APENSO II INFOVIA.RJ 2.0

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APENSO II INFOVIA.RJ 2.0"

Transcrição

1 APENSO II Pregã Presencial nº 001/09 INFOVIA.RJ 2.0 REDE IP MULTISERVIÇOS DO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Versã Final 30-NOV-09 1 Apens II - PP nº 001/09

2 1 - EQUIPAMENTOS CONCENTRADORES DATA CENTER PRODERJ 1.1 CARACTERÍSTICAS GERAIS Pssuir n mínim 04 (quatr) interfaces 10 Gigabit Ethernet; Pssuir um mínim de 8 (it) prtas RJ-45 (10/100/1000 Base-T) para cabs UTP em cnfrmidade cm s padrões IEEE 802.3i, 802.3u e 802.3ab e 8 (it) prtas tip mini-gbic para inserçã de móduls. Smente 8 prtas deverã funcinar simultaneamente e deverã suprtar peraçã em capacidade máxima, sem versubscriptin; As it prtas tip mini-gbic (SFP) devem suprtar móduls ns seguintes padrões: 1000BASE-SX 1000BASE-LX/LH 1000BASE-ZX O equipament deverá permitir perar simultaneamente as prtas relacinadas ns itens anterires, mantend a mesma capacidade de gerenciament e as características descritas nesta Especificaçã; O equipament prpst deverá pssuir as prtas relacinadas ns itens anterires distribuídas em pel mens dis slts distints e independentes; Permitir, cas necessári, a substituiçã ds cnversres de interface para padrã 10GBase- CX4, 10GBase-SR, 10GBase-LX4 e 10GBase-LR sem trca ds móduls de interface frnecids; Deve permitir recurs de cnfiguraçã que permita representar a velcidade/capacidade da interface, send que este valr deve atualizar a variável IFspeed da MIB padrã (RFC-1213) A cnexã ds móduls de interface frnecids cm a switching fabric deverá ser de n mínim 40 Gbps (80 Gbps full duplex) para cada módul de interfaces 1 Gbps e 10Gbps; Devera suprtar as seguintes capacidades de encaminhament de pactes nas camadas 2, 3 e 4 d mdel OSI cm capacidade de encaminhament de pactes em nível 3, em hardware, de n mínim 440 milhões de pps (IPV4) e mínim 220 milhões de pps (IPV6). Pssuir switching fabric de n mínim 700Gbps. Deve suprtar móduls de cntrle/supervisã e switching fabric redundantes. Deve suprtar sincrnism entre infrmações de nível 2 cntidas ns prcessadres e supervisres de md que na perda de um prcessadr u supervisr primári nã seja necessári rebt ds móduls de interfaces. Deve suprtar sincrnism entre infrmações de nivel 3, prtcls de rteament, cntidas ns prcessadres e supervisres, de md que na perda de um prcessadr u supervisr primári nã crra recnvergência. O temp máxim de failver (temp para que prcessadr/supervisr secundári assuma tdas as funções d primári) nã pde ser superir a 5 (cinc) segunds, quand frnecids móduls de cntrle/supervisã redundantes. 2 Apens II - PP nº 001/09

3 Cada módul de cntrle/supervisã deve suprtar szinh cntrle da peraçã de tds s móduls de interface d switch em capacidade máxima. Deverá ser frnecid módul de cntrle/supervisã redundante; O equipament deve permitir perar simultaneamente tdas as interfaces, mantend a mesma capacidade de gerenciament e as características descritas nesta Especificaçã; Deve ser suprtada a redundância de tdas as funcinalidades de níveis 2, 3 e 4; Ser frnecid cm cnfiguraçã de CPU e memória (RAM e Flash) suficiente para implementaçã de tdas as funcinalidades descritas nesta especificaçã; Permitir endereçament de n mínim de (sessenta e quatr mil) endereçs MAC, s quais deverã ser armazenads em uma única tabela. Pssuir Leds indicativs de atividade pr prta; Implementar cmutaçã d tip "stre-and-frward"; Permitir a mntagem em rack padrã de 19 plegadas, devend ser frnecid kit de fixaçã; Pssuir fnte de alimentaçã cm as seguintes características: Interna a equipament; Chaveada; Capaz de sustentar a peraçã d equipament cm tds s slts cupads pr móduls ativs; Cm ajuste autmátic de tensã 110 e 240 vlts AC; Freqüência de 60 Hz; Implementar redundância de alimentaçã elétrica através de uma segunda fnte de alimentaçã (1+1); Deverá ser frnecid cm uma segunda fnte de alimentaçã para redundância (Cada fnte deve suprtar a cnfiguraçã ttal d switch); 1.2 FUNCIONALIDADES DE CAMADA 2 (VLAN, SPANNING TREE) Implementar LAN Virtual (VLAN) padrã IEEE 802.1Q; Permitir a criaçã de n mínim 4000 VLANs ativas baseadas em prtas; Suprtar a criaçã de VLANs baseadas em endereçs MAC; Permitir a criaçã de subgrups dentr de uma mesma VLAN cm cnceit de prtas isladas e prtas prmíscuas, nde prtas isladas nã se cmunicam cm utras prtas isladas, mas apenas cm as prtas prmíscuas de uma dada VLAN; Deve permitir a criaçã, remçã e distribuiçã de VLANs de frma dinâmica através de prtas cnfiguradas cm trnc IEEE 802.1Q. 3 Apens II - PP nº 001/09

4 Implementar VLAN Trunking padrã IEEE 802.1Q nas prtas Fast Ethernet e Gigabit Ethernet. Deve ser pssível estabelecer quais VLANs serã permitidas em cada um ds trncs cnfigurads; Implementar a funcinalidade de Prt Trunking cnfrme padrã IEEE 802.3ad; Deve ser pssível criar grups de prtas cntend pel mens 8 prtas Fast Ethernet (em full duplex ); Deve ser pssível criar grups de prtas cntend pel mens 8 prtas Gigabit Ethernet (em full duplex ); Deve ser pssível criar grups de prtas cntend pel mens 8 prtas 10 Gigabit Ethernet (em full duplex ); Deve ser pssível agregar prtas que residem em móduls diferentes d switch; Deve permitir a criaçã de pel mens 30 grups de prtas agregadas. Implementar Prtcl Spanning-Tree (IEEE 802.1d); Implementar padrã IEEE 802.1s ( Multiple Spanning Tree ), cm suprte a n mínim 128 instâncias simultâneas d prtcl Spanning Tree; Implementar padrã IEEE 802.1w ( Rapid Spanning Tree ) Implementar mecanism de prteçã da rt bridge d algritm Spanning-Tree para prver defesa cntra ataques d tip Denial f Service n ambiente nível 2; Deve permitir a suspensã de recebiment de BPDUs (Bridge Prtcl Data Units ) cas a prta esteja clcada n md fast frwarding (cnfrme previst n padrã IEEE 802.1w). Send recebid um BPDU neste tip de prta deve ser pssível desabilitá-la autmaticamente 1.3 FUNCIONALIDADES DE QUALIDADE DE SERVIÇO Suprte a uma fila cm priridade estrita (priridade absluta em relaçã às demais classes dentr d limite de banda que lhe fi atribuíd) para tratament d tráfeg real-time (vz e víde); Deve implementar QS hierárquic (HQS), para as interfaces baseadas em tecnlgia Ethernet, suprtand n mínim Traffic Shaping hierárquic e cntrle de pririzaçã pr VLAN.] Implementar classificaçã, marcaçã e pririzaçã de tráfeg baseada ns valres de classe de serviç d frame ethernet (IEEE 802.1p CS) Implementar classificaçã, marcaçã e pririzaçã de tráfeg baseada ns valres d camp Differentiated Services Cde Pint (DSCP) d cabeçalh IP, cnfrme definições d IETF; Implementar classificaçã de tráfeg baseada em endereç IP de rigem/destin, prtas TCP e UDP de rigem e destin, endereçs MAC de rigem e destin; Implementar funcinalidades de QS de Traffic Shaping e Traffic Plicing ; Deve ser pssível a especificaçã de banda pr classe de serviç. Para s pactes que excederem a especificaçã deve ser pssível cnfigurar ações tais cm: transmissã d pacte sem mdificaçã, transmissã cm remarcaçã d valr de DSCP, descarte d pacte. Suprtar diferenciaçã de QS pr VLAN; Suprte as mecanisms de QS WRR (Weighted Rund Rbin) e WRED (Weighted Randm Early Detectin); 4 Apens II - PP nº 001/09

5 1.4 FUNCIONALIDADES DE GERÊNCIA Pssuir interface de cnfiguraçã via linha de cmand para tds s móduls d switch; Pssuir ferramentas de gerência cm interface gráfica GUI para s móduls d switch; Pssuir interface de gerenciament baseada em Web (HTTP) que permita as usuáris cnfigurar e gerenciar switches através de um brwser padrã; Suprtar sftware de gerenciament d equipament através de SNMP (v1, v2 e v3) e RMON, cmpatível cm um PC cm platafrma gráfica Windws e Telnet cm n mínim 5 sessões simultâneas e independentes. Suprtar prtcl SSH para gerenciament remt, implementand pel mens algritm de encriptaçã de dads 3DES; Pssuir prta de cnsle para gerenciament e cnfiguraçã via linha de cmand cm cnectr RJ-45 u cnectr padrã RS-232 cm respectiv adaptadr para cnectr RJ-45; Implementar nativamente 4 grups RMON (Histry, Statistcs, Alarms e Events) cnfrme RFC 1757: Suprtar prtcl de cleta de infrmações de fluxs que circulam pel equipament cntempland n mínim as seguintes infrmações: IP de rigem/destin parâmetr prtcl type d cabeçalh IP, prta TCP/UDP de rigem/destin, camp TOS d cabeçalh IP, interface de entrada d tráfeg Permitir espelhament de uma prta, de um grup de prtas e de VLANs para uma prta especificada. Deve ser pssível espelhar tráfeg de prtas que residem em um dad módul para uma prta que reside em módul diferente d switch; Deve ser pssível espelhar tráfeg de prtas que residem em um dad switch para uma prta que reside em switch diferente. Cas switch fertad nã tenha a funcinalidade descrita deverá ser frnecid um switch extern cm n minim 24 prtas 10/100/1000; Implementar prtcl Syslg para funções de lgging de events. Pssuir agente de gerenciament SNMP, MIB I e MIB II, que pssua descriçã cmpleta da MIB implementada n equipament, inclusive as extensões privadas, se existirem; Pssibilidade de upgrade de sftware através d prtcl TFTP; Implementar prtcl NTP (Netwrk Time Prtcl). Deve ser suprtada autenticaçã MD5 entre s peers NTP, cnfrme definições da RFC 1305; 5 Apens II - PP nº 001/09

6 1.5 FUNCIONALIDADES DE SEGURANÇA Suprtar autenticaçã, autrizaçã e accunting via RADIUS; Pssuir suprte a prtcl de autenticaçã para cntrle d acess administrativ a equipament que pssua pel mens as seguintes características: Implemente mecanisms de AAA (Authenticatin, Authrizatin e Accunting) cm garantia de entrega ds pactes transferids entre cliente e servidr AAA; Criptgrafe tds s pactes enviads a servidr de cntrle de acess e nã só s pactes referentes à senha; Permita cntrlar quais cmands s usuáris e grups de usuáris pdem executar ns equipaments gerenciads. Devem ser registrads n servidr AAA tds s cmands executads, assim cm tdas as tentativas de execuçã de cmands nã autrizadas feitas pr usuáris que tiverem acess a equipament gerenciad; Utilize prtcl TCP para prver mair cnfiabilidade a tráfeg ds pactes envlvids n cntrle administrativ; Implementar listas de cntrle de acess (ACLs) baseadas em endereç IP de rigem e destin, prtas TCP e UDP de rigem e destin e endereçs MAC de rigem e destin; Pssuir cntrle de bradcast, multicast e unicast pr prta. Deve ser pssível especificar limiares ( threshlds ) individuais para tráfeg tlerável de bradcast, multicast e unicast em cada prta d switch. Excedids s valres pré-cnfigurads deve ser pssível enviar um trap SNMP e desabilitar a prta. Prmver análise d prtcl DHCP e permitir que se crie uma tabela de assciaçã entre endereçs IP atribuíds dinamicamente, MAC da máquina que recebeu endereç e prta física d switch em que se lcaliza tal MAC. Prmver análise d prtcl ARP (Address Reslutin Prtcl) e pssuir prteçã nativa cntra ataques d tip ARP Pisning. Deve implementar traduçã de endereçs de rede (Netwrk Address Translatin NAT) em cnfrmidade cm a RFC 1631 The IP Netwrk Address Translatr (NAT) u RFC Traditinal IP Netwrk Address Translatr (Traditinal NAT); Deve implementar a traduçã de endereçs de prta (Prt Address Translatin PAT); Deve implementar s prtcls de tunelament L2TP (Layer 2 Tunneling Prtcl RFC 2661) u GRE (Generic Ruting Encapsulatin RFC 1701); 1.6 FUNCIONALIDADES DE CAMADA 3 (MULTICAST E ROTEAMENTO) Implementar IP multicast; Implementar rteament multicast PIM (Prtcl Independent Multicast) ns mds sparsemde (RFC 2362) e dense-mde ; Implementar prtcl IGMP v1, v2 e v3, 6 Apens II - PP nº 001/09

7 Implementar em tdas as interfaces d switch prtcl IGMP Snping (v1, v2, v3) cnfrme as RFC s 1112 e 2236; Pssuir rteament nível 3 entre VLANs; Pssuir n mínim 512 MBytes de memória RAM reservada para funcinalidade de rteament; Implementar rteament estátic. Implementar s prtcls de rteament RIPv1(RFC 1058) e RIPv2 (RFCs 2453, 1723 e 1724). Deve implementar autenticaçã MD5 entre s peers RIPv2. Implementar prtcl de rteament dinâmic OSPF (RFC 2328, 1587 e 2370) Deve implementar autenticaçã MD5 entre s peers OSPF Implementar pel mens dis prcesss de rteament OSPF independentes e simultânes. Implementar prtcl BGPv4 cnfrme RFCs 1771, 1965, 1966, 1997, 2796, 2439, 2858, Implementar autenticaçã MD5 entre s peers BGP. Deve implementar capacidade de balanceament de carga para prefixs BGP para até 6 destins diferentes (multipath e-bgp); Implemetar prtcl GRE (Generic Ruting Encapsulatin) cnfrme RFCs 1701 e Pssuir suprte a prtcl MPLS ( Label Distributin Prtcl, MPLS Virtual Private Netwrk, MPLS QS, MPLS Traffic Engineering) Suprtar resluçã de nmes pr DNS ( Dmain Name System ); Implementar prtcl VRRP (Virtual Ruter Redundancy Prtcl) cnfrme a RFC 2338; Implementar nativamente (em sftware) balanceament de carga entre servidres em camada 4. Devem ser suprtads pel mens s algritms rund-rbin, rund-rbin cm pnderaçã e least cnnectins (decisã de balanceament baseada n servidr que está atendend menr númer de cnexões). Devem ser suprtadas também cnexões persistentes ( sticky ). Cas essas funcinalidades sejam implementadas pr mei de licença de sftware específica, a mesma nã precisa ser frnecida. 2 - EQUIPAMENTOS CONCENTRADORES DE VPN PARA O SERVIÇO SERVIÇO VPN IPSEC/SSL VPN PARA ACESSO REMOTO Equipament d tip appliance, dedicad à terminaçã de túneis IPSEC e SSL-VPN. A sluçã deve suprtar a terminaçã de pel mens (10.000) sessões SSL-VPN simultaneamente. Deve haver versões d cliente IPSEC VPN frnecid cm cncentradr para, n mínim, s seguintes sistemas peracinais: Windws 98, Windws NT 4.0, Windws 2000, Windws XP, Linux (Intel) e Slaris. Deve ser pssível a cncentradr terminar túneis IPSEC d tip site-t-site (LAN-t-LAN) O cncentradr VPN deve suprtar a terminaçã simultânea de cnexões IPSEC VPN e SSL VPN. 7 Apens II - PP nº 001/09

8 Suprte à criaçã de VPNs IPSEC cm criptgrafia 56-bit DES, 168-bit 3DES, 128-bit AES e 256-bit AES. Deve pssuir desempenh de n mínim 1 GPS para tratament de cnexões I (padrões AES e 3DES). A criptgrafia deve ser realizada em hardware. Deve ser frnecid cm pel mens quatr interfaces 10/100/1000 autsensing. Deve ser pssível a cncentradr frnecid perar em md cluster. O líder d cluster deve ser respnsável pr direcinar cnexões para s demais membrs d cluster. Suprtar alta dispnibilidade das cnexões VPN, permitind a utilizaçã de uma segunda unidade em standby. Em cas de falha de uma das unidades, nã deverá haver perda das cnexões ativas (stateful failver) e a transiçã destas cnexões entre as duas unidades deve ser cmpletamente transparente para usuári final. Deve suprtar negciaçã de túneis VPN IPSEC utilizand prtcl IKE (Internet Key Exchange) para garantir a geraçã segura das chaves de criptgrafia simétrica. Suprte à integraçã cm servidres RADIUS para tarefa de autenticaçã, autrizaçã e accunting (AAA) ds usuáris que ganharam acess via cnexã VPN ( Extended Authenticatin ) Para SSL VPN devem ser suprtadas n mínim as seguintes aplicações transprtadas sbre cnexões SSL para cncentradr: HTTP, POP3S, IMAP4S, SMTPS. Para SSL VPN devem ser suprtads, via Prt Frwarding, n mínim as seguintes aplicações: Telnet, SSH, FTP ver SSH, Windws Terminal Services, Outlk/Outlk Express e Ltus Ntes. Deve ser pssível criar diferentes grups de usuáris SSL VPN, cm definiçã pr grup, d tip de serviç permitid sbre as cnexões SSL para cncentradr (WEB, , sistemas de arquivs). Deve ser pssível especificar as URLs acessíveis através de cnexões SSL VPN. Deve ser pssível a criaçã de prtal custmizad para acess SSL VPN. O prtal deve refletir s recurss dispníveis (aplicações e URLs acessíveis, pssibilidade de dwnlad d cliente SSL VPN, "banner de acess") para grup a que usuári que requisita acess pertence. Deve ser pssível acess SSL-VPN a pel mens s seguintes aplicativs (Telnet, SSH, VNC, RDP e Citrix) sem necessidade de sftware cliente na máquina remta. O acess será viabilizad através de plug-ins para brwsers. Deverá implementar prtcl DTLS (TLS ver UDP) de acrd cm a RFC 4748 Deve ser pssível realizar verificaçã de parâmetrs na máquina d usuári antes da apresentaçã das credenciais de identificaçã ("pre-lgin"). Deverá ser pssível verificar pel mens s seguintes atributs: Chaves de Registr, Arquivs, Endereçs IP, Versã d Sistema Operacinal e Certificads Digitais. Deve ser pssível a criaçã de regras para verificaçã da cnfrmidade da máquina cm a plítica de segurança. Dever ser pssível verificar n mínim s seguintes elements: a instalaçã, habilitaçã e atualizaçã d sftware antivírus e anti-spyware e existência de persnal firewall habilitad. Deve ser pssível estabelecer, pr grup, s serviçs de acess remt dispníveis para s usuáris deste: IPSEC VPN, SSL-VPN (cm cliente), SSL-VPN (sem cliente) e qualquer cmbinaçã destes métds. Deve ser pssível definir n cncentradr VPN mapeament de atributs LDAP e RADIUS para parâmetrs existentes na cnfiguraçã lcal de grups d cncentradr. Deve ser pssível esclher, para cada grup, se s parâmetrs usads serã s definids lcalmente u s mapeads de um grup extern LDAP/RADIUS. Deve implementar funcinalidade de Desktp Segur Virtual em partiçã criptgrafada islada cm n mínim as seguintes funcinalidades : O dwnlad d desktp segur virtual deve ser feit de frma autmática quand da tentativa de estabeleciment da sessã SSL-VPN Prteçã cntra KeyLggers e ScreenLggers Blquei da prta USB durante cnexã VPN Blquei de impressã durante cnexã VPN Prteçã cntra mdificaçã d registr cnexã VPN Blquei de cmpartilhament de arquivs durante cnexã SSL VPN 8 Apens II - PP nº 001/09

9 Blquei da utilizaçã de prmpt de cmand (DOS) Devem ser frnecidas licenças de Desktp Segur Virtual para pel mens usuáris Deve ser pssível a criaçã de plíticas de SSL VPN dinâmicas baseadas pel mens ns seguintes parâmetrs: Sistema Operacinal Utilizad Antivírus Anti-spyware Chave de Registr (existência e valr específic a ela atribuíd) Arquivs d sistema Existência de um certificad digital na máquina de nde prvém a tentativa de acess Atributs LDAP 3 - EQUIPAMENTOS CPE s 3.1 CPE BÁSICO. As características abaix devem ser cmuns a tds s tips de CPEs mencinads neste dcument. Send que para cada tip de CPE, alem destas características básicas, existem características especificas cnfrme descritas a lng deste dcument. Deve pssuir arquitetura mdular. Deve permitir fixaçã em gabinete padrã 19" (dezenve plegadas). Deve pssuir n mínim um slt para placas Cmpact Flash para backup de cnfiguraçã e sftware. Deve pssuir uma prta de cnsle cm velcidade de até 115,2 Kbps e interface RJ45. Deve pssuir uma prta auxiliar cm velcidade de até 115,2 Kbps e interface RJ45. Deve pssuir n mínim 2 (duas) prtas para rede lcal (Fast Ethernet 10/100Base-T u Gigabit Ethernet) cm detecçã autmática de velcidade e peraçã duplex, e interface RJ45 integradas as chassis. Deve suprtar móduls de rede cm interfaces seriais síncrnas n padrã V.35 capazes de atender até 8Mbps pr prta; Implementar s prtcls de rteament RIPv1(RFC 1058) e RIPv2 (RFCs 2453, 1723 e 1724). Deve ser suprtada autenticaçã MD5 entre s peers RIPv2. Implementar prtcl de rteament OSPF versã 2 de acrd cm as seguintes RFCs (RFC 2328, RFC 1793, RFC 1587 e RFC 2370) Implementar autenticaçã MD5 entre s peers OSPF Implementar pel mens dis prcesss de rteament OSPF independentes e simultânes. Implementar prtcl BGPv4 cnfrme RFCs 1771, 1965, 1966, 1997, 2796, 2439, 2858, Implementar autenticaçã MD5 entre s peers BGP. Implementar prtcl GRE (Generic Ruting Encapsulatin) cnfrme RFCs 1701 e Implementar prtcl L2TP (Layer Tw Tunneling Prtcl), cnfrme RFC Implementar prtcl L2TPv3. Implementar rteament basead em plíticas (Plicy Based Ruting). 9 Apens II - PP nº 001/09

10 Implementar rteament entre VLANs IEEE 802.1q. Implementar funçã de Transparent Bridging Implementar simultaneamente as funções de rteament e bridging. Implementar NAT (Netwrk Address Translatin) e PAT (Prt Address Translatin). Devem ser implementads NAT dinâmic e NAT estátic. Implementar rteament IP Multicast através d prtcl PIM (Prtcl Independent Multicast) nas versões 1 e 2 e ns mds Sparse Mde e Dense Mde. Implementar prtcl IGMP nas versões 1, 2 e 3. Implementar VRRP (Virtual Ruter Redundancy Prtcl), cnfrme RFC Implementar QS cnfrme arquitetura Differentiated Services (RFCs 2474, 2475). Implementar prtcl RSVP (Resurce Reservatin Prtcl) cnfrme RFCs 2205 e Permitir métds de pririzaçã de tráfeg (QS) pr tip de prtcl e pr serviçs da pilha TCP/IP alem de Traffic Plicing e Traffic Shaping : Pririty Queuing, Class Based Queuing (CBQ), Generic Traffic Shaping (GTS), Frame Relay Traffic Shaping Deve ser pssível a definiçã de classes de serviç e alcaçã de banda pr classes nas interfaces d equipament. Para s pactes que excederem a especificaçã deve ser pssível cnfigurar as seguintes ações: transmissã d pacte sem mdificaçã, transmissã cm remarcaçã d valr de DSCP, descarte d pacte. Deve ser pssível criar uma classe cm priridade absluta sbre as demais dentr d valr de banda que lhe fi alcada. Implementar LFI (Link Fragmentatin and Interleaving) nas interfaces seriais cm encapsulament Frame Relay e PPP. Implementar pel mens 03 níveis de diferenciaçã entre PVCs Frame-Relay definids em uma mesma interface física. Implementar classificaçã, marcaçã e pririzaçã de tráfeg cm base em endereç IP de rigem/destin, prtas TCP/UDP de rigem e destin, DSCP (Differentiated Services Cde Pint), camp CS (Class f Service) d frame ethernet. Implementar WRED (Weighted Randm Early Detectin) Implementar cntrle de acess administrativ a equipament cm suprte integral à arquitetura AAA (Authenticatin, Authrizatin, Accunting), send pssível especificar s grups de cmands de cnfiguraçã/mnitrizaçã permitids a cada grup de usuáris. Devem ficar registradas n servidr AAA tds s cmands executads pels usuáris autrizads assim cm tdas as tentativas nã autrizadas de execuçã de cmands ns equipaments. O prtcl de cntrle de acess implementad pel equipament deve ter, n mínim, as seguintes características: Cntrlar quais cmands s usuáris e grups de usuáris pssam executar ns elements gerenciads. Utilizar prtcl TCP para prver mair cnfiabilidade n tráfeg ds pactes envlvids n cntrle administrativ. Criptgrafar tds s pactes enviads a(s) servidr(es) de cntrle de acess e nã smente s pactes referentes a senhas. Implementar autenticaçã entre cliente AAA (equipament) e servidr AAA. Dispnibilizar, n mínim, 06 níveis de senha de acess cm privilégis diferenciads de cnfiguraçã. Dispnibilizar cntrle das sessões telnet e ssh pssibilidade de filtrar s endereçs IP específics autrizads a executar sessã telnet e ssh cm rteadr (cnfiguraçã de lgin). 10 Apens II - PP nº 001/09

11 Implementar criptgrafia 3DES (u superir) para s acesss SSH. Suprtar prtcl de cleta de infrmações de fluxs que circulam pel equipament cntempland n mínim as seguintes infrmações: IP de rigem/destin, Parâmetr prtcl type d cabeçalh IP, Prta TCP/UDP de rigem/destin, Camp TOS d cabeçalh IP, Interface de entrada d tráfeg. Deve implementar NTP (Netwrk Time Prtcl) cntempland suprte a autenticaçã entre s peers, cnfrme definid na RFC Deve ser pssível especificar a interface de rigem ds pactes NTP. Implementar s prtcls de gerenciament SNMP (Simple Netwrk Management Prtcl), empregand MIB I e MIB II, e SNMPv2C. Deve implementar envi de traps via SNMP e pder especificar a interface de rigem ds traps. Implementar nativamente pel mens 02 grups de RMON (events e alarmes) Permitir a cnfiguraçã remta via Telnet, SSH e pr prta de cnsle. Implementar prtcl Syslg para a funçã de lg de events. Deve ser pssível especificar a interface de rigem ds pactes de lgging. Deve ser suprtad internamente a rteadr um mecanism de geraçã de tráfeg sintétic capaz de emular tráfeg assciad a múltiplas aplicações. Este mecanism deve prver subsídi para que se avalie cmprtament das mais diversas aplicações que passam pela Rede, permitind que se faça a medida de n mínim s seguintes parâmetrs: jitter UDP, temp de cnexã TCP, temp de lkup DNS, rund-trip time para bter uma página Web, rund-trip time para transferir um arquiv usand FTP. Deve ser capaz de atuar cm servidr DHCP, prvend a cnfiguraçã IP para clientes DHCP cnectads através das interfaces de rede lcal, u cm Prxy DHCP. Deve suprte à cnfiguraçã de geraçã de events baseads na mnitraçã de variáveis de MIB s SNMP. Os events devem ser gerads se as variáveis assumirem valres específics u quand ultrapassarem valres de referência. Na crrência de um event deve ser pssível a emissã de um trap SNMP u envi de uma mensagem eletrônica ( ). Deve suprte à cnfiguraçã de geraçã de events baseads em cnteúds de mensagens de lg emitids pel equipament. Na crrência de um event deve ser pssível a emissã de um trap SNMP u envi de uma mensagem eletrônica ( ). Deve pssuir hardware capaz de realizar a criptgrafia ns padrões DES, 3DES e AES sem a necessidade de módul adicinal e sem prejudicar desempenh d rteadr. Deve implementar serviçs de VPN basead n padrã IPSEC (IP Security Prtcl). Deve implementar a criaçã de VPNs através d cnjunt de especificações IPSEC. Devem ser suprtadas n mínim as RFCS 1828, 1829, 2401, 2402, 2406, 2407, 2408 e Deve implementar algritms de criptgrafia 56-bit DES, 168-bit 3DES, 128-bit AES e 256-bit AES para cnexões VPN cm IPSEC. Deve implementar criaçã de túneis VPN dinamicamente para criar uma rede VPN ttalmente ligada. Deve implementar cncentraçã de VPNs (IPSEC) para acesss remts. 11 Apens II - PP nº 001/09

12 Deve implementar cncentraçã de SSL-VPNs para acesss remts. O equipament frnecid deve permitir terminar simultaneamente cnexões IPSEC d tip site-t-site, client-t-site (VPNs de acess remt) e clienteless VPN (SSL VPN). Nas cnexões d tip client-t-site (acess remt) equipament deve ser capaz de passar parâmetrs tais cm endereç IP, endereç IP d WINS Server, endereç IP d DNS Server e Default Dmain Name para cliente VPN que está slicitand a cnexã. Suprte a certificads digitais para autenticaçã das cnexões IKE. Implementar mecanism de autmatizaçã d prcess de enrllment na autridade certificadra para n mínim as seguintes CAs de mercad: Baltimre, Entrust, Verisign, Micrsft e RSA. Deve implementar a autenticaçã e autrizaçã de usuáris para acess VPN. Deve permitir a peraçã cm Stateful Firewall sem necessidade de adiçã de mdul especific para esta funçã, cm n mínim as seguintes características: Deve cnstruir registr de fluxs de dads relativs a cada sessã iniciada, armazenand para cada uma destas sessões infrmações tais cm endereçs de rigem e destin ds pactes, prtas TCP (e UDP) de rigem e destin, bem cm númers de seqüência ds pactes TCP (e UDP), status ds flags ACK, SYN e FIN. Implementar filtragem stateful para pel mens s seguintes prtcls de aplicaçã: HTTP, HTTPS, FTP, CIFS, SMTP, ESMTP, IMAP, POP3. Detectar e blquear atividade de pel mens s seguintes prtcls d tip peer-t-peer : Kazaa, Mrpheus, Gnutella, Ednkey, Bittrrent. Detectar e blquear atividade de pel mens s seguintes prtcls d tip Instant Messaging : Yah messenger, AOL IM, ICQ, MSN. Blquear applets Java. Deve ser pssível efetuar tal blquei de frma geral u para applets riunds de endereçs IP previamente especificads de endereçs IP previamente especificads. Suprtar peraçã cm Firewall Transparente. Suprtar a filtragem de pactes Ipv4 e Ipv6. Os equipaments devem suprtar interface gráfica baseada em HTTPS para cnfiguraçã das plíticas de Segurança. Deve ser pssível cnfigurar bjets, regras de filtragem e regras de NAT através da referida interface gráfica. Pssuir sftware para gerenciament através de interface Web, permitind a cleta e cnslidaçã gráfica de estatísticas, mnitraçã d estad das prtas e d equipament, cnfiguraçã d equipament, cnfiguraçã de VPN, Firewall e IPS, e lgging. Prteçã de Aplicações: Deve fazer a Inspeçã e cntrle de aplicações, através da aplicaçã de cnfrmidades de prtcl blquei de atividades indesejáveis de aplicações, para minimizar as pssíveis ameaças sbre serviçs de rede, tais cm tráfeg da web, prtcls de , mensagens instantâneas trafeg de cmpartilhament pnt a pnt e aplicações que usam tunelament HTTP. Segurança Integrada: A sluçã deve pssuir a certificaçã EAL4 (Evaluatin Assurance Level), frnecer capacidades básicas de prteçã de rede através de Stateful Inspectin, blqueand atividades indesejadas na rede, deve pssuir cntrle de tráfeg malicis cntra hsts vulneráveis, cm ataques de fragmentaçã e negaçã de serviç (DS), detectar e atenuar atividades incmuns de rede caracterizadas cm atividades de geradas pr vermes e zumbis. 12 Apens II - PP nº 001/09

13 Prteçã de Brdas de Rede: A sluçã deve prteger a linha de frente ds dispsitivs de cnectividade de rede quand implantads cm pnts de acess de rede: redes nã seguras, cnexões à internet pública, VPNs para acess remt e redes externas (WAN). A sluçã deve permitir cnfigurações para melhrias de plíticas de firewall, através de uma interface clara de cnfiguraçã. A cnfiguraçã das plíticas de firewall deve ser mdular e granular para permitir um ajuste fin e detalhad nas plíticas de restriçã. A sluçã deve seguir mdel de cnfiguraçã de um rteadr firewall cm padrã de negaçã ttal de acess (deny-all). Prver prteçã distribuída para diverss tips de ataques, wrms, explits, vírus e vulnerabilidades de sistemas peracinais e aplicações. Deve implementar Intrusin Preventin System (IPS) cm assinaturas de ataques, sem necessidade de adiçã de mdul especific para esta funçã. Eliminar a necessidade de equipaments islads de IPS espalhads pr diverss pnts da rede. Prver a inspeçã d tráfeg de rede através de várias cmbinações de interfaces de redes lcais e redes WAN, em ambs s sentids. Prteçã para vulnerabilidades de aplicações Micrsft SMB e vulnerabilidades de prtcls MSRPC. A sluçã deve trabalhar cm escala de risc para s alarmes de IPS basead em severidade, fidelidade. Prver identificaçã multivetr de ameaças, através de inspeçã prmenrizada das camadas de rede 2-7. Prteger a rede de vilações as plíticas de vulnerabilidade e atividades anômlas. Prver tecnlgia acurada de prevençã, através de avaliaçã de risc e meta de event geradr, para frnecer ações preventivas sbre um vast leque de ameaças. Para que nã se tenha cmprmetiment d desempenh d rteadr cpe mesm deve pssuir módul de hardware dedicad (prcessadr e memória) para a funçã de IPS (intrusin preventin system) integrad a equipament, Fica facultad frneciment de appliance de IPS extern d mesm fabricante. N cas de frneciment de IPS extern deverá ser frnecid cm a sua platafrma de gerencia respectiva. 3.2 CPE COM SUPORTE À VOZ Deve ter a pssibilidade de ser inserid em redes cm serviçs de Vz sbre IP (VIP); Deve suprtar s CODECs de cmpressã segund padrã G.711u,.711a, G.723.1, G.728, G.729, G.729b e ilbc. Deverá implementar supressã de silênci segund s padrões G.729B e G cm geraçã de ruíd de fund (Cmfrt Nise-CNG); Deve suprtar a inserçã de interfaces analógicas e digitais de vz. Deve suprtar interfaces de vz analógicas, FXS u FXO. Deve suprtar s prtcls de sinalizaçã de Vz: H.323V4 e SIP. Deverá suprtar, para entrncament as seguintes sinalizações: MFC R2 Digital; ISDN (RDSI) PRI e BRI ; Trnc Analógic; QSIG (ETSI); H.323 u SIP. 13 Apens II - PP nº 001/09

14 Deverá permitir a facilidade (DDR), sem us de "hardware" extern adicinal. Suprtar VAD (Vice Activity Detectin); Deverá suprtar criptgrafia a partir ds própris gateways para tdas as chamadas ativas que trafegarem entre s mesms (sinalizaçã e vz); Deverá implementar cancelament de ec, segund padrã G.168; Deverá suprtar transmissã de fax, segund padrã T.38; Deverá implementar s prtcls RTP e RTCP; Deverá implementar transferência de dígits DTMF segund RFC 2833 u através da sinalizaçã ITU-T H.245; Deverá implementar qualidade de serviç, segund IP Precedence e DSCP; 3.3 CPE COM SUPORTE ÀS REDES MÓVEIS Cm uma pçã de acess alternativ, tds s CPE s devem suprtar a adiçã de módul que permita a cnexã de dads através de rede celular 3G cm as seguintes características: Devem ser suprtar as seguintes tecnlgias e faixas de freqüência: HSPA: 850, 1900 e 2100 MHz UMTS: 850, 1900 e 2100 MHz EDGE: 850, 900, 1800 e 1900 MHz GPRS: 850, 900, 1800 e 1900 MHz CDMA 1xEV-DO Rev A: 800 e 1900 MHz CDMA 1xEV-DO Rel 0 CDMA 1xRTT Deve permitir us de antenas externas a módul que pssam ser instaladas distantes d CPE. Deve permitir a mnitraçã de infrmações de rádi freqüência, da peraçã da interface e d tráfeg através d prtcl SNMP. 3.4 CPE COM SUPORTE À REDE SATÉLITE: Deve suprtar mdul de satélite integrad n equipament que suprte as seguintes bandas de freqüência: Ku-Band: GHz receive, GHz transmit; GHz Rx, GHz Tx; GHz Rx Extended Ku-Band: GHz. r GHz Rx; GHz Tx C-Band: GHz Rx, GHz Tx Extended C-Band: GHz Rx, GHz Tx Obs.: Cas a rede da peradra apresente características diferentes das listadas acima, pderá ser frnecid equipament extern a CPE. 14 Apens II - PP nº 001/09

APENSO II INFOVIA.RJ 2.0

APENSO II INFOVIA.RJ 2.0 APENSO II Pregã Presencial nº 001/09 INFOVIA.RJ 2.0 REDE IP MULTISERVIÇOS DO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Versã Final 7-ABR-10 1 Apens II - PP nº 001/09 1 - EQUIPAMENTOS CONCENTRADORES DATA CENTER

Leia mais

ANEXO III. INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0

ANEXO III. INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0 ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0, Rede IP Multiserviços do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Versão: 0.0 1 1 ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS - REDE INFOVIA.RJ 2.0 1.1 CARACTERISTICAS BASICAS COMUNS A TODOS OS

Leia mais

ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0

ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0 ANEXO III INFOVIA.RJ 2.0 REDE IP MULTISERVIÇOS DO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Versão: 2.0 7-AGO-09 1 1 EQUIPAMENTOS CONCENTRADORES DATA CENTER PRODERJ 1.1 CARACTERÍSTICAS GERAIS Possuir no mínimo

Leia mais

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável UMG 100 User Media Gateway t E1 and VIP Transcding ns 30 canais Cancelament de ec Suprte SNMP CDR persnalizável Design Clean e facilidade de instalaçã O UMG 100 é um user gateway da linha de Media Gateways

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

- APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel - PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Tudo que você precisa em um único equipamento

- APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel - PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Tudo que você precisa em um único equipamento Pabx Alcatel - APRESENTAÇÃO - Central de Pabx Alcatel OmniPCX Office A Cnintel apresenta para mercad a linha de prduts cnvergentes PABX Alcatel OmniPCX Office. Pabx Alcatel Mdular, escalável, pders, flexível,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. DIE GIE Documento1 1/12

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. DIE GIE Documento1 1/12 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA DIE GIE Documento1 1/12 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO / ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS / QUANTIDADE 1. OBJETO: 1.1 Aquisição de Firewalls Appliance (hardware dedicado) com throughput

Leia mais

ERRATA Nº 04 PREGÃO PRESENCIAL N 03/2015

ERRATA Nº 04 PREGÃO PRESENCIAL N 03/2015 ERRATA Nº 04 PREGÃO PRESENCIAL N 03/205 A Presidente d Cnselh Reginal de Enfermagem de Sergipe (Cren/SE) trna públic que Edital de Pregã Presencial n 03/205, cuj bjet é a AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS, SISTEMAS

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL SESC/MS N.º 016/2012 - PG O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado do Mato Grosso do Sul, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, comunica

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Ntas de Aplicaçã Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm cntrladres HI HI Tecnlgia Dcument de acess públic ENA.00034 Versã 1.00 setembr-2010 HI Tecnlgia Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN

Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Expansão da rede local do CSS Equipamentos para Blocos do Sesc/DN Objeto: Aquisição de infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para expansão da rede loca do CSS (aumento de pontos de rede) em atendimento

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

Especificação do Projecto

Especificação do Projecto MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS Grup nº: 4 Especificaçã d Prject Turn (e campus): RCM(2ªFeira) SIRS e TRC(ªFeira) - Taguspark Nme Númer Carls Simões 7771 Jã Salada 7849 Marc Alves 7846 1 Nme d Prject DynStck

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO VIII Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 020/2014 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 6 Página 1 de 6 1. OBJETO: 1.1. Constitui objeto deste pregão a AQUISIÇÃO DE SISTEMA FIREWALL, conforme

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS RETIFICADA

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS RETIFICADA ANEXO VIII Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 020/2014 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS RETIFICADA Página 1 de 6 Página 1 de 6 OBJETO : Constitui objeto deste Pregão a Aquisição de Sistema Firewall, conforme

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Nr.: - PR Folha: 1/12 Item Quantidade 1 1,000 UN Sistema de Firewall DPI (Deep Packet Inspection) - características técnicas. Descrição Técnica "Em appliance, com no máximo 2U de altura, com bandeja ou

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center

TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011. 2.1 - SWITCHES TIPO A - Camada Núcleo da Rede Campus e Data Center TERMO DE REFERÊNCIA TR Pregão Eletrônico nº 018/2011 Anexo I 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de infraestrutura tecnológica de conectividade e de segurança lógica, com fornecimento de equipamentos

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

Página 1 de 8. DVR (04 canais; mínimo 500 GigaByte de armazenamento) Especificação técnica

Página 1 de 8. DVR (04 canais; mínimo 500 GigaByte de armazenamento) Especificação técnica Sistema Integrad de Administraçã de Materiais e Serviçs - SIAD Catálg de Materiais e Serviçs - CATMAS DVR (04 canais; mínim 500 GigaByte de armazenament) Especificaçã técnica Descriçã O sistema deve ser

Leia mais

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007

INTERNET Edital de Licitação. Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 INTERNET Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência PREGÃO CONJUNTO Nº. 39/2007 PROCESSO N 14761/2007 Anexo I - página 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. VISÃO GERAL DO ESCOPO DO SERVIÇO... 3 3. ENDEREÇOS

Leia mais

Aker Firewall UTM. Enterprise

Aker Firewall UTM. Enterprise Aker Firewall 6. Enterprise Máxima proteção e segurança na conexão entre redes. VERSÃO: 7/3/2 O Aker Firewall é uma solução completa de segurança para o ambiente corporativo que garante o controle total

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switch de Borda Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código do Material Descrição do Material

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo GT-ATER: Aceleraçã d Transprte de Dads cm Empreg de Redes de Circuits Dinâmics RT3 - Avaliaçã ds resultads d prtótip Sand Luz Crrêa Kleber Vieira Cards 03/08/2013 1. Apresentaçã d prtótip desenvlvid Nesta

Leia mais

Aker Firewall UTM. Basic

Aker Firewall UTM. Basic Aker Firewall 6. Basic VERSÃO: /9/ Máxima proteção e segurança na conexão entre redes. O Aker Firewall é um sistema completo de segurança para o ambiente corporativo pois garante o controle total das informações

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1

Manual de configuração de equipamento Huawei G73. Huawei G73. Pagina 1 Manual de cnfiguraçã de equipament Huawei G73 Huawei G73 Pagina 1 Índice 1. Breve intrduçã... 3 2. Guia rápid de utilizaçã...errr! Bkmark nt defined. 3. Serviçs e Funcinalidades suprtads...errr! Bkmark

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB

SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB A SOLUÇÃO SIGA WEB gera e cntrla uma senha para cada cliente, utilizand cnceits WEB, INTRANET e INPOSSUINET em tdas as suas funcinalidades,

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5)

Essentra BAX Application Server IPCentrex (SoftSwitch, Classe 5) Essentra BAX Applicatin Server IPCentrex (SftSwitch, Classe 5) O Applicatin Server Essentra BAX tem cm tarefa principal dar máxim de facilidades para usuári de uma rede de telecm prvend serviçs que vã

Leia mais

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA 1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA Switch de 10 portas, Quantidade unidades. 1.1.1. Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação e deve ocupar uma unidade

Leia mais

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares MIT Kerbers V5 Dig Dias Jã Sares Objectiv Case Study de uma pssível utilizaçã d Kerbers Verificaçã das ferramentas existentes Estad da tecnlgia (nmeadamente, Open Surce) Alguma aplicaçã na rede FEUPNET

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SWITCHES 1 SWITCH Todos os switches objeto deste fornecimento deverão ser do mesmo fabricante e serem entregues com todas as licenças de software necessárias à implementação de todos

Leia mais

SMART Document Camera-

SMART Document Camera- Especificações SMART Dcument Camera- Mdel SDC-450 Especificações físicas Tamanh Dbrada Instalada Pes Tamanh para remessa Pes para remessa 25,4 cm L 7 cm A 30,5 cm P (10" L 2 3/4" A 12" P) 20,3 cm L 55

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Teoria e Prática Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...15 Prefácio...16 Capítulo 1 Introdução às Redes de Computadores...17 1.1 Introdução... 17

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX Cnteúd 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS DO WINCONNECTION WEB FILTER PARA LINUX... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. REQUISITOS DE SOFTWARE... 4 3.2. REQUISITOS DE HARDWARE...

Leia mais

DAS QUANTIDADES, ESPECIFICAÇÕES E GARANTIAS DOS EQUIPAMENTOS

DAS QUANTIDADES, ESPECIFICAÇÕES E GARANTIAS DOS EQUIPAMENTOS DAS QUANTIDADES, ESPECIFICAÇÕES E GARANTIAS DOS EQUIPAMENTOS 1. QUANTIDADES ITEM QTD GARANTIA DESTINAÇÃO EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA MULTIFUNÇÃO TIPO 1 EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA MULTIFUNÇÃO TIPO 2 EQUIPAMENTO

Leia mais

ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 176/2012 DECLARAÇÃO

ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 176/2012 DECLARAÇÃO ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 176/2012 DECLARAÇÃO XXXXX, inscrita no CNPJ n. XXXXX, por intermédio de seu representante legal, Sr. (Sra.) XXXXX, portador(a) da Carteira de Identidade n. XXXXX

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. DIT/GIE Termo de Referência Firewall 1/23

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. DIT/GIE Termo de Referência Firewall 1/23 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA DIT/GIE Termo de Referência Firewall 1/23 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO / ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS / QUANTIDADE 1. OBJETO: 1.1 Aquisição de Firewalls Appliance (hardware dedicado)

Leia mais

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados.

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados. IBOCnsle Instalaçã e Cnfiguraçã Ferramenta para gerenciament d banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE INSTALAÇÃO IBOCONSOLE... 3 CONFIGURAÇÃO IBOCONSOLE... 6 Menu Cnsle... 6 Menu View... 8 Menu Server... 8 Menu

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

Software Para Controle de Acesso e Ponto

Software Para Controle de Acesso e Ponto Sftware Para Cntrle de Acess e Pnt Características e Funcinalidades Versã 2.0 Inipass é marca registrada da Prjedata Infrmática Ltda. Tds s direits reservads à Prjedata Infrmática Ltda. Características

Leia mais

ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 190/2012 DECLARAÇÃO

ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 190/2012 DECLARAÇÃO ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO SUPRIMENTOS Nº 190/2012 DECLARAÇÃO XXXXX, inscrita no CNPJ n. XXXXX, por intermédio de seu representante legal, Sr. (Sra.) XXXXX, portador(a) da Carteira de Identidade n. XXXXX

Leia mais

IPv6. Juliano Agliardi, Marco Antonio, Ronaldo Lopes

IPv6. Juliano Agliardi, Marco Antonio, Ronaldo Lopes IPv6 Julian Agliardi, Marc Antni, Rnald Lpes Universidade d Vale d Ri ds Sins (Unisins) Cep 93.022-000 - Sã Lepld - RS - Brasil jb-agliardi@htmail.cm, marcab@htmail.cm, rnestei@htmail.cm Abstract Resum

Leia mais

APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DE DADOS SECTTI EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 0008/2014

APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DE DADOS SECTTI EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 0008/2014 APRESENTAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DE SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DE DADOS SECTTI EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 0008/2014 Brasília-DF, agosto de 2014 Ref.: Apresentação de Sistema

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

Faça a segurança completa dos e-mails que trafegam em sua rede.

Faça a segurança completa dos e-mails que trafegam em sua rede. Faça a segurança completa dos e-mails que trafegam em sua rede. O é uma plataforma completa. Trata-se de um sistema de gerência e proteção transparente para os servidores de e-mail, com uma excelente relação

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

Central Telefônica DIGISTAR XIP-240

Central Telefônica DIGISTAR XIP-240 Central Telefônica DIGISTAR XIP-240 XIP-240 - ESCOLHA A MELHOR OPÇÃO ENTRE EFICIÊNCIA E MOBILIDADE EM UMA ÚNICA PLATAFORMA N atual mdel crprativ, executiv e equipes de trabalh devem estar cnectads em temp

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

Switch Central de Grande Porte

Switch Central de Grande Porte Switch Central de Grande Porte GERAL 1. Estrutura de chassi modular, para instalação em gabinete padrão EIA 19, e kit completo de instalação. Os equipamentos ofertados deverão vir acompanhados de kits

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Sensor de Nível Digital / Analógico

Sensor de Nível Digital / Analógico Sensr de Nível Digital / Analógic VERSÃO 2.2 - MANUAL DE REFERÊNCIA RevA1-06/11 Este manual é publicad pela Flex Telecm smente para fins de referência pr parte d usuári. Td esfrç pssível fi realizad para

Leia mais

Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2

Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2 Roteadores de Serviços Integrados CISCO ISR G2 Visão geral sobre Desempenho Descrição do Conteúdo Os roteadores de serviços integrados de nova geração (ISR G2) proporcionam uma plataforma para serviços

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Redes e Sub-redes Prf.

Leia mais

Aker Secure Mail Gateway

Aker Secure Mail Gateway Faça a segurança completa dos e-mails que trafegam em sua rede. O é uma plataforma completa de segurança de e-mail. Trata-se de um sistema de gerência e proteção transparente para os servidores de e-mail,

Leia mais

ITEM 01. Sistema de resfriamento auxiliar, como, por exemplo, um ventilador/exaustor adicional;

ITEM 01. Sistema de resfriamento auxiliar, como, por exemplo, um ventilador/exaustor adicional; ITEM 01 DESKTOP BÁSICO Características Mínimas Obrigatórias: Placa Mãe: Interface padrã SATA-2 u superir; N mínim 4 prtas SATA na placa-mãe; N mínim de 8 prtas, padrã USB 2.0 u superir, send duas frntais;

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

Solução multitarefa acessível e rápida

Solução multitarefa acessível e rápida MULTIFUNCIONAL MONOCROMÁTICA Sluçã multitarefa acessível e rápida MP 201SPF 0800 015 11 69 MULTIFUNCIONAL MONOCROMÁTICA Velcidade, versatilidade, alta prdutividade: tud-em-um Se vcê precisa de uma sluçã

Leia mais

Super AP150Mbps Guia Rápido e Manual do Usuário

Super AP150Mbps Guia Rápido e Manual do Usuário Super AP150Mbps Guia Rápid e Manual d Usuári P R E F Á C I O Este é um prdut da marca GTS Netwrk, que está sempre cmprmetida cm desenvlviment de sluções invadras e de alta qualidade. Este manual descreve,

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita Prjet de Arquitetura Objetivs Apresentar prjet de arquitetura e discutir sua imprtância Explicar as decisões de prjet de arquitetura que têm de ser feitas Apresentar três estils cmplementares de arquitetura

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Configurações de Equipamentos para uso do WinThor e seus Módulos Adicionais Sistema de Gestão da Qualidade

Configurações de Equipamentos para uso do WinThor e seus Módulos Adicionais Sistema de Gestão da Qualidade Página 1 de 12 Cnfig. de Equipaments Para Us d Winthr e Seus Móduls Página 2 de 12 1. ORIENTAÇÃO GERAL Este dcument tem bjetiv rientar sbre as cnfigurações mínimas exigidas para equipaments na instalaçã

Leia mais

Fundamentos de Informática 1ºSemestre

Fundamentos de Informática 1ºSemestre Fundaments de Infrmática 1ºSemestre Aula 4 Prf. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Descrevend Sistemas de um Cmputadr

Leia mais

Roteadores de Serviços Unificados

Roteadores de Serviços Unificados VPN de alto desempenho Protocolos IPSec PPTP L2TP SSL Túneis VPN Até 25 (DSR-250N) Até 35 (DSR-500/500N) Até 70 (DSR-1000/1000N) Túneis SSL VPN Até 5 (DSR-250N) Até 10 (DSR-500/500N) Até 20 (DSR-1000/1000N)

Leia mais

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos Versã 14.0 Junh 2015 www.psr-inc.cm Cntat: sddp@psr-inc.cm SDDP VERSÃO 14.0 Nvidades Representaçã mais detalhada da peraçã em cada estági: 21 blcs Tradicinalmente, a peraçã de cada estági (semana u mês)

Leia mais