PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL"

Transcrição

1 PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL

2 O FENÔMENO DOS CARROS FLEX E OS NOVOS USOS DO ETANOL 2

3 MERCADO AUTOMOTIVO BRASILEIRO Vendas de automóveis e comerciais leves por tipo de combustível (Ciclo Otto) 90% dos carros novos vendidos são flex fuel, representando mais de 25% da frota Fonte: ANFAVEA. Elaboração: UNICA. Nota: Ciclo Otto refere-se aos veículos movidos a gasolina e/ou a álcool (não inclui os veículos movidos a diesel).

4 EXPANSÃO DA FROTA FLEX E DA DEMANDA DE ETANOL NO BRASIL Venda mensal de etanol hidratado (E-100) Vendas acumuladas de veículos flex fuel Fonte: ANP e ANFAVEA

5 PROJEÇÃO DA FROTA BRASILEIRA DE VEÍCULOS FLEX Milhões de veículos (Ciclo Otto) Total Flex Fuel Nota: Ciclo Otto refere-se aos veículos movidos a gasolina e/ou a álcool (não inclui os veículos movidos a diesel). Fonte: UNICA e Copersucar.

6 NOVOS USOS PARA O ETANOL NO FUTURO Ônibus movido a etanol em São Paulo lançado em 23 de outubro Motos flex Bio-plásticos (PHB, polietileno, PVC) Etanol e células de combustível 100% etanol, usado para pulverizar plantações Utilização de etanol na transesterificação do biodiesel

7 7 O AVANÇO DA BIOELETRICIDADE

8 VANTAGENS DA BIOELETRICIDADE Renovável e limpa Reduzido impacto ambiental Proporciona créditos de carbono Período de safra complementar ao hidrológico Bioeletricidade é produzida em período seco (hidrologia) Projetos de menor porte e espectro mais amplo de investidores Elimina riscos de atrasos e problemas na construção Fortalece a indústria nacional de equipamentos e a geração de emprego e renda Disponível no coração do sistema elétrico interligado Fonte: PSR, Cogen, UNICA. Elaboração: UNICA

9 POTENCIAL DE GERAÇÃO DE BIOELETRICIDADE NO BRASIL , Mw médio Itaipu (9.699 MWm) Madeira (Santo Antônio) (2.000 MWm) Angra 3 (1.200 MWm) 3,4 5,2 4,2 7,2 5, / / / / / / /13 bagaço (75%) bagaço (75%) + palha (50%) Pressupostos para cálculo do potencial: a) safra 2006/2007: realizado; b) safra 2012/13 estimativa baseada nos seguintes valores: 695 milhões de toneladas de cana-deaçúcar, 1 tonelada de cana-de-açúcar produz 250 kg de bagaço e 204 kg de palha/ponta, 1 tonelada de cana (só bagaço) gera 85,6 KWh para exportação, 1 tonelada de cana (bagaço + palha/ponta) gera 199,9 KWh para exportação; c) demais anos: valores estimados a partir de uma tendência de crescimento. Fonte: UNICA e Cogen.

10 MERCADO INTERNACIONAL DE ETANOL: AINDA LIMITADO, MAS COM PERSPECTIVAS PROMISSORAS 1

11 EXPORTAÇÕES MUNDIAIS DE ETANOL Fonte: Secex, FOLicht, USITC, European Commision, COMTRADE. Elaboração: UNICA. Nota: Países do Caribe* - Jamaica, Costa Rica e El Salvador

12 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES MUNDIAIS DE ETANOL NA PRODUÇÃO GLOBAL 8% Fonte: FOLicht, Secex, USITC, European Comission, LMC. Elaboração: UNICA

13 EXPORTAÇÕES MENSAIS DE ETANOL PELO BRASIL Apesar da alta volatilidade, verifica-se forte tendência de crescimento das exportações brasileiras de etanol Fonte: Secex. Elaboração: UNICA

14 POLÍTICAS PÚBLICAS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS Vários países adotaram ou pretendem instituir misturas de etanol à gasolina, gerando boas perspectivas para aumento do consumo e produção mundiais do produto Fonte: Comissão Européia, FOLicht

15 MERCADO NORTE-AMERICANO Metas de consumo de etanol nos EUA Bilhões de litros Diesel de biomassa Etanol de celulose Etanol Avançado (outras matérias-primas) Etanol de milho Fonte: Legislação RFS. Elaboração: UNICA

16 PROJEÇÕES PARA A PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CANA-DE-AÇÚCAR, AÇÚCAR, ETANOL E BIOELETRICIDADE 1

17 PROJEÇÃO DA EXPANSÃO DA PRODUÇÃO E ÁREA CULTIVADA COM CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL Fonte: UNICA e Copersucar. Nota: 2007/08* - produção da região Norte-Nordeste foi estimada a partir dos dados disponíveis até agosto/08.

18 PROJEÇÃO DA EXPANSÃO DA PRODUÇÃO DE ETANOL NO BRASIL Fonte: UNICA e Copersucar. Nota: 2007/08* - produção da região Norte-Nordeste foi estimada a partir dos dados disponíveis até agosto/08.

19 PROJEÇÃO DA EXPANSÃO DA PRODUÇÃO DE AÇÚCAR NO BRASIL Fonte: UNICA e Copersucar. Nota: 2007/08* - produção da região Norte-Nordeste foi estimada a partir dos dados disponíveis até agosto/08.

20 POTENCIAL DA BIOELETRICIDADE E PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL NA MATRIZ ELÉTRICA BRASILEIRA *Participação na matriz elétrica brasileira 15%* 15%* 3%* Fonte: UNICA, Copersucar e Cogen. Nota: para cálculo do potencial de bioeletricidade, considerou-se a utilização de 75% do bagaço e 50% da palha disponíveis. Em 2015, a bioeletricidade tem potencial para atender 15% da demanda por energia elétrica do País

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura produtiva: 430 unidades produtoras Produtores de cana-de-açúcar: 70.000 Empregos diretos: 1,2 milhão PIB

Leia mais

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Sérgio Prado

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Sérgio Prado Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Sérgio Prado Representante da União da Indústria de Cana-de-Açúcar O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura produtiva: 430 unidades produtoras

Leia mais

QUANDO VIRÁ O PRÓXIMO CICLO DE INVESTIMENTOS EM NOVAS USINAS DE ETANOL? Marcos S. Jank. Presidente da União da Indústria da Cana-de-açúcar

QUANDO VIRÁ O PRÓXIMO CICLO DE INVESTIMENTOS EM NOVAS USINAS DE ETANOL? Marcos S. Jank. Presidente da União da Indústria da Cana-de-açúcar QUANDO VIRÁ O PRÓXIMO CICLO DE INVESTIMENTOS EM NOVAS USINAS DE ETANOL? Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-açúcar Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 2011 O que aconteceu com a oferta

Leia mais

Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético

Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético XIX Seminário ABMR&A Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético Luciano Rodrigues Assessor Econômico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) São Paulo 01 de outubro de 2008

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA São Paulo, 20 de dezembro de 2012 ROTEIRO I. Oferta de cana-de-açúcar na região Centro-Sul: condições agrícolas e climáticas II. Moagem e produção de açúcar e etanol na região Centro-Sul

Leia mais

A Matriz de Transporte e o Denvolvimento Sustentável Alfred Szwarc

A Matriz de Transporte e o Denvolvimento Sustentável Alfred Szwarc A Matriz de Transporte e o Denvolvimento Sustentável Alfred Szwarc VII Encontro de Logística e Transporte São Paulo, 21 de maio 2012 Transporte Sustentável Deve atender as necessidades de mobilidade da

Leia mais

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DA COALIZAÇÃO DE GOVERNADORES PRÓ-ETANOL BRASILEIRO

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DA COALIZAÇÃO DE GOVERNADORES PRÓ-ETANOL BRASILEIRO PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DA COALIZAÇÃO DE GOVERNADORES PRÓ-ETANOL BRASILEIRO Daniel Godoy Júnior Assessor Especial do Governo do Estado do Paraná Agosto/2003 SETOR SUCROALCOOLEIRO NACIONAL PRODUÇÃO DA SAFRA

Leia mais

ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL

ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL LUIZ CUSTÓDIO COTTA MARTINS PRESIDENTE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS: ENERGIA RENOVÁVEL A PARTIR DE BIOMASSA E RESÍDUOS AGRÍCOLAS VIÇOSA - MG 27/08/2009 SUMÁRIO 1. A CANA-DE-AÇÚCAR

Leia mais

Ministério de Minas e Energia

Ministério de Minas e Energia PLANO NACIONAL DE ENERGIA HORIZONTE 2030 Altino Março Ventura de 2007 Filho Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético SPE/MME LAS / ANS SYMPOSIUM 2008 SETOR ENERGÉTICO PROCESSO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank

Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank Os Desafios do Setor Sucroenergético e o Movimento + Etanol Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar São Paulo, 06 de fevereiro de 2012 O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura

Leia mais

Ministério de Minas e Energia POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO

Ministério de Minas e Energia POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO Ministério de Minas e Energia Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO Reunión Ministerial Iberoamericana

Leia mais

ETANOL & O SETOR SUCROENERGÉTICO Situação atual e perspectivas

ETANOL & O SETOR SUCROENERGÉTICO Situação atual e perspectivas ETANOL & O SETOR SUCROENERGÉTICO Situação atual e perspectivas Antonio de Padua Rodrigues Presidente Interino da União da Indústria de Cana-de-açúcar Brasília, 22 de novembro de 2012 QUESTÕES CENTRAIS

Leia mais

DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO

DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO UFRJ DEMANDA POR AÇÚCAR: BRASIL e MUNDO Estimativa do consumo de açúcar no mercado brasileiro Estimativa do consumo mundial de açúcar 166 182 201 Fonte: F.O.Licht, LMC e estimativa UNICA. Nota: o volume

Leia mais

Inovação na Geração de Energia Elétrica a partir do Bagaço de Cana

Inovação na Geração de Energia Elétrica a partir do Bagaço de Cana Universidade do Brasil - UFRJ - Instituto de Economia Grupo de Estudos do Setor Elétrico GESEL Grupo Sistemas Agroindustriais, Inovação e Competitividade 1 o Workshop do InfoSucro Inovação na Geração de

Leia mais

Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA)

Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA) CANASUL 2008 2 o Congresso de Tecnologia na Cadeia Produtiva da Cana-de-Açúcar em Mato Grosso do Sul AGROENERGIA O NOVO PARADIGMA DA AGRICULTURA MUNDIAL Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria

Leia mais

Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas

Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas Transportes: Emissões de GEE em 2030 Metas São Paulo, 26 de Junho de 2015 1 Emissões de GEE do Setor Energia, (2013) 2 Milhões de toneladas de CO2e 250 200 150 100 50 Transportes Industrial Geração de

Leia mais

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014 Palestra anual para os fornecedores de cana Usina da Pedra CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014 Luciano Rodrigues Gerente Economia e Estatística - UNICA Serrana, 20 de junho de 2013 ROTEIRO I.

Leia mais

Atuação da EPE na cogeração de energia com o uso de biomassa

Atuação da EPE na cogeração de energia com o uso de biomassa Atuação da EPE na cogeração de energia com o uso de biomassa Ricardo C. Furtado Superintendente de Meio Ambiente Empresa de Pesquisa Energética Brasília, março de 2010 Projeção da oferta de biomassa da

Leia mais

Coletiva de Imprensa 09 de abril de 2014, São Paulo - SP

Coletiva de Imprensa 09 de abril de 2014, São Paulo - SP Coletiva de Imprensa 09 de abril de 2014, São Paulo - SP Frota de Motocicletas Crescimento da Frota 32% 45.444.387 34.536.667 47% 14.695.247 21.597.415 44% 2009 2013 10.129.728 14.558.927 DUAS RODAS Fonte:

Leia mais

Sugestões de Políticas Públicas para o E2G. Luciano Cunha de Sousa Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Sugestões de Políticas Públicas para o E2G. Luciano Cunha de Sousa Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Sugestões de Políticas Públicas para o E2G Luciano Cunha de Sousa Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Funções de Inovação Fonte: Hekkert et al. (2007) Setor de Energia X Sistemas

Leia mais

Expansão do Etanol no Mercado Brasileiro e Internacional. Alfred Szwarc

Expansão do Etanol no Mercado Brasileiro e Internacional. Alfred Szwarc Expansão do Etanol no Mercado Brasileiro e Internacional Alfred Szwarc II Simpósio Internacional de Combustíveis, Biocombustíveis e Aditivos São Paulo, 25 de junho de 2009 O ETANOL NO CONTEXTO DA CRISE

Leia mais

ÔNIBUS A ETANOL UMA SOLUÇÃO PARA O ESTADO DE SÃO PAULO

ÔNIBUS A ETANOL UMA SOLUÇÃO PARA O ESTADO DE SÃO PAULO ÔNIBUS A ETANOL UMA SOLUÇÃO PARA O ESTADO DE SÃO PAULO 1997: A HISTÓRIA DO ÔNIBUS A ETANOL NO BRASIL COMEÇOU EM SÃO PAULO. O ÔNIBUS A ETANOL É UM PRODUTO DE TERCEIRA GERAÇÃO AMPLAMENTE TESTADO. O COMBUSTÍVEL

Leia mais

Não Renovável. Renovável. Ondas. Ondas. Solar. Solar. Petróleo. Petróleo. Gás Natural Biomassa. Gás Natural. Biomassa. Nuclear. Hídrica.

Não Renovável. Renovável. Ondas. Ondas. Solar. Solar. Petróleo. Petróleo. Gás Natural Biomassa. Gás Natural. Biomassa. Nuclear. Hídrica. Fontes de Energia Ondas Solar Ondas Solar Biomassa Renovável Hídrica Geotérmica Eólica Petróleo Gás Natural Biomassa Nuclear Hídrica Geotérmica Eólica Carvão Petróleo Gás Natural Não Renovável Nuclear

Leia mais

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL Maurílio Biagi Filho Roteiro Evolução e perspectivas da indústria sucroalcooleira no Brasil. Brasil: potencial para aumento da produção e produtividade. Expansão

Leia mais

Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes

Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNE Como Ampliar a Liderança a do Brasil no Mercado Mundial de Carnes M.V. PRATINI DE MORAES Presidente da ABIEC Cuiabá, MT, junho de 2007 Associados

Leia mais

Etanol e o Efeito Anti-Estufa Alfred Szwarc

Etanol e o Efeito Anti-Estufa Alfred Szwarc Etanol e o Efeito Anti-Estufa Alfred Szwarc SUSTENTAR 2013 - Fórum Mudanças Climáticas: Novos Rumos Belo Horizonte, 30 de agosto de 2013 Contribuição das Emissões Veiculares para o Aquecimento Global Efeito

Leia mais

2 O Mercado de Gás Natural

2 O Mercado de Gás Natural 2 O Mercado de Gás Natural 2.1 Reservas e Oferta de Gás Natural Em 2004, as reservas provadas de gás natural ficaram em torno de 326,1 bilhões m³, um aumento de 32,9% em relação a 2003, e serão expandidas,

Leia mais

Economia Brasileira: performance e perspectivas

Economia Brasileira: performance e perspectivas 1 Economia Brasileira: performance e perspectivas DEPECON / FIESP Janeiro de 2005. Ano PIB Total PIB Industrial 1990-4,35-8,18 1991 1,03 0,26 1992-0,54-4,22 2004: 1993 4,92 7,01 1994 5,85 6,73 1995 4,22

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais A INDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS E A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL.

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais A INDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS E A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais A INDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS E A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL Juan Diego Ferrés Presidente da Comissão de Biodiesel da Diretor Industrial da Granol

Leia mais

Leilão de energia de reserva: razões, funções e perspectivas 1

Leilão de energia de reserva: razões, funções e perspectivas 1 Leilão de energia de reserva: razões, funções e perspectivas 1 Nivalde J. de Castro 2 O setor elétrico brasileiro (SEB) encontra-se em fase de transição de uma matriz predominantemente hidrelétrica para

Leia mais

Fontes alternativas de energia

Fontes alternativas de energia Fontes alternativas de energia Leia com atenção o texto a seguir: As reservas de energia como o petróleo e o gás natural vão acabar. Só resta saber quando. As previsões variam: uns falam em 40 anos; há

Leia mais

Tabela 1 - Preço médio da Soja em MS - Período: 02/06 á 06/06 junho de 2014 - Em R$ por saca de 60Kg. Praça 02/jun 03/jun 04/jun 05/jun 06/jun Var.

Tabela 1 - Preço médio da Soja em MS - Período: 02/06 á 06/06 junho de 2014 - Em R$ por saca de 60Kg. Praça 02/jun 03/jun 04/jun 05/jun 06/jun Var. SOJA» MERCADO INTERNO O preço da saca de 6 Kg de soja em grãos experimentou recuo na primeira semana de junho. A cotação média no dia 6/Jun foi de R$ 62,6, valor este 3,12% inferior ao verificado em 2/Jun.

Leia mais

Agricultura Política estratégica cana-de-açúcar e etanol

Agricultura Política estratégica cana-de-açúcar e etanol Agricultura Política estratégica cana-de-açúcar e etanol Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar São Paulo, 01 de março de 2012 O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura produtiva:

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2008/09 a 2018/19 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

3-Para a produção de energia elétrica, faz-se necessário represar um rio, construindo uma barragem, que irá formar um reservatório (lago).

3-Para a produção de energia elétrica, faz-se necessário represar um rio, construindo uma barragem, que irá formar um reservatório (lago). Principais fontes de energia - Energia hidráulica é a mais utilizada no Brasil em função da grande quantidade de rios em nosso país. A água possui um potencial energético e quando represada ele aumenta.

Leia mais

DINÂMICA E PERSPECTIVAS DO SETOR SUCROENERGÉTICO

DINÂMICA E PERSPECTIVAS DO SETOR SUCROENERGÉTICO Liberação de Variedades RB de Cana-de-Açúcar DINÂMICA E PERSPECTIVAS DO SETOR SUCROENERGÉTICO Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) Ribeirão Preto, 08 de outubro

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Outubro de 2007 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Baixa Renda: O cartão como instrumento de crédito

Leia mais

Título. Impacto da crise econômica no setor da revenda brasileira

Título. Impacto da crise econômica no setor da revenda brasileira Título Impacto da crise econômica no setor da revenda brasileira Ricardo Lisbôa Vianna Engenheiro de Petróleo e Gás Diretor Tesoureiro da Fecombustíveis Presidente do Sindicato dos Revendedores no estado

Leia mais

Capital do Zebu agora é capital da cana

Capital do Zebu agora é capital da cana ECONOMIA CIDADES Capital do Zebu agora é capital da cana Plantação de cana-de-açúcar em Uberaba: solo, clima e topografia favoráveis ao cultivo Uberaba tornou-se o município brasileiro que mais produz

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014

INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

Visão. O efeito China sobre as importações brasileiras. do Desenvolvimento. nº 89 20 dez 2010

Visão. O efeito China sobre as importações brasileiras. do Desenvolvimento. nº 89 20 dez 2010 Visão do Desenvolvimento nº 89 20 dez 2010 O efeito China sobre as importações brasileiras Por Fernando Puga e Marcelo Nascimento Economistas da APE País asiático vende cada vez mais produtos intensivos

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ISS 2316-119 SOJA» MERCADO INTERNO A segunda semana de dezembro foi de leve depreciação com valor médio de R$ 69,56 no preço da saca de 6 Kg de soja em grãos, representando uma queda de 2% em relação aos

Leia mais

TECNOLOGIA E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA NA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA PAULISTA: uma análise da experiência e dificuldades de difusão 1

TECNOLOGIA E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA NA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA PAULISTA: uma análise da experiência e dificuldades de difusão 1 TECNOLOGIA E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA NA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA PAULISTA: uma análise da experiência e dificuldades de difusão 1 Farid Eid Kelson Chan 3 Sandro da Silva Pinto 4 1 - INTRODUÇÃO 1 O parque

Leia mais

Situação atual e perspectivas do etanol

Situação atual e perspectivas do etanol Situação atual e perspectivas do etanol Isaias C. Macedo 1 Introdução No ano de 2006, 425 milhões de toneladas de cana foram processadas em 310 usinas no Brasil, produzindo 30 milhões de toneladas de açúcar

Leia mais

2ºs anos Material de apoio Geografia

2ºs anos Material de apoio Geografia 2ºs anos Material de apoio Geografia Renováveis Não renováveis HIDRELÉTRICAS As usinas hidrelétricas (ou hidroelétricas) são sistemas que transformam a energia contida na correnteza dos rios, em

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Roberto de Aguiar Peixoto

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Roberto de Aguiar Peixoto Departamento de Meio Ambiente DMA Divisão de Mudança do Clima Programa DMA Discussões Internas sobre Mudança do Clima Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Roberto de Aguiar Peixoto SUMARIO

Leia mais

Fórum Global de Mobilidade Elétrica

Fórum Global de Mobilidade Elétrica PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES (PET) Fórum Global de Mobilidade Elétrica PLANEJANDO O USO DE TRAÇÃO ELÉTRICA PARA O TRANSPORTE URBANO. EXPERIÊNCIA DA COPPE NO BRASIL. MÁRCIO D AGOSTO dagosto@pet.coppe.ufrj.br

Leia mais

Cana para produzir energia entrosamento do setor é chave para competitividade

Cana para produzir energia entrosamento do setor é chave para competitividade Socicana Cana para produzir energia entrosamento do setor é chave para competitividade Especialista analisa mercados e alerta para escalada dos preços da energia. A Socicana realizou no dia 2 de junho,

Leia mais

Produção de biocombustíveis a partir de resíduos vegetais

Produção de biocombustíveis a partir de resíduos vegetais Produção de biocombustíveis a partir de resíduos vegetais Késia Limoeiro da Silva* Kevin Carvalho das Chagas** Marianne Carvalho Pinheiro da Cruz*** Resumo No momento em que o aquecimento global tem tomado

Leia mais

INDX apresenta estabilidade em abril

INDX apresenta estabilidade em abril 1-2- 3-4- 5-6- 7-8- 9-10- 11-12- 13-14- 15-16- 17-18- 19-20- 21-22- 23-24- 25-26- 27-28- 29-30- INDX INDX ANÁLISE MENSAL INDX apresenta estabilidade em abril Dados de Abril/11 Número 52 São Paulo O Índice

Leia mais

Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. 04/07/2010 Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções 1. Verifique se você

Leia mais

Gráfico 1 - Participação de mercado nas importações brasileiras 14,5% 14,0%

Gráfico 1 - Participação de mercado nas importações brasileiras 14,5% 14,0% INFORMATIVO Nº 11, 15 JANEIRO DE 213 COMÉRCIO BILATERAL BRASIL-CHINA Pauta de Importação As importações advindas do país asiático aumentaram em 4%, ultrapassando US$ 34 bilhões. Este valor posiciona a,

Leia mais

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Gerson Teixeira Diretor de Economia e Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Ministério do

Leia mais

RESTRIÇÕES DA INFRAESTRUTURA NA EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO

RESTRIÇÕES DA INFRAESTRUTURA NA EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO VII Encontro de Logística e Transportes RESTRIÇÕES DA INFRAESTRUTURA NA EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO Eduardo Leão Sousa Diretor Executivo da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (ÚNICA) Maria Andrade Pinheiro

Leia mais

Produção e Comercialização de Veículos de Passeio Movidos a Óleo Diesel no Brasil PL1013-2011 AUDIÊNCIA PÚBLICA

Produção e Comercialização de Veículos de Passeio Movidos a Óleo Diesel no Brasil PL1013-2011 AUDIÊNCIA PÚBLICA Produção e Comercialização de Veículos de Passeio Movidos a Óleo Diesel no Brasil PL1013-2011 AUDIÊNCIA PÚBLICA Brasília, 02 de março de 2016 Capacitação e Informação Representatividade e Defesa da Indústria

Leia mais

Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017

Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017 Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017 Introdução No dia 23 de dezembro de 2008, o Ministério de Minas e Energia abriu para consulta pública a nova versão do Plano Decenal de Expansão

Leia mais

Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de 2016

Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de 2016 Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 5, Nº 1 Janeiro/2016 Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de

Leia mais

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP.

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. SÃO PAULO, 25 DE AGOSTO DE 2015 INTRODUÇÃO Há três iniciativas simultâneas

Leia mais

Betão de baixo carbono

Betão de baixo carbono Betão de baixo carbono 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Betão de baixo carbono O betão é o material de construção

Leia mais

PRODUÇÃO E DEMANDA DE TRANSPORTE NA HIDROVIA ARAGUAIA - TOCANTINS

PRODUÇÃO E DEMANDA DE TRANSPORTE NA HIDROVIA ARAGUAIA - TOCANTINS Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PRODUÇÃO E DEMANDA DE TRANSPORTE NA HIDROVIA ARAGUAIA - TOCANTINS Brasília (DF), 30 de novembro de 2006. Tendência Crescente de Produção e Volume de

Leia mais

Perspectivas de la industria

Perspectivas de la industria Perspectivas de la industria i Brasil a mediano y largo plazo Fabio Trigueirinho Secretário Geral ABIOVE - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Rosario Argentina 14 de Setembro de 2011

Leia mais

Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor

Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2015/05/17/erros-do-setoreletrico-chegam-na-conta-do-consumidor-181452.php

Leia mais

SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA

SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA CAPA SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA O desafio da tecnologia verde Por Rachel Armani de Paiva e Lilian Cabral Missura A energia, segundo a Física, é a propriedade de um sistema que lhe permite realizar trabalho.

Leia mais

O setor florestal no mundo

O setor florestal no mundo O setor florestal no mundo Segmentos: Energia térmica Produtos sólidos de madeira Celulose de mercado Papel O setor florestal no mundo Comércio internacional de produtos florestais: US$ 290 bilhões / ano

Leia mais

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Dezembro/2013 12.000 Gráfico 1 - Balança Comercial do Agronegócio

Leia mais

ECONOMIA TEXANA. Se o Texas fosse uma nação, seria a 13 a maior economia mundial. Produto Interno Bruto (PIB) 2013

ECONOMIA TEXANA. Se o Texas fosse uma nação, seria a 13 a maior economia mundial. Produto Interno Bruto (PIB) 2013 PORQUE O TEXAS? PORQUE O TEXAS? WHY TEXAS? ECONOMIA TEXANA Rank Nação Milhões de US$ 1 Estados Unidos* 16,244,600 2 China 8,227,103 3 Japão 5,959,718 4 Alemanha 3,428,131 5 França 2,612,878 6 Reino Unido

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO

A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO Desafios estratégicos setoriais Petróleo, etanol e biocombustíveis diferenciais estratégicos A COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO Marcos S. Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

Aula 16 assíncrona Conteúdo:

Aula 16 assíncrona Conteúdo: Aula 16 assíncrona Conteúdo: Fontes alternativas de energia: eólica e nuclear. Fontes alternativas de energia: Solar e biogás Habilidade: Valorizar os progressos da química e suas aplicações como agentes

Leia mais

Capítulo 4. Materiais de Construção e o Meio Ambiente

Capítulo 4. Materiais de Construção e o Meio Ambiente Capítulo 4 Materiais de Construção e o Meio Ambiente Vanderley M. John Universidade de São Paulo O fluxo dos Materiais A percepção da importância do consumo de materiais de construção é recente e está

Leia mais

Expansão do complexo sucroalcooleiro e suas implicações distributivas para o Brasil

Expansão do complexo sucroalcooleiro e suas implicações distributivas para o Brasil ECONOMIA E TECNOLOGIA Expansão do complexo sucroalcooleiro e suas implicações distributivas para o Brasil Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho RESUMO A forte expansão projetada na produção, consumo e

Leia mais

DEP Dedini Energia no Palhiço SIMTEC 2010

DEP Dedini Energia no Palhiço SIMTEC 2010 DEP Dedini Energia no Palhiço SIMTEC 2010 Fernando César Boscariol Marcílio do Amaral Gurgel Objetivos do Projeto DEP Dedini Energia no Palhiço Desenvolver um produto para limpeza e separação de palha,

Leia mais

O mercado internacional de biocombustíveis: etanol e biodiesel.

O mercado internacional de biocombustíveis: etanol e biodiesel. O MERCADO INTERNACIONAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS: ETANOL E BIODIESEL FLÁVIO BORGES BOTELHO FILHO; DORA ISABEL MURILLO HERNANDEZ; UNB BRASILIA - DF - BRASIL botelho@unb.br APRESENTAÇÃO ORAL Comercialização, Mercados

Leia mais

6 A PRODUÇÃO BRASILEIRA DE ETANOL

6 A PRODUÇÃO BRASILEIRA DE ETANOL 6 A PRODUÇÃO BRASILEIRA DE ETANOL 6.1 Desenvolvimento do Setor Sucroalcooleiro e o Pró-álcool O setor sucroalcooleiro, após a decadência no período colonial, voltou a ser privilegiado nos anos 30, posteriormente

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) 24

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) 24 CANA-DE-AÇÚCAR Período: Março/206 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade Página 24 2 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 30 a 80 Saco/50 kg 50,86 50,97 8,25 77,46

Leia mais

A Relação do Setor Sucroalcooleiro com o Meio Ambiente

A Relação do Setor Sucroalcooleiro com o Meio Ambiente FENASUCRO-AGROCANA 2007 Fórum Internacional sobre o Futuro do Álcool Sertãozinho, SP 17 de setembro de 2007 A Relação do Setor Sucroalcooleiro com o Meio Ambiente Marcos S. Jank Presidente da União da

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2007 ano base 2006

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2007 ano base 2006 BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 27 ano base 26 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MME Unidade de Destilação Atmosférica na Refinaria Landulfo Alves - RLAM São Francisco do Conde BA PETROBRAS - Petróleo Brasileiro

Leia mais

Biodiesel: O Combustível Ecológico

Biodiesel: O Combustível Ecológico Biodiesel: O Combustível Ecológico Vanessa Freitas dos Santos* Resumo O biodiesel é um combustível renovável, considerado combustível ecológico, pois o CO 2 liberado na sua queima é absorvido no crescimento

Leia mais

Baixo carbono por natureza

Baixo carbono por natureza Baixo carbono por natureza Baixo carbono por natureza As florestas fazem parte da solução global para a mitigação dos efeitos das alterações climáticas na medida em que são um dos sistemas mais eficazes

Leia mais

... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia!

... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia! Fontes Renováveis e a Expansão da Oferta de Energia Elétrica Set/2015... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia! Blackout New York 14, August 2003 COGEN Associação da Indústria

Leia mais

Apresentação: Paulo Gustavo Prado Preparado por: Christine Dragisic; Paulo G. Prado; Timothy Killeen & John Buchanan.

Apresentação: Paulo Gustavo Prado Preparado por: Christine Dragisic; Paulo G. Prado; Timothy Killeen & John Buchanan. Soja (esquerda), Cana-de-açúcar (centro), Dendê (direita) Apresentação: Paulo Gustavo Prado Preparado por: Christine Dragisic; Paulo G. Prado; Timothy Killeen & John Buchanan. Produção de biocombustíveis

Leia mais

Evolução da Capacidade Instalada para Produção de Biodiesel no Brasil e Auto-Abastecimento Regional

Evolução da Capacidade Instalada para Produção de Biodiesel no Brasil e Auto-Abastecimento Regional Análises e Indicadores do Agronegócio ISSN 1980-0711 Evolução da Capacidade Instalada para Produção de Biodiesel no Brasil e Auto-Abastecimento Regional A produção de biodiesel em 2008 foi de 1,16 bilhão

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Fontes de Energia Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 5min 58seg Habilidades: H.47, H.49 e H.50 (Ensino

Leia mais

Energia Solar em Portugal. Perspectivas e situação actual

Energia Solar em Portugal. Perspectivas e situação actual ALSOLAR, Energia Solar em Portugal Perspectivas e situação actual Condições geral Maior radiação solar de Europa Indústria de Energia Solar com tradição Enorma dependência de importação de energia Um país

Leia mais

EXPANSÃO DA AGRICULTURA CANAVIEIRA E A GERAÇÃO DE ENERGIA ALTERNATIVA NO BRASIL

EXPANSÃO DA AGRICULTURA CANAVIEIRA E A GERAÇÃO DE ENERGIA ALTERNATIVA NO BRASIL EXPANSÃO DA AGRICULTURA CANAVIEIRA E A GERAÇÃO DE ENERGIA ALTERNATIVA NO BRASIL OSWALDO CARLESSO NETO 1 MICHELE POLLINE VERÍSSIMO 2 RESUMO: Este trabalho investiga os principais impactos da expansão da

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO Estratégias de Desenvolvimento em Minas Gerais Raphael Guimarães Andrade Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Belo Horizonte, 09 de outubro

Leia mais

2 Caracterização da oferta de açúcar produzida no Brasil

2 Caracterização da oferta de açúcar produzida no Brasil 2 Caracterização da oferta de açúcar produzida no Brasil A agroindústria açucareira tem passado por dois distintos momentos na década de 90. O primeiro marcado pela extinção do Instituto do Açúcar e do

Leia mais

A importância dos Portos para o Comércio Exterior Brasileiro

A importância dos Portos para o Comércio Exterior Brasileiro INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL A importância dos Portos para o Comércio Exterior Brasileiro Roberto de Souza Dantas Diretor de Planejamento da SECEX Em 2012, o comércio exterior brasileiro movimentou

Leia mais

Desafios e oportunidades no mercado internacional

Desafios e oportunidades no mercado internacional Bioenergia: Desafios e Oportunidades de Negócios Desafios e oportunidades no mercado internacional Eduardo Leão Sousa Diretor Executivo da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) São Paulo, 27 de

Leia mais

Resposta: Não. Por exemplo, em 1998 houve um aumento.

Resposta: Não. Por exemplo, em 1998 houve um aumento. COLÉGIO PEDRO II - MEC 1aSÉRIE DO ENSINO MÉDIO MATEMÁTICA - 2007 DIURNO QUESTÃO 1 1 (VALOR: 1,5) Enquanto o número total de cheques utilizados no Brasil caiu nos últimos oito anos, o uso de cartões de

Leia mais

PALM DIESEL O PROCESSO AGROPALMA

PALM DIESEL O PROCESSO AGROPALMA International Workshop on Bioenergy Policies, Technologies and Financing 9th LAMNET Project Workshop PALM DIESEL O PROCESSO AGROPALMA Engº. César A. Modesto de Abreu Prof. Donato Aranda AGROPALMA ESCOLA

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS DAC N 02/2010 ANEXO I PROJETO BÁSICO

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS DAC N 02/2010 ANEXO I PROJETO BÁSICO 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 02/2010 ANEXO I PROJETO BÁSICO 2 ÍNDICE I PERFIL DA EMPRESA...3 II CONTEXTO...4 III SERVIÇOS...4 IV -

Leia mais

AEB: PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2013

AEB: PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2013 Rio de Janeiro, 18 de dezembro de 2012 AEB: PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2013 A previsão dos resultados da Balança Comercial é tradicionalmente divulgada pela AEB em dezembro considerando as expectativas

Leia mais

Apresentação do relatório da Bolsa de iniciação de investigação. Leonor Trovão, Novembro 2010 Orientador: Prof. Humberto Jorge

Apresentação do relatório da Bolsa de iniciação de investigação. Leonor Trovão, Novembro 2010 Orientador: Prof. Humberto Jorge Apresentação do relatório da Bolsa de iniciação de investigação Leonor Trovão, Novembro Orientador: Prof. Humberto Jorge Problemas ambientais com os transportes Introdução de veículos eléctricos Utilização

Leia mais

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 ENCONTROS DE ATUALIDADES ECONÔMICAS O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 Prof. Dr. Laumar Neves de Souza Diagrama do

Leia mais

Voo verde. Estudo incentiva a produção de bioquerosene para a aviação civil

Voo verde. Estudo incentiva a produção de bioquerosene para a aviação civil tecnologia Energia y Voo verde Estudo incentiva a produção de bioquerosene para a aviação civil Marcos de Oliveira A conta já está feita. A aviação comercial deverá reduzir em 50% as emissões de dióxido

Leia mais

Ações Estratégicas do Agronegócio: O caso da Indústria Sucroenergética Brasileira

Ações Estratégicas do Agronegócio: O caso da Indústria Sucroenergética Brasileira 1º Curso para Jornalistas: Como o Agronegócio está se preparando para a Rio+20? Ações Estratégicas do Agronegócio: O caso da Indústria Sucroenergética Brasileira Marcos Sawaya Jank Presidente da União

Leia mais

Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis

Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis Juliana Vaz Bevilaqua Coordenadora de Gestão Tecnológica Petrobras Biocombustível S/A Abril 2009 A Petrobras Em suas mais de100 plataformas de produção, e

Leia mais

Atividade Avaliativa Interdisciplinar/Contextualizada Língua Portuguesa, Matemática, Geografia

Atividade Avaliativa Interdisciplinar/Contextualizada Língua Portuguesa, Matemática, Geografia Atividade Avaliativa Interdisciplinar/Contextualizada Língua Portuguesa, Matemática, Geografia Valor: 4,0 Agora é hora de mostrar tudo o que você aprendeu durante os nossos dias de estudo sobre o tema

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO

PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar 4 de dezembro de 2013 Considerações

Leia mais

Estrutura de Refino: Até quando o Brasil importará derivado de petróleo? Biorrefinarias Alfred Szwarc

Estrutura de Refino: Até quando o Brasil importará derivado de petróleo? Biorrefinarias Alfred Szwarc Estrutura de Refino: Até quando o Brasil importará derivado de petróleo? Biorrefinarias Alfred Szwarc 14º Encontro de Energia FIESP São Paulo, 06 de agosto de 2013 Matriz Energética Brasileira Cana: 36%

Leia mais