Contas Contábeis Débito Crédito. Ações em Tesouraria - AC 3 ou PL ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contas Contábeis Débito Crédito. Ações em Tesouraria - AC 3 ou PL 5 26.000,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC 1 26.000,00"

Transcrição

1 Ações em tesouraria - Reembolso Situação em que a empresa ou a companhia adquire suas próprias ações que estavam em poder de seus acionistas, por dissidência ou outras razões, (Reembolso, art. 30 da Lei nº 6.404/76). Por exemplo: ações a R$ 2,00 cada uma. Ações em Tesouraria - AC 3 ou PL ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Ações em tesouraria - Resgate Situação em que a empresa ou a companhia, adquire suas próprias ações com a intenção de retirá-las definitivamente de circulação (Resgate, art. 30 da Lei nº 6.404/76). Por exemplo: ações a R$ 3,00 cada uma. Ações em Tesouraria - PL ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento a fornecedores com cheque A empresa adianta determinado valor em cheque a seus fornecedores, para o recebimento, posterior, de mercadorias ou produtos. Adiantamento a Fornecedores (identificar) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento a fornecedores com dinheiro A empresa adianta determinado valor em dinheiro a seus fornecedores, para o recebimento, posterior, de mercadorias ou produtos. Adiantamento a Fornecedores (identificar) - AC ,00 Caixa - AC ,00 Adiantamento a funcionários com cheque Situação em que a empresa faz adiantamento de salários a seus funcionários em cheque. Adiantamento a Funcionários - AC 3 650,00 Banco Cta. Corrente - AC 1 650,00 Adiantamento a funcionários com dinheiro Situação em que a empresa faz adiantamento de salários a seus funcionários em dinheiro. Adiantamento a Funcionários - AC 3 200,00 Caixa - AC 1 200,00

2 Adiantamentos a terceiros com cheque Acontece no caso da empresa pagar valores a terceiros a qualquer título com cheque. Adiantamento a terceiros - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamentos a terceiros com dinheiro Acontece no caso da empresa pagar valores a terceiros a qualquer título com dinheiro. Adiantamento a terceiros - AC ,00 Caixa - AC ,00 Adiantamento de clientes feito com cheque Acontece no caso da empresa receber valores adiantados de seus clientes para a futura entrega de mercadorias. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento de Clientes - PC ,00 Adiantamento de clientes feito com dinheiro Acontece no caso da empresa receber valores adiantados de seus clientes para a futura entrega de mercadorias. Caixa - AC ,00 Adiantamento de Clientes - PC ,00 Adiantamento de curto prazo a administradores com cheque Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em cheque, para devolução a curto prazo. Adiantamento a administradores - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento de curto prazo a administradores com dinheiro Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em dinheiro, para devolução a curto prazo Adiantamento a administradores - AC ,00 Caixa - AC ,00

3 Adiantamentos de 13º Salário com cheque Acontece quando a empresa paga o adiantamento do 13º salário com cheque. Adiantamento de 13º salário - AC ,00 Banco Cta. Movimento - AC ,00 Adiantamentos de 13º Salário com dinheiro Acontece quando a empresa paga o adiantamento do 13º salário com dinheiro. Adiantamento de 13º salário - AC ,00 Caixa - AC ,00 Adiantamento de férias com cheque Acontece no caso da empresa pagar valores antecipados de férias a seus funcionários, com cheque. Adiantamento de Férias - AC 3 275,00 Banco Cta. Corrente - AC 1 275,00 Adiantamento de férias com dinheiro Acontece no caso da empresa pagar valores antecipados de férias a seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de Férias - AC 3 265,00 Caixa - AC 1 265,00 Adiantamento de longo prazo a administradores com cheque Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em cheque, para devolução a longo prazo. Adiantamento a administradores - ANC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento de longo prazo a administradores com dinheiro Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em dinheiro, para devolução a longo prazo. Adiantamento a administradores - ANC ,00 Caixa - AC ,00

4 Adiantamentos de rescisões com cheque A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar valores referentes a qualquer rescisão de contrato com seus funcionários, com cheque. Adiantamento de rescisões - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamentos de rescisões com dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar valores referentes a qualquer rescisão de contrato com seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de Rescisões - AC 3 567,00 Caixa - AC 1 567,00 Adiantamentos de salários com cheque A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar parte do salários a seus funcionários, com cheque. Adiantamento de salários - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamentos de salários com dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar parte do salários a seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de salários - AC ,00 Caixa - AC ,00 Adiantamentos de viagens com cheque A situação se realiza na hipótese da empresa fazer adiantamento para viagem a seus funcionários ou administradores, com cheque. Adiantamento para viagem - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamentos de viagens com dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa fazer adiantamento para viagem a seus funcionários ou administradores, com dinheiro. Adiantamento para viagem - AC ,00 Caixa - AC ,00

5 Adiantamentos para aumento de capital em longo prazo feito em cheque A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em cheque, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PNC ,00 Adiantamentos para aumento de capital em curto prazo feito em cheque A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em cheque, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PC ,00 Adiantamentos para aumento de capital em longo prazo feito em dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em dinheiro, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Caixa - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PNC ,00 Adiantamentos para aumento de capital em curto prazo feito em dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em dinheiro, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Caixa - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PC ,00 Antecipação a fornecedores com cheque A empresa adianta determinado valor em cheque a seus fornecedores, para o recebimento, posterior, de mercadorias ou produtos. Adiantamento a Fornecedores (identificar) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação a fornecedores com dinheiro A empresa adianta determinado valor em dinheiro a seus fornecedores, para o recebimento, posterior, de mercadorias ou produtos. Adiantamento a Fornecedores (identificar) - AC ,00 Caixa - AC ,00

6 Antecipação a funcionários com cheque Situação em que a empresa faz adiantamento de salários a seus funcionários em cheque. Adiantamento a Funcionários - AC 3 650,00 Banco Cta. Corrente - AC 1 650,00 Antecipação a funcionários com dinheiro Situação em que a empresa faz adiantamento de salários a seus funcionários em dinheiro. Adiantamento a Funcionários - AC 3 200,00 Caixa - AC 1 200,00 Antecipação a terceiros com cheque Acontece no caso da empresa pagar valores a terceiros a qualquer título com cheque. Adiantamento a terceiros - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação a terceiros com dinheiro Acontece no caso da empresa pagar valores a terceiros a qualquer título com dinheiro. Adiantamento a terceiros - AC ,00 Caixa - AC ,00 Antecipação de curto prazo à administradores com dinheiro Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em dinheiro, para devolução a curto prazo Adiantamento a administradores - AC ,00 Caixa - AC ,00 Antecipação de curto prazo à administradores com cheque Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em cheque, para devolução a curto prazo Adiantamento a administradores - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação de clientes feita com cheque Acontece no caso da empresa receber valores adiantados, em cheque, de seus clientes para a futura entrega de mercadorias. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento de Clientes - PC ,00

7 Antecipação de clientes feita com dinheiro Acontece no caso da empresa receber valores adiantados, em dinheiro, de seus clientes para a futura entrega de mercadorias. Caixa - AC ,00 Adiantamento de Clientes - PC ,00 Antecipação de 13º Salário com cheque Acontece quando a empresa paga o adiantamento do 13º salário com cheque. Adiantamento de 13º salário - AC ,00 Banco Cta. Movimento - AC ,00 Antecipação de 13º Salário com dinheiro Acontece quando a empresa paga o adiantamento do 13º salário com dinheiro. Adiantamento de 13º salário - AC ,00 Caixa - AC ,00 Antecipação de férias com cheque Acontece no caso da empresa pagar valores antecipados de férias a seus funcionários, com cheque. Adiantamento de Férias - AC 3 275,00 Banco Cta. Corrente - AC 1 275,00 Antecipação de férias com dinheiro Acontece no caso da empresa pagar valores antecipados de férias a seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de Férias - AC 3 265,00 Caixa - AC 1 265,00 Antecipação de longo prazo à administradores com cheque Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em cheque, para devolução a longo prazo Adiantamento a administradores - ANC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação de longo prazo a administradores com dinheiro Empresa adianta a seu administrador valores a qualquer título, em dinheiro, para devolução a curto prazo Adiantamento a administradores - ANC ,00 Caixa - AC ,00

8 Antecipação de rescisões com cheque A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar valores referentes a qualquer rescisão de contrato com seus funcionários, com cheque. Adiantamento de rescisões - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação de rescisões com dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar valores referentes a qualquer rescisão de contrato com seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de Rescisões - AC 3 567,00 Caixa - AC 1 567,00 Antecipação de salários com cheque A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar parte do salários a seus funcionários, com cheque. Adiantamento de salários - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Antecipação de salários com dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa antecipar parte do salários a seus funcionários, com dinheiro. Adiantamento de salários - AC ,00 Caixa - AC ,00 Antecipação para aumento de capital a curto prazo feito em cheque A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em cheque, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PC ,00 Antecipação para aumento de capital a curto prazo feito em dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em dinheiro, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Caixa - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PC ,00 Antecipação para aumento de capital a longo prazo feito em cheque A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em cheque, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Banco Cta. Corrente - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PNC ,00

9 Antecipação para aumento de capital a longo prazo feito em dinheiro A situação se realiza na hipótese da empresa receber, em dinheiro, numerário de seus sócios ou acionistas com a finalidade de no futuro aumentar o capital. Caixa - AC ,00 Adiantamento para Aumento do Capital - PNC ,00 Aplicação financeira em bancos A situação se realiza na hipótese da empresa aplicar valores em bancos para obtenção de rendimento de aplicação financeira. Banco Cta. Aplicações financeiras - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Aplicações temporárias em ações A situação se realiza na hipótese da empresa aplicar valores em ações ou fundos de ações para obtenção de rendimento. Aplicações em Ações - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Aplicações temporárias em bolsa de mercadorias Nas aplicações em bolsa de mercadorias a empresa faz os seguintes lançamento: Aplicações em Bolsa de Mercadorias - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Aplicações temporárias em bolsa de valores Nas aplicações em bolsa de valores a empresa faz os seguintes lançamento: Aplicações em Bolsa de Valores - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Aplicações temporária em ouro Nas aplicações em ouro a empresa faz os seguintes lançamento: Aplicações em ouro - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC ,00 Apropriação como custo industrial de parte da matéria prima em estoque. (GB) A empresa, adquiriu matéria prima que foi depositada no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais nas suas atividades industriais. Ver (FV), (FX) e (FZ) Matéria Prima - CP ,00 Estoque (Matéria Prima) - AC ,00

10 Apropriação como custo industrial de parte do material de consumo em estoque. (FD) A empresa, adquiriu material de consumo que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais para o setor industrial. Ver (EX), (EZ) e (FB) Custos Diretos ou Indiretos - CP ,00 Estoque (material de consumo) - AC ,00 Apropriação como custo industrial de parte do material de embalagem em estoque. (ET) A empresa, adquiriu material de embalagem que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais para o setor industrial. ver (EQ), (ER) e (ES) Custos Diretos ou Indiretos - CP ,00 Estoque (material de embalagem) - AC ,00 Apropriação como custo industrial de parte do material secundário de industrialização em estoque. A empresa, adquiriu material secundário de industrialização que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais nas suas atividades industriais. Ver (FQ), (FR) e (FS) Custos diretos ou Indiretos - CP ,00 Estoque (material secundário de industrialização) - AC ,00 Apropriação como despesas administrativa com o seguro contratado. (GU) Situação em que a firma apropria como despesas administrativas os seguros contatados. Ver (GS), (GR), (GT) Prêmio de Seguro - DO 2 845,00 Prêmios de Seguro a Apropriar - AC 6 845,00 Apropriação como despesas administrativas de parte do material de consumo em estoque. (FC) A empresa, adquiriu material de consumo que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais para o setor comercial. Ver (EX), (EZ) e (FB) Despesas Administrativas - DO 2 842,00 Estoque (material de consumo) - AC 5 842,00 Apropriação como despesas administrativas de parte do material de embalagem em estoque. (EV) A empresa, adquiriu material de embalagem que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais para o setor comercial. ver (EQ), (ER) e (ES) Despesas Administrativas - DO ,00 Estoque (material de embalagem) - AC ,00 Apropriação como despesas administrativas de parte do material de escritório estoque. (FJ) A empresa, adquiriu material de escritório que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais nas suas atividades burocráticas. Ver (FF), (FG) e (FH) Despesas Administrativas - DO 2 342,00 Estoque (material de consumo) - AC 5 342,00

11 Apropriação como despesas administrativas de parte do material de expediente em estoque. (FP) A empresa, adquiriu material de expediente que foi depositado no estoque, posteriormente ela usa parte destes materiais nas suas atividades burocráticas. Ver (FL), (FM) e (FN) Despesas Administrativas - DO 2 412,00 Estoque (material de expediente) - AC 5 412,00 Apropriação das despesas financeiras ao mês de competência (CN) A empresa, ao descontar duplicatas ou títulos paga despesas financeiras que serão apropriadas pelo critério de pro rata tempore. Ver (CZ), (ML) Despesas Financeiras - DO 3 487,00 Despesas Bancárias antecipadas - AC 6 487,00 Apropriação das despesas financeiras ao mês de competência (HI) A empresa, ao descontar duplicatas ou títulos paga despesas financeiras que serão apropriadas pelo critério de pro rata tempore. Ver (HH), (AJ) Despesas Financeiras - DO 3 612,00 Despesas Bancárias antecipadas - AC 6 612,00 Apropriação de despesas. (CM) Quando a empresa faz assinaturas de periódicos, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito de imediato, a despesa deverá ser apropriada mês a mês durante sua duração. Ver (CO) Despesas Administrativas (assinaturas e Periódicos) - DO Assinaturas e anuidades á apropriar - AC 6 100,00 Apropriação de despesas contratada com auditoria externa. (MS) Quando a empresa faz contrato de auditoria externa, por um período de um ano por exemplo, e o (MT) pagamento é feito a prazo, a despesa deverá ser apropriada mês a mês durante sua duração. Ver (MR) e Serviços Profissionais contratados (auditoria externa) - CP 3 ou DO 2 Despesas Antecipadas (Auditoria Externa) - AC ,00 Apropriação de despesas contratada com consultoria. (OI) Quando a empresa faz contrato de consultoria, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito a prazo, a despesa deverá ser apropriada mês a mês durante sua duração. Ver (OG) e (OH) Serviços Profissionais contratados (consultoria) - CP 3 ou DO Despesas Antecipadas (consultoria) - AC ,00 Apropriação de despesas de assistência médica. (MG) Quando a empresa faz contrato de assistência médica, por um período de um ano por exemplo, e o paga - mento é feito de imediato, a despesa deverá ser apropriada mês a mês durante sua duração. Ver (MF) Despesas Administrativas (assistência médica) - DO Assistência Médica e Social á apropriar - AC 6 200,00

12 Aquisição de Brindes a Prazo. (HJ) A empresa adquire brindes a prazo e contabiliza a nota fiscal do fornecedor com direito a crédito do ICMS. Estoques de Brindes - AC 5 (pelo valor total da nota) 3.400,00 Fornecedores (identificar) - PC ,00 Aquisição de Brindes a Prazo com entrada paga em cheque. (DG) A empresa adquire brindes a prazo pagando entrada com cheques e contabiliza a nota fiscal do fornecedor com direito a crédito do ICMS. Ver (AF) e (VR) Estoques de Brindes - AC ,00 Fornecedores (identificar) - PC ,00 Aquisição de Brindes a Prazo com entrada paga em dinheiro. (BQ) A empresa adquire brindes a prazo pagando entrada com dinheiro e contabiliza a nota fiscal do fornecedor com direito a crédito do ICMS. Ver (VV) e (VN) Estoques de Brindes - AC ,00 Fornecedores (identificar) - PC ,00 Aquisição de Brindes a Vista Paga com dinheiro. (UL) A empresa adquire brindes a vista pagando com dinheiro e contabiliza a nota fiscal do fornecedor com direito a crédito do ICMS. Ver (YE) Estoques de Brindes - AC ,00 Caixa - AC ,00 Aquisição de Brindes a Vista Paga com Cheque. (LV) A empresa adquire brindes a vista pagando com cheque e contabiliza a nota fiscal do fornecedor com direito a crédito do ICMS. Ver (LN) Estoques de Brindes - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Assinaturas e anuidades a apropriar, pagas com dinheiro. (CO) Quando a empresa faz assinaturas de periódicos, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito de imediato a despesa só será apropriada mês a mês durante sua duração, logo o lançamento é em despesas antecipadas. Ver (CM) Assinaturas e Anuidades á apropriar - AC ,00 Caixa - AC ,00 Assinaturas e anuidades a apropriar, adquiridas a prazo. (LZ) Quando a empresa faz assinaturas de periódicos, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito a prazo, a despesa só será apropriada mês a mês durante sua duração, logo o lançamento é em despesas antecipadas. Ver (MB) e (MC) Assinaturas e Anuidades á apropriar - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00

13 Assistência médica e social a apropriar adquirida a prazo. (MD) Quando a empresa faz Contrato de assistência médica e social em favor dos seus empregados, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito a prazo, a despesa só será apropriada mês a mês durante sua duração, logo o lançamento é em despesas antecipadas. Ver (MG) e (MH) Assistência Médica e Social á apropriar - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Assistência médica e social a apropriar adquirida a vista. (MF) Quando a empresa faz Contrato de assistência médica e social em favor dos seus empregados, por um período de um ano por exemplo, e o pagamento é feito a vista, a despesa só será apropriada mês a mês durante sua duração, logo o lançamento é em despesas antecipadas. Ver (MG) Assistência Médica e Social á apropriar - AC ,00 Caixa ou Banco Cta. corrente - AC ,00 Aumento de Capital com Lucros Acumulados Quando a empresa resolve aumentar o seu capital com os Lucros Acumulados de exercícios anteriores Lucros Acumulados - PL ,00 Capital Social - PL ,00 Autorização para constituição de capital em sociedade por ações (ÇV) Lançamento próprio para o caso de constituição de sociedade por ações, implementado por ocasião da autorização da constituição do capital social. Ver (UH), (UT) e (QH) Capital a subscrever AC ,00 Capital autorizado PL ,00 Baixa de bens do ativo permanente por sucateamento No caso da empresa ter um bem do seu ativo permanente, obsoleto e não conseguir vendê-lo Bens Baixados por Sucateamento - ORO 2 700,00 Móveis e Utensílios - ANC 4 700,00 Baixa de bens do imobilizado vendido a prazo com lucro. (TZ) Exemplo de escrituração quando a firma vende a prazo, um veículo do seu ativo imobilizado, obtendo lucro na transação.ver (TJ) (ÇD) Resultado na Venda do Ativo Imobilizado (identificar) - ORO ,00 Veículos - ANC 4 (identificar) ,00 Baixa de bens do imobilizado vendido a prazo com prejuízo. (VZ) Exemplo de escrituração quando a firma vende a prazo, uma máquina do seu ativo imobilizado, realizando prejuízo na transação.ver (VH) (UX) Resultado na Venda do Ativo Imobilizado (identificar) - ORO ,00 Máquinas - ANC 4 (identificar) ,00

14 Baixa de bens do imobilizado vendido a vista com lucro. (YS) Exemplo de escrituração quando a firma vende a vista, um veículo do seu ativo imobilizado, obtendo lucro na transação.ver (TF) (YJ) Resultado na Venda do Ativo Imobilizado (identificar) - ORO ,00 Veículos - ANC 4 (identificar) 8.000,00 Baixa de bens do imobilizado vendido a vista com prejuízo. (YD) Exemplo de escrituração quando a firma vende a vista, uma máquina do seu ativo imobilizado, realizando prejuízo na transação.ver (TV) (TG) Resultado na Venda do Ativo Imobilizado (identificar) - ORO ,00 Máquinas - ANC 4 (identificar) ,00 Bancos conta capitalização A empresa faz aplicação em título de capitalização, em geral de longo prazo, e deposita um valor mensal. Banco Cta. Capitalização - ANC 2 325,00 Banco Cta. Corrente - AC 1 325,00 Bancos conta vinculada Acontece quando a empresa faz depósitos bancários vinculados a uma transação financeira, para garantia no próprio banco. Banco Cta. Vinculada - AC 3 / ANC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Bonificação concedida por empresa com controle permanente de estoque. (BG) Situação em que a empresa ou companhia concede a um cliente bonificação em mercadorias por meio de nota fiscal, tendo controle permanente de estoque. Ver (JU) Despesas com Mercadorias Bonificadas - DO ,00 Estoque - AC ,00 Bonificação concedida por empresa sem controle permanente de estoque. (CS) Situação em que a empresa ou companhia concedo a um cliente bonificação em mercadorias por meio de nota fiscal, não utilizando controle permanente de estoque. Ver (GZ) Despesas com Mercadorias Bonificadas - DO ,00 Mercadorias Bonificadas - AC ,00 Bonificação recebida por empresa com controle permanente de estoque. (GG) Situação em que a empresa ou companhia recebe bonificação em mercadorias por meio de nota fiscal, tendo controle permanente de estoque. Ver (ÇG) Estoque - AC ,00 Bonificações Recebidas - DO ,00

15 Bonificação recebida por empresa sem controle permanente de estoque. (PH) Situação em que a empresa ou companhia recebe bonificação em mercadorias por meio de nota fiscal, não utilizando controle permanente de estoque. Ver (IQ) Mercadorias Bonificadas - AC ,00 Bonificações Recebidas - DO ,00 Capital Autorizado No caso da assembléia conceder autorização a empresa para aumentar seu capital, ela coloca a disposição dos sócios a possibilidade de subscrevê-lo Capital Autorizado - PL ,00 Capital a Subscrever - PL ,00 Capital a integralizar Por ocasião da subscrição do capital inicial da sociedade, ou por ocasião dos aumentos a serem realizados com recursos dos sócios. Capital a Integralizar - PL ,00 Capital social - PL ,00 Capital a subscrever Ocorre quando há subscrição do capital a subscrever. Capital a Subscrever - PL ,00 Capital a Integralizar - PL ,00 Caução de títulos A empresa entrega ao banco títulos como garantia para pagamento de empréstimos. Banco Cta. Caução - AC ,00 Títulos Caucionados - AC 3 (conta redutora) ,00 Cheques em cobrança A empresa entrega ao banco ou a terceiros cheques em cobrança. Cheques em Cobraça - AC ,00 Cobrança de Cheques - AC 3 (conta redutora) ,00 COFINS a pagar Situação na qual a empresa ou companhia encerrando o período de apuração legal, registra como redutora de vendas o valor da COFINS que será pago no futuro. Despesas de COFINS - RC 3 597,00 COFINS a Pagar - PC 3 597,00

16 COFINS paga a maior em cheque Situação na qual a empresa ou companhia paga a sua contribuição para a COFINS por valor superior ao devido, habilitando-se assim a compensá-la no futuro. COFINS a Compensar - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 COFINS paga a maior em dinheiro Situação na qual a empresa ou companhia paga a sua contribuição para a COFINS por valor superior ao devido, habilitando-se assim a compensá-la no futuro. COFINS a Compensar - AC ,00 Caixa - AC ,00 COFINS sobre compras a compensar Situação na qual a empresa ou companhia compra matéria prima, material de embalagem ou outros insumos com crédito de COFINS e registra este crédito para futura compensação. COFINS a Compensar - AC ,00 Estoques - AC ,00 COFINS sobre vendas a pagar Situação na qual a empresa ou companhia encerrando o período de apuração legal, registra como redutora de vendas o valor da COFINS que será pago no futuro Despesas de COFINS - RC ,00 COFINS a Pagar - PC ,00 Compra de ações com cheques Ocorre quando a empresa compra ações de outras empresas, como investimento temporário, através de bolsa de valores e paga com cheques.. Títulos e Valores Mobiliários - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de ações com dinheiro A empresa compra ações de outras empresas, como investimento temporário, através de bolsa de valores e paga com dinheiro.. Títulos e Valores Mobiliários - AC ,00 Caixa - AC ,00 Compra de bens para o ativo permanente com financiamento parcial, com entrada paga com cheque. (3HF) A empresa adquire uma Máquina para o ativo permanente, pagando parte de entrada com cheque e parte é financiada. Ver (QD) Conta Representante do Bem (máquinas) - ANC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00

17 Compra de bens para o ativo permanente com financiamento parcial, com entrada paga com dinheiro. (IX) A empresa adquire uma Máquina para o ativo permanente, pagando parte de entrada com dinheiro e parte é financiada. Ver (HQ) Conta Representante do Bem (máquinas) - ANC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de bens para o ativo permanente com financiamento total sem entrada. (HO) A empresa adquire bens para o seu ativo permanente, com financiamento total, sem entrada. Ver (HN) Conta Representante do Bem (máquinas) - ANC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de bens para o ativo permanente com financiamento total sem entrada e com carência de seis meses para iniciar o pagamento. (EB) A empresa adquire bens para o seu ativo permanente, com financiamento total e com carência de seis para começar a pagar, no lançamento do contrato faz o seguinte lançamento. Ver (EC) Conta Representante do Bem (máquinas) - ANC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de bens para o ativo permanente, a vista com pagamento com cheque Acontece quando a firma compra bens para seu ativo permanente, a vista pagando com cheque. Conta Representante do Bem (móveis e utensílios) - ANC ,00 Banco Cta. corrente - AC ,00 Compra de bens para o ativo permanente, a vista, com pagamento em dinheiro. (EF) Acontece quando a firma compra bens para seu ativo permanente, a vista pagando com dinheiro Ver (HP) Conta Representante do Bem (móveis e utensílios) - ANC 4 345,00 Caixa - AC 1 345,00 Compra de imóveis a prazo com entrada em cheque. (VC) A empresa adquire um imóvel a prazo, pagando parte de entrada com dinheiro e parte é financiada. Ver (LD) Conta Representante do Bem (Imóveis) - ANC ,00 Joaquim Paparef (vendedor) - PC ,00 Compra de imóveis a prazo com entrada em dinheiro. (AX) A empresa adquire um imóvel a prazo, pagando parte de entrada com dinheiro e parte é financiada. Ver (GJ) Conta Representante do Bem (Imóveis) - ANC ,00 Carlos Omittu Feliz (vendedor) - PC ,00

18 Compra de imóveis a prazo sem entrada A empresa adquire um imóvel a prazo, com financiamento total. Conta Representante do Bem (Imóveis) - ANC ,00 Juarezino Petreco Paal (vendedor) - PC ,00 Compra de imóveis a vista com cheque A empresa adquire um imóvel a vista pagando com cheque. Conta Representante do Bem (Imóveis) - ANC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de imóveis a vista com dinheiro A empresa adquire um imóvel a vista pagando com dinheiro. Conta Representante do Bem (Imóveis) - ANC ,00 Caixa - AC ,00 Compra de matéria prima a prazo. (FV) A empresa adquire matéria prima a prazo, para elaboração de seus produtos. Ver (GB) (IB), (IC), (DN) e (JL) Estoque (Matéria Prima) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de matéria prima a vista pago com cheque. (FX) A empresa adquire matéria prima, para elaboração de seus produtos, a vista pagando com cheque. Ver (GB) (IB) e (IC) Estoque (Matéria Prima) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de matéria prima a vista pago com dinheiro. (FZ) A empresa adquire matéria prima, para elaboração de seus produtos, a vista pagando com dinheiro. Ver (GB) (IB) e (IC) Estoque (Matéria Prima) - AC ,00 Caixa - AC ,00 Compra de materiais de construção a prazo A empresa, construtora adquire, a prazo, insumos para utilização na edificação de unidades imobiliárias. Almoxarifado - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de materiais de construção a vista, pagando em dinheiro A empresa, construtora adquire, a vista, pagando em dinheiro, insumos para utilização na edificação de unidades imobiliárias. Almoxarifado - AC ,00 Caixa - AC ,00

19 Compra de materiais de construção a vista, pagando em cheque A empresa, construtora adquire, a vista, pagando em cheque, insumos para utilização na edificação de. unidades imobiliárias Almoxarifado - AC ,00 Banco Cta. corrente - AC ,00 Compra de material de consumo a prazo. (EX) A empresa adquire material de consumo a prazo, para suas atividades industriais e comerciais. Ver (FC) e (FD) Estoque (material de consumo) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de material de consumo a vista pago com cheque. (EZ) A empresa adquire material de consumo, para suas atividades industriais e comerciais, a vista pagando com cheque. Ver (FC) e (FD) Estoque (material de consumo) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de material de consumo a vista pago com dinheiro. (FB) A empresa adquire material de consumo, para suas atividades industriais e comerciais, a vista pagando com dinheiro. Ver (FC) e (FD) Estoque (material de consumo) - AC ,00 Caixa - AC ,00 Compra de materiais de embalagem a prazo. (EQ) A empresa, adquire, a prazo, material de embalagem para suas atividades de industria e comércio. Ver (ET) e (EV) Estoque (material de embalagem) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de materiais de embalagens a vista com cheque. (ER) A empresa, adquire, a vista, pagando com cheque, material de embalagem para suas atividades de industria e comércio. Ver (ET) e (EV) Estoque (material de embalagem) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de materiais de embalagens a vista com dinheiro. (ES) A empresa, adquire, a vista, pagando com dinheiro, material de embalagem para suas atividades de indus - tria e comércio. Ver (ET) e (EV) Estoque (material de embalagem) - AC ,00 Caixa - AC ,00

20 Compra de material de escritório a prazo. (FF) A empresa adquire material de escritório a prazo, para suas atividades. Ver (FJ) Estoque (material de escritório) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de material de escritório a vista pago com cheque. (FG) A empresa adquire material de consumo, para suas atividades, a vista pagando com cheque. Ver (FJ) (HU) e (HV) Estoque (material de escritório) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de material de escritório a vista pago com dinheiro. (FH) A empresa adquire material de consumo, para suas atividades, a vista pagando com dinheiro. Ver (FJ) (HU) e (HV) Estoque (material de escritório) - AC 5 127,00 Caixa - AC 1 127,00 Compra de material de expediente a prazo. (FL) A empresa adquire material de expediente a prazo, para suas atividades. Ver (FP) (HX) e (HZ) Estoque (material de expediente) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00 Compra de material de expediente a vista pago com cheque. (FM) A empresa adquire material de expediente, para suas atividades, a vista pagando com cheque. Ver (FP) (HX) e (HZ) Estoque (material de expediente) - AC ,00 Banco Cta. Corrente - AC ,00 Compra de material de expediente a vista pago com dinheiro. (FN) A empresa adquire material de expediente, para suas atividades, a vista pagando com dinheiro. Ver (FP) (HX) e (HZ) Estoque (material de expediente) - AC 5 127,00 Caixa - AC 1 127,00 Compra de material secundário de industrialização a prazo. (FQ) A empresa adquire material secundário de industrialização a prazo, para suas atividades. Ver (FT) (HS) e (HT) Estoque (material secundário de industrialização) - AC ,00 Fornecedor (identificar) - PC ,00

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Plano de Contas - Modelo

Plano de Contas - Modelo Plano de Contas - Modelo Ativo Passivo Contas De Compensação Passivas (CCP) Contas De Resultado Despesas Operacionais (DO) Provisão para o Imposto Sobre a Renda e Contribuição Social (PR) Participações

Leia mais

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas.

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. 1 - Ativo (Saldo devedor, exceto as contas retificadoras) 1.1 Ativo Circulante Adiantamento

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 EXERCÍCIOS EXTRAS 1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 S.DEVEDORES (APLICAÇÕES)............ S.CREDORES (ORIGENS)...... t o t a

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES QUESTÕES 01) Fazem parte do grupo de contas do : A) Duplicatas a Receber Caixa Duplicatas a Pagar. B) Terrenos Banco Conta Movimento Credores Diversos. C) Duplicatas a Pagar Caixa Adiantamentos de Clientes.

Leia mais

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Classificação CONTA 1. ATIVO 1. 1. ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. DISPONIBILIDADES 1. 1. 1. 01. CAIXA GERAL 1. 1. 1. 01. 1001 Caixa 1. 1. 1. 02. BANCOS CONTA

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis PROFESSOR : Salomão Dantas Soares TURMA 6º CCN AULA 02 Turno/Horário Noturno Apostila

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA DISTRIBUIÇÃO DA APRESENTAÇÃO - Aspectos Conceituais - Definições Teóricas e Acadêmicas

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL CONTABILIDADE GERAL 61- De acordo com a 750/93, do Conselho Federal de Contabilidade, foram aprovados os seguintes Princípios Fundamentais de Contabilidade: da Competência; da Prudência; do Denominador

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP:

1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP: 1) Elabore os lançamentos contábeis em razonetes e em seguida elabore a DRE e o BP: a) Constituição de uma sociedade com capital totalmente integralizado de R$ 30.000 b) Compra à vista de mercadorias para

Leia mais

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO O tema Balanço Patrimonial será tratado sob a ótica do texto legal da Lei 6.404/76, Lei das Sociedades Anônimas e da Lei 10.406/02, o novo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo

Apostila 2 de Contabilidade Geral I. Prof. Ivã C Araújo Apostila 2 de Contabilidade Geral I Prof. Ivã C Araújo 2013 Sumário 1 Procedimentos Contábeis... 3 1.1 Escrituração contábil... 3 1.1.1 Lançamentos Contábeis... 3 1.1.1.1 Fórmulas de Lançamentos... 3 1.2

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse.

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse. CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006. 9 cópias na biblioteca

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO

CONTABILIDADE E TURISMO Capítulo 1 CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Capítulo 1 Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Leia mais

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22 I - APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (SIMPLIFICADA) 1 - CONCEITO A Apuração do Resultado do Exercício também chamado de Rédito - consiste em verificar o resultado econômico atingido pela empresa em determinado

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

www.editoraatlas.com.br

www.editoraatlas.com.br www.editoraatlas.com.br 6278curva.indd 1 04/04/2011 11:11:12 Equipe de Professores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Contabilidade Introdutória Manual do Professor Coordenação

Leia mais

9.2 Elenco de Contas. 9.1 Conceito

9.2 Elenco de Contas. 9.1 Conceito PLANO DE CONTAS NOTA: Nos capítulos 1 a 8, você estudou as noções básicas da Contabilidade; conheceu a estrutura do Patrimônio (ponto de partida para o entendimento desta Ciência); aprendeu a registrar

Leia mais

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura

Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA. Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL. Profª. Cristiane Yoshimura Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas CCESA Bacharelado em Ciências Contábeis CONTABILIDADE GERAL Profª. Cristiane Yoshimura 2013 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTAS PATRIMONIAIS DÉBITO E CRÉDITO RAZONETE

Leia mais

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/05/13 a 31/05/13

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/05/13 a 31/05/13 FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 17 T 1 ATIVO 42.807.744,57D 5.912.830,23 5.858.043,39 42.862.531,41D 23 T 1.1 ATIVO CIRCULANTE 2.202.794,33D 5.390.052,54 5.127.142,48 2.465.704,39D 30 T

Leia mais

NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário

NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário 1 NEWTON PAIVA O seu Centro Universitário Curso: Ciências Contábeis Período: 6º Turno: Noite Sala: 106 Departamento: Ciências Contábeis Faculdade: FACISA Disciplina: Contabilidade Fiscal e Tributária AVALIAÇÃO

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

O mecanismo de débito x crédito.

O mecanismo de débito x crédito. O mecanismo de débito x crédito. Represente os fatos abaixo, utilizando os balanços sucessivos. 1- Os sócios integralizaram capital social, no valor de R$ 1.000.000, em dinheiro. 2- Compra de veículos,

Leia mais

Os bens e direitos formam o ativo. As obrigações, o passivo exigível (ou simplesmente o passivo).

Os bens e direitos formam o ativo. As obrigações, o passivo exigível (ou simplesmente o passivo). Módulo 2 O Patrimônio Conceito. Estão compreendidas no campo de atuação do contabilista as atividades de estudo, controle, exposição e análise do patrimônio, de maneira a poder informar a situação patrimonial

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE Como vimos em aulas passadas, a Contabilidade engloba duas funções: 1. Função Administrativa: Controla o Patrimônio mediante registro dos fatos contábeis em livros apropriados (Diário

Leia mais

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações:

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: 1) Antecipação do pagamento de uma duplicata de $ 140.000 a um de seus fornecedores, com 2% de desconto. i 2) Efetuou os seguintes

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte TEORIA DA CONTABILIDADE 1. CONTA: Conta é o nome técnico que identifica cada componente patrimonial (bem, direito ou obrigação), bem como identifica um componente de resultado (receita ou despesas). As

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade II CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades. Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Mostra o fluxo de eventos ocorridos em um determinado período de tempo. Quanto a empresa lucrou no ano passado? BALANÇO PATRIMONIAL Fotografia

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 2 Patrimônio

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 2 Patrimônio ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Patrimônio Tópicos do Estudo Patrimônio. Bens. Direitos. Obrigações. Representação Gráfica do Patrimônio. Patrimônio Líquido Patrimônio É um conjunto de bens, direitos

Leia mais

Comentários da prova ISS-SJC/SP Disciplina: Contabilidade Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova ISS-SJC/SP Disciplina: Contabilidade Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova ISS-SJC/SP ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE - ISS-SJC/SP Trago para vocês os comentários da prova do concurso de Auditor Tributário

Leia mais

EXERCÍCIOS DE AVALIAÇÃO

EXERCÍCIOS DE AVALIAÇÃO EXERCÍCIOS DE AVALIAÇÃO Planejamento Tributário Setembro de 2011 QUESTÃO 1 - RESPONDA AS QUESTÕES APRESENTADAS A SEGUIR: I - Cite algumas situações em que a pessoa jurídica estará obrigada à tributação

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA.

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Insolvência de GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Relatório (artigo 155º do C.I.R.E.) I Identificação do Devedor GONDOLAR Sociedade Imobiliária, Lda., com sede na Rua Nossa Senhora dos Remédios, 780,

Leia mais

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II A leitura complementar tem como objetivo reforçar os conteúdos estudados e esclarecer alguns assuntos que facilitem a compreensão e auxiliem na elaboração da atividade.

Leia mais

D - DESPESAS TRIBUTÁRIAS (Conta de Resultado) C - IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES - SIMPLES - A RECOLHER (Passivo Circulante) R$ 4.964,80

D - DESPESAS TRIBUTÁRIAS (Conta de Resultado) C - IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES - SIMPLES - A RECOLHER (Passivo Circulante) R$ 4.964,80 24 - SIMPLES - MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE Valor Devido Mensalmente O valor devido mensalmente pela microempresa e empresa de pequeno porte, inscritas no SIMPLES, será determinado mediante

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

UNISERCON. Contabilidade UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS

UNISERCON. Contabilidade UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS UNISERCON UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS CRC/RS3101 BALANÇO PATRIMONIAL ANALÍTICO EXERCÍCIO DE 2011 ooo - xxxxxxx- xxxxxx xx xxxxx xxxx (oo.ooo.oo/oooi-oo) CONTA Folha 1 SALDO 1 1. 1 1. 1. 01 1. 1. 01. 01

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 58.764.189,56 169.901.510,67 169.746.419,72 58.919.280,51 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 469.845,67 62.841.447,38 62.796.662,79 514.630,26 1.1.1.00.00-9

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 6 Grupo de contas do Balanço Patrimonial

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 6 Grupo de contas do Balanço Patrimonial 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Grupo de contas do Balanço Patrimonial Tópicos do Estudo Grupo de Contas do Ativo. Ativo Circulante Realizável a Longo Prazo Permanente Grupo de Contas do Passivo.

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais

LANÇAMENTOS CONTÁBEIS

LANÇAMENTOS CONTÁBEIS LANÇAMENTOS CONTÁBEIS Neste capítulo examinamos os lançamentos dos fatos contábeis mais comuns relativas à organização, instalação e atividade operacional da empresa. 1 - FOLHA DE PAGAMENTO I - VALORES

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos

Prova de Conhecimentos Específicos Prova de Conhecimentos Específicos Saldos para o Balancete de Verificação em 30/11/98 CONTA SALDO ($) Capital Social 10.000 Financiamentos imobiliários (curto prazo) 2.700 Caixa 250 Fornecedores (curto

Leia mais

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome 000..678/000-9 S ATIVO S. ATIVO CIRCULANTE S.. DISPONIVEL S...0 CAIXA...0.00 CAIXA GERAL 6...0.00 FUNDO FIXO DE CAIXA 7 S...0 BANCOS CONTA MOVIMENTO 8...0.00 BANCO DO BRASIL 9...0.00 CAIXA ECONOMICA FEDERAL

Leia mais

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional.

Código 1.1.1.1.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores das disponibilidades do RPPS em moeda nacional. $1(;2,,6(*81'2$370361ž$78$/,=$'$3(/$637036H370361ž )81d 2()81&,21$0(172'$6&217$6 Código 1.0.0.0.0.00.00 Conta Não Escriturada. Apresentar o somatório dos valores dos bens e direitos do RPPS, subagrupados

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA January, 99 1 CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo César Leite de Carvalho 1. INTRODUÇÃO A administração financeira está estritamente ligada à Economia e Contabilidade, e pode ser vista

Leia mais

1. Noções Introdutórias. Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio em suas variações quantitativas e qualitativas.

1. Noções Introdutórias. Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio em suas variações quantitativas e qualitativas. 1. Noções Introdutórias 1.1 Definições de Contabilidade Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio em suas variações quantitativas e qualitativas. 1.2 Objeto da Contabilidade O Patrimônio

Leia mais

Atividade de Contabilidade Gerencial

Atividade de Contabilidade Gerencial FAULAE E TENOLOGIA SENA GOIÁS ontabilidade Gerencial IV PERÍOO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno Atividade de ontabilidade Gerencial Professora: Niuza Adriane da Silva Aluno: Thiago hagas astilho

Leia mais

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas Olá, pessoal! Desta vez, trago para vocês uma coletânea de questões resolvidas da Fundação Carlos Chagas (FCC). Achei apropriado inserir esta aula neste momento em razão da proximidade da prova de Fiscal

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/01/11 a 31/01/11

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/01/11 a 31/01/11 FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 17 T 1 ATIVO 41.752.495,74D 4.036.938,36 4.262.358,02 41.527.076,08D 23 T 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.250.072,51D 3.944.278,77 4.201.929,51 992.421,77D 30 T 1.1.01

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

Contabilidade Básica

Contabilidade Básica Contabilidade Básica 2. Por Humberto Lucena 2.1 Conceito O Patrimônio, sendo o objeto da Contabilidade, define-se como o conjunto formado pelos bens, pelos direitos e pelas obrigações pertencentes a uma

Leia mais

. Natureza de saldo das contas

. Natureza de saldo das contas . Natureza de saldo das contas Introdução Prezado candidato/aluno é de extrema importância entendermos a natureza de saldo das contas em contabilidade, em razão disse devemos separar as contas patrimoniais

Leia mais

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos Pessoal, Hoje, disponibilizo a resolução da prova de Contabilidade Geral, de Análise das Demonstrações Contábeis e de Contabilidade de Custos do Concurso para o TCU realizado no último final de semana.

Leia mais

Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01

Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01 1 1.00.00.00.000000 10000 **** A T I V O **** 01 1 1.01.00.00.000000 10050 CIRCULANTE 01 1.01 1.01.01.00.000000 10100 DISPONIBILIDADES 01 1.01.01 1.01.01.01.000000 10150 CAIXA 01 1.01.01.01.00 1.01.01.02.000000

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/12/2010 a 31/12/2010. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/12/2010 a 31/12/2010. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 9.671.194,34 29.326.303,91 29.462.756,13 9.534.742,12 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 80.215,82 11.749.129,63 11.810.017,76 19.327,69 1.1.1.00.00-9 CAIXA

Leia mais

O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES 14/08/2015 O PATRIMÔNIO

O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES 14/08/2015 O PATRIMÔNIO O PATRIMÔNIO: CONCEITOS E INTERPRETAÇÕES Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc O que é Patrimônio? O PATRIMÔNIO Patrimônio é o conjunto de posses, a riqueza de uma pessoa, quer seja ela física ou jurídica,

Leia mais

Apostila Guia de Lançamentos Contábeis

Apostila Guia de Lançamentos Contábeis Apostila Guia de Lançamentos Contábeis Folha 2/154 ÍNDICE 1 - FOLHA DE PAGAMENTO... 4 2 - ICMS EM CONTAS DE ENERGIA ELÉTRICA E TELECOMUNICAÇÕES... 7 3 - PROVISÃO PARA PAGAMENTO DO IMPOSTO DE RENDA... 8

Leia mais

WRM Auditoria e Consultoria Ltda. - CNPJ (MF) 00.164.845/0001/12.

WRM Auditoria e Consultoria Ltda. - CNPJ (MF) 00.164.845/0001/12. Lins (SP), 12 de Março de 2.010. À SOCIEDADE DE PROMOÇÃO SOCIAL DO FISSURADO LÁBIO- PALATAL - PROFIS Rua Silvio Marchione 3-55 Bauru SP. ILMO.SR. Diretor - Presidente Encaminhando em anexo, o Relatório

Leia mais