Plano Anual de Atividades ESCT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Anual de Atividades ESCT"

Transcrição

1 Página 1

2 ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS ATIVIDADES DE LANÇAMENTO DO ANO LETIVO (SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2018) A OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES PLANO OPTE 2018/ TAXAS DE EXECUÇÃO DAS AULAS PREVISTAS E QUALIDADE DO USO DOS TEMPOS ESCOLARES PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR PNPSE - PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGIA DA ESCT COMBATE AO ABANDONO ESCOLAR A QUALIDADE DO SUCESSO ESCOLAR PROJETO PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA EQUIPA MULTIDISCIPLINAR DE APOIO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA PLANIFICAÇÃO DA OPERACIONALIZAÇÃO DO REGIME JURÍDICO DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA PROJETO DE AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR PROJETO PARA A CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO RECONHECIMENTO DO MÉRITO E DA EXCELÊNCIA QUADROS DE MÉRITO E DE EXCELÊNCIA ATIVIDADES DE COMPLEMENTO EDUCATIVO E DE DINAMIZAÇÃO CULTURAL CONSIDERAÇÕES GERAIS ATIVIDADES SINGULARES ATIVIDADES INTEGRADAS EM PROJETOS ESTRUTURANTES Ao Sabor dos Livros APPforGOOD Biblioteca Escolar/ Centro de Recursos Centenário da Grande Guerra - A Saga de um Combatente Clube de Astronomia Clube de ao Ar Livre Clube de Automação e Robótica Clube de Ciência Clube ESCT em Movimento [alunos] Clube Europeu Comunicar com Moodle Desporto Escolar Discursos Multimédia Página 2

3 Erasmus Update_Upskilling People "Em Busca de Sorrisos" Estação Meteorológica GAAF (Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família) Identidade e Pertença Jornal Trigal LabMultimédia Projeto NEPSO ( ) Projeto Nós Propomos! Cidadania, Sustentabilidade e Inovação na Educação Geográfica PensaMente Projeto etwinning: Multicultural fun! (Wouldn't the world be boring if we were all the same?) Projeto Eco-Escolas Projeto Educação para a Cidadania Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular Projeto de Intervenção Cívica Projeto Cidadania e Desenvolvimento Rato de Biblioteca Sítio Oficial da ESCT Anos - Publicação livro FORMAÇÃO CONTÍNUA ANEXOS Página 3

4 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Plano Anual de s pretende ser um documento aglutinador de todas as atividades e projetos a realizar durante o ano letivo. Trata-se de um documento flexível, aberto a novas propostas, podendo incluir s que, depois de avaliadas e aprovadas pelos órgãos de decisão da escola, se integrem e reforcem a consecução do Projeto Educativo da Escola. O Plano Anual de s da Escola Secundária de Caldas das Taipas representa o conjunto de atividades a dinamizar pelas diferentes estruturas educativas da Escola, que pretendem contribuir para a consecução do conceito de Escola definido no Projeto Educativo e visam concretizar os compromissos assumidos no Contrato de Autonomia para o desenvolvimento daquele Projeto, fazendo desta Escola: Um lugar onde os atores vivam projetos que sejam motores da atividade escolar, do desenvolvimento pessoal e social do aluno e da realização dos profissionais envolvidos. Uma organização que seja agente de qualificação pessoal dos indivíduos e de transformação do meio, onde impere: uma conceção humanista da Educação e uma pedagogia centrada no aluno; a ambição do pleno desenvolvimento da personalidade dos alunos; o respeito pelos direitos e liberdades fundamentais; o fomento de princípios democráticos; a atenção à preparação dos alunos para o prosseguimento dos estudos e/ou para a inserção no mercado de trabalho; o respeito pelo pluralismo ideológico, religioso e cultural; a coeducação e a educação para a igualdade e a recusa da discriminação; o respeito pelos direitos da criança e do homem. Uma instância que cuide de orientar a formação do aluno na defesa da saúde própria e dos outros, da paz, da autonomia, do sentido crítico, do respeito pela natureza, do esforço pessoal e domínio da vontade, da valorização do trabalho e da fruição da cultura, da solidariedade, da responsabilidade e sentido do dever, da coesão nacional e da convivência entre os povos, tendo por referência os referenciais previstos na legislação em vigor, concretamente: as Aprendizagens Essenciais, que constituem orientação curricular de base, o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. os perfis de competências definidos para cada ano e curso; a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania; a promoção da Estratégia para a Escola Inclusiva. Uma organização que funcione na base de uma gestão participada, aberta aos contributos dos alunos, professores, pessoal não-docente, pais e outros representantes da comunidade educativa, através da consagração institucional de formas e modalidades diversas de participação direta ou indireta nas decisões, em respeito pela autonomia e competências próprias dos diversos órgãos e estruturas. Uma organização na busca permanente da elevação da qualidade do seu trabalho, capaz de se autoavaliar e regular, com orgulho das suas qualidades e capacidade de reconhecer e procurar ultrapassar os seus defeitos. Página 4

5 Neste sentido este Plano tem como finalidade potenciar as seguintes dimensões: Dimensão curricular - Melhorar a relação entre os conteúdos programáticos e a vida; Dimensão psicossocial - Garantir um clima de escola estimulante, que proporcione o aumento da autoestima e promove o prazer na realização das atividades. Dimensão ecológica - Garantir um ambiente físico saudável, seguro e confortável; Dimensão comunitária - Constituir-se como um recurso para a comunidade: estabelecer parcerias com instituições locais, reconhecendo os seus serviços enquanto suporte/esforço educativo e informativo. Avaliação do Plano Anual de s A avaliação do Plano Anual de s concretiza-se, num primeiro momento, através da avaliação parcelar imediata de cada uma das suas atividades, dos relatórios de avaliação de cada um dos coordenadores dos projetos estruturantes, pela prestação de contas, nas dimensões mais relevantes, ao Conselho Geral. Essas avaliações têm por base as recolhas de informação no âmbito dos processos de avaliação interna, nomeadamente: os estudos de monitorização dos principais resultados e processos escolares; os relatórios de finais dos projetos autónomos e das estruturas de orientação educativa; os inquéritos de opinião sobre o funcionamento daquelas estruturas. No ano letivo de o registo e a avaliação das atividades singulares (individuais e colegiais) e das atividades integradas em projetos estruturantes começou a fazer-se no Programa INOVARpaa. Será com base nos relatórios fornecidos por esta plataforma digital que se irá avaliar o grau de operacionalidade do Projeto Educativo, bem como do Contrato de Autonomia que continua a sustentar o seu desenvolvimento. A monitorização do Plano Estratégico da ESCT (Plano +EC (Mais Equidade & Conhecimento) permitirá estabelecer a correlação entre os apoios prestados aos alunos e os seus resultados escolares, numa lógica de promoção da Educação Inclusiva e da Educação para a Cidadania. Página 5

6 2. ATIVIDADES DE LANÇAMENTO DO ANO LETIVO (SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2018) Sessão de acolhimento e apresentação da Escola para os Pais e Encarregados de Educação dos alunos do 10º ano (pelo Presidente da CAP) e primeira reunião com os Diretores de Turma 28/09/2017. Reuniões dos Departamentos Curriculares 12/09/2018. Planificações: Aprovação: até 03 de outubro. Publicação: até 12 de outubro, sob a responsabilidade dos Coordenadores de Departamento (apenas serão excecionados os casos derivados de atraso na colocação de docentes). A planificação das atividades letivas deve ter em atenção: Os níveis de aproveitamento obtidos no ano anterior e as turmas e cursos a que se destinam. A orientação das planificações e abordagens metodológicas em função do regime de avaliação externa das disciplinas. As Aprendizagens Essenciais. Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. s temáticas na área da Cidadania e Desenvolvimento. A previsão de atividades integradoras/aglutinadoras multidisciplinares para todas as turmas dos Cursos Profissionais - 10º,11º e 12º ano. (Flexibilidade pedagógica no seio dos conselhos de turma). Definição das datas de referência para as planificações anuais: No que diz respeito ao Ensino Regular, as planificações devem ser estruturadas para que os programas estejam cumpridos até ao dia 29/05/2019, para o 11º e 12º anos, e até ao dia 07/06/2019, para o 10º ano. As aulas dos Cursos do Ensino Regular terminam no dia 05/06/2019, para o 11º e 12º anos;e no dia 14/06/2019, para o 10º ano. No caso dos Cursos Profissionais, a calendarização das aulas, formação em contexto de trabalho e demais atividades escolares obedecerá aos respetivos Planos de Formação. Substituição de todas as atividades letivas do dia 05/04/2019 por outras atividades formativas e educativas ( Mesa da Turma). Orientações para a organização do serviço da componente letiva: Mecanismos de compensação de ausências ou impedimentos pontuais do docente: aulas suplementares; aulas de substituição (da mesma ou de outra disciplina); permuta de aulas; transferência e reposição de aulas. Mecanismo de substituição na situação de ausência de curta duração (impedimentos de 3 a 10 dias úteis). Funcionamento das aulas de A.O.E. e do bloco para reposições (todos os anos e cursos). Funcionamento dos apoios educativos (EC Apoio, apoio educativo aos alunos do professor). Planeamento de outras atividades da componente de escola do Plano OpTE atividades de substituição. Plano Anual de s: Página 6

7 Levantamento de propostas para o Plano Anual de s: até finais de outubro deverão estar fixadas as propostas adicionais para o Plano Anual de s, designadamente de atividades singulares e atividades enquadradas em projetos. Critérios de Avaliação a Nível de Escola: Deve proceder-se à revisão e atualização dos Critérios de Avaliação a Nível de Escola à luz dos novos normativos e em função dos debates e propostas internas. Eleição dos representantes dos alunos e dos PEE nos Conselhos de Turma até 28/09/2018. Nº de alunos e turmas no arranque do ano letivo : Após a conclusão do processo de matrículas e a homologação da rede de Cursos Profissionais e a conclusão do processo de matrículas, a população discente organizava-se da seguinte forma: 986 matrículas para o ano escolar 2018/2019: 474 (48%) do sexo masculino e 512 (52%) do sexo feminino. Registavam-se 12 transferências de matrícula para outros estabelecimentos de ensino. Ano Masculino Feminino Total c/ transferidos Transferidos Total 10.º º º ºP ºP ºP Totais Distribuição de alunos matriculados por género (setembro de 2018) Feminino; 512; 52% Masculino; 474; 48% Cursos Científico-Humanísticos - 8 novas turmas dos 4 cursos, perfazendo um total de 26 turmas Cursos profissionais - 4 novas turmas, perfazendo um total de 14 turmas e 6 cursos. Página 7

8 Distribuição de alunos matriculados por ano de escolaridade (setembro de 2018) 11.ºP 11% 12.ºP 10% 10.º 20% 10.ºP 12% 11.º 22% 12.º 25% 3. A OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES 3. Garantir a ocupação plena dos tempos escolares e incrementar progressivamente a qualidade do tempo passado na escola.( ) Objetivo operacional do 2º Contrato de Autonomia, p. 9, PLANO OPTE 2018/ TAXAS DE EXECUÇÃO DAS AULAS PREVISTAS E QUALIDADE DO USO DOS TEMPOS ESCOLARES Tabela para a monitorização do plano: Ano / P&D P D 1P (%) P D 2P (%) P D 3P (%) P D 1P (%) APMNI 10º ANO 11º ANO 12º ANO GLOBAL APMNI - Aulas perdidas por motivos não imputáveis. A) - Atrasos no recrutamento/ colocação de docentes e substitutos. META: Garantir taxas globais de execução de aulas previstas superiores a 98% em todos os anos de escolaridade e ciclos de ensino. Cf. Cláusula 2ª, n.º 3 do Contrato de Autonomia Página 8

9 QUADRO DOS INDICADORES DE REFERÊNCIA PARA VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DO OBJETIVO OPERACIONAL E RESULTADO FINAL A VERIFICAR 3º Objetivo Operacional do 2º Contrato de Autonomia Garantir a utilização plena dos tempos escolares e incrementar progressivamente a qualidade do tempo passado na escola. Área Objetivos operacionais para Descrição do indicador de medida Resultado Garantir taxas globais de aulas Número de casos em que as taxas globais de previstas e ministradas superiores a execução das aulas previstas calculadas para 99,0%, em todos os anos de cada ano de escolaridade cumprem ou falham o objetivo. escolaridade. 3 - Incrementar a qualidade do uso dos tempos escolares Garantir taxas de execução das aulas previstas superiores a 98,0% em todas as disciplinas/turma sujeitas a exames nacionais Garantir taxas de execução das aulas previstas superiores a 95,0% em todas as disciplinas/turma não sujeitas a exames nacionais. 3.2 Aumentar a oferta de atividades de enriquecimento curricular e de apoio educativo Intensificar as atividades de reforço e aprofundamento das aprendizagens, bem como as ações de orientação educativa dirigidas aos alunos e às famílias Ampliar o programa anual de atividades de complemento educativo e de dinamização cultural, incluindo nos períodos de interrupção letiva. Percentagem de casos em que a taxa de execução das aulas previstas calculada para cada disciplina/turma sujeita a exame nacional cumpre o objetivo. [N.A. Independentemente de se tratar de turmas do ano terminal ou não. O resultado do indicador é positivo se for superior em 95% dos casos.] Percentagem de casos em que a taxa de execução das aulas previstas calculada para cada disciplina/turma não sujeita a exame nacional cumpre o objetivo. [N.A. O resultado do indicador é positivo se for superior em 97% dos casos.] Volume de horas de apoio proporcionado aos jovens envolvidos nas ofertas educativas da ESCT (nº alunos x nº horas). Número de ações/atividades dirigidas aos alunos e às famílias, desde que realizadas na ESCT ou pela ESCT no seu território de influência [NA: Contabilizam-se as atividades registadas no PAA e classificadas nas tipologias Aula no Exterior, Encontro e Desenvolvimento de Produto] Número de ações/atividades dirigidas aos alunos e às famílias, desde que realizadas na ESCT ou pela ESCT no seu território de influência [NA: Contabilizam-se as atividades registadas no PAA e classificadas nas tipologias Evento Temático e Convívio] 4. PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR 2. Aumentar a taxa global de sucesso escolar para níveis superiores à média nacional Aumentar a oferta de atividades de enriquecimento curricular e de apoio educativo Intensificar as atividades de reforço e de aprofundamento das aprendizagens, bem como as ações de orientação dirigidas aos alunos e às famílias. Objetivos operacionais do 2º Contrato de Autonomia, p. 9, 2013 Página 9

10 4.1. PNPSE - PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGIA DA ESCT Página 10

11 Escolar Página 11

12 Página 12

13 ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS Plano +EC - Mais Equidade e Conhecimento 2018/19 Monitorização da execução Taxas de Execução Final Medida s Execut. Metas Taxas AOE Aulas de Apoio e Orientação Educativa Subtotal % BE Apoio geral /Sala de Estudo / OPIB Subtotal % GAAF Plano OpTE Apoio Pedagógico Acrescido Subtotal % Apoio à Preparação de PAP's Subtotal % Apoio Pedagógico Personalizado Subtotal % 2EC Aulas de Apoio Subtotal % Apoio à recuperação de módulos em atraso Subtotal % s singulares Subtotal % s inseridas em Projetos Subtotal % Equidade e Conhecimento & Enriquecimento Curricular Subtotal % Assistência a aulas Subtotal % PEN4U Sessões de preparação Subtotal % Consultoria reapreciações Subtotal % Preparação para os Exames Nacionais Subtotal % Otimização permanente dos Tempos Escolares Subtotal % OREP Orientação Escolar e Profissional % DPS Desenvolvimento Pessoal e Social % DPar Desenvolvimento Parental 200 0% Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família Subtotal % Medida s Nº alunos R&D Taxa E3Ǝ Educadores EE EE Mentorias Subtotal % Página 13

14 4.2. COMBATE AO ABANDONO ESCOLAR QUADRO DOS INDICADORES DE REFERÊNCIA PARA VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DO OBJETIVO OPERACIONAL E RESULTADO FINAL A VERIFICAR 1º Objetivo Operacional do 2º Contrato de Autonomia: atingir ou aproximar o abandono de 0%. Área 1 - Combater o abandono desqualificado Objetivos operacionais para 2018/ Garantir taxas de Abandono Escolar Precoce inferiores a 1% entre os alunos em idade de escolaridade obrigatória Conter a taxa de Saída Antecipada abaixo de 10% Aproximar a taxa de 2ªs matrículas no 10º ano para níveis equivalentes a 100% dos alunos retidos no 10º ano no ano letivo anterior. 1.4 Garantir uma taxa de abandono escolar durante o ano letivo inferior a 5% entre os alunos matriculados no 10º ano. 1.5 Garantir uma taxa de abandono escolar durante o ano letivo inferior a 5% entre os alunos matriculados no 11º ano. 1.6 Garantir uma taxa de abandono escolar durante o ano letivo inferior a 5% entre os alunos matriculados no 12º ano. Descrição do indicador de medida Percentagem de alunos matriculados com idade de escolaridade obrigatória, por ano de escolaridade, que interromperam a frequência da ESCT, durante o ano letivo, sem inserção subsequente noutra oferta formativa. 10º 11º 12º Percentagem global de alunos matriculados no ano letivo de 2018/19 que saíram da ESCT sem ter concluído o Ensino Secundário e não se encontrem matriculados até ao final do mês de outubro de 2018, salvo se a saída estiver associada a uma transferência. Rácio percentual entre o nº de reingressos no 10º ano para o ano letivo de 2018/19 e nº de alunos retidos no 10º ano do ano letivo 2017/18. Percentagem de alunos matriculados no 10º ano que saíram por anulação de matrícula ou exclusão por faltas, i.e., sem inserção imediata noutra oferta formativa. Percentagem de alunos matriculados no 11º ano que saíram por anulação de matrícula ou exclusão por faltas, i.e., sem inserção imediata noutra oferta formativa. Percentagem de alunos matriculados no 12º ano que saíram por anulação de matrícula ou exclusão por faltas, i.e., sem inserção imediata noutra oferta formativa. Resultado 4.3. A QUALIDADE DO SUCESSO ESCOLAR QUADRO DOS INDICADORES DE REFERÊNCIA PARA VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DO OBJETIVO OPERACIONAL E RESULTADO FINAL A VERIFICAR 2º Objetivo Operacional do 2º Contrato de Autonomia: Aumentar a taxa global de sucesso escolar para níveis superiores à média nacional. Área Objetivos operacionais para 2018/19 Descrição do indicador de medida Resultado Percentagem de alunos aprovados no 10º ano, entre os que frequentaram até ao final do ano letivo, depois de retirados os alunos que abandonaram parte das disciplinas ou áreas Garantir uma taxa global de curriculares para reingressar noutros cursos. (NA: Não se aprovação no 10º ano superior a 90,0%. consideram os alunos finalistas nem os já diplomados com o Ensino Secundário.) 2 - Promover o sucesso escolar Página Garantir taxas globais de aprovação no 10º ano superiores a 85,0% em todos os cursos Garantir uma taxa global de aprovação no 11º ano superior a 94,0%. Percentagem de alunos aprovados por curso, entre os que frequentaram até ao final do ano letivo, depois de retirados os alunos que abandonaram parte das disciplinas ou áreas curriculares para reingressar noutros cursos. (NA: Não se consideram os alunos finalistas nem os já diplomados com o Ensino Secundário. Contagem do número de cursos que atingem e que falham o objetivo.) Percentagem de alunos aprovados no 11º ano, entre os que frequentaram até ao final do ano letivo, depois de retirados os

15 alunos que abandonaram parte das disciplinas ou áreas curriculares para reingressar noutros cursos. (NA: Não se consideram os alunos finalistas nem os já diplomados com o Ensino Secundário.) Garantir taxas globais de aprovação no 11º ano superiores a 90,0% em todos os cursos Garantir uma taxa global de conclusão no 12º ano superior a 75,0% Garantir uma taxa global de conclusão dos cursos orientados para o prosseguimento de estudos superior a 70,0%. [Cursos Científico-Humanísticos] Garantir uma taxa global de conclusão do 12º ano dos cursos qualificantes superior a 85,0%. [Cursos Profissionais] Obter nos exames nacionais, entre os alunos internos, médias de exame superiores às médias nacionais [Cód.: 623, 635, 639, 706; 702, 708, 712, 714, 715, 719, 724 e 835] Promover a paridade de matrículas em cursos de prosseguimento de estudos e em cursos qualificantes de nível secundário. Percentagem de alunos aprovados por curso, entre os que frequentaram até ao final do ano letivo, depois de retirados os alunos que abandonaram parte das disciplinas ou áreas curriculares para reingressar noutros cursos. (NA: Não se consideram os alunos finalistas nem os já diplomados com o Ensino Secundário. Contagem do número de cursos que atingem e que falham o objetivo.) Percentagem de alunos que concluíram a qualificação escolar e profissional, entre os que mantiveram a frequência até essa conclusão. Percentagem de alunos finalistas que obtiveram o seu diploma de curso secundário, entre os que frequentaram pelo menos uma disciplina até ao final do ano letivo. (NA: Não se consideram os já diplomados com o Ensino Secundário em anos anteriores) Percentagem de alunos que concluíram a qualificação escolar e profissional, entre os que mantiveram a frequência até essa conclusão. (NA: consideram-se todas as conclusões, independentemente do momento do ano escolar em que se verifiquem) Diferenciais entre as médias das notas de exame da 1ª fase dos alunos internos da ESCT e as médias nacionais e contagem do número de casos com diferencial positivo e do número de casos com diferencial negativo ou nulo. [NA: consideram-se apenas os alunos internos para aprovação e só os resultados dos alunos das Escolas Públicas nos mesmos códigos. O objetivo considera-se alcançado quando a média dos alunos da ESCT for superior à média nacional na maioria dos casos.] Comparação entre o número de turmas constituídas para o ano inicial dos diferentes cursos, agregados segundo as duas categorias definidas (CPE Cursos para Prosseguimentos de Estudos e CQ Cursos Qualificantes), se não forem impostas restrições externas à composição da oferta Obter a colocação de mais de 90,0% dos candidatos à 1ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público para 2017/18 ou, pelo menos, um valor superior à média nacional. Comparação das taxas de colocação na 1ª fase do concurso de acesso ao ensino superior público (ESCT e Nacional). Página 15

16 5. PROJETO PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA 4. Promover a igualdade de oportunidades, aumentar os níveis de qualificação das populações locais, valorizar o mérito Garantir entre os alunos mais desfavorecidos níveis de realização dos objetivos e metas definidas ( ) iguais ou superiores aos restantes alunos. Objetivos operacionais do 2º Contrato de Autonomia, p. 9, EQUIPA MULTIDISCIPLINAR DE APOIO À EDUCAÇÃO INCLUSIVA Categoria Nome Elementos permanentes: -1 docente que coadjuva o diretor -Mário Esteves Alves -1 docente da educação especial -Lurdes Ferreira -Georgina Pereira -1 psicólogo -Ana Peixoto - 3 membros do Conselho Pedagógico com funções de coordenação pedagógica de diferentes níveis de ensino -João Teixeira -Maria José Alves Elementos variáveis: O docente titular de grupo/ turma ou o diretor de turma consoante o caso; Outros docentes do aluno; Técnicos do Centro de Recursos para a Inclusão (CRI); Outros técnicos que intervêm com o aluno. -Alexandrina Melo Silva 5.2 PLANIFICAÇÃO DA OPERACIONALIZAÇÃO DO REGIME JURÍDICO DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Ações previstas: Ação de esclarecimento para todos os docentes; Elaboração do Regimento Interno; Definição do funcionamento do Centro de Apoio à Aprendizagem; Elaboração dos documentos que fundamentam a mobilização de medidas seletivas e universais de suporte à aprendizagem e à inclusão (ver anexos): Ficha de Identificação de Necessidade de Medidas de Suporte à Aprendizagem (ANEXO 1); Relatório Técnico-Pedagógico (ANEXO2); Programa Educativo Individual e Plano Individual de Transição (ANEXO 3). Elaboração de documentos de apoio aos docentes para o registo, por aluno e por turma, das medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão e das adaptações ao processo de avaliação; Análise da situação dos alunos com Currículo Específico Individual ao abrigo do Decreto-Lei nº 3/2008, de 7 de janeiro e da Portaria 201-C/2015, de 10 de julho e respetivas reavaliações; Definição das respostas educativas para cada um dos alunos com Currículo Específico Individual, de acordo com o Decreto-Lei nº54/2018, de 6 de julho; Elaboração dos Relatórios Técnico-Pedagógicos e dos Programas Educativos Individuais; Página 16

17 Elaboração, em articulação com os parceiros do Centro de Recursos para a Inclusão, dos Planos Individuais de Transição para os alunos referidos no ponto anterior; Análise da situação dos alunos a abranger com as seguintes medidas educativas, ao abrigo do Decreto-Lei nº 3/2008, de 7 de janeiro: Apoio pedagógico personalizado; Adequações curriculares individuais; Adequações no processo de matrícula; Adequações no processo de avaliação e Tecnologias de apoio. Auscultação dos respetivos conselhos de turma, para avaliação da necessidade de mobilização de medidas seletivas. Nos casos em que tal necessidade se verificou, elaboraram-se os Relatórios Técnico- Pedagógicos; Análise de fichas de identificação de necessidade de medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão apresentadas ao longo do ano letivo e proposta das medidas de suporte à aprendizagem a mobilizar; Acompanhamento e monitorização da aplicação de medidas de suporte à aprendizagem; Identificação, por parte da coordenadora da Equipa, dos elementos variáveis das reuniões destinadas à análise de fichas de identificação de necessidade de medidas, elaboração das convocatórias para as reuniões; coordenação dos trabalhos e garantia da participação dos pais/encarregados de educação. 6. PROJETO DE AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR 4. Promover a igualdade de oportunidades, aumentar os níveis de qualificação das populações locais, valorizar o mérito Garantir entre os alunos mais desfavorecidos níveis de realização dos objetivos e metas definidas ( ) iguais ou superiores aos restantes alunos. Objetivos operacionais do 2º Contrato de Autonomia, p. 9, 2013 A Autonomia e Flexibilidade Curricular confere às escolas a possibilidade de tomar decisões curriculares, organizacionais e pedagógicas de modo a ir ao encontro de uma escola para todos (inclusiva), promotora de melhores aprendizagens e que desenvolva competências de cidadania integral. A construção do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC) da Escola Secundária de Caldas das Taipas (ESCT) pressupõe a tomada de decisões com base nas prioridades estabelecidas para resolver os problemas identificados pela comunidade escolar. A equipa responsável pelo PAFC apresenta algumas sugestões relativas à implementação da AFC na escola, para o próximo ano letivo, relativamente aos 10.º e 11.º do ensino regular e profissional, anos de escolaridade abrangidos pelo Decreto-Lei nº55/2018; Decreto-Lei n.º 54/ ; Portaria n.º 235-A/2018 e Portaria n.º 226-A/2018: 1. Como estabelecer as prioridades da ESCT? Inquirir e entrevistar a comunidade escolar relativamente aos problemas organizacionais e de ensino-aprendizagem no ensino profissional e regular; Analisar os dados recolhidos e identificar problemas; Estabelecer prioridades, definir os objetivos a alcançar e decidir quais as estratégias a aplicar; Atualizar o Projeto Educativo da ESCT. 1 Aplica-se desde o ano letivo 2018/19 a todos os anos de escolaridade. Página 17

18 2. Que opções curriculares? Recorrer a domínios de autonomia curricular (DAC) 2 entre disciplinas ou áreas de formação, promovendo tempos de trabalho interdisciplinar (alínea a do ponto 2 do art. 19.º do DL- nº55/2018). Há outras possibilidades a considerar que devem ser objeto de reflexão em departamento curricular; Continuar a desenvolver trabalho prático ou experimental com recurso a desdobramento de turmas (alínea c do ponto 2 do art. 19.º do DL- nº55/2018); Gerir até 25% das matrizes curriculares base: esta opção deve ser analisada em departamento curricular, uma vez que pode haver disciplinas/ áreas de formação com interesse em fazer uma gestão de tempo diferente da prevista, sendo que, em todos os casos, o número total de horas de cada disciplina/área de formação tem de cumprir o número total de horas previsto (art. 12º do DLnº55/2018 e art.7.º Portaria n.º 226-A/2018); Implementar o projeto de Cidadania e Desenvolvimento como disciplina autónoma (art.14º do DLnº55/2018 e art.10.º Portaria n.º 226-A/2018) em substituição do AOE e atribuída ao diretor de turma. 3. Quais as medidas organizacionais e dinâmicas pedagógicas a implementar? Constituir uma equipa para tratar dos problemas disciplinares; Organizar equipas educativas por turma em que esteja previsto a figura de coordenador da(s) equipa(s); Estar contemplado no horário dos docentes tempo semanal comum para realizar trabalho colaborativo; Reformular, nas secções disciplinares, os critérios de avaliação de modo a diversificar os instrumentos de avaliação e promover a capacidade de autorregulação dos alunos; Elaborar as planificações de 10.º e 11.º anos tendo por base os programas, as aprendizagens essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO); Planificar, em equipa, com vista a encontrar áreas comuns que possibilitem a articulação interdisciplinar e que promovam as competências inscritas no PASEO; Usar o tempo letivo comum para planificar, monitorizar e avaliar todo o processo; Elaborar critérios de avaliação uniformes para os diferentes instrumentos de avaliação utilizados tais como relatórios, trabalhos escritos, apresentações orais, e outros a considerar; Proporcionar aos alunos feedbacks sucessivos para orientar o processo ensino-aprendizagem reforçando o papel do professor como orientador. A Equipa do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular da ESCT: Nome Cláudia Maria Azevedo Domingues (Coordenadora) Alexandrina Melo Silva Carmen Dolores Marques da Silva Etelvina Maria Flor Vieira Silva Maria de Lurdes Amorim Ferreira Maria José Isidoro Alves Grupo de docência 500 (matemática) 520 (biologia e geologia) 600 (artes visuais) 330 (inglês) 910 (educação especial) 520 (biologia e geologia) 2 Os domínios de autonomia curricular (DAC) constituem uma opção curricular de trabalho interdisciplinar e ou de articulação curricular cuja planificação deve identificar as disciplinas envolvidas e a forma de organização. Essa planificação deve ter por base as Aprendizagens Essenciais com vista ao desenvolvimento das áreas de competências inscritas no PASEO. Os percursos pedagógico-didáticos planificados devem privilegiar o trabalho prático e ou experimental e o desenvolvimento das capacidades de pesquisa, relação e análise. Página 18

19 7. PROJETO PARA A CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO 3 3) Promover através da ESCT, a igualdade de oportunidades no acesso a uma educação e formação de qualidade e o desenvolvimento humano, cultural e económico do território. ( ) c) Promover ações de voluntariado social, envolvendo os alunos e profissionais da escola em ações de solidariedade, voluntariado e animação cultural direcionadas para o exterior. Objetivos gerais do 2º Contrato de Autonomia, p. 7, 2013 A componente de Cidadania e Desenvolvimento visa contribuir para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos de diálogo e no respeito pelos outros, alicerçando modos de estar em sociedade que tenham como referência os direitos humanos, nomeadamente os valores da igualdade, da democracia e da justiça social. Conforme Decreto Lei n.º 55/2018, de 6 de julho (cf. ponto 3 do artigo 15.º), A componente de currículo de Cidadania e Desenvolvimento, integrando as matrizes de todas as ofertas educativas e formativas: a) Constitui-se como uma área de trabalho transversal, de articulação disciplinar, com abordagem de natureza interdisciplinar; b) Mobiliza os contributos de diferentes componentes de currículo ou de formação, áreas disciplinares, disciplinas, ou unidades de formação de curta duração, com vista ao cruzamento dos respetivos conteúdos com os temas da estratégia de educação para a cidadania da escola, através do desenvolvimento e concretização de projetos pelos alunos de cada turma. OPERACIONALIZAÇÃO 1 Apresentação Normativa A implementação da Cidadania e Desenvolvimento obedece aos seguintes normativos legais: - Decreto Lei nº 55/2018, de 6 de julho; - Portaria n.º 226-A/2018, de 7 de agosto, para os Cursos Científico- Humanísticos; - Portaria nº 235-A/2018, de 23 de agosto, para os Cursos Profissionais. 2 Domínios e Aprendizagens a desenvolver em cada ano de escolaridade Para o primeiro ano de aplicação da Estratégia de Cidadania e Desenvolvimento, a escola selecionou os seguintes Domínios Obrigatórios para o 10.º ano de escolaridade: - Direitos Humanos. - Igualdade de Género. - Saúde. Para o 11.º ano de escolaridade consideram-se os seguintes Domínios Obrigatórios: - Interculturalidade. - Educação Ambiental. 3 Consultar Projeto de Cidadania e Desenvolvimento da ESCT Página 19

20 Para o 12º ano, optou-se pelo domínio obrigatório Desenvolvimento Sustentável. Sem prejuízo da abordagem dos Domínios Obrigatórios, cada turma deve desenvolver no mínimo três Domínios, por ano letivo, considerando os Domínios Opcionais ou outros, para o desenvolvimento de Trabalhos de Projeto (ANEXO). A abordagem dos Domínios pode ser realizada de forma ou integrados conjuntamente, sendo a seleção dos temas a abordar, dentro de cada Domínio, da competência do Conselho de Turma. 3 Metodologia/ estratégia de desenvolvimento Opta-se pelo desenvolvimento de Projetos no âmbito das diferentes disciplinas/ufcd, coordenadas por um dos professores da turma. No caso do 10.º ano de escolaridade, a componente de Cidadania e Desenvolvimento desenvolve-se com o contributo de todas as disciplinas/ufcd que constituem a turma e, no caso dos restantes anos de escolaridade, no presente ano letivo, com a maioria das disciplinas que constituem a turma. Metodologia de trabalho: Trabalho de Projeto criado, desenvolvido e implementado pelos alunos. Papel dos Conselho de Turma: Calendarizar as ações a realizar para o cumprimento dos Domínios a abordar, bem como a definição do número de tempos letivos necessários/adequados para a planificação, concretização e avaliação da Componente de Cidadania e Desenvolvimento; Distribuir os tempos letivos pelas diferentes disciplinas/ufcd que cruzam os seus contributos para a consecução dos projetos. 4 Critérios de Avaliação e Certificação Conforme o ponto 4 do artigo 25º do Decreto Lei nº 55/2018, de 6 de julho, a componente de Cidadania e Desenvolvimento não é objeto de avaliação sumativa, sendo a participação nos projetos desenvolvidos neste âmbito registada no certificado do aluno anualmente. Estipulou-se que os docentes recorressem a Grelhas de Registo de Observação (ANEXO) que constituirão os instrumentos principais de recolha de informação do desempenho do/a aluno/a nas diferentes áreas de competências inscritas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória sendo também consideradas como instrumentos de autoavaliação, envolvendo o/a aluno/a na tomada de decisão sobre a sua participação. Página 20

21 8. RECONHECIMENTO DO MÉRITO E DA EXCELÊNCIA 4.2 Instituir prémios de mérito para os alunos dos diferentes cursos e modalidades de ensino como incentivo à excelência académica, ao empreendedorismo e ao voluntariado social. Objetivo operacional do 2º Contrato de Autonomia, p. 10, QUADROS DE MÉRITO E DE EXCELÊNCIA Por proposta do Conselho Geral da ESCT, em reunião realizada no dia 18 de outubro de 2018, foi criado o DIA DA ESCT com o objetivo, entre outros, de exaltar o percurso pessoal e académico de todos os alunos que frequentaram a Escola Secundária de Caldas das Taipas, no ano letivo anterior, incluindo os alunos dos 10º e 11º anos, dos Cursos Científico-humanísticos e dos Cursos Profissionais. Para tal, foi elaborado um conjunto de regras 4 para definir a criação, âmbito e conteúdo dos Quadros de Excelência e de Mérito, através dos quais se reconheça as aptidões e atitudes dos alunos e das turmas, enfatizando-se a excelência e/ou mérito nos domínios cognitivo, cultural, pessoal ou social, bem como a atribuição de prémios em casos específicos e excecionais. PREÂMBULO DO REGULAMENTO: A Escola, enquanto espaço de vivência democrática e agente dinamizador de inovação social e cultural, deve garantir o desenvolvimento pleno e harmonioso da personalidade do indivíduo e criar condições de promoção do sucesso escolar e educativo. Todos os jovens devem ser encorajados, nas diferentes atividades escolares, a desenvolver e a pôr em prática os valores por que se deve pautar uma cultura de escola: Responsabilidade e integridade Respeitar-se a si mesmo e aos outros; saber agir eticamente, consciente da obrigação de responder pelas próprias ações; ponderar as ações próprias e alheias em função do bem comum. Excelência e exigência Aspirar ao trabalho bem feito, ao rigor e à superação; ser perseverante perante as dificuldades; ter consciência de si e dos outros; ter sensibilidade e ser solidário para com os outros. Curiosidade, reflexão e inovação Querer aprender mais; desenvolver o pensamento reflexivo, crítico e criativo; procurar novas soluções e aplicações. Cidadania e participação Demonstrar respeito pela diversidade humana e cultural e agir de acordo com os princípios dos direitos humanos; negociar a solução de conflitos em prol da solidariedade e da sustentabilidade ecológica; ser interventivo, tomando a e sendo empreendedor. Liberdade Manifestar autonomia pessoal centrada nos direitos humanos, na democracia, na cidadania, na equidade, no respeito mútuo, na livre escolha e no bem comum. Tendo em conta o perfil do aluno, o Quadro de Mérito pode apresentar-se nas seguintes vertentes: - Quadro de Excelência Académica - reconhece os alunos que revelam resultados escolares excelentes e produzem trabalhos ou realizam atividades de qualidade, quer no domínio curricular, quer no domínio das atividades extracurriculares. - Quadro de Mérito de Cidadania- reconhece os alunos ao nível dos comportamentos e atitudes que se destacam pela dedicação e empenho na procura do bem comum. 4 Cf. Regulamento do Quadro de Mérito e de Excelência Página 21

22 - Quadro de Mérito de Representação ESCT - destaca os alunos que revelam um desempenho excecional na representação institucional da escola, nomeadamente a nível desportivo, artístico, literário, científico ou tecnológico. - Quadro de Mérito do grupo turma destaca a turma que não foi objeto de participações disciplinares ou de encaminhamento para o Gabinete do Aluno e de Apoio à Família (GAAF); que apresenta bom relacionamento interpessoal, quer com colegas quer com pessoal docente e não docente; que se mobiliza para a participação voluntária em atividades de complemento curricular e que manifesta asseio e zela pela manutenção de todos equipamentos e instalações utilizadas. 9. ATIVIDADES DE COMPLEMENTO EDUCATIVO E DE DINAMIZAÇÃO CULTURAL 3.4 Ampliar o programa anual de atividades de complemento educativo e de dinamização cultural, incluindo nos períodos de interrupção letiva. Objetivo operacional do 2º Contrato de Autonomia, p. 9, CONSIDERAÇÕES GERAIS No sentido de operacionalizar e monitorizar o Plano Anual de s, sobretudo no que diz respeito ao registo, aprovação, realização e avaliação das atividades, o Conselho Pedagógico aprovou a Convenção para o registo, realização e avaliação de atividades singulares e de atividades integradas em projetos estruturantes 5 Cabe ao Conselho Pedagógico a aprovação das atividades nas seguintes tipologias: Por sua vez, as atividades, pela sua natureza, podem ser integradas numa das seguintes tipologias: Aula no s Singulares s de - atividade desenvolvida por um docente com os seus alunos, mas que não interfira no decorrer normal da lecionação nas restantes disciplinas, nem em momentos formais de avaliação dos alunos envolvidos. s de - atividade que resulta de trabalho colaborativo, envolvendo professores do mesmo grupo e/ou grupos disciplinares diferentes. Deve ser comunicada, em tempo oportuno, aos membros do(s) órgão(s) (ais) implicado(s) (Conselho(s) de Turma, Departamento(s)/Secção(ões) Curricular(es). s integradas em projetos estruturantes Exterior, Evento Temático, Desenvolvimento de Produto, Encontro e Convívio/Comemoração. Sempre que a atividade se enquadre na tipologia de "Aula no Exterior", o(s) responsável(eis) pela mesma deve(m) assegurar-se de que os Encarregados de Educação: tomem conhecimento das atividades previstas para a turma; 5 Cf. Documento aprovado na sessão 357ª do Conselho Pedagógico. Página 22

23 tenham conhecimento do dia, da hora e do local da realização das atividades e autorizem o(s) seu(s) educando(s) a participar(em). Compete, em qualquer circunstância, ao(s) responsável(eis) pelas atividades ter(em) em conta o disposto na Circular Informativa 1/2017, de 22 de maio da DGEstE. O Conselho Pedagógico, em caso de dúvida, poderá solicitar esclarecimentos adicionais e/ou reformulação da proposta de atividade, através do respetivo coordenador de departamento. A avaliação das atividades singulares deve realizar-se logo após a realização das mesmas no Programa INOVARpaa. A monitorização da execução das atividades singulares deve fazer-se através da análise dos relatórios intermédios que incluem as atividades entretanto realizadas e avaliadas nas reuniões dos Departamentos/ Secções Curriculares até ao momento. Se, na análise destes relatórios intermédios, forem detetadas omissões ou incorreções no registo, o Coordenador do Departamento ou da Secção Curricular deve reportá-las a um dos membros da Comissão do Conselho Pedagógico para o Plano Anual de s ATIVIDADES SINGULARES 1.º PERÍODO Visita de Estudo à XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Tipo de Objetivos Conhecer espaços culturais/artísticos portugueses que fazem parte da rede de equipamentos culturais nacionais de projeção internacional. Contactar diretamente com a produção de artistas portugueses e estrangeiros. Conhecer certos princípios geradores da Arte e da Cultura Artística. Desenvolver a curiosidade intelectual e artística. Pronunciar criticamente em relação à Obra de Arte e aos espaços artísticos. Desfrutar de um espaço de lazer em contacto com a natureza. Público-Alvo Turmas 12AV1, 11AV1, 10AV1, Docentes Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: Manuel Eduardo Teixeira Moreira Cunha, Carmen Dolores Marques Silva. Colaborador: Américo Machado. Tipologia Calendarização 21/set/18 Desenvolvimento de produto Sinalética da "Sala de Estudo". Promover o trabalho autónomo. Estimular a autoconfiança. Participar em projetos da escola. Turmas 11AV1, 11SE2, 10CT3 Carmen Dolores Marques Silva. Colaboradora: Fernanda Carvalho. 5/out/18 Concurso de Salto em Comprimento - Atleta Escolar do Ano. Fomentar hábitos regulares de prática desportiva. Proporcionar hábitos de competição éticos. Proporcionar a socialização entre os alunos da Escola, em ambiente desportivo. Aplicar os conhecimentos adquiridos na disciplina da Educação Física. Turmas 10.º, 11.º, 12.º Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. 10/out/18 Página 23

24 Aula no Exterior Aula no Exterior Aula no Exterior Desenvolvimento de produto Concurso de Lançamento do Peso - Atleta Escolar do Ano. Visita aos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas Visita aos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas. CODESCT Semana Europeia de Programação (CODEWEEK). CODESCT Semana Europeia de Programação (CODEWEEK). CODESCT Semana Europeia de Programação (CODEWEEK). Metodologia de investigação em Ciências Sociais. Visita aos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas. Bolos Solidários [22 de outubro a 30 de novembro]. Tipo de Objetivos Fomentar hábitos regulares de prática desportiva. Proporcionar hábitos de competição éticos. Proporcionar a socialização entre os alunos da Escola, em ambiente desportivo. Aplicar os conhecimentos adquiridos na disciplina da Educação Física. Conhecer os meios de combate aos incêndios urbanos e florestais. Conhecer os meios de combate aos incêndios urbanos e florestais. Desenvolver competências como pensamento computacional. Desenvolver a capacidade de resolução de problemas. Desenvolver a criatividade e trabalho em equipa. Desenvolver competências no âmbito do pensamento computacional. Desenvolver a capacidade de resolução de problemas. Estimular a criatividade e o trabalho em equipa. Desenvolver competências no âmbito do pensamento computacional. Desenvolver a capacidade de resolução de problemas. Estimular a criatividade e o trabalho em equipa. Dotar os alunos de conhecimentos sobre o uso das metodologias de investigação no âmbito das Ciências Sociais. Desenvolver conhecimentos ao nível de métodos e técnicas de investigação sociológica. Dotar os alunos de competências para a efetivação dos projetos sociológicos de investigação que efetuam. Conhecer os meios de combate dos incêndios urbanos e florestais. Identificar as implicações do exercício do voluntariado em meio escolar no desenvolvimento de competências a nível pessoal e social dos alunos. Compreender a prática de Público-Alvo Turmas 10.º, 11.º, 12.º Turma 11LH1 Turma 11LH2 Turma 12P3 Turma 10P1 Turma 12CT1 Turma 12SE2 Turma 11SE2 Alunos 10.º, 11.º, 12.º, Docentes, Pessoal não docente Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira Coordenador: Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira Coordenadores: Pedro Manuel Machado Ferreira e Dalila Alves Durães Coordenadores: João Paulo Portela Araújo, António Pedro Ferreira da Silva. Coordenadores: Luís Miguel dos Santos Maciel Gomes, Fernanda Carvalho Magalhães. Lídia Maria Silva Calvao Morgado Santos Colaborador: Gil Morgado Santos. Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira Maria José Isidoro Alves Tipologia Calendarização 17/out/18 18/out/18 18/out/18 19/out/18 19/out/18 19/out/18 19/out/18 20/out/18 22/out/18 Página 24

25 Metodologia de investigação em Ciências Sociais. Concurso de Triplo Salto - Atleta Escolar do Ano. Workshop: "O Trabalho de Campo em Geologia - Proteção e Segurança". Metodologia de investigação em Ciências Sociais. Tipo de Objetivos voluntariado como um contributo para o desenvolvimento sustentado das comunidades. Analisar como práticas de voluntariado em meio escolar potencializam a cidadania ativa. Dotar os alunos de conhecimentos sobre o uso das metodologias de investigação no âmbito das Ciências Sociais. Desenvolver conhecimentos ao nível de métodos e técnicas de investigação sociológica. Dotar os alunos de competências para a efetivação dos projetos sociológicos de investigação que efetuam. Fomentar hábitos regulares de prática desportiva. Proporcionar hábitos de competição éticos. Proporcionar a socialização entre os alunos da Escola, em ambiente desportivo. Aplicar os conhecimentos adquiridos na disciplina da Educação Física. Desenvolver competências de trabalho laboratorial respeitando normas de segurança. Aplicar medidas universais de proteção e garantir condições de segurança. Desenvolver competências para aplicar procedimentos simples na resolução de situações de emergência. Dotar os alunos de conhecimentos sobre o uso das metodologias de investigação no âmbito das Ciências Sociais. Desenvolver conhecimentos ao nível de métodos e técnicas de investigação sociológica. Dotar os alunos de competências para a efetivação dos projetos sociológicos de investigação que efetuam. Público-Alvo Turma 12LH1 Turmas 10.º, 11.º, 12.º Turma 10CT1 Turma 12SE1 Coordenadores e Colaboradores Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos Colaborador: Gil Santos. Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. Alexandrina Maria Melo Silva Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaborador: Gil Santos. Tipologia Calendarização 22/out/18 24/out/18 26/out/18 26/out/18 Convívio/Com emoração Encontro Comemoração do Halloween: "Mural do Horror". Palestra: Formação de Células Tumorais - Diagnóstico, Fatores Condicionantes e Prevenção. Promover o trabalho do aluno. Aumentar a autoconfiança. Participar em projetos da escola em datas comemorativas. Alertar para a importância do diagnóstico precoce do Cancro. Sensibilizar para a realização periódica de Exames de Diagnóstico. Divulgar fatores de risco para o desenvolvimento do Cancro e medidas de prevenção. Turmas 10.º, 11.º Turma 11CT1 Carmen Dolores Marques Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. 31/out/18 31/out/18 Página 25

26 Aula no Exterior Convívio/Comemoração Evento temático Encontro Aula no Exterior no Parque Biológico de Gaia e na Casa da Música Porto. Celebrating Guy Fawkes holiday. Feira de S. Martinho. Palestra: Disfunções Metabólicas: Causas e Tratamento. Olimpíadas Portuguesas de Matemática. Tipo de Objetivos Promover a Educação e Literacia Científica dos Ecossistemas Naturais. Promover a conservação ambiental pela via da consciencialização social e da educação. Fomentar o gosto pela investigação científica. Promover o reconhecimento da importância da física na compreensão do mundo natural e na descrição, explicação e previsão dos seus múltiplos fenómenos, assim como no desenvolvimento tecnológico e na qualidade de vida dos cidadãos em sociedade. Conhecer factos históricos que estão inerentes à celebração do Guy Fawkes. Enriquecer os conhecimentos da comunidade educativa sobre esta celebração, no âmbito da interculturalidade. Apresentação de um powerpoint educativo na mesa digital sobre o evento. Desenvolver técnicas de vendas. Promover produtos regionais. Desenvolver competências na organização e conceção no ponto de venda. Divulgar informações sobre as Disfunções Metabólicas. Analisar fatores de risco para o desenvolvimento destas patologias. Sensibilizar para a adoção de comportamentos preventivos. Motivar para a resolução de problemas. Desenvolver capacidades matemáticas. Público-Alvo Turmas 11CT1, 11CT2 Turmas 10.º, 11.º, 12.º Turma 10P2 Turmas 11CT1 Turmas da ESCT Coordenadores e Colaboradores Alexandrina Maria Melo Silva. Colaboradores: Jorge Fonte; Maria José Alves; Paulo Prior. Etelvina Maria Flor Vieira Silva Coordenadores: Maria Carmo Martins Mendes e Luís Manuel Amado Pires. Alexandrina Maria Melo Silva. Cláudia Maria Azevedo Domingues. Colaboradores: Antero Brito, António Filipe Silva, Francisco Assis Silva, Idalina Pereira, José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria Arminda Machado, Maria Gorete Branco, Maria de Lurdes Marques Tipologia Calendarização 5/nov/18 5/nov/18 6/nov/18 7/nov/18 7/nov/18 Página 26

27 Tipo de Objetivos Público-Alvo Coordenadores e Colaboradores Tipologia Calendarização Aula no Exterior Tratamento de Fontes Histórcias - estruturas de apoio ao conhecimento em Guimarães. Conhecer técnicas e instrumentos de tratamento de fontes históricas. Fomentar o gosto pela História. Desenvolver o conhecimento pelo património local/ regional. Turma 10LH1 Coordenadores: Paulo Emanuel Neves Pereira e Amadeu José Morais Gomes de Faria. Colaboradores: Carlos Justo Machado 8/nov/18 Sessão de sensibilização acerca do empreendedoris mo e inovação do Projeto "TRUST YOU" da ACIG. Sensibilizar os alunos para projetos de empreendedorismo. Turmas 12P2, 11P2 Coordenadores: Luís Manuel Amado Pires, Maria do Céu Antunes Cardoso, Maria Carmo Martins Mendes. 8/nov/18 Comemoração do 1.º Centenário da 1.ª Guerra Mundial Exposição fotográfica Há Cem Anos. Compreender a importância histórica da efeméride. Assinalar a passagem dos traumáticos acontecimentos que afetaram Portugal e o Mundo. Divulgar à comunidade escolar os acontecimentos mais marcantes da I Guerra Mundial. Evocar o heroísmo dos combatentes da 1.ª Grande Guerra. Alunos, Docentes, Pessoal não docente Maria Graça Gomes Barbosa Castro. 9/nov/18 Aula no Exterior Tratamento de Fontes Históricas: estruturas de apoio ao conhecimento, em Guimarães. Conhecer técnicas e instrumentos de tratamento de fontes históricas. Fomentar o gosto pela a História. Desenvolver o gosto pelo património local/regional. Alunos 12LH1 Coordenador: Amadeu José Morais Gomes de Faria. 12/nov/18 Conhecimento da Nota Euro: sessão com técnico do Banco de Portugal. Conhecer as caraterísticas da nota de Euro. Turmas 10SE1 e 10SE2 Coordenador: Gil Manuel Morgado Santos. Colaboradora: Maria do Céu Cardoso. 13/nov/18 Comemoração do Dia da Filosofia: mural de pensamentos filosóficos. Exposição de mochos, atividades lúdicas filosóficas na biblioteca, palestra Free 2 choose. Promover o pensamento crítico. Promover a filosofia e a sua importância na construção do desenvolvimento humano. Turmas 11CT1, 11CT3, 10CT2, 10CT3. Deolinda Silva Gomes Pereira. 15/nov/18 Página 27

28 Convívio/Comemoração Desenvolvimento de produto Thanksgiving. Comemoração do Dia da Ciência. Comemoração do 1.º Centenário da 1.ª Grande Guerra: Produção de vídeo e respetiva divulgação à comunidade escolar. Um olhar sociológico - Palestra de um grupo de alunos do curso de sociologia em representação da Associação Portuguesa de Sociologia. Um olhar sociológico - Palestra de um grupo de alunos do curso de sociologia em representação da Associação Portuguesa de Sociologia. Tipo de Objetivos Reconhecer o "Thanksgiving" como um evento importante na cultura americana. Partilhar o conhecimento o "Thanksgiving" na comunidade educativa. Promover a integração dos alunos na cultura americana preparandoos para experiências futuras como viagens e intercâmbios. Proporcionar uma experiência cultural única, que leva o aluno a evoluir não só na aprendizagem do idioma, mas também como cidadão do mundo. Divulgar o contributo de diversos cientistas para o avanço científico e tecnológico. Desmistificar a imagem do cientista (como ser que vive à margem da realidade). Permitir aos alunos conhecer as potencialidades da Ciência. Compreender a importância histórica da efeméride. Assinalar a passagem dos traumáticos acontecimentos que afetaram Portugal e o Mundo. Divulgar à comunidade escolar os acontecimentos mais marcantes da I Guerra Mundial. Evocar o heroísmo dos combatentes da 1.ª Grande Guerra. Refletir sobre o interesse do estudo da Sociologia e a complexidade dos fenómenos sociais que exigem um olhar sociológico para a sua leitura. Proporcionar aos alunos contacto com outros olhares sociológicos sobre o mundo. Potenciar a reflexão sobre temas sociológicos. Contactar com alunos do ensino superior da área da Sociologia. Refletir sobre o interesse do estudo da Sociologia e a complexidade dos fenómenos sociais que exigem um olhar sociológico para a sua leitura. Proporcionar aos alunos contacto com outros olhares sociológicos sobre o mundo. Potenciar a reflexão sobre temas sociológicos. Contactar com alunos do ensino superior da área da Sociologia. Público-Alvo Comunidade discente, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/co munidade Turma 11CT1, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/co munidade Alunos 12LH1, Docentes, Pessoal não docente Turma 12SE2 Turma 12SE1 Coordenadores e Colaboradores Etelvina Maria Flor Vieira Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. Maria Graça Gomes Barbosa Castro. Colaboradores: Amadeu Faria, Américo Costa, Manuel Cunha Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaboradores: Gil Santos, Maria do Céu Cardoso. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaboradores: Gil Santos, Maria do Céu Cardoso. Tipologia Calendarização 22/nov/18 24/nov/18 26/nov/18 27/nov/18 29/nov/18 Página 28

29 Aula no Exterior Workshop: Avaliação Nutricional e Composição Química dos Alimentos. Um olhar sociológico - Palestra de um grupo de alunos do curso de sociologia em representação da Associação Portuguesa de Sociologia. Aula no Exterior: SeaLife e Galeria da Biodiversidade Porto. Hour of Code. Semana dos Direitos Humanos: Exposição "Direitos Acorrentados" - De 7 a 14 de Tipo de Objetivos Investigar o valor nutritivo dos Alimentos. Compreender a importância das diferentes categorias de nutrientes na fisiologia geral do organismo. Relacionar os hábitos alimentares com a manutenção da Saúde. Refletir sobre o interesse do estudo da Sociologia e a complexidade dos fenómenos sociais que exigem um olhar sociológico para a sua leitura. Proporcionar aos alunos contacto com outros olhares sociológicos sobre o mundo. Potenciar a reflexão sobre temas sociológicos. Contactar com alunos do ensino superior da área da Sociologia. Promover a Educação e Literacia Científica do Oceano. Promover o reconhecimento da importância dos Oceanos na Alimentação Humana. Desenvolver conhecimentos sobre as influências socioculturais na Alimentação. Fomentar o gosto pela investigação científica. Desenvolvimento da Hour of code a nível mundial. Assumir uma atitude crítica relativamente à aplicação dos Direitos Humanos. Promover a abordagem histórica e ética do dos Direitos humanos. Refletir sobre o respeito pelos Direitos Humanos na comunidade local e internacional. Público-Alvo Turma 10CT1 Turma 12LH1 Turmas 10CT1, 10P4 Turmas 12CT1, 12CT2, 12CT3, 12CT4, 12AV1, 12SE1, 12SE2, 12LH1, 12LH2, 12P1, 12P3, 11P1, 11P3, 10P1, 10P3, 10P4, 10P2 Turma 12LH1, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Alexandrina Maria Melo Silva. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaboradores: Gil Santos, Maria do Céu Cardoso. Alexandrina Maria Melo Silva. Colaboradores: Luís Filipe Magalhães, Maria Conceição Machado, Rosa Barros. Coordenadores: António Pedro Ferreira da Silva, Carla Cristina Martins Fernandes, Dalila Alves Durães, Fernanda Carvalho Magalhães, Francisco Miguel Nogueira da Costa, Francisco Xavier Oliveira Araújo, Humberto José Nova Campos, João Paulo Portela Araújo, Luís Miguel dos Santos Maciel Gomes, Pedro Manuel Machado Ferreira. Maria Graça Gomes Barbosa Castro. Colaboradora: Fernanda Carvalho. Tipologia Calendarização 30/nov/18 30/nov/18 4/dez/18 6/dez/18 7/dez/18 Página 29

30 dezembro de 2018 ESComTalento Solidário. Tipo de Objetivos Identificar as implicações do exercício do voluntariado em meio escolar no desenvolvimento de competências a nível pessoal e social dos alunos. Compreender a prática de voluntariado como um contributo para o desenvolvimento sustentado das comunidades. Promover o diálogo interpessoal para o desenvolvimento de cidadãos mais reflexivos, participativos e empáticos com pessoas e grupos de diferentes contextos sociais e culturais. Público-Alvo Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Maria José Isidoro Alves. Colaboradora: Raquel Pereira. Tipologia Calendarização 7/dez/18 Convívio/Comemoração Vídeos na Rede Direitos Humanos? Divulgar, sensibilizar e criticar a aplicação dos Direitos Humanos. Promover a abordagem histórica e ética do dos Direitos humanos. Refletir sobre o respeito pelos Direitos Humanos na comunidade local e internacional. Turma 12SE1, Docentes, Pessoal não docente Maria Graça Gomes Barbosa Castro. 10/dez/18 Árvore de Natal Trabalhos integrados nas comemorações da quadra natalícia (Escola Inclusiva). Exposição Direitos Acorrentados acompanhada de uma Banca de livros sobre Direitos Humanos, Inclusão e Desenvolvimento Sustentável. Exposição de 15 balões e divulgação do videoclip - Direitos Humanos, A Alegria de Sermos Diferentes. Todos Diferentes Todos Iguais- Exposição de 18 figuras com vários direitos Humanos. Promover o trabalho autónomo do aluno. Aumentar a autoconfiança. Participar em projetos da escola em data comemorativas. Divulgar, sensibilizar e refletir sobre a aplicação dos Direitos Humanos. Promover a abordagem histórica e ética do dos Direitos humanos. Conhecer literatura específica sobre Direitos Humanos.,Inclusão e Desenvolvimento Sustentável. Divulgar, sensibilizar e criticar a aplicação dos Direitos Humanos. Refletir sobre o respeito pelos Direitos Humanos na comunidade local e internacional. Promover uma Escola Inclusiva. Divulgar, sensibilizar e criticar a aplicação dos Direitos Humanos. Promover a abordagem histórica e ética do dos Direitos humanos. Refletir sobre o respeito pelos Direitos Humanos na comunidade local e internacional. Turmas 11AV1, 11SE2, 10CT3. Turma 12LH1, Docentes Turma 12SE1, Docentes, Pessoal não docente Turma 12SE1, Docentes, Pessoal não docente Carmen Dolores Marques Silva. Coordenadoras: Maria Graça Gomes Barbosa Castro, Fernanda Maria Oliveira Barbosa Carvalho. Maria Graça Gomes Barbosa Castro, Georgina Maria Lima Pereira. Georgina Maria Lima Pereira. 10/dez/18 10/dez/18 10/dez/18 10/dez/18 Página 30

31 Aula no Exterior Visita ao Museu Amadeo de Souza Cardoso. Um olhar sociológico - Palestra de um grupo de alunos do curso de sociologia em representação da Associação Portuguesa de Sociologia. Um Olhar sociológico sobre a Economia - Palestra de um grupo de alunos do curso de sociologia em representação da Associação Portuguesa de Sociologia. Teatro do Oprimido: dramatização subordinada à temática da violência no namoro/ violência doméstica. Um olhar sociológico - Associação Portuguesa de Sociologia. Tipo de Objetivos Reconhecer Amadeo de Souza Cardoso como um dos expoentes máximos do primeiro modernismo em Portugal. Distinguir a diversidade de influências vanguardistas patentes na obra de Amadeo de Souza Cardoso. Sensibilizar o gosto pela fruição artística. Refletir sobre o interesse do estudo da Sociologia e a complexidade dos fenómenos sociais que exigem um olhar sociológico para a sua leitura. Proporcionar aos alunos contacto com outros olhares sociológicos sobre o mundo. Potenciar a reflexão sobre temas sociológicos. Contactar com alunos do ensino superior da área da Sociologia. Avaliar a importância da sociologia na dimensão económica da vida social. Sensibilizar os alunos para a problemática da violência no namoro/violência doméstica. Consciencializar para as diferentes formas que a violência no namoro/violência doméstica poderão assumir. Vivenciar situações concretas de violência para sugerirem, na perspetiva de cada um, soluções adequadas. A Associação Portuguesa de Sociologia fará deslocar à escola um grupo de alunos de Sociologia para refletirem com os nossos alunos sobre o interesse do estudo da Sociologia e sobre a complexidade dos fenómenos sociais que exigem um olhar sociológico para a sua leitura. Proporcionar aos alunos contacto com outros olhares sociológicos sobre o mundo. Potenciar a reflexão sobre temas sociológicos. Contactar com alunos do ensino superior da área da Sociologia. Público-Alvo Turmas 12LH1 e 12LH2 Turma 11SE1 Alunos do 11º ano Turmas 12P5, 11P4 Turmas 12SE2, 11.º - 11SE2 Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: Amadeu José Morais Gomes de Faria, Américo Fernando Silva Costa. Colaborador: António Luís Oliveira. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaborador: Gil Santos. Coordenador: Gil Manuel Morgado Santos Coordenador: Manuel Fernandes Ramos Santos. Colaboradoras: Ana Paula Pereira, Ana Sofia Freitas. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaboradores: Gil Santos, Maria do Céu Cardoso. Tipologia Calendarização 11/dez/18 11/dez/18 11/dez/18 11/dez/18 13/dez/18 Página 31

32 Semana dos Direitos Humanos: Manifestação pelos Direitos Humanos. Jantar de Natal ESCT Tipo de Objetivos Sensibilizar os alunos para a defesa dos Direitos Humanos. Desenvolver o sentido estético através da música. Promover relações interpessoais positivas na comunidade escolar. Fomentar o sentimento de pertença à ESCT. Público-Alvo Docentes Turma 12LH2 Comunidade Escolar Coordenadores e Colaboradores Coordenador: Américo Fernando Silva Costa Coordenadores: Marta Ferreira, Rosa Barros, Agostinho Guedes e Manuel Santos. Colaboradores: Amélia Sousa, Graça Castro, Maria de Lurdes Marques, Olívio Carvalho, Pedro Ferreira, Sandra Marques. Tipologia Calendarização 13/dez/18 18/dez/18 2.º PERÍODO Desenvolvimento de produto Preenchimento do formulário, preparação e submissão da candidatura da ESCT a Selo Escola etwinning Intervenção do Estado na economia. Tipo de Objetivos Preparar a candidatura da escola a Selo Escola etwinning Obter o reconhecimento do envolvimento, compromisso e dedicação, não só de alguns professores etwinners dispersos, mas de equipas de professores da escola. Conceder à ESCT uma maior visibilidade a nível europeu, integrando uma rede europeia de escolas etwinning proeminente. Motivar os docentes para a participação em programas de desenvolvimento profissional exclusivos. Inspirar o futuro desenvolvimento do etwinning e que o pessoal docente e dirigente receba convites para participar em programas de desenvolvimento profissional exclusivos, num futuro próximo. Distinguir Estado Liberal de Estado Social. Perceber as esferas de intervenção do Welfare State. Público-Alvo Turmas 10.º, 11.º, 12.º, Docentes Turma 11P4 Coordenadores e Colaboradores Carla Alexandra Ribeiro de Abreu. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Colaborador: Gil Santos Tipologia Calendarização 3/jan/19 4/jan/19 Página 32

33 Aula no Exterior Encontro Visita de estudo a Lisboa/Sintra. "Sessão de apoio à preparação da candidatura ao Selo de Escola etwinning ", no Agrupamento de Escolas de Canelas, em Vila Nova de Gaia. Palestra: "Políticas de Segurança Social. Instituições com projetos de intervenção social" (palestra orientada pela Assistente Social da ESCT). Palestra: "Políticas de Educação - O ensino profissional no contexto do sistema educativo português" (palestra orientada pela psicóloga da ESCT). Tipo de Objetivos Proporcionar aos alunos experiências culturais diferentes daquelas com que contactam diariamente. Contribuir para um aprofundamento dos conteúdos programáticos das diferentes disciplinas. Compreender a experiência estética como produto de uma relação específica do indivíduo consigo mesmo, com a natureza e com a sociedade. Compreender a intemporalidade das manifestações estéticas e a sua diversidade no tempo e no espaço. Reconhecer o objeto artístico como expressão simultânea de fruição e compromisso com o real. Proporcionar a formação de uma sensibilidade estética em relação ao mundo natural e à arte, nas suas diversas expressões. Promover a desenvolvimento de competências de cidadania ativa. Obter informações mais detalhadas sobre o preenchimento do formulário de candidatura ao Selo de Escola etwinning. Discutir sobre formas de recolher e apresentar a informação exigida. Conhecer exemplos de projetos de intervenção social. Conhecer o papel e o enquadramento do ensino profissional no contexto educativo do nosso país. Público-Alvo Turma 12P3a Alunos, Docentes Turma 11P4 Turma 11P4 Coordenadores e Colaboradores Maria Isabel Bessa Menezes Machado. Colaborador: Luís Miguel Costa Carla Alexandra Ribeiro de Abreu. Colaborador: Agostinho Guedes. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos. Tipologia Calendarização 10/jan/19 11/jan/19 11/jan/19 15/jan/19 Página 33

34 Aula no Exterior Aula no Exterior Aula no Exterior Aula no Exterior Visita à empresa Braval de valorização e tratamento de resíduos sólidos. Olimpíadas Portuguesas de Biologia Sénior ª Eliminatória (11º e 12º anos). Aula no Exterior à Casa da Criança de Guimarães. Aula no Exterior Cantar as Janeiras na Comunidade Escolar (sala dos professores, direção e secretaria). Cantar as Janeiras na Comunidade Local - EB1 do Pinheiral e na Unidade de Saúde Familiar Ara de Trajano. Tipo de Objetivos Sensibilizar para a necessidade de reduzir, reciclar e reutilizar. Conhecer o processo de reciclagem de resíduos sólidos e Óleos Alimentares Usados, e o processo de produção de biodiesel. Adquirir informação para a elaboração de inquéritos para fins estatísticos. Estimular o interesse dos alunos pela Biologia, em particular na área experimental desta área de conhecimento. Relacionar a Biologia com a realidade económica e social (ecologia, biotecnologia, conservação, etc.), promovendo uma melhor cidadania. Promover intercâmbio de ideias e de experiências entre os alunos, a nível nacional e internacional. Incutir nos alunos atitudes de solidariedade, fraternidade e educação para os valores. Desenvolver competências sociais. Relacionar a escola com a comunidade. Promover a linguagem musical, verbal, como forma de exprimir emoções. Promover a cultura e a identidade local/regional. Preservar esta tradição de cantar as janeiras. Desenvolver o vocabulário, a criatividade, a expressão musical, a acuidade auditiva e o sentido rítmico. Divulgar cantigas tradicionais. Fomentar a socialização. Promover a Escola Inclusiva. Promover a linguagem musical, verbal, como forma de exprimir emoções. Promover a cultura e a identidade local/regional. Preservar esta tradição de cantar as janeiras. Desenvolver o vocabulário, a criatividade, a expressão musical, a acuidade auditiva e o sentido rítmico. Divulgar cantigas tradicionais. Fomentar a socialização. Promover a Escola Inclusiva. Público-Alvo Turma 12CT3 Turmas 12CT1, 11CT1, 11CT2, 11CT3 Outro Alunos, Docentes, Pessoal Não Docente, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Cláudia Maria Azevedo Domingues. Colaboradoras: Ana Maria Gomes, Carla Fernandes Coordenador: Luís Filipe Gomes Pacheco Magalhães. Colaboradores: Alexandrina Silva, Maria José Alves, Maria Manuela Aguiar. Maria José Isidoro Alves. Coordenadoras: Rosa Fernanda Sobral Barros, Maria de Lurdes Amorim Ferreira, Carla Margarida Lemos Teixeira. Coordenadoras: Rosa Fernanda Sobral Barros, Carla Margarida Lemos Teixeira. Tipologia Calendarização 16/jan/19 16/jan/19 18/jan/19 28/jan/19 30/jan/19 Página 34

35 Aula no Exterior Aula no Exterior Encontro Encontro Aula no Exterior Espetáculo Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco, encenação da Companhia de Teatro de Braga. Visita de estudo à Ilha de S. Miguel nos Açores [01 a 04 de fevereiro de 2019]. Workshop "aeromodelismo. Workshop do coreografo Vítor Hugo Pontes. Visita a Guimarães, ao encontro da azulejaria portuguesa. Tipo de Objetivos Proporcionar aos alunos experiências culturais diversas, contactando diretamente com o património cultural português, e com a obra Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco. Aprofundar a sensibilidade estética. Favorecer a sua autoaprendizagem. Conhecer novas realidades adaptadas à futura prática profissional em Termas e Spa. Conhecer as instalações do edifício termal (espaço termal, equipamentos/tratamentos) e as suas envolventes. Incentivar o turismo termal para promover a saúde e o bemestar, assim como incentivar a experiência cultural através do contacto com novas realidades. Promover a educação pelos ecossistemas naturais. Demonstrar abertura face a outras experiências e culturas. Promover o desenvolvimento de competências de cidadania ativa. Conhecer modelos de empreendedorismo,, proatividade e inovação. Promover o gosto pelo "Aeromodelismo" junto dos alunos do 9.º ano da escola Básica das Taipas. Turmas 9A, 9B e 9C. Conhecer o percurso profissional de um artista. Analisar o percurso artístico de um artista. Observar e registar o gráfico da azulejaria portuguesa. Sensibilizar para a proteção, promoção e salvaguarda do património cultural. Desenvolver o sentido de orientação no espaço através da leitura e da interpretação do mapa. Compreender o papel das atividades físicas na evolução do homem e da sociedade, reconhecendo a sua importância no domínio da educação, do trabalho e do lazer. Público-Alvo Turmas 11CT1, 11CT2, 11CT4, 11LH1, 11LH2 Turma 12P4, Docentes Alunos Turma 11P4, Docentes Turma 12AV1 Coordenadores e Colaboradores Maria Manuela Pereira Calheiros Cruz Aguiar. Colaboradoras: Maria Isabel Machado, Maria José Oliveira, Maria José Carvalho. Coordenador: João António Rodrigues Coelho Teixeira. Colaboradoras: Gracinda Rodrigues, Isabel Lopes. Coordenadoras: Maria Lurdes Machado Silva Marques, Marcela Vaz de Araújo. Ana Sofia Guimarães Ferreira Lopes Cruz de Freitas Coordenadores: Luís Miguel Mendes da Costa, José Olívio Lereno Araújo de Carvalho. Tipologia Calendarização 30/jan/19 1/fev/19 3/fev/19 11/fev/19 13/fev/19 Página 35

36 Aula no Exterior Literacia Financeira: Deslocação à escola técnico especializada do Banco de Portugal. Participação na 7.ª edição das Olimpíadas da Língua Portuguesa - da DGE, AE Aurélia de Sousa, Plano Nacional de Leitura, DGAE, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Escola Secundária de Camões. Voluntariado na associação CAPA. Tipo de Objetivos Conhecer instituição de formação técnica especializada do Banco de Portugal. Incentivar o bom uso da língua portuguesa. Compreender os objetivos e as ações da química verde. Desenvolver competências sociais e interpessoais. Público-Alvo Turmas 11SE1 e 11SE2 Turma 12CT1 Turma 11CT3 Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: Maria do Céu Antunes Cardoso, Gil Manuel Morgado Santos Coordenadores: Maria Gorete Lobo Lima Cruz; Mário Esteves Alves. Colaboradores: Maria José Vila Afonso Vieira de Carvalho, Maria José Ribeiro Freitas Oliveira, Américo Machado, Maria Augusta Ferreira, Maria José Oliveira. Coordenadores: Maria Gorete Pires Branco, Ana Maria Gomes. Tipologia Calendarização 14/fev/19 15/fev/19 16/fev/19 Aula no Exterior Voluntariado na associação CAPA. Compreender os objetivos e as ações da química verde. Desenvolver competências sociais e interpessoais. Turma 11CT3, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadoras: Maria Gorete Pires Branco, Ana Maria Gomes. 23/fev/19 Encontro Aula no Exterior O Bem Estar animal. Visita ao Instituto de Emprego e Formação Profissional de Guimarães. Encontro com uma médica veterinária que dissertou sobre os princípios básicos que garantem o bem estar animal dos animais de estimação. Proporcionar aos alunos o contacto com a instituição IEFP. Contribuir para um aprofundamento dos conteúdos programáticos da área de Cidadania e Desenvolvimento. Promover o desenvolvimento de competências de cidadania ativa. Favorecer momentos de convívio e conhecimento do grupo. Explorar os recursos disponibilizados em espaços diversificados numa perspetiva de autoaprendizagem. Turma 12P5 Turma 12P3 Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Maria Isabel Bessa Menezes Machado. 25/fev/19 27/fev/19 Página 36

37 Aula no Exterior Encontro Encontro Aula no Exterior Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos - Fase 1 (nível de escola). Aula no Exterior no Theatro Circo de Braga Musical REstage apresentado pelos alunos do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. "Biofashion2" - no âmbito do Projeto Cidadania - Sustentabilidade Ambiental. À conversa com um investigador na área da Estatística. À conversa com um investigador na área da Estatística e da Biologia Molecular. Olimpíadas de Química. Tipo de Objetivos Fomentar o gosto pela Matemática. Aprender a jogar alguns quebracabeças e jogos de raciocínio de diferentes tipos. Perceber como a matemática pode ajudar a explicar ou garantir estratégias ganhadoras para alguns jogos. Participar em atividades recreativas e de lazer na comunidade. Utilizar os serviços públicos da comunidade (transportes, teatro, monumentos, ). Desenvolver a sensibilidade, a criatividade, o senso crítico, o ouvido musical, a expressão corporal, a imaginação, a memória, a concentração, o respeito pelo outro, a autonomia e a autoestima. Saber comportar-se em eventos sociais e culturais. Promover competências ligadas ao "saber-fazer" e ao "saber-ser" ecológico. Proporcionar aos alunos o conhecimento de situações concretas da aplicação da matemática. Dialogar com um investigador, da Universidade do Minho, da área da estatística. Proporcionar aos alunos o conhecimento de situações concretas da aplicação da matemática. Dar oportunidade aos alunos de conversarem com um investigador, da Universidade do Minho, da área da estatística e da Biologia Molecular. Desenvolver, nos alunos do ensino secundário, a capacidade de resolução de problemas teóricos e práticos, organizados pela Sociedade Portuguesa de Química. Público-Alvo Turmas 12CT2, 12CT4, 12P1, 10LH1 Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1-EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE, Docentes Turma 12AV1, Docentes, Pessoal não docente Turma 11CT4 Turma 11CT3 Turmas 11CT2, 10CT1 Tipologia Coordenadores e Calendarização Colaboradores Coordenador: António Filipe Jesus Silva. Colaboradores: Antero Brito, Cláudia Domingues, Francisco Assis Silva, Idalina 27/fev/19 Pereira, José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria Arminda Machado, Maria Gorete Branco, Maria de Lurdes Marques Coordenadoras: Rosa Fernanda Sobral Barros, Maria de Lurdes Amorim Ferreira, Fernanda Maria Oliveira Barbosa Carvalho, Carla Margarida Lemos Teixeira. Carmen Dolores Marques Silva. Maria Gorete Pires Branco. Maria Gorete Pires Branco. Maria Conceição Silva Machado. Colaborador: Paulo Prior. 28/fev/19 5/mar/19 7/mar/19 7/mar/19 9/mar/19 Página 37

38 Tipo de Objetivos Despertar o interesse e gosto pela química. Divulgar a química como ciência e cativar vocações para carreiras científico-tecnológicas. Público-Alvo Coordenadores e Colaboradores Tipologia Calendarização Desenvolvimento de produto Alunos ensinam idosos a programar. Participação dos idosos do Centro de Dia do Areal, Braga. Promover o uso das TIC em idosos. Promover e alargar competências pessoais dos alunos no contacto com pessoas de diferentes gerações. Promover a capacidade de companheirismo, civismo e voluntariado. Promover o acesso à educação para todos. Alertar para as diferenças existentes do uso das tecnologias em diferentes gerações. Alertar para a diferença de linguagem no trato com diferentes gerações. Turma 12P3 Comunidade Local Dalila Alves Durães. 11/mar/19 Coding para idosos. Ensinar código a idosos do Lar de S. Vicente - Braga que se deslocaram à ESCT. Turma 12P3 Dalila Alves Durães. 11/mar/19 Encontro Funcionamento do Cérebro na Saúde e na Doença - A Esclerose Múltipla (encontro com uma investigadora em neurociências da Escola de Medicina da Universidade do Minho). Olimpíadas Portuguesas de Biologia Sénior ª Eliminatória (11.º e 12.º anos). Conhecer o funcionamento do cérebro na saúde e na doença, com enfoque na esclerose múltipla. Estimular o interesse dos alunos pela Biologia, em particular na área experimental desta área de conhecimento. Relacionar a Biologia com a realidade económica e social (ecologia, biotecnologia, conservação, etc.), promovendo uma melhor cidadania. Promover o intercâmbio de ideias e de experiências entre os alunos, a nível nacional e internacional. Turma 10CT2 Turmas 11CT1, 11CT2, 11CT3 Coordenadores: Paulo Alexandre Oliveira Maia Prior, Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Coordenador: Luís Filipe Gomes Pacheco Magalhães. Colaboradoras: Alexandrina Silva, Maria José Alves. 13/mar/19 13/mar/19 Página 38

39 Desenvolvimento de produto Aula no Exterior Evento temático Evento temático Aula no Exterior Aula no Exterior Apresentação da peça "Farsa de Inês Pereira". Comemoração do Dia Internacional do Pi. Aula no Exterior - Conhecer o futuro. Robótica para Idosos. Visita à Escola de Economia e Gestão da UM. Lisboa Espaços do Modernismo e roteiro da Democracia [21 e 22 de março de 2019]. Perspetivas patrimoniais (cultura castreja, românico, expansão quatrocentista). Tipo de Objetivos Encenar e dramatizar a peça de teatro de Gil Vicente "Farsa de Inês Pereira", constante do programa da disciplina de português. Desenvolver técnicas de expressão e de comunicação. Estimular o gosto pelo Teatro. Reconhecer a importância de números notáveis. Compreender os programas curricular no âmbito da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Ensinar Robótica aos idosos do lar de S. Vicente Braga que se deslocaram à ESCT. Conhecer a Escola de Economia e Gestão da UM - Dia aberto. Despertar nos alunos valores e princípios que conduzam ao civismo e participação numa sociedade democrática. Divulgar, de forma consciente e eticamente responsável, o valor do 25 de abril de 1974 para as gerações futuras. Promover o gosto e o conhecimento da literatura de expressão português. Visita a locais e vestígios representativos das áreas da cultura Castreja (Romanizada) - Castro de Terroso, sobre arquitetura Românica (S. Pedro de Rates) e expansão Público-Alvo Turma 10P4 Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Turmas 11SE1, 11SE2 Turma 11P1 Turmas 11SE1, 11SE2 Turmas 12SE1, 12LH1, 12LH2 Turmas 10LH1, 10LH2 Coordenadores e Colaboradores Maria Isabel Bessa Menezes Machado. Colaboradora: Fernanda Carvalho. Coordenadoras: Maria Gorete Pires Branco, Maria Arminda Freitas Carneiro Sousa Machado. Colaboradores: Antero Brito, António Filipe Silva, Cláudia Domingues, Francisco Assis Silva, Idalina Pereira, José Olívio Carvalho, José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria de Lurdes Marques. Coordenadores: Gil Manuel Morgado Santos, António Manuel Rodrigues Teles. Dalila Alves Durães. Colaborador: Francisco Costa Coordenadores: Gil Manuel Morgado Santos, António Manuel Rodrigues Teles. Coordenadores: Maria Graça Gomes Barbosa Castro, Américo Fernando Silva Costa. Colaboradores: Amadeu Faria, Carlos Manuel Machado, Maria Manuela Aguiar Coordenador: Amadeu José Morais Gomes de Faria. Colaboradores: Benedita Ferreira, Carlos Justo Tipologia Calendarização 14/mar/19 14/mar/19 20/mar/19 20/mar/19 20/mar/19 21/mar/19 21/mar/19 Página 39

40 Aula no Exterior Aula no Exterior Encontro Encontro Visita à associação Refood - Braga. Exposição de Trabalhos: O Tempo Geológico [26 de março a 02 de abril]. Doenças Infeciosas e Microbiologia. Doenças infeciosas que afetam a humanidade - Encontro com um investigador em Microbiologia da Escola de Medicina da Universidade do Minho. Workshop: Desenvolviment o do Sistema Nervoso dos Adolescentes; Riscos e Prevenção. Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos. Tipo de Objetivos quatrocentista (Alfândega e nau quatrocentista - Vila do Conde). Compreender o contributo da química para a resolução de problemas ambientais. Desenvolver competências sociais e interpessoais. Compreender a magnitude do Tempo Geológico. Situar no tempo os acontecimentos biológicos e geológicos da História da Terra. Avaliar a importância de se estudar o Tempo Geológico. Proporcionar aos alunos o conhecimento de investigação universitário. Conviver com os cientistas e realizar atividades experimentais que ajudam a compreender um mundo "invisível" que condiciona a saúde das pessoas. Conhecer a natureza e o impacto de doenças infeciosas que afetam a humanidade, com enfoque na tuberculose. Compreender a ação do Sistema Nervoso no desenvolvimento do Ser Humano. Identificar fatores de risco no desenvolvimento do Sistema Nervoso Humano. Sensibilizar para a deteção de sinais e sintomas para diagnóstico de alterações do Sistema Nervoso. Sensibilizar para a adoção de comportamentos preventivos e a manutenção da saúde mental. Fomentar o gosto pela Matemática. Aprender a jogar alguns quebracabeças e jogos de raciocínio de diferentes tipos. Perceber como a matemática pode ajudar a explicar ou garantir estratégias ganhadoras para alguns jogos. Público-Alvo Turma 11CT3, Encarregados de educação/co munidade Turma 10CT1 Turma 10CT2 Turma 10CT2 Turma 10CT1 Turmas 12CT4, 12P1 Coordenadores e Colaboradores Machado, Paulo Pereira. Coordenadoras: Maria Gorete Pires Branco, Ana Maria Gomes. Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenadores: Paulo Alexandre Oliveira Maia Prior, Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Coordenadores: Paulo Alexandre Oliveira Maia Prior, Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenador: António Filipe Jesus Silva. Colaboradora: Maria Alice Areias. Tipologia Calendarização 22/mar/19 26/mar/19 27/mar/19 28/mar/19 29/mar/19 29/mar/19 Página 40

41 Aula no Exterior Aula no Exterior Encontro Aula no Exterior Visita de Estudo à Feira Semanal das Taipas. Concurso de ideias Escolas Empreendedoras IN.Ave Workshop de Matemática A. Exposição de Trabalhos: Saúde Mental e Genética. Salto em Altura - Atleta Escolar do Ano. Visita de Estudo a Lisboa [4 e 5 de abril de 2019]. Tipo de Objetivos Compreender e descodificar a realidade económica que o rodeia. Compreender os consumidores, nas suas vertentes racionais e emocionais. Conhecer os fatores que influenciam os consumidores na decisão de consumo. Identificar as principais técnicas de promoção no ponto de venda. Sensibilizar e motivar os jovens para práticas empreendedoras. Dinamizar atividades no âmbito da disciplina de Matemática A com alunos do 9.º ano do Agrupamento de Escolas Arqueólogo Mário Cardoso. Promover a Literacia no âmbito da Saúde Mental. Divulgar diversas Perturbações Mentais. Analisar as causas de diversas Perturbações Mentais. Equacionar a possibilidade de transmissão genética de diversas Perturbações Mentais. Fomentar hábitos regulares de prática desportiva. Proporcionar hábitos de competição éticos. Proporcionar a socialização entre os alunos da Escola, em ambiente desportivo. Aplicar os conhecimentos adquiridos na disciplina da Educação Física. Compreender os objetivos e formas de intervenção do Estado na esfera social e económica, bem como os instrumentos por ele usado para influenciar as escolhas vocacionais (Sociologia). Interpretar a importância da cultura, da sociedade e do trabalho na vida e no desenvolvimento de si e dos outros (Psicologia). Público-Alvo Turma 10P2 Alunos 11P2, 10P2 Alunos Turma 11CT1 Comunidade discente Turmas 12P5, 11P4 Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: Manuel Fernandes Ramos Santos, Maria do Céu Antunes Cardoso. Coordenadores: Maria Carmo Martins Mendes, Maria do Céu Antunes Cardoso. Colaboradores: Luís Pires, Manuel Santos, Coordenadores: Maria Gorete Pires Branco, Francisco Assis Leite Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. Coordenador: Manuel Fernandes Ramos Santos. Colaboradoras: Carla Carvalho, Lídia Santos. Tipologia Calendarização 1/abr/19 2/abr/19 3/abr/19 3/abr/19 3/abr/19 4/abr/19 Página 41

42 Aula no Exterior Visita de Estudo (Porto/Régua/Br agança) [4 e 5 de abril de 2019]. Semana das Línguas: Concurso RAP- ESCT Tipo de Objetivos Desenvolver a capacidade de usar a matemática como instrumento de interpretação e intervenção no real. Compreender/ conhecer aspetos relevantes da organização económica das sociedades. Compreender/ conhecer aspetos relevantes de processos de mudança das sociedades atuais. Promover a apetência pelo saber/ pensar o espaço geográfico e a disponibilidade permanente para a reconstrução crítica do próprio saber. Promover a interdisciplinaridade e a curiosidade científica. Contribuir para a formação do cidadão, educando para a cidadania, para a mudança e para o desenvolvimento, no respeito pelos Direitos Humanos. Recriar/imitar um rap em língua portuguesa/ inglesa/ francesa/ alemã/ espanhola. Criar uma letra/música original em língua portuguesa/ inglesa/ francesa/ alemã/ espanhola. Desenvolver técnicas de expressão, dicção, afinação e interpretação dos cantores. Estimular a criatividade da produção musical; originalidade da letra e da mensagem; qualidade sonora do vídeo. Público-Alvo Turmas 11SE1, 10SE2 Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Coordenadores: José Temporão Simões Rodrigues, Gil Manuel Morgado Santos. Colaborador: Paulo Pereira. Coordenadoras: Rosa Fernanda Sobral Barros, Jesus Carlos Alvarez Ballesteros. Colaboradores: Etelvina Silva, Pedro Ferreira. Tipologia Calendarização 4/abr/19 4/abr/19 3.º PERÍODO Convívio/Comemoração Encontro Semana das Línguas: 10 o'clock Tea and scones. Novas estratégias no diagnóstico, prognóstico e tratamento do cancro. Tipo de Objetivos Proporcionar um encontro salutar entre professores, promovendo a convivência entre docentes de todos os grupos disciplinares. Divulgar hábitos culturais do Reino Unido ligados à gastronomia, de uma forma descontraída. Conhecer novas técnicas de diagnóstico, prognóstico e tratamento de doenças, com enfoque no cancro. Público-Alvo Docentes, Pessoal não docente Turma 10CT2 Coordenadores e Colaboradores Coordenadoras: Maria Cândida Gonçalves Pinheiro, Carla Alexandra Ribeiro de Abreu. Coordenadoras: Etelvina Silva, Maria Manuela Branco. Coordenadores: Paulo Alexandre Oliveira Maia Prior, Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Tipologia Calendarização 29/abr/19 29/abr/19 Página 42

43 Aula no Exterior Aula no Exterior Semana das Línguas: 2019 Spelling Bee Competition (concurso de soletração). Semana das Línguas - Dia do Francês Crepes. ABC da cirurgia. Visita à UMinho de Portas Abertas. Peddy Paper. Tipo de Objetivos Incentivar o gosto dos alunos pelo conhecimento da língua inglesa. Fomentar o desenvolvimento de competências de oralidade. Comemorar o "Dia do Francês", no âmbito da Semana das Línguas. Proporcionar a degustação de uma especialidade francesa. Proporcionar aos alunos a visita a um centro de investigação universitário. Conviver com os cientistas e contactar com técnicas e instrumentos de investigação na área da saúde. Realizar atividades experimentais para conhecer novas técnicas de diagnóstico e tratamento de doenças, designadamente técnicas de cirurgia minimamente invasiva. Participar nas oficinas e visitas a laboratórios de investigação da Universidade do Minho. Conhecer a oferta educativa através de apresentações culturais e desportivas, com incidência nas áreas das artes visuais, ciências e engenharias. Promover a aprendizagem através do jogo/ atividades lúdicas. Público-Alvo Turmas 11SE2, 11LH2, 10CT1, 10AV1, 10SE1 Comunidade discente, Docentes, Pessoal não docente Turma 10CT2 Turmas 12CT3, 12.º - 12AV1 Comunidade discente da ESCT Coordenadores e Colaboradores Coordenadoras: Maria Cândida Gonçalves Pinheiro, Etelvina Maria Flor Vieira Silva. Colaboradoras: Carla Abreu, Maria Manuela Branco Benedita Maria Barros Freitas Ferreira. Colaboradores: Ana Paula Passos, Carla Abreu, Carlos Manuel Machado, Fernanda Carvalho, Isabel Lopes, Maria José Oliveira, Maria José Carvalho. Coordenadores: Paulo Alexandre Oliveira Maia Prior, Maria Augusta Oliveira Silva Crespo Ferreira. Coordenadores: Luís Miguel Mendes da Costa, Cláudia Maria Azevedo Domingues. Colaboradores: Carmen Silva, José Olívio Carvalho Coordenadores: Maria Manuela Pereira Calheiros Cruz Aguiar, Maria Isabel Machado, Maria José Ribeiro Freitas Oliveira. Colaboradores: Amadeu Faria e Américo Costa, Ana Guedes, Carla Abreu, Benedita Ferreira, Fernanda Carvalho, Etelvina Silva, Jesus Ballesteros, Paula Passos, Rosa Barros, Tânia Silva. Tipologia Calendarização 29/abr/19 30/abr/19 2/mai/19 2/mai/19 2/mai/19 Página 43

44 Aula no Exterior Convívio/Comemoração Desenvolvimento de produto Aula no exterior à Penha e ao Litoral de Esposende. Sarau Cultural Inclusion. Trabalho performance "Multiculturalidade." Maratona da Leitura. Tipo de Objetivos Contextualizar aprendizagens desenvolvidas na sala de aula na área da Geologia. Conhecer obras de engenharia de proteção da faixa costeira (in loco). Conhecer o património geológico da Penha (in loco). Estimular a expressão artística. Divulgar, na comunidade educativa, as atividades desenvolvidas por entidades/grupos culturais e desportivos locais. Desenvolver técnicas de expressão e de comunicação através do teatro e da dança. Avaliar a importância da diversidade cultural. Estimular o respeito pela diferença. Promover o gosto pela leitura. Público-Alvo Turma 11CT3 Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/co munidade, Outro Turma 11P4 Turmas 12CT2, 12CT3, 12CT4, 12SE1, 12LH1, 12LH2, 11CT1, 11CT2, 11CT4, 11SE2, 11LH1, 10CT1, 10CT2, 10AV1, 10SE1, 10SE2, 10LH1, 10P4, Docentes, Pessoal não docente Coordenadores e Colaboradores Coordenador: Luís Filipe Gomes Pacheco Magalhães. Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. Colaboradores: Carmen Silva, José Olívio Carvalho, Luís Miguel Costa, Manuel Machado, Pedro Ferreira, Teresa Abreu Ana Sofia Guimarães Ferreira Lopes Cruz de Freitas. Maria Gorete Lobo Lima Cruz. Colaboradores: Alexandrina Silva, Américo Costa, Ana Guedes, Ana Paula Passos, António Luís Oliveira, Benedita Ferreira, Carla Carvalho, Carlos Machado, Fernanda Carvalho, Georgina Pereira, José Olívio Carvalho, Lurdes Marques, Manuel Cunha, Maria de Lurdes Ferreira, Manuela Branco, Maria José Oliveira, Maria José Carvalho, Maria Manuela Aguiar, Rosa Barros. Tipologia Calendarização 3/mai/19 3/mai/19 3/mai/19 3/mai/19 Elaboração da mostra para o Sarau Cultural. Desenvolver materiais diversos para a participação e participação no Sarau Cultural. Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores: Dalila Alves Durães, Pedro Manuel Machado Ferreira. 3/mai/19 Página 44

45 Aula no Exterior Desenvolvimento de produto Encontro Aula no Exterior: Oceanário de Lisboa. Mostra da oferta formativa da ESCT [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra de Saberes [6 e 7 de maio de 2019]. Tipo de Objetivos Promover a Educação e Literacia Científica dos Oceanos. Promover a conservação ambiental pela via da consciencialização social e da educação. Promover o reconhecimento da importância dos Oceanos na Alimentação Humana. Desenvolver conhecimentos sobre as influências socioculturais na Alimentação. Divulgar o Curso Profissional Técnico de Desenho de Construções Mecânicas. Esclarecer sobre o funcionamento do Curso Profissional Técnico de Desenho de Construções Mecânicas. na ESCT. Divulgar a oferta formativa da ESCT. Público-Alvo Turmas 11CT1, 11CT2, 11CT3, 10CT2 Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Alexandrina Maria Melo Silva. Colaboradores: Ana Maria Gomes, Luís Filipe Magalhães, Maria José Alves, Paulo Prior. Coordenadoras: Maria Lurdes Machado Silva Marques, Marcela Vaz de Araújo. Coordenadores: Manuel António Coutinho Machado, Américo José Coutinho Machado. Colaboradores: Luís Miguel Costa, Sérgio Machado, Susana Silva Tipologia Calendarização 4/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 Divulgação do Curso Profissional de Técnico de Termalismo. Participação na Mostra Formativa ESCT: Laboratório Aberto [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra formativa 2018/19 Artes Visuais [6 e 7 de maio de 2019]. Divulgar as atividades do Curso Profissional de Técnico de Termalismo. Divulgar a competência técnica e a capacidade organizativa dos alunos. Cultivar o relacionamento entre os pares. Divulgar/realizar atividades laboratoriais/experimentais contextualizadas na disciplina de Biologia e Geologia. Motivar para a importância da investigação científica. Partilhar vivências dos alunos que frequentam o Curso de Ciências e Tecnologias. Divulgar os trabalhos desenvolvidos pelos alunos do Curso Científico-humanístico de Artes Visuais. Turmas 12P4, 10P4, Docentes, Pessoal não docente, Outro Turmas 1CT2, 10CT1 Alunos 12AV1, 11AV1-EE, 10AV1 Coordenador: João António Rodrigues Coelho Teixeira. Colaboradores: Ana Cláudia Costa, António Jorge Fonte, António Luís Oliveira, Fernanda Carvalho, Humberto Campos, Luís Filipe Magalhães, Maria Alice Areias, Natália Bravo, Rosa Barros. Maria José Isidoro Alves; Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenadores: Teresa Maria da Costa Abreu, Lourenço Nuno Silva Mendes, José Olívio Lereno Araújo de Carvalho, Carmen 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 Página 45

46 Participação na Mostra Formativa ESCT: Laboratório Aberto [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra da Oferta Formativa [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra Formativa 2018/2019 da ESCT [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra de Saberes - Divulgação do Curso Científico- Humanístico de Línguas e Humanidades aos alunos do 9.º ano [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra da oferta formativa da ESCT - Divulgação do Curso de Eletrónica Automação e Computadores [6 e 7 de maio de 2019]. Tipo de Objetivos Divulgar/realizar atividades laboratoriais/experimentais contextualizadas na disciplina de Biologia e Geologia. Motivar para a importância da investigação científica. Partilhar vivências dos alunos que frequentam o Curso de Ciências e Tecnologias. Divulgar a oferta formativa para o ano escolar 2019/2020. Divulgar atividades desenvolvidas pelo Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância. Divulgar e promover a mostra formativa da ESCT (Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância). Divulgar o Curso Científico- Humanístico de Línguas e Humanidades aos alunos do 9.º ano. Esclarecer sobre o funcionamento do Curso CH de Línguas e Humanidades na ESCT. Divulgar o Curso de Eletrónica Automação e Computadores aos alunos do 9.º ano. Esclarecer sobre o funcionamento do Curso de Eletrónica Automação e Computadores na ESCT. Público-Alvo Turma 11CT1 Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadores e Colaboradores Dolores Marques Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenadores: Manuel Fernandes Ramos Santos, Ana Sofia Guimarães Ferreira Lopes Cruz de Freitas, Ana Paula Dias Pereira. Colaboradores: Carla Carvalho, José Olívio Carvalho, Lídia Santos, Manuel Cunha, Maria Augusta Ferreira, Maria Gorete Cruz, Paulo Botelho, Tânia Silva Coordenadores: Agostinho Guedes, Américo Machado, Ana Paula Pereira, Ana Sofia Freitas, Manuel Santos. Coordenador: Américo Fernando Silva Costa. Colaboradores: Amadeu Faria, Ana Paula Passos, Carla Abreu, Carlos Manuel Machado, Manuel Cunha, Maria Graça Castro, Maria Manuela Aguiar, Rosa Barros. Coordenadores : João Paulo Araújo; António Pedro Silva. Colaboradores: Dalila Alves Durães, Fernanda Magalhães, Francisco Miguel Costa, Francisco Xavier, Humberto Campos, Luís Gomes, Pedro Ferreira. Tipologia Calendarização 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 Página 46

47 Desenvolvimento de produto Aula no Exterior Mostra de Saberes - Sala de Matemática [6 e 7 de maio]. Festa da Química [6 e 7 de maio de 2019]. Mostra formativa 2018/2019 da ESCT - Divulgação do Científico- Humanístico de Ciências Socioeconómicas [6 e 7 de maio]. Mostra formativa 2018/2019 da ESCT - Divulgação do Curso Profissional de Técnico de Comércio [6 e 7 de maio]. Black box de Multimédia. Visita de estudo ao Museu da Indústria Têxtil e Museu Bernardino Tipo de Objetivos Divulgação da oferta formativa na área da Matemática. Sensibilização para a importância da matemática no prosseguimento de estudos e no ingresso na vida ativa. Divulgar atividades lúdicas relacionadas com a matemática. Divulgar os projetos que foram desenvolvidos ao longo do ano. Evidenciar as aprendizagens efetuadas e a atratividade da disciplina de opção do 12º ano. Divulgar o Curso Científico- Humanístico de Ciências Socioeconómicas aos alunos do 9º ano. Esclarecer sobre o funcionamento do mesmo curso na ESCT Divulgar o Curso Profissional de Técnico de Comércio aos alunos do 9º ano. Esclarecer sobre o funcionamento e as atividades desenvolvidas no Curso Profissional de Técnico de Comércio, na ESCT. Elaboaração de todo o material a disponibilizar e a apresentar na Black box de Multimédia para a Mostra de saberes. Conhecer o papel da região do Vale do Ave no desenvolvimento industrial português, na 2ª metade do século XIX. Público-Alvo Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Turmas 12CT1, 12CT2, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Encarregados de educação/ Comunidade Alunos, Docentes, Pessoal não docente, Outro Turmas 11LH1, 11LH2 Coordenadores e Colaboradores Coordenadoras: Maria Gorete Pires Branco, Cláudia Maria Azevedo Domingues. Colaboradores: Antero Brito, António Filipe Silva, Francisco Assis Silva, Idalina Pereira, José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria Arminda Machado, Maria de Lurdes Marques. Coordenadoras: Maria Conceição Silva Machado, Ana Maria Gomes. Colaboradores: António Jorge Fonte, Francisco Assis Silva, Sandra Prior, Susana Silva. Coordenadores: Gil Santos, Maria do Céu Cardoso. Coordenadores: Maria do Carmo Mendes; Luís Pires e Maria do Céu Cardoso. Coordenadores: Pedro Manuel Machado Ferreira, Dalila Alves Durães. Colaboradores: António Pedro Silva, Carla Fernandes, Fernanda Magalhães, Francisco Costa, Francisco Araújo, Humberto Campos, João Araújo, Luís Miguel Gomes Maria Graça Gomes Barbosa Castro. Tipologia Calendarização 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 6/mai/19 7/mai/19 8/mai/19 Página 47

48 Aula no Exterior Aula no Exterior Encontro Aula no Exterior Aula no Exterior Machado, em Famalicão. Quantas rugas dás ao teu cérebro? "Investigação no envelhecimento do encéfalo". IJump Braga. Visita de Estudo à DALPER, SA. Divulgação Workshop "Aeromodelismo" Visita à cidade de Guimarães. Arte: E[n]scher no Porto. Tipo de Objetivos Avaliar as condições de trabalho e de vida dos primeiros operários.avaliar o papel de Bernardino Machado no período da República. Compreender as condições que conduziram ao esgotamento do regime monárquico e à Implantação da República, em Relacionar o envelhecimento ocorrem modificações morfofisiológicas, como a diminuição de neurónios. Relacionar o envelhecimento do encéfalo com a qualidade do sono. Divulgar ciência e sua contribuição no processo de reflexão e construção de conhecimento. Visitar o espaço Ijump. Praticar saltos nos trampolins. Adquirir/aplicar competências gímnicas. Promover a atividade física em novos contextos. Conhecer um processo de produção. Compreender o mercado de trabalho e as suas implicações. Perceber a influência dos custos de produção na definição dos preços ao consumidor. Divulgação de um Workshop "Aeromodelismo" ao alunos do 9ºano da Escola Básica das Taipas, turmas 9A, 9B e 9C. Sensibilizar para a importância da preservação do património histórico e cultural urbano. Caraterizar as áreas funcionais do espaço urbano. Conhecer a obra de Escher. Observar e analisar manifestações relevantes de diversos estilos artísticos no Porto, nas suas diversas expressões: arquitetura, pintura e escultura. Promover o conhecimento do património histórico, artístico e Público-Alvo Turmas 12CT1, 11CT1, 11CT2 Turmas 10CT1, 10CT3, 10P2 Turma 10P2 Turmas do 9º ano. Turmas 11SE2, 11LH2 Turmas 11AV1, 10CT3, 10AV1 Coordenadores e Colaboradores Colaboradoras: Etelvina Silva, Maria Arminda Machado. Maria José Isidoro Alves. Coordenadores: Luís Miguel Mendes da Costa, Ana Luísa Fernandes dos Santos. Colaboradoras: Carmen Silva, Cláudia Domingues, Francisco Costa, Maria Carmo Mendes. Coordenadores: Manuel Fernandes Ramos Santos Coordenadoras: Maria Lurdes Machado Silva Marques, Marcela Vaz de Araújo. Coordenador: Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira. Colaboradores: Américo Machado, António Manuel Teles. Coordenadores: Manuel Eduardo Teixeira Moreira Cunha, Carmen Dolores Marques Silva. Colaboradoras: Raquel Pereira, Tipologia Calendarização 8/mai/19 10/mai/19 13/mai/19 14/mai/19 15/mai/19 17/mai/19 Página 48

49 Aula no Exterior Encontro Encontro Visita à cidade de Guimarães. Cobertura de vídeo e fotografia da sessão Cidadanias. Workshop "Aeromodelismo" Exposição Coletiva de Trabalhos: Quando o Nosso Corpo Avaria. Exposição Coletiva de Trabalhos: Geomonumentos; Materiais Geológicos e Conservação do Património Natural. Exposição de trabalhos Nepso e Rato de Biblioteca. Exposição Coletiva de Trabalhos: Comemoração do Dia do Geólogo". Tipo de Objetivos cultural português e sensibilizar para a sua salvaguarda e preservação. Conhecer a cidade de Guimarães do ponto de vista arquitetónico, cultural e funcional. Aplicar técnicas multimédia em contexto formal. Divulgar o "Aeromodelismo" aos alunos do 9.º ano da escola Básica das Taipas. Identificar o sistema do corpo humano relativo à patologia em estudo. Identificar os sintomas típicos da patologia em estudo. Descrever meios de diagnóstico. Analisar as causas da patologia, formas de prevenção e tratamento da doença. Investigar a história geológica de um dado local. Analisar as formações geológicas presentes. Analisar as condições geológicas de formação do Geomonumento. Aplicar os conhecimentos geológicos no sentido da Preservação do Património Geológico. Divulgar à comunidade escolar os trabalhos Nepso e Rato de Biblioteca realizados durante o ano letivo. Divulgar os temas que foram tratados no âmbito da metodologia científica. Divulgar boas práticas de trabalho de projeto. Reconhecer a importância da Geologia na sociedade moderna. Assumir atitudes de defesa do património geológico. Divulgar a aplicação dos conhecimentos geológicos para minimização dos problemas ambientais causados pelo Homem. Público-Alvo Turma 11LH1 Turma 11P3 Alunos do 9º ano. Turma 10CT1 Turma 11CT1 Turma 10P2, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade, Outro Turma 10 CT1 Coordenadores e Colaboradores Cândida Pinheiro, Teresa Abreu. Coordenadores: Sérgio Nuno Carvalho Silva, Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira. Colaborador: Paulo Pereira Dalila Alves Durães. Coordenadoras: Maria Lurdes Machado Silva Marques, Marcela Vaz de Araújo. Alexandrina Maria Melo Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. Coordenadores: Maria Carmo Martins Mendes, Luís Manuel Amado Pires, Lídia Maria Silva Calvão Morgado Santos, Gil Manuel Morgado Santos. Alexandrina Maria Melo Silva Tipologia Calendarização 17/mai/19 18/mai/19 23/mai/19 24/mai/19 27/mai/19 29/mai/19 31/mai/19 Página 49

50 Tipo de Objetivos Público-Alvo Coordenadores e Colaboradores Tipologia Calendarização Encontro Aula no Exterior Aula no Exterior Apresentação ao público do filme "Livro Maldito". Momentos...Melgaço. Visita de Estudo ao Supermercado CONTINENTE BOM DIA (Caldas das Taipas). Aula no exterior - Almoço convívio. Preparar o local, o material a projetar e som. Mobilizar a comunidade local para a apresentação do filme "Livro Maldito". Visitar os espaços museológicos de Melgaço : "Espaço Memória e Fronteira", "Núcleo Museológico da Torre de Menagem", Museu do Cinema Jean Louis Passek", Solar do Alvarinho. Compreender a organização e gestão do espaço da loja, como exercício de sedução do consumidor. Conhecer as técnicas de exposição dos produtos no ponto de venda. Perceber as ações de animação e valorização dos produtos no ponto de venda, de forma a influenciar a decisão de compra do consumidor. Deslocar-se nos espaços públicos. Sensibilizar para a utilização de transportes públicos. Consultar preços, efetuar pagamentos e conferir trocos. Turmas 12P3, 11P3, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Docentes, Pessoal não docente Turma 10P2 Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1-EE, 11SE2-EE, 10CT3 Coordenadores: Pedro Manuel Machado Ferreira, Dalila Alves Durães. Colaborador: Amadeu Faria Coordenadores: Maria Graça Gomes Barbosa Castro, Américo Fernando Silva Costa, Amadeu José Morais Gomes de Faria. Colaboradores: Manuel Cunha, Manuel Santos. Coordenadores: Manuel Fernandes Ramos Santos, Maria do Céu Antunes Cardoso. Coordenadoras: Maria de Lurdes Amorim Ferreira, Georgina Maria Lima Pereira. 31/mai/19 1/jun/19 3/jun/19 3/jun/19 Workshop "Aeromodelismo" Realização de um workshop "Aeromodelismo" aos alunos do 9.º ano da escola Básica das Taipas. Alunos do 9º ano. Maria Lurdes Machado Silva Marques. 4/jun/19 Encontro Debate: Comemoração do Dia do Ambiente: Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Comemoração do Dia do Ambiente : Exposição de Trabalhos. Consciencializar para a Preservação do Património Ambiental. Divulgar os objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Sensibilizar para a Preservação dos Recursos Naturais. Consciencializar para a Preservação do Património Ambiental. Capacitar a Comunidade Escolar no sentido de se tornarem agentes ativos do Desenvolvimento Sustentável. Sensibilizar para a preservação dos Recursos Naturais. Turmas 11CT1, 10CT1 Turma 11CT1 Alexandrina Maria Melo Silva. Alexandrina Maria Melo Silva. 5/jun/19 5/jun/19 Página 50

51 Aula no Exterior Aula no Exterior Aula no Exterior A educação física e a matemática. Workshop de escrita criativa. Workshop de escrita criativa. Tipo de Objetivos Contactar com uma atividade física alternativa num novo contexto: a prática da canoagem. Promover hábitos saudáveis. Identificar no meio envolvente formas geométricas que possam ser definidas por funções. Estimular a criatividade através da escrita. Estimular a criatividade através da escrita. Público-Alvo Turma 10CT3 Turma 10CT1 Turma 11CT2 Coordenadores e Colaboradores Cláudia Maria Azevedo Domingues, Luís Miguel Mendes da Costa. Coordenadores: Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira, Maria José Ribeiro Freitas Oliveira, Maria Manuela Pereira Calheiros Cruz Aguiar. Coordenadores: Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira, Maria José Ribeiro Freitas Oliveira, Maria Manuela Pereira Calheiros Cruz Aguiar. Tipologia Calendarização 11/jun/19 Convívio/Comemoração Trabalho performance para cerimónia da entrega de diplomas do dia da ESCT - Apresentação de uma canção coreografada. Desenvolver a motivação e a autoconfiança dos alunos. Turmas 12P5, 11P4, Docentes, Pessoal não docente, Encarregados de educação/ Comunidade Coordenadoras: Ana Sofia Guimarães Ferreira Lopes Cruz de Freitas. Colaboradora: Ana Sofia Freitas. Desenvolvimento de produto Exposição de gravura - ilustração de poemas de Fernando Pessoa (articulação pedagógica entre as disciplinas de Português Oficina de Artes). Conhecer novos materiais e técnicas de representação. Desenvolver a criatividade e o espírito crítico. "Transformar" texto em imagem. Alunos 12AV1, Docentes, Pessoal não docente Coordenadoras: Carmen Dolores Marques Silva, Ana Paula Vaz Passos. Dramatização "Os músicos de Bremen". Desenvolver técnicas de expressão e de comunicação. Desenvolver experiências lúdicas/jogos com crianças. Turma 12P5 Ana Sofia Guimarães Ferreira Lopes Cruz de Freitas. Velocidade - Atleta Escolar do Ano. Fomentar hábitos regulares de prática desportiva. Proporcionar hábitos de competição éticos. Proporcionar a socialização entre os alunos da Escola, em ambiente desportivo. Aplicar os conhecimentos adquiridos na disciplina da Educação Física. Turmas 10.º, 11.º, 12.º Coordenadores: António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Américo José Coutinho Machado. Página 51

52 Tipo de Objetivos Público-Alvo Coordenadores e Colaboradores Tipologia Calendarização Divulgação do Workshop "Aeromodelismo" Divulgar o Workshop "Aeromodelismo" aos alunos do 9ºD, 9ºE e 9ºF da Escola Básica das Taipas. Alunos do 9º ano Coordenadoras: Maria Lurdes Machado Silva Marques, Marcela Vaz de Araújo. Desenvolvimento de produto Virtual Trips (selo de qualidade da Agência Nacional dos projetos etwinning). Consolidar aprendizagens no CERN efetuadas pelos alunos da ESCT e à NASA pelos alunos da IES de LEPE. Partilha de experiências e de saberes entre alunos de contextos culturais diversos. Estimular o uso de tecnologias de comunicação e de informação das em contexto de sala de aula. Turma 11CT1 Coordenador: Francisco Assis Leite Silva. Página 52

53 9.3. ATIVIDADES INTEGRADAS EM PROJETOS ESTRUTURANTES Ao Sabor dos Livros Coordenação: Maria Isabel de Bessa e Meneses Machado Colaboradores Permanentes: Maria José Oliveira e Maria Manuela Aguiar Objetivos principais (3 a 5 máx.): Partilhar o prazer de ler. Sentir o mundo da ficção literária. Promover a criação de contextos diversificados de leitura. Promover o gosto e o conhecimento da literatura de expressão portuguesa. Encenar textos. s principais 1º Concurso Literário "A terra onde a lua fala" [ao longo do ano] Oficinas de formação/ensaios/percursos da encenação [ao longo do ano] Destinatários Turmas 12P3, 11CT1, 11CT2, 11CT4, 10CT1, 10SE1, 10SE2 Docentes, Pessoal Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Colaboradores ocasionais Calendarização 17/set/18 17/set/18 Leituras para Desassossegar Comunidade discente 16/nov/18 "Contos de Tramas". Anuário ESCT Coordenação: Dalila Durães; Pedro Ferreira Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Turmas 12P3, 11CT1, 11CT2, 11CT4, 10CT1, 10SE1, 10SE2 Criar um documento onde permaneça a memória da escola em todas as suas dimensões; Intensificar as relações entre a Escola e o meio em que ela se insere. s principais Introdução dos projetos e atividades Destinatários não docente, Encarregados de educação/comunidade Colaboradores ocasionais 4/jul/19 Calendarização 23/mai/19 Sessão fotográfica das Turmas Alunos 10/mai/19 Introdução dos nomes dos alunos, do pessoal docentes e não docentes e dos dados estatísticos não docente, Encarregados de educação/comunidade 14/mai/19 Sessão fotográfica funcionários não docentes Pessoal não docente 14/mai/19 Elaboração das estatísticas do Anuário Sessão fotográfica aos professores Tratamento de todas as fotografias Elaboração da imagem gráfica do Anuário não docente, Encarregados de educação/comunidade Docentes, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade 15/mai/19 15/mai/19 20/mai/19 20/mai/19 Página 53

54 Introdução das fotografias das turmas, pessoal docente e não docente Seleção de todo o material para o anuário não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade 22/mai/19 23/mai/19 APPforGOOD Coordenação: António Pedro Ferreira da Silva; Carla Fernandes. Colaboradores Permanentes: Dalila Alves Durães, Fernanda Magalhães, Francisco Miguel Costa, Francisco Xavier, Humberto Campos, João Araújo, Luís Gomes, Pedro Ferreira. Objetivos principais (3 a 5 máx.): APPS FOR GOOD é um programa educativo que está em fase de pilotagem no nosso país. Com este projeto pretende-se desafiar grupos de alunos apoiados por professores, a assumir o papel de Problem Solvers e Digital Makers. Ao longo de todo o processo de criação de uma App que contribua para a resolução de um problema da comunidade escolar. Resolução de problemas da comunidade através das novas tecnologias No âmbito das suas atividades extra curriculares, os jovens são desafiados a desenvolver soluções tecnológicas, nomeadamente aplicações, que contribuam para a resolução de um problema da sua escola ou da comunidade onde vivem. s principais Formação Apps for Good 18/19 Sessões Síncronas. Apps for Good 2018/2019 1ª Visita de acompanhamento à Escola. Apps for Good 2018/2019 Projecto Taipas Vs trash, implementação. Apps for Good 2018/2019 Projecto Taipas Vs trash, implementação. 2ª visita Programa Apps for Good. Docentes Destinatários Turmas 12P1, 11P1, 10P1, Docentes, Comunidade local Turmas 10P1, 11P1, 12P1 Turmas 10P1, 11P1, 12P1 Turmas 10P1, 11P1, 12P1, Docentes, Comunidade local Colaboradores ocasionais Colaboradores externos: Ana Paula Alves da Costa (Engenheira de Sistemas); J. Carvalho da Silva e Filhos, Lda. (Patrocinador); Paula Fernandes, Matilde Buisel, Priscila Andrade (Coordenação AppForGood). Alunos 10P1, 11P1, 12P1; Colaboradores externos: Ana Paula Alves da Costa (Engenheira de Sistemas); J. Carvalho da Silva e Filhos, Lda. (Patrocinador); Paula Fernandes, Matilde Buisel, Priscila Andrade (Coordenação AppForGood); Calendarização 13/nov/18 13/nov/18 27/nov/18 6/mar/19 16/mai/19 Página 54

55 5ª Edição Apps for Good 18/19Apps for Good - Pitch - Concurso Regional. Turma 11P1, Docentes, Encarregados de Educação/Comunidade, Pessoal Não Docente Colaboradores externos: Ana Paula Alves da Costa (Engenheira de Sistemas); J. Carvalho da Silva e Filhos, Lda. (Patrocinador); Paula Fernandes, Matilde Buisel, Priscila Andrade (Coordenação AppForGood); 28/jun/19 Biblioteca Escolar/ Centro de Recursos Coordenação: Fernanda Maria Carvalho Colaboradores Permanentes: Mª Augusta Ferreira, Rosa Barros; Mª Céu Cardoso e Luís Miguel Gomes Objetivos principais (3 a 5 máx.): Funcionar como núcleo da organização pedagógica da Escola; Constituir um recurso afeto ao desenvolvimento das atividades de ensino e de aprendizagem, das áreas curriculares disciplinares e não disciplinares, das atividades extracurriculares, de enriquecimento curricular e da ocupação dos tempos escolares; Favorecer a afirmação de novos paradigmas e modalidades de ação educativa, reclamando a adesão e envolvimento da comunidade educativa; Contribuir para a aprendizagem ao longo da vida, promovendo a consolidação de literacias fundamentais para uma sociedade baseada no conhecimento. s principais Articulação com o Conselho Pedagógico [ao longo do ano letivo] Destinatários Pessoal Docente Colaboradores ocasionais Calendarização 7/set/18 Articulação com os Departamentos Curriculares /Secções Disciplinares /Diretores de Turma / Diretores de Curso [ao longo do ano letivo] Turmas 12AV1-EE, 12SE1, 12SE1-EE, 12SE2, 12SE2-EE, 12LH1, 12LH2, 12P1 7/set/18 Sugestões de leitura [ao longo do ano letivo] Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade local 17/set/18 MABE: recolha de dados [ao longo do ano letivo] Comunidade escolar 17/set/18 Enriquecimento do fundo documental: aquisição de documentos em diferentes suportes [ao longo do ano letivo]. Atualização do facebook da BE [ao longo do ano letivo]. Articulação com o grupo de informática: manutenção dos equipamentos informáticos e respetivo software [ao longo do ano letivo]. Empréstimo domiciliário [ao longo do ano letivo]. Empréstimo do acervo documental da BE para a Sala de Aula [ao longo do ano letivo]. Enriquecimento do fundo documental: recolha de sugestões [ao longo do ano letivo]. Aprender com a BE: literacia da leitura, da informação e dos media [ao longo do ano letivo]. Comunidade discente da ESCT Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade local Comunidade escolar Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade local Alunos e Pessoal Docente Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade local Alunos e Pessoal Docente Francisco Costa, Francisco Araújo 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 Página 55

56 Apoio à utilização do espaço e dos recursos da BE para o desenvolvimento das atividades letivas [ao longo do ano letivo]. Produção de materiais de apoio aos utilizadores: guiões, tutoriais sobre a pesquisa e uso da informação, recursos e ferramentas de trabalho e o uso adequado da NET [ao longo do ano letivo]. Base de dados RBE: levantamento de dados estatísticos [ao longo do ano letivo]. Concursos literários: divulgação de informação e respetivos regulamentos [ao longo do ano letivo]. Participação no grupo de trabalho da Rede de Bibliotecas Escolares de Guimarães [ao longo do ano letivo]. Sessões de trabalho da Equipa da BE [ao longo do ano letivo]. As obras do Projeto de Leitura [ao longo do ano letivo] Manutenção da funcionalidade dos serviços de registo de presenças dos alunos, de catalogação, informatização e requisição da coleção [ao longo do ano letivo]. Exposição de novidades, notícias.[ao longo do ano letivo] Articulação com o Conselho de Diretores de Turma [ao longo do ano letivo]. Articulação com a BE do AE das Taipas [ao longo do ano letivo]. Participação na lista de difusão da RBE [ao longo do ano letivo]. Formação de utilizadores: " À descoberta da BE/CRE da ESCT" PNPSE: Apoio geral a alunos e OPIB/Sala de Estudo:[ao longo do ano letivo]. - Apoio aos utilizadores no âmbito da leitura, estudo, orientação na pesquisa da informação e utilização dos suportes multimédia e de texto. - Apoio à aquisição e ao desenvolvimento de métodos de trabalho e estudo. - Apoio informal aos utilizadores nas suas atividades livres. - Apoio a grupos/turmas/ alunos em trabalho orientado na BE. Página 56 Alunos e Pessoal Docente Alunos e Pessoal Docente Comunidade local Alunos e Pessoal Docente Comunidade local Pessoal Docente Comunidade discente Comunidade escolar Comunidade escolar Pessoal Docente Alunos e Pessoal Docente Comunidade local Alunos do 10º ano Comunidade discente da ESCT Luís Miguel Gomes, Maria Augusta Ferreira, Maria do Céu Cardoso, Rosa Barros João Teixeira, Maria José Alves Ana Maria Guedes, António Luís Oliveira, Carmen Silva, Idalina Pereira, José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria Gorete Cruz, Maria José Oliveira, Maria Manuela Branco, Marta Ferreira, Paulo Prior, Rosa Barros Ana Maria Gomes, Ana Paula Passos, Antero Brito, António Luís Oliveira, António Manuel Teles, Benedita Ferreira, Carla Abreu, Deolinda Pereira, Etelvina Silva, Ilda Carneiro, José Temporão Rodrigues, José Vieira Pereira, Lídia Santos, Manuel Cunha, Maria Alice Areias, Maria Cândida Pinheiro, Maria Conceição Machado, Maria do Céu Cardoso, Maria de Lurdes 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 24/set/18 1/out/18

57 Recolha/compilação de materiais pedagógicos de apoio ao currículo para a Sala de Estudo [ao longo do ano letivo]. Efemérides: Halloween versus Pão de Deus. Base de dados RBE: recursos humanos O Escritor vem à Escola: Alberto Santos (articulação com a editora promotora do evento). Formação de utilizadores no âmbito das literacias da informação: pesquisa da informação, uso da Internet, a ética da informação e o respeito pelos direitos de autor; as referências bibliográficas. Dinamização do "Concurso Nacional de Leitura" (13.ª edição) - Fase de escola: elaboração das provas escrita e oral. Articulação com a Educação Especial: elaboração do projeto "Todos Juntos Podemos Ler" Dinamização do "Concurso Nacional de Leitura" (13ª edição) -Fase Escola: seleção dos candidatos à fase municipal. "À conversa com.. Professor Doutor Sobrinho Simões". Dia da Internet Segura: visionamento do vídeo "Together for a better internet!". Alunos e Pessoal Docente não docente, Encarregados de educação/comunidade Comunidade discente da ESCT Marques, Paulo Pereira, Sérgio Silva Carla Abreu, Manuel Cunha, Maria Conceição Machado, Maria Isabel Machado, Rosa Barros Amadeu Faria, Américo Costa, Manuel Cunha, Maria Graça Castro 1/out/18 31/out/18 31/out/18 26/nov/18 Turma11P3 Manuel Cunha 11/dez/18 Comunidade discente da ESCT Comunidade discente da ESCT Rosa Barros 13/dez/18 21/dez/18 Alunos do 10º e 12º anos Rosa Barros 2/jan/19 Turmas 12CT1, 12CT3, 11CT1, 11CT2, 11CT3, 11P4, 10CT1, 10CT2, 10CT3, 10P4 e docentes Comunidade discente da ESCT Alexandrina Silva, Ana Maria Guedes, António Manuel Teles, Benedita Ferreira, Carla Fernandes, Cláudia Domingues, José Vieira Pereira, Luís Filipe Magalhães, Maria Augusta Ferreira, Maria Manuela Aguiar, Pedro Ferreira, Rosa Barros. Francisco Araújo 1/fev/19 5/fev/19 Concurso "Faça Lá um Poema". Turma 10AV1 Maria Gorete Cruz 15/fev/19 Efemérides: Dia Internacional da Língua Materna. "Concurso Nacional de Leitura" (13ª edição) - Fase Municipal. Semana Concelhia da Leitura: exposição biobibliográfica de Sophia de Mello Breyner Andresen. Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 21/fev/19 Alunos do 10º e 12º anos Rosa Barros 22/fev/19 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade local 7/mar/19 Semana Concelhia da Leitura/ Dia Internacional da Mulher: o mundo do robô Sophia. Comunidade discente da ESCT Rosa Barros 8/mar/19 Semana Concelhia da Leitura: Diogo Piçarra em Pessoa. Alunos do 12º ano, Docentes Amadeu Faria, Américo Costa, Ana Paula Passos, António José Fonseca, Carla Fernandes, Carla Carvalho, Carlos Manuel Machado, 11/mar/19 Página 57

58 Divulgação dos trabalhos de alunos: Poemas de Fernando Pessoa (ortónimo e heterónimo) - trabalhos em xilogravura, pirogravura e pintura em madeira. Concurso Nacional de Leitura: fase intermunicipal. Exposição "Domínio da Saúde". Exposição "Orçamento do Estado Explicado". Coordenação dos relatórios de autoavaliação dos membros da Equipa da BE e da Equipa OPIB (em parceria com o projeto "Comunicar com Moodle") Turma 12AV1 e restante comunidade escolar Cláudia Domingues, Fernanda Magalhães, Georgina Pereira, Idalina Pereira, João Teixeira, José Olívio Carvalho, Maria Augusta Ferreira, Maria de Lurdes Ferreira, Maria Isabel Machado, Paulo Botelho, Rosa Barros, Sérgio Silva, Susana Silva Ana Paula Passos 14/mar/19 Alunos do 10º e 12º anos Rosa Barros 29/abr/19 Turma 10CT2 Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade Turma 11SE2 Comunidade escolar, Encarregados de Educação/ Comunidade local Pessoal Docente Augusta Ferreira, Paulo Prior Céu Cardoso 3/jun/19 3/jun/19 15/jul/19 MABE: relatório de avaliação Comunidade local 26/jul/19 Projeto BE/CRE da ESCT: relatório final Comunidade local 26/jul/19 Base de dados RBE: relatório final Comunidade local Luís Miguel Gomes 26/jul/19 Centenário da Grande Guerra - A Saga de um Combatente Coordenação: Gil Santos Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Vincular a escola às comemorações do centenário da Grande Guerra. Incentivar alunos e público em geral para a temática da intervenção de Portugal na Grande Guerra. Estimular os alunos para a pesquisa sobre a intervenção de Portugal na Grande Guerra. Perceber as principais consequências da intervenção portuguesa na Grande Guerra. Conhecer e valorizar a participação dos expedicionários portugueses na Grande Guerra. s principais Preparação do projeto: Conceber uma apresentação da obra "A Saga de uma Combatente na I Guerra Mundial, de Chaves a Copenhaga". Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Santos Simões - Guimarães. Centenário da Grande Guerra - Apresentação na Escola de S. Martinho em Santo Tirso Destinatários Alunos, Docentes Alunos, Docentes Alunos, Docentes Colaboradores ocasionais Calendarização 17/set/18 22/out/18 25/out/18 Página 58

59 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola de Ronfe - Guimarães. Alunos, Docentes 29/out/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola da Ponte em Vila das Aves. Alunos, Docentes 30/out/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Escola Secundária Alberto Sampaio - Braga. Alunos, Docentes 31/out/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola de Pevidém - Guimarães. Alunos, Docentes 5/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na escola da Lixa - Felgueiras. Alunos, Docentes 12/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Secundária de Amares. Alunos, Docentes 13/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Secundária de Caldas das Taipas. Turmas 12SE1, 12LH2, 11LH1, 10SE1 Docentes Maria da Graça Castro 14/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Secundária Emídio Navarro - Lisboa. Alunos, Docentes 17/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Secundária da Guarda e no Auditório Municipal da Guarda. Alunos, Docentes, Comunidade local 19/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Secundária da Guarda. Alunos, Docentes 19/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola de Celeirós - Braga. Alunos, Docentes 26/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente - Apresentação na Escola Na Escola de Arnoso. Alunos, Docentes 27/nov/18 Centenário da Grande Guerra - a saga do combatente- Apresentação na Escola Fernão de Magalhães em Chaves. Alunos, Docentes 7/jan/19 Clube de Astronomia Coordenação: Francisco Assis Silva Colaboradores Permanentes: Jorge Fonte Objetivos principais (3 a 5 máx.): Incentivar nos alunos o interesse pela Ciência; Explorar e desenvolver métodos de observação e atividades práticas de astronomia; Incutir o fascínio da observação e do desenvolvimento de atividades direcionadas para os conteúdos programáticos; Permitir o acesso a novos meios de aprendizagem científica. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Relógio Solar Alunos, Docentes 22/nov/18 Página 59

60 Observação Noturna Turmas 12CT4, 11CT1, outros alunos, Encarregados de educação/comunidade 11/jan/19 Visita de estudo ao CERN e a Genebra - Suíça Turma 11CT1 27/jan/19 Olimpíadas de astronomia Turmas 12CT2, 12CT4, 11CT1 27/mar/19 Clube de ao Ar Livre Coordenação: Américo Machado; António Fonseca Colaboradores Permanentes: Manuel Machado; Miguel Costa Objetivos principais (3 a 5 máx.): Organizar, dinamizar e operacionalizar atividades de ar livre e desportos de natureza. Conhecer e cumprir as normas de segurança específicas dos desportos de natureza e as regras de preservação ecológica. Conhecer o equipamento específico das diferentes atividades, identificando e utilizando corretamente o material. Fomentar o gosto pela natureza e pelas atividades desportivas a ela ligadas. s principais interna - escalada, rapel, corrida de orientação e tiro com arco [4ª feiras, das 16h às 18h, ao longo do ano]. Destinatários Comunidade discente Colaboradores ocasionais Calendarização 3/out/18 Cicloturismo - Ecopista da Linha do Tâmega Comunidade discente 22/out/18 Desportos de Inverno - Serra da Estrela [11 e 12 de janeiro]. Comunidade discente 15/jan/19 Marcha de Montanha - Pequena Rota Gerês. Pessoal Docente 16/mar/19 XXV Fim de Semana Radical - 9 e 10 de junho de Comunidade discente 9/jun/19 Clube de Automação e Robótica Coordenação: António Pedro Silva; João Paulo Araújo Colaboradores Permanentes: Carla Fernandes, Dalila Alves Durães, Fernanda Magalhães, Francisco Miguel Costa, Francisco Xavier, Humberto Campos, Luís Gomes, Pedro Ferreira. Objetivos principais (3 a 5 máx.): Dinamização do clube de automação e Robótica. Articulação entre os cursos profissionais na área da Informática. Treinar o raciocínio lógico-abstrato. Fomentar métodos de " aprender fazendo. Fomentar criatividade e espírito de equipa. Desenvolver competências interdisciplinares. Ano 0: Atribuição de nome; Criação dos estatutos; Criação do LOGO; Criação das oficinas. Ano 1...: Desenvolvimento das propostas e a propor; participação em s/ Campeonatos/Concursos. s principais Criação do Logo do Clube Preparação do Espaço destinado a abranger a oficina de Automação e Robótica ( sala AR 2.2 A4) Levantamento, Organização e Armazenamento do equipamento existente. Criação de Robot's com recurso aos Kit lego NXT. Treino com os Humanoides. Destinatários Turmas 12AV1, 12P1, 12P3, 11P1, 10P1 Docentes Turmas 11P1, 10P1 Pessoal Docente e Pessoal Não Docente Turma 10P1 Turmas 11P1, 10P1 Colaboradores ocasionais Calendarização 3/jan/19 19/fev/19 12/mar/19 15/mar/19 Página 60

61 Mostra de Saberes - Apresentação a Comunidade escolar dos projetos/ atividades desenvolvidas Estatutos não docente, Encarregados de educação/comunidade local não docente, Encarregados de educação/comunidade local 7/mai/19 7/jan/19 Clube de Ciência Coordenação: Jorge Fonte Colaboradores Permanentes: Gorete Branco; Gracinda Rodrigues; Francisco Assis. Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver atividades de índole científica com os alunos; Promover abordagens científicas numa perspetiva espácio-temporal agregadora de conhecimentos de diferentes áreas da ciência. Promover a interdisciplinaridade. Vocacionar os alunos de secundário para as áreas científicas e tecnológicas. Realizar s que despertem nos alunos do ensino secundário o gosto pela Ciência e Tecnologia. Incitar o ensino superior a ser mais aberto ao mundo exterior, nomeadamente para a realidade do ensino secundário. Fomentar o espírito crítico. Estimular a curiosidade e conhecimento acerca da produção científica produzida, a fim de se perceber o verdadeiro impacto. s principais Um dia no mundo da Ciência e Tecnologia. Química e a Saúde. Manutenção da informação genética e a sua manipulação. Um robot para ser inteligente precisa de "ter dentro de si" matemática. CERN Destinatários Turmas 12CT4, 11CT1 Turmas 11CT2, 11CT3, 11CT4, 10CT1 Turmas 12CT1, 11CT2, 11CT3 Turmas 12CT1, 11CT3, 11CT4, 11P1 Turmas 11CT1, 10CT1, 10CT2, 10CT3 Colaboradores ocasionais Deolinda Pereira, Francisco Assis Silva Alexandrina Silva, Ana Maria Gomes, Maria Conceição Machado, Maria José Alves, Paulo Prior, Sandra Prior Ana Maria Guedes, Deolinda Pereira, Maria José Carvalho António Filipe Silva, António Manuel Teles, Idalina Pereira, Maria Gorete Branco Calendarização 4/dez/18 8/jan/19 9/jan/19 10/jan/19 11/jan/19 O lado escuro do Universo. Turmas 12CT4, 11CT1 Francisco Assis Silva 11/jan/19 Os segredos submersos do Litoral Norte. Viagens a Marte, leitores de CD e outras histórias. Uso de técnicas modernas de análise de dados. Visita ao litoral. Turmas 11CT1, 11CT2 Turmas 10SE1, 10SE2, 10LH1, 10P1 Turmas 12CT2, 12CT4, 11CT1 Turmas 11CT1, 11CT2, 10CT2 Alexandrina Silva, António Jorge Fonte, Maria José Alves José Temporão Rodrigues, Maria Alice Areias, Maria Arminda Machado, Maria de Lurdes Ferreira António Filipe Silva Luís Filipe Magalhães, Maria Augusta Ferreira, Maria José Alves 14/jan/19 14/jan/19 26/mar/19 27/abr/19 Página 61

62 Clube ESCT em Movimento [alunos] Coordenação: Sofia Ribeiro; André Gonçalves; Érica Salgado; António Mendes (12LH2) Colaboradores Permanentes: Margarida Gonçalves- 12SE2; Diogo Silva- 11SE2; Margarida Ribeiro- 11CT2; Leonor Silva- 12CT2; Beatriz Esteves- 11CT2; Luís Alexandre- 11CT2 Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver na ESCT atividades de âmbito muito diverso como o a ciência e a solidariedade/ valorizando o Plano Anual de s desta Escola. Envolver a comunidade local e escolar na partilha de conhecimentos e testemunhos perante as efemérides. Revelar à comunidade a importância de sermos um clube político não partidário, mostrando diferentes pontos de vista aos alunos, cidadãos em formação. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Rádio ESCT [durante o ano letivo] Comunidade escolar 17/set/18 Voluntariado. Comunidade escolar e comunidade local A ESCT é Natal. Comunidade escolar Comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. ESComTalento Comunidade escolar Comunidade escolar e comunidade local Raquel Pereira (GAAF) Alunos da Escola Inclusiva Articulação com todas as turmas da ESCT articulada com a turma 11ºCT2. 28/out/18 29/nov/18 3/dez/18 7/dez/18 Comemoração do Dia dos Direitos Humanos. Comunidade escolar Raquel Pereira (GAAF) 10/dez/18 Dia Mundial da Luta Contra O Cancro A Consciencialização. Dia Mundial da Luta Contra O Cancro Um Testemunho. Dia Mundial da Luta Contra O Cancro "A força de um familiar. Palestra: E depois do Secundário? À conversa com ex-alunos. Carnaval é desfile. Baile Anos 60 Intergeracional. Palestra: Dia Internacional da Mulher À Conversa com Apresentação do Orçamento Participativo Escolar. Comunidade escolar Raquel Pereira (GAAF) 4/fev/19 Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar e comunidade local Comunidade escolar e comunidade local Comunidade escolar Comunidade escolar Prof. Ana Guedes (11ºLH1); Prof. Manuela Aguiar (12LH2); Prof. Humberto Campos (12SE2) Prof. Ana Guedes (11ºCT2); Prof. Mário Alves (10ºCT3); Prof. Alfredo Oliveira, (11ºLH2). Prof. Américo Costa (12ºLH2); Prof. Arminda Machado (11ºLH2); Prof. Alfredo Oliveira (11ºLH1); Prof. Benedita Machado, (10ºLH1). Inês Borges, 12ºLH2; Sónia Freitas, 12ºLH2; Diana Freitas, 12ºLH2; Catarina Silva, 12ºAV1; Junta de Freguesia de Caldelas Prof. Etelvina Silva (11ºSE1); Prof. Assis Silva (11ºCT2); Prof. Américo Costa; Articulação com os alunos de Ciência Política com a orientação de prof. Graça Castro. 12/fev/19 13/fev/19 25/fev/19 1/mar/19 5/mar/19 8/mar/19 15/mar/19 Página 62

63 Comemoração do Dia da Consciencialização do Autismo. Sarau Inclusion- Parte Espetáculo Campanha de solidariedade: Uma Causa Chamada Moçambique. Organização da atividade Mesas de Turma. Voluntariado na competição Molinhas - Rope Skipping. Palestra: "Os Jovens e a Democracia". Eleições Europeias - Voluntariado no acompanhamento". Montagem do material do Orçamento Participativo Escolar Tempos manuais" (apoio ao projeto Mindfulness) reabilitação de paletes. Comunidade escolar Comunidade escolar e comunidade local Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar e comunidade local Comunidade escolar Comunidade local Catarina Pantaleão, 12ºLH2; Maísa Neto, 12ºLH2; Cláudia Pantaleão, 12ºLH2; Margarida Duarte, 12ºLH2; Diogo Ribeiro, 12ºLH2; Pedro Maia, 12ºLH2; Departamento de Expressões; GAAF Diogo Ribeiro, 12ºLH2; Gonçalo Duarte, 12ºLH2; Prof. Américo Costa; Dra. Raquel Pereira Diogo Ribeiro, 12ºLH2; Gonçalo Duarte, 12ºLH2; Pedro Maia, 12ºLH2; João Alves (12LH2); D. Amélia (Reprografia) JS Taipas; Dra. Adelina Pinto (Vereadora da Educação na Câmara Municipal de Guimarães) Junta de Freguesia de Caldelas 2/abr/19 3/abr/19 4/abr/19 5/abr/19 27/abr/19 8/mai/19 26/mai/19 Comunidade escolar Sr. Macedo 31/mai/19 Comunidade escolar Catarina Pantaleão, 12ºLH2; Maísa Neto, 12ºLH2; Diana Freitas, 12ºLH2; João Alves, 12ºLH2; Diogo Ribeiro, 12ºLH2. 18-fev-2019 a 28-fev-2019 "Celebrar o 25 de Abril" Comunidade escolar 24 a 29-abr-19 "O ESCT foi o ESCT irá ser " Comunidade escolar Raquel Pereira (GAAF) 4 e 5-jun-19 "Voluntariado" Comunidade escolar e comunidade local Raquel Pereira (GAAF) 6 e 7 - abr-19 Clube Europeu Coordenação: Manuel Fernandes Ramos Santos Colaboradores Permanentes: Luís Pires; Carmo Mendes; Graça Castro; Pedro Ferreira Objetivos principais (3 a 5 máx.): Contribuir para a formação e consolidação de uma consciência europeia. Promover o exercício da cidadania europeia. Contribuir para a compreensão de pluralismo europeu, nas suas semelhanças e nas suas diferenças. Fomentar a interdisciplinaridade. A ESCT Engalanada. s principais Destinatários não docente, Encarregados de educação/ Comunidade local Colaboradores ocasionais Calendarização 9/mai/19 Página 63

64 Divulgação de vídeos alusivos à Europa. Exposição de trabalhos alusivos à Europa, subordinado ao tema "A Europa, a Casa da Democracia". Hastear das bandeiras nacional, europeia e a das Nações Unidas. Debate/reflexão sobre o tema "O Futuro da União Europeia: Desafios e respostas" não docente, Encarregados de educação/ Comunidade local não docente, Encarregados de educação/ Comunidade local não docente, Encarregados de educação/ Comunidade local não docente, Encarregados de educação/ Comunidade local Dalila Durães, Francisco Araújo Agostinho Guedes Amadeu Faria, Américo Costa, António Filipe Silva, António José Fonseca, Carla Fernandes, Carmen Silva, Fernanda Magalhães, Humberto Campos, José Olívio Carvalho, Lídia Santos, Luís Miguel Costa, Maria Manuela Aguiar, Sandra Prior, Susana Silva 9/mai/19 9/mai/19 9/mai/19 9/mai/19 Peddy Paper da Europa Comunidade discente 9/mai/19 Comunicar com Moodle Coordenação: Américo Costa Colaboradores Permanentes: Francisco Xavier Araújo Objetivos principais (3 a 5 máx.): Contribuir para uma maior eficácia da ação dos órgãos de natureza pedagógica e administrativa da Escola. Tornar efetiva e eficaz a partilha de recursos didáticos, entre os docentes, tendo como propósito melhorar o processo de ensino/aprendizagem. Estreitar o relacionamento entre docentes e alunos, via Internet, viabilizando o apoio pedagógico permanente e izado, contribuindo, deste modo, para o sucesso educativo. Permitir a comunicação entre os alunos no sentido de fomentar a cooperação em tarefas escolares, no âmbito das várias disciplinas. s principais Apoio izado a docentes e alunos [ao longo do ano letivo]. Estruturação/ manutenção da Plataforma Moodle. Inscrição dos novos alunos e dos novos docentes [a partir de setembro de 2018]. Criação dos questionários on-line relacionados com o processo de Avaliação Interna deste estabelecimento de ensino. Monitorização do Plano Anual de s na plataforma INOVARpaa [ao longo do ano letivo]. Monitorização do Plano Estratégico da ESCT para promoção do sucesso escolar no âmbito dopnpse (Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar [ao longo do ano letivo]. Destinatários não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade não docente, Encarregados de educação/comunidade Colaboradores ocasionais Maria José Alves, João Teixeira Américo Machado, Ana Guedes, Maria Gorete Branco, Maria José Alves, Raquel Pereira Calendarização 17/set/18 17/set/18 4/jun/19 17/set/18 17/set/18 Página 64

65 Desporto Escolar Coordenação: Manuel Machado Colaboradores Permanentes: Américo Machado; Ana Santos; António Fonseca Objetivos principais (3 a 5 máx.): Proporcionar a prática desportiva regular e competitiva num ambiente cordial de espírito desportivo; Divulgar e dinamizar uma atividade desportiva que permite um grande desenvolvimento condicional e coordenativo; Proporcionar a prática desportiva competitiva interescolas; Permitir o convívio salutar com troca de vivências entre alunos de diversas escolas. s principais Comemoração do Dia Europeu do Desporto Escolar - Caminhada Formação de árbitros Organização e realização de um Torneio de Voleibol Organização e realização do Corta-Mato escolar Participação na prova de Corta-Mato Escolar - fase regional Organização e realização de um Torneio de Basquetebol 3x3 Organização e realização de um Torneio de Futsal Dia da Física Destinatários não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Comunidade discente Turmas 12CT1, 12CT2, 12CT4, 12SE1, 12P2, 11CT1, 11SE1, 10CT2, 10SE1, 10LH2 Comunidade discente Comunidade discente Comunidade discente Comunidade discente Comunidade escolar Colaboradores ocasionais Américo Machado Américo Machado, Luís Miguel Costa Américo Machado, Ana Luísa Santos, António José Fonseca, Luís Miguel Costa, Sérgio Machado, Susana Silva Calendarização 28/set/18 21/nov/18 21/nov/18 16/jan/19 14/fev/19 13/mar/19 5/abr/19 26/abr/19 Dia da Canoagem Comunidade discente Américo Machado 15/mai/19 Organização e realização do Dia de Saltos à Corda Organização e realização de um Torneio de Badminton Comunidade discente Américo Machado 29/mai/19 Comunidade discente 4/jun/19 Torneio de badminton Comunidade discente 4/jun/19 Organização e realização de um torneio de Boccia Comunidade discente Américo Machado 5/jun/19 final do clube de badminton Comunidade discente 13/jun/19 Discursos Multimédia Coordenação: Dalila Durães; Carla Fernandes Colaboradores Permanentes: Pedro Ferreira Objetivos principais (3 a 5 máx.): Elaboração de material de comunicação gráfica para a comunidade Desenvolvimento de produtos multimédia, nomeadamente filmes ou eventos. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Trailer do filme "O Livro Maldito". não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 2/mai/19 Página 65

66 Convites e divulgação nas redes sociais sobre o Filme "O Livro Maldito". Teaser do Filme "O Livro Maldito". Guião do Filme "O Livro maldito". Cartaz do Filme "O Livro Maldito". Banda Sonora e Sons para o Filme "O Livro Maldito" Filmagem para o filme "O Livro Maldito". Letra, musica, gravação para as músicas originais "Corre enquanto podes" e Rap. Edição e montagem do Filme o Livro Maldito. não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turma 12P3 Turma 11P3 não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Alunos, Docentes Turmas 12P3, 11P3 não docente Turma 12P3, Docentes Turmas 12P3, 11P3 não docente Alfredo Oliveira António Pedro Silva, Carla Fernandes, Fernanda Magalhães, Francisco Costa, Francisco Araújo, Humberto Campos, João Araújo, Luís Miguel Gomes António Luís Oliveira, Fernanda Magalhães, José Olívio Carvalho, Sérgio Silva António Pedro Silva, Carla Fernandes, Fernanda Magalhães, Francisco Costa, Francisco Araújo, Humberto Campos, João Araújo, Luís Miguel Gomes 15/mai/19 15/mai/19 3/dez/18 8/abr/19 15/mai/19 22/mai/19 27/mai/19 28/mai/19 Efeitos especiais. Turma 11P3 29/mai/19 Erasmus Update_Upskilling People Coordenação: Ana Guedes e Carla Abreu Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Contribuir para o desenvolvimento do Plano Estratégico de Internacionalização da ESCT. Incrementar a cooperação em matéria de formação entre instituições de ensino e formação europeias. Reforçar a colaboração com parceiros de outros países. Promover mobilidades individuais de pessoal docente e não docente da ESCT para desenvolvimento profissional. Melhorar a qualidade da educação e formação dos alunos da ESCT. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Questionário online para os docentes da ESCT Reunião de divulgação do programa Erasmus 2019 s de "Job shadowing" de 4 professores da escola parceira da Alemanha. Instagram do projeto Erasmus Update_ Upskilling People da ESCT Candidatura à Ação-Chave 1 (KA 101). Sessão de Apoio a Candidaturas ao Programa Erasmus+ - CALL 2019 Ação- Chave 2 (EPATV). Docentes Docentes Alunos, Docentes Alunos, Docentes Docentes, Pessoal não docente Docentes António Pedro Silva, Dalila Durães, João Araújo, Pedro Ferreira 8/out/18 23/out/18 21/jan/19 29/jan/19 12/fev/19 14/fev/19 Página 66

67 Comunicação com as escolas parceiras no âmbito da candidatura à Ação-chave 1 (KA 101) [de a ]. Comunicação com as escolas parceiras no âmbito da candidatura à Ação-chave 2 (KA 201) [de a ]. Visita às entidades de estágio dos alunos Espanhóis: Iluminho e M. Matos. Candidatura à Ação-chave 2 (KA 201) Colaboração com o jornal Trigal. Receção e acompanhamento de 2 formandos da escola parceira da Espanha para formação em contexto de trabalho. Docentes Alunos Alunos não docente Alunos, Docentes Alunos 20/fev/19 12/mar/19 25/mar/19 26/mar/19 "Em Busca de Sorrisos" Coordenação: Deolinda Pereira Colaboradores Permanentes: Maria da Graça Castro Objetivos principais (3 a 5 máx.): Promover a Educação para os valores de solidariedade e para a cidadania. Proporcionar momentos de alegria às pessoas que frequentam as instituições de 3ª idade e ir em busca de sorrisos. Estimular o diálogo e a afetividade entre as diferentes gerações. Desenvolver atividades de forma a atenuar o isolamento, solidão, frustração, desencanto com a vida, abandono familiar e falta de sentido para encarar a finitude. Promover um intercâmbio de forma a observar diferentes práticas com a 3ª Idade. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Visita à Casa de Caldelas Visita à Instituição Social de S. Clemente Em Busca de Sorrisos -Visita ao Lar Alcide Felgueiras Em Busca de Busca de Sorrisos - Visita ao lar de Caldelas Em Busca de Sorrisos à Casa de Caldelas Em Busca de Sorrisos na Casa de Caldelas Visita à Casa de Caldelas Visita à Casa de Caldelas Visita à Casa de Caldelas Visita ao Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa Turma 12LH1 Comunidade Local Turma 11CT1 Comunidade Local Turma 11CT1, Comunidade Local Turma 10CT2 Comunidade Local Turma 10CT2 Comunidade Local Turma 12LH1 Comunidade Local Turma 12LH1 Comunidade Local Turma 12LH1 Comunidade Local Turma 12LH1 Comunidade Local Turma 11CT1 Comunidade Local 7/nov/18 15/nov/18 16/nov/18 19/nov/18 10/dez/18 28/jan/19 19/fev/19 17/abr/19 27/mai/19 30/mai/19 Página 67

68 Estação Meteorológica Coordenação: Alfredo Oliveira Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Recolha e tratamento de dados referentes às diversas variáveis atmosféricas, que caracterizam o estado da atmosfera, ou seja, o tempo; Disponibilizar os dados à comunidade educativa. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Monitorização dos sensores da estação [ao longo do ano]. Não Docente, Encarregados de educação/ Comunidade 17/set/18 GAAF (Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família) Coordenação: Ana Peixoto e Raquel Pereira Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): O Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família (GAAF) tem como principal objetivo contribuir para o desenvolvimento harmonioso dos adolescentes e jovens nas suas diferentes dimensões:, familiar, escolar e social. O GAAF presta um serviço de apoio aos alunos e respetivas famílias, corpo docente e não docente e a toda a comunidade escolar, funcionando em estreita articulação com os serviços e instituições da comunidade envolvente. Objetivos: Promover o sucesso escolar dos alunos. Prevenir o absentismo e o abandono escolar e situações de risco. Promover a participação ativa dos pais e encarregados de educação na vida escolar dos alunos. Promover relações de cooperação/articulação entre os vários intervenientes da comunidade educativa. Articular com os vários profissionais e serviços especializados da comunidade. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Exames Nacionais e acesso ao ensino superior [ao longo do ano letivo]. (Re) aprender a estudar: O papel do pais e dos alunos [ao longo do ano letivo]. Afinal estudar pode ser fácil! [ao longo do ano letivo]. Voluntariado [ao longo do ano letivo]. À conversa com [ao longo do ano letivo]. JOBSHADOWING [ao longo do ano letivo]. Assembleia de Crianças e jovens - Tecer a prevenção 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 6/nov/18 Recolha de brinquedos na UMinho José Olívio Carvalho 8/nov/18 ESComTalentos Solidário Próxima Meta: Ensino Superior? [ao longo do ano letivo]. Carmen Silva, Pedro Ferreira 7/dez/18 3/jan/19 Sessão GIP - Criação do próprio emprego Ana Paula Passos 28/jan/19 E Depois do Secundário? Visita OPEN DAY ESCE Visita UM GIRLS IN ICT DAY Ana Paula Passos, João Teixeira, Luís Pires, Maria Carmo Mendes Américo Costa, Humberto Campos 11/fev/19 28/fev/19 3/abr/19 4/abr/19 Página 68

69 Visita de Estudo Mostra Porto Mostra de Saberes Engenheiras por 1 dia Cruz Vermelha - Voluntariado Europeu Ana Luísa Santos, Carla Fernandes, Cláudia Domingues, Humberto Campos, Maria José Carvalho, Maria Manuela Branco António Pedro Silva, Carmen Silva, Dalila Durães, João Teixeira, Manuel Santos, Maria Carmo Mendes, Pedro Ferreira Carla Abreu, José Temporão Rodrigues Ana Paula Passos, Cláudia Domingues, Francisco Costa, Gracinda Rodrigues, Humberto Campos, Maria Graça castro, Maria Isabel Machado, Maria Manuela Aguiar, Susana Silva 4/abr/19 6/mai/19 14/mai/ d Identidade e Pertença Coordenação: Manuel Fernandes Ramos Santos Colaboradores Permanentes: Agostinho Sequeira Guedes; José Cardoso; Mário Alves; Ermelinda Freitas. Objetivos principais (3 a 5 máx.): Fomentar a identidade e o sentimento de pertença à ESCT. Valorizar a cultura organizacional, missão e valores da ESCT. Reforçar o comprometimento e o sentimento de pertença dos colaboradores e dos alunos com a ESCT. Reconhecer o mérito e a excelência de todos os que se relacionam e integram a ESCT. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Sessão Solene Comemorativa do Dia da Escola Secundária de Caldas das Taipas (ESCT) Bolsa em PVC para 2 cartões [de 03 a 11 de jan. de 2019]. Apreciação das candidaturas no procedimento concursal prévio à eleição do diretor. Avaliação do Presidente da CAP Tomada de Posse do Diretor não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade local Comunidade discente não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade. não docente, Encarregados de Educação/ Comunidade. Américo Costa, Ana Sofia Freitas, Dalila Durães, Pedro Ferreira Francisco Assis Silva, Maria Graça Castro, Maria de Lurdes Marques, Pedro Ferreira, Dalila Durães, Ana Paula Passos, Sandra Marques, Amélia Sousa, Sofia Ribeiro (12LH2) 14/dez/18 3/jan/19 28/fev/19 28/abr/19 9/jul/19 Página 69

70 Jornal Trigal Coordenação: Alfredo Oliveira Colaboradores Permanentes: Fernanda Carvalho, Rosa Barros, Maria José Oliveira e Pedro Ferreira Objetivos principais (3 a 5 máx.): Contribuir para a construção identitária da escola. Dar visibilidade às múltiplas s que são dinamizadas na escola. Produzir conteúdos que possam vir a ser utilizados em contexto de aprendizagem. Educar para os media. Fomentar a literacia. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Composição gráfica, layout e paginação do Jornal Trigal (edição 61) [de janeiro a março de 2019] Receção de textos (edição 61) [de janeiro a março de 2019]. Coordenação da distribuição da edição 61ª do Jornal Trigal. Entrega e edição dos textos [de abril a maio de 2019]. Composição gráfica e paginação do jornal Trigal (edição 62). Distribuição da edição 62 do jornal Trigal. Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar Comunidade escolar e comunidade local Amadeu Faria, Américo Costa, Américo Machado, Ana Paula Passos, António José Fonseca, António Manuel Teles, Carlos Justo Machado, Deolinda Pereira, Francisco Assis Silva, Georgina Pereira, Gil Santos, Manuel Santos, Maria Arminda Machado, Maria Conceição Machado, Maria de Lurdes Ferreira, Maria Graça castro, Maria José Carvalho Ana Abreu Oliveira, Ana Maria Guedes, Ana Maria Peixoto, Ana Raquel Moreira, António José Fonseca, Carla Abreu, Carlos Justo Machado, Carmen Silva, Dalila Durães, Fernanda Carvalho, José Olívio Carvalho, Maria Augusta Ferreira, Maria Conceição Machado, Maria Gorete Cruz, Maria Graça castro, Maria Isabel Machado, Maria José Oliveira, Pedro Ferreira, Raquel Pereira, Rosa Barros 3/jan/19 3/jan/19 4/abr/19 10/abr/19 29/abr/19 3/jun/19 Página 70

71 LabMultimédia Coordenação: Dalila Durães; Pedro Ferreira Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Proporcionar aos alunos uma via alternativa de desenvolvimento de novas aprendizagens baseadas na aprendizagem colaborativa. Socializar e contextualizar os conteúdos curriculares utilizando as tecnologias web 2.0. Fazer com que os alunos, utilizando as tecnologias como ferramentas, estas os apoiem no processo de reflexão e construção do conhecimento (ferramentas cognitivas). Proporcionar aos professores uma via alternativa de desenvolvimento e socialização dos conteúdos curriculares utilizando as tecnologias web 2.0. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Postal de Natal da Apigraf. Turma 12P3 5/dez/18 Diplomas de Mérito dos alunos Manuel Santos 6/dez/18 Postal de Natal da ESCT Turma 11P3 Agostinho Guedes 6/dez/18 Certificados de professores e funcionários com 25 e 30 anos de ESCT. Chapinhas para os professores e funcionários com 25 e 30 anos. Postal de parabéns para enviar aos professores no dia do aniversário. Logo e cartaz projeto pensamente. Concurso Imagens contra a corrupção". Concurso imagens contra a corrupção - frases Concurso Imagens Contra a corrupção cartazes. Concurso Imagens contra a corrupçãofinalização e Adaptação do cartaz escolhido. Pessoal Docente e Pessoal Não Docente Pessoal Docente e Pessoal Não Docente Pessoal Docente Turma 11P3, restantes alunos, Docentes, Pessoal Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turma 11P3, restantes alunos, Docentes, Pessoal Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turma 11P3 Turma 11P3 Turma 11P3 Manuel Santos Manuel Cunha Agostinho Guedes Ana Maria Guedes 13/dez/18 13/dez/18 3/jan/19 3/jan/19 15/jan/19 11/fev/19 18/fev/19 Cartazes vozes da Liberdade. Turma 11P3 Amadeu Faria 19/fev/19 Elaboração dos cartazes Cidadanias. Turma 11P3 Amadeu Faria 7/mar/19 Postal de Páscoa para a ESCT enviar à comunidade. Comunicação da Mostra Formativa. Cartazes para o Clube Europeu. Cartazes para a Biblioteca/ CRE. Turma 11P3 Agostinho Guedes 18/mar/19 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Dalila Durães António Pedro Silva, Carla Fernandes, Fernanda Magalhães, Francisco Costa, Francisco Araújo, Humberto Campos, João Araújo, Luís Miguel Gomes António Pedro Silva, Carla Fernandes, Fernanda Carvalho, Francisco Costa, Francisco Araújo, Humberto Campos, João Araújo 2/abr/19 29/abr/19 19/mai/19 Página 71

72 Certificados de participação para convidados da ESCT. Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 20/mai/19 Projeto NEPSO ( ) Coordenação: Lídia Santos Colaboradores Permanentes: Gil Santos Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver a prática da metodologia de investigação científica nas ciências sociais. Estimular os alunos para a utilização das metodologias de construção do conhecimento científico Estimular a construção e a prática de instrumentos de recolha e tratamento da informação Promover a capacidade de conhecer e interpretar a realidade social envolvente. Favorecer o desenvolvimento de competências na perspetiva de formação ao longo da vida. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Preparação e organização dos trabalhos a candidatar ao Prémio Nepso 2018/19 Justificação do tema: "Literacia Financeira na freguesia de Caldelas" do grupo I Know. Justificação do tema: "Que indumentária?" do grupo Fora da caixa. Justificação do tema: "Eutanásia" do grupo Dignitas. Justificação do tema: "Celibato" do grupo Céticos. Justificação do tema: "Eutanásia" do grupo Intermitentes. Justificação do tema: "O Suicídio" do grupo Intermitentes. Justificação do tema: "O dinheiro de plástico na freguesia de Caldelas" do grupo Easy Money. Justificação do tema: "Culto ao corpo perfeito" do grupo Kil(l)us. Justificação do tema: "Barrigas de Aluguer. Porque não?" do grupo Bebés a bordo. Justificação do tema: "Barrigas de Aluguer. Porque não?" do grupo Bebés a bordo. Definição da Situação Base Definição dos objetivos Definição do Universo e da Amostra Elaboração de Inquéritos por questionário Escolha da metodologia Aplicação dos Inquéritos por questionário Tratamento da informação/dados recolhida através dos inquéritos por questionário. Relatório Final. Apresentação dos trabalhos NEPSO na ESCT. Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turma 11SE1 Turma12SE1 Turma 12LH1 Turma12SE2 Turma 12SE1 Turma 12LH1 Turma 11SE1 Turma 12LH1 Turma 12SE2 Turma 12SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 18/set/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 10/out/18 11/jan/19 16/jan/19 18/jan/19 8/fev/19 11/fev/19 8/mar/19 26/abr/19 17/mai/19 27/mai/19 Página 72

73 Apresentação nacional dos trabalhos desenvolvidos no âmbito do projeto NEPSO. Turmas 12SE1, 12SE2, 12LH1, 11SE1 28/jun/19 Projeto Nós Propomos! Cidadania, Sustentabilidade e Inovação na Educação Geográfica Coordenação: Paulo Pereira Colaboradores Permanentes: Alfredo Oliveira, Sérgio Silva Objetivos principais (3 a 5 máx.): Dinamizar a implementação do Estudo de Caso, no 11o ano ou noutro nível. Familiarizar os/as jovens estudantes com a autarquia e o respetivo Plano Diretor Municipal/PDM. Sensibilizar para os problemas territoriais locais, motivar para a elaboração e apresentação de propostas de intervenção local Estimular a construção de parcerias entre os atores escolares e não escolares, públicos ou privados. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Projeto Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica 2018/19 11SE1, 11SE2, 11LH1, 11LH2 17/set/18 PensaMente Coordenação: Ana Maria Ruivo Guedes Colaboradores Permanentes: Ana Peixoto; Raquel Pereira Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver competências de controlo de stress e de gestão de emoções. Desenvolver competências de autoregulação da aprendizagem. Contribuir para o sucesso académico e pessoal dos alunos. Desenvolver competências de gestão da comunicação e das intervenções junto dos alunos (assistentes operacionais). s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Reunião de apresentação da Associação Mentes Sorridentes Organização do seminário de apresentação do projeto. Formação de Professores facilitadores. Pré-teste aos alunos que participam no programa de formação e aos alunos que integram o grupo de controlo. Comunidade local Comunidade escolar Pessoal Docente Alunos Alexandrina Silva, Carla Abreu, Georgina Pereira, Lídia Santos, Maria Arminda Machado, Maria de Lurdes Ferreira, Maria Gorete Cruz, Maria Isabel Machado, Maria Manuela Aguiar, Marta Ferreira, Pedro Ferreira, Rosa Barros. 16/out/18 21/nov/18 28/nov/18 9/abr/19 Programa de formação para os alunos. Alunos 9/mai/19 Encontro de apresentação do projeto aos pais e encarregados de educação. Aplicação do Pós-Teste aos alunos envolvidos no projeto e aos alunos do grupo de controlo. Dinamização de sessões de Mindfulness com pais e encarregados de educação. Pais/ Encarregados de Educação Alunos Pais/ Encarregados de Educação Alexandrina Silva, Carla Abreu, Maria Arminda Machado, Rosa Barros. 27/mai/19 4/jun/19 17/jun/19 Página 73

74 Projeto etwinning: Multicultural fun! (Wouldn't the world be boring if we were all the same?) Coordenação: Carla Alexandra Abreu Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver competências de comunicação, usando ferramentas colaborativas, recorrendo à leitura, à oralidade e à escrita, em língua inglesa. Aumentar e partilhar conhecimento acerca de vários países europeus, dos seus povos e costumes, reconhecendo as suas especificidades, de modo a respeitar e a apreciar a diversidade cultural. Desenvolver competências de pesquisa, seleção, análise, produção e divulgação de produtos, de experiências e de conhecimento, em diferentes formatos. Desenvolver o pensamento crítico e criativo. Desenvolver competências TIC e de trabalho em grupo. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização "Mural Interativo" - Apresentações. Turma 10CT2 24/out/18 Partilhas sobre o meu país. Turma 10CT2 31/out/18 Elaboração e resposta a questionários interativos sobre Portugal e a República Checa. Trabalho de pesquisa sobre 7 países da Europa Elaboração/resposta a quizzes interativos sobre países da Europa Sessão de conversação online com os parceiros da República Checa no Twinspace do projeto Apresentações orais e mostra dos produtos finais para a "Feira Multicultural" Multicultural Fair Submissão da candidatura a Selo Nacional de Qualidade etwinning 2019 Turma 10CT2 Turma 10CT2 Encarregados de Educação/ Comunidade Turma 10CT2 Turma 10CT2 Turma 10CT2 Turma 10CT2 12/dez/18 4/jan/19 1/fev/19 26/mar/19 30/abr/19 9/mai/19 21/jun/19 Projeto Eco-Escolas Coordenação: Gracinda Rodrigues; Maria Augusta Ferreira Colaboradores Permanentes: Carmen Silva, Olívio Carvalho Objetivos principais (3 a 5 máx.): Encorajar o desenvolvimento de atividades, visando a melhoria do desempenho ambiental das escolas, contribuindo para a alteração de comportamentos e do impacto das preocupações ambientais nas diferentes gerações, reconhecendo e premiando o trabalho por elas desenvolvido. Criar hábitos de participação e de cidadania, de modo a encontrar soluções que permitam melhorar a qualidade de vida na escola e na comunidade. Disseminar uma metodologia de abordagem das questões ambientais, inspirada na Agenda 21. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Geração Depositrão. Turma 11P4 17/set/18 Comemoração de datas festivas produzindo diversos objetos utilizando variados tipos de resíduos. Turmas 12P5, 11P2 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 17/set/18 Página 74

75 Participação no concurso "Roupas usadas não estão acabadas - criar com estilo". Horta escolar. Turma 10CT2 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE 17/set/18 17/set/18 Equipar as salas de aula e outros espaços escolares com ecopontos para a recolha de papel e embalagens. Galardão Eco-escolas Dia das Bandeiras Verdes. Campanha de incentivo ao consumo de água da rede pública e reutilização de copos. 9ª Edição da Semana da Reflorestação Nacional - Celebração do Dia da Floresta Autóctone. Participação no Desafio da Tetrapack e da Compal "Máscara de Carnaval". Comemoração do Dia Mundial da Floresta. Construção de Máscaras de Carnaval com Embalagens TetrapaK Compal. Primavera no Parque de Lazer das Taipas. Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3- EEDocentes Turma 10CT2 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 11AV1, 11SE2, 10CT3 Turmas 11CT2, 10CT2 Docentes Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE Docentes e Pessoal Não Docente Turmas 11AV1, 11SE2, 10CT3 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE Docente e Pessoal Não Docente 17/set/18 4/out/18 15/out/18 30/nov/18 28/fev/19 21/mar/19 21/mar/19 30/mar/19 Limpeza da praia - Esposende. Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE Docentes 27/abr/19 Campanha de sensibilização para a poupança de energia. Representação tridimensional do fundo do mar com tecidos. Turmas 12AV1-EE, 12SE1-EE, 12SE2-EE, 11CT4-EE, 11AV1- EE, 11SE2-EE, 10CT3-EE Docente e Pessoal Não Docente Não Docente 26/jun/19 Projeto Educação para a Cidadania Coordenação: Carlos Justo Machado Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Página 75

76 Divulgar junto dos jovens em idade escolar os valores das práticas democráticas e a educação para a cidadania. Aprofundar nos jovens portugueses o gosto pela Democracia, proporcionando-lhes a possibilidade de serem sujeitos de um processo de decisão política com influência na sua vida social. Aprofundar o sentido cívico dos jovens, incutir neles a importância da participação democrática, e olhar mais profundamente os órgãos de soberania e o seu funcionamento, em particular a Assembleia da República. Promover o espírito de grupo e o respeito pelo outro, e a tolerância e o consenso na vida em sociedade. Identificar as formas e os processos essenciais à participação na vida pública. Fomentar o espírito de solidariedade. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Campanha de solidariedade do Pirilampo Mágico. [última semana de Setembro e 1ª semana de outubro] Dia Mundial da Filosofia Assembleia na Escola - Debate com a presença do deputado Luís Soares Eleição para a Sessão Escolar do parlamento Jovem Não Docente Comunidade discente Turmas 11AV1, 11LH1, 11LH2, 10LH1 António Manuel Teles, Carla Carvalho, Deolinda Pereira Alfredo Oliveira, Maria Arminda Machado, Maria Isabel Machado 01/out/18 15/nov/18 17/jan/19 Comunidade discente Américo Costa 22/jan/19 Sessão Escolar do Parlamento dos Jovens Comunidade discente 24/jan/19 Campanha de solidariedade do Dia Mundial do Leproso. [última semana de janeiro e 1ª semana de fevereiro] Não Docente 01/fev/19 AMORES DIVERGENTES Turmas 11AV1, 11LH2 Etelvina Silva 07/mar/19 Parlamento Jovem Europeu Parlamento dos Jovens - 3.ª FASE SESSÃO NACIONAL NA AR 20/21 MAIO.2019 A Assembleia na Escola - Alterações Climáticas - Reverter o Aquecimento Global [de novembro a março] Turma 11AV1 Turmas 12LH1, 12LH2 Comunidade discente Carmen Silva, Pedro Ferreira, Rosa Barros 07/mar/19 20/mai/19 02/nov/18 Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular Coordenação: Cláudia Domingues Colaboradores Permanentes: Alexandrina Melo, Carmen Silva, Etelvina Silva, Lurdes Ferreira, Maria José Alves Objetivos principais (3 a 5 máx.): Promover a reflexão na comunidade educativa sobre medidas a implementar para o desenvolvimento de uma Escola Inclusiva e promotora de competências de Cidadania Integral. Contribuir para que o Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular promova o Sucesso Educativo. Apoiar, coordenar e monitorizar o trabalho das equipas educativas na realização de trabalho colaborativo/reflexivo. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Partilha da informação obtida na Formação de Rede com as escolas associadas do CFAE Francisco de Holanda sobre a implementação da Autonomia e Flexibilidade Curricular (AFC) nestes estabelecimentos de ensino, nomeadamente: avaliação das e para as aprendizagens; desafios à gestão curricular (Aprendizagens Essenciais e Perfil dos Alunos) e trabalho colaborativo. Reunião de trabalho para elaboração de documento orientador para a construção do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular da ESCT. Docentes Membros do Conselho Pedagógico 27/mar/19 29/abr/19 Página 76

77 Divulgação do documento orientador para a construção do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular da ESCT à comunidade educativa Participação na sessão de apresentação da proposta do Centro de Formação Francisco de Holanda ao Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua da ação de formação Avaliação para as aprendizagens/avaliação formativa: Um projeto de investigaçãoação colaborativa. Apoio na dinamização da sessão de trabalho destinada à elaboração de possíveis propostas de Domínios de Autonomia Curricular (DAC). Produção de relatório do trabalho efetuado pela equipa do PAFC. Membros do Conselho Pedagógico Alexandrina Melo e Cláudia Domingues Docentes do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Membros do Conselho Pedagógico 15/mai/19 19/jun/19 28/jun/19 04/jul/19 Projeto de Intervenção Cívica Coordenação: Maria da Graça Castro Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Estimular a participação cívica e democrática dos alunos; Promover o espírito de cidadania, o diálogo, a mobilização coletiva em prol do bem comum e o respeito pelas escolhas diferentes; Promover hábitos de intervenção consciente e eticamente responsável; Contribuir para a formação dos alunos enquanto cidadãos responsáveis, informados e participativos; Promover a Educação para os valores de solidariedade e de cidadania. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Comemoração de acontecimentos históricos Dia Internacional da Pessoa com Deficiência - Videoclip, A Alegria de Sermos Diferentes Semana dos Direitos Humanos - À conversa com a Associação de Defesa dos Direitos Humanos de Guimarães Comemoração dos Direitos Humanos À conversa com sobre o tema Somos Todos Diferentes! Orçamento Participativo das Escolas' 2019: Campanha de divulgação das informações e procedimentos Comemoração do Dia Internacional da Mulher - Lembra-te Delas! Turmas 11LH1, 11LH2 Turma 12SE1, Comunidade escolar Turmas 12LH1, 12LH2, 11LH1, 11LH2, 10LH2 Turmas 12SE1, 12LH2, 11LH1, 11LH2, 10LH2, 10P2, Docentes Turma 12LH1 Turmas 12SE1, 12LH1, 11LH1, 10CT2, 10CT3, 10LH1, Docentes Alfredo Jorge Salazar Rodrigues Oliveira, António José Gonçalves Ascensão Fonseca, Carlos Justo Ferreira Machado, Georgina Maria Lima Pereira, Manuel Fernandes Ramos Santos, Maria de Lurdes Amorim Ferreira. Sérgio Augusto e Sousa da Cunha Machado, Paulo Emanuel Neves Pereira, Maria Graça Gomes Barbosa Castro, Maria do Céu Antunes Cardoso, José Vieira Pereira, Deolinda Silva Gomes Pereira, 04/out/18 03/dez/18 07/dez/18 10/dez/18 01/fev/19 08/mar/19 Página 77

78 Orçamento Participativo das Escolas - Sessão de apresentação dos projetos à Escola. Campanha e ato eleitoral das propostas do Orçamento Participativo das Escolas. Orçamento Participativo Escolas Municipal: Campanha de Divulgação e procedimentos Jornadas de Abril- Distribuição de cravos, leitura de textos alusivos à efeméride e recolha de expressões que definam Liberdade. "À conversa com... o deputado Luís Soares sobre o Sistema Eleitoral e o Problema da Abstenção" Orçamento Participativo Escolas Municipal - Sessão de apresentação de propostas. Orçamento Participativo Escolas Municipal: Ato Eleitoral. Comunidade escolar Turma 12LH1, Comunidade escolar Turma 12LH1, Comunidade escolar Comunidade escolar Turmas 12SE1, 12LH1, 12LH2, 11LH2 Turmas 12LH1, 2P3 Alunos, Docentes Comunidade discente Benedita Maria Barros Freitas Ferreira. Georgina Maria Lima Pereira, Maria de Lurdes Amorim Ferreira. Américo Costa, Carlos Manuel Machado, Etelvina Silva. Américo Machado, Carlos Manuel Machado, Cláudia Domingues, Dalila Durães, Georgina Pereira, Maria de Lurdes Ferreira, Pedro Ferreira 15/mar/19 20/mar/19 24/abr/19 24/abr/19 16/mai/19 21/mai/19 28/mai/19 Projeto Cidadania e Desenvolvimento Coordenação: Alexandrina Silva Colaboradores Permanentes: Luís Magalhães, Maria Gorete Branco e Maria José Carvalho Objetivos principais (3 a 5 máx.): Contribuir para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos, de diálogo e de respeito pelos outros. Consciencializar para os valores da igualdade, da democracia e da justiça social. Desenvolver competências para recusar comportamentos não desejados ou que violem a dignidade e os direitos pessoais. Promover o desenvolvimento integral do aluno, pela construção da sua personalidade, formação do carácter e desenvolvimento físico equilibrado. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Ação Diretores de Turma Docentes 12/set/18 Seminários de Coordenação de s [ao longo do ano Cidadania e Desenvolvimento: Produção/ divulgação de materiais e atividades [ao longo do ano] Dinamização do Gabinete de Saúde Escolar [ao longo do ano] Dinamização dos Projetos de Cidadania e Desenvolvimento de Turma [ao longo do ano] Saúde Escolar - Levantamento de Dados (nº de Alunos; Docentes e Não Docentes) Atelier de Sensibilização - Construção da Roda dos Alimentos (8 a 15 de outubro) Comemoração do "Dia da Alimentação" - Exposição - "Roda dos Alimentos" [15 a 24 de outubro] Não Docente Docentes Não Docente Docentes Não Docente Turmas 11CT1, 11LH1, 10CT1, 10P4 Não Docente Elementos do Centro de Saúde Caldas das Taipas - Saúde Escolar Rosa Barros 17/set/18 17/set/18 17/set/18 17/set/18 27/set/18 8/out/18 16/out/18 Comemoração do "Dia Europeu do Combate ao Tráfico dos Seres Humanos" Não Docente OIKOS 17/out/18 Página 78

79 Exposição de Cartazes Oikos (17 a 24 outubro) Cidadania e Desenvolvimento: Dinamização dos Projetos de Cidadania e Desenvolvimento de Turma [ao longo do ano] Comemoração do "Dia Europeu do Combate ao Tráfico dos Seres Humanos" Campanha "Escolas Unidas Contra o Tráfico de Seres Humanos" Comemoração do "Dia Mundial da Contraceção" Exploração de um Vídeo Comemoração do "Dia Mundial da Contraceção". Exposição Com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Contraceção e APF Ação de Sensibilização: Contraceção, seleção e eficácia Comemoração: "Dia Mundial do Coração" Exploração de um Vídeo de sensibilização Comemoração do Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama. Campanha de Sensibilização: Laços Rosa e Veste-te de Rosa. Comemoração do Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama. - Exposição de Trabalhos (22 de outubro a 2 de novembro) Estudo do Comportamento Alimentar: Construção do Diário Alimentar. Comemoração do "Dia Mundial da Diabetes". Exposição de Trabalhos [12 a 16 de novembro]. Ação de Sensibilização: "Dia do Não Fumador" Docentes Turmas 11CT1, 11CT2, 11CT3, 11SE2, 11LH1, 10CT1 Não Docente Não Docente Alunos Não Docente Não Docente Não Docente Turmas 11CT1, 10CT1, 10CT2, 10LH1, 10.º - 10P1, 10P4 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 11CT1, 10CT1 Sociedade Portuguesa de Contraceção e Associação para o Planeamento da Família Sociedade Portuguesa de Contraceção e Associação para o Planeamento da Família Sociedade Portuguesa de Contraceção e Associação para o Planeamento da Família Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular Sociedade Portuguesa de Cardiologia Liga Portuguesa Contra o Cancro Maria Alice Areias, Maria Manuela Branco, Paulo Prior, Rosa Barros 17/out/18 18/out/18 26/out/18 26/out/18 26/out/18 28/out/18 30/out/18 31/out/18 2/nov/18 14/nov/18 17/nov/18 Comemoração do "Dia Mundial do Não Fumador". Exposição de Trabalhos [17 a 23 de novembro]. Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 17/nov/18 Comemoração do "Dia Mundial de Luta Contra a SIDA". Projeção de um vídeo de sensibilização [28 de novembro a 03 dezembro]. Ação de Sensibilização: "Alimentação e Distúrbios Alimentares" Comemoração dos "Direitos Humanos" Projeção de um Vídeo de Sensibilização. Rastreio de Saúde: IMC e Tensão Arterial - Promoção de um Estilo de Vida Saudável"[ Ao longo do 2º e 3º períodos]. Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade 28/nov/18 Turma 10P1 Maria Alice Areias 3/dez/18 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade OIKOS 10/dez/18 3/jan/19 Página 79

80 Estudo "Consumo de Tabaco em Adolescentes: Prevalência e Fatores Associados" [11 de janeiro a 01 de março]. Colaboração com Universidade de Trás -os-montes e Alto Douro. Estudo "Acompanhamento e Avaliação da Lei nº 60 de 6 de agosto de 2009" Ação de Sensibilização: "Perturbações do Sono" de Diagnóstico: Namorar é [01 a 12 de fevereiro] Ação de Sensibilização Dia Mundial do Cancro. Comemoração do "Dia Mundial do Cancro". Apresentação de um documentário Comemoração do "Dia Mundial da Saúde". Apresentação de Sensibilização [05 a 08 de fevereiro]. Campanha "Aplica-te - Nova IMS CHALLENGE 2019: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável" [09 a 15 de fevereiro]. Comemoração do "Dia dos Namorados" Construção de um Mural [13 a 22 de fevereiro]. Estudo ECATD-CAD/2019: "Estudo sobre o Consumo de Álcool; Tabaco; Drogas e outros Comportamentos Aditivos ou Dependências/2019" [18 de fevereiro a 08 de março]. Turmas 12CT1, 12CT3, 11CT1, 11CT2, 11CT4, 11SE2, 10CT1, 10CT2, 10SE1, 10P4 Alunos Turmas 11CT1, 10AV1 Turmas 10CT1, 10CT2, 10AV1, 10P1, 10P4 Turma 11CT1 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Alunos, Docentes Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 12P1, 12P5, 11LH1, 10AV1, 10P4 Paulo Prior; Maria José Oliveira; Rosa Barros; Maria José Alves; Gorete Branco; Maria José Carvalho; Cláudia Domingues. Maria Cândida Pinheiro, Maria Gorete Cruz Maria Alice Areias, Maria Gorete Cruz, Paulo Prior, Rosa Barros Liga Portuguesa Contra o Cancro Liga Portuguesa Contra o Cancro Fernanda Carvalho, Gracinda Rodrigues, João Araújo, José Olívio Carvalho, Manuel Cunha, Maria Arminda Machado, Maria Gorete Cruz, Rosa Barros, Sérgio Silva. 11/jan/19 22/jan/19 23/jan/19 1/fev/19 4/fev/19 4/fev/19 5/fev/19 9/fev/19 13/fev/19 18/fev/19 Comemoração do "Dia Internacional das Florestas" Campanha ICNF nas Escolas [18 a 26 de março]. Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. 18/mar/19 Debate: "Florestas e Educação - Aprende a Amar as Florestas". Ação de Sensibilização: "Regras para uma Alimentação Saudável". Ação de Sensibilização: "Como se Faz uma Alimentação Saudável?" Ação de Sensibilização: "Riscos das Novas Tecnologias". Ação de Sensibilização: "O Prato Certo - Promoção de uma Alimentação Saudável". Ação de Sensibilização "Cidadania Digital" Divulgação das atividades no Projeto Anuário (seleçao de atividades) Estudo: "Práticas da Escola em Igualdade de Género". Campanha: "Semana Europeia da Vacinação". Exposição de Posters - DGEstE e DGS [24 a 30 de abril] Turmas 11CT1, 10CT1 Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. 20/mar/19 Turma 10LH1 Maria Manuela Branco 22/mar/19 Turma 10P4 Rosa Barros 25/mar/19 Alunos Alunos Turmas 11CT1, 10P4 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Fernanda Carvalho, Georgina Pereira, Maria de Lurdes Ferreira Georgina Pereira, Maria de Lurdes Ferreira Fernanda Carvalho, Rosa Barros Direção-Geral da Educação Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares; Direção-Geral da Saúde. 2/abr/19 2/abr/19 3/abr/19 23/abr/19 24/abr/19 24/abr/19 Página 80

81 Produção de orientações para avaliação e registo da participação dos alunos nos Projetos de Cidadania e Desenvolvimento de Turma Proposta para apresentar do Conselho Pedagógico 15/05/2019 [7, 13 e 14 de 15 de maio] Debate de Sensibilização: Comemoração do "Dia Mundial da Hipertensão". Comemoração do "Dia Mundial da Hipertensão". Comemoração do "Dia Europeu do Cancro de Pele". Produção dos questionários para avaliação da implementação do Projetos de Cidadania e Desenvolvimento: Questionário para alunos; professores e encarregados de educação e Assistentes Técnicos e Operacionais. Participação do Estudo da DGE: Comportamentos Aditivos e Dependências. Debate de Sensibilização: Comemoração do Dia Mundial Sem Tabaco" Comemoração do "Dia Mundial Sem Tabaco". Apresentação de um PowerPoint de Sensibilização Estudo de investigação Projeto de Cidadania e Desenvolvimento: Aplicação de Questionários a Alunos e Encarregados de Educação [03 a 14 de junho]. Estudo de Investigação Projeto de Cidadania e Desenvolvimento: Aplicação de a Docentes e Assistentes Técnicos e Operacionais [03 a 14 de junho]. Candidatura Projeto "Selo Escola Saudável" DGE. Estudo de Dados - "Rastreio IMC e Tensão Arterial - Estilo de Vida Saudável". Estudo de Dados - Planos de Saúde Individual. Estudo de Dados - "Registos dos Projetos de Cidadania e Desenvolvimento de Turma". Estudo de Dados - Questionários de Avaliação do Projeto de Cidadania e Desenvolvimento" [19 a 25 de junho]. Inquérito sobre Cidadania e Desenvolvimento. Docentes Turmas 11CT1, 10CT1 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Sociedade Portuguesa de Hipertensão. Sociedade Portuguesa de Hipertensão. Liga Portuguesa Contra o Cancro 7/mai/19 17/mai/19 17/mai/19 20/mai/19 27/mai/19 29/mai/19 Turma 11CT1 Centro de Saúde 31/mai/19 Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Turmas 12CT1, 12CT3, 11CT1, 11CT2, 11CT3, 10CT1, 10AV1, 10P4 Docentes, Pessoal Não Docente Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Alunos Alunos, Docentes Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Não Docente, Encarregados de Educação/ Comunidade Centro de Saúde Maria Gorete Cruz; Rosa Barros; Maria José Alves; Ana Maria Gomes; Maria José Carvalho; Cláudia Domingues. Direção-Geral da Educação Direção-Geral da Educação 31/mai/19 3/jun/19 3/jun/19 12/jun/19 14/jun/19 17/jun/19 18/jun/19 19/jun/19 24/jun/19 Rato de Biblioteca Coordenação: Luís Amado Pires e Maria do Carmo Mendes Colaboradores Permanentes: Página 81

82 Objetivos principais (3 a 5 máx.): Desenvolver o conhecimento sobre os problemas ambientais. Sensibilizar os alunos para a preservação do meio ambiente. Promover a análise e reflexão críticas sobre as fontes de informação. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Brainstorming Turmas 11P2 e 10P2 18/out/18 Proposta de tema Turmas 11P2 e 10P2 9/nov/18 Definição de objetivos para os trabalhos. Turmas 11P2 e 10P2 3/jan/19 Recolha de dados Turmas 11P2 e 10P2 23/jan/19 Tratamento de dados Turmas 11P2 e 10P2 23/mar/19 Produção de cartazes, panfletos e apresentação. Turmas 11P2 e 10P2 30/abr/19 Relatório Final e conclusões Turmas 11P2 e 10P2 22/mai/19 Apresentação final do projeto em Matosinhos Turmas 11P2 e 10P2 e comunidade local 28/jun/19 Sítio Oficial da ESCT Coordenação: Fernanda Magalhães; Luís Gomes Colaboradores Permanentes: Francisco Xavier Araújo Objetivos principais (3 a 5 máx.): Implementar um meio de comunicação privilegiado e oficial da escola. Intensificar as relações entre a Escola e a comunidade escolar. Promover um espaço de divulgação dos diferentes projetos escolares. s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Atualização da informação referente à oferta formativa disponibilizada pela ESCT para o ano letivo [ao longo do ano letivo]. não docente, Encarregados de educação/comunidade António Pedro Silva, Carla Fernandes, Dalila Durães, Francisco Costa, Humberto Campos, João Araújo, Pedro Ferreira 21/set/18 Atualização da informação referente ao pessoal docente e não docente em exercício de funções no ano letivo não docente, Encarregados de educação/comunidade António Pedro Silva, Carla Fernandes, Dalila Durães, Francisco Costa, Humberto Campos, João Araújo, Pedro Ferreira 12/out/18 Atualização regular do sítio com informação de carácter institucional e referente a projetos e atividades de índole pedagógico desenvolvidas na escola. não docente, Encarregados de educação/comunidade António Pedro Silva, Carla Fernandes, Dalila Durães, Francisco Costa, Humberto Campos, João Araújo, Pedro Ferreira 21/set/18 Atualização da informação referente aos projetos estruturantes que irão funcionar no ano letivo [ao longo do ano letivo]. não docente, Encarregados de educação/comunidade António Pedro Silva, Carla Fernandes, Dalila Durães, Francisco Costa, Humberto Campos, João Araújo, Pedro Ferreira 26/out/18 Página 82

83 30 Anos - Publicação livro Coordenação: Alfredo Oliveira Colaboradores Permanentes: Objetivos principais (3 a 5 máx.): Publicar o livro com a história da Escola Secundária de Caldas das Taipas desde a sua abertura em 1987 até ao ano de s principais Destinatários Colaboradores ocasionais Calendarização Publicação do livro "Caminho - Escola Secundária de Caldas das Taipas " [ao longo do ano letivo]. não docente, Encarregados de educação/comunidade, Outro Agostinho Guedes, Alexandrina Silva, Alfredo Oliveira, Américo Costa, Américo Machado, Ana Maria Guedes, António Jorge Fonte, António José Fonseca, Carlos Justo Machado, Carlos Manuel Machado, Fernanda Carvalho, Francisco Assis Silva, Manuel Machado, Manuel Santos, Maria Carmo Mendes, Maria Isabel Machado, Maria José Oliveira, Maria Manuela Aguiar 17/set/ FORMAÇÃO CONTÍNUA 5. Elevar a qualidade técnica do serviço de educação prestado pela Escola, cuidando da qualificação e diversificação dos recursos humanos internos e apostando na inovação tecnológica Apoiar a formação especializada ou pós-graduada dos recursos humanos docentes Objetivo operacional do 2º Contrato de Autonomia, p. 10, 2013 O responsável pelo Plano de Formação 6 (PF) da ESCT, o professor Amadeu Faria, foi nomeado pelo Presidente da CAP (Comissão Administrativa Provisória), de acordo com o ponto 1 do artigo 15.º do decreto-lei n.º 127/2015 de 07 de julho. São competências do responsável pelo Plano de Formação, entre outras inscritas na supracitada Lei (artigo 16.º): - Colaborar na identificação das necessidades de formação da unidade orgânica a que pertence; - Elaborar o PF de acordo com as necessidades diagnosticadas. - Constituir e atualizar a bolsa de formadores internos da escola associada a que pertence. - Acompanhar e monitorizar a execução do PF. 6 Consultar o Plano de Formação 2018/2021 aprovado pelo Conselho Pedagógico em 12 de setembro de 2018 Página 83

84 - Avaliar (em articulação com a SFM) o impacte da formação na melhoria da aprendizagem na escola associada. O plano de formação segue o referencial a seguir descrito e divide-se em cinco fases distintas: 1.ª Fase: Levantamento de necessidades, através de inquirição direta em departamento/secção; 2.ª Fase: tratamento das propostas e sua apresentação em documento próprio; 3.ª Fase: análise do documento em Conselho Pedagógico; 4.ª Fase: elaboração do Plano de Formação final a apresentar ao Centro de Formação francisco de Holanda; 5.ª Fase: monitorização e avaliação final. Página 84

85 Página 85

86 ANEXOS Página 86

87 ANEXO 1 CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO REGISTO DE PROJETOS DE TURMA 1 Curso Turma Nº Alunos Professor Coordenador Domínios de Educação para a Cidadania 10º Ano 11º Ano 12º Ano Domínios Obrigatórios para todos os Níveis de Ensino Direitos Humanos Igualdade de Género Interculturalidade Desenvolvimento Sustentável X X X X Educação Ambiental X Saúde X Sexualidade Media Instituições e Participação Democrática Domínios Opcionais Literacia Financeira e Educação para o Consumo Segurança Rodoviária Risco Empreendedorismo Mundo do Trabalho Segurança, Defesa e Paz Bem-estar animal Voluntariado Outros Página 87

88 Projeto de Cidadania e Desenvolvimento de Turma DOMINÍOS/CONTEÚDOS Disciplinas Tempos letivos (50 min) Caldas das Taipas, / / O Professor Coordenador 1 De acordo com o disposto no Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de Julho, Portaria n.º 226-A/2018, de 7 de agosto, e portaria nº 235-A/2018, de 23 de agosto. Página 88

89 ANEXO 2 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO A componente de Cidadania e Desenvolvimento visa contribuir para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos, de diálogo e no respeito pelos outros, alicerçando modos de estar em sociedade que tenham como referência os direitos humanos, nomeadamente os valores da igualdade, da democracia e da justiça social. Conforme Decreto Lei n.º 55/2018, de 6 de julho (cf. ponto 3 do artigo 15.º), A componente de currículo de Cidadania e Desenvolvimento, integrando as matrizes de todas as ofertas educativas e formativas: c) Constitui-se como uma área de trabalho transversal, de articulação disciplinar, com abordagem de natureza interdisciplinar; d) Mobiliza os contributos de diferentes componentes de currículo ou de formação, áreas disciplinares, disciplinas, ou unidades de formação de curta duração, com vista ao cruzamento dos respetivos conteúdos com os temas da estratégia de educação para a cidadania da escola, através do desenvolvimento e concretização de projetos pelos alunos de cada turma. Ainda de acordo com supracitado Decreto Lei n.º 55/2018, de 6 de julho (cf. ponto 2 do artigo 28.º), a componente de Cidadania e Desenvolvimento não é objeto de avaliação sumativa, sendo a participação nos projetos desenvolvidos neste âmbito registada no certificado do aluno ( ) e segundo a Portaria n.º 226-A/2018, de 7 de agosto (cf. ponto 5 do artigo 10º) ( ) objeto de registo anual. Atendendo ao anteriormente exposto, as Grelhas de Observação deverão constituir os instrumentos principais de recolha de informação do desempenho do/a aluno/a nas diferentes áreas de competências inscritas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (cf. ponto 2 do artigo 20.º da Portaria n.º 226-A/2018, de 7 de agosto). As mesmas deverão também ser consideradas como instrumentos de autoavaliação, envolvendo o/a aluno/a na tomada de decisão sobre a sua participação. A Escala de Avaliação a adotar contempla os seguintes parâmetros: Insuficiente; Suficiente; Bom; Muito Bom; Excelente. O registo no Certificado do aluno obedecerá ao seguinte modelo: O/a aluno/a nº, da turma, no ano letivo participou no âmbito do Projeto de Cidadania e Desenvolvimento de Turma nas seguintes temáticas ; ;, tendo lhe sido atribuída a menção qualitativa de, pelo trabalho desenvolvido. ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DO PERFIL DOS ALUNOS As competências são combinações complexas de conhecimentos, capacidades e atitudes. Página 89

90 Áreas de Competências A- Linguagens e texto B- Informação e comunicação C- Raciocínio e resolução de problemas D- Pensamento crítico e pensamento criativo E- Relacionamento interpessoal F- Desenvolvimento pessoal e autonomia G- Bem-estar, saúde e ambiente H- Sensibilidade estética e artística I- Saber científico, técnico e tecnológico J- Consciência e domínio do corpo Descritores Operativos Utiliza adequadamente diferentes linguagens e símbolos associados às línguas, à literatura, à música, às artes, as tecnologias, à matemática e à ciência. Aplica estas linguagens de modo adequado aos diferentes contextos de comunicação, em ambientes analógicos e digital. Domina capacidades nucleares de compreensão e expressão. Utiliza e domina instrumentos diversificados para pesquisar, descrever, avaliar, validar e mobilizar informação. Transforma a informação em conhecimento. Interpreta informação, planeia e conduz pesquisas. Gere projetos e toma decisões para resolver problemas. Desenvolve processos conducentes à construção de produtos e conhecimentos, usando recursos diversificados. Pensa, observa, analisa informação, experiências ou ideias e argumenta com vista à tomada de posição fundamentada. Prevê e avalia o impacto das suas decisões. Desenvolve novas ideias e soluções, de forma imaginativa e inovadora. Adequa comportamentos em contextos de cooperação e partilha. Trabalha em equipa. Interage com tolerância e responsabilidade, argumenta, negocia e aceita diferentes pontos de vista. Estabelece relações entre conhecimentos, emoções e comportamentos. Identifica áreas de interesse e de necessidade de aquisição de novas competências. Consolida e aprofunda as competências que já possuí. Estabelece objetivos, traça planos e concretiza projetos. Adota comportamentos que promovem a saúde e o bem-estar, designadamente nos hábitos quotidianos, na alimentação, nos consumos, na prática de exercício físico, na sexualidade e nas suas relações com o ambiente e a sociedade. Manifesta consciência e responsabilidade ambiental e social, trabalhando colaborativamente para o bem comum, com vista à construção de um futuro sustentável. Reconhece, experimenta, aprecia e valoriza as diferentes manifestações artísticas e culturais. Compreende processos e fenómenos científicos e tecnológicos, manipula e manuseia materiais e executa operações técnicas. Adequa a ação de transformação e criação de produtos aos diferentes contextos naturais, tecnológicos e socioculturais, em atividades experimentais, projetos e aplicações práticas desenvolvidos em ambientes físicos e digitais. Realiza atividades motoras, domina a capacidade percetivo-motora e tem consciência de si próprio a nível emocional, cognitivo, psicossocial, estético e moral por forma a estabelecer consigo próprio e com os outros uma relação harmoniosa e salutar. Página 90

91 ÁREAS DE COMPETÊNCIAS E DESCRITORES DE DESEMPENHO NA ÁREA TRANSVERSAL DE CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DESCRITORES INSTRUMENTOS Competências Pessoais e Sociais (E; F; G;J) Pensamento Crítico e Criativo (C; D; H; I) Demonstra autonomia na realização das atividades; Identifica diferentes pontos de vista; Respeita opiniões e sentimentos dos outros; Entende e coloca-se na perspetiva do outro; Interage com os outros, estabelecendo relacionamentos construtivos; Demonstra respeito pelos bens comuns; Prevê e avalia o impacto das suas decisões; Tem uma intervenção cívica na escola e/ou na comunidade (clubes ou associações, voluntariado, etc.) e reflete sobre ela; Toma consciência das aprendizagens decorrentes da sua intervenção cívica; Manifesta consciência e responsabilidade ambiental, social e cultural. Pratica um estilo de vida saudável. Colabora na tomada de decisão de assuntos da turma: definição de regras, resolução de conflitos e outras decisões; Participa com ideias novas; Avalia a fiabilidade da informação pesquisada e a respetiva credibilidade; Distingue factos de opiniões e interpretações; Propõe soluções diferentes para o mesmo problema ou situações; Avalia criticamente o seu contributo ou o dos pares. Grelhas de observação de hetero e autoavaliação Página 91 de 99

92 ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DESCRITORES INSTRUMENTOS Comunicação e Argumentação (A; B; D; I) Trabalho de Projeto (A; B; C; D; E; F; G; H; I; J) Argumenta e contra-argumenta de forma eficaz; Comunica e colabora de forma adequada e segura, utilizando diferentes tipos de ferramentas (analógicas e digitais); Utiliza regras de debate democrático e instrumentos de decisão democrática; Demonstra capacidades para usar diferentes meios para comunicar e trabalhar presencialmente e em rede. Revela curiosidade e vontade de saber mais; Envolve-se na atividade de conceção, implementação e conclusão do projeto; Pesquisa, seleciona e organiza informação relevante, de acordo com a tarefa/tema abordado; Apresenta o produto final do trabalho de projeto em suportes diversificados. Página 92

93 ANEXO 3 ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS ANO LETIVO 2018/2019 IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DE MEDIDAS DE SUPORTE À APRENDIZAGEM E À INCLUSÃO (Artigo 20.º DL 54/2018 de 6 de julho) Nome IDENTIFICAÇÃO DO ALUNO Ano Turma N.º Processo Individual 1. Explicitação das razões que levam à necessidade de medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão (anexar documentos que se considerem relevantes.) 2. Necessidades detetadas anteriormente e evidências da avaliação e monitorização da intervenção efetuada (anexar documentos que se considerem relevantes.) 3. Observações (acrescentar informação relevante sobre o aluno) 4. O Responsável pela Identificação Nome: Data: Função: Assinatura: 5. Autorização do Encarregado de Educação Autorizo que a Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva avalie a necessidade de mobilização de medidas de suporte à aprendizagem para o meu educando. Não autorizo que a Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva avalie a necessidade de mobilização de medidas de suporte à aprendizagem para o meu educando. Justificação: Página 93 de 99

94 Nome: Data: Assinatura: 6. O Diretor Nome: Data: Assinatura: 7. A Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva Deliberação (deliberação da necessidade ou não de mobilizar medidas seletivas e/ou adicionais; nas situações em que apenas são mobilizadas medidas universais de suporte à aprendizagem e à inclusão devem ser incluídas recomendações de implementação das mesmas.) 8. A Coordenadora da Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva Nome: Data: 9. O Encarregado de Educação Assinatura: Declaro que tomei conhecimento da decisão da Equipa Multidisciplinar de Apoio à Educação Inclusiva relativamente às medidas de suporte à aprendizagem a mobilizar. Nome: Data: Assinatura: Página 94

95 ANEXO 4 ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS ANO LETIVO 2018/2019 Programa Educativo Individual (Artigo 24º) Ano letivo: Nome do aluno: Ano de Escolaridade: Turma: N.º do processo: Diretor(a) de turma/ Coordenador de PEI: Docente de Educação Especial: Página 95 de 99

96 1. Identificação do aluno Nome: Data de Nascimento: Pai: Enc. Educação: Morada: Código Postal: Telefone: Naturalidade: Filiação: Mãe: Localidade: Telemóvel: Parentesco: 2. Identificação e operacionalização das adaptações curriculares significativas (Alínea c) do Art.º 2.º) (com base no Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, nas aprendizagens essenciais e nos demais documentos curriculares) Disciplinas/módulos (tendo por base os documentos curriculares em vigor) Competências e aprendizagens a desenvolver (conhecimentos, capacidades e atitudes) (tendo por base as áreas de competências definidas no Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, de acordo com os interesses, potencialidades, expectativas e necessidades do aluno, assim como expectativas da família, conforme identificado no Relatório Técnico-Pedagógico.) Estratégias de ensino (Identificar as ações a implementar, com enfoque no aluno e nos seus contextos, de modo a promover o desenvolvimento eficaz das competências e aprendizagens delineadas.) Adaptações no processo de avaliação Contextos/ intervenientes Carga horária semanal (anexar horário) 3. Outras medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão Página 96

97 4. Competências transversais a serem desenvolvidas por todos os intervenientes (com base nos descritores operativos preconizados no Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória.) 5. Critérios de avaliação e de progressão 6. Necessidade de produtos de apoio para o acesso e participação no currículo Nota: Em caso afirmativo identificar os produtos necessários, o porquê dessa necessidade Sim Não bem como contextos da sua utilização. 7. Plano Individual de Transição Sim Não Nota: Em caso afirmativo, anexar o PIT. 8. Plano Individual de Intervenção Precoce * Sim Não 9. Plano de Saúde * Sim Não *Em caso afirmativo, indicar de que forma é garantida a coerência, articulação e comunicação com o PEI. Anexar o(s) documento(s). 10. Estratégias para o processo de transição entre ciclos de educação e ensino (Conforme definido no RTP.) O Encarregado de Educação Nome: Data: Assinatura: O aluno Nome: Data: Assinatura: O Coordenador da Equipa Multidisciplinar de apoio à Educação Inclusiva (Art.º 12.º) Nome: Data: Assinatura: Página 97 de 99

98 O Coordenador da Equipa Multidisciplinar de apoio à Educação Inclusiva (Art.º 12.º) Nome: Data: Assinatura: Nome: Data: Assinatura: Nome: Data: Assinatura: O Coordenador da Equipa Multidisciplinar de apoio à Educação Inclusiva (Art.º 12.º) Nome: Data: Assinatura: O Presidente do Conselho Pedagógico (n.º4 do Art.º 22.º) Nome: Data: Assinatura: Homologação pelo Diretor (n.º4 do Art.º 22.º) Nome: Data: Assinatura: Página 98

99

Terceiro Ciclo da Avaliação Externa das Escolas. Campos de análise Referentes Indicadores

Terceiro Ciclo da Avaliação Externa das Escolas. Campos de análise Referentes Indicadores Quadro de referência Domínios, campos de análise, referentes e indicadores O quadro de referência do terceiro ciclo da Avaliação Externa das Escolas estrutura-se em quatro domínios Autoavaliação, Liderança

Leia mais

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA 2018/2019 1 Índice Nota Introdutória... 3 Metodologia de trabalho... 4 Objetivo Geral... 4 Aprendizagens esperadas... 4 Domínios... 5 Operacionalização do Currículo...

Leia mais

Autonomia e Flexibilidade Curricular. III Reunião com as Escolas do Projeto Julho de 2017

Autonomia e Flexibilidade Curricular. III Reunião com as Escolas do Projeto Julho de 2017 Autonomia e Flexibilidade Curricular III Reunião com as Escolas do Projeto Julho de 2017 AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR C RESPONSABILIDADE N F A U T O N O M I A A ACOMPANHAMENTO Ç F L E X I B I L

Leia mais

Plano Estratégico da Educação para a Cidadania

Plano Estratégico da Educação para a Cidadania Plano Estratégico da Educação para a Cidadania Índice 1. INTRODUÇÃO... 2 2. DOMÍNIOS, TEMAS E APRENDIZAGENS... 7 3. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO... 9 4. PROJETOS A DESENVOLVER... 9 5. PARCERIAS A ESTABELECER...

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

APRENDIZAGENS ESPERADAS

APRENDIZAGENS ESPERADAS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO ANO /TURMA: 7ºB 35 aulas /60 min APRENDIZAGENS ESPERADAS Conceção de cidadania ativa Identificação de competências essenciais de formação cidadã (Competências para uma Cultura

Leia mais

Diploma do Currículo dos Ensinos Básico e Secundário Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho Síntese

Diploma do Currículo dos Ensinos Básico e Secundário Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho Síntese Diploma do Currículo dos Ensinos Básico e Secundário Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho Síntese Ciclo de reuniões com as Escolas julho de 2018 Porquê? Porque Portugal ainda tem um problema sério de qualidade

Leia mais

I - Regulamento para a constituição, funcionamento e avaliação de turmas com Percursos Curriculares Alternativos (PCA) para o ano letivo de 2015/2016

I - Regulamento para a constituição, funcionamento e avaliação de turmas com Percursos Curriculares Alternativos (PCA) para o ano letivo de 2015/2016 I - Regulamento para a constituição, funcionamento e avaliação de turmas com Percursos Curriculares Alternativos (PCA) para o ano letivo de 2015/2016 O Ministério da Educação e Ciência, através da publicação

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA ESCOLA BÁSICA DE VALADARES OFERTA COMPLEMENTAR DE ESCOLA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA Introdução A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação

Leia mais

Plano de Melhoria. Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal

Plano de Melhoria. Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal Plano de Melhoria Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal Ano letivo 2012/2013 A autoavaliação permite identificar com clareza o que a escola faz bem e no que precisa de melhorar. Na verdade, oferece

Leia mais

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NO IPE

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NO IPE INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO ANO LETIVO 2018/2019 ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NO IPE ENQUADRAMENTO LEGAL Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania A educação e a formação são alicerces

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL REGULAMENTO INTERNO 2014 PARTE IV BIBLIOTECA ESCOLAR/CENTRO DE RECURSOS (BE/CR) Índice Artigo 1º - Constituição... 3 Artigo 2º - Definição... 3 Artigo 3º - Enquadramento

Leia mais

PLANO DE MELHORIA

PLANO DE MELHORIA PLANO DE MELHORIA 2013 2015 1 - Introdução Entende-se por Plano de Melhoria da Escola um conjunto de procedimentos e estratégias organizadas e implementadas com o objetivo de promover a melhoria dos processos

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO 2018/2019

CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 Introdução CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 A avaliação, sustentada por uma dimensão formativa, é parte integrante do ensino e da aprendizagem, tendo por objetivo central a sua melhoria

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16

PROJETO EDUCATIVO 2012/ /16 ESCOLA SECUNDÁRIA/3º CEB POETA AL BERTO, SINES PROJETO EDUCATIVO 2012/13-2015/16 Aprovado pelo Conselho Geral a 8 de abril de 2013. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MISSÃO... 3 3. VISÃO... 3 4. VALORES..4

Leia mais

AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR NO ECO-AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIRGÍNIA MOURA 2017/2018

AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR NO ECO-AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIRGÍNIA MOURA 2017/2018 AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR NO ECO-AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIRGÍNIA MOURA 2017/2018 O INÍCIO Identificação de problemas Análise dos resultados escolares Estabelecimento de prioridades Mobilização

Leia mais

Plano de Melhoria. Avaliação Externa IGEC. 13 a 16 de abril 2015

Plano de Melhoria. Avaliação Externa IGEC. 13 a 16 de abril 2015 Plano de Melhoria Avaliação Externa IGEC 13 a 16 de abril 2015 Agosto de 2015 1 ÍNDICE Introdução 3 Metodologia usada 3 Pontos fortes e áreas de melhoria. 3 Plano de melhoria 6 Nota relativa a crédito

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. João da Pesqueira

Agrupamento de Escolas de S. João da Pesqueira PRINCÍPIOS ORIENTADORES DA ORGANIZAÇÃO E GESTÃO CURRICULAR DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (AEC) ANO LETIVO 2018/19 1º CICLO 0 Índice INTRODUÇÃO... 2 1. FINALIDADES... 2 2. INSCRIÇÃO E ANULAÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2019/2020

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2019/2020 1. Avaliação A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas pelo aluno. Tem por objetivo a

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Aprovado em reunião do Conselho Geral realizada em 28 de março de 2019 (em branco) Índice 1. Introdução... 1 2. Estrutura... 1 3. Princípios Gerais... 2 4. Objetivos e Metas...

Leia mais

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NA ESCOLA

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NA ESCOLA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTEL ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NA ESCOLA (EECE) Coordenadora: Paula Marques 1 Índice 1. Introdução... 3 2. Documentos de referência... 3 3. Organização dos diferentes

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANO DE AÇÃO DO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS OBJETIVOS EDUCAR EM CIDADANIA 1. RESULTADOS ESCOLARES Alcançar os resultados esperados de acordo com o contexto do agrupamento. Melhorar

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO LINHAS, DIMENSÕES ESTRATÉGICAS, OBJETIVOS, METAS, OPERACIONALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO

PROJETO EDUCATIVO LINHAS, DIMENSÕES ESTRATÉGICAS, OBJETIVOS, METAS, OPERACIONALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO A. CIENTIFICA E PEDAGÓGICA A1. AUMENTAR O SUCESSO ESCOLAR A1.1 Promover o sucesso dos alunos e melhorar os resultados escolares LINHA 1. FOMENTAR A CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA QUE PROMOVA A FORMAÇÃO INTEGRAL

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA. Agrupamento de Escolas de Gavião. Formandos: Paulo Pires/Cristina Mingacho/ Fernanda Calha Formador: Dr.

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA. Agrupamento de Escolas de Gavião. Formandos: Paulo Pires/Cristina Mingacho/ Fernanda Calha Formador: Dr. PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA ESCOLAR OFICINA DE FORMAÇÃO Formandos: Paulo Pires/Cristina Mingacho/ Fernanda Calha Formador: Dr. Domingos Bento CURSO DE FORMAÇÃO EM

Leia mais

PROJETO CURRICULAR. Desenvolvimento do Planeamento Curricular

PROJETO CURRICULAR. Desenvolvimento do Planeamento Curricular PROJETO CURRICULAR Desenvolvimento do Planeamento Curricular A ESQM consolidará o seu projeto visando a promoção de um ensino de qualidade que permita uma sólida formação teórica dirigida para um ensino

Leia mais

António de Jesus Seixas Recondução de Diretor

António de Jesus Seixas Recondução de Diretor António de Jesus Seixas Recondução de Diretor QUERER MAIS E MELHOR, CAMINHANDO JUNTOS, POR UMA ESCOLA DE QUALIDADE RUMO À EXCELÊNCIA. A minha filosofia de gestão participada assenta numa liderança partilhada

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014

PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014 PLANO ESTRATÉGICO 2013/2014 Após a leitura dos pareceres elaborados pelos diferentes departamentos, procedeu-se ao levantamento de dados referentes a situações-problemas e foram delineadas estratégias

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santo André

Agrupamento de Escolas de Santo André Agrupamento de Escolas de Santo André Introdução Uma educação de qualidade para todos exige uma intervenção que tenha em consideração os desafios colocados à sociedade atual. Neste contexto, com a Estratégia

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFENA. Estratégia de Educação para a Cidadania na Escola (EECE)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFENA. Estratégia de Educação para a Cidadania na Escola (EECE) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALFENA Estratégia de Educação para a Cidadania na Escola (EECE) Alfena, ano letivo 2018/2019 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 1. ABORDAGEM... 3 1.1 Eixos recomendados pelo Fórum

Leia mais

Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015

Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015 João Adelino Matias Lopes dos Santos Transição para a vida pós-escolar: Portaria n.º 201-C/2015 Ciclos de Sábados Porto, 16 de abril de 2016 Índice Enquadramento normativo Fases do processo de transição

Leia mais

AÇÃO ESTRATÉGICA Reformulação para o ano letivo 2016/2017 PLANO PLURIANUAL DE MELHORIA

AÇÃO ESTRATÉGICA Reformulação para o ano letivo 2016/2017 PLANO PLURIANUAL DE MELHORIA AÇÃO ESTRATÉGICA Reformulação para o ano letivo 2016/2017 PLANO PLURIANUAL DE MELHORIA (2014/2017) Avis, julho de 2016 6. Ação Estratégica 2016/2017 Eixo 1 Apoio à melhoria das aprendizagens Ação: MSE

Leia mais

ESTRATÉGIA DE CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO

ESTRATÉGIA DE CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO Página1 ESTRATÉGIA DE CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO 2018/2019 (Com a introdução das alterações pelo DL Nº 55/2018 de 6 de julho) Documento de trabalho elaborado 2017/2018 aprovado em CP de 25/10/2017 Documento

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS E NORMAS DE AVALIAÇÃO Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas

Leia mais

2017/2018 Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento

2017/2018 Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento 2017/2018 Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento Plano de Ação de Melhoria ÍNDICE 1- Introdução 2 2- Estrutura do Plano de Melhoria 2 3- Visão Global do Plano 3 4- Fichas de Ação de Melhoria 4

Leia mais

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO

Agrupamento de Escolas nº4 de Évora Escola Sede: Escola Secundária André de Gouveia 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1. ÁREAS DE INTERVENÇÃO 1.1. IMPLEMENTAR A ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR - Aprimorar ação educativa. Otimizar o desempenho de funções de coordenação. Valorizar a centralidade da escola e do

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. João do Estoril - Ano Letivo 2018/2019. Critérios de Avaliação - 1º ciclo do ensino básico

Agrupamento de Escolas de S. João do Estoril - Ano Letivo 2018/2019. Critérios de Avaliação - 1º ciclo do ensino básico Agrupamento de Escolas de S. João do Estoril - Ano Letivo 2018/2019 Critérios de Avaliação - 1º ciclo do ensino básico Os critérios de avaliação aplicam-se às Aprendizagens Essenciais que se definem como

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR PAULA NOGUEIRA Plano de Formação do Agrupamento 2015/2018 Índice 1. Nota Introdutória... 3 2. Enquadramento do Plano de Formação... 4 3. Diagnóstico... 6 4. Objetivos Gerais...

Leia mais

Plano de Melhoria do Agrupamento - Período de intervenção 2014/ Reformulação para 2015/2016

Plano de Melhoria do Agrupamento - Período de intervenção 2014/ Reformulação para 2015/2016 Plano de Melhoria do Agrupamento - Período de intervenção 2014/2017 - Reformulação para 2015/2016 Nota Prévia Este Plano de Melhoria sustenta-se na matriz do modelo de autoavaliação CAF (Common Assessment

Leia mais

1. PRINCÍPIOS ORIENTADORES

1. PRINCÍPIOS ORIENTADORES 1 Índice PLANOS DE ESTUDO... 3 2. OBJETIVOS... 4 3.1. PLANO DE ESTUDO - EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR... 5 3.2. PLANO DE ESTUDO - 1º CICLO... 6 3.3. PLANO DE ESTUDO - 2º e 3º CICLOS... 8 4. DISCIPLINAS NÃO CURRICULARES...

Leia mais

Carta de Missão. Página 1 de 6

Carta de Missão. Página 1 de 6 Carta de Missão Ministério: Ministério da Educação Serviço: Direção-Geral da Educação (DGE) Cargo e Titular: Subdiretor-Geral Período da Comissão de Serviço: 5 anos 1. Missão da DGE: A DGE tem por missão

Leia mais

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA

Código PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA Código 160635 PLANO DE [2016/2020] (IGEC) MELHORIA ÍNDICE 1. Introdução... 2 2. Metodologia de trabalho... 3 3. Identificação das áreas de melhoria... 4 4. Desenvolvimento da estratégia... 5 5. Conclusão...

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO 2016-2018 PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO (Relatório de Avaliação Externa 2016) INTRODUÇÃO O Plano de Melhoria do Agrupamento (PMA) foi elaborado de acordo com a Recomendação nº 1/2011, de 7 de janeiro,

Leia mais

Plano de Ação Estratégica

Plano de Ação Estratégica Plano de Ação Estratégica No âmbito do Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar Período de vigência: 2016/2020 Ano letivo: 2016/2017 Escola Secundária de Caneças, Odivelas Escolas de Caneças, Odivelas

Leia mais

Ano letivo 2017/2018

Ano letivo 2017/2018 Ano letivo 2017/201 Critérios de Avaliação para os alunos com Necessidades Educativas Especiais de Caráter Permanente, abrangidos pelas medidas educativas especiais do Dec.-Lei nº 3/200, de 7 de janeiro

Leia mais

Relatório Autoavaliação Escola 2016 / 2017

Relatório Autoavaliação Escola 2016 / 2017 Relatório Autoavaliação Escola 16 / 17 Equipa de Autoavaliação dezembro de 17 (em branco) Índice 1. Introdução... 1 2. Objetivos da autoavaliação da Escola... 1 3. Atividades da equipa em... 1 4. Resultados

Leia mais

Regulamento Quadro de Excelência, Quadro de Honra e Quadro de Valor

Regulamento Quadro de Excelência, Quadro de Honra e Quadro de Valor AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEGÕES, CANHA E STO ISIDRO Regulamento Quadro de Excelência, Quadro de Honra e Quadro de Valor A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces. Aristóteles Agrupamento

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 1º / 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 1º / 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 1º / 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO 1. A avaliação incide sobre as aprendizagens e as competências/capacidades desenvolvidas

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA Código 160635 [2016/2018] (DGE) PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA ÍNDICE 1. Identificação do Agrupamento de Escolas Viseu Norte... 2 2. Compromisso social do Agrupamento / Histórico e metas de sucesso... 2 3.

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

O presente plano de melhoria abre o debate, junto da comunidade, sobre o plano plurianual - documento estruturante da escola para os próximos anos.

O presente plano de melhoria abre o debate, junto da comunidade, sobre o plano plurianual - documento estruturante da escola para os próximos anos. 2- Implementar uma monitorização efetiva da interrupção precoce do percurso escolar RESULTADOS ACADÉMICOS 1- Elaboração de Planos de Melhoria por Disciplina O presente plano de melhoria abre o debate,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO Ano Letivo 2018/2019 Agrupamento de Escolas da Benedita Alcobaça Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DOMINIOS E OBJETIVOS DO PROJETO EDUCATIVO, METAS E ESTRATÉGIAS PARA A MELHORIA...

Leia mais

CREC CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL (TESP) ACOMPANHAMENTO DE CRIANÇAS E JOVENS

CREC CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL (TESP) ACOMPANHAMENTO DE CRIANÇAS E JOVENS ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO POLITÉCNICO DO PORTO CREC CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL (TESP) ACOMPANHAMENTO DE CRIANÇAS E JOVENS ARTIGO 1.º Âmbito e Aplicação O presente Complemento Regulamentar Específico

Leia mais

P L A N O DE A Ç Ã O E S T R A T É G I C A

P L A N O DE A Ç Ã O E S T R A T É G I C A CÓDIGO 15199 Desenvolvimento sustentável P L A N O DE A Ç Ã O E S T R A T É G I C A 2 0 1 8 2 0 2 0 1 Para um desenvolvimento sustentável, vamos Medida 1 - promover a compreensão da leitura e do cálculo;

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AVERT PLANO DE MELHORIA DO AGRUPAMENTO 1 Introdução Um Plano de Melhoria é um instrumento fundamental para potenciar o desempenho académico dos alunos e a qualidade

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ENSINO SECUNDÁRIO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ENSINO SECUNDÁRIO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ENSINO SECUNDÁRIO (2ª revisão) Nos termos da alínea e) do art.º 33.º do Regime de Autonomia, Administração e Gestão, constante do Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de abril, na

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO Escola EB1 João de Deus COD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD. 346 779 AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 152 870 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO (6.ª Revisão aprovada em reunião

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CORUCHE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CORUCHE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CORUCHE CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 2018-2019 Pressupostos Ao estabelecer critérios gerais de avaliação, o Agrupamento de Escolas de Coruche pretende enunciar

Leia mais

Plano Plurianual de Atividades Nota introdutória

Plano Plurianual de Atividades Nota introdutória Nota introdutória O Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de abril, republicado pelo Decreto-Lei n.º137/2012 de 2 de julho, que regula o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos

Leia mais

Autonomia e Flexibilidade. 2 de maio de 2017

Autonomia e Flexibilidade. 2 de maio de 2017 Autonomia e Flexibilidade 2 de maio de 2017 1 Ponto de partida Alargamento da escolaridade obrigatória para 12 anos. Promoção de melhores aprendizagens no âmbito do Programa Nacional de Promoção do Sucesso

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. - Desenvolver estudos sobre a organização pedagógica das escolas e propor medidas de reorganização;

CARTA DE MISSÃO. - Desenvolver estudos sobre a organização pedagógica das escolas e propor medidas de reorganização; CARTA DE MISSÃO Ministério: Ministério da Educação Organismo: Direção-Geral da Educação (DGE) Cargo e Titular: Diretor-Geral Período da Comissão de Serviço: 5 anos Missão do Organismo: A DGE tem por missão

Leia mais

A educação que faz a diferença Um esforço coletivo

A educação que faz a diferença Um esforço coletivo A educação que faz a diferença Um esforço coletivo Pág. 1 Nota Introdutória AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAMILO CASTELO BRANCO (151762) O Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco (AECCB), no ano letivo 2014/2015,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA O Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE) foi anunciado através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 23/2016, de 24 de março com apoio da Direção-Geral da

Leia mais

Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016

Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016 Relatório Autoavaliação Escola 2015 / 2016 Equipa de Autoavaliação 10 de novembro de 2016 (em branco) Índice 1. Introdução... 1 2. Objetivos da autoavaliação da Escola... 1 3. Atividades da equipa em...

Leia mais

DOMÍNIO: APOIO AO DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

DOMÍNIO: APOIO AO DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Desenvolver a articulação curricular da biblioteca com as estruturas pedagógicas e os docentes - Desenvolver atividades interdisciplinares, fomentando o espírito de cooperação e de partilha DOMÍNIO: APOIO

Leia mais

REGULAMENTO VIANA DO CASTELO QUADROS DE MÉRITO. agrupamento de escolas da abelheira 2018 / 2019

REGULAMENTO VIANA DO CASTELO QUADROS DE MÉRITO. agrupamento de escolas da abelheira 2018 / 2019 agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO QUADROS DE MÉRITO 2018 / 2019 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ABELHEIRA QUADROS VALOR/EXCELÊNCIA PREÂMBULO O Regulamento dos Quadros de Mérito do Agrupamento

Leia mais

ENSINO BÁSICO 6º,8º E 9º ANOS

ENSINO BÁSICO 6º,8º E 9º ANOS ENSINO BÁSICO 6º,8º E 9º ANOS CRITÉRIOS/REGRAS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2018/2019 I - INTRODUÇÃO Nos termos da alínea e) do art.º 33º do Regime Jurídico de Autonomia, Administração e Gestão das Escolas, constante

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL AGRÍCOLA D. DINIS PAIÃ

ESCOLA PROFISSIONAL AGRÍCOLA D. DINIS PAIÃ ESCOLA PROFISSIONAL AGRÍCOLA D. DINIS PAIÃ ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA NA ESCOLA 2018/2019 Coordenadora: Mª da Graça Dias Índice 1. Introdução...3 2. Objetivos e metas da Estratégia de Educação

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 PREÂMBULO O Plano Anual de Atividades (PAA) constitui um dos instrumentos de autonomia, previstos na alínea c) do nº 1 do artigo 9º do Decreto/Lei nº 75/2008 de 22 de

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO DE

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO DE CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O ANO LETIVO DE 2016-2017 1. Introdução De acordo com o exposto ponto 3 do artigo 7º do Despacho normativo n.º 1-F/2016 de 5 de abril, os critérios de avaliação constituem

Leia mais

Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade

Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE FERREIRA DIAS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO INTERNA DA ESCOLA Promover o sucesso educativo numa escola de qualidade 1 ÍNDICE Constituição da CAI... 3 I. Conceção

Leia mais

PLANO DE MELHORIA 2016/2017 EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO

PLANO DE MELHORIA 2016/2017 EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO PLANO DE MELHORIA 2016/2017 EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO 1 INTRODUÇÃO No seguimento do relatório elaborado pela equipa de autoavaliação, que numa primeira fase analisou os aspetos relativos aos resultados e

Leia mais

Reunião de Rede LVT Fevereiro de Equipa Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Reunião de Rede LVT Fevereiro de Equipa Regional de Lisboa e Vale do Tejo Reunião de Rede LVT Fevereiro de 2019 Equipa Regional de Lisboa e Vale do Tejo Programa 10:00 Abertura Enquadramento da AFC 10:20 Sessões paralelas Grupos de Trabalho Tema A / Tema B / Tema C 11:20 Intervalo

Leia mais

PAE PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PAE PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA PAE PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO SÉRGIO Ø Identificação do Agrupamento de Escolas António Sérgio O Agrupamento situa- se em Agualva- Cacém é composto pela escola sede, EB 2.3

Leia mais

PLANO DE MELHORIA QUADRIÉNIO 2014/2018

PLANO DE MELHORIA  QUADRIÉNIO 2014/2018 PLANO DE MELHORIA QUADRIÉNIO 2014/2018 Índice Nota Introdutória... 1 1. Resultados da Avaliação Externa... 2 2. Plano de de Melhoria... 4 3. Acompanhamento e divulgação... 6 Nota Introdutória O presente

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Martinho REFERENCIAL 1. Cidadania e Desenvolvimento

Agrupamento de Escolas de S. Martinho REFERENCIAL 1. Cidadania e Desenvolvimento Agrupamento de Escolas de S. Martinho REFERENCIAL 1 Cidadania e Desenvolvimento I - INTRODUÇÃO/ENQUADRAMENTO Para a redefinição da educação para a cidadania, constitui-se um grupo de trabalho, com o intuito

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Arruda dos Vinhos

Agrupamento de Escolas de Arruda dos Vinhos Agrupamento de Escolas de Arruda dos Vinhos Plano de Melhoria 2015/2019 Plano de Melhoria do Agrupamento de Escolas de Arruda dos Vinhos 2015/2019 Introdução O presente documento enquadra-se no processo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE AÇÃO ESTATÉGICA PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE AÇÃO ESTATÉGICA PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES PLANO DE AÇÃO ESTATÉGICA PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR Guimarães, 21 de novembro de 2018 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. MEDIDA 1 Melhor ensino, melhor

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO Plano Plurianual de Atividades 2014/2017 0 Índice Índice... 1 Introdução... 2 DIMENSÃO PEDAGÓGICA... 3 DIMENSÃO CÍVICA... 7 DIMENSÃO ESCOLA, FAMÍLIA, COMUNIDADE... 9 DIMENSÃO

Leia mais

Ano Letivo 2017/2018. Critérios de Avaliação Ensino Secundário

Ano Letivo 2017/2018. Critérios de Avaliação Ensino Secundário Ano Letivo 2017/2018 Critérios de Avaliação 1. DEFINIÇÃO Os critérios gerais de avaliação constituem referenciais comuns, no interior do Colégio, aprovados pelo Conselho Pedagógico e operacionalizados

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º, 5º, 7º e 10º anos de escolaridade 2018/19 (aprovados em reunião de CP de 21 de novembro)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º, 5º, 7º e 10º anos de escolaridade 2018/19 (aprovados em reunião de CP de 21 de novembro) CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º, 5º, 7º e 10º anos de escolaridade 2018/19 (aprovados em reunião de CP de 21 de novembro) I INTRODUÇÃO De acordo com a legislação em vigor, a avaliação é um elemento integrante

Leia mais

Regimento Interno. Secção do Plano Anual de Atividades Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca

Regimento Interno. Secção do Plano Anual de Atividades Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca Regimento Interno Secção do Plano Anual de Atividades Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca Preâmbulo Desde o ano letivo de 2009/2010, criou-se a figura de Coordenador(a) da Secção de trabalho do Plano

Leia mais

Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva. Castelo Branco. Centro de Apoio à Aprendizagem

Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva. Castelo Branco. Centro de Apoio à Aprendizagem Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva Castelo Branco Centro de Apoio à Aprendizagem Decreto-Lei n.º 54/2018 Índice 1. Introdução contextualização... 3 2. Objetivos... 4 2.1. Objetivos Gerais... 4 2.2.

Leia mais

Plano de Estudos. Cidade da Matola República de Moçambique

Plano de Estudos. Cidade da Matola República de Moçambique Plano de Estudos Cidade da Matola República de Moçambique 2018 / 2019 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA 4 GESTÃO PEDAGÓGICA 5 - OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS IMAGENS INTERNA E EXTERNA 6 - OBJECTIVOS GERAIS E

Leia mais

Critérios de avaliação Educação Especial

Critérios de avaliação Educação Especial Critérios de avaliação Educação Especial COD 161433 Ano letivo 2016/2020 «A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa tendo como finalidade, entre outras, o reajustamento dos

Leia mais

Plano de Melhoria 2017/2018

Plano de Melhoria 2017/2018 Plano de Melhoria 2017/2018 Medidas para a melhoria dos resultados académicos Medidas inseridas no PAE O Plano de Ação Estratégica (PAE) do Agrupamento de Alfena, inserido no âmbito do Programa Nacional

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS (Artigo 10.º do Decreto - Lei n.º 54/2018, de 6 de julho) ANO LETIVO 2018/ 2019 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL 1 Avaliação dos alunos que frequentam a escolaridade

Leia mais

Pro Qualitate (Pela Qualidade)

Pro Qualitate (Pela Qualidade) Escola Secundária da Ramada Projeto Educativo de Escola Pro Qualitate (Pela Qualidade) 2014/2017 Largo da Escola Secundária Bons Dias, 2676 439 Ramada www.esramada.pt esb3.ramada@escolas.min-edu.pt Tel:

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação Ano letivo 2015/2017

Critérios Gerais de Avaliação Ano letivo 2015/2017 Critérios Gerais de Avaliação Ano letivo 2015/2017 Compete ao Conselho Pedagógico definir, no início de cada ano, os critérios gerais de avaliação e aprovar os critérios específicos de cada disciplina

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS PROFISSIONAIS

REGULAMENTO DOS CURSOS PROFISSIONAIS REGULAMENTO DOS CURSOS PROFISSIONAIS O presente regulamento define a organização, desenvolvimento e acompanhamento dos Cursos Profissionais. Os Cursos Profissionais constituem uma Modalidade de Educação,

Leia mais

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O

C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Olhão C R I T É R I O S G E R A I S DE A V A L I A Ç Ã O Ano Letivo 2016-2017 Critérios Gerais de Avaliação 2016-2017 1 1. Avaliação A avaliação constitui um processo

Leia mais

Plano de Melhoria. Agrupamento de Escolas Joaquim Inácio da Cruz Sobral

Plano de Melhoria. Agrupamento de Escolas Joaquim Inácio da Cruz Sobral Agrupamento de Escolas Joaquim Inácio da Cruz Sobral julho 2015 Introdução O presente Plano de Melhoria insere-se no âmbito do Relatório elaborado pela Equipa de Avaliação Externa da IGEC, em resultado

Leia mais

Plano de Melhoria 2016/2019

Plano de Melhoria 2016/2019 Plano de Melhoria 20162019 Outubro 2016 20162017 Índice INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVO... 4 ÁREAS DE MELHORIA... 4 IMPLEMENTAÇÃO E MONITORIZAÇÃO... 5 PLANO DE MELHORIA... 6 CONCLUSÃO... 18 ANEXOS... 19 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte. (Plano Estratégico de Melhoria) Anexo 5 ao Projeto Educativo

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte. (Plano Estratégico de Melhoria) Anexo 5 ao Projeto Educativo Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Plano Estratégico de Melhoria 2017-2021 Anexo 5 ao Projeto Educativo (Plano Estratégico de Melhoria) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, setembro de 2017 1 Índice

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Algarve Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO I INTRODUÇÃO 1. De acordo com a legislação em

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2016/2017 ) 1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRANCISCO DE HOLANDA. Plano de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRANCISCO DE HOLANDA. Plano de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FRANCISCO DE HOLANDA Plano de Melhoria Adenda ao plano de melhoria_caf_2016 de acordo com as observações constantes no relatório final relativo à intervenção realizada no âmbito

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Freixo de Espada à Cinta

Agrupamento de Escolas de Freixo de Espada à Cinta Agrupamento de Escolas de Freixo de Espada à Cinta Ano letivo 2018-2019 Índice Introdução... 3 1. Critérios de gerais de avaliação... 4 2. Domínios/ponderações... 4 2.1 Primeiro ciclo... 4 2.2 Segundo

Leia mais