AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920)"

Transcrição

1 A MAX WEBER Vida e Obra de Maximillian Carl Emil Weber ( ) Erfurt/Alemanha (Contexto) 1830: Alemanha - país mais atrasado da Europa Origem burguesa, origem protestante e religiosa, família de comerciantes de linho e industriais têxteis A ética protestante e o espírito do capitalismo, 1904 busca estabelecer os efeitos da religião sobre a conduta humana 1880: Alemanha - país europeu de maior poder econômico aliança da grande burguesia, detentora de forte poder econômico, apoiada na burocracia e no exército prussiano de Bismarck Ambiente intelectualmente estimulante Formado em direito, atuou também como professor, jornalista, filósofo, historiador, economista e sociólogo Interesse no estudo da política, do papel do Estado e das estruturas de Poder, Dominação e Obediência Um dos fundadores da Sociologia (Karl Marx, Vilfredo Pareto e Emile Durkheim) AÇÃO SOCIAL A sociologia de Weber diferencia de Durkheim e Marx por sua análise individualista. Exemplo de AÇÃO SOCIAL DOIS CICLISTAS Agente social = aquele que tem uma ação na sociedade AÇÃO SOCIAL: ação do agente social orientada pelo outro (um indivíduo/instituição social ou até mesmo outra ação social) Não é uma ação social 1

2 Desviando é um ação social Exemplos de Ações Sociais CARTA TIPO PURO (IDEAL) Ainda como forma de analisar a sociedade, construiu um conceito que classificava e referenciava seus estudos sociológicos, o tipo ideal. Os tipos de ação social classificados por Weber resultam de diversas análises históricas: - Ação Social Racional com Relação a FINS - Ação Social Racional com Relação a VALORES - Ação AFETIVA - Ação TRADICIONAL Ação Social Racional com relação a FINS (OBJETIVOS) É uma ação que é orientada pela racionalidade (uma ação que deve ser pensada) e que visa chegar a um FIM (objetivo) - RACIONAL = PENSADA - FINS (objetivo) = O QUE SE QUER CHEGAR ACHEI R$ ,00 Um EMPRESÁRIO vai dar uma bonificação para o FUNCIONÁRIO mais produtivo. Quero dobrar o valor devo procurar quem? - RACIONAL: FORMA DE TER MAIS LUCRO - FINALIDADE: LUCRO A ação do empresário foi orientada pela busca do lucro. 2

3 Ação Social RACIONAL com relação a VALORES É uma ação social orientada pelos valores (princípios) dos indivíduos. - RACIONAL = PENSADA - VALORES = PRINCIPIO (castidade honestidade moral) UM VIRGEM (valor princípio) SOU VIRGEM transar só depois do casamento Quero transar com você Um católico caminha 90KM para demonstrar a sua fé. RACIONAL = PENSADA (caminhar 90 km) FÉ = VALORES ÉTICA PROTESTANTE O que dá sustentabilidade ao capitalismo? O protestantismo - Muda a concepção ética da sociedade - CATOLICISMO: lucro é pecado - PROTESTANTISMO (calvinismo) lucro é divino (benção) - BURGUSIA: gosta da visão protestante - OPERÁRIO PERFEITO (valores) Ação AFETIVA Não é toda ação social que é racional, há aquelas que é imediata. Um jovem compra um relógio pela emoção que esse lhe causou. A ação afetiva é orientada pela emoção que causada. 3

4 Ação TRADICIONAL A ação social é orientada pela tradição (aquilo que é passado de geração para geração) EX: Estudar em escola X apenas por ser a escola em que seus país estudaram. Estado e Dominação em Weber (Estado) Estado: Comunidade humana que pretende, com êxito, o monopólio do uso legítimo da força física, dentro de um determinado território (Weber, 1971) O Estado só existe, se a autoridade for obedecida pela consideração de sua legitimidade Na base de todo domínio público existe a relação fundamental do mando e da obediência (Freund, 1980) Administração racionalmente orientada, cujo exercício de funções depende da autoridade central Regulamentos Explícitos (burocracia: expressão da racionalidade formal) Weber aponta o desenvolvimento de um Estado moderno como uma "entidade política, com uma constituição racionalmente redigida, um Direito racionalmente ordenado, e uma administração orientada por regras racionais, as leis, e administrado por funcionários especializados; (Poder x Dominação x Obediência) Poder: Probabilidade de impor a própria vontade numa relação social, ainda que sob resistências Dominação: Probabilidade de encontrar obediência a uma ordem entre pessoas específicas Obediência: Relação entre dominadores e dominados Por que se obedece? Interesses, razão (reconhecimento da legitimidade ordem) Reconhecimento formal da necessidade da ordem (legitimidade), independente de opinião própria sobre o valor da ordem Nenhum domínio se contenta com a obediência que não passa de submissão exterior pela razão, por oportunidade ou respeito; procura também despertar nos membros a fé em sua legitimidade, ou seja, transformar a disciplina em adesão à verdade que ele representa (Freund, 1980) Carismática Tradicional Legal (Tipos Dominação Legítima) Tipos que nunca, ou raramente se encontram em estado puro, pois um domínio não é inteiramente desprovido do outro (Dominação Carismática) Legitimada pela fé nas qualidades sobrenaturais e de liderança do chefe/líder Entrega total a pessoa do chefe, que se acredita predestinado a uma missão Confiança cega e fanática, desprovida de controle crítico Fundamento emocional e não racional Não reconhece instituições, regulamentos, precedentes ou costumes Poder instável, arbitrário e pode tomar a forma de poderio revolucionário - Problema: Sucessão (tende a voltar ao regime tradicional ou legal) 4

5 (Dominação Tradicional) Legitimada pela crença santa na tradição Conformismo, reconhecimento antigo, habitual O líder é chamado ao poder em virtude de um costume (ex: primogenitura, o mas antigo de uma família, etc.) O líder reina a título pessoal, orienta-se segundo regras habituais de equidade e justiça, ou oportunidade pessoal Não é exercida com a preocupação de eficiência. Não há a busca pelos meios mais eficientes para atingir os fins visados Dominação Legal (racional -burocrática) Fé na validade dos regulamentos/leis estabelecidos racionalmente Todas as decisões, decretos e ordens de serviço são escritos Legitimidade dos chefes designados por sua competência funcional Formação especializada Organização racional e legal das funções (burocracia: mais típica forma do domínio legal) Hierarquia racional Fundamento Racional e não Emocional Obs: Ao contrário das outras formas, a legal não permite que interesses pessoais e subjetivos, assim como as emoções interfiram nas decisões, favorecendo grupos ou indivíduos Em 1904, viaja para os EUA, impressiona-se com as proporções do desperdício do capitalismo americano, e interessa-se por problemas da administração pública Ponto fundamental desta experiência: apreciação do papel da burocracia numa democracia (conceito central da sua Sociologia) Origem: Antiguidade - Império do Novo Egito ( a.c.) Forma mais eficiente de Administração É a mais racional A razão decisiva que explica o desenvolvimento da organização burocrática foi sempre sua superioridade técnica sobre qualquer outra organização (Weber) A Burocracia que conhecemos surge com o desenvolvimento industrial, desenvolvimento da racionalização técnica (Fins da Idade Média - Capitalismo) Modificação do Sistema Social Predominante Família, tribo, clã, feudo, pequena empresa familiar x Orgs (empresas) Pequenos sistemas sociais desorganizados x Orgs. bem estruturadas Princípio fundamental que rege a vida das Organizações e do Estado Moderno: Eficiência Produtividade (- Esforço versus + Resultado) Concorrência: Sistema onde apenas os eficientes sobrevivem Caraterísticas: Busca racional dos interesses coletivos Normas legais estabelecidas por acordo ou imposição Atos Administrativos formulados e registrados em documentos Serviços e funções nitidamente definidos e divididos O funcionário sempre sabe como agir, baseando-se nas diretrizes As normas racionais devem ser constantemente modificadas, adaptando-se aos novos fatores ambientais, pois visa o alcance dos objetivos da forma mais econômica e eficiente possível Características: Especialização técnica para ocupação do cargo (recrutamento por exames) Profissionalismo (aptidões, capacidade) Promoção por critérios objetivos Imparcialidade e Objetividade: Ausência de fatores de ordem emocional Impessoalidade do cargo (separação completa entre a função e o homem que a ocupa, nenhum funcionário possui o cargo ou os meios da administração) Obediência a lei Efetividade da autoridade legal Hierarquia de funções (áreas específicas de competência determinadas por leis) - gera uma administração mais rápida, com diretrizes constantes, livres das variações de opinião 5

6 Vantagens: Precisão: Cada membro sabe exatamente suas funções, o que lhe cabe ou não fazer, os objetivos de sua atividade e os objetivos da organização como um todo Rapidez: A tramitação das ordens segue canais previamente conhecidos e definidos Univocidade: Cada subordinado presta contas a apenas um chefe, não há conflito de ordens Caráter oficial: A autoridade é revestida formal e oficialmente, as comunicações internas são geralmente escritas e assinadas, ganhando cunho oficial Vantagens: Discrição: O segredo profissional faz parte da ética do administrador, informações confidenciais tramitam apenas entre os que devem tomar conhecimento Uniformidade: Espera-se um comportamento uniforme dos funcionários, dada a precisão com que seus encargos são definidos Redução de fricções: As áreas de autoridade e responsabilidade são definidas com clareza Redução de Custos materiais e pessoais: Conseqüência de todas as vantagens apontadas Demonstra a maior eficiência da organização Continuidade: Dada sua impessoalidade, a organização não depende de pessoas para funcionar, há substituições e o sistema volta a funcionar normalmente 6

Weber e o estudo da sociedade

Weber e o estudo da sociedade Max Weber o homem Maximilian Karl Emil Weber; Nasceu em Erfurt, 1864; Iniciou seus estudos na cidade de Heidelberg Alemanha; Intelectual alemão, jurista, economista e sociólogo; Casado com Marianne Weber,

Leia mais

Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I).

Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I). Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I). CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman

Leia mais

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia A Teoria de Ação Social de Max Weber 1 Ação Social 2 Forma de dominação Legítimas 3 Desencantamento

Leia mais

Max Weber. Sociologia Compreensiva

Max Weber. Sociologia Compreensiva Max Weber Sociologia Compreensiva Índice Max Weber: Vida e obra Uma teia de sentidos Desencantamento do mundo e racionalização Tipos puros 1. O conceito de ação social 1.1 Ação racional com relação a objetivos

Leia mais

A Sociologia Compreensiva. De Max Weber

A Sociologia Compreensiva. De Max Weber A Sociologia Compreensiva De Max Weber Problematização O comportamento social é espontâneo, individual e descolado do passado? Max Weber Maximillian Carl Emil Weber Nasceu em 1864 na cidade de Erfurt (Alemanha),

Leia mais

(1864-1920) Max Weber: a ética protestante e o espírito do capitalismo

(1864-1920) Max Weber: a ética protestante e o espírito do capitalismo (1864-1920) Max Weber: a ética protestante e o espírito do capitalismo Contexto histórico: Alemanha: organização tardia do pensamento burguês e do Estado nacional. e Humanas na Alemanha: interesse pela

Leia mais

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos:

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos: A CONTRIBUIÇÃO DE MAX WEBER (1864 1920) Max Weber foi o grande sistematizador da sociologia na Alemanha por volta do século XIX, um pouco mais tarde do que a França, que foi impulsionada pelo positivismo.

Leia mais

Ciências Sociais. Objetivos. Max Weber, Alemanha 1864-1920. Visão de mundo e pressupostos metodológicos Max Weber. Prof.

Ciências Sociais. Objetivos. Max Weber, Alemanha 1864-1920. Visão de mundo e pressupostos metodológicos Max Weber. Prof. Ciências Sociais Prof. Paulo Barrera Visão de mundo e pressupostos metodológicos Max Weber Objetivos a) Discutir conceitos básicos da sociologia weberiana, tais como ação social, racionalização, tipos

Leia mais

Max Weber. Sociologia Compreensiva

Max Weber. Sociologia Compreensiva Max Weber Sociologia Compreensiva Índice Max Weber: Vida e obra Uma teia de sentidos 1. O conceito de ação social 1.1 Ação tradicional 1.2 Ação afetiva 1.3 Ação racional com relação a valores 1.4 Ação

Leia mais

Sociologia Organizacional. Contextualização. Aula 4. Organização da Aula. Profa. Me. Anna Klamas

Sociologia Organizacional. Contextualização. Aula 4. Organização da Aula. Profa. Me. Anna Klamas Sociologia Organizacional Aula 4 Contextualização Profa. Me. Anna Klamas Organização da Aula A Sociologia de Max Weber e o tema da racionalidade A disciplina de sociologia deve contribuir com a percepção

Leia mais

Max Weber e o Direito (1864-1920)

Max Weber e o Direito (1864-1920) 82 Max Weber e o Direito (1864-1920) Fontes: BILLIER, Jean-Cassiere MARYIOLI, Aglaé. História da Filosofia do Direito. Barueri: Manole, 2005. DEFLEM, Mathiew. Sociology of Law. Cambridge: CUP, 2008. RODRIGUES

Leia mais

A Sociologia de Weber

A Sociologia de Weber Material de apoio para Monitoria 1. (UFU 2011) A questão do método nas ciências humanas (também denominadas ciências históricas, ciências sociais, ciências do espírito, ciências da cultura) foi objeto

Leia mais

6. Modelo Burocrático

6. Modelo Burocrático 6. Modelo Burocrático Conteúdo 1. Burocracia 2. Teoria da Burocracia 3. Tipos de Sociedade 4. Tipos de Autoridade 5. Características da Burocracia segundo Weber 6. Disfunções da Burocracia 7. Modelo Geral

Leia mais

MAX WEBER. Prof. Cristhian Lima

MAX WEBER. Prof. Cristhian Lima MAX WEBER Prof. Cristhian Lima Duas Realidades 1 REPÚBLICA FRANCESA 2 DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA 3 CIÊNCIAS NATURAIS 4 ÊNFASE NA UNIVERSALIDADE 5 CIÊNCIAS HUMANAS = CIÊNCIAS EXATAS Duas Realidades 1 FRAGMENTAÇÃO

Leia mais

Rompimentos Alienação e estruturas sociais Leituras do capitalismo e o direito

Rompimentos Alienação e estruturas sociais Leituras do capitalismo e o direito Marx e o Direito 1 Rompimentos Alienação e estruturas sociais Leituras do capitalismo e o direito Bibliografia: DEFLEM, Mathiew. Sociology of Law. Cambridge: CUP, 2008. FERREIRA, Adriano de Assis. Questão

Leia mais

Max WEBER. Apresentando Max Weber. Principais contribuições: 1864-1920 TEMPOS MODERNOS OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE

Max WEBER. Apresentando Max Weber. Principais contribuições: 1864-1920 TEMPOS MODERNOS OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE Max WEBER 1864-1920 TEMPOS MODERNOS Apresentando Max Weber Principais contribuições: OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE O PROTESTANTISMO E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO O MUNDO DESENCANTADO Apresentando Max Weber

Leia mais

Direito para Durkheim: coercitivo exterior geral

Direito para Durkheim: coercitivo exterior geral Apostila 4 Revisão aula anterior: Direito para Durkheim: O objetivo principal de uma Sociologia do Direito em Durkheim é perceber a relação entre as regras morais e a elaboração das leis escritas, bem

Leia mais

Poder e Dominação Segundo Max Weber. Dominação Legal, Dominação Tradicional, Dominação Carismática. Dominação Legal. Dominação Tradicional

Poder e Dominação Segundo Max Weber. Dominação Legal, Dominação Tradicional, Dominação Carismática. Dominação Legal. Dominação Tradicional Poder e Dominação Segundo Max Weber Poder significa toda oportunidade de impor sua própria vontade, no interior de uma relação social, até mesmo contra resistências, pouco importando em que repouse tal

Leia mais

Tipos de Administração Pública. 1 - Administração Patrimonialista 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial

Tipos de Administração Pública. 1 - Administração Patrimonialista 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial Tipos de Administração Pública Professor Luiz Antonio de Carvalho Tipos de Administração Pública BUROCRÁTICA 1 - Administração 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial lac.consultoria@gmail.com

Leia mais

A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing. Com DANILO CUNHA

A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing. Com DANILO CUNHA A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing Com DANILO CUNHA Ética A Responsabilidade Ética na Propaganda & Marketing Conceito Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO MAX WEBER é a ÉTICA PROTESTANTE Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir 2013 A Importância da teoria sociológica de Max Weber A obra do sociólogo alemão Max Weber para análise

Leia mais

A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920)

A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920) A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920) Curso de Ciências Sociais IFISP/UFPel Disciplina: Fundamentos de Sociologia Professor: Francisco E. B. Vargas Pelotas, abril de 2015. I. Contexto histórico

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO 1. Na teoria contratualista, o surgimento do Estado e a noção de contrato social supõem que os indivíduos abrem mão de direitos (naturais)

Leia mais

SOCIOLOGIA. Max Weber.

SOCIOLOGIA. Max Weber. SOCIOLOGIA. Max Weber. 1 - Assinale a opção que contenha as categorias básicas da sociologia de Max Weber: a) função social, tipo ideal, mais-valia b) expropriação, compreensão, fato patológico c) ação

Leia mais

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER Tamires Albernaz Souto 1 Flávio Augusto Silva 2 Hewerton Luiz Pereira Santiago 3 RESUMO Max Weber mostra suas ideias fundamentais sobre o Capitalismo e a racionalização

Leia mais

Conteúdo: Habilidades: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia

Conteúdo: Habilidades: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia Conteúdo: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia Habilidades: Reconhecer a religião como uma instituição social e objeto de estudo das Ciências Sociais; Conhecimento Teológico A religião

Leia mais

A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO

A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO Daniele Bloot de Moura Necker Fryder Geórgia Costa Pizzatto Michele Dal Cortivo Vivian de Souza Silva Co-autora: Prof. Arilda Arboleya arildaa@hotmail.com

Leia mais

Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost

Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost BUROCRACIA é a organização eficiente por excelência MAX WEBER Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost (Robert K. Merton; Philip Selznick) 1864-1920 objectivos Descrever as

Leia mais

Categorias Sociológicas

Categorias Sociológicas Categorias Sociológicas Fato Social DURKHEIM, E.; AS REGRAS DO MÉTODO SOCIOLÓGICO.São Paulo, Abril, Os Pensadores, 1973 p. 389-90. O que é fato social O objeto de estudo da Sociologia é o fato social.

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores.

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. 2. Como acontecia a aprendizagem nas escolas no período medieval? Quem era apto

Leia mais

Ambientes Não Formais de Aprendizagem

Ambientes Não Formais de Aprendizagem Ambientes Não Formais de Aprendizagem Os Ambientes formais de aprendizagem desenvolvem-se em espaços próprios (escolas) com conteúdos e avaliação previamente determinados; Os Ambientes não formais de aprendizagem

Leia mais

Introdução às teorias organizacionais.

Introdução às teorias organizacionais. Curso: Teologia Prof. Geoval Jacinto da Silva. Introdução às teorias organizacionais. Boas vindas Apresentação. Iniciamos hoje, com o Tema: Introdução às teorias organizacionais. Portanto, espero contar

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação...

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação... Cód. barras: STJ00095025 (2013) Sumário Agradecimentos... 7 Introdução....................... 15 Parte I SOCIOLOGIA 1. Origens da Sociologia... 27 1.1. As origens históricas e conceituais da Sociologia...

Leia mais

A TEORIA DA BUROCRACIA

A TEORIA DA BUROCRACIA A TEORIA DA BUROCRACIA Uma das primeiras aplicações do termo Burocracia data do século XVIII, onde o termo era carregado de forte conotação negativa, designando aspectos de poder dos funcionários de uma

Leia mais

SUMÁRIO. A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02

SUMÁRIO. A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02 SUMÁRIO A contribuição dos clássicos da Sociologia para a compreensão da estrutura do trabalho na sociedade Capitalista...02 Max Weber e o espírito do apitalismo...02 PRIMEIRO CONCEITO-Ética protestante

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

SOLIDARIEDADE SOCIAL QUESTÃO.

SOLIDARIEDADE SOCIAL QUESTÃO. 1. ÉMILE DURKHEIM. Bases empíricas da sociologia: o estudo da vida moral. Objeto e método da sociologia: 1. A sociedade como realidade sui generis Representações coletivas da consciência. 2. Fato Social

Leia mais

Sociologia - Resumo Romero - 2014

Sociologia - Resumo Romero - 2014 Sociologia - Resumo Romero - 2014 [imaginação Sociológica] Ao utilizar este termo Giddens refere-se a uma certa sensibilidade que deve cercar a análise sociológica. As sociedades industriais modernas só

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Apresentando Émile Durkheim (pág 25)

Apresentando Émile Durkheim (pág 25) Apresentando Émile Durkheim (pág 25) Émile Durkheim nasceu em Épinal, França, em 1858, e morreu em Paris em novembro de 1917. Foi influenciado pelo positivismo de Auguste Comte, considerado o pai da Sociologia

Leia mais

Palestrante: José Nazareno Nogueira Lima Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA

Palestrante: José Nazareno Nogueira Lima Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA A ÉTICA NA POLÍTICA Palestrante: Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA A origem da palavra ÉTICA Ética vem do grego ethos, que quer dizer o modo de ser, o caráter. Os romanos traduziram

Leia mais

MARX, DURKHEIM, WEBER - REVISÃO -

MARX, DURKHEIM, WEBER - REVISÃO - Sociologia 3ª série Ensino Médio MARX, DURKHEIM, WEBER - REVISÃO - Danilo Arnaldo Briskievicz Os Clássicos da Sociologia No século XIX, três pensadores desenvolveram teorias buscando explicar a sociedade

Leia mais

Indivíduo e Sociedade

Indivíduo e Sociedade EU Compositor(es): Marcelo Birck / Frank Jorge/Alexandre Birck/Carlo Pianta Eu...queria tanto encontrar Uma pessoa como eu A quem eu possa confessar alguma coisa sobre mim PATO FU Eu...queria tanto encontrar

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

SEÇÃO RESENHAS / RESUMOS. ResenhaAcadêmica, por *Afonso de Sousa Cavalcanti

SEÇÃO RESENHAS / RESUMOS. ResenhaAcadêmica, por *Afonso de Sousa Cavalcanti SEÇÃO RESENHAS / RESUMOS ResenhaAcadêmica, por *Afonso de Sousa Cavalcanti WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. 4. ed. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1985. Maximilian Carl

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações Fonte: Introdução à Administração de Antonio Cesar Amaru Maximiano Índice Definição de planejamento Incertezas Eventos previsíveis Processo de planejamento Decisões de planejamento Planejar Atitudes em

Leia mais

Equipe de Alta Performance

Equipe de Alta Performance Equipe de Alta Performance Como chegar a ser uma EAP? Intelectual Razão Cognição Meta Estratégia EQUIPE EAP (Time) BANDO GRUPO Emocional Motivação Relação Ajuda O que é uma Equipe? Éumgrupodepessoas: com

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

Tipos de Conhecimento

Tipos de Conhecimento Conhecer = incorporação de um conceito novo ou original sobre algo (fato ou fenômeno) CONHECIMENTO surge: de experiências acumuladas na vida cotidiana; de relacionamento interpessoais; de outros instrumentos

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA SOCIOLÓGICA DE MAX WEBER PARA EDUCAÇÃO. Introdução

CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA SOCIOLÓGICA DE MAX WEBER PARA EDUCAÇÃO. Introdução CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA SOCIOLÓGICA DE MAX WEBER PARA EDUCAÇÃO Guilherme Costa Garcia Tommaselli 1 Luis Paulo Santos Bezerra 2 Introdução Este artigo tem como objetivo realizar uma reflexão sobre a educação

Leia mais

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre 01-O homo sapiens moderno espécie que pertencemos se constitui por meio do grupo, ou seja, sociedade. Qual das características abaixo é essencial para

Leia mais

A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas

A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas A Dimensão RH e sua Otimização no Relacionamento das Condições de Trabalho na Câmara Municipal de Cascais Ana Maria Canas 20 de Março de 2015 Auditório da Casa das Histórias da Paula Rego GESTÃO DE RECURSOS

Leia mais

DIRECIONADORES DA AÇÃO EMPRESARIAL

DIRECIONADORES DA AÇÃO EMPRESARIAL DIRECIONADORES DA AÇÃO EMPRESARIAL Na ASBRASIL, já foram estabelecidas as direções básicas da ação empresarial, conforme estabelecido em nosso plano de negócios que deseja se consolidar em uma cultura

Leia mais

QUESTÕES ÉTICAS E SOCIAIS NA EMPRESA DIGITAL

QUESTÕES ÉTICAS E SOCIAIS NA EMPRESA DIGITAL QUESTÕES ÉTICAS E SOCIAIS NA EMPRESA DIGITAL 1 OBJETIVOS 1. Quais são as questões éticas, sociais e políticas relacionadas com os sistemas de informação? 2. Existem princípios específicos de conduta que

Leia mais

1 A sociedade dos indivíduos

1 A sociedade dos indivíduos Unidade 1 A sociedade dos indivíduos Nós, seres humanos, nascemos e vivemos em sociedade porque necessitamos uns dos outros. Thinkstock/Getty Images Akg-images/Latin Stock Akg-images/Latin Stock Album/akg

Leia mais

Gestão Pública. Ética e cidadania. Tema: Ética e Cidadania

Gestão Pública. Ética e cidadania. Tema: Ética e Cidadania Gestão Pública Profa. Márcia Velasques Ética e cidadania Seminário de políticas locais/regionais: as dimensões da ética, da cultura e dos serviços prestados ao público Tema: Ética e Cidadania Núcleo de

Leia mais

A Importância do Gestor Público no Processo Decisório. Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional

A Importância do Gestor Público no Processo Decisório. Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional A Importância do Gestor Público no Processo Decisório Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional Contexto A administração pública brasileira sofreu transformações

Leia mais

AMMPL (BME) Código de Conduta

AMMPL (BME) Código de Conduta AMMPL (BME) Código de Conduta 1 Código de Conduta da AMMPL (BME) I Introdução A Association Materials Management, Purchasing and Logistics (Associação de Gestão de Materiais, Compras e Logística, AMMPL

Leia mais

CÓDIGO DE ETICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL (APROVADO A 8 DE MAIO DE 1965)

CÓDIGO DE ETICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL (APROVADO A 8 DE MAIO DE 1965) CÓDIGO DE ETICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL (APROVADO A 8 DE MAIO DE 1965) INTRODUÇÃO Considerando que: A formação da consciência profissional é fator essencial em qualquer profissão e que um Código

Leia mais

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM Silvia Jurema Leone Quaresma* 1. Estado e dominação nos pressupostos de Marx Karl Heinrich Marx (1818-1883) nasceu em Treves, capital da

Leia mais

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO

TIPO DOC. RESOLUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA EMPRESARIAL DO SERPRO TPO DOC. 1/7 1. CONSDERAÇÕES O papel social de uma instituição vai além do que preveem as leis que a regem. O Serviço Federal de Processamento de Dados - SERPRO, ao prestar serviços baseados na tecnologia

Leia mais

ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB,

ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB, ZENUN, Katsue Hamada e; MARKUNAS, Mônica. Tudo que é sólido se desmancha no ar. In:. Cadernos de Sociologia 1: trabalho. Brasília: Cisbrasil-CIB, 2009. p. 24-29. CAPITALISMO Sistema econômico e social

Leia mais

ÉTICA. Guarda Municipal 2012

ÉTICA. Guarda Municipal 2012 ÉTICA Guarda Municipal 2012 Conceito MORAL ÉTICA -Prático imediato -Restrito -Histórico -Relativo -Virtudes disposição habitual fazer o bem -Reflexão filosófica sobre a moral -Procura justificar a moral

Leia mais

Liderança. Acção de Formação

Liderança. Acção de Formação Acção de Formação Conteúdos Crise Financeira Global = Falta de Ética Retardando o declínio de Ética Empresarial Um líder ou um gestor? Ética e Líderes Ética Empresarial e o Papel da Liderança Liderança

Leia mais

Cartilha para os. Colaboradores. Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310. 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com.

Cartilha para os. Colaboradores. Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310. 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com. Cartilha para os 62 3224-4767 www.pontaleng.com.br contato@pontaleng.com.br Rua 105-C, nº 16 Setor Sul - Goiânia/GO CEP: 74.080-310 Colaboradores Cartilha para o colaborador A PONTAL ENGENHARIA acredita

Leia mais

Origens da Teoria da Burocracia. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Origens da Teoria da Burocracia. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Origens da Teoria da Burocracia Autor: Ader Fernando Alves de Pádua 1 INTRODUÇÃO A Burocracia é a necessidade que as organizações tem, para alcançar os objetivos estabelecidos, de maneira rápida e eficaz,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Por estar inserida em uma sociedade, a Interact Solutions preza por padrões de conduta ética em suas atividades, quando se relaciona com clientes, fornecedores, canais de distribuição,

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Referências 4. Siglas e abreviaturas 5. Princípios e Valores Fundamentais 6. Do Relacionamento da Embrapa com seus Empregados 7. Do Relacionamento dos Empregados

Leia mais

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD O SUCESSO DA IMCD É BASEADO NO ESTABELECIMENTO DE UM AMBIENTE QUE PROMOVE A RESPONSABILIDADE, CONFIANÇA E O RESPEITO. IMCD Código de Conduta 3 1. Introdução O

Leia mais

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos:

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I 3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: Elaboração de cenas e improvisação teatral de textos jornalísticos.

Leia mais

Associação Brasileira de Ouvidores/Ombudsman - Seção RJ - www.aborjouvidores.org.br

Associação Brasileira de Ouvidores/Ombudsman - Seção RJ - www.aborjouvidores.org.br Associação Brasileira de Ouvidores/Ombudsman - Seção RJ - www.aborjouvidores.org.br ÉTICA: A RESPONSABILIDADE SOCIAL DO OUVIDOR/OMBUDSMAN Rui Maldonado ABO/RJ aborj_ouvidores@yahoo.com.br Empresa Cidadã:

Leia mais

LÍDER: compromisso em comunicar, anunciar e fazer o bem.

LÍDER: compromisso em comunicar, anunciar e fazer o bem. ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / "Quanto mais Deus lhe dá, mais responsável ele espera que seja." (Rick Warren) LÍDER:

Leia mais

www.boscotorres.com.br MA_19_Formalização do Comportamento - 1a_Parte 1

www.boscotorres.com.br MA_19_Formalização do Comportamento - 1a_Parte 1 FORMALIZAÇÃO DO COMPORTAMENTO - I DISCIPLINA: Macro Análise das Organizações FONTE: Henry Mintzberg. Criando Organizações Eficazes. Atlas. São Paulo: 2006. Prof. Bosco Torres MA_19_Formalização do Comportamento

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 Índice 1. Ética empresarial...3 2 1. ÉTICA EMPRESARIAL É neste contexto, e com o objetivo de o mundo empresarial recuperar a confiança, que vai surgindo a ética Empresarial.

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Habilidades: Reconhecer que a religião muitas vezes esconde razões políticas, econômicas e sociais de inúmeros conflitos no mundo contemporâneo; Reconhecer que a

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DA DIRETORIA A todos os dirigentes e empregados A Companhia de Seguros Aliança do Brasil acredita no Respeito aos princípios éticos e à transparência de conduta com as

Leia mais

Principais Sociólogos

Principais Sociólogos Principais Sociólogos 1. (Uncisal 2012) O modo de vestir determina a identidade de grupos sociais, simboliza o poder e comunica o status dos indivíduos. Seu caráter institucional assume grande importância

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER. Cristiane Roque de Almeida

CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER. Cristiane Roque de Almeida CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER Cristiane Roque de Almeida WEBER, Max. Burocracia. In: GERTH. H. H.; MILLS, C. Wright (Org.). Max Weber Ensaios de Sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara,

Leia mais

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles)

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles) FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Curso de Bacharel em Direito Turma A Unidade: Tatuapé Ana Maria Geraldo Paz Santana Johnson Pontes de Moura Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular

Leia mais

Sociologia Jurídica. Apresentação 1.1.a Origem e panorama

Sociologia Jurídica. Apresentação 1.1.a Origem e panorama Sociologia Jurídica Apresentação 1.1.a Origem e panorama Origem e panorama Autores clássicos da sociologia Émile Durkheim Karl Marx Max Weber Émile Durkheim Fonte: SABADELL, Ana Lúcia. Manual de Sociologia

Leia mais

Sociologia Organizacional

Sociologia Organizacional Sociologia Organizacional Aula 2 Organização da Aula Aula 2 - a institucionalização da sociologia: o estudo de August Comte e Emile Durkheim Prof. Me. Anna Klamas A perspectiva sociológica da análise social

Leia mais

Motivação para a. Virtude do Bem Comum. AINOR LOTÉRIO Eng.agr, M.Sc em Gestão de Políticas Públicas www.ainor.com.br

Motivação para a. Virtude do Bem Comum. AINOR LOTÉRIO Eng.agr, M.Sc em Gestão de Políticas Públicas www.ainor.com.br Motivação para a AINOR LOTÉRIO Eng.agr, M.Sc em Gestão de Políticas Públicas www.ainor.com.br E-mail: contato@ainor.com.br (47)3365-0264; (47)99675010 (47) 97772863 Virtude do Bem Comum Escola de Governo

Leia mais

CONTEÚDO - Recuperação 2º Semestre

CONTEÚDO - Recuperação 2º Semestre DISCIPLINA : História Prof. : Silena 6º ANO CONTEÚDO - Recuperação 2º Semestre -Origem lendária de Roma; -Império Franco (Carlos Magno e seus funcionáris reais); -Importância do Coliseu; -Império bizantino

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels

A ideologia alemã. Karl Marx e Friedrich Engels A ideologia alemã Karl Marx e Friedrich Engels Percurso Karl Marx (1817-1883) Filho de advogado iluminista Formou-se em Direito, Filosofia e História pela Universidade de Berlim; não seguiu carreira acadêmica

Leia mais

Princípios de Ética no Grupo DB

Princípios de Ética no Grupo DB Princípios de Ética no Grupo DB Código de conduta Objetivo do código de conduta Estipulamos com valor vinculativo os nossos padrões e as expectativas relativas aos nossos negócios diários. Para todos os

Leia mais

Fundamentos do Comportamento de Grupo

Fundamentos do Comportamento de Grupo Fundamentos do Comportamento de Grupo 1: Motivação no trabalho e suas influências sobre o desempenho: Definir e classificar os grupos; Analisar as dinâmicas presentes nos grupos; Refletir sobre a influência

Leia mais

A OUVIDORIA NAS UNIVERSIDADES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OUVIDORES

A OUVIDORIA NAS UNIVERSIDADES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OUVIDORES A OUVIDORIA NAS UNIVERSIDADES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OUVIDORES Edson Luiz Vismona - Presidente DEMOCRACIA PROCESSO CONTÍNUO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÃO NÃO EXISTE DEMOCRACIA SEM CONFLITOS O SENTIDO

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. BADESUL Desenvolvimento S.A- Agência de Fomento 0800 642 6800 - Rua Gen. Andrade Neves, 175 - Porto Alegre - RS - CEP: 90010-210

CÓDIGO DE ÉTICA. BADESUL Desenvolvimento S.A- Agência de Fomento 0800 642 6800 - Rua Gen. Andrade Neves, 175 - Porto Alegre - RS - CEP: 90010-210 CÓDIGO DE ÉTICA Introdução O Código de Ética do BADESUL explicita os valores éticos que regem o desempenho de sua missão: Contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Sul, através

Leia mais

ÉTICA, EDUCAÇÃO E CIDADANIA

ÉTICA, EDUCAÇÃO E CIDADANIA ÉTICA, EDUCAÇÃO E CIDADANIA Marconi Pequeno * * Pós-doutor em Filosofia pela Universidade de Montreal. Docente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia e membro do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA SUMÁRIO 1 ÉTICA...03 2 APRESENTAÇÃO...04 3 APLICAÇÃO...05 4 FINALIDADES...06 5 DEFINIÇÕES...07 6 CULTURA ORGANIZACIONAL...08 6.1 MISSÃO...08 6.2 VISÃO...08 6.3 VALORES...08 6.4

Leia mais

1 A sociedade dos indivíduos

1 A sociedade dos indivíduos 1 A dos indivíduos Unidade Nós, seres humanos, nascemos e vivemos em porque necessitamos uns dos outros. Entre os estudiosos que se preocuparam em analisar a relação dos indivíduos com a, destacam-se Karl

Leia mais