O Uso da Tecnologia PLC no Contexto da Realidade Brasileira. Workshop sobre PLC na ANEEL 3 de Maio de 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Uso da Tecnologia PLC no Contexto da Realidade Brasileira. Workshop sobre PLC na ANEEL 3 de Maio de 2007"

Transcrição

1 O Uso da Tecnologia PLC no Contexto da Realidade Brasileira Workshop sobre PLC na ANEEL 3 de Maio de 2007

2 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 2

3 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 3

4 Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e Sistemas Privados de Telecomunicações

5 Fundada em 7 de Abril de 1999 Sede: Av Rio Branco, 26-8ºAndar - Rio de Janeiro 5

6 A APTEL é uma associação privada, sem fins lucrativos, cujos membros possuem, controlam ou provem infraestruturas ou sistemas de telecomunicações, constituindo-se estes em elemento crítico para o desenvolvimento se suas atividades finais.

7 ASSOCIADOS APTEL CEEE CELESC CELG CELPE CEMIG CHESF CPFL CTEEP/EPTE ELETRONORTE ELETROPAULO ELETROSUL ESCELSA FURNAS PETROBRÁS SAELPA COPEL ELETROBRÁS CPqD FITEC PROCABLE ALCATEL MOTOROLA

8 MISSÃO Potencializar o uso da infra- estrutura e sistemas de telecomunicações dos seus associados através s de ações a conjuntas nas áreas de negócios, regulamentação e tecnologia. 8

9 Fórum APTEL PLC Brasil Fórum APTEL PLC Brasil 9

10 PJ1 Criação do FórumF V Seminário da Tecnologia Powerline Communications (V SPLC) Goiânia, 29 de junho de

11 Slide 10 PJ1 Pedro Jatoba; 3/12/2006

12 Comissões Temáticas Marketing/Networking Aspectos Regulatórios Aspectos Tecnológicos Mercado Municipalidades/Cidade Digital Inclusão Digital/social 11

13 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 12

14 O que é PLC? É um sistema de telecomunicações que: Opera com rádio freqüências (RF) na faixa entre 1,7 e 34 com MHz Utiliza a rede elétrica de distribuição como meio de transporte para o fornecimento de sinais 13

15 Como funciona? Transmissor Acoplador Canal PLC Acoplador Receptor Rede Elétrica 14

16 Elementos de uma rede PLC Um sistema PLC é composto por: Unidades concentradoras (Head End) Unidades Repetidoras Unidades de Terminação de Cliente (Customer Premise Equipment - CPE) 15

17 Elementos de uma rede PLC Rede de Baixa Tensão Subestação e LT de Média Tensão Acoplador Acesso em Banda Larga Injeção do sinal de comunicação Conexão com o Sistema de Comunicação de Longa Distância (Fibras; Satélite etc) Rede de Média Tensão Acesso em Banda Larga 16

18 Tecnologia PLC de acesso A tecnologia PLC de acesso é um meio de comunicação sobre as redes de média e baixa tensão Ela transforma a infra-estrutura existente das concessionárias de energia elétrica para oferecer novos serviços: Backbone de serviços ao consumidor Backbone de serviços à concessionária 17

19 Como funciona? Os sinais disponíveis nas fibras ópticas das subestações são injetados nas linhas de média tensão São utilizados acopladores para conectar os equipamentos à média tensão Os sinais de telecomunicação são repetidos pelos equipamentos instalados na rede Em cada transformador, esse sinal é acoplado às redes de baixa tensão 18

20 Serviços agregados Uma vez que a Rede Elétrica tenha funcionalidades IP e de banda larga, ela pode ser gerenciada como uma rede de telecomunicações Serviços ao Consumidor Internet banda larga, VoIP, Video Serviços às Concessionárias Medição automática e curva de demanda Controle de perdas técnicas e comerciais Automação da distribuição Controle de carga e da qualidade da energia Menores investimentos em geração de energia 19

21 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 20

22 Aplicações da Tecologia PLC Telecontrole Telemedição Concessionárias Entidades Públicas Telecom Monitoração remota Liga / religa remoto Supervisão de fornecimento Inclusão Digital Segurança Vigilância com câmeras Integração de serviços públicos Internet banda larga VoIP / Ensino a distância Video on demand Conectividade 21

23 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 22

24 Tendências do Setor Energético Mundial Aumento da demanda global Elevação no preço da energia Pressão para o uso de fontes renováveis Aumento da complexidade dos mecanismos de mercado Canalização de grandes fluxos de capital para investimento em novas tecnologias de geração de menor impacto ambiental 23

25 Cenário do Setor Energético Mundial Aumento da Demanda Limitações Ambientais RUTURA TECNOLÓGICA Disponibilidade de Capital para Investimento ADOÇÃO EM GRANDE ESCALA DE NOVAS TECNOLOGIAS 24

26 SMART GRID Conceito tecnológico que propõe para a rede elétrica uma ampla arquitetura de referência baseada em sistema abertos para as companhias de energia do futuro. Esta arquitetura possibilita a integração de equipamentos inteligentes e redes de comunicação de dados em um sistema gerenciado de computação distribuída abrangendo toda a corporação e a indústria. Ela é a base fundamental que possibilita a implantação de capacidades avançadas do sistema de energia, tais como: rede de energia auto-recuperável, comunicação integrada com o consumidor, e informação em tempo real sobre a energia e fluxo de geração 25

27 Smart Grid no Brasil Para Que Precisamos de Uma Rede Elétrica Inteligente? Concessionárias Telecontrole Telemedição Monitoração remota Liga / religa remoto Supervisão de fornecimento Entidades Públicas Telecom Inclusão Digital Segurança Vigilância com câmeras Integração de serviços públicos Internet banda larga VoIP / Ensino a distância Video on demand Conectividade 26

28 Smart Grid no Brasil Concessionárias Entidades Públicas Telecom Controle das Perdas Comerciais (R$ 5 bilhões/ano) Redução de custos Desafios da universalização do serviço Competição pelo consumidor (livre/cativo) Melhoria na gestão da base de consumidores e dos ativos Melhoria da qualidade da energia 27

29 Smart Grid no Brasil Concessionárias Entidades Públicas Telecom Baixa penetração das novas TICs nos domicílios Universalização do acesso à rede elétrica Potencial para uso da tecnologia PLC Necessidade de conexão das escolas em Banda Larga Alto custo dos serviços de telecomunicações X renda per capita capaz de comprar o serviço (Limite Social da Tarifa) 28

30 Penetração das TICs no Brasil Menor renda Classes C, D e E Desigualdade sócio-econômica Renda familiar População: 127,8 milhões Renda anual média: R$ Analfabetismo: 10% Mortalidade infantil: 15 nasc. População: 27,1 milhões Renda anual média: R$ Analfabetismo: 21% Mortalidade infantil: 37 nasc. Maior renda Classes A e B População: 20,7 milhões Renda anual média: R$ Analfabetismo: 1% Mortalidade infantil: 3 nasc. Mais concentrado Urbano Notas: O percentual de atendimento bancário não considera postos de correspondente bancário. Analf abetismo medido como % da população acima de 15 anos Fonte: IBGE - PNAD, POF e Indicadores sociais 2004; análise Accenture e GT Concentração geográfica População: 0,8 milhão Renda anual média: R$ Analfabetismo: 16% Mortalidade infantil: 5 nasc. Menos concentrado Rural 29

31 Penetração das TICs no Brasil Menor renda Classes C, D e E Renda familiar Telecomunicações demanda, oferta e competição Modelos alternativos (ex. Pré-pago) PGMU acesso individual e RURALCEL Serviços atendem à demanda do mercado PGMU Terminais de Uso Público Necessidade de políticas públicas para uso dos serviços Maior renda Classes A e B Mais concentrado Urbano Notas: O percentual de atendimento bancário não considera postos de correspondente bancário. Analf abetismo medido como % da população acima de 15 anos Fonte: IBGE - PNAD, POF e Indicadores sociais 2004; análise Accenture e GT Concentração geográfica Serviços de elevado custo para o consumidor (ex. Satélite) Menos concentrado Rural 30

32 Penetração das TICs no Brasil Contexto para o modelo futuro de comunicações Menor renda Classes C, D e E Renda familiar 128 MM hab. 27 MM hab. Políticas públicas para adoção dos serviços Viabilizar o uso de serviços básicos e de nova geração Expandir os benefícios da Sociedade da Informação para todos Maior renda Classes A e B 21 MM hab. Mais concentrado Urbano Ampliar atendimento pelo mercado Expandir serviços de nova geração (convergentes) Concentração geográfica Notas: Os correios e a CEF cobrem 100% dos municípios com atendimento bancário via o serviço de correspondente bancário (agência postal, casa lotérica, etc); Analfabetismo medido como % da população acima de 15 anos Fonte: IBGE - PNAD 2003, POF , Indicadores sociais 2004; análise Accenture e GT 1 MM hab. Menos concentrado Rural 31

33 Smart Grid no Brasil Concessionárias Entidades Públicas Telecom Aumento do custo da energia Aumento dos custos operacionais com a Universalização Risco de atingirmos o Limite Social da tarifa de energia Redução das margens na distribuição Necessidade de revisão do negócio Exploração adicional da infraestrutura e sistemas de CRM via compartilhamento 32

34 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 33

35 Smart Grid no mundo Estados Unidos 36 Utilities Brasil Eletrobrás AES Eletropaulo CELG CEEE CEMAR Europa Itália França Suíça Dinamarca Finlândia Noruega Holanda Inglaterra Grécia Portugal Espanha... 34

36 Smart Grid no mundo Obsolescência dos ativos de distribuição; Vulnerabilidade do sistema a: Ataques terroristas Hackers; Desastres Naturais; Falhas Mecânicas; Riscos de Blecaute. Crise Energética (California); Aumento da Geração Distribuída; Preocupação Ambiental. 35

37 Smart Grid no mundo 36 projetos em desenvolvimento; Benefícios esperados: Criação de novos empregos; Aumento da eficiência do capital investido; Redução da demanda de ponta; Redução do risco de blecautes; Redução dos tempos de restabelecimento; Aumento da segurança Benefícios ambientais 36

38 Smart Grid no mundo SDG&E Transmission and Distribution System (San Diego Califórnia) consumidores; Ganhos Anuais de $140 milhões; Texas Utility: Medição automática e monitoração remota da rede; Desenvolvimento tecnológico acelerado figura do Integrador da Rede; Utilização de fibras ópticas e PLC(BPL) 37

39 Smart Grid no mundo Liberalização dos mercados de energia europeus Desenvolvimento sustentável de longo prazo. A regulação ambiental poderá vir a ser um fator crítico para a lucratividade das utilities. 38

40 Smart Grid no mundo ENEL consumidores Substituição de todos os medidores em 7 anos Custo estimado de 2 bilhões de euros Desenvolvimento próprio de soluções Parceria comercial com a IBM para transferência tecnológica para outras empresas 39

41 Smart Grid no mundo E.ON Nordic (Finlândia) consumidores Substituição de todos os medidores em 6 anos Custo estimado de 220 milhões de euros Tecnologia PLC+GPRS (GSM) 40

42 Smart Grid no mundo Reino Unido - OFGEM Projeto P&D Consorciado de várias utilities EDF Central Networks ScottishPower CE Eletric Scottish&Soutther Energy United Utilities Western Power Distribution Northern Ireland Electricity Regulador (OFGEM) financia metade dos custos Custo estimado de 27 milhões de euros 41

43 Projeto Vila Digital de Barreirinhas-MA PARTICIPANTES ELETROBRÁS ELETRONORTE CEMAR DURAÇÃO: 24 meses ABRANGÊNCIA: 150 usuários nas classes residencial; comercial; prefeitura e entidades públicas APLICAÇÕES: acesso à Internet; voz; imagens e TV Digital Interativa (Projeto SAMBA) 42

44 Projeto Vila Digital de Barreirinhas-MA Por Que Barreirinhas? Situado no estado do Maranhão, a 240 km da capital, o município de Barreirinhas possui um dos mais baixos IDH do Brasil, situando-se na 5.287ª posição do ranking deste indicador dentre os municípios brasileiros. Situa-se na região dos Lençóis Maranhenses, constituindo-se hoje no principal ponto de acesso e apoio aos visitantes desta reserva ecológica. O município de Barreirinhas possui uma extensão territorial de Km2 e uma população de aproximadamente habitantes sendo em áreas urbanas. Possui cerca de domicílios permanentes sendo que 40% destes não possuem instalações sanitárias; 82% não são atendidos pela coleta de lixo e 75% não tem água encanada. O índice de alfabetização entre a população acima de 10 anos é de 61%. A renda média per capita na população acima de 10 anos é de R$ 213,00/ano. O município é atendido por uma única agência bancária. Pelo perfil acima descrito, Barreirinhas apresenta um painel representativo da realidade de boa parte das comunidades rurais brasileiras com população na faixa de até habitantes. Conjugando a escassez de renda com a falta de infraestrutura, encontramos condições ideais para a implementação de tecnologias de comunicação de informação alternativas àquelas disponíveis nas grandes cidades brasileiras. O momento atual da cidade, pressionada por um fluxo crescente de turistas faz com que o acesso a estes recursos sirvam para acelerar o desenvolvimento regional permitindo uma confiável avaliação dos impactos sociais 43 do acesso a estas tecnologias.

45 Projeto Vila Digital de Barreirinhas-MA 150 Usuários interligados à rede de acesso em Banda Larga, contemplando escolas; residências; pequenas empresas e prédios públicos 44

46 Projeto Vila Digital da Restinga P.Alegre Empresas Parceiras Procempa CEEE UFRGS CETA 45

47 Projeto Vila Digital da Restinga P.Alegre Localização Bairro Restinga Porto Alegre Centro Restinga Criado pela Lei 6571 de 08/01/90 Distante 30km do centro da cidade População/2000: moradores Homens: Mulheres: Área: ha Densidade: 23 hab/ha Taxa de Crescimento 91/2000: 4,6% aa Número de Domicílios: Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 3,03 salários mínimos Bairro Restinga 46

48 Projeto Vila Digital da Restinga P.Alegre Topologia da Rede Legenda 47

49 Vilas Digitais Projeto OPERA 35 Entidades Coordenação: IBERDROLA Duração: 24 meses 48

50 Vilas Digitais Projeto OPERA electricity more needed (quantity & quality) Electrical Grid Opportunity liberalization as a mean to economic. development inter-country power exchanges a new electrical system is needed for the XXI century (evolution, not revolution) efficiency request regulatory harmonization environment the technology will help 49

51 Vilas Digitais Projeto OPERA Energy Information Regulator Market agents Market Operators Headquarters Manpower Transmission Center Distribution Center Domestic Customers Generation Plants Transmission Lines Substations Distribution Lines Distribution Substations Distributed Generation Industrial Customers 50

52 Projeto OPERA Top 10 utility technology challenges 1. IMPROVE UTILIZATION OF POWER DELIVERY ASSETS Superconductivity Real Time rating through monitoring 2. IMPROVE POWER SYSTEM RELIABILITY AND ADDRESS POWER QUALITY Power electronics 3. INTEGRATE LOW-COST DISTRIBUTED ENERGY RESOURCES INTO POWER DELIVERY SYSTEM Microgrids Storage DER interconnections 4. ENABLE CONSUMERS PORTALS Integration of consumer 5. INCREASE END-USE ENERGY EFFICIENCY Many ways of saving energy consumption 6. IMPROVE THE EFFECTIVENESS OF POWER MARKETS Better simulation & modelling 7. CAPITALIZE ON THE OPPORTUNITY OF NEXT GENERATION NUCLEAR Generation III and IV reactors 8. OPTIMIZE USE OF COAL RESOURCES WITH ADVANCED COAL GENERATION Integrated gasification combustion-cycle plant 9. MITIGATE ENVIRONMENTAL IMPACTS 10. INCREASE THE RESILIENCE OF POWER SYSTEM TO SECURITY THREATS Physical security Information security Telecommunications & ITT 51

53 Vilas Digitais SAMBA System for Advanced interactive digital television and Mobile services in BrAzil Duration: 2 years Starting January 1 st, 2007 Overall budget: ,00 total EU grant: ,00 Project consortium: CREATE-NET (Italy), coord. APTEL (Brazil) Axel Tech. (Finland) Digilab (Italy) Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Brazil) Fraunhofer FOKUS (Germany) Universidade de Fortaleza (Brazil) TV Mirante (Brazil) Telesystem Electronic (Brazil) BRA DE TV Mirante IT 52 FI

54 Vilas Digitais Projeto SAMBA TV Digital Interativa 53

55 Vilas Digitais 54

56 Agenda APTEL e a Tecnologia PLC O que é PLC? Aplicações da Tecnologia PLC Necessidades atuais A Tecnologia PLC no Mundo Questões associadas à Regulação 55

57 A Tecnologia PLC e a sua Regulação O Que Regular? Tecnologia: Emissões eletromagnéticas; interferência; segurança do usuário; padrões Serviço: Qualidade; confiabilidade; modicidade; competição Como Regular? Conjuntamente através das Agências de Energia e Telecomunicações (exemplo FERC/FCC) Questões críticas: Mecanismos de apropriação do valor agregado pelo uso compartilhado de facilidades Incentivo econômico ao compartilhamento e formas de transferência dos ganhos ao consumidor 56

58 IX Cumbre Reguladores-Operadores Salinitas (El Salvador) 5 y 6 de julio de 2006 CONVERGENCIA Y ARMONIZACION PARA LA INCLUSION DIGITAL Convergencia y Armonización Regulatoria Regional en Latinoamérica Presentación del Plan de Trabajo del Estudio conjunto AHCIET - REGULATEL Dr. Luis Castejón, Dr. Claudio Feijóo Escuela Técnica Superior de Ingenieros de Telecomunicación Universidad Politécnica de Madrid (España) Skype: lcastejon

59 Sigue siendo válida la regulación tradicional en este nuevo contexto?. La necesidad de la armonización. PRIVATIZACIÓN REFORMA INSTITUCIONAL LIBERALIZACIÓN IMPACTO Incremento de densidad fijo. Crecimiento espectacular de densidad móvil. Baja penetración de Internet. Baja penetración de banda ancha. Bajo desarrollo de la SI. Globalización y convergencia Inversión privada Desarrollo SI en colaboración Procesos de integración regional ARMONIZACION Mercados nacionales Operadores nacionales Voz fija y móvil Regulación simple Mercados globales Operadores globales Voz fija/móvil, Internet, banda ancha, all IP Regulación compleja 58

60 Agenda PERGUNTAS? PEDRO L. DE O. JATOBÁ Presidente da APTEL (61) (21)

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Tendências do Setor Energético Mundial Aumento da demanda global Elevação no preço da energia Pressão para o uso de fontes renováveis Aumento da complexidade

Leia mais

APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações

APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações 2009 Objetivos A APTEL é uma associação privada, sem fins lucrativos, cujos membros possuem, controlam

Leia mais

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto Primeira Etapa do Projeto Transferência de sinal da rede elétrica do prédio para cabo ou wireless e vice-versa D Repetidores e extratores de sinal para baixa tensão (220V/127V) e vice-versa C B Injeção

Leia mais

Gestão de Ativos de Distribuição

Gestão de Ativos de Distribuição Gestão de Ativos de Distribuição Smart Grid na Cemig Denys Cláudio Cruz de Souza Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição O que é Smart Grid? Sistema elétrico inteligente, que integra

Leia mais

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Rogério Botteon Romano Pesquisador Maio/2007 www.cpqd.com.br PLC no CPqD Projeto P&D ANEEL - ciclo 2001/2002 - CPFL - ELETROPAULO - BANDEIRANTE - ELEKTRO (São

Leia mais

Notação: T1i 1 - PLC: algoritmos atuais; T1i 2 - PLC: novos algoritmos;

Notação: T1i 1 - PLC: algoritmos atuais; T1i 2 - PLC: novos algoritmos; 31 3 Estudos do PLC Depois de apresentar algumas tecnologias PLC, será apresentado um cenário nacional e internacional que mostra a tecnologia hoje e o avanço esperado pela mesma no futuro. Alguns projetos

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II 24/09/2007 19:58 :: João Carlos Fonseca Por ocasião do VIII Seminário Nacional de Telecomunicações da Aptel,

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações SmartGrid Workshop Internacional - Power Line Communication ANEE L, 3 e 4 de Maio de 2007 [1] SmartGrid - Visão ¾ Visibilidade em tempo real das condições

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids IEEE Workshop SMART GRID - Trends & Best Practices Smart Grid no Contexto da Geração e Distribuição 18/10/2013 NAPREI Núcleo de Pesquisas em Redes Elétricas Inteligentes enerq Centro de Estudos em Regulação

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO

INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO Oportunidade e integração Setorial COMÉRCIO TRANSPORTE INDÚSTRIA DISTRIBUIÇÃO Informática & Comunicações Oportunidade e integração Setorial COMÉRCIO TRANSPORTE

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

CELGTelecom & Soluções. Novembro, 2008

CELGTelecom & Soluções. Novembro, 2008 CELGTelecom & Soluções Novembro, 2008 Localização Geográfica Agenda 1. Introdução 2. Estratégia Empresarial do Grupo CELGPAR 3. CELGTelecom & Soluções 4. Aspectos Tecnológicos 5. SmartGrids: Contexto e

Leia mais

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações CONFIDENCIAL A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações José Antônio Guaraldi Félix Presidente da NET Serviços de Comunicação S.A. São Paulo, 29 de setembro de 2009 SUMÁRIO

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

Evento Huawei Águas de São Pedro Cidade Digital e Inteligente

Evento Huawei Águas de São Pedro Cidade Digital e Inteligente Evento Huawei Águas de São Pedro Cidade Digital e Inteligente São Paulo, 2 de Julho de 2015 Eduardo Koki Iha Smart Cities & Inovação IoT eduardo.iha@telefonica.com - @kokiiha 1 Por que Cidades Inteligentes?_

Leia mais

Aplicações do Sistema Automático de Medição

Aplicações do Sistema Automático de Medição Aplicações do Sistema Automático de Medição Eriberto Alvares, Gerência de Medição & Certificação, Cam Endesa, Brasil Projetos de telemedição implantados no mundo Concessionárias Clientes instalados Países

Leia mais

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios São Paulo, 27 de novembro de 2013 Weules Correia Coordenador Técnico do Projeto Cidade Inteligente Búzios Ampla Energia e Serviços SA Enel: um operador internacional

Leia mais

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição - SRD Carlos Alberto Calixto Mattar Superintendente

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Eficiência Energética Smart Grid - Redes Inteligentes Anderson D. Carvalho, Helionay F. Rocha, Jeiza P. Bittencourt, Jéssica M. Ribeiro, Luiz F. Rocha, Wellerson C. Leite, Vinicius M. Pacheco. Centro Universitário

Leia mais

O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi

O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi O Futuro das (Tele)Comunicações no Brasil O Desafio da Banda Larga e a Nova Oi Mario Dias Ripper F&R Engenheiros Consultores S/C Ltda. São Paulo, 03 de junho de 2008. PRINCIPAIS MENSAGENS O Brasil e a

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

Smart Grid e Net Metering no Brasil

Smart Grid e Net Metering no Brasil Smart Grid e Net Metering no Brasil Daniel Vieira Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Cidade do México 30/01/2013 Sistema de Distribuição 63 concessionárias de distribuição

Leia mais

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior Smart Energy Energias Inteligentes Álvaro Dias Júnior 8 de maio de 2014, Curitiba Cenário Econômico Brasileiro A importância do Brasil tanto na área econômica quanto política, tem aumentado nos últimos

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia Apresentação institucional Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia O CPqD Aumento da competitividade e inclusão digital do País Uma organização focada na inovação com base em Tecnologias de Informação

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES *

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende DIAS 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET

Leia mais

Tem também grande experiência em desenvolvimento e padronização de processos em empresas de prestação de serviços.

Tem também grande experiência em desenvolvimento e padronização de processos em empresas de prestação de serviços. PLC - Power Line Communications Este tutorial tem por objetivo introduzir o tema PLC Power Line Communications. Esta tecnologia já está disponível, hoje, para o fornecimento de infra-estrutura para os

Leia mais

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 Info-Day Nacional de Energia Oportunidades de financiamento no âmbito do tema ENERGIA do Horizonte 2020, Concursos 2014&2015 António Messias, Inovgrid, EDP DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009

SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009 SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009 27/10/09 1 AGENDA REGULAMENTAÇÃO DA TECNOLOGIA BPL NO BRASIL RESOLUÇÃO 527 ANATEL QUEM SOMOS POWERGRID COMMUNICATIONS BRASIL SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ELETRICIDADE

Leia mais

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil 19 a 21 de outubro de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL Enersul Empresa Energética de Mato Grosso do Sul Enersul Empresa distribuidora

Leia mais

REDES DE ENERGIA ELÉTRICA INTELIGENTES

REDES DE ENERGIA ELÉTRICA INTELIGENTES REDES DE ENERGIA ELÉTRICA INTELIGENTES (SMART GRIDS) FAUSTO DE PAULA MENEZES BANDEIRA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ABRIL/2012 Fausto de Paula Menezes Bandeira

Leia mais

5% o consumo residencial no horário de pico, entre 18h e 21h, segundo Pepitone, diretor da ANEEL. Isto equivale, segundo ele, ao consumo de uma

5% o consumo residencial no horário de pico, entre 18h e 21h, segundo Pepitone, diretor da ANEEL. Isto equivale, segundo ele, ao consumo de uma 58 5 Smart Grid Segundo especialistas da área de energia, o smart grid pode ser definido como uma Rede Elétrica Inteligente que distribui energia elétrica com auxílio de tecnologia digital, monitorando

Leia mais

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro II LATIN AMERICAN PUBLIC POLICY FORUM ON INTERNET, E- COMMERCE AND MOBILE TECHNOLOGIES Economic, Social and Cultural Impact on Latin America's Development Keynote speech by Senator Walter Pinheiro Discussion

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002). Acesso à Internet Este tutorial apresenta as formas de acesso a Internet disponíveis para o usuário brasileiro, e apresenta os números atuais da Internet no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial

Leia mais

Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE

Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE Prof. Dr. Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica

Leia mais

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite SINDISAT Suporte: TELECO - Inteligência em Telecomunicações Brasília,

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks Introdução A Silver Spring Networks agradece a oportunidade de poder enviar à ANEEL alguns comentários em resposta à consulta Implantação de Medição Eletrônica em Baixa Tensão, Nota Técnica nº 0013/2009-SRD/ANEEL

Leia mais

PLC - Power Line Communications - 2009

PLC - Power Line Communications - 2009 PLC - Power Line Communications - 2009 Bruno Aguilar e Silva Bruno B. L. de Oliveira David Alves da Silva Hugo Pereira Rios Luiz Carlos Duarte Vilmar Batista da Silva Universidade Presidente Antônio Carlos

Leia mais

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio 27nov2013 Claudio T Correa Leite CPqD na Dinâmica de Transformação do Setor Elétrico A Dinâmica dos Mercados

Leia mais

O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil

O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil IV Acorn-Redecom Conference Brasília, 14 de maio de 2010 Gabriel Boavista Laender Universidade

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga

Programa Nacional de Banda Larga Programa Nacional de Banda Larga Metas e eixos de ação Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 31 de agosto de 2011 Dados de acesso à Internet em

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1

Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Análise de Sistemas Elétricos de Potência 1 A ula 0 2 : Vi s ã o Geral do S i s tema E l é trico de P otência P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s E - m

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

PLC Testes de Campo e Considerações da Anatel

PLC Testes de Campo e Considerações da Anatel Workshop sobre PowerLineCommunications PLC Testes de Campo e Considerações da Anatel RFCEE/RFCE/SRF Sumário Definições Aspectos importantes da tecnologia PLC Testes realizados pela Anatel Abordagem internacional

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

Smart Grid. Anatel. Maximiliano Salvadori Martinhão

Smart Grid. Anatel. Maximiliano Salvadori Martinhão Smart Grid Anatel Maximiliano Salvadori Martinhão Agenda Mensagem inicial Ações recentes GT Smart Grid Ministério de Minas e Energia Prospecção exterior - Estados Unidos Projeto de Pesquisa - ANEEL Ações

Leia mais

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Agenda Os Institutos Lactec Projetos nas áreas de Smart Grids Piloto Programa Smart Grid Light

Leia mais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais

Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA Análise dos Sistemas de Medição do Consumo de Energia Elétrica em Plantas Industriais Proposta de Trabalho

Leia mais

Rede PLC Power Line Conection

Rede PLC Power Line Conection Rede PLC Power Line Conection Por: Luiz Fernando Laguardia Campos Semana do Técnico Colégio PioXII Outubro 2008 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Rede PLC - Tópicos

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

A Telefonica Vivo no mercado de M2M. Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014

A Telefonica Vivo no mercado de M2M. Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014 A Telefonica Vivo no mercado de M2M Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014 Índice 1. M2M & a junção das indústrias conectadas_ 2. Posicionamento da Telefonica Vivo_ 3. Principais

Leia mais

Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga

Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga Secretaria de Telecomunicações Roberto Pinto Martins 29-09-2009 i Banda Larga no Cenário Internacional Contexto da Banda Larga Banda Larga

Leia mais

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I 24/09/2007 20:29 :: João Carlos Fonseca Por ocasião do VIII Seminário Nacional de Telecomunicações da Aptel,

Leia mais

A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*)

A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*) A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*) A evolução tecnológica proporcionada pelas Smart Grids já colocou em plena marcha, mundialmente e silenciosamente, uma grande mudança

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011 Pesquisa TIC Provedores 2011 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil São Paulo, 30 de novembro de 2011 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

Workshop de Telecomunicações da FIESP

Workshop de Telecomunicações da FIESP Workshop de Telecomunicações da FIESP A Qualidade da Banda Larga no Brasil Alexandre Barbosa Cetic.br São Paulo 27 de agosto de 15 Trajetória do CETIC.br Países da América Latina e PALOPs 1995 5 12 q Produção

Leia mais

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga Instituto de Inovação com TIC O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga [ Flávia Fernandes Julho/2010] Banda Larga Internet A Internet supera a produtividade combinada do telefone, transporte e eletricidade

Leia mais

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios Prof. José Carlos Vaz EACH-USP 1 1. A importância da democratização do acesso à TI A desigualdade no acesso à tecnologia é um fator adicional

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com.

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com. SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende Dias 2 ; Getúlio Antero de Deus JÚNIOR 3 Grupo PET EEEC (Conexões de Saberes) /UFG

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo. Telefônica 17 de julho de 2009

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo. Telefônica 17 de julho de 2009 Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo 17 de julho de 2009 1. Grupo 1 Grupo dados de 2008 No Mundo Presença em 25 países na Europa,

Leia mais

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Marco A O Tavares Gerente Operacional de Planejamento Engenharia do Espectro tavares@anatel.gov.br Agenda A Anatel neste Contexto Passos Percorridos E para

Leia mais

Programas Sistemas Projetos

Programas Sistemas Projetos Programas Sistemas Projetos A Cemig Maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, a Cemig também é o maior grupo distribuidor, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional. A

Leia mais

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor Agenda Parintins ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos Interação com consumidor Comunicação e Interação de Sistemas PARINTINS Agenda Parintins

Leia mais

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA MOTIVADORES Níveis elevados de perdas não técnicas das empresas Restrições mais rígidas (ambientais,

Leia mais

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Geraldo Guimarães Jr Diretor para Indústria de Utilities SAP para Utilities Liderança Global no Setor Maior Provedor de Soluções e Aplicações

Leia mais

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador 4º Congreso Internacional de Supervisión del Servicio Eléctrico Romeu Donizete Rufino Diretor-Geral da ANEEL 27 de novembro de 2014

Leia mais

Capítulo VIII. Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid. Smart grids Redes Inteligentes

Capítulo VIII. Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid. Smart grids Redes Inteligentes 40 Apoio Smart grids Redes Inteligentes Capítulo VIII Antecipando o futuro para atender à demanda de smart grid Por Flavio Roberto Antonio* As distribuidoras possuem uma necessidade de modernização não

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Tecnologia ao seu dispor

Tecnologia ao seu dispor Tecnologia ao seu dispor EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE 1987 Janeiro Fundação como empresa de prestação de serviços na área da electrónica e Centro de Assistência Técnica para o Sul do País de um fabricante de

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS DATA CENTER SOLUÇÃO ITMAX ENTERPRISE REDES

Leia mais

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid José Reynaldo Formigoni Filho, MSc Gerente de Desenvolvimento de Tecnologias de Segurança da Informação e Comunicação Rafael de Simone Cividanes,

Leia mais

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA LTE Aula 1 Conhecendo o Setor Elétrico Brasileiro Aula 1: Conhecendo o Setor Elétrico Brasileiro Prof. Fabiano F. Andrade 2011 Tópicos da Aula Histórico do Ambiente Regulatório

Leia mais

UMA INTERNET PARA TODOS E O FUST

UMA INTERNET PARA TODOS E O FUST UMA INTERNET PARA TODOS E O FUST FORUM NACIONAL do CONSECTI - Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I - SALVADOR - 08/07/2008 Vilson Vedana Consultor Legislativo 1 Câmara dos Deputados

Leia mais

ITU Regional Human Capacity Development Forum. TIC e Desenvolvimento Econômico e Social

ITU Regional Human Capacity Development Forum. TIC e Desenvolvimento Econômico e Social ITU Regional Human Capacity Development Forum TIC e Desenvolvimento Econômico e Social O mundo passa por um momento de profundas transformações...... as comunicações são parte dessas transformações. Políticas

Leia mais

CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO DE CONFIGURAR UM CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO

CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO DE CONFIGURAR UM CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO 3ª Exposição e Fórum Internacional sobre Centros de Operação e Controle das Empresas de Energia Elétrica CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO

Leia mais

4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através desta Tecnologia? 6. O Adaptador PLC causa um aumento no consumo de Energia Elétrica?

4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através desta Tecnologia? 6. O Adaptador PLC causa um aumento no consumo de Energia Elétrica? 1. O que significa PLC - PowerLine Communications? 2. Quais são as características técnicas do PLC? 3. Quais são as vantagens da Tecnologia PLC? 4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através

Leia mais

A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009

A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009 Interligação Tucuruí Macapá Manaus: integração da Amazônia ao SIN A Suframa e o desenvolvimento do setor energético regional Manaus Novembro de 2009 Objetivos do modelo do Setor Elétrico Segurança no Modicidade

Leia mais

Cidades do futuro. Redes inteligentes trazem integração de fontes energéticas e de dados e abrem novas possibilidades para o consumidor.

Cidades do futuro. Redes inteligentes trazem integração de fontes energéticas e de dados e abrem novas possibilidades para o consumidor. energia y Cidades do futuro Redes inteligentes trazem integração de fontes energéticas e de dados e abrem novas possibilidades para o consumidor Marcos de Oliveira foto cemig 56 z dezembro DE 2012 Sete

Leia mais

Políticas de Massificação da Banda Larga

Políticas de Massificação da Banda Larga Políticas de Massificação da Banda Larga 59º Painel Telebrasil 1 de setembro de 2015 Banda larga no Brasil expande ano a ano Em julho de 2015, chegamos a: 221,3 milhões de acessos em banda larga 196,4

Leia mais

SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY. Proposta de trabalho de graduação. Aluno: Lucas André Pequeno Paes Orientador: Daniel Carvalho da Cunha

SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY. Proposta de trabalho de graduação. Aluno: Lucas André Pequeno Paes Orientador: Daniel Carvalho da Cunha UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 2012.2 SMART GRIDS: PHYSICAL-LAYER SECURITY Proposta de trabalho de graduação Aluno: Lucas André Pequeno Paes

Leia mais

Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40

Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40 Concentração no mercado de telecom Telesíntese 40 Telefonica do Brasil S.A. mar.2015 AGENDA e principais mensagens 1. O negócio de telecomunicações é intensivo em capital e está pressionado pela expansão

Leia mais

Projeto RuralMAX. Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais

Projeto RuralMAX. Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais Projeto RuralMAX Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais Rural Connectivity Forum 2011 15 a 17/11 - Maputo - Moçambique NEGER Tecnologia e Sistemas Fundada em 1987

Leia mais