UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Ilha Solteira - SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Ilha Solteira - SP"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Ilha Solteira - SP Uma Proposta de Desenvolvimento de Laboratório Remoto de Automação e Acionamento de Máquinas Elétricas para Uso Didático, Utilizando Software Open Source FÁBIO PRUDENTE DURÃO Dissertação de Mestrado Ilha Solteira - SP Novembro / 2011

2 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Ilha Solteira - SP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Uma Proposta de Desenvolvimento de Laboratório Remoto de Automação e Acionamento de Máquinas Elétricas para Uso Didático, Utilizando Software Open Source FÁBIO PRUDENTE DURÃO Orientador: Prof. Dr. José Paulo Fernandes Garcia Dissertação apresentada à Faculdade de Engenharia - UNESP - Campus de Ilha Solteira, como parte dos requisitos necessários para obtenção do título de Mestre em Engenharia Elétrica. Área de Conhecimento: Automação. Ilha Solteira - SP Novembro / 2011

3

4

5 Aos meus pais, Jessé e Roseli, a minha irmã Deise e a minha esposa Daniele, pelo amor e companheirismo me incentivando sempre a prosseguir. DEDICO

6 Agradecimentos A Deus, por me amar e cuidar de mim, ajustando os meus passos para que eu ande em seus caminhos. Aos meus pais por me apresentarem a este Deus e pela vossa sabedoria e amor, me instruindo e me dando suporte para que eu pudesse me formar. Ao Prof. Dr. José Paulo Fernandes Garcia, quero expressar a minha profunda gratidão, pela oportunidade a mim estendida, pela orientação, incentivo, apoio, esclarecimentos, paciência e amizade que me ajudaram a concluir este mestrado. A Prof a.dr a. Lizete Maria Crnkowise Fernandes Garcia pela ajuda, incentivo, conselhos e sabedorias cedidas que contribuíram para o meu aprendizado e formação. Ao professor Dr. Jean Marcos de Souza Ribeiro pela orientação conjunta ao professor Dr. José Paulo Fernandes Garcia, colaborando desde a formação da ideia inicial até ao termino do trabalho, pela amizade e compartilhamento de suas experiências que me enriqueceram não somente como profissional. Ao professor Dr. Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira e Dr. Edvaldo Assunção, que me avaliaram e ajudaram em matérias e na minha qualificação, e aos demais professores, pelos conselhos, dicas e formação. A minha esposa Daniele Neves de Oliveira Durão pelo amor, carinho e cuidado a mim dispensado durante esta etapa da minha vida e em muitas outras. Ao grupo de estudo no qual participei junto dos professores Dr. José Paulo Fernandes Garcia, Dr a. Lizete Maria Crnkowise Fernandes Garcia e Dr. Jean Marcos de Souza Ribeiro. Aos meus amigos de Laboratório de Pesquisa em Controle (LPC) pela sinceridade, ajudas, conselhos, críticas e momentos de descontração. Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pelo apoio financeiro. A UNESP pela infra-estrutura oferecida e aos funcionários.

7 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 1 Coríntios 13:1-4 e 7

8 Resumo A utilização de ferramentas computacionais para estimular e facilitar o ensino tem se mostrado uma tendência. Em vista disto, foi criada uma proposta para o desenvolvimento de um laboratório de automação e máquinas elétricas acessível remotamente. Foram feitas pesquisas por softwares gratuitos e de código aberto para a criação de um servidor de aplicações SCADA. Optou-se pela utilização de dois softwares supervisórios, o ScadaBR que é o principal utilizado neste trabalho e o iphc, voltado para acesso por celulares e dispositivos móveis. Foi implementado com sucesso um servidor web para aplicações SCADA, desenvolvido sobre a plataforma Linux. Também foi criado um processo de mistura de líquidos e um ensaio virtual de motor de indução trifásico no ScadaBR e iphc, os quais podem ser realizados e supervisionados a distância. A supervisão e a integração dos supervisórios mostrou a viabilidade da criação do laboratório remoto utilizando softwares gratuitos e de cógido aberto. Palavras-chave: Automação, Laboratório remoto, Sistema supervisório, Software para uso didático.

9 Abstract The use of computational tools to encourage and facilitate teaching have shown a trend. In view of this, we created a proposal for the development of a laboratory automation and electrical machines remotely accessible. Research was done by free software and open source to create a server SCADA applications. We opted for the use of two supervisory software, ScadaBR which is the main used in this study and IPHC, to access from mobile phones and mobile devices. Successfully implemented a web server for SCADA applications, developed on the Linux platform. They also created a process of mixing liquids and a virtual testing of induction motor three-phase in ScadaBR and iphc, which can be performed and supervised from a distance. The integration of supervisory oversight and showed the feasibility of the remote laboratory using free software and open source. Keywords: Automation, Remote laboratory, Supervisory system, Software for teaching.

10 Lista de Figuras 3.1 Arquitetura do LabRem Foto do CLP Foto do CLP Software Argos Software Proview Software ScadaBR Instalador do ScadaBR no Windows Página de acesso ao LabRem Tela Sinóptica do Processo de Mistura desligado Configuração do Data Source ModBus IP - CLP Mapa ModBus Configuração dos Data Points do CLP Configuração do Data Source Virtual Configuração do Data Point Meta - Script_Hélice Configuração do Point Link - Hélice Configuração do Detector de Evento de Temperatura Configuração do Tratador de Evento de Temperatura Painel utilizado no Processo de Mistura CLP s e Sensor de Nível Tela Sinóptica do Processo de Mistura com os Data Points discriminados Tela Sinóptica do Processo de Mistura ligado Tela Sinóptica com Gráficos/Trends do Processo de Mistura

11 4.16 Tela Sinóptica dos Alarmes do Processo de Mistura Configuração do Relatório do Processo de Mistura Relatório do Processo de Mistura enviado para o Relatório do Processo de Mistura - Parte Relatório do Processo de Mistura - Parte Relatório do Processo de Mistura - Parte Relatório do Processo de Mistura - Parte Relatório do Processo de Mistura - Parte Circuito equivalente do motor de indução trifásico Circuito equivalente do motor de indução trifásico à vazio Circuito equivalente do motor de indução trifásico com rotor bloqueado Configuração do Data Source Virtual - Motor Configuração do Data Point Script_motor_vazio_girando Configuração do Data Point Script_estado_motor_vazio Configuração do Data Point Ves_variando Configuração do Data Point motor_k_info Configuração do Point Link Script_estado_motor_vazio Scripting Temp Scripting Ensaio_vazio Scripting Ensaio bloqueado Tela principal do ensaio de motores Tela Sinóptica do Ensaio à Vazio Tela Sinóptica do Ensaio com rotor bloqueados Configuração do Relatório do Ensaio de Motores MTI Relatório do Ensaio de Motor MTI enviado para o Relatório do Ensaio de Motor MTI - parte

12 4.42 Relatório do Ensaio de Motor MTI - parte Relatório do Ensaio de Motor MTI - parte Relatório do Ensaio de Motor MTI - parte Ensaio de motores MTI supervisionado pelo software iphc Esquemas para comando múltiplo no iphc Câmera para monitoramento no iphc Criação dos DataPoints SQL no ScadaBR Criação dos Detectores de Eventos dos DataPoints SQL no ScadaBR Configuração dos Tratadores de Eventos dos DataPoints SQL no ScadaBR... 70

13 Lista de Abreviaturas CD Compact Disc CLP Controlador Lógico Programável DP Data Point FEIS-UNESP Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira da Universidade Estadual Paulista HTML HyperText Markup Language IP Internet Protocol iphc iphone Home Controller LabRem Laboratório Remoto MTI Motor Trifásico de Indução PHP Hypertext Preprocessor SCADA Supervisory Control And Data Acquisition SNA Sensor de Nível Alto SNB Sensor de Nível Baixo SQL Structured Query Language XID Export Indentification

14 Sumário 1 Introdução 13 2 Estado da Arte Comentários Arquitetura CLP s Switch Roteador Wireless Servidor SCADA Linux ScadaBR Instalação no Windows Instalação no Linux Liberação de Portas iphc Instalação no Linux Liberação de Portas Comentários Processos e Sinóticos Página de Acesso Processo de Mistura de Líquidos... 32

15 4.2.1 Programação em Ladder ScadaBR Configuração do Data Source ModBus IP - CLP Configuração do Data Source Virtual Configuração do Data Source Meta - 1-Scripts Configuração dos Alarmes de temperatura Hardware e Elementos Físicos do Processo Telas Sinóticas Configuração do Relatório Ensaio de Motores de Indução Trifásicos ScadaBR Configuração do Data Source Virtual - Motor MTI Configuração do Data Source Meta - 1-Script Configuração do Scripting Telas Sinópticas Configuração do Relatório iphc Integração entre ScadaBR e iphc Comentários Conclusões 72 Referências 73 Apêndice 75 Programação em Ladder do Processo de Mistura Scripts - Data Source Meta motor_ k _ info... 76

16 Script_ estado_ motor_ vazio Script_ hélice Script_ motor_ vazio_ girando Ves_ variando Scriptings Cálculos Finais Categoria AeD Categoria BeN Categoria CeH Correção de Res e R r Ensaio bloqueado Ensaio_ vazio Isolação A Isolação B Isolação E k Alumínio k Cobre Limpar Limpar Ensaio bloqueado Limpar Ensaio Vazio Limpar Resultados Motor Motor Motor Temp Temp

17 13 1 Introdução Em vista da crescente industrialização mundial das últimas décadas, os processos manuais tem dado lugar aos automatizados. Para garantir a eficiência da automação e geri-la, as aplicações de Supervisão, Controle e Aquisição de Dados (em inglês, Supervisory Control And Data Acquisition (SCADA)) (WIKIPéDIA, 2011) estão sendo cada vez mais utilizadas. Sistemas supervisórios são amplamente utilizados nas mais diversas áreas da Engenharia e em especial na área elétrica, de aplicações residenciais, industriais até geração e transmissão de energia elétrica. Os softwares SCADA têm se aprimorado e mudado a antiga imagem de um programa desenvolvido apenas para fiscalização de processos, incorporando a função de controlar ativamente e em tempo real todas as variáveis de interesse, deixando os limites da rede cabeada da fábrica e expandido os seus horizontes para o mundo. Existem inúmeros softwares SCADA oferecidos no mercado. Em sua maioria são proprietários e desenvolvidos pelo mesmo fabricante dos dispositivos supervisionados ou em parceria com outras empresas. Seguindo o caminho dos supervisórios, os protocolos de comunicação difundiram-se nos anos 90, onde cada fabricante criava o seu próprio. Por causa disso, surgiram algumas iniciativas para a criação de protocolos que fossem unificados, das quais foram criados o ModBus, o OPC entre outros, porém até hoje ainda a integração nos processos de comunicação utilizados é uma tarefa árdua. Com a atual popularização da internet, as distâncias se encurtaram, permitindo a conectividade em tempo real, não apenas das pessoas, mas também de muitos dispositivos. Quando se trata de supervisão, o que se procura no mercado é um software que permita a mobilidade e acessibilidade dos usuários, em qualquer lugar e de qualquer aparelho que se conecte à internet. Para suprir esta necessidade, estes programas utilizam servidores web que coletam as in-

18 1 Introdução 14 formações necessárias e as deixam disponíveis para os clientes. Estes servidores precisam ser confiáveis e de rápido acesso. Aliada à mobilidade, alguns fabricantes têm desenvolvido seus supervisórios também para celulares, tudo isso a um alto preço e não acessível para pequenas empresas, residências populares e universidades, os quais ficam alheios a essa tecnologia. Em paralelo a este cenário, com a chegada de novas gerações de alunos nas escolas, os processos educativos têm sido questionados, levando os professores a refletirem e modificarem seus métodos de ensino, visando torná-los mais dinâmicos adequando-se a realidade do jovem de hoje, que manuseia a informação de forma rápida. Esses alunos têm dado preferência pelos canais de informação que a veiculam de forma digital. Em vista deste quadro, têm sido pesquisadas formas de melhorar os métodos de ensino na área de Engenharia Elétrica, incluindo disciplinas relacionadas a Automação. Para isso, o presente trabalho propõe a utilização de softwares supervisórios para a realização de ensaios e simulações de motores de indução trifásicos, mesmo com o aluno estando fora dos domínios da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira da Universidade Estadual Paulista (FEIS-UNESP). Aprofundando esta ideia, foi feita uma proposta para a criação de um laboratório de automação e acionamento de máquinas elétricas que pudesse ser comandado totalmente de forma remota. Procurando sanar os problemas de ordem financeira e questões relacionadas a estabilidade e segurança deste sistema, optou-se apenas pela utilização de softwares gratuitos e de código aberto (em inglês, open source). No Capítulo 2 será mostrado um resumo de outros trabalhos que trataram de assuntos relacionados. No Capítulo 3 será mostrada a criação da infraestrutura necessária para a implantação do Laboratório Remoto, chamado de LabRem. Serão mostrados desde a pesquisa e comparação entre os supervisórios de código aberto existentes hoje, até a implantação do Servidor SCADA. No Capítulo 4 será mostrado todo o desenvolvimento das aplicações utilizadas no Servidor SCADA para fins didáticos.

19 15 2 Estado da Arte O acesso remoto aos laboratórios reais, é uma técnica que tem recebido grande atenção na última década, visto que isto possibilita o compartilhamento de um laboratório entre vários professores ou até mesmo universidades e proporciona a facilidade no ensino à distância. Em alguns casos em que o objetivo é apenas ensinar de forma teórica, laboratórios virtuais são utilizados, os quais também permitem o acesso remoto aos processos simulados em microcomputadores sem a necessidade do custeio para criação física de um laboratório. Antes do desenvolvimento deste trabalho, é interessante que se tenha o conhecimento de forma abrangente das referências a laboratórios remotos e virtuais presentes na literatura. Portanto, mostram-se a seguir informações retiradas de artigos, periódicos e dissertações de mestrado referentes aos temas que serão tratados nos próximos capítulos. As tabelas a seguir, apresentam de forma cronológica e ascendente pesquisas relevantes e relacionadas ao assunto tratado neste trabalho. Tabela 2.1: Descrição do Laboratório Virtual para experiências reais de controle. Projeto: Laboratório Virtual para experiências reais de controle pela Internet Instituição: University of Hagen Localização: Hagen - Renânia do Norte-Vestfália - Alemanha Autores: Christof Rohrig, Andreas Jochheim Ano: 1999 Ambiente: Resumo: Java Este trabalho apresenta a implementação de um laboratório virtual de pesquisa em controle, no qual pela internet podem ser realizados diversos experimentos com o objetivo de promover o ensino à distância. (ROHRIG; JOCHHEIM, 1999), (JOCHHEIM; ROHRIG, 2009)

20 2 Estado da Arte 16 Tabela 2.2: Descrição do Laboratório Virtual de Estatística. Projeto: Laboratório Virtual de Estatística Instituição: Rice University Localização: Houston - Texas - EUA Autores: David M. Lane Ano: 1999 Ambiente: Java Resumo: Este trabalho mostra o desenvolvimento de um laboratório virtual para estudo e simulações de estatística contendo livros e links para conteúdos didáticos relacionados à área. Permite acesso pela internet. (LANE, 1999) Tabela 2.3: Descrição do Laboratório Virtual Multimídia para desenvolvimento de Lógica Digital. Projeto: Laboratório Virtual Multimídia para desenvolvimento de Lógica Digital Instituição: University of Victoria Localização: Victoria - Colúmbia Britânica - Canadá Autores: M. Serra, E. Wang, J.C. Muzio Ano: 1999 Ambiente: Java Resumo: A proposta deste trabalho é a criação de um laboratório virtual para pesquisa e desenvolvimento de lógica digital à distância, visando possibilitar que alunos aprendam sobre a linguagem VHDL de programação de FPGA, mesmo sem disporem de equipamentos. (SERRA; WANG; MUZIO, 1999) Tabela 2.4: Descrição do Laboratório de Robótica Acessível Remotamente. Projeto: Laboratório de Robótica Acessível Remotamente Instituição: UNICAMP Localização: Autores: Campinas - São Paulo - Brasil Guimaraes, E., Maffeis, A., Pereira, J., Russo, B., Cardozo, E., Bergerman, M. Magalhaes Ano: 2003 Ambiente: HTTP, HTML, XML, Java Resumo: Este trabalho apresenta um laboratório para comando de dispositivos robóticos acessível pela internet através de microcomputadores e celular. (GUIMARAES et al., 2003)

21 2 Estado da Arte 17 Tabela 2.5: Descrição do Acesso por celular. Projeto: Acesso por celular a um supervisório Instituição: Kocaeli University Localização: Izmit - Kocaeli - Turquia Autores: E. Ozdemir, M. Karacor Ano: 2006 Ambiente: WAP, Java Resumo: Este trabalho mostra um sistema supervisório de um guindaste, que é acessível por meio de um celular. Neste supervisório é possível manobrar o guindaste e fazer movimentos precisos pela internet. (OZDEMIR; KARACOR, 2006) Tabela 2.6: Descrição da Implementação de um ambiente para Ensino à Distância. Projeto: Implementação de um ambiente para Ensino à Distância Instituição: FEIS-UNESP Localização: Ilha Solteira - São Paulo - Brasil Autores: A. V. Morais Ano: 2007 Ambiente: Resumo: HTTP, HTML, SQL, PHP Este trabalho apresenta a criação de um ambiente computacional amigável, para estimular e facilitar a aprendizagem de alunos para uma determinada matéria, utilizando Software Livre. (MORAIS, 2007) Tabela 2.7: Descrição da Implementação de um ambiente para Estudo de Automação e Controle. Projeto: Implementação de um ambiente para Estudo de Automação e Controle Instituição: USP Localização: São Carlos - São Paulo - Brasil Autores: E. A. Mossin Ano: 2007 Ambiente: LabView, Apache, SQL, PHP Resumo: Este trabalho mostra a criação de um ambiente simulado para estudo de automação e sistemas de controle distribuído em redes FieldBus. (MOSSIN, 2007) Tabela 2.8: Descrição do Laboratório Remoto de Qualidade da Energia Elétrica. Projeto: Laboratório Remoto de Qualidade da Energia Elétrica Instituição: FEIS-UNESP Localização: Ilha Solteira - São Paulo - Brasil Autores: R. M. Rapanello Ano: 2008 Ambiente: Resumo: LabView, Apache, SQL, PHP Este trabalho apresenta a implementação de um laboratório para acesso remoto de Qualidade da Energia Elétrica, visando o controle de dispositivos e o ensino à distância. (RAPANELLO, 2008)

22 2 Estado da Arte 18 Tabela 2.9: Descrição do Laboratório Remoto de motores para estudo de atraso de comunicação. Projeto: Laboratório Remoto de motores para estudo de atraso de comunicação Instituição: University of Catania Localização: Catânia - Itália Autores: Mirabella, O., Brischetto, M., Raucea, A. Ano: 2008 Ambiente: Resumo: Java Este trabalho apresenta a proposta e a implementação de um laboratório virtual para controle de motores, com a finalidade de estudar o atraso na comunicação pela internet. (MIRABELLA; BRISCHETTO; RAUCEA, 2008) Tabela 2.10: Descrição do Laboratório Remoto em servidores Linux. Projeto: Laboratório Remoto em servidores Linux Instituição: Hubei University of Technology Localização: Hubei - Wuhan - China Autores: Guangyou Yang, Ming Li, Shuangqing Zhang Ano: 2009 Ambiente: Java Resumo: Este trabalho apresenta soluções para a construção de laboratórios que necessitam realizar medidas à distância. Seu foco é a utilização de servidores Linux e para exemplificar, é mostrado uma aplicação desenvolvida por eles. (YANG; LI; ZHANG, 2009) Tabela 2.11: Descrição do Sistema de Manufatura Automatizado. Projeto: Sistema de Manufatura Automatizado Instituição: Technical University of Catalonia - Universitat Autònoma de Barcelona Localização: Espanha Autores: Ponsa, P., Vilanova, R., Pérez, A., Andonovski, B. Ano: 2010 Ambiente: GEDIS Resumo: Este trabalho apresenta um sistema de manufatura industrial supervisionado por um SCADA à distância. (PONSA et al., 2010) Tabela 2.12: Descrição do Laboratório Virtual para controle de processos. Projeto: Laboratório Virtual para controle de processos Instituição: UFSC Localização: Florianópolis - Santa Catarina - Brasil Autores: Queiroz, F.P., Gama, V.A., Gomes, F.J., Coelho, A.A.R. Ano: 2010 Ambiente: Java Resumo: Este trabalho propõe a construção de um laboratório utilizando software de código aberto, o qual será acessível pela internet, para o controle de um processo de aquecimento e resfriamento de líquidos utilizando o protocólo Profibus. (QUEIROZ et al., )

23 2.1 Comentários 19 Tabela 2.13: Descrição do Laboratório Virtual de Motores DC. Projeto: NeTRe-Lab - Laboratório Virtual de Motores DC Instituição: Gazi University Localização: Ankara - Turquia Autores: Colak, I., Demirbas, S., Sagiroglu, S., Irmak, E. Ano: 2011 Ambiente: Apache, MySQL, PHP, MatLab Resumo: Este trabalho apresenta um laboratório acessível pela internet, através da qual é possível controlar um motor DC e visualizar por uma câmera o seu estado atual. Além disso, também é possível realizar algumas simulações. (COLAK et al., 2011) 2.1 Comentários Este capítulo descreveu o estado da arte dos trabalhos relacionados ao que será discorrido neste texto, mostrando o avanço científico dos últimos anos em relação a criação de laboratórios remotos para uso didático. O próximo capítulo irá abordar sobre a arquitetura empregada para a criação deste trabalho bem como os critérios de escolha dos softwares utilizados.

24 20 3 Arquitetura A criação e implantação do Laboratório Remoto (LabRem) depende de alguns fatores importantes, dentre eles, a implementação de uma plataforma virtual acessível de fora dos domínios da FEIS-UNESP. Pensando nisso, foi pesquisada uma arquitetura de hardware e software disponível para ser usada neste projeto, chegando então a configuração mostrada na Figura 3.1. Figura 3.1: Arquitetura do LabRem. Como visto na Figura 3.1, os equipamentos utilizados para o funcionamento do LabRem

25 3.1 CLP s 21 são: dois controladores lógico programáveis (CLP); um microcomputador funcionando como servidor SCADA; um roteador wireless, para permitir acesso por dispositivos móveis e um switch para encaminhar os sinais para o acesso externo por meio de internet. A configuração de cada um dos itens está detalhada a seguir. 3.1 CLP s Neste trabalho foram utilizados dois CLP s da GE Fanuc, series 90-30, Rack IC693CPU313V. No CLP1 estão contidos os módulos descritos na Tabela 3.1: Tabela 3.1: Módulos contidos no CLP1. Slot Módulo 0 IC693PWR321Y 1 IC693CMM321-GH 2 Vazio 3 IC693MDL240F 4 Vazio 5 IC693MDL940H Figura 3.2: Foto do CLP1.

26 3.1 CLP s 22 No CLP2 estão contidos os seguintes módulos: Tabela 3.2: Módulos contidos no CLP2. Slot Módulo 0 IC693PWR321Y 1 IC693CMM321-GH 2 IC693MDL240F 3 IC693MDL940H 4 IC693ALG392B 5 IC693ALG391F Figura 3.3: Foto do CLP2. O módulo IC693PWR321Y é a fonte de alimentação do CLP e tem conexão para entrada serial (RS232), possibilitando a comunicação direta entre o Microcomputador e o CLP. O módulo IC693CMM321-GH permite comunicação com o CLP utilizando o protocolo ModBus/TCP, que foi o protocolo utilizado neste trabalho. O módulo IC693MDL240F é um conjunto de 16 entradas digitais de 120 Vac e 12 ma. O módulo IC693MDL940H é um conjunto de 16 saídas

27 3.2 Switch 23 digitais de 120 Vac e 2 A. O módulo IC693ALG392B é um conjunto de 8 saídas analógicas de -10 à +10 Vdc e de 4 à 20 ma. O módulo IC693ALG391F é um conjunto de 2 saídas analógicas com modos de variação de corrente e de tensão distintos. Nos modos de corrente pode-se ter de 4à20mAoude0à20mA.Nosmodos de Tensão pode-se ter de0à5vdcoude1à5vdc. Para programar estes CLP s foi utilizado o programa CIMPLICITY da GE-Fanuc (GE, 2000), o qual veio acompanhado do equipamento. Os detalhes da programação estão descritos no Apêndice. 3.2 Switch Para encaminhar os sinais dos CLP s, do servidor e até mesmo do roteador wireless para seus destinos, foi utilizado um switch de 8 portas da marca Wise, modelo WSHB-0081-W-SK. 3.3 Roteador Wireless Para permitir o acesso de dispositivos móveis, como celulares e notebooks ao servidor, foi utilizado um Roteador Wireless da marca Air Live WL5460 AP V Servidor SCADA O item de maior complexidade da arquitetura proposta para este laboratório, é o servidor web para o software SCADA. Pelo fato de não haver nenhum microcomputador moderno disponível, foi utilizado um microcomputador com pouco poder de processamento, o qual provavelmente já não teria mais uso como computador para pesquisa. A configuração dele está disponível na Tabela 3.3. Os servidores web, de forma geral, precisam fornecer um acesso rápido e seguro ao seu conteúdo, porém, devido as limitações da máquina utilizada, a velocidade de acesso estaria comprometida caso fosse feito uso de sistemas operacionais comerciais, que são mais lentos por exigirem recursos mais avançados de hardware, além de aumentarem os custos do projeto com a aquisição da licença.

28 3.4 Servidor SCADA 24 Tabela 3.3: Configuração do Microcomputador utilizado como Servidor. Item Configuração Placa Mãe ASUS A8N-SLI Processador - Modelo AMD Athlon(tm) 64 Processor Processador - Frequência 2 GHz Processador - Cache 512 KB Memória RAM 1GB Disco Rígido Serial ATA - 80 GB Placa de Vídeo nvidia GeForce Placas de rede Gigabit e nvidia CK804 Ethernet Controller Como uma alternativa para estes problemas, foi adotado o uso do Sistema Operacional Linux, que tem sido adotado na maioria dos servidores mundiais, como exemplo, o site do Google que é hospedado em servidores Linux. O Linux é um sistema construído de acordo com a ideologia do código aberto, gratuito e muito estável, o que além de resolver o problema da velocidade de acesso também garante maior segurança para quem acessa a aplicação e para quem a gerencia no servidor Linux O Ubuntu foi a distribuição do Linux escolhida para ser usada no servidor. As principais razões para esta escolha são: a diversidade de documentação e suporte por meio de comunidades, fóruns e afins desta distribuição; a facilidade do uso e a atualização periódica para correções de erros. A instalação do Ubuntu pode ser feita de maneira simples, acessando o site do Ubuntu (CANONICAL, 2004), realizando download da versão 32 ou 64 bits e fazendo a gravação deste conteúdo em um compact disc (CD). A gravação do CD deve ser feita escolhendo a opção "gravar como imagem", que é o nome dado para arquivos de extensão ".iso". Após isso, é só inserir o CD no microcomputador de interesse e prosseguir com os passos dados pelo assistente de instalação, o que atualmente não é diferente ou mais complicado do que a instalação de outro sistema operacional, como o Windows. Os passos detalhados podem ser encontrados no Manual disposto na página do LabRem (http://labrem.dee.feis.unesp.br). Uma das intenções deste trabalho, era que os CLP s pudessem ser comandados à distância através do servidor, porém, também programados de dentro dos domínios da FEIS-UNESP, sem a necessidade de acessar o microcomputador que está sendo usado como servidor. Pela Figura 3.1, vê-se que tanto os CLP s como o servidor são interligados por um switch,

29 3.4 Servidor SCADA 25 sendo necessário conhecer os endereços de IP (Internet Protocol) de cada CLP para poder programá-los. Os endereços de IP usados dentro da FEIS-UNESP são da classe 172.xxx.xxx.xxx, porém, para o servidor realizar conexão reversa (externa), se fazia necessário um IP da classe 200.xxx.xxx.xxx. Dessa forma não era possível o servidor se comunicar diretamente com os CLP s que estavam em outra classe de IP, ou de forma simples, em redes diferentes. Para solucionar este problema foram usadas duas placas de rede no servidor e dois cabos de rede ligados ao switch, assim cada placa foi configurada com um IP fixo. A placa reconhecida como Eth0 recebeu o IP , pelo qual se faz o acesso externo, e a placa reconhecida como Eth1 recebeu o IP , pelo qual se faz a comunicação com o CLP. Feitas as devidas configurações do microcomputador, o próximo passo foi a escolha do software SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition) a ser utilizado no servidor. Seguindo a tendência do trabalho, foram procurados softwares gratuitos e de código aberto, também conhecidos como Open Source ScadaBR Os sistemas SCADA de forma geral, sofrem com a enorme quantidade de protocolos de comunicação, que são as linguagens de comunicação entre os dispositivos (Ex.: CLP, sensores, microcomputadores). Nos anos 80, quando um fabricante desenvolvia o seu produto, também desenvolvia um protocolo próprio, com a finalidade de manter seu cliente dependente de seus produtos. Com isso, os SCADA s de código aberto procuram dispor apenas dos protocolos amplamente utilizados, sendo esse um dos principais diferencias entre esses softwares eos comerciais. Foram feitas pesquisas e comparações entre dois softwares SCADA já conceituados no mercado, o Argos (CINTAL, 2009) e o Proview (PROVIEW, 2007), e um software novo, de desenvolvimento nacional, o ScadaBR, para então ser definido o sistema SCADA a ser utilizado neste trabalho. A tabela 3.4, mostra as características de maior interesse para este trabalho e sua disponibilidade em cada software. O software Argos (CINTAL, 2009), provavelmente seja o que possui menos recursos entre os três, apesar da tabela 3.6 mostrar uma equivalência entre o Argos e o Proview. Porém quando

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados Solução Completa em Automação FieldLogger Registro e Aquisição de Dados Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS WAGNER PASSINHO, ALESSANDRA CRISTINA SILVA, DANIEL ALVES DA ROCHA

AUTOR(ES): LUIS WAGNER PASSINHO, ALESSANDRA CRISTINA SILVA, DANIEL ALVES DA ROCHA TÍTULO: AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL PELA INTERNET COM PHP E ARDUINO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE CAMPINAS AUTOR(ES):

Leia mais

Sistemas de controle para processos de bateladas

Sistemas de controle para processos de bateladas Sistemas de controle para processos de bateladas Por Alan Liberalesso* Há algum tempo os processos de batelada deixaram de ser um mistério nas indústrias e no ambiente de automação. O cenário atual nos

Leia mais

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps

Base Interface Ethernet Industrial 10/100 Mbps Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma interface Ethernet Industrial para as UCP s PO3242, PO3342 e PO3X47. A interface liga-se às redes Ethernet Industrial 10 ou 100 Mbps, estando

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Componentes da Infraestrutura de TI Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master)

Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Tutorial 122 CP DUO Inversor WEG (RS485 Protocolo MODBUS - DUO Master) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Sistemas Supervisórios são sistemas digitais de monitoração e operação da planta que gerenciam as

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO Série Ponto POR QUE NOVO CONCEITO? O que é um WEBPLC? Um CP na WEB Por que usar INTERNET? Controle do processo de qualquer lugar WEBGATE = conexão INTERNET/ALNETII WEBPLC

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia

Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia Eng. Fernando Guessi Plácido E-mail: fernandogplacido@hotmail.com Skype: fernando.guessi Roteiro O que é SCADA Benefícios de um sistema de supervisão;

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilizando o servidor de comunicação SCP Server. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Utilizando o servidor de comunicação SCP Server HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00024 Versão 1.02 dezembro-2006 HI Tecnologia Utilizando o servidor de comunicação SCP Server

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Gustavo Dib Belomo Jaderson Assunção Jean Fruehling DESCRITIVO DO SOFTWARE DE LEIS DE AERONÁUTICA

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Gustavo Dib Belomo Jaderson Assunção Jean Fruehling DESCRITIVO DO SOFTWARE DE LEIS DE AERONÁUTICA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Gustavo Dib Belomo Jaderson Assunção Jean Fruehling DESCRITIVO DO SOFTWARE DE LEIS DE AERONÁUTICA Curitiba 2009 Gustavo Dib Belomo Jaderson Assunção Jean Fruehling DESCRITIVO

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

WebGate PO9900. Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A interface de comunicação WebGate,, permite que controladores programáveis com protocolo ALNET I possam ser conectados a uma rede Ethernet TCP/IP. O WebGate permite que estes controladores

Leia mais

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 -

Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 - T e c n o l o g i a Bancada Didática para CLP SIEMENS S7-1200 com Inversor - XC124 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada Didática para CLP SIEMENS

Leia mais

Instalação de Moodle 1

Instalação de Moodle 1 Instalação de Moodle (local em Windows XP) 1. Introdução...2 2. Instalação de XAMPP...3 3. Instalação de Moodle...9 3.1. Download de Moodle...9 3.2. Criar uma Base de Dados...10 3.3. Instalação de Moodle...11

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center O software descrito neste documento é fornecido sob um contrato de licença e pode ser usado

Leia mais

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR;

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Vid8 Servidor Versão 8.13.0411 Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Versão 8.12.0311 Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Versão 8.11.0311 Correção

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Ementa Proposta CAP: 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES INDUSTRIAIS ; CAP: 2 - MEIOS FÍSICOS ; CAP: 3 - REDES

Leia mais

Regulador Digital de Tensão DIGUREG

Regulador Digital de Tensão DIGUREG Regulador Digital de Tensão DIGUREG Totalmente digital. Software para parametrização e diagnósticos extremamente amigável. Operação simples e confiável. Ideal para máquinas de pequena a média potência.

Leia mais

Palavras-chave: Sistemas supervisórios orientado a objetos; Automação; CLP

Palavras-chave: Sistemas supervisórios orientado a objetos; Automação; CLP SISTEMAS SUPERVISÓRIOS Luís Augusto Jurizato Paulo Sérgio R. Pereira Resumo Atualmente, a grande quantidade de processos automatizados existentes nos mais diversos meios, motiva a utilização dos chamados

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS

TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Yuri Kaszubowski Lopes Roberto Silvio Ubertino Rosso Jr. UDESC 24 de Abril de

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Tipos de Sistemas Operacionais Com o avanço dos computadores foram surgindo alguns tipos de sistemas operacionais que contribuíram para o desenvolvimento do software. Os tipos de

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2 AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA CONTEÚDO DA AULA Tipos de Software Serviços Web Tendências 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Visualizador de informações Agro metereológicas para TV de Alta Definição - AgroTV

Visualizador de informações Agro metereológicas para TV de Alta Definição - AgroTV Visualizador de informações Agro metereológicas para TV de Alta Definição - AgroTV Fillipi Truppel Fernandes truppelfernandes@gmail.com Instituto Federal de Santa Catarina Departamento de Metal Mecânica

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

Infra estrutura da Tecnologia da Informação

Infra estrutura da Tecnologia da Informação Infra estrutura da Tecnologia da Informação Capítulo 3 Adaptado do material de apoio ao Livro Sistemas de Informação Gerenciais, 7ª ed., de K. Laudon e J. Laudon, Prentice Hall, 2005 CEA460 Gestão da Informação

Leia mais

Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre

Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre Alan Carvalho de Assis acassis@gmail.com 1 Sumário 1) Breve histórico da Automação/Controle 2) Linux em Automação Industrial 3) Introdução

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação.

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação. Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Controle e Processo Industrial Habilitação

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes 3 MÁQUINAS VIRTUAIS Em nossa aula anterior, fizemos uma breve introdução com uso de máquinas virtuais para emularmos um computador novo

Leia mais

Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013

Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013 Guia do Laboratório de Teste: Demonstre colaboração de Intranet com SharePoint Server 2013 Este documento é fornecido no estado em que se encontra. As informações e exibições expressas neste documento,

Leia mais

Edital 012/PROAD/SGP/2012

Edital 012/PROAD/SGP/2012 Edital 012/PROAD/SGP/2012 Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM

Leia mais

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento STCP OFTP Web Admin Versão 4.0.0 Riversoft Integração e Desenvolvimento de Software Ltda Av.Dr.Delfim Moreira, 537 Centro Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais CEP 37540 000 Tel/Fax: 35 3471 0282 E-mail:

Leia mais

Manual do Aplicativo NSE Mobile Control

Manual do Aplicativo NSE Mobile Control INSTALAÇÃO DO APLICATIVO Acesse www.nse.com.br/downloads-manuais e baixe os programas de acordo com o dispositivo que irá utilizar, nos links referentes ao produto número 1 - Módulo MTCP-3E4S. - Para uso

Leia mais

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent DataHub v7.0 A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent é reconhecida como uma líder no segmento de soluções de middleware no domínio do tempo real. E, com a introdução

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA Gilva Altair Rossi gilva@demec.ufmg.br José Maria Galvez jmgalvez@ufmg.br Universidade

Leia mais

Guia do Laboratório de Teste: Rec ursos Sociais de Demonstração do SharePoint Server 2013

Guia do Laboratório de Teste: Rec ursos Sociais de Demonstração do SharePoint Server 2013 Guia do Laboratório de Teste: Rec ursos Sociais de Demonstração do SharePoint Server 2013 Hal Zucati Microsoft Corporation Publicado em: Setembro de 2012 Atualizado em: Novembro de 2012 Aplica-se a: SharePoint

Leia mais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais BI AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL Sistema Integrado de Teste em Umbilicais Objetivos da Apresentação Demonstrar a Arquitetura de hardware e software da National Instruments utilizada na solução; Discutir

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente

Servidor de OpenLAB Data Store A.02.01 Lista de Preparação do Local. Objetivo do Procedimento. Responsabilidades do cliente Servidor Lista de Preparação de OpenLAB do Data Local Store A.02.01 Objetivo do Procedimento Assegurar que a instalação do Servidor de OpenLAB Data Store pode ser concluída com sucesso por meio de preparação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR GERENCIA DE REDES DE COMPUTADORES 4º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Erik de Oliveira, Douglas Ferreira, Raphael Beghelli, João

Leia mais

Controle remoto por Bluetooth

Controle remoto por Bluetooth Controle remoto por Bluetooth Introdução Esse tutorial tem como objetivo, facilitar a montagem do controle e drive de potência voltado a modalidades que necessitam de controle remoto, seja robô sumo de

Leia mais

Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server

Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server Este documento é fornecido no estado em que se encontra. As informações e exibições expressas

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU)

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) O presente guia tem como objetivo auxiliar os usuários da rede de dados do Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância Monitoramento de Transformadores de Potência Gerenciamento de Dados para o Monitoramento e Avaliação da Condição Operativa de Transformadores Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Leia mais

: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS

: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS Título: LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA : OTIMIZANDO RECURSOS Área Temática: Educação e Comunicação / Tec. Educacionais Autores: FREDERICO HENRIQUE GOLDSCHMIDT NETO e EDEMILSON JORGE BRANDÃO Instituição: Universidade

Leia mais

Aplicação do Software Proficy ifix como padrão de software supervisório nos 48 Terminais da TRANSPETRO existentes em todas as regiões do Brasil

Aplicação do Software Proficy ifix como padrão de software supervisório nos 48 Terminais da TRANSPETRO existentes em todas as regiões do Brasil Testes Definidos por Software Saber Eletrônica 436 Software para testes de próteses de válvulas cardíacas Saber Eletrônica 433 Softwares de Supervisão www.mecatronicaatual.com. br/secoes/leitura/786 AutoCad

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto

Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Nota de Aplicação NAP100 Rede PROFIBUS DP com mestre Rockwell/ControLogix e remota Série Ponto Sumário Descrição...1 1. Introdução...2 2. Instalação...3 3. Configuração...4 3.1 Projeto de Rede PROFIBUS...4

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item menos dispendioso que o hardware, e

Leia mais

AEC Access Easy Controller. Guia de Referência

AEC Access Easy Controller. Guia de Referência AEC Access Easy Controller Guia de Referência Índice 3 1. AEC - Vista Geral do Sistema 4 2. AEC - Componentes Principais 6 3. AEC - Configuração 7 4. AEC - Benefícios 8 5. AEC - Como encomendar? 10 6.

Leia mais

Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul. Brasil

Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul. Brasil Aplicação de SNMP no Centro de Controle da Automação da Eletrosul Pablo Humeres Flores Eletrosul Brasil Diogo Vargas Marcos Eletrosul RESUMO O trabalho apresenta uma aplicação do protocolo SNMP na gerência

Leia mais

EXERCÍCIOS SIMULADO ELABORADO PELO PROFESSOR ANDRÉ ALENCAR

EXERCÍCIOS SIMULADO ELABORADO PELO PROFESSOR ANDRÉ ALENCAR EXERCÍCIOS SIMULADO ELABORADO PELO PROFESSOR ANDRÉ ALENCAR Com base no Windows XP, na figura ao lado, julgue os itens que se seguem: 01- É possível afirmar que ao se clicar em O que mais devo saber sobre

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW APÊNDICE B Ensaio da Performance do Protótipo MATRBDA-HAW560-75kW 282 LABORATÓRIO DE ENSAIOS ELÉTRICOS - BAIXA TENSÃO WEG MÁQUINAS RELATÓRIO DE ENSAIO DE PROTÓTIPO MATRBDA 560 POTÊNCIA: 75KW / 25KW TENSÃO

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

MANUAL CFTV DIGITAL - LINHA LIGHT 16 CANAIS 120 FPS / VID 120-LI CONFIGURAÇÃO DO COMPUTADOR 16 Canais - 120 FPS Processador Dual Core 2.0GHZ ou superior; Placa Mãe Intel ou Gigabyte com chipset Intel;

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

PLANTA DIDÁTICA COMANDADA VIA SUPERVISÓRIO

PLANTA DIDÁTICA COMANDADA VIA SUPERVISÓRIO PLANTA DIDÁTICA COMANDADA VIA SUPERVISÓRIO Aline Lima Silva¹; Danilo Menezes de Abreu²; Jailson da silva Machado³; Alexandre Teles 4 (orientador) ¹Faculdade de Engenharia de Resende. Resende - RJ alinel-silva@hotmail.com

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Conceitos Básicos Sistema Operacional: Um Sistema Operacional é um programa que atua como intermediário entre o usuário e o hardware de um computador. O Propósito do SO é fornecer

Leia mais

ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX. SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo

ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX. SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Salvador Alves de Melo Júnior e Ismael Souza Araújo Salvador Alves de Melo Júnior: Mestre

Leia mais

Instalação Remota Distribuição Linux

Instalação Remota Distribuição Linux Instalação Remota Distribuição Linux A distribuição linux utilizada para a instalação é a Debian. Download pode ser realizado acessando o site: http://www.debian.org Distribuição Linux Instalação Remota

Leia mais

MANUAL RASTREAMENTO 2013

MANUAL RASTREAMENTO 2013 MANUAL RASTREAMENTO 2013 Visão Geral O menu geral é o principal módulo do sistema. Através do visão geral é possível acessar as seguintes rotinas do sistema: Sumário, localização, trajetos, últimos registros.

Leia mais

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1

Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Software de monitoramento Módulo CONDOR CFTV V1 R1 Versão 30/06/2014 FOR Segurança Eletrônica Rua dos Lírios, 75 - Chácara Primavera Campinas, SP (19) 3256-0768 1 de 12 Conteúdo A cópia total ou parcial

Leia mais

LUMIKIT PRO X4 / RACK INTERFACE QUICK GUIDE

LUMIKIT PRO X4 / RACK INTERFACE QUICK GUIDE LUMIKIT PRO X4 / RACK INTERFACE QUICK GUIDE LEIA O MANUAL ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO! Considerações importantes, leia antes de usar o produto: A diferença entre a interface Lumikit PRO X4 e Lumikit PRO

Leia mais