nom es até então desconhecidos do eleitorado. Em B aun i, cidade distante aproxim adam ente 10C»km de Santa C ruz do Rio Pardo, o p refeito Edson G asparini, eleito em pelo PM D B, m orreu pouco depois de assumir o cargo. Em seu lugar, ocu pou a prefeitura bauruense o jovem vic< -p re feito José G ualberto A ngeram i, qt ic em pouco tem po conseguiu destaque n o cenário político estadual. Hoje filiac Io ao PSB - Partido Socialista Brasileii -o -, T uga já surge com o um can d id ate) em potencial à uma vaga na Assembléia L e gislativa em Mais um a vez, um exem plo do vice dando certo. Em Santa C ruz do R io Pard o, o cargo de vice-prefeito tam bém tem «una certa tradição: geralm ente o vice é um candidato natural às eleições seguin tes. E tam bém um candidato à d e m )ta, conform e m ostra a história política local: A m érico Pitol, vice-prefeito ele ito cm 1951, perdeu a eleição m unicipal i :m 1959, quando concorreu ao executi vo com o candidato O nofre Rosa de O liveira. Tam bém José O siris Piedade - o B iju" vice-prefeito eleito em 195 9, foi derrotado com o candidato a prefei to em 1963, por C arlos Queiroz. Este, pi ir sua vez, lançou o seu vice-prefeito Joi ié C arlos C am arinha para sua sucessão, nas eleições de 1968, quando C am annf ia foi derrotado por O nofre Rosa. A ú n k a exceção a esta regra parece ter sid o A niceto G onçalves, vice-prefeito d e Joaquim Sevcrino M artins en tre 1972 a 1976, e que conseguiu alcançar a p r e feitura cm 1976, derrotando o candidato do M D B C láudio Catalano. N EM V IC E -C A M P E Ã O "... E talvez o caso de A niceto G o n çalves continue sendo exceção p o r algum tem po: o atual v ice-prefeito C lóvis G uim arães T eixeira C oelho (P M D B ) já anunciou, há duas sem anas, que não será candidato à sucessão de O n o fre R o sa dc O liveira. Segundo ele próprio declarou à reportagem do D E B A T E, não sofro1de prefeitite, não alim ento ilusões, n ão pretendo ser prefeito e quero p endurar as minhas chuteiras agora, com o térm i no do nosso m andato". Mas, o que leva uma pessoa a se candidatar a vice-prefeito? Para Clóvis, que nas últim as eleições m u n icpais foi duplam ente candidato a vice (nas ~hapas de O n o fre Rosa e M anoel C arlos P e reira), é apenas um espírito dc colaboração". Segundo ele, dc acordo com a atual legislação, a atividade de viceprefeito se restringe apenas a suprir o cargo de prefeito quando de sua vacância, férias ou ainda por falecim ento, mas faz uma ressalva no caso de Santa C ruz do R io Pardo: Com o nós não tem os a índole de ficarm os parados, resolvem os Clóvíe Quimarã», rio» pnéh u: "Nsm meamo o cargo áe vtee-campsáo paulista tem valor" atuar em conjunto com o prefeito, de tal m aneira que desde o início do m andato estam os trabalhando em conjunto, prin cipalm ente no seto r de saúde". Com o m édico, C lóvis tem se dedicado exclusivam ente ao setor de saúde da m unicipalidade, o qual, apesar de ressaltar sua im portância, admite que não traz consideráveis dividendos políticos: M edicina e a política são com o duas m ulheres, e elas não se casam. Assim, os dividendos políticos do setor de saúde são m uito pequenos". C lóvis G uim arães disse ainda que possui ampla autonom ia no setor em que é responsável, mas continua participando com o colaborador" nos demais assuntos da prefeitura: Digamos que sou um indivíduo que em ite opiniões a valisadas, não palpites". E o cargo de viceprefeito é suficientem ente valorizado no Brasil de hoje? C lóvis acha que não, e, com o fanático torcedor do Corinthians, dá sua visão realista: A cho que nem o cargo de vice-cam peão paulista de fu te bol tem valor no Brasil de hoje". C A R G O D E C O R A T IV O " O ex-v ice-prefeito José Miguel Saliba (gestão de A niceto Gonçalves, entre '9 7 6 e 1982), considera que o cargo é uma espécie de degrau para qualquer aspiração política mais im portante, em bora ressalte que, nos dias atuais, não passa de um "cargo decorativo". Saliba admite que seu relacionam ento com o ex-prefeito A niceto G onçalves (PD S) foi excelente", lem brando que apesar do vice-prefeito não ter autonom ia para qualquer trabalho em nosso governo, o A niceto sem pre me convidava a participar de algum evento im portante". José Miguel Saliba acha que o cargo de vice-prefeito deveria ter fu n ções diferentes d c que na realidade: O vice poderia ser o porta-voz do prefeito, um elem ento essencial na adm inistração, funcionando com o elo de ligação com a C âm ara de V ereadores, porque o viceprefeito tem menas obrigações e, assim, teria cabeça mais fresca para dialogar com os parlam entares. Além disso, ele poderia ajudar o prefeito nas funções de assessor de gabinete". O utra idéia de Saliba, que ao seu ver deveria ser p ro posta na Assembléia Constituinte: Na m inha opinião, o vice-prefeito deveria exercer, por lei, o cargo de presidente da Câm ara, pois aí sim seria suficientemente valorizado e teria, efetivam ente, uma função política". O ex-presidente do PTB (Saliba retom ou ao PDS há alguns dias), tam bém concorda com a opinião do atual vice-prefeito Clóvis Guimarães: o cargo de vice, no Brasil, é apenas "decorativ o ", principalm ente no Interior: Se perguntássem os quem é o vice-prefeito de São Paulo, por exemplo, acredito que 99% das pessoas não saberiam respond er". Saliba acha, no entanto, que a participação de um político no cargo de vice-prefeito representa uma bagagem fundamental para se tentar novos vôos políticos. C A N D ID A TO S Palavras à parte, valorizado ou não, os bastidores políticos de Santa C ruz do Rio Pardo já estão se movim entando em busca dos pretensos candidatos à vice-prefeito nas próximas eleições, em novem bro de Nesta lista - m odificada mês a mês, diga-se de passagem - estão figurando, dentre vários nomes, os vereadores Aparecido Rodrigues M ouco (PTB), Aparecido Pereira Borges, Israel Benedito de O liveira e Luiz Antonio Tavares (PM DB), além de José Miguel Saliba e Jacoh Gazzola. A novidade surgiu no último domingo, na convenção municipal do PDS: alguns políticos admitem a hipótese do lançamento do em presário Décio Mendonça (candidato derrotado em 1982) como vice-prefeito na chapa de Joaquim Severino M artins (PDS). A justificativa é óbvia: tentar a união das duas alas do PDS local como única forma de derrotar o PM DB e enfraquecer o PTB ou o PFL de Santa C niz do Rio Pardo. Santa Cruz do Rio Pardo, 29 da outubro da 1967 A TIVID A D ES DA CÂMARA M U N IC IPAL DURANTE 0 MÊS DE OUTUBRO - 16* SESSÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO D IA 20 DE OUTUBRO DE 1987 INDICAÇAO N9 39/87 - solicitando do Executivo a recolocaçáo de tarta ru g as na rua P ad re F ygueira. INDICAÇÃO N solicitando do Executivo a co n stru ç ão de V estiário e gram ar o cam po de futebol de Bairro da E stação. INDICAÇÃO N9 41/87 - solicitando do sen h o r P refeito Municipal a ilum inação na praça A ntonio Alóe. INDICAÇÃO N9 42/87 - solicitando do sr. C hefe do Executivo reparo total na Ilum inação e na praça da Igreja no d istrito de C aporanga. - Deu en trada na p rese n te S e ssã o o Projeto de Lei do Legislativo n9 03/87 d isp o n d o so b re novos h o rários ban cário s a vigorar n esta cidade. - Deu en trada na p re se n te S e ssã o o Projeto de Lei do Executivo n9 25/87 que dispõe sobre au to rização ao Executivo para re c e ber por d o ação do Governo do É stad o de SP, a im portânm cia de Cz$ ,62, que será utilizada na aq u isição de um a am bulância Caravan GM/87 - Modelo 88, nova, bem com o a integralízar o referid o valor do v eículo em Cz$ ,62. - Foi ap resen tad a ao P lenário a EMENDA SU PRESSIVA n9 01/87, a ssin a da pelos vereadores Israel B enedito de Oliveira, A parecido R odrigues Mouco, Ántonlo F ran cisco Zanette» P e dro Luiz Renóflo e Jo sé C arlos M ascim ento C am arinha, q u e dipõe so b re a elim inação do artig o 49 re fe ren te a su p lem en taçõ es de verbas e autorização ao Executivo para contrair em p réstim os B ancários. - Na ORDEM DO DIA foi aprovado por unanim idade o Projeto de Lei n9 22/87 que acresc en ta parágrafo único ao art. 49 da Lei 974 de 06/abril/ D iscussão do Projeto de Lei n 9 23/87 (P roposta O rçam entária para o E xercício de 1988). - Foi solicitado para que sejam encam inhados ofícios de agradecim entos ao senhor G overnador do E stado, ao D eputado Israel Zecker e ao Diretor Adjunto da FEPASA sen h o r Dr. B e nedito Ribeiro, agradecendo o s trabalhos desenvolvidos para co n stru ção da estrad a vicinal Santa Cruz - Bernardino de Cam pos. - Foram Expedidos d u rante o m és de outubro 18 oficios. - Foram recebidos d u rante o m ês de outubro 18 oficios. D R. C L É L I0 Z A N 0 N I C IR U R G IÃO DENTISTA ANA C R IS TIN A DE O LIVEIR A Z A N 0 N I C IRURG IÃ DENTISTA D R. S ILVIO B 0R G 0 O RTO D O N TISTA (C O RREÇ ÃO D E D ENTES) RUA QUINTINO BOCAIÚVA, TELEFONE SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP - ATENDE-SE COM HORA MARCADA - C A R R O S U S A D O S WALDEMAR AUTOMOVEIS - COMPRA E VENDA (res.) AV. TIRADENTES, SANTA CRUZ DO RIO PARDO VOLKSWAGEN O NOME JÁ D iz TUDO... SASEL VEÍCULOS E MOTORES REVENDEDOR AUTORIZADO VOLKSWAGEN m RUA MARECHAL BITENCOURT, FO NES E SANTA CRUZ DO RIO PARDO - S P

5 Santa Cruz do Rk> Pardo. 29 de outubro de l-.m PRESAS & NEGÓCIOS Valmet r.siíne professores e fabricantes de implementos A Valmet do Brasil, com* o ja é tradicional, preparou para o dia «?2 de outubro, o XV11I Encontro dc p r o fessores dc Agronom ia e em genh.ina Agrícola Este ano. o evento ganh ou maior dimensão já que foi realizado e m conjunto com o "E ncontro dos F abn - cantes de Im plem entos", outra consa grada reunião promovida pela Valmet O Encontro teve lugar no a u d i tório do SESI, em Mogi das C ru zes - SP. com início às 10:00 horas, através da palestra do professor Odilon F e r reira. da Universidade de Santa M ana e m em bro da A BN T. Ele desenvolve u o tema "N orm alização de M áquina s A grícolas". À tarde, após a visita à linha dc montagem da Valmet, os convidados assistiram, às horas, a p a lestra "Treinam ento em Mecanização Agrícola: Expenéncias da Alemanha transfendas para o B rasil", a cargo do engenheiro U lnch Viebig, da G TZ, uma empresa do grupo alemão que presta assessona tecnológica em Santa C atanna. à A CA RESC (ó rg ã o E stadual de Estensáo Rural). Ao aproxim ar dois polos vitais para o desenvolvim ento técnico da agneultura, a Valmet visa a com plementai, áo de um pelo outro. Desta forma, os professores acrescentaram à teona de suas teses, ensaios e m onografias o lado prático e experim ental dos fabricantes. Estes, por sua vez, p o derão adicionar aos seus projetos, testes e protoüpos, boa carga análises e comparativos A importância dos teim os. ab o r dados, a especialização dos p a lestran tes e o interesse dos convidados, cred enciou este evento ao sucesso e, pnncipalmente, ao micio de um p ro v e ito so intercâmbio entre professores e fab ricantes do setor agrícola. T R A T O R E S 6 C IL IN D R O S L ID E R A N Ç A É DA V A L M E T Em 1981, a Valmet u uciou a p ro d u ç ão de tratores de 6 cilrnd ros com ti ação nas quatro rodas, assun íindo de fo n n a pioneira este segm ente. Era sete m b ro de 1987, com a produç ão atin g in d o tratores, a Valme t consolida sua liderança nos 6 cilindros q u a tro por quatro, alcançando 80% das vend as nesta faixa Este núm eros com provam a gran-de aceitação da tecnologia V alm zt, justam ente num segjnento dt: m ercado de te ndéncia crescente. Quércia e o^ecretáno Walter Nory assinaram em pra-a pública, em Assis, um pacote que autonzou obras v.ánas no valor d e i 3 bwháo QUÉRCIA ASSINA NOVAS OBRAS PARA A REGIÃO S U ZU K I PROMOVE FESTA P A R A AS C R IANÇAS Realizou-se no dia 10 de o u tu bro, nas dependências da Associação A tlética Recreativa Suzuki - A A R S - uma grande festa prom ovida por M á quinas Suzuki S/A para os filhos dc seus funcionários, como parte dos festejos do "D ia da C riança A organização e coordenação da festa ficou à cargo da assistente social C hahida J. O bcid, contando com o total apoio da diretoria, onde um de seus principais objetivos foi criar, num am biente dc: alegna e descon tração, uma perfeita harmonia entre a em presa, o funcionário e a família. A festa teve a anim ação de um palhaço, ;ilém da pantera co r-d e-ro sa e bnncadei ras como corrida do saco, queim ada, cam peonato de soltar pipa, jogo do saquinho, brincadeira do biscoito, so.rteio de brindes, distribuição de doces ctc. 1 O governador O restes Q uércia, o secretán o dos T ransportes do Estado W alter N ory, deputados e políticos de toda a região estiveram nesse sábado, dia 24, na cidade de Assis, onde assinaram atos de liberação de recursos e autorização para pavim entação de 351,8 quilôm etros de várias obras viárias O prefeito O nofre R osa de O liveira esteve na recepção e, além de agradecer o governador pela autorização dc várias obras na região, recebeu uma am bulância doada pielo governo do Estado. Q uércia desem barcou pela manhã, no aeroporto de Assis e, acom panhado do secretán o W alter N ory, com pareceu à avenida R ui Barbosa onde, em praça pública, assinou a liberação de recursos para a im plantação da terceira faixa na S P Rodovia Raposo Tavares, tre cho entre A ssis e O urinhos -, num a extensão de 62 quilôm etros. H á vános anos a duplicação da estrada vem sendo reivindicada pelas cidades de Assis, Cândido m ota. Platina, PalmitaJ, Ibirarem a, R ibeirão do Sul, Salto G rande e O urinhos, pois é uma das recordistas em acidentes em todo o Estado e cujo tre cho chegou a ser considerado pelos m oradores como o corredor da m orte". A Raposo Tavares apresenta um m ovim ento m édio de veículos por dia, dos quais 60% são cam inhões dc carga. E um im portante corredor de exportação do Oeste do E stado, Presidente Prudente e N orte do Paraná, em dem anda da grande São Paulo. No trecho onde CHOPPERIA E RESTAURANTE BARRICA - SER VIÇ O A LA CARTE - DIARIAMENTE, NOS FINS DE TARDE E TAMBEM AOS SÁBADOS, SERVIMOS APERITIVOS NO ALMOÇO SUGESTÕES: PINTADO C/ FRUTOS DO MAR, LULA ENFARINHADA, CAM ARÕES, CARPACCIO DE CARNE R n! f n l l r i n S. t o S a n to s, 45s - fo H L 10143) / - S a n ta C ruz do Rio P ard o s P PREFEITO PREVÊ CONCLUSÃO DA LIGAÇÃO COM B E R N A R D IN 0 ATÉ SETEMBRO DO PRÓXIM O ANO O p re fe ito O n o fre R osa de O liv eira a c re d ita q u e a pavim e n ta çã o da e stra d a que liga S a n ta C ru z do Rio P a rd o a B e m a rd in o de C am p o s d everá ser co n clu íd a até setem b ro d o p r ó xim o an o. A in fo rm a çã o foi d a d a na ú ltim a q u in ta -fe ira pelo assessor de g a b in e te d a p re fe itu ra m u n ic ip al, Ig n ácio de B arro s. S egundo ele, a o b ra é de fácil execução pelo E stad o, já q u e não possui pontes ou q u a lq u e r o u tra o b ra de a rte. B arro s tam b é m g a ra n tiu q u e o chefe do executivo san tacru zen se d e v erá a g iliz a r os co n tato s com a u to r i dades fed erais p a ra conseguir a lib e ração da vicinal e n tre S a n ta C ru z e o p a trim ô n io de C a p o ra n g a, atra v és da S P -225 (Ip a u ç u -B a u ru ). O p re fe ito será implantada a terceira faixa, especialm ente, o fluxo de tráfego é agravado pela topografia acidentada, com aclives acentuados. Para escoar melhor o m o vimento de vcículor, a terceira faixa terá 3,5 m etros de largura com 3 m etros de acostam ento, onde serão feitas obras com plem entares (canaletas, bueiros etc), e será implantada ampla sinalização horizontal c vertical. O prazo de execução das obras é de um ano SA N T A C R U Z -B E R N A R D 1N O O n o fre R osa vem esp eranças de que o governo federal lib ere recursos p a ra a o b ra, a tra v é s de p ro g ra m a do B N D ES e do B anco M u n d ial. O assessor de gabin ete a d m itiu, a in d a, que o chefe do executivo está in teressado n u m a e v en tu al m u d an ç a d e tra je to na v icin al q u e foi a u to r i zada sá b a d o, b en efician d o os m u n i cípios de B e m a rd in o de C am p o s e Ip a u çu. P a ra Ignácio de B a rro s, a passagem d esta vicinal p o r S o d ré lia, além de b en eficiar S a n ta C ru z do Rio P a rd o, d everá re su lta r n u m g ra n d e e n tro n c a m e n to ro d o v iário, b e n efic ia n d o to d a a região. O s p rim e iro s c o n tato s com o p refeito de Ip a u çu (A n to n io A lonso S o b rin h o ) e B e m a r d in o de C am p o s (E d v ald o A ngelo P a- cola) dev erão ser feitos nos p ró x im o s dias. D ando seqüência à cerim ônia na - praça pública de Assis o governador O restes Q uércia e o secretáno Walter Nory assinaram ato autorizando a pavim entação de 198,5 quilôm etros dc estradas vicinais na região. São 17 novas vicinais, beneficiando diretam ente 25 municípios e um milhão de pessoas E n tre as obras, finalm ente foi anunciada a pavim entação da estrada entre B em ardino de Cam pos e Santa Cruz do Rio Pardo, uma velha reivindicação dos políticos da região A estrada terá 18,8 quilôm etros de extensão e vai passar pelo bairro da Figueira e pelo patrim ô nio de Sodrélia. O utras vicinais na região foram autorizadas no mesmo ato, como a ligação entre Ipauçu e B em ardino dc C am pos (15,4 km), M andun a Á guas de Santa B árbara (16,6 km), O urinhos (Estrada do Adelino, com extensão de 3,9 km), O urinhos (S P -278) a Porto Dupas (6,6 km). Ribeirão do Sul a G uanroba (15 km) e Salto G rande a Ribeirão do Sul (13 km) Na cerimônia, o governador O restes Q uércia também liberou as v erbas para o recapcam ento e outras obras de melhoria na S P -327 (O unnhos a Santa C ruz do Rio Pardo, com 27 quilômetros), que apresenta volume médio de veículos por dia. O prazo da execução da obra é de seis meses, e ainda foi anunciada a liberação de recursos para as obras dc recapcam ento do contorno de O urinhos (S P -278), com 8 quilôm etros de extensão, com igual prazo de realização. Para o secretário dos T ransportes W alter Nory, as estradas vicinais fazem parte do program a de atendim ento às áreas mais rem otas dos municípios do interior, implantado pelo governo Q uércia. "A pavimentação das vicinais pro porciona o desenvolvim ento econôm ico e social das cidades ao facilitar o escoam ento de safras agrícolas e agilizar o acesso a recursos m édicos, comerciais, profissionais, dc estudo c lazer". PALOMA AUTO POSTO AUTO P O S T O LTDA f - 0 ATENDIM ENTO QUE SÓ 0 PALOMA PODE LHE OFERECER - RODOVIA IPAUÇU-BAURU, KM SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP - O GIGANTAO DE TODA A REGIÃO -

6 -6- diversos Santa Cruz do RI# Pardo, 29 da outubro da 1987 Vila Divinéia terá nova escola O objetivo é esse: colocar uma escola perto de cada aluno, evitando desestim ular o estudo com uma distância considerável". Com estas palavras, o engenheiro A ntoruo C arlos dos Santos, responsável pelo departam ento de engenharia civil da prefeitura municipal, confirm ou nesta sem ana a proposta do prefeito O nofre Rosa de Oliveira de construir mais uma escola na Vila D ivinéia (mais conhecida com o favela do Esqueleto) - voltada principalm ente para o p ré-p n m áno - e, posteriorm ente, mais uma escola estadual no bairro da Estação. A autorização para a co n stru ção de uma escola na Div*iéia já foi assinada na semana passada e o prazo de conclusão da obra é de 5 meses. Segundo o engenheiro, de início a construção terá 350m2 aproxim adam ente, funcionando com 3 ou 4 classes para atender as necessidades mais urgentes dos alunos daquela vila, pois outras escolas têm aberto classes especiais para atender os alunos não só da Divinéia, mas de toda aquela região de Santa C ruz". O projeto da m unicipalidade pode soar estranho aos mais inform ados, já que desde o início do ano passado a atual adm inistração está realizando um projeto de m utirão na Vila Popular, que tem o objetivo fundam ental de acabar com a Vila Divinéia, desfavelando seus m oradores e dando-lhes m oradias mais dignas. No entanto, para o engenheiro A ntonio C arlos dos Santos, este fato não representa um obstáculo, já que d i ficilmente a Vila Divinéia será extinta com pletam ente. Além disso - disse ele, m esmo se conseguíssem os tirar todas as pessoas daquela favela e levá-las para o bairro da E stação, ainda teríam os a necessidade de um prédio que atendesse, no m ínimo, 150 alunos por período de funcionam ento, naquela região da cidade". A nova escola será voltada para o p ré-p rim án o, com a distribuição norm al de m erenda escolar. C om a ida de inúm eras famílias da Vila Divinéia para o bairro da Estação, conform e o plano de desfavelam ento da prefeitura m unicipal, a educação prim á- ECONOM IZE, n a naquela região ficaria desguarnecida, já que o prédio do Sesi - existente há anos na Vila Popular - seria pequeno para com portar tantos alunos. "D e acordo com o Planejamento do M inistério da Educação - disse o engenheiro A ntonio C arlos - é m uito importante não deixar uma escola a uma distância que desestim ule o aluno a freqüenta-ia. Assim, teríam os a necessidade de se construir uma outra escola no bairro da Estação, para atender todos esses a lu nos. Seria uma escolar do governo, mas podendo funcionar com professores do m unicípio". Segundo A ntonio Carlos, "o objetivo é colocar uma escola perto de cada aluno, como por exem plo evitar que um estudante saia do bairro da E s tação para estudar no EEPG Maria José Rios*, ou Sinharinha Camarinha*, distante vários quilôm etros, e cujo problem a está ocorrendo ultim am ente". R E FO R Ç O NO PRÉ A iniciativa da adm inistração em ms tal ar um a escola de pré-prim ário na Vila Divinéia tem suas justificativas. De acordo com levantam ento obtido pelo TEMPO. COMPRANDG6 TU D O NUM SÓ LUG AR Desodorante Impulse 90 m l... 22,00 Sabonete Rexona 90 g r... 8,50 Sabonete Rexona 130 g r...12,70 Pratos O xford"...25,30 D EBATE junto à Delegacia de Ensino de Santa Cruz do Rio Pardo, o número de alunos matriculados em escolas deste nível no município, de 1985 até hoje. vem crescendo muito. De 771 alunos inscritos em este número chegou, neste ano. a Situação totalmente diferente do número de matriculados na.prim eira série. que cresceu apenas 10% nos últimos três anos Já o núm ero de alunos iniciantes (963 em 1985). não Chegou a 900 este ano. e a distância considerável entre as escolas existentes no centro da cidade e o grande número de bairros periféncos em Santa Cruz pode ser uma das causas. Por outro lado, o núm ero de m a trículas na zona rural tem caído ano a ano (eram 796 cm 1985, mas não passaram de 652 em 1987). Isto com prova a teoria dc que a população da zona ru ral está procurando a cidade, em busca de maior conforto e abandonando a lavoura de um dos maiores municípios do Estado dc São Paulo. Não é à toa de que, segundo dados da Casa da Lavoura, a cultura de cana-de-açúcar já domina amplamente a zona rural de Santa Cruz do Rio Pardo. PARA ASSINAR 0 "DEBATE, LIGUE HOJE MESMO PARA , OU PEÇA A VISITA DE UM REPRESENTANTE - DEBATE: 10 ANOS DE VID A INDEPENDENTE - ESCRITÓRIO Rua Euzébio de Queiroz, 415 FONE Dr. YUTAKA SATO A D V O G A D O - OAB CAUSAS CIVEIS E CRIMINAIS * RESIDÊNCIA Rue Visconde do Rio Branco, 63 FONE Margarina Claybon Creme sa - pote de 250 gram as 9,90 SUPERMERCADO PEGORER SITUAÇÕES EM 31/03 DE CADA ANO - REDE ESTADUAL, MUNICIPAL E PARTICULAR PRÉ VENDO Piano ALBERT SMÕLZ (teclado de marfim) TRATAR: Av. Dr. Cyro de Melo Camarinha, 344, c/ Márcia ESPECIAL INCIANTES 1*A4* 1*A8* Z. RURAL FONTt: DELEGACIA DE ENBMO O t ftcrpaflòo TELEFONES C o m p ram o s, vendem os, alugam os, transferim os de p ro p rietário, providenciam os extenção externa, executam os todos os serviços do ram o. É SÓ L IG A R : , ou nos visita r à Av. D r. C iro de Melo C a m a rin h a, n? SC R PA R D O COMUNICADO A Cia Luz e Força Santa Cruz", comunica que para possibilitar a execução de serviços inadiáveis e manobras necessárias, e ainda para oferecer condições de segurança, não só ao pessoal que realiza esses serviços como tambem ao Público, torna-se necessário interromper o fornecimento de energia eletrica, no dia 08 de novembro de 1987 (DOMINGO) no período das 06:00 ás 10:00 horas, tanto na zona urbana como rural, nos municipios de Santa Cruz do Rio Pardo, Ubirajara, São Pedro do Turvo, Caporanga e Espírito Santo do Turvo.. DBS: Por motivo de força maior a interrupção acima poderá ser cancelada. SE VOCÊ ESTÁ DESEMPREGADO, OU VOCE, EMPREGADOR, ESTIVER PRECISANDO DE PESSOA CAPACITADA PARA PRESTAR-LHE SERVIÇOS, PROCURE A NOSSA AGENCIA. SEU PROBLEMA SERÁ RESOLVIDO DE IMEDIATO... AGENCIA d e e m p r e g o s u m a ESCRITÍRIO CONTÁBIL IMOBILIÁRIA C O M P R A M O S, V E N D E M O S, A L U G A M O S SE U T E L E F O N E, T R A N S F E R IM O S DE P R O P R IE T Á R IO, PR O V ID E N C IA M O S E X T E N S Á O (E X T E R N A ), E E X E C U T A M O S T O D O S O S SE R V IÇ O S D O R A M O. É S Ó L IG A R : !!! AVENIDA T/RAD ENTES, 33I-A - FO NE SANTA C RU Z D O RIO PARD O - EDITAL DE LEILÀO dos bens penhoradoç aos executados SEBASTIÃO DA ROSA e MILTON PINTO BECKER, com o prazo legal de dez (10) dias. rninrrt. c r r, O DOUTOR FLÁVIO CUNHA DA SILVA JUIZ DE DIREITO DESTA CIDADE E CO MARCA DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO. ESTADO DE SÃO PAULO, ETC... FAZ SABER, que no próximo dia 12 de novembro de 1987, às 14:00 horas, em frente a porta pnncipal do edifício do Forum local, sito à Av Dr. Cyro de Mello Camannha. será vendido em pnme.ro leilão, a quem maior lance olerecer. ac.ma da fespediva avaliação formalidades legais, os bens penhorados aos executados SEBÂ6TIÀ0 DA ROSA e ÁILTON PINTO BECKER. nos autos do processo de Execução ne /8 6, promovido p^n A N C IA DORA BRADESCO S/A - CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO, bei)f ^ os seguintes 1) "Um (1) trator de marca "Massey Fergusson". ano vermelha, modelo 235, séne /Car 620, com motor namento e conservação: 2) Um (1) arado de trôs (3) discos de 28 * * * * estodo: 3) Uma (1) plantade.ra de marca "TATU" trôs Unhas, hidráulica, em namento e conservação: avaliados por C z$14 0.OM,00 (cento bens acham-se depositados em mãos do própno exacutado. Sebastião da Rosa, residente no s f e d, o. município de Sâo Pedro do I W M j S S S S bens serão levados a público pregão de venda e arrematação, em segundo leilão, desde ja d es ia nado panf o p ró ximo d,a 30 de novembro de 1987, às 14:00 horas, no m e ^ o jo c a la quem mais der. Oueossim. Hcam desde cado na forma legal Dado e passado nesta comarca de Santa Cruz do Rio Pardo, aos zi ou sefembro de,967 Eu - JUIZ DE DIREITO - ^ Escritório de Arquitetura PR O JETO S RESIDENCIAIS, COMERCIAIS E INDUSTRIAIS Arquiteto: JOAO ROBERTO FIGUEIRA X ^ n n D in D A D n n RUA BENJAMIM CONSTANT, SANTA CRUZ DO RIO PARDO

7 tanta Cruz do Rio Pwdo. 29 d» outubro de 1997 CO ISA S DA NOVA R EPUBLICA.II JACINTO O TORRA Da Equipe de Colaboradores N a "C oluna do L eitor" do jornal "O Estado de São Paulo", dia 11 do an dante. o Sr Heraido Fernandes, Superintendente da FUNA1 dc M T. pegou o p e io na unha. à vista dc considerações que levantei no D E B A T E - e p o stenorm ente no jornal paulista sobre de - veres que certos departam entos dc g o verno atribuem a elem entos jejunos. "verbi g r a tia" a fiscalização da pesca por parte dos índios bacains (ao índio dá-se assistência, não atribuições» A autoridade procura justificar o que se venficou no salto do Teles Pires, localizado na Fazenda Santa Rosa, dos Conservans, com o coisa n s u ra j Não ficou aí. foi além o previaeo cidadão inquinou-m c dc m entiroso, cuja pecha devolvo incólume A nação bacain, conheço-a bem antes do Sr Superintendente da FU - NA1 E sti assentada às m argens do T e les Pires com o Caia pó Possuc hoje, segundo dados colhidos "in loco", d o u agrupam entos com um efetivo de 300 almas E stão acuiturados, sei-o m uito bem O ntem praticavam agricultura itinerante, "coisa dc caipira", hoje já lavram a terra, dispõem dc tratores e colhe ladeira Este ano, se D eus não m andar em contráno e as sem entes do g o verno chegarem em tem po hábil, p re tendem os selvícolas sem ear cerca de 100 ha. de arroz, o que, na opinião do Sr Superintendente levá-los-ão à posição de realce "no m ercado com petitivo agrícola do E stado" (sic) Saiba o Sr Heraido, que em malén a de índio, não sou nenhun neófito aí mesmo, além dos bacains, conheci os xavantes no Batovi, os bororos no São Lourenço, os nhanbiquaras, cm estado natural, i i o G uapo ré c fiz amizade com parccis no Planalto do mesmo nom e, os "canhancores, cantados em verso e prosa nos idos dc 70, contactados pelo meu ilustre conterrâneo O rlando Vilas Boas, vio-os pelados no n o Peixoto Azevedo, sem falar dc outras tnbos. O Sr. Supcnnienoente reclam a que os bacains, há m uito tem po, lam entam a falta de peixe "um a das principais fontes dc sua alim entação", cm que pese os índios em tela se prepararem "para entrar, no próxim o ano, no m ercado com petitivo agrícola do Estado". A falta de peixe no alto T eles P i res, Sr. Superintendente, não decorre, ainda, do com portam ento "de im piedosos pescadores c/ou exploradores irrcsponsáveis" Ainda não' fruto da pequena precipitação atm osférica da re gião que tom a difícil a viagem dos peixes nas piraceinas, maximé em n o altam ente acidentado com o o Teles. Se a N ova República fizer chover no pedaço (é o que falta), haverá abundância dc pescado A insinuação do Sr. Supenntendente de que uso o Estado de MT para explorá-lo c falsa e m aldosa G asto, na medida das posses, em turism o nesse Estado há m uito tempo, pago imposto de pesca Recém, na cidade de Coxim, conform e nota fiscal avulsa n , paguei CzS 400,00 de ICM sobre peixe que pesquei no quintal dos bacains Im posto, ICM sobre peixe pego no anzol? Sun, coisas da Nova República H á mais, sob o título "P ró -P an tanal", o E stadão" publicou, de minha lavra, com entános sobre problemas ecológicos que ameaçam o Pantanal, d e correntes das ar ações das terras para o plantio da soja até a franja dos nos e riachos, acabando com a proteção ribeirinha dos m ananciais, propondo cuidados que deveriam ser levados em conta pelas autoridades com petentes para evitar os danos da asso nação E, ao que eu saiba, em Mato G rosso, há pantanal. Concluindo, finalm ente, "o desespero de um grupo indígena" (sic), acalorado por órgãos estatais, acabou por levar 43 selvícolas arm ados a dar batidas fiscalizadoras no alto T eles Pire», levando-m e, à guisa de colaboração, cinco lindos exem plares da colorida m atrinxá, como colondos são m uitos dos colaboradores da situação. Coisas da Nova República. Dr. losé Andreazzi Filho DERMATOLUU1A CRM: 34.80* D O EN Ç AS D A PELE, M U C O SAS, C A B E LO S E U N H AS ALERG IA - TE STE S A LÉ R G IC O S - VACINAS CIRU RG IA D E R M ATO LÓ O /C A - P E E U N G - C RIO TERAPIA ATENDE SE D E 2? A G C /H O R A MARCADA Rma Jomi Epifòmo Boêdho FONE e Sina? Urucubaca? G. M. v. Era uma quarta-feira. 7 de o u tu bro. més da revolução getulista que descarrilou a vida do país e nublou a H istória Brasileira. Sete de outubro dc ano dc desalento e pessimismo nacional No recesso dos lares, as fiynüias aguardavam, com interesse, novo capítulo da novela "O O utro", de Aguinaldo Silva, nos últimos episódios, quando, na tram a, devenam desvendar-se implicações dc João Süvéno. Dem zar c Paulo Inopinadamente. o locutor da TV anuncia a apresentação do v k c - presidente em exercício da República, a fim dc botar falação à brasileiras c aos b ra sileiros, o que suscitou contrariedades e excitou ralhos Falou o Homem, arengou todo o horário da novela, o delicioso passatem po da turba Discurso vazio, interpretaram alguns, para muitos, apenas desabafo, autoprom oção e ameaças, garantiram outros. Não faltaram os apologistas, é claro os amigos, os governadores, a cúpula dos partidos no governo, os interessados em benesses, os beneficiários da situação Não unham voltado à calma os espectadores, quando, segundos após, parece que por pilhéria ou desporto, por via dos mesmos meios de comunicação, estoura mais uma da N.R, continuidade da ditadura, aumento dos preços da gasolina, álcool, gás de cozinha e assem e lhados A violência prossegue Os p reços. engrossados sob as bênçãos dos deuses de BrasOia, evaporam a bolsa do estoico Povo. De pronto, engordaram os preços da energia elétnca, do frete, do autom ó vel, do açúcar, do leite, do telefone. Esticou o custo do arroz Encorpou a cotação da água e esgoto Não descansam os altistas. O maldito imposto de renda a derrocar os salános. Q uanto aos salários, não há nada que resolver. Ao contráno dos preços: segurá-los é a ordem do czar da E conomia Nacional Já que "são os alimenladores da inflação" As causas da praga inflacionária que amcsquinha os habitantes desta form osa T erra não são, pois, os aviões e jatinhos c helicópteros que cortam os ares brasileiros, em todas as direções, todos os dias Não são os passeios e viagens constantes Não são as viagens ao exterior em aviões pejados de acom panhantes com funçõe. ou sem funções Não é o pessoal participante dc reuniões, palestras e congressos no estrangeiro Não são as mordomias à fa r ta, nem o padrão "sueco" dos representantes do povo, nem o dinheiro da autoprom oção, nem os banheiros de ouro, nem a cnação de m inistérios, de secretarias c cargos elevados da adm inistração O aparecimento de um elemento político ou membro do governo na TV inquieta a população Ai vem pacote, vem choque Vem chumbo Eis porque nossa gente, "padrão m uçam bicano". prefere programas de amemdades e entretenim entos televisivos ao palavreado indesejável e indigesto do pessoal dc cima. o qual palav reado representa algo de suspeito e questionável Porque a classe política e impopular, de governos irrealistas e diletantes Ao povo lhe não interessam as discussõe» bizantinas acerca do parlam entarismo ou presidencialismo Nem os pactos políticos, nem o prazo do m andato presidencial, nem o programa mínimo da administração - tardio, cunhado além da metade do governo - A solução dos problemas imediatos, presentes. mdispensáveis a uma vida conveniente a ao bem -estar c que a quer este admirável e sofrido povo EDITAL DE PRAÇA Pela televisão a massa deseja p ro gramas dc música, de hum onsm o, de ficção, dc novela, de cinema, de conhecimentos gerais. Não se trata de crise de patriotismo Pode ser frustração, pois que ap público lhe dissolveram a confiança, implantaram a dúvida, acordaram, a descrença. Entra ano. sai ano, insula-ac regime. morre regime, entra ditadura, sai ditadura, entra república, sai república, o Povo não leva a palma a algo de substantivo. Am ontoados jazem os problemas Do Norte e do Sul. do Oeste e do Leste, dos vales e das montanhas, dos campos e das cidades, as mesmas lamentações, os mesmos queixumes. Faz-se mister enar outra m entalidade. necessário se faz form ar outro homem. Que será que se atravessa a vida deste país. enredando-lhe o destino? A vontade do céu é que não deve ser. Uma força insólita? Sina? U rucubaca9 do bem penhorado de JO SÉ DE O L IV E IR A FERREIRA E JO SÉ A P A R E C I DO FERREIR A, com o prazo de 20 (vinte) dias O D O U TO R ELÁ VIO C U N H A DA SILV A, JU IZ DE D IR E IT O D E S TA CO M A RCA DE SA NTA C R U Z DO R IO PA RDO. E STA D O DE SÁ O PA U LO - SP. etc FA Z SA BER que no dia 2 de dezem bro de às 14,15 horas, em frente à porta principal do edifício do Forum local, à Av Dr. C yro dc Mello C am arinha, será vendido em pnm eira praça, a quem maior lanço oferecer, acima da respectiva avaliação, o bem penhorado de José dc Oliveira e José Aparecido Ferreira, nos autos das execuções n-'s 615/84 e 685/85, movido por Finasa - C rédito Financiamento e Investim ento S/A, contra os mesmos, cujo bem é o seguinte Um prédio residencial sob n9 122 da rua Conselheiro Nabuco, em Ipaussu-SP, prédio este construído de tijolos c coberto de telhas francesa, com forro de madeira contendo 3 dorm itórios. 1 sala, 1 banheiro interno, I copa-cozinha e uma varanda transform ada em hall entrada e ainda no mesmo corpo da casa externam ente 1 sala de costura, 1 banheiro c uma lavanderia, fora do corpo pnncipal da casa existe 1 garagem para 2 autos c um hall dc serviço totalizando aproxim adam ente 140 m2 dc construção, construção esta que está edificada em um terreno dc 11,00 m etros dc frente e fundos e 21,00 metros nas laterais E n contra-se em bom estado dc conservação, avaliado cm CzS ,00 (cento e oitenta mil cruzados). Não havendo licitantes, o bem será levado a público p re gão de venda e arrem atação, em segunda praça, desde já designada para o dia 15 de dezembro, às 14,15 horas, no mesmo local c a quem der mais Assim para que chegue ao conhecimento de todos, é expedido o presente edital, que será afixado na sede do Juízo e publicado pela imprensa na form a da lei, ficando pelo mesmo edital, intimados José de Oliveira Ferreira c José Aparecido Ferreira, caso não venham ser encontrados e intimados pessoalmente Dado e passado nesta cidade e com arca de Santa C ruz do Rio Pardo, aos 20 dc outubro dc Eu, (a) M ana Dalva Botelho, escrevente, datilografei (a) José Alexandre Schutze, Escrivão, subscrevi. FL Á V IO C U N H A DA SILV A -JUIZ DE D IR E IT O - SE VOCÊ AINDA NÃO LEU O DEBATE, NÃO FOI UMA BOA NOTÍCIA. ASSINE HOJE MESMO!!! UGUE PARA (0143) E PEÇA UM REPRESEMTAWTE (,j3omçqffo FUNERÁRIA BOM JESUS ATI N O! m o IN F» I OUTAOS INSTITUTO» C A *A O S N O V O S FAMA W EM O ÇOtS E SÍFU tta M C N TO S mu as atauocs i esouifts m o mino* ffiço ANÚNCIOS CAHLA MOFTuAWâ ew ó IllO. ÔNiluS COMO AS. FIOM ÍS l SANTINHOS 0C IUTO FONE (0143) SANTA CRUZ DO RIO PARDO CALÇADOS COMPRAR CARRO TAMBEM E UMA QUESTÃO DE TRADIÇAO JERAL VEÍCULOS A esquina dos bons negócios de sempre

8 -8- diversos Santa Cruz do Rio Pardo, 29 de outubro de 1987 JUBILEU JACINTO Q. TORRA passo contou com a ajuda hercúlea da ainda não conheciam a fera com que lidavam, o padre inteligente, moderno Da Equipe de Colaboradores grande fortaleza humana, o singelo irmão leigo Frei Guala, hoje residente na corajoso e. sobretudo, trabalhador O M EU AM IGO F R E I H E N R I Itália, carregado de janeiros, como carregado andava seu carretão de bois ao o sol brasileiro. Nova têmpera Nascido na Europa en rijara- se aqui sob QU E LU IS SB RO G IÓ OP. hoje vigário na vizinha paróquia de Ipauçu, conheço-o há várias décadas, ao ternpo em Terminado o colégio em dois anos miar dos 80 anos bem vividos, bem luta tempo da construção do colégio. Frei Henrique Luis Sbrógio no li que se amarrava cachorro com lingüiça. o arquiteto da Ordem dos Dominicanos dos, depois de 5 décadas de sacerdócio Trabalhei com ele, nos idos de 40, na traz de Curitiba belíssimo projeto, arrojado mesmo, próprio do feitio do grande Ipauçu. Repouso, descanso, aiheiamenexemplar está destacado na Paróquia de Escola Apostólica D ominicana Santa Catarina de Siena, desta cidade, dando sacerdote. A Igreja N ossa Senhora de to, ostracismo? Nada disso! Lá está o aulinhas de Português, e de quebra, algumas de Geografia, para pretensos p a Levantou a fundação, fe z os alirido como sempre. Que o digam os seus Fátima. mesmo gigante. Mais velho, mas aguer dres, em que pese minha form ação religiosa meio rebelde. temerosos não concordaram com a m o modelou a Igreja Matriz, ligou-se ao cerces. Superiores do grande construtor prosélitos da cidade vizinha. L á ele re Lembro-me bem dessas aulas, dos derna planta. Estava além do tempo. município, ajuda-o na construção d alunos. Certa feita, sem a menor cerimônia, ensinava aos mocinhos teoria de construtiva do tenaz homem de São D o 80 anos. Que as força., ti ores et Duvidaram, sem razão, da capacidade ed cio da fé. E o mesmo "/ovenoto Darwin, sem atentar para com a incompatibilidade entre essas teorias e o cateveitaram a fundação e ali levantaram "per omnia saecula saeculorum, são os mingos, E ntão outros religiosos apro que ele tanto crê o mantenham firme cismo. Quando Frei Henrique, diretor a Igreja de hoje, mais simples. votos deste antigo amigo e companheiro do colégio deu pela coisa através de microfones instalados na sala de aula e E que os superiores Dominicanos dc colégio. audíveis na diretoria, os futuros padres conheciam mais as idéias do naturalista SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE SANTA CRUZ DC RIO PARDO inglês que as epístolas de São Paulo ou o Evangelho de São Lucas. Mas isso eu não f iz de caso pensado. Fi-lo, tão-somente, RESUMO d* 9REVISÃ0 ORÇAMENTÁRIA do Sindicato doi p o r respeito ao currículo oficial que, no colégio, todavia, não era seguido. Trabalhadores Rurais dc SANTA CRUZ D0 RIO PARDO, relativo ac Doutra feita Frei H enrique consulta-me exercício dc aprovado pela Assembléia cm 2 5 d e O u t u b r o d e sobre a conveniência de dis pensar determinado aluno. Alegava-m e o amigo que o rapaz, apesar da vocação Por C o n u da Por C o o ta dc e do esforço, era muito burrinho. Eu, RECEITA Contx. Sindical Rendas P róprias ironicamente, retruquei: "N ão tem importância, TOTAL ele vai ser p a d re ". Frei H en R E N D A T R IB U T A R IA , , 0 0 rique ficou uma fera, só faltou me deixar R E N D A S O C IA L sem o pagamento do mês. 1.42C.03G.U 0?.ú? n.n n n nn Esse grande sacerdote e grande homem nasceu, fa z tempo, em Ponte de RENDA PATRIM ONIAL R E N D A E X T R A O R D IN Á R IA Piave, na Itália, em 2 9 de m arço de Sua profissão religiosa deu-se em 21 de outubro de O rdenou-se p a dre pela Ordem dos Dom inicanos em 28 de outubro de 1937, comemorando agora T O T A L D A S RECEIT A S seu Jubileu Sacerdotal em plena e ir restrita form a física e religiosa, também. Seus cursos de Filosofia e Teologia DESPESA A D M IN IS T R A Ç Ã O G E R A L , fê-lo s em Bologna, que muito o aju CO N TR 1B R E G U L A M E N T A R E S , daram na vida sacerdotal por onde andou rezando (Brasil, Itália, Portugal e A SSISTÊN C IA SO CIAL , , ,0 0 O U T R O S SERVIÇO S SO CIAIS r U0 EUA). Chegou à nossa terra em 15 de dezembro de 1937, recém-ordenado. No A S SIS T Ê N C IA TÉC N IC A D ESP. EXTRAORDINÁRIAS ano seguinte abriu, perto do Largo de São Benedito, a Escola Apostólica acima citada (Seminário Menor). A escola começou com 15 alunos, dos quais 5 per- A P L IC A Ç Ã O D E CA PIT A IS severaram integrando mais tarde o clero brasileiro. Entre esses 5 religiosos estava o já saudoso Frei José Maria Loren- TO TA L DLSP E APLICAÇÕES zetti, precipitadamente retirado do nosso , 0 0 3, , 0 0 * , 0 0 convívio, não sei porquê. Frei Henrique permaneceu na direção II f - do colégio cerca de 20 anos. C o nheceu todos os percalços. Não recuou: - c...f.^l.cvwvv... k.. y L r x t s d / v 1 movnxiro - PREAIf)I>TX Ç / SA N T O T A R IC A N O o italiano não retrocedia, não fugia à CONTADOR - CHC 8 f n.e l i TIS luta, não pulava da nau nas tempestades. v - C T n 0C7T7 3tS/34 Em 40/42, novo desafio: constroi o colégio tal qual ele é ainda hoje. Nesse CERTEZA DE ECONOM A Supermercados São Sebastião ofertas: SABONETE PALMOUVE (LEVE 5 E PAGUE 4 )...46,80 GELÉIA VEGA - pote (LEVE 3 E PAGUE 2 )...94,20 E MAIS: NA COMPRA DE 2 MASSAS SANTISTA PI BOLO, LEVE GRÁTIS UM PÓ PARA P U D IM NA COMPRA DE 2 SALSADORO, LEVE GRÁTIS UMA LATA DE E R V IL H A... 49,50 EDITAL DE CITAÇÁO dos alienantes Celestino dos Santos K am cr, André Lovato, Honcstário Ramos de Oliveira, Guilherme Bizarro, e Alziro da Silva Bizarro, e seus respectivos conjui es, c dos possíveis interessados ausentes, incertos c desconhecidos, com o prazo de trinta (30) dias. O DOLTIOR FLÁ V IO C U N H A DA SILV A, JU IZ DL D IR E IT O D E S TA C O M A R C A DE SA N TA C R U / DO RIO PA RDO. E STA D O DE SÃ O PA U LO, ETC. PAZ SA B ER, que está em.andamento perante este juízo, os term os de uma Ação de Usucapião n'-' 1.169/87, requerida por José Guarsel, ferroviário, casado, R.G. n , c sua m ulher Zoraida de Oliveira Guaré, brasileira, casada, do lar, R.G n , residentes e domicialiados na rua Cerque ira C esar n- 285, B airro B arra Funda, Bem ardino dc C am pos-sp, desta com arca, os quais alegam na inicial o seguinte: que os requerentes estão na posse mansa e pacificamente, sem interrupção ou oposição de quem quer que seja, por mais de trinta (30) anos, somada a posse de seus antecessores do seguinte imóvel: Um..erreno, localizado no lado ímpar da rua Ccrqueira Cesar, à 30,00 m etros da esquina com a rua Olavo Egidio c e tem as seguintes confrontações: do lado direito, de quem olha para o terreno com José Guarel, pelos fundos com Daniel Pereira de C astro e de outro lado com Antonio Alves Cavalheiro em 22,00 metros e Daniel Pereira dc C astro em 3,00 m etros, não há benfeitorias; que a referida área não se encontra transcrita em nome de quem quer que seja: que a referida área encontra-se totalm ente cercada, e os requerentes vem cuidando e zelando pela prop.dade, bem como possuindo-a com animus domini ; que a tal gleba é at 'uida a si a propriedade nos term os dos artigos 550, 552 do C.P.C.; que por fim : ;uer a procedência da ação declarando o domínio dos requerentes sobre o imóvel usucapiendo FA Z SA BER M A IS, que foi designado o dia 24 de fevereiro de 1988, às 13:30 noras para audiência de justificação de posse. ASSIM SEN D O pelo presente edital Ficam os alienantes Celestino dos Santos Karner, A ndrc Lovato, Honcstário Ramos de Oliveira, Guilherme Bizarro, Alziro da Silva Bizarro, e, seus respectivos cônjuges, bem como os possíveis mteressados ausentes, incertos e desconhecidos, bem como seus respectivos cônjuges, se casados forem C IT A D O S, para querendo responderem, os term os da presente ação, acom panhá-la até o final, sob pena de R E V E LIA, cientificando-os de que não sendo contestada a ação presum ir-se-ão aceitos como verdadeiros os fatos articulados pelo autores (art. 285 e 319 do C.P.C.), bem como para intervirem na audiência referida, ficando por outro lado IN T IM A D O dos demais prazos e termos processuais (art. 942, II 1- do C.P.C.). Dado e passado nesta cidade e comarca de Santa Cruz do Rio Pardo, a 28 de setem bro de Eu (a) Maurício Gonçalves Saliba, escrevente, escrevi. FL Á V IO C U N H A DA SILVA - J U I Z DE D IR EITO - EDITAL DE CITAÇÃO dos possíveis interessados ausentes, incertos ou desconhecidos; com o prazo legal de trinta (30) dias. O DOUTOR FLÁVIO CUNHA DA SILVA, JUIZ DE DIREITO DESTA CIDADE E COMAR CA DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO, ESTADO DE SÃO PAULO. etc... FAZ SABER, que está em andamento perante este Juízo, os termos de uma Ação de Usucapião np 1.254/87, requerida por ANDRÉ PADILHA, agricultor, e sua mulher Idalina Moreira Padilha, do lar, brasileiros, casados sob o regime da comunhão de bens, antes da Lei 6.515/77, portadores do CIC n , residentes e domiciliados à Rua Brasil, 941, em Ounnhos-SP; os quais alegam na inicial o seguinte: Que vém, por si e seus antecessores: José Nunes Faria e s/m Helena Maria Furlaneto Faria; José Manzano Martins e s/m Ignez Leonardo Manzano; José Maria de Souza e s/m Francisca Alves de Souza; e João Evangelista da Silva e s/m Ana Maria da Silva, conforme comprovam escrituras de cessão e transferência de posse, há mais de vinte (20) anos, sem interrupção, nem oposiçác, possuindo mansa e pacificamente, com "animus domini", o imóvel rural, denominado Sítio São José, localizado no Bairro Cabeceira Bonita, município de São Pedro do Turvo-SÉ, com a área de m2, ou 12,51612 alqueires paulistas, dentro das divisas, medidas e confrontações, conforme consta do memorial descritivo e mapa de fls. 18/19; que o imóvel não é objeto de ações possessórias e nem reivindicatórias. FAZ SABER MAIS que foi designado o dla 09/março/1988, às 14,00 horas, para audiência de justificação da posse. Assim sendo, pelo presente edital, ficam todos os possíveis interessados ausentes incertos ou desconhecidos, bem como seus respectivos cônjuges, se casados forem, CITADOS, para querendo no prazo legal responderem os termos da presente ação, acompanhá-la até final decisão sob pena de REVELIA, c.entiticando-os de que não sendo contestaca a ação no prazo legal de quinze (15) dias contados da intimação do despacho que declarar justifica,a a posse, advertindo-os de que não sendo contestada a ação presumir-se-áo aceitos, como verdadeiros os fatos articulados pelos autores (art. 285 do CPC), bem como para intervirem na audiência referida, ficando por outro lado, intimados dos demais prazos e termos processuais (art. n9 942, II, 1e do CPC). Dado e passado nesta cidade e comarca de Santa Cruz do Rio Pardo, aos 05 J e outubro de Eu, (a) Valéria C. Barbosa, Esc. dati.ografei. Eu, (a) José A. Schutze, Esc. Diretor, confer,. FLÁVIO CUNHA DA SILVA -JU IZ DE DIREITO- EDITAL DE CITAÇÃO da requerida IGNEZ GOMES, com o prazo de 20 (vinte) dias. O DOUTOR FLAVIO CUNHA DA SILVA, JUIZ DE DIREITO DESTA COMARCA DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO, ESTADO DE SÃO PAULO, etc... FAZ SABER a requerida IGNEZ GOMES, brasileira, separada judicialmente, comerciante, portadora do RG n , residente e domiciliada em Curitiba-PR, e n local e endereço ignorado, que está em andamento perante este Juízo os termos de uma ação de Protesto Judicial contra Alienação ou Oneração de Bens sob n /87 em que Anália Aparecida Firmino move contra a mesma, a qual alega na inicial que a requerente é sócia da requerida em d e corrência, de instrumento de alteraçao de contrato social, de uma sociedade por Quotas de Responsabilidade Ltda. denominada Ignez-Anália, Comércio de Roupas Feitas Ltda.-ME. Cue a sociedade acima citada efetuou com o Banco do Estado de São Paulo S/A pela operação 1335 do Bacen, uma renegociação de dívida no valor de CzS ,00, para venc. em 07 de 01 de 1989, pelo pr zo de 18 meses, que assim o sendo, a referida renegociação foi efetuada em 18 parcelas à base de 0,5% ao més, mais taxa de atualização com base nas LBCs do Banco Central, sendo 45% nos 19s seis meses e 100% co T9 mês até o final, consta do contrato social, cláusula "e" que a requerente não terá retirada na sociedade a título de pró-labore, cabeiá apenas a reque-ida. Pelo mesmo contrato na cláusula "c" que a requerente caberia apenas quotas, enquanto que a requerida '0.000 quotas a 1,00 cada uma, o valor atual da parcela é de Cz$ 1.140,00 mensais, que a requerida possui apenas um automóvel de passeio, marca Ford, modelo corcel II, a gasolina, cor branca, ano 79, chassis LB4 Jug , placa UF-0604, dessa forma a requerente, a fim de ressalvar e resguardar seus direitos e interesses, move a presente ação. Assim sendo, pelo presente edital, fica a requerida Ignéz Gomes, notificada nos termos da ação. Dado e passado nesta cidade, aos 02 de outubro de Eu. (a) Maria Dalva Botelho, escrevente, escrevi, (a) José Alexandre Schutze, Escrivão Diretor, subscrevi. FLÁVIO CUNHA DA SILVA -JUIZ DE DIREITO - EDITAL para conhecimento de terceiros. O DOUTOR FLÁVIO CUNHA DA SILVA. JUIZ DE ClAElTO DESTA CIDADE E COMAR CA DE SANTA CRU- DO RIO PARDO. ESTADO DE SÃO PAULO. etc.. FAZ SABER a todos os interessados, que perante este Juiz* processam os termos de uma ação de Protesto Judicial contra Alienação ou Oneração de Bens seb n- 1192/87 requerida por Anália Aparecida Firmino, brasileira, solteira, comerciante, portadora da cédula de identidade RG ne 7.29? 739, residente nesta oende. contra IGNEZ GOMES, brasileira, separada judicialmente. comerciante, RG n? , residente em Cunbba-PR, e n local e endereço ignorado, foi defendo o protesto do seguinte: um automóvel oe passeio, marca Ford. modelo Corcel II. a gasolina, cor branca, ano de fabricação 1979, chassis n LB4 JUG placa UF categoria passeio, cadastrado na Ciretran da cidade de Ourinhos-SP. ficando a mesma proibida de aliená-lo por ora. Assim sendo, para que chegue ao conhecimento de todos e para que não possam alegar ignorância, é expedido o premente edital, que será publicado na torma da lei, bem como atuado na sede do Juízo Dado e passado nesta cidaoe e comarca de Santa Cruz do Rio Pardo, aos 02 de outubro de 1987 Eu. (a, Maria Dalva Botelho, escrevente, datilografei (a) José Alexandre Schutze. Escnváo Diretor, subscrevi FLÁVIO CUNHA DA SILVA -JUIZ DE DIREITO- DECLARAÇÃO DECLARO para os devidos fins e efertos legais que Io ram extraviadas as seguintes notas promissórias, contendo aceite de JOSÉ LÚCIO DOS SANTOS, brasileiro, solteiro, mdustnal. residente e domiciliado nesta cidade, CPF & 68. pagável a favor de AMADEU RICARDO CRESPI, brasileiro, casado, agricultor. CPF nota promissóna no valor de CzS com vencimento em 20/11/1987, - 8 notas promissónas no valor de CzS ,00 cada, com vencimento a partir de 20/12/87. Santa Cruz do Rio Pardo, 23 de outubro de 1987 (a) - AMADEU RICARDO CRESPI

9 Santa Cruz do Rio Pardo, 29 de o utubro de 1967 m l d i a O "Jornal d o V als. di á n o de Ourinhos. acabou. Um ano di pois de sua inauguração com muna fo m p a e apenas alguns ducs depois de. omemorar - também com muna p o m p ti - o seu primeiro aniversário, o JV fe c h o u As dificuldades financeiras e a grande queda na qualidade editorial fort im fundamentais para o seu fecham ento, tantas vezes adiado mas finalm ente <onsumado na semana passada. A D elegacia Regiorial de São paulo. do D epartamento Nacional de Telecom unicações - D in tr l - mformou esta semana que a coleta propostas das em presas habilitadas à concorrência pública de uma estação geradora de televisão em Bauru, com potência de 3.16 KW. encerrou-se nai última sexta-feira. Ao lodo. foram apresentadas nove p ro postas que serão encam inhadas ao Ministério das Com unicações, em Brasília, para um estudo técnico, e depois enviadas ao presuiente d a trepública, que concederá ou não a autorização para explorar o canal comercialmente na cidade e região. e Esta licitação pública fa z parte do edital n de 14 de aposto, publicado no D iáno Oficial pelo Ministério das Comunicações, que desde aquela data até a última sexta-feira coletou as propostas das entidades interessadas na exploração da concessão tle um canal comercial em Bauru, de alcance local e para geração própria d e imagens. Segundo empresários que estão na disputa da licitação pública, o resultado da concessão do novo canal só deverá sair dentro de seis meses. A m edida, no entanto. vai beneficiar toda a nossa região, pois haverá uma nova emissora para disputar audiência com o fatídico "S P - TV " regional da TV G lobo de Bauru. e A s empresas que concorrem à concessão do novo canal são as seguintes Rádio M ulher de S ã o Paulo (proprietária da TV M orada d o Sol, de Araraquara), Bauru Rádio C lube (empresa pertencente ao grupo da Rádio e Televisão Bandeirantes de S ã o Paulo), Rádio e Televisão M etropolitana (pertencente ao grupo do empresário Jair Sanzoni (que já tem a concessão de um canal de rádio FM em Bauru, m as ainda não instalou a emissora). R ádio e Televisão A ranbá (pertencente a um grupo de profissionais e empresários de com unicação com tradição, sendo genuinamente bauruense). Televisão J.K. L id a.' (não foi fornecido informações a que grupo pertence). Rádio Universitária de Presidente Prudente Ltda.. Sistema Caiuá de Rádio e Televisão S /C Ltda., TV Universal (Rede L & C C omunicações) e T V Clube de Bauru. O comediante Jô Soares, responsável pelo " Viva o Gordo, um dos m e lhores program as humorísticos da atualulade. acertou sua transferência para o SBT. A G lobo resolveu não cobrir a proposta milionária oferecida p o r Silvio Santos a Jô, e o humorista deve estrear um novo programa no SB T já a partir de janeiro. Sabe-se que a palavra G ordo", estará no título do novo program a. A norte-americana C harlo tle Fedders, ex- mulher de um alto funcionário do governo Reagan, resolveu contar num livro o espancam ento de que fo ra vítima durante os 18 anos de seu casamento com John Fedders. O ex-marulo. entretanto, ingressou na Justiça com uma ação, sob a alegação de que sem sua participação o livro não teria sido escrito. G anhou a causa e m ais 25% dos direitos autorais... Cerca de seis sem anas antes de sofrer o trágico acidente que resultaria em sua morte em 14 de setem bro de 1982, Grace Kelly concordou em assistir a uma edição inicial do film e especial sobre a vida da atriz que havia sido realizado para exibição na rede A BC. A exatriz gostou tanto do que viu que cedeu aos produtores os film es de seu casamento com o Príncipe Rainier, realizado em abril de 1956 Assim, com a aprovação de "Sua Serena Alteza Princeso GRACE ERA A FAVORITA DO MESTRE HtCMCOCK Grace". o especial "Grace Kelly" fo i concluído, sendo apresentado nos EUA em fevereiro de A Rede Globo apresentará este filme, dividido em duas partes, nos dias 26 e 27 às 22h25, com o título nacional de "G race Kelly, a P nncesa de M ônaco. e A Rede Manchete vai apresentar nos dias 28, 29 e 30 de outubro, às 22h30, o Festival de San R em o", considerado um dos mais importantes e o m aior festival da música popular italiana. A moderna e sempre romântica música italiana terá, um novo espaço na televisão brasileira. Participantes tradicionais do festival, com o Peppino Di C apn, se unem, agora, a novos como a cantora norte-americana T in a ju rn e r. Mandala, em sua segunda fase, ganha novos personagens, além de participações episódicas. M ana A lves será Carmem, m ulher de A polináno (Milton Gonçalves), Ricardo Hermanny, o m ordomo de Jocasta (Vera Fischer); Rejane Goulart, a secretária de C reonte (Gracindo Jr.); Gisela Arnaud, Luciane, amiga de Marluce (Ana Galo); Fernando Amaral, Dr. Washington, patrão de Letícia (Lúcia Veríssimo). Guilherme M artins. o m édico de Jocasta; Leonardo José, D r H ennando, advogado de Michel (W almor Chagas); Yaçanã Martins, a enfermeira do hospital onde Jocasta tem um filho. e Preocupada em oferecer ao seu público produtos de alta qualidade e valor cultural, a M anchete Vídeo acaba de aumentar o seu catálogo com o lançamento de mais dezessete títulos, valorizando as produções do cinema nacional. D os novos lançamentos, treze form am a coleção do cineasta Nélson Pereira dos Santos, considerados um dos maiores diretores do cinema brasileiro Dentre outras aquisições da Manchete Vídeo, está "A njos da N oite", do diretor Wilson Barros, que flagra vános personagens em uma noite na grande metrópole. CENA OE x\ ANJOS OA NOfTE ", COM MARfLlA PERA Dr. Marco Antonio Lorenzetti i A M ROCHA Da Eçuipe oe Coiaooraoofes Sain d o de \ e n e/a. contin u am o s a viagem pela bela Itália e passam os pela cidade de Pá lu a. que em ita lia no é Padova. O m otivo de passar por lá era o de v isita r a basílica de S anto A n to n io de P á d u a. que apesar de seu in te rio r sim ples é de um a riqueza e beleza in críseis no seu in te rio r, pois está cheia de p in tu ra s e escu ltu ras de G io tto. A liás, a Itá lia é um v erd ad eiro m u seu, onde existem obras de arte po r to d a p a rte. S a n to A n to n io de P ád u a era lisb o eta, m o rreu com 30 anos de id a de e está e n te rra d o na basílica que visitam o s. C om o era um g rande o r a d o r, sua língua e seus m axilares fora m conservados e se en co n tram em exposições n u m a redom a d o u ra d a. A liás, d e n tro da igreja há d o u rado po r to d a p a rte. N a p raça em fren te há u m a e stá tu a e q ü estre esculpida por D onatello. S ain d o de P á d u a, atravessam o s os M ontes A peninos e contin u am o s pela E stra d a dei Sol, passando pelas cid ades de F e rra i a e B olonha. N esta ú ltim a se e n co n tra a segunda u n i versid ad e m ais an tig a do m u n d o e tam b é m a fá b ric a A lfa-r o m eo. C ru z an d o o rio A dis e o rio do Pó, chegam os a F lo rença (F irenze em ita lia n o ) v e rd ad e ira cid ade-m u seu, c a p ita l m u n d ia l da a rte. É u m a cid ade da Id ad e M édia. T em sua c a te d ra l de p e d ra, de in te rio r sim p les, estilo g ótico, com 600 anos de idade, terc eira do m u n d o em ta m a n h o, toda de m á rm o re b ran co, rosa e verde. P o r d e n tro existem uns ferro s que a su ste n tam e que e ram usados na Id ade M édia, ch am ad o s tira n te s. É a C a te d ra l de S a n ta M aria dei F io ri, um dos sím bolos d a C id ad e das F lo res. Q u a tro a rq u ite to s tra b a lh a ra m na sua c o n stru ção. T em u m a cruz com 96 m etro s, afrescos de M ichelangelo, um C risto de 8 m etro s, o teto de m osaico b izantin o. N as cid ades da Id ade M édia era c o m u m h a v er 3 constru çõ es se p a ra d a s : a b a s í l i c a, a to rre ou c a m p a n a - rio e o b a tisté rio. A ssim é em F lo re n ça. No B atistério há um a p o rta fa m osa que levou 27 anos vm c o n stru ção. É de bronze d o u ra d o feita pelo a rtis ta L o renz. Só a b re u m a vez por a n o, no d ia de S. Jo ã o. É u m a das o b ra s p rim a s da R enascença. V im os a casa onde viveu D ante, u m a casa flo re n tin a da Id ade M édia, que fica na V ia D ante A lighieri. E a coisa m ais bela que vim os na cid ade foi a célebre e stá tu a de D a vi de M ichelangelo na G a leria D elia A cad em ia. Fica no m eio dc u m a sala c irc u la r, ilu m in ad a pela luz so lar, a q u ela im ensa e stá tu a de m árm o re b ra n co, tã o p e rfe ita q ue d á im p re s são de u m ser vivo e chega a em ocion a r. Do m esm o e sc u lto r, pudem os a d m ira r as v á ria s P ie tá s in acab ad as. E m F lo re n ça a a rte sobressai em c a da e sq u in a, em cad a c an to de ru a. O s e sp írito s de M iguel A ngelo, B occaccio, D onatello, B otticelli, G io tto, da V inci, D ante A lighieri A bela Itália p airam sobre F lo rença. q ue detém e n tre v árias g ló rias, aquela de servir de berço do R enascim ento. Sua in d ú stria é ligada às a rte s, ao tu rism o, aos artig o s de palha e couro. E n tre os séculos \ \ e XVI esta cid ade, que não é g rande, gerou m ais hom ens ilu stres, que revolucion a ram a p in tu ra, a esc u ltu ra, as letra s e as ciências do que toda a E u ro pa reunid a. E cham ad a de C ittá delia \ ita. F. c o rta d a pelo rio Xrno e sobre ele há um a conhecida ponte, a ponte variedades -9- V ecchia, que é toda fechada com o se fosse um a g aleria com lojas dos dois lados, a m aio ria jo alh e ria s fam osas. Q uem vai a Florença não deixa de conhecer o célebro M ercado da Palha e fazer suas com p rin h as. Ali exite um javali de bronze que tem o focinho b rilh an d o. Sabem por qué? Porque dizem q ue dá so rte passar a m ão no focinho do an im a l. E foi o que fizem os. lustram os m ais o focinho do jav a li. Pois, quem n ão q u e r ser b afejad o pelo h álito d a sorte nesta v ida? ADVOCACIA DR. JOAO A. P. N A N T E S CAUSAS: CÍVEIS CRIMINAIS COMERCIAL TRABALHISTAS EMPRESARIAIS E D. IMOBILIÁRIO Imobiliária Status lirm h~l COMPRA E VENDA * a d m in is tra ç ã o de imóveis Rua Marechal Btttncourt, Fona (PABX) Dr. Jefferóon Ribeiro C IRU RG IÃO DENTISTA CRO SP H O RÁRIO COM ERCIAL: D E & G U N D A A SÁ BAD O À NOITE: SEG U N D A A SEXTA. E XCETO QUARTA CONSU LTÓRIO : Rua Batista Botelho, 428 Fone SC R PARD O SP RIO DE JANEIRO - HOTEL EXCELSI0R - FERIADO DE FINADOS: 2 DE NOVEMBRO - PANTANAL MAT0GR0SSENSE Saída: 18/11 Retorno: 22/11 p a s s e i o s d e ô n ib u s e t r e m p e l o p a n t a n a l, PASSEIO DE BARCO PELO RIO PARAGUAI; VISITA À BOLÍVIA - HOSPEDAGEM EM HOTEL DE CORUMBÁ INFORMAÇÕES E RESERVAS: P I T 0 L T U R - A G Ê N C I A DE V I A G E N S R U A C O N S E L H E I R O D A N T A S, F O N E ( ) SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP NA HO RA DE COMPRAR 0 U VENDER SEU VEÍCULO, PROCURE A OLICAR COMPRA E VENDA DE VEÍCULOS NOVOS E USADOS RU A M ARECHAL BTTENCOURT F O N E S E 7P-PRS9 - S. C RU Z DO R IO PARD O - S P CIR U R G IÃ O DENTISTA - ORTO DONTIA PREVENTIVA A T E N D E -S E D E S E G U N D A A S Á B A D O, N O S H O R Á R IO S C O M E R C IA IS E À N O IT E C O N S U L T Ó R I O : R U A Q U I N T I N O B O C A IÚ V A, F O N E ( ) S A N T A C R U Z D O R I O P A R D O - S P D

10 ANO 11 - N* 348 Esportes SANTA CRUZ DO RIO PARDO, 29 DE OUTUBRO PE 1987 AES: SILENCIO TOTAL RUSSO DEFENDE 0 BRASIL N 0 FESTIVAL MUNDIAL UE FÓRMULA FORD Da Editona de Esportes A cada dia aproxim a-se mais a data estipulada pela Federação Paulista de Futebol para as novas vistorias no estádio Leônidas Camarinha 1, quando o órgão máximo do futebol paulista decidirá se o estádio terá ou não condições de permitir a participação da Associação Esportiva Santacruzense no certame profissional do Estado. A vistoria será feita no final de janeiro, por uma com issão coordenada pelo dirigente da FPF João A tala. No entanto, desde a últim a visita de Jo5o A tala a Santa Cruz quando o Leônidas'* acabou sendo rejeitado pela Federação -, houve muita polêmica em torno das reformas no estádio municipal de Santa Cruz do Rio Pardo, mas nenhuma obra foi feita. Se entre os esportistas, as esperanças cederam lugar ao descrédito, a diretoria da Associação Esportiva Santacruzense ainda mantém uma pequena esperança de que a Federação Paulista de Futebol acabe aprovando a disputa de jogos no Leônidas Camarinha em 88, devido à proximidade das eleições naquela entidade. Mas tudo ainda é um risco m uito grande: independente dos acertos políticos (a Santacruzense tem voto certo na eleição), a FPF pode não aprovar o campo devido à falta de qualquer modificação desde a últim a vistoria realizada no local. E se o tricolor perder a oportunidade de disputar a 2? Divisão no próximo ano, quando o clube terá outra oportunidade? Além disso, o que será feito do estádio municipal Leônidas Camarinha? São inúm e ras perguntas, que só o tem po poderá responder. FUTSAL EM CHAVANTES CHOLÊ Pelo campeonato de futebol de \» EhJMlXrftoihmO, W p#?ox/m 6 Eu Tb T o " '.'S salão - Regional e Interestadual de Chavantes -, as equipes de Santa Cruz do Rio Pardo não estão realizando uma hoa campanha, com exceção da Auto Elétrica Tapajós. O Arroz Solito, p o r exemplo, fez sua e - tréia no dia 18, perdendo por 8 a No dia 20, foi a vez do Primavera perder, desta vez por 7 a 5, para o Cruzeiro F.C., de Chavantes. No dia 23, pelo placar de 8 a 3, o Auto Elétrico Bosch perdeu para o Juventude de Chavantes. A única vitória santacmzense no futsai foi no dia 19, quando o Auto Peças Tapajós venceu por 3 a 0 a Coopiraju. DOBROU 0 NÚMERO DE ATLETAS NO FUTEBOL FEM ININO BRASILEIRO Do Banco de Dados do IBGE O futebol é o esporte que tem o m aior núm ero de atletas no país: , ou seja, o equivalente a 42,4% dos atletas apontados no A- nuário Estatístico do Brasil de 1986 cio IBGE'*. O futebol feminino p raticam ente dobrou seu núm ero dc atletas era três anos, pulando de jogadoras em 1982 para cm 1984, último ano da pesquisa Também o total dos atletas do automobilism o quase triplicou, pois se em 1982 era 725, no ano seguinte passou para e em 1984 chegou a Ao contrário dessas duas m odalidades desportivas, o boliche vem caihdo na preferência dos brasileiros, pois contava com atletas e caiu nos dois anos seguintes para em 1983 e para em O utro esporte que também baixou de cotação foi a natação, que em 1982 era a terceira m odalidade desportiva depois do futebol e do futebol de salão. Em 1983 e 1984 o voleibol (com atletas) assumiu essa posição desbancando a natação (com atletas) que passou para o quarto lugar. O utros esportes com grande contingente de atletas são o basquetebol (35.498), o judô (34.370) e o. tênis (33.966). R E G IÃ O SU D ESTE O s atletas brasileiros dispõem de 1 CflO C ju Í L 0T F *jõo MOCDE '! : StóvJü'acr',í%, associações desportivas no Bra sil, a maioria delas (5.764) na Região Sudeste, seguida do Sul (2.581), N ordeste (1.073), N orte (515) e Centro- O este (460). Podem contar, também, com técnicos desportivos, mais da metade (58,5%) deles dedicados ao futebol. O Rio (com 2.294) tem menos técnicos do que São Paulo (9.979), M i nas Gerais (3.747) e até menos do que o Paraná, que tem As associações desportivas reuniam '567 sócios em todo o País até 1984, na última pesquisa feita sobre D esportos pelo A- nuário Estatístico do B rasil/1986 do IB G E. São Paulo é o estado brasileiro com maior número de associações desportivas: 3.340, seguido de Minas G e rais (1 632), Paraná (1.012) e Rio de Ja neiro (603). São os estados de São Paulo (com ) e Rio de Janeiro ( ) que congregam a maioria (53,4%) dos associados. Minas tem e Espírito Santo fica com sócios. Por: EVANDRO 0 QOc E 0 u 6 V0LÍ t s r ft '" f é o L h R u P d! Como l Q v t 6v M í(\ &A3E& c j v í E L t T * P Kflí\ J f í? T E csiito noiio! 1'lA-f Renato Russo, atual vice-líder do Campeonato Brasileiro dc Fórmula Ford. participará do próximo Festival Mundial de Fórmula Ford 1600 que será realizado de 30 dc outubro a *1? de novembro, cm Brands Hatch, na Inglaterra. Russo confirmou sua participação m importante competição, depois de assinar contrato com as empresas do G rupo Pateco-Hudson e a Valvoline. O piloto brasileiro receberá também apoio da Linea C, um dc seus atuais patrocinadores na F-Ford nacional. Russo defenderá o Amity Racing Team. uma poderosa equipe britânica com sede cm SUverstone. Com assistência média de 50 nul pessoas pdt corndas, e a presença de muitos chefes dc equipe da Fórmula Ford Fórmula 3, Formula 3000 c até de Fórmula 1, o Campeonato Mundial de Fórmula Ford reúne cerca de 150 jovens pilotos, que tentam m ostrar - durante as disputas eliminatórias e a prova final, com apenas 26 carros no grid - todo seu p o tencial, aspirando chegar às principais categorias do automobilismo europeu e mundial. Com o Van Diemen, da Amity Racing, um dos carros mais competitivos da Fórmula Ford 1600, Renato Russo tem grandes possibilidades de se destacar também nesta competição internacional. Desta forma, ganhar o título mundial da categoria não é uma idéia despropositada: afinal, no Brasil ele corre com um carro mais potente e competitivo do que o modelo inglês utilizado no Mundial - o monoposto britânico dispõe de maior número de itens originais, utiliza, por exemplo, pneus radiais em vez dos sücks do Fórmula Ford brasileiro, o que facilitará muito a adaptação de Russo ao carro. BOA FASE Com 19 anos dc idade e dez de experiência no kart, o paulista Renato Russo é um dos maiores talentos da nova geração do automobilismo brasileiro. Aléitf de inúmeras conquistas no kartismo, Russo pode conseguir este ano o título de campeão brasileiro de Fórmula Ford. Neste certame, que mescla novos pilotos e competidores experientes. Russo ocupa, após sete difíceis etapas, a segunda posição. Desta forma, dos 40 pilotos que começaram a temporada de 1987, apenas ele e mais quatro ainda podem chegar ao título na última etapa, no próximo dia 29 de novembro, em Goiânia. Para obter esta posição de destaque numa das categonas mais difíceis e competitivas do automobilismo brasileiro. Russo fez boa campanha Começou com um segundo lugar no circuito de rua de Florianópolis e em seguida, no autódromo dc lnterlagos, as sumiu a liderança do campeonato com um quinto lugar. Mas, nas ruas de Foz do Iguaçu, perdeu essa liderança, mes mo com outra quinta posição. Na quarta etapa, em Cascavel, Russo foi imbatível além dc vencer, foi o primeiro "poleposition a ganhar uma prova do Brasileiro de Fórmula Ford, depois dc 14 corridas consecutivas. Mais tarde. Russo caiu novamente para a segunda posição do campeonato, porque não deu sorte nas duas provas de Guaporé. Mas conseguiu um bom quarto lugar no Rio de Janeiro, depois de largar apenas na 20B posição do grid P a r a não passar em brancas nuvens d e outubro, a partir da vigência do Estatuto do Servidor em 1952fie firm ou com o "Dia do Servidor Público". D esde este ano, os governantes sem p re dedicaram ò data suas a ten ções para com o os servidores, e m todas áreas. N esse dia sõo anunciados os projetos d e impacto que, invarlavelm ente, vêm beneficiar a im ensa categoria. M elhorias de vencim entos: benefícios às carreiras, plano d e cargos: "ProjetÕes"; anúncios d e concursos: correções, etc. N este ano, 1987, o servidor nõo tem nenhum m otivo especial para com em oração. Com a posse dos novos G o v e r n a d o r e s, h a b i l m e n t e, d esencadeou-se em âm bito nacional cam panha d e desm oralização ao servidor público. C entrada nos "marajás" que representa m 0,02% do quadro do serviço público o servidor generalizodam e n te recebe essa denom inação toda categoria foi estigm atizada. Tornou-se "bode-expiatório"para e s conder atos d e incom petência odministrativa e na gestão do erário público. A maioria dos Estados estâo anunciando a prom oção da Reform a A d m inistrativa na A dm inistração Centralizada, quando essa Reform a deveria ter Início nas Estatais, a m aioria deficitária è com prom etida com acomodações políticas q u e p e sam nos bolsos dos contribuintes e reduzem os vencim entos dos servidores zfue estõo terrivelm ente achatados. N a Constituinte, o últim o Projeto Cabral repete as distorções dos Projetos prelim inares, em bora alguns Institutos que foram omitidos anteriorm ente foram Inseridos. Numa análise m ais acurada verlflco-se que o servidor teve em retrocesso, pois c o n q u is ta s tr a d ic io n a is fo ra m suprimidas. Como podem constatar, os servidores nõo têm m otivos para com em oração. Quando os governantes encararem o servidor público com o um profissional e devolverem -lhe o respeito q u e já m ereceu, a f sim terem os moti-. vos para enaltecerm os a data. m v/é Para você que não tem tempo: TRANSCRÍTO OA FOLHA DO SERVIDOR PÚBLICO (COLABORAÇÀO MARIA LUCIA COMEGNO BESTOLDI, PRESIDENTE DA AFUPE - A SSO C DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS EST DE SCRPAROO) C O R U J Ã O D A I E R A I O melhor negócio ate às 22 horas JERÁL veículos h V ' \ \ s t < tv

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

ÍN DICE GERAL. das sociedades (artigo 64.! 1 do CSC)... 19

ÍN DICE GERAL. das sociedades (artigo 64.! 1 do CSC)... 19 ÍN DICE GERAL P ro g ra m a d a s J o rn a d a s so b re a R e fo rm a d o C ó d ig o d a s S o c ie d a d e s C o m e r c ia is... 5 A p re s e n ta ç ã o... 9 D isc u rso d o M in istro d e E sta d o

Leia mais

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País

Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Embarque no Turismo O Papel do Turismo no Desenvolvimento do País Belo Horizonte/MG, 21 de junho de 2010 Segmentação A s eg mentação es tá pres ente em todos os mercados, incluindo o mercado do turis mo;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE AUDITORIA IA CLÍNICA A IMPORTÂNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE EM SAÚDE Auditoria é em um exame cuidadoso e sistemático das atividades desenvolvidas em determinada empresa ou setor, cujo objetivo é averiguar

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA Emenda ao 40 CFR Parts 261, 266, 268 e 271 Documento: FERTILIZANTES À BASE DE ZINCO PRODUZIDOS A PARTIR DE MATERIAL SECUNDÁRIO PERIGOSO Julho/2002 S U M Á R

Leia mais

ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE

ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE N 5 / junho/julho - Cuba - Sergipe - 2011 Médicos de ciência e consciência Informativo Eletrônico ESTUDANTES E MÉDICOS FORMADOS EM CUBA PREPARAM A III CARAVANA DA SAÚDE EM SERGIPE Palestra sobre Cuba em

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o

R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o R E DE MA IS VIDA R e de de A te nç ã o à S a úde do Ido s o C ic lo d e D e b a te s : "1 C liq0 u e Ap a ra n eo d ita s r do eo s tilo Ed o ssta u b tí tu lo to m e s tre d o Id o s o E lia n a M á

Leia mais

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09

Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião AESBE 10/02/09 Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP Associação das Empresas Estaduais de Saneamento Básico - AESBE Padrões de lançamento para Estações de Tratamento de Esgotos Domésticos Reunião

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00034 Sexta-Feira Quit-Feira 22 08 de de Fevereiro Março de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as.

P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as. I I O F I C I N A PA R A I N ST R U M E N T A L I Z A Ç Ã O D O S M A T R I C I A D O A R E S E M SA Ú D E M E N T A L P articipação social n o en fren tam en to ao álcool e ou tras drog as. M o rg an

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

Câmara Municipal de Porto Alegre

Câmara Municipal de Porto Alegre Câmara Municipal de Porto Alegre ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO - para Registro de Preço EDITAL: 09/2014-SRP PROCESSO: 2615/13 Em, às 10:01 horas, na CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - CMPA, sito à

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00004 Sexta-Feira Quit-Feira 08 11 de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Nº

Leia mais

PROGRAMA DE ESTUDOS E

PROGRAMA DE ESTUDOS E ESTU DO S & PESQ UISA S PROGRAMA DE ESTUDOS E PESQUISAS EM REFORMA DO ESTADO E GOVERNANÇA Fundação Getúlio Vargas / Escola Brasileira de Administração Pública* OEstado brasileiro vem passando por transformações

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO AMAZONAS

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO AMAZONAS 8 de março O Conselho Regional de do Amazonas parabeniza todas as mulheres CRA/AM realiza Cerimônia de Posse Solene dos Conselheiros e apresenta nova Diretoria Executiva No dia 27 de m arço, no Morada

Leia mais

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2 His tó ric o O de s e nvolvime nto do S is te ma Voto E le trônico do Ministé rio P úblico do E stado de S ão P aulo te ve s e u início e m 2009 com a fina lidade de automatiza r os proce ssos e le itorais

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C iclo de vida : Do pneu novo ao pneu us ado FABRICAÇÃO IMPORTAÇÃO MERCADO Pneus Novos EXPORTADOS Pneus novos Fora do

Leia mais

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s

PROGRAM A + V IDA. P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s PROGRAM A + V IDA P o lític a de Á lc o o l, Fum o e O utra s D ro g a s da S ec reta ria de S a úde R ec COSTA ife JOÃO do MARCELO Coordenação Clínica do CAPS AD Eulâmpio Cordeiro SMS-PCR (DSIV) Coordenação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gavião-BA

Prefeitura Municipal de Gavião-BA Edição Nº Nº 024/2012 030/2012 Segunda-Feira Quinta-Feira 08 26 de Março Junho de 2012 Rua Irmã Dulce, nº 370 Gavião Bahia CEP: 44650-000. Tel/Fax: 75.3682 2271 CNPJ: 13.233.036/0001-67 www.gaviao.ba.gov.br

Leia mais

5º FESTIVAL ESTUDANTIL DE DANÇA

5º FESTIVAL ESTUDANTIL DE DANÇA 1 5º FESTIVAL ESTUDANTIL DE DANÇA O 5º FESTI VAL ESTUDANTI L DE DANÇA visa dar continuidade ao m ovim ento já estabelecido - 4 anos - e propiciar as crianças e jovens da com unidade rondonopolitana, o

Leia mais

2, N O AR, O JORNAL NACIONAL: A r m a n d o N o g u e i r a C r ia o P r im e ir o T e l e j o r n a l em R e d e 24

2, N O AR, O JORNAL NACIONAL: A r m a n d o N o g u e i r a C r ia o P r im e ir o T e l e j o r n a l em R e d e 24 Sumário Lista de q uadros tem áticos 10 Prefácio: A pura verdade, Jo ã o R o b erto M arinho * 11 N o ta técnica 14 PARTE I [1965-1974] Nasce o JN: o Brasil e o Mundo Unidos pela Notícia 15 1, O j o r

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Informações gerais da avaliação: Protocolo: 200910861 Código MEC: 361064 Código da Avaliação: 84943 Ato Regulatório: Reconhecim ento de Curso Categoria Módulo: Curso Status: Finalizada Intrumento: RELATÓRIO

Leia mais

R eg is tro de P rodutos R em edia dores. Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013

R eg is tro de P rodutos R em edia dores. Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013 R eg is tro de P rodutos R em edia dores Cintia M. Araújo Souza CCONP/CGASQ/DIQUA Brasília, 12/03/2013 Remediadores Ambientais LEGIS LAÇÃO ES PECÍFICA: Res olução CONAMA nº 314, de 29/10/2002 D is põe

Leia mais

A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU

A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU Secretariado Executivo Bilíngüe/Office Administration 127 A COMUNICAÇÃO COMO ELEMENTO MOTIVACIONAL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGÜE DA FAZU INTRODUÇÃO O p re s e n te

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO Departamento de Engenharia GRANDES EVENTOS SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO 1 EVENTO DATA E HORA LOCAL TIPO E OBJETIVO DURAÇÃO INTERFERÊNCIAS

Leia mais

PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14

PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14 PARA: GEA-3 RA/CVM/SEP/GEA-3/Nº 40/14 DE: RAPHAEL SOUZA DATA: 07.05.14 ASSUNTO: GPC Participações S.A. Recurso adm inistrativo Processo CVM RJ-2014-4201 Senhor Gerente, I. Síntese 1. Trata-se de recurso

Leia mais

Alfabetização e analfabetismo

Alfabetização e analfabetismo Alfabetização e analfabetismo desafios para as políticas públicas o O bserva tório da Educação e da juventude PELO CONTRO LE SOCIAL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS Alfabetização e analfabetismo desafios para as

Leia mais

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re O b ra s da C o pa 2 0 1 4 P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re RE C URS OS Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Assinada em 13 de janeiro de 2010

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos

Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos Avaliação, Tecnologias, e Custos Sociais e Econômicos Eduardo L.G. Rios-Neto Belo Horizonte, 11 de outubro de 2013 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO: I. Comentários Gerais Introdutórios II. III. IV. Pareamento de

Leia mais

Consultas e Serviços Especiais, com 0 (zero) dispositivos de segurança (Token) Agência: 3943 Conta Corrente: 13 001897-8 Titularidade: Cliente

Consultas e Serviços Especiais, com 0 (zero) dispositivos de segurança (Token) Agência: 3943 Conta Corrente: 13 001897-8 Titularidade: Cliente Termo de Adesão aos Serviços do Internet Banking Empresarial São partes neste Instrum ento: BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., instituição financeira com sede no Município de São Paulo, Estado de São Paulo,

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1

ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1 ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 026/2014 PROCESSO: 910-04.96/14-1 Em, às 09:00 horas, na EMPRESA GAUCHA DE RODOVIAS S/A - EGR, sito à AV. BORGES DE MEDEIROS, 261-3ºANDAR - PORTO ALEGRE - RS,

Leia mais

Workshop da Micro e Pequena Indústria. Licenciamento Ambiental. CIESP Sorocaba 26/maio/2009

Workshop da Micro e Pequena Indústria. Licenciamento Ambiental. CIESP Sorocaba 26/maio/2009 Workshop da Micro e Pequena Indústria Licenciamento Ambiental CIEP orocaba 26/maio/2009 O CIEP - Regionais Meio Ambiente CIEP 31 grupos MA formados +9500 Empresas e 43 DRMD s ~ 290 profissionais voluntários

Leia mais

P la no. B a nda L a rg a

P la no. B a nda L a rg a de P la no N a c io na l B a nda L a rg a 1 Sumário 1. Im p o r tâ n c ia E s tr a té g ic a 2. D ia g n ó s tic o 3. O b je tiv o s e M e ta s 4. A ções 5. In v e s tim e n to s 6. G o v e r n a n ç a

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-J3ERAL FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA AGENCIA NACIÒNAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-J3ERAL FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA AGENCIA NACIÒNAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-J3ERAL FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA AGENCIA NACIÒNAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL Em 26 de novembro de 2013. Parecer n 0580/2013/PGE-ANEEL/PGF/AGU Referência: \%Documento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL Termo de Apreensão de mercadorias e outros bens (Artigo 859, 8º - RICMS/RO) (NR dada pelo Dec. 18976, de 30.06.14 efeitos a partir de 30.06.14) GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA D.R.F. AR/PF TERMO DE APREENSÃO

Leia mais

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone

Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone Profa. Dra. C ristina Pereira G aglianone C en t r o C o l a b o r a d o r em A l i m en t aç ão e N u t r i ç ão E sc o l ar U n i v e r si d ad e F ed er al d e S ão P au l o P r o je t o d e L e i 6

Leia mais

ACECASTRO. Próxima edição - Outubro 2014 - Edição Comemora va 10 anos da Acecastro. Em comemoração ao Dia de Castro e 10 anos da Associação

ACECASTRO. Próxima edição - Outubro 2014 - Edição Comemora va 10 anos da Acecastro. Em comemoração ao Dia de Castro e 10 anos da Associação Seu Bole m Informa vo Bole m nº 1 - Setembro 2014 Próxima edição - Outubro 2014 - Edição Comemora va 10 anos da Acecastro CAFÉ BOM NEGÓCIO Um novo modelo de encontros que proporciona a você. DIA D CARTA

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 32 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 30/09/2013 Aos trinta dias do mês de setembro do ano de dois mil e treze, nesta cidade de

Leia mais

UML. Máquina de Estados

UML. Máquina de Estados UML Máquina de Estados Máquina de Estados Máquinas de estado: definição Diagrama de Estados Superestados Estados concorrentes Quando usar um diagrama de estados Máquina de Estados Faz a modelagem do comportamento

Leia mais

n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo

n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo n d ice : n d i c e :Í Apresentação Capítulo I - Introdução Capítulo II - O que são os Genéricos Capítulo III - Genéricos no Mundo Capítulo IV - Genéricos no Brasil Capítulo V - Bioequivalência e Equivalência

Leia mais

PESQUISA PERFIL DO TURISTA

PESQUISA PERFIL DO TURISTA PESQUISA PERFIL DO TURISTA 1) Qual país de origem? Categoria em (%) Brasil 98,19 98,66 97,55 América Latina 0,86 0,55 1,28 Outros países 0,95 0,80 1,16 País de origem América La tina 1% Outros pa íses

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Ote r m o tr a b a lh o d e riv a d o la tim v u lg a r tr ip a lia r e, q u e s ig n ific a m a r tiriz a r c o m o

Ote r m o tr a b a lh o d e riv a d o la tim v u lg a r tr ip a lia r e, q u e s ig n ific a m a r tiriz a r c o m o TRABALHO VOLUNTÁRIO E TRABALHO RELIGIOSO A lic e M o n te ir o d e B a r r o s* Sum ário: TRA BA LH O V O LU N TÁ RIO ; Introdução; Conceito; Term o de adesão; Ressarcim ento de Despesas; O trabalho voluntário

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Processo CVM nº RJ2013/11017

Processo CVM nº RJ2013/11017 Processo CVM nº RJ2013/11017 Interessados: Assunto: Diretora Relatora: Citibank DTVM S.A. Pedidos de dispensa de requisitos da Instrução CVM nº 356, de 2001, com alterações introduzidas pela Instrução

Leia mais

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde

Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Consulta de Atas de Registro de Preços da área da Saúde Passo a passo para consulta ao Banco de Dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. W Favoritos I ~ la..q.,ft >> CJJ lij ~ ~ Página Segurança

Leia mais

Câmara Municipal de Porto Alegre

Câmara Municipal de Porto Alegre Câmara Municipal de Porto Alegre ATA DA SESSÃO DO PREGÃO ELETRÔNICO EDITAL: 14/2013 PROCESSO: 0994/13 e outros Em, às 13:10 horas, na CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - CMPA, sito à AV. LOUREIRO DA SILVA,

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Informações gerais da avaliação: Protocolo: 200710559 Código MEC: 170552 Código da Avaliação: 60151 Ato Regulatório: Autorização Categoria Módulo: Curso Status: Finalizada RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Intrumento:

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica

Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009. Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica Ministério Público Federal, B rasília 8 de junho de 2009 Leonardo C. Fleck, C ons ervação E s tratég ica P r e o c u p a ç ã o c o m a q u a lid a d e d o s g a s to s p ú b lic o s e m c e n á r io

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007 REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL JUNHO/27 VOLUME II ANEXOS ANEXO I DESENHOS... 1 Revisão do Plano de Controle Ambiental PCH Piedade Junho/27 ANEXO I DESENHOS Sigla PIE-CAN-2 PIE-ACE-2 PIE-RESG-1

Leia mais

E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H. Plano de Ação

E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H. Plano de Ação E mpresa B rasileira de S erviços Hospitalares EBS ER H Plano de Ação 1 C O N T E X TO (R es ulta do s R E H U F) D es de s ua c o nc epç ã o o R E H U F tem a tua do : N a fo rm a de Fina nc ia m ento

Leia mais

E V O L U Ç Ã O D O S S IS T E M A S D E M O N IT O R A M E N T O N A G E R Ê N C IA D E R IS C O D A N IE L R U S S I F IL H O russi@sascar.com.

E V O L U Ç Ã O D O S S IS T E M A S D E M O N IT O R A M E N T O N A G E R Ê N C IA D E R IS C O D A N IE L R U S S I F IL H O russi@sascar.com. E V O L U Ç Ã O D O S S I S T E M A S D E M O N I T O R A M E N T O N A G E R Ê N C I A D E R I S C O D A N IE L R U S S I F IL H O russi@sascar.com.br HISTÓRICO 1994 - in í c io d o s r a s t r e a d

Leia mais

Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message

Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message Leonardo Menezes Vaz Seu Recibo do Bilhete Eletronico 1 message nao responda@tam.com.br Reply To: NAO RESPONDA@tam.com.br To: LEONARDO.VAZ@gmail.com Sat,

Leia mais

$FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV

$FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV Page 1 of 5 %RDFRPXQLFDomRLQWHUQDpYDQWDJHPFRPSHWLWLYD $FRPXQLFDomRLQWHUQDQDVHPSUHVDVVypYDOLGDGDTXDQGRDWLQJHWRGRVRVQtYHLVKLHUiUTXLFRVHWHP DVErQomRVGRVSULQFLSDLVH[HFXWLYRV 1DUD'DPDQWH Do presidente para

Leia mais

Princípios Básicos. Sindicância

Princípios Básicos. Sindicância Princípios Básicos Da Sindicância ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA É a atividade concreta e imediata que o Estado desenvolve para a consecução dos interesses da coletividade. 1 O servidor público ao ser investido

Leia mais

Vem pra urna! Justiça Eleitoral. Cartório Eleitoral - ES. Cartilha educativa da. Justiça Eleitoral. sobreo poder do voto.

Vem pra urna! Justiça Eleitoral. Cartório Eleitoral - ES. Cartilha educativa da. Justiça Eleitoral. sobreo poder do voto. Vem pra urna! Justiça Eleitoral Cartório Eleitoral - ES www.tre-es.jus.br. #vempraurna Cartilha educativa da Justiça Eleitoral sobreo poder do voto. Material desenvolvido pelo Tribunal Regional Eleitoral

Leia mais

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011 Oferta Significado 2011 Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão Setembro 2011 Data para submissão das Candidaturas: Até 10 de Outubro 2011 Financiamento Formação Geral Micro

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Para: SGE MEMO/CVM/SRE/Nº 73/2014 De: SRE Data: 19.11.2014

Para: SGE MEMO/CVM/SRE/Nº 73/2014 De: SRE Data: 19.11.2014 Para: SGE MEMO/CVM/SRE/Nº 73/2014 De: SRE Data: 19.11.2014 Assunto: Processo nº CVM RJ 2014/10139. Pedido de Dispensa de Registro de Oferta Pública de Distribuição de Valores Mobiliários. Artigo 4º da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 66 Discurso na solenidade de comemoração

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

7a. Edição Editora Atlas

7a. Edição Editora Atlas FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU Pós-graduação em Auditoria, Controladoria e Finanças Disciplina: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Slide 1 Professor: MASAKAZU HOJI ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Centro de Saúde entra em greve

Centro de Saúde entra em greve D iretor-p roprietário Sérgio Fleury Moraes CIRCULAÇÃO SEMANAL Uma voz livre em tua defesa ( A no 9 - N? 282 - RedaçSo e O fic in a s : A v. T ira d e n te s, 877 - C x. P. 34 - F O N E 72-2 3 5 8 - S

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Implantação do programa Adequação e melhorias no Aterro Sanitário durante a implantação do programa Implantação do civeiro municipal. Valorização do Material

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

Educação Corporativa: desenvolvendo competências em um mundo em transformação

Educação Corporativa: desenvolvendo competências em um mundo em transformação Capa Nos últimos anos, o conceito de educação corporativa adentrou o ambiente corporativo e transformou valores nas organizações. Mas será que as empresas têm tratado o assunto com o devido cuidado? Quem,

Leia mais

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO IESMA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO IESMA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO IESMA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Reconhecido Pela Portaria Nº 1.705 De 18 de Outubro de 2010,

Leia mais

CRA/AM. Editorial BOLETIM ELETRÔNICO PROJETO CRA/AM NA ESTRADA

CRA/AM. Editorial BOLETIM ELETRÔNICO PROJETO CRA/AM NA ESTRADA PROJETO NA ESTRADA Presidente do recebe moção da Câmara de vereadores O Vereador Hom ero de Miranda Leão encam inhou u m a M o ç ã o d e Parabenização ao Adm. Nelson Aniceto Fonseca Rodrigues, pela posse

Leia mais

Projeto: Sala de Descanso de Paletes Organização: Conexão Marítima Serviços Logísticos S/A. Imagens: 1/1. Sala de Descanso de Paletes

Projeto: Sala de Descanso de Paletes Organização: Conexão Marítima Serviços Logísticos S/A. Imagens: 1/1. Sala de Descanso de Paletes 2 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 2013-2014 Sala de Descanso de Paletes Espaço Na Sala de Paletes Pneus Reutilizados Como Floreiras Biombo Reutilizável/imagens dos Colaboradores Coffe

Leia mais

10 motivos para investir e se apaixonar

10 motivos para investir e se apaixonar 10 motivos para investir e se apaixonar CONHEçA UM POUCO MAIS SObRE A CIDADE que NãO PARA DE CRESCER E que TEM TUDO PARA fazer O MESMO PELA SUA EMPRESA. o Brasil está se firmando como um gigante do desenvolvimento

Leia mais

Parte 3 : Gravação de CDs

Parte 3 : Gravação de CDs Parte 3 : Gravação de CDs Durante vários anos, os CDs foram m ídias som ente para leitura. Você podia com prar um program a em CD, m as se por algum m otivo precisasse copiá-lo teria que usar disquetes,

Leia mais

Logística & Operações

Logística & Operações Logística & Operações José Crespo de Carvalho Professor Catedrático ISCTE 93 845 79 00 jose.carvalho@iscte.pt Matéria: Tópicos: Instrumentos: Caso Prático: Gestão de Stocks; Impactos Financeiros Porquê

Leia mais

Portal da Justiça A Justiça ao serviço do cidadão e das empresas

Portal da Justiça A Justiça ao serviço do cidadão e das empresas 1 de 7 Portal da Justiça A Justiça ao serviço do cidadão e das empresas Publicação On- Line de Acto Societário e de outras entidades Imprimir Ajuda Fechar Publicação NIF/NIPC 500065268 Entidade Clube de

Leia mais

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS

CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE SERVIÇOS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS CATMAT SISTEMA DE CATALOGAÇÃO DE MATERIAIS CATSER SISTEMA DE

Leia mais

Câmara Municipal de Fortaleza Vereador Evaldo Lima,- pedos

Câmara Municipal de Fortaleza Vereador Evaldo Lima,- pedos Câmara Municipal de Fortaleza Vereador Evaldo Lima,- pedos "INSTITUI o PROGRAMA DE RESTAURANTE POPULAR DO.MUNICÍPIO DE FORTALEZA, NA FORMA QUE INDICA." Vimos à presença de V.Ex. a, a fim de requerer, nos

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2/8/201 e-mec - Funcionário MEC Informações gerais da avaliação: Protocolo: 20120377 Código MEC: 83997 Código da Avaliação: 1080 Ato Regulatório: Reconhecim ento de Curso EAD Categoria Módulo: Curso Status:

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais