Área de CONSTRUÇÃO CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Área de CONSTRUÇÃO CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO"

Transcrição

1 Palestra - NBR Desempenho das Edificações RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS REALIZAÇÃO

2 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO A Construtora Lage foi fundada em 2000, por três empreendedores com grande experiência e visão de mercado da construção civil. Desde então vem se destacando cada vez mais no cenário imobiliário de Belo Horizonte, pela construção de empreendimentos com qualidade e alto padrão de acabamento. Acompanhando o crescimento do mercado imobiliário, em 2012, a Construtora expandiu seus negócios para a cidade de Itabira, levando para a região empreendimentos diferenciados alinhados às novas tendências do mercado. Também incorporadora, sua atuação no segmento se baseia numa criteriosa escolha de projetos, tendo como ponto de partida a escolha de localizações privilegiadas e exclusivas e a análise da viabilidade econômico-financeira dos empreendimentos.além disso, é marca registrada da construtora o alto padrão de acabamento e a elevada qualidade dos imóveis construídos, com atenção a cada detalhe desde o projeto até a entrega, visando sempre à satisfação de seus clientes. E devido à preocupação de sempre estar se atualizando quanto às exigências legais e buscando a melhoria contínua dos processos, os diretores da Construtora optaram em agosto/15 a participarem do programa de Capacitação e Assessoria da NBR 15575/13- Norma de Desempenho.

3 APRESENTAÇÃO DO PALESTRANTE Nome: Bruna Oliveira Função: Coordenadora da Qualidade Atividades desenvolvidas na Construtora: Responsável pelo Sistema de Gestão da Qualidade e pelos processos de Vistoria e Entrega dos empreendimentos e Assistência Técnica.

4 NBR Desempenho das Edificações Boas práticas

5 NBR 15575/13- NORMA DE DESEMPENHO É impossível progredir sem mudança, e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada. (George Bernard Shaw)

6 BOAS PRÁTICAS O Programa de Adequação de Processos para Atendimento à NBR nos proporcionou um conhecimento prático e enriquecedor sobre o que de fato muda nas construções a partir da Norma de Desempenho, trazendo clareza quanto os requisitos, as responsabilidades de todos os envolvidos e a importância da disseminação da norma, para que sua utilização seja a mais ampla possível, permitindo assim que a Construtora e seus fornecedores de materiais e serviços se adéquam melhorando ainda mais a qualidade de nossos empreendimentos. Outra mudança de paradigma que o programa nos proporcionou foi a de perceber a importância da gestão de projetos como fator primordial para execução das edificações com desempenho. Aprendemos que é preciso disponibilizar o maior tempo na análise dos projetos e que os mesmos devem ser integrados e analisados antes de sua execução na obra, permitindo assim, que ainda na fase de planejamento as intervenções necessárias para atendimento a Norma já sejam definidas. Os workshops e visitas nos levou a pensar em nossos processos e na necessidade de adequá-los a NBR 15575, não só para atendimento a requisitos legais, mas também para insurgir paradigmas da Construção Civil e fazer que tal setor de fato se torne uma indústria.

7 BOAS PRÁTICAS Através dos conhecimentos obtidos nos workshops, visitas e experiências compartilhadas pelas demais empresas participantes do programa, iniciamos a adequação de nossos processos (Incorporação, Projetos, Suprimentos, Produção e Assistência Técnica) para atendimento da Norma de Desempenho: Contratação de empresa especializada para realização de consultoria técnica, referente a ensaios de Análise de Acústica de Entorno; Análise de Desempenho do Projeto Arquitetônico e Ensaios de Comprovação de Desempenho dos Sistemas; Reavaliação das premissas e diretrizes para contratações de projetos e fornecimentos de materiais; Reformulação de contratos com projetistas, segundo as diretrizes para atendimento da Norma de Desempenho, enfatizando as responsabilidades dos envolvidos.

8 BOAS PRÁTICAS Revisão de documentos do Sistema de Gestão da Qualidade, nos processos de viabilidade, projetos, suprimentos, produção, assistência técnica, entre outros; Reformulação do Termo de Vistoria para entrega dos aptos. e áreas comuns dos edifícios; Adaptação dos manuais de operação, uso e manutenção, para atendimento a ND; Elaboração de Termo para entrega dos manuais do proprietário e síndico, enfatizando as responsabilidades dos mesmos, quanto a realização e registros das manutenções preventivas, dando maior ênfase quanto a importância do manual de operação, uso e manutenção da edificação; Implantação de novos indicadores no processo de assistência técnica.

9 NBR Desempenho das Edificações Dificuldades

10 PRINCIPAIS DIFICULDADES Para realizar as adequações de atendimento a NBR 15575/13- Norma de Desempenho, nos deparamos com algumas dificuldades internas e externas: Encontrar no mercado fornecedores preparados para atender aos requisitos da Norma de Desempenho, principalmente no que diz respeito à vida útil dos produtos; Maior envolvimento dos construtores para junto ao Sindicato mobilizar o setor de fabricantes/fornecedores de materiais e serviços, para que se adéquam aos requisitos da Norma de Desempenho, que é a necessidade do mercado atual; Capacitação e envolvimento dos projetistas; Situação da economia atual, que não promove condições de viabilidade para novos investimentos.

11 Bruna Oliveira Construtora Lage Ltda. (31) Muito Obrigada

NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS

NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS NORMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO E REFORMAS Profª Maria Cleide Curso técnico em edificações 2016 1 NBR 15575 NORMA DE DESEMPENHO 2 3 4 Prazos de vida útil de projeto 5 6 7 NBR 5674 Gestão da Manutenção Direcionada

Leia mais

Consultoria p a r a a t e n d imento à NBR 1 5 5 7 5 CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO

Consultoria p a r a a t e n d imento à NBR 1 5 5 7 5 CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS Programa NORMA DE de adequação DESEMPENHO de processos para GRUPO atendimento MINAS GERAIS a NBR 15575 REALIZAÇÃO O SENAI Minas 74 anos de experiência 3,3 mil funcionários

Leia mais

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Construção Civil II Norma de Desempenho de Edificações ABNT NBR 15575:2013 aplicada à Construção Civil Prof. André

Leia mais

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados.

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados. Fundada em agosto de 1975, por 13 empresas, a ADEMI-BA completa em 2015, 40 anos de existência sempre optando por projetos alinhados às necessidades da população, colocando em primeiro plano as exigências

Leia mais

Empresa. ROKA Engenharia S/S Ltda - Serviços em NR12. Concept for standards

Empresa. ROKA Engenharia S/S Ltda - Serviços em NR12. Concept for standards Serviços em NR12 Empresa A ROKA ENGENHARIA foi fundada em 1992, com prestação de serviços em Engenharia Elétrica e Mecânica. Em 2009 ampliou as suas atividades para serviços em Gestão Integrada (Segurança

Leia mais

Responsabilidades e ações necessárias do setor da construção no contexto atual para promover a conservação das edificações

Responsabilidades e ações necessárias do setor da construção no contexto atual para promover a conservação das edificações Responsabilidades e ações necessárias do setor da construção no contexto atual para promover a conservação das edificações Marcos Velletri Diretor de Insumos e Tecnologia da Vice-Presidência de Tecnologia

Leia mais

MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE

MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE Givaldo Bezerra da Hora Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE givaldobezerra@bol.com.br Maria Rejane Ferreira

Leia mais

OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A.

OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. MAIO Rio de Janeiro, 27 de maio de 2013. À OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (na qualidade de administradora do TRX Realty Logística Renda I Fundo de Investimento Imobiliário

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO

CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO CERTIFICAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PAINÉIS DE CONTRIBUIÇÃO Certificações O MPF passa por um processo de certificação de qualidade em suas várias instâncias. A certificação pode ser: Por exemplo, Certificação

Leia mais

VIDA ÚTIL E PRAZOS DE GARANTIA SOB A ÓTICA DA NORMA DE DESEMPENHO NBR 15.575 (ABNT, 2013)

VIDA ÚTIL E PRAZOS DE GARANTIA SOB A ÓTICA DA NORMA DE DESEMPENHO NBR 15.575 (ABNT, 2013) 1 VIDA ÚTIL E PRAZOS DE GARANTIA SOB A ÓTICA DA NORMA DE DESEMPENHO NBR 15.575 (ABNT, 2013) Letícia Carvalho Moreira (leticiacarvalho@crea-go.org.br) Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás

Leia mais

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A M E N S A G E M À A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A 2 0 1 3 G O V E R N O P A R T I C I P A T I V O, É T I C O E C O M P E T E N T E C o n t r o l a

Leia mais

Um bairro com novas cores e bem pertinho da praia.

Um bairro com novas cores e bem pertinho da praia. Com acesso facilitado pela orla, o Imbuí sempre se destacou pela sua praticidade. Próximo a grandes shoppings, faculdades e ao principal centro financeiro da cidade, o bairro foi completamente revitalizado,

Leia mais

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Sustentabilidade Contexto Aumento no número de pessoas Maior quantidade de recursos explorados Produção e consumo: compras

Leia mais

Desenvolvimento de projeto de produto

Desenvolvimento de projeto de produto Desenvolvimento de projeto de produto Sociedade como instituição Política econômica Leis Normas Critérios Política social Indústria Designer Usuário Processo de fabricação Projeto Produto Processo de utilização

Leia mais

Questionário de Autoavaliação

Questionário de Autoavaliação Promoção TROFÉU AURY LUIZ BODANESE Questionário de Autoavaliação Apoio 1. Orientação geral sobre o processo Para preencher o questionário a seguir, sua empresa rural deverá ter completado pelo menos dois

Leia mais

O SHOPPING QUE VAI SER O CENTRO DAS ATENÇÕES EM CAMPOS. Perspectiva ilustrativa do local

O SHOPPING QUE VAI SER O CENTRO DAS ATENÇÕES EM CAMPOS. Perspectiva ilustrativa do local O SHOPPING QUE VAI SER O CENTRO DAS ATENÇÕES EM CAMPOS. Perspectiva ilustrativa do local CAMPOS DOS GOYTACAZES: Foto do local NORTE FLUMINENSE E SUL CAPIXABA O NOSSO GOLFO DO MÉXICO* UMA CIDADE QUE NÃO

Leia mais

O PROJETO ESTRUTURAL E A COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO Engº Ary Fonseca Júnior. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento

O PROJETO ESTRUTURAL E A COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO Engº Ary Fonseca Júnior. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento O PROJETO ESTRUTURAL E A COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO Engº Ary Fonseca Júnior A Comunidade de todos nós A ABCP vem pautando seu trabalho de desenvolvimento de mercado com uma visão de sistemas à base de cimento,

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas Título do Slide Máximo de 2 linhas 13ª Seminário Internacional de Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos de Tecnologia da Ecorodovias Afranio Lamy Spolador Junior, Set, 17, 2013 Título Agenda do

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 701, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 701, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 701, DE 2015 DA COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA, sobre a Mensagem nº 67, de 2015 (nº 273/2015, na origem), que submete à apreciação do Ssenado Federal o nome do Senhor LUIZ

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI EAD Ensino à Distância do TCE-MT para a Gestão Pública CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Agenda 1. Relevância das contratações de TI para a APF 2. Antigo Modelo de Contratação

Leia mais

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO OUTUBRO DE 2013 SUMÁRIO MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO... 1 1. Núcleo de Informações

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Abril/ 2016 OBRA:

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Abril/ 2016 OBRA: RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Abril/ 2016 OBRA: Informações da Obra: Att. Aos clientes do Vallentina Vasconcelos Residence. A Iguatemi Construções Ltda., tem a satisfação em informar aos nossos clientes,

Leia mais

FERRAMENTA PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE 11ª PRÊMIO BRASIL AMBIENTAL DA AMCHAM RIO - INOVAÇÃO

FERRAMENTA PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE 11ª PRÊMIO BRASIL AMBIENTAL DA AMCHAM RIO - INOVAÇÃO FERRAMENTA PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE 11ª PRÊMIO BRASIL AMBIENTAL DA AMCHAM RIO - INOVAÇÃO CONCREMAT 60 DE ATUAÇÃO ANOS NOSSA MISSÃO ASSUMIMOS DESAFIOS COM OUSADIA E COMPETÊNCIA, PROVENDO SOLUÇÕES INTEGRADAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO -

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TOR/UNESCO/SEB Nº /20. Número e Título do Projeto: Projeto 94BRA - Fundo de Fortalecimento da Escola Equidade e Qualidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. PUBLICADO NO DOM N o DE / / DECRETO N o 769

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. PUBLICADO NO DOM N o DE / / DECRETO N o 769 PUBLICADO NO DOM N o DE / / DECRETO N o 769 Estabelece critérios para simplificação dos procedimentos relativos à Secretaria Municipal do Urbanismo. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO

Leia mais

Financiamento ao Fomento Florestal

Financiamento ao Fomento Florestal Financiamento ao Fomento Florestal 03/10/2012 FINANCIAMENTO A PROJETOS DE FOMENTO FLORESTAL Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura Programa ABC / BNDES Automático 1 Agenda

Leia mais

Seminário Preparatório HABITAÇÃO

Seminário Preparatório HABITAÇÃO Seminário Preparatório Inclusão Social Como usar CT&I para promover a inclusão Social? HABITAÇÃO Engenheiro Teodomiro Diniz Camargos C â m a r a d a I n d ú s t r i a d a C o n s t r u ç ã o - F I E M

Leia mais

Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais)

Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais) FOLHA DE CAPA TÍTULO Requisitos para liberação de instalações prediais ao uso do gás natural (comerciais e residenciais) NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGAS FOLHA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS PR-75-174-CPG-001

Leia mais

6 nov 09 APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência

6 nov 09 APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência APDE Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência 242 anos São José dos Campos População estimada: 615.000 habitantes Pólo industrial e tecnológico Três fortes segmentos: Automotivo, Petrolífero

Leia mais

VISTORIA DE VIZINHANÇA NORMA DO IBAPE/SP

VISTORIA DE VIZINHANÇA NORMA DO IBAPE/SP VISTORIA DE VIZINHANÇA NORMA DO IBAPE/SP Os conceitos e opiniões apresentados nesta atividade são de responsabilidade exclusiva do palestrante. O Congresso não se responsabiliza por opiniões ou pareceres

Leia mais

1. ACORDO COLETIVO ESPECÍFICO DO SALÁRIO MÍNIMO PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO

1. ACORDO COLETIVO ESPECÍFICO DO SALÁRIO MÍNIMO PROFISSIONAL DO ENGENHEIRO Todas as Entidades Sindicais que Negociam com a CEMIG Nossa Referência: RH/RS 00355/2016 Data: 29/01/2016 Sua Referência: Assunto: Compromisso Extra Acordo Prezado(a) Senhor(a): A Companhia Energética

Leia mais

Projeto de Pesquisa: Sistema para Capacitação em Melhores Práticas para Produção Agroindustrial Familiar Apoiado por Tecnologia da Informação

Projeto de Pesquisa: Sistema para Capacitação em Melhores Práticas para Produção Agroindustrial Familiar Apoiado por Tecnologia da Informação FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA POLO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO VALE DO PARANHA- NA/ENCOSTA DA SERRA 4º Relatório Trimestral Projeto de Pesquisa: Sistema para Capacitação em Melhores Práticas para

Leia mais

Manutenção total aplicada em ferramentarias

Manutenção total aplicada em ferramentarias Manutenção total aplicada em ferramentarias Por: Sérgio Borcato Roberto Mariotti A medição da eficiência dos equipamentos de manufatura vem se tornando essencial para a resolução de problemas e para melhoria

Leia mais

Gestão de desempenho com base em competências

Gestão de desempenho com base em competências Gestão de desempenho com base em competências Working Paper EXECUTIVE 2 de abril de 2008 Sergio Ricardo Goes Oliveira Gestão de desempenho com base em competências Working Paper Objetivo Este documento

Leia mais

Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios?

Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios? Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios? Encontramo-nos perante o dilema da energia, em que temos de reduzir para metade as emissões de CO2, de modo a evitar o aquecimento global do planeta,

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Referências: CHIAVENATO

Leia mais

www.equilibriumweb.com

www.equilibriumweb.com www.equilibriumweb.com design por cristian c. de almeida APRESENTAÇÃO O mercado está cheio de empresas jovens e inovadoras. O que diferencia a Equilibrium Web das demais é a experiência de ter trabalhado

Leia mais

Perguntas Frequentes Edital de Seleção Pública nº 2014/005 - Redes ECOFORTE

Perguntas Frequentes Edital de Seleção Pública nº 2014/005 - Redes ECOFORTE Perguntas Frequentes Edital de Seleção Pública nº 2014/005 - Redes ECOFORTE 1 - Universidade, ONG, Conselho de Desenvolvimento Territorial e Instituição de Assistência Técnica que fazem trabalhos em parceria

Leia mais

TO E VIDEO O MERLIN F 2 MERLIN 2016

TO E VIDEO O MERLIN F 2 MERLIN 2016 2016 MERLIN FOTO E VIDEO 2 MERLIN 2016 GRUPO MERLIN Situada na Região Metropolitana de Campinas, estado de São Paulo, o Grupo Merlin está há 31 anos no mercado de produção audiovisual no Brasil, em uma

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS Programa Nº 05/2016

Leia mais

LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA

LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA 1. OBJETO 1.1. A LEYA BIKES S.A realizará licitação para a prestação dos serviços de Consultoria em Comunicação, levando em conta

Leia mais

sistema construtivo Steel Frame

sistema construtivo Steel Frame sistema construtivo Steel Frame A Allmas é uma indústria da construção civil, especializada na fabricação de estruturas e na construção em Steel Frame ou Light Steel Frame (LSF). Atua nos segmentos residenciais,

Leia mais

Escritório de Processos. Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados

Escritório de Processos. Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados Escritório de Processos Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados Agenda 1 O que é o Sistema FIRJAN 2 Fatores para implantação 3 4 Histórico de Processos Missão e

Leia mais

Gestão do relacionamento com fornecedores

Gestão do relacionamento com fornecedores Fornecedores Só em 2009, mais de 8 mil organizações forneceram serviços e materiais ao conjunto empresarial. Para padronizar o relacionamento com tais fornecedores, as empresas Eletrobras definiram a Política

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL PARA AS FUNDAÇÕES DE APOIO ÀS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR E DEMAIS INSTITUIÇÕES CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS

SEMINÁRIO NACIONAL PARA AS FUNDAÇÕES DE APOIO ÀS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR E DEMAIS INSTITUIÇÕES CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS SEMINÁRIO NACIONAL PARA AS FUNDAÇÕES DE APOIO ÀS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR E DEMAIS INSTITUIÇÕES CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS O que mudou com os decretos nº 8.240 e o nº 8.241 de 21 de maio

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Ensino Superior Santo André dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia

Leia mais

Os grandes balizamentos estabelecidos para condução dos negócios estão descritos a seguir:

Os grandes balizamentos estabelecidos para condução dos negócios estão descritos a seguir: O Plano Estratégico 2015-2030 Em setembro de 2012, a Medida Provisória 579/12, convertida na Lei 12.783, de 11/01/2013, estabeleceu a forma de prorrogação dos contratos de concessão de geração, transmissão

Leia mais

4. NOÇÕES SOBRE ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO (PREVENTIVA):

4. NOÇÕES SOBRE ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO (PREVENTIVA): 4. NOÇÕES SOBRE ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO (PREVENTIVA): Uma vez alcançado o objetivo da manutenção elétrica, que é, manter sob controle todas as paradas dos equipamentos, de forma que estas não prejudiquem

Leia mais

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Manual do Processo de Planejamento da UFSC 2010 Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Apresentação Este documento descreve o processo de planejamento que vem sendo implantado na Universidade Federal

Leia mais

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO 1 de 6 1 OBJETIVO Criar sistemática para as atividades de manutenção, de responsabilidade da DIRENG, para manter a Câmara Municipal de Manaus em conformidade com as legislações vigentes nos órgãos municipais,

Leia mais

BOAS PRÁTICAS: CASO DE RESTAURO DE FACHADAS HISTÓRICAS CONCREJATO SERVIÇOS TÉCNICOS DE ENGENHARIA S/A

BOAS PRÁTICAS: CASO DE RESTAURO DE FACHADAS HISTÓRICAS CONCREJATO SERVIÇOS TÉCNICOS DE ENGENHARIA S/A BOAS PRÁTICAS: CASO DE RESTAURO DE FACHADAS HISTÓRICAS CONCREJATO SERVIÇOS TÉCNICOS DE ENGENHARIA S/A Concrejato A Concrejato tem sua origem na década de 1970, com as primeiras obras de recuperação de

Leia mais

O Papel da ANAPRE para a Melhoria da Qualidade e Desenvolvimento do Mercado de Pisos e Revestimentos. Engº Wagner Gasparetto Vice-Presidente

O Papel da ANAPRE para a Melhoria da Qualidade e Desenvolvimento do Mercado de Pisos e Revestimentos. Engº Wagner Gasparetto Vice-Presidente O Papel da ANAPRE para a Melhoria da Qualidade e Desenvolvimento do Mercado de Pisos e Revestimentos Engº Wagner Gasparetto Vice-Presidente MISSÃO PRIMORDIAL DESAFIOS Visão Sistêmica (Piso & Revestimento)

Leia mais

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução As pesquisas e os investimentos que influenciaram as mudanças nas propostas para

Leia mais

PLANO DO PROJETO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 2. OBJETIVO DO PROJETO 4. ESCOPO DO PROJETO

PLANO DO PROJETO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 2. OBJETIVO DO PROJETO 4. ESCOPO DO PROJETO PLANO DO PROJETO 1 PLANO DO PROJETO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Código do projeto: Área proponente: Líder de projeto: Equipe de projeto: MPSEG Segurança da Informação no MP-AP MPAP_GE_0007

Leia mais

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT A Learning Factory tem actualmente como parceiros: 1. Plano curricular (módulos e carga horária) Formação Inicial (4 módulos) Learning Factory Workshop Estágio

Leia mais

FORMATAÇÃO DE FRANQUIAS

FORMATAÇÃO DE FRANQUIAS Seja bem-vindo FORMATAÇÃO DE FRANQUIAS Nossa Consultoria realiza-se da seguinte forma: 1 - Todo o trabalho é desenvolvido em forma de projetos; onde prazos, metas e sub-produtos são claramente determinados.

Leia mais

NORMA TÉCNICA 34/2014

NORMA TÉCNICA 34/2014 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 34/2014 Hidrante Urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5

Leia mais

5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do

5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do 5. PROCEDIMENTOS 5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do Manual Brasileiro de Acreditação das

Leia mais

Sistema Integrado Moinhos

Sistema Integrado Moinhos Sistema Integrado Moinhos A experiência do Hospital Moinhos de Vento no desenvolvimento de um modelo de gestão integrado Sandra de Mattos Analista de Gestão e Desenvolvimento Organizacional Hospital Moinhos

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA. PROJECTO DE ARQUITECTURA Equipamento com função de apoio de praia

MEMÓRIA DESCRITIVA. PROJECTO DE ARQUITECTURA Equipamento com função de apoio de praia REMODELAÇÃO E ALTERAÇÃO DO EDIFÍCIO A ONDA Praia da Nazaré - Nazaré. MEMÓRIA DESCRITIVA PROJECTO DE ARQUITECTURA Equipamento com função de apoio de praia 1. DESCRIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO DA PROPOSTA Refere-se

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL N. 053/SEMAD/2007

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL N. 053/SEMAD/2007 EDITAL N. 053/SEMAD/2007 O Secretário Municipal de Administração da Prefeitura do Município de Porto Velho, no uso de suas atribuições legais TORNA PÚBLICO o Processo Seletivo Simplificado para atender

Leia mais

e-book franquias A MELHOR ESCOLHA PARA INICIAR SEU NOVO NEGÓCIO! Metodos práticos para Resultados

e-book franquias A MELHOR ESCOLHA PARA INICIAR SEU NOVO NEGÓCIO! Metodos práticos para Resultados e-book franquias A MELHOR ESCOLHA PARA INICIAR SEU NOVO NEGÓCIO! R Metodos práticos para Resultados //2 O QUE É UMA FRANQUIA? Uma estratégia inteligente para profissionais empreendedores que buscam empresas

Leia mais

Mapa de Valores Genéricos ITBI - 2014

Mapa de Valores Genéricos ITBI - 2014 Mapa de Valores Genéricos ITBI - 2014 Ervio de Almeida Gerente de Auditoria de Valores Imobiliários Setembro/2013 Características MVG atual Aprovado através Lei 9795/2009 e Decreto13824/2009 Determinou

Leia mais

Publicação: Impacto Social dos Negócios

Publicação: Impacto Social dos Negócios Publicação: Impacto Social dos Negócios Plano de Trabalho Cliente: CEBDS Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável Ver. 3 02 de março de 2015 1 1. Antecedentes Este plano de trabalho

Leia mais

Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014

Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014 Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014 Autor: Ednilton Alves Pereira (Associação Brasileira de Corrosão - ABRACO) Dez/2014 Introdução

Leia mais

Financiamento do BNDES à Eficiência Energética

Financiamento do BNDES à Eficiência Energética Financiamento do BNDES à Eficiência Energética Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE) São Paulo, 25 e 26 de Agosto de 2015 José Guilherme Cardoso Chefe de Departamento Área de Meio Ambiente

Leia mais

Sustentabilidade. Sonia Chapman. 07 de junho de 2010. Diretora-Presidente

Sustentabilidade. Sonia Chapman. 07 de junho de 2010. Diretora-Presidente Sustentabilidade Sonia Chapman Diretora-Presidente 07 de junho de 2010 Não se consegue gerenciar, o que não se consegue medir O O conhecimento é o único recurso que cresce quando compartilhado Centro de

Leia mais

3º Trabalho de GI Análise DFD

3º Trabalho de GI Análise DFD 3º Trabalho de GI Análise DFD Problemas típicos da organização Diálogo com o exterior Mestrado de Gestão da Ciência, Tecnologia e Inovação 2000/2001 Cadeira : Prof.: GI-Gestão da Informação Luis Manuel

Leia mais

Desenvolvimento de Recursos

Desenvolvimento de Recursos Unidade II Desenvolvimento de Recursos Humanos Prof. Especialista Fernando J. Lopes A importância do departamento de Recursos Humanos A empresa deve cada vez mais valorizar seus talentos (as pessoas) pois

Leia mais

Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal

Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal Braga, 01 de Julho de 2016 Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal Eurodesk, o que é? A Agência Erasmus + Juventude em Ação cumpre, para além da sua missão cumprir as responsabilidades delegadas

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro A maioria das pessoas que começa um negócio, não se preocupa muito em fazer um planejamento financeiro. Não dão tanta importância para o navegador da empresa. É o planejamento financeiro

Leia mais

Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc)

Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc) Como definir a melhor meta de vendas através do Índice da Margem de Contribuição (Imc)! Qual a quantidade ideal de venda de cada produto, considerando uma maior rentabilidade?! Se os produtos de menor

Leia mais

ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGAÇÃO EM UMA ESCOLA PÚBLICA.

ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGAÇÃO EM UMA ESCOLA PÚBLICA. ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL: INVESTIGAÇÃO EM UMA ESCOLA PÚBLICA. Francisca Maísa Maciel Gomes; Kesia Allane Duarte da Silva; Fagner Gonçalves Bezerra, Moyra Alexandre de Oliveira e Fernanda Lúcia Pereira Costa.

Leia mais

Exemplos Diagrama de Atividade para Modelagem de Negócios

Exemplos Diagrama de Atividade para Modelagem de Negócios Estudo de Caso: Fast Food Para exemplificar a modelagem de processo apresentamos a seguir um estudo de caso tendo como foco uma pequena empresa genérica que comercializa lanches (Fast Food). Através de

Leia mais

ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H.

ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H. ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H. Rafael Oliveira de Paula Universidade Estadual de Maringá rafael.odp@gmail.com Manoel Francisco Carreira Universidade

Leia mais

Tecnisa: dados confiáveis para planejamento efetivo com SAP Business Planning & Consolidation

Tecnisa: dados confiáveis para planejamento efetivo com SAP Business Planning & Consolidation SAP Customer Success Story Construção Civil Tecnisa S/A Tecnisa: dados confiáveis para planejamento efetivo com SAP Business Planning & Consolidation Geral Executiva Nome da Tecnisa S/A Indústria Construção

Leia mais

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME)

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) Projecto Simplificado de Inovação Dezembro de 2011 2 Enquadramento: Apoiar de forma simplificada a aquisição de

Leia mais

MANUTENÇÃO PREDIAL: VERIFICAÇÃO DE INDICADORES DE PERFORMANCE COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESA TERCEIRIZADA

MANUTENÇÃO PREDIAL: VERIFICAÇÃO DE INDICADORES DE PERFORMANCE COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESA TERCEIRIZADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Marcelo Ribeiro Cardoso MANUTENÇÃO PREDIAL: VERIFICAÇÃO DE INDICADORES DE PERFORMANCE COMO INSTRUMENTO DE

Leia mais

SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT ALA/BRA/2004/006-189

SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT ALA/BRA/2004/006-189 SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT HISTÓRICO FUNDAMENTOS Serviços disponibilizados pelo CIN para as empresas em seus processos de internacionalização Aprendizado e adaptação de metodologias

Leia mais

NBR ISO9001 versão 2008 Conheça as mudanças propostas. Breve Histórico. Dificuldades enfrentadas com a ISO 9001:1994:

NBR ISO9001 versão 2008 Conheça as mudanças propostas. Breve Histórico. Dificuldades enfrentadas com a ISO 9001:1994: As mudan udanças da NBR ISO9001 / 2008 Referenciado em: 1 Breve Histórico Dificuldades enfrentadas com a ISO 9001:1994: Sistema de Garantia da Qualidade; Visão departamentalizada e a abordagem por requisito

Leia mais

ANÁLISE DE FALHAS DE COMPUTADORES

ANÁLISE DE FALHAS DE COMPUTADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DANIELE APARECIDA DE OLIVEIRA VERANICE POLATO ANÁLISE DE FALHAS DE COMPUTADORES LINHA DE PESQUISA: Projeto de Pesquisa apresentado à disciplina de

Leia mais

ENGENHARIA EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS

ENGENHARIA EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS Python, uma história consolidada pela competência. Atuando desde 1976, a Python Engenharia desenvolveu e consolidou uma cultura técnica que permite atuar com desenvoltura e absoluta eficiência no desenvolvimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Apresentação Soluções de Futuro A TwoSoft Systems é uma empresa angolana que se dedica ao Desenvolvimento de Software, Consultoria Informática e Assistência Técnica Especializada.

Leia mais

Escola Superior de Redes

Escola Superior de Redes Escola Superior de Redes Por que uma Escola Superior de Redes? Capacitação em TIC é um dos objetivos do Programa Prioritário de Informática do MCT/SEPIN (PPI RNP). A ESR é um novo instrumento na realização

Leia mais

Curso de Capacitação de Lideranças para Autogestão em Habitação. Programa Minha Casa Minha Vida Entidades. Recursos FDS

Curso de Capacitação de Lideranças para Autogestão em Habitação. Programa Minha Casa Minha Vida Entidades. Recursos FDS Curso de Capacitação de Lideranças para Autogestão em Habitação Programa Minha Casa Minha Vida Entidades Recursos FDS APRESENTAÇÃO O Programa visa atender as necessidades de habitação da população de baixa

Leia mais

Aula Inaugural das Engenharias. Comissionamento e suas oportunidades na indústria naval e offshore

Aula Inaugural das Engenharias. Comissionamento e suas oportunidades na indústria naval e offshore Aula Inaugural das Engenharias e suas oportunidades na indústria naval e offshore Rio Grande 25 de março de 2011 Aula UFF 1 Agenda Contexto O Problema Breve Histórico Definições Gerais Focos e Visões no

Leia mais

Como registrar uma empresa. Administração farmacêutica Leandro Verçoza, Luiz Batista, Suhelen Comarú

Como registrar uma empresa. Administração farmacêutica Leandro Verçoza, Luiz Batista, Suhelen Comarú Como registrar uma empresa Administração farmacêutica Leandro Verçoza, Luiz Batista, Suhelen Comarú Código civil Departamento Nacional de Registro do Comércio DNRC, determinou que a partir de 11/01/2003,

Leia mais

Romeu Reguengo Novembro 2012. Estruturas Pré-fabricadas em Betão

Romeu Reguengo Novembro 2012. Estruturas Pré-fabricadas em Betão Estruturas Pré-fabricadas em Betão Introdução A pré-fabricação de edifícios surge na Europa, após a II Guerra Mundial, como forma de resposta rápida à falta de habitação nos países mais destruídos. O desenvolvimento

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO. Uma Visão do Tribunal Regional do Trabalho da Quinta Região

TERCEIRIZAÇÃO. Uma Visão do Tribunal Regional do Trabalho da Quinta Região TERCEIRIZAÇÃO Uma Visão do Tribunal Regional do Trabalho da Quinta Região Conceito Doutrinário Terceirização, na visão de Carlos Alberto Ramos Soares, é a estratégia econômica que proporciona qualidade,

Leia mais

Workshop Engenharia de Vendas Paulo Emílio Vaz

Workshop Engenharia de Vendas Paulo Emílio Vaz Workshop Engenharia de Vendas Paulo Emílio Vaz 1 O Engenheiro de Vendas, perspectivas profissionais e de mercado e o modelo mais adequado para realizar suas vendas 2 Cenários Fusões Concorrência mais agressiva

Leia mais

Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos

Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos SECÇÃO 3 Apoio à eficiência energética, à gestão inteligente da energia e à utilização das energias renováveis nas infraestruturas públicas da Administração Central Objetivos Específicos: Os apoios têm

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE OS CUSTOS DIRETOS ORÇADOS E OS CUSTOS DIRETOS REALIZADOS EM UMA CONSTRUTORA DE CRICIÚMA, SC

COMPARATIVO ENTRE OS CUSTOS DIRETOS ORÇADOS E OS CUSTOS DIRETOS REALIZADOS EM UMA CONSTRUTORA DE CRICIÚMA, SC 1 COMPARATIVO ENTRE OS CUSTOS DIRETOS ORÇADOS E OS CUSTOS DIRETOS REALIZADOS EM UMA CONSTRUTORA DE CRICIÚMA, SC Israel Nazário (1); Mônica Elizabeth Daré (2). UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

GESTÃO DA MANUTENÇÃO

GESTÃO DA MANUTENÇÃO Classificação Nível de Criticidade para Equipamentos S Q W Itens para avaliação Segurança cliente interno cliente externo meio-ambiente Qualidade Condição de trabalho Status Equipamento A B D P M Perdas

Leia mais

Tecnologia inovadora de rolos anilox

Tecnologia inovadora de rolos anilox Tecnologia inovadora de rolos anilox Versatilidade de impressão e competência de mercado Na Zecher você encontra tudo o que está relacionado com rolos anilox: Tendo começado pela produção dos primeiros

Leia mais

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS CENÁRIO POR QUE TRABALHAR NA CADEIA DO PETRÓLEO? Em função do potencial do mercado (Oportunidade) A Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás movimentará

Leia mais

a Excelência C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e m é d i o p o r t e Na teoria e na vida, FDC

a Excelência C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e m é d i o p o r t e Na teoria e na vida, FDC PAEX Parceiros para a Excelência C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e m é d i o p o r t e Na teoria e na vida, FDC Conheça a Fundação Dom Cabral U m a d a s v i n t e m e l h o r e s e s c

Leia mais

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos O presente documento tem como objetivo apresentar as diretrizes e orientar no preenchimento do formulário de inscrição

Leia mais

Gestão Estratégica da Qualidade

Gestão Estratégica da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Gestão Estratégica da Qualidade Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Aula 1 09/08 Formação Acadêmica Tecnóloga em Mecânica - FATEC-Sorocaba; Pós-graduada/MBA

Leia mais

Termômetro tributário

Termômetro tributário Termômetro tributário Tendências e desafios do profissional no Brasil Dezembro, 2015 O estudo traz indicadores que demonstram que o gestor tributário tem se mostrado cada vez mais multifacetado, qualificado,

Leia mais