REFLEXÃO E SUAS LEIS:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REFLEXÃO E SUAS LEIS:"

Transcrição

1 TÍTULO: CONFECÇÃO DE UM KIT DIDÁTICO PARA O ENSINO DE ÓPTICA PARA OS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO. AUTORES: Pedro Luiz do Nascimento Moisés Pereira Ribeiro Júnior Francelino Freitas Carvalho INSTITUIÇÃO: Universidade Federal de Campina Grande - UFCG ÁREA TEMÁTICA: Educação (OBJETIVO) A partir das atividades desenvolvidas na disciplina de Laboratório de Óptica, Eletricidade e Magnestismo, na Universidade Federal de Campina Grande, observou-se que o projeto de um Kit didático para experiências de óptica no ensino médio seria de grande utilidade para os mesmos, facilitando tanto a vida dos professores ao ensinar, como para os alunos que participam mais ativamente do processo de ensinoaprendizagem. O objetivo é fundamentar os conhecimentos teóricos através de experimentos práticos voltados para a aplicação de tais conceitos. (METODOLOGIA) Um guia contento o assunto teórico e os procedimentos dos experimentos e o Kit propriamente dito, compõem esse material. Os pontos fortes deste, são: a simplicidade em montar os projetos (experimentos) e a praticidade de manuseio. Essas facilidades fazem desse Kit, um bom acessório para ser adotado nas escolas particulares e públicas. Foi implementado no formato de uma maleta. O guia dá todos os passos necessários à boa realização experimental, sendo que, antes de cada série de experimentos, é dada uma breve revisão teórica sobre o assunto tratado. Dessa forma, o aluno terá subsídios para conduzí-los de forma clara e didática. Uma observação a ser feita é que esse material não é a palavra final sobre esses temas, outras fontes de pesquisa devem ser utilizadas, uma vez que ele foi concebido para complentar a temática teórica dada pelo professor. Logo em seguida, são abordados os objetivos, os materiais do experimento e em seguida, a parte experimental propriamente dita. São realizados experimentos de: REFLEXÃO E SUAS LEIS:

2 1. ESPELHOS PLANOS. Neste caso, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de: Identificar e/ou descrever as leis da reflexão; Utilizar conhecimentos sobre espelhos planos e suas equações; Concluir que o raio refletido está contido no plano formado pelo raio incidente e pela normal (À superfície de separação dos dois meios) no ponto de Incidência. MATERIAL UTILIZADO: Fonte de luz (laser-point); Espelho plano; Transferidor 180º. A seguir, vem a montagem a ser feita. Monte o experimento conforme próxima figura: Espelho Papel Transferidor São dadas: a teoria sobre o assunto e como proceder com o experimento que não serão mencionados aqui por indisponibilidade de espaço, assim como a maioria dos procedimentos experimentais propriamente ditos ao longo desse resumo. Exceção será dada, quando o conteúdo for pequeno. São dadas definições de ângulo de Incidência, ângulo de Reflexão, ponto de incidência... Continuando, complete o quadro abaixo para os seguintes ângulos de incidência: Ângulo de incidência ( i ) Ângulo de reflexão ( r )

3 0º 10º 20º 30º 40º 50º 60º 70º No final deste experimento são feitos alguns questionamentos para fixação do conteúdo: Com base nos valores do quadro anterior, como você relacionaria o ângulo de incidência com o ângulo de reflexão? Conforme suas observações, procure verificar a validade da seguinte afirmação: o raio incidente, a reta normal (no ponto de incidência) e o raio refletido, estão contidos num mesmo plano. Verifique o que acontece ao raio refletido, quando o raio incidente é normal à superfície refletora (está contido na reta Normal). Neste caso, qual o ângulo entre o raio incidente e raio refletido? 2. A FORMAÇÃO DA IMAGEM NUM ESPELHO PLANO: Neste caso, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de: Conceituar uma imagem virtual; Reconhecer que a imagem, num espelho plano, é virtual e que: (a) Tem o mesmo tamanho do objeto; (b) É simétrica ao objeto (lado esquerdo é o lado direito da imagem e viceversa). (c) Está afastada do espelho à mesma distância que o objeto se encontra. MATERIAL NECESSÁRIO: Um objeto qualquer; Um espelho plano; Uma folha milimetrada.

4 espelho Neste ponto do experimento, é dado o procedimento para a boa realização do mesmo. Como já foi mencionado, não será dado o escobo do procedimento por falta de espaço. A seguir são feitos alguns questionamentos: Como você relaciona o tamanho do objeto com o tamanho da imagem, num espelho plano? Em relação à superfície espelhada, onde se forma a imagem (na frente ou atrás do espelho)? Classifique esta imagem quanto a Virtual ou Real, conceituando cada tipo. 3. NÚMERO DE IMAGENS ENTRE DOIS ESPELHOS PLANOS QUE FORMAM UM ÂNGULO ALFA ENTRE SI; Neste, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de concluir sobre a validade da expressão: N (numero de imagens) = (360 / α ) - 1, para o número de imagens possíveis entre dois espelhos que formam um ângulo α entre si. MATERIAL NECESSÁRIO: Uma vela, ou outro objeto qualquer; Dois espelhos planos; Pedaços de fita adesiva; Uma folha de papel; Transferidor.

5 mesmo. Neste ponto do experimento, é dado o procedimento para a boa realização do É pedido para ser observado o nº de imagens para cada caso e preencha a tabela a seguir. Ângulo de abertura entre os espelhos Número de imagens obtidas 30º 45º 60º 72º 90º A seguir são feitos alguns questionamentos: Com base nos valores da tabela acima, verifique a validade da expressão: N (numero de imagens) = ( 360 / α )-1, onde α é o ângulo entre os espelhos. 4. ESPELHOS ESFÉRICOS (CÔNCAVO E CONVEXO): Neste, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de determinar, a partir de um espelho esférico, as cotas de identificação dos seguintes elementos: Centro de curvatura(c); Vértice do espelho(v); Eixo principal(ep); Eixo secundário(es); Abertura do espelho(θ). MATERIAL:

6 Uma régua; Um lápis; Uma fonte de luz tipo laser; Folha de papel milimetrado; Espelho côncavo e espelho convexo. mesmo. Neste ponto do experimento, é dado o procedimento para a boa realização do 5. REFRAÇÃO(dióptro): Neste, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de: Conceituar dióptro; Identificar e conceituar raio incidente, raio refletido, raio refratado, ponto de incidência, ângulo de incidência e ângulo de refração; Enunciar a primeira lei de refração; Enunciar a segunda lei de refração; Determinar e interpretar, fisicamente, o índice de refração absoluto; Determinar e interpretar, fisicamente, o índice de refração relativo; Determinar e conceituar o ângulo de refração. Conceituar refração. MATERIAL: Uma fonte de luz tipo laser-point; Folha de papel; Transferidor; Dióptro. É dada uma fundamentação teórica: Lembramos que: a maior velocidade alcançada pela luz é de Km/s (no vácuo) e que para fins didáticos, consideraremos c igual a Km/s. Ao penetrar em qualquer outro meio, a velocidade da luz será menor do que c e representada por v. Chamamos de índice de refração absoluto do meio penetrado pela luz, a razão entre a velocidade que a mesma adquire neste meio. n = c / v (observe que n é adimensional) Ao fenômeno da luz variar sua velocidade, ao passar de um meio para outro (com refrigências diferentes), chamamos de refração da luz. O conjunto de pontos que determinam a superfície de separação entre dois meios, que permitem a passagem da luz, á chamado dióptro.

7 O fenômeno de refração pode ser estudado utilizando-se um bloco de acrílico com formato semi-circular. Este componente é conhecido como dióptro convergente. Fazendo-se uma incidência de luz no dióptro de acordo com a figura abaixo, pode-se notar que o raio de luz sofre um desvio em sua trajetória ao atingir a superfície plana Faça a montagem conforme a figura abaixo: transferidor dióptro Fonte de luz Após seguir todos os passos (do guia), aplique a lei de Snell (n ar Sen(i)= n ac Sen (r) ) e obtenha o valor do índice de refração do acrílico. Para organizar melhor o trabalho, monte uma tabela como ilustrada abaixo: Verifique a validade das expressões: ao passar de um meio menos denso para outro mais denso, geralmente o raio refratado se aproxima da Normal. o raio incidente, à normal (no ponto de incidência) e o raio refratado, se encontram sobre um mesmo plano. (Conhecida como a primeira lei da Refração).

8 Reconhecendo i como ângulo de incidência e r como ângulo de refração, complete o quadro abaixo para as situações apresentadas: I Sen i r Sen r n=sen i / sen r 10º 20º 30º 40º 50º Observe que sen i / sen r é constante. Esta constante é conhecida como índice de refração relativo do meio 2 em relação ao meio 1 (n 2,1 =n). Verifique que n 2,1 =n 2 /n 1, onde n 1 = 1 e n 2 é o índice de refração do acrílico, logo: sen i / sen r = n Esta relação foi estabelecida, experimentalmente por Snell e Descartes (individualmente) e reconhecida como a 2ª lei da refração. Determine o índice de refração do acrílico em relação ao ar. 6. EXPERIMENTO DE LENTE BICONVEXA: Nesta parte do experimento, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste, seja capaz de determinar o foco de uma lente delgada biconvexa e compreender o conceito de imagem. MATERIAL UTILIZADO: Lente biconvexa; Fonte de luz (vela); Anteparo; Régua milimetrada; Acessórios. Determinação do foco: Faça incidir raios de luz paralela a lente, isto é, paralelo ao eixo principal. Esses raios convergem em um ponto, o qual é denominado de foco. Estudo da imagem: a)objeto situado entre o centro e o foco: 1. Fixe a lente biconvexa e varie a fonte de luz (vela) em relação a lente.

9 2. Procure obter sua imagem com maior nitidez no anteparo. 3. Meça e anote as distâncias da fonte de luz a lente, e da lente ao anteparo. 4. Repita os itens 1, 2 e 3 várias vezes. b) Objeto situado depois do centro: 1. Fixe a lente biconvexa e varie a fonte de luz (vela) em relação a lente. 2. Procure obter sua imagem com maior nitidez no anteparo. 3. Meça e anote as distâncias da fonte de luz a lente, e da lente ao anteparo. 4. Repita os itens 1, 2 e 3 várias vezes. 7. LENTES ESFÉRICAS: Nesta parte, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de: Identificar e classificar as lentes fornecidas; Determinar a distância focal, classificando-a, Verificar como a imagem através de uma lente convergente muda suas características de acordo com a distância entre o objeto e a lente; MATERIAL UTILIZADO: Duas fontes de luz; Lente de bordas finas; Lente de bordas larga. mesmo. Neste ponto do experimento, é dado o procedimento para a boa realização do 8. LÂMINA DE FACES PARALELAS: Nesta parte do experimento, o objetivo é fazer com que o aluno, após a realização deste experimento, seja capaz de: conhecer e entender como ondas eletromagnéticas são transportadas por Guias de ondas e Fibras ópticas. MATERIAL UTILIZADO: Lâmina de faces paralelas; Fonte de luz; Transferidor; Folha de papel em branco; Guia de onda; Fibra óptica.

10 Coloca-se a lâmina sobre uma folha de papel em branco, desenha-se o seu contorno e faz-se incidir sobre uma das faces um raio de luz de acordo com a figura abaixo: Meça os ângulos I 1 e I 2. Retira-se a lâmina e a fonte de luz e completa-se a trajetória da luz, como indica a figura anterior. Medindo-se os ângulos i e r e aplicando a lei de Snell obtém-se o índice de refração do vidro (Lembre-se que o índice de refração do ar é 1). 9. EXPERIMENTO COM LÂMINAS DE FACES PARALELAS FINAS (GUIA DE ONDAS ): Coloque uma fonte de luz em uma das extremidades do guia de onda (tudo sobre uma folha de papel em branco), e verifique que a luz (devido ás reflexões totais internas sucessivas), acaba saindo na outra extremidade. Explique o efeito observado. 10. EXPERIMENTO COM FIBRA ÓPTICA: Coloque uma fonte de luz, em uma das extremidades da fibra óptica fornecida e verifique se a luz sai na outra extremidade. Explique este comportamento da luz, quais os princípios físicos envolvidos. 11. CÂMARA ESCURA DE ORIFÍCIO: Denomina-se câmara escura toda caixa de paredes opacas com um pequeno orifício, pelo qual penetram os raios luminosos provenientes de uma fonte de luz. Esses raios atravessam o orifício e atingem a parede oposta formando uma imagem invertida. A face oposta àquela que contém o orifício é constituída de material translúcido, por exemplo, vidro fosco. O fenômeno descrito é a base de funcionamento das câmaras fotográficas. Colocando um material sensível à luz na parede oposta ao

11 orifício e um obturador no lugar do orifício, para controlar a entrada de luz, obteremos uma máquina fotográfica rudimentar. 12. SOMBRA E PENUMBRA: Sombra: É a região do espaço que não recebe a luz direta da fonte. Penumbra: É a região do espaço que recebe apenas parte da luz direta da fonte. São realizadas algumas experiências simples para mostrar o princípio da penumbra e da sombra. 13. COMBINAÇÕES DE CORES: 1. Ligue as lâmpadas da caixa fornecida, uma de cada vez e observe as cores; 2. Ligue duas as duas e descreva a cor que está sendo visualizada no anteparo; 3. Repetir as combinações que foram observadas; 4. Ligue as três lâmpadas simultaneamente descreva a cor observada. Descreva suas conclusões. (RESULTADOS) Foi realizada uma atividade com professores de física da rede estadual da Paraíba chamado Pró-Ciências e o referido experimento mostrou-se eficaz no que diz respeito ao objetivo a que se propõe. Neste projeto, os professores passaram por um processo de atualizações de conhecimentos teóricos e práticos para que pudessem ministrar suas aulas de forma mais eficiente. (CONCLUSÃO) Esse material possibilita um melhor aproveitamento quanto à compreensão de fenômenos físicos relacionados à óptica. Devido à sua simplicidade de manuseio, poderá ser levado à sala de aula. Com esse material, o professor terá condições de propor novos tipos de experimentos aos alunos. Mediante os resultados apresentados, constata-se que a utilização desse Kit Experimental propicia ao educando, práticas que o colocam em contato direto com a realidade física.

12 BIBLIOGRAFIA: ALBERTO, Gaspar; Física Vol. Único; 1ª edição, São Paulo, Editora Ática, ALBERTO, Gaspar; Experiências de Física para 1º Grau; 1ª edição, São Paulo, Editora Ática, ALBERTO, Gaspar; Física Vol.2, 1ª edição, São Paulo, Editora Ática, ALVARES, BEATIRZ ALVARENGA e LUZ, ANTONIO MÁXIMO. Física vol.2 vol.2 vol.3, Ed. Scipione ltda, São Paulo SP, BLACKWOOD outros, Física na escola secundária, Ed. Fundo de Cultura, Rio de Janeiro, FERRANO, Nicolau Gilberto outros. Física Ciência e Tecnologia, Ed. Moderna Ltda, volume único, São Paulo, FIOLHAIS, Carlos; Física Divertida, Lisboa, 1ª edição, gradiva, KELLER, Frederick J.; GETTYS W. Edward, Física Vol. 2; 2ª edição Makron Books do Brasil Editora Ltda., SABATO, A. Jorge e MAIZTEGUI, Alberto P. Física 2. Editora Globo. 1ª Edição. Porto Alegre SERWAY, Raymond A.; Física Vol. 3; 3ª edição Livros Técnicos e Científicos, Editora S.A., WALKER, Jearl; O Grande Circo da Física, Lisboa, 1ª edição, gradiva, TIPLER, Paul A. Física. 2ª Edição, Rio de Janeiro. Editora Guanabara Dois. Volume

Formação de imagens por superfícies esféricas

Formação de imagens por superfícies esféricas UNIVESIDADE FEDEAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPATAMENTO DE FÍSICA Laboratório de Física Geral IV Formação de imagens por superfícies esféricas.. Objetivos:. Primeira parte: Espelho Côncavo

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

Laboratório Virtual Kit Óptico

Laboratório Virtual Kit Óptico Laboratório Virtual Kit Óptico Reflexão A luz nem sempre se propaga indefinidamente em linha reta: em algumas situações eles podem se quebrar, como acontece quando um espelho é colocado em seu caminho.

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA ROTEIRO DE AULA PRÁTICA ÓTICA 1- REFLEXÃO DA LUZ ESPELHO PLANO S 1. Montar o equipamento. 2. Colocar na fonte de luz uma placa de 5 fendas (fixação por encaixe). 3. Ligar a fonte de luz em 12V. 4. Colocar

Leia mais

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( )

Cor e frequência. Frequência ( ) Comprimento de onda ( ) Aula Óptica Luz visível A luz que percebemos tem como característica sua freqüência que vai da faixa de 4.10 14 Hz ( vermelho) até 8.10 14 Hz (violeta). Esta faixa é a de maior emissão do Sol, por isso

Leia mais

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos:

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos: Definições e Elementos: Calota Esférica. Espelho Esférico é uma calota esférica na qual uma das faces é refletora. Espelho Côncavo Superfície refletora interna. Espelho Convexo Superfície refletora externa.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL Física Experimental IV Lentes Delgadas Objetivo Determinar as distâncias focais de lentes delgadas convergentes e divergentes.

Leia mais

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação LENTES E ESPELHOS INTRODUÇÃO A luz é uma onda eletromagnética e interage com a matéria por meio de seus campos elétrico e magnético. Nessa interação, podem ocorrer alterações na velocidade, na direção

Leia mais

Comprovação dos índices de refração

Comprovação dos índices de refração Comprovação dos índices de refração 1 recipiente de vidro; 1 bastão de vidro, e Glicerina. 1. Encha até a metade o recipiente com glicerina, depois basta afundar o bastão de vidro na glicerina e pronto!

Leia mais

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma.

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA CURSO DE FÍSICA LABORATÓRIO ÓPTICA REFLEXÃO E REFRAÇÃO OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a

Leia mais

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e

Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e A U A UL LA Atira mais em cima! O pessoal está reunido na casa de Gaspar e Alberta. O almoço acabou e todos conversam em torno da mesa. - Eu soube que você está interessado em ótica - diz Gaspar a Ernesto.

Leia mais

Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos

Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos Lista de Revisão Óptica na UECE e na Unifor Professor Vasco Vasconcelos 0. (Unifor-998. CE) Um objeto luminoso está inicialmente parado a uma distância d de um espelho plano fixo. O objeto inicia um movimento

Leia mais

Óptica é a parte da física que estuda a luz: energia radiante (ondas eletromagnéticas) capaz de causar, em nós, a sensação da visão.

Óptica é a parte da física que estuda a luz: energia radiante (ondas eletromagnéticas) capaz de causar, em nós, a sensação da visão. Professor : DUDU Disciplina : Física Óptica (FO) Introdução Óptica é a parte da física que estuda a luz: energia radiante (ondas eletromagnéticas) capaz de causar, em nós, a sensação da visão. Fontes de

Leia mais

Grupo: Ederson Luis Posselt Geovane Griesang Ricardo Cassiano Fagundes

Grupo: Ederson Luis Posselt Geovane Griesang Ricardo Cassiano Fagundes Curso: Ciências da computação Disciplina: Física aplicada a computação Professor: Benhur Borges Rodrigues Relatório experimental 05: Formação da imagem e propagação retilínea da luz; Medida da distância

Leia mais

Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro

Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro Nome do aluno: nº série/turma 9 Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro Data: De 17 a 21/08/2009 Bimestre: 3º Tipo de atividade: Lista de Exercícios A REFLEXÃO DA

Leia mais

Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica

Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica Módulo VI Luz e Príncipios da Óptica Geométrica Luz: O omem sempre necessitou de luz para enxergar as coisas a seu redor: luz do Sol, de toca, de vela, de lâmpada. Mas afinal, o que é luz? Luz : é uma

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DISCIPLINA: FÍSICA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO

Leia mais

Exercícios de Óptica

Exercícios de Óptica Exercícios de Óptica PROFESSOR WALESCKO 22 de dezembro de 2005 Sumário 1 Exercícios 1 2 UFRGS 11 3 Gabarito 24 1 Exercícios 1. A figura abaixo representa um raio de luz que incide no espelho plano E e

Leia mais

LENTES. Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente.

LENTES. Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente. LENTES Objetivos: Identificar as principais características dos raios luminosos ao atravessar uma lente. Determinar a distância focal de uma lente convergente. Teoria: As lentes são formadas por materiais

Leia mais

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE 1 T E O R I A 1. SOMBRA Define se sombra como uma região do espaço desprovida de luz. Uma sombra é produzida quando um objeto opaco impede que raios de luz provenientes de uma fonte luminosa iluminem uma

Leia mais

ÓTICA e ONDAS. Ótica estudo da luz e dos fenômenos luminosos em geral.

ÓTICA e ONDAS. Ótica estudo da luz e dos fenômenos luminosos em geral. 1 ÓTICA e ONDAS Ótica estudo da luz e dos fenômenos luminosos em geral. Propagação Retilínea da Luz Observando os corpos que nos rodeiam, verificamos que alguns deles emitem luz, isto é, são fontes de

Leia mais

08/12/2014 APLICAÇÕES DE ESPELHOS ESFERICOS TEORIA INTRODUÇÃO. Departamento de Física, Campus de Ji-Paraná Semestre2014-2

08/12/2014 APLICAÇÕES DE ESPELHOS ESFERICOS TEORIA INTRODUÇÃO. Departamento de Física, Campus de Ji-Paraná Semestre2014-2 Departamento de Física, Campus de Ji-Paraná Semestre2014-2 Aula: Espelhos Esféricos 1 S ESFERICOS Um espelho esférico é formado por uma calota esférica refletora, com raio de curvatura definido. Se a superfície

Leia mais

Atividade 7. Figura 1 (1) Figura 2 (2)

Atividade 7. Figura 1 (1) Figura 2 (2) Atividade 7 1) PROBLEMATIZAÇÃO: No dia-a-dia não é difícil nos depararmos com situações em que há o emprego de superfícies curvas refletindo luz. Dentre elas, podem ser citados os espelhos esféricos e

Leia mais

REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS

REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS REFLEXÃO EM ESPELHOS CURVOS Fernando Tamariz Luna Universidade Estadual de Santa Cruz- UESC, Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas - DCET, curso de Física, Bacharelado e Licenciatura. 4to Laboratório

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA Mestrando Patrese Coelho Vieira Porto Alegre, maio de 2012 O presente material é uma coletânea

Leia mais

1. Introdução. 2. Fontes de luz. Óptica geométrica

1. Introdução. 2. Fontes de luz. Óptica geométrica 1. Introdução Óptica geométrica Vamos iniciar nosso estudo, fazendo uma breve introdução sobre a óptica geométrica. Quando estudamos a Óptica nos centramos na compreensão da natureza e propriedades da

Leia mais

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte Espelhos esféricos são superfícies refletoras muito comuns e interessantes de se estudar. Eles são capazes de formar imagens maiores ou menores, inversas ou direitas, dependendo do tipo de espelho, suas

Leia mais

EXERCÍCIOS EXTRAS LENTES

EXERCÍCIOS EXTRAS LENTES EXERCÍCIOS EXTRAS LENTES 1) Qual a lente que deve ser usada para a correção da miopia? 2) Como se poderia queimar uma folha seca, com gelo e sol? 3) Utilizando-se a luz solar e uma lente podemos queimar

Leia mais

cü Çv Ñ Éá wt Ñà vt y á vt

cü Çv Ñ Éá wt Ñà vt y á vt óptica cü Çv Ñ Éá wt Ñà vt y á vt Luz é um agente físico que pode se propagar tanto no vácuo quanto em certos meios materiais, se propaga em linha reta. Óptica física e óptica Geométrica Óptica física

Leia mais

Física: Óptica. c) preto. d) violeta. e) vermelho. Resp.: c. Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof.

Física: Óptica. c) preto. d) violeta. e) vermelho. Resp.: c. Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof. Física: Óptica Questões de treinamento para a banca Cesgranrio elaborada pelo prof. Alex Regis Questão 01 Com relação às afirmações: I. A luz amarelada e a luz verde têm a mesma freqüência. II. No interior

Leia mais

O maior ângulo entre os espelhos, para que se possam enxergar onze imagens inteiras desse objeto, será de: a) 20 b) 30 c) 45 d) 60 e) 120

O maior ângulo entre os espelhos, para que se possam enxergar onze imagens inteiras desse objeto, será de: a) 20 b) 30 c) 45 d) 60 e) 120 Colégio Jesus Adolescente Ensino Médio 1º Bimestre Disciplina Física Setor B Turma 1º ANO Professor Gnomo Lista de Exercício Bimestral Aulas 6 a 8 1) A figura a seguir representa um raio de luz incidindo

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA É a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com a luz e sua interação com meios materiais quando as dimensões destes meios é muito maior que o

Leia mais

Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP

Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP 1 Roteiro elaborado com base na documentação que acompanha o conjunto por: Osvaldo Guimarães PUC-SP Alguns experimentos de óptica básica Este item é composto por um conjunto de peças avulsas que permitem

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ----

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Física II PROFESSOR(A) Fernando ANO SEMESTRE DATA 2º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Considere a figura ao lado. Com base no

Leia mais

As divisões da óptica

As divisões da óptica ÓPTICA As divisões da óptica Óptica física : Estuda a natureza da luz. Óptica fisiológica: Estuda os mecanismos responsáveis pela visão. Óptica geométrica: Estuda os fenômenos relacionados à trajetória

Leia mais

30 cm, determine o raio da esfera.

30 cm, determine o raio da esfera. 1. (Ufes 015) Enche-se uma fina esfera, feita de vidro transparente, com um líquido, até completar-se exatamente a metade de seu volume. O resto do volume da esfera contém ar (índice de refração n 1).

Leia mais

TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa

TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa Reflexão da luz TIPOS DE REFLEXÃO Regular Difusa LEIS DA REFLEXÃO RI = raio de luz incidente i normal r RR = raio de luz refletido i = ângulo de incidência (é formado entre RI e N) r = ângulo de reflexão

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 3 o ano Disciplina: Física - Óptica

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 3 o ano Disciplina: Física - Óptica Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 3 o ano Disciplina: Física - Óptica 01 - (PUC SP) Um objeto é inicialmente posicionado entre o foco

Leia mais

EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO

EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO EXPERIMENTO N o 6 LENTES CONVERGENTES INTRODUÇÃO Ao incidir em uma lente convergente, um feixe paralelo de luz, depois de passar pela lente, é concentrado em um ponto denominado foco (representado por

Leia mais

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO

MÓDULO DE RECUPERAÇÃO DISCIPLINA Física II 2º ANO ENSINO MÉDIO MÓDULO DE RECUPERAÇÃO ALUNO(A) Nº TURMA TURNO Manhã 1º SEMESTRE DATA / / 01- A figura representa um feixe de raios paralelos incidentes numa superfície S e os correspondentes

Leia mais

Óptica Geométrica 3. Questões do ENEM 7. Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15. Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23

Óptica Geométrica 3. Questões do ENEM 7. Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15. Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23 1 3º Unidade Capítulo IX Óptica Geométrica 3 Questões do ENEM 7 Capítulo X Refração de Imagem 10 Questões do ENEM 15 Capítulo XI Refração da Luz 18 Questões do ENEM 23 Capítulo XII Ondas 26 Questões do

Leia mais

Unidade IV. Aula 18.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde

Unidade IV. Aula 18.1 Conteúdo. Óptica, Ser humano e Saúde Unidade IV Óptica, Ser humano e Saúde Aula 18.1 Conteúdo Óptica geométrica: Raios de luz convergentes, divergentes e paralelos, Princípios da óptica geométrica; princípio de Fermat; o olho humano. 2 Habilidade

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

c V n = Alguns efeitos da refração da luz REFRAÇÃO LUMINOSA Índice de Refração Absoluto

c V n = Alguns efeitos da refração da luz REFRAÇÃO LUMINOSA Índice de Refração Absoluto REFRAÇÃO LUMINOSA Refração é o fenômeno que ocorre quando a luz muda de meio de propagação, causando mudança na sua velocidade. Alguns efeitos da refração da luz Miragens Objetos quebrados Profundidade

Leia mais

FÍSICA. Prof. Luis Campos AULA 1

FÍSICA. Prof. Luis Campos AULA 1 FÍSICA Prof. Luis Campos AULA 1 1. Do fundo de um poço, um observador de altura desprezível contempla um avião, que está 500 m acima de seus olhos. No instante em que a aeronave passa sobre a abertura

Leia mais

REFRAÇÃO DA LUZ - Definições ÂNGULOS - Incidência - Reflexão - Refração Índice de Refração Absoluto de um Meio (n) Analisando as Grandezas

REFRAÇÃO DA LUZ - Definições ÂNGULOS - Incidência - Reflexão - Refração Índice de Refração Absoluto de um Meio (n) Analisando as Grandezas ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação REFRAÇÃO DA LUZ - Definições ÂNGULOS - Incidência - Reflexão - Refração Índice de Refração Absoluto de um Meio (n)

Leia mais

Física Experimental - Óptica - Banco óptico linear com lanterna de luz branca - EQ045.

Física Experimental - Óptica - Banco óptico linear com lanterna de luz branca - EQ045. Índice Remissivo... 4 Abertura... 7 As instruções básicas de funcionamento dos aparelhos utilizados nas atividades experimentais dos manuais, identificadas no canto superior direito da página pelos números

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto

3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto Questões COVEST Óptica Geométrica 3º Ano do Ensino Médio Prof. Rogério Porto Assunto: Óptica Geométrica 1. Considere um objeto iluminado, um anteparo com um pequeno orifício circular e um segundo anteparo,

Leia mais

introdução à Óptica Geométrica

introdução à Óptica Geométrica PARTE II Unidade E capítulo 10 introdução à Óptica Geométrica seções: 101 Conceitos fundamentais 102 Princípios da Óptica Geométrica antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela os temas principais do

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIOS DE REVISÃO II UNIDADE FÍSICA 3º ANO ENSINO MÉDIO

ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIOS DE REVISÃO II UNIDADE FÍSICA 3º ANO ENSINO MÉDIO ALUNO: Nº SÉRIE: DATA: / / PROF.: VICTOR GERMINIO EXERCÍCIOS DE REVISÃO II UNIDADE FÍSICA 3º ANO ENSINO MÉDIO 1) Em uma atividade de um engenheiro civil, o mesmo precisa determinar a altura de um edifício.

Leia mais

Física. Óptica Geométrica parte 2. Prof. César Bastos. Óptica Geométrica prof. César Bastos 1

Física. Óptica Geométrica parte 2. Prof. César Bastos. Óptica Geométrica prof. César Bastos 1 Física Óptica Geométrica parte 2 Prof. César Bastos Óptica Geométrica prof. César Bastos 1 Óptica Geométrica Reflexão em superfícies curvas Antes de estudar a formação de imagens em espelhos esféricos

Leia mais

Física Experimental - Óptica - luz policromática e laser - EQ045B.

Física Experimental - Óptica - luz policromática e laser - EQ045B. Índice Remissivo... 5 Abertura... 8 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos algarismos 199 são destinadas ao professor.... 8 All of the basic

Leia mais

Introdução: Mas, todas estas lentes podem ser na verdade convergentes ou divergentes, dependendo do que acontece com a luz quando esta passa por ela.

Introdução: Mas, todas estas lentes podem ser na verdade convergentes ou divergentes, dependendo do que acontece com a luz quando esta passa por ela. Introdução: Com este trabalho experimental pretende-se observar o comportamento de feixes ao atravessar lentes e, ao mesmo tempo, verificar o comportamento dos feixes ao incidir em espelhos. Os conceitos

Leia mais

AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS

AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS Meta: - Fazer que o estudante comece a pensar no ensino de ciências como algo orgânico que está em profunda transformação; - Fazer com que os alunos percebam, através de uma

Leia mais

Assim caminha a luz. Logo após o jantar, Roberto e Ernesto saem. Em linha reta...

Assim caminha a luz. Logo após o jantar, Roberto e Ernesto saem. Em linha reta... A UU L AL A Assim caminha a luz Logo após o jantar, Roberto e Ernesto saem para dar uma volta. - Olha, pai, como a Lua está grande! - diz Ernesto. - É, aparentemente isso é verdade. Mas pegue essa moeda

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL 1 (Unirio) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais,

Leia mais

AULA 2 A Propagação da Luz, sua Reflexão e Refração

AULA 2 A Propagação da Luz, sua Reflexão e Refração AULA 2 A Propagação da Luz, sua Reflexão e Refração Objetivos: refletir sobre os resultados dos experimentos feitos; estudar os resultados já estabelecidos sobre a propagação, a reflexão e a refração da

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Kit de ótica laser de demonstração U17300 e kit complementar Manual de instruções 1/05 ALF Índice de conteúdo Página Exp - N Experiência Kit de aparelhos 1 Introdução 2 Fornecimento

Leia mais

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo

Apostila 2 Capítulo 8. Página 305. Reflexões. Gnomo Apostila 2 Capítulo 8 Página 305 Reflexões Fenômenos Ópticos Reflexão Refração Absorção Tipos de Reflexão Reflexão Especular Reflexão Difusa Na reflexão especular os raios de luz que entram paralelos são

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO LENTES ESFÉRICAS. LENTES CONVERGENTES Elementos

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO LENTES ESFÉRICAS. LENTES CONVERGENTES Elementos LENTES ESFÉRICAS ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação LENTES CONVERGENTES Elementos Propriedades Construção Geométrica de Imagens LENTES DIVERGENTES

Leia mais

Manual de Experimentos

Manual de Experimentos Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Exatas Departamento de Física LABORATÓRIOS DE ENSINO DE FÍSICA Setor B (Eletricidade, Magnetismo e Óptica) Disciplina: FÍSICA BÁSICA

Leia mais

Biofísica Bacharelado em Biologia

Biofísica Bacharelado em Biologia Biofísica Bacharelado em Biologia Prof. Dr. Sergio Pilling PARTE A Capítulo 4 Luz como uma onda, refração, polarização, difracão e interferência. Formação de imagens e instrumentos óticos. Objetivos: Nesta

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE HOLOGRAFIA

EXPOSIÇÃO DE HOLOGRAFIA Universidade Estadual de Campinas Instituto de Física.Gleb Wataghin. EXPOSIÇÃO DE HOLOGRAFIA Apresentação dos experimentos com rede de difração, reflexão e refração Eduardo Salmazo Orientador: Prof. José

Leia mais

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar.

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. PRINCÍPIOS DA ÓPTICA A luz do Sol percorre a distância de 150 milhões de quilômetros com uma velocidade

Leia mais

Exercícios sobre Espelhos Esféricos

Exercícios sobre Espelhos Esféricos Exercícios sobre Espelhos Esféricos 1-Quando colocamos um pequeno objeto real entre o foco principal e o centro de curvatura de um espelho esférico côncavo de Gauss, sua respectiva imagem conjugada será:

Leia mais

Resoluções. 1. E Da figura obtemos: E 1. 50 a b 120. i =? E 2

Resoluções. 1. E Da figura obtemos: E 1. 50 a b 120. i =? E 2 Resoluções Segmento: Pré-vestibular oleção: Alfa, eta e Gama. Disciplina: Física aderno de xercícios 1 Unidade VIII Óptica Geométrica Série 2: studo da reflexão e dos sistemas refletores 1. Da figura obtemos:

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

Imagens ópticas (1)ë - Dióptros

Imagens ópticas (1)ë - Dióptros Imagens ópticas (1)ë - Dióptros Dióptros Dióptro : sistema óptico constituído por dois meios transparentes homogéneos, separados por uma superfície bem definida. Se a superfície de separação é plana, chama-se-lhe

Leia mais

Reflexão. A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas.

Reflexão. A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas. Ótica Reflexão A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas. A reflexibilidade é a tendência dos raios de voltarem para o mesmo meio

Leia mais

Exercícios de Óptica Conceitos básicos

Exercícios de Óptica Conceitos básicos COLÉGIO TIRADENTES DA POLÍCIA MILITAR BARBACENA MG POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS Exercícios de Recuperação de Física 1ª prova DATA: SOESP: Profª. Eliane Ensino Médio Série 2º Turmas 201-202-203 1ª etapa

Leia mais

Refração. a)o ângulo de refração b)o desvio feito pelo raio ao se refratar

Refração. a)o ângulo de refração b)o desvio feito pelo raio ao se refratar Refração 1- Um raio de luz propaga-se no ar com velocidade 3x10 8 m/s e atinge a superfície da água sob o ângulo de incidência de 60 e o ângulo de refração igual a 45. Determine a velocidade da água. 2-Um

Leia mais

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente.

Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. 01 Como n lente = n meioa, não há refração. Ou seja, o sistema óptico não funciona como lente. Como n lente < n meiob, a lente de bordas finas opera como lente divergente. Resposta: A 1 02 A gota de água

Leia mais

TEORIA 08/12/2014. Reflexão. Refração INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO REFLEXÃO E REFRACÃO RAIOS INTRODUÇÃO 1 1 = 2 2 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO

TEORIA 08/12/2014. Reflexão. Refração INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO REFLEXÃO E REFRACÃO RAIOS INTRODUÇÃO 1 1 = 2 2 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO ÍNDICE DE REFRAÇÃ INTRDUÇÃ Ótica Lentes Esféricos DEFIJI Semestre204-2 Quando a luz passa de um meio para outro, sua velocidade aumenta ou diminui devido as diferenças das estruturas atômicas das duas

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos

ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO. LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos ÓPTICA GEOMÉTRICA MENU DE NAVEGAÇÃO Clique em um item abaixo para iniciar a apresentação LENTES ESFÉRICAS LENTES CONVERGENTES Elementos Propriedades Construção Geométrica de Imagens LENTES DIVERGENTES

Leia mais

Kit de ótica. Material. Montagem

Kit de ótica. Material. Montagem Som, Luz e Materiais Kit de ótica Um pouco de história Embora as propriedades óticas de ampliação e redução de objetos convexos e côncavos transparentes fossem conhecidas desde a Antiguidade, as lentes,

Leia mais

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA 1 TEORIA 1 DEFININDO ESPELHOS PLANOS Podemos definir espelhos planos como toda superfície plana e polida, portanto, regular, capaz de refletir a luz nela incidente (Figura 1). Figura 1: Reflexão regular

Leia mais

O que é uma lente esférica?

O que é uma lente esférica? O que é uma lente esférica? É um sistema constituído de dois dioptros esféricos ou um dioptro esférico e um plano, nos quais a luz sofre duas refrações consecutivas. Classificação das lentes 1. Quanto

Leia mais

a) I b) II c) III d) IV e) V

a) I b) II c) III d) IV e) V 1. (Cesgranrio 1991) Sobre uma lente semiesférica de vidro incide um raio de luz, cuja direção é paralela ao eixo óptico da lente. Qual dos raios (I, II, III, IV ou V) indicados na figura a seguir que

Leia mais

Primeira lista de física para o segundo ano 1)

Primeira lista de física para o segundo ano 1) Primeira lista de física para o segundo ano 1) Dois espelhos planos verticais formam um ângulo de 120º, conforme a figura. Um observador está no ponto A. Quantas imagens de si mesmo ele verá? a) 4 b) 2

Leia mais

01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos didáticos, podemos dividir o estudo da óptica em duas outras

01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos didáticos, podemos dividir o estudo da óptica em duas outras LISTA DE TEORIA 01 Goiânia, 03 de Fevereiro de 2015 Série: 3º ano e Curso Turma: Aluno(a): Disciplina: Física Professor: Caçu e-mail: manoel.fisica@gmail.com 01) INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA: Para efeitos

Leia mais

NOTAS AULAS DE FÍSICA ÓPTICA 05/2015

NOTAS AULAS DE FÍSICA ÓPTICA 05/2015 NOTAS AULAS DE FÍSICA ÓPTICA 05/2015 Professor Danilo Lima Site: estudeadistancia.professordanilo.com PREFÁCIO Estas notas são divulgadas periodicamente no blog estudeadistancia.professordanilo.com A data

Leia mais

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO

DEFIJI Semestre2014-1 10:07:19 1 INTRODUÇÃO 1 DEFIJI Semestre2014-1 Ótica Lentes Esféricos Prof. Robinson 10:07:19 1 O ÍNDICE DE REFRAÇÃO INTRODUÇÃO Quando a luz passa de um meio para outro, sua velocidade aumenta ou diminui devido as diferenças

Leia mais

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos Volume 8 óptica Vídeo 49.1 Vídeo 49.2 Vídeo 49.3 Vídeo 49.4 Vídeo 49.5 Vídeo 49.6 Vídeo 49.7 Vídeo 49.8 Vídeo 49.9 Capítulo 49 Espelhos Planos Um feixe de micro-ondas refletido por uma placa metálica plana

Leia mais

Lista de Óptica - Wladimir

Lista de Óptica - Wladimir 1. (Ufg 2014) A figura a seguir representa um dispositivo óptico constituído por um laser, um espelho fixo, um espelho giratório e um detector. A distância entre o laser e o detector é d = 1,0 m, entre

Leia mais

LENTES ESFÉRICAS Fórmula de Gauss

LENTES ESFÉRICAS Fórmula de Gauss LENTES ESFÉRICAS Fórmula de Gauss. (Unicamp 203) Um objeto é disposto em frente a uma lente convergente, conforme a figura abaixo. Os focos principais da lente são indicados com a letra F. Pode-se afirmar

Leia mais

Prof. Rodrigo Luis Rocha

Prof. Rodrigo Luis Rocha Futuro papiloscopista, Modelo corpuscular da luz Este material foi elaborado baseado no último edital de papiloscopista da PF organizado pela CESPE/UNB. A ordem de apresentação dos conteúdos difere propositalmente

Leia mais

REFLEXÃO E ESPELHOS PLANOS e ESFÉRICOS

REFLEXÃO E ESPELHOS PLANOS e ESFÉRICOS REFLEXÃO E ESPELHOS PLANOS e ESFÉRICOS Leis da Reflexão: 1º- O raio refletido, a normal e o raio incidente pertencem ao mesmo plano. 2º- A medida do ângulo de reflexão é igual à medida do ângulo de incidência.

Leia mais

Curso de Óptica Aplicada

Curso de Óptica Aplicada Curso de Óptica Aplicada TE 2 - Reflexão e refracção. Espelhos, dioptros e lentes Documento de preparação do Trabalho Experimental TE 2 - Reflexão e refracção. Espelhos, dioptros e lentes Finalidade A

Leia mais

ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 9. OS A/B/C PROF. A GRAZIELA

ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 9. OS A/B/C PROF. A GRAZIELA ATIVIDADE DE FÍSICA PARA AS FÉRIAS 9. OS A/B/C PROF. A GRAZIELA QUESTÃO 1) Atente para a ilustração e os fragmentos de texto abaixo. Utilize-os para responder aos itens da questão 1. [ 1 ] Em muitos parques

Leia mais

Como representar uma lente convergente e uma lente divergente.

Como representar uma lente convergente e uma lente divergente. Lentes Esféricas Lente é todo meio transparente limitado por duas superfícies curvas ou uma curva e uma plana. São encontradas em lupas, microscópios, telescópios, máquinas fotográficas, projetores, filmadoras,

Leia mais

Apostila de Física 39 Lentes Esféricas

Apostila de Física 39 Lentes Esféricas Apostila de Física 39 Lentes Esféricas 1.0 Definições Lente Sistemas ópticos de maior importância em nossa civilização. Lente esférica Sistema óptico constituído por 3 meios homogêneos e transparentes

Leia mais

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_

Prof. André Motta - mottabip@hotmail.com_ Exercícios Lentes Esféricas 1- Analise as afirmações a seguir e assinale a correta. A) É impossível obter uma imagem maior que o objeto com uma lente divergente. B) Quando um objeto está localizado a uma

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR

APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA, CAMPUS DE JI-PARANÁ, DEPARTAMENTO DE FÍSICA DE JI-PARANÁ DEFIJI SEMESTRE TURMA ESPECIAL ÓPTICA PROF. DR. ROBINSON APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR Robinson Viana Figueroa

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA. Lista de Problemas

ÓPTICA GEOMÉTRICA. Lista de Problemas Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Física FIS01044 UNIDADE II ÓPTICA GEOMÉTRICA Lista de Problemas Problemas extraídos de HALLIDAY, D., RESNICK, R., WALKER, J.

Leia mais

Colégio Jesus Adolescente

Colégio Jesus Adolescente Colégio Jesus Adolescente Ensino Médio 2º Bimestre Disciplina Física Turma 9º ANO Professor Gnomo Lista de Exercício Bimestral Capitulo 6 1) Assinale a alternativa que contém apenas fontes de luz primárias

Leia mais

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD )tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD Óptica Geométrica ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD Exercício 1: Um feixe de luz cujo comprimento de onda é 650 nm propaga-se no vazio. a) Qual é a velocidade da luz desse feixe ao propagar-se num

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA Renan Schetino de Souza

ÓPTICA GEOMÉTRICA Renan Schetino de Souza ÓPTICA GEOMÉTRICA Renan Schetino de Souza 109 Introdução à Óptica Geométrica -FÍSICA- Óptica é o ramo da física que estuda os fenômenos luminosos, bem como suas propriedades. Os fenômenos estudados em

Leia mais

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA FONTES DE LUZ Tudo aquilo que podemos ver está emitindo luz, portanto deve ser considerado uma fonte de luz. Tudo emite luz?não, ocorre que certos tipos de fontes emitem

Leia mais

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico.

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. Introdução Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. A confecção do experimento permitirá também a observação da dispersão

Leia mais