10:00h Apresentação sobre o segmento de fibras do Amazonas Secretário da SEPROR, Eron Bezerra.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10:00h Apresentação sobre o segmento de fibras do Amazonas Secretário da SEPROR, Eron Bezerra."

Transcrição

1 Dados da Reunião Câmara Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Fibras Naturais Título Reunião Ordinária N: 6 Local Manaus - AM Data da reunião 11/04/2013 Hora de início 09:00 Hora de encerramento 12:00 Pauta da Reunião 09:00h Abertura da reunião. Presidente da Câmara 09:10h Apreciação e Aprovação da ata da 05ª Reunião da Câmara. 09:15h Informações da Presidência e da Secretaria da Câmara. CGAC/ MAPA 09:30h. Pronunciamento de autoridades Estaduais e Federais. 10:00h Apresentação sobre o segmento de fibras do Amazonas Secretário da SEPROR, Eron Bezerra. 11:30h Debates com coordenação do Superintendente da CONAB/AM, Thomaz Perez. 12:00h Almoço. 14:00h Apresentação sobre a Experiência Bem Sucedida da Bahia com a Instalação da Câmara Estadual Presidente da Câmara Setorial, Wilson Andrade. 14:45h Medidas Importantes para o Desenvolvimento da Cadeia Produtiva de Fibras do Amazonas, Presidente da FAEA. Muni Lourenço. Presidente da COOMAPEM Eliana Medeiro. 16:00h Visita dos membros da Câmara Setorial e representantes de instituições à BRASJUTA. 17:30h Encerramento Lista de Participantes Nome 1 Wilson Galvão Andrade 2 AYRTON JUN USSAMI 3 DANIELA FIRMINO SANTANA 4 Avay Miranda Junior 5 Muni Lourenço Silva Junior 6 Ivo Manoel Naves 7 Ednilson Cruz Monteiro 8 Odilon Reny Ribeiro Ferreira da Silva 9 Flávio Junqueira Smith 10 Eliana Medeiro de Carmo 11 Donizete B. de Campos 12 Thomas Antonio Peres da Silva 13 Luiz Marcelo B. Rossi 14 Arlindo Leao 15 Carlos Alex Lima Guimarares Entidade Frq SINDIFIBRAS PR PR CGAC/SE/MAPA PR APEX-BRASIL PR CNA PR CONAB PR COOMAPEM PR EMBRAPA PR IFIBRAM PR OCB PR Banco da Amazônia SA PR CONAB PR EMBRAPA PR IFIBRAM PR SEAGRI/BA PR Assinatura 16 Humberto Rollemberg Fontes EMBRAPA CO Desenvolvimento Ocorreu a leitura da ata Sim Desenvolvimento SOLENIDADE DE ABERTURA DA REUNIÃO PR - presente / CO - convidado Página: 1 de 6

2 Às dez horas e quarenta minutos do dia onze de abril de 2013 teve início a 06ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva das Fibras Naturais, no Centro Cultural Povos da Amazônia, Manaus - AM. Participaram da reunião, cerca de 135 representantes entre membros da Câmara, convidados, dentre eles Secretários de Estado, Presidentes de Agências Estaduais, Deputados Estaduais, Prefeitos e Produtores das fibras de juta e malva da região. Na ocasião foi divulgada uma série de medidas a favor do setor, como a substituição pela Conab de sacas de materiais sintéticos por sacas de fibras naturais de juta e malva, para determinadas culturas, a criação da Câmara Setorial Estadual da juta e malva, e outros. O presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Fibras Naturais do Ministério da Agricultura e Abastecimento - Mapa, Wilson Andrade, apresentou o histórico sobre seus trabalhos nas áreas das fibras naturais. Informou aos presentes que, as Câmaras Nacionais foram criadas pelo Ministro Roberto Rodrigues e posteriormente houve a criação das Câmaras Estaduais. Disse que da mesma forma que aconteceu com o sisal no nordeste, a produção de fibra vegetal pode mudar a vida dos produtores e o rumo da economia do Amazonas, agradeceu em especial a presença dos produtores presentes, pois eles são a razão de todos os trabalhos que estão sendo efetuados na Câmara Nacional de Fibras Naturais. Disse que o objetivo dessa reunião é somar com todos aqui para que sejam buscados os direitos de todos da cadeia, junto aos Governos Estadual e Federal que tem todo o valor dos nossos impostos os quais são de suma importância para a busca do trabalho igualitário entre todas as cadeias produtivas existentes no Brasil. Salientou que o setor precisa buscar alternativas de comercialização dos seus produtos, além de procurar aumentar e certificar a produção para se fortalecer e ter condições de competir no mercado nacional e internacional. Na oportunidade, apresentou o SINDIFIBRAS entidade brasileira que representa o Brasil mundialmente junto a FAO. Finalizou seu relato lembrando a todos da importância de lutar para manteremse fortes e sempre amenizar as carências do setor buscando produtividade no campo; certificação do produto a nível internacional, sustentável; utilização de 100% da planta e desenvolvimento de equipamentos e maquinários melhores para auxílio da cadeia. A presidente da Cooperativa Mista Agropecuária de Manacapuru - Coomapem, Eliana Medeiro do Carmo, disse estar honrada em participar de um evento dessa importância para o setor produtivo das fibras naturais, onde está em pauta discussões dos caminhos da produção de fibra natural. Eliana declarou ainda que o Amazonas é um estado forte e capaz de vencer mais uma vez os problemas que o setor enfrenta, no momento, relacionados à perda de parte da produção, devido às cheias dos rio e aos preços praticados atualmente. Em suas palavras finalizou sua declaração com a seguinte frase: A produção de fibras de juta e malva no Amazonas é feita por heróis e eu me sinto orgulhosa de estar aqui representando esse povo, afirmou. Muni Lourenço, Presidente da Federação da Agricultura do Estado do Amazonas - FAEA, informou que o Governo do Estado vem apoiando de maneira firme o setor produtivo de fibras, atendendo as demandas dos produtores, disponibilizando recursos e assistência técnica para aumentar a produção e proporcionar melhores condições de vida às pessoas e distribuir rendas de forma mais digna às famílias que moram e trabalham nas comunidades distantes. Disse que a Câmara Setorial Nacional tem um ambiente propício para auxílio às demandas da região, salientou o papel da Conab e da Embrapa que são grandes parceiros para melhor estruturação da cadeia e melhoria das condições de todos os produtores da região. Finalizou seu relato informando a todos os presentes que o setor produtivo de fibra vegetal de juta e malva do Amazonas vive hoje um momento histórico ao participar de um evento como esse que acontece pela primeira vez no estado do Amazonas. Thomaz Meireles Superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento - Conab fez uma comparação entre o passado e o presente do sistema de trabalho realizado pelos produtores de fibra natural no estado do Amazonas. Na oportunidade, leu um artigo escrito pelo seu pai, o senhor Ubaldino Meireles ex Deputado Federal, publicado há mais de trinta anos e que em sua opinião apesar do tempo passado o artigo ainda encontra-se atualizado, pois, segundo ele, o sistema de produção continua o mesmo, sem nenhuma novidade há dezenas de anos. Terminou seu relato informando aos presentes que é necessário aproveitar a oportunidade para discutir as formas de trabalho para melhorar a produtividade e dar mais dignidade aos produtores do Estado. Eron Bezerra, Secretário de Produção Rural do Amazonas e na oportunidade, representante do Governador do Estado Omar Aziz, informou aos presentes que o Governador recebeu a proposta Página: 2 de 6

3 relacionada ao reajuste da subvenção no valor de R$ 0,20 para R$0,40, a qual poderá beneficiar a maioria dos produtores do Amazonas e está avaliando para melhor solução ao setor produtivo de fibras naturais do estado. Sobre o tema Eron informou que levará a resposta ao pleito pessoalmente aos produtores do município de Manacapuru. O Secretario ainda fez um relato sobre a proposta de substituição das sacolas plásticas usadas em supermercados, informou que reunir-se-á com empresários do setor varejista para levar essa proposta de substituição das sacolas plásticas por fibra natural a fim de garantir a sustentabilidade do setor e preservação do meio ambiente. Por fim, Eron anunciou que o governo firmou convênio com a Suframa para a produção de sementes com o objetivo de não depender totalmente de outros estados. Petrucio Magalhães Júnior, presidente do Sistema OCB/Sescoop-AM, apresentou a importância do evento para o setor de fibra de juta e malva. Disse que o Amazonas é o maior produtor das fibras representando 60% da produção brasileira com uma produção em torno de 12 mil toneladas ao ano. O representante salienta a importância do evento para o estado informando que uma das atribuições desse é o estimulo ao estado para a reinstalação da Câmara Setorial Estadual, além de buscar parcerias relacionadas aos novos usos para a indústria de fibras naturais, como as fabricantes de materiais plásticos e as montadoras de automóveis, que já utilizam a fibra nos seus veículos, transformando tudo isso em novidade para estimular ainda mais os cooperados a ampliar a produção estadual. Finalizando seu discurso, Petrucio fez uma referência ao ex-presidente dos EUA, Bill Clinton, o qual declarou que O futuro pertence aos que praticam a cooperação. João Ferdinando Barreto, Superintendente Federal do MAPA no Amazonas cumprimentou todos os presentes, prestou informações sobre a área de produção e pesquisa para o setor de juta e malva. Apresentou o processo produtivo da região e seu histórico salientando que a cada dia que passa, há diminuição nesse processo o qual ainda não acabou por motivos culturais enraizados na região. Informou que o objetivo da Superintendência é levar bem estar e melhorias de condições de vida e produção para os produtores. 1º Painel: Juta e malva: Cadeia produtiva prioritária no Programa de Governo Amazonas Rural. O Secretário de Estado da Produção Rural, Eron Bezerra, fez uma apresentação sobre a Cadeia produtiva prioritária no Programa de Governo Amazonas Rural. Informou que o Programa atua como um grande guarda chuva e consiste em um pacote de medidas para aumentar a produção, dinamizar a economia dos municípios, gerar riquezas e oportunidades de emprego a partir da criação de mais de 200 mil ocupações, além de estimular o desenvolvimento sustentável, através da consolidação de culturas tradicionais, como as fibras de juta e malva a fim de tornar o Amazonas autossuficiente em alimentos e produtos agroflorestais. Disse que o objetivo é fomentar a cadeia produtiva das fibras de juta e malva para melhorar a produtividade, proporcionar o acesso ao crédito, facilitar o escoamento, garantir mercado e competitividade, oferecendo novas alternativas econômicas e mais oportunidade aos produtores. Disse que o estado do Amazonas sofre com as cheias dos rios as quais trazem também grande perda para o produtor e salientou a necessidade de maquinários para trazer melhores condições de trabalho ao produtor juntamente com melhor beneficiamento da fibra. Eron ainda fez um breve relato sobre as sementes para a região, pois até o momento elas são compradas, no entanto, informou que o estado do Amazonas têm possibilidades para o desenvolvimento de suas próprias sementes, e para isso já há um convênio com a SUFRAMA para o desenvolvimento das sementes para juta e malva na região. Finalizando sua apresentação, salientou que na parte de assistência técnica serão colocados 170 técnicos para auxílio das produções agrícolas do estado, e umas dessas linhas e para a parte de fibra natural, este programa do Governo do Amazonas beneficia a região, o produtor e o aumento da produção. Disse que a maior qualidade da fibra é ser sustentável fato muito importante para a economia balizada na sustentabilidade. Comentários: Ramonilson de Souza Gomes representante do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas IDAM parabenizou a realização da reunião da Câmara Nacional em Manaus. Informou aos presentes que o estado do Amazonas é o maior produtor nacional de juta e malva com um cultivo 100% familiar, porém há uma diminuição da produção da cultura, pois o número de famílias vem diminuindo. Salientou que o sistema de cultivo e produção das fibras está defasado proporcionando um trabalho insalubre ao produtor. Por fim, disse que a cadeia produtiva das fibras naturais no Amazonas necessita de apoio nas áreas de comercialização e pesquisas para melhor desenvolvimento da cultura. O representante da Agência de Fomento do Estado do Amazonas, Wilmar Luiz Fontes Belezza fez Página: 3 de 6

4 uma apresentação sobre Agência. Disse que o objetivo dessa é o desenvolvimento sócio-econômico do Estado do Amazonas, através de ações de apoio técnico e creditício que propiciem a geração de emprego, renda e a melhoria da qualidade de vida do povo amazonense. Wilmar destaca o desenvolvimento de técnicas para a produção das fibras de juta e malva, com a participação direta em torno de 04 mil famílias sendo beneficiadas pela Agência aproximadamente 1421 projetos com o valor investido em torno de 48 milhões. Claudelino Cavalcante representante da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas informou aos presentes que a visão do Governo do Estado é muito boa em relação à cadeia produtiva das fibras naturais do Estado. Informou que é uma honra trazer a reunião da Câmara Nacional para o Amazonas, por fim apresentou os programas relacionados à cultura como o Programa Zona Franca Verde; parcerias junto à Conab e IDAM para assegurar a comercialização a um preço justo. 2º Painel: Medidas importantes para a cadeia produtiva de fibras de juta e malva no Amazonas Muni Lourenço representante da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas - FAEA apresentou comentários sobre as medidas importantes para a cadeia produtiva das fibras de juta e malva no Amazonas. Disse que a compra das sacarias pela CONAB chegou em bom momento e é verificada como uma medida de auxilio ao produtor contando também com apelo ambiental por trata-se de uma cultura sustentável, visto que a sacaria é confeccionada com fibras 100% nacionais, substituindo os sacos plásticos. Muni ainda apresentou medidas da Embrapa com o objetivo de ajudar a desenvolver uma máquina descortiçadora de fibras, pois os produtores da região trabalham da mesma forma como se trabalhava a cem anos atrás, sujeitos a acidentes e doenças recorrentes da produção da fibra natural, disse que a intenção em criar uma máquina é proporcionar agilidade e segurança para o produtor. Eliana Medeiro, representante da Cooperativa Mista Agropecuária dos Produtores de Manacapuru - COOMAPEM agradece a Deus por essa oportunidade para apresentar as conquistas, as oportunidades e as dificuldades da cultura de juta e malva no estado do Amazonas. Disse que essa luta é de todos pertencentes à cadeia produtiva para melhoria da cultura no estado. Informou que há dificuldades quanto à área de armazenagem para o setor, pois não há mais lugar para armazenamento. Em relação ao crédito, disse que não há agências financeiras para trabalhar com o crédito rural em vários municípios produtores do estado tornando inviável o acesso ao crédito. Sobre a subvenção estadual, disse que foi levada ao Governador uma solicitação de apoio aos produtores e informou que o a fundamentação do Senhor Ivo Naves da Conab foi decisiva para defesa do pedido. Finalizando seu relato, Eliana salientou a importância da inclusão de produtos não alimentícios no instrumento de formação de estoque da agricultura familiar, pois em suas palavras; A fibra não se come, mas dá de comer ao produtor e é por esse motivo que há a necessidade de inclusão da juta e malva nesse programa. Comentários: O representante do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas - OCB-AM, Petrúcio Pereira de Magalhaes Júnior salientou a proposta de compra direta pela Conab de sacaria de juta malva para acondicionar produtos por ela distribuídos no Programa Balcão com respaldos relacionados à promoção do desenvolvimento nacional sustentável, nas contratações realizadas pela Administração Pública. Disse que a união de entidades públicas e privadas e beneficio da população sempre apresenta resultados positivos. Finalizando sua apresentação citou algumas palavras do presidente Americano, Barack Obama, relacionadas ao cooperativismo informando que o futuro pertence a quem pratica a cooperação. O chefe-geral da Embrapa Amazônia Ocidental, Luiz Marcelo Brum Rossi, apresentou um relato relacionado à dificuldade da realização da reunião da Câmara Nacional fora de Brasília. Disse que ficou impressionado com os trabalhos realizados por esse Fórum Consultivo, pois em uma única reunião consta todos os elos da cadeia produtiva. Na oportunidade, apresentou os trabalhos da Embrapa Ocidental em outras cadeias produtivas relacionados aos estudos de maquinários. Finalizou seu relato informando a todos os presentes que trabalhando a parte cientifica tecnológica com certeza haverá novos usos, melhores cultivos e novas formas de ampliação do setor de fibras naturais. Espaço reservado à Câmara Setorial: Wilson Andrade salientou o papel da Câmara de Fibras em âmbito estadual, disse que a ideia é que cada estado possa formar uma Câmara Setorial de Fibras Naturais, no caso da Amazônia Juta e Malva, em outras regiões seda natural, bambu, piaçava, entre outras com o objetivo de fortalecer a Câmara Nacional em Brasília no Ministério da Agricultura, para o crescimento de todas as fibras Página: 4 de 6

5 naturais, em busca de melhores condições de trabalho e recursos para os projetos necessários para o setor. Na oportunidade, o presidente da Câmara Nacional Wilson Andrade fez a apreciação da minuta da ata da 5ª reunião da Câmara a qual foi aprovada pela a unanimidade dos membros presentes. Muni Lourenço salientou a necessidade de medidas anti-dumping relacionadas a comercialização da fibra natural brasileira. Wilson Andrade disse que é necessário que se busque diálogo e equilíbrio, no entanto cita que há necessidade de medidas para proteger a fibra natural brasileira. Depois das citações os membros da câmara aprovaram por unanimidade a solicitação de medidas anti-dumping contra a importação de juta e malva, face às dificuldades de escoamento da produção brasileira da fibra. O representante da CNA e presidente da Federação da Agricultura do estado do Amazonas, Muni Lourenço redigirá a nota técnica a ser encaminhada pela CGAC à SRI/ MAPA. 3º Painel: Demandas por geração de novas tecnologias para a cadeia de fibras naturais de juta&malva: do sistema de plantio a novos produtos A proposta do Seminário é discutir e analisar o mercado e as perspectivas socioeconômicas da produção destas fibras, as estratégias de mudanças da cadeia produtiva e os processos de inovações tecnológicas que envolvem as dimensões sociais, econômicas, políticas e ambientais, a fim de contribuir para um manejo mais adequado e melhores condições de trabalho aos agentes envolvidos nas diversas fases da cadeia produtiva destas culturas, contribuindo para a geração de mão de obra mais qualificada e desenvolvimento econômico local. Sebastião Guerreiro representante da BRASJUTA saudou a todos os presentes e agradeceu pelo empenho de todos junto pelas medidas recém aprovadas. Ademais, iniciou sua apresentação sobre o Mercado para as fibras naturais e fez considerações sobre a produção e comercialização de fibras e manufaturados de juta e malva. Apresentou registros da Conab do ano de 1973 constando a melhor produção de juta e malva no Amazonas até os dias de hoje. Sobre as novas tecnologias para a cadeia de fibras naturais de juta e malva, informou que o processo objetiva a certificação e obtenção do selo Amazônico, apresentou vários esclarecimentos sobre a certificação e as formas de produção como, por exemplo, não conter crianças nas áreas de produção. Em relação ao mercado de juta e malva apresentou a produção de Bangladesh e Índia como referência, disse que esses dados devem ser analisados, pois são referência para melhoria da produção do Brasil. Quando a produção de manufaturados, o único pais que faz a exportação de produtos manufaturados e a Índia. Para o mercado brasileiro Sebastião conclui que há um déficit ano a ano que constata a necessidade de importação de fibras, aumentando as importações. Disse ainda que são necessárias medidas antidumping para produtos de juta, sendo que já existam no Brasil medidas aplicadas em vigor e algumas ações no MDIC para melhorar essa forma de comércio entre o Brasil e os outros países produtores. Por fim apresentou algumas formas de embalagens. Finalizando sua apresentação Sebastião solicitou que fosse incluída nas ações junto ao Governador do Amazonas que as batatas sejam comercializadas também em sacaria de juta, pois há informações de que o café embalado e comercializado em sacos que não são de juta está estragando e que o melhor será a comercialização na sacaria de juta. Encaminhamento: Os membros da Câmara depois de debate optaram pela inclusão da juta e malva nos trâmites da AGF para a comercialização, com isso a questão de estoques não vai ser formada pela o Governo, mas sim pelos próprios agricultores sendo que essas decisões não vão beneficiar apenas a agricultura familiar da juta e malva mas toda a agricultura familiar brasileira. Os membros da câmara aprovaram por unanimidade a solicitação de medidas anti-dumping contra a importação de juta e malva, face às dificuldades de escoamento da produção brasileira da fibra. O representante da CNA e presidente da Federação da Agricultura do estado do Amazonas Muni Lourenço redigirá a nota técnica a ser encaminhada pela CGAC a SRI/ MAPA. Comentários: Arlindo Leão, representante do Instituto de Fibras do Amazonas fez um relato sobre a importação das fibras de juta e malva, informou que a produção brasileira não consegue suprir, mas caso haja possibilidade de aumento da produção a mesma não ultrapassará a barreira imposta pela a falta de sementes das fibras em questão. Em relação ao maquinário usado, disse que na Índia já existe um maquinário que faz todo o processo de descortização da fibra da malva e aproveitamento de toda a planta. Salientou que o Ifibram fez vários convênios para transferência de tecnologias e que a qualidade não está somente na ação de plantar e colher, mas também na incorporação da tecnologia para melhoria da cadeia. Página: 5 de 6

6 PALESTRAS DA CÂMARA E DEBATES Devido ao adiantado da hora, o Presidente da Câmara das Fibras Naturais fez um breve relato referente à Câmara. Disse que essa tem um foco e importância grande junto às cadeias produtivas, também apresentou a importância da Câmara do Sisal na Bahia. Finalizou seu breve comunicado informando que irá disponibilizar as duas apresentações para todos os presentes. Ivo Naves representante da Conab fez uma apresentação sobre a compra de sacaria de juta para o Programa Balcão com enfoque sob a ótica da Economia Sustentável. Disse que à proposta de compra direta pela Conab de sacaria de juta malva para acondicionar produtos por ela distribuídos no Programa Balcão, como era feito até os anos 90, quando, por ser mais barata, sob o ponto de vista financeiro e contábil clássico, passou-se a utilizar a sacaria de polipropileno. No entanto, há critérios, práticas e diretrizes para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável, nas contratações realizadas pela Administração Pública, autorizando a compra de bens que adotem ou contenham práticas de sustentabilidade, como se caracteriza a juta malva. Dentro do cenário atual a sacaria de plástico é comprada por motivo do bem de melhor vantagem e visto como bem de melhor preço, com base nos princípios da economia clássica. Esta questão esta mudando, pois não se pensa hoje em dia somente no melhor preço, mas também na questão da sustentabilidade incorporada à Economia Verde, agregando dois pontos importantes o social e o ambiental. Informou que as culturas estabelecidas sem a questão de sustentabilidade têm custos ambientais. Custos ambientais positivos e negativos apresentaram os custos do produto em relação a sua vida útil, sendo que a questão dos resíduos e seu custo de manutenção é o que esse estudo apresenta. Finalizando sua apresentação informou que essa é uma política que inicia os estudos relacionados ao setor de fibras naturais, pois a cadeia tem problemas estruturais mas verifica na reunião que todos estão com vontade de aprender e solucionar os problemas da cadeia. Karine da Silva Araújo, Secretária Executiva de Políticas Agropecuárias e Florestais da Secretaria de Estado da Produção Rural SEPROR prestou agradecimentos a todos que participaram. Célio Picanço representante do SEBRAE para Wilson Andrade perguntou quais foram as ações realizadas na Bahia para a melhoria da Cadeia Produtiva do Sisal. Wilson informou que foi verificado na Bahia que é necessário o uso total da planta, disse que o suco do sisal tem um poder medicinal enorme e esta sendo usado hoje em dia. Informou que junto a Embrapa foram verificados os novos usos do sisal em um processo industrial. Encerramento. Wilson informou que participar e coordenar uma reunião como esta foi excelente vê progresso para o estado do Amazonas, pois há uma sinergia grande com vontade de somar de acertar. Disse que essa reunião se encerra com o coroamento da Câmara do estado do Amazonas. Registra a sua admiração pelo trabalho que foi feito para atender a reunião nacional no estado e sai com o coração cheio de alegria e esperança e a sensação de dever cumprido. Não havendo mais assuntos a tratar, o Presidente encerrou a reunião e eu, Daniela F. Santana lavrei a presente ata. Relatora: Daniela F. Santana - Coordenação Geral de Apoio às Câmaras Setoriais e Temáticas - CGAC/SE/MAPA. Proposições Item Item da reunião Ações Item Ação Responsável Dt. prevista Dados da próxima reunião Local Data da reunião Pauta da Reunião Hora de início Anexos Arquivo Descrição Página: 6 de 6

SEMINÁRIO. Agricultura Familiar no Amazonas: Desafios para Inovação e Sustentabilidade. 25 a 27 de novembro de 2014. Felipe Santos da Rosa

SEMINÁRIO. Agricultura Familiar no Amazonas: Desafios para Inovação e Sustentabilidade. 25 a 27 de novembro de 2014. Felipe Santos da Rosa SEMINÁRIO Agricultura Familiar no Amazonas: Desafios para Inovação e Sustentabilidade 25 a 27 de novembro de 2014 Felipe Santos da Rosa APRESENTAÇÃO A agropecuária do Estado do Amazonas é desenvolvida

Leia mais

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA O uso da terra no Brasil Evolução das Áreas de Produção Milhões de hectares 1960 1975 1985 1995 2006 Var.

Leia mais

de negócios na Amazônia (Versão 24/10/2011)

de negócios na Amazônia (Versão 24/10/2011) Seminário 4 Produção Orgânica: Organização produtiva versus Perspectiva de negócios na Amazônia (Versão 24/10/2011) Objetivo: Oferecer conhecimentos e informações para fortalecer as relações comerciais

Leia mais

DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 APRESENTAÇÃO Com o objetivo de definir políticas de desenvolvimento integrado para o setor sisaleiro, nos âmbitos estaduais, nacional e internacional, e consolidar a posição brasileira para a 32 a Reunião

Leia mais

14:30h Zoneamento Agrícola e Risco Climático para o cultivo de Seringueira em Goiás DEGER/SPA Coordenadora técnica do Zoneamento, Raíssa Papa

14:30h Zoneamento Agrícola e Risco Climático para o cultivo de Seringueira em Goiás DEGER/SPA Coordenadora técnica do Zoneamento, Raíssa Papa Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Borracha Natural Título: Reunião Ordinária N. 32 Local: Auditório Menor, Sobreloja do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da reunião: 02/07/2015

Leia mais

Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002)

Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002) Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002) Data do Início: 01/01/2008 Data do Término: 31/12/2011 Valor: R$ 21.000.000,00 Objetivo: Desenvolvimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

5. 15:15 hs Tendências de mercado do trigo safra 2015/16 Paulo Magno Rabelo - Conab

5. 15:15 hs Tendências de mercado do trigo safra 2015/16 Paulo Magno Rabelo - Conab Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Culturas de Inverno Título: Reunião Ordinária N. 46 Local: Sala de reuniões do 4ª andar - Edifício Sede - MAPA - Brasília - DF Data da reunião:

Leia mais

Levantamento de Estoques Privados de Café do Brasil

Levantamento de Estoques Privados de Café do Brasil Companhia Nacional de Abastecimento Levantamento de Estoques Privados de Café do Brasil Data de referência: 31/03/2007 Relatório final Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ministério da

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR Jaraguá do Sul (SC), Junho de 2014. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade para pessoas.

Leia mais

Pauta da Reunião 09:00h - Abertura da Reunião.Presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Mandioca e Derivados, Sr. Ivo Pierin Júnior.

Pauta da Reunião 09:00h - Abertura da Reunião.Presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Mandioca e Derivados, Sr. Ivo Pierin Júnior. Dados da Reunião Câmara Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Mandioca e Derivados Título Reunião Ordinária N: 27 Local Sala de Reuniões do CNPA - MAPA Data da reunião 04/10/2012 Hora de início 09:00

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS Rosilene Ferreira Souto Luzia Souza Setembro 2014 Parceria Institucional com foco na rastreabilidade Acordo de Cooperação entre

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes Desenvolvimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes Desenvolvimento Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Título: Reunião Ordinária N. 37 Local: Auditório Maior, Sobreloja do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da reunião: 09/12/2013

Leia mais

1.1 - Incluir a caracterização do inciso IX se e for oriunda da agricultura familiar deverá, visando corrigir distorções.

1.1 - Incluir a caracterização do inciso IX se e for oriunda da agricultura familiar deverá, visando corrigir distorções. Assunto: Sugestões da Petrobras Biocombustível para alteração da minuta da Portaria do Selo Combustível Social, fornecida pelo MDA em reunião com representantes das empresas produtoras de Biodiesel e disponibilizada

Leia mais

A Parceria Apex-Brasil e RENAI

A Parceria Apex-Brasil e RENAI A Parceria Apex-Brasil e RENAI Mário Neves Coordenador-Geral da Rede Nacional de Informações sobre o Investimento Alexandre Petry Gerente de Promoção e Facilitação de Investimentos da Apex-Brasil Ciclo

Leia mais

REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Requer o envio de Indicação ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, no sentido de implantar um Programa de Redução de Perdas de Produtos Agrícolas. Senhor

Leia mais

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS

Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS oportunidades de negócio para a Agricultura Familiar Pesquisa de diagnóstico brasil central de agronegócios - MS CAMPO GRANDE - AGOSTO/2014 SEBRAE/MS Conselho Deliberativo Associação das Microempresas

Leia mais

Pauta da Reunião 1. 09:00 Abertura da Reunião e Aprovação da Ata da 28ª Reunião Ordinária

Pauta da Reunião 1. 09:00 Abertura da Reunião e Aprovação da Ata da 28ª Reunião Ordinária Dados da Reunião Câmara Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça Título Reunião Ordinária N: 29 Local Sala de Reuniões do CNPA - MAPA Data da reunião 25/04/2012 Hora de início 09:00 Hora de encerramento

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária Setembro de 2012 A política agrícola anunciada para a agricultura empresarial se caracterizou por assegurar o necessário apoio ao produtor rural.

Leia mais

PESQUISA AGROPECUÁRIA. Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas

PESQUISA AGROPECUÁRIA. Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas PESQUISA AGROPECUÁRIA Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi

Leia mais

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná A FAEP tem solicitado ao governo federal que libere os recursos anunciados de R$ 5,6 bilhões na Política de Garantia de Preços Mínimos

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC Programa ABC Linha de Crédito para Agricultura de Baixa Emissão de Carbono Sidney

Leia mais

Palma de óleo, agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável

Palma de óleo, agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável Palma de óleo, agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável Sumário Agricultura familiar no Brasil Importância e aspectos positivos da palma de óleo Programa Palma de Óleo e sinergia com o

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE Painel 8: O papel de Instituições Públicas para Desenvolvimento da Cacauicultura Brasileira O Cacau e a Agricultura Familiar Adriana

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA n 49/13 Esta resolução tem por objetivo aplicar no âmbito da vigilância sanitária as diretrizes e os objetivos do Decreto nº 7.492,

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello)

PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.413-A, DE 2013 (Do Sr. Jorginho Mello) Dispõe sobre a concessão do Selo Estabelecimento Sustentável; tendo parecer da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS

ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS DATA: 30/05/2012 HORA: 15h00 LOCAL: Sala de Reuniões do Gabinete da Gerência-Executiva do INSS/AM I. PRESENÇAS/AUSÊNCIAS Presentes

Leia mais

Empresa Ferramentas de Apoio a Inovação e Excelência. DATA: 23/06/05

Empresa Ferramentas de Apoio a Inovação e Excelência. DATA: 23/06/05 RELATÓRIO EIXO TEMÁTICO: Eixo dos Arranjos Produtivos Locais APL s - GRUPO DE TRABALHO 07: Oportunidades para Desenvolvimento Tecnológico na Empresa Ferramentas de Apoio a Inovação e Excelência. DATA:

Leia mais

Situação da Armazenagem no Brasil 2006

Situação da Armazenagem no Brasil 2006 Situação da Armazenagem no Brasil 2006 1. Estática de Armazenagem A capacidade estática das estruturas armazenadoras existentes no Brasil, registrada em dezembro de 2006 é de até o mês de novembro de 2006

Leia mais

Contribuições do MAPA para a Implantação da Nova Lei Florestal

Contribuições do MAPA para a Implantação da Nova Lei Florestal MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS Contribuições do

Leia mais

PGPM A. EGF B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO SOV COV. Aquisições via Preços Mínimos. Via Leilões

PGPM A. EGF B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO SOV COV. Aquisições via Preços Mínimos. Via Leilões PGPM A. EGF SOV COV B. AGF C. CONTRATO DE OPÇÃO Aquisições via Preços Mínimos Via Leilões Estados e Municípios Leite Compra Local Compra Direta Compra Especial Formação de Estoque Doação Simultânea EMPODER

Leia mais

A ATA DE CRIAÇÃO DO NUCLEO DE PESQUISA APLICADA A PESCA E AQUICULTURA NORTE 5 DO IF-TOCANTINS 24 a 25 de março de 2009

A ATA DE CRIAÇÃO DO NUCLEO DE PESQUISA APLICADA A PESCA E AQUICULTURA NORTE 5 DO IF-TOCANTINS 24 a 25 de março de 2009 A ATA DE CRIAÇÃO DO NUCLEO DE PESQUISA APLICADA A PESCA E AQUICULTURA NORTE 5 DO IF-TOCANTINS 24 a 25 de março de 2009 Às nove horas do dia vinte e quatro de março de dois mil e nove, no auditório do Instituto

Leia mais

Políticas Públicas do MAPA para o

Políticas Públicas do MAPA para o Engenheiro Agrônomo ERIKSON CHANDOHA Diretor do Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Ministério da Agricultura Pecuária

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DO MEIO AMBIENTE DO SISTEMA SDS 2010

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DO MEIO AMBIENTE DO SISTEMA SDS 2010 PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DO MEIO AMBIENTE DO SISTEMA SDS 2010 01 de junho ATIVIDADES CAPITAL Solenidade de Abertura da Semana do Meio Ambiente Auditório Belarmino Lins/Assembleia Legislativa do Estado do

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 05 DE JULHO DE 2005.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 05 DE JULHO DE 2005. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 05 DE JULHO DE 2005. Dispõe sobre os critérios e procedimentos relativos à concessão de uso do selo combustível social. O MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO, no

Leia mais

Brasília, 9 de maio de 2012

Brasília, 9 de maio de 2012 Brasília, 9 de maio de 2012 Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento no Sebrae para lançamento do Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional para a Adequada Inclusão Financeira

Leia mais

Local da Reunião: Hotel Golden Plaza Porto Velho/RO, durante o XII Congresso Internacional do Leite

Local da Reunião: Hotel Golden Plaza Porto Velho/RO, durante o XII Congresso Internacional do Leite Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados Título: Reunião Ordinária N. 37 Local: Porto Velho - RO Data da reunião: 05/11/2013 Hora de início: 14:00 Hora de encerramento:

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1678-9644 Dezembro, 2007 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 213 Produção Comunitária de Sementes: Segurança

Leia mais

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, DECRETO N 037/2014 Regulamenta aplicação das Instruções Normativas SDE Nº 01/2014 a 02/2014, que dispõem sobre as Rotinas e Procedimentos do Sistema de Desenvolvimento Econômico a serem observados no âmbito

Leia mais

INSTITUIÇÃO EXECUTORA:

INSTITUIÇÃO EXECUTORA: FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA NO ESTADO DE MATO GROSSO 30 ANOS RELATÓRIO DO PROJETO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DA CULTURA DO ALGODÃO PARA AGRICULTORES FAMILIARES DE MATO GROSSO Relatório

Leia mais

Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião. 30 de NOVEMBRO. Encontro de Secretárias Atendimento Humanizado ao Cliente

Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião. 30 de NOVEMBRO. Encontro de Secretárias Atendimento Humanizado ao Cliente Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião 30 de NOVEMBRO O Sistema OCB/RJ recebeu, na sua sede, a visita do belga Paul Dhuyvetter e do francês Augustin Butrulle. Eles têm interesse

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

8ª Oficina de Trabalho. Eduardo Celino Coordenador-Geral de Investimentos

8ª Oficina de Trabalho. Eduardo Celino Coordenador-Geral de Investimentos 8ª Oficina de Trabalho Eduardo Celino Coordenador-Geral de Investimentos Brasília, 2 de junho de 2011 O que é a Renai Sistema de informações sobre investimentos produtivos no Brasil Coordenação: MDIC Criação:

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Página: 2504 de 2619 ESPELHO DE S DE 1 Apoio à pesquisa e preservação de recursos genéticos e biotecnologia Custos financeiros: Despesas de custeio - 3

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuária

Leia mais

A EXTENSÃO, A FLORESTA E A SUSTENTABILIDADE DA PROPRIEDADE RURAL

A EXTENSÃO, A FLORESTA E A SUSTENTABILIDADE DA PROPRIEDADE RURAL A EXTENSÃO, A FLORESTA E A SUSTENTABILIDADE DA PROPRIEDADE RURAL A questão da PRODUÇÃO florestal madeireira nos Sistemas tradicionais de exploração de Propriedades Rurais Paranaenses. Importância: crescente

Leia mais

O SULCO COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. PRIMAVERA 2013. JohnDeere.com.br

O SULCO COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. PRIMAVERA 2013. JohnDeere.com.br 10 - Precisão na pecuária 14 - Trigo com tecnologia 18 - Turistas no pomar 10 14 18 PRIMAVERA 2013 O SULCO JohnDeere.com.br COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. capa 1 2 RICARDO

Leia mais

BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade

BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade 2 BADESUL PERFIL INSTITUCIONAL O BADESUL Desenvolvimento S.A. Agência de Fomento/RS é uma sociedade anônima de economia mista de capital fechado,

Leia mais

POLPAS, EXTRATOS E CONCENTRADOS DE FRUTAS REGIONAIS

POLPAS, EXTRATOS E CONCENTRADOS DE FRUTAS REGIONAIS POLPAS, EXTRATOS E CONCENTRADOS DE FRUTAS REGIONAIS SUELEN ALVES BOMFIM ENGENHEIRA AGRÔNOMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PÓS: - GEOTECNOLOGIA APLICADA NA AMAZÔNIA - AUDITORIA, PERÍCIA E GESTÃO AMBIENTAL

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas. Arthur Moriconi harthus94@gmail.com.

AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas. Arthur Moriconi harthus94@gmail.com. AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas Arthur Moriconi harthus94@gmail.com. Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Fabio Junior Penteado fabioturvo@gmail.com.

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

CARTA DE RIBEIRÃO PRETO

CARTA DE RIBEIRÃO PRETO CARTA DE RIBEIRÃO PRETO O Fórum de Inovação Tecnológica, Inclusão Social e Redes de Cooperação realizou-se no município de Ribeirão Preto nos dias 19 e 20 de Outubro de 2005. O Fórum pode ser considerado

Leia mais

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF PGPAF Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF O QUE É O PGPAF Programa do Governo Federal que garante aos agricultores familiares que tem financiamento no âmbito do Pronaf a indexação

Leia mais

SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011

SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011 SEMIÁRIDOSHOW Edição 2011 Tecnologias Agrícolas: Água e Produção de Alimentos na Agricultura Familiar. De 22 a 25 de agosto de 2011 Local: Embrapa Transferência de Tecnologia BR 122 Km 50 (BR 428 Km 148)

Leia mais

Licenciamento ambiental Reunião no Ministério Público esclarece dúvidas e garante a volta da normalidade

Licenciamento ambiental Reunião no Ministério Público esclarece dúvidas e garante a volta da normalidade www.aciaanapolis.com.br De 28 de Maio a 04 de Junho 2015 - Ano 10 - - Diretoria 2015/2017 Licenciamento ambiental Reunião no Ministério Público esclarece dúvidas e garante a volta da normalidade Presidente

Leia mais

14:10h - Informações e deliberações da reunião anterior. Ayrton J. Ussami CGAC/ MAPA.

14:10h - Informações e deliberações da reunião anterior. Ayrton J. Ussami CGAC/ MAPA. Dados da Reunião Câmara Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Mandioca e Derivados Título Reunião Ordinária Nº: 22 Local Sala de Reuniões do CNPA - MAPA Data da reunião 28/06/2011 Hora de início 14:00

Leia mais

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS

PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010. PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS PROJETO TÉCNICO SAF/ATER 120/2010 PROJETO ATER - DESENVOLVIMENTO Rural Inclusivo e Sustentável Região da Grande Dourados, MS Propósito da Coopaer Identificar problemas oriundos da Cadeia produtiva leite;

Leia mais

31ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Cacau. 25 de setembro de 2014. Sejam Bem-vindos(as)

31ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Cacau. 25 de setembro de 2014. Sejam Bem-vindos(as) 31ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Cacau Brasília - DF 25 de setembro de 2014 Sejam Bem-vindos(as) Item 1 Abertura da reunião Item 2 Avisos e Informes da Presidência e da Secretaria

Leia mais

Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento. Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011.

Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento. Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011. Coordenação Geral de Promoção ao Etnodesenvolvimento Reunião Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília, 01 de julho de 2011. Mapa Visão e Missão Funai Mapa Estratégico: Proteger e promover

Leia mais

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil.

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Ata de Reunião 1. IDENTIFICAÇÃO DA REUNIÃO Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Líder da Reunião: Regina Silvério Telefones: (61) 3426-0785 Ordem do dia: Reunião

Leia mais

WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1

WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1 10 janeiro 2007 Original: inglês P

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações JUNHO/2015 NOSSA ASPIRAÇÃO Visão Somos uma coalizão formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados em contribuir para a promoção de uma nova economia

Leia mais

Negócio Missão Visão

Negócio Missão Visão Histórico A CEASA é um projeto que surgiu a partir da necessidade de organizar a comercialização e melhorar o abastecimento de produtos hortigranjeiros em Rio Branco. Pleiteada desde o início do Governo

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 1.332, DE 19 DE MAIO 2009 (D.O.M. 19.05.2009 N. 2207 Ano X)

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 1.332, DE 19 DE MAIO 2009 (D.O.M. 19.05.2009 N. 2207 Ano X) LEI Nº 1.332, DE 19 DE MAIO 2009 (D.O.M. 19.05.2009 N. 2207 Ano X) ALTERA os dispositivos da Lei Municipal nº 199, de 24 de junho de 1993, que criou o Fundo Municipal de Fomento à Micro e Pequena Empresa

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA-EXECUTIVA CONSELHO DO AGRONEGÓCIO CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO FEIJÃO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA-EXECUTIVA CONSELHO DO AGRONEGÓCIO CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO FEIJÃO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA-EXECUTIVA CONSELHO DO AGRONEGÓCIO CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO FEIJÃO ATA DA 13ª REUNIÃO ORDINÁRIA LOCAL: Sala do CNPA, Ministério

Leia mais

8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor

8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor 8ª Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor Projeto nº: 1. 293050/2013 Município: UF: Prefeito: Serrinha BA Orçamento total da Prefeitura: R$ 58.680,00 Qtd. Emp. Form.ME, EPP. EI: Estimativa de Emp. Informais:

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

09:30h Abertura da 31ª Reunião Ordinária e aprovação da ata da reunião anterior

09:30h Abertura da 31ª Reunião Ordinária e aprovação da ata da reunião anterior Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Borracha Natural Título: Reunião Ordinária N. 31 Local: Auditório Menor, Sobreloja do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da reunião: 16/04/2015

Leia mais

PRODUTORES DO VALE PARAM PETROLINA E JUAZEIRO

PRODUTORES DO VALE PARAM PETROLINA E JUAZEIRO Discurso pronunciado pelo Deputado Gonzaga Patriota (PSB/PE), na Sessão de 23/05/2006. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, PRODUTORES DO VALE PARAM PETROLINA E JUAZEIRO Acompanhando os grandes

Leia mais

10:10h Informações e deliberações da reunião anterior. Ayrton J. Ussami CGAC.

10:10h Informações e deliberações da reunião anterior. Ayrton J. Ussami CGAC. Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e Derivados Título: Reunião Ordinária Local: Sala de Reuniões do CNPA - MAPA Data da reunião: 27/03/2013 Hora de início: 10:00 Hora

Leia mais

Hora de 23/04/2014. 17:00 Pauta da Reunião

Hora de 23/04/2014. 17:00 Pauta da Reunião Dados da Reunião Câmara: Câmara Temática de Cooperativismo Agropecuário Título: Reunião Ordinária N. 7 Local: Sala de Reuniões do CNPA. Térreo do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da Hora de Hora de 23/04/2014

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S ATA DA 9 a REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA DA 33 a LEGISLATURA, 2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS,

Leia mais

WORKSHOP PARA ORIENTAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO SETOR

WORKSHOP PARA ORIENTAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO SETOR SISTEMA WORKSHOP PARA ORIENTAÇÃO DO POSICIONAMENTO DO SETOR Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária Brasília, 18 de abril de 2012 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ENCONTRO... 4 PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil.

Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil. O QUE É O ENCOMEX Evento referência de comércio exterior no Brasil: 11 anos de eventos 131 edições realizadas 79.500 participantes Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Leia mais

Banco do Brasil. Programa ABC

Banco do Brasil. Programa ABC Banco do Brasil Programa ABC Junho de 2015 Plano ABC Conceito Crédito orientado para promover a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) na agricultura, conforme preconizado na Política Nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 TRAMITAÇÃO DA PNRS 1989 Projeto de Lei Nº N 354/89 do Senado 1991 Projeto de Lei Nº N 203/91

Leia mais

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO De 06 de outubro de 2014 TECNOLOGIA GENÉTICA ACESSÍVEL PECUÁRIA Laboratório fará transferência de embriões de animais de

Leia mais

Roteiro de visita a campo

Roteiro de visita a campo Roteiro de visita a campo 4Fs Brasil - The Forest Dialogue (TFD) 11-14 Novembro 2012, Capão Bonito, Brasil Dia 1 Domingo, 11 de Novembro 8:00 Saída dos hotéis 8:30 Chegada ao IDEAS e informações sobre

Leia mais

Ações do Sistema SEPROR para o incentivo a produção de orgânicos. Sonia Alfaia Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento

Ações do Sistema SEPROR para o incentivo a produção de orgânicos. Sonia Alfaia Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento Ações do Sistema SEPROR para o incentivo a produção de orgânicos Sonia Alfaia Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento Política Institucional da SEPROR QUEM SOMOS NÓS? O Amazonas possui 270 mil produtores

Leia mais

Programas para fortalecer a competitividade. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO

Programas para fortalecer a competitividade. PDP setembro/09 PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE TRIGO 1 Estratégias: Diferenciação e ampliação do acesso. Objetivos: (i) Aumentar a produção interna do trigo e de

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ata de reunião Dados da Reunião Lista de Participantes Dados da Reunião Câmara: Câmara Temática de Insumos Agropecuários Título: Reunião Ordinária N. 80 Local: Auditório Maior, Sobreloja do Ed. Sede do MAPA, Brasília/DF Data da reunião: 17/08/2015 Hora de

Leia mais

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO A economia brasileira tem passado por rápidas transformações nos últimos anos. Neste contexto ganham espaço novas concepções, ações

Leia mais

Case Fibria: Sustentabilidade em projetos sociais Programa Colmeias

Case Fibria: Sustentabilidade em projetos sociais Programa Colmeias Case Fibria: Sustentabilidade em projetos sociais Programa Colmeias QUEM Somos uma empresa brasileira com forte presença no mercado global de produtos florestais. SOMOS Empresa líder mundial na produção

Leia mais

INCLUSÃO PRODUTIVA. 3 - O governo estadual desenvolve ações, programas ou projetos de inclusão produtiva para a geração de trabalho e renda?

INCLUSÃO PRODUTIVA. 3 - O governo estadual desenvolve ações, programas ou projetos de inclusão produtiva para a geração de trabalho e renda? 1 - Existe algum tipo de estudo setorial e/ou diagnóstico socioeconômico do estado que tenha sido realizado no período entre 2010 e 2014? 1 Sim 1.1 - Ano do diagnóstico: Não (passe para 2 o quesito 3)

Leia mais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais

ESTADO DO ACRE. Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Estado do Acre estabelece processos de inclusão social e econômica visando ao uso sustentável dos recursos naturais Através da Política de Valorização do Ativo Ambiental Florestal e do Zoneamento Ecológico

Leia mais

Programas de crédito e políticas de financiamento para a produção sustentável: a experiência do Banco da Amazônia

Programas de crédito e políticas de financiamento para a produção sustentável: a experiência do Banco da Amazônia Programas de crédito e políticas de financiamento para a produção sustentável: a experiência do Banco da Amazônia Fabrício Khoury Rebello Economista do Banco da Amazônia, Mestre em Agriculturas Familiares

Leia mais

Info-Guide On-line: Palmito Pupunha

Info-Guide On-line: Palmito Pupunha Info-Guide On-line: Palmito Pupunha Introdução Nas décadas de 40 e 50 o Estado de São Paulo foi um dos maiores produtores nacional de palmito juçara atingindo praticamente 50% da produção nacional. Atualmente

Leia mais

PR - presente / CO - convidado. Desenvolvimento. Página 1 de 6

PR - presente / CO - convidado. Desenvolvimento. Página 1 de 6 Dados da Reunião Câmara: Câmara Setorial de Florestas Plantadas Título: Reunião Ordinária N. 21 Local: Sala de Reuniões do CNPA - MAPA Data da reunião: 20/08/2013 Hora de início: 14:00 Hora de encerramento:

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

Portal do Extrativismo

Portal do Extrativismo Portal do Extrativismo Prestação de serviço Termos de Referência Versão 03 Proposta elaborada por: Catherine Perroud Floresta Viva outubro de 2007 ÍNDICE I. PORTAL DO EXTRATIVISMO... 3 I.1. Objetivos do

Leia mais