05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA"

Transcrição

1 05. COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA

2 5.1 COMUNICAÇÃO VISUAL EXTERNA AGÊNCIAS

3 Agências sem recuo em relação à calçada Elementos de comunicação visual As fachadas das agências dos Correios, sem recuo em relação à calçada, serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Placa bandeira 2. Testeira 3. Pórtico de entrada 4. Faixa de segurança 01

4 Agências com recuo em relação à calçada Elementos de comunicação visual As fachadas das agências dos Correios que não possuem muros ou portões e estão recuadas em relação à calçada serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Totem 2. Testeira 3. Pórtico de entrada 4. Faixa de segurança 02

5 Agências com muros ou portões Elementos de comunicação visual As fachadas das agências dos Correios que possuem muros ou portões serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Poste bandeira (modelo 1) 2. Testeira 3. Pórtico de entrada 4. Faixa de segurança 03

6 Agências sob a Lei Cidade Limpa (exemplo 1) Elementos de comunicação visual As fachadas das agências dos Correios sem recuo em relação à calçada e regidas pela Lei Cidade Limpa serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Testeira 2. Pórtico de entrada 3. Faixa de segurança 04

7 Agências sob a Lei Cidade Limpa (exemplo 2) Elementos de comunicação visual - Agências com recuo em relação à calçada As fachadas das agências dos Correios com recuo em relação à calçada e regidas pela Lei Cidade Limpa serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Totem 2. Pórtico de entrada 3. Faixa de segurança 05

8 Agências sob a Lei Cidade Limpa (exemplo 3) Elementos de comunicação visual - Agências com muros ou portões As fachadas das agências dos Correios com muros ou portões e regidas pela Lei Cidade Limpa serão compostas pelos seguintes elementos de comunicação visual: 1. Poste bandeira (modelo 2) 2. Pórtico de entrada 3. Faixa de segurança 06

9 Testeira Exemplo 1 - Assinatura acima da porta na extremidade esquerda Exemplo 2 - Assinatura acima da porta centralizada Exemplo 3 - Assinatura acima da porta na extremidade direita Exemplo 4 - Módulo de assinatura em cidades com Lei Cidade Limpa Testeira A testeira de identificação das agências dos Correios deve adaptar-se às diferentes tipologias arquitetônicas. Assim, o módulo de assinatura dos Correios deve ser aplicado sempre acima da porta de entrada, deixando que os módulos de complemento sejam inseridos tanto no lado direito quanto esquerdo do módulo de assinatura, dependendo da localização da porta. Testeira sob Lei Cidade Limpa Em cidades onde houver restrição da comunicação visual em fachadas comerciais, deverá ser utilizado apenas o módulo de assinatura. Este módulo deve estar de acordo com as dimensões de área limites impostas por lei específica de cada cidade. 07

10 Testeira Testeira Módulo de assinatura 1 Módulo de assinatura 2 Módulo de assinatura 3 Módulo de complemento Modulação A testeira para a fachada dos Correios é composta por módulos, que podem ser distribuídos de acordo com a localização da porta de entrada da agência. Recomenda-se que: 1. O módulo de assinatura 1 seja implantado em agências com a porta localizada na extremidade esquerda da fachada. 2. O módulo de assinatura 2 seja implantado em agências com a porta localizada na parte central da fachada. 3. O módulo de assinatura 3 seja implantado em agências com a porta localizada na extremidade direita da fachada. Todos os módulos de assinatura devem estar centralizados horizontalmente acima da porta. IMPORTANTE: O módulo de complemento deverá ser implantado em qualquer uma das situações citadas para que possa compor a testeira até o limite esquerdo ou direito de cada fachada. 08

11 Testeira Exemplo 1 - Porta de entrada centralizada na fachada. Exemplo 2 - Porta de entrada da agência no limite direito da fachada. Exemplo 3 - Porta de entrada da agência no limite esquerdo da fachada. Exemplo 4 - Módulo de aplicação mínima em fachadas sob Lei Cidade Limpa. Disposição do módulo de assinatura Muitas agências possuem uma entrada centralizada no prédio em que se encontram (exemplo 1). Entretanto, a composição da testeira através de módulos variáveis possibilita uma versatilidade em seu layout. Assim, haverá casos em que a porta de entrada da agência estará localizada no limite esquerdo ou direito da fachada. Nesses casos, recomenda-se a utilização dos exemplos 2 e 3. Além disso, recomenda-se a utilização do módulo mínimo de assinatura (exemplo 4) em fachadas regidas pela Lei Cidade Limpa. 09

12 Testeira - Dimensões 83cm 166cm Testeira P 40cm 125cm 250cm Testeira M 60cm 200cm 400cm Testeira G 100cm Testeira GG* 312cm 625cm 160cm IMPORTANTE: A largura total da testeira pode variar de acordo com o tamanho da testada. Os tamanhos M, G e GG foram desenhados com base na Lei Cidade Limpa de São Paulo, considerando a utilização máxima de tamanho dos módulos de assinatura. Dimensões das testeiras As testeiras para as agências dos Correios deverão adaptar-se aos diferentes tamanhos de testada, além de adaptarem-se à Lei Cidade Limpa. Assim, existirão quatro opções de testeiras: 1) Testeira P; 2) Testeira M; 3) Testeira G; 4)Testeira GG. As variações serão consideradas de acordo com a altura e a largura total das fachadas, utilizando os seguintes critérios: 1. Fachadas com testada inferior a 10 metros lineares, utilizar a Testeita P ou M, conforme altura disponível; 2. Fachadas com testada de 10 a 99 metros lineares, utilizar a Testeira G; 3. Fachadas com testada igual ou superior a 100 metros lineares, utilizar a Testeira GG*. *O modelo de testeira GG poderá ser utilizado somente com o módulo de assinatura centralizado. Além disso, a assinatura poderá ser aplicada em fachadas com mais 100 metros lineares através de 2 módulos com dimensões de 5 metros de largura por 1 metro de altura. 10

13 Assinatura centralizada - Modulação 16x 50x 18x 6x 10x 5x 11

14 Assinatura alinhada à direita - Modulação 21x 50x 13x 6x 10x 5x 12

15 Assinatura alinhada à esquerda - Modulação 11x 50x 23x 6x 10x 5x 13

16 Placa para identificação de agência sem testeira Placa para identificação de agências sem testeira As agências dos Correios que não possuem espaço suficiente para implantação de testeiras deverão utilizar a placa de identificação fixada na lateral próxima à porta de entrada. Nesta placa deve constar, além da assinatura dos Correios, o nome e o horário de funcionamento da agência, com possibilidade de inserção, em caráter de exceção, da marca do Banco Postal. 14

17 Placa para identificação de agência sem testeira vista frontal vista frontal 15

18 Placa para identificação de agência sem testeira 60cm 3cm 60cm vista frontal vista lateral Dimensões da placa de identificação das agências sem testeira A largura da placa de identificação das agências dos Correios sem testeira tem 60cm de largura e 60cm de altura. Sua espessura é de 3cm. 16

19 Placa para identificação de agência sem testeira Modulação 25x 7x 5x 8x 15x 11x 3x 3x 2x 14x 6x 8x 2x 17

20 Placa bandeira Placa bandeira A placa bandeira é um elemento de identificação das agências que deverá ser implantada quando a distância entre o meio-fio da via e o início da fachada estiver entre 1 e 4 metros. Em agências com recuo maior em relação à calçada deverá ser utilizado o totem. Nos casos em que houver muros ou portões deverá ser utilizado o poste com placa bandeira. 18

21 Placa bandeira de fixação na parede Vista direita Vista esquerda Placa bandeira de fixação na parede A placa bandeira de fixação na parede é um elemento disposto perpendicularmente à calçada de pedestres com a finalidade de sinalizar a localização da agência. Este elemento de sinalização deverá ser aplicado preferencialmente em fachadas que não possuam recuo em relação à calçada. Além disso, deve ser fixada em conjunto com a testeira, sempre que possível no lado oposto onde estiver o módulo de assinatura. Em agências com entradas centralizadas, a placa bandeira deverá ser implantada em uma das duas extremidades da testada, levando em consideração o local de maior visualização perpendicular. 19

22 Placa bandeira de fixação na parede - Dimensões 31cm 47cm 63cm 20cm 30cm 40cm Tamanho P Tamanho M Tamanho G Dimensões da placa bandeira Foram desenvolvidos três tamanhos para a placa bandeira, que devem acompanhar o tamanho em altura da testeira que será implantada. Para as testeiras com tamanho P, utilizar a placa bandeira P (h = 20cm). Nas testeiras com tamanho M, utilizar a placa bandeira M (h = 30cm). E para a tesetira tamanho G, utilizar a placa bandeira tamanho G (h = 40cm). 20

23 Placa bandeira de fixação na parede - Modulação 15x 16x 3x 3x 16x 15x 7x 7x 12x 12x 3x 3x Vista direita Vista esquerda 21

24 Totem Totem O totem é um elemento de identificação que deverá ser implantado somente em agências que possuam um recuo maior em relação à calçada. Caso contrário, o elemento que deverá ser utilizado é a placa bandeira. 22

25 Totem Totem de identificação O totem é um elemento de sinalização vertical que visa identificar a localização da agência dos Correios. Sua utilização deverá atender agências que possuam um recuo de sua fachada em relação à calçada. A pouca visualização perpendicular por parte de veículos que transitam nas vias urbanas e pedestres que transitam pela calçada em relação a essas fachadas recuadas impõe a utilização desse elemento de comunicação visual para facilitar a identificação a distância. 23

26 60cm 15cm Totem - Dimensões 60cm 60cm 435cm 350cm 500cm Dimensões do totem O totem de identificação das agências dos Correios possui 60cm de largura e 5m de altura. A espessura total deverá ter 15cm. A estrutura modular do totem também permitirá que tamanhos menores sejam utilizados, levando em consideração espaço disponível para sua implantação. O tamanho mínimo de totem deverá contemplar o módulo de assinatura e pelo menos um módulo complementar. Vista frontal Vista lateral Vista posterior Exemplo 1 Exemplo 2 24

27 Totem - Modulação 2,5x 7x 1,5x 1,5x 7x 2,5x 5x 5x 25x 25x 12x 12x Vista direita Vista esquerda 25

28 Poste bandeira (modelo 1) Poste bandeira (modelo 1) O poste bandeira é um elemento de identificação que deverá ser utilizado em agências que possuam muros ou portões em sua entrada. 26

29 Poste bandeira (modelo 1) Poste bandeira (modelo 1) O poste bandeira é um elemento de sinalização vertical que visa identificar a localização da agência dos Correios. Sua utilização deverá atender apenas as agências que possuam muros ou portões em seus acessos. 27

30 Poste bandeira (modelo 1) - Dimensões 63cm 40cm 350cm Dimensões do poste bandeira (modelo 1) A altura total do poste bandeira será de 3,5m, com diâmetro de 8cm. Em seu topo a placa bandeira, disposta em duas faces, possuirá 63cm de largura e 40cm de altura. 28

31 Poste bandeira (modelo 1) - Modulação 15x 16x 3x 3x 16x 15x 7x 7x 12x 12x 3x 3x Lateral direita Lateral esquerda 29

32 Poste bandeira (modelo 2) Poste bandeira (modelo 2) O poste bandeira (modelo2) é um elemento de identificação que deverá ser implantado em agências com muros ou portões em sua entrada regido por leis de controle de anúncios (Lei Cidade Limpa). 30

33 Poste bandeira (modelo 2) Poste bandeira (modelo 2) O poste bandeira é um elemento de sinalização vertical que visa identificar a localização da agência dos Correios instaladas em cidades sob Lei Cidade Limpa. Sua utilização deverá atender apenas as agências que possuam muros ou portões em seus acessos. 31

34 Poste bandeira (modelo 2) 63cm 52cm 350cm Dimensões do poste bandeira A altura total do poste bandeira será de 3,5m, com diâmetro de 8cm. Em seu topo a placa bandeira, disposta em duas faces, possuirá 63cm de largura e 52cm de altura. 32

35 Poste bandeira (modelo 2) - Modulação 7x 27x 3x 3x 27x 7x 3x 3x 5,5x 5,5x 18,5x 18,5x 4x 4x Lateral direita Lateral esquerda 33

36 Pórtico de entrada Exemplo 1 - Padrão para demais cidades do Brasil. Exemplo 2 - Padrão para a cidade de Brasília. Exemplo 3 - Padrão para agência com Banco Postal. Pórtico de entrada O pórtico de entrada das agências dos Correios é um elemento de demarcação que será utilizado para identificar a entrada. Além disso, servirá como suporte de informações como o nome da agência e horário de funcionamento. O conteúdo-padrão de informações que deverá atender às agências de todo o Brasil é composto por: a) Telefone do PROCON; b) Nome da agência; c) Horário de atendimento. Na cidade de Brasília deverá ser incluído além dessas informações o endereço de localização da agência dos Correios. Em agências que possuam o serviço de Banco Postal deverá ser incluída no pórtico a assinatura gráfica do Banco Postal, além das informações mínimas citadas. 34

37 Pórtico de entrada das agências Detalhe módulo 1 Detalhe módulo 2 AGÊNCIA NONONONO AGÊNCIA NONONONO SBN Quadra 1, S/N Agências de todo o Brasil Agências de Brasília Agências de todo o Brasil Agências com Banco Postal Pórtico de entrada das agências O pórtico de entrada das agências é um elemento de demarcação, que utiliza seu suporte para informar sobre o funcionamento do local, além de reforçar a indicação da entrada. Este elemento é composto pelo marco de entrada que vai do solo até a altura total da porta, e uma régua que irá demarcar a largura total da entrada da agência. 35

38 30cm Manual de identidade visual Pórtico de entrada das Agências - Dimensões 10cm variável de acordo com a largura total da entrada agência régua 5cm 210cm Dimensões do pórtico de entrada O pórtico de entrada das agências dos Correios terá 30cm de largura e 2,1m de altura. A régua que irá acima da porta possui uma largura variável que dependerá da largura da entrada da agência, com altura de 5cm. A profundidade da régua e o marco de entrada deverão ser de 10cm. vista frontal do pórtico vista lateral do pórtico 36

39 Pórtico de entrada das agências - Modulação 1x 1,5x 1,5x 9x 1x 1x 1,5x 1,5x 9x 1x 2,5x 9x 2,5x 1,5x 1,5x 2x 1,5x 1,5x 1x 2x 2x 2x 1,5x 5,5x 1x 1x 2x 2x 2x 3,5x 12x 11,5x 19x 19x 1,5x 1x 2x 2,5x 37

40 Faixa de segurança dos vidros Faixa de segurança dos vidros A faixa de segurança é um elemento de demarcação que visa informar aos usuários sobre a existência de portas de vidro, bem como o seu funcionamento de abertura. Este elemento deverá ser implantado somente quando houver portas de vidro na agência. 38

41 Faixa adesiva de segurança para vidros Faixa 1 Faixa 2 EMPURRE PUXE Faixa 3 (frente) Faixa 3 (verso) EMPURRE PUXE Faixa 4 (frente) Faixa 4 (verso) Faixa 5 Faixa adesiva de segurança para vidro As agências que possuem portas e vitrines de vidro necessitam de uma demarcação, a fim de evitar que o público esbarre nesses locais. Os adesivos de segurança, além de evitar acidentes, informam sobre o funcionamento das portas. Foram desenvolvidas pelo menos 4 faixas que irão demarcar o local. Duas delas (faixas 3 e 4 frente e verso) deverão ser aplicadas nas portas de entrada da agência. A faixa 1 deverá ser disposta no limite esquerdo do vidro da vitrine da agência. A faixa 5 deverá ser aplicada no limite direito da vitrine. A faixa 2 deverá ser aplicada no intervalo entre as faixas 1 e 5 e as faixas 3 e 4. As faixas serão aplicadas pela parte interna da agência. Somente haverá dupla-face nas portas para indicar o sentido de abertura correto de cada porta (puxe ou empurre). 39

DIRETRIZES GERAIS PARA PROJETO DE SINALIZAÇÃO TURÍSTICA EQUIPE DE SINALIZAÇÃO E PAISAGISMO DAER

DIRETRIZES GERAIS PARA PROJETO DE SINALIZAÇÃO TURÍSTICA EQUIPE DE SINALIZAÇÃO E PAISAGISMO DAER DIRETRIZES GERAIS PARA PROJETO DE SINALIZAÇÃO TURÍSTICA EQUIPE DE SINALIZAÇÃO E PAISAGISMO DAER 1 DIRETRIZES 2 O projeto de Sinalização deverá seguir as normas do Guia Brasileiro de Sinalização Turística

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL DO VALE-CULTURA 01 Este manual estabelece as regras de aplicação e orienta o uso da marca do programa Vale-Cultura, instituído pela lei nº 12.761, de 27 de dezembro de 2012.

Leia mais

GUIA DE SINALIZAÇÃO DAS UNIDADES E SERVIÇOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS

GUIA DE SINALIZAÇÃO DAS UNIDADES E SERVIÇOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS GUIA DE SINALIZAÇÃO DAS UNIDADES E SERVIÇOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS 1 COR COR COR C 100 M 70 Y 0 K 0 O AZUL DAS PLACAS DEVE SER CORRESPONDENTE AO DESCRITO NO SISTEMA DE POLICROMIA CMYK, CONFORME

Leia mais

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO Reproduzir as plantas baixa, de cobertura e de localização, cortes e fachada frontal da residência apresentada abaixo. O projeto pode sofrer mudanças,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA.

TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA. TERMO DE REFERÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DE TRILHAS RETAS E PARCELAS EM CURVA DE NÍVEL EM FLORESTAS NA REGIÃO DE SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA. 1. Objeto Contratação de serviço especializado de topografia plani-altimétrica

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 718/2014 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UASG: 154040

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 718/2014 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UASG: 154040 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 718/2014 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UASG: 154040 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONFECÇÃO E INSTALAÇÃO DE PLACAS

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S SUBGRUPO: 180400 CERCA / MURO FOLHA: SUMÁRIO 1. CERCA COM TELA DE ARAME GALVANIZADO E ESTACAS DE CONCRETO...1 1.1 OBJETIVO E DEFINIÇÕES...1 1.2 MATERIAIS...1 1.3 EQUIPAMENTOS...2 1.4 EXECUÇÃO...2 1.5 CONTROLE...2

Leia mais

Manual de Identidade Visual. 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação.

Manual de Identidade Visual. 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação. Manual de Identidade Visual 1º Caderno - Características da logomarca e regras gerais de aplicação. Introdução Este manual apresenta, documenta e normatiza a utilização da identidade visual da Agência

Leia mais

Banheiro. 7.3.4 Boxes para chuveiro e ducha. 7.3.4.1 Área de transferência

Banheiro. 7.3.4 Boxes para chuveiro e ducha. 7.3.4.1 Área de transferência Banheiro 7.3.4 Boxes para chuveiro e ducha 7.3.4.1 Área de transferência Para boxes de chuveiros deve ser prevista área de transferência externa ao boxe, de forma a permitir a aproximação paralela, devendo

Leia mais

selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica

selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica selo manual de aplicação 105 anos Rede Federal de educação profissional e tecnológica Apresentação Ao apresentar o selo comemorativo dos 105 anos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica,

Leia mais

MANUAL DE USO E APLICAÇÃO DE LOGOMARCA COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAÍBA

MANUAL DE USO E APLICAÇÃO DE LOGOMARCA COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARANAÍBA Este guia tem por objetivo orientar tecnicamente a reprodução da logomarca do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranaíba, para que esta preserve sempre suas características originais. O rigor na aplicação

Leia mais

foto 18 foto 19 foto 20

foto 18 foto 19 foto 20 HIERARQUIA DAS INFORMAÇÕES / HIERARQUIA DO SISTEMA VIÁRIO Fotos 18, 19 e 20 - nas vias em que se encontram (coletoras) os totens das fotos devem ser utilizados somente para a indicação das superquadras.

Leia mais

EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS NO MESC [Espaço Expositivo Mutações]

EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS NO MESC [Espaço Expositivo Mutações] Perguntas frequentes sobre EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS NO MESC [Espaço Expositivo Mutações] Esse guia reúne os principais tópicos relativos a exposições temporárias no Espaço Expositivo Mutações, que fica localizado

Leia mais

Normas para apresentação dos trabalhos

Normas para apresentação dos trabalhos Normas para apresentação dos trabalhos 1. Da inscrição Os trabalhos só poderão ser inscritos mediante submissão de resumo. O resumo deverá obedecer ao seguinte formato: - ter no mínimo de 350 e no máximo

Leia mais

NORMA TÉCNICA 34/2014

NORMA TÉCNICA 34/2014 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 34/2014 Hidrante Urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA CONTROLE DE JUDOGUI - NGCJ

NORMAS GERAIS PARA CONTROLE DE JUDOGUI - NGCJ NORMAS GERAIS PARA CONTROLE DE JUDOGUI - NGCJ Este documento baseado no JUDOGUI REQUERIMENTS AND JUDOGUI CONTROL PROCEDURE da Federação Internacional de Judô FIJ, visa estabelecer o padrão nacional para

Leia mais

Caderno de Diretrizes Cicloviárias. Projeto de Sinalização

Caderno de Diretrizes Cicloviárias. Projeto de Sinalização Caderno de Diretrizes Cicloviárias Projeto de Sinalização INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA 2014 Elaboração: INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE LONDRINA - IPPUL DIRETORIA

Leia mais

Padronizações Visuais estabelecidas pelo Projeto RIVED

Padronizações Visuais estabelecidas pelo Projeto RIVED Padronizações Visuais estabelecidas pelo Projeto RIVED Índice Padronização de cores para os módulos RIVED... 1 Padronização para os módulos educacionais (páginas web) e animações/simulações do Projeto

Leia mais

FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS FERRAMENTAS DE MERCHANDISING LÍDER MUNDIAL NA ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS BENEFÍCIOS Antecipa sua comunicação com os visitantes da feira; direto em público altamente qualificado; Ativação de marca; Possibilita

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos.

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. ÍNDICE O QUE É ABRIGO MODELO? VANTAGENS DO NOVO ABRIGO COMO INSTALAR POSIÇÕES POSSÍVEIS PARA INSTALAÇÃO MATERIAIS

Leia mais

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo

Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Cultura Departamento do Patrimônio Histórico Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São

Leia mais

PROVA DISCURSIVA. ano. Gráfico População Brasileira 1900-2050. IBGE 1940, 1950, 1960, 1970, 2000 E 2008b. Internet:<http://aplicativos.fipe.org.br>.

PROVA DISCURSIVA. ano. Gráfico População Brasileira 1900-2050. IBGE 1940, 1950, 1960, 1970, 2000 E 2008b. Internet:<http://aplicativos.fipe.org.br>. PROVA DISCURSIVA Nesta prova, faça o que se pede, usando os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para as respectivas folhas do CADERNO DE TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

Conheça o projeto. Saiba sobre as mudanças. Inclui cartilha para o motorista. Apoio

Conheça o projeto. Saiba sobre as mudanças. Inclui cartilha para o motorista. Apoio Conheça o projeto Saiba sobre as mudanças Inclui cartilha para o motorista Apoio Índice 4 Apresentação Explicação sobre o projeto Conduta 6 10 12 Mudanças - ônibus O que muda na sina;ização dos veículos

Leia mais

Padronização de Marcos Geodésicos: Instrução técnica

Padronização de Marcos Geodésicos: Instrução técnica Padronização de Marcos Geodésicos: Instrução técnica As especificações para construção e implantação de marcos geodésicos em Território Nacional foram estabelecidas através da Norma de Serviço do Diretor

Leia mais

01. (UECE-1996) Um menino, parado em relação ao solo, vê sua imagem em um espelho plano E colocado à parede traseira de um ônibus.

01. (UECE-1996) Um menino, parado em relação ao solo, vê sua imagem em um espelho plano E colocado à parede traseira de um ônibus. Óptica Geométrica 3 o Ano - Lista exercícios sobre espelhos planos 01. (UECE-1996) Um menino, parado em relação ao solo, vê sua imagem em um espelho plano E colocado à parede traseira de um ônibus. Se

Leia mais

Tabela de Preços e Condições

Tabela de Preços e Condições Tabela de Preços e Condições PREÇOS ASSOCIADOS CBL / SNEL / ABDL / ANL / LIBRE Período de inscrição Preço área livre Área + Montagem Básica Padrão A Área + Montagem Básica Padrão B Área + Montagem Básica

Leia mais

NPT 034 HIDRANTE URBANO

NPT 034 HIDRANTE URBANO Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 034 Hidrante Urbano CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 9páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas e Bibliográficas

Leia mais

CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5

CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5 CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5 NBR 13966:1997 - Móveis para escritório - Mesas - Classificação e características físicas e dimensionais O Objetivo desta Norma é especificar as características

Leia mais

País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Progress/Oracle

País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Progress/Oracle Release Incremental - Boletos Produto : TOTVS11 - Faturamento de Planos TOTVS 12.1.3 Chamado : D_GPS_A11 / PCREQ-2076 Data da publicação : 09/12/2014 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Progress/Oracle

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Apresentação...04 2. A LOGO Conceito...05 3. ASSINATURA Variações...07 Proporções...09 4. TIPOGRAFIA Tipografia utilizada...12 5. CORES Versão em cores...14

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015.

RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015. RESOLUÇÃO Nº 520, 29 de JANEIRO de 2015. Dispõe sobre os requisitos mínimos para a circulação de veículos com dimensões excedentes aos limites estabelecidos pelo CONTRAN. O Conselho Nacional de Trânsito

Leia mais

A m a r c a d a c o n s tr u ç ã o

A m a r c a d a c o n s tr u ç ã o Passo-a-passo 1. Analisando o Contrapiso Verifique se o contrapiso apresenta irregularidades, com a utilização de uma régua. Faça a medição de parede a parede em tiras de 1,5 metro. Se apresentar saliências

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL A MARCA 1 A MARCA - PADRÃO HORIZONTAL 2 A MARCA - GRID 3 A MARCA - GRID 4 A MARCA - GRID 5 A MARCA - GRID 6 A MARCA - ADAPTAÇÕES Não é permitida a aplicação de outros elementos

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação LI-100 Indicador de Nível Cod: 073AA-018-122M Outubro / 2003 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999 FAX: (11) 3488-8980

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia. Manual de Orientações Básicas

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia. Manual de Orientações Básicas Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia Manual de Orientações Básicas Tema do concurso A tarefa proposta é a construção e o teste de carga de uma ponte treliçada, utilizando papel-cartão

Leia mais

Perguntas frequentes

Perguntas frequentes Perguntas frequentes Nossa energia se renova em todos os movimentos: de uma grande fachada até nosso cartão de visita, de um memorando interno até um filme publicitário. Saiba mais sobre o uso da nova

Leia mais

Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País

Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País Guia de utilização da marca PAN Correspondente no País Introdução O Guia de Utilização da marca Pan Correspondente no País, foi desenvolvido para que todos os parceiros tenham uma padronização da utilização

Leia mais

Sistema de Sinalização Anatel

Sistema de Sinalização Anatel Apresentação O projeto de Sinalização, determinado para a Anatel, busca através da simplicidade e leveza de suas formas, privilegiar a visualização, clareza e agilidade das informações proporcionando ainda

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL - ios

SISTEMA OPERACIONAL - ios Manual do Usuário SISTEMA OPERACIONAL - ios Filho Protegido Versão 1.0 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 INTRODUÇÃO FILHO PROTEGIDO... 3 3 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO DOS PAIS... 4 3.1 LOCAL DE INSTALAÇÃO DO FILHO

Leia mais

Manual de Regras Rodada de Negócios

Manual de Regras Rodada de Negócios CONARH ABRH 2014 18 a 21 de Agosto de 2014 Transamérica Expo Center São Paulo Manual de Regras Rodada de Negócios Realização e Promoção: ABRH-Nacional Tel.: (11) 3124-8850 Organização: Hyrnastha-Inovar

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 51 - Cabeamento Estruturado

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 51 - Cabeamento Estruturado Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Redes de Computadores e Aplicações Aula 51 - Cabeamento Estruturado Prof. Diego Pereira

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA - CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO

MANUAL DO SISTEMA - CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO O portal da Sala de Atendimento ao Cidadão está disponível no endereço: www.cidadao.mpf.mp.br. Nesse ambiente é possível registrar uma manifestação, consultar

Leia mais

3) Preencher Ficha de Cadastro da Instituição de Acolhimento. 3.1) Promotoria da Instituição de Acolhimento

3) Preencher Ficha de Cadastro da Instituição de Acolhimento. 3.1) Promotoria da Instituição de Acolhimento 3) Preencher Ficha de Cadastro da Instituição de Acolhimento Para o preenchimento correto das informações referentes à Instituição de Acolhimento que está sendo cadastrada, siga os passos descritos nos

Leia mais

ENCONTRO REGIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: PERSPECTIVAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS: REALIDADE E DESAFIOS

ENCONTRO REGIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: PERSPECTIVAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS: REALIDADE E DESAFIOS ENCONTRO REGIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: PERSPECTIVAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS: REALIDADE E DESAFIOS NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS NA MODALIDADE

Leia mais

Árvores Parte 1. Aleardo Manacero Jr. DCCE/UNESP Grupo de Sistemas Paralelos e Distribuídos

Árvores Parte 1. Aleardo Manacero Jr. DCCE/UNESP Grupo de Sistemas Paralelos e Distribuídos Árvores Parte 1 Aleardo Manacero Jr. DCCE/UNESP Grupo de Sistemas Paralelos e Distribuídos Árvores uma introdução As listas apresentadas na aula anterior formam um conjunto de TADs extremamente importante

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL

CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL CONVOCATÓRIA PARA A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NO NÚMERO ESPECIAL DA REVISTA TIP BRASIL Brasil: um gigante paradiplomático A Revista Trabajos de Investigación en Paradiplomacia, TIP, abre convocatória para

Leia mais

Há um único número 0800 para resolução de problemas relativos a todos os negócios fornecidos pela instituição financeira?

Há um único número 0800 para resolução de problemas relativos a todos os negócios fornecidos pela instituição financeira? 1. SAC O SAC - Serviço de Apoio ao Consumidor -, conforme disciplinado no Decreto 6523/08, é o serviço prestado pelos fornecedores, pela via telefônica, para resolução de problemas na relação de consumo,

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE

DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE DIRETRIZES BÁSICAS PARA EDIFICAÇÕES DE USO PÚBLICO ACESSIBILIDADE julho de 2012 APRESENTAÇÃO Neste documento estão reunidas informações extraídas de normas técnicas e legislação vigente em esfera federal

Leia mais

Sumário. Junho/ 2 0 1 6 Página 1

Sumário. Junho/ 2 0 1 6 Página 1 App Mobile Sumário O aplicativo Detran/PR... 2 Requisitos de sistema... 2 Como baixar o aplicativo Detran/PR... 2 No Android... 2 No IOS... 2 Início... 3 Módulo Motorista... 4 Pontuação da CNH... 4 Envio

Leia mais

Manual do Usuário Culturi (Android)

Manual do Usuário Culturi (Android) (Android) Esse manual visa informar os procedimentos básicos de utilização do aplicativo Índice 1. Login 2. Menu Principal 3. Cadastro de Eventos 4. Detalhamento dos Eventos 5. Lista de Eventos 6. Mapa

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS

ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO DE PLANTAS ARQUITETÔNICAS Este resumo foi preparado listando as informações mais importantes para que se desenvolvam desenhos de arquitetura com clareza, critério e precisão.

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013.

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013. -Dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de edificações para aprovação na Prefeitura Municipal de Tatuí, e dá outras providencias. JOSÉ MANOEL CORREA COELHO MANÚ, Prefeito Municipal de Tatuí,

Leia mais

M a n ua l de I de n t i da de V i s ua l

M a n ua l de I de n t i da de V i s ua l M a n ua l de I de n t i da de V i s ua l Marca Institucional Versão Horizontal A versão horizontal se refere a versão onde o símbolo fica no lado direito do logotipo. Nas áreas onde o espaço para aplicação

Leia mais

4º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Chamada de Trabalhos

4º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Chamada de Trabalhos 4º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Chamada de Trabalhos 4º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário O acesso ao conhecimento como política de modernização do Judiciário, Brasília

Leia mais

TECNOLOGIA E SEGURANÇA DE FORMA INTELIGENTE NA VIDA DAS PESSOAS

TECNOLOGIA E SEGURANÇA DE FORMA INTELIGENTE NA VIDA DAS PESSOAS 1 TECNOLOGIA E SEGURANÇA DE FORMA INTELIGENTE NA VIDA DAS PESSOAS A ELG desenvolve soluções para diversas necessidades, oferecendo em cada linha de produto o que é mais avançado em design e tecnologia

Leia mais

M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL

M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL Versão 1.1 Sumário Introdução 1 Sobre o Administrador do Portal 1 Categorias de informação 2 Link adicional 3 Lista de arquivos 5 Anexos da licitação 9 Anexos do

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010 Dispõe sobre o transporte eventual de cargas ou de bicicletas nos veículos classificados nas espécies automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário. O CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Política - Licitações. Área: Jurídico. Novembro/2014 Rev. 1 1/5

Política - Licitações. Área: Jurídico. Novembro/2014 Rev. 1 1/5 Política - Licitações Área: Jurídico Novembro/2014 Rev. 1 1/5 SUMÁRIO 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA...3 3. CAPTAÇÃO DE OPORTUNIDADES...3 4. O PROCESSO...3 4.1. Início do Processo...3 4.2. Documentos Integrantes

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO Este documento tem por objetivo orientar a estruturação e formatação do relatório de estágio. O texto está dividido em duas partes: 1) Normas de formatação,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL n.º 023, de 13 de fevereiro de 2003.

Leia mais

Yep. Balcão Inferior Porta Temperos 20-57cm. Partes do Produto. Componentes

Yep. Balcão Inferior Porta Temperos 20-57cm. Partes do Produto. Componentes Yep Partes do Produto Balcão Inferior Porta Temperos 0-57cm Tampo Vendido Separadamente - Lateral Direita/Esquerda (x) - Base (x) 3- Travessa (x) Porta Vendida Separadamente 4- Traseiro (x) 5- Porta Temperos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Assis Paço Municipal Profª. Judith de Oliveira Garcez

Prefeitura Municipal de Assis Paço Municipal Profª. Judith de Oliveira Garcez Prefeitura Municipal de Assis Paço Municipal Profª. Judith de Oliveira Garcez Anexo I Termo de Referência Compreende o objeto desta REGISTRO DE PREÇOS SERVIÇO DE RECUPERAÇÃO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007.

LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007. LEI COMPLEMENTAR Nº 065, DE 27 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre o uso da bicicleta e o Sistema Cicloviário do Município de Paranaguá, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PARANAGUÁ, Estado do

Leia mais

GABINETE DA MINISTRA INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14, DE 14 DE JUNHO DE 2005

GABINETE DA MINISTRA INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14, DE 14 DE JUNHO DE 2005 GABINETE DA MINISTRA INSTRUÇÃO NORMATIVA No 14, DE 14 DE JUNHO DE 2005 A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso das suas atribuições legais e tendo em vista o disposto no art. 27, 6º, inciso I da

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Figura 01: Meio fio de concreto

MEMORIAL DESCRITIVO. Figura 01: Meio fio de concreto MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO: MELHORIAS CALÇADAS QUADRA CENTRO ADMINISTRATIVO PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL SERAFINA CORRÊA-RS LOCALIZAÇÃO: QUADRA COMPREENDIDA ENTRE RUA ORESTES ASSONI, RUA CASTELO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015 Instrução Técnica nº 34/2011 - Hidrante urbano 719 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 34/2015 Hidrante

Leia mais

60 a 105 m/min A B AU OPH LU X Y1 (1) Y2 (3) 800 1750 1790 1830 (3) 8 1250 1200 800 1750 1590 1630 (3) 8 1300 1150 800 1750 1540 1580 (3)

60 a 105 m/min A B AU OPH LU X Y1 (1) Y2 (3) 800 1750 1790 1830 (3) 8 1250 1200 800 1750 1590 1630 (3) 8 1300 1150 800 1750 1540 1580 (3) Cabinas export Dimensionamento Elevador com máquinas com engrenagem contrapeso ao fundo Dimensões de cabina com porta abertura central Cap.de Cabina Porta 1 a 1,75 m/s passageiros Largura Profundidade

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD SUMÁRIO 1. SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD... 2 2. PROCEDIMENTO DE TESTE DE SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD PARA O SISTEMA SCOOT... 3 3. DOCUMENTAÇÃO...

Leia mais

ATENDIMENTO NAS FILIAIS

ATENDIMENTO NAS FILIAIS ATENDIMENTO NAS FILIAIS Brasília, Salvador, São Luís e São Paulo ANS - Nº33967-9 www.centralnacionalunimed.com.br ÍNDICE ATENDIMENTO NAS FILIAIS CONHEÇA AS NOSSAS FACILIDADES AUTORIZAÇÕES ON-LINE SOLICITAÇÃO

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA

PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA Brasília, 7 de julho de 2004. Agência Nacional de Telecomunicações - APC PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA O conselheiro substituto da Agência Nacional

Leia mais

Regulamento para os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Bacharelado em Filosofia da FFC /Unesp de Marília.

Regulamento para os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Bacharelado em Filosofia da FFC /Unesp de Marília. 1 Regulamento para os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Bacharelado em Filosofia da FFC /Unesp de Marília. 1. Da disciplina Orientação de TCC I e II : 1.1. Ao aluno matriculado no Bacharelado

Leia mais

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L

M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L M A N U A L D E I D E N T I D A D E V I S U A L Conforme decreto nº 1505, regulamenta a utilização do Brasão do Estado em bens públicos, placas, painéis e cartazes sinalizadores de obras públicas, instituído

Leia mais

REGULAMENTO PARA PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE EVENTOS FOTO E FILMAGEM EM FORMATURAS DA UNIPAMPA

REGULAMENTO PARA PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE EVENTOS FOTO E FILMAGEM EM FORMATURAS DA UNIPAMPA REGULAMENTO PARA PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE EVENTOS FOTO E FILMAGEM EM FORMATURAS DA UNIPAMPA O presente regulamento expressa as normas a serem cumpridas pelos profissionais e empresas contratados pelos

Leia mais

Supressão de vistas em peças prismáticas e piramidais

Supressão de vistas em peças prismáticas e piramidais Supressão de vistas em peças prismáticas e piramidais A UU L AL A Em determinadas peças, a disposição adequada das cotas, além de informar sobre o tamanho, também permite deduzir as formas das partes cotadas.

Leia mais

PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS

PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS 27 PROJETO E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS PROJETO GEOMÉTRICO DE VIAS 4 SEÇÃO TRANSVERSAL 4.1 ELEMENTOS BÁSICOS DIMENSÕES Perpendicularmente ao eixo, a estrada pode ser constiutída pelos seguintes elementos:

Leia mais

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 6/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado

UNESP DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD. Parte 6/5: Prof. Víctor O. Gamarra Rosado UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DESENHO TÉCNICO: Fundamentos Teóricos e Introdução ao CAD Parte 6/5: 14. Perspectivas Prof. Víctor O. Gamarra Rosado

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 03. Procedimento para GCR (Guarda Corpo e Rodapé)

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 03. Procedimento para GCR (Guarda Corpo e Rodapé) Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. Objetivo Este procedimento tem como objetivo, assegurar que todas as obras efetuem o sistema de Guarda Corpo e Rodapé, o qual destina-se a promover a proteção contra riscos

Leia mais

1 Acesso ao Módulo de Agendamento do Portal de Serviços do Inmetro nos Estados

1 Acesso ao Módulo de Agendamento do Portal de Serviços do Inmetro nos Estados 1 Acesso ao Módulo de Agendamento do Para acessar o Módulo de Agendamento, o usuário deverá acessar o sitio do Portal de Serviços do Inmetro no Estados (PSIE), digitando na barra de endereço de seu navegador

Leia mais

Os nossos comentários e questões encontram-se no texto abaixo, associados aos respectivos artigos (texto azul):

Os nossos comentários e questões encontram-se no texto abaixo, associados aos respectivos artigos (texto azul): From: JSantos [mailto:jose.santos@casadaslampadas.com] Sent: terça-feira, 7 de Julho de 2009 11:32 To: manual.ited.itur@anacom.pt Cc: MOliveira Subject: FW: Novo regime ITED: Redes de comunicações electrónicas

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1 Por que devo utilizar este manual?...04 2. A MARCA 2.1 Logotipo oficial...06 2.2 Redução...06 2.3 Padrão tipográfico...07 2.4 Padrão cromático...08

Leia mais

COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA

COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE AMPARO COMO CONSTRUIR SUA CALÇADA Guia Prático para deixar nossa cidade ainda mais bonita e acessível ÍNDICE A Prefeitura Municipal de Amparo, vem, através

Leia mais

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências

LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências LEI N 1.873/2008 Dispõe sobre as instalações de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetro no município de Viçosa e dá outras providências O Povo do Município de Viçosa, por seus representantes

Leia mais

Guia rápido de aplicação de marcas

Guia rápido de aplicação de marcas Guia rápido de aplicação de marcas introdução guia RÁPIDO DE aplicação de marcas Este é o guia rápido de aplicação de marcas do Grupo NotreDame Intermédica. Produzimos esse material para garantir uma unidade

Leia mais

Conjuntos mecânicos II

Conjuntos mecânicos II A UU L AL A Conjuntos mecânicos II Nesta aula trataremos de outro assunto também relacionado a conjuntos mecânicos: o desenho de conjunto. Introdução Desenho de conjunto Desenho de conjunto é o desenho

Leia mais

O GÁS NATURAL. Do ponto de vista ambiental, o gás natural é muito melhor do que todos os outros combustíveis fósseis.

O GÁS NATURAL. Do ponto de vista ambiental, o gás natural é muito melhor do que todos os outros combustíveis fósseis. ÍNDICE O gás natural... O uso do gás natural... Informações gerais da rede de gasodutos de distribuição... Placas de sinalização... Consultas prévias à Sergas... Quando existir interferência, consulte-nos...

Leia mais

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v DESENHO 1: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do mesmo lado da rede e na divisa com o passeio público.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Pesquisa Rua Catequese, 242 Bairro Jardim Santo André - SP CEP 09090-400 Fone: (11) 4437.8560 propes@ufabc.edu.br EDITAL Nº 001/2015

Leia mais

LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA

LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA LEYA BIKES CARTA- CONVITE LICITAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA 1. OBJETO 1.1. A LEYA BIKES S.A realizará licitação para a prestação dos serviços de Consultoria em Comunicação, levando em conta

Leia mais

½ x. ½ x. Manual de identidade visual

½ x. ½ x. Manual de identidade visual Manual de identidade visual SUMÁRIO. Introdução... 02 Primeira Marca Fase Sport... 03 Nova Marca Fase Sport... 04 Evolução da Marca... 05 Composição da Marca... 06 Formação da Marca... 07 Construção da

Leia mais

Prêmio de TI do sistema Unimed

Prêmio de TI do sistema Unimed UNIMED DO BRASIL Prêmio de TI do sistema Unimed Regulamento Tecnologia da Informação 04/06/2013 Versão 1.4 04/06/2013 O objetivo deste documento é esclarecer o regulamento e os critérios que serão utilizados

Leia mais

II CONBRADEC Chamada de trabalhos (Resumos, Comunicações e Pôsteres)

II CONBRADEC Chamada de trabalhos (Resumos, Comunicações e Pôsteres) II CONBRADEC II CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO EMPRESARIAL E CIDADANIA. 12 a 14 de novembro de 2012. UNICURITIBA Curitiba/PR. II CONBRADEC Chamada de trabalhos (Resumos, Comunicações e Pôsteres) II CONGRESSO

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL PARA COMARCAS

MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL PARA COMARCAS MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL PARA COMARCAS Este Manual tem por objetivo estabelecer o padrão de comunicação visual para as Comarcas da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul. Foi utilizado como

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000)

ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000) ANEXO I CONDIÇÕES DE FORNECIMENTO (AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 094/2000) DESCRIÇÃO DO SISTEMA A SER IMPLANTADO: PARTE I CONTROLE DE ACESSO 1. Objetivos: Implantação de um sistema que atenda as características

Leia mais

Parada Obrigatória. Dê a Preferência. Velocidade Máxima Permitida. Sentido Obrigatório. Passagem Obrigatória. Siga em Frente

Parada Obrigatória. Dê a Preferência. Velocidade Máxima Permitida. Sentido Obrigatório. Passagem Obrigatória. Siga em Frente Compõe-se de luzes acionadas alternada ou intermitentemente através de sistema elétrico/eletrônico, cuja função é controlar os deslocamentos em trânsito. Sinalização semafórica de regulamentação Tem a

Leia mais

Manual Certidão Web - Certidão Específica

Manual Certidão Web - Certidão Específica Manual Certidão Web - Certidão Específica 1 Sumário 1. NORMATIVA... 3 2. PROCEDIMENTO PARA SOLICITAÇÃO... 4 3. PROCEDIMENTO PARA ACOMPANHAR O ANDAMENTO DA SOLICITAÇÃO13 2 1. NORMATIVA De acordo com a INSTRUÇÃO

Leia mais

Portal de Carapicuíba Painel Administrativo

Portal de Carapicuíba Painel Administrativo Portal de Carapicuíba Painel Administrativo Guia de Uso ÍNDICE 1. Introdução 2. Acesso ao Painel Administrativo 3. Usuários 4. Notícias 5. Seções 6. Álbum de Fotos 7. Vídeos 8. Banners 9. Atos Oficiais

Leia mais

OBJETIVO: APLICAÇÃO:

OBJETIVO: APLICAÇÃO: OBJETIVO: Este manual tem por objetivo sugerir os procedimentos, do ponto de vista técnico, para execução da infra-estrutura interna das unidades usuárias dos serviços em fibra óptica da Copel Telecomunicações.

Leia mais

Evolução da Acessibilidade

Evolução da Acessibilidade Evolução da Acessibilidade no Metrô de São Paulo Rampas Estação São Joaquim Estação Saúde Rampas Estação Sumaré Estação São Bento Rampas Elevadores Estação Brigadeiro Elevadores Estação Armênia Elevadores

Leia mais

Sumário Apresentação...3

Sumário Apresentação...3 Sumário Apresentação...3 1. A MARCA...4 1.1 Conceito...8 1.2 Cores Institucionais...9 1.3 Tipografia...10 1.4 Marca Prioritária...14 1.5 Variações da Marca...15 1.6 Malha de Construção...17 1.6 Margem

Leia mais