A era on-demand. está chegando

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A era on-demand. está chegando"

Transcrição

1 A er n-mnd está chegn As vs teclgis, ssim cm mudnçs cmprtment s cnsires, estã trn s experiêncis cmpr cd vez mis perslizds. E, cm mstr este estu d McKinsey, iss crre frm rdicl tp rel e prticmente qulr lugr. Já é hr se preprr Ilustrçã istck 120 HSM Mgent 101 vbr-dezbr 2013 hsmmgent.cm.br

2 SINOPSE O mrketing está prestes entrr territóri sfir. Cm bse crescente pr cnsir, vei cm er digitl, cminh pr se trr n-mnd, nã pes pr estr spre prnt respnr, ms pr sus respsts relevntes, ft stisfçm sej s clientes encurtr cminh té entreg prdut u serviç. O t d cmbustível mrketing n-mnd é evluçã cntínu e simbiótic d teclgi e ds expecttivs s cnsires. Pr mei s sists busc, pr expl, s infrmções estã presentes qulr lugr e qulr mment; s mídis sciis estimulm s pesss cmprtilhá-ls, cmprr prduts e vlir experiêncis; e s prelhs móveis crescentm mbiente digitl cmpnente qulr lugr. Os executivs, pr su vez, experimentm esse tip pr dirimente, qun, pr expl, pm ssistir vís qulr equipment, qulr hr, u qun, cm lguns ts smrtphne, cnsegu utilizr s serviçs cmpnhi ére. Mis tável, tu iss cmeç ser rti. Empress líres merc já sb pensr cm bse s necessids prec s sists busc, e timizr psiciment nesses sists se tru gst relevnte mídi. As cmpnhis tmbém têm lvnc sus tivids publicid e mnitrment s cis sciis cm bjetiv crir experiêncis fáceis cmprtilhr. Ms, ind ssim, tu iss é só cmeç. Acnteciments purrrã s experiêncis merc ind mis pr frente inclu cresciment d cnectivid móvel e espçs nline mis b senhs, cris cm v lingug d web, HTML5, entre utrs vnçs: breve, s cnsires prã fzer buscs pr mei img, vz e té gests, szinhs u cm utrs pesss, e scbrirã vs prtunids cm equipments relid entd, cm s óculs Ggle Glss. À medid ess cpcid digitl se multiplicr, creditms s mnds s cnsires entrã qutr frentes, finids pr plvrs-chve: 1. Agr: s cnsires vã rer intergir qulr lugr, qulr mment. 2. Eu pss: eles vã rer fzer ciss vs cm t tip infrmçã, cnts crrentes ds sbre tivid físic, mneir iss lhes gregue vlr. 3. Pr mim: eles vã esperr ts s ds rmzes sbre eles sejm vlts precismente pr sus necessids u uss pr perslizr sus experiêncis. 4. Simples: eles vã esperr tds s interções sejm fáceis. O estu é Peter Dhlström e Dvid Elmn, cnsultres d McKinsey sedis, respectivmente, Lndres, Rei Uni, e Bstn, EUA. l A velcid cm s vs teclgis pssm fzer prte d vid e prduz impcts prfuns experiênci cns vi brigr, cd vez mis, s press tenr vs mnds s clientes. O mrketing n-mnd ve estr spre prnt respnr, e m relevnte, pr s pesss. l Nesse cenári, s cnsires tenrã vlir s mrcs pr su cpcid prduzir interções prticmente qulr lugr e qulr mment, cm lt vlr, mneir perslizd e pr mei cesss simples. l As press e seus executivs têm estr preprs pr envlver s clientes múltipls frms, cm diverss tips interçã, cm bse visã integrd prcess cisã cnsir. Pr iss, v cletr e prcessr ds sbre cmprtment s clientes e senvlver vs prcesss e hbilids tds s áres d rgnizçã, e nã pes mrketing. Buscn ntecipr retrt sse v mun e sus cnsequêncis pr lirnçs td rgnizçã, dquirims certez: s experiêncis s cnsires cm mrcs e prduts, termim is terçs ds cisões s clientes tmm (s preçs cbe terç), serã mis intenss e finirs. O mrketing terá, entã, ser repens, vez clbrçã entre s áres e s unids negó cis se trm cd vez mis essenciis. O QUE ESPERAR EM 2020 Ns próxims s, vers integrr- -se s experiêncis cns mbiente físic e virtul. A mir prte ds teclgis necessáris pr iss se cnfirme já está dispnível e té t cust bix, cm NFC (Ner- -Field Cmmunictin, sigl inglês), pr mei d qul s chips s teles celulres se trm cpzes trcr infrmções cm utrs equipments. Nvs pesquiss tenm trná-l ind mis brt, inclusive. Vle prjetr cd ds frentes mnds cns 2020: Agr. Cnt crrente entrn negtiv? O gerente envi pr cliente lert seu tele celulr. Um stã sbre txs levntds Twitter bnc? Surge utr prtunid respst imedit. Esse mrketing n-mnd, já está cntecen, cnstitui HSM Mgent 101 vbr-dezbr 2013 hsmmgent.cm.br 121

3 S DO FUTURO Imgine cnsir fictíci,, rer s press trblh cm série ces s quis teclgis, mensgens e pções cntrib pr el se envlv cm s prduts, s serviçs e té mesm cm s cmunids relcids cm mrc. 1. Curis 1 sbre Curis sbre mig, mig, us pesquis sbre but her friend s ele seu hedset, smrtphne. pequis seu Tnt tele smrtphne. Tnt cm tele cm cntm cm cntm cm teclgi NFC, teclgi NFC, fcilit fcilit pesquis. pesquis é cnvidd envir s é cnvidd fts pr envir migs s fts Fcebk, pr migs prã Fcebk, vtr prã vtr cr cr cmbi melhr cmbi cm melhr el. cm el O tele pe el fç O tele ft rst pe l e, entã, el fç mstr cm ft rst l e, entã, ficri mstr nel, cm diverss cres. ficri nel, diverss cres. 4. Enqunt iss, recebe mensg site Sptify ferecen mês ssitur grátis seu serviç pri músic, cs el cmpre. A mensg fi pssível pr bnc ds fbricnte mstru nã er ssinte Os migs Os migs vtm vtm versã versã lilás lilás uvid e e el el cmplet cmplet cmpr. cmpr. ensi futur. O ft é, se t bnc ficr à dispsiçã s clientes pel tele, iss p ser pes pltfrm pr utrs experiêncis hriznte. O cs pres eurpei já relizu testes rótuls cervej utilizn teclgi NFC ferece mstr sse futur. A ii er, prximn celulr rótul, fsse pssível ter cess à históri d cervej, s bres el é servid, às prmções e list migs já curtirm bebid. Nesse cenári, s prduts e serviçs vã trr-se pnts cntt pr mei s quis s cnsires prã vlir pres está ferecen. As teclgis d infrmçã perrã s bstires pr integrr s ds tds s interções cliente lng prcess cisã cmpr e, ssim, drã às press pists sbre cm influencir esse prcess e cm preprr vs experiêncis perslizds pr s cnsires. Eu pss. A mir prte s recurss digitis d primeir nd juu s pesss ter cess ciss às quis els já tinhm cess: cmprs, bnc, infrmções. N entnt, vs prgrms, cm vs pssibilids cess ds e interfces, estã dispníveis gr, pr trr cd interçã digitl prtunid ferecer lg excepcil. Vejms cs v plictiv pr smrtphnes Cmmnwelth Bnk f Austrli, mud experiênci busc imóveis. O pssível cmprr cmeç tirn ft d cs gstu. Utilizn prgrms recnheciment img e teclgis bseds lclizçã, plictiv intific cs e frnece infrmções cm preç e impsts. Em seguid, cess s ds finceirs ptencil cmprr e lis se ele teri cess finciment vlr imóvel r cmprr. Ess série prticmente instntâne interções signific tlh mei s cminhs trdiciis busc imóveis, inclu s sites crretrs e s bncs, e pm levr mis s. Esse plictiv mstr cm mbiente digitl está integrn diferentes fntes infrmçã, cm bix cust e cm escl. O sfi pr s press é lhr lém ds interfces tuis e ver v cenári exigirá se repens spects cm s pctes fert, s preçs, s frms entreg e s prduts. Pr mim. Algs press cmérci nline já usm recurss cm câmers e tels t pr judr s clientes ver peçs vestuári cmbim melhr cm cessóris. Pr expl, Wrby Prker, vrejist d web, ferece pssibilid cliente ver su ft ( p ser tird cm webcm) cm centes mls e cres óculs. N futur, s mnds pr experiêncis mis perslizds se intensificrã. Um t tel smrt- 122 HSM Mgent 101 vbr-dezbr 2013 hsmmgent.cm.br

4 A er n-mnd está chegn 6 Qun é entregue di seguinte, mensg pergunt se el gstri pstr ft Fcebk, usn equipment, cm link pr utrs tmbém cmpr prdut Qun encntr s migs pesslmente, Qun encntr smrtphne s migs lbr pesslmente, chip NFC smrtphne lbr e ferece chip utr NFC mês grátis ssitur e ferece utr serviç mês grátis Sptify ssitur pr cd mig serviç pesquisr Sptify pr e cmprr cd mig pesquisr. e cmprr Enqunt uve Enqunt s músics, uve s 8. 8 Td Sptify músics, lhe vis: Sptify fi lbr s, Td s, fbricnte fi fbricnte el ele recebe recebe prprciu mensgens prprciu el mensgens ess el ess experiênci. experiênci. cm cm scnts scnts pr pr events, events, cndicis cndicis el el usr usr N cmi N cmi ginástic, ginástic, t t prtunid prtunid cmprr cmprr e fzer fzer wnld wnld prgrm prgrm exercícis. exercícis. El El p p ter ter cess cess prgrm prgrm psicin psicin s s displys displys lclizs lclizs cmi. cmi. phne, cli e té mviments mis suves e estilss serã cpzes perslizr instntnente prduts, cm bse infrmções cpturds seus curtir Fcebk, vigens recentes, seu rçment méstic, seus migs estã fzen u gstn, e muit mis. Em cd interçã, cnsir ixrá pegds se trnsfrmrã ds, cmplentn seu tul retrt digitl. O Fcebk p ser fnte mir bnc ds mun ftgrfis, lign s pesss sus tivids. Os smrtphnes, pr su vez, vltm rics infrmções ts s lcis pr s quis seu viju cm ele. Iss é só cmeç. Questões reltivs à privcid, à segurnç e à cnfinç tmbém pssm ser mis imprtntes. Aind ssim, s cnsires mstrm-se té sejss frnecer mis ds qun s press utilizm s infrmções pr ferecer vlt lg útil, cm recmendções, serviçs e ferrments custmizçã, vez pes purrr mensgens invsivs. Simples. A busc pr simplicid já levu Amzn crir ml cmpr pr itens grn vle e se repet regulrmente, cm s frlds, e Strbucks fcilitr pgment pr equipment móvel. Mesm ssim, muits interções cntin cmplexs e frgmentds. Imgine pr trnsfrmr cmplex plnejment sl refeições cs list supermerc nline e fzer mesm cm cmpnhment s gsts mensis u s recibs e reblss pl sú. A evluçã ds teclgis, ssim cm cmprtment cnsir, ve trr mis fácil resenhr esss experiêncis cmplexs. As press ferec prduts u serviçs inerentente cmplexs pm incluir interfce gme lgs págis d web, permitin s clientes brinm cm pções e preçs. Teclgis recnheciment visul pm permitir recibs médics, ts fiscis, fturs e utrs cents sejm escnes e entã utilizs clendári integr e sist gestã finceir. Empress estã entrn merc, áres cm vigens e gestã frç vends, vêm ivn cm brdgens celerm s prcesss e trm s interções mis cnvidtivs. Usm simples ts pr fzer mudnçs, gests pr tivr tels mis lrgs e ds relcis cm númers teles pr recnhecer clientes e perslizr utmticmente cntt. ESTRATÉGIAS E CAPACIDADES Nã se ilud: ntes vcê pens, s cnsires mndrã ciss cm s mencids qui tds s interções eles tiver cm pres. Serã necessáris esfrçs três níveis: HSM Mgent 101 vbr-dezbr 2013 hsmmgent.cm.br 123

5 A er n-mnd está chegn Interções lng prcess cisã. As cmpnhis precism pssr senhr históri td cm s pesss encntrm mrc e s psss dã pr vlir, cmprr e se relcir cm el. O mrketing u s pesquiss piniã nã cnsegu fzer iss szinhs. Tlvez gestres diverss áres tenhm ir cmp pr fzer sus pesquiss, pr expl, bservn cm s cnsires cmprm e qul relçã les cm s mrcs, u visitn sus css e reveln s mtivções pr seus cmprtments. Em vrejist rups, s gestres fizerm iss e scbrirm, pr expl, s clientes ficm frustrs qun nã cnsegu ver cm diferentes peçs, diferentes fbricntes, funcim junts, principlmente cmpr nline: eles gstrim pr vestir mls tel pr testr cmbições. Entã, ess vrejist relizu wrkshps cm equipes multifunciis, incluin blgueirs md, pr pensr vs frms influencir cisã cnsir. E equipe cncluiu cminh é ferecer vlr mir cmprr esperv, frm migável. N prátic, iss signific crçã cnchegnte e mensgens refrc esse vlr, inclusive s res sciis. O result trblh multidisciplir? Inicitivs implentds m surpreenntente rápi, grçs cnheciment cnsir, e ent 8% s vends. Cptçã ds e cicl cntínu. Pr cnquistr s clientes n- -mnd, é precis cnhecê-ls, sber esperm e funci cm eles. E pis ter cpcid chegr té eles cm tip cert interçã. A infrmçã está crçã s esfrçs pr senvlver ess cmpreensã fine e cntextuliz tendênci, me eficiênci ds tivids preendids e s investiments s press precism três lentes pr lhr s clientes: telescópi, binócul e micrscópi relizs pnts-chve prcess cisã cnsir e jud entenr cm s pesss se cmprtm durnte esse prcess. Pr iss, s press precism três lentes : telescópi (dá visã clr ds tendêncis mis mpls merc, setr tivid e d própri mrc, cm ferrment teclógic cmpnh s pesss estã prcurn, dizen e fzen), binócul (ferrments cpzes rpidmente reunir infrmções diferentes bncs ds sbre cd cntt cliente cm mrc, pr s diferentes áres trblh junts) e micrscópi (s cnsires esperm mrc funcine cm bm mrm, tenn-s m persliz; já há ferrments permit fc tã precis qunt lser sbre merc, só flt às equipes trblhr s cenáris e s mls bncs ds sbre s cnsires vã precisr prtir gr). Entreg vs cpcids e prcesss. Pr ferecer s vs experiêncis mrketing n-mnd, s equipes executivs precism repensr ppel e estrutur d áre mrketing ntr d rgnizçã e cm el ve se integrr cm s mis áres. Esss mudnçs terã impct prfun, trnsfrmn mneir cm s press lidm cm cmpnhs e cmunids, mensurm spenh, ferec suprte s clientes e interg cm gentes exters. Embr tu sej muit recente, já há esfrçs ness direçã. Pr expl, pres eurpei bens cns cm perções glbis criu grup multifuncil pr lisr s tivids digitis t mun e senvlver rsel vs tlents áre. Acrs estbelecis entre s gestres ds áres finceir, jurídic e recurss hs judm esses tlents lidr cm sfis surg busc pr ferecer s clientes experiênci digitl mis ric. Os líres mrketing ss cmpnhi tmbém frmrm v e diversificd equipe CRM (gestã relciment cm s clientes, sigl inglês), pr cncluírm cresciment pres s serviçs móveis e d presenç s res sciis, entre utrs, permiti reunir quntid erme ds sbre cm s pesss interg cm s mrcs. AVANÇO INEVITÁVEL As frçs permitirã s cnsires esper ser tendis n-mnd vierm pr ficr e nã pm ser tids. Pr se mbilizr pr esse cenári n-mnd, s press v reunir s gestres ds váris áres e cmpreenr cm se dã s prcesss cisã s clientes pr senvlver experiêncis tendm sus mnds cm bse s qutr frentes mencids. Mnter-se pss à frente sign e tmbém gestã ds e entreg é, cenári n-mnd, muit mis stã mrketing: é bse pr vntg cmpetitiv futur. HSM Mgent Artig rigilmente public McKinsey Qurterly, mckinsey_qurterly McKinsey & Cmpny. Ts s direits reservs. Reprduzi cm utrizçã. 124 HSM Mgent 101 vbr-dezbr 2013 hsmmgent.cm.br

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Estudo de impacto das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos superficiais e sobre os níveis dos aqüíferos na Bacia do Rio Tocantins.

Estudo de impacto das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos superficiais e sobre os níveis dos aqüíferos na Bacia do Rio Tocantins. Estud de impct ds mudnçs climátics sbre s recurss hídrics superficiis e sbre s níveis ds qüífers n Bci d Ri Tcntins. Jvier Tmsell, Dniel Andrés Rdrigue, Lu Adrin Curts, Mônic Ferreir, Juli Cér Ferreir

Leia mais

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado.

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado. CP PENS PR INDICÇÃ Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CDE ao lado. LINH FRM LINH ELETR LINH SUPER LINH MTEC LINH DPTS C T Á L G D E P R D U T S LINH EXP LINH EXPSIÇÃ SEGUR nossa história

Leia mais

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO

VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA) 1.0 INTRODUÇÃO GGH/008 6 de Outubr de 00 Cmpins - Sã Pul - Brsil GRUPO I GRUPO DE ESTUDO DE GERAÇÃO HIDRÁULICA - GGH VIBRAÇÃO NO NÚCLEO ESTATÓRICO DO GERADOR DA UG-05 DA USINA HIDRELÉTRICA ENGº. SÉRGIO MOTTA (PORTO PRIMAVERA)

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C

Questão 1. Questão 2. alternativa E. alternativa C Quesã Pedr iru mens de um cenen de fs d fes em cmemrçã seu niversári e quer clcá-ls ds num álbum de 0 págins. Em cd págin desse álbum cbem, n máxim, 0 fs. Inicilmene, Pedr enu clcr 6 fs em cd págin. A

Leia mais

Plano de ação para o tema: resíduos

Plano de ação para o tema: resíduos Pln çã pr tem: resídus Dignóstic (situções melhrr) Objetiv(s) Met(s) Ações e Ativids Prevists Cncretizçã Avliçã- instruments e Indicdres ( mnitrizçã e vliçã Recurss Interveniente s Clendrizçã ções) Lix;

Leia mais

MOTIVAÇÃO: DISCUSSÃO SOBRE O DESEMPENHO DO SER HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES. Fagner Duarte Pereira¹, Robinson da Silva Pedroso Júnior², Valdevino Krom 3.

MOTIVAÇÃO: DISCUSSÃO SOBRE O DESEMPENHO DO SER HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES. Fagner Duarte Pereira¹, Robinson da Silva Pedroso Júnior², Valdevino Krom 3. MOTIVAÇÃO: DISCUSSÃO SOBRE O DESEMPENHO DO SER HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES Fgner Durte Pereir¹, Rbinsn d Silv Pedrs Júnir², Vlvin Krm 3. 1 Administrçã Empress e Negócis Universid d Vle d Príb. Av. Shishim

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV

EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA ia VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV s GUSTAVO HENRIQUE SAUER DE ARRUDA PINTO ADVOGADO EXMA. SRA. DRA. JUIZA DE DIREITO DA i VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA CAPITALJOICV -4 ' c ri r O -4 ' -4 t-3 PROCESSO N 1003345-80.2002.8.26.0100

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Então o que vem a ser Fluxo de Caixa?

Então o que vem a ser Fluxo de Caixa? FLUXO DE CAIXA É muit freqüente, n ambiente d SEBRAE, empresári chegar cm muitas dúvidas sbre as finanças da empresa. E finanças, cm sabems, é fundamental para a sustentaçã um negóci, tant para a sua sbrevivência

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática.

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática. Desenvolvendo vs ferrments pedgógics pr formção gestores prques ncionis: jogos ppéis e simulção informátic 1 Equipe Jen-Pierre Briot (LIP6 & LES/DI/PUC-Rio) (coorndor) Mrt Irving (EICOS/IP/UFRJ) (vice-coorndor)

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

Comportamento de RISCO

Comportamento de RISCO Comportmento de RISCO SEXO e um responsilidde Aprtment203/1016YA FCRISKY Cred Progrm Ncionl De Lut Contr SIDA Poe seguinte list por ordem, do comportmento mis seguro pr o mis rriscdo c d Ter vários prceiros

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Índice. Estilo, Moda e Melhores Amigas. Segredos de Beleza. Paraíso dos Penteados

Índice. Estilo, Moda e Melhores Amigas. Segredos de Beleza. Paraíso dos Penteados Índice 6 Superdics pr melhor noite de sempre! 8 Convid s tus migs 10 Prepr tudo! Segredos de Belez 14 Rosto rdinte 16 Olhos brilhntes 18 Mãos com TTIC 20 A loucur d mnicur! 22 Unhs rtístics 24 Pés perfeitos

Leia mais

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo Resumo do Jogo Resumo do Jogo Regrs -Qundo for seu turno, você deve jogr um de sus crts no «ponto n linh do tempo» que estej correto. -Se você jogr crt corretmente, terá um crt menos à su frente. -Se você

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia)

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia) COLÉGIO NAVAL 016 (1º di) MATEMÁTICA PROVA AMARELA Nº 01 PROVA ROSA Nº 0 ( 5 40) 01) Sej S som dos vlores inteiros que stisfzem inequção 10 1 0. Sendo ssim, pode-se firmr que + ) S é um número divisíel

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

Relações em triângulos retângulos semelhantes

Relações em triângulos retângulos semelhantes Observe figur o ldo. Um escd com seis degrus está poid em num muro de m de ltur. distânci entre dois degrus vizinhos é 40 cm. Logo o comprimento d escd é 80 m. distânci d bse d escd () à bse do muro ()

Leia mais

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique III Jrnadas de Cperaçã n Sectr de Saúde em Mçambique Planificaçã n Sectr da Saude em Mçambique Maput, Març de 2013 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO # Jrnadas de Cperaçã d Sectr da Saúde cnstituem um event anual:

Leia mais

Revista do Aluno Ensino Fundame ntal nos Iniciais

Revista do Aluno Ensino Fundame ntal nos Iniciais Revist d Al u n Ensin Fun Ans Indmentl iciis A Revist d Alun Ensin Fundmentl Ans Iniciis fz prte d Mteril Didátic crid pel prjet AES Sul n Cmunidde Educr pr Trnsfrmr, pertencente Prgrm de Eficiênci Energétic

Leia mais

Profa. Dra. Silvia M de Paula

Profa. Dra. Silvia M de Paula Prfa. Dra. Silvia M de Paula Espelhs Esférics Certamente tds nós já estivems diante de um espelh esféric, eles sã superfícies refletras que têm a frma de calta esférica. Em nss ctidian ficams diante de

Leia mais

Agora imagine pegar essas ondas com seus amigos

Agora imagine pegar essas ondas com seus amigos s v i d l M Com GABRIEL PASTORI Com certez você já sonhou com esse lugr... Agor imgine pegr esss onds com seus migos em um bot trip e um profissionl pr dr dics de surf... de do i Fer 9 1 9 0 UTubro O A

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é,

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é, Mtemátic Aplicd Considere, no espço crtesino idimensionl, os movimentos unitários N, S, L e O definidos seguir, onde (, ) R é um ponto qulquer: N(, ) (, ) S(, ) (, ) L(, ) (, ) O(, ) (, ) Considere ind

Leia mais

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006.

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. DISCIPLINA: Matemática 1- BIBLIOGRAFIA INDICADA Bibliteca Virtual Pearsn MACEDO, Luiz Rbert de, CASTANHEIRA, Nelsn Pereira, ROCHA, Alex. Tópics de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. PARKIN, Michael.

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

O QUE É PA-KUA? PA-KUA É UM CONHECIMENTO ORIENTAL, COM APROXIMADAMENTE 5.000 ANOS DE

O QUE É PA-KUA? PA-KUA É UM CONHECIMENTO ORIENTAL, COM APROXIMADAMENTE 5.000 ANOS DE QUE É? É UM CNHECIMENT RIENTAL, CM APRXIMADAMENTE 5.000 ANS EXISTÊNCIA, QUE FI SENVLVID PARA SER APLICAD EM TDS S ASPECTS DA VIDA. SIGNIFICAD DA PALAVRA É : MANUAL BAS VINDAS ESCLA BRASÍLIA/DF LIGA INTERNACINAL

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 2.0) A - Intrduçã Neste an, sua nta fi inferir a 60 pnts e vcê nã assimilu s cnteúds

Leia mais

Fundamentos de Informática 1ºSemestre

Fundamentos de Informática 1ºSemestre Fundaments de Infrmática 1ºSemestre Aula 4 Prf. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Descrevend Sistemas de um Cmputadr

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Programa de Rádio. Ritmo Económico. Angola!Open!Policy!Initiative

Programa de Rádio. Ritmo Económico. Angola!Open!Policy!Initiative Prgrama de Rádi Ritm Ecnómic AnglaOpenPlicyInitiative 1 Rádi: Kairós da Igreja Metdista de Angla Nme d Prgrama: Ritm Ecnómic Géner: Talk shw Educativ Data da primeira ediçã: (pr definir) Apresentadres:

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUERdÁ~*~ CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO

CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUERdÁ~*~ CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO / CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUERdÁ~*~ 258 318 ALENQUER Telel 263 73 9 Fx 263 711 54 gerl@cm lenquer pt www cm lenquer pt CONTRATO-PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO Entre: Primeir utrgnte Câmr Municipl

Leia mais

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA AUTORES: AMARAL, An Pul Mgno; NETO, Antônio d Luz Cost. E-MAIL: mgno_n@yhoo.com.br; ntonioluzneto@gmil.com INTRODUÇÃO Sendo um desfio ensinr químic pr

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

Cisco CUCM Bloqueio de chamadas por Calling Party Number (ID): Tradução por Rogerio Rodrigues

Cisco CUCM Bloqueio de chamadas por Calling Party Number (ID): Tradução por Rogerio Rodrigues Cisc CUCM Blquei de chamadas pr Calling Party Number (ID): Traduçã pr Rgeri Rdrigues De temps em temps, administradr d Cisc Unified Cmmunicatins Manager (CUCM) recebe um pedid para blquear chamadas de

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores www. escla-apel.cm Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres DESIGNAÇÃO DO CURSO Frmaçã Pedagógica Inicial de Frmadres OBJECTIVOS GERAIS DO CURSO Cnsciencializar-se das cmpetências e d perfil de um frmadr;

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

Política de Privacidade Qrush Cards

Política de Privacidade Qrush Cards Plítica de Privacidade Qrush Cards Última atualizaçã em 21/09/2013 A Qrush Tecnlgia e Serviçs Ltda repeita a privacidade de seus clientes e usuáris e desenvlveu esta Plítica de Privacidade para demnstrar

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Extrator de Sucos Modelo

Extrator de Sucos Modelo O PREÇO ALIADO À QUALIDADE METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Rua: Anita Garibaldi, nº 22 - Bairr: Sã Luiz - CEP: 8851-10 Brusque - Santa Catarina - Brasil Fne: +55 (0 )7 211 000 / 255 2000 Fax: +55 (0 )7 211 020

Leia mais

McAfee Email Gateway Blade Server

McAfee Email Gateway Blade Server Gui de início rápido Revisão B McAfee Emil Gtewy Blde Server versão 7.x Esse gui de início rápido serve como um roteiro ásico pr instlção do servidor lde do McAfee Emil Gtewy. Pr oter instruções detlhds

Leia mais

Reforço Orientado. Matemática Ensino Médio Aula 4 - Potenciação. Nome: série: Turma: t) (0,2) 4. a) 10-2. b) (-2) -2. 2 d) e) (0,1) -2.

Reforço Orientado. Matemática Ensino Médio Aula 4 - Potenciação. Nome: série: Turma: t) (0,2) 4. a) 10-2. b) (-2) -2. 2 d) e) (0,1) -2. Reforço Orientdo Mtemátic Ensino Médio Aul - Potencição Nome: série: Turm: Exercícios de sl ) Clcule s potêncis, em cd qudro: r) b) (-) Qudro A s) t) (0,) Qudro B - b) (-) - e) (-,) g) (-) h) e) (0,) -

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic Simuland Cadeias de Supriments v2.0 Lcal: em sala de aula Material Necessári:

Leia mais

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião M A N U A L D O A D M I N I S T R A D O R Micrsft Live Meeting 2007 Cm Gravar uma Reuniã O Micrsft Office Live Meeting ferece um recurs de gravaçã que lhe permite capturar td pressinament de teclas, slides

Leia mais

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem*

Educação Ambiental na Comunidade Escolar no Entorno do Parque Natural Municipal do Paragem* Educção Ambientl n Comunid Escolr no Entorno do Prque Nturl Municipl do Prgem* 1 ALMEIDA, Grciel Gonçlves ; ARENDT, Krine Sles; LIRA, Elinlv Silv ; MACEDO, Gbriel Zcris; VIEIRA, An Pul. Plvrs-chve: Meio

Leia mais

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina Mnul de Instruções Função USB Trnsferindo pdrões de borddo pr máquin Atulizção fácil d su máquin Português Introdução Este mnul fornece descrições sobre trnsferênci de pdrões de borddo de um mídi USB

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

email: troiasportcombat@gmail.com Tel.: (11) 3435-8626 Seg a Sex.: 08:00 às 12:00 e 13:00 às 17:30hs www.troiasport.com.br

email: troiasportcombat@gmail.com Tel.: (11) 3435-8626 Seg a Sex.: 08:00 às 12:00 e 13:00 às 17:30hs www.troiasport.com.br emil: trisprtcmbt@gmil.cm Tel.: (11) 3435-8626 Seg Sex.: 08:00 às 12:00 e 13:00 às 17:30hs www.trisprt.cm.br Luv bte sc TROIAtic prfissinl sinte NCADA A P E D SACO tri Pr Mteril de lt resistênci - Pliuretn

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

10 anos HOPE. Boletim Informativo Gateway Portugal 31ª Edição Setembro 2010. Editorial NEWS GATEWAY GATEWAY. www.gateway-portugal.

10 anos HOPE. Boletim Informativo Gateway Portugal 31ª Edição Setembro 2010. Editorial NEWS GATEWAY GATEWAY. www.gateway-portugal. 0 1 Bletim Infrmtiv Gtewy 31ª Ediçã Setembr 2010 Editril PORTUGAL Gtewy 2000-2010: Há 10 ns prteger seu negóci! Bem-vinds à 31ª ediçã d Gtew@y News! Cm chegd d Outn prece chuv, fri...ms pr nós Sl cntinu

Leia mais

Plano de Assessoria de Comunicação do Projeto de Estágio e Empregabilidade - PROJEM

Plano de Assessoria de Comunicação do Projeto de Estágio e Empregabilidade - PROJEM XX Prêmi Expcm 2013 Expsiçã da Pesquisa Experimental em Cmunicaçã Plan de Assessria de Cmunicaçã d Prjet de Estági e Empregabilidade - PROJEM August Sares de Mel e SOUZA 1 Felipe de Oliveira TODESCHINI

Leia mais

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal?

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal? 1) A faculdade mediúnica é indíci de algum estad patlógic u simplesmente anrmal? - As vezes anrmal, mas nã patlógic. Há médiuns de saúde vigrsa. Os dentes sã pr utrs mtivs. 2) O exercíci da faculdade mediúnica

Leia mais

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação I Mdliddes Pós-grduçã strictu sens (mestrd e dutrd) Pós-dutrd de Cpcitçã Definiçã de Necessiddes de Cpcitçã de Pós-Grduçã O Ipe definirá sus necessiddes de cpcitçã em pós-grduçã nulmente, levnd em cnt:

Leia mais

Escla Superir Agrária de Cimbra Prcessament Geral de Aliments LEAL 2009/2010 Aqueciment Óhmic Brenda Mel, nº 20803030 Inês Ricard, nº 20090157 Nádia Faria, nº 20803060 O que é? Prcess nde a crrente eléctrica

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele PVC Nã dá para imaginar a vida mderna sem ele Sã Paul, 26 de nvembr de 2012 A GBC Brasil Ref.: Cmentáris sbre item Materiais e Recurss, crédit 4 Cntrle de Materiais Cntaminantes Referencial GBC Brasil

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELADOS COM DIFERENTES TIOS DE TELAS Angéli Cervi, Rosne Bins, Til Deckert e edro A.. Borges 4. Resumo A modelgem mtemátic é um método de investigção que utiliz

Leia mais

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES 1 Breve Históric Sbre Design Patterns A rigem ds Design Patterns (Padrões de Desenh u ainda Padrões de Prjet) vem d trabalh de um arquitet chamad

Leia mais

a) sexto b) sétimo c) oitavo d) nono e) décimo

a) sexto b) sétimo c) oitavo d) nono e) décimo 1 INSPER 16/06/013 Seu Pé Direito ns Melhores Fculddes 1. Nos plnos seguir, estão representds dus relções entre s vriáveis x e y: y = x e y = x, pr x 0.. Em um sequênci, o terceiro termo é igul o primeiro

Leia mais

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos?

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos? A UA UL LA 58 Clculndo volumes Pr pensr l Considere um cubo de rest : Pr construir um cubo cuj rest sej o dobro de, de quntos cubos de rest precisremos? l Pegue um cix de fósforos e um cix de sptos. Considerndo

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa Físic 1 - Cpítulo 3 Movimento Uniformemente Vrido (m.u.v.) Acelerção Esclr Médi v 1 v 2 Movimento Vrido: é o que tem vrições no vlor d velocidde. Uniddes de celerção: m/s 2 ; cm/s 2 ; km/h 2 1 2 Acelerção

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada

DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada DISCIPLINA: Matemática e Matemática Aplicada 1- BIBLIOGRAFIA INDICADA Bibliteca Virtual Pearsn MACEDO, Luiz Rbert de, CASTANHEIRA, Nelsn Pereira, ROCHA, Alex. Tópics de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex,

Leia mais