HPV Vírus Papiloma Humano. Nome: Edilene Lopes Marlene Rezende

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HPV Vírus Papiloma Humano. Nome: Edilene Lopes Marlene Rezende"

Transcrição

1 HPV Vírus Papiloma Humano Nome: Edilene Lopes Marlene Rezende

2

3 O HPV (papiloma vírus humano) é o agente causador de uma doença sexualmente transmissível (DST). Condiloma Acuminado vulgarmente conhecida como crista de galo. Que se exterioriza pelo aparecimento das verrugas nas mucosas, boca, genitais, anus, podendo invadir órgãos internos.

4

5 O vírus HPV é um dos principais causador do Câncer do Colo do útero é responsável pelo por causas de morte no mundo por ano.

6 Como transmite? O HPV é transmitido na relação sexual e pelo contato com áreas lesionadas. Podendo dessa forma, causar lesões e verrugas na vagina, colo do útero, pênis e ânus. Contudo, dos 100 tipos de HPV, 35 infectam a mucosa anugenital.

7 Na maioria das vezes a infecção é assintomática, ou seja, não aparecem as verrugas. No homem, é mais comum o aparecimento de verrugas na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus. Na mulher, surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. Em casos graves, as células infectadas pelo vírus passam a se multiplicar descontroladamente podem, invadir os tecidos vizinhos e formar um tumor maligno como o câncer do colo do útero e do pênis.

8 Sinais: Verrugas

9 Tipos mais comuns: São diversos tipos de virus: O HPV 6 e O HPV 11são exemplos de HPV que causam apenas verrugas. Porém, existem outros tipos de HPV conhecidos como oncogenicos, responsáveis por mais de 80% dos casos de câncer do colo do útero, quando não tratados.

10 Diagnóstico: O diagnóstico da infecção por HPV leva em conta o histórico do paciente. exame físico pesquisa direta do vírus pesquisa nas células e no tecido.

11 Tratamento: O tratamento tem por objetivo reduzir ou eliminar as lesões causadas pela infecção. A forma de tratamento depende de fatores como: a idade da paciente o tipo, a extensão e a localização das lesões.

12 Formas de Tratamento Medicamentoso, usando-se cremes, pomadas e anti virais Cirúrgicos, eliminando-se cirurgicamente a área lesada, usando-se a queima do tecido por bisturi elétrico ou lazer

13 Imagens de tratamento

14 Fatores de Risco: Idade jovem na primeira relação sexual; Idade jovem no primeiro parto; Número alto de gestações; Imunossupressão HIV, outras enfermidades ou quimioterapia; Tabagismo; Uso de longo prazo de contraceptivos hormonais; Infecção com HIV ou outras DSTs; Vírus do herpes ou Chlamydia trachomatis; Insuficiência para ser triado e tratado por sinais de pré- câncer.

15 Vacinação Contra HPV

16 Vacina: A duração da imunidade conferida pela vacina ainda não foi determinada, contudo, tem-se convicção de cinco anos de proteção.

17 Como age a vacina? Age estimulando a produção de anticorpos específicos para cada tipo de HPV. A proteção contra a infecção vai depender da quantidade de anticorpos produzidos pelo indivíduo vacinado.

18 Quem pode tomar a vacina? Ela está indicada para mulheres entre os 9 e os 45 anos e homens entre os 9 e os 26 anos de idade. os que ainda não tenham iniciado a sua vida sexual ou que ainda não entraram em contato com o vírus. Sendo atualmente a prioridade meninas dos 9 aos 13 anos de idades. pessoas fora desta faixa etária devem tomar a vacina em clínicas privadas.

19 Aviso Importante!!! As vacinas anti HPV não elimina a necessidade da prevenção secundária por meio do rastreamento, pois as mesmas não oferecem proteção para 30% dos casos de câncer do colo do útero causados por outros tipos de vírus.

20 A vacina é segura? Em todo o mundo, já foram distribuídas cerca de 175 milhões de doses dessa vacina pode provocar reações leves, como dor de cabeça, náusea e febre baixa como qualquer outra vacina. A porcentagem de segurança é próxima aos 100% na prevenção de lesões pré-cancerosas do colo do útero, vulva e vagina e para os condilomas genitais.

21 Porque meninas de 09 à 13 anos recebem a vacina? A época mais favorável para a vacinação é nesta faixa etária, de preferência antes do início da atividade sexual, ou seja, antes da exposição ao vírus. Estudos também verificaram que nesta faixa etária a vacina induz melhor resposta e maiores são as chances de proteção contra lesões que podem provocar o câncer uterino.

22 Então vamos vacinar??? Carteirinha de vacinação Termo de recusa (para quem não vai vacinar, assinada pelos pais).

23 Referências Bibliográfica: ratura_vacina_hpv_prevencao_cancer_colo_utero_subsidi os.pdf

24 Obrigada!!!

25 Questionário 1 O que é HPV, e o que ele pode causar? 2 Quais as características do condiloma acuminado? 3 Qual A relação entre câncer de colo de útero e HPV? 4 Explique o processo a nível celular. 5 Como e transmitido o HPV? 6 O que você entende por HPV oncogênico? 7 O que o médico leva em conta para escolher o tratamento a ser dado ao doente?

26 Questionário 8 Cite 3 fatores que aumentam o risco de se contrair o HPV. 9 Como age a vacina contra o HPV no organismo? 10 Qual e a prioridade em relação a sexo e idade para se vacinar?

O HPV é um vírus que ataca homens e mulheres. Existem mais de 200 tipos diferentes de

O HPV é um vírus que ataca homens e mulheres. Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV O que é o Papiloma Vírus Humano (HPV)? O HPV é um vírus que ataca homens e mulheres. Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV, dos quais cerca de 40 tipos afetam a área genital. Alguns causam verrugas

Leia mais

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Ser Humano e Saúde 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 11.2 Conteúdo Doenças Sexualmente Transmissíveis

Leia mais

SAÚDE DA MULHER: CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Profª Dra. Ma. Auxiliadora Freire Siza. É a parte inferior do útero que o conecta à vagina.

SAÚDE DA MULHER: CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Profª Dra. Ma. Auxiliadora Freire Siza. É a parte inferior do útero que o conecta à vagina. SAÚDE DA MULHER: CÂNCER DO COLO DO ÚTERO Profª Dra. Ma. Auxiliadora Freire Siza O que é o colo do útero? É a parte inferior do útero que o conecta à vagina. Produz muco que durante uma relação sexual ajuda

Leia mais

Ciências DST: Doença Sexualmente Transmissível

Ciências DST: Doença Sexualmente Transmissível Arquivo do autor As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) são doenças causadas por vários tipos de agentes, sendo transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de preservativo (camisinhas),

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [LEPTOSPIROSE]

www.drapriscilaalves.com.br [LEPTOSPIROSE] [LEPTOSPIROSE] A Leptospirose é uma doença infecciosa grave. 2 leptospirose É causada por uma bactéria, a Leptospira interrogans, que tem vários subtipos (chamados sorovares). Esses sorovares têm diferentes

Leia mais

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se!

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! O que é AIDS? Existem várias doenças que são transmissíveis através das relações sexuais e por isso são chamadas DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). As mais conhecidas

Leia mais

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM PAPILOMA ORAL E SUA RELAÇÃO COM A VACINA CONTRA O HPV

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM PAPILOMA ORAL E SUA RELAÇÃO COM A VACINA CONTRA O HPV 12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM PAPILOMA ORAL E SUA RELAÇÃO COM A VACINA CONTRA O HPV Luiza Roberta Bin 1 Liogi Iwaki Filho² Gabriel Crispim Vilar 3 Léuri Dantas 4 Vanessa Veltrini 5 Mariliani Chicarelli

Leia mais

M F. Sim Não Algum membro da família ou algum amigo da criança teve sarampo, rubéola, varicela ou caxumba no último mês?

M F. Sim Não Algum membro da família ou algum amigo da criança teve sarampo, rubéola, varicela ou caxumba no último mês? ポルトガル 語 版 [Referência 3] Registro de vacinação e questionário de avaliação para vacinação ormulário 2 Questionário de avaliação para vacinação de [ ] (bebês/crianças em idade escolar) Nome da criança Nome

Leia mais

PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL

PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL Rama CH 1,2, Villa LL 3, Longatto-Filho A 4, Pagliusi S 5, Andreoli MA 3, Thomann P 6, Eluf-Neto J

Leia mais

BIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. SILONE GUIMARÃES 2 ANO PROF ª. SARAH SANTOS

BIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. SILONE GUIMARÃES 2 ANO PROF ª. SARAH SANTOS BIOLOGIA 2 ANO PROF ª. SARAH SANTOS ENSINO MÉDIO PROF. SILONE GUIMARÃES CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Vida e Ambiente 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdo Doenças sexualmente transmissiveis

Leia mais

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2 399 IMPLANTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA O PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) NA POPULAÇÃO FEMININA EM IDADE FÉRTIL: PERSPECTIVAS DE DIMINUIÇÃO DA INCIDÊNCIA DE CASOS DE CÂNCER DE COLO DO ÚTERO 1 Kelen Lopes Da Silva

Leia mais

IV CONCURSO DE REDAÇÃO. HPV e Câncer e EU com isso? Agosto, 2016.

IV CONCURSO DE REDAÇÃO. HPV e Câncer e EU com isso? Agosto, 2016. IV CONCURSO DE REDAÇÃO HPV e Câncer e EU com isso? Agosto, 2016. TEMA OBJETIVO PÚBLICO ALVO HPV e câncer, e eu com isso? Auxiliar os professores das escolas participantes a sensibilizar e educar seus alunos

Leia mais

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES REVISÃO DOS CONTEÚDOS Unidade II Ser Humano e Saúde 2 REVISÃO DOS CONTEÚDOS Aula 13 Revisão e Avaliação 3 REVISÃO 1 O sistema reprodutor

Leia mais

Vírus do Papiloma Humanos (HPV) DSR-

Vírus do Papiloma Humanos (HPV) DSR- Vírus do Papiloma Humanos (HPV) O que é o HPV? O HPV é um vírus frequente nos humanos, responsável pela formação de lesões chamadas papilomas. Existem diferentes tipos de HPV Alguns podem infectar a zona

Leia mais

Para diminuir os custos, a proposta escolhida deveria ser também aquela que vacinasse a menor quantidade possível de pessoas.

Para diminuir os custos, a proposta escolhida deveria ser também aquela que vacinasse a menor quantidade possível de pessoas. Quinta questão mais difícil (Questão 158 Enem 2015 Prova Azul) O HPV é uma doença sexualmente transmissível. Uma vacina com eficácia de 98% foi criada com o objetivo de prevenir a infecção por HPV e, dessa

Leia mais

Febre amarela. Alceu Bisetto Júnior. Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores

Febre amarela. Alceu Bisetto Júnior. Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores Febre amarela Alceu Bisetto Júnior Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores Agente etiológico - Virus amarilico, arbovirus do gênero Flavivirus e família Flaviviridae. E um RNA virus. Vetores/reservatórios

Leia mais

Calendário de Vacinação do Adulto/Trabalhador

Calendário de Vacinação do Adulto/Trabalhador Calendário de Vacinação do Adulto/Trabalhador Calendário de Vacinação do Adulto VACINAS PARA O ADULTO VACINAS PASSADO VACINAL CONDUTA HEPATITE B dupla adulto não vacinado 3 doses menos de 3 doses completar

Leia mais

Meningite: O que você PRECISA SABER

Meningite: O que você PRECISA SABER SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE TRANSMISSÍVEIS E IMONUPREVINÍVEIS GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

18/04/2017. a) Treponema pallidum. b) Chlamydia trachomatis. c) Trichomonas Donne. d) Neisseria gonorrheae.

18/04/2017. a) Treponema pallidum. b) Chlamydia trachomatis. c) Trichomonas Donne. d) Neisseria gonorrheae. 1 (2017 - CS-UFG UFG) No Brasil, a prevalência de sífilis em gestantes é de 1,6%. É uma doença de transmissão sexual ou materno-fetal com caráter sistêmico e de evolução crônica. Em mulheres grávidas,

Leia mais

HIV/AIDS NO ENTARDECER DA VIDA RESUMO

HIV/AIDS NO ENTARDECER DA VIDA RESUMO HIV/AIDS NO ENTARDECER DA VIDA Iolanda Cristina da Costa (1) ; Regina Célia Teixeira (2) ; (1) Graduanda de Psicologia; Centro Universitário de Itajubá- FEPI; Iolanda.cristina@yahoo.com.br; (2) Professora/orientadora;

Leia mais

Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas

Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA DEPARTAMENTO REGIONAL DE MINAS GERAIS SESI/DRMG Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas BELO HORIZONTE 2015 Serviço

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DST. Dra. Maria Regina de Almeida Viana

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DST. Dra. Maria Regina de Almeida Viana DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DST Dra. Maria Regina de Almeida Viana 1 AIDS Síndrome da Imunodeficiência Adquirida A infecção pelo vírus HIV sintomas e doenças: AIDS 2 3 Na maioria das vezes não apresentam

Leia mais

Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Testes inespecíficos:

Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Testes inespecíficos: Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Os vírus do papiloma humano são classificados na família Papillomaviridae, gênero Papilomavírus. São vírus envelopados, de simetria icosaédrica, com 72 capsômeros

Leia mais

Sumário. O que é câncer Como funciona a quimioterapia O que é fosfoetanolamina Os pesquisadores Andamento das Pesquisas Aspectos Legais

Sumário. O que é câncer Como funciona a quimioterapia O que é fosfoetanolamina Os pesquisadores Andamento das Pesquisas Aspectos Legais Sumário O que é câncer Como funciona a quimioterapia O que é fosfoetanolamina Os pesquisadores Andamento das Pesquisas Aspectos Legais O que é o câncer? Características da célula de câncer Anaeróbica,

Leia mais

Veja 20 perguntas e respostas sobre a gripe H1N1 O VÍRUS 1. O que é a gripe H1N1? 2. Como ela é contraída? 3. Quais são os sintomas?

Veja 20 perguntas e respostas sobre a gripe H1N1 O VÍRUS 1. O que é a gripe H1N1? 2. Como ela é contraída? 3. Quais são os sintomas? Veja 20 perguntas e respostas sobre a gripe H1N1 Ela já avançou por 11 Estados, matou 45 pessoas no país e tem provocado filas de horas por vacinas em hospitais e clínicas particulares de São Paulo. Veja

Leia mais

Mediada pelos linfócitos T (que possuem receptores específicos receptores T) Particularmente efectiva na defesa do organismo contra:

Mediada pelos linfócitos T (que possuem receptores específicos receptores T) Particularmente efectiva na defesa do organismo contra: Imunidade Celular Mediada pelos linfócitos T (que possuem receptores específicos receptores T) Particularmente efectiva na defesa do organismo contra: parasitas multicelulares; fungos; células infectadas

Leia mais

Revolução Imunológica Acupuntura Japonesa no auxílio ao Tratamento de Câncer

Revolução Imunológica Acupuntura Japonesa no auxílio ao Tratamento de Câncer Revolução Imunológica Acupuntura Japonesa no auxílio ao Tratamento de Câncer Prof. Roberto Lalli www.tecnicasjaponesa.blogspot.com rlterapeuta@gmail.com Câncer Câncer é o nome dado a um conjunto de mais

Leia mais

Tipo do produto: Plano de aula

Tipo do produto: Plano de aula UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ UNESPAR PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano/ Relatório de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto:

Leia mais

O QUE SÃO AS VACINAS?

O QUE SÃO AS VACINAS? VAMOS FALAR VACINAS SOBRE O QUE SÃO AS VACINAS? As vacinas são substâncias que estimulam o corpo a se defender contra os organismos (vírus e bactérias) que provocam doenças. Protegem milhões de crianças

Leia mais

Listas exercícios Biologia- Prof. João Paulo Vírus

Listas exercícios Biologia- Prof. João Paulo Vírus Listas exercícios Biologia- Prof. João Paulo Vírus 01) (UERJ- 1º EXAME QUALIF./2010) A gripe conhecida popularmente como gripe suína é causada por um vírusinfluenza A. Esse tipo de vírus se caracteriza,

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO 2017 Seis vacinas terão seu público-alvo ampliado em 2017 Hepatite A: crianças Tetra Viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela): crianças Meningocócica C: crianças

Leia mais

CONDUTAS CLÍNICAS PARA ACOMPANHAMENTO DE ACORDO COM RESULTADO DO EXAME CITOPATOTÓGICO

CONDUTAS CLÍNICAS PARA ACOMPANHAMENTO DE ACORDO COM RESULTADO DO EXAME CITOPATOTÓGICO CONDUTAS CLÍNICAS PARA ACOMPANHAMENTO DE ACORDO COM RESULTADO DO EXAME CITOPATOTÓGICO ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA AMOSTRA SERÁ CONSIDERADA INSATISFATÓRIA ausência de identificação na lâmina ou na requisição;

Leia mais

Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico.

Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico. NÃ Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico. Qual é a frequência do cancro do colo do útero? - A nível mundial, o cancro do colo do útero é muito frequente nas mulheres;

Leia mais

A CORRIDA DOS ESPERMATOZÓIDES

A CORRIDA DOS ESPERMATOZÓIDES Jogo A corrida dos espermatozóides. O jogo consta de um tabuleiro em cartolina (Fig. 1); botões de cores variadas representando os espermatozóides, cada um amarrado em um pedaço de linha (Fig. 2); moedas

Leia mais

OS-SantaCatarina. Um novo modo de pensar e fazer saúde. COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI

OS-SantaCatarina. Um novo modo de pensar e fazer saúde. COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI OS-SantaCatarina Um novo modo de pensar e fazer saúde. COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI COMO O MOSQUITO AEDES AEGYPTI SE COMPORTA? O Aedes aegypti é um mosquito doméstico, que vive perto do homem. Ele

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO Faculdade de Medicina. Acadêmicas do 2º ano Priscilla Maquinêz Veloso Renata Maia de Souza

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO Faculdade de Medicina. Acadêmicas do 2º ano Priscilla Maquinêz Veloso Renata Maia de Souza UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO Faculdade de Medicina Acadêmicas do 2º ano Priscilla Maquinêz Veloso Renata Maia de Souza Fonte: Centro de Vigilância Epidemiológica, 2011 1. BCG: Caso a vacina BCG não tenha

Leia mais

Anexo A DERMOBAN. Mupirocina CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Pomada. 20mg

Anexo A DERMOBAN. Mupirocina CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Pomada. 20mg Anexo A DERMOBAN Mupirocina CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA Pomada 20mg DERMOBAN Mupirocina 20mg pomada LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Leia mais

MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO

MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO DE SAÚDE MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO Orientação ao Interlocutor: 1. Explore bem o

Leia mais

UNIVERSIDADE TIRADENTES DIREÇÃO DA ÁREA DE SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE TIRADENTES DIREÇÃO DA ÁREA DE SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE TIRADENTES DIREÇÃO DA ÁREA DE SAÚDE CURSO DE ENFERMAGEM MARIA SHAYENE MENDES NASCIMENTO ROBERTA VILANOVA NASCIMENTO SILVA O CONHECIMENTO SOBRE O HPV ENTRE AS MENINAS DE 09 A 13 ANOS DE IDADE

Leia mais

Qual é a função do cólon e do reto?

Qual é a função do cólon e do reto? Câncer de Cólon Qual é a função do cólon e do reto? O cólon e o reto constituem o intestino grosso, que possui um importante papel na capacidade do organismo de processar os alimentos. O intestino grosso

Leia mais

Recomendações da vacinação contra febre amarela, após a declaração da Organização Mundial da Saúde.

Recomendações da vacinação contra febre amarela, após a declaração da Organização Mundial da Saúde. II Reunião dos Coordenadores Estaduais e Municipais de Imunização Recomendações da vacinação contra febre amarela, após a declaração da Organização Mundial da Saúde. Cristiane Pereira de Barros Coordenação-Geral

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE

VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE VAMOS FALAR SOBRE HEPATITE HEPATITE É uma inflamação do fígado provocada, na maioria das vezes, por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar a doença, que se caracteriza por febre, icterícia

Leia mais

AIDS E OUTRAS DSTs INFORMAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA PREVENÇÃO

AIDS E OUTRAS DSTs INFORMAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA PREVENÇÃO AIDS E OUTRAS DSTs INFORMAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA PREVENÇÃO O QUE SÃO DOENÇAS DSTs SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS? SÃO DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS, FUNGOS, PROTOZOÁRIOS E BACTÉRIAS TRANSMITIDOS DURANTE O ATO

Leia mais

Menino ou menina? Exercício 1 Vamos lembrar então o que são genes e cromossomos. Volte à Aula 20 e dê as definições: a) Gene... b) Cromossomo...

Menino ou menina? Exercício 1 Vamos lembrar então o que são genes e cromossomos. Volte à Aula 20 e dê as definições: a) Gene... b) Cromossomo... A UU L AL A Menino ou menina? Quando um casal descobre que vai ter um filho, a primeira curiosidade é saber se nascerá um menino ou uma menina. Mas será que os futuros pais, ou mesmo as pessoas que não

Leia mais

NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER, A LUTA É CONTRA O CÂNCER

NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER, A LUTA É CONTRA O CÂNCER NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER, A LUTA É CONTRA O CÂNCER Enviado por LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 08-Mar-2016 PQN - O Portal da Comunicação LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 08/03/2016 O Dia Internacional

Leia mais

Biologia A - Profª Laís Oya VÍRUS

Biologia A - Profª Laís Oya VÍRUS Biologia A - Profª Laís Oya VÍRUS VÍRUS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS ACELULARES AMETABÓLICOS PARASITAS INTRACELULARES OBRIGATÓRIOS ADAPTABILIDADE AO MEIO MUTAÇÕES ESPECÍFICOS HEREDITARIEDADE É UM SER VIVO????

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico O QUE É? HPV é a sigla em inglês para papilomavírus humano. É um vírus de grande relevância médica pelo fato de estar relacionado a praticamente 100% dos casos de câncer de colo do útero (um dos tipos

Leia mais

Microbiologia Vír í u r s

Microbiologia Vír í u r s Microbiologia Vírus Vírus São conjuntos de genes capazes de se transferir de uma célula para outra e de direcionar a atividade das organelas celulares no sentido de reproduzi-los e transferi-lo para exterior

Leia mais

R$ 66,5 milhões de eficiência. Ministério da Saúde amplia vacinação em todas as faixas etárias

R$ 66,5 milhões de eficiência. Ministério da Saúde amplia vacinação em todas as faixas etárias R$ 66,5 milhões de eficiência Ministério da Saúde amplia vacinação em todas as faixas etárias Seis vacinas terão seu público-alvo ampliado em 2017 Hepatite A: crianças Tetra Viral (sarampo, rubéola, caxumba

Leia mais

Hepatites Virais no Rio Grande do Sul

Hepatites Virais no Rio Grande do Sul Hepatites Virais no Rio Grande do Sul Observamos na tabela abaixo um importante decréscimo na incidência da hepatite A, o que pode ser justificada pela melhor estrutura de saneamento público do estado,

Leia mais

Filariose Linfática. - Esses vermes, chamados de filarídeos, não são geo-helmintos. Eles precisam de um vetor (mosquito) para completar seu ciclo.

Filariose Linfática. - Esses vermes, chamados de filarídeos, não são geo-helmintos. Eles precisam de um vetor (mosquito) para completar seu ciclo. Filariose Linfática Parasito Reino: Animalia Filo: Nemathelminthes Classe: Nematoda Família: Onchocercidae Gênero: Wuchereria Espécies: Wuchereria bancrofti - Esses vermes, chamados de filarídeos, não

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva- 2011

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva- 2011 Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva- 2011 UTILIZAÇÃO DE SERVIÇO DE TELEORIENTAÇÃO CLÍNICA PARA A SENSIBILIZAÇÃO DE MULHERES SOBRE A DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER DE MAMA Dra. Renata Loureiro

Leia mais

Briefing hepatites. Números gerais da Hepatite casos confirmados

Briefing hepatites. Números gerais da Hepatite casos confirmados Briefing hepatites Números gerais da Hepatite casos confirmados Casos acumulados 1999 a 2009 Taxa de incidência/detecção 2009 (nº de casos a cada 100 mil hab.) Óbitos acumulados 1999 a 2009 Coeficiente

Leia mais

Cuidados com a saúde: como prevenir e diagnosticar o câncer

Cuidados com a saúde: como prevenir e diagnosticar o câncer Cuidados com a saúde: como prevenir e diagnosticar o câncer O QUE É? TUMOR Termo empregado originalmente para denominar crescimento causado pela inflamação. Tumor benigno: Massa localizada de células com

Leia mais

Novos remédios revolucionam o combate ao câncer de próstata

Novos remédios revolucionam o combate ao câncer de próstata Novos remédios revolucionam o combate ao câncer de próstata Autoria de Thiago Felizardo dos Santos Tuesday, 10 December 2013 PET - Medicina UFC No Brasil, 20% dos diagnósticos de câncer de próstata são

Leia mais

OS EFEITOS CITOPÁTICOS DO HPV INTRAGENITAL E EXTRAGENITAL: UMA BREVE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.

OS EFEITOS CITOPÁTICOS DO HPV INTRAGENITAL E EXTRAGENITAL: UMA BREVE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. OS EFEITOS CITOPÁTICOS DO HPV INTRAGENITAL E EXTRAGENITAL: UMA BREVE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. SAMARA SANTOS COUTINHO¹ ANA PAULA MORAES¹, ALDA FRAN LEITE¹, JOSILEIDE MARCOLINO¹ ALLEF RAVELY DIAS GONZAGA¹

Leia mais

Virologia Doenças. Prof.: Anderson Marques de Souza Juiz de Fora 2º ano EM- 2016

Virologia Doenças. Prof.: Anderson Marques de Souza Juiz de Fora 2º ano EM- 2016 Virologia Doenças Prof.: Anderson Marques de Souza Juiz de Fora 2º ano EM- 2016 Existem vírus que infectam animais, plantas, protozoários, fungos e bactérias. Exigência viral - ligação específica à célula

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DISCIPLINA - EPIDEMIOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS 2006 Avaliando a Validade do Diagnóstico e de Testes de triagem Introdução

Leia mais

CONVERSAS SOBRE SAÚDE, DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E VACINAS

CONVERSAS SOBRE SAÚDE, DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E VACINAS CONVERSAS SOBRE SAÚDE, DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E VACINAS Maryah Bravo Gonçalves (Departamento de Ciências, Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Bolsista

Leia mais

Redações vencedoras IV Concurso de Redação. Finalistas. HPV: É possível escapar?

Redações vencedoras IV Concurso de Redação. Finalistas. HPV: É possível escapar? Redações vencedoras IV Concurso de Redação Finalistas 1º Lugar Aluno: Fábio Eduardo Belavenuto Silva Professora: Maria Rita Rodrigues de Souza Unidade Escolar: Escola Estadual Salustiano Lemos Cidade:

Leia mais

DST/ PAPILLOMAVIRUS HUMANO- HPV: Retomando um tema importante.

DST/ PAPILLOMAVIRUS HUMANO- HPV: Retomando um tema importante. DST/ PAPILLOMAVIRUS HUMANO- HPV: Retomando um tema importante. FERNANDO DA ROCHA CAMARA/prof.dr./MEDICO UROLOGISTA INTRODUÇÃO: Como prevenir? Camisinhas, seleção e restrição numérica e individual de parcerias;

Leia mais

INFLUENZA A (H1N1) Protocolo de Manejo Clínico e Vigilância Epidemiológica da

INFLUENZA A (H1N1) Protocolo de Manejo Clínico e Vigilância Epidemiológica da INFLUENZA A (H1N1) Protocolo de Manejo Clínico e Vigilância Epidemiológica da Situação atual No Brasil e no mundo, caracteriza-se como um cenário de uma pandemia predominantemente com casos clinicamente

Leia mais

VII Semana Acadêmica da UEPA Marabá Ambiente, Saúde e Sustentabilidade na Amazônia Oriental: desafios e perspectivas. 28 a 30 de Setembro/2016

VII Semana Acadêmica da UEPA Marabá Ambiente, Saúde e Sustentabilidade na Amazônia Oriental: desafios e perspectivas. 28 a 30 de Setembro/2016 UMA ANÁLISE DA CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA HPV EM ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DE MARABÁ Laís S. Pismel Sarah L. Rocha Waleska C. Rocha RESUMO Visando a redução dos casos de câncer de colo de útero foram

Leia mais

Ministério da Saúde esclarece boatos sobre infecção pelo vírus Zika

Ministério da Saúde esclarece boatos sobre infecção pelo vírus Zika ZIKA X MICROCEFALIA Ministério da Saúde esclarece boatos sobre infecção pelo vírus Zika Para informar à população sobre notícias falsas que têm circulado na internet, Ministério intensificou ações nas

Leia mais

Projecto Jovem Maternidade Bissaya Barreto Escola Básica e Secundária de Soure Maio 2016

Projecto Jovem Maternidade Bissaya Barreto Escola Básica e Secundária de Soure Maio 2016 Projecto Jovem Maternidade Bissaya Barreto Escola Básica e Secundária de Soure Maio 2016 Descoberta Prazer Satisfação Intimidade Partilha Relações sexuais DST s Gravidez IVG Insatisfação Frustrações...

Leia mais

Biologia 1ª série. Profª Reisila Mendes

Biologia 1ª série. Profª Reisila Mendes Biologia 1ª série Profª Reisila Mendes Conceito e estrutura Os vírus são fragmentos não vivos de genoma, que evoluíram tanto a partir de bactérias como de eucariontes. Os vírus são os únicos organismos

Leia mais

7. Hipertensão Arterial

7. Hipertensão Arterial 7. Hipertensão Arterial Situação Epidemiológica A hipertensão arterial é a doença de maior prevalência no Brasil. Além da magnitude, trata-se de doença de relativa gravidade, em decorrência de sua cronicidade

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESF I CONHECIMENTOS GERAIS

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESF I CONHECIMENTOS GERAIS AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESF I CONHECIMENTOS GERAIS PORTUGUÊS 1. O principal fator do aumento do número de crianças obesas, segundo a Organização Mundial da Saúde, tem sido o marketing sem restrição

Leia mais

Problema Proposto. Solução

Problema Proposto. Solução Problema Proposto Um exame de laboratório tem eciência de 95% para detectar uma doença, quando ela de fato existe. Entretanto, o teste aponta um resultado falso-positivo para 1% das pessoas sadias testadas.

Leia mais

VACINA CONTRA O HPV E A PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO: UMA NECESSIDADE DE AVANÇO NA PRÁTICA COTIDIANA DA CIÊNCIA DA SAÚDE

VACINA CONTRA O HPV E A PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO: UMA NECESSIDADE DE AVANÇO NA PRÁTICA COTIDIANA DA CIÊNCIA DA SAÚDE VACINA CONTRA O HPV E A PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO: UMA NECESSIDADE DE AVANÇO NA PRÁTICA COTIDIANA DA CIÊNCIA DA SAÚDE KRABBE, Elisete Cristina 1 ; PADILHA, Aline dos Santos 2 ; HENN, Aline 3

Leia mais

Papel do Laboratório de Microbiologia no Diagnóstico Laboratorial: Orientações para a Prática e

Papel do Laboratório de Microbiologia no Diagnóstico Laboratorial: Orientações para a Prática e Papel do Laboratório de Microbiologia no Diagnóstico Laboratorial: Orientações para a Prática e Conduta. QUESTÕES DE PROVAS; CONTEÚDO DAS PRÓXIMAS AULAS; HORÁRIO DE ATENDIMENTO ON-LINE; blog do professor:

Leia mais

Vacinação e sistema imunológico. Maria Isabel de Moraes Pinto Disciplina de Infectologia Pediátrica Universidade Federal de São Paulo

Vacinação e sistema imunológico. Maria Isabel de Moraes Pinto Disciplina de Infectologia Pediátrica Universidade Federal de São Paulo Vacinação e sistema imunológico Maria Isabel de Moraes Pinto Disciplina de Infectologia Pediátrica Universidade Federal de São Paulo Luta do homem contra doenças infecciosas Início há 7000-8000 anos Agricultura

Leia mais

Citopatologia em medicina clínica

Citopatologia em medicina clínica Citopatologia em medicina clínica Na aula de hoje nos vamos discutir alguns aspectos do uso da citopatologia na medicina clínica. Quando falamos em citopatologia, referimo-nos a três grandes grupos; uma

Leia mais

folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BEM ADRIANA JUSSARA EM A MULHER QUE VALIA POR MUITAS CMY SAÚDE DA MULHER

folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BEM ADRIANA JUSSARA EM A MULHER QUE VALIA POR MUITAS CMY SAÚDE DA MULHER folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BE ADRIANA JUSSARA E A ULHER QUE VALIA POR UITAS SAÚDE DA ULHER folder_saude_da_mulher.pdf 2 19/07/16 16:48 Leia o código e assista a história de Adriana

Leia mais

CONHECIMENTO DE ADOLESCENTES ESTUDANTES SOBRE HPV E PREVENÇÃO

CONHECIMENTO DE ADOLESCENTES ESTUDANTES SOBRE HPV E PREVENÇÃO CONHECIMENTO DE ADOLESCENTES ESTUDANTES SOBRE HPV E PREVENÇÃO Lidianny Braga Pereira Universidade Federal da Paraíba - lidiannypsi@yahoo.com.br Lilianny do Nascimento Gonçalves Braga Universidade Federal

Leia mais

HEPATITE A. Doença viral aguda. Manifestações clínicas variadas. Fulminante (menos 10% casos) Piora clínica de acordo com idade

HEPATITE A. Doença viral aguda. Manifestações clínicas variadas. Fulminante (menos 10% casos) Piora clínica de acordo com idade HEPATITES HEPATITE A Doença viral aguda Manifestações clínicas variadas Fulminante (menos 10% casos) Piora clínica de acordo com idade Transcurso da doença apresenta períodos distintos! HEPATITE A Incubação

Leia mais

Brasil vai incluir meninos na vacinação contra HPV

Brasil vai incluir meninos na vacinação contra HPV Brasil vai incluir meninos na vacinação contra HPV Brasil é o 1º país da América do Sul e 7º do mundo a inserir a vacina no programa nacional Apresenta 98% de eficácia para quem segue corretamente o esquema

Leia mais

UNIVERSIDADE POTIGUAR PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO DE AÇÃO COMUNITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE

UNIVERSIDADE POTIGUAR PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO DE AÇÃO COMUNITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE VÍRUS NATAL/RN 2014 UNIVERSIDADE POTIGUAR PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO DE AÇÃO COMUNITÁRIA ESCOLA DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: EDUCAÇÃO EM SAÚDE VÍRUS Docente Orientadora: Maria

Leia mais

Conheça as vantagens e eficácia de cada método contraceptivo

Conheça as vantagens e eficácia de cada método contraceptivo DINO - Divulgador de Notícias Conheça as vantagens e eficácia de cada método contraceptivo As dúvidas são comuns quando se trata de escolher um método contraceptivo, mas a informação deve ser uma aliada

Leia mais

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Colo de útero Endométrio Ovário Sarcomas do corpo uterino Câncer de

Leia mais

PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV. UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos

PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV. UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos 2010 DÚVIDAS MAIS FREQUENTES A transmissão pelo HPV é só sexual? Peguei do meu parceiro? Quando?

Leia mais

VACINA CONTRA O HPV: avaliando as contradições da indicação e posologia atual

VACINA CONTRA O HPV: avaliando as contradições da indicação e posologia atual VACINA CONTRA O HPV: avaliando as contradições da indicação e posologia atual Sarah Pereira ALVARENGA ¹ Carolina Paraguassu HIRATA¹ Virgínia Rezende Mayrink MAGALHÃES¹ Luciana Nascimento ATAÍDE¹ Suzany

Leia mais

03/04/2016. virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg

03/04/2016. virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg 1 AIDS (SIDA) Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Causador: HIV Vírus da Imunodeficiência Humana. Ataca os Linfócitos T CD4 Precursoras dos ANTICORPOS

Leia mais

DEPANTEX dexpantenol

DEPANTEX dexpantenol DEPANTEX dexpantenol NATIVITA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. POMADA DERMATOLÓGICA 50 MG/G I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Depantex dexpantenol APRESENTAÇÕES Depantex (dexpantenol) pomada: 50 mg/g, bisnaga

Leia mais

Em, Portugal, segundo dados do Instituto Nacional de estatística, em 10 anos ocorreram 47.178 partos em adolescentes dos 11 aos 17 anos.

Em, Portugal, segundo dados do Instituto Nacional de estatística, em 10 anos ocorreram 47.178 partos em adolescentes dos 11 aos 17 anos. Contracepção, um modo de evitar uma gravidez não desejada. Será que estou grávida? Será que ela está grávida? SERÁ QUE ESTOU GRÁVIDA? Esqueci-me do usar preservativo RELAÇÕES SEXUAIS DESPROTEGIDAS FALTA

Leia mais

Vacina contra HPV oncogênico (16 e 18, recombinante, com

Vacina contra HPV oncogênico (16 e 18, recombinante, com Vacina contra HPV oncogênico (16 e 18, recombinante, com adjuvante AS04) Formas farmacêuticas, vias de administração e apresentações comercializadas. Suspensão injetável para administração intramuscular.

Leia mais

DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa 3235-5436/9959-2986

DENGUE. Jamila Rainha Jamila Rainha é cientista social e consultora de Pesquisa 3235-5436/9959-2986 DENGUE A Secretaria de Saúde do Estado do Espírito Santo confirmou a primeira morte causada por dengue hemorrágica no ano de 2009. A vítima era moradora da Serra (terceiro município em números de casos

Leia mais

Boa leitura! Luiz Carlos Motta, presidente

Boa leitura! Luiz Carlos Motta, presidente Nos últimos anos, infelizmente o assunto dengue tem ganhado cada vez mais espaço no noticiário. Os casos não param de aumentar e o número de cidades onde a doença se transformou em epidemia, também. Para

Leia mais

PREVENÇÃO DO HPV: A UTILIZAÇÃO DA VACINA NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

PREVENÇÃO DO HPV: A UTILIZAÇÃO DA VACINA NOS SERVIÇOS DE SAÚDE PREVENÇÃO DO HPV: A UTILIZAÇÃO DA VACINA NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Eliete Batista Sanches Enfermeira graduada na Universidade Paranaense UNIPAR. E-mail: elietebatistasanches@hotmail.com RESUMO: O Papilomavírus

Leia mais

VAGI C. (ácido ascórbico) Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos vaginais 250 mg de ácido ascórbico

VAGI C. (ácido ascórbico) Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos vaginais 250 mg de ácido ascórbico VAGI C (ácido ascórbico) Marjan Indústria e Comércio Ltda. Comprimidos vaginais 250 mg de ácido ascórbico Vagi C ácido ascórbico APRESENTAÇÃO Comprimidos vaginais em embalagem com 6 comprimidos acompanhados

Leia mais

HERANÇAS AUTOSSÔMICAS

HERANÇAS AUTOSSÔMICAS 1 HERANÇAS AUTOSSÔMICAS CONCEITOS Célula Diplóide ou 2n = possui o número duplo de cromossomos. Células Haplóide ou n = possui o número impar de cromossomos. Células somáticas = células do corpo. Cromossomos

Leia mais

O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte relacionada ao vírus da zika,

O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte relacionada ao vírus da zika, Ministério da Saúde confirma terceira morte relacionada ao vírus da zika Paciente era uma jovem de 20 anos, do município de Serrinha. Morte foi em 2015, mas resultado dos exames saiu quase 1 ano depois.

Leia mais

Cardiovascular and Cancer Mortality in Brazil

Cardiovascular and Cancer Mortality in Brazil Universidade de Sao Paulo From the SelectedWorks of Paulo A Lotufo May 1, 2010 Cardiovascular and Cancer Mortality in Brazil Paulo A Lotufo, Universidade de São Paulo Available at: http://works.bepress.com/paulo_lotufo/47/

Leia mais

NOTA TÉCNICA 12/2014 DIVEP/SVS. Assunto: Definição e atualização internacional de casos.

NOTA TÉCNICA 12/2014 DIVEP/SVS. Assunto: Definição e atualização internacional de casos. GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA À SAÚDE NOTA TÉCNICA 12/2014 DIVEP/SVS Assunto: Definição e atualização internacional de casos.

Leia mais

INFORME EBOLA (10/10/2014)

INFORME EBOLA (10/10/2014) INFORME EBOLA (10/10/2014) O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo), e, desde então foi responsável por alguns surtos, restritos a algumas

Leia mais

Vírus. Colégio Estadual Julio de Castilhos Profª Msc. Brenda Fürstenau

Vírus. Colégio Estadual Julio de Castilhos Profª Msc. Brenda Fürstenau Vírus Colégio Estadual Julio de Castilhos Profª Msc. Brenda Fürstenau Introdução Vírus Muito pequenos para serem observados em micrsocopia óptica. Não podem ser cultivados fora de um organismo hospedeiro.

Leia mais

Sistema Circulatório: O Sangue

Sistema Circulatório: O Sangue Sistema Circulatório: O Sangue A composição do sangue Embora o sangue tenha uma aparência homogênea, se observado ao microscópio, logo se notará sua composição heterogênea. Isto significa que o sangue

Leia mais

Probabilidade pré-teste de doença arterial coronariana pela idade, sexo e sintomas

Probabilidade pré-teste de doença arterial coronariana pela idade, sexo e sintomas Pergunta: Quais são as principais indicações do teste ergométrico? Resposta: Há décadas o ECG de esforço vem sendo o principal instrumento no diagnóstico da doença cardíaca isquêmica estável e sua indicação

Leia mais